Page 1

jornal do commercio 3

Recife I 15 de abril de 2014 I terça-feira

cidades

www.jconline.com.br Fotos: Hélia Scheppa/JC Imagem

Canal ganha cara nova em um ano e meio REQUALIFICAÇÃO A licitação foi concluída e a obra terá início nos próximos dias. Margens vão ganhar praças, ciclovia e jardins

Desde que construíram essa pista os alagamentos são constantes, ficamos com água na cintura, perdemos móveis. O canal é muito sujo, raso. Não acho que essas obras vão resolver, pois a galeria é baixa demais”, afirma o estudante Genilson Dias, 19 anos, morador de Campo Grande

Seria bom se limpassem o canal, que tem muito lixo, bicho morto e muriçoca. Nossa vida já melhorou muito quando saímos de dentro da água para um habitacional e acho que vai melhorar mais com as novas obras”, diz a ex-catadora

Maria José, 43 anos

12 anos em cima do rio, com água batendo no peito e agora tenho minha casinha”, diz Maria Ferreira de Jesus, 62 anos. “Mas também precisam abrir o outro lado da rua, pois umas seis pessoas já morreram na curva no acesso a Peixinhos porque o trânsito é em dois sentidos.”

RESULTADOS

Conforme Perrusi, há muito material a ser dragado do canal, o que vai reduzir o refluxo da água do rio. “É esse movimento que leva muito lixo para o canal. O ordenamento a ser feito vai corrigir muitos problemas verificados na área”, afirma.

Imagem chocante de criança catando lixo no canal correu o mundo Para ganhar calçadas e ciclovias, a Avenida Professor José dos Anjos não vai perder nenhuma faixa, pois elas serão implantadas no passeio existente. Sobre o canal, vão ser construídos um espaço de convivência, dois equipamentos de lazer e duas quadras poliesportivas. Todos terão área verde e de lazer e aproximadamente 40 metros de largura. As intervenções vão beneficiar cerca de 78 mil moradores de dez bairros da Zona Norte, conforme a prefeitura Os investimentos são na maior parte do Ministério das Cidades, através do 3º PAC da Pavimentação, com contrapartida do Governo do Estado e município.

Central de resíduos fica pronta em maio

Saio de casa às 5h para catar papelão, garrafa PET, ferro e à tardinha separo e entrego tudo num depósito clandestino. Seria bom ter um lugar organizado, que pagasse melhor. Crio seis filhos com esse trabalho, mas é difícil”, afirma Natanael Rozendo, 54 anos

Com sete meses de atraso, outra obra que vai ajudar a mudar a paisagem do Canal do Arruda deve ser entregue em maio. Orçado em pouco mais de R$ 1 milhão, o prédio de 2,2 mil metros quadrados do Galpão de Triagem de Resíduos Sólidos da área beneficiará cerca de 100 famílias de catadores locais, coibindo, inclusive, a ação de se jogar lixo no canal. Apesar da proximidade da conclusão da obra, a prefeitura ainda não definiu como será a administração do espaço e qual órgão irá fazê-la, segundo informações da Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb). Ex-catadora, Maria José dos Santos, 43 anos, é uma das 50 mulheres da comunidade que já passaram por treinamento para trabalhar no local.

“Criei meus dois filhos catando lixo, andava 16 horas por dia nas ruas, não vejo a hora de ficar trabalhando na central, separando o material para reciclagem”, declara. “Minha vida já melhorou muito quando me tiraram do canal e me botaram no habitacional, agora vai melhorar mais ainda”. De acordo com informações da Empresa de Urbanização do Recife (URB), mais de 95% da obra foi executada. O galpão vai ter área para triagem, armazenagem e expedição, além de banheiros, vestiários e escritório. Também serão adquiridos dois veículos hidráulicos para transporte dos materiais, um elevador, balança mecânica com capacidade para 500 quilos e duas prensas eletrohidráulicas.

Diego Nigro/JC Imagem/24-10-13

A

paisagem onde três meninos mergulhavam até o pescoço no lixo, catando latinhas de alumínio, começa a mudar, enfim. Um consórcio de quatro empresas homologado para fazer a requalificação das margens do Canal do Arruda, na Zona Norte do Recife, já prepara o terreno para instalar um canteiro de obras no local onde o Jornal do Commercio registrou, há cinco meses, a imagem que chocou o mundo. Nos próximos dias, o consórcio receberá a ordem de serviço e terá 18 meses para concluir o projeto, orçado em R$ 83,1 milhões. As obras abrangem um trecho de 3,8 quilômetros entre a Avenida Norte e o Rio Beberibe. Elas incluem dragagem e revestimento de canais, implantação de calçadas, 7,4 quilômetros de ciclovia, áreas de lazer e esportes, pavimentação, arborização, parque infantil e iluminação. De acordo com o diretor de engenharia da Empresa de Urbanização do Recife (URB), Vicente Perrusi, os serviços foram divididos em duas frentes que começam ao mesmo tempo. “Entre a Avenida Norte e a Rua Petronilo Botelho serão iniciadas as obras de urbanização e de lá até o Rio Beberibe, o revestimento do canal, inexistente neste trecho”, explica. Moradores das margens do canal se dividem quanto às expectativas dos resultados da obra. Próximo à Rua Jerônimo Vilela, algumas pessoas reclamam que as casas estão enfrentando alagamentos quando a maré sobe, após a abertura da Avenida Professor José dos Anjos até a altura da Avenida Correia de Brito, entre Campo Grande e Peixinhos, e não acreditam que o problema será resolvido com a dragagem e revestimento do canal. Nas proximidades do Rio Beberibe, há esperança de que as obras reduzam o contato com o lixo e muriçocas e melhore a qualidade de vida da comunidade. “Até cavalo morto já apareceu aqui, mas as coisas estão melhorando, morei

EXPECTATIVA Placa com informações da obra foi instalada na margem do canal. O trecho beneficiado tem 3,8 quilômetros de extensão e vai do Rio Beberibe até a Avenida Norte

Jc 15042014 foz 1