Issuu on Google+


A todos que sonham e nunca deixam de acreditar por mais obstáculos no caminho que possam encontrar.

    Agradeço a minha família que é obrigada a ouvir meus delírios, mas principalmente a minha irmã, Mariana Cabral, que me atura não só durante o processo de produção dos livros como ainda é obrigada a ler os manuscritos.     Não posso deixar de mencionar os profissionais da área que respondem todas as minhas perguntas pacientemente, e olha que não são poucas. Liana Cupini, obrigada por toda a sua ajuda sem a qual eu ainda estaria “perdida”.     Sou grata também as pessoas que respondem as minhas pesquisas de opinião e a todos que me apoiaram e contribuiram de alguma maneira para que este livro esteja agora em suas mãos.


Meu querido professor Copyright © Nath Souza 2011 PRODUÇÃO EDITORIAL Nath Souza MODELOS DA CAPA Monique Castro Jhenifer Pollet Mariana Cabral Cláudia Cavalcante

Todos os direitos reservados pela autora. É proibida a reprodução parcial ou total sem a autorização da autora.


O Clube


Quem nunca gostou de um professor que atire a primei­ ra pedra! Tá com vergonha de admitir? Não precisa, esta­ mos entre amigas e aqui ninguém vai contar o seu segredo, eu prometo!     Melhor, quem nunca teve uma relação com um profes­ sor além da profissional? Agora eu estou me referindo a amizade ou até mesmo ódio.     Uma coisa é certa, toda menina já gostou ou ainda vai gostar de um professor, isso é inevitável. Ok, isso não é 100% comprovado, eu sei. Mas, tanto você quanto eu sa­ bemos que a probabilidade fala mais alto nessa hora. Portanto, deixe a vergonha de lado e junte­se a nós!!!"     Era isso o que todas as meninas encontravam na página inicial da comunidade 'EU GOSTO DO MEU PROFES­ SOR, E AGORA?' É claro que nem todo mundo que entra está realmente gostando do professor naquele exato mo­ mento, mas e a curiosidade? Ah, a curiosidade é um vírus que leva as pessoas a fazerem coisas que ninguém imagi­ na, e foi isso que levou não só todas as garotas a entrarem na comunidade, mas quatro meninas em especial. Fórum: Ele nem sabe que eu existo

Bruna: Como eu faço para ele me notar? Julia: Pergunta difícil!

Isabella: Talvez você devesse se perguntar: Será que ele quer me notar? Bruna: Como assim?

Isabella: Por ele ser professor, pode ser que não queira notar aluna alguma.


Amanda: Gostaria de poder dizer o mesmo. No meu caso, ele que parece gostar de mim e não o contrário. Bruna: Que sorte! *­­*

Julia: Eu acho que nós dois gostamos um do outro, mas ainda não tenho certeza. :S Isabella: Nós odiamos um ao outro. Prontofalei!

Bruna: Tô adorando conversar com vocês! Pena que em fóruns não dê para fazer isso sempre. Sabe como é, fica difícil entrarmos no mesmo horário, terão outras pessoas dando palpites, podemos não nos achar... Amanda: Pode parecer louco, mas eu tive uma ideia! Julia: Conta!

Amanda: Que tal se montássemos um clube?

Bruna: Clube? Como assim? Não nos conhecemos e cada uma é de um estado, não dá para montar um clube assim. Isabella: Verdade.

Amanda: Calma! Eu não contei tudo ainda. Julia: Ih, cheia de mistérios...

Amanda: O que eu pensei foi em montarmos um clube sobre esse lance de professor, assim poderíamos nos en­ contrar quando quisermos, com horário marcado, e assim compartilhamos nossas experiências nesse assunto e aju­ damos umas as outras. O que acham?


Isabella: Parece bom. Bruna: Eu adorei! \o/ Podemos usar o Skype: depoimen­ tos por vídeo e chat ao mesmo tempo. Enquanto uma de nós fala pelo vídeo as outras vão digitando para se comu­ nicar com quem está falando. Julia: E qual seria o nome?

Amanda: MEU QUERIDO PROFESSOR.

7


Meu querido professor