Issuu on Google+

Análise Retórica

Este é um cartaz da autoria do partido Bloco de Esquerda com o objetivo de assinalar a confirmação, pelo parlamento, da lei que permite a adoção por casais homossexuais, anteriormente vetada. Este cartaz, prima facie, tem tudo para convencer o auditório, o ethos, o pathos e o logos. Este cartaz dirige-se essencialmente para as pessoas homofóbicas e que são contra a homoparentalidade, para convence-las, a maioria destas são conservadoras e crentes na cristandade. Por essa razão estes são o publico alvo da campanha. Tendo isso em conta relativamente ao ethos recorresse a Jesus Cristo, mas também ao Deus teísta e José, tudo personalidades importantes e indispensáveis para a cristandade. Relativamente ao pathos, o fundo cor de rosa transmite algum conforto por causa da associação do cor de rosa á a felicidade e á perfeição, e ainda as outras cores que apesar de serem cores mais violentas, (como o preto e o vermelho) acabam por se tornar extremamente apelativas o que vai chamar a atenção para as pessoas por aspetos positivos. Então, até agora esta tudo muito correto e parece um cartaz que convence qualquer um, e o logos? É aqui que entra tudo em colisão e por isso se gerou polémica e este cartaz teve de ser retirado “jesus também tinha 2 pais”, então como ele tinha dois pais então não faz mal um casal homossexual adotar. Não é preciso saber filosofia para saber que isto é uma analogia, mas já é importante para determinar se é uma boa ou má analogia, e é inquestionavelmente uma péssima analogia. Para ser uma boa analogia é preciso obedecer a três critérios: ser baseado em um número considerável se semelhanças; que essas diferenças sejam relevantes para a conclusão; e que não haja nenhuma diferença eticamente relevante. É obvio que pelo menos duas não são obedecidas, só há uma semelhança, o fato de terem dois pais do mesmo sexo, o que não pode ser considerado um numero considerável e ainda no caso de jesus são duas pessoas onde existe amor, mas não amor matrimonial como acontece com os casais homossexuais, por esta razão a ideia vai ser alvo de polémica uma vez que a homossexualidade não é muito bem aceite pela comunidade cristão e é vista como um


insulto a Deus. Este cartaz é extremamente falacioso tentando convencer o seu auditório recorrendo a diversas falacias como as que serão mencionadas. Acerca da homoparentalidade uma das questões é a possibilidade de a criança não crescer em condições ideais e está subentendido “jesus também tinha 2 pais” e era uma excelente pessoa, primeiro está presente a falacia do boneco de palha ou espantalho uma vez que reduz o problema da homoparentalidade em apenas um dos problemas, ou seja, é de certa forma ridicularizada a situação e diz-se “ele safou-se bem por isso..” e é aqui que entra outra falacia a post hoc ergo propter hoc, esta falacia consiste em dizer que x aconteceu depois de y logo y é a causa de x, ou seja, como Jesus é filho de pessoas do mesmo sexo e mais tarde é considerado por todos uma excelente pessoa assume-se que ter pais homossexuais gera filhos que são boas pessoa, , após esta falácia, mais uma para o conjunto, a generalização precipitada, através das conclusões retiradas do uso de todas as outra falacias conclui-se que como jesus teve dois pais e a adoção Falsa analogia Apelo á autoridade Generalização precipitada Espantalho post hoc ergo propter hoc


Análise retórica homoparentalidade