Page 1


Yaf u

o retorno do chocalho


Presidente da República Dilma Vana Rousseff Ministro de Estado da Justiça José Eduardo Cardozo Presidente da Fundação Nacional do Índio Maria Augusta Boulitreau Assirati Diretor do Museu do Índio José Carlos Levinho Coordenador de Divulgação Científica e editor do Museu do Índio Carlos Augusto da Rocha Freire Coordenadora de Patrimônio Cultural Ione Helena Pereira Couto Chefe do Núcleo de Biblioteca e Arquivo Rodrigo Piquet Saboia de Mello Conselho Editorial Bruna Franchetto Mara Santos Aline Varela Rabello Ferreira Coordenação de Design e gestão gráfica Simone Melo Equipe de Consultoria de Design Ingrid Lemos Guto Miranda Helena de Barros Maria Clara Pires Costa Priscila Freire Priscilla Alves de Moura © 2014 Museu do Índio - FUNAI 811.87 Y12 Yafu: o retorno do chocalho / ProDoclin Kawaiwete Kaiabi ; Suzi Lima (organização) – Rio de Janeiro : Museu do Índio - FUNAI, 2014. 100 p. : il. color. ; 21 x 28 cm + DVD ISBN 978-85-85986-55-1 1. Linguística. 2. Kawaiwete. 3. Kaiabi. I. Lima, Suzi. II. Museu do Índio (Rio de Janeiro, RJ). III. Título.

Ficha Catalográfica Rodrigo Piquet Saboia de Mello CRB- 7/6376 Dados Biblioteca Marechal Rondon/Museu do Índio/FUNAI

Museu do Índio Rua das Palmeiras, nº 55 Botafogo • Rio de Janeiro • RJ • Brasil CEP 22.270-070 Tel.: (55) 21 3214 8700 www.museudoindio.gov.br


YAFU O retorno do chocalho

ProDoclin Kawaiwete - Kaiabi organização Suzi Lima Museu do Índio - FUNAI 2014

3


EDITORIAL Projeto de Documentação de Línguas Indígenas Coordenação dos Projetos de Documentação de Línguas Indígenas Bruna Franchetto Gestão Científica dos Projetos de Documentação de Línguas Indígenas Mara Santos Concebido no âmbito do projeto: Documentação de Língua Indígena Kawaiwete – Kaiabi Prodoclin/Museu do Índio/FUNAI Organização Suzi Lima Transcrição Aturi Kaiabi, Pikuruk Kayabi, Tomãiru Kaiabi, Wyrakatu Kaiabi Tradução Aturi Kaiabi, Pikuruk Kayabi, Suzi Lima, Wyrakatu Kaiabi Desenhos Aruti Kaiabi, Eruaki Kaiabi, Eteiup Kaiabi, Isabela Kaiabi, Jemokatu Kaiabi, Katyru Kaiabi, Kujãakatu Kaiabi, Moraiup Kaiabi, Moreareiup Kaiabi, Morejuwi Kaiabi, More Kaiabi, Piraju Kaiabi, Rymoaiup Kaiabi, Rywesage Kaiabi, Tamekuatu Kaiabi, Tairi’i Kaiabi, Witare Kaiabi Revisão Suzi Lima Agradecimento Museu do Índio-FUNAI/ProDoclin Assessoria Técnica do Prodoclin Aline Varela Rabello Ferreira Juliano Leandro Gustavo Godoy Secretariado Gráfico de Pre-Livros Prodoclin - 2012 Ingrid Lemos -2012 Maria Clara Pires Costa - 2014 Tratamento de Imagem Ingrid Lemos Priscilla Moura Arte, montagem gráfica e revisão Priscilla Moura

©2014 "Os direitos autorais sobre os desenhos, audio e textos em língua indígena constantes da presente obra são de natureza coletiva e pertencem exclusivamente ao povo Kawaiwete. Fica proibida a reprodução total ou parcial, de qualquer forma, das músicas e das ilustrações contidas nesta obra, sem prévia e expressa autorização, por escrito, do povo indígena mencionado."


Sumário

Carta da Presidente da Funai

8

Apresentação do Museu do Índio

9

Documentação Linguística no Museu do Índio

10

Documentação da Língua Indígena Kawaiwete

13

MÚSICAS

17

1 Itama’it la’neat [Pedra sagrada]

19

2 Jakawara

21

3 Ajanga retykaret [Vencedores]

25

4 Maraka momytuna [Aumentando a (quantidade de) música]

27

5 Ryp [Festa de mulheres]

31

6 Maraka [Festa]

35

7 Kunomĩ [Criança]

39

8 Yafu siningã [Som do chocalho]

41

9 Siro jeroky [Vamos dançar]

43

10 Soja tyka jane [Vamos nos reunir]

47

11 Kunumia peeu˜i [Chamem as crianças]

49

12 Yafua simonga tyru˜ [Vamos arrumar o chocalho]

51

13 Yafua wero jewara [Dançando em círculo com o chocalho]

53

14 Nan je yafua renu’ami imosininga nu˜ [Assim eu fico tocando o chocalho] 57


MÚSICAS (continua...) 15 Tariwa retee [Junto com Tariwa]

61

16 Owy teri pe [No centro da casa]

63

17 Aipo yafu jewyri [A volta do chocalho]

67

18 Amomi je yafua [Eu vou parar o chocalho]

69

19 Jemyj’yja [Lua]

71

20 Mait [Deuses]

75

21 Jerokyawi pe [Local da dança]

77

22 Waraka ‘angara oje mojewak [Os cantores estão se pintando]

79

23 Pepo kowy sipo ore jawe Ia’neat [Vocês vão saber entrar na roda igual a nós?]

81

24 Peesa ngiki jero kya nu˜ [Vejam como dança]

85

25 Oro pyta nepo je marakaa nu˜ [Eu vou parar a música]

87

26 Yafua re ore jamuei [Nós disputamos o chocalho]

89

27 Yafu pojya [Chocalho sagrado]

91

Oficina de desenhos (aldeia Tuiararé)

92

Transcrição e Tradução das músicas

99


CARTA DA PRESIDENTE DA FUNAI Maria Augusta Boulitreau Assirati Presidente da Fundação Nacional do Índio

O Museu do Índio, órgão criado em 1953 no âmbito do Serviço de Proteção aos Índios – SPI, e atualmente integrante da estrutura administrativa da Fundação Nacional do Índio- FUNAI, tem, nos últimos anos, desenvolvido importantes ações de preservação e salvaguarda do patrimônio cultural dos povos indígenas brasileiros, por meio de iniciativas que garantem a valorização desses saberes. Nesse contexto, o Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas – PROGDOC é uma expressiva atividade técnica do Museu, resultado de um intenso volume de ações junto a diversos grupos indígenas. Por meio de oficinas e cursos do Programa, jovens indígenas estão aprendendo a lidar com as novas tecnologias, voltadas à capacitação para o registro e a documentação de saberes tradicionais, tendo como resultado a salvaguarda e a preservação das culturas indígenas. Como incentivo a esse processo, foram concedidas 60 bolsas anuais para pesquisadores indígenas, de modo a permitir sua dedicação ao Projeto, cujas ações beneficiam cerca de 27 mil índios, abrangendo 105 aldeias em todo o território nacional. Com a implementação da política cultural da FUNAI na área editorial, o Museu do Índio vem ampliando e diversificando suas produções, buscando permitir que os não-indígenas conheçam mais sobre a vida, o cotidiano, e as práticas dos povos indígenas. Somente nos últimos cinco anos, foram distribuídos mais de 100 mil exemplares, referentes ao lançamento de 35 títulos, entre eles, publicações, algumas assinadas por especialistas, e outras organizadas por professores indígenas. Assim, contribuindo com esse processo de valorização de línguas e culturas ameaçadas, é com satisfação que a Funai, por meio do lançamento de cartilhas, narrativas e enciclopédias, participa do movimento de fortalecimento dos conhecimentos e das práticas culturais compartilhadas por diferentes povos indígenas.

8


APRESENTAÇÃO DO MUSEU DO ÍNDIO José Carlos Levinho Diretor do Museu do Índio/FUNAI

O Museu do Índio, da Fundação Nacional do Índio – FUNAI, é uma importante instituição de pesquisa sobre línguas e culturas indígenas. Tem sob sua guarda acervos relativos à maioria das sociedades indígenas contemporâneas, constituídos de 17.981 objetos etnográficos e 15.121 publicações nacionais e estrangeiras, especializadas em etnologia e áreas correlatas. Os seus diversos setores são responsáveis pelo tratamento técnico de 833.221 registros textuais que datam a partir do século XIX, em processo de digitalização, e de ampla e diversificada documentação audiovisual na sua maioria produzida pelos próprios índios. Esta abrange 163.553 fotos, 599 filmes e vídeos,1.295 áudios e 771 horas gravadas. Um legado que não para de crescer. A luta contra o preconceito aos povos indígenas e o intercâmbio de ideias e informações sobre esses grupos têm pautado as ações do Museu do Índio ao longo dos seus 60 anos de histórias. Nesse percurso, a instituição se consolidou como fonte de referência para estudos sobre questões indígenas - com destaque para os destinados à demarcação de terras - e estreitou as relações com os povos indígenas, dando visibilidade aos aspectos de sua cultura e apoio aos seus projetos para o futuro. A instituição com o seu Programa de Apoio a Projetos Culturais já atuou, desde 2010, em 233 projetos que têm por finalidade promover e realizar atividades que contribuam para a promoção do patrimônio cultural dos povos indígenas com foco na sua cultura material. Em processo de expansão, o Museu do Índio, hoje, apresenta novos espaços expositivos como o Muro do Museu, a Varanda do Museu e suas Lojas de Arte. A instituição recebe, em média, 35 mil visitantes por ano, compartilha as suas informações com, aproximadamente, 600 mil internautas e alcança 57.102 pessoas por meio da itinerância de suas exposições. Recentemente, incorporou duas unidades fora do Rio de Janeiro: o Centro Cultural Ikuiapá (MT) e o Centro Cultural Indígena de Formação Audiovisual de Goiânia – Guaias (GO). Temos a certeza de que essa iniciativa de promover e divulgar as diferentes formas de expressão das culturas indígenas, por meio de uma crescente política editorial que vem sendo desenvolvida pelo Museu do Índio/FUNAI, contribui para a democratização em uma sociedade pluriétnica e multicultural. 9


DOCUMENTAÇÃO LÍNGUÍSTICA NO MUSEU DO ÍNDIO Bruna Franchetto Coordenadora do ProDoclin

Mara Santos Gestora Científica do ProDoclin

A Fundação Nacional do Índio-FUNAI e UNESCO, por meio do Museu do Índio, órgão científico-cultural sediado no Rio de Janeiro, iniciaram em 2009 um amplo programa de documentação de línguas e culturas indígenas no Brasil, desenvolvido em conjunto com diversas instituições e pesquisadores. O Museu do Índio possui longa tradição na área de documentação, pesquisa e difusão do patrimônio cultural indígena, de natureza material e imaterial. Por sua vez, a UNESCO vem desenvolvendo, desde pelo menos o final dos anos 1990, programas de proteção da diversidade lingüística por meio dos seus setores de Comunicação e Informação e de Cultura. O movimento internacional em torno de línguas ameaçadas de desaparecimento se intensificou com a publicação de um artigo pelo lingüista Michael Krauss, em 1992, que estimou que 90% das línguas do mundo estariam na beira da extinção no século XXI, se não fossem tomadas medidas preventivas. No contexto mundial e, em particular, sulamericano, o Brasil é um país onde se encontra uma das maiores densidades lingüísticas - ou diversidade genética; é, também, o país onde se encontra a menor concentração demográfica por língua. Sabemos que essas línguas pertencem a quarenta e uma famílias, dois troncos lingüísticos e que há pelo menos uma dezena de línguas isoladas, além de duas ‘línguas crioulas’. O número de falantes pode chegar a vinte mil (Guarani, Tikuna, Terena, Macuxi e Kaigang), assim como aos dedos de uma mão, ou mesmo a um único e último falante. A média fica em menos de 200 falantes por língua, mas mesmo entre as poucas línguas que contam ainda com muitos falantes, não há nenhuma que possa ser considerada “segura”, ou seja, da qual é possível afirmar que provavelmente será, no final deste século, diariamente usada e transmitida de uma geração a outra. Ao contrário, não são poucos os casos de línguas faladas ou lembradas por somente poucas pessoas, usualmente idosas, e que quase inevitavelmente vão desaparecer dentro de poucos anos. Fatalmente, são muitas vezes estas línguas as menos conhecidas e cujo registro e resgate são pedidos, freqüentemente de modo dramático, pelos descendentes desses últimos falantes.

10


A documentação das entre 150 e 170 línguas nativas ainda existentes no país, a maioria concentrada na região amazônica, é então uma tarefa urgente. Estes números podem impressionar o grande público, mas é pouco em comparação com as estimativas de que teriam sido mais de 1200 línguas quando da chegada dos Europeus há 500 anos. Nos cinco séculos de conquista e colonização, mais de 80% dessas línguas se perdeu e com elas desapareceram inteiras configurações culturais e muitos saberes. Línguas vivas e reconhecidas na sua plenitude não são apenas repositórios de tradições e conhecimentos complexos e milenares, mas também os veículos de sua transmissão de uma geração para outra e a base de auto-estima e afirmação de alteridade, individual e coletiva. A situação dessas línguas não é uma exceção no cenário mundial. Não há línguas indígenas “a salvo” no Brasil: são todas línguas minoritárias e dominadas pelo prestígio da língua nacional que emana da escolar e das mídia, em contextos submetidos a transformações crescentes e profundas. Existem muitos programas nacionais e internacionais voltados para a documentação de línguas do mundo. No Brasil, o Projeto de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas e, especificamente, o ProDoclin são a primeira iniciativa pública e governamental desta natureza. Há somente uma outra iniciativa desta natureza no Brasil, a do Museu Paraense Emílio Goeldi, órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. A documentação linguística é, hoje, uma área de pesquisa em crescimento, que mantém laços interdisciplinares (etnologia, arqueologia, história, biologia) e com o desenvolvimento de tecnologias de ponta. Documentar uma língua, hoje, significa registrar, de modo sistemático e amplo, exemplos de seu uso em contextos culturais apropriados, os mais variados, visando à constituição de um corpus digital anotado. Os acervos digitais multimídia (gravações áudio e vídeo anotadas) contêm materiais preciosos e preservados, acessíveis às comunidades indígenas e

11


para as futuras gerações de brasileiros. Visando a preservar o patrimônio cultural lingüístico dos povos indígenas e a promover o seu acesso, a FUNAI tem assinado acordos de cooperação internacional e com associações indígenas. Todos os materiais coletados permanecem em instituições brasileiras, com cópias entregues, em formato adequado e acessível, às comunidades envolvidas. O Museu do Índio é o centro de coordenação e de apoio do ProDoclin, além do local de arquivamento dos materiais documentais produzidos por cada projeto. O ProDoclin, além da preservação de materiais existentes em acervos particulares e em instituições públicas e privadas, realizou a documentação de 13 línguas entre 2009 e 2013, escolhidas por critérios tais como: o grau de ameaça a sua sobrevivência; condições de realização de um bom trabalho por equipes compostas por lingüistas e outros especialistas, das quais participam pesquisadores indígenas formados no âmbito de cada projeto específico; atitude positiva das comunidades quanto a iniciativas de preservação ou resgate de suas línguas nativas. Os projetos individuais produziram: diagnósticos sócio-linguísticos; acervos digitais a partir de gravações áudio e vídeo de aspectos culturalmente relevantes, com anotação contendo, no mínimo, uma transcrição e uma tradução dos enunciados; uma base lexical para a construção de dicionário; uma gramática descritiva básica; subsídios didáticos, materiais de divulgação (vídeos, CDs, DVDs), bem como teses, dissertações e publicações de natureza científica. Este livro é um dos produtos previstos e acalentados dos projetos ProDoclin, de seus pesquisadores indígenas e não-indígenas, bem como de toda a equipe gestora e técnica do Museu do Índio. Ele se destina em primeiro lugar aos povos indígenas que acolheram a proposta do ProDoclin abrindo suas línguas ao conhecimento de todos.

12


DOCUMENTAÇÃO DA LÍNGUA INDÍGENA KAIABI - KAWAIWETE Suzi Lima Coordenadora do Prodoclin/Kawaiwete

OS KAWAIWETE E SUA LÍNGUA Os Kawaiwete (“povo verdadeiro”) são mais conhecidos como Kaiabi ou Kayabi. O último censo indica que há 2.202 Kawaiwete (Siasi/Sesai, 2012) divididos em três áreas indígenas: Terra Indígena Tatuy, Terra Indígena Kururuzinho e Território Indígena do Xingu-MT. No Xingu, o povo Kawaiwete é a etnia mais populosa e se distribui em 25 aldeias, sendo a maioria delas constituída por apenas uma família. A língua Kawaiwete faz parte da família Tupi-Guarani, a qual é dividida em 8 subagrupamentos (Rodrigues, 1985). Ela pertence ao subagrupamento 5, do qual também fazem parte as línguas Asuriní do Xingu e Araweté. Missionários descreveram aspectos da fonologia e da morfossintaxe kawaiwete (Dobson, 1980, 1997, 2005) e compilaram um dicionário (Weiss 1998) e coletâneas de narrativas (Dobson, 1990). Linguistas documentaram aspectos da fonologia, pronomes (Souza 2004), ordem livre de palavras e clíticos de segunda posição (Faria 2004, Gomes 2002). Entre 2009 e 2013 Suzi Lima foi coordenadora do projeto de documentação da língua Kawaiwete intitulado “Documentação da língua Kawaiwete (Kaiabi): da descrição às estratégias de revitalização e manutenção da língua” (ProDocLin/ Unesco/Museu do Índio, 2009-2013) e atualmente é coordenadora do projeto de produção da gramática pedagógica Kawaiwete (ProDocLin/Unesco/Museu do Índio, 2013 – em andamento). Entre 2009 e 2013, os pesquisadores indígenas do projeto – Aturi Kaiabi e Pikuruk Kayabi – e professores Kawaiwete trabalharam juntamente com Suzi no processo de documentação da língua e de produção de materiais didáticos e de leitura. Neste contexto foi produzido o livro Yafu (Yafu: o retorno do chocalho) a partir da revitalização da festa Yafu. O livro apresenta 27 músicas transcritas em Kawaiwete e traduzidas para o português. Esta festa foi retomada a partir do sonho do pajé e cacique da aldeia Gwarujá, Tuiaraiup Kaiabi, sonho no qual ele visualizou os desenhos gráficos, os objetos a serem usados, assim como as músicas que foram gravadas durante uma festa realizada na aldeia Gwarujá,em 2011. A festa foi 13


fundamental para que os Kawaiwete retomassem cantos e danças tradicionais. Hoje, as músicas do Yafu são constantemente ouvidas entre os Kawaiwete do Xingu, que, criativamente, usam as suas melodias para compor novas letras que contemplem questões para eles atualmente relevantes, como educação, saúde e direitos. A transcrição das músicas para este livro foram feitas durante oficina realizada em 2011 na aldeia Tuiararé como parte das atividades do projeto ProDocLin/ Kawaiwete e teve a participação dos indígenas Aturi Kaiabi, Pikuruk Kayabi, Tomãiru Kaiabi e Wyrakatu Kaiabi e da coordenadora do projeto Suzi Lima. Na ocasião da oficina de transcrição das músicas da festa Yafu, Tuiaraiup Kaiabi também coordenou em paralelo uma oficina de desenhos com membros da comunidade. Os desenhos produzidos representam aspectos da festa Yafu (vestimenta, instrumentos, pintura, dança) e foram incluidos neste livro. O livro também é acompanhado de um CD de audio que contém todas as músicas transcritas neste livro. Inegavelmente, a revitalização da festa Yafu tem um papel fundamental em manter o povo Kawaiwete unido e próximo às suas manifestações culturais tradicionais. Este livro, portanto, celebra este momento de revitalização e manutenção da cultura tradicional por parte dos Kawaiwete frente aos desafios que comunidades indígenas enfrentam todos os dias.

Observação: as transcrições das músicas aqui apresentadas foram gravadas durante a realização da Festa Kawaiwete (realizada pelo cacique Tuiaraiup e aldeia Guarujá em 2011). A festa teve como aldeias participantes: Guarujá, Ilha Grande, Tuiararé, Samaúma, Moitará, Capivara, 11 de setembro, barranco alto, 3 irmãos. Colaboradores para a documentação da festa: Associação Indígena Kisedje/ Produtora Kupytxi Rowo; Apoio: UNIFESP/ Kumaré; Imagens: Kamikia P.T. Kisedje e Kambrinti Suya. Edição: Kamikia P.T. Kisedje. 14


15


Maraka [mĂşsica]


18

Yaf u – o retorno do chocalho


Itama’it la’neat [Pedra sagrada] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Nan noko yafua ikue nan noko yafua ikue awaẽ je ‘nga upe ra’e jye nawa jye nawi pe jye nawa jye nawi pe nan nako Itamaira ikue nan nako Itamaira ikue awaẽ je ‘nga upe ra’e jye nawa jye nawi pe jye nawa jye nawi pe

Assim era o chocalho assim era o chocalho cheguei para ele no lugar da faca no lugar da faca assim era Itamaira assim era Itamaira cheguei para ele no lugar da faca no lugar da faca

Awaẽ je ‘nga upe ra’e awaẽ je ‘nga upe ra’e Itamaira upe ra’e jye nawa jye nawi pe jye nawa jye nawi pe

Cheguei para ele

Nan noko yafua ikue nan noko yafua ikue awaẽ je ‘nga upe ra’e jye nawa jye nawi pe jye nawa jye nawi pe awaẽ je ‘nga upe ra’e jye nawa jye nawi pe jye nawa jye nawi pe

Assim era o chocalho

cheguei para ele no lugar da faca no lugar da faca

assim era o chocalho cheguei para ele no lugar da faca no lugar da faca cheguei para ele no lugar da faca no lugar da faca

19


20

Yaf u – o retorno do chocalho


Jakawara Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Aipo jakara ruri wa aipo jakara ruri wa aipo yafua ruri po turi po turi ra’e po turi ra’e Aipo jakara ruri wa aipo jakara ruri wa aipo yafua ruri po turi po turi ra’e po turi ra’e Ma’jawa te poromũ nu’wa ma’jawa te poromũ nu’wa aipo yafu ruri po turi po turi ra’e po turi ra’e

Estão chegando as visitas estão chegando as visitas está chegando o chocalho tá chegando

Estão chegando as visitas estão chegando as visitas está chegando o chocalho tá chegando tá chegando O que será isso? o que será isso? está chegando o chocalho tá chegando tá chegando tá chegando

21


22

Yaf u – o retorno do chocalho


(Continuação)

Jakawara Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Ma’jawa te poromũ nu’wa ma’jawa te poromũ nu’wa aipo yafu ruri po turi po turi ra’e po turi ra’e Ma’jawa te poromũ nu’wa ma’jawa te poromũ nu’wa aipo yafu ruri po turi po turi nu’wa po turi nu’wa po turi po turi nu’wa po turi nu’wa

O que será isso? o que será isso? está chegando o chocalho tá chegando tá chegando tá chegando O que será isso? o que será isso? está chegando o chocalho já chegou, já chegou já chegou já chegou, já chegou já chegou

23


24

Yaf u – o retorno do chocalho


Ajanga retykaret [Vencedores] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Jumi’apya aipo jumi’apya aipo yafua pe momira’ ne pe momi pe momi ra’ne pe momi ra’ne Ajanea retykarera aipo ajanga retykarera aipo yafua pe momi ra’ne pe momi pe momi ra’ne pe momi ra’ne

Escute o som da flauta escute o som da flauta pare o chocalho pare pare pare Os guerreiros estão chegando estão chegando pare o chocalho pare pare pare pare

Jumi’apya aipo jumi’apya aipo yafua pe momi ra’ne pe momi pe momi ra’ne pe momi ra’ne

Escute o som da flauta

Pe momi pe momi ra’ne pe momi ra’ne

Pare pare

escute o som da flauta pare o chocalho pare pare pare

pare

25


26

Yaf u – o retorno do chocalho


Maraka momytuna [Aumentando a (quantidade de) música] Autor: Mairata Kaiabi

Maraka momytuna arakaw maraka momytuna arakaw arakaw arakaw nũ arakaw nũ arakaw Arakaw nũ arakaw nũ

Nós estamos aumentando as nossas músicas

Maraka momytuna arakaw maraka momytuna arakaw arakaw arakaw nũ arakaw nũ arakaw Arakaw nũ arakaw nũ

Nós estamos aumentando as nossas músicas

nós estamos aumentando as nossas músicas nós, nós nós nós, nós nós

nós estamos aumentando as nossas músicas nós, nós nós nós, nós nós

Ta jeroky nũ jawe ta jeroky nũ jawe arakaw arakaw nũ arakawu nũ arakaw Arakaw nũ arakawu nũ

Para dançar, dançar para dançar, dançar

Siro jero kynũ jawe siro jero kynũ jawe arakaw arakaw nũ arakaw nũ arakaw arakaw nũ arakawu nũ

Vamos dançar, vamos dançar

para dançar, dançar para dançar, dançar nós, nós nós nós, nós nós

vamos dançar, vamos dançar Nós, nós nós nós, nós nós

27


(Continuação)

Maraka momytuna [Aumentando a (quantidade de) música]

Amonawi pe nu jaw we amonawi pe nu jaw we arakaw arakaw nũ arakaw nũ arakaw Arakaw nũ arakaw nũ Maraka mojewaka arakaw maraka mojewaka arakaw arakaw arakaw nũ arakaw nũ arakaw arakaw nũ arakaw nũ Kwasiarapara noko’ja kwasiarapara noko’ja arakaw arakaw nũ arakaw nũ arakaw Arakaw nũ arakawu nũ Ore pyjũ’ã rera’e ore pyjũ’ã rera’e arakaw arakaw nũ arakaw nũ arakaw arakaw nũ arakaw nũ

1

28

Festejando em um lugar festejando em um lugar nós, nós nós nós, nós nós Desenhando a festa desenhando a festa nós, nós nós nós, nós nós Desenhar como Kwasiarapat* desenhar como Kwasiarapat nós, nós nós nós, nós nós No nosso tornozelo no nosso tornozelo Nós, nós nós nós, nós nós

Kwasiarapat é o nome de um desenho tradicional Kawaiwete.

Yaf u – o retorno do chocalho


(Continuação)

Maraka momytuna [Aumentando a (quantidade de) música]

Ore jywa rera’e ore jywa rera’e arakaw arakaw nũ arakaw nũ arakaw arakaw nũ arakawu nũ

No nosso braço

Ore pira rera’e ore pira rera’e arakaw arakaw nũ arakaw nũ arakaw arakaw nũ arakaw nũ

Em nossa pele

no nosso braço nós, nós nós nós, nós nós

em nossa pele nós, nós nós nós, nós nós

29


30

Yaf u – o retorno do chocalho


Ry p [Festa de mulheres | nome da festa] Autor: Mairata Kaiabi

Ryka’jamamu ra’e ryka’jamamu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e Ryjeupira mu ra’e ryjeupira mu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e Kujã poramu ra’e kujã poramu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e

Foragido foragido festa, festa festa festa, festa festa Trepadeira trepadeira festa, festa festa festa, Festa festa Aquela mulher aquela mulher festa, festa festa festa, festa festa

31


32

Yaf u – o retorno do chocalho


(Continuação)

Ry p [Festa de mulheres | nome da festa] Autor: Mairata Kaiabi

Wyriaramu ra’e wyriaramu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e

Como chefe

Kujã ryramu ra’e kujã ryramu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e rywamu rywamu ra’e rywamu ra’e

Aquela mulher

como chefe festa, festa festa festa, festa festa

aquela mulher festa, festa festa festa, festa festa

33


34

Yaf u – o retorno do chocalho


Maraka [Festa] Autor: Maikatu Kaiabi

Jare maraka’emare ekoramu jare maraka’emare ekoramu torywa torywa upe torywa upe torywa Torywa upe torywa upe

Mostrando nossas festas mostrando nossas festas para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos

Jare marakamu jupe jare marakamu jupe torywa torywa upe torywa upe torywa Torywa upe torywa upe

Apresentando nossa festa para eles

Kawaiwete ramũ ra’e kawaiwete ramũ ra’e torywa torywa upe torywa upe torywa torywa upe torywa upe

Somos Kawaiwete

Jare marakamu jupe jare marakamu jupe torywa torywa upe torywa upe torywa torywa upe torywa upe

apresentando nossa festa para eles para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos

somos Kawaiwete para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos Apresentando nossa festa para eles apresentando nossa festa para eles para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos

35


36

Yaf u – o retorno do chocalho


Maraka

(Continuação)

[Festa] Autor: Maikatu Kaiabi

Kawaiwete ramu ra’e kawaiwete ramu ra’e torywa torywa upe torywa upe

Somos Kawaiwete somos Kawaiwete para os nossos próximos para os nossos próximos

Jare marakaramu ju pe jare marakaramu ju pe torywa torywa upe torywa upe torywa torywa upe torywa upe

Apresentando nossa festa

Jare marakaramu ju pe jare marakaramu ju pe torywa torywa upe torywa upe torywa torywa upe torywa upe

Apresentando nossa festa

apresentando nossa festa para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos

apresentando nossa festa para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos para os nossos próximos

37


38

Yaf u – o retorno do chocalho


Kunomĩ [Criança] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Peje pejua kunomĩ peje pejua kunomĩ jare maraka siã’ã jaw siã’ã siã’ã jaw siã’ã jaw Peje pejua kunomĩ peje pejua kunomĩ jare maraka siã’ã jaw amunawuu pype jare maraka siã’ã siã’ã siã’ã jaw siã’ã jaw Kawaiwete ramũ jaw jawaiwete ramũ jaw siã’ã siã’ã jaw siã’ã jaw

Venha criança venha criança vamos cantar nossa músicas cantar, cantar cantar Venha criança venha criança vamos cantar nossa música em uma aldeia grande vamos cantar cantar, cantar cantar Como Kawaiwete como Kawaiwete cantar, cantar cantar

39


40

Yaf u – o retorno do chocalho


Yaf u siningã [Som do chocalho] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Nani ki pejeroky yafua re nani ki pejeroky yafua re kawaiwete ramũ yafua re kawaiwete ramũ yafua re Oje roky roky je yafua re oje roky roky je yafua re yafu sininga re yafua re yafu sininga re yafua re kawaiwete ramũ yafua re kawaiwete ramũ yafua re Oje roky roky je yafua re oje roky roky je yafua re yafu sininga re yafua re yafu sininga re yafua re yawaiwete ramũ yafua re kawaiwete ramũ yafua re kawaiwete ramũ yafua re

Tem que dançar assim tem que dançar assim dança do Kawaiwete do chocalho dança do Kawaiwete do chocalho Eu danço, danço com o chocalho eu danço, danço com o chocalho no som do chocalho no som do chocalho dança do Kawaiwete do chocalho dança do Kawaiwete do chocalho Eu danço, danço com o chocalho eu danço, danço com o chocalho no som do chocalho no som do chocalho dança do Kawaiwete do chocalho dança do Kawaiwete do chocalho dança do Kawaiwete do chocalho

41


42

Yaf u – o retorno do chocalho


Siro jerokỹ [Vamos dançar] Autor: Mairata Kaiabi

Maraka siã’ã jaw maraka siã’ã jaw maraka maraka re maraka re maraka Maraka re maraka re

Vamos cantar na festa

Peje pejua kunomĩ peje pejua kunomĩ maraka maraka re maraka re maraka Maraka re maraka re

Venham crianças

Kujã meramu ra’e kujã meramu ra’e maraka maraka re maraka re maraka maraka re maraka re Siro jeroky maraka jaw siro jeroky maraka jaw maraka maraka re maraka re maraka maraka re maraka re

vamos cantar na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa

venham crianças na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa Venham mulheres venham mulheres na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa Vamos dançar na festa vamos dançar na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa

43


44

Yaf u – o retorno do chocalho


Siro jerokỹ

(Continuação)

[Vamos dançar] Autor: Mairata Kaiabi

Sie sauka jawu nu’wa sie sauka jawu nu’wa maraka Maraka re maraka re maraka Maraka re maraka re Owyterimu ra’e ewyterimu ra’e owyterimu ra’e ewyterimu ra’e maraka Maraka re maraka re maraka Maraka re maraka re Siro jeroky maraka jaw siro jeroky maraka jaw maraka Maraka re maraka re maraka Maraka re maraka re

Vamos mostrar vamos mostrar na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa No meio da casa grande no meio da casa grande na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa Vamos dançar na festa vamos dançar na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa na festa, na festa

45


46

Yaf u – o retorno do chocalho


Soja tyka jane [Vamos nos reunir] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete

Juntar nós Kawaiwete

Soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete

Juntar nós Kawaiwete

Soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete

Juntar nós Kawaiwete

Soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete soja tyka jane Kawaiwete

Juntar nós Kawaiwete

juntar nós Kawaiwete juntar nós Kawaiwete juntar nós Kawaiwete

juntar nós Kawaiwete juntar nós Kawaiwete juntar nós Kawaiwete

juntar nós Kawaiwete juntar nós Kawaiwete juntar nós Kawaiwete

juntar nós Kawaiwete juntar nós Kawaiwete juntar nós Kawaiwete

47


48

Yaf u – o retorno do chocalho


Kunumia peenũi [Chame as crianças] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Kunumia peenũi Kawaiwete kunumia peenũi Kawaiwete siro jeroky jerokya re siro jeroky jerokya re

Chame as crianças Kawaiwete

Kunumia peenũi Kawaiwete kunumia peenũi Kawaiwete siro jeroky jerokya re siro jeroky jerokya re

Chame as crianças Kawaiwete

Kunumia peenũi Kawaiwete kunumia peenũi Kawaiwete siro jeroky jerokya re siro jeroky jerokya re

Chame as crianças Kawaiwete

Kunumia peenũi Kawaiwete kunumia peenũi Kawaiwete siro jeroky jerokya re siro jeroky jerokya re

Chame as crianças Kawaiwete

chame as crianças Kawaiwete nós vamos dançar com elas nós vamos dançar com elas

chame as criancas Kawaiwete nós vamos dançar com elas nós vamos dançar com elas

chame as crianças Kawaiwete nós vamos dançar com elas nós vamos dançar com elas

chame as crianças Kawaiwete nós vamos dançar com elas nós vamos dançar com elas

49


50

Yaf u – o retorno do chocalho


Yaf ua simonga ty rũ [Vamos arrumar o chocalho] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Peje ajewe yafua simonga tyrũ peje ajewe yafua simonga tyrũ jero kyawa jero kyawi pe jero kyawa jero kyawi pe

Então comece a arrumar o chocalho

Peje ajewe yafua simonga tyrũ peje ajewe yafua simonga tyrũ jere kyawa jero kyawi pe jere kyawa jero kyawi pe

Então comece a arrumar o chocalho

Peje ajewe yafua simonga tyrũ peje ajewe yafua simonga tyrũ jero kyawa jero kyawi pe jero kyawa jero kyawi pe

Então comece a arrumar o chocalho

Peje ajewe yafua simonga tyrũ peje ajewe yafua simonga tyrũ jero kyawa jero kyawi pe jero kyawa jero kyawi pe

Então comece a arrumar o chocalho

então comece a arrumar o chocalho no espaço da festa dance no espaço da festa dance

então comece a arrumar o chocalho no espaço da festa dance no espaço da festa dance

então comece a arrumar o chocalho no espaço da festa dance no espaço da festa dance

então comece a arrumar o chocalho no espaço da festa dance no espaço da festa dance

51


52

Yaf u – o retorno do chocalho


Yaf ua wero jewara [Dançando em círculo com o chocalho] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Amaraka pype erajewarai amaraka pype erajewarai kawaiwete a yafua wero jewara

Dançando em círculo dançando em círculo os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Kawaiwete a yafua wero jewara

Os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Amaraka pype erajewarai amaraka pype erajewarai kawaiwete a yafua wero jewara

Dançando em círculo dançando em círculo os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Kawaiwete a yafua wero jewara

Os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Amaraka pype erajewarai amaraka pype erajewarai kawaiwete a yafua wero jewara

Dançando em círculo dançando em círculo os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Kawaiwete a yafua wero jewara

Os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

53


54

Yaf u – o retorno do chocalho


Yaf ua wero jewara

(Continuação)

[dançando em círculo com o chocalho] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Amaraka pype erajewarai amaraka pype erajewarai kawaiwete a yafua wero jewara

Dançando em círculo dançando em círculo os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Kawaiwete a yafua wero jewara

Os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Amaraka pype erajewarai amaraka pype erajewarai kawaiwete a yafua wero jewara

Dançando em círculo dançando em círculo os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Kawaiwete a yafua wero jewara

Os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Amaraka pype erajewarai amaraka pype erajewarai kawaiwete a yafua wero jewara

Dançando em círculo dançando em círculo os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

Kawaiwete a yafua wero jewara

Os Kawaiwete dançando em círculo com o chocalho

55


56

Yaf u – o retorno do chocalho


Nan je yaf ua renu’ami imosininga nũ [Assim eu fico tocando o chocalho] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Nan je yafua renu’ami imosininga nũ nan je yafua renu’ami imosininga nũ nan je’aminũ torywa pype nan je’aminũ torywa pype Nan je yafua renu’ami imosininga nũ nan je yafua renu’ami imosininga nũ nan je’aminũ torywa pype nan je’aminũ torywa pype Nan je’ami nan ami torywa pype nan je’ami nan ami torywa pype nan je’aminũ torywa pype Nan je’ami nan je’ami yafua re nan je’ami nan je’ami yafua re nan je’ami nan je’ami yafua re nan je’ami nan je’ami yafua re

Assim eu fico tocando o chocalho assim eu fico tocando o chocalho assim eu fico para os meus próximos assim eu fico para os meus próximos Assim eu fico tocando o chocalho assim eu fico tocando o chocalho assim eu fico para os meus próximos assim eu fico para os meus próximos Assim assim eu fico para os meus próximos assim assim eu fico para os meus próximos assim eu fico para os meus próximos Assim eu fico no som do chocalho assim eu fico no som do chocalho assim eu fico no som do chocalho assim eu fico no som do chocalho

57


58

Yaf u – o retorno do chocalho


Nan je yaf ua renu’ami imosininga nũ [Assim eu fico tocando o chocalho] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Nan je’ami nan je’ami torywa pype nan je’ami nan je’ami torywa pype

(Continuação)

Eu fico com os meus próximos dançando eu fico com os meus próximos dançando

Nan je’ami nan je’ami yafua re nan je’ami nan je’ami yafua re

Assim eu fico no som do chocalho

nan je’ami nan je’ami yafua re nan je’ami nan je’ami yafua re

assim eu fico no som do chocalho

Nan je’ami nan je’ami yafua re nan je’ami nan je’ami yafua re nan je’ami nan ami torywa pype nan je’ami nan ami torywa pype

Assim eu fico no som do chocalho

assim eu fico no som do chocalho assim eu fico no som do chocalho

assim eu fico no som do chocalho assim assim eu fico para os meus próximos assim assim eu fico para os meus próximos

59


60

Yaf u – o retorno do chocalho


Tariwa retee [Junto com Tariwa2] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Nan pajewe ajuerekoi peje te ra’e ore maraka ianopa nũ ore maraka ianopa nũ nan pajewe ajue rekoi peje te ra’e nan pajewe ajue rekoi peje te ra’e ore maraka ianopa nũ ore maraka ianopa nũ Tariwa retee ra’e tariwa retee ra’e oro jerokyw yafua re oro jerokyw yafua re nan pajewe ajuerekoi Nan pajewe ajuerekoi ajue rekow maraka re pe’je te ra’e Tariwa upe Nan pajewe ajuerekoi nan pajewe ajuerekoi Ajue rekoi yafua re ajue rekoi yafua re ore marakaa ianupa nũ ore marakaa ianupa nũ nan pajewe ajue rekoi nan pajewe ajue rekoi yafua re ajerokyaw nũ yafua re ajerokyaw nũ 2

É assim que vocês ficam juntos quando nós dançamos quando nós dançamos é assim que vocês ficam juntos é́ assim que vocês ficam juntos quando nós dançamos quando nós dançamos Junto com a Tariwa junto com a Tariwa dançando com o som do chocalho dançando com o som do chocalho é́ assim que vocês ficam É assim que vocês ficam dançando na festa vocês falaram como eu danço com a Tariwa É assim que vocês ficam é́ assim que vocês ficam Assim farei com o chocalho assim farei com o chocalho quando nós dançamos quando nós dançamos é assim que vocês ficam é́ assim que vocês ficam dançando com o som do chocalho dançando com o som do chocalho

Tariwa é uma moça-pajé que mora na aldeia 11 de Setembro. Filha do Mairawe. Ela é pajé. Ela e Tuiat fizeram uma dança juntos para essa música. 61


62

Yaf u – o retorno do chocalho


Owy teri pe [No centro da casa] Autor: Mairata Kaiabi

Owy teri pe owy teri pe ra’e wafukaja re nu’ama ajanga upe Ajanga ajanga upe ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe Owy teri pe owy teri pe ra’e wafukaja re nu’ama ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe Wewirera rerekaw rakue wewirera rerekaw rakue wafukaja re nu’ama ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe

No meio da casa grande gritando para o seu povo ajanga Para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga No meio da casa grande gritando para o seu povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga Junto com o irmão junto com o irmão gritando para o seu povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga

63


64

Yaf u – o retorno do chocalho


Owy teri pe

(Continuação)

[No centro da casa] Autor: Mairata Kaiabi

Siroo ete emiara’yrera jaw we siroo ete emiara’yrera jaw we wafukaja re nu’ama ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe Simopyamo tapiry’wara jaw we simopyamo tapiry’wara jaw we wafukaja re nu’ama ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe Simopyamo ka’atetena jaw we simopyamo ka’atetena jaw we wafukaja re nu’ama ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe ajanga ajanga upe ajanga upe

Só para levar a sua criação só para levar a sua criação gritando para o seu povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga Só pra gente levar a criação só pra gente levar a criação gritando para o seu povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga Espantar o passarinho que eles criavam espantar o passarinho que eles criavam gritando para o seu povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga para o povo ajanga ajanga para o povo ajanga

65


66

Yaf u – o retorno do chocalho


Aipo yaf u jewy ri [A volta do chocalho] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Aipo yafu jewyri aipo yafu jewyri oje’wyri pe awawu ra’e oje’wyri pe awawu ra’e

O chocalho está voltando

Aipo yafu jewyri aipo yafu jewyri oje’wyri pe awawu ra’e oje’wyri pe awawu ra’e

O chocalho está voltando

Aipo yafu jewyri aipo yafu jewyri oje’wyri pe awawu ra’e oje’wyri pe awawu ra’e

O chocalho está voltando

Aipo yafu jewyri aipo yafu jewyri oje’wyri pe awawu ra’e oje’wyri pe awawu ra’e

O chocalho está voltando

Aipo yafu jewyri aipo yafu jewyri oje’wyri pe awawu ra’e oje’wyri pe awawu ra’e

O chocalho está voltando

Aipo yafu jewyri aipo yafu jewyri oje’wyri pe awawu ra’e oje’wyri pe awawu ra’e

O chocalho está voltando

o chocalho está voltando para onde ele mora para onde ele mora

o chocalho está voltando para onde ele mora para onde ele mora

o chocalho está voltando para onde ele mora para onde ele mora

o chocalho está voltando para onde ele mora para onde ele mora

o chocalho está voltando para onde ele mora para onde ele mora

o chocalho está voltando para onde ele mora para onde ele mora

67


68

Yaf u – o retorno do chocalho


Amomi je yaf ua [Eu vou parar o chocalho] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Amomi momi je yafua amomi momi je yafua ukara pype imomika nu ukara pype imomika nu

Eu vou parar parar com o som do chocalho

Amomi momi je yafua amomi momi je yafua ukara pype imomika nu ukara pype imomika nu

Eu vou parar parar com o som do chocalho

Amomi momi je yafua amomi momi je yafua ukara pype imomika nu ukara pype imomika nu

Eu vou parar parar com o som do chocalho

Amomi momi je yafua amomi momi je yafua ukara pype imomika nu ukara pype imomika nu

Eu vou parar parar com o som do chocalho

Amomi momi je yafua amomi momi je yafua ukara pype imomika nu ukara pype imomika nu

Eu vou parar parar com o som do chocalho

Amomi momi je yafua amomi momi je yafua ukara pype imomika nu ukara pype imomika nu

Eu vou parar parar com o som do chocalho

eu vou parar parar com o som do chocalho no meio da casa grande no meio da casa grande

eu vou parar parar com o som do chocalho no meio da casa grande no meio da casa grande

eu vou parar parar com o som do chocalho no meio da casa grande no meio da casa grande

eu vou parar parar com o som do chocalho no meio da casa grande no meio da casa grande

eu vou parar parar com o som do chocalho no meio da casa grande no meio da casa grande

eu vou parar parar com o som do chocalho no meio da casa grande no meio da casa grande

69


70

Yaf u – o retorno do chocalho


Jemy j’y ja [Lua] Autor: Mairata Kaiabi

Kujã po a nga wa re rekow kujã po a nga wa re rekow jemyj’yja wiweramu awawu ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e

Esta com o desenho da mão da mulher

Kujã rere koemamu ra kue kujã rere koemamu ra kue jemyj’yja wiweramu awawu ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e

Brincava com a mulher

U’wa monore ra’e u’wa monore ra’e jemyj’yja wiweramu awawu ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e

indo indo

Pino singa rerawaw rakue pino singa rerawaw rakue jemyj’yja wiweramu awawu ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e

esta com o desenho da mão da mulher pra ser maluco indo indo indo indo indo indo indo indo

brincava com a mulher pra ser maluco indo indo indo indo indo indo indo indo

indo indo pra ser maluco indo indo indo indo indo indo indo indo Levando levando para sempre levando levando para sempre pra ser maluco indo indo indo indo indo indo indo indo 71


72

Yaf u – o retorno do chocalho


(Continuação)

Jemy j’y ja [Lua] Autor: Mairata Kaiabi

Ae fera para’e ae fera para’e jemyj’yja wiweramu awawu ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e

Era aquilo era aquilo pra ser maluco indo indo indo indo indo indo indo indo

Kujã muku wau ra’e kujã muku wau ra’e jemyj’yja wiweramu awawu ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e

transava com a moça

Ojemonya kuja jawa um ojemonya kuja jawa um jemyj’yja wiweramu awawu ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e

dizendo que a mulher menstruou

Jay ramu ra’e jay ramu ra’e jemyj’yja wiweramu awawu ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e awaw awaw ra’e awaw ra’e

Como lua

transava com a moça pra ser maluco indo indo indo indo indo indo indo indo

dizendo que a mulher menstruou pra ser maluco indo indo indo indo indo indo indo indo

como lua pra ser maluco indo indo indo indo indo indo indo indo 73


74

Yaf u – o retorno do chocalho


Mai t [Deuses] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Ama’eramũ maira ojemojewak ama’eramũ maira ojemojewak yafu jewaga apa’ru ra’e yafu jewaga apa’ru ra’e Ama’eramũ maira ojemojewak ama’eramũ maira ojemojewak yafu jewaga apa’ru ra’e yafu jewaga apa’ru ra’e Ama’eramu maira ojemojewak ama’eramũ maira ojemojewak yafu jewaga apa’ru ra’e yafu jewaga apa’ru ra’e Ama’eramu maira ojemojewak ama’eramũ maira ojemojewak yafu jewaga apa’ru ra’e yafu jewaga apa’ru ra’e Ama’eramu maira ojemojewak ama’eramũ maira ojemojewak yafu jewaga apa’ru ra’e yafu jewaga apa’ru ra’e

Os espíritos estão se enfeitando os espíritos estão se enfeitando eles estão usando o desenho do chocalho eles estão usando o desenho do chocalho Os espíritos estão se enfeitando os espíritos estão se enfeitando eles estão usando o desenho do chocalho eles estão usando o desenho do chocalho Os espíritos estão se enfeitando os espíritos estão se enfeitando eles estão usando o desenho do chocalho eles estão usando o desenho do chocalho Os espíritos estão se enfeitando os espíritos estão se enfeitando eles estão usando o desenho do chocalho eles estão usando o desenho do chocalho Os espíritos estão se enfeitando os espíritos estão se enfeitando eles estão usando o desenho do chocalho eles estão usando o desenho do chocalho

75


76

Yaf u – o retorno do chocalho


Jerokyawi pe [Local de dança] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Eukwe ore jatykai eukwe ore jatykai jerokyawa jerokyawi pe jerokyawa jerokyawi pe

Estamos nos reunindo

Mytuna upe ore jatykai mytuna upe ore jatykai jerokyawa jerokyawi pe jerokyawa jerokyawi pe

Estamos reunidos no meio da multidão

Eukwe ore jatykai eukwe ore jatykai jerokyawa jerokyawi pe jerokyawa jerokyawi pe

Estamos nos reunindo

Mytuna upe ore jatykai mytuna upe ore jatykai jerokyawa jerokyawi pe jerokyawa jerokyawi pe

Estamos reunidos no meio da multidão

estamos nos reunindo local local de dança local local de dança

estamos reunidos no meio da multidão local local de dança local local de dança

estamos nos reunindo local local de dança local local de dança

estamos reunidos no meio da multidão local local de dança local local de dança

77


78

Yaf u – o retorno do chocalho


Waraka ‘angara oje mojewak [Os cantores estão se pintando] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Waraka ‘angara te oje mojewak yafu jewaga o’paru ra’e yafu jewaga o’paru ra’e

3

Os cantores estão se pintando usando a pintura do chocalho usando a pintura do chocalho

Ma’eramũ maira oje mojewak ma’eramũ maira oje mojewak yafu jewaga o’paru ra’e yafu jewaga o’paru ra’e

Porque os maira estão se pintando?

Ma’eramũ maira oje mojewak ma’eramũ maira oje mojewak yafu jewaga o’paru ra’e yafu jewaga o’paru ra’e

Porque os maira estão se pintando?

Ma’eramũ maira oje mojewak ma’eramũ maira oje mojewak yafu jewaga o’paru ra’e yafu jewaga o’paru ra’e

Porque os maira estão se pintando?

Ma’eramũ maira oje mojewak ma’eramũ maira oje mojewak yafu jewaga o’paru ra’e yafu jewaga o’paru ra’e

Porque os maira estão se pintando?

porque os maira estão se pintando? usando a pintura do chocalho usando a pintura do chocalho

porque os maira estão se pintando? usando a pintura do chocalho usando a pintura do chocalho

porque os maira estão se pintando? usando a pintura do chocalho usando a pintura do chocalho

porque os maira estão se pintando? usando a pintura do chocalho usando a pintura do chocalho

Maira são os espíritos que cantam e que ensinaram o Tuiaraiup. 79


80

Yaf u – o retorno do chocalho


Pepo kowy sipo ore jawe Ia’neat [Vocês vão saber entrar na roda igual a nós?] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Pepo kowy sipo ore jawe nũ pepo kowy sipo ore jawe nũ peje jasimana ore jawe nũ

vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Peje jasimana ore jawe nũ

Vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Vocês vão saber igual a nós? vocês vão saber igual a nós?

Pepo kowy sipo ore jawe nũ pepo kowy sipo ore jawe nũ peje jasimana ore jawe nũ

vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Peje jasimana ore jawe nũ

Vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Vocês vão saber igual a nós? vocês vão saber igual a nós?

Pepo kowy sipo ore jawe nũ pepo kowy sipo ore jawe nũ peje jasimana ore jawe nũ

vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Peje jasimana ore jawe nũ

Vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Pepo kowy sipo ore jawe nũ pepo kowy sipo ore jawe nũ peje jasimana ore jawe nũ

Vocês vão saber igual a nós? vocês vão saber igual a nós?

Vocês vão saber igual a nós? vocês vão saber igual a nós? vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

81


82

Yaf u – o retorno do chocalho


Pepo kowy sipo ore jawe Ia’neat [Vocês vão saber entrar na roda igual a nós?] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Peje jasimana ore jawe nũ

(Continuação)

Vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Pepo kowy sipo ore jawe nũ pepo kowy sipo ore jawe nũ peje jasimana ore jawe nũ

vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Peje jasimana ore jawe nũ

Vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

vocês vão saber igual a nós? vocês vão saber igual a nós?

Pepo kowy sipo ore jawe nũ pepo kowy sipo ore jawe nũ peje jasimana ore jawe nũ

vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Peje jasimana ore jawe nũ

Vocês vão saber entrar na roda igual a nós?

Vocês vão saber igual a nós? vocês vão saber igual a nós?

83


84

Yaf u – o retorno do chocalho


Peesa ngiki jero kya nũ [Vejam como dança] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re peesa giki jero kya nũ peesa giki jero kya nũ

Vamos fazer uma roda na festa

Awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re peesa giki jero kya nũ peesa giki jero kya nũ

Vamos fazer uma roda na festa

Awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re peesa giki jero kya nũ peesa giki jero kya nũ

Vamos fazer uma roda na festa

Awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re peesa giki jero kya nũ peesa giki jero kya nũ

Vamos fazer uma roda na festa

Awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re awamũ ore ja’kunaa wi jero kya re peesa giki jero kya nũ peesa giki jero kya nũ

Vamos fazer uma roda na festa

vamos fazer uma roda na festa vejam como dança vejam como dança

vamos fazer uma roda na festa vejam como dança vejam como dança

vamos fazer uma roda na festa vejam como dança vejam como dança

vamos fazer uma roda na festa vejam como dança vejam como dança

vamos fazer uma roda na festa vejam como dança vejam como dança

85


86

Yaf u – o retorno do chocalho


Oro py ta nepo je marakaa nũ [Eu vou parar a música] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Oro pyta nepo je marakaa nũ oro pyta nepo je marakaa nũ ew ke je’maraka rero atai ra’e

eu vou continuar andando com a música

Ew ke je’maraka rero atai ra’e

Eu vou continuar andando com a música

Oro pyta nepo je marakaa nũ oro pyta nepo je marakaa nũ ew ke je’maraka rero atai ra’e

Eu vou parar a música eu vou continuar andando com a música

Ew ke je’maraka rero atai ra’e

Eu vou continuar andando com a música

Oro pyta nepo je marakaa nũ oro pyta nepo je marakaa nũ ew ke je’maraka rero atai ra’e

Eu vou parar a música eu vou continuar andando com a música

Ew ke je’maraka rero atai ra’e

Eu vou continuar andando com a música

Eu vou parar a música eu vou parar a música

eu vou parar a música

eu vou parar a música

87


88

Yaf u – o retorno do chocalho


Yaf ua re ore jamuei [Nós disputamos o chocalho] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Yafua re ore jamuei yafua re ore jamuei jero kyawa jero kyawi pe jero kyawa jero kyawi pe marana jewe jane jero kyi marana jewe jane jero kyi

Nós disputamos com o chocalho

Yafua re ore jamuei yafua re ore jamuei jero kyawa jero kyawi pe jero kyawa jero kyawi pe marana jewe jane jero kyi marana jewe jane jero kyi

Nós disputamos com o chocalho

Yafua re ore jamuei yafua re ore jamuei jero kyawa jero kyawi pe jero kyawa jero kyawi pe

Nós disputamos com o chocalho

nós disputamos com o chocalho onde nós dançamos, dançamos onde nós dançamos, dançamos como que nós vamos dançar? como que nós vamos dançar?

nós disputamos com o chocalho onde nós dançamos, dançamos onde nós dançamos, dançamos como que nós vamos dançar? como que nós vamos dançar?

nós disputamos com o chocalho onde nós dançamos, dançamos onde nós dançamos, dançamos

89


90

Yaf u – o retorno do chocalho


Yaf u pojya [Chocalho sagrado] Autor: Tuiaraiup Kaiabi

Nan jeje rokyi awamũ ra’e nan jeje rokyi awamũ ra’e yafu pojya je oro jeroky

eu vou dançar com o chocalho sagrado

yafu pojya je oro jeroky

Eu vou dançar com o chocalho sagrado

Assim dançamos agora assim dançamos agora

Nan jeje rokyi awamũ ra’e nan jeje rokyi awamũ ra’e yafu pojya je oro jeroky

eu vou dançar com o chocalho sagrado

yafu pojya je oro jeroky

Eu vou dançar com o chocalho sagrado

Assim dançamos agora assim dançamos agora

Nan jeje rokyi awamũ ra’e nan jeje rokyi awamũ ra’e yafu pojya je oro jeroky

eu vou dançar com o chocalho sagrado

Yafu pojya je oro jeroky

Eu vou dançar com o chocalho sagrado

Assim dançamos agora assim dançamos agora

Nan jeje rokyi awamũ ra’e nan jeje rokyi awamũ ra’e yafu pojya je oro jeroky

eu vou dançar com o chocalho sagrado

Yafu pojya je oro jeroky

Eu vou dançar com o chocalho sagrado

Assim dançamos agora assim dançamos agora

91


Oficina de desenhos (aldeia TuiararĂŠ)

92


93


94


95


96


97


98


Transcrição e Tradução das músicas

Aturi (Jowosipep) Kaiabi

Pikuruk Kayabi

Suzi Lima

Tomãiru Kaiabi

Wyrakatu Kaiabi 99


Esta publicação foi produzida como resultado de uma oficina (julho de 2011) de texto e desenho com comunidades indígenas Kawaiwete na aldeia Tuiararé. A oficina foi realizada pelo Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas do Museu do Índio/Funai. EDITORIAL TIPOLOGIA Helvetica, Arial e Tekton Pro FORMATO Carta [21 x 28 cm] PAPEL 120 g/m2 em impressão 4/4 cores CAPA Dupla combinada papel 350 g/m2 e pvc 030 mm cristal rígido com encadernação lombada quadrada TIRAGEM 1000 exemplares


Livro_ Yafu o retorno do chocalho  

Este livro é um dos produtos previstos dos projetos ProDoclin, de seus pesquisadores indígenas e não-indígenas, bem como de toda a equipe ge...

Livro_ Yafu o retorno do chocalho  

Este livro é um dos produtos previstos dos projetos ProDoclin, de seus pesquisadores indígenas e não-indígenas, bem como de toda a equipe ge...

Advertisement