Page 1

EDIÇÃO Nº 204 QUINZENAL • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA 24 DE SETEMBRO DE 2012

HENRIQUE CASINHAS

DIRETORA: PATRÍCIA TADEIA

24 set 2012 • 1

PUB

CALOIRO QUE É CALOIRO… A NOSSA PRIMEIRA EDIÇÃO DEPOIS DAS FÉRIAS NÃO ESQUECE QUE ESTAMOS EM ALTURA DE FESTA. A FESTA DA PRAXE. POR ISSO, O MU QUIS SABER O QUE ACHAM OS CALOIROS DOS VETERANOS E O QUE PENSAM OS MAIS VELHOS DOS RECÉM-CHEGADOS. DESCOBRE AS FESTAS DE RECEÇÃO AO CALOIRO. TUDO NUMA EDIÇÃO ESPECIAL DE “VOLTOU O QUE É BOM”, OU SEJA, O TEU JORNAL PREFERIDO! P. 8 E 9

PUB


Era uma vez uma miúda. Tinha 5 anos. Era mais nova do que todos os seus colegas. Culpa de ser escorpião. Não sabia bem ao que ia. Caras novas. Lágrimas e sorrisos. Hoje essa miúda recorda que foi guiada pela mão da mãe, mas não se recorda de a ter deixado. Lembra as lágrimas de não querer ficar por lá. Já a mãe recorda que a deixou na escola sorridente e que a miúda entrou na sala de aula destemida. Diferentes rumos. Diferentes perspetivas. Era uma vez outra miúda. Que pode ser a mesma – ou não –, mas 12 anos mais velha. Continuava a ser mais nova do que todos os colegas. Já tinha frequentado várias escolas, mas continuava sem saber ao que ia. Caras novas (umas mais riscadas do que outras). Hoje, essa miúda recorda que entrou na universidade, longe da mão da mãe que um dia a guiara. Continuava a ser aquela criança destemida. Com o mesmo rumo e a mesma perspetiva. Era uma vez outra miúda ainda. Que mais uma vez pode ser a mesma, mas mais velha. Tem 31. Já não é a mais nova entre os colegas. Ainda é escorpião, isso é coisa que nunca muda. Frequentou muitas escolas e ainda hoje não sabe ao que vai. Conheceu caras novas (umas mais maquilhadas do que outras). Hoje recorda o primeiro dia de um novo um trabalho. De um novo projeto. O primeiro dia sem o namorado que se perdeu. O primeiro dia sem a amiga, que – por rumos ou perspetivas, ou circunstâncias da vida – se perdeu para uma doença “estúpida”. Era uma vez a mesma miúda. A mesma de à bocado. E era uma vez o primeiro dia em que essa miúda sai para as ruas, numa edição publicada – esta que lês –, sem a companhia da tal amiga que perdeu. E era uma vez uma miúda que não teve “espaço” para lhe prestar homenagem escrita. Rumos e perspetivas à parte, a amiga que perdeu, e que esteve presente em cada uma das edições passadas, vai estar também sempre em cada uma das futuras. Passam hoje mais de dois meses desde que essa amiga seguiu o seu rumo. Já as suas perspetivas estão, e vão estar, sempre vivas em cada um dos desenhos, cores, e forma deste jornal que agora lês. São rumos ou perspetivas.

Em homenagem a Joana Túlio, designer do mu até 9 de Julho de 2012, dia em que faleceu.

S A L E & S E EL

PSSST...

24 set 2012 • 2

RUMOS E PERSPETIVAS

VOX POP

CATARINA GOMES, 21, PSICOLOGIA, UNIVERSIDADE DE LISBOA Concordo com as praxes enquanto modo de integrar os alunos novos e de toda a gente se conhecer. Não concordo se forem exageradas.

BERNARDO ÁLVARES, 23, ESTUDOS URBANOS, ISCTE-IUL Concordo com as praxes. Em geral sou contra qualquer manifestação de autoridade arbitrária, com a agravante de se dar no ensino superior onde se devia promover o pensamento livre. Se por um lado a praxe pode integrar e criar ovelhas, por outro exclui (na minha opinião) ainda mais aqueles que pretendem aproveitar a universidade como forma de abrir a mente.

Eis um estudo que pode diminuir as brigas entre casais. Homens e mulheres veem de forma diferente. Por isso, se o teu namorado não reparar que tens um novo corte e cor de cabelo, não te admires. Diz um estudo norte-americano que os olhos dos homens são mais sensíveis aos detalhes e a objectos que se movem em grande velocidade. Já as mulheres distinguem as cores com mais facilidade. O estudo realizado pelo professor de psicologia do Brooklyn College, Isaac Abramov, conclui que as mulheres são melhores quando se trata de combinar cores ou de procurar tons semelhantes entre si. Por seu turno, os homens detetam os detalhes, por mínimos que seja, com mais facilidade.

CONCORDAS COM AS PRAXES? SIM OU NÃO? E PORQUÊ?

DÉLCIO BAPTISTA, 21, PINTURA, UNIVERSIDADE LUSÓFONA Não concordo, nem discordo. Porque eu não quero ser praxado, Mas há pessoas que não se importam.... Agora, os que querem um dia praxar, que se deixem ser praxados também.

EDITORIAL FICHA

PATRÍCIA TADEIA • DIRECTORA EDITORIAL ptadeia@mundouniversitario.pt

Título registado no I.C.S. sob o n.º 123881 | Propriedade/Editor: Metro News, Publicações, SA| Empresa Jornalística n.º 223575 | Matrícula n.º 505434229 da C.R.C. de Cascais | NIPC 505434229 | Capital Social €156.480,00 | Principais acionistas Cofina, SGPS, SA, António Stilwell Zilhão, Francisco Pinto Barbosa, Gonçalo Sousa Uva | Diretora Editorial: Patrícia Tadeia | Redação: Catarina Poderoso | Fotografia: Henrique Casinhas | Revisão: Catarina Poderoso | Projeto Gráfico e Paginação: António Garcia, Rui Gonçalves | Marketing: Diretor de Marketing – Luís Rebola | Publicidade: Diretor Comercial – Ricardo Branco | Coordenadoras Agências – Ana Silveira, Joana Santana; Agências – Adriana Macedo, Margarida Rêgo, Paula Tavares, Raquel Pinto, Daniel Barata; Directos – Luís Filipe (Coordenador), Eva Oliveira, Filomena Mestre, João Rodrigues, Luís Farinha, Ricardo Afonso, Sónia Andrade | Sede Redação: Arruamento D à Rua José Maria Nicolau, nº 3, 1549-023 Lisboa | Tel: 21 049 4000 | Distribuição: José Magalhães | Distribuição: Gratuita


24 set 2012 • 3

PUB


24 set 2012 • 4

NEWS JOVENS DESIGNERS NACIONAIS NA LONDON FASHION WEEK

UMA SEMANA PELA PELE

KIT DO CALOIRO

A Associação de Estudantes de Ciências Farmacêuticas da Universidade Lusófona organizou entre 17 e 21 de setembro a Semana da Pele. Palestras, workshops, e rastreios gratuitos foram algumas das atividades que decorreram na instituição, no Campo Grande, em Lisboa. Entre as ações aconteceu ainda uma exposição de Dermocosmética com stands de várias empresas do setor onde os visitantes puderam contactar com profissionais de saúde, conhecer os produtos e experimentá-los.

Este é o terceiro ano consecutivo em que a Rede UniverCidade – maior comunidade nacional de estudantes do ensino superior – leva o “Kit do Caloiro” a Universidades de todo o País. A ação vai decorrer até ao final de outubro. No ano passado foram entregues 12 mil Kits do Caloiro e 20.000 Guias a 50 Associações Académicas e de Estudantes por todo o País. Além de distribuir os Kits, a Rede UniverCidade vai surgir sempre acompanhada pela sua mascote – O Burro da Rede. Vais poder encontrá-lo em diversos eventos de “Receções ao Caloiro”, em Lisboa, Porto, Coimbra, Viseu, entre outras.

FORMAÇÃO EM INFORMATION SECURITY

Cinco finalistas da Plataforma de Moda – Fashion Hub de Guimarães 2012 apresentaram as suas coleções criadas para a primavera/verão 2013 na semana passada na London Fashion Week. Este é um dos eventos mais reputados da moda internacional e contou com a visão de cinco jovens designers portugueses. A participação no certame resulta de uma parceria da Capital Europeia da Cultura com o The Mushrooms Group e foi uma oportunidade única para João Pedro Filipe, Rita Afonso, Maria Azevedo, Mariana Morgado e Ricardo Andrez. João Pedro Filipe – A coleção para a primavera/verão 2013 é apelidada de “Turbina” e reflete os poderosos “muscles cars” dos anos 70. Inspirada em Álvaro de Campos.

Rita Afonso - A coleção “Punk Rural” é inspirada na arquitectura das entradas das igrejas do norte de Portugal.

Maria Azevedo - A colecção, apelidada de “Time flies”, apresenta novas representações visuais compostas por contornos inspirados nas varandas de ferro portuguesas.

Mariana Morgado – Coleção inspirada nos movimentos pelos direitos das mulheres, e mistura tecidos delicados e suaves e de tons frescos e leves que reforçam a sensualidade.

Ricardo Andrez – Já é presença regular na Lisboa Fashion Week, apresentou uma colecção inspirada na uniformidade.

A Rumos vai lançar a 1ª Edição do Postgraduate Certificate and Diploma in Information Security da Royal Holloway, University of London, no Porto. Após o sucesso das edições em Lisboa, a Rumos fará um evento de lançamento desta ação, no dia 4 de outubro, no Novohotel em Gaia. O evento contará com a presença de John Austen, professor e investigador da Universidade Royal Holloway, que apresentará os conteúdos programáticos, plano de estudos e as vantagens desta pós-graduação que terá início no próximo dia 26 de outubro. Dirigido a alunos universitários na área da Informática e dos Sistemas de Informação, Profissionais de TI, Diretores de Informática, os interessados poderão candidatar-se até ao dia 19 de outubro, nos Centros de Formação da Rumos, em Lisboa e no Porto.

APAV LANÇA CAMPANHA NAS UNIVERSIDADES A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) está a promover uma campanha de prevenção da violência sexual no ensino superior. O projeto “Unisexo” alerta para a “desvalorização do sexo forçado nas relações de intimidade e dos atos sexuais menores (como toques e beijos forçados),

PORTUGUESA? QUAL A MELHOR UNIVERSIDADE siderada como A Universidade de Coimbra foi con o ranking a melhor do País, de acordo com – University World da Quacquarelli Symonds Limited ª posição. Rankings (QS). Esta surge na 385 ida de nove Face a 2011, verifica-se uma sub eiríssimo lugar, prim O posições no ranking global. husetts Institute sac Mas ao a nível mundial, coube peu destaca-se of Technology. Já ao nível euro bridge que ocupa a universidade University of Cam al. a 2ª posição do ranking glob universities.com Sabe mais em http://www.top

os consumos de bebidas alcoólicas e outras substâncias aliado ao ambiente de festividade, liberdade e excessos usuais nas festividades académicas”. Segundo a APAV, estes “são fatores que podem levar a que muitas das vítimas não denunciem e nem sequer percecionem estes atos como crime”. A ação será divulgada com maior incidência nas festas académicas de Coimbra: Festa das Latas de 2012 e Queima das Fitas de 2013. “Depois do não, para. Respeita a vontade dos outros. A violência sexual é crime” é a principal mensagem desta campanha.

UMA EXPOSIÇÃO EM 365 DIAS São 17 fotografias a preto e branco, da autoria de Francisco Rosado Silva Alves e que estão patentes na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. A exposição “Academia FCUL” retrata os vários acontecimentos académicos da Faculdade, no passado ano letivo, e que começam com as praxes e terminam com a bênção das fitas na Alameda da Cidade Universitária. As comemorações dos 100 anos da Faculdade de Ciências, o jogo final do campeonato universitário de rugby, vencido pela faculdade, ou uma tuna académica a tocar no Chiado são algumas das imagens que podes encontrar nesta exposição


24 set 2012 • 5

PUB


24 set 2012 • 6

NEWS

UMA “REPÚBLICA DE LUXO” Uma mansão de luxo. Uma sala de jogos para as horas vagas. Um jardim de sonho para mostrares aos teus amigos. Uma piscina para os dias quentes que ainda se fazem sentir. Parece um sonho, certo? E mais, parece que te estamos a tentar vender um qualquer “reality show”. Nada disso. Este foi o prémio atribuído ao vencedor de um passatempo lançado pela Uniplaces.pt, uma plataforma oficial de alojamento universitário e a Moving-ON. O concurso para universitários terminou na semana passada e o grande vencedor recebeu uma estadia totalmente gratuita num dos quartos de uma mansão de luxo em Lisboa. O sortudo é Joana Tomé Ribeiro e já se mudou para esta “república de luxo” que dá pelo nome de “Mega Mansão Uniplaces” e que fica localizada na freguesia de Campolide. Vai poder ficar por lá até ao dia 31 de dezembro. Na passada sexta-feira a organização entregou a chave ao seu novo morador, numa tarde de festa à beira da piscina, animada por DJ.

A FRASE VENCEDORA “Para ganhar um semestre à borla na Mega Mansão Uniplaces estou disposto a… USAR TODOS OS DIAS O BALÃO DE HÉLIO DA UNIPLACES AMARRADO AO PULSO” Joana Tomé Ribeiro, Gestão, UNL

1.380 participantes A “Mega Mansão Uniplaces” é uma das propostas de alojamento para universitários que a Uniplaces oferece na plataforma online em www.uniplaces.pt - A mansão tem capacidade para acolher um total de 10 residentes. - A casa oferece piscina, cozinha totalmente equipada, sala de jogos, lareira e barbecue. - A renda situa-se entre os 550 e os 800 euros mensais. - A renda inclui ligação à Internet, limpeza semanal, manutenção da piscina.


24 set 2012 • 7

NEWS

UMA CARA E UMA VOZ Dar voz a quem vê os seus direitos desrespeitados. Este é o grande objetivo do PROJETO #65. Os responsáveis são Ana Santos e Diogo Dória, dois designers finalistas da Faculdade de Belas Artes de Lisboa. As caras que veem nas paredes são dos moradores do Bairro de Santa Filomena, na Amadora. Este é um trabalho académico que se tornou num projeto social. Um alerta contra o processo de “desocupação desumana” que a câmara municipal tem levado a cabo junto destes moradores. O mu falou com os dois alunos sobre este trabalho e não só. Quem sabe se o projeto não pega noutros bairros com histórias semelhantes? Como surgiu a ideia do projeto? Surgiu no âmbito de um trabalho académico de final de licenciatura em Design de Comunicação na Faculdade de Belas Artes, da Universidade de Lisboa. Tínhamos vindo a trabalhar uma temática direcionada para a cidade e este projeto surgiu na sequência dessa pesquisa.

Porque é que escolheram o Bairro Santa Filomena? Pensam chegar a mais bairros? Santa Filomena surgiu pela necessidade de se dar uma voz àqueles que não veem os seus direitos serem respeitados. Este bairro, tendo em conta a atual situação de demolição, apresentou-se como um dos casos mais críticos e urgentes. No futuro o objetivo do projeto não é incidir apenas e só sobre este bairro, mas também, se se revelar possível, continuar a abordar outros casos.

Que apoios tiveram para o projeto? Como foi tudo projetado, executado e montado num curto espaço de tempo houve alguma dificuldade em arranjar patrocínios. As impressões em grande formato e quantidade são realmente dispendiosas, no entanto contámos com apoio a nível material de pessoas que se identificaram com a causa. No que diz respeito à aplicação das impressões, fomos nós próprios com a ajuda valiosa de alguns moradores e pessoas exteriores ao bairro que a concluímos.

Como foram recebidos no bairro? Numa fase inicial, as primeiras visitas ao bairro foram quase que de passagem. Tentámos sempre ser cautelosos porque o nosso objetivo era conhecer o bairro e os moradores, estabelecer um contacto próximo e não sermos vistos como estranhos. Com todas estas condicionantes, pensámos que seria difícil ganharmos a sua confiança.

No entanto, depois de falarmos com alguns moradores e representantes da Associação de Moradores - Eurico e Domingas - e ainda com o coletivo Habita, que trabalha com o bairro há já algum tempo, foram muitas as pessoas que naturalmente nos começaram a abrir as portas de casa e a contar a sua história. Quando ali voltámos, desde o primeiro dia que entrámos no bairro, até hoje, somos sempre recebidos com a maior hospitalidade, fazem-nos sentir parte da comunidade e o mais confortáveis possível.

Como reagiram os moradores quando a primeira imagem foi colocada? Acima de tudo ficaram curiosos. Foi incrível o número de moradores que veio ter connosco a pedir para lhes tirarmos uma fotografia e preenchermos também as suas casas, as que vinham ter connosco a querer saber mais sobre o projeto. A recetividade ao longo de todo o processo de montagem e mesmo depois foi e tem sido muito boa.

Estão a preparar alguma iniciativa para a altura do processo de demolição? O quê? Na medida do possível vamos procurar acompanhar o processo de demolição por solidariedade para com os moradores do bairro. Por outro lado, vamos tentar também registar o momento fotograficamente para arquivo pessoal/profissional para mais uma vez ficarmos com material que possa demonstrar o impacto ao ver-se os rostos ali afixados serem destruídos à medida que as casas também o são.

PROJETO #65 O NOME: Deriva do Artigo 65 da Cons-

tituição da República Portuguesa que diz respeito à habitação e urbanismo e visa promover o direito do cidadão à habitação.

ZOOM

“Desde o primeiro dia que entrámos no bairro, até hoje, somos sempre recebidos com a maior hospitalidade, fazem-nos sentir parte da comunidade e o mais confortáveis possível.”

QUAL A HISTÓRIA DESTE BAIRRO?

- Santa Filomena é um de vários bairros de barracas ainda existentes no Concelho da Amadora. - No pós 25 de abril, muitos terrenos ficaram desocupados e sem fiscalização, o que contribuiu para a construção. de várias barracas. No entanto, ao contrário de muitos outros, este bairro manteve-se de pé quando muitos outros foram demolidos nos anos 90. - É constituído na maioria por uma comunidade cabo-verdiana. Parte deles tem direito ao Programa Especial de Realojamento, porque fizeram parte do recenseamento de 1993. Mas outra parte não. - Aquando da demolição total, haverá famílias que não têm rendimentos suficientes para viver fora de um contexto de habitação social e suportar os custos que isso implica.


ZOOM + Caloiros s o n a r e t e V VS

24 set 2012 • 8

FOTOS: HENRIQUE CASINHAS

ÉM-CHEGADOS É SÓ NOVIDADES. MAIS UM ANO QUE COMEÇA. PARA OS REC OS CONTRASTA COM A FELICIDADE O RECEIO E ANSIEDADE INICIAL DOS CALOIR AS PRAXES MARCAM O INÍCIO DO DOS QUE JÁ LÁ ANDAM HÁ ALGUNS ANOS. OS VETERANOS TÊM DE RECEBER ANO LETIVO E, BEM OU MAL, É A FORMA QUE O QUE PENSAM UNS E OUTROS OS MAIS “PEQUENINOS”. O MU QUIS SABER MELHORES FESTAS QUE AÍ VÊM. DESTA ESTREIA E CONTA-TE TUDO SOBRE AS COS NA CARA. SE ÉS VETERANO, FICA ATENTO E, SE ÉS CALOIRO, EXIBE OS RIS A TODOS. TRAJA COM CLASSE E SOBERANIA. BOM ANO Por Patrícia Tadeia


24 set 2012 • 9

Assim foi uma tarde de praxes no campus do IST, no Taguspark...

BI

BI

INÊS BERNARDINO, 18 SOCIOLOGIA, FCSH - UNL NOTA DE ENTRADA: 14,3 Gostava de ser conhecida como a caloira que foi mais divertida e recetiva ao que lhe foi proposto.

BEATRIZ PEREIRA, 19 BIOLOGIA, FCUL NOTA DE ENTRADA: 14,7 Gostava de ser conhecida como a caloira que instigou maiores desafios.

O que pensas das praxes? São essenciais porque são uma forma de os novos alunos se conhecerem e de comunicarem. O que pensas dos veteranos? Acho que só se estão a “vingar” do que lhes fizeram em anos anteriores, mas são uns queridos e só querem integrar-nos e que nos sintamos bem. Tens medo deles? Não! O que não gostavas que te fizessem? Não gostava que me obrigassem a beber coisas que não sejam água ou refrigerantes e que me obrigassem a nadar em lagos imundos. O que não te importavas que te fizessem? Não me importava que me riscassem e que me obrigassem a fazer alguma atividade física… Qual seria a maior maldade? Faltarem-me ao respeito e humilharem-me. Ser caloiro e não ser praxado é... não ser um verdadeiro caloiro, mas cada um sabe de si. Ser caloiro é... uma ótima maneira de iniciar a vida académica. É aproveitar ao máximo todos os momentos.

O que pensas das praxes? Concordo. Embora seja um compromisso que requer algum esforço, não deixa de ser uma tradição. O que pensas dos veteranos? Respeitam as tradições que inclui andarem de traje, apesar dos 30 graus, com os caloiros pela faculdade. Parecem durosm mas é apenas o papel deles. Tens medo deles? Deles não, só do que me podem obrigar a fazer. O que não gostavas que te fizessem? Farinha, ovos, vinagre, etc. Não gostava que me sujassem porque sei que teria de continuar assim o resto do dia. O que não te importavas que te fizessem? Tudo o que é habitual. Flexões, abdominais, jogos, canções, desafios... Qual seria a maior maldade? Exposições públicas sozinha. Ser caloiro e não ser praxado é... uma escolha válida e pessoal. Ser caloiro é.... começar uma vida nova, com novas pessoas, novos meios, novas dificuldades e, claro, novas alegrias também.

FESTAS 26 E 27 DE SETEMBRO PARQUE DAS NAÇÕES MEGA FESTA DO CALOIRO Este é o 10º aniversário da Mega Festa do Caloiro, que vai acolher o DJ Ride, Karetus, Funk You 2 e a Dupla Mete Cá Sets! A entrada é gratuita. 26 A 30 DE SETEMBRO SEMANA DO CALOIRO LISBOA 2012 QUINTA DA TORRE, CAPARICA Organizada pela Associação dos Estudantes da Faculdade de Ciência e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa este ano recebe os Azeitonas, Quim Barreiros, Richie Campbell, Mónica Ferraz, Boss AC, DJ Ride, Morangotango, DJ Alvim, DJ Sexation, DJ Di Rosato, WIK’O NOIZE, Dupla Mete ca Sets e Coolplay. Os bilhetes custam entre 20 e 25 euros.

27 DE SETEMBRO MEGA ABERTURA DO ANO ACADÉMICO PORTO A organização é da MEGA Hits em parceria com a República de Estudantes do Porto e vai contar com a Dupla Mete Cá Sets, Peter Simonsm Freak n’ Chic e Put’ Armada. Os bilhetes custam entre 6 euros e 10 euros. 28 E 29 DE SETEMBRO RECEÇÃO AO CALOIRO DE LISBOA 2012 CAIS DA MATINHA, LISBOA Quim Barreiros, Fado Cão, Capitão Fausto e Arrebimba o malho são alguns dos convidados para esta Receção ao Caloiro, organizada pela Associação Académica de Lisboa. Os bilhetes custam 2 euros. 11 A 17 DE OUTUBRO LATADA DE COIMBRA 2012 COIMBRA Os caloiros, este ano, serão recebidos com Scissor Sisters, Crookers, Mark Bale e Cosmo Klein, Orelha Negra, Azeitonas, Rui Veloso e Miúda e Pendulum (DJ set).

BI

JORGE CRUZ, 27 GESTÃO DE SISTEMAS E TEC. DE INFORMAÇÃO, UNIV. ATLÂNTICA 2002-2007 Um Dux Duxorum é um cargo vitalício, contemplado no Código de Praxe e cujo papel é assessorar a Comissão de Praxe. Jorge exerce esta função embora já tenha terminado o curso.

O que pensas das praxes? Decorrendo com a devida normalidade, são indispensáveis na integração de novos alunos. O que pensas dos caloiros? Devem todos passar pela praxe. Deve também ser-lhes prestado todo o auxílio que necessita qualquer pessoa que se depara, pela primeira vez, com uma nova realidade. Achas que têm medo de ti? Na altura em que praxava, sim. Tinham o receio natural de quem

BI

não conhece o meio. Agora denoto que nutrem por mim, sobretudo, sentimentos como são a simpatia e o respeito. O que gostavas de fazer a um caloiro? Todo o género de praxe que se enquadrava dentro dos limites da civilidade. O que não eras capaz de fazer? Praxes de índole sexual, xenófoba, etc. No fundo, nunca pratiquei praxes que, de algum modo, os melindrasse no que eram as suas crenças e convicções mais profundas. Qual foi a maior maldade que já fizeste? Nunca fiz nenhuma maldade propriamente dita. Ser caloiro e não ser praxado é... uma opção que deverá ser respeitada primeiro por quem praxa e depois pelo próprio caloiro, uma vez que essa decisão faz com que este fique restringido no que às funções da praxe diz respeito. Ser veterano é... saber integrar o caloiro através da praxe, respeitando o Código de Praxe, que regula o funcionamento desta, respeitando sobretudo o caloiro; novo aluno/futuro colega.

BI

GONÇALO SILVA, 22 3º ANO, EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTO ULHT Gostava de ser conhecido como o veterano que sempre respeitou os caloiros como pessoas, e que esteve sempre presente.

RUI COSTA, 23 5º ANO, ENG. DE REDES DE COMUNICAÇÕES, IST Gostava de ser conhecido como o veterano que serviu de inspiração para fazer o curso sem nunca desistir.

O que pensas das praxes? As praxes a meu ver são excelentes meios de integração. São, muito contrariamente ao que muitos pensam, uma forma de integrar. É uma excelente forma de todos se conhecerem. O que pensas dos caloiros? São pessoas como nós, com os mesmos direitos e deveres, apenas novatos na faculdade. Todas as praxes que fazemos com eles devem ser apenas de modo a que todos se conheçam. Achas que têm medo de ti? Todos têm medo dos trajados. Talvez mais receio do que possam pedir para eles fazerem... O que gostavas de fazer a um caloiro? É uma pergunta difícil. O que mais gosto é mesmo do mergulho no lago do Campo Grande (risos). O que não eras capaz de fazer? Jamais faria algo racista, xenófobo ou mesmo sexista. Qual foi a maior maldade que já fizeste? Acho que colocar uma das minhas afilhadas a matar formigas com a voz apenas! Ser caloiro e não ser praxado é... como ir ao McDonalds e pedir uma salada!! Ser veterano é... Ser o exemplo, é respeitar o traje, honrar a faculdade e o curso, respeitar os caloiros!

O que pensas das praxes? As praxes são a melhor maneira de fazer com que os alunos, que muitas vezes se sentem perdidos ao início, conhecerem os colegas. Nas praxes cria-se uma união e empatia entre todos. O que pensas dos caloiros? São alunos “em bruto por lapidar” que, com medo da transição do secundário para o universitário, muitas vezes acabam por ficar à deriva caso não sejam “ajudados” pela praxe. Achas que têm medo de ti? Possivelmente têm. Mas também têm medo de tudo o que os rodeia, por ser novo e por ser diferente. O que gostavas de fazer a um caloiro? Uma praxe que ele nunca se esquecesse e que marcasse o início dos melhores anos da vida dele. O que não eras capaz de fazer? Qualquer tipo de violência não verbal. Qual foi a maior maldade que já fizeste? Deixá-lo amarrado numa árvore (em parte por esquecimento) durante uma hora. Ser caloiro e não ser praxado é... perder a possibilidade de conhecer colegas e alunos mais velhos que podem dar conselhos vitais. Ser veterano é... Ter a responsabilidade de educar e formatar caloiros até serem alunos com responsabilidades.


24 set 2012 • 10

BEM-VINDO À VIDA ACADÉMICA Desenganem-se aqueles que acham que a vida académica é só estudo, cerveja e… tunas. Basta ires até à tua Associação de Estudantes (AE) para descobrires grupos que provavelmente nunca ouviste falar e outros que, se calhar, até já conhecias “de nome” e não associavas ao mundo académico. Desde grupos de teatro a núcleos desportivos, passando por apadrinhar um

PORTO IA FACULDADE DE ECONOM eCOROmia

15 anos de OROmia conta já com Criado em 1996, o eC tivais interfes em s ça os e presen muita música, CD editad nal de Música .U – Festival Internacio nacionais como o F.I.M t, França. Universitária, em Belfor om; ecoromia@fep.up.pt; Infos: www.ecoromia.c ecoromia@gmail.com

FACULDADE DIREITO Jornal Tribuna

jornal gratuito estral, o Tribuna é um De periodicidade sem licenciaturas te por estudantes das constituído integralmen bém com a tam ia, mas que conta de Direito e Criminolog sores. colaboração de Profes rnaltribuna t; www.facebook.com/jo ol.p @i up Infos: tribuna.fd

estudante Erasmus e até, quem sabe, juntar um grupo de colegas visionários e proporem um novo núcleo à vossa AE, tens imensas atividades que não só te enriquecem o espírito como o Currículo! O MU andou a vasculhar pelos quadros de cortiça das faculdades e escolheu os seus grupos favoritos. Por Catarina Poderoso

LISBOA FACULDADE DE DIREITO

Apadrinhamento Erasmus O Apadrinhamento Erasmus nasceu no ano letivo 2010/2011 na AAFDL. O principal objetivo desta iniciativa é promo ver a integração dos alunos estrangeiros na Faculdade de Direito de Lisboa, sendo dada a possibilidade de se tornarem um grande suporte de um aluno que necessitará claramente de algumas dicas. Infos: www.aafdl.pt/; maria.barata@aafdl.pt FACULDADE DE LETRAS ArTeC – Grupo de Teatro O ArTeC nasceu de um workshop de representaç ão no Bar Novo da Faculdade de Letras de Lisboa em 1994 pela mão do encenador de sempre do grupo, Marcantonio Del Carlo. Todos os anos escolhe novos membros de entre as pessoas que frequentarem o workshop anual do grupo. Infos: www.oartec.blogspot.com; artec.flul@gmail.c om

FACULDADE DE FARMÁCIA

Núcleo de Fotografia

ALGARVE

ALGARVE IVERSIDADE DO UN DA A IC ÉM AD ASSOCIAÇÃO AC os que

ativo, querem os que sejas m re ue isso, o Ga“Q é a jas feliz.” Para O seu lem se e qu os em , quer ica da Univer sejas saudável ciação Académ mão-cheia so As da to or a binete de Desp disposição um rve tem à tua leibol, dança, ga Al vo a, do bi ró de ae da l, si bo te ue sq como ba as de Futsal, de desportos gas Académic Li a nd ai m hi. Te yoga ou tai-c Futebol 7. e l bo te ue Basq @aaualg.pt. porto/desporto es /d os vic er alg.pt/s http://www.aau

O Núcleo de Fotografia da AEFFUL foi criado no início de 2009, sendo pioneiro na faculdade e dando aos alunos a oportu nidade de participar em diversos tipos de atividades no âmbito fotogr áfico. Infos: nucleofotografia@aefful.pt

COIMBRA TEATRO DOS ESTUDANTES DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA O TEUC (Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra) é um grupo de teatro universitário cheio de história, sendo que a sua primeira apresentação pública realizou-se em 27 de julho de 1938, ainda com a designação de Grupo Cénico da Secção de Fado Académico de Coimbra. Infos: teatroestudantesuc@gmail.com; http://www.teuc.pt


24 set 2012 • 11

PUB


24 set 2012 • 12

MÚSICA

ELES ESTÃO AÍ DE NOVO. E COM MUITO AMOR PARA DAR. O SEGUNDO ÁLBUM DE ORIGINAIS DOS NU SOUL FAMILY JÁ ESTÁ NAS LOJAS. “UNCONDITIONAL LOVE” É O TÍTULO DESTE TRABALHO QUE FOI GRAVADO ENTRE PORTUGAL E OS ESTADOS UNIDOS. PARA A BANDA, ESTE É UM REGISTO MAIS MADURO E MAIS ORGÂNICO, E QUE CONTA COM MUITAS PARTICIPAÇÕES. “IT’S WHATEVER YOU WANT” É UM DOS SONS MAIS CONHECIDOS, MAS O ÁLBUM ESCONDE, NO TOTAL, ONZE TEMAS, FEITOS COM MUITO AMOR, CLARO. SE AINDA NÃO OS CONHECES, FICA A SABER QUE NO PRÓXIMO DIA 26 DE SETEMBRO, QUARTA-FEIRA, VIRGUL, DINO, DJ ALAN GUL E B@SSMAN, VÃO APRESENTAR O ÁLBUM NO MÍSTICO RITZ CLUBE, EM LISBOA. O MU FALOU COM A BANDA NO DIA EM QUE O CD SAIU PARA AS RUAS. E AS EXPETATIVAS ERAM AS MELHORES. Por Patrícia Tadeia

moçambicana, a Neyma. Até o nosso B@ssman não nasceu em Angola, mas viveu lá. Eu sou angolano, o Virgul também é descendente de angolanos, o Dino de cabo-verdianos. É sempre importante mostrá-lo nos nossos trabalhos. Virgul: Essa música é uma coisa completamente nova, não é afro house. É uma mistura do que gostamos e tentámos produzir à nossa maneira. E é importante termos a ligação às raízes. No primeiro disco falamos do nosso “people”, família, de onde vimos. Não queremos de todo esquecer isso. Como têm sido as reações ao álbum? DJ Alan Gul: Positivas. Dizem que está mais maduro. Penso que encontrámos a pólvora, o tesouro para os Nu Soul Family em questão de estilo.

NU SOUL FAMILY MUITO AMOR PARA DAR Quais as principais diferenças entre este “Unconditional Love” e o primeiro álbum? Virgul: A maturidade. Crescemos e sabemos melhor o que queremos com este segundo disco. A estrada fez-nos repensar o modo de apresentar o disco e como o trabalhar. E foi a energia que tínhamos ao vivo que trouxemos para o álbum. Está mais organizado. Usámos muitos músicos que trabalham connosco na estrada. E mesmo a preocupação com o próprio disco e músicas, o pormenor de masterização e sonoridade... Está tudo mais cuidado. Este é um disco de continuação, de crescimento. Ter a oportunidade de gravar o disco entre Portugal e os EUA foi uma mais valia? Notaram diferenças nas condições que tinham lá? Virgul: Lá foi mais a parte lírica. Gravei algumas vozes lá, mas muito pouco. Já temos cá muito

CONCERTO RITZ CLUBE – 26 DE SETEMBRO | 22:30 Ao comprares o disco, recebes imediatamente o bilhete para este concerto de apresentação de Unconditional Love e ainda te é oferecido o primeiro CD da banda.

boas condições, tudo depende do budget e do material, obviamente. Fomos lá porque a pessoa que nos ajuda com as letras é de lá, e assim tivemos a oportunidade de acordar em inglês, viver em inglês, sonhar tudo em inglês. Torna-se mais fácil para elaborar as letras. Este é um disco de amor. Estão todos apaixonados? DJ Alan Gul: É mais um amor incondicional à família, entre os Nu Soul, às musicas e às pessoas que nos rodeiam. É um amor universal, em relação a tudo na vida, não só nas relações a dois. Virgul: É a forma de estar na vida. Com a maturidade e idade acabamos por nos aperceber que, se amarmos as coisas e gostarmos delas o realmente como são, estamos a amar incondicionalmente. Ao longo da vida criamos muitos preconceitos,

desvios, e chegamos a um ponto em que fazemos as nossas escolhas e gostamos das coisas como elas são. O preto no branco, como se costuma dizer. Este disco é o apelo a isso, ao amor incondicional. Nós sentimos isso na forma como nos entregamos à musica. Quando gostamos de algo, gostamos e pronto. Já no primeiro álbum tinham uma música em crioulo. Neste surge-nos o “Kunamanaie”. É importante mostrar as raízes? DJ Alan Gul: Essa música é um mix de dois dialetos: crioulo e outro de Moçambique. Tem a participação de uma cantora

Como será o concerto no Ritz Clube, no dia 26? Virgul: Super positivo, alegre, com muita energia, boa música! Temos tido a sorte de andar a tocar e estamos bem oleados. Vai ser um concerto forte e divertido. Esperamos casa cheia.

E como vai ser tocar no Ritz Clube? Virgul: O Ritz é um clássico, toquei lá com Da Weasel em 1997 ou 98, e agora foi renovado. É uma casa porreira, é bom não ser muito grande, cria uma certa empatia com o público e os fãs. Qual o balanço dos quase três anos juntos? DJ Alan Gul: Isso está explícito no álbum, nas letras. No título do álbum. Mas é muito positivo. As pessoas amadurecem. E em questão de trabalho também se amadurece muito, em concerto e na parte criativa. Os portugueses também nos têm recebido bem, as críticas são muito positivas. Bem... Só é pena o País estar como está...


24 set 2012 • 13

JOÃO ESTÁ SÓ. E OS ABANDONADOS? ELE ESTÁ SÓ. E ELES DIZEM QUE ESTÃO ABANDONADOS. MAS A VERDADE É QUE EM CONCERTO, A PLATEIA NUNCA OS DEIXA SOZINHOS. HÁ OS SEGUIDORES ANTIGOS, AQUELES BEM JOVENS, MAS QUE JÁ OUVEM ESTE RAPAZ HÁ ALGUNS ANOS E QUE SABEM AS MÚSICAS DE COR. E DEPOIS HÁ OS MAIS VELHOS. AQUELES QUE O MÚSICO DE 24 ANOS DIZ TER VINDO A CONQUISTAR NOS ÚLTIMOS TEMPOS. JOÃO ESTÁ SÓ, MAS ESTÁ SATISFEITO. OS ABANDONADOS... BEM, OS ABANDONADOS NUNCA ESTARÃO SÓS. ATÉ PORQUE VÃO ESTAR COM O JOÃO JÁ NO DIA 27, QUINTA-FEIRA, NO TMN AO VIVO. LÚCIA MONIZ E ZÉ PEDRO DOS XUTOS & PONTAPÉS TAMBÉM ESTARÃO POR LÁ. QUEREM MELHOR COMPANHIA QUE ESTA? Por Patrícia Tadeia Quem é o João Só? Qual é a tua história? Comecei a tocar guitarra aos 12 anos num campo de férias, tinha uma que os meus avós me tinham dado e não sabia tocar. Comecei praticamente logo a fazer música. Cantava mal que se fartava, a minha mãe quase me batia para me calar (risos). Mas depois lá tive aulas de voz, para conseguir gravar discos. Começou tudo desde pequenino, com a mania dos Beatles, que veio da minha tia e da minha mãe. Nunca tive grandes brinquedos, só me davam discos. Era o que queria. Mas na 4ª classe já querias uma banda: os Metralhas... Sim, sim. Até tinha feito umas letras com uns amigos, mas depois aquilo não andou para lado nenhum. Quais as principais diferenças do “Ela só” face ao anterior? Este, que saiu em outubro do ano passado, e que foi agora reeditado, foi um pouco difícil de fazer, tínhamos ensaios à noite, e eu gosto muito de trabalhar de dia. Eu não sabia o que queria. Queria fazer rock, mas também gosto das baladas. Foi um disco difícil, mas do qual gosto imenso. E que tem a “Sorte Grande” que é das musicas que fiz que mais gosto. Quando resolveste fazer o dueto, percebeste imediatamente que devia ser a Lúcia Moniz? A música primeiro foi gravada só comigo, mas na altura pensei que faltava qualquer coisa. Eu tinha andado a fazer umas músicas para

NO IPOD DO JOÃO Samuel Úria, Jorge Palma, Tiago Bettencourt, Clã, Beatles, Tom Petty, Bob Dylan, o novo single dos The Killers. O OUTRO JOÃO SÓ João Evangelista de Melo Fortes, compositor brasileiro que nasceu em 1943 e cujo primeiro instrumento foi o cavaquinho. O nosso João Só confessa que já tocou o Ukelele e que gostou imenso. Hoje em dia diz estar mais virado para as guitarras de 12 cordas e anos 60.

agenda DAVID FONSECA 28 setembro, C.C. Olga Cadaval, Sintra, 22h Preço: 15 euros Esta é a segunda parte do trabalho “Seasons”. O primeiro volume, “Rising”, foi editado a 21 de março. Agora, o músico apresenta “Falling”, que saiu no dia 21 de setembro. “Under The Willow” e “It Feels Like Something” ou “I’ll Never Hang My Head Down” são alguns dos temas que farão parte do espetáculo.

a Lúcia e gosto imenso dela. Liguei-lhe a perguntar se ela gostava de gravar. Ela disse logo que sim e pronto. Gravámos numa semana e ficou o “single”. Não esperávamos é que fosse tão badalada. E adoro o “feedback” do público. Em concertos, damos os primeiros acordes do “Sorte grande” e é a loucura. Ter a participação de um músico tão emblemático como o Zé Pedro dos Xutos no álbum é uma responsabilidade? Sim, mas ele também é um grande amigo. Já tinha vontade de fazer isto há muito tempo. Há um tema, o “Cansado”, que é assim mesmo rock ‘n’ roll, mais pesada, e ele era ideal para aquela musica. Aquele som de guitarra que eu queria que, por mais que tentemos, ninguém consegue fazer como ele. Então porque não chamá-lo? Divertimo-nos imenso em estúdio. Gostei imenso. Com quem gostavas mais de fazer um dueto? Com vários artistas... O que eu mais queria era ter um disco com o Miguel dos Azeitonas, e já o fiz. Depois, sei lá... O Samuel Úria, o [Jorge] Palma, o Tiago Bettencourt. E a Manuela [Azevedo] dos Clã, que é assim a minha grande paixão musical. Gostas mais de compor ou de estar em palco? Gosto da fase de composição. É uma fase muito minha. Em que estás a fazer a música e ainda não a mostraste a ninguém. Mas é tua, por pouco tempo. Porque depois toca-la para outras pessoas, ou mostras a música e ela já é das outras pessoas que a interpretam da forma que querem. Eu sou um bocadinho nazi, nos arranjos, e gosto de controlar a minha veia de produtor. Mas a verdade é que também gosto muito de tocar ao vivo. Ou de estar em estúdio. Sou muito dedicado no estúdio, porque o disco tem de ficar bom para sempre. Na verdade gosto de todas as fases... Qual é o teu público? Tem uma idade? Nos primeiros discos, sentíamos que o nosso público era muito jovem. Agora estamos a chegar a mais faixas etárias. O público expandiu-se imenso e isso é óptimo. As receções ao caloiro, por exemplo, são sempre uma boa oportunidade para fazermos concertos mais rockeiros que também gosto.

MISS LAVA, TRUCKFIGHTERS E WILD TIGER AFFAIR 30 setembro, Hard Club, Porto Preço: 10 euros “Red Supergiant” é o nome do mais recente disco dos Miss Lava. Este é o segundo trabalho da banda, que contou com a mistura e masterização do produtor norte-americano Matt Hyde, conhecido pelas produções de Fu Manchu, Sum 41, Children of Bodom, ou Hatebreed. No concerto nesta emblemática casa do Porto, trazem consigo os suecos Truckfighters.

Como é aos 24 anos ser cantor, compositor e produtor? Foi tudo um bocado rápido. O primeiro disco gravei aos 19 anos. Saiu em 2009, e foi muito giro ver o processo todo a partir daí. Depois convidaram-me para produzir o primeiro disco, depois veio o segundo, e ganhei o gosto de estar em estúdio. Depois comprei material também para gravar em casa com boa qualidade. E ando a tentar perceber bem como é que o negócio funciona. Gosto muito de estar envolvido nisto tudo. Como nasce o nome João Só? Foi numa reunião. Nós éramos o “João PB e Emprestados”. Soava um pouco a hip hop. Então disse que podia ser só João ou João só e emprestados. Mas o só não fica bem com os emprestados. Assim nasceram os Abandonados. A ideia é fazer o trocadilho do nosso som animado e rock com um nome triste.

O concerto de dia 26 do TMN ao Vivo conta com convidados como Zé Pedro, Lúcia Moniz, Asterisco Cardinal Bomba Caveira e António Fontes. PRÓXIMOS CONCERTOS 11/10 – Receção ao Caloiro, Beja 27/10 – Receção ao Caloiro, Castelo Branco Sabe tudo em www.facebook.com/joaosoeabandonados

JENNIFER LOPEZ 5 outubro, Pavilhão Atlântico, Lisboa, 20h30 Preço: desde 36 euros É a sua estreia em Portugal. A norte-americana, que foi eleita pela revista “Forbes” como a Celebridade Mais Poderosa do Mundo, já conta com sete álbuns de estúdio editados e mais de 55 milhões de discos vendidos. J.Lo tem 42 anos e deve lançar este ano um novo disco com o seu best-of.


24 set 2012 • 14

AMBIENTE

UMA FESTA SUSTENTÁVEL Sensibilizar para as questões ecológicas, de justiça social e desenvolvimento económico sstentável são os principais objetivos do Greenfest. Aquele que é considerado o maior evento de sustentabilidade do País decorre entre os dias 26 e 30 de setembro no Centro de Congressos do Estoril. O evento tem ainda como objetivo divulgar um conjunto de iniciativas que refletem de que modo uma atitude empreendedora pode contribuir para uma sociedade mais sustentável. E tu, és empreendedor? Para esta edição de 2012, o Greenfest escolheu como tema central a atitude empreendedora. “Mas o que é isto?”, perguntas tu? Ora bem, como atitude empreendedora entende-se “não só a capacidade de criar projetos ou empresas, mas como uma atitude de resiliência, construtiva e criativa”, informa a organização. “Esta escolha reflete a nossa convicção de que cada um de nós pode ter um papel positivo na sociedade e contribuir para a sua sustentabilidade”, PUB

acrescenta. Como tal, durante os cinco dias do evento a ideia é “homenagear os que têm ideias e capacidade” para as implementar, “os que criam valor para a sociedade, com a ambição de conciliar o desenvolvimento económico com o equilíbrio ambiental e a equidade social”. No espaço deste evento, será possível encontrar 8 temáticas ou “eco-tendências”, todas relacionadas com o dia a dia, quer seja profissional ou pessoal. Descobre quais são! Sabe mais em http://www.greenfestival.pt

8 tendÊncias Art & Culture Workshops de dança e teatro, concertos, sessões de cinema, muita animação… e até uma extração de lotaria popular!

Care & Longevity Rastreios e aconselhamento, espaço wellness, aulas de yoga e dança.

Eco-Fashion Desfiles de moda intergeracionais com apresentação de novos designers do IADE e da UBI . Home & Cooking

Ateliers para crianças, workshops e sessões de live cooking com chefs, como Chakal, entre outros. Tudo à volta dos sabores e da saúde.

Cross Generations Workshops para ensinar a utilizar Internet, debates, aulas de cozinha para crianças e seniores, ações de recolha de bens não alimentares para doar a uma instituição, aulas de ginástica intergeracional.

Design & Arquitecture Casas sustentáveis e autossuficientes, workshop de hortas verticais, instalações elaboradas por alunos do IADE com materiais reciclados.

Leisure & Pleasure Passeios de bicicleta, gincanas, parede de escalada, workshops de defesa pessoal para seniores e crianças, aulas interativas de kung fu.

Talking & Sharing Knowledge Conferências, workshops, sessões de formação e informação, momentos de networking e partilha sobre os temas do empreendedorismo, do turismo sustentável, das cidades do futuro entre outros.


PIZZA PELA TELEVISÃO?

OS ÓLEOS CORPORAIS de ÁRGAN E OLIVA!

Já é possível encomendar Telepizza diretamente através da televisão. O yubuy, lançado em exclusivo pela Vodafone, é uma aplicação inovadora de comércio eletrónico que permite, com poucos cliques no telecomando da TV, finalizar compras de produtos e serviços. A Telepizza é a primeira marca de pizzas, presente no mercado português, disponível através deste serviço. Esta aplicação é gratuita para todos os clientes do serviço de televisão da Vodafone e pode ser acedida a partir da tecla azul do telecomando (menu de aplicações StartApps na TV).

Natural Honey apresenta dois novos elixires de beleza e hidratação: os novos Óleos Corporais de Árgan e de Oliva! O Óleo de Árgan também denominado como “Ouro líquido do deserto” caracteriza-se pelas suas ancestrais propriedades cosméticas e dermatológicas únicas e pela sua elevada concentração de ácidos essenciais Ómega 3, 6 e 9. O Body Oil Oliva recorre a todos os benefícios conhecidos da vitamina E, funcionando como antioxidante e protegendo a pele contra os efeitos dos radicais livres, atrasando o envelhecimento e mantendo a pele elástica, hidratada e lisa.

BOTICÁRIO LANÇA NOVA LINHA

MAGNUM... AGORA À COLHER! Magnum acaba de lançar uma gama de sobremesas que irá trazer uma nova dimensão à forma de saborear este gelado em casa. Disponível nas variedades clássicas de Magnum, em Chocolate e em Baunilha, esta nova gama vai satisfazer muitos paladares. Um sedoso gelado, com crocantes pedaços de chocolate Magnum no seu interior, complementados com um surpreendente recheio de chocolate. Os novos Magnum, enriquecidos com o distintivo chocolate Magnum, são uma experiência de texturas contrastantes e indulgência.

DESCONTOS NA WELL’S Na lojas Well’s Ótica até ao dia 30 de setembro de 2012 encontras 25% de desconto em cartão Continente em armações e lentes oftálmicas de todas as marcas, incluindo a marca exclusiva “WE”. Destinada a um público urbano e moderno, esta marca tem para te oferecer uma vasta gama de óculos com modelos clássicos e arrojados. E mais, numa das 50 Well’s Ótica está a decorrer uma campanha de regresso às aulas, onde podes encontrar packs de armações + lentes oftálmicas e oferta de óculos de sol na gama infantil a partir de 69 euros até 30 de setembro.

PONTO QUÊ? UMA QUESTÃO DE DESEJO… Vivemos tempos complicados e parece que na cama as dificuldades também se acentuam. Apesar de se pensar que os homens estão sempre prontos e que as mulheres são as maiores consumidoras de Paracetamol, devido às constantes dores de cabeça, parece que o desejo não é assim tão imune ao que nos rodeia e, mesmo nos casais mais novos, é motivo de preocupação e conflitos. São cada vez mais os pedidos de ajuda que chegam na expetativa de encontrarem, e/ou estimularem, o

O Boticário lançou a linha Make B. Fashion Collection, inspirada nas grandes capitais da moda, trazendo as tendências da passarelle para as ruas através de produtos que combinam o fashion, o moderno, a beleza e a sofisticação que existe em cada mulher Make B. A nova coleção de maquilhagem para o outono/inverno 2012 inspira-se assim nas seis capitais mais influentes do mundo: Paris, Milão, Nova Iorque, Londres, Tóquio e São Paulo. Esta é uma coleção para mulheres modernas, inteligentes, que gostam de inovar e buscam, nas principais tendências da moda, inspiração para potencializar o seu estilo próprio e a sua beleza. Versátil e moderna, composta por cores ligadas às tendências da estação. Proporciona looks completos e variados, tanto para o dia quanto para a noite. Além de vir acompanhada de um nécessaire, que pode ser utilizado sozinho.

UMA SOLUÇÃO MAIS COMPACTA A partir de agora, acabaram-se as desculpas para não aproveitares ao máximo os momentos com amigos e aqueles convites para uma festa de última hora. A Tampax sugere a nova e completa gama Tampax Compak – o tampão mais discreto e fácil de aplicar da marca. Graças ao seu aplicador de plástico mais suave, o tampão Tampax Compak é muito mais higiénico e fácil de aplicar. O seu tamanho pequeno confere-lhe uma descrição extrema e torna-o no tampão perfeito para andar sempre guardado em qualquer bolsa, ou bolso. Assim, e em caso de emergência, já não há desculpa para sair a correr para casa, e perder uma ótima festa.

Vânia Beliz, psicóloga clínica e sexóloga, vai falar-te todas as semanas de um assunto que te interessa, e muito. Não percas nem uma edição! Se tiveres dúvidas, ou quiseres ver um assunto tratado nestas crónicas, envia um email para geral@mundouniversitario.pt

desejo. É importante que percebamos que a nossa vida sexual não tem fórmulas e que não existe por isso uma que nos diga se devemos fazer 5 ou 10 vezes, se devemos demorar 20 minutos ou duas horas. A nossa vida sexual adapta-se ao ritmo das nossas vidas e, se existem preocupações ou problemas, é muito provável que elas se reflitam entre lençóis. Não podemos, também aqui, fazer milagres. As pessoas andam deprimidas, ausentes e longe umas das outras. É importante que aprendamos a controlar medos e ansiedades e que não nos

culpabilizemos de hoje não nos apetecer, de hoje ter sido demasiado rápido ou de simplesmente não termos gemido de prazer. A culpa dita mais afastamento, fazendo com que se caia na cobrança, ao invés de nos remetermos a um diálogo civilizado. O “hoje não me apetece” não tem que ser interpretado como falta de amor ou de interesse, não tem de ditar perseguições e visitas às caixas de mensagens do telefone. Este “hoje não me apetece”, pode ser simplesmente isso mesmo. Como se disse, nos tempos em que vivemos é difícil que as preocupações não envenenem as nossas relações mas, até aqui é preciso

encontrarmos um pacote de estabilidade que inclua diálogo, compreensão e alguma dose de criatividade para quebrar a rotina e colocar tudo o que nos preocupa do lado de lá da porta. Parece difícil mas, não há nada como tentar. O desejo pode ser difícil de conquistar mas se nada fizermos, a batalha fica logo à partida perdida. Há que ter paciência e não se fazer da sua ausência uma missão impossível… pode até parecer que fugiu para parte incerta e que teima em não aparecer mas, nada como insistir do seu reencontro.

24 set 2012 • 15

WHAT’S NEW


PUB

Mundo Universitário - edição 204  

Edição de 24 de setembro de 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you