Page 7

A astronomia também é prejudicada pela poluição luminosa, particularmente devido aos efeitos adversos da iluminação noturna das cidades. A luz direcionada para o espaço é prejudicial, visto que uma parte dessa luz é refletida por gotículas formadas pela umidade e partículas de pó atmosféricas, causando um fundo luminoso que sobrepõe a luz natural do céu e das estrelas. Os astrônomos requerem observações de objetos fracos que apenas podem ser feitas com grandes telescópios em locais livres da intensa luz das cidades. Com o uso de telescópios de 4 metros de diâmetro, equipados com detectores eletrônicos sensíveis, é possível observar objetos que estão 250 milhões de vezes mais distantes que as estrelas mais distantes que o olho humano pode distinguir (isso equivale a detectar a luz de uma vela a uma distância de 100 mil km). Essas observações permitem aos astrônomos detectar galáxias que se encontram cerca de 10 bilhões de anos luz. A 27ª Assembleia-Geral da União Astronômica Internacional, que ocorreu na cidade do Rio de Janeiro em agosto de 2009 lançou uma resolução “em defesa do céu noturno e pelo direito à luz das estrelas”. Esta resolução pede que o céu seja tratado como patrimônio natural, devendo ser preservado.

dois primeiros exemplos o brilho alaranjado no céu, que é resultado da luz direcionada diretamente ao céu, tirando a visão que a população tem das estrelas. À medida que os sistemas se tornam mais eficientes, pode-se notar que o brilho alaranjado do céu desaparece, podendo-se visualizar um maior número de estrelas. Observa-se que nos sistemas planejados, existe melhor aproveitamento do fluxo luminoso, utilizando-se a energia de modo eficiente.

Fig. 2. Planejamento de tipos de iluminação

O Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), localizado em Itajubá-MG, opera o Observatório do Pico dos Dias (OPD), localizado entre os municípios sul-mineiros de Brazópolis-MG e Piranguçu-MG, onde está instalado o maior telescópio do Brasil em solo brasileiro. A figura 3 mostra a poluição luminosa no entorno do Pico dos Dias. Nota-se o brilho no céu acima das cidades de Itajubá, Santa Rita do Sapucaí, Pouso Alegre e Campos do Jordão. Este brilho no céu é devido à poluição luminosa, causado por toda luz emitida acima da linha do horizonte. O mau planejamento dos sistemas de iluminação, além do desperdício de energia diminui o poder de observação dos telescópios localizados no Observatório do Pico dos Dias. Ao centro visualiza-se a Via Láctea. u

Uso racional da energia Pode-se identificar facilmente o uso irracional dos sistemas de iluminação que causam a poluição luminosa. Sistemas mal projetados, direcionando a luz acima da linha do horizonte, podem ser evitados com um planejamento e a utilização adequada de lâmpadas, luminárias e acessórios. A figura 2 mostra quatro exemplos de iluminação, sendo dois totalmente ineficientes, que causam dispersão de luz acima da linha do horizonte e dois eficientes. Note nos

Naturale

novembro/dezembro - 2010

Fig. 3. Poluição luminosa no entorno do Pico dos Dias

5

Profile for Elaine Pereira

Naturale 5a edição  

Naturale é uma publicação bimestral de distribuição gratuita da Diagrarte Editora. Trata de assuntos de sustentabilidade, meio ambiente, edu...

Naturale 5a edição  

Naturale é uma publicação bimestral de distribuição gratuita da Diagrarte Editora. Trata de assuntos de sustentabilidade, meio ambiente, edu...

Advertisement