Page 1

Moda Música Fotografia Brasilidade Comunicação


Por que falar de Brasil? Por que falar de Brasil é exercitar a criatividade, será que alguém já parou para pensar em apenas uma coisa que define a identidade brasileira? É Impossível, por que o Brasil é um mosaico de culturas e influências. Faço um convite aos leitores, na verdade, é um desafio! Em vez de usar padrões ou tendências do exterior, vamos explorar essa mistura de tudo que temos aqui e criar o nosso padrão, mas sem precisar impor, pois assim o encanto se acaba. É com grande satisfação que apresentamos a revista IB, um projeto em paralelo ao evento Identidade Brazuca, que acontece uma vez por ano na cidade de Goiânia, trazendo moda, música e fotografia com temas brasileiríssimos. A primeira edição da revista e a terceira edição do evento Identidade Brazuca trazem os 200 anos do lendário setor de Goiânia, Campinas, ou melhor, Campininha! Todo mundo tem uma história para contar de Campininha, vamos conferir?


Início Colaboradores - p. 4 Fotografia por Lizandra Olavrak -p. 5 Editorial de Moda - p.14 Moda 2.0 - p. 30 UEG Mostra Moda - p. 33 Com que roupa eu vou? - p. 37 Empreendedor Individual - p. 39 Passeio Fotográfico por Campininha - p. 41 Registros - p. 43 Café Filosófico - p. 52 140 Caracteres - p. 53 Por Dentro - p. 54 Expediente

A Revista IB é uma publicação que pertence ao evento Identidade Brazuca, que acontece anualmente em Goiânia - Goiás - Brasil Coordenação Nadima Chalup Ribas e Tamires Barros Colaborou na edição Emiliana Daris, Juliana Menezes Fotografia Beta Ferrão, Lizandra Olavrak, Tradução Nadima Chalup Ribas Circulação: Revista virtual, disponível no site www.revistaib.blogspot.com. Periodicidade: Trimestral (contando com a edição especial que é publicada na Internet no dia do evento Identidade Brazuca) - Bilíngue Português/Inglês. Público Alvo: Empresários; jornalistas e blogueiros; estudantes/acadêmicos; profissionais ligados à moda, música e fotografia; Pessoas que se interessam por novidades relacionados à cultura, moda, fotografia. Capa: Thamara Gomes (modelo), Juliana Tereza (estilo), Beta Ferrão (fotografia). Contato: identidadebrazuca@gmail.com / +55 (62) 92997554 (Nadima) / 96979609 (Tamires) www.identidadebrazuca.com.br www.identidadebrazuca.blogspot.com www.revistaib.blogspot.com


Beta Ferrão Estudante de turismo e fotógrafa. Participa da revista IB como fotógrafa do editorial com os designers do Identidade Brazuca.

Emiliana Daris Formada em Administração, foi estagiária do Sebrae/GO durante 2 anos nos projetos de Confecção e Calçados, atualmente é terceirizada da instituição atuando como Agente de Orientação Empresarial.

Juliana Menezes Estudante do 8º período de Relações Públicas da UFG. Trabalha com gestão de estratégias digitais e monitoramento de mídias sociais. É super consumista, ama Gossip Girl e é futura sócia do Roberto


Quando criança morei em campinas, mas dessa época não tenho lembrança, além de um borrão de como era a casa em que morava, deve ter sido mais ou menos no ano de 1984, Em 1997, estava morando novamente em território goiano, não mais em Goiânia, em Trindade, mas sempre estava indo a campinas, e achava estranho quando as pessoas sempre me perguntavam, você vai pra Goiânia ou Campinas? Mas tudo não é Goiânia? Pensava, descobri aos poucos que Campinas era outra cidade mesmo, na verdade, continuava a ser uma cidade, agora, uma cidade dentro de outra. Hoje, já adulta, quando ando em Campinas, mesmo em dias de extremo movimento de pessoas e automóveis, vejo solidão e esquecimento, suas construções antigas, o novo em cima do velho e uma confusão de fios e coisas deixadas pelo caminho, rastros de pessoas, marcas que embelezam, ou entristecem, pombos mutilados pelo convívio de perto com o ser humano, lixo e pessoas que perambulam pelo bairro quase invisíveis para nossos olhos, confundindo-se a almas. E fiquei assim, a observar em um passeio por Campinas, o abandono e o silencio que se abri, quando o comércio e fecha, quando as pessoas vão para casa, quando as migalhas já foram jogadas, solidão e esquecimento, para quem a história conta 200 anos.


Fotografia: Beta Ferrรฃo Estilo: Caroline Albuquerque, Kรกrita Garcia, Juliana Tereza, Nadima Chalup, Naya Violeta, Raphael Fraga, Tamires Barros


‘’Na valise, o enxoval bordado à mão com primor, alvinho, alvinho, como a pureza de seu coração...


...Vislumbra agora, ares secos, terra forte, vermelha.’’ Caroline Albuquerque


‘’...e a inspiração no Colégio Santa Clara, situado em frente a Praça da Matriz.


‘’Além dos uniformes tradicionais usados pelas alunas nas décadas de 50 e 60.’’ Juliana Tereza


‘’A escola de música e dança Gustav Ritter inspira arte!


Romantismo e poesia compõem a coleção!’’ Nadima Chalup


‘’Memórias de Tapuia em meio a retalhos de tecidos..,


...lembranças e impressões sobre uma velha senhora surgem em formas contemporâneas.’’ Kárita Garcia


‘’As casas de noivas. As casas de sonhos.


As lojas de noivas acolhem a mulher e seus desejos mais criteriosos.’’ Raphael Fraga


‘’Fiz arquibancada para dia de jogo, peguei um rádio pra não perder nenhum lance..,


Resgatei no álbum de família a paixão atleticana, revendo fotos me encontrei em domingos ensolarados no campo.’’ Naya Violeta


‘’...aquela quantidade de tecidos enrolados em pé, olhava encantada para aquela imensidão de tramas...


...mal podia saber que um dia desenharia uma coleção inspirada nas lojas de tecidos’’ Tamires Barros


Mudança é a palavra de ordem da sociedade da informação. Hoje, as grandes tendências no mundo corporativo e social convergem para uma ação participativa por meio das mídias sociais. Vivemos o ápice da Web 2.0, segunda geração de comunidades e serviços que tem como princípio essencial a interatividade. Se antes o cidadão comum era um mero receptor de conteúdo dos grandes meios de comunicação de massa (rádio, televisão, cinema, revista e jornal), hoje, na Internet ele tem voz, vez e espaço gratuitamente - para reclamar e ser ouvido, produzindo o próprio conteúdo. Doravante todos podem ser emissores e receptores ao mesmo tempo. Aí está o cerne das mídias sociais. Sendo o próprio usuário o produtor e compartilhador de conteúdo, este acaba por gerar credibilidade, uma vez que foge à voz oficial dos meios de comunicação tradicionais e influencia grandes grupos ligados pelas redes sociais on-line Nesta ótica, cada vez mais as organizações estão preocupadas com o que “rola” na web, como a sua marca está sendo comentada e quais os impactos das discussões em torno dos seus produtos. Dessa forma, estas estão atuando nas mídias sociais (Orkut, Facebook, Twitter, Blog etc) para estreitar os relacionamentos com os seus clientes, esclarecer as dúvidas do consumidor, divulgar seus produtos, realizar promoções, promover eventos e ações. Se as organizações não estão no Twitter, Facebook ou Blogs diretamente, elas estão de olho e agindo através de intermediários para alcançar o seu cliente. Mas quem são eles? O novo it fashion do mundo da moda são os blogs de meninas que compartilham ideias e opiniões do mundo fashionista. Estas consumidoras tornaram-se verdadeiras líderes de opinião quando o assunto é moda, influenciando outras blogueiras e leitoras. Saber que Camila Coutinho (blog Garotas Estúpidas) comprou uma sandália da Corello e fez uma superprodução com a nova aquisição, já deixa muitas seguidoras do GE loucas para adquirir o produto também. Assim, as empresas perceberam o poder e a influência destes blogs no mercado da moda e estão disputando espaço de visibilidade nestes meios.

30


Blog Garotas Estúpidas

A Pop Up Store, loja de multimarcas localizada em São Paulo, convidou as blogueiras mais famosas da Internet para serem modelos do catálogo da última coleção da loja. A iniciativa rendeu muitos posts e comentários nos blogs das escolhidas e, com certeza, muitas leitoras foram na loja verificar as últimas tendências do mercado de moda.

Catálogo Pop Up Store

31


As marcas goianas também estão atentas a influência dos blogs de moda no poder de consumo. Uma recente ação promovida pela Flávio's Calçados presenteou duas blogueiras, Nadima Chalup (blog Pérolas ao Chocolate) e Ana Lídia (blog EGarotas.com), com sandálias da coleção Verão 2011 e convidou-as a montar um look com o produto. A iniciativa deu super certo e a marca ganhou espaço nas prateleiras dos blogs. Segundo a blogueira Nadima Chalup, a ação foi positiva para ambas partes, pois leva o produto para pessoas que influenciam o consumo. A diferença é que nos blogs a linguagem é mais informal e verdadeira, igual conselho de amiga. As leitoras sentem mais segurança. Além destas iniciativas, os nomes das blogueiras dividem a lista com os famosos para os convites das inaugurações das marcas e produtos e sempre são lembradas com presentinhos fashionistas. Ações que visam promover a imagem da marca de forma espontânea por estas líderes de opinião.

Blog da Flavio’s

Se sua marca ou empresa desconhecia esse mundo dos blogs de moda, atente-se, pois você pode estar perdendo uma excelente oportunidade de atingir o seu público e promover os seus produtos. O consumidor atual prefere compartilhar opiniões com outros consumidores. Esqueça os ex-BBB e mocinhas de novela. Invista nas blogueiras para ser sua nova garota propaganda.

32


Uma homenagem em forma de moda para Vik Muniz

A programação da terceira edição do evento UEG Mostra Moda, intitulado como “Vestir Consciente” apresentou para o mercado de moda, uma nova safra de designers, com o conceito de vestir consciente. O UEG Mostra Moda, evento criado com o objetivo de lançar o trabalho de alunos da universidade e fazer com que os mesmos se envolvam em um projeto interdisciplinar, trouxe criatividade, irreverência e inovação para a moda. Os alunos do segundo ano do curso de Design de Moda apresentaram coleções que tinham como tema o século XX e a consciência de sustentabilidade. Inspirando em grandes designers que utilizavam materiais alternativos para suas criações. Muito brilho, volume e cores.

Criações dos alunos do segundo ano de Design de Moda

Mas o destaque da noite foi para os alunos formandos que levaram a todo o público presente, cerca de 400 pessoas, uma releitura em forma de moda das obras de Vik Muniz.

33


UEG MOSTRA MODA

Consagrado artista, fotógrafo, desenhista e brasileiro, conhecido por utilizar materiais desde o lixo até mesmo diamantes. Vik Muniz provavelmente é desconhecido por muitos quando a questão é o seu nome, suas obras chegam á sua frente. Um exemplo é a instalação apresentada na abertura da atual novela da Globo, Passione. Outro exemplo é a capa do CD da banda Tribalistas. O artista plástico, que hoje vive em Nova Iorque, sente-se honrado em ver sua obra exposta para milhões de brasileiros em horário nobre, pois ele se considera fruto dessa cultura popular.

Obra de Vik Muniz na abertura da novela Passione

Os novos designers de moda escolheram obras como “Picture of Chocolate”, obras que remetem a temas lúdicos como “Meninos de Açucar” e “Vik in Wonderland”. E o brilho da noite que ficou por conta da inspiração na obra feita com diamantes, “Diamond Divas”.

34


UEG MOSTRA MODA

Looks inspirados na obra Diamond Divas das alunas Panmela Meyriellen e Jackiele Rocha

Tema LĂşdico e Angelical com as alunas Camilla Alves e MarĂ­lia Machado

35


UEG MOSTRA MODA

Maresa Tamar

Lorena Akino

Cada designer apresentou uma mini coleção de 3 looks, o diferencial foi trazer um look para cada público diferente, infantil, jovem e pessoas acima de 40 anos.

Franscielly Sena e sua mini coleção para três públicos diferentes

Uma prova que o verdadeiro profissional de design de moda é flexível e consegue propor uma solução para necessidades de cada público. Outro diferencial foi essa brincadeira inspirada no perfil que Vik Muniz tem de misturar objetos que variam desde o lixo ao luxo. Algumas roupas contavam com materiais reciclados em sua composição. O resultado foram criações que enchem os olhos de quem aprecia moda e sabe que ela vai além de uma indumentária, mas expressa sentimentos e toca corações.

36


Com que roupa eu vou? Por Tamires Barros

37


Novo Romântico é o estilo para modernosos com novas atitudes, novos gostos, novas maneiras de usar e abusar das roupas’’

Looks country combinam muito bem com dias mais chuvosos, botas ajudam a manter os pés quentes e secos para caminhadas na chuva’’

Cores

38


Em Dezembro de 2008 foi sancionada a Lei Geral das Micro e Pequenas empresas (Lei Complementar 128/08), com efeito, a partir de 1º de Julho de 2009. Afinal, o que diz essa Lei? Essa Lei visa um tratamento diferenciado a às micro e pequenas empresas tanto no âmbito federal como também estadual e municipal. Esta Lei pode ser conhecida como a Lei do Empreendedor Individual. Como posso receber tratamento diferenciado como Empreendedor Individual? Em várias partes do processo de abertura e gestão da empresa. Em suma, na formatação desta Lei muitos órgãos se uniram e optaram por não cobrar impostos referentes à sua parte, isto se aplica aos impostos federais, ou em alguns casos, há o imposto em um valor bastante reduzido, como os estaduais e municipais. A abertura da empresa para o empreendedor individual é totalmente isenta de impostos e de burocracia, é um processo tão rápido e prático feito pela internet no Portal do Empreendedor, que logo após alguns minutos uma pessoa física já tem o seu CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) e seu Alvará de Licença e Funcionamento Provisório. Não existem cobranças de imposto federais como Imposto de Renda, PIS e COFINS. O que o empresário paga são: Previdência Social (INSS) contribuindo para sua aposentadoria e demais benefícios, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) com caráter estadual e um imposto municipal Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN). Mais estes impostos são altos? Como já foi mencionado não existe custo para a abertura, o único custo da formalização é o pagamento mensal de R$ 56,10 (INSS), R$ 5,00 (ISS para Prestadores de Serviço) e R$ 1,00 (ICMS para Comércio e Indústria) por meio de carnê emitido exclusivamente no Portal do Empreendedor. Quais são os benefícios de ser um Empreendedor Individual? Após se tornar Empreendedor Individual o profissional tem direito a todos os benefícios da previdência, visto que ele estará contribuindo com o INSS: Aposentadoria, Licença Maternidade, Auxilio- doença entre outros.

39


Como passa a ter um CNPJ o empresário poderá comprovar renda, ter melhor poder de negociação com o seu fornecedor podendo parcelar suas compras, poderá emitir nota fiscal, vender para outras empresas e para órgãos governamentais, e ter maior facilidade de acesso a linhas de crédito, empréstimos e financiamentos. O que é necessário para me tornar um Empreendedor Individual? Para se tornar um Empreendedor Individual é necessário que você já possua um negócio, pessoas que vivem na informalidade e querem se formalizar, ou que trabalham por contra própria. Para o enquadramento nesta lei é exigido que sejam pequenos negócios, tendo um rendimento bruto anual de até R$ 36.000,00 o que equivale a à média de R$ 3.000,00 mensal, e que trabalhem sozinhos ou que tenham no máximo um funcionário ou ajudante. Nesta lei também não é necessário que se contrate um contador, as formas de controle diário e mensal da empresa são simples e práticos podendo ser feitos pelo próprio empresário. No caso de a empresa possuir um funcionário ou ajudante, este poderá ser registrado em carteira ter todos os benefícios do Regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) Enfim, poderia escrever folhas e folhas sobre esta lei. São inúmeros os benefícios e vantagens, basta que você decida-se para que possa desfrutar das possibilidades de um futuro melhor, sem burocracia e com grandes chances de crescimento. Como me formalizar como Empreendedor Individual? Toda decisão precisa vir seguida de uma atitude. Se você ficou interessado em se formalizar o próximo passo é seu. Procure o SEBRAE mais próximo ou entre no Portal do Empreendedor: www.portaldoempreendedor.gov.br . O SEBRAE por meio do Projeto de Atendimento Negócio a Negócio atende interessados em se formalizar e micro e pequenas empresas com até quatro funcionários. Ligue 0800-570-0800 para obter mais informações.

Formalização de empreendedores no Expocosméticos 2010 no Centro de Cultura e Convenções de Goiânia.

40


Uma manhã de Domingo dedicada a história e a fotografia... O passeio fotográfico realizado no dia 17 de Outubro de 2010 abriu a programação do Identidade Brazuca, o evento contou com a presença do Fotoclube Superolho, a estudante de história e moradora de Campinas, Ronara Costa, além de aspirantes a fotógrafos. O grupo passeou por lugares clássicos de Campinas, escutando histórias e fotografando. A seguir os melhores registros da manhã ensolarada.

41


42


43


44


45


46


47


48


49


50


51


MPB: A Identidade da Música Brasileira

Uma partida de futebol entre Vila Nova e Goiás, assim pode se comparar as divergentes opiniões dos participantes do Café Flisófico, Laércio Correntina e Pablo Kossa. O psicanalista Will Goya intermediou o bate papo que trouxe se não uma definição sobre o que pode ser o conceito de MPB, mas com certeza presenteou os convidados com mais questionamentos sobre o assunto. O evento que aconteceu em uma tarde chuvosa de domingo, contou também com a grande participação do público presente. Em uma escala de Amado Batista a Chico Buarque, o que pode ser definido como música popular brasileira? É uma questão de tradição, gosto? Dentre os questionamentos do jornalista Pablo Kossa, estava também a identidade da música goiana, seria mais nativo o tosco inglês de bandas fabricadas em Goiás ou o pequi de Marcelo Barra? Antes de discorrer sobre identidade, Laércio Correntina comentou sobre os quatro paradigmas que ele acredita ser essencial na música. São eles: melodia, harmonia, ritmo e poesia. Para ser música, de acordo com sua opinião, é necessário ter esses elementos.

52


A opinião divergente entre os dois participantes enriqueceu o bate papo, Pablo Kossa disse não compartilhar dos mesmos paradigmas de Laércio Correntina. A verdade que está presente na música é a idéia defendida pelo jornalista e produtor cultural. A exemplo da violência e a promiscuidade presente no funk que conta a verdade da favela. O Café Filosófico abriu espaço para todas as pessoas presentes, manifestar suas idéias, o que agregou muito conhecimento a conversa. Will Goya contou uma breve e interessante história. Quando mais jovem, ele estava em um ônibus e começou a cantar uma música do Tim Maia, contagiando a pessoa que estava ao lado que também começou a cantar, como em um comercial, aos poucos, todo o ônibus estava cantando a música, que no momento, teve o poder de envolver a todos. Quando ele desceu do ônibus, a música ainda seguia. O Café Filosófico terminou da melhor maneira, com música! Laércio Correntina, acompanhado de uma amiga que estava na platéia, trouxe uma bela canção para o público.

@aressafreitas êê campininha.. minha infância e adolescência passada nesse lugar, participei da sua história, e ela da minha! @bizis Casinhas antigas e charmosas em "estilo interiorano", vigoroso comércio e vai-evem de gente que ainda se olha. É assim minha Campininha.

53


Por Dentro Pense Moda 23/11/10 a 25/11/10

http://www.pensemoda.com.br/

Fórum de Design com Walter Rodrigues 02/12/10 (62) 3226-4509

Rio à Porter 10/01/11 a 13/11/10

http://www.rioaporter.com.br

Fashion Rio 11/01/11 a 15/01/11 www.ffw.com

SPFW 28/01/11 a 02/02/11 www.ffw.com

Inspira Mais 01/02/11 a 03/02/11

www.assintecal.org.br/inspiramais/

54


Revista IB  

A Revista IB é uma publicação do evento Identidade Brazuca, que acontece anualmente em Goiânia-Go.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you