Page 1

contribuímos na elaboração das novas metas sempre

maximizar a produção e reduzir o custo

apontam a solução para resolver o problema melhor performance para a empresa

em busca de melhores resultados

um jovem determinado não se deixa abater

foi um grande aprendizado

Foto: Airton Ferreira de Oliveira Junior

empresas novamérica | novembro de 2013 • ANO XIII • nº 4

buscar um novo lugar ao sol

o que eu gosto de fazer está no campo


Faça a diferença

“Às vezes acontecem coisas que acabam tão bem que não poderíamos tê-las melhorado mesmo se tivéssemos planejado nossa vida com antecipação” Jay Elliot, no livro Steve Jobs - o estilo de liderança de uma nova geração.

Oportunidades e possibilidades

Welen Fernando Ferreira das Neves Gerente de Operações Agrícolas Unidade de Caarapó/MS 12 anos de NovAmérica

A NovAmérica vive um momento de mudanças contínuas, onde as oportunidades aparecem quando menos se espera, após um simples piscar de olhos. Com os projetos de expansão para as suas unidades de negócio, o novo começa a acontecer, e com ele estão surgindo novas ideias, novas pessoas e novos futuros. E cabe a cada um de nós irmos ao encontro dessas transformações e agarrar cada chance que nos é apresentada.

buscar um novo lugar ao sol

Nestes momentos de vide o verso, uma organização concede aos seus colaboradores, e também à comunidade, a grande oportunidade de as coisas darem certo, e são as pessoas que devem enxergam isto e buscar um novo lugar ao sol, seja adquirindo outros conhecimentos, almejando um novo posicionamento dentro da empresa ou mesmo identificando onde se pretende chegar e como deve ser feito.

Como diz Jay Elliot, a vida pode ser favorável, mas é preciso que as pessoas consigam entender e seguir junto com o que acontece positivamente. Crescer profissionalmente exige esforço pessoal, dedicação e um algo a mais, aquele detalhe que vai fazer a diferença e fazer com que a empresa e o mundo vejam você como você sempre quis.

Por isso, nesta edição, você encontrará histórias, projetos e ações das áreas da empresa e de colaboradores que conseguiram entender que a sorte só o é quando a aproveitamos, senão ela se torna azar. Boa leitura.

Welen Fernando tem 30 anos, é casado e tem dois filhos. Faz 12 anos que trabalha na NovAmérica e sua história traduz como as oportunidades só acontecem quando você as aproveita. Ele acaba de ser selecionado para atuar como gerente de Operações Agrícolas da unidade de Caarapó/MS.

NAíntegra O Jornal NA Íntegra é uma publicação bimestral das Empresas NovAmérica Agrícola Ltda., NovAmérica Agrícola Caarapó Ltda. e RRB Empreendimentos e Participações.

Projeto editorial

base_ Redação

Jaqueline Bueno Duda Siqueira Revisão

Sandra Leite Jornalista responsável Jaqueline Bueno • MTB 59.942

Jaqueline Bueno Supervisora de Comunicação 2 anos e 2 meses de NovAmérica

Fazenda NovAmérica, s/nº • Bairro Água da Aldeia Tarumã • SP • CEP 19820-000 comunicacao@novamerica.com.br /Grupo.Novamerica

www.novamerica.com.br

foi um grande aprendizado

“Naquele momento ninguém esperava uma supervisão, pois não havia possibilidade dentro de Tarumã. Eu já sentia que viria para Caarapó, e foi difícil inicialmente devido à mudança de região e de cultura, mas me adaptei. Nunca tinha trabalhado com movimentação rural nem com a área de logística, e foi um grande desafio montar uma estrutura nova. Foi um grande aprendizado, não sei como dimensionar em palavras, porque tivemos que crescer em pouco tempo, mostrando muito resultado. Tivemos que nos superar. Por isso, não me 2001. Foi contratado como auxiliar de irrigação, bem vejo sem a NovAmérica. Eu sou filho da NovAmérica, e isso já no final de safra, na unidade de Tarumã/SP. vem de berço. Meu pai está na empresa há 28 anos. 2002. Tratorista de preparo de solo, posteriormente

A NovAmérica contribuiu com as oportunidades, mas o que passou para o cargo de motorista de aplicação de insume fez crescer com essa velocidade foi a busca pelo apren- mos (antigamente chamado de frentista). dizado, muito esforço, garra e união de toda uma equipe. 2005. Tornou-se coordenador de Operações Agrícolas. Estou prestes a assumir o cargo de gerente, e isso é um 2007. Foi transferido para a unidade de Caarapó/MS, motivo de grande orgulho. O crescimento pessoal e profis- assumindo o cargo de supervisor de Operações Agrícosional será inevitável e necessário para que eu possa, junto las – Logística e Movimentação de Trabalhadores Rurais. com a equipe, atingir as expectativas da organização.


A proatividade é uma característica presente nos colaboradores da

riativo

inovação

NovAmérica, exemplos são apresentados todos os dias nas mais diversas áreas. A área de Manutenção em geral tem demonstrado como os funcionários gostam e acreditam no que fazem.

Foto: Equipe de Comunicação

Unidade de Tarumã/SP

Unidade de Caarapó/MS

Na unidade de Tarumã/SP, os diálogos diários de segurança (DDS) – uma das ferramentas mais eficazes na prevenção de acidentes – foram inovados e ganharam um novo jeito de ser feitos. O colaborador Rodnei Coutinho foi quem deu o primeiro passo inovador.

Um dos colaboradores da Agro Caarapó/MS desenvolveu um sistema de segurança e gerenciamento de compartimentos (motor e transmissão) para carregadeira com reaproveitamento de materiais (sensores e sirene) que acusam irregularidades durante o funcionamento.

“Quando eu comecei a participar da CIPA, estava vendo os pontos críticos, os detalhes onde aconteciam as coisas. Aí, eu estava pesquisando na internet e acabei trazendo uns vídeos pra eles perceberem o quanto esse tempo, por menor que seja, é importante. Apenas lendo o DDS eles se dispersavam e não prestavam atenção, e com o vídeo era diferente, eles entendiam melhor a orientação”, explicou Rodnei Coutinho da Silva Eletricista, mecânico, com seis anos de NovAmérica.

“O sistema alerta de maneira luminosa e auditiva o operador, fazendo com que ele tome ações imediatas, como a parada do equipamento, impedindo-o de danos maiores”, comentou Ueverton Sekimura, eletricista de Manutenção Automotiva e responsável pelo projeto, há quatro meses na empresa.

Seguindo o exemplo, João Nalia, mecânico, adotou a mesma técnica, e seus colegas de trabalho passaram a compreender melhor e, consequentemente, a agir com mais cautela. “Com os vídeos, percebo que consigo prender a atenção do pessoal com mais facilidade, e sinto que com o conteúdo sendo passado de forma mais lúdica e divertida eles entendem melhor a mensagem que queremos passar”, contou. Outra forma inovadora do DDS foi sugerida pelo ex-atleta, hoje mecânico, Alexandre Rodrigues Alves, que, após ouvir as queixas de dores dos seus colegas de trabalho, sugeriu para a área de Segurança do Trabalho que a ginástica laboral fosse aliada às orientações. “Como pratico esporte há muito tempo, sei o quanto a atividade física ajuda no condicionamento físico, no trabalho e no dia a dia em geral. Percebi que a maioria dos colaboradores gostou da minha ideia, muitos passaram a não sentir mais dores, a ter mais flexibilidade e a realizar suas funções aqui na mecânica com mais facilidade após iniciarmos as atividades.”

“O método elaborado faz com que não se torne necessária a aquisição de produtos presentes no mercado para executar a mesma função com custos bem maiores. Essa ação gera também ganhos futuros, pois o sistema impede grandes quebras do equipamento”, explicou Danilo Pimenta, coordenador de Manutenção Automotiva, há seis anos na NovAmérica.

apontam a solução para resolver o problema

Essa mudança proporciona conforto ao operador, que pode executar suas funções com mais atenção e maior rendimento. E, para a empresa, a ação resulta em menores custos com manutenção e maior disponibilidade do equipamento.

João Nalia Mecânico Manutenção Automotiva Unidade de Tarumã/SP 7 anos de NovAmérica

Alexandre R. Alves Mecânico Manutenção Automotiva Unidade de Tarumã/SP 6 anos de NovAmérica

Estamos percebendo um amadurecimento de nossos colaboradores. A postura está muito diferente, e em vez de justificarem um erro quando vamos fazer a auditoria, eles reconhecem e apontam a solução para resolver o problema. Isso nos deixa muito felizes e orgulhosos de podermos contar com todos para o crescimento. Fabiana Belizário, técnica de Segurança do Trabalho e responsável pela área.

Danilo Pimenta Coordenador Manutenção Automotiva Unidade de Caarapó/MS 6 anos de NovAmérica

Ueverton Sekimura Eletricista Manutenção Automotiva Responsável pelo Projeto 4 meses de NovAmérica


um jovem determinado não se deixa abater

Ana Carolina Gerônimo da Silva Aprendiz da Área Pessoal Unidade de Caarapó/MS 4 meses de NovAmérica

Porque a vida é assim Às vezes, muitos jovens com vontade de trabalhar não conseguem arrumar um emprego de boa qualidade, que lhe proporcione o melhor e que o faça se preocupar com o futuro. Muitos não sabem o que fazer, a quem recorrer, e várias perguntas passam pela cabeça, mas o importante é sonhar e buscar realizar os sonhos. Ultimamente se exige muito para entrar no mercado de trabalho, e muitos desses jovens não pensam nessa questão. Quando percebem, já é tarde e, então, começam a ficar insatisfeitos com as poucas coisas que con-

seguem e a pensar que não é isso que eles querem para sua vida, assim procuram melhorar e garantir que seu futuro seja diferente daquele que sempre viveram. Vão existir muitas pessoas que irão querer derrubá-los, acabar com as poucas esperanças que ainda lhes resta, porque existem jovens muito inseguros sobre suas decisões e atitudes. Mas um jovem determinado não se deixa abater nem se levar por poucas coisas nem por pessoas, pois busca melhorar a cada dia e alcançar seus objetivos.

Por isso, a esperança é a última que morre, e não será uma simples palavra que destruirá os sonhos de um jovem. Lute, tenha esperança, coragem, e o principal: acredite em você, pois só você terá o poder de desenhar o seu futuro, e ninguém poderá apagá-lo.


Rumo à excelência Com a participação efetiva dos gestores das duas unidades de negócio, as Empresas NovAmérica realizaram o III Encontro de Gestão, nos dias 13 e 14 de setembro, em Pirapozinho/SP. Cerca de 120 colaboradores, mais diretores e acionistas elaboraram novos desafios a serem alcançados no decorrer dos próximos sete anos pela companhia. Rumo à excelência foi o tema escolhido para esta edição. No primeiro dia de evento, Carlos Martins, diretor de Fornecedores de Cana e Parcerias Agrícolas da Raízen, apresentou as projeções da indústria para os próximos anos, englobando a NovAmérica. Os participantes também assistiram à palestra “Equipes de Alta Performance”, com Paulo Alvarenga. No segundo dia, os participantes foram divididos em cinco grupos específicos para definição das ações para atingirem as metas estipuladas. Para Sidmar Lourenço, coordenador de Operações Agrícolas da unidade de Tarumã, a participação da equipe de campo contribuiu significativamente para a estratégia.

Fotos: Duda Siqueira

“Foi muito importante, principalmente para quem nunca tinha participado. Pudemos entender como funciona a parte da estratégia, do planejamento e ainda contribuímos na elaboração das novas metas, assim será possível fazer os demais colaboradores entenderem sobre o nosso objetivo, que é ser referência no setor”, explicou. “Nós estamos confiantes nos investimentos que serão feitos, buscando crescimento e excelência. Apesar do momento de crise do setor, nós acreditamos que são nestes momentos que as oportunidades aparecem”, afirmou Fábio de Rezende Barbosa, superintendente da NovAmérica.

contribuímos na elaboração das novas metas


Estratégia Financeira voltada ao campo e ao desenvolvimento do negócio

melhor performance para a empresa

Segundo a equipe, a expectativa para este ano é que os programas Prorenova e FCO liberem recursos para implantação e renovação de canavial em 8.760 hectares. Porém para o próximo ano, o desafio é ainda maior, a previsão de captação é para um investimento em torno de 15.280 ha, sendo 6.680 ha na unidade de Tarumã e 8.600 ha na unidade de Caarapó, visando a expansão e manutenção dos negócios. Os projetos de expansão para as empresas NovAmérica precisam de atenção especial da área financeira, e para suportar esse crescimento, a equipe está focada nas operações de captação de recursos. Isto é preciso para capitalizar (colocar dinheiro em caixa) a empresa com recursos necessários para o desenvolvimento das atividades operacionais e de apoio. O foco principal, no entanto, está nas captações para aquisição de máquinas e equipamentos e implantação e renovação de canaviais.

O acesso a esses recursos financeiros ocorre por meio do enquadramento das operações de acordo com as linhas de financiamentos disponíveis no mercado, mas para isso a empresa precisa estar com todas as suas obrigações em dia, como o recolhimento de impostos, boas práticas socioambientais, entre outras. Além disso, o processo para o pedido ser aceito leva tempo, por isso o trabalho realizado é detalhado, seguindo os critérios exigidos pelas linhas Finame (Financiamento de Máquinas e Equipamentos) e Prorenova (Programa de Apoio à Renovação e Implantação de Novos Canaviais). Todo o trabalho feito pela área interfere na disponibilidade de caixa, ou seja, toda decisão tomada e financiamento conseguido colaboram com o melhor andamento e com o crescimento das empresas.

Esses recursos são subsidiados pelo BNDES. De acordo com a analista financeira, Caroline Regazzini Santos, no ano passado a linha para aquisição de máquinas e equipamentos estava taxada a 2,5% ao ano, a menor taxa dos últimos anos. “É uma forma de fomentar a renovação dos equipamentos para ganho de produtividade e eficiência, gerando incentivo para a economia do país e melhor performance para a empresa por meio da renovação de sua frota. As taxas de juros são atrativas e a forma de pagamento é a longo prazo (em torno de cinco a seis anos).” Nesta safra, com o Finame, a NovAmérica já adquiriu 62 máquinas e equipamentos, no valor total financiado de mais R$ 11 milhões na unidade de Tarumã. Em Caarapó foram pouco mais de R$ 8 milhões para o mesmo fim. Na safra 12/13 também foram liberados recursos para implantação e renovação de 7.573 hectares, sendo 6.078 hectares em Tarumã e 1.495 hectares em Caarapó, por meio da linha Prorenova.

Lara Gonçalves de Pádua Analista Financeira Unidade de Tarumã/SP 10 anos de NovAmérica

Foto: Equipe de Comunicação

“Existe ainda outra linha de crédito, o Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), específica para o Centro-Oeste e voltada para renovação/expansão do canavial e manutenção de soqueira, neste caso, disponível somente para a unidade de Caarapó. Na safra 12/13, a área financeira da NovAmérica liberou recursos para esta linha em um projeto que contemplou o plantio de 7.110 hectares”, completou Lara Gonçalves de Pádua, analista financeira. As linhas Finame, Prorenova e FCO são os principais meios que as empresas NovAmérica utilizam para viabilizar suas operações. No entanto existem linhas secundárias, como Custeio e Crédito Rural, que também colaboram para a sustentação dos negócios. Atualmente está em estudo pela área financeira a linha INOVAGRO (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária), mais uma oportunidade de trazer novas tecnologias para o campo.

Caroline Regazzini Santos Analista Financeira Unidade de Tarumã/SP 7 anos de NovAmérica


operações agrícolas

sob o meu olhar

Airton Ferreira de Oliveira Junior Motorista Canavieiro  Unidade de Caarapó/MS 3 anos de NovAmérica


Desenvolver e gerar

oportunidades

Contribuindo com os resultados estratégicos da empresa, está em andamento o Programa de Desenvolvimento Operacional para desenvolvimento das ações para aprimorar os conhecimentos operacionais dos colaboradores, melhorando a performance, promovendo o plano de carreira e fortalecendo a retenção desses profissionais.

CAPTAÇÃO DE MÃO DE OBRA

FORMAÇÃO DE MÃO DE OBRA

É um subprograma que servirá para criar estratégias que possam suprir a carência de mão de obra na região, envolvendo os municípios próximos à empresa e buscando a inclusão de mão de obra feminina no quadro de colaboradores. Essa inserção feminina no campo teve início na unidade de Caarapó/MS nesta safra 13/14 com a contratação de 19 mulheres nos cargos de auxiliar agrícola nas áreas de Colheita Mecanizada, Controle de Pragas e Aplicação de Vinhaça. Graziela de Araújo tem 30 anos e sonha em ser motorista canavieira. Está na empresa há cerca de três meses. “Nasci em fazenda e sempre gostei de mexer com agricultura, por isso resolvi fazer cursos na área para me desenvolver. Fiz alguns cursos, como o de Operador de Colhedora de Cana-de-Açúcar e Transporte de Produtos Perigosos (Mopp). Também alterei a minha carteira da habilitação, passando para a categoria D. Essa experiência está sendo maravilhosa, os outros funcionários me ajudam muito e estou aprendendo cada dia mais”, vibrou.

o que eu gosto de fazer está no campo

Analice de Oliveira Castro Ferreira, 28 anos, fez o curso de Mecânico de Máquinas Agrícolas e depois quer cursar Tecnologia em Agronegócio. Começou como auxiliar, e a partir deste mês irá ocupar o cargo de tratorista. “Deixei de trabalhar de operadora de caixa em um supermercado para entrar na NovAmérica, porque o que eu gosto de fazer está no campo. No bloco onde trabalho, os outros funcionários dão oportunidade para eu aprender, e o nosso supervisor é bem consciente e pensa em nós. Eu não tenho medo de perguntar. Agora meu sonho é ser operadora de colhedora e quem sabe uma futura coordenadora”, acredita.

São formações teóricas e práticas com os colaboradores e com a comunidade para qualificar a mão de obra, minimizando a dificuldade de contratação e fortalecendo a transferência de conhecimento. Um grupo de colaboradores especialistas nas determinadas operações realiza o módulo prático no campo, transferindo seus conhecimentos. Esta ação foi chamada de PROGRAMA DE MULTIPLICADORES INTERNOS. O motorista canavieiro Vagner Domingos Vieira trabalha há três anos na unidade de Caarapó e atua como monitor deste programa na área de Logística. Ele se dedica integralmente ao treinamento e desenvolvimento de outros funcionários no início da safra e esporadicamente durante a safra.

“Já ajudei no desenvolvimento de 80% dos motoristas da unidade de Caarapó. Tenho satisfação de fazer esse trabalho, ver as pessoas crescendo e despertá-las para uma nova realidade profissional. Pretendo continuar fazendo isso, porque para mim é um desafio e me faz buscar mais conhecimento, assim cresço como pessoa e como profissional”, contou. Na últimas duas safras, cerca de 200 profissionais já foram formados como coordenadores, tratoristas, colhedores, motoristas, borracheiros e lubrificadores. Para a safra 14/15, serão iniciadas as novas formações de auxiliares agrícolas e mecânicos.

Vagner Domingos Vieira Motorista Canavieiro Logística Unidade de Caarapó/MS 3 anos de NovAmérica

Rogerio de Paula Silva Tratorista Operações Agrícolas Unidade de Tarumã/SP 2 anos e meio de NovAmérica

O tratorista Rogério de Paula Silva trabalha há dois anos e meio na Agro Tarumã e afirma que, ao mesmo tempo em que as oportunidades são dadas pela empresa, cada colaborador deve fazer sua parte. “Não é porque eu entrei como tratorista que tenho que ser só isso, já fiz escolinha para colhedora, curso técnico em Segurança do Trabalho e consegui fazer estágio na área durante o período de entressafra. Hoje estou cursando superior em Processos Gerenciais e sei que minha hora vai chegar”, acredita Rogério.

ACOMPANHAMENTO OPERACIONAL Um técnico de desenvolvimento operacional identifica as necessidades de melhorias e os pontos positivos do processo, permitindo o aprimoramento dos conhecimentos padrões de operação. Isso otimiza os conhecimentos adquiridos na teoria e a aplicabilidade na prática.


A BASE DO NEGÓCIO »»mercado »»estimativas »»custos »»área (terras) »»opex investimento na renovação de frota ou lavoura

Incentivo A área de Herbicida e Controle Químico da unidade de Tarumã tem capacitado os colaboradores (frentistas, tratoristas e auxiliares de aplicação de insumos), visando ampliar os conhecimentos agronômico e operacional, o entendimento das operações em que atuam, o aumento de qualidade dos serviços prestados e as prevenções de quebra dos maquinários. “Buscamos valorizar o funcionário em seu ambiente de trabalho e sua importância nas realização de suas atividades. A importância do conhecimento dos produtos aplicados e da tecnologia de aplicação está intimamente relacionada à qualidade da aplicação e ao controle de plantas daninhas, visando maximizar a produção e reduzir o custo”, comentou Vitor Simionato Bidóia, engenheiro-agrônomo da área.

»»capex novos investimentos expansão »»tecnologia

maximizar a produção e reduzir o custo

»»pessoas

Combustível

PROCESSOS AGRÍCOLAS »»preparo de solo

ONIBUS

»»plantio »»tratos culturais »»colheita

Pessoas

Tecnologia

Capex

Opex

Área

Custos

Estimativas

Mercado

»»transporte

base de sustentação do negócio

Cadeia de Valores Ao lançar esta ilustração, a NovAmérica espera que seus colaboradores, fornecedores e clientes se vejam e entendam a importância de cada um em todo o seu processo produtivo. Esta cadeia de valores representa as áreas e as principais atividades na produção da cana-de-açúcar da empresa.

ÁREAS DE APOIO »»administrativo »»manutenção automotiva »»almoxarifado

PÚBLICO (stakeholders) »»fornecedores »»clientes »»comunidade »»governo

Foto: Letícia Pais

O treinamento está divido em módulos: Controle de Plantas Daninhas e Conhecimento de Herbicidas e suas Ações, Mecanismo de Ação dos Herbicidas, Tecnologia de Aplicação e Tendências de Inovação, Mecânica dos Equipamentos pulverizadores, Segurança do Trabalho e Treinamento Comportamental. E estão sendo ministrados pelo supervisor Roberto Dias e pelos coordenadores Antonio Teodoro, Humberto Congio e Valdir de Oliveira.


Vai uma dica para deixar show as fotos da viagem: a famosa “Regra dos terços”. É uma dica simples de enquadramento, mas que potencializa as suas fotos e as deixa com um toque profissional. Ela nos força a tirar o assunto principal do centro da foto, criando movimento.

Figura 4

Foto gra fia fácil

Figura 1

Figura 3

Em 2006, quando eu cursava pós-graduação, logo no início da primeira aula sobre Técnicas Fotográficas , o professor lançou a frase: “Esqueçam a técnica fotográfica, fotometria, diafragma, obturador... Hoje as câmeras fazem tudo automaticamente para nós... Não importa mais COMO fotografar e sim O QUE fotografar”.

Por Fabrizio Zini Fotógrafo profissional

Claro que, tirando certo exagero da frase, muito da técnica que estudávamos antigamente agora vem embutida nos softwares e nos programas das câmeras ultramodernas. Afinal, quem, ainda hoje, pensa na fotometria? E no foco? E quem precisa de Photoshop quando se tem softwares como Instagram ou Snapseed à mão, o melhor na ponta dos dedos?

Pensando nisso, resolvi trazer para este espaço no Jornal NA Íntegra dicas fáceis e rápidas para quem quer fotografar melhor, desde sua viagem de lazer, o aniversário de um filho ou amigo, o cachorro ou mesmo a beleza do nosso cotidiano. São dicas de enquadramento e composição, algo que mesmo os softwares e câmeras ultramodernos nunca vão fazer sozinhos... E, no final, forneço também dicas de alguns dos aplicativos mais bacanas para celulares.

Basta imaginar duas linhas dividindo o quadro em três partes iguais, tanto na vertical quanto na horizontal. (Fig. 1). Formam-se, assim, quatro pontos onde essas linhas se cruzam. Estes pontos são chamados “pontos fortes”. Procure sempre colocar o assunto ou um detalhe importante da foto em um ou mais desses pontos. (Figs. 2 e 3). E se estiver fotografando uma paisagem, não deixe a linha do horizonte no meio da foto. Escolha sobrepô-la a uma das duas linhas horizontais. Se bem que isso depende do que você está fotografando e como está o céu: geralmente o horizonte ficará na linha de cima, mas caso o céu esteja particularmente espetacular, use a linha de baixo... Inclui-se nesse caso o pôr do sol. (Figs. 4 e 5)

pontos fortes Figura 5

E para finalizar, algumas dicas de aplicativos para você que, como eu, fotografa cada vez mais com o celular. • Para as fotos retangulares que não cabem no Instagram: Squaready deixa tudo quadradinho. • Para deixar as fotos lindas, maravilhosas, corrigindo cores, contrastes, nitidez, etc.: use o poderoso Snapseed. • Para fotografar como se fosse uma câmera antiga, trocando filme e lente: Hipstamatic. • A câmera anterior está muito lerda: transforme suas fotos em retrô com Pixlr-o-matic.

Figura 2

E lembre-se: regras foram feitas para serem seguidas... e quebradas! Nem tudo se encaixa na regra dos terços. (Fig. 6)

• Para quem quer imprimir as fotos do Instagram em ímas e colar na geladeira: Stickygram (https://stickygram.com). • E quem quer apenas imprimir as fotos de um jeito fácil e rápido, sem sair do celular: Printstagram (https://printstagr.am). Figura 6


Tradição é como uma boa história.

Uma festa para o Divino

Deve ser transmitida com carinho, de geração em geração.

E não é que, mesmo apaixonado, Antônio ficou todo encabulado e permaneceu tão imóvel quanto sua vara à espera do lambari? A menina, sem jeito, desfez o sorriso e seguiu viagem até sumir na paisagem. Ainda mais sozinho que antes, Antônio afundou os olhos no rio e pensou alto:

Tão alto ele anunciou seu desejo que até a pombinha que cruzava o céu pôde ouvir. Chegando em casa, Antônio encontrou seu tio no portão despedindo-se de sua mãe: - Maria, pede para o Divino ajudar você. Ele realiza até o que parece impossível.

Para o Antônio, o santo e o menino.

Escrito por Flavia Figueiredo

A tarde do domingo estava quente e uma brisa tranquila refrescava a paciência de Antônio na pescaria. Ele aguardaria horas até que um lambari finalmente mordesse a isca e ele pudesse voltar orgulhoso para casa. O menino gostava de ir pescar na beira do rio, mas não gostava de se sentir só.

Para conhecer esta e outras histórias, acesse www.radiocrianca.com

O sorriso mais doce que Antônio já viu.

- Se eu encontrasse aquela menina mais uma vez, daria a flor mais bonita de todos os campos para ela!

Ler para uma criança é mais importante do que você imagina. É o adulto quem apresenta o mundo e a linguagem estrita para ela. Por isso, não importa a idade, quanto antes os pequenos pegarem gosto por uma boa história, melhores leitores e escritores eles serão no futuro. Se você tem filhos ou conhece alguma criança, pegue esta história e faça o teste: leia em voz alta e conduza a criança por uma viagem pela cultura do nosso paîs, através da própria imaginação. Com certeza, ela sempre vai se lembrar com carinho do assunto proposto e se interessar cada vez mais pelas histórias do seu povo.

Ilustração: Nathalia Resende

Antônio tentou colher uma flor para ela. Mas antes que pudesse alcançar alguma, a menina se aproximou e sorriu.

Ouvindo aquela prosa, Antônio quis saber quem era esse tal de Divino, talvez ele pudesse ajudá-lo a encontrar a menina. E correu atrás do tio. - O Divino é mesmo muito poderoso, disse o tio. E tudo que você pede, ele traz a mais. - E como eu faço para falar com o Divino?, perguntou o menino. - Ora, por que você não vem com a gente arrecadar esmolas para a festa dele?, convidou o tio. - Ele vai fazer uma festa?, perguntou Antônio todo animado.

E foi pensando nisso que Antônio, naquela tarde, arrumou companhia. Na outra margem do rio, uma menina com um esvoaçante vestido azul apareceu colhendo flores. Ela escolhia uma a uma e, com todo cuidado, as colocava em uma cesta. Eram as mais bonitas que Antônio já viu. As flores e a menina. Se não fosse seu coração agitado ele até poderia dizer que o mundo tinha parado.

- Não, disse o tio, é o povo quem faz a festa para ele. - Então eu também vou ajudar! Assim, quem sabe, ele me atende, respondeu Antônio, esperançoso. No dia seguinte, Antônio saiu a cavalo com o tio e os outros da Folia do Divino, como eram chamados. Eles viajaram por muitos dias, cruzando rios e montanhas, levando uma bandeira vermelha cheia de fitas coloridas e uma delicada pombinha de madeira no topo do mastro.

A Folia do Divino ia parando de casa em casa. Eles entravam cantando e rezando, pedindo para o Divino proteger aquelas famílias. Logo formava uma fila de parentes e amigos para beijar a bandeira. Alguns faziam até nozinhos nas fitas coloridas para o Divino não esquecer de seus pedidos! O melhor vinha depois da reza. Serviam uma comida gostosa, feita com carinho e muita fartura. O Divino era mesmo respeitado. Era só mostrar a bandeira e falar em nome dele que eles eram sempre bem recebidos. E o menino ficou surpreso com as doações. Porco, vaca, sacas de arroz... Seria mesmo uma festa e tanto! E vendo toda aquela gente falar no Divino, Antônio começou a se interessar cada vez mais por essa história. - A festa começou há muitos anos, Antônio, lá em Portugal., contou o tio. Foi ideia de uma rainha muito generosa chamada Izabel. Para agradecer ao Divino por ter salvo seu reino da peste e da fome, ela fez uma grande festa distribuindo comida e bebida à vontade para o povo. A festa virou tradição. E a rainha, depois que morreu, virou santa. Mal seu tio terminou a história, Antônio já tinha pulado do cavalo e colhido uma flor para a menina. E para fazer bonito na festa do Divino, aprendeu a cantar as rezas, tocar triângulo, caixa e até arriscou alguns acordes na viola do tio.

Seu Bento, também em cantoria. Cada um carregava um santo em uma cesta de flor. Antônio, que estava com os olhos arrastados no chão, acordou com o disparo do coração. A menina também vinha trazendo sua cesta de flores com um dos santos. Ele sentiu uma alegria tão grande que data até vontade de chorar e respondeu em coro emocionado: -Viva São Benedito! Viva! - Viva São João! Viva! - Viva Santa Clara! Viva! - Viva Nossa Senhora de Fátima! Viva! Os grupos se encontraram e ela parou bem ao seu lado. Mas, dessa vez, foi Antônio quem sorriu primeiro. E sem pensar duas vezes, colocou a mão no bolso para lhe entregar a flor, que perdeu no caminho. Antônio ficou desconcertado. Agora, diante da menina, não poderia cumprir sua promessa. Foi quando bateu um vento e as flores caíram da cesta. Eram as flores mais bonitas de todos os campos. Antônio se agachou, juntou as flores e entregou o buque à menina que, de tão agradecida, lhe deu um beijo no rosto. O menino parecia ter batido asas e só voltou ao chão para perguntar o nome dela. - Izabel, respondeu. Nome da rainha santa! Lembrou Antônio da história de seu tio.

Mas depois de dias peregrinando, passando por todos os vilarejos, Antônio começou a achar que seria impossível encontrar a menina.

- E o seu?, perguntou Izabel.

Antônio perdeu a esperança e a flor, que caiu do seu bolso.

A menina olhou para o santo na cesta, que também tinha o mesmo nome, e achou graça.

No último dia da viagem eles chegaram na fazenda do maior festeiro da região. Seu Bento costumava chamar a cidade toda para a Festa do Divino. Como manda a tradição, eles deixaram os cavalos na porteira, se organizaram em filas e entraram cantando. Seu tio na frente levando a bandeira. Lá da casa, vinham a família e os amigos de

- Eu sou o Antônio, respondeu tão vermelho quanto a bandeira do Divino.

- Que bom, Antônio, graças ao Divino a gente ainda vai se encontrar muitas vezes. Ouvindo aquilo o menino explodiu de felicidade, como os fogos de artifício cobrindo a noite de estrelas coloridas. Antônio agradeceu ao Divino. E a pombinha, que observava tudo lá de cima do mastro, piscou para ele, retribuindo.


selo de qualidade

Manutenção preditiva

Aplique Bem

É a execução da manutenção no momento adequado, antecipando e prevenindo a ocorrência de falhas, desgaste ou deterioração por meio do monitoramento do equipamento em uso.

O Instituto Agronômico de Campinas (IAC) premiou a unidade de Caarapó com o selo de qualidade Aplique Bem pelas boas condições dos equipamentos e implementos de aplicação de herbicida, pelo treinamento dos operadores para a operação e também pela utilização correta dos EPIs (equipamentos de proteção individual). O reconhecimento ocorreu em junho depois de algumas avaliações. Foi realizado checklist e avaliados os componentes do Uniporte 035062, como manômetro (pressão), fluxômetro, regulagem por seção da barra, filtros (malhas), pontas de aplicação (bicos apropriados), tipos de gotas e demonstrações (por meio de papel hidrossensível) com vazões e bicos diferentes.

sempre em busca de melhores resultados

De acordo com Evandro Marcos Zamperlini, supervisor de Operações Agrícolas, a equipe responsável por este trabalho está sempre em busca de melhores resultados. “Isto está sendo possível graças ao comprometimento da equipe de aplicação de insumos (herbicida), que, além do rendimento operacional, preza e busca a excelência em qualidade de aplicação, aproveitando todo o potencial tecnológico do equipamento, respeitando as limitações dos produtos de acordo com o posicionamento técnico e adquirindo conhecimento e experiência por meio de treinamentos e troca de informações”, garante.

Segundo Douglas Carmanhan, engenheiroagrônomo e instrutor do programa, somente as máquinas em condições adequadas de uso são premiadas. “Nos últimos dois anos, esta unidade móvel visitou aproximadamente 370 unidades produtoras de diversas culturas (cana, cereais, pastagem, hortifrúti, laranja, etc.) e foram distribuídos apenas quatro selos de qualidade contando com o da NovAmérica, sendo o primeiro selo do Mato Grosso do Sul em cana-de-açúcar”, afirmou. “Em 2010 a unidade de Caarapó já passou por esta avaliação e, por poucos itens que não estavam em conformidade, não obteve a certificação. Tendo em vista a rigorosidade da avaliação, ficamos orgulhosos com o resultado deste ano e com a certeza de que estamos fazendo uma aplicação dentro dos parâmetros técnicos, colocando o produto no alvo, fato indispensável para resultados satisfatórios”, finalizou Adilson Cardeal dos Santos, supervisor de Planejamento e Desenvolvimento Agronômico.

Foto: Equipe de Comunicação

voca bulá rio compartilhando palavras

Sua finalidade é aumentar a vida útil do equipamento. Exemplo de manutenção preditiva utilizada na NovAmérica: Análise de óleo

Contabilidade Societária Tem foco principal na “prestação de contas” aos usuários internos (sócios e administradores) e externos (bancos, clientes, fornecedores, colaboradores, etc.) da organização. Demonstra a situação patrimonial, o desempenho econômico-financeiro por meio das demonstrações financeiras (Balanço Patrimonial, Demonstração de Resultado e Demonstração de Fluxo de Caixa).

Contabilidade fiscal É destinada ao relacionamento entre a empresa e o fisco (governo). Cuida de apurar, pagar e declarar os tributos, mantendo o relacionamento entre empresa, o município, estado e União.

Paulo Ricardo Pereira Silvestre

Vagner Ventura

Engenheiro-Agrícola Manutenção Automotiva Unidade de Caarapó/MS 10 meses de NovAmérica

Analista Contábil Contabilidade Unidade de Tarumã/SP 13 anos de NovAmérica


nossas próximas páginas ainda estão em branco compartilhe com a gente suas histórias, dicas e demais conteúdos que tenham valor para você

Jornal NA Íntegra Envie um e-mail para comunicacao@novamerica.com.br ou procure a Área de Comunicação.

Edição N7  

Jornal NAÍntegra Edição N7

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you