Issuu on Google+

Domingos da silva Teixeira

Passeio Convívio Administrativos da DST Organização – Jomar Planificação de Eventos Armindo Carvalho – João Manuel Silva

Maio10


Informação Turística Mapa do percurso Inicio – fim

Visita Caves de Vinho do Porto O vinho tomou o nome do Porto, mas é na margem oposta do Douro, em Gaia, que está instalado o país do vinho fino do Douro. Ali se podem visitar quinze caves, templos maiores da devoção a Baco, ou apenas peregrinar pelos inúmeros estabelecimentos onde é possível fazer libações desse néctar. Visita guiada às caves do vinho do Porto património de Portugal.

CRUZEIRO "DOURO VINTAGE"  

Embarque no cais de Vila Nova de Gaia em navio.

Subida da Barragem de Crestuma-Lever (desnível de 14 metros).

Subida da Barragem de Carrapatelo (desnível de 35 metros). Aperitivo Porto Offley Reserva Cachucha branco Almoço servido a bordo. Chegada ao cais da Régua

 

Partida com destino à Régua. Pequeno-almoço a bordo


Régua O concelho Régua (conhecido frequentemente pela forma sincopada de Régua) é uma cidade portuguesa no Distrito de Vila Real, Região O município é limitado foi criado em 1836 por desmembramento de Santa Marta de Penaguião, e foi elevado a cidade em 1987. É também conhecida como a capital internacional do vinho e da vinha. Terra de grandes nomes entre os quais o Médico e Escritor João de Araújo Correia, Ferreirinha, Antão de Carvalho, Joaquim Manuel Magalhães, entre outros nomes de grande importância local e nacional. É o centro da região demarcada do Douro. Fica na parte central da Linha do Douro, entre Porto e Pocinho.

Cidade da Régua (panorâmica)

Herdade Ferreirinha (visita)

D. Antónia Adelaide Ferreira (4 de Julho de 1811 — 26 de Março de 1896) [1], mais conhecida por Ferreirinha, foi uma empresária portuguesa do século XIX. Ficou conhecida por se dedicar ao cultivo do Vinho do Porto e pelas notáveis inovações que introduziu. A sua família era muito abastada, possuía muito dinheiro e vinhas. O pai, José Bernardo Ferreira casou-a com um primo, mas este não se interessou pela cultura da família e esbanjou grande parte da fortuna. D. Antónia teve dois filhos: uma menina, Maria de Assunção, mais tarde Condessa de Azambuja, e um rapaz, António Bernardo Ferreira. Ficou viúva muito nova (33 anos), a viuvez despertou nela a sua verdadeira vocação de empresária. Sabe-se que a Ferreirinha, como era carinhosamente conhecida, se preocupava com as famílias dos trabalhadores das suas terras e adegas. Apoiada pelo administrador José da Silva Torres, mais tarde seu segundo marido,

Favaios (panorâmica)

Adega de Favaios (visita)

Favaios é uma freguesia portuguesa do concelho de Alijó, com 20,57 km² de área e uma população a rondar os 1 400 habitantes. A freguesia de Favaios está localizada na Serra do Vilarelho, no concelho de Alijó, o qual é parte integrante do de Vila Real, província de Trás-os-Montes e Alto Douro, no nordeste de Portugal. Distante do Porto cerca de 150 km e a 120 km de Bragança. A actividade principal dos habitantes de Alijó e a vinicultura.


Vila de Alijo (passagem)

Quintas Vinhateiro (passagem)

Foz Côa (visita as gravuras - pernoita) Gravuras de Foz Côa, «um dos principais achados» da Europa

A arqueóloga Mila Simões de Abreu considera que as gravuras de Foz Côa são ainda hoje uma das principais descobertas de arte rupestre ao ar livre da Europa, que foram salvas por um esforço colectivo que travou a construção da barragem. O museu do Côa representa um momento alto para todos os que alertaram para os riscos provocados pela construção de uma barragem junto a um dos maiores achados de pinturas rupestres do mundo. Foi no decorrer de uma visita informal a Vila Nova de Foz Côa, que a docente na Universidade de Trás-osMontes e Alto Douro (UTAD) e representante da Federação Internacional das Organizações de Arte Rupestre, viu pela primeira vez as gravuras

Vila Nova de Foz Côa Recebeu o seu primeiro foral em 1299, concedido por D. Dinis, tendo sido renovado pelo mesmo monarca em 1314. Em 1514, foi concebido um novo foral por D. ManueI. No concelho destacam-se vários monumentos nacionais: o castelo de Numão, o Pelourinho de Vila Nova de Foz Côa e a Igreja Matriz da mesma vila, com uma fachada manuelina.


Amendoeiras em flor (passagem) Em Abril e Maio os quatro concelhos, Freixo de Espada à Cinta, Mogadouro, Torre de Moncorvo e Vila Nova de Foz Côa, vestem-se de branco e rosa para receber quem os visita. Todos os anos o Douro Superior brinda os seus visitantes, com o magnífico espectáculo proporcionado pela mãe natureza Graças ao seu clima particular, o Douro Superior consegue anunciar a primavera com cerca de um mês de antecedência. Atingem-se os 12 graus durante 3 ou 4 dias e temos o fabuloso espectáculo, que é a abertura da flor da amendoeira.

Cidade de Lamego (visita) Lamego é uma cidade portuguesa no Distrito de Viseu, Região Norte e sub-região do Douro, com 10 796 habitantes [2] O município está situado na margem sul do rio Douro, a cidade fazia parte da província tradicional de Trás-os-Montes e Alto Douro e, segundo alguns, fazia parte da Beira Transmontana, da qual era a principal cidade. Considerada uma cidade monumental.

Caves Raposeira (visita) O prestígio dos vinhos da região de Lamego remonta ao século XVI e foi definitivamente consagrado com a produção dos espumantes Raposeira, empresa fundada há mais de 100 anos. Estudos então realizados pelos seus proprietários na famosa região de Champagne, em França, e uma série de experiências levadas a cabo em terras lamecenses pelos mesmos permitiram criar a personalidade de alguns dos mais consagrados espumantes portugueses. Lamego, terra de grandes pergaminhos e com lugar cativo na história de Portugal, foi, assim, terra-mãe deste néctar que foi buscar às castas originais de champagne a sua matéria-prima mas que se afirmou como um produto de carácter bem nacional. Ao longo dos tempos, a Raposeira conquistou uma posição sólida nos mercados graças à elevada qualidade dos espumantes produzidos. Essa qualidade valeu-lhe a liderança quase permanente do sector a nível nacional Fim da viagem Jomar Planificação de Eventos agradece a sua preferência desejando-lhe uma óptima viagem.


Convívio patrocinado pela empresa DST para os seus funcionários Data: 1,2 e 3 de Maio 2011 Dia 1 Durante este passeio vamos visitar as seguintes localidades: Gaia, Régua, Favaios, Alijó, São João da pesqueira, Vila nova de Foz Côa e Lamego. Comparência dos convidados as 6:30h nas instalações da empresa a fim de fazer os preparativos para dar-nos inicio ao respectivo passeio convívio. A saída está prevista para as 7h com destino a Gaia, com a chegada prevista para as 8:30h. Em seguida às 9h visita guiada às caves do vinho do porto, a visita terá a duração de, aproximadamente uma hora e trinta minutos. No fim da visita às 10:30h vamos em direcção ao cais de Gaia com a finalidade de embarcar no Barco Turístico para fazer a subida do Douro em direcção á Régua. Durante este percurso vamos ser presenteados com as fabulosas paisagens que nos acompanham neste passeio, sempre acompanhados por um guia que nos explicará os diversos pontos de interesse ao longo de todo o percurso. Será servida uma prova de Vinhos do Porto para a recepção aos convidados. Por volta das 13h será servido o almoço a bordo do barco. Mais já para o fim de tarde por volta das 17:30 será servido um lanche. A hora prevista para a chegada à Régua será pelas 18:30h.


De seguida vamos fazer o check-in no hotel Régua Douro **** onde iremos passar uma noite. Depois dos convidados acomodados o jantar terá lugar no referido Hotel pelas 21h. Dia 2 Pelas 8:30h começa a ser servido o pequeno-almoço buffet. A hora de saída do hotel será por volta das 10:00h, onde seguimos viagem rumo á Herdade Ferreirinha para uma visita guiada. Chegamos á Herdade Ferreirinha às 10:30h onde seremos recebidos com um brinde de boas vindas para de seguida começar a visita guiada pela herdade. Antes do almoço iremos ter direito a uma prova de vinhos da Região do Douro. O almoço desse mesmo dia será servido na referida Herdade. No fim do almoço por volta das 15h retomaremos a nossa rota em direcção a favaios, onde devemos chegar às 15:30h, local em que podemos adquirir os respectivos e famosos licores da região. Meia hora depois seguimos o nosso percurso em direcção a Vila nova de Foz Côa, passando por Alijó, São João da Pesqueira, percurso o qual onde teremos oportunidade de apreciar as amendoeiras em flor. Chegada prevista a Foz Côa por volta das 20:00h. Iremos pernoitar em Foz Côa em regime de turismo de habitação. O jantar dessa mesma noite será servido no restaurante (A Marisqueira), no centro de Foz Côa.


Dia 3 Pequeno-almoço às 9:00h. Para as 10:00h está marcada a saída em direcção à visita das gravuras rupestres. Visita que terá a duração de três horas. Chegando a hora do almoço que está marcada para as 13:30h voltamos ao centro de Foz Côa para o respectivo almoço no restaurante (Italiano). Saída marcada de Foz Côa para as 15:00h onde seguimos em direcção a Lamego. Chegada prevista para as 16:00h a Lamego, de seguida iremos fazer uma visita às Caves Raposeira onde será servido um lanche por volta das 17:00h. Por último vamos fazer uma breve visita ao mosteiro da Nossa Senhora dos Remédios. No fim desta visita retomaremos viagem rumo a Braga com chegada prevista para as 22h, onde daremos por finalizado o nosso serviço.

Trabalho realizado por: Armindo Carvalho João Manuel Silva

Formador: Daniel Pereira 29/7/2010


Projecto