Page 140

biologia evolutiva do desenvolvimento Interruptores genéticos Levanta-se uma questão pertinente a partir do momento em que se sabe que a forma de espécies muito distintas e com uma estrutura corporal radicalmente diferente é determinada por um pequeno conjunto básico de genes: se os seres humanos partilham estes genes com moscas e ratos, porque não exibem asas, antenas e segmentos, ou bigodes e caudas? A resposta a esta questão parece estar relacionada com uma espécie de «interruptores genéticos» que activam, ou não, os genes. Alguns deles são proteínas denominadas factores de transcrição que se ligam a sequências chamadas promotores ou enhancers, que rodeiam os genes e fazem aumentar ou diminuir a sua acção. Outros são controlados pelos 98% do genoma que não se encontra envolvido na síntese de proteínas, os segmentos do chamado ADN lixo, que parece desempenhar um papel fundamental na activação ou inacção dos genes. A tarefa dos genes Hox e dos outros genes presentes na caixa de ferramentas consiste em accionar sistemas destes interruptores em determinadas células, de acordo com as suas posições no organismo. Por seu turno, estes sistemas determinam que genes são activados e quais permanecem inactivos. Todos os neurónios das células do fígado, dos ilhéus pancreáticos e dos neurónios da dopamina contêm o mesmo software genético, sendo contudo activados programas especializados deste software em cada tipo de célula. A alteração destes padrões de expressão génica explica igualmente como os mesmos genes podem dar origem a resultados tão distintos em organismos diferentes. A diversidade das espécies deve-se, em grande parte, à maneira como os mesmos genes são usados de modo idiossincrático. Entender como tão poucos genes humanos, cerca de 21 500, conforme revelado pela sequenciação do genoma, se revelam suficientes para criar um organismo tão sofisticado, constitui um enigma que a alteração dos padrões de expressão génica veio ajudar a resolver. A complexidade do ser humano advém apenas parcialmente de genes que contêm instruções para sintetizar proteína exclusivas da espécie humana. A biologia evolutiva do desenvolvimento permite-nos saber que o sistema intrincado de interruptores que dirige esta orquestra genética é pelo menos tão importante como os genes produtores de proteínas, se não for mais.

a ideia resumida Os genes constroem corpos e células

139

50 ideias genética que precisa mesmo de saber mark hernderson  
50 ideias genética que precisa mesmo de saber mark hernderson  
Advertisement