Issuu on Google+

Era uma tarde quente de verão, estava deitada na grama do bosque perto de casa,era meu unico passatempo depois que meu pai se foi , eu era apenas uma garota de 16 anos anti-social, sem amizades e então eu ficava lá, aliás , eu adorava ficar lá,horas e horas olhando para o céu, para as nuvens, vendo os desenhos e como passeavam. Ate que senti uma sensação de estar sendo observada, olhei para um lado, olhei para o outro lado e não vi ninguem, achei bobagem e continuei a observar o céu. Até que ouvi um barulho, e não era barulho de arvore se mexendo não, era barulho de gente. Levantei depressa, olhei ao redor e não vi absolutamente ninguem, olhei mais uma vez e não vi nada ,além de umas ombra atras de uma arvore. Fiquei observando,e parecia que a sombra percebeu que eu tinha o visto. Fiquei ali parada um pouco assustada, e se fosse um aproveitador? ou um assacino? Eu podia sai dali correndo,mas decidi ir verificar,e qualquer coisa era só eu gritar, então dei alguns passos em direção á arvore , e quando cheguei bem perto,disse baixinho : — Ei, voce ai !? Apenas vi a sombra se mechendo assustada. — Estou falando com voce, eu ja te vi ai, não adianta mais se esconder!! Eu disse com uma voz nervosa mas muito curiosa. Então impaciente dei alguns passos á frente, e quando olhei, fiquei surpresa, pois era um garoto, um lindo garoto, dos olhos azuis,parecia muito assustado. Eu então querendo tirar satisfaçoes perguntei: — Posso saber oque você estava fazendo ai me espionando? Ele arregalou os olhos e disse assustado : — Eu..eu ? Eu nã..não estava te espionando ... Eu juntei as sombrancelhas demonstrando que não estava acreditando e disse irônica: — Aé?! tem certeza ? Ele olhando querendo se desculpar : — Me perdoe se te assutei,não foi minha intenção. Eu apenas ri e disse: — Que isso menino, não so menina de se assustar facil não !


Ele sorriu olhando para baixo.Ficamos em silencio por alguns segundos, e para não ficar no vacuo perguntei: — Vamos nos sentar em baixo desta arvore ? Ele olhou para a arvore ,sorriu e balançou a cabeça dizendo que sim. Nos sentamos um do lado do outro, estava com vergonha de perguntar ou dizer algo, então fiquei adimirando o céu da li mesmo, e ele então com uma voz doce perguntou: — Oque voce tanto olha lá pra cima ? Eu envergonhada disse em poucas palavras deixando um mistério na resposta : — O céu esconde muitos segredos ! Então sorrimos juntos. Até que eu disse : — Até agora eu ainda não sei seu nome, Qual é ? Quando ele abriu a boca pra responder, escutei uma musica, que vinha do bolso dele , era o seu celular, ele apenas deu uma olhadinha , levantou rapidamente e disse apressado: — Eu tenho que ir, eu tenho que ir ! . E saiu correndo.Eu fiquei assustada , levantei e fiquei olhando ele perdendo-se no meio das arvores correndo. Fiquei ali por um tempo , enfim começou a escurecer e eu juntei as minhas coisas e fui para a casa em passos lentos, com o pensamento de voltar ali no dia seguinte para ver se o garoto estaria ali novamente. Confesso que mal consegui dormi , pois aquele garoto não saia da minha cabeça, principalmente aqueles olhos azuis encantadores , aquele jeito de menino meigo. Quando senti o sol em meu rosto, despertei, olhei para o teto e por incrivel que pareça, parecia que ele estava lá, eu conseguia ver seu rosto no teto ,sentei na cama ,sacudi a cabeça, e voltei para a realidade, levantei , olhei no relógio e eu estava muito atrasada para o colegio, me arrumei e tome café depressa,e então fui. Parecia que as horas não passavam, eu me destraia no meio da explicação, mais quem nunca se destraio no meio da aula pensando em alguem ? Então ,distraida eu começei a fazer rabiscos na mesa, e a professora então percebeu e me deu uma bronca, eu olhei pra ela com uma cara feia, mas nem ela poderia tirar aquele menino dos meus pensamentos. A aula enfim acabou e quando ia saindo a professora me olhou e disse : — Que carinha é esta ? Ta com cara de quem esta apaixonada!


Ela riu. E eu apenas sorri e sai andando sem dizer nada. Fui caminhando em passos grandes pra casa, e como sempre eu encontrava o Sr.Jorge que era o medico do Bairro. Eu sempre-o encontrava tomando café na hora do almoço na lanchonete perto do colégio,e como sempre ele dizia: — Olá Lenize, tudo bom ? E sorria. Eu sorria e dizia: — Oi Sr. estou bem sim! E ele continuava seu café , sem mais. Chegando em casa larguei a bolsa no canto do quarto e me joguei na cama, era a mesma coisa que ter me jogado em uma piscina de saudades. Saudades do garoto que eu tinha visto só uma vez e nem mesmo sabia o seu nome. Eu queria mandar no relógio, para ele fazer minha mãe chegar logo do trabalho para eu poder sair, mas como não mando, Eu tentei passar o tempo de varias meneiras .. tentei assistir Tv , mas só tinha coisas romanticas, e romantismo me lembrava do menino dos olhos azuis, tentei ler um livro, mais eu só tinha de romance, e era a mesma coisa da Tv, então fiquei andando pela casa ensaiando oque iria dizer quando nos encontrassemos; Confesso que ensaiei milhoes de coisas.Então escutei o barulho da porta abrindo , fui correndo ver , era minha mãe, eu dei um abraço apertado e disse: — Mamãe, vou até o Bosque,marquei com umas amigas lá, ta bom!? Ela sorrindo diz: — Claro filha,mais não volte tarde, enquanto isso vou fazer o jantar. Eu acenei com a mão dando tchau e sai pela porta correndo ao Bosque. Meu coração estava repleto de esperanças de encontrar o menino lá. Estava correndo o mais depressa possivel, o vento era como bosboletas que tocavam o meu rosto, enfim fui chegando ao Bosque e parando em passos lentos. Olhei para todos os lados, fui na mesma arvore da tarde passada , e não vi ninguem ! Eu senti um vazio,embora estivesse com esperanças ainda, então fiquei lá parada ,esperando,esperando e nada !


Ja estava quase escurecendo ,então começei a voltar embora, passos lentos e cabeça baixa fui pensando porque "ele não voltou?".. "será que ele já me esqueceu ?" milhares de coisas se passaram na minha cabeça, cheguei em casa , me joguei na cama, e dormi um sono pesado,sonhei com o menino, o sonho foi meio confuso mas eu podia ve-lo perfeitamente, aqueles olhos parecendo duas lagoas, aquela boca perfeita, aquele jeito encantador, e na melhor parte do sonho eu desperto assustada com minha mãe me gritando para eu ir jantar, quando percebi que foi só um sonho aquela tristeza voltou, desci as escadas desanimada, me sentei na cadeira, olhei para minha mãe e disse: — Mamãe não estou com fome! Ela me olhou com aquele olhar "de mãe" e disse sorrindo: — Nada disso, voce precisa comer para ficar forte, e saudável! E eu não querendo discutir começei a comer devagarzinho, bem devagarzinho, quando terminei olhei para ela com cara de desanimada e disse: — Pronto mamãe. Posso me retirar? Ela sorriu e balançou a cabeça dizendo que sim.Subi as escadas correndo querendo chegar logo no quarto, fechei a porta e deitei na cama, pensando no dia seguinte, pensando que eu voltaria no bosque novamente para ver se o menino iria lá.. Poisé, no dia seguinte aconteceu a mesma coisa, ele não apareceu! e assim foram por varios dias... Quando eu estava perdendo as esperanças eu decidi ir lá só mais uma vez para vêr se ele estava lá.Quando enfim minha mãe chegou do trabalho eu disse que ia passear no bosque, e fui caminhando com passos longos ,chegando lá, vi um alguem sentado em baixo da arvore, arregalei os olhos e sorri,eu mal podia acreditar que ele voltou. Quando fui chegando perto ,disse baixinho: — Ei.. Então uma decepção,quando o menino olhou,não era ele , não era lindo, não tinha os olhos azuis, não tinha jeito de ser meigo. Eu me senti envergonhada,sorri sem jeito e completei: — Há desculpe , achei que fosse outra pessoa!


Ele se assustou e levantou e saiu andando com passos longos sem olhar para trás, Eu fiquei tão triste e sai correndo olhando para baixo quase chorando,até quando eu me esbarrei em alguém, a pancada foi tão forte que caimos no chão, ele levantou-se rapidamente para me pedir perdão, e quando eu vi meio tonta da batida, era ele,o menino dos olhos azuis. Fui me levantando sem tirar os olhos dos olhos dele. Ele me olhou tão vidrado,e uma lagrima do meu rosto escorreu. Ele percebeu a situação e disse com ar de preucupação: — Voce se machucou? você se machucou ? Me diga! Eu não conseguia dizer absolutamente nada, apenas fiquei olhando quase sem respirar de tanta surpresa.Ele colocou suas mãos no meu rosto e disse calmo: — Me diga menina, voce se machucou ? Eu sorri, confesso que foi o sorriso mais sincero que eu poderia dar,então eu disse meio sem jeito: — Não .. não fooi nada.. Ele sorriu, e perguntou: — Bom.. como uma prova de desculpas eu te convido para ir tomar um sorvete, aceita? Eu ri, e respondi: — aceito sim.. Ele levantou e esticou a mão , esperando que eu á segurasse para eu poder levantar, eu demorei alguns segundos para pegar ,pois eu ainda estava em choque , quando enfim dei a mão para ele poder me levantar, eu senti que nossas mãos se encaixavam, assim como nas historias que eu lia, que quando as mãos se encaichavam significava que um era feito para o outro. Enfim, fomos andando em passos lentos, eu as vezes o olhava , e ele apenas sorria envergonhado, mas iamos conversando, estava ventando muito e eu tirando franja do rosto perguntei: — Qual é o seu nome? Ele sorriu e disse : — Adivinha! Eu ri e retruquei: — Pena, eu não trouxe minha bola de cristal !


Ele riu e completou: — Meu nome é Jack, Jackson Walker , e o seu? Eu sorri, e disse: — Meu nome é Leniza, Leniza Beconthely . Sorrimos juntos, e ele perguntou: — Quantos anos voce tem Leniza? — Tenho 16, e você ? — Eu tenho 17 . Ele disse sorrindo,me olhando. — Você era o menino que estava me espionando ontem no bosque né? Ele ficou vermelho de vergonha e disse: — So..sou eu si..sim... eu estava caminhando por lá, e te vi, e não queria te assustar,mas te achei linda olhando para o céu, e então fiquei lá te admirando,mas voce me pego no flaga... Eu sorri e disse: — Que isso, não da nada! Chegando há sorveteria ele fez um sinal com a mão para a moça , querendo dizer dois sorvetes, e olhou para mim e disse baixinho: — Do que voce quer? Eu sorri e disse: — Eu quero de Chocolate! Ele sorriu, olhou para a balconista e disse: — Dois sorvetes de chocolate por favor ! A gente se olhou e sorrimos.Pegamos os sorvetes e saimos pela porta. Sentamos num banco de praça e começamos a conversar enquanto o sorvete ia acabando. e eu fui contando um pouco de mim.. sobre a minha vida, onde estudava, oque gostava de fazer, quais eram meus livros favoritos ... Mas sempre com um sorriso no rosto de tanta felicidade,e quando eu fui perguntar sobre a vida dele, ele abaixou a cabeça de disse que precisava ir embora.


Eu sorri,mais na verdade eu queria era chorar,mas mesmo assim nos despedimos com a promessa de estar ali no mesmo banco amanha na mesma hora. Então fomos em direçoes contrarias, e a cada três passos eu olhava para tras, e ele sempre estava olhando, eu sorria e acenava com a mão, e ele me correspoondia. Cheguei em casa tão feliz, e quando me sentei na mesa do jantar, minha mãe percebeu minha indiferença, e perguntou: — Leniza? E eu estava olhando para o nada, pensativa, desligada do mundo, mais ligada no mundo do Jack. então ela me dispertou gritando: — LENIZAA! Eu olhei assustada e perguntei ,sem sabe oque falar: — Oque? oque? Ela juntou as sombrancelhas e perguntou: — Oque voce tem? Eu ri e disse : — Nada mamãe, nada ! Ela me olhou com cara disconfiada e perguntou : — Oque voce fez? cortou o cabelo? Pintou ? Tirou 10 na Prova ? Achou dinheiro na rua? Eu rindo respondi: — awn mamãe,largue de ser boba, não é nada! Ela riu e completou: — Seei.. Eu terminando o jantar me retirei e subi para o quarto, mal conseguia fechar os olhos de tanta felicidade,e acabei adormecendo com um sorriso se desfazendo no meu rosto. Acordei como sempre com o Sol na minha face, logo que abri os olhos,sorri. Lembrei do dia passado, o dia que passei com ele. Levantei abri as janelas e como era sabado, eu poderia dormir até mais tarde, mas preferi levantar, me arrumar e sai para dar uma volta, com a esperança de descobrir onde ele mora, ou ao menos encontrar ele.


Andei quase pela cidade inteira e nem rastro dele, então decidir voltar para a casa e esperar dar o horario de eu poder ir encontra-lo no banco da praça perto de casa,onde nos encontramos tarde passada. Eu mal podia esperar de tanta felicidade. Quando estava chegando a hora, eu estava toda arrumada,para impressiona-lo é claro! Eu estava tão feliz. Quando cheguei ao encontro,ele estava lá, me esperando com uma flor na mão,eu cheguei do seu lado e ele percebeu meus passos se aproximando,e me olhou com cara de impressionado e me elogiou: — Nossa Leniza, Voce esta totalmente linda! Eu sorri e agradeçi, sentei do seu lado, e ele me entregou a flor,(a flor foi uma margarida, foi a margarida mais linda que eu já vi ), começei a olhar para o céu, todo estrelado, como se fosse especialmente feito para nós dois. Ele me olhando admirando céu e eu apenas sorri, e disse: — O que voce tanto me olha ? Ele sorriu e olhou para o céu e disse com um tom de voz doce: — Eu ainda estou tentando descobrir qual é mais lindo você, ou o céu esta noite! Eu envergonhada ri e continuei olhando para o céu.Alguns minutos após eu senti que ele estava aproximando a mão dele na minha , fiquei sem jeito, olhei rapidamente para nossas mãos,e ele tambem estava olhando, e nossos olhares se levantaram juntos. Aqueles olhos azuis...ah, aqueles olhos azuis, cada vez que eu olhava para eles, me sentia muito mais viva,mais feliz, eu estava certa que o que eu estava sentindo era amor, aquele amor de verdade, que a gente só vê em filme.Nós ficamos nos olhando por alguns segundos, até que disfarçei o olhar e perguntei: — Me conte um pouco sobre você!? Ele sorriu e disse: — Por onde você quer que eu começe? Eu ri e retruquei: — Horas! Do começo! Ele me olhou com cara de mistério e começou calmamente:


— Bom.. Nasci numa cidade pequena no norte do estado, alguns anos após eu nescer meu pai morreu... Eu o entenrrompi e perguntei: — Seu pai morreu? Como pode isso? Ele me olhou e respondeu: — Eu não quero falar sobre isso.. Eu o entenrrompi novamente e disse: — Me desculpe, as vezes eu sou meio intrometida mesmo... me perdoe.. Ele olhou para baixo e respondeu: — Que isso... não da nada.. Eu sentida coloquei a mão no seu rosto acariciando e completei: — Poxa! me desculpe, sinto muito! Ele sorriu e coloco sua mão em cima da minha e disse: — Não da nada, já me conformei.. Eu sorri e o animei dizendo: — vai.. continue, eu não vou mais te entenrromper. Ele sorriu e continuou: — Então.. vim morar aqui á mais ou menos duas semanas, já me acostumei com o lugar,com as pessoas. Entre as palavras ele sorriu dizendo: — E foi muito bom te conheçer principalmente. Eu sorri sem saber oque dizer,então olhei para o céu , ele tocou meu rosto, eu virei e ficamos nos olhando, ele foi se aproximando,e eu fui sentindo algo estranho no boca do estomago, como se fosse borboletas, nunca tinha sentido aquilo antes.E quando sua boca quase se encostou na minha, senti como se o mundo estivesse ali, esqueci que estavamos num banco no meio da praça, foi como se eu tivesse nascido para ele , e ele para mim, eu queria ficar ali o resto da minha vida, até que o celular dele tocou, a mesma musica do dia da arvore.Aquela mesma musica que estragava nossos momentos. Ele se afastou sem ao menos ter encostado seus labios nos meus, olhou para o celular, e depois olhou para mim e disse baixinho, como se não quisesse ir:


— Disculpe,eu tenho que ir. Então beijou minha mão, deixando uma promessa que estaria ali no dia seguinte, na mesma hora . Se despedimos e fiquei ali sentada olhando ele andando, com uma dor de ve-lo se afastando de mim. Então fui pra casa com a promessa do dia seguinte do mesmo lugar, e da mesma hora na cabeça. Mal consegui dormir com a cena do "quase" beijo, se passou milhões de vezes na minha mente, eo pensamento de : "ai, como ele é perfeito!" , "ele é tudo oque eu sempre quis." ... Finalmente amanheceu, e meu despertador não tocou, pois era domingo, então acordei tarde,mais logo ao despertar lembrei dele, daquele sorriso, daqueles olhos... Eu poderia levantar e sair com amigas, mais um detalhe.. eu não tinha amigas, apezar do tempo que morava nessa cidade , nunca tinha uma amiga verdadeira, então a unica coisa que me restava era andar pela cidade, naquele domingo de sol, eu estava com aquele pensamento de encontrar o Jack, talvez ao eu atravessar a rua, talvez numa quebra de esquina, pois de uma coisa eu tinha certeza,o destino conspirava a nosso favor. Andei pela cidade inteira, vi varios tipos de pessoas, negras, brancas, amarelas, indios, japoneses, vi de tudo, mais oque eu queria encontra eu não encontrei. Quando estava quase entardecendo fui voltando para casa, decidi não ir voltar de onibus, fui caminhando e pensando como seria nosso encontro aquela tarde. Na verdade eu não estava ligando para mais nada, nem para meus estudos, nem para os deveres de casa, nem em fazer novas amizades, apenas naquele garoto, aquele garoto que me fez sai da realidade, aquele garoto que me fez flutuar, eu fui pensando em milhoes de coisas na volta para a casa, fui pensando em como seria bom se eu disesse a ele tudo oque eu sinto, tudo oque eu penso,tudo oque eu quero, tudo oque eu desejo, eu queria poder dizer eu oque eu sinto por ele é amor, que eu nunca tinha sentido aquilo antes, que eu queria contruir uma historia ao lado dele, mas tudo oque eu pensava ia em vão quando eu-o via. Quando ia chegando perto de casa, de longe vi alguem sentado no meio-fio na frente de casa, parei e fiquei observando, começei a andar rapido, quando cheguei perto não pude nem acreditar direito, era ele, o Jack, Ele se levantou lentamente depois que eu parei na sua frente, aqueles olhos azuis estavam mais lindos como nunca, ele estava com uma flor na mão, depois de alguns segundos parados ele disse sem jeito:


— Olha ! trouxe está flor para você. Eu sorri e agradeçi: — Obrigada.. mas oque faz aqui ? como descobriu onde eu moro ? Ele riu ,olhou para os lados e finalmente me olhou e respondeu : — Áh, eu fui perguntando aqui, fui perguntando ali ,e cheguei até aqui ! Fiz mal em vir ? Eu sorri e completei com um tom de arrependimento: — Cla..claro que não! Fez muito bem em vir, eu estava com saudades..eu..eu.. eu passei o dia inteiro pensando em voce ... Ele me olhou com cara de surpreso e completou: — Eu..eu tamben passei o dia inteiro pensando em voce, por isso que vim até aqui, para te chamar para sair, ou dar uma volta por ai.. aceita ? Levantei o olhar surpresa e respondi com um tom de voz animada: — É claro que eu aceito Jack ! Sorrimos, ele lentamente sem tirar os olhos dos meus olhos pegou na minha mão e bejou-a, e afirmou baixinho: — Venho te buscar as oito! Eu disse empolgada: — Claro claro, as oito! Ele então se despediu : — Bom.. tenho que ir agora .. até mais tarde. Eu disse sorrindo: — tchau! até! Ele veio de me deu um beijo no rosto, eu senti novamente as tais borboletas no estomâgo que lia nos livros romanticos.E ele saiu andando pelo canto da rua, sem olhar para tras, quando ele já estava no fim da rua olhou e acenou com a mão. E eu ainda estava lá, parada no mesmo lugar, olhando ele e percebendo que era ele , era ele o grande amor, aquele amor que nos livros diziam que só se ama assim uma vez na vida, eu estava tão feliz pois estava aprendendo oque era amor entre um homen e uma mulher. Era como se meu mundo parasse todas as vezes que ficavamos um de frente para o outro, é um sentimento sem explicação.


Depois que ele virou a esquina fui entrando para casa, e depois que entro encontro minha mãe olhando pela janela, e perguntei para ela assustada: — MAMÃE? Oque ta fazendo ai ? Ela riu e perguntou: — Quem é o bonitão que estava ali a horas te esperando? Eu gaguejando tentei contornar a historia: — E..ele? Ele ? aquele garoto ? é... O nome dele é Jackson Walker, ele é um.. Dei uma pausa e continuei: — ..amigo que conheçi esses dias ! Ela riu com tom de ironismo: — Aham! Acredito! Mas oque ele queria com você que estava ali á horas te esperando ? Eu sorri sem jeito : — Ele veio me convidar para sair. Eu achei que minha mãe iria ficar brava comigo, mais pelo contrario, ela ficou feliz, arregalou os olhos e disse: — Sério ? Que lindo! voce aceitou né? Eu respondi sem entender a reação dela: — aceitei sim! Ela me abraçou, e disse baixinho: — Filha você vai viver a melhor fase da sua vida.. Eu ouvi aquilo em silêncio, ela enfim me olhou e disse animada: — Vá! vá se arrumar, ficar linda pro garoto! Eu sorri, subi as escadas correndo, e quando o relogio marcou oito horas, meu coração desparou, eu estava quase pronta,olhei pela janela e não vi ninguem na rua,quando minha mãe bateu na porta e disse: — Filha,posso entrar ? Eu gritei: — Pode sim mamãe! Ela então entrou, veio caminhando em minha direção com passos lentos e disse:


— O Jack acabou de ligar.. Eu sorri e disse: — Ele está vindo me buscar? Ela seria com um tom de pena completou: — Não.. filha ele disse que não vai vir, disse que aconteceu um emprevisto...ele estava com uma voz meio cansada e desligou. Meu sorriso foi se desmanchando,olhei para baixo : — Não tem problema mamãe, já deu o recado, agora pode sair do meu quarto! Ela me olhou com cara de esperança e perguntou: — Mas voce está linda, que tal sairmos só nós duas? Eu me joguei na cama, abraçei os travesseiros, ela vendo minha reação abaixou a cabeça e saiu do quarto fechando a porta lentamente sem querer me ver chorar.Aquela dor me consumiu, minha mente queria explodir "porque ele não veio?" , "porque então ele me convidou?" , se passando varias coisas na minha cabeça, a maior delas era a duvida de que ele queria brincar com meus sentimentos. Meus olhos adiar de tanto chorar, parecia que minha alma estava se derrentendo. Chorei tanto que acabei pegando no sono. Acordei no dia seguinte decidida a nunca mais querer ver o Jack na minha frente,fui para o colégio, e tentei ao maximo não quer ve-lo, tentei ao maximo não pensar nele, naqueles olhos azuis, na quele jeito de menino. Quando fui caminhando para casa, passei pela lanchonete para tomar um milk shake. Entrei sem olhar para os lados e fui caminhando até o balcão, fiz o pedido e fiquei olhando para o nada,até que ouvi a voz do sr.Jorge dizendo: — Você precisa ficar de repouso , entendeu ? Nem liguei,continuei distraida. — Se voce ter mais uma recaida, será quase impossivel você sair vivo de novo! E uma voz doce disse: — Pode deixar dotor,irei me cuidar melhor desta vez... Quando eu ouvi essa voz,virei lentamente, quase não acreditei,pois era o Jack,Virei rapidamente,pois ele não poderia me ver porque ainda estava muito magoada .Sai de lá o mais rapido possivel deixando a balconista falando sozinha. Quando cheguei na calçada e fui andando para casa em passos lentos pensando no que ele estava conversando com o Dr.Jorge, do que eles estavam falando?que recaida? como assim


não sairá vivo da proxima?. Fui pensando, e quando cheguei em casa,larguei a bolsa num canto e tentei o maximo possivel não pensar nele naquele dia, mais tudo oque eu fazia como de costume era em vão, não entendi como eu poderia odia-lo e amo-lo tanto ao mesmo tempo.Como eu poderia desejar uma pessoa tanto assim, eu estava quase acreditando que meu amor estava virando obsessão, pra tudo oque eu olhava ele aparecia na minha mente, eu realmente estava ficando doente.Doente de amor. Dias se passaram,e eu nunca mais vi ele; Até que um dia,quando estava voltando do colégio, resolvi vir pro lado do bosque.Não tinha ninguem andando,brincando.passeando por lá.Então aquela saudade bateu, e resolvi ir até a arvore que sempre nos encontramos.Quando cheguei perto vi algo escrito no tronco da mesma.Fiquei tão surpresa,meu coração acelerou, estava escrito "Leniza e Jackson" dentro de um coração e uma flexa no meio. Passei a mão em cima dos nomes,imaginando oque ele estava pensando quando escrevia nossos nomes.Aquilo aumentou mais minha saudade.A tristeza e a Decepção que eu estava sentindo dele, não existia mais.Como nos livros dizem, "..o amor perdoa,cura tudo..." , eu realmente descobri o significado de certas palavras.Quando cheguei em casa, minha mãe esticou a cabeça lá da cozinha enquanto estava lavando a loça e gritou: —Querida,Jack ligou... Não esperei ela nem terminar de falar e já perguntei: — Oque ele queria? queria falar comigo? Oque ele disse? Ela apenas riu e completou: — Calma filha, ele apenas ligou para perguntar se você estava bem... Olhei com um olhar surpreso.Ela completou: — Por isso convidei ele para vim jantar aqui.. esta noite! Eu arregalei os olhos,custei a acreditar, enfim ela recomendou: — Eu acho melhor voce ir se arrumar e ficar bem linda, enquanto eu faço o jantar; Eu sorri ,corri e dei um beijo em seu rosto e disse: — Obrigado mamãe,eu te amo ! Subi as escadas correndo,fui direto para meu quarto.Ao chegar lá me olhei no espelho, fiquei me observando por minutos pensando "será que ele gosta de mim?" , "será que ele sente a mesma coisa por mim?" , enfim, despertei dos pensamentos e fui me arrumar, fiquei super linda,perfumada,até que a campainha toca,meu coração como o de uma beija-flor dispara.Desci as escadas correndo e grito para minha mãe: — Eu abro! Quando abri a porta feliz.Era apenas um entregador de flores,sorri desajeitada. Até que ele perguntou:


— Senhorita Lenize?? Sorri de respondi: — Sim sim.. Peguei as flores,e fechei a porta. Quando estava levando para a cozinha lendo o bilhete escrito "Estou muito feliz que vou te ver ainda hoje.." . Mal terminei de ler e a campanhia toca novamente.Vou abrir a porta correndo.Abro,Um entregador de flores novamente,só que agora eram tulipas.Lindas tulipas.E assim foi.Varias flores de varias cores,tipos,tamanhos. Cada uma mais linda que a outra.Quando finalmente a campanhia toca de novo,vou abrir.Achei que era outro entregador,mas quando abro era o Jack com um enorme buquê de flores escondendo seu rosto,é claro que eu sabia que era ele por trás das flores.Eu reconheceria aquele perfume de longe.Ele abaixa o buquê e diz: — Oi.. Eu sorrio e respondo: — Oi Jack! Entre .. Ele me entrega o enorme buquê, e entra.Olhando em volta e diz com ironia: —Nossa quantas flores, acho que voce é bastante amada por aqui.. Eu apenas ri e completo: — Larga de ser bobo. E completo com vergonha. —Eu amei,muito obrigada! Ele sorri e diz: — Que nada.. me desculpa por não ter vindo aquele dia,é que aconteceu.. Completei com ironia: — Um emprevisto, eu sei. Mas não importa , eu não estou mais chateada. sorrimos juntos.Minha mãe da cozinha grita: — Venham aqui! Nos olhamos e caminhamos para a cozinha.Minha mãe com um sorriso na face diz: — Oi Jack,tudo bom? Ele sorri e responde: — Oi Srª Beconthely ...estou bem,obrigado! Interrompo-os e digo: — Mamãe já esta terminando o jantar?


— Falta pouco filha.. Olho para o Jack e digo: — Que tal assistirmos Tv enquanto isso?! Ele sorri me olhando e diz: — Claro, vamos sim.. Andamos em direção a sala,e ele para no meio do caminho me olhando.Eu olho para tras e pergunto: — Oque há? Ele responde surpreso: — Nossa , você é linda.. Eu fico sem jeito e pego em sua mão e o levo até a sala sem dizer nada,apenas com um sorriso no rosto. Quando fico de frente com o sofá, faço um gesto com a mão pra ele se sentar.Ele após ter se sentado,me observa, eu fico meio sem jeito e me sento rapidamente na poutrona em sua frente. Ficamos nos observando por segundos,olhos nos olhos, até que um sorrio solta da boca dele.Ele então fez o maior clima,pegou uma almofada no colo e levantou,se espreguiçou,tornou-se a se sentar , e euolhei bem pra ele e disse: — Posso te fazer uma pergunta ? Ele sorri de lado e respondi : — Claro ! Pergunte .. Eu olhando para baixo digo desconfiada: — Oque você estava fazendo na lanchonete junto com o dr.Jorge .. ? Ele ficou espantado e respondeu sem mostrar muito reação : — Eu.. eu não estava fazendo nada de mais, apenas peguei um resfiado e fui me consultar com ele, e ja estou muito melhor.. Eu ergo as sombrancelhas e falo num tom indignada: — Um resfriado ? Um resfriado nesse calor ? Jack estamos no verão , é quase impossivel.. não minta pra mim, me diga, oque você estava fazendo lá realmente? e que papo é esse de "repouso" , quem precisa de repouso ? você ? ... Ele me interrompeu dizendo: —Calma Leniza, disculpe , eu não quero falar sobre isso ..


Eu indignada questiono: — Como assim "não quer falar sobre isso " ? Diga, diga, oque há ? Os olhos dele se enchem de lagrimas, ele erguendo a face diz baixinho: — Por favor.. eu não quero fala sobre isso .. Eu levanto devagarzinho , me ajoelho em sua frente, seco suas lagrimas , e olhando nos seus olhos afirmo : — Confia em mim .. Ele me olhando triste diz : — Eu ... Derrepente minha mãe grita da cozinha: — Queridos, a comida está na mesa, venham ! Olhamos em direção á cozinha, ele seca as lagrimas, e sorri dizendo: — É bobagem linda, vamos comer, eu estou ancioso pra provar a comida da sua mãe, que esta com um cheiro maravilhoso. Eu levanto sem dizer nada,sorrio lentamente e diz : — É, é .. vamos .. — HUUMM.. sua comida estava ótima senhora. Ele disse após termos jantado. — Verdade mamãe, estava ótimo. Minha mãe sorri envergonhada e agradeçe : — Que isso queridos, obrigada ! Nos olhamos e sorrimos. Jack olhando para o relógio diz : — Foi ótimo, mais agora tenho que ir , marquei um compromisso daqui a pouco, desculpeme... Mamãe sorri colocando sua mão em cima das dele e diz : — Pode ir querido, volte quando quiser ! Ele ri olhando pra ela e responde: — Quando eu quiser ? Olha que eu venho todos os dias aqui só para comer sua comida!


Rimos se levantando e caminhando até a porta. Vou até o portão com ele, e lá ele pega nas minhas mãos e diz: — Adorei passar esse tempo contigo.. Eu olhando sorrio e respondo: — Eu também adorei ! Quando nos veremos novamente ? Ele olhando para nossas mão diz : — Eu não sei.. Eu sorrio, olho para o céu , estico uma das mãos apontando para o céu e digo: — Sempre que eu sentirr sua falta, e você sentir a minha, olhe para lá.. Ele virou o rosto olhando para o céu e eu completei: — .. olhe para o céu.. eu sempre vou estar lá.. ondi é que você esteje, se sentir minha falta, olhe para o céu .. Ele riu e disse: — Isso é bobagem! Como eu vou te ver olhando para o céu ? Ali só vejo estrelas e a lua! Eu ri olhando para baixo: — Você que pensa , eu costumo pensar que cada estrela do céu é uma pessoa, que esteje aqui comigo ou não! Aponto a estrela mais brilhante do céu e digo: — Olha ! ta vendo aquela estrela ali ?? — Sim sim! Ela é linda, a mais brilhante.. — Poisé, ela eu costumo dizer que é meu Pai, as vezes converso com ela, conto meus maiores segredos, pois eu sei que ela me ouve,me entende.. — Você não acha isso loucura ? Conversar com algo tão longe, e que você sabe que não te ouve ? Eu ri e completei: — Ela esta longe no olhar,mais perto no meu coração, e eu sei que ela me ouve, eu sei ... Um dia você há de intender oque digo.. um dia .. Ele sorri olhando para o céu e diz: — Imagina eu conversando com uma estrela, eu queria ter esse coração doce que você tem ..


— Não precisa ter um coração doce, mais sim saber ouvir seu coração, sendo ele doce, salgado, friu, quente.. Rimos. e ele se despede : — Bom.. tenho que ir .. — Fica mais um pouco .. por favor . — Disculpe Leniza, eu não posso..Eu queria,mais não posso . Eu sorrio de lado. Ele abre os braços , e eu o abraço, eu senti como se fossemos um quebra cabeça e nossas peças se juntaram, eu abraçei-o com tanto amor que pude sentir seu coração desparado pulsar.. me afastei lentamente e disse: — Tchau.. e lembre-se.. Apontei para o céu.Ele riu e disse: — Claro, farei oque você disse.. Sorri. Ele virou as costas e foi caminhando pela rua, fiquei olhando-o até se perder pela escuridão da noite.Entrei, bati a porta e fiquei encostada nela por um segundo, sorri e caminhei para meu quarto.Quando estava no meio da escada minha mãe diz lá de baixo: — Leniza ! Eu olho para ela lá me baixo,desço correndo e abraço-a sorrindo.Ela diz baixinho no meu ouvido: — Fico contente por estar feliz.. Enfim,chego ao meu quarto e não consigo nem pegar no sono de tanta felicidade, as cenas daquela noite se repetiam como um gravador na minha cabeça.Eu decorei seus jestos,suas manias, suas falas,tudo,era a melhor sensação do mundo,nunca tinha me sentido daquela forma.Viarava para um lado da cama,não conseguia dormir, viarava para o outro não conseguia dormir.Até que senti os olhos na minha face, eu senti como se fosse um acariçiar de Deus sobre mim, acordei logo sorrindo,pois eu sabia que apezar que eu não veria ele naquele dia, o meu dia seria perfeito, só pelo fato de ter o visto na noite passada.Me arrumei para o colégio, ultima semana do ano letivo, eu estava super feliz.Na caminhada de volta do colégio, resolvi parar na lanchonete para ver se o Dr. estava lá, para tirar minha duvida, se o Jack estava mesmo com um resfriado, que por sinal um resfriado muito estranho. Logo que vi ele de longe,começei a correr, chegando perto dele, digo: — Dr.Jorge? — Olá Lenize,Como está? — Eu estou ótima,obrigado. Doutor,posso te fazer uma pergunta? Quer dizer duas perguntas ? — Claro, até três se quiser. Ele ri.


— É possivel alguém pegar um resfriado a essa época do ano? — Olha querida, impossivel não é .. mas depende muito do caso,mas porque a pergunta? — Por nada não, só curiosidade. — E a outra pergunta? — Sabe oque que é seu Doutor, é que eu tenho um amigo, mais um super amigo, e eu sinto que ele esta com problemas,entende ? Porque esses dias estava passando por aqui, e vi ol sr. e ele conversando aqui, e eu fiquei com medo de perguntar pra ele oque era que ele estava conversando com o médico do Bairro, e eu agora estava passando por aqui, e vi o sr. aqui, então resolvi vim lhe perguntar se há algo de errado com ele.. Ele me interrompeu perguntando: — Certo, e qual éo nome do seu amigo? — Jackson Walker. — Há sim sim, conheço, Jack ? conheço sim. — Então Doutor, oque meu amigo tem ? Ele olhando sério pra mim disse: — Olha querida, como doutor eu não posso dar informações sobre diagnósticos dos meus pacientes, mas como amigo eu lhe aconcelho a cuidar muito bem dele, oque ele tem pode leva-lo a morte se não for tratado com muita paciencia e cuidados.. Eu fiquei espantada levantei agradeçendo: — Obrigado doutor, obrigado! Levanto , saiu pela porta correndo, vou em direção ao bosque. Fico sentada lá por horas pensando no que o Dr. disse. Finalmente depois de um tempo lá, fui caminhando para a casa, quando estava na rua de casa, fui chutando uma pedrinha , estava tão concentrada nela que não percebi que o Jack estava a minha espera, sentado na varanda de casa. Quando olhei ele lá, fico parada olhando, ele sorri,levanta e vem em minha direção, eu pergunto: — Ta a quanto tempo ai ? — Umas 2,3 horas.. — Me desculpe.. — Que nada, eu nem avisei que ia vir aqui,como que voce poderia adivinha ,não é?! Sorrio de lado, e decido não tocar no assunto que conversei com o Dr. Aquela tarde foi muito legal ao lado dele,e foi assim o resto da semana toda.


Enfim as férias chegaram, e eu decido não viajar para a casa dos meus padrinhos no norte do estado,para poder ficar com o Jack as férias inteira.Nossa rotina era passar as tardes todas juntos.Até que ele parou de vir, um dia se passou, dois dias se passaram, 2 semanas se passaram..eu fiquei muito preucupada.E decido procurar o Dr.Jorge para ver se sabe de algo.E ao encontra-lo digo: — Doutor,sabe do Jack ? — Leniza desculpe, como disse outro dia ,não posso passar diagnósticos dos meus pacientes.. Fico assustada e pergunto: — Sr. então me passe o endereço dele, telefone, qualquer coisa, eu to muito preucupada,desesperada.. por favor, o Sr me conheçe,conheçe minha familia, sabe que eu não quero fazer mal a ninguem, pode confiar. Ele suspira alto e diz: — Ta certo. Ele pega uma caneta e um papel e escreve. Eu digo baixinho: — Por favor não faça letra de médico, se não eu vou ter que ir na Farmacia para o moço traduzir pra mim. Ele termina de escrever, e sorri de lado e diz: — Não se preucupe ,não fiz letra de médico. Eu rio e agradeço: — Muito obrigado Doutor. Saio andando pela calçada ,chego em casa e ligo no numero marcado , uma voz de um homen atende: — Alô? — Alô! — Oque deseja ? — É... o Jackson está? — Está, mais está muito ocupado, quem deseja? — É.. ocupado? — Sim! Quem é? — Uma amiga, mais pode deixar, ligarei mais tarde.. Ouço uma voz gritando atrás:


— Clarice, quem é no telefone? Ela tinha o telefone do ouvido e responde: — Ninguem senhor, é engano! Ela volta ao telefone e diz em um tom baixo: — Ok, ligue mais tarde. Eu abro a boca para responder, e ela desligou o telefone na minha cara. Fico muito triste pois não consegui falar com o Jack, e eu tinha certeza que ele não estava tão ocupado assim , que não podia nem conversar um pouco comigo.Naquele mesmo dia a tarde o telefone toca, desço as escadas desanimada e atendo: — Alô? ... — Alô? Leniza? Percebo que a voz é do Jack, solto um sorriso e respondo: — Jack ? — Sim, que saudades ! — Saudades de você também. — Liguei para saber se você gostaria de jantar aqui na minha casa, você e sua mãe, Oque acha ? Sorrio e respondo: — Claro,claro, iremos sim! — Certo, passarei pega-las as oito,pode ser ? — Pode...pode sim. — Então tchau, se veremos a noite. — Sim sim.. a noite ! tchau. Desligo o telefone e grito: — Mããããe! Adivinha queme ra no telefone?! — Jack ? — Sim sim! Eles nos convidou para irmos jantar na casa dele hoje. — ixi filha, eu não vou poder ir, tenho uma reunião do emprego hoje, mas pode ir você, eu vou ficar bem.


— áh mamãe, eu queria que a senhora fosse junto. vamos? vamos ? por favor ! — Não posso querida, se desse eu adoraria ir, mais não posso... — Então ta bom,eu me cuidarei sozinha.. Sorrio.A noite quando a campanhia toca, eu vou abrir, é o Jack, sua aparecia parecia otima.Nos abraçamos,ele pega em minha mão e pergunta: — E sua mãe ? — Ela não vai poder ir, tem reunião no emprego. Minha mãe apareçe na porta e sorri e diz: — Vão vocês dois, bom jantar. Nos despedimos dela.E partimos. Quando chegamos a frente da sua casa, casa não, mansão , fico encantada e digo: — Está é sua casa ? — Sim. — Ela é linda.. — Obrigado. Ele sorri.E quando fomos entrando reparo em cada detalhe,pois a casa é realmente encantadora, nos damos de frente com uma moça e ele diz: — Clarice, está é Leniza. Leniza, está é Clarice. Ela me olha com a cara fechada e diz: — Olá. Eu respondo envergonhada: — Olá,muito prazer. E estico a mão, ela com um jesto feio, vira as costas e sai andando. Jack olha pra mim e tenta se desculpar por ela dizendo: — Por favor não liga pra ela, ela é assim mesmo..ela não tem jeito! Eu apenas sorrio e digo: — Que nada,bobagem! Ele me convida para sentar em frente a uma enorme e linda lareira na sala, sentamos um de frente para o outro e eu eprguntei:


— Porque você parou de ir na minha casa? — Eu tive uns problemas pessoais, me perdoe.. Eu sorrio e digo: — Entendo.. Clarice, aparece do nada e anuncia: — Senhor, o jantar esta na mesa. — Sim, obrigado, ja iremos. Ela sorrindo desvia o olhar para mim e fica séria,eu fico olhando sem entender porque ela me trata assim,mas finjo não ligar.Na mesa do jantar, percebo que tudo era lindo, os talheres, a mesa, os quadros nas paredes,tudo.No final do jantar Jack coloca sua mão sobre a minha e diz: — Posso te levar em um lugar secreto ? — Secreto ? — Sim, um lugar que só eu sei chegar, e agora você também vai saber.. — Um lugar secreto tipo nas histórias dos livros ? — Sim, exatamente assim.. Sorrimos, ele diz: — Faça silencio para ninguem nos ver. Saimos da ala de jantar de fomos para um sala de livros, parecido com uma biblioteca, fiquei encantada com tantos livros,e ao olhar para trás vi Jack mexendo em alguns livros, até que ele tira uma livro azul, enorme, brilhante do lugar, isso faz que uma porta secreta pareça. Ele abre a porta e diz: — Venha comigo. Eu fico surpresa, e vou atrás dele.Ao passar aquela porta me deparo com uma escada enorme.Ele diz: — Voce vai adorar. Eu sorrio e sigo-o . Ao chegarmos ao topo da escada tinha uma porta, ele abre, e fico muito surpresa quando vejo que de lá de cima podia ver tudo, o lago do outro lado do bairro, o pouco da minha casa, até o bosque podia se ver, eo mais empressionante é que as estrelas ficavam mais lindas de lá, e a lua mais enorme.Eu fiquei encantada com tanta beleza.Ele então pergunta: — Gostou?


—Se eu gostei? Eu amei. Ele sorri, fica de frente pra mim,pega nas minhas mãos e diz: — Todos esses dias que não te vejo, é só aqui que venho, faço oque você me disse.. converso com as estrelas, e amenizo minha saudade sua.. Eu sorrio. E seguro suas mãos fortemente. Ele com seu jeito meigo me abraça, e vem desembaraçando até ficar com a boca quase colada na minha,e ali, embaixo das estrelas, da lua aconteceu nosso primeiro beijo.Foi tão especial , foi tão mágico, eu iria levar aquela cena para minha vida inteira. Quando da a hora de eu ir embora, e ele me deixa em casa, na porta ele me abraçou forte e susurrou : — Leniza,eu te amo ... Minha boca tremia e disse meio desajeitada: — Eu também te amo Jack .. te amo muito.. Sorrimos.Ele se despede com um beijo na testa e sai em direção a rua. No dia seguinte acordo com o telefone tocando.Desço correndo atendo: — Alô? — Alô, Leniza , aqui é o Jack, liguei para dizer que não poderei te ver hoje, desculpe-me.. — Mas porque? Aconteceu alguma coisa ? Diga-me ! — Não não, estou bem., agora tenho que ir, tchau. — Tchau.. Após ter desligado o telefone, minha mãe aparece do lado e diz: — Filha eu vou ter que fazer uma viagem de uma semana para outro estado, coisa do trabalho.Vou fazer uma apresentação lá.Você cuida de tudo aqui até eu chegar? — Viajem ? — Sim.. — Claro mamãe, cuidarei de tudo, pode fica tranquila, quando parte ? — Hoje a noite. Ela desvia o olhar, repara que estou triste e pergunta: — Oque há ? Porque esta triste ? — Nada não mamãe.


— Diga. — O Jack, sinto que ele está com problemas, mas ele não quer me contar.. — As vezes nós não queremos que outro alguém saiba de algo por medo desta pessoa sofrer, não acha ?! — Eu estou sofrendo assim, sem saber de nada.. — Fique tranquila filha, tudo irá de se resolver .. Ela me abraçou. Eu pudeme confortar um pouco.A noite mamãe ja estava pronta para partir diz: — Filha qualquer coisa ligue no meu celular, qualquer coisa tá bom !? — Mesmo se uma barata aparecer e me assustar ? Ela ri e responde: — Claro, mesmo se uma barata aparecer e te assustar..até mais filha. — Até mais mamãe. Ela entra dentro de um taxi e se despede pela janela dizendo: — Tchau filha, eu te amo ! Aceno com a mão gritando: — Tchau mamãe! Entro,dou uma volta pela casa vazia pensando no que iria fazer para descobrir oque o Jack tinha..até que tive uma idéia, decidi logo ao amanhecer ir até a casa dele. Logo fui dormir. Acordo de manhãnzinha e me dirigo até a casa dele, quando toco a campanhia a Clarice aparece: — Oque você quer aqui ? — Eu... eu.. — Diga logo garota, não tenho tempo há perder.. — O Jack está em casa? — Está ocupado no momento, volte outra hora! Ela foi fechando a porta na minha cara até que eu á empurro,olho pra ela e afirmo: — Eu quero ve-lo agora! — Desculpe , ordens de ninguem entrar na casa,muito menos você!


E empurra a porta fechando. Fico lá olhando e pensando oque iria fazer para entrar na casa.Olho para os lados e vejo uma arvore de manga, lembrei que eu vivia subindo nessas arvores na minha infancia no norte.Começei a subir, ela dava exatamente acima do muro.Quando pulei o muro me dei de cara com dois cachorros,que parecia mais era dois montros.Eles começam a latir e avançar em mim, não achei outra saida á não ser correr,corri muito, até que tropeçei na beira da piscina e cai dentro dela.Para meu azar não sabia nadar,começai a bater os braços, e me senti pesada, começei a engolir agua, e me senti sendo puxada para baixo d'agua. Fechei os olhos vendo os cachorros latindo pra mim.Depois disso não lembro de mais nada, vi tudo escuro.Eu achei que iria morrer, até que finalmente consegui abrir os olhos.Senti o Jack do meu lado, e quando fui abrindo os olhos lentamente Jack estava realmente lá. Ele me salvou, ele não me deixou morrer.Ele então vendo que eu acordando, me pega novamente no colo e me leva para dentro, me coloca numa cama, e diz baixinho: — Leniza? você está me ouvindo ? Eu ainda estava em choque do susto disse lentamente em poucas palavras: — Os cachorros.. os cachorros.. eles .. eles estão... correndo... Ele me interrompei acalmando: — Calma , calma! agora está tudo bem, eu estou com você. Ele me abraça.Depois de um tempo eu digo: — Jack.. você me salvo .. Ele sorri e responde: — Oque deu em você em provocar os cachorros ? e ainda por cima pular o muro ? — É que a sua Governanta, ... a Clarice, não me deixou entrar, disse que você estava muito ocupado... — Me desculpe por ela, depois eu me acerto direito com ela.. você esta melhor ? — Sim sim! só foi um susto mesmo.. mas se não fosse você eu.. — Não diga isso .. eu não sei oque faria sem você ! Ele beija minha testa.. me cobre e diz: — Vou buscar um chá quentinho pra você,espere aqui ! — Não quero encomodar .. — Não vai encomodar nada, enquanto vou lá, vou chamar minha mãe para você conheçe-lá.. — Não Jack, olha pra mim, estou toda molhada, feia, desajeitada, oque sua mãe irá pensar .. — Ela irá pensar que eu sou o Garoto mais sortudo do mundo.


Ele me da um beijo e sai pela porta. Olho para os lado, e vejo a mãe dele entrando pela porta com a cara fechada dizendo: — Então você é a tal Leniza ? — Disculpe.. Desculpe senhora por invadir sua casa dessa forma mas... — Sem mas ! Você esta se desculpando por invadir nossa casa? nossa vida ? — Sim Senhora... Olho sem jeito. Ela sorri e diz: — Que isso menina, eu tenho que te agradeçer, faz muito tempo que não vejo meu garoto com essa disposição e alegria toda.. Sorrio e digo: — Seu filho vale ouro. — Eu sei, ele tem um coração enorme.. e tem muita sorte de ter encontrado você.. desdo dia que vocês se conheçeram, não existe outro assunto á não ser você nesta casa, eu estava anciosa para te conheçer .. — Eu tamben queria muito te conheçer, mais não sabia que era tão linda assim.. Ela sorri e diz : — Espero que vocês sejem muito felizes.. Enfim o Jack chega com uma xicara na porta e diz sorrindo: — Ja vi que ja viraram amigas, e não adianta tentar rouba-lá de mim mamãe, ela é só minha. Nós rimos.E ela diz: — Vamos dividi- la, certo, vou resolver algumas coisas e volto mais tarde querido, tchau Leniza, foi um prazer. — Tchau sinhorita W. o prazer foi todo meu.. Ela sai pela porta e Jack senta do meu lado, e pergunta: — Agora me diz, oque você tanto queria comigo, para chegar a pular o muro, e quase se afogar na piscina ? Eu sorri sem jeito e respondi: — Eu queria saber oque você tinha, passei a noite preucupada com você, e o Doutor Jorge disse que.. Aregalei os olhos e disse concertando:


—Quer dizer.. passei a noite preucupada porque você... Ele me interrompeu colocando os dedos nos meus labios perguntando : — Doutor Jorge? Oque o Doutor Jorge disse ? — Doutor Jorge ? Eu disse Doutor Jorge ? Não.. na verdade eu ia dizer que o Doutor Jorge me recomendou para não dormir preucupada que poderia me trazer problemas respiratórios no futuro... Ele ergueu as sombrancelhas dizendo: — Leniza, você não sabe mentir, diga a verdade, oque o Doutor te disse? Me sentei na cama, dizendo: — Qué saber ? Eu procurei ele, e perguntei oque você tinha, ele não quis me dizer mais me aconcelhou a sempre estar ao seu lado, com muita paciencia porque voc~e estava muito doente, é isso, agora me conte a verdade, oque você tem ? você esta mesmo doente ? Ele com uma lagrima nos olhos diz baixinho: — É.. eu estou muito doente sim.. Eu olhando séria falo: —Não! você está bem! Aponto para o espelho e completo: — Olha lá, você está otimo, não esta com cara de quem está doente,houve algum engano aqui, não pode ser ! — Não Lenize, pode não parecer , mais eu estou seriamente doente, acho que chegou a hora de voce saber, eu posso morrer a qualquer momento.. — Mas porque ? Oque exatamente você tem ? Diga ! Diga ! Uma lagrima escorre sobre minha face. Ele levanta o roste lentamente dizendo : — Eu tenho uma doença muito rara, trata-se do coração, eu nasci com um tumor no coração, se ele se expandir, eu posso morrer.. — E porque você não tira ? .. — Não dá, só com transplante ... Eu estou na fila da doação há anos, e até agora nada.. — Mas você tem dinheiro, uma casa enorme, olha só! — Não é tão simples assim, Está casa não é minha, eu cheguei a pouco tempo aqui, logo no dia que eu estava escondido atrás da arvore ,lembra ? Então,eu e minha mãe viemos morar aqui,pois meu padrinho morreu, deixando está casa , e enquanto não acertarem de quem a


herença ficar eu e minha mãe não podemos gastar um tustão de seu dinheiro.Nós não somos ricos. — Entendi. Olho para baixo chorando.Ele diz me olhando: — Por favor não chore, eu ja me conformei, minha vida ja veleu a pena só de ter te conheçido.. — Eu não quero te eprder Jack, eu não quero. Meu celular toca, olho e digo: — É a mamãe! Seco as lagrimas, engoli o choro e atendo : — Alô mamãe ? E a voz de um homen diz: — Alô Leniza ? — Sim . Cadê minha mãe? Esse celular é dela! — Qual é o nome da sua mãe Leniza ? — Sônia. Porque ? Cadê minha mãe? Jack sente a situação e chaga perto de mim, e pergunta: — Qual é? cadê sua mãe? Eu aceno com a mão para ele esperar. E a voz entristecida da a seguinte noticia: — Sinto muito, o microonibús que sua mãe estava caiu em uma ribanceira, ela acabou falescendo.. sinto muito. Eu fico muda.E a voz ensiste: — Senhorita, eu preciso que a senhorita venha reconhecer o corpo... O celular cai das minhas mãos, eo Jack pega e diz: — Alô? — Alô senhor, como eu disse, o corpo da Sr Sonia esta entre os mortos, eu preciso que um familiar venha reconhecer o corpo. Eu fico olhando sem piscar, sem acreditar, sem dizer nada , apenas pensando que aquilo tudo é um sonho, apenas um sonho.


Depois que o Jack desligou o telefone me abraço tão forte, e disse que estaria comigo para oque der e vier, e eu cai em lagrimas, fiquei desesperada,dizendo: — Não é minha mãe, é mentira, isso foi só um trote, diz pra mim que é mentira diz! ou diz que tudo isso é um sonho, por favor, por favor, diz que tudo isso é mentira ! Ele tentando me acalmar dizendo que tudo iria ficar bem, e eu chorei tanto, mais tanto que por incrivel que pareça peguei no sono.Quando acordei naquela mesma cama, olhei para os lados e o Jack estava dormindo em uma poltrona logo ao lado, eu lhe chamei baixinho: — Jack! Jack ! Ele despertou e se sentou ao meu lado: — Oi meu amor. Eu lhe abraçei forte dizendo: — Nossa eu tive o pior sonho da minha vida..eu sonhei que minha mãe.. Ele me interrompeu afirmando: — Leniza, isso não foi um sonho... — Oque ? Aquilo foi um sonho sim.. Eu começei a sentir aquela angústia novamente ,aquela dor, e me lembrei que não foi só um sonho, foi realidade, começei a chorar, chorar as lagrimas mais ardentes que alguém poderia chorar.. Ele me abraçou dizendo: —Temos que ir reconheçer o corpo infelismente. Eu concordei,pois tinha esperanças que aquilo fosse só um trote.Chegando ao IML quando vi aqueles corpos, minha aflição aumentou, e quando cheguei de frente para o corpo para reconheçe-lo,quando ergui o lencól, era minha mãe, senti uma dor, a pior dor do mundo, era como tomar lava derretida, aquilo foi me destruindo por dentro. Jack estava do meu lado, me abraçou chorando, e disse novamente que tudo iria ficar bem, e eu desesperada dizendo: — Nada vai ficar bem, nada vai ficar bem, eu quero minha mãe devolta! eu quero ! Ele me tirou de lá, e disse: — Eu vou te levar a um lugar que voce irá ve-la novamente.. Eu apenas entrei no carro,na verdade entraria em qualquer lugar, pra mim pouco importava..Eu apenas fui seguindo ele. Quando eu percebi, estava dentro do Paruqe da Ciência da cidade.Olhei para ele sem entender e perguntei: — Porque você me trouxe que aqui ? Não entendo !


Ele abraçado comigo diz: — Tenha paciencia. Até que entramos num lugar escuro, era uma espécie de "constelação" , lá tinha todas as estrelas.Por um minuto esqueci toda aquela dor,e ele disse: — Vamos!! Escolha uma .. Eu escolhi uma estrela bem a do lado da do meu Pai. Apontei com o dedo e disse: — Aquela ! Ele sorriu, e disse: — Vamos, converse, diga oque sente.. Uma lagrima dos meus olhos caiem. — Mamãe. Como é que eu vou fazer sem ti aqui comigo ? Como eu vou fazer ? Oque vai ser de mim sem teu abraço ? sem teu cheiro ? sem tua voz ? Sem teus gritos ? Diga ! Mamãe, volte pra mim , eu juro que serei uma filha melhor, juro que chegarei mais cedo do colégio, juro que não vou deixar mais minhas riupas jogadas pela casa, juro que não vou mais reclamar da comida sem sal, ou com sal de mais, juro que não vou ficar brava quando a Srª não me deixar sair, faço de tudo mais por favor, eu te peço, não me deixe, não me abandone... Jack estava chorando com minha atitude, e disse: — Eu tenho certeza que ela esta muito orgulhosa com suas atitudes ... Eu tenho certeza que ela era a mãe mais sortuda do mundo...mas agora você precisa toca pra frente, sua mãe sempre quis que você olhasse para frente... Secando as lagrimas continua: — A vida nos derruba, mais a escolha é nossa se queremos continuar no chão..acredite, experiência própria. Eu ouvindo suas palavras olhando vidrada para a estrela, digo: — Eu sei, ela quer me ver de pé, como ela esteve depois que o Papai morreu... Eu vou até ele e lhe abraço muito forte, que meu coração fique junto com o dele. Ele me beija, e depois diz: — Estou muito orgulhoso de você. Eu sorrio, e digo: — Obrigado meu amor... Olhamos juntos para as Estrelas.


Depois de algumas semanas da morte da mamãe, começei a trabalhar, me sustentar, seguir minha vida com o Jack, até que um dia estamos andando pelo parque e eu desmaiei , e acordei numa sala de hospital, com o Dr.Jorge ao meu lado, eu fiquei assustada, e perguntei: — Oque estou fazendo aqui? Cadê o Jack ? Quem é você ? Que lugar é este ? O Doudor diz me acalmando: — Calma calma Leniza, esta tudo bem, você apenas desmaiou, você está no Hospital, e o Jack está na sala de espera. — Porque eu desmaiei Doutor? — Leniza, você vai ser mãe! — Mãe ? — Sim, você está esperando um filho.. Eu fico surpresa, e sorrio, dizendo: — Eu? Gravida ? meu Deus, eu não acredito..O Jack ja sabe ? — Não não, achei que você gostaria de lhe dar essa noticia.. Sorrimos.Quando o Jack entrou na sala o Doutor logo ja disse: — Bom.. vou deixar que você conversem sozinhos.. Ficamos olhando o Dr. sair do quarto e ele logo me perguntou preucupado: — Agora diz ! Oque você tem ? Porque desmaiou derrepende ? Voce me assustou sabia !? — Calma calma, eu tenho duas noticias, uma boa e uma ruim . Ele arregalou os olhos e disse: — Um boa e uma ruim ? Diga logo voce vai me matar ! — Qual você quer que eu dê primeiro ? Ele pensou um pouco e disse: — Eu quero a ruim primeiro ai depois eu me conforto com a boa.. diz logo ! — A ruim é que ....você vai ter que aprender a trocar fraudas.. — Fraudas ? Porque ? — E a boa é que ... você vai ter que aprender a trocar fraudas porque você vai ser papai.. — Ele ficou espantado, abriu um sorriso e disse sem acreditar : — Eu? Pai ? Leniza ? Voce está ... ?


— Sim, estou gravida ! Ele sorri e me abraça o mais forte possivel, dizendo: — Ai meu Deus, eu vou ser pai. E começa a gritar pelo quarto : — EU VOU SER PAAI ! EU VOOU SER PAAI ! Abre a porta do quarto e grita para o Hospital : — EU VOU SEER PAAI ! Até que uma enfermeira diz: — Senhor aqui é um Hospital, não deve ficar gritando, mais respeito.Ele olha para baixo e diz: — Disculpe, mais sabe oque é, é que eu vou ser pai.. E abraça a enfermeira pulando.Eu rindo digo: — Você vai matar a enfermeira! Ele para de pular, olha para a enfermeira e se desculpa: — Me desculpe mais uma vez.. Ela sai arrumando a roupa toda amassada dizendo: — Ai, não sei porque esta tão feliz, vai passar noites com choro de bebe no ouvido.. Nos olhamos e rimos.Ele veio e me abraçou forte, e beijou minha barriga, dizendo: — Eu aposto que vai ser uma garotinha.. — Eu concordo, também acho que vai ser uma garota! Nos beijamos.Quando saimos do Hospital fomos para a casa dele, quando demos a noticia para sua mãe,ela fico muito feliz, porém preucupada com o estado de Saúde do Jack, apezar dele não ter mostrado nenhum sintoma desde que começou a namorar comigo.Mais mesmo assim não deixou de mostrar que estava radiante de felicidade com a noticia, todo mundo estava feliz,menos a Clarice, no canto da sala com a cara fechada,séria,como sempre.Jack percebeu e disse: — Clarice, não está feliz ? Ela desviou o olhar e disse: — Estou sim.. claro que estou. E virou as costas e foi para a cozinha.Jack decidiu que apartir daquele dia, eu iria morar ali, naquela casa, embora não fosse deles,mais estariamos juntos,e casariamos depois que o bebê


nascesse,com isso poderiamos juntar dinheiro para fazer uma linda festa de casamento. E ali ficamos por meses.Até que uma noite acordei cum uma dor terrivel, sabia que era a hora do bebê nascer,Jack acordou com meus gritos, virou para o lado assustado e eu disse: — Jack... nossa garotinha... vai nascer.. Ele pulou da cama, e foi direto acordar todo mundo da casa, voltou correndo dizendo pra mim aguentar firme,o telefone do Doutor estava desligado, ele não sabia oque fazer, nem a mãe dele, todos lá, me olhando sentindo dor sem saber oque fazer, até que o Jack diz: — Eu vou fazer o parto! A dele descorda : — Não! eu vou fazer o parto, acho que levo mais jeito que você.. E ficaram discutindo, até que eu gritei: — Alguém por favor me ajude, ela vai nascer! As dores e contrações eram muito fortes,e ninguem sabia oque fazer.Até que Clarice estava no canto da porta observando diz ordenando: — Eu irei fazer o parto ! Olhanmos para ela.Jack e sua mãe disseram: — Você ? Mais você odeia a Leniza, e não é parteira ! De jeito nenhum, vá dormir ! Ela ordenou novamente : — Parem de discutir e vão buscar agua quente,panos quentes, uma vela e uma tesoura.. — Mas.. — AGORA! Eles foram o mais rapido possivel, e só ficou eu e ela no quarto, eu estava gritando de dor,mas ao mesmo tempo confuza perguntava: — Porque estav fazendo isso por mim? Vce ja fez isso alguma vez? — Eu não sei, e ja fiz varios outros partos, fique tranquila ,certo!? Quando estavam chegando com as coisas, Clarice disse que saissem do quarto, eles obedeceram sem dizer nada. Eu ja não aguentava mais a dor,e depois de muito tempo, dor, trabalho, o choro mais lindo do mundo, tomou conta da casa.Clarice saiu pela porta dizendo: — Jack pode entrar e conheçer sua filha.. Ele entrou tão radiante e conheçeu sua filha.Com lagrimas nos olhos eu disse: Seu nome será Ellice.. Ellice Walker .


Ele sorrio e beijou ela.Nossos dias foram muito felizes.E enfim o dia do nosso casamento chegou, tudo pronto, eu comprei o vestido mais lindo do mundo, era o dia mais emocionante da minha vida,eu mal sabia esperar a hora de dizer aceito e finalmente nos tornarmos uma familia de verdade.Quando cheguei a igreja,fui em passos lentos fui acompanhada com o Dr.Jorge que escolhi para me levar, ao chegar no altas entreguei o buquê de flores para minha sogra, olhei para o Jack e sorri.Quando chegou o momento de colocar as alianças ele foi dizendo com aquela voz doce: — Na alegria e na tristeza,na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza até que a morte nos separe.. Olhei para aqueles lindos olhos azuis, e depois olhei para aqueles lindos olhos azuis da nossa filha e sorri colocando a aliança dizendo: — Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença ,na riqueza e na pobreza,até que a morte nos separe.. eu te amo.. Nos beijamos, e quando caminhavamos para fora da igreja, derrepende o Jack cai, meu mundo parou, era como se eu não estivesse ali. Foi horrivel.Ve-lo caido ali sem poder fazer nada. O Dr.Jorge sai correndo para ajuda-lo, todos em sua volta, e eu ali parada sem dizer nada.Quando vejo ele sendo levado para dentro da ambulância começo a correr dizendo: — Espere espere ! Quando o Dr. vem chegando na sala de espera de cabeça baixa eu me levanto dizendo: — Diga Dr. oque há? — Más noticias! Ele precisa de um transplante imediatamente. — Como assim imediatamente? — Se ele não receber um coração em 48 horas, ele entrará em coma, e talvez nunca mais sairá. Eu me sento chorando sem saber oque fazer.Volto para casa e depois de algumas horas volto ao Hospital.E agora vejo o Jack despertando sem entender muito bem oque estava fazendo naquele quarto.Ele estava aos cuidados de uma enfermeira , e quando ela percebeu que ele estava despertando correu para chamar o Dr.;Ele lhe examinou com cuidado,e logo após entrou no quarto sua mãe, chegou do seu lado e disse: — Meu filho, como eu rezei que você despertasse ... ai meu filho.. agora tudo vai fica bem... Ele apenas olhos e disse: — .. Le...Leniza... Ela apenas olha para baixo e diz: — Filho tenho que ir , depois eu voltarei.


Os dias se passaram e ele foi se reculperando ,e finalmente pode voltar para casa.Ao chegar em casa viu Clarice segurando sua filha nos braços,ele abraçou-á e beijou-lhe com muito amor, achou estranho pois não via Leniza e perguntou: — Cadê a Leniza mãe ? — Filho você precisa saber de uma coisa... — Diga ! Ela com uma lagrima no rosto diz : — Querido, eu preciso... Ele interrompendo pergunta: — Me diga! Cadê a Leniza ? não me diga que... Ela continua: — Sim Filho ! Ela que doôu o coração para você.. Ele se sentou no primeiro degrau da escada com as mãos na cabeça olhando para baixo dizendo: — Mas como? Porque ela fez isso ? Ela não poderia ter feito isso..não poderia! Sua mãe lhe levantou dizendo: — Venha! Ela queria que você visse algo... Ele se levanta e sobe as escadas devagar.Sendo guiado até o quarto onde dormia com ela, ele encontra um envelope sobre a cama.Começa a abri-lo com lagrimas nos olhos.Quando abre lê em voz alta: — Querido, se você esta lendo esta carta é porque já está reculperado,e está em casa com nossa filhinha,cuide bem dela,eu vou estar sempre por perto...E porque eu dei o meu coração para você? Por dois motivos, porque ele já era seu a muito tempo, desde que nos conheçemos embaixo daquela arvore no bosque,lembra?! Você me olhando assustado com esses olhos encantadores..esse jeito de menino mimado... Me apaixonei por cada detalhe seu.E o outro motivo é que eu senti que eu precisava fazer isso, meus pais já se foram, e eu sei que vou ficar bem pertinho deles.E lembre-se: Sempre que sentir minha falta, olhe para o céu, que eu sempre vou estar lá te esperando... te ouvindo quando estiver passando uma fase ruim, eu sei que você ainda não se acostumou muito com a idéia de conversar com as estrelas, mas como eu ja disse, um dia você estenderá...Saiba que te amo.Te amo muito,e é esse amor que te trouxe a vida, pois, o amor,aquele amor verdadeiro que aconteçe uma vez na vida.Ele perdoa,ele cura,ele recomeça,ele aprende,ele ensina, ele entende, ele está sempre pertinho da gente,mesmo estando muito longe.


Cada um tem seu destino, e eu sei que Deus nos dá uma caneta e um papel e quem escreve nosso destino somos nós,sem borracha.Nosso destino foi cruzado, e sopra a nosso favor.E sempre vai ser assim. Eu te amo. Leniza B. Ele terminou de ler em um tom baixo, colocou a carta dentro do envelope novamente com as lagrimas caindo,se encostou na parede perguntando: — Porquê ? Porque fez isso meu amor ? Porquê ? Depois disso varios dias se passaram.E até então ele nunca tinha olhado para o céu, ainda estava muito triste.Até que um dia ele estava fazendo nossa filha dormir, e sentiu meu perfume e decidiu tentar fazer oque eu tinha pedido quando sentisse minha falta.Pegou a menina e subiu aquela enorme escada no esconderijo secreto.Quando chegou ao fim olhou para o céu, e ficou muito surpreso,pois nunca tinha visto o céu tão estrelado daquela maneira, parecia que ele estava começando a entender minhas palavras.Sentou-se e começou a dizer baixinho para Ellice: — Tá vendo aquela estrela ali? E apontou com a mão. — É seu vovô.E aquela logo ao lado? É sua vovó. E ta vendo aquela bem no meio deles,muito brilhante? É sua mamãe,ela esta sorrindo pra nós,e dizendo quenos ama, e que vai estar sempre ao nosso lado. Ele sorrindo olhando para o céu, olha para o bebê e continua: — Você é muito parecida com ela.. Ele olha para a estrela novamente e fala baixinho: — Leniza meu amor, estou com muitas saudades, até agora não entendi direito porque fez isso por mim, mais sei que você estará sempre ao nosso lado, eu nunca vou te esqueçer. Ele coloca a mão no coração: — Te sinto aqui, bem perto de mim... E depois disso ele fala comigo todos os dias naquele mesmo lugar... Nossa filha cresceu ouvindo nossa historia.Nossa historia de amor verdadeiro.Mas nunca entendeu ao certo,até encontrar o seu.


O Menino dos Olhos Azuis