Issuu on Google+

economia

de P E R N A M BUC O

Fiat recebe equipamentos

e

A diretoria da Fiat, nacional e internacional, está acompanhando de perto a instalação do projeto pernambucano da marca italiana. Nesta semana, os executivos da montadora se reuniram por duas horas com o governador Eduardo Campos e alguns secretários estaduais. Na pauta, o andamento da obra e o cronograma de execução. Ainda neste mês, duas prensas vindas do Japão desembarcam no Porto de Suape. “Executivos vieram discutir o andamento do projeto. O canteiro de obras possui mais de 1,6 mil pernambucanos trabalhando. Além disso, 180 já foram contra-

tados para atuarem na planta. A chegada das prensas ainda neste mês irá gerar uma movimentação a mais para o Porto de Suape”, contou o governador. No setor de prensas, as chapas de aço são transformadas em peças para a carroceria do automóvel. As chapas de aço chegam em bobinas e/ou chapas já cortadas e tratadas. As prensas recortam, furam e dobram as chapas de aço até chegar à peça desejada. As prensas são equipamentos grandiosos. Para se ter uma ideia, elas chegarão desmontadas. Mesmo assim, serão necessárias entre 600 e 700 carretas

para que o transporte do maquinário seja feito. A Fiat ainda estuda como será realizada esta logística, que deve acontecer no período da noite, quando o trânsito é tranquilo. A estimativa é de que o processo dure aproximadamente um mês. A montagem da linha de prensa tem duração média de três meses. O polo automotivo em implantação em Goiana terá investimento da ordem de R$ 7 bilhões, incluindo o valor aplicado pelas sistemistas, que são as fornecedoras da Fiat. A unidade terá capacidade de construir 250 mil veículos por ano.

A chegada das prensas irá gerar uma movimentação a mais para o Porto de Suape” Eduardo Campos, governador de Pernambuco

ir


Pagina1