Issuu on Google+

Mais Cultura L a n ç a d o e m o ut u b ro d e 2 0 0 7 , o Programa Mais Cultura insere a cultura na Agenda S ocial do Governo Federal, transformando o acesso aos bens culturais em política estratégica de Estado para reduzir a pobreza e a desigualdade social. A estrutura do Programa está divida em três dimensões, articuladas entre si: Cultura e Cidadania (que executa o programa Cultura Viva), Cultura e Cidades e Cultura e Economia. Todas essas ações buscam a ampla participação da sociedade civil e dos poderes públicos. Os focos de atuação do Mais Cultura atingem a diversas camadas sociais e beneficiam os diversos grupos que compõem a população brasileira, com atenção especial aos mais vulneráveis. Página 2

O Ateliê que virou Ponto de Cultura Com o propósito de reunir jovens e adolescentes na grande maioria, bem como promover a cidadania, nasce o Espaço Cultura – Arte e Cidadania, em agosto de 2000. Inicialmente, a casa era apenas um ateliê de pintura onde vários artistas plásticos se instalavam no próprio local e pintavam por aproximadamente oito horas por dia. Ali, eles repassavam toda a produção para divulgação através de exposições e eventos realizados nas capitais e em algumas

Ponto de Cultura O Ponto de Cultura é a ação prioritária e o ponto de articulações das demais atividades do Programa Cultura Viva. Os Ponto s d e Cu ltu r a s ão ent idades re con he ci das e apoiadas financeira e institucionalmente pelo Ministro da Cusltura que desenvolvem ações de impacto sócio-cultural em suas comunidades. Página 2

cidades de todo o Brasil. Em 2003, o Espaço Cultura – Arte & Cidadania abre as portas com trabalhos voltados ao público, através de palestras, eventos, festivais, oficinas culturais e/ou worshops de artes. Atualmente o espaço oferece oficinas de Desenho Artístico, Desenho de Moda, Pintura em Tela, História em Quadrinhos/ Mangá, Grafite, Criação de Games, Animação (Multimídia), Escultura e Modelagem, Reciclagem e Xilogravura. Página 3

Ponto de Cultura Cecap mantém atividades desde 2006 Inaugurado em 21 de outubro de 2006, o Ponto de Cultura Cecap atendia em média 250 pessoas mensalmente, porém a mudança radical do transporte e a não contemplação do ponto desde junho de 2009, por ser remanescente, causou a diminuição gradativa de alunos. O equipamento do Ponto de Cultura continua ativo na

região do Cecap, sendo mantido com recursos humanos voluntários, doações espontâneas e pequenas colaborações da comunidade. Assim, o local permanece aberto, levando acesso dos bens educacionais e culturais às comunidades que chegam com suas múltiplas carências, promovendo assim a cidadania. Página 4


Ano I - nº01

Mais Cultura

Editorial

Marcello Casal Jr./ABr

Difusão cultural Ponto de cultura é um projeto que denominamos como cultura viva. Uma gestão cultural, compartilhada e transformadora. A falta de divulgação desses pontos é um grande problema, pois muitos talentos são ocultos e desperdiçados. A sociedade esquece o quão imp or t ante é a dif us ão da diversidade cultural, fazendo um intercambio e conhecendo a arte como um todo. A modernidade nos traz uma forma de divulgação, mas por algumas coisas banais a arte acaba sendo morta, pois mui-

tos veem o que convém, não o que é importante. É necessário o encontro entre as diversidades culturais, pois tudo o que esquecemos podemos usar não só ao nosso favor, mas da nossa região, estado e etc. Com essa nova ferramenta para nós, o jornal, podemos de uma forma simples, porém objetiva, informar e trazer ao publico, no caso vocês, o que há de melhor na cultura brasileira. Vamos nos unir e revelar talentos e mostrar que nós podemos fazer a diferença.

Expediente Pontão de Cultura Jornal do Ponto

Editoração e Arte Final: Natália Balladas

Coordenador Cultural: Murilo Oliveira Articuladora: Eliana Silveira Estagiários: Karina Koch, Eduardo Kaze, Bruno Praun Coelho e Nilton Faria de Carvalho. Oficina de Jornalismo: Marina Schmidt - MTB: 66 882 Oficina de Design Gráfico: Natália Balladas

Pontos de Cultura: Ponto de Cultura Cecap e Ponto de Cultura Studio de Arte e Desenho Participantes: Bruno de Paula; Gustavo Tenreiro; Joaquim Marcos Souza; Kaique Oliveira Rocha; Matheus Freitas Santos; Aline do Nascimento; Maria Irene Macedo Faria

Este periódico é produto das oficinas de jornal promovidas pelo Pontão de Cultura Jornal do Ponto, projeto da Associação dos Jornais do Interior do Estado de São Paulo (ADJORI-SP) em convênio com o Ministério da Cultura sob o nº 748226/2010.

Realização

Realização

2

Lançado em outubro de 2007, o Programa Mais Cultura insere a cultura na Agenda Social do Governo Federal, transformando o acesso aos bens culturais em política estratégica de Estado para reduzir a pobreza e a desigualdade social. A estrutura do Programa está divida em três dimensões, articuladas entre si: Cultura e Cidadania (que executa o programa Cultura Viva), Cultura e Cidades e Cultura e Economia. Todas essas ações buscam a ampla participação da sociedade civil e dos poderes públicos. Os focos de atuação do Mais Cultura atingem a diversas camadas sociais e beneficiam os diversos grupos que compõem a população brasileira, com atenção especial aos mais vulneráveis. O Programa anuncia suas ações em editais públicos abertos a municípios, estados, pessoas físicas ou pessoas jurídicas de direito público ou privado, sem fins lucrativos, que sejam de natureza cultural, como associações, sindicatos, cooperativas, fundações, escolas caracterizadas como comunitárias e suas associações de pais e mestres, ou organizações tituladas como Organizações da Sociedade Civil

Apresentação de boneco no encerramento do Teia Brasília 2008, encontro nacional dos Pontos de Cultura

de Interesse Público (OSCIPs) e Organizações Sociais (OS), com atuação comprovada na área cultural há pelo menos dois anos. Acordos Em 2009, o Programa Mais Cultura iniciou uma série de ações, potencializadas pela assinatura de acordos de cooperação com 15 ministérios, cinco bancos públicos e 16 governos estaduais. A sociedade civil também contribuiu no Programa, participado

das oficinas de implementação do Mais Cultura, realizadas nos estados parceiros. Como o Programa contempla prioritariamente as áreas de maior vulnerabilidade social, foi estabelecida uma territorialização com base no mapa dos Territórios da Cidadania – que atendem especialmente áreas rurais – e do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), que atua em regiões metropolitanas com forte índice de violência.

Ponto de Cultura O Ponto de Cultura é a ação prioritária e o ponto de articulações das demais atividades do Programa Cultura Viva. Os Pontos de Cultura são entidades reconhecidas e apoiadas financeira e institucionalmente pelo Ministro da Cultura que desenvolvem ações de impacto sócio-cultural em suas comunidades. Somam, em abril de 2010, 2,5 mil em 1122 cidades brasileiras, atuando em redes sociais, estéticas e políticas. O Ponto de Cultura não tem um modelo único, nem de instalações físicas, nem de programação ou atividade. Um

aspecto comum a todos é a transversalidade da cultura e a gestão compartilhada entre poder público e comunidade. Pode ser instalado em uma casa, ou em um grande centro cultural. A partir desse Ponto, desencadeia-se um processo orgânico agregando novos agentes e parceiros e identificando novos pontos de apoio: a escola mais próxima, o salão da igreja, a sede da sociedade amigos do bairro, ou mesmo a garagem de algum voluntário. Quando firmado o convênio com o MinC, o Ponto de Cultura recebe a quantia de R$ 185 mil,

em cinco parcelas semestrais, para investir conforme projeto apresentado. Parte do incentivo recebido na primeira parcela, no valor mínimo de R$ 20 mil, para aquisição de equipamento multimídia em software livre (os programas serão oferecidos pela coordenação), composto por microcomputador, mini-estúdio para gravar CD, câmera digital, ilha de edição e o que mais for importante para o Ponto de Cultura. Textos publicados em 9 de dezembro de 2009, na página do Ministério da Cultura (cultura.gov.br)


Ano I - nº01

O Ateliê que virou Ponto de Cultura

Trabalhos dos Professores

Em 12 anos, o Espaço Cultura – Arte e Cidadania cresceu e se transformou em um dos projetos apoiados pelo Ministério da Cultura em Guarulhos Ivan Chuyev

Trabalho Prof. Raul

Espaço oferece palestras, eventos, festivais, oficinas culturais e workshops

Com o propósito de reunir jovens e adolescentes na grande maioria, bem como promover a cidadania, nasce o Espaço Cultura – Arte e Cidadania, em agosto de 2000. Inicialmente, a casa era apenas um ateliê de pintura onde vários artistas plásticos se instalavam no próprio local e pintavam por aproximadamente oito horas por dia. Ali, eles repassavam toda a produção para divulgação através de exposições e eventos realizados nas capitais e em algumas cidades de todo o Brasil. Em 2003, o Espaço Cultura – Arte & Cidadania abre as portas com trabalhos voltados ao público, através de palestras, eventos, festivais, oficinas culturais e/ou worshops de artes. Atualmente o espaço oferece oficinas de Desenho Artístico, Desenho de Moda, Pintura em Tela, História em Quadrinhos/ Mangá, Grafite, Criação de Games, Animação (Multimídia), Escultura e Modelagem, Reciclagem e Xilogravura. O local possui, ainda, projetos para eventos, como workshop e festivais voltados à cultura japonesa. Com classificação livre, tem como objetivo central promover um intercâmbio cultural, desde imagem, música e costumes da

cultura japonesa até exposições com mostras de artistas de ambos os lados, Brasil e Japão, buscando equilíbrio em comparações de técnicas e costumes. Outros trabalhos mantidos no Espaço Cultura são os projetos de inclusão social, que beneficiam as comunidades carentes e tem por objetivo ampliar o universo de informações e conhecimentos de uma determinada comunidade, para que possam ver distintamente, distinguir, conhecer, avaliar bem, medir e, principalmente, apreciar e desenvolver o prazer e o gosto estético, consequentemente interagindo e garantindo seus direitos como cidadãos, sempre usando a arte como elemento de transformação. Ponto de Cultura Em 2011, foi iniciado o projeto Oficinas de Artes do Espaço Cultura – Arte & Cidadania como Ponto de Cultura – Studio de Arte e Desenho. O Espaço Cultura – Arte e Cidadania, por meio de seus educadores, procura influenciar de forma positiva no desenvolvimento pessoal e humano dos alunos e ou pessoas que se beneficiam de qualquer atividade educacional promovido pelo mesmo.

Trabalho Prof. Murilo

Trabalho Prof. Marcos

Trabalho Prof. Francisco

Trabalho Prof. Rodrigo

3


Ano I - nº01

Ponto de Cultura Cecap mantém atividades mesmo sem investimentos Contemplado em 2006 pelo programa Cultura Viva, projeto continua em andamento após o término do financiamento

Turma de dança cigana

Inaugurado em 21 de outubro de 2006, o Ponto de Cultura Cecap atendia em média 250 pessoas mensalmente, porém a mudança radical do transporte e a não contemplação do ponto desde junho de 2009, por ser remanescente, causou a diminuição gradativa de alunos. O equipamento do Ponto de Cultura continua ativo na região do Cecap, sendo mantido com recursos humanos voluntários, doações espontâneas e pequenas colaborações da comunidade. Assim, o local permanece aberto, levando acesso dos bens educacionais e culturais às comunidades que chegam com

Oficina de artesanato

suas múltiplas carências, promovendo assim a cidadania. O Ponto de Cultura Cecap possui uma ampla diversidade cultural, com as seguintes oficinas: -Artesanato -Artes plásticas -Artes cênicas (Ballet, teatro e dança de salão) -Dança tradicional (cigana e do ventre) -Música (viola e violão) -Pilates Para maiores informações: (11) 2475-2064 Funcionamento: Terça à sexta: das 14h às 21h30, e sábado, das 10h às 14h Alunos da oficina de música

Eventos comemorativos Festa de Nossa Senhora de Bonsucesso Todos os anos comemoráramos, no último domingo de agosto, a nossa Romaria Sacro Profana. Levamos as ciganas, folias de reis, congadas e etc. A história relata que os escravos dançavam na batida da terra em volta da igreja. Festa do Folclore Tamb é m e m ago sto, e m parceria com a E.E. Francisco Antunes, saímos em volta dos condomínios, resgatando 4

as culturas tradicionais, com makulelê, congadas, danças frevo, maracatu e etc. Festa em Paranapiacaba Encontro nacional dos ciganos, magos e bruxos. Levamos os grupos de dança cigana, dança do ventre e etc. Bosque Maia Na segunda quinzena de cada mês fazemos intervenção artística em parceria com a secretaria de Assistência Social e com grupos dançantes no Bosque Maia.

Mostras culturais Já nos apresentamos em diversos teatros com mostras das diversidades culturais, dentre eles: teatro Adamastor Centro, Pimentas e Ponte Alta e teatro Padre Bento. Saraus Sempre promovemos e fazemos de forma itinerante, com poetas, escritores, música, performances teatrais e muita dança. Palestras Com artesãos, agentes da saúde e arte educadores.

Instituto Pró Cultura já atendeu mais de 3,5 mil pessoas O Instituto Pró Cultura é uma Organização Não Governamental sem fins lucrativos, fundada em fevereiro de 2005 com o objetivo de propor a formação e o fomento de atividades artísticas de qualidade em especial à sua região de atuação: o bairro Parque Cecap, na cidade de Guarulhos, região metropolitana de São Paulo. Desde a sua fundação até hoje, a organização atendeu cerca de 3,5 mil pessoas, uma média de 300 por semestre, direcionadas

para as oficinas culturais oferecidas pela instituição. Valores Inseridos nos contextos das atividades oferecidas, o espaço preza pela ética, pelo respeito ao próximo e às diferenças, solidariedade, cidadania, afeto, compreensão, união, dentre outros valores imbuídos no processo de transformação e construção artística sensível, justa e igualitária.


Jornal Difusão C