Page 151

vantagens do trabalho assalariado” (Ibidem, p.120). Assim, há um controle para as classes economicamente, culturalmente e socialmente dominantes, que leva essa Universidade a esses dois estados, que de certa maneira acaba legitimando relações de desigualdade, ora reproduzindo-as ora não se posicionando em prol da transformação. Nesse contexto as Universidades acabam por legitimar e se consolidar enquanto instrumento de reprodução, pois “sucumbem sob o peso de pressões espúrias e de muitas opressões, oriundas tanto do aparelho estatal como de grupos internos, que se apropriam de seus instrumentos como se fossem bens particulares” (SEVERINO, 2002, p.117), não conseguindo caminhar e repensar hegemonias consolidadas, reproduzindo movimentos para atingir interesses particulares, coorporativos e egocêntricos. E por vezes acaba se permanecendo em “um estado quase que vegetativo, sem força nem vitalidade” (Ibidem, p.117), se perdendo em meio de uma lógica burocrática imobilizadora, se retirando de qualquer papel social e se voltando somente em seus processos institucionais. Para Silva (1999) as tensões e crises na Universidade têm maiores impactos em países menos desenvolvidos, como o Brasil, que correm o risco de se transformarem em espaço reprodutores de um conhecimento técnico-científico acrítico, por conta da globalização e modernização conservadora. Essa priorização das relações de Mercado tem impacto em seis pontos: 1- “Produção” de conhecimentos e de técnicas em função das demandas de mercado; 2- Concepção de ensino como adestramento; 3- Busca, no mercado científico internacional, de lideranças em pesquisa e, obsessiva e exclusivamente, de padrões internacionais de julgamento; 4- Envio, aos países centrais, de lideranças científicas potenciais (consequentemente, estímulo à evasão de cérebros); 5- Estabelecimento de intercâmbios isolados com núcleos de excelência científica dos países altamente desenvolvidos; 6- Arremedo de laboratórios de ponta (de ponta nos países

143

Profile for Carlos Lucena

Princípios de movimento de educação do campo: análise dos projetos político-pedagógicos das LEDCs do  

Princípios de movimento de educação do campo: análise dos projetos político-pedagógicos das LEDCs do  

Advertisement