Issuu on Google+


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

BORBA BOLETIM MUNICIPAL

DEZEMBRO-2004

NESTE NÚMERO PROJECTOS

DIRECTOR Presidente Ângelo de Sá

SUB-DIRECTOR Vereador Humberto Ratado

INSTRUMENTOS DE PLANEAMENTO OBRAS

COORDENAÇÃO EDITORIAL João Oliveira

COORDENAÇÃO GRÁFICA Nuno Cabeças

REDACÇÃO João Oliveira Carlos Barão

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

4 6 8 10 12 14 15 16 16 17 17 18 19 19 20

Sara Jaques Alda Silva Luís Paixão António Panasco

SECRETARIADO José Alberto Pécurto

FOTOGRAFIA João Oliveira Carlos Barão Nuno Cabeças Sara Jaques

CULTURA E DESPORTO

Alda Silva

EDIÇÃO Gabinete de Informação e Relações Públicas da Câmara Municipal de Borba

EDUCAÇÃO

Praça da República 7150-249 Borba Telefs. I 268 891 630 (GERAL) Fax I 268 894 806 (GIRP)

ACÇÃO SOCIAL

29 30 31 33 33 34 34 35 36 37 37 38 38 39 39

E-mail I girp@cm-borba.pt

IMPRESSÃO GRÁFICA Gráfica Calipolense Vila Viçosa Tiragem: 4.000 exemp. Dep. Legal Nº: 49376/91

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

www.cm-borba.pt

CÂMARA MUNICIPAL DE BORBA

DIVERSOS

40 41 41 42 42 43 43 44 44 44 44 45 45 46 47

ESTRADA MUNICIPAL 508-4 VAI SER BENEFICIADA ARRANJOS PAISAGÍSTICOS NO BAIRRO RESIDENCIAL DO CHALÉ ARRANJO DA ENVOLVENTE DA FONTE DAS BICAS PLANO DE ORD. DA CIRCULAÇÃO E DO ESTACIONAMENTO DA VILA DE BORBA PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE INTERVENÇÃO NORTE DA VILA DE BORBA PROJECTO DE INTERVENÇÃO EM ESPAÇO RURAL - UNOR2 CINE-TEATRO EM RECUPERAÇÃO RECUPERAÇÃO DA ESTRUTURA E COBERTURA DO PALACETE DOS MELOS ETAR DE RIO DE MOINHOS VAI SER REABILITADA OBRAS NAS AVENIDAS DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS E LUÍS DE CAMÕES ABASTECIMENTO DE ÁGUA À ALDEIA DA NORA FONTE ORNAMENTAL NO LAGO FONTE DAS SERVAS REGRESSOU AO TERREIRO DAS SERVAS BENEFICIAÇÃO DE AZINHAGAS 13ª FESTA DA VINHA E DO VINHO 22 EVENTOS PARA TODOS OS GOSTOS 24 CONCURSO DO MELHOR PETISCO 25 RECRIAÇÃO DO DIA DE SÃO MARTINHO 26 O VINHO ALENTEJANO E O MERCADO INTERNACIONAL 26 PRODUÇÃO INTEGRADA / BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS 27 ROTA DOS SABORES 27 BELEZA CANINA 28 OPINIÃO PÚBLICA FAME - FUNDO DE APOIO ÀS MICROEMPRESAS PROMOÇÃO DE PRODUTOS REGIONAIS NO BRASIL FESTAS EM HONRA DO SENHOR JESUS DOS AFLITOS CURSOS DE COMUNICAÇÃO PARA A POPULAÇÃO FEIRA DO LIVRO NO CELEIRO DA CULTURA ACTIVIDADES NA PISCINA MUNICIPAL 3ª EDIÇÃO DA ESTAFETA CIRCUITO DOS MÁRMORES ECOPISTA PARA DINAMIZAR A LINHA FERROVIÁRIA APOIO AO DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO NO MUNICÍPIO MELHORAMENTOS NAS ESCOLAS INFORMATIZAÇÃO DAS SALAS DE AULA AUTARQUIA DEU AS BOAS-VINDAS AOS PROFESSORES PROTOCOLO COM O AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO APOIO À CONSERVAÇÃO E BENEFICIAÇÃO DE HABITAÇÕES DE PESSOAS CARENCIADAS DO MUNICÍPIO PLANO MUNICIPAL DE PREVENÇÃO PRIMÁRIA DAS TOXICODEPENDÊNCIAS SINALIZAÇÃO DA VARIANTE FOI ALTERADA FEIRA DOS SANTOS DESCENTRALIZAÇÃO DE COMPETÊNCIAS PARA AS JUNTAS DE FREGUESIA MUNICÍPIO E IGREJA PAROQUIAL DA FREGUESIA MATRIZ ASSINARAM CONTRATO DE COMODATO BORBA E ZAFRA UNIDAS PELO DESENVOLVIMENTO E COOPERAÇÃO TURÍSTICA FILME PROMOCIONAL DA ZONA DOS MÁRMORES NATAL DO IDOSO MÚSICA DE NATAL NA IGREJA PRESIDENTES DAS JUNTAS DE FREGUESIA EM BRUXELAS IMAGEM DA FEIRA DAS ERVAS ALIMENTARES PREMIADA TRABALHADORES MAIS RESPEITADOS E CARREIRAS MAIS DIGNIFICADAS PROMOÇÃO DO CONCELHO TOME NOTA SUGESTÕES DE LEITURA


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

EDITORIAL

CAROS MUNÍCIPES Ângelo João Guarda Verdades de Sá Presidente da Câmara Municipal de Borba

Três anos passaram após a nossa tomada de posse. À medida que o tempo passa temos vindo a consciencializar-nos das dimensões cada vez maiores da crise económica nacional e internacional, cujos reflexos são inevitáveis no poder local. Nós, eleitos do poder local que damos a cara directamente perante aqueles que nos elegeram, sentimo-nos por vezes impotentes para resolver os problemas que afligem os nossos munícipes. Procuramos encontrar as mais variadas soluções para arranjar suporte económico necessário que nos permita responder aos compromissos assumidos perante aqueles que apostaram em nós. Situação que nem sempre é fácil! Temos estado a trabalhar com grande empenho e dedicação à causa pública. É lamentável que nem todos tenham este comportamento. Não podemos admitir que sejam as autarquias locais as mais penalizadas para travar a despesa pública, quando todos sabemos que o dinheiro gerido pelas autarquias é muito melhor aplicado e mais bem gasto do que aquele que é gerido pelo Governo central. Não podemos admitir que os fundos comunitários sejam devolvidos, e tudo faremos para que as nossas propostas sejam aprovadas tendo em vista melhorar o nível de vida e qualidade de vida dos borbenses. Estamos crentes que a curto prazo as autarquias passarão a ser mais respeitadas e voltarão a ter a importância que merecem. Contribuiremos da melhor maneira para que essa mudança de atitude ocorra e vamos lutar para que não seja travado o recurso ao crédito como tem sido até aqui, porque não podem existir projectos e obras sem dinheiro. Nesta época natalícia onde, infelizmente, a crise económica é cada vez maior, onde os ricos são cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres, onde o desemprego é cada vez maior e as condições de emprego cada vez mais precárias, não queria deixar de transmitir aos borbenses algumas palavras de estímulo para continuarmos a lutar por um mundo mais justo e mais solidário. Pela nossa parte, tudo faremos para trazer ao nosso concelho mais emprego, mais desenvolvimento e melhor qualidade de vida. Boas Festas e um Ano Novo muito próspero. O Presidente da Câmara Municipal de Borba

3


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

ESTRADA MUNICIPAL 508 A Câmara Municipal de Borba vai melhorar a estrada municipal 508-4, que liga a estrada municipal 508 a Rio de Moinhos. Foi deliberado em reunião de Câmara de 29 de Setembro abrir concurso público para a empreitada de beneficiação daquele troço. Actualmente, a via é constituída por uma faixa de rodagem de cerca de 5,00 metros de largura e bermas de largura variável entre 0,50 e 1,00 metro, encontrando-se o pavimento na sua generalidade muito degradado, necessitando de permanentes intervenções de conservação, de forma a garantir uma sofrível qualidade de circulação. Com esta beneficiação, a autarquia pretende dotar a estrada de características homogéneas e modernas em

4


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

PROJECTOS

8-4 VAI SER BENEFICIADA toda a sua extensão, cerca de 1,5 km, que passará a contar com uma faixa de rodagem de 6 metros, ladeada por bermas pavimentadas com 0,50 metros e um passeio para peões com 1,5 metros de largura, devidamente pavimentado, no sentido Salgada-Rio de Moinhos, permitindo a circulação pedonal. O projecto contempla a construção de duas rotundas, uma de pequena dimensão, à entrada de Rio de Moinhos, e uma outra de grande dimensão e oval, na intersecção com a estrada municipal 508, garantindo o acesso às bombas da gasolina ali existentes e futuramente a uma estrada de acesso à ADC3 (Área de Deposição Comum) prevista no Plano de Reordenamento da Zona dos

Mármores. O pontão sobre a Ribeira da Lagoa será substituído, construindo-se um quadro de betão armado, dadas as deficiências existentes no arco em cantaria do pontão existente, da necessidade de ripagem do traçado, com correcção em planta e perfil longitudinal e ainda porque a nova solução não traz acréscimo de custos relativamente aos trabalhos de beneficiação e alargamento da obra existente. Esta obra, estimada em cerca de 680.000,00 euros, vai melhorar consideravelmente a acessibilidade à localidade de Rio de Moinhos, e integra a política de melhoria das vias de comunicação no concelho que tem vindo a ser implementada.

5


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

ARRANJOS PAISAGÍSTICOS NO B

6

O Bairro Residencial do ‘Chalé’ vai ser alvo de um arranjo urbanístico/paisagístico nos espaços exteriores que o circundam, pelo que será dotado de espaços verdes, espaços de estar/lazer e percursos diversos que contribuirão para a dignificação do espaço e melhoria das condições de vida dos residentes no Bairro. Trata-se de uma intervenção que o actual executivo pretende realizar, por forma a colmatar uma lacuna que se verifica desde a construção do loteamento. A intervenção a efectivar vai de encontro com as condicionantes pré-existentes, tais como o declive do terreno, os acessos aos fogos, as infra-estruturas, as áreas de estacionamento e os

das de acesso ao Bairro desde a Avenida do Campo de Futebol serão alargadas e revestidas, enobrecendo a entrada para o espaço habitacional e criando melhores condições de acesso e segurança. Em toda a faixa que confronta com a Zona Industrial da Cruz de Cristo será criada uma zona verde, com o reposicionamento dos choupos existentes, intercalados com arbustos de pequeno porte e iluminação pública, que será efectuada com candeeiros de jardim de pequeno porte. O passeio público, acompanhado por um murete, será calcetado com ‘calçada à portuguesa’, acentuando um cariz urbano, que se irá relacionar com o espaço exterior envolvente do Bairro. O

espaços verdes definidos como necessários pela legislação vigente, tendose adoptado, essencialmente na zona de moradias unifamiliares em banda, pelo equilíbrio entre as cedências necessárias à funcionalidade e os elementos já construídos. Assim sendo, ao longo de toda a Avenida do Campo de Futebol está projectada a recuperação do muro de suporte existente, aliado a um novo murete, que será implantado a uma cota mais elevada, definindo assim um talude verde neste intervalo, que será relvado, e que comportará também arbustos de pequeno porte. Não se pretende criar neste espaço uma barreira verde densa, que impossibilite um contacto visual sobre a vila de Borba, constituindo-se esta faixa como um miradouro, visto estar numa cota elevada. Esta área de cota privilegiada comportará árvores e bancos de jardim colocados sob as mesmas, por forma a criar zonas de sombra e consequentemente de estar, ligando estes elementos desenvolve-se um percurso pedonal em lajetas colocadas sobre o relvado que pavimentará este espaço, sempre privilegiando os utentes como peões. Adossado ao referido murete de suporte posicionar-se-á um banco corrido que acompanha o mesmo, fortalecendo assim a função de estar desta zona relativamente às restantes. As actuais esca-

arranjo da zona posterior à habitação em banda, será feita de acordo com a modulação do terreno, pelo que serão criadas duas plataformas laterais, a do passeio público, que acompanha a cota do passeio existente em rampa, e a do espaço imediatamente adstrito ao edifício de habitação colectiva em banda, sendo criados percursos pedonais, que manterão a cota de implantação dos blocos habitacionais. Entre estas duas plataformas, uma zona verde fará a ligação entre ambas através também, de uma modulação de terras natural. No espaço que liga esta faixa à Rua Florbela Espanca pretende-se criar um espaço que permita a reunião dos residentes no Bairro e da restante população, tornando-se num lugar de lazer e convívio. Para reforçar este uso, será implantado um quiosque com esplanada, uma escadaria adequada ao desnível e forma do terreno, que constituirá simultaneamente um pequeno anfiteatro com a função de banco e que delimitará a pequena ‘praça’ onde será implantado um parque infantil. A intervenção supracitada, tem como principal objectivo dotar o Bairro Residencial do ‘Chalé’, de zonas verdes, de estar/lazer e convívio, espaços estes que irão melhorar significativamente a qualidade de vida dos residentes e irão dignificar grandemente o espaço habitacional.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

PROJECTOS

BAIRRO RESIDENCIAL DO CHALÉ

7


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

Fotocópia gentilmente cedida pela Junta de Freguesia de São Bartolomeu

ARRANJO DA ENVOLVEN

8

O Jardim Municipal de Borba tem vindo a alvo de intervenções que visam requalificar e dignificar um espaço nobre da vila. Depois das intervenções já realizadas no jardim e do seu alargamento com a construção do Parque Temático do Mármore, que se encontra em execução, a autarquia deseja efectuar o arranjo de toda a envolvente à Fonte das Bicas. A Fonte das Bicas é um dos mais notáveis monumentos da vila e um dos mais belos do país no seu género e época, tornando-se num “ex-líbris” da vila. Edificada em 1781, a expensas do Município, e consagrada aos reis consortes D. Maria I e D. Pedro III, deve-se aos riscos do Engenheiro José Álvares de Barros e aos escultores António Franco Painho e um dos irmãos Velez, artista de Borba. Classificada como Monumento Nacional desde 16 de Junho de 1910, é construída em mármore branco de Montes Claros, assentando em passadeira lajeada e dois degraus recurvos, estando protegida por labirintos de balaústres em pedra e gradeamento férreo. Antes da formalização dos novos arruamentos da vila, nomeadamente da Avenida D. Dinis de Melo e Castro, o espaço envolvente era materializado por um grande


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

PROJECTOS

NTE DA FONTE DAS BICAS terreiro, sem barreiras físicas e visuais. A intervenção agora projectada visa devolver ao monumento essas características. Pretende-se eliminar a sebe à volta da Fonte e criar um muro de suporte idêntico ao já existente num dos lados

do largo, como delimitação do espaço verde, que será substituído. Existirá um novo acesso ao Largo da Fonte, desde a Avenida D. Dinis de Melo e Castro, em frente à Fonte, para facilitar o acesso àquela zona. Serão

eliminados os muros laterais à Fonte, criando um acesso directo tanto à parte superior do jardim como à zona do chafariz. O acesso à parte superior do jardim será formalizado por uma escadaria em toda a extensão do muro, com uma configuração muito própria, derivado ao declive existente, preconizandose degraus que terminam consoante a inclinação do terreno (ver imagem em perspectiva). Esta escadaria poderá também proporcionar uma espécie de bancada virada para o Largo da Fonte, caso se entenda promover algum espectáculo nesta zona. No lado oposto, elimina-se o actual acesso lateral para o transpor para o limite do largo. Desta forma, a Fonte das Bicas fica destacada em relação ao resto do espaço, havendo uma maior interligação e comunicação entre todo o espaço. Trata-se de mais uma importante intervenção de forma a preservar e valorizar o património histórico do concelho, integrada na política delineada pelo actual executivo, e que já abrangeu outros monumentos.

9


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

PLANO DE ORDENAMENT ESTACIONAMENTO

10

A Câmara Municipal de Borba apresentou publicamente o Plano de Ordenamento da Circulação e do Estacionamento da Vila de Borba, numa sessão que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, no passado dia 30 de Agosto. Perante várias dezenas de munícipes, o executivo camarário e técnicos da empresa responsável pelo estudo apresentaram um plano que pretende definir uma nova hierarquia e estrutura da rede viária da malha urbana da vila, com um novo esquema de circulação, com alteração de sentidos nos arruamentos locais, redução do tráfego de atravessamento por dentro da vila e requalificação de eixos viários para circulação pedonal e ciclovias, e um novo esquema de estacionamento, acompanhado de um novo Plano de Sinalização. Todo o plano foi concebido para devolver à vila o conceito de proximidade, recriando o hábito de deslocação a pé entre aqueles que mais utilizam a viatura particular, não registando grandes constrangimentos, uma vez que as distâncias a percorrer entre o estacionamento e o destino final, ficam facilitadas pelas pequenas distâncias a percorrer. O objectivo deste plano será conjugar a melhoria das condições de acessibilidade duma população que se pode deslocar a pé ou de modo motorizado com os meios necessários à requalificação urbana, através da reclassificação e alteração da estrutura dos eixos viários. A proposta de um novo funcionamento da rede rodoviária não põe em causa as acessibilidades da vila, apenas disciplina o funcionamento no núcleo central, em torno das muralhas do Castelo, facilitando o acesso à zona central de serviços, aos equipamentos colectivos, não facilitando o atravessamento pela malha viária central, de forma a que estes arruamentos sejam preservados para a circulação pedonal, garantindo o acesso a moradores e veículos de emergência. O plano aponta para a substituição do pavimento destes arruamentos por um pavimento em calçada, mantendo-se o betuminoso na rede principal. Em termos de estacionamento, e de forma a colmatar a eliminação do estacionamento na Avenida do Povo, Rua Humberto Silveira Fernandes e Rua Fernão Penteado, a oferta de estacionamento na Avenida 25 de Abril e Rua da Cruz será gerido de forma rotativa, propondo-se o aumento de oferta em parques, alguns a construir, nomeadamente, na zona do futuro parque de feiras, junto ao parque

desportivo e na zona industrial. Durante os meses de Outubro e Novembro decorreu a fase de apreciação pública. Durante trinta dias, o estudo esteve disponível para consulta na Assembleia Municipal, Juntas de Freguesia de São Bartolomeu e Matriz, tendo sido recolhidas sugestões dos munícipes. A autarquia


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

PROJECTOS

TO DA CIRCULAÇÃO E DO DA VILA DE BORBA entende tratar-se de um estudo extremamente importante para remodelação do trânsito e estacionamento da vila, que foi efectuado pela primeira vez, recorrendo a uma empresa especializada, apresentando orientações para uma intervenção geral, em contraste com as intervenções esporádicas que têm sido postas em prática. Pretende-se

que este estudo seja dinâmico e participativo, estando sujeito às alterações que se acharem por convenientes, de forma a serem adoptadas as melhores soluções na resolução de um problema que se reflecte no dia-a-dia dos munícipes, e que urge minimizar.

11


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

PLANO DE PORME INTERVENÇÃO NORT Em reunião ordinária pública de 23 de Julho de 2003, deliberou a Câmara Municipal de Borba proceder à Elaboração do Plano de Pormenor da Área de Intervenção Norte da Vila de Borba envolvendo, genericamente, espaços incluídos no Interior do Perímetro Urbano de Borba com a definição estabelecida no Plano Director Municipal, e com maior detalhe a área afecta ao Plano de Pormenor de Expansão Habitacional da Cerca (revisto) e zonas constituídas no âmbito do Plano de Urbanização de Borba como Área Urbanizável de Expansão Habitacional ZH2, Equipamento da Feira, Central de Camionagem e Áreas de Parqueamento (veículos ligeiros) e ainda alguns pequenos espaços complementares integrados noutras categorias. Foram considerados, no âmbito da Elaboração do Plano de Pormenor os seguintes objectivos: 1. Estabelecer a estratégia de ocupação do território disponível entre a zona limite Norte e Nascente do Plano de Pormenor da Zona de Expansão Habitacional da Cerca e a Operação de Loteamento titulada por Alvará (Alvará nº 3/2000 da Câmara Municipal de Borba) localizada no limite Nascente da Área Urbanizável ZH2 com as seguintes

12

linhas de actuação associadas: proceder aos remates das traseiras das bandas edificadas existentes; proceder ao remate, do lado Poente, das bandas edificadas integrantes da Operação de Loteamento; viabilizar a ocupação da área disponível pelos Equipamentos Públicos com execução prevista (Centro Multiusos de Exposições e Actividades Económicas, Campo da Feira e Parque de Exposições, Edifício de Apoio, Central de Camionagem. 2. Estabelecer o modelo de acessibilidade local na Área do Plano de Pormenor: procedendo à integração urbana da Área de Intervenção; definindo as ligações aos sistemas envolventes integrantes do contexto urbano e regional, introduzindo nas situações necessárias, as convenientes alterações a estes sistemas. 3. Actualizar as disposições do Plano de Pormenor da Cerca adaptando-o às novas condições de desenvolvimento: procedendo à revisão das afectações funcionais tornadas desajustadas face às dinâmicas urbanas; incorporando as alterações derivadas dos objectivos associados à inserção urbana das novas ocupações localizadas a Norte/Nascente do actual Plano de Pormenor da Cerca.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

INSTRUMENTOS DE PLANEAMENTO

ENOR DA ÁREA DE TE DA VILA DE BORBA OBJECTIVOS E LINHAS DE ACTUAÇÃO ASSOCIADAS Tendo em vista os objectivos essenciais estabelecidos nos termos de referência aprovados para a elaboração do Plano de Pormenor, foram promovidas linhas de actuação associadas traduzidas em orientações que, por seu lado remetem, finalmente, para as propostas objectivas. Estas propostas implicam, nalgumas situações, alterações ou ajustamentos a disposições contidas no Plano de Pormenor de Expansão Habitacional da Cerca e no Plano de Urbanização de Borba também expressas neste capítulo. Com relação a cada um dos objectivos essenciais foram estabelecidas as seguintes linhas de actuação: - Estratégia de ocupação do território disponível entre a zona limite Norte e Nascente do Plano de Pormenor da Zona de Expansão da Cerca e Operação de Loteamento titulada pelo Alvará nº3/2000; - Estabelecer o modelo de acessibilidade local na Área do Plano de Pormenor; - Actualizar as disposições do Plano de Pormenor da Cerca adaptando-o às novas condições de desenvolvimento.

PROPOSTAS ESTRUTURANTES As propostas estruturantes contidas no Plano de Pormenor consubstanciam-se, essencialmente, nas seguintes intervenções: Constituição do Parque da Feira e Equipamentos Associados Refere-se à infra-estruturação urbana do amplo território definido desde a confrontação com a Av. D. Dinis de Melo e Castro a Nascente até às áreas anexas à E.N. 4, com a finalidade da sua afectação a actividades feirais. O território da feira, infra-estruturado e semi-pavimentado englobará a instalação de edifício destinado a equipamento complementar de apoio (a Nascente) e o edifício multifuncional e de apoio a actividades económicas (a Poente). Organização Urbana da Área Envolvente ao Parque da Feira Trata-se da colmatação e completamento das manchas urbanas induzidas pelas Operações de Loteamento situadas a Norte do Parque da Feira (Alvará nº 3/2000) e a Sul (Urbanização da Cerca). Propõe-se o fecho das traseiras dos lotes existentes do lado da Cerca pela aposição de frentes edificadas sobre o arruamento que acompanha o desenvolvimento do Parque constituindo, dessa forma, unidades quarteirão homogéneas e criadoras de coerência urbana. Face ao desnível topográfico existente, estas bandas a criar possuirão três pisos sendo o inferior semi-enterrado. O sistema viário é, nesta zona, incrementado pela criação de arruamento que, no sentido Nascente/Poente, ladeia todo o desenvolvimento da plataforma, entroncando com a Av. D. Dinis de Melo e Castro. Este eixo interliga-se, de igual modo, com o sistema viário da Zona de Expansão da Cerca, a Sul, pelo prolongamento da Rua Luís Trindade. Organização Urbana da Área Norte da Urbanização da Cerca Neste âmbito é definido o fecho urbano das áreas situadas entre o processo de ocupação da Quinta da Cerca pelo

seu lado Norte e a plataforma que integra a E.N. 4 sendo aí estabelecida a implantação de equipamentos (Hoteleiro e Central de camionagem) e banda edificada habitacional de tipologia similar às constituídas na envolvente. Ocupação do Eixo Direccional Alameda da Cerca-Parque de Feiras Esta intervenção estruturante possui, no âmbito do Plano, significado estratégico estabelecendo os processos de ocupação entre a zona da Alameda da Cerca (Largo da Liberdade) fronteira ao Mercado Municipal e o Parque de Feiras, a Norte, através da constituição do eixo-direccional formalizado em Alameda com plataforma central arborizada e que, por seu lado, organiza unidades morfológicas residenciais articuladas com as ocupações limítrofes pré-existentes, privilegiando, sempre que possível, a constituição de quarteirões. De resto, sensivelmente a meio do seu desenvolvimento, o próprio eixo-alameda origina arruamento de conexão com a mesma avenida, na direcção da Rua das Casas Novas, na área de protecção à Fonte das Bicas. Esta interligação era já prevista, se bem que noutro contexto, no próprio Plano de Pormenor da Zona de Expansão Habitacional da Cerca. Ajustamentos na Zona de Expansão Habitacional da Cerca Procede-se, neste âmbito, à introdução dos necessários reajustamentos às condições estabelecidas no Plano de Pormenor da Zona de Expansão Habitacional da Quinta da Cerca motivada por necessidade de adequação a alguns aspectos do processo de desenvolvimento desta área (ampliação do mercado municipal, correcções pontuais na definição geométrica, em detalhe, de lotes ou ampliação das possibilidades de utilização de lotes) ou por razões de compatibilização com as propostas da área de intervenção Norte (inserção do eixo direccional-alameda no Largo da Liberdade ou modificação do traçado do eixo de ligação da via circular periférica da Cerca à Av. D.Dinis de Melo e Castro.

13


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

INSTRUMENTOS DE PLANEAMENTO

PROJECTO DE INTERVENÇÃO EM ESPAÇO RURAL - UNOR2

Áreas de indústria extractiva entre Borba e Vila Viçosa.

Vistas gerais sobre as escombreiras.

14

A Câmara Municipal de Borba está a promover a elaboração de um Projecto de Intervenção em Espaço Rural (PIER) para a área da UNOR 2, conforme determinado no Plano Regional de Ordenamento da Zona dos Mármores (PROZOM), tendo adjudicado à empresa DHVFBO – Consultores a sua realização. O lançamento deste projecto resulta da necessidade de concretizar as orientações constantes no Estudo Global da UNOR 2 num instrumento de gestão do território eficaz, pelo que assumirá a figura de plano de pormenor em regime simplificado. A área de intervenção do PIER da UNOR 2 tem cerca de 870 hectares e não inclui os espaços afectos ao Perímetro Urbano de Barro Branco, que serão aprovados em sede de Revisão do Plano Director Municipal, nem as zonas industriais de Alto dos Bacelos (cujo plano de pormenor entrará em breve em fase de ratificação ministerial) e de Horta Nova demarcadas no Estudo Global da UNOR 2. A finalidade do PIER consiste em estabelecer as regras de ocupação e gestão do território da UNOR 2. A proposta de zonamento contemplará as áreas extractivas existentes e potenciais, a concepção geral de uma área de deposição comum (ADC 3) de escombros e de outros resíduos resultantes do processo de extracção e transformação do mármore, a definição de propostas de recuperação paisagística e a definição de uma estrutura geral das redes de acessibilidades e de outras infraestruturas. As propostas de ordenamento e intervenção para as áreas de exploração extractiva assentam, fundamentalmente, no conceito de lavra integrada para grupos de pedreiras, denominados “Núcleos de Exploração”, e que são definidos a partir da existência do recurso mineral com maior valor económico, da proximidade de pedreiras existentes e em função de uma rede de acessos estruturantes que garantirão a circulação entre os núcleos e o escoamento dos produtos e sub-produtos. A primeira fase do projecto, referente aos estudos de caracterização e à definição da proposta prévia de ordenamento, encontra-se em fase de conclusão, seguindo-se a segunda fase, relativa à proposta final de ordenamento, e por último uma terceira fase em que se procederá à Discussão Pública do Plano, à produção dos documentos finais para aprovação da Proposta do Plano pela Assembleia Municipal e consequente ratificação e publicação oficial dos elementos fundamentais do Plano.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

OBRAS

CINE-TEATRO EM RECUPERAÇÃO Já estão em curso as obras de recuperação do Cine-teatro de Borba, numa intervenção que irá dotar o município de uma sala de espectáculos adaptada às exigências actuais. As obras, que se iniciaram no passado mês de Outubro, deverão ser concluídas nos primeiros meses de 2005, e estão orçamentadas em 210 mil euros. Os trabalhos que têm decorrido, nomeadamente a remoção de madeiras e entulhos, vão preparar o edifício para a intervenção a nível de construção civil que irá decorrer em toda a sua estrutura, remodelando toda a rede de águas, esgotos, telefone e instalações sanitárias que, de acordo com a legislação em vigor, incluirão instalações para deficientes motores no piso térreo. Todo o mobiliário será substituído, correspondendo às exigências actuais em matéria de conforto e comodidade. Os trabalhos têm vindo a decorrer de forma condicionada, devido à localização do edifício, que não permite a utilização de maquinaria de grande porte que possibilite um desenvolvimento mais rápido dos mesmos. Toda a intervenção irá salvaguardar a qualidade arquitectónica do edifício e os seus elementos construtivos mais relevantes. O Cine-teatro ficará dotado de equipamento indispensável à projecção de cinema, cujo equipamento será posteriormente adquirido, estimando-se o seu valor em 122 mil euros, bem como à realização de peças de teatro e conferências, com capacidade para cerca de 90 pessoas. As condições de visibilidade serão substancialmente melhoradas, através do rebaixamento do palco e da correcção da inclinação da plateia, passando a cabine de projecção para o primeiro piso. Trata-se de uma intervenção extremamente importante para o município, quer pela recuperação de um imóvel com grande interesse histórico-artístico, contribuindo para a revitalização que se pretende para o espaço intramuros do castelo, hoje predominantemente habitacional, quer na desejada conciliação dos borbenses com a denominada “sétima arte”, que durante décadas proporcionou grandes momentos de animação e lazer recordados com saudade por muitos borbenses, tornando-se num espaço capaz de albergar um vasto número de actividades culturais e conferências, suprimindo uma carência que o município tem evidenciado e cuja recuperação é há muitos anos reivindicada pela população. Esta obra reflecte a preocupação do actual executivo em dotar o concelho de equipamentos culturais que possibilitem o desenvolvimento de uma política cultural diversificada e abrangente. 15


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

RECUPERAÇÃO DA ESTRUTURA E COBERTURA DO PALACETE DOS MELOS Decorrem a bom ritmo as obras de recuperação da estrutura e cobertura do Palacete dos Melos. Na sequência de obras iniciadas e posteriormente suspensas, o Palacete dos Melos sofreu a demolição da cobertura e de parte da superestrutura, nomeadamente em pilares de alvenaria que a suportava. Demoliu-se também parte dos tectos do 2º piso, bem como um anexo nas traseiras, com cobertura em terraço, o que alterou a forma e expressão da fachada tardoz. Os trabalhos que têm vindo a ser desenvolvidos preparam a instalação da estrutura de madeira, opção que permite uma manipulação mais fácil do que materiais como o betão ou aço. Esta será a primeira fase de uma obra avultada que tem sido sucessivamente adiada pelos anteriores executivos da Câmara Municipal de Borba, e cujo valor da obra é de 187 mil euros, financiada pelo PORA/ FEDER. Neste edifício, pretende a autarquia instalar a nova biblioteca, num espaço digno e aprazível onde as novas tecnologias de informação e comunicação e todas as áreas da cultura marquem presença e estejam ao dispor da população. A Câmara Municipal de Borba considera a recuperação do Palacete dos Melos e a implementação da nova biblioteca como obras prioritárias na área da cultura e da formação dos munícipes do concelho.

ETAR DE RIO DE MOINHOS VAI SER REABILITADA A Câmara Municipal de Borba está empenhada na melhoria da qualidade de vida da população, procurando atingir significativas melhorias no abastecimento de água para consumo público e no tratamento adequado das águas residuais, tendo aderido à empresa Águas do Centro Alentejo, S.A., concessionária do Sistema Multimunicipal de Água e de Saneamento do Centro Alentejo, que abrange ainda os concelhos de Alandroal, Évora, Mourão, Redondo e Reguengos de Monsaraz. Um dos pontos mais sensíveis no município em matéria ambiental é a localidade de Rio de Moinhos, que integra um número considerável de queijarias, que originam elevadas quantidades de efluentes.

16

De forma a adaptar a ETAR para um tratamento correcto dos efluentes, decorreu na ribeira de Rio de Moinhos um ensaio com uma ETAR piloto para tratamentos industriais, com tecnologia de flutuação, que proporciona bons resultados de pré-tratamento de substâncias com elevadas matérias gordurosas, tendo sido ainda recolhidas amostras para análise laboratorial. Pretende-se que este tipo de equipamento venha a ser integrado na reabilitação da ETAR de Rio de Moinhos, que se deverá realizar no início de 2005, proporcionando um tratamento adequado dos efluentes e, consequentemente, um melhor funcionamento da ETAR.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

OBRAS

OBRAS NAS AVENIDAS DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS E LUÍS DE CAMÕES A autarquia procedeu à substituição das condutas de abastecimento de água, rede de esgotos e águas pluviais na Avenida dos Bombeiros Voluntários e Avenida Luís de Camões. Esta substituição integra a intervenção de que também foi alvo a Rua da Cruz e Rua de São Francisco. Nestas artérias, o escoamento das águas pluviais deixa de ser efectuado à superfície, evitandose os estrangulamentos que eram provocados no pavimento e as inundações que eram frequentes. Na intersecção de ambas as avenidas foi já construída uma rotunda, que permitirá uma melhor circulação do trânsito numa zona escolar que apresentava regularmente conflitos de tráfego. A autarquia pretende iniciar rapidamente a pavimentação de ambas as avenidas, bem como proceder à reparação dos abatimentos que se registaram na Rua de São Francisco. No Largo da Cruz já decorrem também os trabalhos de arranjo paisagístico, que contemplará espaços verdes e espaços para estacionamento, garantindo o acesso às garagens existentes. Trata-se de uma intervenção de assinalável envergadura, cujo custo está estimado em 400 mil euros, beneficiando o tráfego automóvel em artérias importantes no centro da vila e melhorando a qualidade de vida dos residentes que há muito reivindicavam esta intervenção.

ABASTECIMENTO DE ÁGUA À ALDEIA DA NORA Está praticamente concluída a intervenção de substituição de condutas de abastecimento de água à aldeia da Nora. Esta intervenção tem-se prolongado por mais tempo que o previsto, em virtude das dificuldades encontradas na abertura de valas para colocação da nova conduta, situação originada pela colocação de rochas de grande porte aquando da colocação das condutas antigas, prevendo-se a sua conclusão no início do ano. A colocação tem decorrido em paralelo com as condutas antigas, de forma a manter o regular abastecimento de água à população, encontrando-se já na última fase de colocação, prosseguindo depois na zona das Buscanhas e aldeia da Ribeira. Alguns ramais de abastecimento a habitações foram também substituídos, por se encontrarem totalmente calcificados. Numa parte significativa dos arruamentos já foi reposto o betuminoso, normalizando a circulação nestas artérias. Durante o passado Verão já foi possível constatar os benefícios resultantes desta intervenção, com o abastecimento de água a decorrer de forma regular, ao invés do que vinha acontecendo nos últimos anos, onde se verificava falta de pressão, devido à calcificação das condutas, que originava a falta de água na maioria das habitações.

17


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

FONTE ORNAMENTAL NO LAGO Foi inaugurada durante as tradicionais Festas de Agosto, em honra do Senhor Jesus dos Aflitos, uma fonte ornamental no lago que integra o Jardim Municipal de Borba. Esta intervenção veio enriquecer o espaço, valorizando ainda mais o jardim municipal, que tem vindo a ser beneficiado e devolvido ao convívio da população. A fonte é composta por 20 conjuntos constituídos por 3 jactos cada e um jacto central, com movimentos individualizados,

18

o que permite o desenvolvimento de um variado número de jogos aquáticos, que chegam a atingir 5 metros de altura. Todos os jactos dispõem de iluminação individual, realçando a sua projecção. Esta instalação cria neste espaço de lazer um ambiente mágico e imponente, despertando a atenção de todos os frequentadores do jardim, contribuindo para a sua dignificação e embelezamento.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

OBRAS

FONTE DAS SERVAS REGRESSOU AO TERREIRO DAS SERVAS A autarquia procedeu à reposição de uma das fontes mais emblemáticas do concelho, a Fonte das Servas, numa intervenção de grande simbolismo histórico. A Fonte das Servas, também denominada por Fonte das Freiras ou dos Namorados, instalada no Largo Terreiro das Servas, data de fins do século XVI, abastecia de água toda aquela zona da vila, e faz parte do imaginário da população mais idosa do concelho, já que foi retirada na década de 1950. Era composta por dois degraus que iam dar ao pátio da fonte, onde se encontrava um pequeno chafariz para onde corria a água que vinha das duas bicas de bocal dourado existentes. Durante este tempo, e devido à deficiente conservação a que as peças estiveram sujeitas, muitas acabaram por se fragmentar ou desaparecer, o que obrigou a um extraordinário trabalho de restauro, em colaboração com o CEVALOR e Associação de Desenvolvimento Montes Claros que disponibilizaram os meios técnicos e humanos especializados. A fonte encontra-se num local que não corresponde à sua localização original, em virtude das infra-estruturas eléctricas e telefones não permitirem aí a sua instalação. No entanto, a localização actual permite dar à Fonte das Servas o importante destaque que ela merece e pena é que alguém, inexplicavelmente, a tenha destruído. Esta intervenção integra-se na política delineada pelo actual executivo de preservação e valorização do património histórico de que o concelho é bastante dotado, procurando-se desta forma um reencontro com a história recente com a recuperação deste importante monumento.

BENEFICIAÇÃO DE AZINHAGAS A autarquia procedeu ao arranjo de várias azinhagas no município. A Azinhaga dos Carris, junto à aldeia da Alcaraviça, foi reparada em tout-venant melhorando significativamente a circulação entre toda a zona do Viçoso e a Estrada Nacional nº 4, beneficiando o acesso da população residente naquela zona bem como às explorações agrícolas, e em especial às inúmeras vinhas ali existentes. Esta azinhaga encontrava-se completamente intransitável, sendo agora possível transitar de automóvel.

Azinhaga dos Carris

A Azinhaga das Mós foi também alvo de reparação em tout-venant, permitindo uma melhor circulação nesta zona da vila de Borba. Também em Borba, foi alcatroada a denominada Azinhaga do Cemitério, que efectua a ligação ao lavadouro municipal, bem como a várias habitações. O arranjo de azinhagas e caminhos visa melhorar as acessibilidades no município e corresponder às solicitações efectuadas pela população que habita em espaços rurais.

Azinhaga das Mós

Azinhaga do Cemitério

19


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

13ª FESTA DA VINHA E DO VINHO

20

O número 13 passará a significar para a Festa da Vinha e do Vinho como a edição da mudança. Mudança de localização, em virtude das obras de alargamento do Jardim Municipal e construção do Parque Temático do Mármore que decorrem no espaço que albergou as últimas edições do certame, e na aposta na internacionalização, potenciando a promoção dos vinhos do Alentejo além do território nacional. O novo espaço da Festa da Vinha e do Vinho, junto à rotunda de acesso à Variante à Estrada Nacional 255, foi preparado para acolher o certame deste ano e, possivelmente, ainda os próximos, permitindo futuramente o alargamento do Parque Desportivo que a autarquia para ali tem projectado. É intenção da autarquia dotar o concelho de um parque de feiras e um pavilhão multiusos que permitam a realização de eventos promocionais do concelho, da região e do Alentejo, tornando-se no grande

palco da Festa da Vinha e do Vinho. O executivo tem-se empenhado em garantir o financiamento comunitário indispensável à concretização desta infra-estrutura importante para o concelho, esperando a colaboração quer do Governo central quer regional. Foram evidentes e reconhecidas pelos visitantes as melhorias que este espaço proporcionou, com uma área de 5.500 metros quadrados de área coberta, traduzidas em pavilhões mais amplos, com mais de uma centena de stands, maior espaço entre os mesmos para os visitantes poderem circular e maior visibilidade para os próprios expositores. Pela primeira vez, foi possível organizar os pavilhões por áreas temáticas. O núcleo central foi preenchido por mais de uma dezena de produtores de vinho e outras actividades ligadas ao sector, evidenciando a aposta que a organização tem vindo a efectuar numa maior representação de produtores de vinho, reconhecendo este


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO certame como lugar privilegiado de promoção dos vinhos alentejanos. Num pavilhão paralelo, a mostra institucional e o artesanato, que foi representado por cerca de 30 artesãos, quase todos a trabalhar ao vivo, com trabalhos em madeira, ferro, arame, cortiça, chifres, mármore, estanho, vidro, azulejaria pintada à mão, olaria, peles e curtumes, arranjos campestres e artigos de decoração com ervas aromáticas. A Feira Gastronómica, um dos espaços mais visitados da Festa da Vinha e do Vinho, integrou oito tasquinhas que serviram pratos regionais, bares e os expositores de produtos tradicionais numa área de aproximadamente 2.000 metros quadrados. Neste local, os visitantes apreciaram a apetitosa gastronomia regional, os produtos tradicionais como os queijos, mel, ameixas, compotas, azeite, enchidos, presuntos, e ainda a doçaria regional, representada por oito pastelarias. À semelhança da edição anterior, uma área de 500 metros quadrados acolheu a maquinaria destinada ao sector, tanoaria, rolhas, bacelos e enxertos de videira, prestação de serviços para a vinha e sistemas de rega. Os espectáculos e colóquios decorreram num pavilhão próprio, que este ano abrangeu cerca de mil metros quadrados. Às crianças foi proporcionado um espaço infantil, com diversos equipamentos de diversão e auxiliares que permitiram a sua ocupação enquanto os pais percorriam a Festa da Vinha e do Vinho. O vasto espaço proporcionou aos visitantes estacionamento para várias centenas de viaturas junto ao espaço do certame, evitando-se os congestionamentos no centro da vila verificados em anos anteriores, e com acesso directo à Variante à Estrada Nacional 255 e às diversas vias que permitem a ligação a qualquer ponto do país. Com a afirmação que o certame já conquistou na região e no país, faltava dar o tão desejado passo na internacionalização, que a organização decidiu dar já nesta edição. Para além do colóquio sobre “O futuro do vinho do Alentejo no mercado internacional”, que reuniu especialistas na vitivinicultura, empresários e jornalistas, abordando as perspectivas de exportação do vinho português e, particularmente, do vinho alentejano a novos mercados, produtores espanhóis visitaram o certame, incrementando o contacto e a troca de experiências que se poderão traduzir em melhorias significativas no sector em ambos os países, beneficiando todos os agentes envolvidos, nomeadamente produtores de vinho, importadores, exportadores e consumidores. Sendo um certame vocacionado para o sector do vinho, a autarquia entende tratar-se, tal como a Feira do Queijo e Feira das Ervas Alimentares, de um espaço de promoção de todo o concelho e de todas as restantes actividades económicas, como o mármore, o azeite, os queijos, os enchidos, a gastronomia e o artesanato, integrando uma política de desenvolvimento sustentável que pretende para todo o concelho. De realçar o empenhamento das associações culturais e desportivas, com grande representação e divulgação das suas actividades na Festa, assim como das juntas de freguesia em termos de participação, quer ao nível das sugestões apresentadas, quer ao nível da organização de iniciativas integradas no programa da Festa, mobilizando um número significativo de borbenses. Uma nota de louvor para todos os trabalhadores da Câmara Municipal, pela sua dedicação e empenho, que mesmo com as condições atmosféricas adversas que se verificaram nas semanas que antecederam a Festa, trabalharam intensamente para que o espaço apresentasse a dignidade que todos constataram e se veio a traduzir num enorme sucesso, reconhecido por todos os que durante os noves dias passaram pelo grande evento que é motivo de orgulho de todos os borbenses. A 13ª Festa da Vinha e do Vinho terminou, mas a Câmara Municipal de Borba e toda a Comissão Organizadora começam já a trabalhar para que a 14ª edição seja igual ou ainda melhor.

Sessão solene de abertura

Hastear das bandeiras

Circuito das tascas

Concerto de bandas filarmónicas

Espectáculo com Isabel Campelo e Carlos Guilherme

21 Torneio da malha


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

Desfile de ranchos folclóricos

Festival de folclore

Noite de fados “Quatro Cantos”

Passagem de modelos “Telas e trapos”

Encontro de dança jovem

22 Espectáculo musical com a Orquestra Planície

EVENTOS PARA TODOS OS GOSTOS A Comissão Organizadora preparou para a edição deste ano da Festa da Vinha e do Vinho um vasto e diversificado programa cultural, desportivo e recreativo, integrando colóquios subordinados ao vinho e exposições temáticas, garantindo animação durante os nove dias do certame. A nível musical, os diversos espectáculos levaram milhares de visitantes ao pavilhão de espectáculos que, apesar de mais amplo que em anos anteriores, se tornou em alguns dias pequeno para o elevado número de visitantes que ali se deslocava. A diversidade ficou patente nos vários espectáculos, que abrangeram vários géneros musicais, desde as bandas filarmónicas, a música tradicional portuguesa, os ranchos folclóricos, o fado, a dança jovem, música sinfónica, reggae, música popular alentejana e a música jovem. Assim, durante o primeiro fim-de-semana da Festa registaram-se as actuações da Banda Filarmónica do Centro Cultural de Borba, Banda Juvenil do Município de Gavião, Banda da Sociedade Filarmónica de Serpa e Banda da Sociedade Filarmónica União Calipolense, que desfilaram também pelas artérias da vila, Grupo Coral d’Os Leões “A cantar o Alentejo”, de Moura, que percorreu as tascas da vila durante o circuito das tascas, de Isabel Campelo e Carlos Guilherme, num espectáculo intitulado “Músicas de Sempre” recordaram grandes temas da música portuguesa que fizeram história nos últimos trinta anos, Rancho Folclórico Cravos e Rosas do Alentejo (Borba), Grupo Folclórico das Lavradeiras da Meadela (Viana do Castelo) e Rancho Folclórico dos Fazendeiros de Montemor-o-Novo, que desfilaram pelas ruas da vila e actuaram no palco da festa integrando o Festival de Folclore, e o fado pelos “Quatro Cantos”, com as magníficas vozes de António Pinto Basto, Maria Armanda, Teresa Tapadas e José da Câmara a recordarem cinco décadas de fado, com grandes nomes como Alfredo Marceneiro, Fernando Maurício, Fernando Farinha, Max, Maria Teresa de Noronha, D. Vicente da Câmara e Amália, entre outros. Durante a semana, o palco da Festa acolheu a dança jovem, com vários grupos juvenis do concelho e da região, e passagem de modelos intitulada “Telas e trapos”, com concepção e produção de Anabela Garibaldi e música de Telmo e Maguy, a Orquestra Planície, proveniente do Redondo, o grupo Mercado Negro, com música de influência reggae, os Adiafa, um grupo de Beja bastante animado e que tem divulgado a música popular alentejana, as Bandas Trotil e Splash, com a música jovem. No segundo fim-desemana do certame, registou-se o desfile de fanfarras pelas ruas da vila com a Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Borba e Fanfarra dos Bombeiros de Santiago do Cacém, actuação da Banda da Armada e Gaiteiros de Lisboa. O teatro também marcou presença na 13ª edição da Festa da Vinha e do Vinho, com a revista “Aqui há fantasmas”, com figuras conhecidas do teatro nacional, como Rita Ribeiro, Hugo Rendas, Maria Tavares, Igor Sampaio, Elsa Galvão, Fernando Fernão, João Didelet, Pêpê Rapazote, Alda Gomes ou Bruno Simões.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO A nível desportivo, o certame foi preenchido por diversas modalidades. O Campo de Futebol recebeu o Torneio da Malha, onde estiveram em competição 60 equipas, assim como o Torneio Triangular de Futebol de Veteranos, com as equipas do Grupo União de Veteranos Borbenses, Grupo Desportivo e Recreativo de Pedra Mourinha e Sport Saudade e Benfica, que decorreu num espírito de “fair-play” e convívio, reunindo velhas glórias do futebol regional e nacional. No Pavilhão Desportivo, decorreu o 1º Torneio de Futebol 7 – Inter-turmas EB1, integrado no plano de actividades do projecto de desporto escolar, com a participação de cerca de 300 alunos das Escolas EB1 de Borba, Barro Branco, Nora, Orada e Rio de Moinhos, contribuindo para a promoção do gosto pela prática desportiva e a cooperação entre os alunos. A final do torneio disputou-se no passado dia 6 de Dezembro, entre as equipas de “Os Guerreiros da Paz” do 4º ano da Escola EB1 de Borba e “Os cromos da bola” da Escola EB1 da Nora, terminando com a vitória de “Os Guerreiros da Paz” por três bolas a zero. Os Amigos do Cavalo organizaram pela oitava vez o Passeio Equestre pelos caminhos rurais do concelho, com a presença de cerca de 20 cavaleiros, acompanhados pelos respectivos familiares que, assim, desfrutaram do convívio e do contacto com a natureza. Pelas ruas da vila desfilaram ainda as charretes que despertam sempre a curiosidade dos visitantes do certame. O cicloturismo voltou a reunir os praticantes da modalidade, que realizaram o trajecto Badajoz-Borba, num passeio que contou com 27 equipas oriundas de diversas localidades do país, num total de cerca de 210 elementos. Este passeio contou com a presença de dois representantes da Federação Portuguesa de Ciclismo, que acompanharam todo o percurso e contactaram directamente com as equipas no intuito de lhes esclarecer dúvidas que pudessem existir. Durante o certame realizou-se ainda o já tradicional circuito das tascas, com a participação da Confraria dos Enófilos do Alentejo e Confraria Gastronómica do Alentejo, animado pelo Grupo Coral d’Os Leões “A cantar o Alentejo” de Moura, a apresentação da Rota dos Sabores, o VIII Concurso Regional do Rafeiro do Alentejo, a primeira edição do Concurso Miss e Mister Canino de Borba e o Concurso de Poesia Popular. O pavilhão de espectáculos recebeu dois colóquios que reuniram dezenas de especialistas e entidades ligadas ao sector do vinho, para abordarem “O futuro do vinho do Alentejo no mercado internacional” e “Produção Integrada – boas práticas agrícolas” . O Celeiro da Cultura acolheu a exposição “Dois mestres: uma arte”, com pinturas e trabalhos em madeira da autoria de Carlos Bacalhau e Borys Salenko. Com a colaboração dos comerciantes borbenses, as montras dos estabelecimentos comerciais foram decoradas com motivos alusivos à temática da vinha e do vinho, potenciando a criatividade e imaginação dos comerciantes. Os “manjares” que se podem apreciar nos vários restaurantes e tasquinhas do concelho foram novamente motivo para a realização do tradicional concurso de petiscos, com a participação de 13 estabelecimentos, que apresentaram os mais originais e característicos petiscos, num hino à criatividade, à tradição e originalidade da gastronomia da região. O Dia de São Martinho foi assinalado com a habitual oferta de castanhas assadas e prova do vinho novo, tendo a autarquia promovido numa tasca da vila a recriação do ambiente tradicional do dia de São Martinho, com abertura das talhas com o vinho novo e petiscos regionais, acompanhada com as habituais músicas alentejanas e a poesia popular.

Espectáculo musical com “Mercado Negro”

Exposição de pintura e trabalhos em madeira

1º Torneio Futebol 7 - Inter-turmas EB1

Arraial de São Martinho

Espectáculo musical com “Adiafa”

23 Espectáculo musical com as bandas “Trotil” e “Splash”


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

Passeio equestre

VIII Concurso Regional do Rafeiro do Alentejo

Desfile de charretes

Torneio Triangular de Futebol de Veteranos

Teatro de revista “Aqui há fantasmas”

24 10º Passeio de Cicloturismo Badajoz/Borba

CONCURSO DO MELHOR PETISCO Decorreu no Salão Nobre dos Paços do Município de Borba a entrega de prémios aos participantes no Concurso do Melhor Petisco, integrado na 13ª Festa da Vinha e do Vinho. O concurso evidencia uma tradição do município de Borba, ao realçar o valor cultural e o convívio que se estabelece, desde há muitas gerações, em torno dos sabores dos petiscos usualmente servidos nas tascas típicas e restaurantes, constituindo a sua preservação um factor de salvaguarda dos valores locais. O Júri, constituído por cinco elementos em representação da Câmara Municipal de Borba, Região de Turismo de Évora, ATEVA, Confraria Gastronómica do Alentejo e Confraria dos Enófilos do Alentejo, apreciou a apresentação, acompanhamento, autenticidade regional, genuinidade dos produtos e sabor dos petiscos concorrentes, incentivando a criatividade, tradição e originalidade da gastronomia da região. Este ano concorreram treze tasquinhas e restaurantes do município, tendo sido atribuído o primeiro lugar ao petisco de burras à moda da casa, apresentadas pelo restaurante “O Beco”, ficando na segunda posição os pézinhos de porco de coentrada do restaurante Tasca 1 e em terceiro lugar o borrego à pastor, confeccionado pelo restaurante “Os Gémeos”, atribuindo-se ainda menções honrosas à tasca “O Larga a Velha” (cação de cebolada), restaurante Vila Branca (migas de batata com carne do alguidar) e café restaurante “A Torre” (ensopado de borrego). Participaram ainda os restaurantes “Tasca 40” (pombo frito), Montes Claros (sopa de cebola), D. Vinho (carne de porco preto à alentejana), Tasca dos Coelhos (sopa de tomate), Luna Parque (migos no barro), Bar do Clube (migas de miolos com carne de porco) e “O Arado” (sopa de tomate). A todos os participantes foi entregue um diploma de participação e um prato típico com pintura da imagem da Festa da Vinha e do Vinho.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

RECRIAÇÃO DO DIA DE SÃO MARTINHO A Câmara Municipal de Borba organizou no dia 10 de Novembro ao final da tarde, na “Tasca do Larga-a-Velha”, a recriação do ambiente tradicional do dia de São Martinho. Nesta iniciativa, que decorreu em paralelo com a 13ª Festa da Vinha e do Vinho, houve a abertura das talhas com o vinho novo, petiscos regionais e poetas populares que acompanhados à concertina animaram as muitas pessoas presentes. Com este ambiente característico de uma tasca, reviveramse velhos hábitos associados ao São Martinho. Esta iniciativa da autarquia despertou grande interesse na comunicação social, local e nacional, e registou a cobertura das estações de televisão RTP, SIC e TVI. De acordo com a lenda, num certo dia frio e chuvoso de Outono, em Amiens, França, o soldado Martinho percorria a cavalo um determinado caminho. Numa das voltas do trajecto dá com um mendigo a pedir. Apiedando-se do homem, Martinho não tendo mais nada que oferecer pega na sua espada e corta em dois

Desfile de fanfarras

Entrega de prémios do Concurso de Poesia Popular

Cerimónia de encerramento

Concerto com a Banda da Armada

o seu manto, estendendo uma das metades ao pobre, para que se protegesse do frio. Quase de imediato, cessou a chuva, começando a brilhar o Sol e ficando um inexplicável clima de Verão. Este acto de solidariedade, bem como a morte de Martinho ocorreram no mês das brumas (Novembro), período anual do vinho novo e das castanhas, ao qual ficou para sempre associado. São Martinho, também conhecido por S. Martinho de Tours, cidade onde foi bispo, nasceu em Panónia, na Hungria, em 316 ou 317. Filho de um oficial romano, fez estudos humanísticos em Pavia. Iniciou depois a carreira das armas, mas manifestou desde cedo o desejo de ser monge. No entanto, serviu na guarda imperial até aos 40 anos, idade em que abandonou a vida castrense, tendo ido ao encontro de Santo Hilário, bispo de Poitiers, que lhe conferiu ordens sacras e lhe deu a oportunidade de entrar na vida religiosa. A sua intensa actividade pastoral valeulhe o epíteto de Apóstolo das Gálias. Já bispo de Tours, vivia como um monge, fora da cidade, num local modesto, mais tarde transformado num mosteiro. Terá morrido em Candes (França), em 11 de Novembro de 397.

Espectáculo musical com “Gaiteiros de Lisboa”

25 Entrada da Festa


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

SEMINÁRIO/COLÓQUIO

O VINHO ALENTEJANO E O MERCADO INTERNACIONAL A Festa da Vinha e do Vinho apostou nesta edição na internacionalização da temática abordada no certame. Como primeiro passo, a Associação Monte realizou um seminário subordinado ao tema “O Vinho Alentejano e o Mercado Internacional”, iniciativa que decorreu no dia 12 de Novembro no Pavilhão de Espectáculos da 13ª Festa da Vinha e do Vinho. A participar no seminário estiveram reconhecidos especialistas na matéria que abordaram temas pertinentes e interessantes, e assim cativaram a atenção de cerca de meia centena de pessoas. Joaquim Madeira, responsável pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana, falou sobre a conjuntura actual e a aposta na exportação, e Hugo Cortes, da Associação Nacional de Denominações de Origem Vitivinícolas, analisou os principais mercados de exportação e a importância dos mercados do Brasil e Estados Unidos da América. Arthur Azevedo, jornalista e

José Ginó, da Fundação Eugénio de Almeida. Dois dos

colunista de vários meios de comunicação social do Brasil

principais exportadores do Alentejo abordaram os mercados

veio a Borba para descrever a grande evolução do consumo

mais importantes, analisaram os pontos fortes e fracos de

de vinhos no mercado brasileiro. A fechar o seminário

cada um, assim como as perspectivas para os próximos

realizou-se uma mesa redonda com a participação de

anos. A mesa redonda foi moderada por Mário de Deus,

Francisco Henriques, da Adega Cooperativa de Borba, e

da Associação Monte.

PRODUÇÃO INTEGRADA / BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS

26

A Associação Técnica dos Viticultores do Alentejo e a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana reuniram mais uma vez os seus associados na Festa da Vinha e do Vinho. Mais de meio milhar de viticultores das Sub-regiões de Portalegre, Borba, Redondo, Évora e Reguengos de Monsaraz, e de algumas regiões demarcadas do Alentejo, assistiram ao Colóquio Técnico sobre a “Produção Integrada/Boas Práticas Agricolas. Como habitualmente, a iniciativa decorreu no Pavilhão de Espectáculos e constituiu uma boa oportunidade para os viticultores adquirirem conhecimentos importantes para o desenvolvimento da sua profissão e do sector dos vinhos.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

ROTA DOS SABORES A Rota dos Sabores é um projecto de promoção e dinamização dos produtos tradicionais com nome protegido, criando sinergias e envolvendo os actores locais (produtores, agrupamentos de produtores, autarquias locais e postos de turismo), com o objectivo de promover um circuito turístico onde sejam valorizados os produtos qualificados existentes na região Alentejo. O projecto resulta da parceria da ADRAL–Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (entidade promotora), os Agrupamentos de Produtores – Natur-al-Carnes e APAFNA e ainda os municípios de todo o Norte Alentejano e oito municípios do Alentejo Central, entre eles, Borba. Trata-se de uma iniciativa piloto, a primeira no país, cujo objectivo é proporcionar ao visitante informação sobre os locais de produção e comercialização de “produtos tradicionais de qualidade”, com nome protegido. São eles: os Azeites do Norte Alentejano – DOC, Ameixa de Elvas – DOC, Castanha de Marvão – Portalegre – DOC, Azeitona de Mesa do Nordeste Alentejano, Queijo Mestiço de Tolosa – IGP, Queijo de Nisa – DOP, Maça de Portalegre – IGP, Cereja de S. Julião – Portalegre – DOC, Salsicharia de Portalegre – IGP. O projecto “Rota dos Sabores” começou pela “concepção e criação de um símbolo e sinalética”, para a Rota dos Sabores, teve em conta a resolução do Conselho de Ministros, n.º 96/2000 que considera a gastronomia portuguesa como um bem imaterial integrante do património cultural português (da qual fazem parte os produtos tradicionais de qualidade, com nome protegido). A sinalização (criada de acordo com o Decreto Regulamentar n.º 22-a/ 98) pretende levar ao conhecimentos dos condutores, a existência e localização do património turístico-cultural, salvaguardando a clareza e rigor da sinalização. A promoção e divulgação do projecto contempla a criação de uma brochura informativa (com informação detalhada relativa à

localização, descrição e identificação dos produtos, agrupamentos de produtores e produtores / transformadores que podem ser visitados na Rota dos Sabores, facultada nos postos de turismo, promotores do projecto e produtores); a concepção e distribuição de um cartão / postal de divulgação (com informação mais reduzida), a distribuir nos empreendimentos de alojamento turístico da região; participação em feiras e outros eventos regionais (com expositor próprio) e a criação de um site promocional com a possibilidade de reservas online de visitas aos produtores associados à Rota. Prevê-se, também, a publicitação na imprensa escrita regional e realização de acções de informação e sensibilização, nos distritos integrantes da Rota. Nesta altura, o Projecto “Rota dos Sabores” está na fase de colocação de sinalética, nas várias estradas dos concelhos aderentes. O orçamento total do projecto é de 264.546,70•, comparticipado em 80% pelo PRAI Alentejo. Em Borba, durante a Festa da Vinha e do Vinho realizou-se uma acção de divulgação da Rota dos Sabores, tendo como público preferencial os produtores concelhios.

BELEZA CANINA Integrado na 13ª Festa da Vinha e do Vinho realizou-se no último dia do certame o 1º Concurso Miss e Mister Canino. Esta iniciativa, organizada por “O Refúgio” – Associação dos Amigos dos Animais de Borba, teve a participação de cerca de 30 cães. O júri, constituído por um representante da organização, da Junta de Freguesia da Matriz, da Associação Borba Jovem e por uma médica veterinária, pontuaram os cães participantes segundo critérios de beleza, obediência e realização de habilidades. Nesta iniciativa sempre muito animada foram atribuídos prémios aos 10 melhores classificados nas categorias machos e fêmeas. Através do 1º Concurso Miss e Mister Canino pretendeu-se promover o convívio entre donos e animais de estimação.

27


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

13ª FESTA DA VINHA E DO VINHO

MARIA ELISA GODINHO BORBA

OPINIÃO PÚBLICA FERNANDO MONTEIRO

LUÍS CANHOTO

CARCAVELOS

“É a primeira vez que venho à Festa. Concorri ao concurso de poesia popular, era para vir à entrega de prémios, mas vim mais cedo, porque não conhecia a Festa. Acho que é uma boa propaganda para todo o Alentejo na área vinícola e produtos regionais (queijos e enchidos). Tem sido uma surpresa bastante agradável. Recomendarei a pessoas amigas que num próximo ano cá venham. Gostei da apresentação dos stand’s, da afabilidade das pessoas que atendem, são cordiais, simpáticas, colaborantes e esclarecedoras. Não há nada que possa dizer em desabono. Em futuras edições podia haver uma maior divulgação das várias castas vinícolas e das várias zonas do vinho.”

BORBA

“Este

ano está mais espaçoso, tem melhores condições para as pessoas poderem visitar, acho que está melhor. Gostei de tudo em si. Para o futuro, acho que o pavilhão de espectáculos é pequeno em virtude das pessoas que recebe e o programa deveria ser mais enriquecido com outro tipo de espectáculos, para as camadas mais jovens, e outro tipo de actividades. Este local é mais apropriado que o anterior, há mais espaço para as pessoas poderem estacionar e para poderem estar.”

JOÃO GARCIA LISBOA

ANTÓNIO LOBINHO BORBA

28

“No meu entender é a melhor edição de todas, com mais espaço e os pavilhões estão perfeitos. Acho que deveria continuar igual ao que foi feito este ano ou melhorar mais um bocado. Acho que a parte que esteve mais mal foi a dos enchidos, mal localizada. Já sei que esta localização é por pouco tempo, mas para mim era o ideal, é um local que tem acesso à Variante e à AutoEstrada que é muito importante para qualquer pessoa que vem de qualquer sítio do país.”

“Está tudo muito bonito. Gostei muito do espaço infantil, está muito giro. Podiam melhorar o programa com mais actividades para os jovens. Este local é melhor, temos mais espaço, a Festa está muito melhor este ano.”

“É

uma manifestação gastronómica de relevo, em que são postos em evidência determinados produtos da região e que pela sua diversidade e qualidade é um bom certame. Já há vários anos que venho há Festa da Vinha e do Vinho. De uma maneira geral, gostei de tudo. Uma vez que este evento é para se prolongar no tempo, seria preferível fazer umas instalações de raiz, que penso que trariam algum conforto e beneficiariam o certame. Este espaço não me parece de todo desadequado, tem lugares de estacionamento em quantidade e as instalações são de qualidade.”

GUILHERMINO LOBO BORBA

“Está melhor que o ano passado, os pavilhões estão mais amplos, a pessoas andam mais à vontade e tem mais variedade. Gostei de tudo está tudo muito bem exposto. Pens que as instalações precisavam de ser melhoradas, porque em dias d vento tornam-se frias. Este local é bom, mas no centro era melhor par as pessoas de certa idade porque torna-se um bocado longe para virem ver a Festa, mas o local é bom e deve continuar.”

JOSÉ ANTÓNIO COTOVIO BORBA

“Todos os dias tenho visitado a Festa, acho-a importante, vale a pena ser feita e ser visitada. Tenho gostado de tudo, e não me posso queixar de nada. Estou de acordo n desvio da Festa, porque na anterio localização não havia espaço para coisa nenhuma, não havia condições para se fazer o que se está a fazer aqui. Este ano gosto muito mais do que no anos anteriores. Este local para mim é formidável.”


o a,

s

DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO JOSÉ CALADO BORBA

“Está

muito engraçada e está maior do que o ano passado, tem mais coisas para ver. Melhorar ainda mais é difícil, não sei como é que será, porque acho que já chegou ao máximo. Este espaço está mais amplo, e está organizado em condições.”

O

, as e o, so e de é ra e

m

O

o o no or a

e

é

JOÃO AVÓ BORBA

“Acho pouca exposição de enchidos, mas acho que está bonita e não se pode exigir melhor, está muito maior que as anteriores. Não ponho defeito em nada, demonstra o que temos no concelho, é tudo bonito. Acho que o local fica um bocado desviado da vila, para as pessoas de fora é igual, mas para as pessoas da vila fica um bocado desviado.”

FAME - FUNDO DE APOIO ÀS MICROEMPRESAS Apresentado no passado mês de Março, o Fundo de Apoio às Microempresas (FAME) tornou-se num parceiro privilegiado dos empresários do Concelho de Borba. No primeiro ano em que a Autarquia lançou este programa, o número de candidaturas e o valor apresentado rapidamente excedeu o montante disponível, de 100.000,00 euros. Desenvolvido todo o processo, foram já avaliados oito candidaturas, tendo sido aprovados quatro projectos de investimento em empresas do concelho e concedidos apoios a estas quatro empresas no valor total de 43.873,73•. Brevemente irão ser avaliados mais quatro processos que implicam investimentos na ordem de 52.127,11• (no caso da Comissão de Avaliação do FAME Borba aprovar a totalidade dos mesmos). O FAME Borba é desenvolvido em parceria entre a Câmara Municipal de Borba, Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL) e o Banco Espírito Santo, o FAME Borba.

ROSA SILVA LISBOA

“É a primeira vez que venho, achei interessante porque estão representados os principais produtos do concelho. Gostei muito dos queijos e dos enchidos. Está tudo bem organizado, e tem sítio para estacionar o carro. Acho que está tudo tão bem que não tenho nada a apontar. Vou voltar em próximas edições, até porque gosto imenso de petiscos e dos vinhos alentejanos. Vou recomendar aos amigos, acho que é uma boa oportunidade para visitar Borba.”

29


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

Fotos gentilmente cedidas pelo agrupamento Monte

PROMOÇÃO DE PRODUTOS REGIONAIS NO BRASIL

30

Entre os dias 2 e 10 de Outubro, os produtos de qualidade produzidos na nossa região, vinhos, queijos, enchidos, azeites e artesanato, foram promovidos no Brasil, numa acção de promoção desenvolvida pelo agrupamento Monte - Desenvolvimento Alentejo Central, ACE, denominada “Mostra de Produtos de Qualidade do Alentejo no Brasil”. A acção está integrada no projecto de cooperação Palmas-Monte, e decorreu nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, junto das entidades locais, importadores, comerciantes e delegação do ICEP, fazendo parte de um conjunto de actividades necessárias para a valorização das produções locais e facilitar o alargamento do mercado para estes produtos, e resultou de uma acção inicial realizada em Maio deste ano em Arraiolos, onde foi promovida uma acção de formação sobre processos de certificação participativa e em que se realizou um seminário sobre “O mercado brasileiro para produtos alimentares do Alentejo”. Esta mostra visou a divulgação dos produtos de qualidade do Alentejo junto “Opinion makers”, que desta forma podem atestar da qualidade e especificidade dos produtos agro-alimentares da região; promoção de contactos directos dos produtores regionais com o mercado brasileiro e com as competentes entidades que regulam o mercado alimentar e a exportação; favorecer o intercâmbio de experiências e o contacto com as preferências de mercados muito diferentes do português; e aferir as possibilidades e condições para garantir a exportação de produtos alentejanos, integrando a comitiva técnicos do agrupamento, representantes de unidades produtoras e responsáveis autárquicos, estando a Câmara Municipal de Borba representada pelo seu Presidente. A presença da autarquia visou a divulgação e promoção das actividades económicas desenvolvidas no concelho, potenciando o contacto com novos mercados, ao invés do que já havia sucedido com o sector dos mármores e a aproximação com o mercado polaco, e o estabelecimento de contactos e parcerias noutras áreas e domínios.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

CULTURA E DESPORTO

Festival de Dança Jovem

Concerto pela Orquestra Cidade de Huelva

FESTAS EM HONRA DO SENHOR JESUS DOS AFLITOS A vila de Borba engalanou-se entre os dias 9 e 16 de Agosto para a celebração das Festas em Honra do Senhor Jesus dos Aflitos. As festividades em honra do santo padroeiro de Borba são sempre motivo para milhares de pessoas se deslocarem à nossa terra, especialmente os naturais do concelho que residem noutras regiões do país ou mesmo no estrangeiro, que nesta época de férias regressam para o habitual convívio familiar e usufruto do merecido descanso. Os espaços religiosos que acolheram as cerimónias religiosas foram alvo de melhoramentos que visam a sua preservação e valorização, com intervenções nas envolventes da Igreja do Senhor Jesus dos Aflitos e Igreja Matriz, melhorando significativamente as condições de acesso às duas paróquias. A beneficiação passou também pela colocação de iluminação nas fachadas das paróquias referidas, dando-lhe maior visibilidade nocturna. Também o lago do Jardim Municipal despertou grande interesse durante as festividades, com a instalação de um imponente repuxo de água que veio valorizar ainda mais um espaço que se tem vindo a recuperar e a devolver ao convívio dos borbenses. As festividades integraram um vasto e diversificado programa, que

Concerto pela Banda Filarmónica do Centro Cultural de Borba

Espectáculo musical com Toranja

Gincana de bicicletas

31


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

Exposição do fotógrafo borbense Filipe Galhanas

Procissão com a imagem do Senhor Jesus dos Aflitos

Espectáculo musical com o Grupo Liverpool

Milhares de pessoas assistiram às festividades

32

Espectáculo pirotécnico

incluiu as cerimónias religiosas em Honra do Senhor Jesus dos Aflitos, espectáculos musicais, actividades desportivas, culturais e torneios de jogos tradicionais. O programa religioso concretizou-se durante todos os dias das festividades com eucaristia na Capela do Senhor Jesus dos Aflitos e maior incidência na realização das tradicionais procissões que percorreram diversas artérias da vila de Borba, venerando o santo padroeiro, acompanhadas pela Banda Filarmónica do Centro Cultural de Borba, com a presença na procissão realizada no Domingo da Banda Filarmónica da Casa do Povo de Nossa Senhora de Machede e Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Borba. Em termos musicais, registou-se a actuação de grupos de jovens da nossa região, com a realização de um Festival de Dança Jovem, que assim demonstraram os seus dotes musicais, espectáculos musicais com a Orquestra Cidade de Huelva, proveniente da vizinha Espanha, com o grupo sensação do actual panorama musical português e vencedores de um Globo de Ouro na categoria de melhor canção de 2003, com o tema “Carta”, os Toranja, e o Grupo Liverpool, também proveniente de Espanha, num espectáculo que reeditou os grandes sucessos dos lendários “Beatles”. Os jogos tradicionais animaram as manhãs, com a realização de torneios de dominó e damas, sueca, malha e burro, gincana de bicicletas e um torneio de snooker que decorreu na sede do Sport Clube Borbense. Na Barragem da Vigia, os praticantes da pesca desfrutaram de um convívio piscatório. A animação taurina também marcou presença, com a realização de duas garraiadas nocturnas, que decorreram no Parque de Feiras. Pelo Celeiro da Cultura passaram centenas de pessoas que recordaram outros tempos, gentes de outrora, costumes que se perderam no tempo e uma vila bem diferente, numa exposição de fotografia do fotógrafo borbense Filipe Galhanas, intitulada “Vaidade dos Outros”, que durante décadas dedicou o seu tempo a registar a história e os costumes da nossa vila. A animação prolongou-se pela noite, quer nos bares instalados no recinto da festa proporcionando o convívio saudável que caracteriza os borbenses, quer na discoteca ao ar livre, onde os noctívagos prolongaram a animação até de madrugada. A autarquia reuniu e motivou um número considerável de associações e colectividades do concelho em torno da organização das Festas em Honra do Senhor Jesus dos Aflitos, elaborando desta forma um programa com o envolvimento da população e que respondesse aos seus anseios. Para além da Câmara Municipal de Borba, a organização esteve a cargo das Paróquias de Borba, Irmandade do Senhor Jesus dos Aflitos, Junta de Freguesia da Matriz, Junta de Freguesia de São Bartolomeu, Centro Cultural de Borba, Associação de Desenvolvimento Montes Claros, Associação Borba Jovem, Bombeiros Voluntários de Borba, Associação de Dadores Benévolos de Sangue, Centro de Cultura e Desporto da Matriz, Sport Clube Borbense e Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Borba. Com a colaboração e participação de todos, em 2005 será, certamente, ainda melhor!


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

CULTURA E DESPORTO

CURSOS DE COMUNICAÇÃO PARA A POPULAÇÃO Na Biblioteca Municipal de Borba e sede do Sport Clube Borbense decorreram dois cursos destinados aos munícipes de Borba, em horário pós-laboral, ministrados pela “Falatório – Training School” com o apoio da Câmara Municipal de Borba. A “Falatório – Training School” é uma entidade de formação acreditada pelo INOFOR, especializada na formação de “Falar em Público”, que tem desenvolvido a actividade formadora por todo o país, com especial incidência em universidades e autarquias. Entre os dias 29 de Novembro e 3 de Dezembro, na Biblioteca Municipal de Borba, decorreu o curso “Falar em Público”, com a presença de 7 formandos, que visou desenvolver nos formandos atitudes que lhe permitam comunicar e relacionar eficazmente perante uma plateia, num contexto não só profissional como também social de modo a contribuir para um bom desempenho da performance comunicativa, promovendo o desenvolvimento de uma percepção de si próprio, aumentando o seu sentido de comunicação, sensibilizar para a importância da comunicação não verbal, identificar as barreiras à

comunicação e aprender a eliminá-las, adquirir estratégias para melhorar a comunicação frente a uma plateia e reconhecer atitudes individuais facilitadoras da comunicação. Para atingir estes objectivos, foi abordada a planificação e organização do discurso, postura corporal, técnicas para combater o nervosismo, projecção e colocação de voz, estratégias para conquistar a plateia e a imagem. Entre os dias 06 e 10 de Dezembro, na sede do Sport Clube Borbense, realizou-se o curso “Condução de reuniões – Gestão de conflitos”, com a presença de 15 formandos, visando transmitir conhecimentos para a condução de reuniões, através da abordagem de conteúdos como a construção e comunicação de objectivos, requisitos para planeamento das reuniões, análise casuística, lista de verificação da reunião, inteligência emocional, personalidade criativa, o conflito e suas bases, tipos de conflitos intrapessoais e interpessoais, estratégias e técnicas para a resolução do conflito, o relacionamento interpessoal e eficaz e técnicas e treino de assertividade.

FEIRA DO LIVRO NO CELEIRO DA CULTURA Entre os dias 9 e 23 de Dezembro, o Celeiro da Cultura acolheu a 24ª Feira do Livro do Centro Cultural de Borba, que contou com o apoio da Câmara Municipal de Borba. As principais editoras marcaram presença com as últimas novidades, abrangendo uma grande variedade de temas para todas as idades. A feira, que se realiza todos os anos durante o mês de Dezembro, é uma oportunidade para aquisição das grandes obras literárias por parte dos leitores borbenses, tornando-se numa opção para a compra dos presentes de natal e incentivando, ao mesmo tempo, a leitura.

33


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

ACTIVIDADES NA PISCINA MUNICIPAL

34

A época balnear em Borba teve início no dia 26 de Junho, tendo-se registado nesse dia a maior afluência de população ao longo da época, 291 pessoas. As actividades desportivas na Piscina Municipal começaram no mês de Agosto. As aulas de adaptação ao meio aquático e de hidroginástica decorreram nas manhãs de 3ª a 6ª feira e contaram com a participação de borbenses e familiares que se encontravam de férias na vila. É de salientar a presença de uma aluna com 60 anos e esperamos que na próxima época balnear este grupo etário conte com mais participantes. A animar as tardes dos finsde-semana, num espírito de camaradagem e convívio, realizaram-se torneios de voleibol e de sueca, e provas da natação. O torneio de voleibol realizou-se nos dias 14 e 28 de Agosto e contou com a participação de 12 equipas. O torneio da sueca contou com 5 equipas com elementos entre os 14 e os 34 anos de idade, que se defrontaram nos dias 8 e 29 de Agosto. Na prova de natação, que decorreu dia 13 de Agosto, 10 jovens deram o seu melhor para alcançar o 1º lugar. Para o próximo ano estão já a ser planeadas novas actividades, contamos com a vossa participação!

ª

3

EDIÇÃO DA ESTAFETA CIRCUITO DOS MÁRMORES

A 3ª edição da Estafeta Circuito dos Mármores chegará no dia 23 de Janeiro de 2005. Esta prova tem a colaboração da Associação de Atletismo de Évora e resulta da parceria entre a Associação de Municípios do Distrito de Évora e os Municípios de Alandroal, Vila Viçosa, Borba e Estremoz, localidades que formam um percurso de cerca de 34 km’s. Se nasceste antes de 1989 e gostas de correr, arranja três colegas e vem participar nesta actividade. Antes da passagem dos atletas pela vila, este ano iremos realizar o 1º Passeio Avós e Netos. O passeio terá início às 10 horas, em frente à Câmara Municipal de Borba, e pretende ser uma actividade que proporcione o convívio entre estas duas gerações. Pede aos teus avós, arraste os seus netos e venha passar uma manhã diferente! Para mais informação dirige-te à secção de Desporto da Câmara Municipal de Borba.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

CULTURA E DESPORTO

ECOPISTA PARA DINAMIZAR A LINHA FERROVIÁRIA A reutilização de plataformas ferroviárias para fins de lazer em contacto com a natureza tem vindo a intensificarse um pouco por toda a Europa. Com a racionalização da exploração ferroviária que ocorreu na década de 80, milhares de quilómetros de vias ferroviárias ficaram sem utilização, passando a ser convertidos em caminhos para passear, andar de bicicleta, patinar, praticar hipismo ou outras utilizações que não requeiram meios motorizados. Este conceito, que teve origem nos Estados Unidos da América, têm-se vindo a alastrar em diversos países europeus, como França, Inglaterra e Espanha, onde despertou grande expansão, quer a nível dos Governos, quer do poder autárquico e das populações. A estas infraestruturas, com diversos termos consoante o país, atribuiuse no nosso país a denominação de Ecopistas, caracterizando-se pela sua função de lazer e, em alguns casos, para satisfazer necessidades diárias de deslocação, permitindo uma utilização ininterrupta, fácil, segura e

agradável de percorrer. Esta nova funcionalidade, que permite ainda a requalificação de equipamentos de apoio, como sejam as estações, apeadeiros, pontes, túneis e outro tipo de equipamentos, começa a dar os primeiros passos no nosso país e a despertar interesse, essencialmente, a nível autárquico. A transformação de traçados ferroviários em Ecopistas visa travar a sua degradação, potenciar actividades alternativas, fomentar actividades económicas e de criação de emprego, estabilizando a população no seu lugar de origem e combatendo a desertificação, bem como integrar as infra-estruturas sem utilização, requalificando equipamento sociais com o objectivo de complementar outros desenvolvimentos alternativos, como turísticos ou recreativos, contribuindo para a protecção do ambiente e da mobilidade e colaborando na educação, conservação do património histórico e cultural e na saúde. Com esse intuito, a Câmara Municipal de Borba tem

35


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

CULTURA E DESPORTO desenvolvido diversas reuniões com a REFER, entidade gestora do património ferroviário, de forma a criar uma Ecopista no traçado ferroviário Vila Viçosa-Borba-Estremoz, com uma extensão de cerca de 17 quilómetros, que se traduzirá numa candidatura conjunta dos três municípios. Pretende-se desta forma proporcionar às populações dos três municípios percursos acessíveis para caminheiros, amantes da natureza e desportistas, impulsionando a

realização de actividades ao ar livre, fomentando a prática de actividades desportivas isoladas da circulação automóvel, e fomento de um novo conceito de turismo em perfeita harmonia com a natureza, com a criação de estabelecimentos comerciais e hoteleiros e serviços aliados ao lazer, incentivando a criação de empresas e emprego na região.

APOIO AO DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO NO MUNICÍPIO

36

A Câmara Municipal de Borba celebrou contratosprograma de desenvolvimento desportivo com o Sport Clube Borbense e Grupo Desportivo e Cultural de Rio de Moinhos. Os contratos-programa agora assinados serão válidos até final de Agosto de 2005, e visam apoiar técnica, material e financeiramente as actividades desenvolvidas pelos dois clubes, comparticipando no apoio a treinos e competições no futebol sénior e juvenil, serviços de higiene e limpeza, em despesas de inscrição dos atletas, aquisição de materiais e meios de treino individuais e colectivos,

despesas de electricidade das instalações desportivas e outros apoios que permitam o desenvolvimento das suas actividades. Actualmente, ambos os clubes participam na Divisão de Honra no Campeonato Distrital de Seniores da Associação de Futebol de Évora, participando ainda em campeonatos distritais nas diversas categorias juvenis. Este apoio da autarquia reconhece a importância do trabalho desenvolvido por ambos os clubes na promoção da prática desportiva por parte da população e no contributo prestado para a melhoria da sua qualidade de vida.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

EDUCAÇÃO

MELHORAMENTOS NAS ESCOLAS Tendo em conta que o desenvolvimento e a qualidade de vida de qualquer sociedade inicia-se nas acções, decisões e na forma de estar na vida de cada um enquanto cidadão, então fácil será concluir que o futuro, ou pelo menos o caminho, mais vantajoso a seguir é largamente a aposta decisiva/concreta e sem limitações na educação. Para tal, será imprescindível olhar para o sistema de ensino desde a pré-primária, 1º ciclo e por aí adiante. Este executivo camarário ao perceber que existirá uma sociedade mais competitiva, mais preparada, desde que sejam também facultadas melhores condições de aprendizagem tanto para os alunos como para os professores e auxiliares. Tendo em conta estes e outros objectivos, a Câmara Municipal de Borba elaborou e decidiu apresentar ao PORA e DREA uma candidatura com os projectos de remodelação dos edifícios e espaços exteriores, contemplando nomeadamente projectos de arquitectura, projectos de arranjo paisagístico, projectos de electricidade/iluminação, projecto de contra incêndios e intrusão, projectos de aquecimento e também de aquisição de novos equipamentos, esperando que a sua a aprovação irá acontecer, este executivo prepara-se para oferecer novas formas de aprendizagem, mais bem-estar nas escolas e, sobretudo, alimentação para todos os alunos no município.

INFORMATIZAÇÃO DAS SALAS DE AULA As salas de aula de todos os estabelecimentos de ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico do município de Borba vão ser apetrechadas com meios informáticos, constituídos por computadores, impressoras e software educativo, de forma a levar as tecnologias de informação e comunicação ao encontro dos alunos destes estabelecimentos educativos. Com estes equipamentos, os professores dispõem de novos recursos didácticos que visam facilitar a aprendizagem e proporcionar o contacto com os meios informáticos. Esta acção da autarquia resulta de uma candidatura aprovada pelo Ministério da Educação, e apresentada ao Programa de Desenvolvimento Educativo para Portugal (PRODEP III), designadamente às medidas 9.1- Apetrechamento informático de escolas e ligação à Internet e intranet e 9.2- Conteúdos educativos multimédia, no valor de • 12.750,00, apoiada em 75% pelo FEDER, ficando o restante valor a cargo da autarquia, assim como os encargos inerentes à sua instalação.

O executivo da Câmara Municipal de Borba considera ser a educação um dos pilares fundamentais para o desenvolvimento do concelho, apostando numa população com mais qualificação e formação, de forma a melhor responder aos desafios que a sociedade coloca.

37


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

EDUCAÇÃO

AUTARQUIA DEU AS BOAS-VINDAS AOS PROFESSORES A Câmara Municipal de Borba promoveu no dia 10 de Novembro, pelas 14.00 horas, a recepção aos professores que vão leccionar nos estabelecimentos de ensino do concelho, no ano lectivo 2004/ 2005. Várias dezenas de docentes receberam as boasvindas do executivo camarário no Salão Nobre dos Paços do Município, e em seguida foram convidados para almoçar na 13ª Festa da Vinha e do Vinho. O Concelho de Borba tem quatro jardins de infância, cinco escolas básicas do 1º Ciclo e a Escola Básica 2-3 Padre Bento Pereira. Com esta iniciativa, pretendeu-se promover o encontro entre os profissionais a exercer funções nas diferentes escolas do concelho, numa partilha de conhecimentos que a autarquia procura que seja enriquecedora e geradora de sinergias. Atenta às necessidades dos alunos e das suas famílias, a Câmara Municipal de Borba tem em funcionamento a Oficina da Criança, paga a totalidade das refeições às crianças dos jardins de infância e escolas básicas do 1º Ciclo e atribui

subsídios para a aquisição de livros e material escolar aos alunos das escolas do 1º Ciclo. A autarquia transporta ainda gratuitamente, desde as localidades, aglomerados populacionais ou montes do concelho onde vivem os alunos até ao 9º ano de escolaridade, suporta 50% das deslocações aos que frequentam o ensino secundário e cede o autocarro para as várias visitas de estudo que acontecem ao longo do ano. A Câmara Municipal de Borba contratou também um técnico de Educação Física para leccionar a disciplina às crianças dos jardins de infância e escolas básicas do 1º Ciclo e atribui bolsas de estudo aos alunos do ensino universitário. Desta forma, a autarquia demonstra o seu apoio no melhoramento do ensino e no aumento da capacidade de resposta às necessidades sentidas, contando, para tal, com o envolvimento da comunidade educativa. A Câmara Municipal de Borba acredita que a formação dos nossos jovens é a aposta certa no futuro melhor que queremos.

PROTOCOLO COM O AGRUPAMENTO DE ESCOLAS

38

O Município de Borba e o Agrupamento de Escolas do Concelho de Borba assinaram um protocolo que estabelece os apoios técnicos e financeiros a conceder pelo autarquia, assim como a modalidade de gestão e utilização do Pavilhão Desportivo. O Pavilhão Desportivo é utilizado pelas escolas durante o horário lectivo, para apoio à educação física e desporto escolar no âmbito curricular e extracurricular, proporcionando a prática de diversas modalidades desportivas aos alunos dos estabelecimentos de ensino. No âmbito deste protocolo, a autarquia apoiará ainda o Agrupamento na

implementação do Projecto “Escola Digital”, que visa criar um cartão magnético destinado a todos os alunos, professores e funcionários do Agrupamento, que permitirá controlar as entradas e saídas dos estabelecimentos de ensino, as faltas de alunos, professores e funcionários, facultar todas as informações relativas à vida escolar do aluno, como sejam as classificações e faltas, aos encarregados de educação, mediante uma palavra passe que permite a todo o momento utilizar via Internet. Trata-se de um projecto amplamente importante para a toda a comunidade em geral e escolar, em particular.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

ACÇÃO SOCIAL

CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO A Câmara Municipal de Borba vai implementar o Cartão Municipal do Idoso, como forma de apoio à população idosa mais carenciada e desfavorecida do concelho. Este cartão trata-se de um importante e significativo apoio social aos munícipes mais desfavorecidos, e prossegue a política delineada pelo executivo de melhoria da qualidade de vida no concelho de Borba, evidenciando desta forma a responsabilidade social da autarquia, e as preocupações pelo bem-estar e dignidade daqueles que após uma vida inteira de trabalho são confrontados com baixíssimas pensões de reforma. Aos portadores deste cartão, que se destina a pensionistas, reformados ou carenciados com idade igual ou superior a 65 anos e que residam no concelho há pelo menos 2 anos, e com a média dos rendimentos per capita inferior a 60% do salário mínimo nacional, será atribuído um conjunto de apoios, que contemplam a entrada gratuita em todos os eventos e espaços da Câmara Municipal de Borba, desconto de 50% nos consumos de água para uso doméstico que não

ultrapassem quatro metros cúbicos mensais e desconto de 50% em todas as tarifas que lhe são indexadas, desconto de 25% no pagamento de taxas e licenças emitidas pela autarquia, acesso a viagens e passeios promovidos pela autarquia ou em colaboração com outras entidades, podendo vir a conceder ainda outros benefícios. A autarquia têm desenvolvido esforços junto dos comerciantes do concelho para a atribuição de descontos percentuais nas compras efectuadas pelos portadores do cartão nos estabelecimentos comerciais. Os interessados em beneficiar do cartão deverão formular o pedido junto dos serviços de acção social da autarquia, através de formulário próprio a fornecer pelos serviços, acompanhado de duas fotografias tipo passe actuais, cópia do bilhete de identidade, declaração emitida pela junta de freguesia onde conste o número de eleitor e confirme a residência e composição do agregado familiar e cópia dos recibos de reforma ou aposentação ou declaração de IRS.

APOIO À CONSERVAÇÃO E BENEFICIAÇÃO DE HABITAÇÕES DE PESSOAS CARENCIADAS DO MUNICÍPIO Consciente da necessidade de conforto, salubridade e segurança nas habitações como condição essencial para a qualidade de vida das populações e no cumprimento do seu papel activo enquanto agente social que procura a inclusão de todos os cidadãos e o combate à pobreza, a Câmara Municipal de Borba pretende contribuir para a melhoria das condições de vida dos agregados familiares economicamente mais desfavorecidos residentes no concelho, criando o Projecto de Regulamento de Apoio à Conservação e Beneficiação de Habitações de Pessoas Carenciadas do Município de Borba. Pretende-se desta forma apoiar pequenas obras de conservação e beneficiação de habitações sem condições mínimas de habitabilidade que, não sendo dignas do nosso tempo, afastam as famílias carenciadas do desenvolvimento, através da cedência de materiais de construção civil, materiais usados em revestimentos e loiças sanitárias, a todos os agregados familiares residentes na área do

concelho que possuam rendimento mensal per capita inferior a 200,00 euros e habitem em casa própria ou arrendada. Com este programa, é possível corresponder a situações existentes que não cumpram as premissas necessárias à aprovação em programas já em aplicação, como sejam o RECRIA e SOLARH. Os munícipes que pretendam recorrer a este apoio deverão formular o pedido através de carta dirigida ao Presidente da Câmara Municipal de Borba, solicitando os materiais necessários para as obras, juntando fotocópia da caderneta da casa, listagem dos materiais necessários e respectivas quantidades, documentos comprovativos dos rendimentos do agregado familiar, documento emitido pela Repartição de Finanças que refira os bens/rendimentos constantes nos registos destes serviços e informação sobre o número de filhos, respectivas profissões e local onde residem. Sempre que existam dúvidas sobre a residência, esta deve ser confirmada pela junta de freguesia.

39


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

ACÇÃO SOCIAL

PLANO MUNICIPAL DE PREVENÇÃO PRIMÁRIA DAS TOXICODEPENDÊNCIAS A Câmara Municipal de Borba candidatou o Plano Municipal de Prevenção Primária das Toxicodependências ao Instituto da Droga e da Toxicodependência. A autarquia tem como objectivo actuar na prevenção primária junto dos alunos do 2º e 3º ciclos da Escola Básica 2,3 Padre Bento Pereira por serem idades de iniciação ao consumo de substâncias lícitas e ilícitas, e por estarem em idade de possível abandono escolar. A intervenção abrangerá também as famílias, principalmente pais e mães, e os técnicos de educação (professores). Caso o Plano Municipal de Prevenção Primária das Toxicodependências seja aprovado, o projecto a desenvolver em Borba vai chamar-se “Conta Comigo” e tem a duração de 12 meses, renovável até quatro anos. Com esta iniciativa pretende-se, entre outros objectivos, evitar ou reduzir o consumo de drogas lícitas e ilícitas nos alunos do 2º e 3º ciclos, dinamizar e fornecer informações sobre os diferentes tipos de drogas e os seus efeitos e consequências, reduzir e alterar situações e comportamentos de risco, sensibilizar pais e mães para o seu papel de agentes de prevenção e promover hábitos de vida saudáveis. Esta candidatura da Câmara Municipal de Borba, no

40

valor de quase 66 mil euros, tem como parceiros a Associação de Desenvolvimento Montes Claros, a Junta de Freguesia de Rio de Moinhos, a Junta de Freguesia de Orada, a Escola Básica 2,3 Padre Bento Pereira, o Instituto da Droga e da Toxicodependência e a MediaBorba (Rádio Borba e Jornal Terras Brancas). O projecto envolve a existência de dois técnicos que vão actuar junto da população alvo no desenvolvimento de campanhas de divulgação e informação sobre as drogas e seus efeitos e consequências pessoais e sociais, sessões de debate e esclarecimento, actividades individuais de reflexão com posterior debate em grupo, iniciativas ludico-pedagógicas para a educação com normas, regras e civismo, tais como o montanhismo, vídeo ou fotografia. Pretende-se também desenvolver actividades como o teatro, artes plásticas, pintura, literatura e poesia. Os Planos Municipais de Prevenção Primária das Toxicodependências surgiram no âmbito do Plano de Acção de Luta contra a Droga e Toxicodependências - Horizonte 2004 com o objectivo de concertar esforços entre o Instituto da Droga e das Toxicodependências, as câmaras municipais e a sociedade civil na partilha de responsabilidades na área da Prevenção Primária das Toxicodependências.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

DIVERSOS

SINALIZAÇÃO DA VARIANTE FOI ALTERADA A construção da Variante à Estrada Nacional 255 veio melhorar substancialmente a circulação automóvel entre os concelhos que directamente beneficiam da via, Borba e Vila Viçosa, quer o acesso proveniente da A6. A inauguração, que decorreu no mês de Março, foi o culminar de uma velha reivindicação das duas autarquias, de forma a criar uma alternativa à Estrada Nacional 255, que é preenchida em grande parte da sua extensão por explorações de mármore, servindo para o tráfego de viaturas inerentes à actividade. Tal situação implicava o atravessamento de viaturas pesadas por ambas as localidades, causando prejuízos elevados no pavimento, habitações e monumentos nacionais, assim como o congestionamento do tráfego. No que ao troço que circunda Borba diz respeito, deparou-se logo após a inauguração que a sinalização aplicada junto ao nó da A6 não era a mais adequada, levando mesmo a situações de incorrecto encaminhamento do tráfego. Todo o trânsito proveniente da A6, bem como da Estrada Nacional 4, no sentido Estremoz-Borba, a poucas centenas de metros da entrada norte da vila, era encaminhado para a Variante, percorrendo mais alguns quilómetros, acabando por entrar na vila na entrada oposta. Tal situação veio a prejudicar alguns comerciantes instalados na zona norte da vila, que fizeram chegar à autarquia a sua preocupação pelo encaminhamento de clientes para o lado oposto da vila. A autarquia desenvolveu vários contactos com o IEP – Instituto de Estradas de Portugal de forma a corrigir a sinalização, o que veio a acontecer recentemente. Com as alterações agora efectuadas, a passagem de veículos pesados passou a ser proibida no interior da vila, exceptuando as situações de cargas e descargas, evitando-se os constrangimentos atrás referidos, efectuandose todo o seu tráfego pela Variante.

ANTES

AGORA

FEIRA DOS SANTOS A tradicional Feira dos Santos decorreu no passado dia 1 de Novembro. Pelo segundo ano, a Feira decorreu no espaço destinado ao Parque de Feiras e Exposições, permanecendo os produtos hortícolas e a olaria na Rua Humberto Silveira Fernandes e Avenida do Povo, bem como a venda de viaturas no Largo da Fonte das Bicas. A Feira do Santos é uma das maiores feiras da região e traz a Borba milhares de forasteiros provenientes de todo o Alentejo, tornando-se num acontecimento ímpar. O actual espaço da Feira permite à autarquia um maior controlo dos feirantes e respectivos espaços, melhorando a circulação no centro da vila e as condições quer para quem vende, quer para quem compra. A autarquia pretende tornar real o Parque de Feiras e Exposições, que beneficiará também a realização da Feira.

41


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

DESCENTRALIZAÇÃO DE COMPETÊNCIAS PARA AS JUNTAS DE FREGUESIA A Câmara Municipal de Borba delegou competências para as quatro juntas de freguesia do concelho. Os protocolos de descentralização de competências da autarquia para as juntas de freguesia visam a rentabilização de meios e têm em vista a aproximação da prestação dos serviços à população. Para a implementação das diversas actividades, a Câmara Municipal de Borba procede à necessária transferência de verbas em duodécimos. A autarquia delegou às juntas de freguesia do concelho competências como a conservação e limpeza de valetas,

bermas e caminhos, conservação e limpeza de ruas e passeios, gestão e conservação de jardins e outros espaços ajardinados, conservação e reparação de escolas préprimárias e das escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico, manutenção dos espaços desportivos, manutenção das ETAR e dos depósitos de água para abastecimento público, cobrança de taxas, licenças e tarifas, participação de deficiências na iluminação pública à empresa que presta o serviço, entre outras.

MUNICÍPIO E IGREJA PAROQUIAL DA FREGUESIA MATRIZ ASSINARAM CONTRATO DE COMODATO O Município de Borba e a Igreja Paroquial da Freguesia Matriz (Nossa Senhora das Neves do Sobral) assinaram um contrato de comodato em que a autarquia cede à instituição clerical pelo período de 25 anos as instalações da antiga Escola Primária de Alcaraviça. Neste espaço, o Centro Paroquial local pretende abrir uma área à comunidade onde decorram as diversas actividades organizadas pela Igreja Paroquial. Entretanto, decorrerão

42

os trabalhos de recuperação da antiga Escola Primária da Alcaraviça, edifício que se encontra em avançado estado de degradação. Através deste contrato de comodato, o Município de Borba demonstra uma vez mais a aposta na recuperação e valorização do património, para além de, neste caso possibilitar a sua utilização no desenvolvimento das actividades religiosas em Alcaraviça.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

DIVERSOS

BORBA E ZAFRA UNIDAS PELO DESENVOLVIMENTO E COOPERAÇÃO TURÍSTICA O Município de Borba, a Asociación Centro de Desarrollo Rural “Zafra – Rio Bodión” e a Associação de Desenvolvimento de Montes Claros têm vindo a desenvolver um projecto de intercâmbio para o desenvolvimento turístico das duas regiões raianas, estreitando laços de cooperação entre os dois lados da fronteira. O Projecto, apoiado pelo Gabinete de Iniciativas Transfronteiriças, prevê, para além da troca de experiências entre agentes turísticos e de desenvolvimento rural, a edição de um guia turístico comum, promovendo e divulgando o património, natural e construído do concelho de Borba e da Comarca “Zafra – Rio Bodión”. Neste âmbito realizaram-se já visitas de agentes económicos, das duas regiões. A primeira, ainda durante a Festa da Vinha e do Vinho, trouxe até Borba um grupo de Zafra, que teve a oportunidade de visitar o certame e a vila borbense. Mais vocacionada para o intercâmbio entre empresários das duas regiões, estiveram (no passado dia 23 de Novembro), em Borba, proprietários e directores de unidades hoteleiras de Zafra, produtores locais (de azeite, enchidos) e técnicos de turismo. Esta jornada de trabalho incluiu a visita à Adega Cooperativa de Borba, à Queijaria “Oviqueijo” e à unidade de Turismo de Rural – “Aldeia de São Gregório”. A esta visita seguiu-se a deslocação de empresários borbenses à comarca de Zafra. A visita realizou-se no dia 30 de Novembro, e levou até Zafra o Vereador do Pelouro do Turismo, Dr. Humberto Ratado, elementos das Associações: ADMC (Associação de Desenvolvimento de Montes Claros) e ALARM (Associação ), do CEIA (Centro de Educação e Interpretação Ambiental da Serra d’Ossa), empresários ligados à restauração e ao Turismo Rural. Na Comarca de Zafra, o grupo borbense visitou o Parador de Turismo, o Balneario-Hotel El Raposo (instância termal), a Villa Vacacional La Albuera e o Hotel Rural La Morera.

FILME PROMOCIONAL DA ZONA DOS MÁRMORES Está em preparação um filme Promocional para a Zona dos Mármores. A iniciativa é da Região de Turismo de Évora (RTE) e dos Municípios integrantes da Zona dos Mármores: Borba, Estremoz, Vila Viçosa e Alandroal e insere-se nas acções previstas no Plano Plurianual de Actividades da RTE. Trata-se de um filme para promover e divulgar os quatro concelhos do Mármore, destacando os seus conjuntos patrimoniais: natural e construído, a hospitalidade das suas gentes, apresentando a oferta turística de alojamento, infra-estruturas, equipamentos e animação existentes e disponíveis à utilização por turistas, com uma duração máxima de dez

minutos e traduzido para cinco idiomas (português, inglês, castelhano, francês e alemão). Os principais destinatários deste filme serão os profissionais da actividade turística: agentes de viagens e operadores turísticos nacionais e internacionais; os media, nacionais e internacionais e ainda os empresários da região, podendo ser utilizado pelo conjunto de entidades públicas, privadas e associativas existentes. O filme está a realizado pela empresa Duvídeo que esteve em Borba (dia 15 de Dezembro) a recolher imagens da Fonte das Bicas, dos Passos da Via Sacra, Castelo e Convento das Servas e deverá estar concluído no início de 2005.

43


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

NATAL DO IDOSO As Juntas de Freguesia de Matriz e São Bartolomeu realizaram o tradicional Natal do Idoso com um almoço convívio, que se realizou no dia 18 de Dezembro, no pavilhão da ex-Coabo. O almoço contou com a presença de cerca de 500 idosos da vila de Borba, que foram presenteados com lembranças de Natal e um espectáculo musical. Em Rio de Moinhos, a Junta de Freguesia de Rio de Moinhos realizou também o Natal do Idoso no dia 18 de Dezembro, com um almoço convívio no Salão da Casa do Povo com cerca de 230 idosos da freguesia, que receberam também lembranças de Natal e animação musical que se prolongou pela noite dentro com a realização de um baile, que decorreu com grande animação. Na Orada, o Natal do Idoso decorreu no dia 19 de Dezembro, no Salão da Casa do Povo, com cerca de 160 pessoas da freguesia que receberam também lembranças de Natal e animação musical que proporcionou momentos de dança e divertimento. Estas comemorações foram apoiadas pela Câmara Municipal de Borba.

BORBA

RIO DE MOINHOS

Os presidentes das juntas de freguesia do concelho deslocaram-se em visita ao Parlamento Europeu no dia 30 de Novembro, a convite do eurodeputado Capoulas Santos, a quem manifestaram as suas preocupações pela grave crise que afecta o nosso concelho, nomeadamente nos sectores dos mármores e da agricultura, particularmente os vinhos e os azeites.

IMAGEM DA FEIRA DAS ERVAS ALIMENTARES PREMIADA ORADA

MÚSICA DE NATAL NA IGREJA

44

PRESIDENTES DAS JUNTAS DE FREGUESIA EM BRUXELAS

As mais belas canções de Natal foram entoadas na Igreja de São Bartolomeu, numa iniciativa denominada “Música na Igreja”, organizada pelas Juntas de Freguesia de São Bartolomeu e Matriz e Associação de Reformados, com o apoio da Câmara Municipal de Borba, Santa Casa da Misericórdia de Borba – PIC, Paróquias de Borba e Professora Clara Pécurto. Esta iniciativa, que proporcionou momentos musicais alusivos à época natalícia, realizou-se no Sábado dia 4 de Dezembro, pelas 17.00 horas, com o concerto pelo Coral Públia Hortênsia de Castro, de Elvas, com o apoio do Ministério da Cultura, e Sábado dia 11 de Dezembro, também pelas 17.00 horas, com o concerto do Grupo Coral da Epal.

A imagem da Feira das Ervas Alimentares foi premiada pela revista alentejana “Mais Alentejo” na terceira gala da revista. O prémio foi atribuído na categoria “Mais Publicidade” e tinha a concorrência da Feira do Montado (Portel), Festas de Barrancos, Olivomoura (Moura) e Parque do Redondo, premiando a criatividade e inovação da imagem do certame que se realizou na Orada no mês de Maio, da autoria do designer da autarquia Nuno Cabeças. A entrega do prémio decorreu no Monte do Sobral, entre Alcáçovas e Viana do Alentejo, no passado dia 15 de Outubro, e homenageou várias personalidades alentejanas, como Eunice Munoz, Nicolau Breyner, Mário Zambujal, Veiga Trigo, João Cutileiro, Rui Nabeiro, entre outros.


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

DIVERSOS

TRABALHADORES MAIS RESPEITADOS E CARREIRAS MAIS DIGNIFICADAS Os trabalhadores da autarquia, pela primeira vez estão a ter possibilidade de subir na carreira, logo que estejam em condições legais para tal. Assim, está determinado que três vezes no ano (Janeiro, Maio e Setembro) são abertos concursos para progressão na carreira dos trabalhadores da autarquia. Estamos a integrar no quadro aqueles trabalhadores que eram considerados agentes (equiparados a funcionários do quadro) que esperamos venham a obter regalias que de outra forma não conseguiriam. Esta é a prova inequívoca de que os trabalhadores são respeitados. Só é possível exigir trabalho quando são dadas as regalias a que os trabalhadores têm direito. Estamos a trabalhar para fazer mudanças no quadro de pessoal, tendo em vista resolver outras situações que se arrastam há bastantes anos e nunca houve coragem política para as resolver. Estas propostas serão discutidas de forma aberta e transparente com os sindicatos do sector como tem sido a nossa política ao longo do mandato.

PROMOÇÃO DO CONCELHO MUNICÍPIO DE BORBA AVISO

Este ano, o stand promocional da Câmara Municipal de Borba promoveu o concelho e as suas potencialidades nos seguintes eventos: 9 a 11 de Abril- 6ª Feira do Queijo – Rio de Moinhos 30 de Abril a 2 de Maio- FIAPE – Estremoz 7 a 9 de Maio- 2ª Feira de Ervas Alimentares – Orada 3 a 6 de Junho- Feira Cultural – Serpa 18 a 30 de Junho- Feira de São João – Évora 25 de Junho a 4 de Julho- Feira do Alentejo (Associação Alma Alentejana) – Almada 3 a 11 de Julho- III Expo-Guadiana – Alandroal 3 a 6 de Setembro- Feira da Luz – Montemor-o-Novo 14 a 17 de Outubro- IV FIMAL – Vila Viçosa 6 a 14 de Novembro- 13ª Festa da Vinha e do Vinho – Borba 26 de Novembro a 1 de Dezembro- 5ª Feira do Montado – Portel

Nos termos do n.º 2 do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, torna-se público que o Município de Borba, emitiu em 11 de Outubro de 2004, O ALVARÁ DE LOTEAMENTO N.º 3/ 2004, em nome de António Germano Anjinho Pires e Maria Jerónima Aninho Pires, na sequência de deliberação camarária de 01 de Setembro de 2001 e 25 de Junho de 2003, através do qual foi licenciado o loteamento, do prédio sito em Barro Branco denominado Sra. da Vitória, na freguesia de Rio de Moinhos, descrito na Conservatória do Registo Predial de Borba, sob o n.º 00586/960611. Área abrangida pelo Plano Director Municipal. Operação de loteamento com as seguintes características: Área do prédio a lotear: 7.880,00 m2 Área de Implantação: 2.431,76 m2 Área Total de Construção: 2.863,96 m2 N.º de Lotes, com área de 312,81 m2 a 779,52 m2 N.º Máximo de Pisos acima da cota de soleira: 2 N.º Máximo de Pisos abaixo da cota de soleira: 1 N.º de fogos total: 12 N.º de Lotes para habitação: 12 N.º de Lotes para comércio: 1 Área(s) de cedência(s) para o domínio público municipal: 2.122,24m2, destinados a arruamentos, passeios e estacionamento PRAZO PARA A CONCLUSÃO DAS OBRAS DE URBANIZAÇÃO: 12 MESES O Vereador do Pelouro Artur João Rebola Pombeiro

45


BOLETIM MUNICIPAL DEZEMBRO 2004

TOME NOTA

ELECTRICIDADE Leituras- 800 507 507 Assistência técnica- 800 506 506 Atendimento comercial- 800 505 505

SERVIÇO DE TÁXIS 268 894 233

BOMB E VOLUN IROS TÁRIO S DE BO RBA 268 89 4 492

GNR

268 894 221

PUBLICIDADE

Sabia que... - Não deve colocar no vidrão vidros de janelas, loiças, lâmpadas ou espelhos? - O Serviço de Higiene e Limpeza efectua a recolha de monos na sua casa? Não deve colocar os lixos grossos na via pública. - O lixo que é colocado nos contentores será enviado para o aterro sanitário sem qualquer aproveitamento? - Só no mês de Novembro, foram recolhidos nos contentores e enviados para aterro 258 toneladas de resíduos sólidos urbanos? - Se não colocar os materiais recicláveis no Ecoponto, está a deitar “dinheiro para o lixo”? - Se tiver quaisquer dúvidas sobre a correcta utilização dos Ecopontos ou dos contentores deverá contactar a Câmara Municipal de Borba?

De acordo co m o Regulam ento Municipal so bre Publicidad afixação ou e, a inscrição de mensagens publicitárias em bens ou es paços afectos ao do mínio públic o, ou deles visíveis, fica sujeita a licen ciamento prévio da Câm ara Municipal .

PROTECÇÃO

Entulhos de obras De acordo com o Regulamento Municipal dos Resíduos Sólidos Urbanos e Higiene e Limpeza dos Lugares Públicos, os empreiteiros ou promotores de obras ou trabalhos que produzam entulho são responsáveis pela sua remoção e destino final. A violação deste disposto é punida com uma coima entre • 249,40 e • 997,60. A autarquia disponibiliza aos interessados informação sobre os locais onde é permitido o seu depósito.

Obras no Cemitério Municipal Todos os construtores que efectuem obras no Cemitério Municipal de Borba, aquando da construção, reconstrução ou modificação de sepulturas particulares ou de jazigos, ficam obrigados à remoção do lixo e entulho que se venha a verificar após o término da obra. O não cumprimento desta norma irá obrigar a que sejam os serviços da autarquia a fazê-lo, incorrendo por conta do infractor os custos da prestação de tal serviço. Em caso da não satisfação do pagamento, a Câmara Municipal reserva-se ao direito de não atender a futuros pedidos.

46

NÚMERO NACIONAL D E

À FLORESTA

SOCORRO

112

117

CENTRO DE SAÚDE DE BORBA 268 808 110

a viatura es u s a e n o d n a b a Não e demais lugar as municipais,

óveis em ças, estrad ículos autom ve Nas ruas, pra ar n o d an rcular com ibido ab ibilitados de ci públicos é pro ss o p im , ão um modo radaç s e que de alg estado de deg o ei m s o ri p os pró blicos em que dos locais pú segurança pel a ez p lim a e nados serão a higiene ados abando er d si prejudiquem n co s lo ropriados, . Os veícu para locais ap s ai ip se encontrem ic n u m s proprietário s serviço a respectiva ao idas pela retirados pelo im co e d ão da aplicaç as taxas dev sem prejuízo pagamento d o el p o çã za ili veículos. e responsab remoção dos

r ra u m m e lh o a p a u ib tr n o C ano. a m b ie n te u rb

ATENDIMENTO PÚBLICO Gabinete de Obras Particulares e Gabinete de Obras Municipais - Terças-feiras, das 14.00 às 17.30 horas - Quintas-feiras, das 9.00 às 12.30 e das 14.00 às 17.30 horas

3ª ESTAFET A C IR C U IT O D OS MÁRMORES

1º PA SS EI O A V Ó S E N ET O S D ia 23 23 de Ja ne ir o

de 20 05 Informações na Secção de Desporto da Câmara Municipal de Borba


DEZEMBRO 2004 BOLETIM MUNICIPAL

BIBLIOTECA MUNICIPAL Na continuação do nosso projecto de sensibilização para a leitura, a Biblioteca Municipal de Borba apresenta mais uma vez uma selecção de obras aos nossos já efectivos leitores como ainda aos potenciais leitores que não nos conhecem. Procuramos desta forma dar a conhecer o nosso espólio e promover o objecto livro. Estamos numa quadra em as famílias se encontram e trocam entre si lembranças que ficam nas memórias de cada um. Por vezes torna-se difícil encontrar a lembrança ideal para aqueles que mais desejamos, mas se pensarmos que o livro é algo que nos enriquece quer culturalmente, quer socialmente, encontrámos a solução mais adequada e eterna. É claro que falamos do livro, e porque não oferecer um livro que já lemos da Biblioteca e que apreciamos muito. Aceite a nossa sugestão e verá que ela vai de certo encantar a

SUGESTÕES DE LEITURA AS ZEBRAS SÃO PRETAS E BRANCAS, PORQUÊ?

CRIANÇAS

Autor: Terry Martin Fazemos as coisas em muitas cores diferentes, a fruta nasce com tantas cores maravilhosas, o mar é azul...?. Esta são algumas das questões para as quais temos poucas respostas. As crianças fazem muitas das vezes perguntas acerca das cores, sendo que a resposta dada pelos adultos não seja a mais correcta e esclarecedora para a maioria das crianças. Neste pequeno livro de Terry Martin ele fornece às crianças de forma simples e objectiva a resposta a muitas questões tais como: -Porque fazemos as coisas em muitas cores diferentes? -Porque é que o céu fica alaranjado quando o Sol se põe? -Porque é o mar azul, quando a água é incolor? -Porque têm as abelhas e as vespas riscas pretas e amarelas? -Porque têm as zebras riscas pretas e brancas? -Porque mudam as folhas de cor no Outono? -Porque têm as flores pétalas vivamente coloridas? -Porque nasce a fruta com tantas cores maravilhosas? Encontrarás as respostas a estas questões nesta pequena obra com excelentes ilustrações.

ADOLESCENTES

A MALTA DO 2º C Autor: Catarina da Fonseca A escola não é só testes, horários, professores, delegados de turma. A escola é também um esqueleto chamado Magalhães, uma antepassada fugida aso franceses, um extraterrestre abandonado no pátio, a Dó-do-Senhor espreitando pelas grades, a Filipa, o Birinhas, a Mão-doDiabo. A escola é também o fantasma do reitor Simões, aparecido para assombrar as couves do quintal. A escola é o que a malta do 2º. C foi descobrindo ao longo do ano. À mistura com o sintagma nominal, a Batalha de São Mamede e a regra de três. A Malta do 2º. C conquistou em 1988 o Prémio Inasset para inéditos da literatura infantil. Já no ano anterior Catarina da Fonseca obtivera, com o livro A Herança, o Prémio Revelação da Associação Portuguesa de Escritores. Surgia uma nova escritora, dotada de fértil imaginação e escrita vigorosa, cheia de recursos e de humor.

POLÍTICA PARA UM JOVEM

ADULTOS

Autor: Fernando Savater Política para Um Jovem nasceu de uma promessa feita pelo autor na sua obra anterior, Ética para Um Jovem, na qual se compromete a continuar a debater questões que se prendam com organização e com a desorganização do mundo em que vivemos. Daqui resultou um livro de extraordinário interesse para jovens e todos aqueles que sentem o desejo de conhecer a essência da organização social, a sua rede de laços mais subtis, a sua linguagem, a sua memória compartilhada, os costumes, as leis e, enfim, as questões de fundo – o que realmente está em jogo na política. No seu tão característico estilo, muito didáctico e ao mesmo tempo repleto de humor, o autor analisa a evolução da organização humana em sociedade desde as estruturas sociais mais remotas, detendose particularmente naquelas instituições criadas colectivamente, como a Democracia e o Direito, que ainda hoje são fundamentais. O poder e os seus aparelhos, a exploração do homem pelo homem, a cooperação, a igualdade, a política à escala mundial, a economia e o seu papel, a liberdade e a responsabilidade, o racismo e os nacionalismos são alguns dos temas que Savater aqui aborda. Fernando Savater é catedrático de Ética na Universidade do País Basco e tem produzido uma notável obra escrita, ao longo de vinte anos, entre a filosofia, o artigo de intervenção em várias domínios da vida social e cultural, a narrativa ou mesmo o teatro, e sua popularidade tem vindo a crescer, não só em Espanha como em vários países.

pessoa que será presenteada. Se pensarmos que as mini férias do Natal são uma boa altura para descansarmos um pouco, a leitura será um complemento de todas as actividades exercidas, por isso não deixe de nos visitar e disfrute do nosso vasto espólio, e aceite as nossa sugestões de leitura. Aceite também os nossos votos de um Santo Natal e um próspero Ano de 2005, repleto de muitas e excelentes leituras... A Biblioteca Municipal deseja a todos Boas Festas... Não deixe de nos visitar neste quadra festiva e, traga um amigo consigo, esperamos por si...

Pelo técnico responsável pela Biblioteca Municipal OS MEUS CONTOS COM WINNIE: NÃO FALES COM ESTRANHOS, WINNIE! Autor: A. A. Milne Tap, Tap, Tap ... certa noite, Piglet e Winnie estavam a jantar maçarocas e mel, quando ouviram um barulho estranho. Truz, Truz, Truz, ... Winnie ia a abrir a porta quando Pglet se lembrou das regras de segurança e foi espreitar primeiro pela janela para ver quem era. Felizmente, não era um estranho! Nesta fantástica colecção de livros “Os meus contos com Winnie” é uma colecção com excelentes ilustrações que tratam de forma clara temas relevantes e de bastante interesse para as crianças tais como a segurança, a boa vizinhança etc. As personagens apresentam-se de forma terna e simpática, capazes de cativar qualquer criança.

É MESMO FIXE! TÁ-SE MESMO BEM! Autor: Philippe Delerm É mesmo fixe, quando já cheira a Natal! ‘Tá-se mesmo bem, quando estamos a observar as estrelas e até falamos com elas! É mesmo fixe ir ao cinema! ‘Tá-se mesmo bem a dormir uma soneca num banco do jardim! É mesmo fixe ir ao supermercado e comprar coisas boas! ‘Tá-se mesmo bem ... a não fazer nada! É mesmo fixe! ‘Tá-se mesmo bem, com tantos bons momentos da nossa vida, com tantos pequenos prazeres do nosso dia a dia! Este é o segundo de um conjunto de três livros, em curso de publicação pela Terramar, escritos por Philippe Delerm a pensar nos leitores mais jovens. Escritor muito lido e apreciado pelos adultos em França (e não só: em Portugal, já saiu o Primeiro Golo de Cerveja). Philippe Delerm está a tornar-se também um autor estimado pelo público juvenil e esperamos que este livro seja do agrado dos nossos leitores.

MAR MORTO E CAPITÃES DA AREIA: OBRA CONJUNTA VOL. III Autor: Jorge Amado Jorge Amado é o mais internacional dos escritores brasileiros. Exímio contador de histórias e senhor de uma escrita de grande força dramática e lírica, os personagens dos seus romances são hoje figuras inesquecíveis. Mar Morto é, da longa lista dos romances de Jorge Amado, um dos mais populares, não só no Brasil como em muitos outros países. Romance de grande força lírica, considerado um verdadeiro poema em prosa, conta histórias de velhos marinheiros, de mestres de saveiros, de pretos tatuados e de malandros que contam e cantam essas histórias da beira do cais da Bahia. Conta a história de Guma e Lívia que é a “história da vida e do amor no mar” e como diz Jorge Amado “O povo de Iemanjá tem muito que contar”. Capitães da Areia é o livro de Jorge Amado mais vendido no mundo inteiro. Publicado em 1937, teve a sua primeira edição apreendida e queimada em praça pública pelas autoridades do Estado Novo. Uma nova edição em 1944 marcou época na vida literária brasileira e desde então sucederamse as edições nacionais e estrangeiras, e as adaptações para rádio, televisão e cinema. Jorge Amado descreve, em páginas carregadas de uma beleza, dramatismo e lirismo poucas vezes igualados na literatura universal, a vida dos meninos abandonados nas ruas de Salvador. Dividido em três partes, o livro atinge um clímax inesquecível no capítulo “Canção da Bahia, Canção da Liberdade”, em que é narrada a emocionante despedida de um dos personagens da história, que se afasta dos seus queridos Capitães da Areia “na noite misteriosa das macumbas, enquanto os atabaques ressoam como clarins de guerra”.

“A LEITURA É UM COMPLEMENTO DE TODAS AS ACTIVIDADES EXERCIDAS”

47



BM Dezembro 2004