Page 1

cidades k giro metropolitano

www.jconline.com.br/cidades Fotos: Guga Matos/JC Imagem

pela bsantana@jc.com.br twitter: @jc_giromet telefone: (81) 3413.6187

DESCASO Com 3.500 metros de extensão, o Canal da Malária nem parece já ter sido alvo de projetos de requalificação

Canais de Olinda são só mato e lixo INFRAESTRUTURA Moradores das proximidades dos Canais da Malária, no Varadouro, e dos Bultrins reclamam da falta de manutenção por parte da prefeitura

D

CONTROLE No próximo ano, três câmeras serão instaladas ao longo dos 1.200 metros de extensão do Canal dos Bultrins na tentativa de evitar o descarte de lixo no local

Verba federal para a Vila

Novembro continua rosa

Tudo sujo, cheio de mato e lixo. Já vi a prefeitura limpando, não nego. Mas logo em seguida o povo suja. Tem que existir alguma ação educativa, para evitar que isso aconteça sempre, como tem sido todos esses anos”, contou o

aposentado José Macedo, 58 anos

ois canais que cortam Olinda, na Região Metropolitana do Recife, estão abandonados pelo poder público. O que se vê no Canal da Malária, cujo início se dá no Varadouro, região central da cidade, é muito mato, falta de manutenção e, em alguns pontos, lixo acumulado. No Canal dos Bultrins, no bairro de mesmo nome, em toda a extensão da Avenida Chico Science, o cenário se repete. Moradores reclamam da prefeitura mas também alertam para o descaso de quem passa pelo local e faz o descarte incorreto do lixo. Com 3.500 metros de extensão, o Canal da Malária já foi alvo de projetos de requalificação, a exemplo do Canal da Vida, que recebeu o prêmio de Melhores Práticas de Gestão Local, pela Caixa Econômica Federal, em 2009. “Nós sabemos da importância desse canal. De janeiro até o mês de abril nós providenciamos a limpeza, mas já observamos que a vegetação está grande”, reconheceu o secretário de Serviços Públicos, Manoel Sátiro. “Em todo início do ano costumamos realizar a limpeza de todos os canais da cidade. O da Malária sempre é o primeiro, e já está agendado para o início de 2014. A retirada da vegetação que obstrui o canal é o nosso principal problema.” Moradores cobram melhores resultados. “É preciso fazer muita coisa e não só em alguns meses do ano, como acontece aqui no Canal da Malária”, disse a professora Fernanda Lima de Andrade, 32 anos. “Sempre nos é prometido muito, há anos, mas nunca sai do papel.” Um exemplo de promessa não cumprida é a praça anunciada ainda na gestão de Luciana Santos (2001-2009), em terreno ao lado do Canal da Malária, no Varadouro. A atual governo garante que ela será construída, porém não informou prazos. Já em relação ao Canal dos Bultrins, o secretário Manoel Sátiro disse que projetos estão em andamento, como a troca 90 lâmpadas, em toda a Avenida Chico Science, para melhorar a iluminação. “Até dezembro, estará concluída a requalificação do calçadão que margeia o canal. E a vegetação será toda arrancada, com jardins nas cabeceiras, até o início de 2014.” Além disso, também no próximo ano, três câmeras serão instaladas ao longo dos 1.200 metros de extensão do canal para monitorar os principais pontos onde o lixo é descartado de maneira incorreta e fica acumulado, provocando alagamentos em época de chuva.

MULTA

Um projeto de lei enviado à Câmara de Vereadores, sugere a aplicação de multas a quem jogar lixo nos canais e ruas. A prefeitura está contando com a aprovação. “Já estamos em processo de licitação para adquirir smartphones com impressoras portáteis”, contou Manoel Sátiro. A fiscalização será feita por guardas municipais. O indivíduo que receber multa, que varia de R$ 157 a R$ 5 mil, dependendo do tipo de lixo, terá um mês para pagar. Caso contrário, terá o nome negativado no SPC e Serasa. “Com isso, esperamos que tanto os canais, quanto as ruas, tenham outro cenário”, informou.

Jc 12112013 1  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you