Issuu on Google+

economia de P E R N A M BUC O

Maquinário chega para a Hemobrás Os cinco tanques de aço inoxidável pesam entre 300 e 500 quilos e foram feitos sob medida na França

HEMOBRAS/DIVULGAÇÃO

ROCHELLI DANTAS rochellidantas.pe@dabr.com.br

O

maquinário que será usado para produzir me me-dicamentos começa a chegar à fábrica da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás), em Goiana. Já estão no local cinco tanques de aço inoxidável, feitos sob medida na França, que serão destinados à estocagem e distribuição de água purificada para uso farmacêutico. A montagem está prevista para começar em novembro, quando a empresa responsável pelo processo, que é francesa e parceira do Laboratório Francês de Biotecnologia (LFB), deve concluir a instalação do escritório no canteiro de obras. A empresa não é a única que chegará ao terreno da Hemobrás. Serão 15 ao todo, entre nacionais e internacionais. Elas funcionarão no local até 2014, gerando um incremento de cerca de dois mil postos de trabalho. “Essas empresas ficam no local durante a instalação do maquinário. Elas vão trabalhar na montagem de todo o equipamento, que chega a Goiana seguindo um cronograma de instalação. Os escritórios vão sendo montados segundo a demanda”, explicou o gerente de Incorporação Tecnológica e Processos,

Recipientes possuem capacidades que variam entre 10 mil litros e 20 mil litros Antonio Edson Lucena. Francês de Biotecnologia. Todos Segundo ele, a fábrica será im- deverão estar instalados e validaplantada em oito etapas. Esta cor- dos na fábrica até o segundo seresponde à quarta. Os equipamen- mestre de 2014. tos medem de dois a cinco meOs tanques que acabam de chetros de altura, gar pesam encada um, e in- Equipamentos tre 300 e 500 tegram um toquilos e postal de sete siste- chegaram em suem capacimas, chamados dades que vade utilidades contêineres ao riam de 10 mil fabris, dos Porto de Suape litros a 20 mil quais seis estão litros. O mateem fabricação rial chegou via paralelamente na França. Juntos, Porto de Suape. O mesmo carreestão orçados em 27 milhões de gamento trouxe tubulações e peeuros e fazem parte do processo ças de tratamento de água reside transferência de tecnologia en- dual. “Esta primeira etapa da litre a Hemobrás e o Laboratório nha de produção faz parte dos

sistemas de distribuição de água purificada e do sistema automático de limpeza. A segunda parte da linha chega em dezembro”, detalhou Lucena. A montagem destes equipamentos tem duração estimada de três meses. Os tanques vão armazenar toda a água a ser usada na fabricação de medicamentos e também a matéria-prima para produção de vapor puro com fins de esterilização. Essas atividades vão acontecer nos subsolos dos blocos B02 e B03. No B02 vai ocorrer a produção dos hemoderivados. O ilização (processo de B03 terá a liof liofilização desidratação) de alguns produtos e o envase dos medicamentos.

FIAT

Trabalhadores conseguem reajuste Foi necessária apenas uma reunião para que os operários que trabalham na construção da fábrica da Fiat, em Goiana, garantissem um reajuste salarial. No encontro realizado ontem no Ministério do Trabalho, os funcionários, que são contratados pelo Consórcio Construcap-Wallbridge, asseguraram um acréscimo de 11% no salário e de R$ 25 no vale-alimentação, que agora, soma R$ 155.

A reunião contou com a participação de representantes do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Marreta) e do Consórcio Construcap-Wallbridge. Procurado pela reportagem do Diario, o consórcio confirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, o acordo assinado. O resultado será apresentado hoje pela diretoria do Marreta para os 1,7 mil funcionários que atuam

no canteiro de obras da montadora italiana. As mudanças passam a valer já neste mês de outubro. Mas o reajuste pode ser ainda maior. De acordo com o Marreta, as solicitações de aumento serão incorporadas à campanha salarial que acontece para todos os 50 mil trabalhadores da construção civil no estado. “Se o resultado das negociações do setor for superior aos 11% já conquistados

para os operários da Fiat, os funcionários terão o reajuste acordado pela categoria”, ressalta a nota enviada pelo sindicato. A reunião que irá tratar da pauta dos trabalhadores da construção civil será na próxima semana no Ministério do Trabalho e contará com a presença de representantes do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco (Sinduscon).


Dp 01102013