Page 4

1 2

   

CAPA

Campanha contra pirataria de sementes é liderada pela ABCSEM Entidade está engajada em ações institucionais e de apoio à fiscalização para combater a comercialização e o uso de sementes piratas no país O crescimento indiscriminado do uso de sementes F2, conhecidas também como “piratas”, obtidas a partir de sementes “salvas/tiradas” de plantios que fizeram uso de híbridos comerciais, estão chamando a atenção da indústria sementeira hortícola brasileira. Este grave problema, que já se tornou uma prática de mercado, é totalmente ilegal e configura um grave problema comercial, com implicações jurídicas para quem as faz comercialmente e sanitárias para quem as pratica no campo. CAMPANHA Preocupados com este cenário, a Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (ABCSEM), em conjunto com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

(Mapa), estão lançando a “Campanha Nacional de Combate à Pirataria de Sementes de Hortaliças”. A campanha tem como objetivo divulgar para os profissionais do setor e para a sociedade em geral, por meio de materiais publicitários e estratégias de marketing, os malefícios e as ilegalidades deste crime no país, bem como incentivar a fiscalização e as denúncias. “O intuito dessa campanha não é somente comunicar para produtores rurais, viveiristas e demais profissionais do setor, afetados diretamente pela pirataria, mas também para a população em geral, que consome o produto final e que precisa ter os seus direitos garantidos em relação à segurança alimentar e à qualidades das hortaliças que estão adquirindo”, enfatiza Marcelo Pacotte, secretário executivo da ABCSEM.

Revista da ABCSEM  
Revista da ABCSEM  

Ed. 10 - II Trimestre de 2017

Advertisement