Issuu on Google+

www.mundoequestre.com.br

Bem-estar para cavalo e cavaleiro.

Número 24 | 2010

Nesta Edição #24

R$ 8,90

ENTREVISTA

O cavaleiro Yuri Mansur

Raça do mês

Oldenburg

Dressage

A elegância do Adestramento Especial: Nutrição para atletas


Motores: 5.0 V8 Supercharged com 510 cv, 3.6 V8 Bi-Turbo Diesel e 3.0 V6 Bi-Turbo Diesel3

BLUMENAU 47

3037.5111

Rua Itajaí, 1373, Vorstadt

FLORIANÓPOLIS 48

3028.5111

BR 282, KM 3, Via Expressa


E D I TO R I A L

Caro Leitor Esta edição que você lê marca o segundo ano de vida da revista Mundo Equestre. Para nós é uma grande satisfação estar presente em seu cotidiano, sempre na busca de informações que possam tornar sua vida e a de seu cavalo cada vez mais saudável e interativa. Ao longo deste período muitos obstáculos foram superados e muitos desafios alcançados, isto graças a colaboração de jornalistas, fotógrafos, anunciantes, entidades, clubes e familiares que apostam que o esporte equestre pode e deve se tornar uma tradição em nosso país. Por último, mas com certeza não menos importante, agradeço a companhia de você, leitor. Seu interesse mostra que estamos traçando o caminho certo e suas sugestões revelam o quanto ainda podemos explorar neste complexo e fascinante “Mundo dos cavalos”. A partir deste mês teremos mais um canal de comunicação, através do novo site da Mundo Equestre. Lá você poderá encontrar todo o conteúdo da revista, além de conversar com a redação e ter acesso a fotos exclusivas e notícias recentes. Em nome de nossa equipe, agradeço a todos que apóiam a revista e o ideal Mundo Equestre. Um boa leitura a todos


Anúncio


Índice 10

Entrevista Yuri Mansur

14

Raça do mês Oldenburg

18

dicas Inspeção Veterinária

20

SAIBA MAIS Adestramento

26

especial Nutrição para atletas

28

variedades O nadador Gustavo Borges

30

pergunta veterinária Vacinação Equina

32

Clínica veterinária Laminite

10

14

20

24 34 38 39 40 42

álbum notícias Teu mundo equestre Quadrinhos classificados agenda

expediente Edição

Redação e edição de texto

Departamento comercial

Revisão

Redação e Administração

Afonso Westphal

Sarah Westphal

comercial@mundoequestre. com.br

Gustavo Vazquez

direção EXECUTIVA E

Fotografia

SUPERVISÃO GrÁFICA

Grace Carvalho

BemAmostra Editora Rua Visconde do Rio Branco, 1630 - sala 705 - Centro 80420-210 - Curitiba - PR

Manuela Merico

Equipe veterinária assessoria Jurídica

Merico Advogados Capa

Kit Houghton / FEI

Pedro Vicente Michelotto Jr. Lívia Medalha Araújo Valdir Tonin

Fone 41-3203.1960

arte e diagramação

Editora BemAmostra

redacao@mundoequestre. com.br

Impressão e acabamento

Gráfica Impressul

6

Para sugestões ou dúvidas, fale direto com a redação, enviando e-mail para redacao@mundoequestre.com.br ou escreva para Rua Visconde do Rio Branco 1630, sala 705, Centro. CEP 80420 210 - Curitiba, PR.


Os cavalos estão prontos. Você também?

ASSISTA AOS JOGOS EQUESTRES MUNDIAIS FEI DA ALLTECH 2010, NO CORAÇÃO DA REGIÃO DOS CAVALOS DA AMÉRICA DO NORTE. Veja os jogos como nunca antes, em mais de 1.200 espaçosos acres do Kentucky Horse Park na linda região de Bluegrass do Kentucky. Deleite-se com o mais recente e refinado evento de competição equestre do mundo. Vivencie a fantástica hospitalidade das acolhedoras pessoas do Kentucky. Relaxe e divirta-se em hotéis e restaurantes excelentes. Transporte em abundância e sem estresse para os jogos. Para reservar tudo o que precisa, basta fazer uma ligação ou acessar um site da web. Aja agora. . . enquanto ainda há lugares e acomodações fantásticas para o evento!

Compre os bilhetes para o evento e organize sua viagem no endereço www.alltechfeigames.com/INTERNATIONAL ou ligue para +1-949-333-4001.

KENTUCKY HORSE PARK

LEXINGTON, KENTUCKY USA

DE 25 DE SEPTEMBRO A 10 DE OCTOBRO DE 2010

www.alltechfeigames.com


e n tre v i s ta Texto: Equipe Mundo Equestre | Foto: Equipe Mundo Equestre

Yuri Mansur

O grande momento O cavaleiro Yuri Mansur está classificado para concorrer nas Finais da Copa do Mundo de Saltos 2010, que será realizada em Genebra. A chance de representar o Brasil em um dos campeonatos mais relevantes do mundo hípico foi conquistada graças à vice liderança na Liga Sul Americana 2009. 8


Yuri começou a montar relativamente tarde e, em sua primeira temporada na Europa, percebeu que ainda estava longe de se tornar um bom atleta. Não desanimou. Teve paciência para aprender observando e inteligência para ingressar no comércio de cavalos. Sua história comprova que a vaga para a FEI World Cup é a vitória de uma batalha muito mais antiga.

Como foi seu inicío no hipismo? Eu andei pensando nisso outro dia e vou responder de maneira mais clara do que nunca. Eu tinha praticamente tudo contra. Minha condição financeira não era excelente, comecei tarde, com

Se você pudesse escolher um cavalo para competir, qualquer cavalo do mundo, qual seria? Meu conjunto seria o E.T. É um cavalo extraordinário, com muita técnica e precisão.

14 anos, e por isso perdi as categorias de base e iniciei montando maus cavalos. Fui à Europa saltando apenas

Existe algum campeonato ou evento que

1,30m e quase sem experiência. Retornei ao Brasil com

marcou sua vida de forma especial?

fama de cavaleiro sem talento e com muitas dívidas e

O concurso que mais gosto sem dúvida nenhuma é

foi aí que comecei a repensar os meus valores. Lembrei

o The Best Jump. Sempre tive muitas alegrias lá, além de

da sede de aprender que tinha quando comecei, não de

encontrar pessoas que realmente adoro. Há dois concur-

aprender a ganhar, mas de fazer bem feito; da necessi-

sos que me marcaram muito: um foi o Indoor de 2003,

dade de adestramento; de melhorar os cavalos. Passei

quando ganhei minha primeira prova forte com o Dinarco.

a ver vídeos dos campeões europeus e, sem exagero,

Foi uma prova dificílima, foi como se a vida me desse uma

assisti à Olimpíada de Atlanta mais de 70 vezes. Depois,

recompensa por todo esforço feito e que dissesse

quando voltei à Europa, queria aprender o que era o

“continue”. O outro foi o Lumen 2008, na

bom cavalo, qual rédea fazia o quê, qual era o bridão

Bélgica, meu primeiro campeonato cinco

ideal para cada cavalo, etc. Ficava vendo o Neco, Slo-

estrelas. Havia chegado do Brasil há ape-

tack e outros durante horas, tentando entender o que

nas dois dias, competi com cavalos que

faziam. Quando tudo começava a fazer sentido, vinha

ainda não tinham tanta experiência e me

a parede financeira e então, um dia, eu conheci a casa

classifiquei quatro vezes. Foi um sonho.

do Ludo Philippaerts. Ver aquela estrutura toda gerada através dos cavalos me motivou a querer aprender

Em

como atender um cliente, como vender, tudo isso. Eu

principal ponto forte e a

sempre soube aonde queria chegar e sempre acreditei

principal

que daria certo. Acho que o pilar de tudo foi querer

hipismo Brasileiro?

aprender o tempo todo e ter essa direção.

sua

opinião,

qual

deficiência

o

no

O Brasil conta com ótimos locais para sediar concursos, temos

Para você, qual a melhor parte do hipismo?

excelentes armadores que sempre bus-

Essa pergunta é bastante difícil, porque o hipismo

cam dificuldade técnica próxima à da Eu-

engloba muitas coisas que me agradam. Talvez estar

ropa. Temos excelentes cavaleiros, uma

montado no cavalo que você tem, seja praticando o es-

boa criação e ótimos dirigentes. O

porte ou até mesmo passeando, isto para mim é o que

que me preocupa, o que temos de

mais gosto.

ruim é a mentalidade. Em minha

9


Foto: Equipe Mundo Equestre Foto: Alexandre Vidal

opinião, faltam pessoas que realmente estejam lutando

Em sua opinião, como está o nível destes

para a evolução geral do hipismo. Os clubes lucram com

campeonatos, e em que poderiam melhorar?

concurso e pouco reinvestem na estrutura, os cavaleiros

O nível tem melhorado muito, mas acho que deveríamos

não se unem para exigir melhorias técnicas, os criadores

ter provas de 1,50m de verdade, nos padrões da Europa, em

não conseguem dar uma estrutura de concurso para os

todos os grandes concursos. Acredito também que os trei-

potros e não estimulam em nada o micro criador, e em

nadores das categorias de base precisam ter um foco maior

relação aos dirigentes, a descrição perfeita é que não há

no aprendizado dos seus alunos, não apenas na vitória.

muito capricho no que fazem. Assim tudo fica bastante individualizado, e com isso muita energia acaba se dissi-

Você foi classificado para participar das fi-

pando.

nais da Copa do Mundo. Como está sua expectativa e qual o sentimento de representar

Poderia

deixar

alguma

sugestão

para

os cavaleiros e amazonas que desejam aprimorar suas técnicas?

10

nosso país nesta competição? Apesar da falta de apoio financeiro, estou encarando de forma muito positiva minha participação. Sinto meu cavalo

A principal dica para qualquer cavaleiro ou amazona é

em seu melhor momento e, nessa pequena temporada aqui

a de sempre observar. Observar bons atletas em ação é a

na Europa, já sinto que evolui. Será um sonho se eu conse-

melhor maneira para aprender.

guir saltar a final no domingo.


Yuri Mansur no The Best Jump 2009


ra ç a do m ê s Texto: Gustavo Vazquez | Foto:Arquivo

12


Oldenburg Cavaleiros internacionais como Marcus Ehning e Anky van Grusven conquistaram grandes resultados sobre seus Oldenburgs.

13


A boa reputação dos Oldenburg é universal. Todos os anos, a raça conquista o pódio dos eventos hípicos mais importantes do mundo.

A

fama dos Olden-

dos anos, com o intuito de alcançar maior

burg vem se dis-

aprimoramento.

seminando desde

À medida que o Oldenburg se delineava,

a origem da raça,

a demanda crescia. Dos campos, passaram

há quase 400 anos. Durante o século XVII

a ser requisitados para equitação e também

vivia na região de Oldenburg, noroeste da

para levar carruagens.

Alemanha, o conde Graf Anton Gunther,

Com a Revolução Industrial e o advento

um exímio adestrador e criador de cavalos.

dos veículos automotivos a necessidade de

Seguindo a tradição de sua família, o nobre

cavalos de tração foi diminuindo. Como al-

comercializava equinos para serem utilizados

ternativa os criadores da raça, que sempre

em batalhas, até que iniciou o trabalho que

primaram pela ousadia e qualidade, passa-

incluiria seu nome na história do hipismo.

ram a cruzar seus animais com o Puro-San-

Grande importador de cavalos, o criador

gue Inglês e, assim, iniciaram a evolução que

decidiu cruzar espécies selecionadas vindas

converteu um animal de trabalhos agrícolas

da Espanha e Itália para gerar os primeiros

em um dos maiores desportistas do mundo!

exemplares do que chamaríamos de antigos

De acordo com a World Breeding Federation

Oldenburgs.

of Sport Horses, Oldenburg é a quarta raça trabalhos

mais vitoriosa no Adestramento, ocupa o sé-

agrícolas, o animal era um dos mais fortes

Inicialmente

utilizado

em

timo lugar no Salto e é a décima primeira

e resistentes sangue-quente, dono de um

mais utilizada em eventos.

temperamento ao mesmo tempo dócil e valente. Com um rigor sem igual, outras raças exclusivamente selecionadas foram sendo cruzadas com estes Oldenburgs ao longo


Foto: Kit Houghton/FEI

Cavalos de Ouro Não há dúvida de que Bonfire está entre os Oldenburg mais exitosos. Sob o comando da amazona Anky van Grusven, conquistou 4 medalhas olímpicas; venceu a copa do mundo cinco vezes; e o campeonato holandês, nove. Foi campeão mundial em 1994 e campeão europeu em 1999. Ainda

que

os

Oldenburg

sejam

especialmente conhecidos no Adestramento, também apresentam um ótimo desempenho A amazona de Adestramento Anky van Grusven viveu muitas alegrias com seu cavalo Oldenburg Bonfire

no Salto. Em 2003, o o atleta Marcus Ehning venceu a FEI World Cup no dorso de Anka. Três anos depois, o cavaleiro repetiu a façanha montando Sandro Boy.

Foto: Manuela Merico

Características Séculos de cruzamento altamente selecionados conseguiram criar um animal não apenas forte, qualidade que manteve desde sua origem, mas de beleza sem igual. Alto, com em média 1,68 metros (podendo atingir até 1,78 m), é elegante e de passadas ligeiras. Possui peito musculoso, estrutura óssea densa e cascos uniformes. É muito sensível com seu cavaleiro e aprende com facilidade, sendo considerado um cavalo que amadurece com muita rapidez.

Marcus Ehning entrou para a história da FEI World Cup com Anka e Sandro Boy

Foto: Ney Messi

Moeda de Paz Conta-se que durante a Guerra de Trinta Anos (1618-1648), inicialmente uma disputa entre católicos e protestantes, o conde Graf doou vários cavalos de sua criação ao exército francês a fim de manter o então Grande Ducado de Oldenburg neutro durante o conflito, evitando assim inúmeras mortes e a destruição de suas cidades.


di c a s

Cuidado com os olhos do cavalo O tratador deve verificar diariamente se há alguma anormalidade com os

Paulo Porto

Tratador Profissional Autor do Livro “A Arte de Tratar Cavalos de Esportes”

perceber o inchaço nos olhos.

olhos do cavalo e ter sempre a seu al-

Muito cuidado na hora de soltar o

cance uma esponja ou pano limpo para

animal na cocheira: muitas vezes o ca-

limpar a parte externa dos mesmos.

bresto acaba batendo na cabeça do

Em cavalos estabulados é muito co-

cavalo e gerando traumas oculares. Por

mum ocorrer obstrução do canal lacri-

isso, quando o tratador responsável for

mal. Isso pode ser observado pelo lacri-

soltar um cavalo na cocheira é impor-

mejamento e pela irritação na pele por

tante que nunca retire o cabresto com o

onde escorrem as secreções.

animal de frente para a parede do fundo.

O inchaço também deve ser motivo Dicas escritas por:

rações na pele e, em seguida, é possível

de atenção. Trata-se de sintoma comum

O certo é tirar o cabresto somente depois de virá-lo de frente para a porta.

de reações alérgicas, como picadas de inseto, por exemplo. Normalmente, as

Observações:

reações alérgicas primeiro causam alte-

a) Caso você perceba alguma anormalidade com os olhos do cavalo, não hesite e chame imediatamente um médico veterinário. b) Sempre verifique se há na cocheira algum tipo de material que possa causar ferimentos nos olhos ou nas narinas.


17


ssai a am m ai a s is abi b Texto: Manuela Merico | Fotos: Arquivo / Cedidas FEI

Adestramento Com movimentos elegantes e suaves, esta modalidade vem se desenvolvendo de forma notável em nosso País.

As modalidades equestres buscam uma relação equilibrada entre cavalo e cavaleiro. O adestramento constitui o ápice desta sintonia unido, é claro, a muita classe.

A Prova No Adestramento, o objetivo do cavaleiro é exercer, da forma mais suave possível, os comandos ao cavalo, que deve obedecer imediatamente. Os movimentos que o cavalo deve executar (figuras) são determinados por uma lista pré-determinada que recebe o nome de reprise. Cada reprise é composta por uma série de figuras que devem ser repetidas em ordem e tempo exatos. Atualmente existem cerca de vinte reprises reconhecidas pela FEI e seu grau de dificuldade varia conforme as figuras exigidas. Passo livre, mudança de galope simples, galope alongado e pirueta são exemplos de figuras. Antes de entrar na pista de competição, o animal é aquecido na distensão e se prepara fisicamente, aquecendo sua musculatura, e também psicologicamente, se concentrando no ginete. Durante a prova, o cavaleiro precisa estar muito 18

hton/FEI Foto: Kit Houg


concentrado. Qualquer distração pode colocar

verde-amarela a concursos de nível interna-

em risco o bom entrosamento do conjunto.

cional e revelado o potencial brasileiro, como

A apresentação é julgada por até cinco juízes que analisam a andadura, a impulsão, a

a conquista da medalha de bronze nos Jogos Panamericandos do Rio de Janeiro, em 2007.

submissão do animal e a postura do cavaleiro.

A modalidade é praticada principalmen-

As notas variam entre zero e dez e o resulta-

te nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro,

do final é a média das avaliações. Os juízes de

Paraná e Rio Grande do Sul, respectivamente.

Adestramento recebem um treinamento espe-

Anualmente, são realizados eventos de nível

cial e têm seu nível de responsabilidade segun-

regional, nacional e internacional.

do o número de horas de experiência. Três motivos levam à eliminação do con-

O Cavalo

corrente. Caso o cavalo salte sobre a delimi-

O cavalo deve ser forte e submetido a trei-

tação da pista, tenha uma defesa superior a

namento intenso, porque além de precisar de

20 segundos, ou, dependendo do nível da

muita força para exercer as figuras, ele não

competição, se alguém “soprar” a reprise que

deve demonstrar esforço na execução dos

deve ser exercida, o conjunto é imediatamente

movimentos, necessitando assim de força re-

desclassificado.

dobrada. Os cavalos começam a ser treinados

O Adestramento se divide em séries – Ele-

com 4 anos de idade e podem chegar aos 16

mentar, Preliminar, Média I, Média II, Forte e

anos competindo em grandes concursos. É

GP Internacional –- conforme o grau de difi-

entre os 8 e 12 anos que o animal

culdade das reprises.

encontra-se no auge de sua carreira, com musculatura e caráter

A História O adestramento (dressage) é uma moda-

desenvolvidos. As raças mais usadas no

lidade equestre regulamentada pela FEI (Fe-

Adestramento são de

deração Equestre Mundial) e que vem sendo

origem alemã e

disputada em Olimpíadas desde 1929.

holandesa, paí-

Até a década de 40, era praticado no Bra-

ses estes com tra-

sil por poucos atletas, sendo estes, em sua

dição no esporte.

maioria, oficiais do exército. Hoje o país con-

Dentre elas estão:

ta com um panorama bem diferente: a maior

Hanoveriano, Hols-

parte dos adeptos pertence à sociedade civil,

teiner,

o esporte se desenvolveu e ultrapassou fron-

Trakehner,

teiras. Em 2008, o Brasil enviou pela primeira

outras.

Oldenburg, entre

vez uma equipe para os Jogos Olímpicos e este ano, também pela primeira vez, estará presente com uma equipe nos Jogos Equestres Mundiais (WEG), maior evento do esporte equestre em todo o mundo. Cavaleiros como Luiza Tavares de Almeida, Renata Costa Rabello e Rogério Clementino têm levado a bandeira Foto: Karl Heinz Frieler / FEI

1919


O Cavaleiro No adestramento, o equilíbrio emocional é essencial. Características como persistência e

devem ser no estilo clássico, podem ser de roseta; contudo não podem ser bloqueadas.

dedicação são imprescindíveis para alcançar a

O uniforme, composto por culote branco,

perfeição dos movimentos. Além disso, é ne-

casaca escura, cartola, luvas e botas pretas, faz

cessário ter paciência e humildade, já que o ca-

com que o cavaleiro se pareça com um “pin-

valeiro é constantemente submetido a avalia-

guim”, e por esse motivo é apelidado assim. O

ção, tanto dos juízes quanto de seu instrutor.

cabelo deve ser curto ou preso em um coque.

O uso do chicote é proibido em todos os tipos de prova. As esporas são permitidas, mas

Nos níveis mais altos de competição, a casaca pode ser substituída por fraque.

Características do Cavalo de Adestramento: Média de 650 kg Jarretes sólidos Anca flexível Dorso forte Boa impulsão Pescoço longo e harmonioso Inteligência


Álb u m

Rodrigo Santana e Artur Meneghel - SC

Foto: Equipe Mundo Equestre

Hortência e Luana Mayumi Tone - SP

rvalho /CBH Foto: Ana Paula Ca

Luiz Felipe e Bete Azevedo - SP

Foto: Ana Paula Carvalho /Divulgação-CBH

Vitor Hugo Vargas e Alberto Bento - DF

Foto: Equipe Mundo Equestr e

O casal Simone Aita e Flávio Paim RS

Foto: Equipe Mundo Equestre

Reinaldo Ishida - PR

Foto: Grace Carvalho


Paula Lucio e Fernanda Portugal - PR

Equestre Foto: Equipe Mundo

Alvaro Coelho da Fonseca e Carol Borja - SP

Foto: Ana Paula Carva lho

/Divulgação-CBH

Grace Carvalho - PR

Luiza Almeida e seus avós Manuel e Gilberta - SP

Foto: Foto: Ana Paula Car valho /Divulgação-CBH

Gilberto Freire - PR

Foto: Equipe Mundo Equestre

Geovanne Rondon Vargas - DF

Foto: Equipe Mundo Equestre

Vinícius Santos e José Mario Moreira - SP

Foto: Equipe Mundo Equestre


eS P E C I A L Texto: Dr. Marcos Korukian | Fotos: Arquivo

Nutrição para Atletas A procura de alimentos que possibilitem um melhor desempenho ocorre desde o princípio da existência humana, quando surgiram os primeiros “atletas”: os caçadores e guerreiros. Na Grécia Antiga, era comum que os participantes das Olimpíadas ingerissem grandes quantidades de carnes com o objetivo de aumentar a massa muscular e a força. Atualmente, está demonstrado que a nutrição afeta

Os macronutrientes devem estar em equilíbrio. Os

o desempenho físico e que, associado ao potencial gené-

carboidratos, o principal substrato energético do nosso

tico e ao treinamento adequado, é um fator fundamental

organismo, devem contribuir com 60% - 70% das ca-

para o sucesso.

lorias totais. Sempre devem ser preferidas as opções integrais. Apesar das necessidades protéicas estarem au-

Nutrição durante o treino Manter uma alimentação adequada durante o treina-

facilmente suprida através de uma alimentação equilibra-

mento é uma das chaves para o sucesso nas competições.

da. Os lipídios devem completar o valor calórico diário,

O gasto energético na atividade física deve ser incluí-

sem ultrapassar os 30% recomendados nos guias de pre-

do no cálculo das necessidades energéticas, que levam em

venção de doenças cardiovasculares.

consideração também o metabolismo basal e a termogê-

O hábito de ingerir líquidos antes, durante e após a

nese dos alimentos. Dependendo da intensidade e duração

atividade deve ser introduzido e estimulado durante o

do treino a ingestão calórica necessária pode aumentar

treinamento, sempre em garrafas individuais e com vál-

consideravelmente. As necessidades devem ser estimadas

vulas.

levando-se em conta a modalidade praticada, a duração e a intensidade do treino.

24

mentadas durante a atividade física, essa necessidade é

Os horários das refeições e a seleção dos alimentos devem respeitar a disponibilidade do atleta.


Quando e o que comer antes do treino:

Sugestões de refeição:

A refeição que precede o treino deve:

Competição às 8 horas da manhã

• Permitir que o estômago esteja relativamente vazio

Na noite anterior, jantar rico em carboidratos e água extra.

antes do início da atividade

Na manhã do evento, entre 6h00 e 6h30:

• Prevenir ou minimizar alterações gastrintestinais

Refeição leve, 200 a 400 calorias (tolerância individual):

• Ajudar a prevenir a sensação de fome

iogurte + banana ou 2 barras de cereais ou suco de frutas + bolachas.

• Ajudar a prevenir a sensação de fadiga

Refeições maiores devem ser feitas com antecedência: 5h00 ou 5h30.

• Garantir o fornecimento adequado de energia (carboidratos) • Contribuir para um estado de hidratação adequado

Competição às 10 horas da manhã Na noite anterior, jantar rico em carboidratos e água extra. Na manhã do evento, às 7h: Café da manhã balanceado: frutas + leite ou queijo + pão / flocos de cereais + mel ou geleia. Se o atleta não suportar este volume, acrescentar um lanche reforçado na noite anterior.

Competição às 14 horas da manhã Evento o dia inteiro

Na noite anterior, jantar rico em carboidratos e água extra. Café da manhã completo e reforçado em carboidratos:

Dois dias antes reduza a intensidade dos exercícios e faça

(frutas + leite ou queijo + pão / bolo ou flocos de cereais + mel ou geleia).

repouso no dia anterior ao evento. Quando possível, reali-

Às 10h horas: refeição leve com massas + legumes + suco de frutas.

zar dieta de sobrecarga de carboidratos ou incluir porções extras de carboidratos em cada refeição. No dia do evento, organize refeições leves ricas em carboidratos a cada 2h

Competição às 20 horas da manhã

ou 3h, dependendo do tipo de prova. Consumir frequen-

Café da manhã e almoço completo e reforçado em carboidratos.

temente bebidas repositoras, mesmo que não sinta sede.

No fim da tarde, o atleta deve escolher uma das duas opções:

Em geral, uma alimentação sólida pode ser ingerida 3h

Opção 1: Jantar leve às 17h (massas + legumes + suco de frutas)

- 4h antes da atividade, o que permite o esvaziamento

Opção 2: Entre 18h e19h (iogurte + banana ou 2 barras de cereais ou

gástrico quase total, ao mesmo tempo em que diminui a

suco de frutas + bolachas).

sensação de fome. Recomenda-se a seleção de uma refeição de fácil digestibilidade, com predominância de carboidratos e menor proporção de proteínas e gorduras.

Devem ser evitados: Alimentos que causem flatulência, aumento da acidez estomacal e azia. Volume de alimentos que possa estimular a movimentação intestinal (peristaltismo) durante a atividade. Alimentos com alta concentração de açúcar que podem retardar o esvaziamento gástrico ou criar um efeito osmótico reverso, aumentando o conteúdo de fluido do estômago e provocando náuseas e câimbras. Altas doses de frutose podem provocar diarreia; Alimentos que, por experiência individual de cada atleta, já tenham provocado algum mal estar ou alteração gástrica.


INFORME Texto e Foto: Afonso Westphal

II CSN MD Horse Show Pelo segundo ano, o concurso realizado em Passo Fundo conseguiu superar as expectativas dos atletas, que além de participarem das competições, contaram com shows, jantares e um numeroso público expectador. Mais de 12 mil pessoas foram prestigiar o Centro Hípico e Haras MD durante os 3 dias de campeonato. Muitas destas

As categorias variaram de 0,60 cm até 1,35m, no Gran-

não conheciam de perto o hipismo e tiveram a oportunidade

de Prêmio que aconteceu no domingo (21/03). O GP Ban-

de ter uma primeira impressão invejável.

risul contou com 38 conjuntos que disputavam o troféu de

Contando com duas arquibancadas cobertas, restauran-

campeão e 16 mil reais para o grande campeão.

te, recreação infantil, área social além das pistas de competi-

Com uma pista extremamente delicada, apenas 03 con-

ção e distensão, o MD proporcionou aos atletas e convidados

juntos conseguiram chegar ao desempate somando 0 pontos.

momentos agradáveis e emocionantes, demonstrando mais

Representando São Paulo, o conjunto César Almeida e

uma vez a tradicional hospitalidade do povo gaúcho. Um dos destaques do MD HORSE SHOW estava em sua premiação: ao todo, 99 mil reais em espécie estavam em jogo.

26

Provas

o cavalo Brasileiro de Hipismo Acland Joter, conquistaram a primeira posição, com pista limpa no desempate no tempo de 42s70.

Participaram do evento 273 conjuntos, dentre eles,

Atletas da Federação Gaúcha de Hipismo, Daniel Ani-

cavaleiros do Uruguai e Argentina. Entre os top cavaleiros

cet montando Kia San Motors Branco van Dworse Hagen

nacionais, Nando Miranda, Flávio Bernardes, José Roberto

Gute e o conjunto Marcelo Chirico e CRM Watch Me con-

Reynoso, César Almeida, Caio Carvalho, marcaram pre-

quistaram a 2ª e 3ª colocação com pista limpa e os tempos

sença na competição.

de 43s32 e 44s32, respectivamente.


No sábado, (20/03), a principal prova foi o Mini-GP Scapini Honda, a 1.25 metro e que contou com 25 concorrentes. O vencedor foi cavaleiro paulistano amador Sergino Ribeiro de Mendonça montando Olinda JMen. O conjunto cruzou a linha de chegada do desempate com pista limpa em 47s95. O gaúcho Rocco Spina Neto ocupou a segunda colocação com o tempo de 46s35, porém com uma falta. A terceira posição coube a amazona anfitriã, Marina Dal Agnol com MD Reflex, pelas cores do Rio Grande Sul. Os percursos foram assinados pela course designer internacional, Marina Azevedo.

GP Banrisul 1,35m Nome 1 - CÉSAR ALMEIDA

Federação FHP

2- DANIEL ANICET

FGEE

3- MARCELO CHIRICO

FGEE

III CSN MD HORSE SHOW Segundo o proprietário do Centro Hípico, Mauricio Dallagnol,

Mini GP Scarpini 1,25m

o grande ponto positivo de promover o evento é poder notar a

Nome

Federação

satisfação tanto dos atletas quanto do público. Para 2011, Maurí-

1-SERGINO RIBEIRO DE MENDONÇA

cio promete que o concurso ficará ain-

2-ROCCO SPINA NETO

FGEE

da melhor: “Para quem ainda não veio,

3-MARINA DAL AGNOL

FGEE

FHP

dêem a chance de se encantar no Centro Equestre e Haras MD. Esta é a nossa missão, tentar encantar.”

Mini GP 1,10m C.V.I Refrigerantes Nome 1-THAINAN TELES DE SOUZA FERREIRA 2-THEODORA GHIZONI JUNCKES

O proprietário do Centro Equestre e Haras MD Maurício Dallag’nol e sua filha Marina

3-MICHELLE WISCINIEMSKI DA SILVA

Federação FGEE FCH FGEE

27


INFORME Texto: Assessoria Gustavo Borges

Os grandes Saltos de Gustavo Borges Medalhista olímpico, hoje empresário, fala de suas conquistas na água e na carreira empresarial e conta um segredo: Gustavo Borges já foi cavaleiro A natação brasileira está em excelente fase, com as conquis-

Empresário A frente do tempo, Gustavo construiu sua história no esporte com dedicação e pensando na vida futura. Treinando fora do Brasil, nos Estados Unidos, aproveitou para cursar Economia pela renomada Universidade de Michigan.

tas de Cesar Cielo no Mundial em Roma e nas Olimpíadas de

Os estudos lhe ajudaram para que hoje, seis anos após ter

Pequim. Mas essa história começou há alguns anos, muito pela

parado de competir, ele se transformasse em um empresário,

influência exercida sobre essa nova geração de excelentes na-

que administra ao lado dos sócios, o também ex-nadador olím-

dadores vinda do maior medalhista olímpico desse esporte no

pico Renato Ramalho, Gustavo Pinto e Felipe Malburg, quatro

país, o paulista Gustavo França Borges. “Barcelona, Atlanta com

academias que levam o seu nome. Três são no Paraná - duas em

duas medalhas e Sidney. Não tem como esquecer estas conquis-

Curitiba e uma em Londrina - e a outra em São Paulo, cidade

tas que mudaram a minha vida para sempre”, lembra Gustavo.

onde reside com sua mulher e dois filhos.

Tranquilo, simpático e de figura bastante marcante, afinal

Em 2005, junto com o professor e psicólogo William Urizzi

são 2,03 m de altura, Gustavo é antes de tudo um homem rea-

de Lima – ex-técnico da seleção – criou uma metodologia para

lizado com suas conquistas, bastante focado em desenvolver o

a sua academia de ensino e treino da prática de natação. “Ela

seu futuro e o daqueles que o rodeiam. “Sempre que posso mi-

pode ser aplicada em academias, clubes, escolas de natação,

nistro palestras e converso com os jovens que estão começan-

independente do tamanho da piscina”, informa. O método deu

do a dar as primeiras braçadas, ou até mesmo participando dos

tão certo que hoje está presente em 90 municípios brasileiros,

primeiros campeonatos. O Brasil tem um potencial excelente,

15 Estados, atendendo a mais de 15 mil alunos e formando mais

pois temos uma história de muita garra, e isso com certeza

de 2 mil professores.

reflete na trajetória dos muitos nadadores brasileiros”, ressalta.

Atualmente, além de comandar seus negócios,

Para seguir carreira como um nadador, Gustavo orienta

é autor de livros, comentarista de natação da Rede

que não é preciso apenas ter força de vontade, como também

Globo e Vice-Chariman do Comitê de Atle-

muita disciplina e responsabilidade. “Assim como no hipismo,

tas da Federação Internacional de Natação, a

esta é uma modalidade que exige muito do atleta, tanto físico

FINA.

como mental. Por isso é preciso muita concentração. Um des-

“O esporte me ensinou a sempre buscar

vio sequer pode atrapalhar o atleta durante a prova”, explica

a excelência, a ser competitivo e a ser

ele com experiência. Afinal, Gustavo França Borges também

incansável. Assim vivo minha vida”,

tentou, por alguns meses, ser cavaleiro. “Na infância experi-

sintetiza o Atleta.

mentei o hipismo e a natação. Meu tamanho acima da média acabou impedindo meu desenvolvimento nessa modalidade, então continuei só nadando”, relembra


per g u n ta v eteri n á ria Medica Veterinária Andréa Panza

Meu cavalo levou um grande escorregão e agora está saltando mal e muitas vezes se recusa a saltar. Por quê? Pergunta feita por Lourdes Vasconcelos

Neste caso, um exame clínico minucioso pelo Médico Veterinário de sua confiança será muito bem vindo. Mas alguns fatores como quedas, escorregões, traumas que causem torções ou grandes estresses que provoquem movimentação da articulação sacroilíaca (localizada na região central da garupa ) podem causar uma subluxação ou distenção da mesma fazendo com que o cavalo tenha uma diminuição no desempenho, relutância ou perda de entusiasmo pelo trabalho e / ou perda de fluidez e sincronia ao saltar. Pode-se observar também claudicação, que é causada pela inflamação da instabilidade articular e dor na região devido ao espasmo ( rigidez) da musculatura periférica. Deve-se ficar atento, pois quando a continuidade da articulação é afetada pode causar dor crônica.

Envie suas perguntas para redacao@mundoequestre.com.br ou para a rua Des. Motta, 2175/502 - Centro, CEP 80420-190, Curitiba-PR.

C u rio s idade s Por Marcela Martins, MV, CRMV-PR 5285 Marcelo Miranda, MV, CRMV-PR 4407

1 2 3 30

Cavalos Puro Sangue Inglês que correm em pistas em sentido anti horário, devido a dureza do piso e principalmente ao alto impacto, podem fraturar a terceira falange, mais comumente na asa lateral deste osso no membro anterior esquerdo. Preventivamente, a utilização de dispositivos amortecedores como ferraduras de alumínio e palmilhas podem ser de grande valia

Cavalos com a sola chata podem apresentar esta conformação, entre outras situações, devido a resquícios de laminite. Sendo assim, um bom exame médico veterinário é fundamental na compra de um cavalo.

Uma das causas da artrite traumática em cavalos de esporte é o pobre condicionamento físico dos mesmos. A falta de preparação dos cavalos leva a fadiga muscular, o que provoca movimentos descoordenados e as super extensões articulares ocasionando os traumas e os danos articulares.


iN F O R M E


c l í n i c a v eteri n á ria

Sobre a Laminite Por Bruna Dzyekanski - Médica Veterinária. Aluna do Mestrado em Ciência Animal da PUCPR

A laminite é uma doença muito comum em equinos e de extrema importancia, pelas consequências trágicas que pode resultar. É vulgarmente conhecida como “aguamento” e pode acometer tanto equinos quanto bovinos. Trata-se de uma inflamação das lâminas localizadas na parte interna do casco, podendo evoluir para rotação ou queda do osso que sustenta o casco, a terceira falange, incapacitando o animal ou levando-o a morte. Normalmente a inflamação ocorre em todos os cascos, mas pode acontecer somente nos traseiros ou somente nos dianteiros, e até mesmo em um único membro. De qualquer forma, geralmente os cascos dianteiros são os mais acometidos. As causas da laminite são inúmeras, como altas concentrações de carboidrato na dieta, após um quadro severo de cólica, ingestão excessiva de água gelada por um animal que acabou de fazer exercício físico, após uma doença infecciosa (pneumonia, pleuropnemonia, diarreias), trabalho exagerado em superfície dura, e até mesmo por motivos metabólicos como obesidade gerando síndrome metabólica. Cavalos idosos podem apresentar episódios repetitivos de laminite em função de adenoma pituitário, neoplasia que acomete a glândula pituitária nesses cavalos. 32


O processo pelo qual ocorre a inflamação das lâminas do

sanguínea da lâmina dos cascos e na diminuição da tensão

casco ainda não está bem elucidado. Contudo, entende-se

sobre estas por meio de casqueamento e/ou ferrageamento

que o início pode ser uma alteração na flora intestinal do ani-

corretivos. Portanto, o tratamento de um cavalo com laminite

mal, fazendo com que aumente o crescimento de bactérias

deve ser realizado em equipe, constituída por um médico vete-

produtoras de ácido láctico, as quais acidificam a mucosa in-

rinário, um ferreiro, cavalariço e proprietário, havendo, muitas

testinal. Com isso, a barreira da parede intestinal é danificada

vezes, a necessidade de uma equipe de enfermagem.

e as chamadas endotoxinas atingem a circulação sanguínea. A

Contudo, na maioria das causas já citadas, a laminite se

absorção dessas substâncias poderá causar diminuição da per-

dá devido a problemas de manejo, dos quais devem ser ava-

fusão sanguínea para as lâminas do casco do animal, causan-

liados com muita atenção pelos médicos veterinários, mas

do dor e consequente constrição dos vasos sanguíneos inter-

principalmente pelos proprietários, pois podem ser evitados.

nos do casco. Enfim, ocorre falha na adesão da lâmina (tecido)

Estes devem estar cientes de que é possível evitar danos que

com a terceira falange (osso), fazendo com que o osso fique

podem ser irreversíveis e fatais. Também, quando da ocorrên-

solto e seja empurrado com o peso do animal, podendo então

cia de uma situação que pode resultar em laminite, medidas

ocorrer a queda ou a rotação da terceira falange dentro do

preventivas podem ser adotadas pelo médico veterinário antes

casco. Quanto mais grave for a doença causal, maior será esse

de surgirem sinais clínicos, podendo assim até mesmo evitar o

deslocamento, podendo chegar ao atravessamento desse osso

surgimento do quadro clínico de laminite.

pela sola do casco e até mesmo o desprendimento do casco.

Deve-se entender que o cavalo é um animal muito sensí-

Os sinais clínicos mais comumente observados na laminite

vel. Com isso, necessita de cuidados especiais durante treina-

são a dor com consequente claudicação, posição típica de jo-

mento, na alimentação, bem como seus hábitos e ambiente

gar o peso do corpo nas patas traseiras a fim de aliviar a tensão

em que vive.

nas dianteiras, cascos quentes e pulso digital. Sobretudo, a laminite deve ser considerada uma emergência clínica, pois se tratada antes da rotação da terceira falange acontecer o animal terá mais chances de recuperação e sobrevivência. A primeira medida a ser adotada pelos responsáveis, identificando um cavalo com dificuldade em se locomover, é procurar eliminar uma provável causa. Por isso, o médico veterinário deve ser acionado imediatamente para procurar definir a causa da laminite. O profissional atuará principalmente no controle da dor, administrando antiinflamatórios, na irrigação


N O T ÍC I A S

Fonte: Imprensa CBH | Rute Araújo

Boleteiras

Fotos de Ney Messi/Divulgação

Peso-pesados

Soizic de Guerloch: Grande Campeã Bretã

Foi um sucesso a presença dos cavalos peso-pesados na Emapa, em Avaré (SP), entre 5 e 7 de março. Bretão e Percheron realizaram exposições nacionais, o Clydesdale promoveu sua 7ª mostra no País e as três juntas fizeram demonstrações de funcionalidade e Atrelagem, além da I Feira de Cavalos de Tração. Julie Gobert, Diretora Técnica de Fomento do Bretão no Stud Book do Syndicat du Cheval Breton na França, foi a responsável pelo julgamento morfológico do Bretão. Susana R. Cintra foi a juíza da raça Percheron. Os destaques do Bretão Em sua 11ª Exposição edição, a Nacional do Bretão reuniu 35 animais de 11 criadores. Cláudio Borja, da Estância São Francisco de Borja, de Amparo (SP), conquistou os títulos de “Melhor Criador” e “Melhor Expositor”. A Grande Campeã da raça foi Soizic de Guerloch, exposta por Charles Max Nascimento Almeida e o Grande Campeão Renard de Beaufort, exposto por Anis Razuk. A Associação Brasileira do Cavalo Bretão tem sua sede na cidade de Amparo (SP). O site oficial é: www. cavalo-bretao.com.br, contatos pelo fone (19) 3807-7974 com Susana.

34

Modelo de boleteira permitido pela Confederação Brasileira de Hipismo

Neste ano novas regras foram determinadas pela CBH quanto ao uso de boleteiras para provas de salto. O novo regulamento aplica-se às provas de Cavalos Novos e nas alturas até 1,25 metros, em todas as suas categorias. A partir de agora todas as proteções posteriores devem possuir no máximo 15 cm de altura vertical, seja na parte exterior, interior ou posterior. Sua altura vertical mínima na parte frontal deve ser de 5 cm. A face interior de proteção deve ser lisa, sem asperezas ou saliências, e possuir fixação com velcro. A face áspera do velcro deve ser sempre voltada para o lado externo, e a tira não pode envolver mais do que 2/3 da circunferência do boleto do animal – isto é, não pode dar uma volta completa no mesmo. A boleteira não pode mais ser fixada com elásticos, pinos, ganchos, argolas, fivelas ou similares. Além disso, a parte arredondada da proteção deve ser colocada ao redor do interior do boleto. A razão destas normas é forçar os concorrentes a utilizarem as boleteiras apenas como material de proteção, e não como um estimulador. As boleteiras com ganchos e similares podem causar bastante pressão nos membros do animal. De um lado isto força o cavalo a dar saltos melhores; mas infelizmente isto pode machucá-lo seriamente, principalmente se for jovem ou pequeno – esta é a razão pelas leis serem mais específicas para cavalos até 7 anos. Atualmente apenas um modelo de boleteira seria permitido em eventos – o Eskadron (ou similares, como Doma Básica ou Hipos). Os modelos Veredus Olympic ou de duas tiras, por exemplo, não seriam aceitos.

x

x


Fonte: Imprensa CBH | Rute Araújo e Carola May

Hipismo Brasil

Foto: Equipe Mundo Equestre

Foto: Ana Paula Carvalho/Divulgação CBH

CSN Lago Sul

A amazona Siew Chiang

O primeiro CSN do Centro Hípico Lago Sul, Copa Lago Sul CMV, Jorge Gerdau Johannpeter foi homenageado por Luiz Roberto Giugni, presidente CBH

Jorge Gerdau Johannpeter, Manuel Tavares de Almeida Filho e Victor Oliva tiveram um programa em comum na noite de sexta-feira, 5 de março: foram aplaudir a condecoração e homenagem aos filhos no “Prêmio Hipismo Brasil 2009” no Salão Nobre do Jockey Clube de São Paulo. O evento promovido anualmente pela Confederação Brasileira de Hipismo condecorou amazonas e cavaleiros vencedores do Ranking CBH 2009 em 7 diferentes modalidades: Adestramento, Equitação Especial, CCE, Enduro, Rédeas, Salto e Volteio. Homenagens do “Prêmio Hipismo Brasil 2009”

Na ocasião, foram homenageados quatro cavaleiros medalhistas Olimpicos: Luiz Felipe de Azevedo foi o único presente na festa. Álvaro Afonso de Miranda Neto, o Doda, em fase de competições na Europa foi representado pelo pai Ricardo Miranda. Rodrigo Pessoa, competindo nos Estados Unidos, foi representado pelo pai Nelson Pessoa Filho, o Neco, e André Johannpeter, em viagem de negócios foi representado por seu pai Jorge Gerdau Johannpeter, também homenageado da noite. A CBH homenageou, ainda, Carlos Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e as entidades Clube Hípico de Santo Amaro e Jockey Club de São Paulo. Cavaleiro e técnico olímpico, Neco Pessoa recebeu uma homenagem com a instituição do “Troféu Nelson Pessoa Filho” que caberá ao campeão do Ranking de Salto da categoria Sênior Top. “Prêmio Hipismo Brasil 2009” (Confira alguns dos ginetes premiados) Adestramento: Especial Sênior Top – Luiza Tavares de Almeida Salto: Grande Prêmio Sênior (1.50m /1.60m) - Francisco J. Mesquita Musa (FPH) Enduro: Velocidade Livre, Categoria 3* - Fernando Gonçalves Costa (FHBr) CCE: Máster – Ten. Oli Rosa - Comissão Desportos do Exército (CDE) Rédeas: Melhor Cavaleiro Aberta – Paulo Koury Neto

realizado nos dias 19, 20 e 21 de março pela Federação Hípica de Brasília, foi um sucesso de público e de participação. Com aproximadamente 240 conjuntos o Centro Hípico lago Sul contou com cavaleiros e amazonas de alto nível. Nas séries mais altas, houve a participação de atletas campeões nacionais e internacionais. No sábado, dia 20, foi realizado um churrasco para os atletas e convidados. O concurso contou com um público presente de cerca de 300 pessoas que desfrutaram de muita alegria e emoção nos três dias de prova. Este foi o primeiro concurso nacional realizado nas dependências do Centro Hípico Lago Sul, localizado no Distrito Federal. Segundo Siew Chiang, campeã da categoria Mini-mirim, o campeonato estava bonito. “Achei que no último dia a prova estava mais difícil, mas confiei nos cavalos. Fiquei muito feliz de ter sido campeã e vice-campeã na minha categoria”, comenta a amazona.

35


Sorteio do mês Há mais de catorze anos no mercado, a Selaria Dias tem a satisfação de atendê-lo. Localizada na Avenida Visconde de Guarapuava 2227 em Curitiba, nossa loja tem o compromisso de proporcionar conforto e bom atendimento aos clientes, com informações e produtos de qualidade.

Manta e cabresto

Sorteada de março Vanessa Severo

Para concorrer aos prêmios sorteados pela Revista Mundo Equestre, você deve seguir três passos: • Entrar no site www.mundoequestre.com.br • Clicar em sorteio e selecionar a opção: Não sou cadastrado • Após realizar o cadastro, inserir o número identificador no campo correspondente. Importante: Se você já for cadastrado, você deverá entrar no site e digitar seu número identificador, a fim de revalidar sua participação para o mês correspondente. Boa sorte!

Livro “A Arte de Tratar Cavalos de Esporte“, escrito por Paulo Porto

Perfil

Por Sarah Westphal

“O

sonho de ser um grande cavaleiro torna o hipismo a razão

principal de minha vida”. É com essa clareza que o cavaleiro Said Felix, 13 anos, define o significado do esporte em seu dia a dia. Muito mais que um hobby, o hipismo se tornou um objetivo na rotina deste atleta que desde 2006 vem acumulando títulos relevantes. Said é o atual Vice Campeão do CSN Torneio de Verão (II Etapa, Santo Amaro – São Paulo), foi Campeão Brasiliense de PréMirim 2009 e Bi-campeão da Copa JK de Hipismo e do Ranking 2006/ 2007. Embora já acompanhasse seu pai em competições desde muito pequeno, Said começou a montar aos nove anos e hoje divide seu tempo entre as pistas, o colégio e as aulas de inglês. Para ele, a melhor parte do hipismo é a emoção que as competições proporcionam. “Num momento de decisão, como um desempate, a adrenalina vai ao ápice. Ao chegar ao padoque, o coração dispara e a pulsação vai a mil.” Entre os cavaleiros que mais aprecia estão Rodrigo Pessoa e Vitor Alves Teixeira e também seu próprio pai. “Espelhei-me nele e hoje tenho meu pai como técnico e meu grande incentivador”.

• Nome: Said Felix • Idade: 13 anos • Onde monta: 1º RCG – SMU – Brasília, DF • Categoria: Mirim – 1,20 • Principal montaria:  Hollister


Teu Mundo Equestre

Mostre sua paixão pelo mundo equestre! Não importa a idade, se você ama cavalos e tem algum desenho ou foto que deseja compartilhar, mande para nós. Sua imagem será publicada nesta seção, e todos vão poder conhecer um pouquinho do seu mundo equestre.

“Meu nome é Tatiane Mendes, tenho 9 anos e adoro desenhar. Um beijo pra Mundo Equestre!”

“Oi, sou a Daniele da Silva e moro em Guabiruba-SC. Tenho nove anos. Esse é meu cavalo e o potrinho dele.’

“Meu nome é Isadora M. Riffel, moro em Santa Catarina e adoro cavalos pintados. Esse eu fiz especialmente pra Mundo Equestre!”

38

“Meu nome é Júlia, tenho 8 anos e desde pequena amo cavalos. Eles são lindos, carinhosos e comem muito verde.”

Para enviar on line, entre em nosso site e clique em “Teu mundo equestre”. Se você preferir, mande uma carta para Rua Visconde do Rio Branco - 1630 - 705, Curitiba - PR, CEP 80420-210.


q u adri n h o s

Ilustração: Aline Rosa Garbellotti

39


Classificados Anuncie. Ligue

Tel. (41)

41

3203.1960

3266-6644

SHPr - Br 116, Km 93 Tarum達 - Curitiba-PR.

Falc達o Transportes

Caminh達o para 8 e 9 animais.

41-3627.1582 / 41-9946.8295

falcaotransportes@gmail.com

Selaria

Tito Schier Tel. (41)

3248.9020

Av. Rep. Argentina, 4186 - Curitiba PR


Classificados Anuncie. Ligue

41

3203.1960

Soluçþes em contabilidade e cobrança Atendemos todo o Brasil 41-3027.8675 www.almagro.com.br almagro@almagro.com.br


AGENDA

Abril COPA GERDAU 2ª ETAPA LIVRAMENTO Local – HÍPICA DO VALE – NOVO HAMBURGO

10 e 11

CSN SPORTV – 1ª ETAPA Local – FAZ. STA IZABEL

CSE RANKING FHPA Local – SHPA

CSN PRÉ-JUMP – PORTO ALEGRE  Local – SHPA

16 a 18 

CSN SOCIEDADE HIPICA DE RIBEIRÃO PRETO Local – SHRP

30 a 02 

CSI-W THE BEST JUMP Local – SHP

Rolex WORLD CUP finals Local: SUÍÇA – GENEBRA

CDI 3* - SÃO PAULO / CAN Local – Centro HÍPICO DE SANTO AMARO

14

II ETAPA - RANKING ADESTRAMENTO SHP / QUARTA-FEIRA Local – SHP

SP

CDI 3* - SÃO PAULO / CAN LOCAL – SHP

RJ

24 E 25

CAN – CDE - DEODORO LOCAL: EXÉRCITO

ENDURO 10

14 A 18

08 A 11

16 a 18

RS

S Ã O PA U L O

II ETAPA DO RANKING INTERNO DE SALTO DA SHP Local – SHP

29/04 A 02/05

III ETAPA RANKING FHB Local – EQUUS/CHUIN

ADESTRAMENTO

10

16 a 18

42

AL

PA R A N Á

09 A 11

BA

PROVA INTERNA - ESCOLA DE EQUITAÇÃO DO CHSA Local – CHSA

S Ã O PA U L O

10 e 11

II ETAPA - RANKING SHP / LOCAL – SHP

CSN MACEIÓ Local: ACCOAL

17 A 18

3ª ET. DO ranking DA FHBR Local – C. h. DO PARQUE

24

III ETAPA DO RCCS da liga catarinense de hipismo Local - CEHIP

23 a 25

CSN CIDADE DE CURITIBA Local – SHPR

17, 18 e 21 DF

II ETAPA RANKING INTERNO SHC – BETO RAPOSO Local – SHC

23 a 25

SUÍÇA

08 a 11

SC

CSE 2ª ETAPA DO RANKING SHPR Local – SHPR

ETAPA RANKING INTERNO Local – CHSA 

9 a 11

10

17 e 18

SP

HIPISMO

CAMPEONATO PAULISTA DE REGULARIDADE E DE VELOCIDADE LIVRE 2ª ETAPA



Revista Mundo Equestre | Abril 2010