Page 1

RECUPERAR O PATRIMÓNIO VALORIZAR A CULTURA


INDÍCE 04’PROJECTOS Ampliação do Quartel dos Bombeiros Voluntários de Borba

06’OBRAS Ministro do Ambiente inaugurou a Área de Deposição Comum de Borba | Palacete dos Melos novamente com actividade | Ampliação do Mercado Municipal na fase final | Construção de Campo de Treinos | Reparação de caminhos rurais | Abertura de arruamento no Loteamento de Nossa Senhora da Vitória | Alargamento de pontão em Alcaraviça | Pavimentação de via em Alcaraviça

13’DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO Festa da Vinha e do Vinho’08 | Autarquia e empresários debateram as novas oportunidades para a competitividade e inovação no sector dos mármores | Autarquia aprovou parceiro para a execução de projectos | Câmara Municipal de Borba não aplica derrama e fixa taxas de IMI para 2009

22’CULTURA Festas em Honra do Senhor Jesus dos Aflitos 2008 | Jornadas Europeias do Património | Território das Artes promoveu o teatro e a música | Borba Natal’08

28’ DESPORTO Município e clubes desportivos assinaram contratos-programa de desenvolvimento desportivo

29’EDUCAÇÃO Ano lectivo 2008/2009 | Município ofereceu manuais escolares aos alunos | Município assinou contrato para transferência de competências em matéria de educação

31’AMBIENTE Borba Florida’08 | Borba Branca Borba Limpa’08 | Nova viatura para recolha de RSU

33’ACÇÃO SOCIAL Complemento Solidário para Idosos apresentado aos idosos de Borba | Município de Borba vai ter Serviço de Informação e Mediação para Pessoas com Deficiência | Município assinou Protocolo de Cooperação Porta 65

35’DIVERSOS FICHATÉCNICA

Feira dos Santos | Borba recebe a primeira Loja do Cidadão de 2ª Geração no Alentejo | Natal do Idoso’08 | Borba gemina-se com Chibia e Mé-Zóchi | Biblioteca Municipal

DIRECTOR: Presidente Ângelo de Sá SUB-DIRECTOR: Vereador Humberto Ratado COORDENAÇÃO EDITORIAL: João Oliveira DESIGN E PAGINAÇÃO: Bruno Prates REDACÇÃO: João Oliveira, Neide Canhoto, António Panasco, Ana Heitor, Rosalina de Castro SECRETARIADO: José Alberto Pécurto FOTOGRAFIA: João Oliveira, Neide Canhoto, Luís Paixão, Bruno Prates, Ondina Giga, Carlos Bacalhau, Sara Jaques EDIÇÃO: Gabinete de Informação e Relações Públicas da Câmara Municipal de Borba, Praça da República 7150-249 Borba Telefone: 268 891 630 (GERAL) Fax: 268 894 806 e-mail: girp@cm-borba.pt IMPRESSÃO GRÁFICA: Gráfica Calipolense, Lda - Vila Viçosa Tiragem: 4.000 exemplares Dep. Legal Nº: 49376/91


EM ÉPOCA DE CRISE HÁ QUE INVESTIR

Caros Munícipes

Ângelo João Guarda

É do conhecimento público o imenso esforço que temos feito em termos de

Verdades de Sá

investimento no sentido de proporcionar a todos os habitantes do concelho

Presidente da Câmara Municipal de Borba

equipamentos há muito tempo esperados e prometidos, mas que só agora estão a ser concretizados. Esta equipa trouxe para Borba tudo aquilo que considerou fundamental para que os habitantes tenham gosto em viver no concelho. Estamos conscientes de que ainda é possível melhorar. Tudo faremos no sentido de manter em funcionamento e dinamizar os equipamentos criados, ao mesmo tempo que nos empenharemos no sentido de continuar a captar ao máximo os fundos comunitários do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional). Apesar da crise internacional e nacional, tem que ser o Poder Central e o Poder Local individualmente, em parcerias públicas e/ou público-privadas a dar um sinal de esperança e confiança tendo em vista manter e, se possível, aumentar os postos de trabalho no concelho. Estamos conscientes de que não é tarefa fácil contribuir para aumentar a empregabilidade nesta época de desaceleração económica e de crise, mas todo o esforço faremos para que tal aconteça. Nesta quadra festiva, queria terminar desejando a todos os habitantes do concelho umas Boas Festas e que o ano de 2009 seja um ano melhor para todos. O Presidente da Câmara Municipal de Borba


PROJECTOS

AMPLIAÇÃO DO QUARTEL DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE BORBA A ampliação do Quartel dos Bombeiros Voluntários de Borba é um projecto que a autarquia pretende vir a executar. Devido à nova Legislação que veio definir o Programa de Apoio Infra-Estrutral para beneficiação, ampliação e construção de edifícios operacionais para os corpos de bombeiros, Portaria n.º 1562/2007, de 11 de Dezembro, no âmbito do Grupo B – Obras de Ampliação e a candidatura para o seu financiamento será enquadrada no Despacho n.º 11735/2008, de 24 de Abril, a autarquia elaborou um novo projecto de forma a corresponder às exigências actuais. Actualmente, o Quartel funciona num edifício que não responde às necessidades da corporação. Para além de se tratar de um edifício que tem vindo a ser transformado organicamente, por forma a colmatar as necessidades que vão surgindo. No entanto, a estrutura continua a ser insuficiente e pouco funcional, para a função a que se destina. O actual edifício encontra-se adossado a um edifício de dois pisos, com a tipologia de um edifício de habitação, mas que presentemente, pelo facto de pertencer aos Bombeiros Voluntários de Borba, faz parte integrante da orgânica do quartel, nomeadamente na cozinha, funciona a lavandaria e o tratamento de roupa e, num dos quartos do piso térreo, a camarata das raparigas. O acesso a esta edificação é independente, não existindo qualquer ligação interna ao edifício do quartel. O novo projecto tem como objectivo primordial, além de criar condições para o desenvolvimento da actividade de bombeiro, executar interligações entre os diferentes

PLANTA DO R/CHÃO

espaços do edifício e deste com o edifício anexo, ampliando-o em cerca de 345 m2. Este projecto cumpre outro dos objectivos a que se propunha, que era criar uma estrutura para a corporação feminina, respectivamente camaratas, balneários e instalações sanitárias, assim como uma sala de formação para a corporação. Esta ampliação desenvolve-se ao nível do piso 1, sobre um alpendre que se destina a um parque de viaturas coberto e é acessível pelo piso 1, através de um terraço existente, ao qual se acede directamente pela escada da torre, ou indirectamente, pela escada interna do edifício. Em todo o quartel serão redimensionados e criados novos espaços e acessos, por forma a optimizar a funcionalidade do edifício. Propõe-se o redimensionamento e relocalização da camarata masculina, à qual são adossados balneários e instalações sanitárias masculinas. Propõe-se também que a ligação entre o parque de viaturas encerrado e o piso térreo do quartel propriamente dito, seja executada através uma rampa com 7%, bem como a introdução de uma instalação sanitária para utentes com mobilidade condicionada, dando assim cumprimento ao D.L. n.º: 163/2006, de 8 de Agosto. O arquivo, as arrecadações destinadas aos fardamentos e aos instrumentos musicais, irão posicionar-se no edifício adjacente. No Piso 0 deste mesmo edifício, continuarão a desenvolver-se as actividades de lavandaria e tratamento de roupa, que ficará ligado internamente ao edifício do quartel. A presente proposta carece ainda de parecer da Autoridade Nacional de Protecção Civil, que é vinculativo.

PLANTA DO 1º ANDAR

ÁREA DE AMPLIAÇÃO

4|5

ÁREA DE AMPLIAÇÃO


OBRAS

MINISTRO DO AMBIENTE INAUGUROU A ÁREA DE DEPOSIÇÃO COMUM DE BORBA A primeira Área de Deposição Comum prevista para a Zona dos Mármores foi inaugurada em Borba no dia 23 de Outubro, pelo Ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Regional. Para gerir, valorizar, comercializar e depositar os resíduos gerados pela indústria extractiva e transformadora das rochas ornamentais da Zona dos Mármores foi criada em 2002 a empresa EDC Mármores – Empresa Gestora das Áreas de Deposição Comum dos Mármores, S.A., cujos accionistas são as câmaras municipais de Borba, Vila Viçosa, Estremoz e Alandroal, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo e a ASSIMAGRA, representando os industriais do sector dos mármores. Numa primeira fase, a Área de Deposição Comum de Borba (ADC3) foi construída numa área de 20,8 ha e irá receber, armazenar e valorizar todas as tipologias de resíduos produzidos pelas empresas transformadoras e extractivas das rochas ornamentais, com áreas específicas para cada actividade e aproveitamento económico dos materiais recicláveis, para a deposição de excedentes e para o controlo e expedição de materiais. A recolha dos resíduos processar-se-á de modo selectivo logo na origem de forma a permitir um armazenamento organizado e um ciclo de utilização com grandes valências económicas e ambientais. A importância do projecto foi realçada pelos intervenientes na cerimónia de inauguração da plataforma logística. Daniel Batista, Presidente da EDC Mármores, S.A., considerou a concretização do projecto como “a afirmação com toda a convicção que está nas nossas mãos semear projectos de sustentabilidade, passando das palavras aos actos”, dado que pretende “valorizar os resíduos de um sector que sabe que os tem, mas sabe também que podem ser utilizados nas diversas infra-estruturas de transporte que serão levadas a cabo nos próximos anos, as novas rodovias, o comboio de alta velocidade e o novo Aeroporto”, realçando o carácter inovador da ADC3. Ângelo de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Borba, defendeu que a inauguração da infra-estrutura só foi possível “porque sempre acreditámos que estávamos no caminho certo”, lançando o apelo às autarquias de Vila Viçosa e Estremoz para avançarem com as restantes ADC's previstas no PROZOM. Realçou o esforço que “o Município teve que fazer em termos de instrumentos de

planeamento, traduzido também em custos”, referindo-se à adaptação do Plano Director Municipal, ao Estudo Global da UNOR e ao Plano de Intervenção em Espaço Rural. Significativo foi também o “esforço financeiro que este Município fez, ao fazer mais um investimento de cerca de 3 milhões de euros na rede de estradas que vão ligar os núcleos de extracção e transformação de mármores”. Ângelo de Sá considera que este passo “representa para a autarquia o início de um novo ciclo em termos ambientais no sector dos mármores, com a valorização dos subprodutos” e a perspectiva de “instalação de novas unidades industriais na Zona Industrial do Alto dos Bacelos que explorem as inúmeras potencialidades que estes subprodutos apresentam, beneficiando da proximidade com a matéria-prima e da rede de acessibilidades que serve o concelho e a região”, sensibilizando o membro do Governo para a importância da utilização destes inertes em grandes obras públicas. A Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, Maria Leal Monteiro, definiu a ADC3 como o projecto âncora da Acção Integrada da Zona dos Mármores, que “vai permitir a diminuição de um importante volume de passivo ambiental criado com a deposição dos subprodutos”, adiantando que a massa acumulada de escombros “está estimada em mais de 22 milhões de m3”, segundo dados de 1999, sendo o aproveitamento dos subprodutos contabilizado em “mais de uma centena de aplicações”. Maria Leal Monteiro defende também o aproveitamento dos subprodutos dos mármores para as grandes obras públicas, que “seria um passo primordial para a desafectação de solos de grande interesse geológico”. Perante a previsão de diminuição do número de empresas em detrimento “de explorações que se concentrem de modo mais homogéneo, terminando com a proliferação de pedreiras abertas”, um ajustamento que poderá não significar uma redução da produção anual, dado que “os mercados internacionais continuam a manifestar preferência pelo mármore português, reconhecido pela qualidade e que garante uma perenidade e uma resistência aos factores atmosféricos sem paralelo perante outros recursos com as mesmas características geológicas”. O Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Desenvolvimento Regional definiu as actividades extractivas e transformadoras como “um factor essencial 6|7


de criação de riqueza e emprego e um contributo importante para as exportações do país”. Como titular da pasta do Desenvolvimento Regional, considera que “este é um sector que tem que ser encorajado e apoiado”, destacando as escombreiras “como o problema ambiental mais sério da região”, dado que a taxa de aproveitamento é de cerca de 20%, destacando a parceria “alargada entre as câmaras municipais, os industriais e a CCDR Alentejo, criando o instrumento para a solução do problema”. O membro do Governo tomou conhecimento do problema ambiental “enquanto Coordenador da preparação do primeiro Plano Nacional de Política de Ambiente concluído em 1995, no qual ficou consagrado que o problema de extracção dos mármores era de primeira importância na região”. Francisco Nunes Correia defendeu que a “economia e o ambiente podem e devem ser aliados, com vantagens para os dois lados e aquilo que temos aqui hoje é um exemplo extraordinário”. Portugal é dos países que começa a ter mais sistemas no terreno para tratar as várias fileiras de resíduos, tomando como exemplo os óleos, os equipamentos eléctricos e electrónicos, pilhas e acumuladores, veículos em fim de vida, os pneus, resíduos da construção e demolição e as embalagens, sendo a ADC um “primeiro passo para trazer esta filosofia à indústria das rochas ornamentais”. A construção da ADC3 e as quatro vias de acesso envolveram um investimento de 5,6 milhões de euros, com financiamento ao abrigo do Programa Operacional Regional do Alentejo, com fundos do Estado português e da União Europeia.


OBRAS

PALACETE DOS MELOS NOVAMENTE COM ACTIVIDADE Depois de várias décadas encerrado, o Palacete dos Melos foi totalmente recuperado e já se encontra ao serviço da população, desempenhando futuramente um importante papel na dinamização cultural no concelho. O Palacete dos Melos, também denominado Solar dos Fidalgos Sousa Carvalho Melo, é um edifício de grande valor arquitectónico, datado do século XVIII, construído em meados do século como residência da Família Sousa Carvalho e Melo. Com fachada sobre o Largo Bernardino Ramos, a sua localização é favorecida por se situar na zona mais antiga da Vila de Borba. Os balcões de mármore esculpido e gradeamento em ferro, a escadaria e o escudo de armas no interior, bem como os azulejos da cozinha são setecentistas. A sala nobre tem pintura mural da autoria de José da Silva Carvalho. Da história deste edifício, relevância para o facto de ter sido aí instalada, em 1971, a Escola do Ciclo Preparatório e Ensino Unificado D. Maria I, que se mudou para edifício próprio após o 25 de Abril de 1974. Está em processo de classificação como Imóvel de Interesse Público junto do IGESPAR.

O edifício sofreu anteriormente obras de recuperação, iniciadas e posteriormente suspensas, que incluíram a demolição da cobertura e de parte da superestrutura de alvenaria que a suportava. Entretanto, o Município de Borba desenvolveu a empreitada de reconstrução da cobertura do edifício, que começou em 2004 e foi concluída no ano seguinte. No que respeita à obra de recuperação e reabilitação do edifício, que se iniciou após a conclusão da cobertura e terminou em 2007, foi executada de forma a não colocar em causa as características e os valores patrimoniais e arquitectónicos do edifício, ao nível da reparação das patologias existentes; reforço construtivo do edifício; recuperação e renovação dos acabamentos; recuperação ou renovação dos caixilhos dos vãos existentes e a criar e restauro das pinturas decorativas. No piso térreo estão localizados, num dos lados da escadaria, o átrio, a sala polivalente e um bar, e no outro, os gabinetes de apoio. No piso 1 estão posicionadas diversas áreas públicas. A compartimentação interior será mantida na generalidade ao nível deste piso. No piso 1, o reapro-

8|9


veitamento dos espaços será realizado através da organização das várias áreas parcelares por sectores. As circulações verticais serão efectuadas através de uma escadaria existente em pedra, tendo sido instalado um elevador que servirá também de monta-cargas e que foi implantado numa posição central, exigida em termos de funcionalidade, sendo simultaneamente a posição em que provocará menos danos estruturais no edifício. Foram ainda construídas novas instalações sanitárias de apoio para o público e para os serviços, localizadas em ambos os pisos. As infraestruturas técnicas foram integralmente renovadas ou construídas de origem. Esta intervenção foi candidatada ao PORA, tendo sido aprovada em Unidade de Gestão – Acções Integradas de Base Territorial do Eixo 2 do “porAlentejo” da Zona dos Mármores, e representou um investimento de cerca de 700 mil euros. Paralelamente a esta intervenção, foi efectuado um importante trabalho de recuperação e restauro de uma dezena e meia de telas expostas no edifício, que se encontravam abandonadas no sótão da Câmara Municipal desde o período do 25 de Abril, e que se encontram actualmente expostas no Salão Nobre dos Paços do Concelho. Não existem estudos científicos rigorosos sobre a datação das telas, mas tudo indica que terão sido mandadas pintar por volta do séc. XVIII, pouco depois da construção do Palacete. Ainda no Palacete, foram também recuperadas as pinturas murais que revestem os tectos e paredes de três salas no 1º andar, de temática religiosa e mundana, que traduzem uma tradição decorativa antiga. Dada a nobreza deste edifício, a autarquia tem em elaboração uma candidatura para dotá-lo de uma importante funcionalidade cultural, para onde já foi transferida a Biblioteca Municipal e brevemente o Espaço Internet e Oficina da Criança, e será criada uma Ludoteca. A população teve oportunidade de tomar o primeiro contacto com as intervenções realizadas nos dias 26, 27 e 28 de Setembro, no âmbito das Jornadas Europeias do Património, altura em que o edifício, juntamente com a recuperada Igreja do Real Convento das Servas, estiveram de portas abertas. No mês de Dezembro acolheu já uma iniciativa promovida por uma colectividade local, com a realização da 28ª Feira do Livro do Centro Cultural de Borba e a exposição de Presépios pelo Agrupamento de Escolas do Concelho de Borba.


OBRAS

AMPLIAÇÃO DO MERCADO MUNICIPAL NA FASE FINAL A obra de remodelação e ampliação do Mercado Municipal está praticamente concluída. Com o objectivo de tornar este equipamento mais funcional e com maior dinamismo comercial, a autarquia desenvolveu um projecto de remodelação do edifício, cuja obra foi adjudicada em concurso público à empresa Valvaz Investimentos Imobiliários e Turísticos, Lda., em Abril de 2005, com um prazo de execução de 140 dias. A incapacidade por parte da empresa em executar a obra prolongou a empreitada durante estes anos, com prejuízos significativos para os estabelecimentos comerciais em funcionamento no edifício, utentes e autarquia. Em Março deste ano, o executivo aprovou em reunião de Câmara a intenção de rescisão do contrato da empreitada celebrado entre o Município e a empresa, dando assim início ao processo de posse administrativa da obra, de forma a concluir os trabalhos em falta por administração directa. Estes trabalhos atingiram o ritmo que sempre foi desejado, encontrando-se na fase final. A ampliação incidiu na eliminação das bancas em mármore existentes na zona coberta, passando este espaço a comunicar ou envolver-se directamente com a zona de ampliação, transformando-se toda esta área em tipologia de galeria comercial, com unidades-loja e áreas comuns de circulação complementadas com instalações sanitárias para os utentes, instalação de unidades-loja (snack-bar e papelaria) no espaço do actual alpendre desocupado no lado norte e “adoçamento”, nessa zona, de coluna de acesso vertical ao terraço superior, redimensionamento das interligações entre o piso térreo e o nível já referenciado do terraço, estabelecendo parâmetros mínimos de conforto funcional (rampas), e utilização de praticamente toda a zona de terraço por áreas públicas atribuídas ao funcionamento do mercado semanal, com a instalação de bancadas amovíveis. Esta possibilidade é obtida a partir da constituição de estrutura de suporte a cobertura metálica, assente sobre os elementos estruturais de betão armado. O acesso directo a esta nova zona funcional, processa-se através do arruamento localizado no nível superior Norte, que se virá a adequar ao do terraço.

10 | 11


OBRAS

ABERTURA DE ARRUAMENTO NO LOTEAMENTO DE NOSSA SENHORA DA VITÓRIA

CONSTRUÇÃO DE CAMPO DE TREINOS Com a obra de arrelvamento do Campo de Futebol e construção da pista reduzida de atletismo, foi necessário proceder à eliminação do campo de futebol de 7 existente no Parque Desportivo. Dado o elevado número de jovens que integram os diversos escalões de futebol juvenil do Sport Clube Borbense com a realização de treinos semanais, procedeu-se agora à construção de um mini campo de treinos destinado às escolinhas de futebol. Este campo provisório dá resposta às necessidades actuais, dado que o projecto de alargamento do Parque Desportivo prevê a construção de um campo de treinos de maior dimensão, estando previsto para este local a instalação de campos de voleibol, ficando já o terreno preparado para tal.

A autarquia procedeu à abertura de um novo arruamento no Loteamento de Nossa Senhora da Vitória, no Barro Branco, que liga este loteamento habitacional à Variante V7. Além da colocação de lancil a delimitar o arruamento, os trabalhos foram concluídos com a pavimentação.

ALARGAMENTO DE PONTÃO EM ALCARAVIÇA O pontão do Forte, na aldeia de Alcaraviça, sofreu obras de alargamento, construção de valeta e pavimentação do espaço envolvente. A intervenção foi concluída com a colocação de railes de protecção para os automobilistas.

REPARAÇÃO DE CAMINHOS RURAIS O caminho que liga a Fonte Telheiro e a Vaqueira foi reparado, com a colocação de tout-venant e construção de um pontão. A autarquia efectuou ainda a manutenção dos caminhos rurais que ligam a Vaqueira e o Pombal e o Pombal e o Monte da Vinha. Com esta intervenção, facilitase o acesso automóvel às habitações existentes e de maquinaria agrícola a propriedades agrícolas.

PAVIMENTAÇÃO DE VIA EM ALCARAVIÇA Depois de concluída a construção de um novo pontão junto à Horta do Gago, na Alcaraviça, para escoamento das águas da ribeira, a autarquia procedeu à pavimentação da via, permitindo a normal circulação automóvel.

12 | 13


DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

FESTA DA VINHA E DO VINHO'08 Seguindo o plano estratégico definido na última edição, projectando um carácter mais profissional à organização, foram introduzidas alterações na organização da Festa da Vinha e do Vinho'08 que conferiram à feira de vinhos mais destaque e funcionalidade. É objectivo da organização melhorar o evento de ano para ano, e na sequência das alterações significativas que foram introduzidas em 2007, promovendo uma gestão participativa com os produtores de vinho, foi analisado em conjunto o novo modelo, de forma a afirmar o certame como o ponto de encontro dos vinhos do Alentejo. Num pavilhão com cerca de 5.000m2, diversas feiras temáticas promoveram os vinhos, equipamentos e serviços vitivinícolas, produtos regionais, gastronomia, artesanato e mostra empresarial e institucional, com a presença de 75 expositores, sendo 14 produtores de vinho, que proporcionaram a degustação e venda de cerca de 150 marcas de vinho. A feira de vinhos contou este ano com um pavilhão único com duas áreas distintas, uma área com a presença simultânea dos 14 produtores com provas e degustação e um espaço para comercialização amplo e moderno, onde foi introduzido merchandising relativo ao evento. Esta edição da Festa foi a última realizada em estruturas desmontáveis, devido à construção do Pavilhão de Eventos, uma obra que deverá estar concluída até ao final deste ano, que dotará o concelho de um suporte físico efectivo à expressão e desenvolvimento das actividades económicas de base local e regional, potenciando e projectando os vários produtos tradicionais de grande qualidade produzidos no concelho, de que são exemplo os mármores, o vinho, os queijos, os enchidos, o azeite e as ervas alimentares, entre outros, através da promoção e realização de feiras, mostras e exposições, ou de quais-

quer outros eventos e manifestações que se revistam de interesse para as actividades económicas do concelho, permitindo ainda a realização de actividades de carácter sócio-cultural, científico, recreativo e desportivo. Este equipamento será o grande palco da Festa da Vinha e do Vinho já em 2009, com uma área de 3.400m2, dispondo de um auditório-anfiteatro com capacidade para 135 lugares. Sendo o objectivo central do evento a promoção dos vinhos, em torno do mesmo desenvolveu-se um intenso e diversificado programa cultural e desportivo que preencheu os nove dias, despertando o interesse da população e dos visitantes, que visa atingir os vários escalões etários e sensibilidades culturais e desportivas. Esta edição terá contado com, provavelmente, o melhor programa das 17 edições realizadas. Artistas nacionais de renome passaram pelo palco do Pavilhão de Espectáculos, satisfazendo miúdos e graúdos que noite após noite encheram o pavilhão. Algumas iniciativas foram introduzidas este ano, com destaque para a eleição da Rainha das Vindimas de Borba e o Cortejo Alegórico da Vinha e do Vinho, sendo ainda de salientar o Casino do Vinho, I Passeio BTT Festa da Vinha e do Vinho, Encontro de Blog's e as provas conduzidas pelo Eng.º Mário Louro.


DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

FESTA DA CULTURA A aposta num programa cultural bastante diversificado e de qualidade, tem levado a organização a procurar os melhores artistas e espectáculos, de forma a preencher os nove dias do evento com actividades que despertem o interesse e agrado dos visitantes. Esta edição terá contado, provavelmente, com o melhor programa de sempre da festa, com a actuação de nomes sonantes do panorama musical português. Foi evidente a satisfação dos borbenses e dos forasteiros que visitaram Borba entre 8 e 16 de Novembro relativamente à programação da Festa da Vinha e do Vinho'08. A festa começou ao som de bandas filarmónicas e terminou com fado. Abrilhantaram a cerimónia de hastear das bandeiras as bandas filarmónicas do Centro Cultural de Borba, Sociedade Filarmónica Corvalense (Reguengos de Monsaraz) e Sociedade Filarmónica Carvalhense (Bombarral), que participaram no XIV Festival de Bandas Civis. A primeira noite foi dedicada à primeira eleição da Rainha das Vindimas de Borba, com animação musical da Tuna da Universidade Sénior de Borba e Grupo Recordar. A tarde seguinte foi dedicada ao Encontro de Folclore, com as actuações dos ranchos folclóricos Cravos e Rosas do Alentejo (Orada), de Campo Maior e Grupo de Folklore Extremeño El Escarámujo (Cáceres/Espanha). O primeiro fim-de-semana terminou com a música dos irmãos Rosado, Nélson e Sérgio, que constituem o grupo Os Anjos. Segunda-feira foi noite de dança, com a alegria, irreverência e movimento dos jovens que constituem os grupos Juvendance (Orada), N'Club (Nora), Flash Dance (Rio de Moinhos), Star Kids e Multi Ritmos da Santa Casa da Misericórdia (Borba) e danças de salão, pelo Grupo de Teatro Amadores de Vila Viçosa. O São Martinho foi comemorado no dia 11 de Novembro, com a habitual oferta de castanhas assadas e vinho novo, animado com as concertinas de Augusto Canário e Amigos, que animaram o público que encheu o Pavilhão de Espectáculo com música popular portuguesa e o cantar à desgarrada muito típico da região Minho. A boa disposição continuou na Quarta-feira, com o conhecido humorista Fernando Menezes, que apresentou o espectáculo “One Man Show – Música e Comédia”. Quinta-feira fez-se silêncio para ouvir o fado pelas magníficas vozes de José Gonçalez e Frei Hermano da Câmara, com o espectáculo “Jesus Cristo anda na Rua”. No segundo fim-de-semana da Festa, o palco do Pavilhão de Espectáculos continuou a receber grandes artistas, para júbilo dos visitantes. Paulo Gonzo abriu as “hostilidades”, ao interpretar os grandes temas que ao longo da sua carreira alcançaram o sucesso. A tarde de Sábado foi dedicada aos mais jovens visitantes da festa, com a actuação do Avô Cantigas, que apresentou o mega-sucesso Fantasminha Brincalhão, levando ao rubro as centenas de crianças que encheram por completo o pavilhão. Apreciada por um público com mais idade, Mafalda Veiga interpretou os mais recentes êxitos sem esquecer os sucessos que têm marcado a sua carreira. Pelas artérias da vila desfilaram as fanfarras dos Bombeiros Voluntários de Borba e Amadora. O Cine-Teatro recebeu a poesia popular, com a entrega de Prémios do Concurso de Poesia Popular Alentejana promovido pelo Centro de Cultura e Desporto da Matriz, no qual concorreram 125 trabalhos de 75 poetas oriundos de todo o país. O encerramento da Festa coube ao grupo Os Deolinda, um projecto musical recente já com bastante sucesso, que apresentaram a sua forma genuína de cantar o fado.

14 | 15


DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

RAINHA DAS VINDIMAS DE BORBA Pela primeira vez na Festa da Vinha e do Vinho, decorreu a Gala da Rainha das Vindimas de Borba, que elegeu a jovem Rosa Cabaço, de 23 anos, como Rainha e Miss Fotogenia, que representará o Município na eleição da Rainha das Vindimas de Portugal 2009, promovida pela AMPV - Associação de Municípios Portugueses do Vinho, no dia 30 de Abril de 2009 em local ainda a definir. Para 1ª Dama foi eleita Ângela Bravinho, de 28 anos, e para 2ª Dama e também Miss Simpatia foi seleccionada Sónia Boleta, de 30 anos. As doze participantes desfilaram em roupa prática, vestido de noite e traje alusivo à vinha e ao vinho, num concurso que teve a colaboração dos Estúdios Correia. A Gala foi abrilhantada com a música da Tuna da Universidade Sénior de Borba e Grupo Recordar. O concurso foi aberto às jovens naturais ou residentes no concelho, com idades compreendidas entre os 15 e os 40 anos. As eleitas, Rainha das Vindimas, 1ª e 2ª Damas de Honor, receberam um prémio de 300, 200 e 100 euros, respectivamente, em compras nos estabelecimentos comerciais do concelho.

16 | 17


CORTEJO ALEGÓRICO DA VINHA E DO VINHO Pelas ruas da vila, decorreu uma das novidades do programa da Festa da Vinha e do Vinho'08, o Cortejo Alegórico da Vinha e do Vinho, com a representação das diversas fases do processo produtivo do vinho pelas associações e colectividades do concelho, com quadros representativos do amanho da terra e plantação da vinha (pelos jovens do Barro Branco), poda (Centro de Cultura e Desporto da Matriz/Junta de Freguesia da Matriz), sulfatar (Associação de Reformados de Borba/Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Borba), vindima (Casa da Cultura da Orada), pisa da uva (Escola EB2,3 Padre Bento Pereira de Borba) e prova/taberna (Clube de Rugby de Borba). Desfilou também o carro da Rainha das Vindimas de Borba e restantes eleitas. O cortejo foi animado pelo Grupo de Poetas Populares de Rio de Moinhos e os ranchos folclóricos Cravos e Rosas do Alentejo (Orada), Campo Maior e Grupo de Folklore Extremeno El Escarámujo (Cáceres - Espanha), que participaram no tradicional Encontro de Folclore. O Cortejo teve início junto às adegas, no Largo Gago Coutinho e Sacadura Cabral, passando pelo centro da vila, e terminou no Pavilhão da Festa, despertando o interesse e curiosidade de muitos borbenses e visitantes que ao longo do percurso assistiram à sua passagem.


DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

DESPORTO NA FESTA DO VINHO As actividades desportivas têm marcado sempre presença no programa da Festa, com diversas modalidades que envolvem a participação de centenas de atletas. No primeiro dia do evento, o Campo Municipal de Borba recebeu o jogo entre as equipas do Grupo União de Veteranos Borbenses e do Canicense, que se deslocou da Madeira para participar no Troféu de Futebol de Veteranos. No dia seguinte, os praticantes da malha reuniram-se no Largo da Fonte das Bicas para mais um Torneio de Malha, com 75 equipas formadas por 150 atletas oriundos de todo o Alentejo e do concelho de Palmela. Pelas mais bonitas paisagens do concelho, passando por vinhas, olivais e pedreiras, as principais actividades económicas do concelho, perto de 40 betetistas pedalaram os 42 quilómetros do I Passeio BTT Festa da Vinha e do Vinho, com partida e chegada junto ao Pavilhão da Festa. Os alunos dos estabelecimentos escolares do concelho, cerca de 300 jovens, participaram no Torneio Inter-EB1 de Futebol de 7 e provas de atletismo que decorreram no Parque Desportivo, onde decorreu também a acção de sensibilização para a modalidade de rugby destinada aos alunos do 1º e 2ª ciclos, com a presença de cerca de 450 alunos, promovida pela Câmara Municipal de Borba, Agrupamento de Escolas do Concelho de Borba e Clube de Rugby de Borba. Este clube organizou o Torneio de Rugby que decorreu no Sábado, dia 15, que contou ainda com a participação das equipas Guimarães Rugby Union F.C., Universidade do Algarve e Dragones dé Záfra, que terminou com a vitória da equipa da casa. No último dia da festa, decorreu o tradicional Passeio de Cicloturismo entre Badajoz e Borba, com 130 participantes de todas as idades.

18 | 19


ENCONTRO DE BLOG'S Cerca de 50 “blogmaster's” de diversas localidades da região reuniram-se no Encontro de Blog's que decorreu no dia 9 de Novembro, no Pavilhão de Espectáculos da Festa. O encontro foi organizado pelo blog Alto da Praça em estreita colaboração com a Comissão Instaladora da Associação Nacional de Blogs e a Câmara Municipal de Borba. A criação e manutenção de um blog, o anonimato, os comentários e a regulação dos espaços, foram alguns dos temas abordados pelos participantes numa mesa redonda que serviu também para convivo e confraternização, lançando as bases para a criação da Associação Nacional de Blogs.

EDIÇÃO 2008 APRESENTA MASCOTE Uma das novidades da edição de 2008 da Festa da Vinha e do Vinho foi a apresentação da mascote do certame – o Rolhas! Um desenho divertido alusivo à temática do vinho, escolhido como representante visual do evento, lançado com o intuito de prender os visitantes a esta imagem. Com o Rolhas, pretende-se que todos os que passam pela Festa da Vinha e do Vinho reconheçam de imediato e se sintam familiarizados com a nossa mascote. O Rolhas tem um sorriso estampado no rosto, demons-

trando a alegria do personagem por representar este certame. À semelhança do conceito de mascote o seu corpo é antropomorfizado e bastante activo. Nesta edição, o Rolhas esteve à venda em porta-chaves, canecas, baralhos de cartas e T-Shirt's. Além dos produtos identificados com a mascote do certame, a Loja de Merchandising disponibilizava também produtos relacionados directamente com o vinho, como os saca-rolhas e os conjuntos de copo e bolsa, com inscrição da imagem da Festa, para prova e degustação dos vinhos.


DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

AUTARQUIA E EMPRESÁRIOS DEBATERAM AS NOVAS OPORTUNIDADES PARA A COMPETITIVIDADE E INOVAÇÃO NO SECTOR DOS MÁRMORES O Município de Borba e o CEVALOR - Centro Tecnológico para o Aproveitamento e Valorização das Rochas Ornamentais e Industriais promoveram no dia 6 de Outubro, no CEVALOR, uma mesa redonda subordinada ao tema “Rochas Ornamentais: Novas Oportunidades para a Competitividade e Inovação”, integrado na série de iniciativas promovidas pela Rede Corredor Azul, rede para a competitividade e inovação composta por onze municípios alentejanos. O debate abordou questões relacionadas com o estado actual e as necessidades futuras da oferta de investimento que promovam a competitividade e inovação neste sector, proporcionando a reflexão e articulação de políticas e estratégias entre as empresas do sector, os centros de tecnologia, o Estado e os demais agentes de desenvolvimento que podem, e devem, contribuir para o reforço da competitividade e inovação. O Presidente da Câmara Municipal de Borba, Ângelo de Sá, apresentou os “Grandes projectos do Município de Borba para o cluster dos mármores”, visando o desenvolvimento do sector e do concelho, referenciando a Estrada Municipal 508 como o primeiro projecto estruturante desenvolvido em parceria pelos quatro municípios da Zona dos Mármores, que liga Alandroal, Vila Viçosa, Borba e Estremoz, a Variante à Estrada Nacional 255, a primeira estrada em Portugal a utilizar os sub-produtos na produção de matéria-prima aplicada em obra, demonstrando ser uma solução tecnicamente viável, a beneficiação de caminhos de acesso à UNOR2, beneficiação das Estradas Municipais 508-4 (Rio de Moinhos) e 5061 (Orada), a construção da Estrada Municipal Nora-Barro Branco, construção das quatro vias de acesso e a Área de Deposição Comum 3, construção do Parque Temático do Mármore e Pavilhão de Eventos. A nível de instrumentos de planeamento, abordou a revisão do Plano Director Municipal e a elaboração de diversos planos, como o Projecto de Intervenção em Espaço Rural, Plano de Pormenor da UNOR2, Plano de Pormenor da Zona Industrial do Alto dos Bacelos e o Plano de Urbanização de Rio de Moinhos. De forma a promover o mármore, a autarquia promoveu o Encontro Internacional de Escultura e homenageou as actividades dos Bombeiros Voluntários, Trabalhador do Mármore e Rural,

Tocador de Gado e dadores benévolos de sangue, com monumentos em mármore projectados em parceria com escultores e empresas da região. Ângelo de Sá realçou ainda a candidatura apresentada e aprovada pelo PROVERE – Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos para a Zona dos Mármores, que assume como principal objectivo a geração de iniciativas, acções e projectos orientados para fomentar e incrementar a competitividade dos territórios de baixa densidade, mediante o acréscimo de valor económico de determinados recursos endógenos, preferencialmente únicos e determinantes para a base económica do território-alvo, como é o caso do mármore no território dos cinco concelhos que integram a Zona dos Mármores, facilitando o acesso aos fundos comunitários através do QREN. O Director-Geral do CEVALOR, António Dieb, abordou a “Intervenção Tecnológica Sectorial para a Competitividade e Inovação”, caracterizando os sectores das rochas ornamentais e industriais, apontando os pontos fracos e fortes e as oportunidades e ameaças, realçando os factores críticos de sucesso que culminam em três eixos de intervenção (território, mercado e organização), resultando os mesmos numa candidatura ao QREN do Centro de Competência Estratégica (Estratégia de Eficiência Colectiva), com a constituição de uma parceria que envolva obrigatoriamente empresas e outras instituições de suporte, e o plano de acção previsto. António Cebola, em representação do IAPMEI, apresentou o painel “Rochas Ornamentais: Incentivos e oportunidade no QREN”, focando os meios financeiros e apoios disponíveis ao investimento por parte das empresas do sector dos mármores. Desta apresentação ficou patente que existem bastantes oportunidades para as empresas que operam neste cluster, nomeadamente pelo diversificado leque de incentivos e apoios existentes para fazer face a determinados investimentos, quer no apoio à constituição de novas empresas, quer na constituição de capital de risco tão necessário e exigido a determinado tipo de investimentos. No final, oradores e participantes na mesa redonda, representando diversos organismos estatais e privados, trocaram impressões e contributos que potenciem a competitividade e inovação no sector das rochas ornamentais.

20 | 21


AUTARQUIA APROVOU PARCEIRO PARA A EXECUÇÃO DE PROJECTOS A Câmara Municipal de Borba abriu um procedimento para a selecção de uma pessoa colectiva de direito privado para participar com a autarquia na constituição de uma sociedade comercial de capitais minoritariamente públicos. Em reunião de Câmara foi aprovada a proposta que resultou do procedimento, constituída por um agrupamento de quatro empresas, composto por Irmãos Cavaco, S.A., FDO – Construções, S.A., Ensulmeci – Gestão de Projectos de Engenharia, S.A. e Construções Gabriel A.S. Couto, S.A. O modelo organizacional e contratual proposto para o procedimento assenta no modelo das parcerias públicoprivadas de âmbito municipal, possibilitando à autarquia uma solução para a concretização de importantes projectos para o concelho, tendo por base o aproveitamento das capacidades e know-how do sector privado, conjugadas com as virtualidades do sector público, tendo em vista a disponibilização de infra-estruturas com os menores custos possíveis. O objectivo da sociedade é o desenvolvimento, construção e conservação da Piscina Municipal Descoberta e o Parque Industrial do Alto dos Bacelos, com a realização de loteamentos e respectiva comercialização dos lotes. A construção da Piscina Municipal Descoberta está estimada em 1 milhão de euros e integra a ampliação do Parque

Desportivo de Borba, complementando a Piscina Municipal Coberta já construída pela autarquia, incentivando a diversificação das modalidades e a prática desportiva por parte da população, conferindo condições de treino e realização de provas desportivas. A construção do Parque Industrial do Alto dos Bacelos está estimada em 3,7 milhões de euros, que abrangerá uma área de 48 hectares, disponibilizando 55 lotes de dimensões variadas destinados à instalação de actividades dos sectores da indústria, logística e armazenagem, com áreas de equipamentos de utilização colectiva, comércio, serviços, recreio e lazer, enquadrados por vastas áreas verdes. A instalação de empresas no futuro Parque Industrial beneficiará de excelentes acessibilidades, através da Variante à EN255 permite a ligação à rede viária nacional, nomeadamente à A6, EN4 e IP2, e redes transeuropeias de transportes, com a ligação a Espanha.

CÂMARA MUNICIPAL DE BORBA NÃO APLICA DERRAMA E FIXA TAXAS DE IMI PARA 2009 O executivo da Câmara Municipal de Borba deliberou em reunião de Câmara a não aplicação da Derrama para o ano de 2009. Desde o ano 2006 que a autarquia não aplica a taxa sobre os lucros das empresas. Esta medida têm como objectivo oferecer melhores condições às empresas que se queiram implantar no concelho, numa altura em que o concelho está aberto a novos investimentos, tendo em vista o desenvolvimento do tecido empresarial e a criação de emprego. Com esse objectivo foi também aprovada a proposta para a constituição de uma sociedade comercial de capitais minoritariamente públicos, num concurso público em que foi seleccionado um agrupamento constituído por quatro empresas, para o desenvolvimento, construção e conservação do Parque Industrial do Alto dos Bacelos, com uma área de 48 hectares que disponibilizará 55 lotes de dimensões variadas destinados à instalação de

actividades dos sectores da indústria, logística e armazenagem. Também para 2009, foram fixadas as taxas do Imposto Municipal sobre Imóveis, mantendo-se idênticas às aprovadas para este ano, de 0,8% para os prédios rústicos, 0,7% para os prédios urbanos, 0,4% para prédios urbanos avaliados nos termos do CIMI e agravamento de 20% para os prédios degradados definidos na ZEP.


CULTURA

FESTAS EM HONRA DO SENHOR JESUS DOS AFLITOS 2008 A vila de Borba celebrou, entre os dias 11 e 18 de Agosto, as festas em honra do Senhor Jesus dos Aflitos, padroeiro da vila, que reúnem, habitualmente, milhares de visitantes e devotos. Os pontos altos das festividades são as três soleníssimas procissões que percorrem as artérias da vila com a imagem do Senhor Jesus dos Aflitos e Nossa Senhora das Neves, acompanhadas por milhares de devotos, quer população local quer forasteiros que nestes dias habitualmente se deslocam a Borba. O programa das festas integrou as cerimónias religiosas em Honra do Senhor Jesus dos Aflitos, espectáculos musicais, actividades desportivas, culturais e torneios de jogos tradicionais. Como destaques musicais das festas deste ano, actuaram no Largo da Fonte das Bicas as bandas Fonzie, Tara Perdida e o grupo musical NGB, às quais se seguiu a discoteca ao ar livre, prolongando a animação e convívio. O Coreto Municipal recebeu as bandas filarmónicas do Centro Cultural de Borba e Escola de Música do Centro Cultural de Alandroal. No Cine-Teatro foram projectados três filmes destinados aos mais jovens, “Indiana Jones e a Caveira de Cristal”, “O Incrível Hulk” e “O Panda do Kung Fu”. No Parque de Feiras e Mercados decorreram duas garraiadas nocturnas e a Barragem do Divor recebeu os praticantes de pesca no habitual Convívio Piscatório. Ainda a nível desportivo, além do torneio de Futebol de 11 e da gincana de bicicletas, praticaram-se jogos tradicionais que juntaram inúmeros praticantes em diversas modalidades, como o derrube de latas, jogo do burro, snooker, petanca, dominó, malha e sueca. A Comissão organizadora das Festas em Honra do Senhor Jesus dos Aflitos 2008 foi constituída pela Câmara Municipal de Borba, Paróquias de Borba e Irmandade do Senhor Jesus dos Aflitos, Junta de Freguesia da Matriz, Junta de Freguesia de São Bartolomeu, Centro Cultural de Borba, Associação Borba Jovem, Bombeiros Voluntários de Borba, Associação de Dadores Benévolos de Sangue, Centro de Cultura e Desporto da Matriz, Sport Clube Borbense, Associação de Caçadores de Borba, Serviços Sociais dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Borba e Força Azul.

22 | 23


CULTURA

JORNADAS EUROPEIAS DO PATRIMÓNIO Cerca de um milhar de pessoas visitaram o Palacete dos Melos e a Igreja do Real Convento das Servas durante os três dias em que decorreram as Jornadas Europeias do Património, de 26 a 28 de Setembro, tomando contacto directo com as recuperações efectuadas. A programação das Jornadas Europeias do Património 2008, em Borba, tiveram como objectivo proporcionar a visita ao Património recentemente recuperado e intervencionado, mostrar à população borbense as recentes obras nos dois edifícios históricos e participar, pela primeira vez, na iniciativa europeia, beneficiando dos meios de divulgação e promoção da iniciativa. Nos edifícios foram projectadas fotografias que mostraram as diferenças entre o antes e o depois das intervenções. O programa incluiu um jogo fotográfico subordinado ao tema “À descoberta do património” e um Recital de Cravo e Violino na Igreja do Real Convento das Servas, por Patrízia Giliberti e António Pliz. Com o tema proposto - "no património... ACONTECE" pretendeu-se propiciar novas oportunidades de reencontro das pessoas e das comunidades com o mundo do património e dos monumentos, reforçando essa ligação através de acções que promoveram a sua re-apropriação com um carácter efémero. Com as Jornadas Europeias do Património pretendeu-se criar um leque de oportunidades de reencontro das pessoas com o mundo do património e dos monumentos; reforçar a atitude cívica assente na valorização e protecção do património histórico e ambiental; acentuar o sentimento de pertença e identidade (relativo ao património), em oposição à tendência uniformizadora da Globalização; e sensibilizar para a importância da salvaguarda do património, reforçando o vínculo entre património cultural e sociedade, através do envolvimento activo das pessoas e das comunidades com os lugares. Esta é uma iniciativa da União Europeia/Conselho da Europa e envolveu mais de 50 países. Em Portugal, a organização esteve a cargo do IGESPAR (Coordenador Nacional).

24 | 25


TERRITÓRIO DAS ARTES PROMOVEU O TEATRO E A MÚSICA Em resultado da candidatura apresentada pelo Município ao Programa Território Artes 2008, foram realizadas duas peças de teatro e um espectáculo musical. Borba foi um dos 61 municípios com candidatura aprovada pelo Ministério da Cultura através da Direcção-Geral das Artes. No dia 19 de Setembro, no Anfiteatro ao ar livre, no Parque Temático do Mármore, o Teatro ao Largo interpretou a peça “Escola de Mulheres”, uma comédia de Moliére destinada ao público adulto/juvenil. O Teatro ao Largo sempre teve uma inclinação para representar farsas clássicas divertidas nos largos principais ao ar livre. Esta é a sua primeira encenação de Moliére, em seguimento de comédias de Goldoni, Gil Vicente e António José da Silva. No Cine-Teatro, dia 8 de Outubro, decorreu o espectáculo musical “Concertos Improváveis” pelo CENTA - Centro de Estudos de Novas Tendências Artísticas, com criação e interpretação de Joana Sá e Luís Martins, destinado à comunidade escolar. Desconstruindo o conceito de recital clássico e os rituais a ele associados, criou-se um espectáculo móvel que poder ser apresentado em qualquer lugar, procurando aproximar realidades culturais distantes e contrariando o esquecimento em que caem as populações mais isoladas. No mês de Dezembro, dia 19, o Cine-Teatro voltou a receber uma peça de teatro, com “Comédias do Vicente” pelo “Teatro d'O Semeador” Companhia de Teatro de Portalegre. Para este espectáculo foram seleccionados excertos de vários autos de Gil Vicente que, de forma interactiva, conviveu e convidou para a representação o próprio público, que assim também participou na peça.


CULTURA

O Município de Borba preparou este ano um conjunto alargado de iniciativas para celebrar o Natal que decorreram durante o mês de Dezembro, com actividades de teatro, desporto, animação e cultura, num programa denominado “Borba Natal'08”. O Centro Histórico da vila de Borba recebeu a iluminação natalícia, dando maior cor e alegria à quadra natalícia, promovendo o comércio local, assim como nas aldeias do concelho. Junto à muralha do Castelo foi instalado o presépio de Natal, com figuras de grande dimensão executadas pela autarquia e diversas imagens distribuídas pela Avenida do Povo. Nos dias 12, 13, 19, 20, 21 e 24 de Dezembro houve animação de rua com Pais Natal pelo Centro Histórico. O Cine-Teatro de Borba recebeu duas peças de teatro, no dia 12 de Dezembro, subiu ao palco os “Bonecos de Santo Aleixo”, pelo Grupo de S. Bento do Cortiço, de Estremoz, e no dia 19 de Dezembro, a peça “As Comédias do Vicente”, pelo Teatro do Semeador Companhia de Teatro de Portalegre, integrado no Programa Território Artes, promovido pela Direcção-Geral das Artes/Ministério da Cultura. Também no Cine-Teatro, foram projectados os filmes “Tempestade Tropical”, “Mamma Mia!”, “Olhos de Lince”, “High School Musical 3 O último ano” e “Horton e o Mundo dos Quem”. No Palacete dos Melos esteve patente ao público a exposição de Presépios, organizada pelo Agrupamento de Escolas de Borba. O Celeiro da Cultura recebeu a exposição fotográfica “Marionetas de Manuel Dias”. O desporto está sempre presente nas iniciativas da autarquia, desta vez com o passeio nocturno “Caminhada dos Gorros de Natal” pela vila de Borba, que decorreu no dia 20 de Dezembro. A par destas iniciativas, decorreram as já tradicionais festas de Natal do Idoso, organizadas pelas quatro juntas de freguesia do concelho e autarquia, festas de Natal para as Crianças, promovidas Escolas do Concelho, a fogueira de Natal e a 28ª Feira do Livro do Centro Cultural de Borba, entre 09 e 23 de Dezembro, este ano no Palacete dos Melos. 26 | 27


DESPORTO

MUNICÍPIO E CLUBES DESPORTIVOS ASSINARAM CONTRATOS-PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO O Município de Borba assinou contratos-programa de desenvolvimento desportivo com o Sport Clube Borbense e Grupo Desportivo e Cultural de Rio de Moinhos. Desta forma, ficam definidos os apoios a conceder pela autarquia ao desenvolvimento das actividades de ambos os clubes em termos técnicos, materiais e financeiros, entre Outubro deste ano e Agosto de 2009. Além da cedência dos equipamentos desportivos, que têm sofridos melhorias significativas nos últimos anos, são cedidos apoios financeiros indispensáveis para a participação dos vários escalões etários nos campeonatos regionais, nomeadamente, na comparticipação das inscrições dos atletas na Associação de Futebol de Évora, aquisição de materiais e meios de treino, manutenção e limpeza das instalações desportivas e dinamização de actividades desportivas e recreativas. O Sport Clube Borbense desempenha um importante papel na formação e educação de centenas de jovens, com a dinamização das categorias de Escolinhas e Infantis em futebol 7 e Iniciados e Juniores em futebol 11, que se tornam na principal fonte de recrutamento para a

equipa Sénior que disputa a Divisão de Honra do Campeonato Distrital de Seniores da Associação de Futebol de Évora, sendo reconhecido como um dos clubes do distrito que melhor aposta na formação. O Clube organiza ainda o Torneio de Futsal que decorre habitualmente no mês de Julho, pretendendo reactivar a modalidade de atletismo, usufruindo da Pista Reduzida de Atletismo que integra actualmente o Parque Desportivo de Borba, e actividades de dança. O Grupo Desportivo e Cultural de Rio de Moinhos reactivou novamente esta época a equipa de futebol Sénior, que participa no Campeonato Distrital de Seniores da A.F.E. – 1º Divisão – Série B, proporcionando a prática desportiva a inúmeros jovens do concelho. O Clube dinamiza ainda a Secção de Futebol de Veteranos, torneios de matraquilhos, ténis de mesa e jogos tradicionais, bailes de Carnaval e Festas de Santos Populares. O contrato-programa integra ainda o apoio ao jovem piloto de Rio de Moinhos, António Maio, na participação no Campeonato Nacional de TT e Enduro, onde tem alcançado brilhantes resultados. 28 | 29


EDUCAÇÃO

ANO LECTIVO 2008/2009 O início do ano lectivo 2008/2009 arrancou no concelho de Borba de acordo com o planeamento efectuado pela autarquia, com o pleno funcionamento de todas as actividades de enriquecimento curricular. A empreitada de adaptação e reformulação das salas e instalações das escolas básicas do concelho, edifícios de apoio e arranjos exteriores, foi concluída durante o período de férias de Verão, com a execução dos arranjos exteriores em todos os estabelecimentos. As escolas EB1 de Borba e EB1/JI de Rio de Moinhos já estão dotadas de Bibliotecas Escolares, disponibilizando aos alunos um fundo documental diversificado, material didáctico, livros temáticos, enciclopédias, literatura, equipamento informático, CD's e DVD's, revistas e jornais, desempenhando um papel central nos domínios da leitura e da literacia.

No início deste ano lectivo, o Município de Borba assinou com o Ministério da Educação o contrato para transferência de competências em matéria de educação, transferindo para a autarquia a gestão do pessoal não docente das escolas básicas e educação pré-escolar, actividades de enriquecimento curricular no 1º ciclo do ensino básico e a gestão do parque escolar nos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico. Durante os últimos anos foi efectuado um investimento financeiro elevado na adaptação e modernização dos estabelecimentos escolares do concelho, criando melhores condições de conforto e dotando-os de ferramentas adequadas às exigências actuais de ensino, que melhor preparem os jovens alunos, nomeadamente para as novas tecnologias de informação.


MUNICÍPO OFERECEU MANUAIS ESCOLARES AOS ALUNOS A Câmara Municipal de Borba entregou gratuitamente aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico do concelho os manuais escolares destinados às actividades de enriquecimento curricular. A entrega foi efectuada pelo Presidente da Câmara Municipal de Borba, numa cerimónia que decorreu no dia 27 de Outubro, na Escola Básica 2,3 Padre Bento Pereira de Borba. Foram entregues 100 manuais referentes à actividade de Música e 132 manuais de Inglês, destinados aos alunos que frequentam desde 1º ao 4º ano nas EB1 de Borba, Santiago de Rio de Moinhos, Nora e Orada. A autarquia entregou ainda os kits de Professor aos dois docentes de Inglês e aos três docentes de Música. A oferta dos manuais representa um investimento para a autarquia de cerca de 1.600,00 euros e reflecte, uma vez mais, o empenho da autarquia em proporcionar as melhores condições de ensino aos jovens do concelho, e ajudar as famílias com a aquisição dos manuais.

MUNICÍPIO ASSINOU CONTRATO PARA TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS EM MATÉRIA DE EDUCAÇÃO O Município de Borba assinou com o Ministério da Educação o contrato de execução referente à transferência de atribuições e competências para os municípios em matéria de educação. Desta forma, foram transferidos para a autarquia a gestão do pessoal não docente das escolas básicas e educação pré-escolar, actividades de enriquecimento curricular no 1º ciclo do ensino básico e a gestão do parque escolar nos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico. Foram transferidos 37 auxiliares e administrativos das escolas EB1 de Orada e EB1/JI de Borba, Nora e Rio de Moinhos, e EB 2,3 Padre Bento Pereira de Borba, cujos montantes relativos aos vencimentos base e encargos sociais serão transferidos pelo Ministério da Educação. O Município assume a competência de implementação das actividades de enriquecimento curricular no 1º ciclo do ensino básico, para as quais o Ministério transferirá o montante de 70.350,00 euros. No que diz respeito à gestão do parque escolar, foi transferida a conservação, manutenção e apetrechamento da Escola EB 2,3 Padre Bento Pereira de Borba, com um montante de 20.000,00 euros.

30 | 31


AMBIENTE

BORBA FLORIDA'08 As fotografias das floreiras que participaram no concurso Borba Florida'08 estiveram patentes ao público no Celeiro da Cultura. O concurso decorreu entre os meses de Maio e Setembro, tendo o Júri efectuado visitas para avaliar a evolução/manutenção da floração, enquadramento, conjugação de espécies e coloridos e aspecto fitossanitário, fotografando os 15 conjuntos concorrentes. A autarquia entregou aos participantes floreiras com Pelargónios, Petúnias e Verbenas, acompanhadas de substrato. A entrega foi efectuada a toda a população da vila, mas apenas os residentes no Centro Histórico puderam participar no concurso. Da avaliação efectuada pelo Júri, foi seleccionada como melhor floreira a apresentada por Maria de Fátima Branco Godinho, seguindo-se a de João Manuel Ficalho e Maria Manuela Rodrigues Talhinhas dos Anjos, respectivamente, que receberam uma jarra com flores e todos os participantes receberam um diploma de participação e uma

orquídea em caixa. A entrega dos prémios decorreu no dia 10 de Outubro, numa cerimónia realizada no Celeiro da Cultura. O objectivo desta iniciativa é embelezar as ruas da vila de Borba, mediante a decoração das varandas e janelas com plantas floridas, sendo esta uma forma de sensibilizar a população para a importância do embelezamento das fachadas enquanto factor contributivo para tornar a vila mais atractiva quer para os seus residentes, quer para os visitantes.


BORBA BRANCA BORBA LIMPA'08 No âmbito do Programa Borba Branca Borba Limpa'08, que decorreu entre os meses Julho e Setembro, foram aprovados 13 processos, tendo sido concluídos 11, que receberam comparticipações da autarquia no valor total de 1.696,75 euros. O Programa visa incentivar os proprietários, senhorios e inquilinos a procederem à caiação ou pintura das fachadas das habitações e a alterarem a cor das fachadas para as cores tradicionais da região nos rodapés e socos salientes, como o azul, cinzento, ocre e vermelho escuro, incentivando a utilização tradicional da cal, abrangendo prédios de habitação ou mistos dos próprios ou arrendados.

NOVA VIATURA PARA RECOLHA DE RSU A autarquia adquiriu uma nova viatura destinada à recolha de resíduos sólidos urbanos. A aquisição foi efectuada por concurso público em contrato de locação financeira/leasing, pelo valor de 106,4 mil euros. A nova viatura, de marca Scania, modelo P 270 CB 4x2 MNZ, tem uma capacidade volumétrica de 16 m3 e elevação de contentores simples, e vem substituir a anterior viatura de recolha de RSU's, já bastante antiga, permitindo assim corresponder às necessidades de recolha efectuadas pelo Município.

32 | 33


ACÇÃO SOCIAL

COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS APRESENTADO AOS IDOSOS DE BORBA O Complemento Solidário para Idosos foi apresentado aos idosos do concelho de Borba numa Sessão de Esclarecimentos que decorreu no dia 24 de Outubro, no Cine-Teatro. Cerca de uma centena de idosos assistiram à sessão, presidida pelo Governo Civil do Distrito de Évora, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Borba, técnicos da Segurança Social e do Serviço de Acção Social da autarquia. Para além da apresentação e esclarecimentos, foram de imediato iniciados os processos de candidatura ao programa aos idosos presentes. O Complemento Solidário para Idosos é uma medida do Governo destinado a aumentar os rendimentos dos cidadãos idosos que mais precisam. Podem beneficiar os idosos pensionistas a viver no nosso país há pelo menos 6 anos, com baixos rendimentos e que tenham 65 anos ou

mais. Os valores indicativos de referência para a candidatura são rendimentos inferiores a 400,00 euros mensais, para idoso isolado, ou de 700,00 euros mensais, para o casal. Além do apoio económico mensal, são atribuídos 50% de comparticipação financeira para despesas com medicamentos, apoio de 100,00 euros para aquisição de óculos e lentes a cada dois anos, apoio de 250,00 euros para aquisição e reparação de próteses dentárias amovíveis a cada três anos e um cheque dentista no valor de 80,00 euros por ano. Os idosos podem apresentar as candidaturas em qualquer altura nos serviços locais da Segurança Social, apresentando o bilhete de identidade, cartão de contribuinte, cartão de Segurança Social/cartão de pensionista, recibo de reforma com o valor que aufere por mês e nome completo dos filhos.


MUNICÍPIO DE BORBA VAI TER SERVIÇO DE INFORMAÇÃO E MEDIAÇÃO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA O Município de Borba assinou um Protocolo de Cooperação com o Instituto Nacional para a Reabilitação, tendo como objectivo a criação de um Serviço de Informação e Mediação para Pessoas com Deficiência no concelho. O SIM-PD resulta da necessidade de promover o acesso da população com deficiência a uma informação global e integrada sobre os seus direitos, benefícios e recursos existentes, de forma a desenvolver uma sociedade justa e igualitária, apoiando-as na procura das soluções mais adequadas à sua situação concreta. O Serviço fará o atendimento qualificado dos munícipes com deficiências ou incapacidade e respectivas famílias, assegurando-lhes uma informação integrada sobre os

direitos e benefícios e recursos existentes para a resolução dos problemas colocados, procedendo ao seu correcto encaminhamento e desenvolverá uma função de mediação junto dos serviços públicos e entidades privadas responsáveis pela resolução dos seus problemas; desenvolverá e valorizará parcerias locais que permitam articular soluções de atendimento mais eficazes; divulgará junto dos serviços, instituições e outras estruturas locais a apropriação e divulgação de Boas Práticas no atendimento do munícipe com deficiência ou incapacidade; e recolherá informação que permita produzir diagnósticos de caracterização das pessoas, identificar os principais problemas existentes e promover soluções adequadas.

MUNICÍPIO ASSINOU PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO PORTA 65 O Município de Borba aprovou em reunião de Câmara a assinatura do Protocolo de Cooperação Porta 65, estabelecido com o Instituto de Habitação e da Reabilitação Urbana e o Governo Civil do Distrito de Évora, com o objectivo de disponibilizar aos jovens do concelho mais informação e apoio técnico para a formalização de candidaturas. O Programa Porta 65 – Jovem é um sistema de apoio financeiro do Estado que visa incentivar o arrendamento jovem para residência permanente, estimulando estilos de vida mais autónomos nos jovens e simultaneamente contribuindo para a dinamização do mercado de arrendamento e para a reabilitação de imóveis degradados. Podem candidatar-se os jovens com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 30 anos, isolados ou em coabitação, bem como casais de jovens, podendo nestes casos, um dos elementos ter idade até 32 anos. As candidaturas são efectuadas online, através do portal http://www.portaldahabitacao.pt/porta65j, apresentando os seguintes documentos em formato PDF: contrato de arrendamento; último recibo de renda; BI/Cartão de

Cidadão; declarações de IRS do ano anterior; autorização de residência no caso de jovens estrangeiros; quando aplicável, certidão de nascimento de menores de 6 anos, comprovativo do grau de deficiência e da localização da habitação em Centro Histórico ou Zona de Reabilitação Urbana. Podem ser solicitadas mais informações e apoio no Instituto Português da Juventude em Évora e no Município de Borba. Entre 02 e 17 de Dezembro, decorreu uma nova fase de candidaturas. 34 | 35


DIVERSOS

FEIRA DOS SANTOS A tradicional Feira dos Santos realizou-se nos dias 1 e 2 de Novembro, no Parque de Feiras e Exposições e Largo da Liberdade. O recinto do Parque de Feiras e Exposições recebeu os comerciantes de roupa e calçado, e os equipamentos de diversão, enquanto que no Largo da Liberdade foram comercializados os produtos regionais e as frutas e no Largo da Fonte das Bicas decorreu a feira de automóveis. O bom tempo, e a tradição de efectuar as compras na feira, trouxeram uma vez mais milhares de forasteiros a Borba durante os dois dias. Esta é também uma altura em que os borbenses que residem noutros pontos do país de descolam à sua terra para confraternizar com os familiares e amigos e se deslocarem ao cemitério para colocar flores nas sepulturas dos entes queridos.


BORBA RECEBE A PRIMEIRA LOJA DO CIDADÃO DE 2ªGERAÇÃO NO ALENTEJO O Acordo de Colaboração para a abertura da Loja do Cidadão de 2ª Geração em Borba foi assinado entre a AMA – Agência para a Modernização Administrativa, IP, Estrutura de Missão das Lojas do Cidadão de 2ª Geração e o Município de Borba, numa cerimónia que decorreu no dia 04 de Novembro, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Borba, com a presença da Secretária de Estado da Modernização Administrativa e do Secretário de Estado Adjunto e da Administração Local. A Loja do Cidadão de 2ª Geração irá abrir no primeiro trimestre de 2009 no novo edifício da Conservatória do Registo Civil e Predial e Cartório Notarial de Borba, com uma área de 400 m2, num investimento de cerca de 250 mil euros, tornando-se na primeira a abrir no Alentejo e das primeiras no país. Actualmente, existem lojas do cidadão de 1ª Geração nos concelhos de Lisboa (2), Porto, Braga, Aveiro, Coimbra, Viseu e Setúbal, e abriu em Dezembro de 2007 a primeira Loja de 2ª Geração em Odivelas, seguindose em Borba e mais nove municípios durante o ano de 2009. As novas Lojas do Cidadão caracterizam-se por um ponto privilegiado de contacto com os serviços públicos da Administração Central e Local, e mesmo com os serviços privados conexos, prestando um conjunto de serviços adequados às necessidades dos cidadãos residentes em cada concelho. A Secretária de Estado da Modernização Administrativa, Maria Leitão Marques, fez o historial do projecto Loja do Cidadão e as razões que levaram à sua implementação em 1999, registando até este ano mais de 68 milhões de atendimentos, classificando-o como “um modelo mais

racional e com mais qualidade e conveniência, que melhor satisfaz os cidadãos”, que se pretende vir a estender a todas as sedes de concelho, considerando tratar-se de uma “visão moderna de serviço público”. Realçou ainda a colaboração que a Administração Central e as autarquias têm vindo a desenvolver para “uma administração pública melhor e mais próxima do cidadão”. Ângelo de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Borba, destacou o empenho da autarquia em contar com uma Loja do Cidadão no concelho, defendendo a “introdução de medidas que visem a redução de custos, essencialmente dos custos de tempo”, considerando estar-se assim a “contribuir para que a desburocratização se concretize”. Salientando também esta parceria entre a Administração Central e Local, relembrou outros exemplos no concelho, como a empresa EDC – Mármores, S.A. e os Serviços de Notariado, que têm o objectivo de melhor servir as populações. Para acompanhar a modernização administrativa que se está a implementar, Ângelo de Sá solicitou o apoio do Governo para a necessidade de modernização do edifício da autarquia. Eduardo Cabrita, Secretário de Estado Adjunto e da Administração Local, considerou a assinatura do Acordo de Colaboração como uma “parceria para a modernidade”, defendeu a abertura da Loja do Cidadão em Borba como uma opção de “justiça de coesão territorial” e salientou a “capacidade de inovação que o Município de Borba tem vindo a demonstrar”, apelidando-o como um “parceiro nos desafios do desenvolvimento”.

36 | 37


NATAL DO IDOSO’08 As juntas de freguesia do concelho, com o apoio da autarquia e empresas locais, organizaram as tradicionais Festas de Natal do Idoso, que juntaram centenas de idosos em torno de um almoço de confraternização e alegria assinalando a época natalícia, numa tradição que se cumpre desde 1981. Além da oferta de uma refeição à população mais idosa, a festa proporciona momentos de animação e entrega de lembranças, fomentando o convívio entre aqueles que durante a sua vida contribuíram arduamente para o desenvolvimento do concelho. A Festa de Natal do Idoso'08 decorreu em Borba no Sábado, dia 20 de Dezembro, numa organização conjunta das Juntas de Freguesia de Matriz e São Bartolomeu, no Pavilhão de Marcelino Bravo, na Zona Industrial da Cruz de Cristo, reunindo cerca de 450 idosos e convidados. Projecção de fotografias das festas anteriores, entrega de lembranças a todos os idosos, constituídas por boné para os homens e encharpe para as mulheres, presentear o munícipe mais idoso na festa com um cinto e a munícipe mais idosa com uma caixa para bijutaria, e animação musical por Cristina Trindade, fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Borba, Banda Filarmónica do Centro Cultural de Borba e Tuna da Universidade Sénior da Santa Casa da Misericórdia de Borba preencheram e animaram toda a tarde. No mesmo dia, decorreu no Salão da Casa do Povo de Rio de Moinhos a Festa de Natal para os idosos da freguesia, que juntou cerca de 215 idosos. Almoço, animação musical a cargo do Duo Lunar e entrega de uma caixa para colocação de medicamentos foram oferecidos pela Junta de Freguesia de Rio de Moinhos. No Domingo, dia 21, decorreu em Orada a Festa de Natal do Idoso para o munícipes da freguesia, juntando 160 idosos no Salão da Casa do Povo, num almoço convívio com animação musical pelo artista António Filipe e entrega de lembranças, caneca com o brasão da Junta de Freguesia a todos os idosos e um ramo de flores aos mais idosos.


DIVERSOS

BORBA GEMINA-SE COM CHIBIA E MÉ-ZÓCHI O Município de Borba geminou-se com os municípios de

namento de águas para rega, evidenciando-se também o

Chibia (Angola) e Mé-Zóchi (São Tomé e Príncipe), de

turismo e o ecoturismo, dado que o município integra a

forma a estabelecer laços de cooperação com estes dois

área protegida do Parque de Obô e antigas “roças”

municípios africanos de língua oficial portuguesa.

coloniais, com um vasto património arquitectónico.

O projecto de geminação foi aprovado pela Comissão

A assinatura dos acordos de geminação decorreu no dia

Europeia, tem como promotor o Município de Borba e visa

17 de Novembro no Palácio da Música e dos Congressos

criar parcerias e cooperação em áreas como a educação,

de Estrasburgo, no decorrer da terceira edição das

formação profissional, higiene e cuidados primários de

Jornadas Europeias do Desenvolvimento, que ali se

saúde, juventude e ocupação de tempos livres, ambiente,

realizaram entre 15 e 17 de Novembro. Este evento,

turismo e artesanato, cultura e preservação patrimonial e

organizado pela Comissão Europeia, teve este ano como

intercâmbio empresarial. A parceria envolve o apoio de

tema central “A dimensão local do desenvolvimento” e

associações sem fins lucrativos sediadas em Borba e na

reuniu cerca de 3.000 participantes oriundos de todos os

região, com trabalho já desenvolvido na área da coopera-

continentes em representação de 1.200 organizações do

ção para o desenvolvimento com países de África e com o

sector do desenvolvimento, e representou uma oportuni-

Brasil, como a Associação Monte, Associação de

dade única para estabelecer diálogos, encontros e

Desenvolvimento Montes Claros e Europalop.

parcerias inovadoras.

O Município de Chibia é um dos catorze municípios da província de Huila, cuja capital é a cidade de Lubango, e possui uma população estimada em 133 mil habitantes, uma superfície de 5.281,26 km2, e tem como principal actividade económica a actividade agro-pecuária, destacando-se ainda o artesanato cultural e o comércio informal, a par da indústria mineira de exploração do granito negro, que tem registado grande desenvolvimento nos últimos anos. Mé-Zóchi é o segundo distrito mais populoso de São Tomé e Príncipe, com cerca de 38 mil habitantes, uma área de 122 km2, que tem a sua sede na cidade de Trindade. A principal actividade económica é a agricultura, que beneficia de solos férteis e boa capacidade para armaze-

DESEJO RECEBER O BOLETIM MUNICIPAL DA CÂMARA MUNICIPAL DE BORBA Nome: Morada: Código Postal:

Localidade:

E-mail: Recorte e envie para: CÂMARA MUNICIPAL DE BORBA Gabinete de Informação e Relações Públicas | Praça da República | 7150-249 BORBA


BIBLIOTECA MUNICIPAL sugestões de leitura | pelo técnico responsável pela Biblioteca Municipal ADULTOS PORQUE NÃO CONSEGUIMOS SER OS PAIS QUE QUEREMOS? (Charles H. Elliott e Laura L. Smith) “Porque não conseguimos ser os pais que queremos?” vai com certeza surpreender e encantar os leitores. Os seus autores transmitem ensinamentos de forma tradicional através de histórias. Três famílias são acompanhadas na tentativa de aperfeiçoar a função dos pais. Através de cenas dramáticas, as histórias destas famílias ilustram de forma convincente as ideias dos autores. Os leitores vão decerto sorrir, mas também se comoverão ao ler este livro. Não ficarão indiferentes. Os seus autores escreveram um livro maravilhoso, único mesmo, visto que ensina e distrai ao mesmo tempo. Um livro que se destina a pais e mães que se interessam por questões de Psicologia, que lêem artigos e ouvem programas na rádio sobre a educação das crianças. Que explica por que razões os pais não conseguem aplicar o senso comum na sua tarefa de educadores.

GUERRA COLONIAL: UM REPÓRTER EM ANGOLA (Carlos de Matos Gomes e Fernando Farinha) Um livro com magnificas fotografias de Fernando Farinha e os textos de algumas das reportagens da Guerra Colonial em Angola que as acompanharam, é um testemunho vivo e vivido dos últimos momentos da fantástica aventura planetária de um pequeno povo ao longo de 500 anos. Nenhuma das páginas deste livro nos deixa indiferentes. Ela reconduz-nos a um lugar e a tempo carregado de emoções, de emoções radicais, de feridas abertas que ainda sangram. A África foi o sonho, talvez o último grande sonho, de gerações de portugueses, que, depois de terem percorrido os cinco continentes, para lá dirigiram as esperanças de uma vida melhor, de uma pátria melhor, e por elas se sacrificaram, alguns até ao limite da vida. Um livro fortemente emocionante...

ADOLESCENTES JÁ NÃO SOU NENHUMA CRIANÇA! (Stan Cullimore)

OLÁ! ESTÁ AÍ ALGUÉM? (Jostein Gaarder)

Tammy tem catorze anos e o seu irmão pequeno anda pelos seis. Quando a mãe é destacada durante seis meses para participar numa experiência científica nos Estados Unidos, Peter, um romancista em dificuldades e pai desprevenido, fica encarregue da difícil gestão familiar. O quotidiano desta família não é pacífico, face às mudanças drásticas que vão transformando a «sua menina», que ele não consegue compreender. As situações, hilariantes, vão ajudar-nos a perceber a «caretice» dos pais (mesmo dos mais fixes), a desdramatizar e a topar a melhor maneira de lhes dar a volta! Mas não deixem de emprestar o livro aos vossos pais, para ver se eles deixam de ser tão superprotectores de uma vez por todas. Um livro muito apetecível...

Um menino de oito anos está à espera da chegada de um irmãozinho que vai nascer... Chama-se Joakim. Nessa noite fica sozinho em casa e é então que, ao olhar pela janela, vê outro menino pendurado de cabeça para baixo numa macieira do seu quintal. Acontece que esse outro menino, Mika, vem de um planeta distante e nasceu dentro de um ovo. Juntos interrogam-se sobre todos os mistérios que se escondem por detrás das coisas que o nosso olhar distraído considera «normais». Grandes enigmas para resolver e que tu podes ajudar a desvendar...

CRIANÇAS O VALOR DA HONESTIDADE (Spencer Johnson)

HISTÓRIAS DE IR À BOLA (José Jorge Letria)

Esta é uma história que nos fala de uma pessoa honesta chamada Confúcio. Baseia-se em factos da sua vida. Um rapazinho que vivia com os pais na província de Lu, nas distantes terras da China. Confúcio era um rapaz honesto e dizia que não gostava que fossem desonestos com ele, por isso também não queria ser para com os outros. Acham que, se forem honestos para vós próprios e para com os outros, poderão sentir-se mais felizes? Só vocês decidirão qual o valor da honestidade nas vossas vidas. Mas seja o que for que decidam, esperemos que isso vos dê alegria.

Era uma vez um árbitro de futebol que era muito senhor do seu nariz. E era tão senhor do seu nariz quer, muitas vezes, nem reparava nas faltas graves que eram cometidas dentro do campo. Ele tinha um nariz comprido e um brilhante apito de prata que, antes de cada jogo, se encarregava de polir. O nariz comprido nunca facilitou a vida ao árbitro, pois, devido ao comprimento, era frequente deixá-lo ver apenas metade das jogadas e quase sempre a favor da equipa da casa. Se queres saber mas sobre esta história nada melhor que a leres...


BM dezembro 2008  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you