Page 113

112

reprodução, história e comportamento

28 A extinção dos homens?

Bryan Sykes: «O cromossoma humano Y está a desaparecer perante os nossos olhos.» O cromossoma Y é o elemento mais pequeno do genoma humano. Enquanto o cromossoma X, seu congénere, contém mais de 1000 genes, incluindo muitos que são fundamentais para o metabolismo de ambos os sexos, o Y tem menos de 100 genes. Em tempos foi igual ao X, mas desde que, há cerca de 300 milhões de anos, começou a mudar, veio progressivamente a diminuir e hoje possui menos informação genética do que qualquer outro cromossoma. Os cromossomas 21 e 22 têm uma dimensão mais pequena, mas cada um deles contém muitos mais genes. Além disso, o cromossoma Y anda sempre sozinho. O cromossoma X agrupa-se em pares no organismo feminino, mas o Y tem uma vida solitária no organismo masculino. Do ponto de vista médico, esta existência isolada pode ser perigosa. Como as mulheres têm dois cromossomas X, um dos quais está inactivo em cada célula, é como se houvesse um cromossoma sobresselente se ocorrerem mutações num dos genes. Se isto acontecer num cromossoma essencial, como o gene da distrofina envolvido no desenvolvimento muscular, o outro cromossoma X consegue compensar os danos e a mulher continua a ser saudável. Os homens não têm a mesma sorte. O segundo cromossoma sexual é o Y, praticamente desprovido de genes, não podendo beneficiar de um sistema sobresselente. Se o cromossoma X solitário der origem a um gene mutado da distrofina, o resultado é a distrofia muscular de Duchenne, fraqueza muscular progressiva que atira as crianças do sexo masculino para cadeiras

Cronologia Há cerca de 300 milhões de anos

1905

Separação entre os cromossomas humanos X e Y

Descoberta dos cromossomas sexuais

50 ideias genética que precisa mesmo de saber mark hernderson  
50 ideias genética que precisa mesmo de saber mark hernderson  
Advertisement