Issuu on Google+

cidades

www.jconline.com.br

Compesa combate desvios Compesa/Divulgação

OPERAÇÃO Trinta e seis ligações clandestinas de água foram destruídas pela companhia no Sertão. Apenas em Cabrobó, foram sete

PREJUÍZO Água desviada era suficiente para o abastecimento de uma cidade de 30 mil pessoas

T

rinta e seis desvios clandestinos de abastecimento de água no Sertão do Estado foram destruídos pela Compesa, desde a semana passada, em uma ação conjunta da companhia de abastecimento e a Secretaria de Defesa Social (SDS). Apenas ontem, a Operação Água Legal identificou e desligou sete pontos na cidade de Cabrobó. Outros 29 pontos foram identificados na semana passada. A operação segue até a quinta-feira. Com o helicóptero da SDS, técnicos da Compesa fazem um sobrevoo e identificam pontos com plantações. A área é marcada e, por terra, é feita a verificação se a ligação de água que abastece o local é clandestina, com apoio de homens da Polícia Militar (PMPE) e da Companhia Independente de Operações e Sobrevivência na Área de Caatinga (Ciosac). “Até o mês de julho, com as chuvas, tudo fica verde. Já na estiagem, conseguimos verificar as áreas de plantações”, disse o gerente regional da Compesa para o Sertão Central, Januário Nunes.

Na semana passada, foram desligadas 29 conexões clandestinas Dos roçados identificados na semana passada, nove eram plantações de maconha. Apesar das áreas terem sido destruídas, ninguém foi preso, pois nenhum responsável pelas terras foi encontrado. Segundo dados da Compesa, o volume de água roubado era suficiente para abastecer uma população de 30 mil pessoas, ou seja, mais da metade da cidade de Salgueiro, no Sertão Central. A Operação Água Legal abrange os 220 quilômetros da Adutora do Sertão. A Compesa estima que 22% da água estava comprometida com o desvio de água. “Erradicar esses pontos clandestinos é um grande ganho,

pois várias cidades já estavam com o rodízio no abastecimento comprometido e agora poderá voltar ao normal”, explicou Nunes. A varredura por ligações clandestinas está sendo feita nos municípios de Terra Nova, Verdejante, Salgueiro, Serrita e Cabrobó. Nesta semana, as buscas serão intensificadas na região da Serra do Monte Santo, em Cabrobó. A Adutora do sertão capta água do Rio São Francisco, possui uma vazão de 310 mil litros por segundo e é responsável pelo abastecimento de 120 mil pessoas. Hoje, haverá uma reunião entre a Compesa e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para verificar quais penalidades podem ser aplicadas aos responsáveis pelas lavouras abastecidas com as ligações clandestinas. “Como eles não são clientes da Compesa, não cabe a aplicação de multa. O que eles estão fazendo é um crime, o furto da água, e quem pode determinar a penalidade é a Polícia Civil e o Ministério Público. Muitos são reincidentes, já foram pegos em operações anteriores”, completou Januário Nunes.


Jc 12112013