Page 1

www.mundoequestre.com.br

Bem-estar para cavalo e cavaleiro.

Número 50 | Junho 2012

Nesta Edição #50

R$ 11,90

Especial

O criador Tamborini

Priscila Azevedo

O bom proprietário

Entrevista

Laura Kraut

A trajetória da amazona olímpica norte-americana Pé no estribo: Conheça as peculiaridades dos cavalos linfáticos


NOVO MOTOR TURBO DIESEL V6 COM 256 CV

CÂMBIO 8 MARCHAS COM TROCAS SEQUENCIAIS NO VOLANTE1

Top Car FLORIANÓPOLIS 48 3028.5111

BLUMENAU

47 3037.5111

BALNEÁRIO CAMBORIÚ 47 3056.8720

TETO-SOLAR PANORÂMICO2

7 LUGARES PARA ADULTOS


SISTEMA DE ENTRETENIMENTO TRASEIRO COM DUAS TELAS INDIVIDUAIS DE 8”2

SISTEMA DE ÁUDIO HARMAN KARDON 17 ALTO-FALANTES COM 825W2


caro leitor, Para desenvolver esta edição, tive o prazer de conhecer um dos maiores criadores de cavalos do mundo, o simpático Luis Tamborini.

Com muitas histórias e cavalos campeões em sua bagagem, na seção especial, descubra como o quesito honestidade fez com que este argentino ganhasse o mundo através de sua criação. Na seção esporte, nossos holofotes são direcionados a Porto Alegre, em uma cobertura especial do The Best Jump 2012. Sediando pela primeira vez uma Copa das Nações, confira os detalhes que tornaram esta edição do concurso uma das mais prestigiadas de todos os tempos. Como entrevistada, trazemos especialmente para as amazonas brasileiras o conhecimento e belo exemplo de Fair-Play da atleta norte-americana Laura Kraut. Bem-humorada e com muita ética, Laura explica pontos importantes da sua carreira, como o inseparável Cedric e a conquista da medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim, em 2008. A cada edição Mundo Equestre finalizada, nossos esforços se fixam em buscar que aspectos podem ser incrementados para entregar a você uma revista cada vez mais completa e envolvente. Nesta edição, optamos por conferir ainda mais dinamismo e elegância a revista no intuito de oferecer ainda mais conforto e beleza a sua leitura mensal. Em nome da redação, agradeço o amplo apoio que temos recebido de atletas, colaboradores, patrocinadores, colunistas e entidades. A missão de divulgar os encantos e as belezas do cavalo é fascinante e felizmente cada vez mais pessoas fazem parte deste projeto. Seja bem vindo a Mundo Equestre.

Uma ótima leitura.

Editor


Índice 10 14 18 20 32 36 41

Entrevista

Laura Kraut

10 .

saiba mais

Uma noite no museu pé no estribo

O cavalo linfático esporte

The Best Jump

14 .

priscila azevedo

O bom proprietário quarto de milha

GP de um milhão

20 . eduardo moreira

Aprendizado

46 22 24 31 43

álbum pERFIL Monzon notícias

expediente Edição

Redação

arte e diagramação

Afonso Westphal

Afonso Westphal

Editora BemAmostra

direção EXECUTIVA E

Assitente de redação

Revisão

marketing

Manuela Merico

Manuela Ghizzoni Capa

Raphael Macek Departamento comercial

comercial@mundoequestre.com.br

Lays Coutinho Manuela Ghizzoni Equipe veterinária

MALA DIRETA PARA: Sociedade Hípica de Brasília Sociedade Hípica Paranaense Sociedade Hípica Catarinense Sociedade Hípica Porto Alegrense Sociedade Hípica Paulista (no clube) Sociedade Hípica de Ribeirão Preto Criadores Brasileiro de Hipismo

Pedro Vicente Michelotto Jr. Bruna Dzyekanski

assessoria Jurídica

Merico Advogados 8

Rua Visconde do Rio Branco 1630, sala 705, Centro. CEP 80420 210 Curitiba, PR. redacao@mundoequestre.com.br ou ligue: 41 3203.1960

Todos os direitos reservados. Artigos assinados não representam necessariamente a opinião da revista.


Paddock Selecionamos algumas opções de produtos e serviços que podem tornar seu dia a dia ainda mais interessante.

Armani Conforto e design atraente são as principais características dos elegantes relógios da grife Empório Armani. Os produtos são fabricados com enfoque em três regras de ouro: eliminar os supérfluos, enfatizar o conforto e reconhecer a elegância do descomplicado. O modelo analógico clássico é produzido em couro e possui a caixa em aço, sendo ideal para ocasiões formais. www.grupodumont.com.br

By Gucci A renomada grife Gucci traz em sua coleção “1921” uma homenagem ao criador da sofisticada marca, relembrando a herança e tradição da maison italiana. As charmosas bolsas reproduzem clássicos como a New Bamboo e New Jackie. Um dos destaques é a peça Horsebit Chain, adornada com elementos equestres, como bridão e fivelas. Conheça outros modelos em: www.gucci.com

corcel negro A coleção de joias “Corcel Negro”, da estilista brasileira Camila Klein, é inspirada na vida ao campo e especialmente nos esportes equestres. As peças refletem um estilo de vida longe dos excessos das grandes metrópoles e privilegia o contato com a natureza e os animais. Entre os destaques estão os cristais Swarovski aplicados cuidadosamente e os pingentes de ferraduras. www.camilaklein.com.br

Ponta dos Ganchos A apenas 40 km de Florianópolis, o Ponta dos Ganchos Resort está localizado no Arquipélago do Arvoredo, em uma praia exclusiva e rodeada por pequenas ilhas. Com um ambiente que une requinte e natureza, o resort é um dos refúgios mais românticos do Brasil, voltado para casais que buscam privacidade e conforto. Ao todo, são vinte bangalôs: os principais – Da Vila e Especial Da Vila – possuem jacuzzi e piscina privativa com vista para o mar. Reservas e tarifas disponíveis em: www.pontadosganchos.com.br


E N T R E V I S TA Texto: Mundo Equestre| Foto: Raphael Macek

Laura Kraut

amazona de ouro 10


Por quase duas décadas, Laura Kraut representa os Estados Unidos em Jogos Olímpicos e finais de Copa do Mundo. A cobiçada medalha de ouro veio em 2008 quando a atleta, junto com a equipe norte-americana de hipismo, conquistou o lugar mais alto do pódio nas Olimpíadas de Pequim. Como você iniciou no hipismo? Quando eu tinha apenas três anos, minha mãe

De todas as suas vitórias, qual foi a mais marcante?

começou uma criação, então eu naturalmente me

Com certeza a medalha de ouro em Hong Kong,

apaixonei por pôneis e cavalos. Ainda pequena ela

nas Olimpíadas de Pequim em 2008. O nosso time

me levou para minha primeira aula de hipismo. Minha

era muito unido, e como éramos amigos foi uma

irmã Mary Elizabeth também amou montar e desde

experiência inesquecível e muito gratificante. Esta

então, nunca mais nos afastamos dos cavalos. Faz

vitória foi realmente incrível.

muito tempo que nós trabalhamos juntas, enquanto ela é responsável pela parte técnica, gerenciando os funcionários e cuidando dos nossos animais, eu treino para as competições.

Como é a sua rotina de treino? Eu viajo muito para competições, mas quando estou em minha casa costumo montar quase todos os dias. Algumas vezes eu trabalho de segunda a domingo e

Os seus primeiros cavalos eram bons?

vou para uma disputa. Retorno. Monto de segunda

Eu comecei com pôneis. Os meus dois primeiros

a quinta e vou para outro campeonato. Como é uma

foram muito difíceis, mas mesmo quando eles me

rotina bastante puxada, planejo bem minhas férias para

jogavam para fora eu ainda os amava. Quando eu tive

aproveitá-las da melhor forma possível.

minha terceira pônei, no início eu não a queria porque considerava ela muito feia. Mas com o tempo ela se

Você tem filhos?

transformou no melhor animal do clube, apresentando um

Tenho um filho de 13 anos chamado Bobby, que

ótimo rendimento. Ela realmente me ensinou a competir

recentemente começou a montar para minha felicidade

e a aumentar o meu nível técnico, além de me tornar

(risos). Ele já viajou comigo para várias partes do mundo

reconhecida em frente aos meus futuros treinadores.

e, apesar de competir há pouco tempo, já conseguiu diversas vitórias. O Bobby está ainda adquirindo

Hoje quais são seus cavalos principais? Hoje minhas principais montarias são o Cedric e a

confiança e descobrindo as técnicas do hipismo. É algo muito engraçado e prazeroso de se assistir.

égua Teirra.

Como você analisa a importância da comunicação Como é a sua relação com o Cedric?

entre cavalo e cavaleiro?

Cedric é como se fosse meu filho, eu o considero

Pessoalmente considero essencial ter uma relação

um membro de minha família. Ele sempre age como se

forte. Quando você observa cavaleiros e cavalos que

estivesse feliz em me ver. É um cavalo incrível, um dos

estão juntos há anos, vê que eles estão confortáveis

melhores que já tive. Agora ele está com treze anos

um com o outro. Para mim, Cedric é um amigo. Eu amo

de idade, então estou tentando trabalhá-lo menos para

cavalos, os respeito e faço minha parte “bem feita”

manter sua saúde.

para que eles também queiram me ajudar.

11


Fotos: Stephano Grasso / GCT

Fotos: Stephano Grasso / GCT

Quais qualidades um atleta deve ter para se

todo esse maravilhoso conhecimento que ele possui.

tornar um bom cavaleiro?

Qualquer habilidade técnica que você imagina, ele

O mais importante é a determinação, o talento talvez

possui há sessenta anos.

venha em segundo plano. Se você possuir determinação, competitividade e ética conseguirá se destacar. Se o cavaleiro estiver disponível para trabalhar e se esforçar para isso, provavelmente o talento não seja tão vital.

Qual sua opinião sobre o hipismo brasileiro? Assumo que não conheço muito sobre o trabalho que fazem aqui, mas do que já vi dentro das pistas acho que os atletas fazem um trabalho muito bom.

Para você, qual o maior desafio dentro do hipismo? Na minha opinião, o grande desafio é encontrar

12

Já sofreu preconceito no esporte por ser mulher?

um cavalo e criar uma parceria que resulte em sucesso.

Não, porque nos Estados Unidos a maioria das

Tento ser uma profissional bem versátil e capaz de se

pessoas que montam são mulheres. Os homens

adaptar às mais diversas situações e aos muitos tipos

dificilmente montam, então seriam eles que sofreriam

de cavalos.

algum tipo de preconceito (risos).

Quando você iniciou no hipismo, costumava se

Qual é a importância de um bom trabalho de

espelhar em algum cavaleiro?

adestramento?

Eu cresci na América, então tínhamos figuras

Eu acredito que auxilia bastante na habilidade

importantes como Katie Prudent, Rodney Jenkins e

de controle e na comunicação, além de tornar o

George Morris. Infelizmente, não tive a oportunidade

cavalo mais forte e tonificado. Não costumo fazer

de conhecer o George quando ainda era nova. Mas

muitos trabalhos avançados de adestramento, porém

há quinze anos ele é como se fosse meu mentor. Nós

o trabalho básico, de solo, praticamos quase que

rimos disso porque eu só comecei a aprender agora

diariamente.


Reconhecimento Conhecida pelo espírito esportivo e ética dentro das pistas, Laura recebeu em 2003 o Prêmio Jack Kelly Fair Play do Comitê Olímpico dos EUA.

Quantas vezes você salta durante a semana? Quando não estou competindo, salto quase todos os dias, pois tenho vinte e quatro cavalos. Então segunda, terça e quarta-feira estou saltando.

Como você costuma saltar com seus cavalos? Se vou para uma competição, salto um ou dois dias antes. Costumo saltar baixo, mas depende do cavalo. O Cedric, por exemplo, nunca pula até uma semana antes da competição e sempre bem baixo, só para tirá-lo do chão. Cada cavalo tem seu jeito, e é função do cavaleiro detectar essas particularidades e respeitá-las.

Qual mensagem você gostaria de deixar para as amazonas brasileiras? Trabalho duro é muito importante. Se você realmente quer algo, defina seu objetivo, estruture seu planejamento e você irá alcançar. Outro exercício importante que pode auxiliá-la a melhorar sua montaria é observar o trabalho e as pistas de atletas que têm obtido sucesso. Depois tente copiar, fazer o que eles fazem.

Para você qual é a melhor parte do hipismo? Existem centenas de coisas boas no hipismo. Eu amo cavalo, as viagens, mas também gosto muito de competir. É muito animador tentar alcançar a medalha de ouro.


sai b a m ais Texto: Equipe Mundo Equestre | Foto: Divulgação / www.museumofthehorse.org

uma noite

no museu Estátuas de cavaleiros em bronze. Máscaras indianas para equinos. Selas chinesas feitas com madeira. Os itens que traduzem a milenar história entre cavalos e humanos podem ser contemplados no primeiro Museu Britânico do Cavalo. Ao contrário de países como a França, com seu Mu-

oportunidade de serem expostos, os artefatos estavam

sée Vivant du Cheval, e Estados Unidos que possui o

guardados longe dos olhares de admiradores da arte

International Museum of the Horse, no estado do Ken-

equestre. “A maioria dos objetos estavam mantidos

tucky, a Inglaterra não possuía um museu próprio sobre

em caixas em um cômodo na minha casa”, explica a

o tema – apesar de ter um papel importante na história

amazona.

equestre.

Após trinta anos reunindo artefatos equestres, Ca-

A criação do museu era um sonho antigo de Ca-

roline viu seu desejo começar a ser concretizado em

roline Baldock’s – uma das primeiras joquetas britâni-

2009, com a implantação do museu virtual (www.mu-

cas. A sua paixão por objetos relacionados aos cava-

seumofthehorse.org). Atualmente, a britânica luta na

los atravessou o mundo,

tentativa de montar a estrutura física do local para

transformando-se em uma

agregar a exótica coleção.

belíssima e rara coleção de

Dedicado à história, o Museu do Cavalo não pos-

peças oriundas de várias cul-

sui enfoque apenas nos artefatos e sim, na importân-

turas. Contudo, pela pouca

cia de contar ao público a trajetória desses animais

Para nós dois: Esta estátua de bronze contém detalhes incríveis, principalmente nas texturas da roupa do guerreiro e nos objetos ao seu redor. Um elemento interessante é a segunda cela presente no cavalo, que seria destinada à esposa do guerreiro. 14


Elegância a galope: Toda produzida em seda, esta manta pertencia a tribo turcomena Yomud e foi comprada no comércio de Asgabate, no Turcomenistão (país situado na Ásia Central). O objeto era utilizado durante as principais cerimônias tribais.

tão admirados no planeta desde a antiguidade.

Artefatos exóticos

“Um museu do cavalo precisa contar a evolução

O website possibilita que o internauta, de

do animal; a história do cavalo na guerra, no

maneira simples e ágil, tenha acesso à inúme-

transporte e no campo; o cavalo na mitologia

ras informações culturais relacionadas ao mun-

e literatura e em vários outros acontecimentos.

do dos cavalos. Na categoria Coleções, é pos-

Não é necessariamente sobre os objetos antigos,

sível conhecer dados históricos dos artefatos,

apesar deles também terem um papel importan-

pequenas curiosidades e também o valor dos

te”, enfatiza Caroline.

objetos.

Entre os obstáculos encontrados para a re-

Além de peças antigas, o museu contém

alização desse sonho, a colecionadora cita a

áreas dedicadas à literatura e mitologia. Os

dificuldade na arrecadação de recursos. “Um

apreciadores de uma boa leitura podem se

dos maiores desafios é arrecadar dinheiro para

aproximar de belos poemas, muitos deles escri-

adquirir uma propriedade exclusiva para esta

tos pela própria Caroline Baldock e inspirados

finalizade e instalar o museu. Constantemente

no cavalo, seja no seu lado emotivo, engraça-

estou em contato com possíveis investidores,

do ou mágico. Para conferir os objetos e saber

além de ter apresentado uma proposta ao Fó-

mais sobre o museu, acesse: www.museumof-

rum Equino Nacional”. Segundo Caroline, a

thehorse.org

extensa coleção de artefatos equestres na Inglaterra é mais do que suficiente para que a criação do museu físico seja uma ideia viável. “Temos pessoas com grande conhecimento equestre, temos competência na preservação e conservação de todos os tipos de materiais e nós possuimos habilidades de contar histórias e de tecnologia. Tudo que precisamos é uma pessoa ou entidade filantrópica disposta a investir”, explica.

nobreza: Esta estátua foi feita no Mali (sétimo maior país da África). Na época, possuir um cavalo era símbolo de status social. O cocar pontudo do cavaleiro mostra que a figura se tratava de um homem nobre. 15


Galeria Peculiar Confira a seguir alguns dos objetos mais interessantes e curiosos do Museu do Cavalo da GrãBretanha.

Material de peso: Nos rituais: Um dos itens mais peculiares da coleção é esse pequeno artefato pertencente à categoria de Xamanismo – cultura que possui práticas de cura oriunda dos ancestrais primitivos e indígenas ao redor do mundo. O objeto é um bastão de madeira utilizado durante as danças que ocorriam nas cerimônias da tribo Bamana, localizada na África.

Esta sela é considerada um modelo universal e foi utilizada na Primeira Grande Guerra Mundial. O objeto é feito de madeira e pesa cerca de 15 quilos.

Arcadia: Estima-se que a estátua do casal foi feita em Staffordshire, região da Inglaterra, entre 1800 e 1900. Durante essa época a natureza era muito apreciada e cenas de Arcadia, um paraíso terrestre fictício, bastante populares na sociedade.

Exóticas: No apoio: O estribo é feito apenas de ferro e possui um impressionante trabalho manual bastante detalhado. Pelo desgaste, acredita-se que o objeto tenha sido fabricado no século 18, em Mali.

16

As máscaras acima eram utilizadas para proteger os cavalos das moscas. A primeira foi feita na Índia e encontra-se em excelente estado. A segunda foi fabricada na província do Paquistão chamada Sind. O amarelo contrastante foi feito naturalmente, com uma solução que incluía cascas da árvore da mangueira e a flor da planta oriental conhecida como ‘myrobalan”.

16


17


p é n o estri b o - T o tt y Texto: Bartholomeu Bueno de Miranda, o Totty

o cavalo

linfático O cavalo linfático se caracteriza por ser um animal que apresenta menos energia que o cavalo normal. Ele age de maneira mais lenta aos comandos transmitidos pelo cavaleiro e geralmente precisa de atitudes mais enérgicas e precisas para responder ao ginete com precisão.

Para suprir esta “falta de energia”, existem no mercado inúmeras rações mais calóricas e diversos suplementos que ajudam o cavalo a estar mais disposto, sendo necessário, porém, cuidado para não exagerar na dose, uma vez que o excesso de suplementos pode trazer problemas de saúde ou até mesmo ser automaticamente eliminado pelo organismo do cavalo, não surtindo o resultado desejado. É importante ressaltar que para alterar a ração do animal, bem como oferecer algum tipo de suplemento, se deve consultar um veterinário de confiança.

Na prática Fazer um trabalho progressivo para este tipo de animal é o mais indicado, pois não podemos exigir muito dele durante o treinamento, afinal, sua reserva de energia é muito pequena e por isso devemos preservá-la para o momento da competição. Cavalos com menos “sangue” geralmente não atendem tão bem ao comando do cavaleiro, motivo pelo qual ao indicar uma transição (como trote – galope) devemos colocá-lo “para frente” e atento aos comandos da perna. Assim, a reação dele será mais rápida que o normal, para que o cavalo possa se condicionar a atender aos pedidos da perna na hora da prova.

O uso das esporas e do chicote Tendo em vista que é com a ação das pernas do cavaleiro que o cavalo é impulsionado para frente, o recurso mais usado para cavalos linfáticos é o uso da espora. Quanto mais lento o animal, maior poderá ser a espora. Entretanto, existem alguns fatores que nos mostram que quando a espora é utilizada de maneira errada, acaba trazendo efeito oposto ao desejado. 18


Quando se usa uma espora muito grande ou muito

Neste exemplo, cada vez que o cavalo não respon-

pontuda, no primeiro momento, obviamente se vê o

der ao comando de sua perna, é importante encostar o

efeito deste uso, pois ele reage bem, se engajando e

chicote na linha da perna, atrás das botas do cavaleiro,

demonstrando mais vivacidade. Entretanto, à longo

ou na garupa do animal, e em pouco tempo ele vai en-

prazo, acaba se tornando prejudicial. Estas esporas

tender o que você quer. Dessa forma, sempre que você

grandes e pontudas causam danos à pele do cava-

encostar a perna ele saberá o que fazer.

lo, resultando em feridas que depois de cicatrizadas fazem com que o animal não apresente mais sensi-

Trabalhar reunido

bilidade neste local, dificultando a performance do

É interessante que você trabalhe com este cavalo

conjunto no que diz respeito à obediência dos co-

de maneira mais “fechada”, ou seja, de forma reunida,

mandos.

para que ele não desperdice energia de forma aleatória,

Em muitos casos, é necessário uma cirurgia para retirar a pele morta que restou a fim de que o animal volte a apresentar sensibilidade no local.

mantendo parte de sua força para o momento da explosão, na hora do salto. Assim, é importante mantê-lo bem reunido, tra-

Portanto, se você necessita usar uma espora para

balhá-lo por um período de tempo mais curto e “para

que o cavalo responda melhor ao seu comando, opte

frente”, contrariando as características naturais de um

por uma mais leve e a utilize de maneira consciente.

cavalo linfático.

Não fique a pressionando o tempo todo, pois assim você irá confundi-lo e acostumá-lo com a falta de sensibilidade. Utilize com firmeza e precisão somente no momento necessário.

Fôlego Para dar fôlego ao cavalo linfático e para que ele tenha mais resistência, seria interessante dar aqueles “tiros”, como se fosse um cavalo de corrida, porém,

Treinamento

novamente é importante que se faça de maneira cons-

Para os cavalos linfáticos, em sua maioria é recomen-

ciente, somente por alguns metros em alta velocidade,

dado o uso do chicote comprido durante o treinamento.

em seguida voltando para a andadura anterior. Repe-

Entretanto, essas instruções devem ser utilizadas por um

tindo essa ação mais duas ou três vezes, irá auxiliá-lo a

profissional experiente ou sob a atenção do mesmo.

obter melhor condicionamento e entendimento sobre o

É importante frisar que o chicote não deve ser usa-

comando do cavaleiro.

do como instrumento de punição, mas sim como um reforço do comando passado pelo atleta. Assim, quando o animal não responder ao comando de perna, você

Distenção Sabendo que este cavalo não dispõe de tanta ener-

não precisará forçar o comando com a espora. Encoste

gia, ele não deve ser muito exigido no momento

o chicote atrás da perna do cavalo, para ele apresentar

da distenção (exercício realizado para aquecer o

um pouco mais de atitude, assim você o condicionará

animal momentos antes de entrar em pista). Dei-

também a responder quando utilizar a perna.

xe que ele se recupere depois de cada salto. Não imprima uma intensidade na sequência dos sal-

aprender por repetição É importante que os exercícios sejam realizados com

tos, dê um tempo para que ele retome o fôlego. Tomando estes cuidados, seu animal

muita paciência, pois o cavalo aprende por repetição e

contará com mais energia no momento

se você ensiná-lo com respeito e vontade terá um animal

da prova, tornando-se mais apto

condicionado e atento aos seus comandos sem uso de

para uma possível vitória. Desejo

violência.

boa sorte e bons galopes!

19


E s p o rte Texto: Equipe Mundo Equestre | Fotos: Divulgação Best Jump

The best jump 2012 O evento de hipismo mais tradicional da América Latina, trouxe a Porto Alegre disputas acirradas aliadas aos influentes nomes do esporte mundial. Realizado entre os dias 2 e 6 de maio na Sociedade Hípica Porto Alegrense, o belíssimo evento foi acompanhado por mais

grense possa realizar concursos maiores e continuar trazendo participantes europeus com cavalos próprios”.

de quinze mil pessoas que tiveram a oportunidade de assistir

Contudo, para transformar a vinda dos animais europeus em

provas de alto nível disputadas por atletas do mundo inteiro. Ao

realidade foi necessário também grande empenho da organização

todo, a competição ofereceu prêmio de R$ 550 mil elevando à

do concurso, especialmente na captação de recursos e patrocina-

categoria de nível quatro.

dores. Segundo Rodrigo La Rosa, responsável pelo marketing do

O The Best Jump reuniu na capital gaúcha os melhores ca-

evento, em comparação ao ano anterior, o investimento da com-

valeiros e amazonas de nove países: Brasil, Uruguai, Argentina,

petição aumentou consideravelmente devido à Copa das Nações.

Bolívia, Chile, Venezuela, Alemanha, Bélgica e França. Com oito

“O nosso maior desafio foi arrecadar o dobro dos recursos

competições internacionais, os destaques do evento foram o

planejados inicialmente. Para atingir o objetivo, além de au-

concorrido Grande Prêmio Bradesco Private Bank e a realização

mentar de quatro para oito patrocinadores de grande porte,

inédita da Copa das Nações. Para quem não pode comparecer

cresceu também o número de apoiadores. Felizmente conse-

ao local das provas, o canal SporTV transmitiu pela primeira vez

guimos ótimas parcerias que contribuíram para que o evento

as principais disputas.

se tornasse ainda mais bonito e completo tanto para os atletas

Com infraestrutura impecável, o The Best Jump não pou-

quanto para os competidores”, finaliza La Rosa.

pou esforços – e recursos – para possibilitar que atletas europeus

20

trouxessem seus próprios cavalos para competir na Copa das

Copa das Nações

Nações. Através da parceria com a Infraero, Anac e Luftansa foi

Grande atração da sexta-feira (4), a emocionante Copa das

possível levar até ao Aeroporto Internacional Salgado Filho um

Nações - Prêmio Gerdau – contou pela primeira vez com um

cargueiro especialmente estruturado para a vinda dos animais.

grupo de competidores europeus participando com cavalos

De acordo com a Presidente da Sociedade Hípica Porto Alegren-

próprios. Com obstáculos de 1,60 metro, desenhados pelo ale-

se, Maria Luísa Amodeo Daiello: “O trabalho árduo da organi-

mão Christian Wiegand, a prova foi realizada em dois percursos

zação em conjunto com a Infraero e Anac permitiram que, pela

na pista de grama.

primeira vez, um avião desse porte aterisasse em Porto Alegre.

Disputada até os segundos finais, a Copa das Nações con-

Esse fato abre as portas para que a Sociedade Hípica Porto Ale-

sagrou a delegação da França com o lugar mais alto do pódio.


1

2

1. A comemoração da equipe francesa pela vitória na Copa das Nações | 2. Estrutura lotada durante a realização do The Best Jump 2012 3. Salto de Yuri Mansur, cavaleiro que conquistou o índice olímpico após as boas performances durante o The Best Jump 2012.

3

Composta por Aymeric Azzolino, que zerou a prova nos dois

obtendo zero faltas e tempo de 39s73. Em segundo lugar,

percursos disputados, Marie Robert e Olivier Robert, a equi-

esteve o conjunto também alemão Tim Rieskamp-Goe-

pe francesa garantiu o ouro com apenas nove pontos per-

deking, montando Corvin 18 e com o tempo de 41s32,

didos. A prata ficou com os brasileiros Fabio Leiva, Geraldo

seguido pelo chileno Carlos Milthaler, com As Hyo Altane-

Lemos, Yuri Mansur e Francisco José Musa, que somaram

ro, no tempo de 41s78.

25 pontos. O terceiro lugar foi conquistado pelos alemães

Na opinião do vencedor do Grande Prêmio, Hans

Tim Rieskamp-Goedeking, Torben Kohlbrandt, Holger Wenz

Thorben Rüder, tanto a infraestrutura quanto a organi-

e Hans-Torben Ruder, com vinte e oito pontos perdidos. De-

zação do evento permitiram a realização de uma ótima

vido aos bons resultados durante a disputa, Yuri Mansur e

disputa. “Foi minha primeira competição fora da Europa

Francisco Musa conquistaram o índice olímpico.

e estava ansioso para saber como seria meu desempenho.

“Estou muito satisfeito com o índice, pois esta foi a prova

Fiquei muito satisfeito com a performance e agradeço aos

que o plano que tracei no início do ano estava certo. Quan-

organizadores por terem nos possibilitado disputar esse

do ficou decidido que as observatórias iniciariam no Torneio

importante concurso”, conclui Rüder.

de Verão, sabia que pelo fato de meu cavalo ter ficado em

O melhor resultado do Brasil ficou com o gaúcho Da-

repouso um bom tempo no ano passado, seria difícil estar

niel Anicet, sobre a montaria de Calypso, que finalizou no

competitivo de imediato. Usei as observatórias para colocar

tempo de 45s58 sem cometer faltas, garantindo a sétima

meu cavalo no melhor nível possível, fazendo os ajustes que

posição. O experiente César Almeida no dorso de Vanity

tinham que ser feitos. De acordo com meus planos, meu ca-

Império Egípcio registrou o segundo melhor tempo do de-

valo deveria começar seu ápice no CSIOW em Porto Alegre.

sempate, 40s16, mas terminou na nona colocação após

Conquistar o índice foi a resposta que esperava para decidir

uma falta no último obstáculo.

se seguiria ou não rumo à Europa”, finaliza Yuri.

Mini GP Bradesco Private Bank

GP Bradesco Private Bank

Realizado durante a quinta-feira (03/05), o Mini-GP con-

O GP Cidade de Porto Alegre contou com 47 conjun-

tou com obstáculos de 1,45 metros de altura e aconteceu

tos inscritos de oito países. Quatorze foram para o desem-

na pista de grama. A prova teve as cores verde e amarela

pate, sendo quatro brasileiros.

predominando no pódio.

Realizado na pista de grama e com obstáculos a 1,60

Na primeira posição, consagrou-se o brasileiro Lourenço

metro, o GP Cidade de Porto Alegre teve a bandeira da

Vieira da Silva, sobre a montaria de Pia Lena Jmen, com o

Alemanha estampada na primeira e segunda posição. O

tempo de 66s68. Logo em seguida, esteve Rodrigo Mari-

cavaleiro alemão Hans Thorben Rüder foi impecável sobre

nho, com Cleofas Van Westuur e tempo de 67s44. A ter-

a montaria de Orlanda 27, e conquistou o lugar mais alto

ceira coloção ficou com a francesa Maria Robert, montando

do pódio ao completar o circuito, na etapa de desempate,

Pidam de Pagan e finalizando com 69s89. 21


Álbum Fotos: Silvia Milani

Alcides Jimenez, Pedro Leon e Guilherme Antonio Celso Fortino e Toni Fortino Alonso

Bruna Vicense, Marina Bongiorno e Carla Marlise e Alvaro Mondini Batista

Ricardo Vitor Alves Calixto, Teixeira, Arnaldo Renatinho Viana e Otaviano Ribeiro e Carlos Angelo Alberto Raposo

Mario Morgenstern, Erleno Schenkel e Cristian Fabio Sarti e Thiago Camargo Schenkel

Joana Valente e Elizabeth Assaf

Silvia Milani (Programa Momento Equestre) Isabela e Shirley Heusi entrevistando Nando Miranda

Cel. Eduardo Reinyldo Arruda Ferreira e Clarissa e Armando Rechden Petroni

Carlos Gamarra e Dyego Neves Karina Cirillo

GabrielaFiuk Pruner, e Silvia Germano Milani e Bruno

Equipe Momento Equestre - José Sanches, Micheline Schulze Samys Montanaro, André Calió e Silvia Milani

AnnaRenata Dora Fischer Milani Boos

Carlos Seixas e Fernanda Luiz Cassettari Ceconello

22


Fotos: Divulgação / Best Jump

Bernardo Alves

Lara Abreu e Laine Henouda

Anna Luana DoraGermano Fischer Boos

Foto: Emmanuel Denaui

Carlos Seixas e Fernanda Nereu Conzatti e Rodrigo La Rosa Ceconello Maria Helena Eichler e Sara Willrich

Viviam Colombo, Maria Luisa Daiello e Vitória Chaves Barcellos

Sérgio Cunha e Francisco Musa

Rodrigo La Rosa, Dr Jorge Gerdau Johannpeter e Natalie Hrihorowitsch

Luma Spina e Lara Abreu

Fernanda Vargas e Anna Paula Noronha

Gilmar Teixeira Lopes e Paulo Noronha

Mariana Cassettari e João Carlos Gamarra e Dyego Neves Mazzaferro

23


p er f i l Texto: Mundo Equestre

no galope certo Com dedicação e habilidade, Vinicius Leme demonstra que tem pela frente uma brilhante trajetória no hipismo. Grande apaixonado por cavalos, há

me concentro e digo ‘seja o que Deus

três anos o jovem catarinense monta

quiser’ ”, explica. As competições são

a égua Pocahontas Jmen, com a qual

vistas pelo cavaleiro como uma forma

possui uma ótima relação. “Eu sempre

de aprendizado, onde o próprio atleta

gostei de animais, tanto que comecei

observa pontos que necessita aperfei-

a montar quando ainda era pequeno.

çoar. “Quando se erra no treino, exis-

Uma das coisas que mais gosto no

te o instrutor para explicar qual foi o

hipismo são os cavalos”, afirma. Trei-

nosso erro. O mais legal de competir

nando atualmente no Centro Equestre

em um campeonato é que você mesmo

Leme – localizado em Joinville (SC) -

tem que detectar seus pontos fracos e

Vinicius integra a categoria Pré-Mirim

tentar melhorá-los”, comenta Vinicius.

1,10 metro.

24

Os sonhos do cavaleiro são gran-

Aos onze anos, o atleta já reúne

des, assim como sua determinação. O

importantes prêmios em sua carreira,

principal desejo é defender o Brasil nos

consagrando-se Campeão Catarinense

Jogos Olímpicos e para isso, se espe-

2011 na categoria Mini-Mirim, altura

lha no experiente Rodrigo Pessoa. Para

1 metro, e Campeão Catarinense de

atingir seus objetivos e garantir bons

Escola 90 cm em 2010. Recentemente,

resultados nas competições, o jovem

Vinicius disputou o Concurso Nacional

cavaleiro possui uma esforçada rotina

de Saltos - Cidade de Curitiba e entre

de treinos, praticando durante quatro

63 competidores, conquistou a 2ª co-

dias na semana, incluindo os sábados.

locação na prova 1,10 m da Categoria

Apesar do trabalho árduo, Vinicius não

Pré-Mirim.

dispensa os momentos de lazer, quan-

Mesmo montando desde os cinco

do aproveita para se dedicar a outros

anos de idade, Vinicius conta que o

esportes e viajar. “Além do hipismo,

nervosismo ainda é um sentimento co-

eu também faço natação. Quando te-

mum antes de entrar na pista. Para di-

nho oportunidade gosto de conhecer

minuir a ansiedade, o garoto se apoia

lugares diferentes. Recentemente esti-

na fé e na concentração. “No momen-

ve em Goiás que foi um lugar muito

to da disputa, eu costumo ficar mui-

interessante de se visitar”, finaliza o

to nervoso. Mas faço o sinal da cruz,

cavaleiro.


es p e c ia l Texto e fotos: Afonso Westphal

Simplesmente

Tamborini Há mais de 50 anos comercializando cavalos, o lema de Luis Tamborini sempre foi a honestidade. Simpático e conhecedor do assunto, conheça parte da história deste argentino que ajudou cavaleiros do mundo inteiro a conquistar grandes vitórias. Criando desde cavalos para polícia montada até cavalos olím-

gressão do som, base principal da luta submarina”. Devido aos

picos de Salto e Adestramento, Luis Tamborini é um personagem

seus conhecimentos e habilidades, Tamborini foi enviado ao Mar

conhecido há décadas no mundo. Em terras brasileiras, se desta-

Del Plata para desenvolver um laboratório sônico, trabalho que

ca por vender cavalos de Salto que, junto com cavaleiros como

envolveu muito esforço e dedicação. “Como tinha que estudar

Luiz Felipe Azevedo, Marcelo Blessmann e José Reynoso Fernan-

muito e estava quase ‘enlouquecendo’ de tanto trabalhar, pensei

dez, obtiveram excelentes resultados em pistas internacionais.

em comprar um cavalo, já que é a coisa que eu mais apreciava

Conheça a trajetória e pontos de vista de Luis Tamborini, um dos

no mundo”.

maiores criadores de cavalos do mundo.

Tamborini comprou um cavalo - adquirido em troca de uma escopeta - após uma corrida no Jockey. Anos mais tarde, este

Destinado à paixão Nascido em Buenos Aires, desde a infância o criador sem-

mesmo animal foi vendido ao cavaleiro chinelo Simonetti, com o qual o atleta disputou as Olimpíadas do Japão em 1964.

pre amou os cavalos. “Ia para as ruas vê-los, não me interessava nada, nem os artistas, nem a música. Sempre que montava em um cavalo sentia uma grande satisfação”, afirma Tamborini.

Quando vendeu o primeiro cavalo, o criador acabou fican-

Quando jovem, ingressou para a cavalaria do Exército Argen-

do sem nenhum animal, porém sua paixão continuava pulsando

tino. Contudo, após a Revolução Peronista foi forçado a se retirar.

com a mesma intensidade. O segundo cavalo que comprou foi o

Depois disso, Tamborini ingressou na Marinha. “Sempre

fantástico Gagarin, candidato da Argentina à mesma Olimpíada

costumei fazer minhas coisas com todo o coração e logo me destaquei na Marinha. Me especializei em oceanografia na pro-

26

O fenômeno Gagarin

do Japão. Já com sua nova aquisição, o passo seguinte era registrar um


nome para o animal. “Queria colocar o nome de Cho-

Aproveitando

o

conhecimento

colate, tendo em vista sua pelagem, mas este nome já

técnico e empírico de Tamborini, inse-

estava registrado. Tentei Chocolatin e também não foi

rimos abaixo algumas opiniões e crí-

possível. Naquele ano, o astronauta russo Iuri Gagarin

ticas deste grande conhecedor de

tinha ido ao espaço e coloquei seu nome no animal

cavalos e de criação.

como uma forma de homenageá-lo, mas não podia imaginar o sucesso que este cavalo iria fazer”.

América Latina x Europa

Com o passar do tempo, o animal obteve ótima

Em relação à criação de cavalos, uma importante

evolução, a ponto de conseguir se classificar para com-

diferença entre Europa e América Latina é que os euro-

petir nas Olimpíadas. Tendo em vista a luta entre co-

peus criam de maneira intensiva e aqui criamos exten-

munistas e capitalistas, o Exército argentino impôs a

sivamente, o que para mim é vantajoso. Criamos nosso

condição que o cavalo somente poderia participar dos

cavalo solto no campo e acrescentamos apenas peque-

Jogos Olímpicos se mudasse de nome. “Eu bati o pé no

nos complementos alimentícios.

chão e falei: Não me importa se o primeiro astronauta

Na minha criação mantenho os cavalos soltos no

é maometano, cristão ou republicano, ele foi o primeiro

campo até os cinco anos de idade. Isto permite que os

homem a ir para o espaço e deve ser respeitado por

animais desenvolvam seus instintos, tornando-se mais

isso. Eu não irei mudar o nome do cavalo, e se não for

valentes e confiantes. É muito difícil que cavalos criados

possível ele participar das Olimpíadas, pois que fique

assim refuguem em um obstáculo, já os criados em co-

aqui na Argentina então”, exaltou Tamborini.

cheiras são mais propensos a este tipo de ação. É certo

O esforço do criador permitiu a Gagarin conquistar

que o cavalo criado no campo será mais indócil no iní-

inúmeras vitórias em sua trajetória. Foi assim que co-

cio, mas a médio prazo apresentará mais coragem, será

meçou a carreira de sucesso de Luis Tamborini.

um cavalo valente.

Ao longo de sua vida, Tamborini produziu diversos

Outra diferença entre a criação europeia é que lá

cavalos que obtiveram grandes resultados como Tambo

eles têm as bases de todos os tipos de cavalos, desde

Nuevo, Dos Bandeiras, Tambo Bonjour, Donatell, Coca

animais pesados até cavalos leves e finos. A tendência

Cola, Dracma. Atualmente, destacam-se em sua cria-

do cavalo desportista, hoje, é mudar constantemente,

ção os animais Hot Wheels, Scarface e Argentina que

pois os concursos também mudam a cada dia que pas-

vêm obtendo excelentes resultados nas pistas norte-

sa. A Europa muda as competições para aumentar a

americanas.

diversidade de cavalo que se cria, tendo em vista que lá

Hoje, Tamborini possui nada menos que 700 cava-

eles possuem a maioria das bases das raças.

los em sua propriedade e continua criando animais de

O padrão atual do cavalo do hipismo é um animal

ponta para o Salto, Adestramento, Enduro e cavalos

fino. O fato da maioria dos animais serem finos no Bra-

policiais.

sil pode gerar problemas no sistema de genética das

Quando questionado sobre o que sente pelo Brasil, Tamborini afirma que é como se fosse sua segunda casa. “Gostaria de nomear alguns amigos brasileiros como Abraão Abressor, Raul Lara Campos, Antonio Túlio Lima Severo, José Luiz Guimarães, Marco Antonio Fonseca, Ronaldo Castelo Branco e muitos amigos do hipismo que sempre me acolheram com muito carinho. Todo o êxito que conquistei no Brasil devo graças a confiança e amizade destes brilhantes ginetes. Sou muito agradecido a eles”.


reprodutoras no futuro, pois se

salto é uma habilidade, e a habilidade não se herda. Se

cruzar um animal de padrão mais

uma artista plástica se relaciona com um escultor, nada

pesado, ela irá apresentar proble-

garante que o filho que nascerá deste relacionamento

mas no momento do parto. Es-

seja um escultor, porque se trata de uma habilidade.

sas reprodutoras só conseguirão

Por outro lado, se uma corredora de 100 metros rasos

cruzar com animais da mesma

tiver um filho com um jogador de futebol, esta criança

característica, resultando em po-

provavelmente será ágil.

tros ainda mais finos. Na criação

Este é o grande problema do que ocorre hoje. Atu-

europeia eles não passam por

almente se compram papéis. Mas por que saem cavalos

este problema, já que possuem

de um garanhão melhores que outros? A resposta é

as bases de todas as criações, e por isso muitos tipos

simples: a inseminação artificial permite hoje que um

de cavalo. Se o cavalo do “futuro” for um animal que

garanhão que obteve sucesso sirva de reprodutor para

necessita mais força e robustez, eles terão disponibili-

1.500 éguas enquanto um outro cavalo qualquer inse-

dade de muitas éguas capazes de comportar esse tipo

mine cinco éguas. Esta probabilidade é a que faz com

de prenhez.

que o cavalo exitoso tenha mais e melhores filhos, é apenas uma questão matemática. A pessoa que me

Os cavaleiros

afirma: vou cruzar um animal das melhores linhagens

Considero os profissionais atuais um pouco afobados. Eles não têm a paciência necessária para

do mundo e vou tirar um campeão, se equivoca. Esta é a base fundamental de um critério.

realmente preparar um cavalo. A maioria quer um animal pronto que já saia saltando provas. Um conjunto bem formado conquistará muitas vitórias, mas isso requer tempo e dedicação. Os atletas de hoje pensam a curto prazo, o que para mim não é a visão mais adequada. Cavalos com grande potencial não são aproveitados e acabam perden-

Confira abaixo alguns dos principais cavalos da criação de Luis Tamborini:

do uma carreira de sucesso apenas pela impaciência do ginete.

Cavalo Gagarin

Selecionado para a Olimpíada de Tokio (1964), com Jorge Llambí.

Tambo Nuevo

Campeão Panamericano; 6º no Mundial da Suécia 1982; cinco vezes Campeão Nacional Brasileiro de Hipismo.

Tambo Júnior

Medalha de Ouro Junior no México 1981, integrando a Equipe do Brasil, com Tulio Severo Jr.

Hot Wheels

Participante em Grandes Prêmios no Canadá e EUA; Ganhador do Ariat Grand Prix em Nova York; 3º no Concurso de Primavera em Wellington, Abril 2011.

Tambo Ideal

Mãe de Moro Ideal, 1ª no Ranking Mundial FEI Enduro 2008 e Medalha de Ouro por equipes no Panamericano de Enduro 2009, com Pablo de los Heros. Grande Campeã Hembra Silla Argentino no Expo Rural de Palermo.

Seleção A seleção dos meus cavalos está baseada nas atitudes que eles apresentam e não nas linhagens maternas. Se nascem cem potros, perceberei ao longo do tempo qual se destacará no Salto, no Adestramento, qual apresentará mais resistência e assim por diante. É importante ressaltar que a herança genética do cavalo de Salto não é como a herança do cavalo de corrida. A corrida é uma condição física e o

28

Resultados


30


Monzon Texto: Luís Fernando Monzon

Copa das nações o belo espetáculo deixou importantes lições para o hipismo brasileiro. Quem esteve em Porto Alegre, durante

cavalo do competente Geraldo Gomes de

o Best Jump 2012, viveu uma imersão na

Lemos. A pressão fez o segundo lugar ter

melhor forma de competição internacio-

gosto de vitória, forjamos o espírito de

nal, uma Copa de Nações, seguida de um

equipe e testamos os nervos de cavaleiros

Grande Prêmio. Vimos o Brasil perder para

e público.

a França e ganhar da Alemanha na Copa

O Grande Prêmio foi um bom exemplo

de Nações. Depois um domínio completo

do que quero trazer para reflexão. Con-

da Alemanha no Grande Prêmio, com o

juntos franceses valendo-se de notável

melhor brasileiro sendo sétimo colocado,

qualidade dos cavalos, mas com domí-

um feito para o amador Daniel Chaves

nio muito instável, brasileiros desfilando

Anicet, que esteve espetacular neste dia.

sua fantástica capacidade de adaptação

Sem querer abordar as nuances de

e habilidade, mas ainda insuficiente para

uma competição deste nível, as dificulda-

triunfar, e cavaleiros alemães mostrando

des naturais de alguns conjuntos que não

um domínio espetacular, competência e

tinham o entrosamento e a base neces-

conjunto. Uma aula que pode passar des-

sária para cumprir um percurso exigente,

percebida para leigos, mas não para quem

mas muito aquém da dificuldade olímpica,

quer evoluir.

o evento serviu para uma reflexão opor-

Ficou clara a necessidade de uma es-

tuna e isenta. Aqueles que viram a parti-

cola, de uma doutrina sólida e de uma

cipação de vários países com bons repre-

maior troca de experiências com esta e

sentantes, muitos com sua força máxima,

outras potências equestres que encantam

outros com suas equipes arranjadas so-

o mundo nos Jogos Olímpicos, se quiser-

mente para esta participação, podem tirar

mos dar um salto de qualidade.

algumas conclusões.

A exemplo dos atletas brasileiros do

A França venceu e convenceu com

MMA, que hoje dominam o cenário com

apenas três conjuntos, ou seja, sem direito

sua incrível versatilidade, pois treinam vá-

ao descarte. A Alemanha teve problemas

rias modalidades, os cavaleiros brasileiros

sérios com o obstáculo “rio” na primeira

têm que reaprender a treinar, dedicar-se

passagem, recuperou-se na segunda, em

à base da equitação e seus fundamentos,

que o “rio” foi substituído por um oxer

dar alguns passos atrás para ressurgir com

sobre “liverpool” (água). O Brasil teve al-

força e embasamento.

tos e baixos, mas o imponderável cercou

“Quem

esquece

como

aprender

nossa equipe pelo inesperado, e certa-

para de evoluir”. Forte abraço a todos.

mente momentâneo, mau rendimento do

Monzon

31


PRISCILA AZEVEDO

O bom

proprietário Tendo como foco principal o proprietário que possui um ou vários cavalos montados por profissionais, esta matéria visa levantar pontos importantes que devem ser levados em consideração desde o momento de decidir a aquisição do cavalo até o planejamento de trabalho do animal. Saber o que esperar de cada conjunto, tendo em vista fatores

temporadas com o mesmo cavalo, entretanto existem os que

como tempo e investimento financeiro é crucial para que o

conseguem bons resultados por vários anos com o mesmo animal.

proprietário mantenha sua felicidade em possuir um animal.

Para a escolha do profissional não basta avaliar os animais que

O bom proprietário é aquele que tem respeito pelo seu cavalo.

eles montam, mas também os de seus alunos. Avaliar o quanto ele

Os equinos não devem ser submetidos ao excesso de competições

fez para o esporte, como é seu dia a dia e se ele conseguiu obter

e para isso uma boa programação de trabalho e campeonatos

sucesso com outros cavalos.

associada a uma equipe preparada são pontos fundamentais.

Capacitação A Equipe A decisão pelo profissional que irá montar seu animal é uma das mais importantes para o sucesso do projeto. O bom

prazo tanto no resultado de seus animais quanto na preparação de funcionários para lidar com seus cavalos.

proprietário irá optar por um atleta que tenha uma carreira estável

Por exemplo, quando o proprietário já possui um tratador

e apresente condutas coerentes. É essencial que o proprietário

por vários anos, na maioria dos casos o conhecimento que este

não caia na tentação de conquistar resultados imediatos, prática

tratador possui provem apenas de seu conhecimento empírico e

bastante comum dentro do hipismo. Para isso, é essencial avaliar se

não apresenta uma capacitação profissional. Essa situação tem

o profissional a ser contratado apresenta bons resultados também

seus defeitos.

com outros cavalos e se suas vitórias se prolongam por outras temporadas. Existem profissionais que não mantém ao menos duas

32

Um proprietário deve fundamentar seus objetivos a longo

Às vezes, este tratador poderá banhar o cavalo inteiro em um dia frio apenas porque ele faz isso há muitos anos e para ele é uma prática normal. É preciso ter em mente que os cavalos possuíam


muito mais resistência no passado. Hoje, temos no Brasil animais importados que invariavelmente apresentam outra sensibilidade. Em nosso país – de clima tropical – criamos e competimos com cavalos desenvolvidos no norte da Europa, região que possui clima extremamente temperado, sendo muito adverso ao nosso. Esse clima para o cavalo é uma adaptação. Por mais

Cuidado real Não é o luxo nem grandes despesas que definem um bom proprietário, nem aquele que apenas leva açúcar e faz um agrado. O proprietário ideal é o que está preocupado com todos detalhes que rodeiam seu cavalo. Às vezes o luxo existe, porém com um desrespeito imenso ao animal. O bom proprietário não submete o animal a excesso de competição, de treinamento e de viagem.

que já esteja aqui há duas ou três gerações, sua genética foi desenvolvida em outra temperatura. Suas exigências e sensibilidades são diferentes. Para saber estes detalhes, bastante relevantes, é preciso proporcionar um curso que capacite os profissionais de sua equipe para atender seu cavalo da maneira adequada.

Sucesso planejado O primeiro aspecto a ser pensado após a aquisição de um animal é: Qual é o objetivo deste cavalo? O treinamento de um cavalo que irá saltar a categoria Mirim exige certos exercícios que serão muito diferentes dos exercícios necessários para preparar um cavalo de Grande

bem atendidos A preocupação com a qualidade de vida do seu cavalo

Prêmio. Se você tem cinco cavalos, certamente cada animal terá um objetivo próprio.

reflete invariavelmente no bom desempenho do mesmo.

Por exemplo, se um cavalo tem como objetivo se

Deve-se primar não somente pela mão de obra qualificada,

classificar para a Copa do Mundo, então o ideal é competir

mas também aspectos como qualidade da comida, cama e

nos campeonatos os quais classificam para esta prova e ir

equipamentos que o animal irá utilizar.

otimizando o conjunto a cada etapa.

Em geral, as pessoas pensam que equipamentos limpos

Muitos profissionais do hipismo que montam cavalos de

e adequados ao propósito é um luxo que pode ser colocado

proprietários querem mostrar resultados imediatos para não

em segundo plano, dependendo das circunstâncias. Esta

frustrar os seus patrões. Se isso acontecer, não nego que o

ideia é extremamente maléfica para a saúde e performance

proprietário poderá ter satisfação, mas provavelmente ela

dos cavalos e mesmo tendo ocasionado muitos problemas ao

será passageira.

longo dos anos, a ideia persiste em nosso segmento.

Exigir que o cavalo participe de muitos os concursos faz

Certa vez, presenciei um problema grave relacionado à

com que o animal tenha um desgaste físico precoce. Fato

capa de dormir: Um cavaleiro possuía uma égua espetacular

que a longo prazo irá frustrar o proprietário. Não adianta

que estava em sua baia com a capa rasgada no dorso. Para

comprar um cavalo caro para obter um resultado meteórico,

aproveitar aquela capa, os tratadores juntaram suas duas

pois no futuro ele só irá gerar despesas. Esta situação pode

pontas na frente e amarraram-na com uma corda. Quando

ser evitada através de um bom planejamento, tendo em vista

vi a capa, corri ao socorro do égua, tirando as pressas a

os objetivos do conjunto, capacidades reais do cavalo e mão

“capa”. Aquela situação propiciava níveis sérios de lesão

de obra qualificada.

para o animal, mas para aqueles tratadores era uma cena corriqueira. Este exemplo é ótimo para entender que não basta investir somente no animal, mas também na capacitação do tratador, do veterinário e do ferrador, que serão peças fundamentais para o bom rendimento do cavalo.

33


CL í ni c a veterinária

O glúten e os cavalos Bruna Dzyekanski, médica veterinária, mestranda em Ciência Animal PUCPR

A intolerância ao glúten encontrada em milhões de pessoas ao redor do mundo - pode afetar também os cavalos, causando inflamação intestinal e gerando inúmeros problemas, como perda de peso e até mesmo a queda no desempenho atlético.

O glúten, proteína vegetal presente no trigo, cevada e centeio, geralmente está contido em grande quantidade nas rações dos cavalos. Para animais tolerantes ao glúten, sua presença na alimentação não causa alteração alguma. Entretanto, existem cavalos que são intolerantes, pode-se dizer que são alérgicos à proteína. Acredita-se que essa forma de intolerância possa causar uma inflamação intestinal, a qual ocorre em decorrência da desordem no sistema imune, fazendo com que os anticorpos ataquem o próprio organismo, principalmente o intestino delgado. Trata-se da doença inflamatória de intestino delgado, e, neste caso, o cavalo não digere nem absorve grande parte dos nutrientes que come. Os sinais clínicos incluem perda de peso, episódios recorrentes de cólica, depressão, fezes amolecidas, hipoproteinemia, opacificação de pelos e consequente queda de desempenho atlético. Nos humanos, a doença celíaca ou intolerância ao glúten ocorre em pacientes geneticamente predispostos e causa atrofia nas vilosidades

34


do intestino delgado, dificultando a absorção de importantes nutrientes como ácido fólico, zinco, ferro, além de algumas vitaminas.

intolerância nos cavalos Pesquisadores das universidades de Ultrecht e Amsterdam, em um estudo publicado na revista Veterinary Quarterly, analisaram no sangue de cavalos internados com a queixa de doença inflamatória intestinal a atividade dos anticorpos influentes na doença celíaca humana. Ao final, foi comprovado que a inflamação intestinal pode ser induzida pela ingestão de glúten como no humano. Porém, mais estudos são necessários para que se entenda melhor o mecanismo de tal intolerância.

Traçando o perfil Para definir o diagnóstico de intolerância ao glúten no cavalo, é necessário que se elimine outras enfermidades que podem ocasionar os mesmos sinais clínicos, como problemas dentários ou de deglutição; doenças que causem má digestão, má absorção ou falta de apetite; hepáticas; infecciosas, etc. Sendo assim, uma vez diagnosticada a alergia ao glúten no cavalo, uma dieta especial deve ser elaborada, com desígnio de evitar a presença desta proteína e substituí-la por outras fontes. Entretanto, já que constitui uma predisposição genética, a mudança na alimentação do cavalo será por toda sua vida, ou seja, a alimentação deste terá de ser diferente de outros cavalos do mesmo haras, o que muitas vezes torna-se um incômodo ao proprietário. Mas é indispensável que todo esse cuidado seja tomado, pois, do contrário, a saúde do cavalo será depreciada. Para o homem, aconselha-se substituir o glúten por alimentos como mandioca, quinua, linhaça e batata, pois são livres deste componente. No cavalo, é necessário buscar um médico veterinário especializado em nutrição, para que este desenvolva a melhor opção de alimentação ao animal. De qualquer forma, o diagnóstico precoce é sempre importante para que a saúde do cavalo seja conservada e para que sejam evitados efeitos deletérios permanentes.


q u art o de m i l h a Texto: Abdalla J. Abib / Foto: Eduardo Custódio

grande prêmio

de um milhão Proporcionando a distribuição do prêmio recorde de 1 milhão de reais entre os participantes, o Jockey Club de Sorocaba recebeu um dos maiores públicos de sua história.

O GP Megarace, tradicional torneio de cavalos Quarto de Milha, teve a partir deste ano seu nome atribuído ao saudoso Gianni Franco Samaja, em uma justa homenagem a esse criador que foi o mentor deste GP e que se tornou um ícone do turfe internacional.

Grande prêmio Criadores, proprietários e turfistas de vários estados do Brasil, e também da América Latina e do Norte, acompanharam o desempenho nos 402 metros de 44 potros de dois anos, que foram distribuídos em seis páreos, e presenciaram a soberania de representantes do Nordeste com cinco vencedores. No domingo (20/05), dia da grande final, o público assitiu a consagração do potro Insulto Gold, filho de Gold Medal Jess e Atacama Bryan SA (Blazen Beryan), alazão de propriedade do Stud JSS, representante do Estado de Pernambuco, e da criação de Gianni Franco Samaja. Treinado por L. levir e pilotado por A. Cavalcanti, o alazão percorreu os 402 metros em 21s37, proporcionando aos seus proprietários a conquista deste almejado título e o expressivo prêmio de R$ 405 mil (menos percentagem de lei). Na

Merecida Homenagem: Inauguração da placa Gianni Franco Samaja, grande criador de cavalos Quarto de Milha e um dos principais nomes do turfe nacional. 36


segunda colocação, com diferença de mais de um corpo

de 45s062, ela deu um show em pista. Com viradas

em relação ao ponteiro, cruzou o disco a defensora do

perfeitas o conjunto manteve-se na disputa da final

Stud Viva Bahia, Eletrika Bryan PK (Appeals King Special

e conquistou a tão esperada vitória.

x Penta Bryan PK, por Blazen Bryan), e da criação de Plínio de Rezende Kiehl, cravando 21s53. No Consolação Megarace, chegou em primeiro a alazã Inhaca Gold, também filha de Gold Medal Jess e desta vez com a reprodutora Charlotte Bryan (Blazen

“Foi muito emocionante, pois foi a primeira etapa do Super Horse que consegui ser campeã. É um campeonato muito disputado que cresce a cada etapa”, diz Rafaela. A competidora

está na segunda posição no

Bryan), de propriedade do Haras São Matheus e criação

ranking geral com 2250 pontos, apenas atrás da

de Gianni Samaja. Treinada por M. C. Cruz, ela fez a

competidora Daiane Sudário que lidera o ranking

distância dos 402 metros em 21s58 tendo em seu lombo

com 2800 pontos.

o jóquei A. Dutra.

Rafaela Fortunato contou que pelo Brasil todo

Além deste clássico, ocorreu também na mesma dis-

são muitas etapas e é esse justamente o maior desa-

tância a final do GP Santo Angelo, com Bolsa de R$ 90

fio: estar sempre presente. “É preciso estar em con-

mil, tendo a vitória do cavalo de seis anos Splash Refuge,

junto com o animal para pontuar e manter ou subir a

filho de Splash Bac e Press The Track (Holland Ease), em

colocação no ranking”, explica.

21s33, representante do Stud do Paraguai, El Centauro.

As expectativas da competidora é estar sempre

Esse castanho, treinado por A. Martinez e dirigido por E.

presente na final das etapas e continuar pontuando

Leguizamon, é da criação do Haras Fazenda Bela.

para atingir a primeira colocação do ranking geral.

Completando o programa, ocorreu o Páreo Especial

As atletas seguem em uma disputa acirrada, afi-

Luiz Meneghel Neto tendo a vitória de Ida Gold (Gold

nal ninguém quer ficar fora da grande final que dis-

Medal Jess x Almost Never Late, por First Down Dash),

tribuirá uma premiação de mais de R$ 200 mil, entre

para a alegria de seu proprietário, o paulista Rogério Ar-

os dias 22 e 25 de novembro em Americana - SP.

ruda Peres. Outra potra da criação de Gianni Samaja, teve o treinamento a cargo de R. Rosa e foi pilotada por D. Conceição, marcando 22s32.

Super Horse 3 Tambores A quarta etapa do Super Horse 3 Tambores Brasil aconteceu durante a 21ª Festa do Peão de Boiadeiro de Cajamar - em São Paulo. Nos dias 26 e 27 de maio, as competidoras do campeonato puderam demonstrar todo o potencial nas arenas da cidade. Nessa etapa, quem brilhou nas arenas foi Rafaela Fortunato, de Americana, SP, que marcou a menor somatória e consagrou-se campeã. Montando a égua quarto de milha ST Gabiroba, com o tempo

Show nas pistas: Somando o menor tempo, Rafaela Fortunato, de Americana, SP foi a vencedora da quarta etapa do disputado campeonato. Texto: Verônica Formigoni / Foto: André Silva 37


Nacional 3 tambores A cidade de Guaíra, localizada na região de Barretos, sediou entre os dias 17 e 19 de maio, a 4ª etapa do Campeonato Nacional de Três Tambores. Organizada pela Associação Nacional de Três Tambores (ANTT), a competição é referência no mercado, realizando há nove anos um dos melhores campeonatos dentro dos rodeios. Para a presidente da ANTT, Flávia Cajé, as disputas foram emocionantes e de alto nível técnico. “A final foi linda. As meninas deram um show, ninguém derrubou os tambores, uma baixando o tempo da outra, muita emoção”, contou. Caroline Rugolo, de Tietê, SP, obteve a menor somatória de tempos e se consagrou campeã da etapa. Sobre a montaria de Cutter Exocet Lee, a atleta somou 48s093. Na final, fez excelente prova e marcou o menor tempo com 16s010, assegurando a vitória. Caroline agora segue com 350 pontos no ranking geral, porém, Gabriela Ferro, agora com 440 pontos continua na liderança, alcançada após vitória em São José do Rio Pardo. Contudo, Gabriela é seguida no ranking de muito perto por Caroline Rugolo e também por Daiane Sudário, de São José do Rio Preto (SP), que conquistou excelentes resultados em Guaíra, finalizando em segundo lugar. Caroline e Daiane se encontram empatadas na segunda posição do ranking geral, ambas com 350 pontos. A briga por uma das dez vagas para a Final Gold continua intensa. As primeiras colocadas no ranking não querem perder seus lugares e lutam, a cada etapa, por pontos valiosos. A próxima fase marcada acontece em julho, em São João da Boa Vista, de 13 a 15, durante a Eapic 2012.

Texto e foto: divulgação ANTT

vitória: A vencedora Caroline Rugolo celebra sua vitória junto ao imponente troféu.

no páreo: A conquista do segundo lugar faz com que Daiane Sudário esteja empatada no ranking com a atleta Caroline Rugolo.

38


39


E d u ard o m O R E I R A Foto: Arquivo.

Questão de aprendizado Join Up é uma técnica, não é um dom... Nos cursos que costumo ministrar

Ali dentro, os detalhes fazem a

sobre as técnicas de Monty Roberts,

diferença, tema, aliás, de uma de mi-

muitos costumam associar a capacida-

nhas últimas colunas. Cavalos ao es-

de deste mestre e também a minha a

tarem com predadores, no caso nós,

algum tipo de dom ou talento nato.

são capazes de notar cada pequeno

Impressionados com a mudança que

gesto ou atitude nossa, no sentido de

veem ocorrer em minutos nos cavalos

perceber alguma mudança de postura

que entram no redondel para serem

e correrem assim para preservar suas

trabalhados, assumem imediatamen-

vidas. Dai a importância de se aplicar

te que não são capazes de repetir o

a técnica como um todo. Vejo muitas

que veem em seus cavalos, pois não

pessoas tentarem adaptar um peda-

foram “escolhidos” para possuir este

ço dela ao que já estão acostumados

talento.

a fazer. Tenham em mente que tudo

A verdade é que não há dom al-

que esta na técnica tem um motivo

gum. Talvez aptidão física, mas não

para estar. Mas talvez mais importan-

dom. Há cerca de três anos, eu sabia

te do que isso, o que NÃO está na

muito pouco sobre cavalos. A verdade

técnica também tem um motivo para

é que ainda sei muito pouco, mas me

não estar.

dediquei profundamente durante este

Deem a si próprios o tempo neces-

período a praticar e estudar a técni-

sário para aprender. Pratiquem com

ca de Monty Roberts. Assistia seus ví-

seus cavalos, sempre zelando primor-

deos, filmava minhas demonstrações

dialmente pela sua segurança e tam-

para poder estudar meus movimentos,

bém pela dos cavalos. Aceitem seus

trocava emails com o mestre, mas mais

erros, são eles que os tornarão melho-

importante do que tudo, praticava.

res. E não se preocupem com os que

Não se domina uma técnica sem que

estão fora do redondel possam dizer

para isso se precise de tempo e prá-

ou achar, a técnica é para ser praticada

tica. E hoje acredito que eu seja um

com os cavalos, não com os especta-

bom aluno e praticante desta técnica,

dores. Afinal de contas é baseada na

e por isso os bons resultados que atin-

linguagem EQUS, desenvolvida por

jo no redondel.

eles.


42


n o t í c ias - sa lt o Fonte: Silvia Milani / Foto: Anna Paula Carvalho

CSN da

Juventude Atletas demonstram em pista a nova força do hipismo nacional.

1

Entre os dias 25 e 27 de maio, o tradicional centro de treinamento Helvetia Riding Center reuniu a nova geração do hipismo brasileiro durante o Concurso Nacional de Salto da Juventude, em Indaiatuba (SP). Com excelente infraestrutura e clima festivo, o campeonato serviu como seletiva para o Sul Americano e Americano das categorias Mirim, Pré-Junior e Júnior, que ocorrem no mês de setembro, em Passo Fundo (RS). Mais de 120 conjuntos saltaram em um dos melhores centros hípicos do Brasil, pelas categorias: Mini-mirim, Pré-mirim,

2

Mirim, Pré-junior e Júnior. As pistas levaram a grife do desenhador de percurso Carlos Alberto Raposo, que, durante os três dias de provas, montou percursos sutis, delicados e técnicos, com o intuito de elevar o nível da nova geração participante e prepará-los para novos desafios, como o Sul Americano. A Copa das Federações, disputada em dois percursos no sábado (26/05), teve participação de nove federações com equipes próprias e também mistas.

Paulistas se destacam na categoria Junior O primeiro lugar foi ocupado pela equipe da FPH, integrada por Fernando Chiarotto Penteado/ Arriminun TW, Gabriel Silva Cury/SH Just Like Heaven, Tiago Kabbach/Resolut JMen e Luis Antonio Piva Filho/Noble Carthago, com 15 pontos perdidos. A 2ª colocação também ficou com uma equipe de São Paulo, que somou 20 pontos, com Gustavo S. da Cunha/Quality Z,

1. A merecida comemoração dos vencedores da categoria Junior. 2. A telentosa Bianca Rodrigues, amazona do Clube Hípico de Santo Amaro, celebra a vitória na categoria Pré-Junior. 3. A ótima performance do paulista Daniel Wenzel garantiu o primeiro lugar na categoria Pré-Mirim ao cavaleiro.

3

Rafael Noronha/Hanier Xereta Método, João Victor Aguiar Gomes/QH Watson e Vitor Dantas Medeiros/VDL Wummel Polana. A equipe mista de Brasília, Santa Catarina e Paraná com-

GR Armani, Luiggi Gracindo/Diesel de Bourguignon e Gabriel Bonato/Zandman.

pletou o pódio, com Celso Dantas Neto/Carpegio JMen, Luiz Otavio Gomes/Ilíada JMen e Sofia M. Scheer/Levin Z Top Car.

Categoria Mirim consagra equipe mista

Três conjuntos empatam no Pré-Junior

a melhor atuação e conquistou a primeira colocação na categoria

O time misto do Paraná, Rio Grande do Sul e Brasília obteve Com cinco equipes na disputa da Copa, três computaram

Mirim. Seus integrantes somaram 16 pontos: Siew Chiang/Aste-

16 pontos perdidos. O critério de desempate foi a menor so-

rix, Elisa Guimarães Forchezatto/Best Choice Daphine JMen, Laura

matória dos tempos dos integrantes, garantindo a vitória para

Ramos Rait/MD Quastor JMen e Samanta Tiveron/Upsakee.

o time de Brasília com Iury Borges/Corbelia JMen, Gabriel Go-

O vice-campeonato ficou com São Paulo, com 20 pp, time

mes/SL Nutreal Said, Gilberto Haraguchi Junior/Atlanta VII e

formado por Henrique Tortorella/Caprice RT, Julia Kadomoto/

Ricardo B. Carvalho/LF Orion. As cores de São Paulo colori-

Warsteiner Vandt Stedeke, Maria Julia Gubeissi/Walentina S e

ram a 2ª posição, conquistada pelo time formado por Giulia

Guilherme Finardi/Royal. Com 24 pontos, o 3º lugar do pódio

Scampini/HRC Royal Temptation, Bianca Rodrigues/Tropical,

também foi ocupado por uma equipe paulista, integrada pelos

Guilherme Uvina/Armageddon e Patsy Zurita/Singular Argus.

atletas Rodrigo Junqueira Reis Marchezzi/Convite, Giovanna

Na 3ª colocação ficou a equipe mista Brasília-Goiás com An-

Amorim/Linda, Isabela Piovesan Dall Oglio/Quick Time e Vic-

dre Afonso da Rosa/Pharaonne Une Prince, Alberto Sinimbu/

toria Junqueira Ribeiro Mendonça/Geysa HV.

43


n o t í c ias - sa lt o Fonte: Carola May / Foto: Duílio - Tupa Vídeo.

Derby de

Santo Amaro Grandes nomes do hipismo brasileiro estiveram reunidos no disputado concurso e proporcionaram ao público competições acirradas e performances incríveis.

1

O Clube Hípico de Santo Amaro foi palco para emocionantes disputas durante o tradicional Concurso de Salto Nacional 2* Derby, realizado entre os dias 17 e 20 de maio. O campeonato contou com excelentes provas e reuniu jovens promessas do hipismo brasileiro. Com tempo ensolarado e temperaturas agradáveis, o evento foi ponto de encontro da comunidade hípica nacional, reunindo mais de quinhentos conjuntos. Os atletas se enfrentaram em provas de 1 a 1,40 metro de altura, tanto nas pistas de grama quanto de areia. O campeonato foi disputado sob nada menos que vinte e um obstáculos, incluindo diversos saltos naturais como banqueta e pulverman, além de obstáculos temáticos inspi-

2 1. Com marca imbátivel até o final da prova Mini Derby, Kitaro Baldaia arrematou a medalha de ouro na disputa montando Contendro. 2. Vitorioso na Prova Derby, Renatinho Ribeiro sobre a sela de Novac Sports Midway du Gisors, foi o único competidor com zero faltas no percurso.

rados em São Paulo. Eles foram redesenhados em 2010 pelo course-designer Carlos Alberto Raposo Lopes e o renomado cavaleiro Vitor Teixeira - que também é armador de percurso.

No domingo (20/05), quinze conjuntos competiram na

número maior de competidores e com o tempo aumentar o

prova com altura de 1,40 metro. O melhor resultado veio

grau de dificuldade das provas.

logo no início da disputa, onde consagrou-se o jovem ta-

Kitaro Baldaia se consagra no mini Derby A disputa que ocorreu no sábado (19) foi um páreo duro. Com altura de 1,25 metro, o mini Derby contou com 41 concorrentes, dos quais apenas três garantiram pista limpa e oito finalizaram com um derrube.

lento de Campinas (SP), Renato Santaella Ribeiro. Sobre a montaria de Novac Sports Midway du Gisors, o cavaleiro fez um percurso cauteloso, com tempo de 167s87, tornando-se o único atleta a não cometer faltas. Para o campeão Renatinho, que dedicou o resultado ao trabalho em equipe, a vitória teve um gosto especial. “No

Com uma marca imbatível até o final da prova sobre

começo do ano eu passei por uma cirurgia no pulso e nem

a montaria de Contendro, o jovem talento Kitaro Baldaia

estava podendo montar. Esse é mais um motivo, pelo qual

conquistou o lugar mais alto do pódio ao cruzar a linha

dedico o meu título a toda a equipe e também em especial

de chegada com tempo de 102s50. O vice-campeonato

ao meu pai Duto que ficou trabalhando a égua durante

ficou com mais um representante da geração futuro do

esse período. Tampouco posso deixar de agradecer ao pro-

hipismo brasileiro, o cavaleiro Adir Dias de Abreu Junior,

prietário dela Luiz Mauricio Antonio e nosso patrocinador

o Juninho. Montando VHM Chat Noir, o atleta terminou a

Novac Sports”, destacou o campeão.

disputa com tempo de 111s87. Em seguida veio Gustavo Ferreira, com Coriolanka JMen e tempo de 111s86.

44

Grande Prêmio

O objetivo foi tornar o percurso mais leve, visando atrair um

No segundo lugar do pódio esteve Rafael Mariante Ramos da Silva, com Idor Pharamond JMen, que efetuou um

Aos 19 anos, Kitaro já acumula os títulos de campeão

derrube e finalizou no tempo de 147s29. O terceiro lugar

brasileiro jovem cavaleiro top 2010, jovem campeão brasi-

ficou com Ricardo Monteiro da Luz – vencedor do Derby na

leiro Junior 2009, vice-campeão brasiliense Infantil 2006,

edição 2011 - sobre a montaria de Jaboticaba, com tempo

campeão brasiliense Mirim 2007 e Juvenil 2008.

de 159s22.


Fonte: Dailymail / Foto: Arquivo

Doda em alta

reconhendo

pela sua voz Cavalos conseguem reconhecer humanos pela voz, afirmam pesquisadores ingleses.

> A participação no CSI5* Madrid permitiu ao medalhista olímpico brasileiro, Doda Miranda, conquistar ótimos resultados na acirrada competição. Na prova de abertura, com obstáculos a 1,45m, o cavaleiro consagrou-se em primeiro lugar, sobre a montaria do competitivo AD Norson. Du-

Uma pesquisa da Universidade de Sussex, na Inglaterra, veio para confirmar

rante a principal prova do campeonato,

o que muitos proprietários de cavalos já acreditavam: os equinos são capazes de

a Copa El Rey, com obstáculos a 1,55m,

reconhecer o som da voz de seu dono e de pessoas próximas. Através de um so-

Doda ficou em sexto lugar. Montando AD

fisticado sistema cognitivo, os animais conseguem também distinguir diferentes

Rahmannshof’s Bogeno, o cavaleiro fez a

pessoas que conhecem.

1ª volta sem faltas e foi o mais rápido da

Liderando as pesquisas, as especialistas da área de psicologia animal, doutoras

2ª com tempo de 53s16, porém, cometeu

Leanne Proops e Karen McCombs, haviam publicado em 2008 um premiado tra-

uma falta. O resultado garantiu também

balho sobre o tema. Neste estudo, as pesquisadoras descobriram que os cavalos

ao atleta mais um índice olímpico.

utilizam uma combinação de informações auditivas e visuais para reconhecer uns aos outros. Um fato inusitado é que as fêmeas se demonstraram mais hábeis ao reconhecimento do que os machos. Segundo Proops, os cavalos domésticos são ideais para o estudo pela sua proximidade com os humanos. “Eles possuem uma estrutura social complexa e uma relação próxima com as pessoas, fazendo com que o reconhecimento individual de seres humanos seja uma capacidade extremamente funcional”. Quando os seres humanos ouvem uma voz familiar, elaboram uma imagem da pessoa com quem estão conversando e utilizam pistas visuais e auditivas para reconhecê-las, o que ocorre também com os equinos. “Anteriormente, demonstramos que cavalos são capazes de identificar cavalos de raças distintas. Agora nós mostramos o quão flexível é esta habilidade, evidenciando que cavalos conseguem sim

Horse Agility > Uma nova modalidade equestre está sendo levada a sério pelos britânicos. Tratase da “Horse Agility”, uma categoria em que o dono dirige seu cavalo por uma série de obstáculos. Com pontuação baseada em faltas, a Horse Agility já teve até seu próprio campeonato, com a participação de treze países e disputas dominadas pelos conjuntos britânicos e canadenses.

reconhecer humanos, apesar das pessoas parecerem e soarem diferentes deles.” Para chegar ao resultado, foram realizadas duas curiosas experiências. Na primeira, em cada lado do cavalo duas pessoas ficavam em pé - em um dos lados estaria um desconhecido e no outro alguém familiar. Através de um altofalante, as vozes do estranho e do conhecido eram difundidas na sala do teste. Quando ouvia a voz familiar, o cavalo a reconhecia imediatamente, identificando o rosto da pessoa. Contudo, quando era o som do desconhecido, o cavalo mostrava resistência antes de virar a cabeça. Os investigadores observaram também que, quando a pessoa se situava do lado direito, os animais reagiam mais rapidamente.

C.H.E.S.A >

Com enfoque na equitação de alta

performance, o Centro Hípico de Excelência Serra Azul (CHESA) inaugura em junho a Escola de Equitação. Sob o comando de Guilherme Aguiar, a novidade irá agregar ainda mais qualidade à estrutura atual do CHESA, criado especialmente para receber eventos hípicos e treinamentos.

Para a segunda experiência, foram colocadas duas pessoas conhecidas em cada um dos lados, de forma a assegurar que o cavalo seria capaz de distinguir as vozes e seus rostos. Os resultados sugerem que os cavalos usam naturalmente a sua estratégia de reconhecimento para identificar as inúmeras pessoas na sua vida cotidiana.

Taça das Nações FEI > A Presidente da FEI, Princesa Haya, declarou que o Saudi Equestrian Fund – criado pelo Rei da Arábia Saudita - irá financiar a “revitalização” da Taça das Nações FEI. Durante o anúncio, a Princesa

1. Através de experiências inusitadas, pesquisadores ingleses conseguiram detectar que os cavalos têm a capacidade de reconhecer seus donos pela voz.

1

Haya comentou que o fundo fornecerá apoio financeiro para o circuito deste ano e concordou também em patrocinar por cinco anos o campeonato. 45


n o t í c ias - adestra m ent o Fonte: Ruthe Araújo | Foto: Carola May

Nacional de

Adestramento Competição realizada entre 25 e 27/5 em São Paulo visou a formação de inédita equipe brasileira de Young Riders e Juniores. Clube Hípico de Santo Amaro recebeu também CDI3* Sênior e Concurso de Adestramento Nacional. Antonio Victor Marcari Oliva foi o destaque da categoria Juniores no Concurso de Dressage Internacional YR/JR realizado no Clube Hípico de Santo Amaro, em São Paulo. Montando Zodiac dos Diamantes, o cavaleiro mostrou regularidade em suas apresentações, conseguiu o primeiro lugar do pódio nos três dias e registrou as médias finais

1 1. O cavaleiro Antonio Victor Oliva recebendo a premiação do juiz espanhol Francisco Guerra. 2. Premiação do experiente Alexandre Moraes e da jovem amazona Julia Nemr. Foto: Teca Nemr.

de 66,000% e 64,895%, respectivamente na sexta e sá-

2

bado, e 67,675% no Freestyle, prova de encerramento no domingo.

Cada vez mais presente nos lugares mais altos do pódio,

Com participação de cinco conjuntos, a competição

Alexandre Morais de Oliveira foi o destaque do CDI3* com

foi a segunda observatória que visa a formação de uma

vitória na sexta e no sábado montando Rendsgaards Latha-

inédita equipe de Young Riders e Juniores que este ano

go com médias finais de 65,500% e 65,842%. No sábado,

representará o Brasil em competições internacionais.

o cavaleiro responsável pela formação de vários atletas na

Competitiva e sempre disputando ponto a ponto com Antonio Victor, a amazona Luiza Magalhães Sanches Ne-

Sociedade Hípica Paulista também assegurou a segunda colocação montando Crossy (64,158%).

grão de Lima montando Thor NP foi a segunda colocada

Rogerio Clementino montando Bravíssimo fechou sua

nas três provas, respectivamente registrando as médias

primeira apresentação em segundo lugar com média final

finais de 65,919%, 64,526% e 65,800%.

de 64,421%, e o terceiro lugar no sábado com média final de 64,053%s. No Freestyle de domingo, 27, uma belíssima

Young Riders

apresentação garantiu ao conjunto do Ilha Verde Team o pri-

O destaque foi Manuel Tavares de Almeida Neto que

meiro lugar do pódio com a média final de 67,150%. Ale-

montando Vinheste (AR) venceu as três provas, apresen-

xandre Oliveira com Rendsgaards Lathago ficou com a faixa

tando, respectivamente, as médias finais de 65,316%,

de vice-campeão ao registrar a média final de 65,725%.

66,684% e 67,325% no Freestyle. O principal adversário de Manuel Neto foi seu irmão

Concurso de Adestramento Nacional

Pedro que montando Xaparro do Vouga ficou em segun-

O fim de semana também foi reservado para um Concur-

do lugar nos dois primeiros dias de competição (médias de

so de Adestramento Nacional (CAN), com disputas em várias

64,500% e 65,211%), mas não concluiu o Freestyle no do-

séries e categorias. O destaque da Elementar Mini-mirim foi

mingo, quando um erro na execução de uma figura o fez

Julia Nemr montando Principal do Retiro. A garotinha de 9

desistir da prova.

anos venceu nos dois dias de competição com médias finais

Luisa Silveira montando Dancing Queen, terceira colocada na sexta e no sábado, faturou o segundo lugar no Freestyle com média final de 65,425%.

de 66,917% e 68,393%, respectivamente. Atuou no júri Freddy Leyman, da Bélgica, Francisco Guerra, da Espanha, e pelo Brasil o Cel. Salim Nigri, Sabine Bilton e Claudia Moreira de Mesquita.

CDI3* Sênior

46

Os Concursos de Dressage Internacional (YR/JR/SR) e o

Não foram apenas os jovens talentos que entraram em pis-

Concurso de Adestramento Nacional (CAN) tiveram orga-

ta no fim de semana santamarense. Um CDI3* Sênior reuniu

nização conjunta da Confederação Brasileira de Hipismo

alguns dos mais importantes atletas da categoria em atividade

(CBH), Federação Paulista de Hipismo (FPH) e do Clube Hípico

no País.

de Santo Amaro (CHSA).


47


Encontre os melhores profissionais do segmento e as melhores opções Unindo você a sua paixão

em compras, de algumas das principais cidades do circuito nacional. instr u t o res

Destaque do mês Ciro Abel

Nome: Rafael Lindner Dias Sobre o cavaleiro: A ligação com os cavalos acompanha o atleta desde a infância. Na pré-escola, quando Rafael desenhava sua família, o cavalo estava sempre evidente na imagem. Mais tarde, ganhou um

Telefone: (51) 9641 7755 Centro Hípico Porto Palmeira portopalmeira@uol.com.br Rio Grande do Sul

cavalo de presente de seu pai, o saudoso Ricardo Dias e a partir daí, Rafael nunca mais parou de montar. Prezando pela qualidade e técnica, o atleta sempre buscou se aprimorar ao lado de cavaleiros como Leandro Cardoso, Vitor Alves Teixeira, Cesar Almeida e Tiago Ribas. Neste ano, Rafael irá organizar uma importante Clínica de Saltos com o cavaleiro olímpico Pedro Veniss.

Maurício de Oliveira Franco

Nextel: 92*176181 Sociedade Hípica Paranaense maudeoliveirafranco@hotmail.com Paraná

telefone: (47) 9977.3393 / 87*25578 | email: lindnerdias@yahoo.com.br Guilherme Aguiar

Cristovão Delagerise

Telefone: (11) 8182 3344 Clube Hípico de Santo Amaro vitorteixeira@uol.com.br São Paulo

Telefone: (11) 7739 0108 C.H.E.S.A. gui@colband.com.br São Paulo

Telefone: (54) 8146 7833 Centro Hípico e Haras MD ctdellagerisi@hotmail.com Rio Grande do Sul

Fernando Costa

Mariana Cassettari

Denis Gouvea

(11) 7892.9887 | 7892.9885 Hípica Morumbi - wfhorse.com.br fernandojacosta@hotmail.com São Paulo

(48) 7812 0726 CEHIP www.cehip.com.br Santa Catarina

(51) 8126 2814 / 134*2902 Centro Hípico Lacan www.chlacan.com.br Rio Grande do Sul

Alexandre Gadelha

Fabio Sarti

Eroni Pacheco

Vitor Alves Teixeira

Telefone: (11) 7310 0766 Clube Hípico Santo Amaro alex_gadelha@hotmail.com São Paulo

(11) 8133 0190 Sociedade Hípica Paulista www.fabiosarti.com.br São Paulo

Bartholomeu Bueno de Miranda

Vailton Jaci Cordeiro (Baíca)

(11) 8181.5030 | 55*7*33886 Sociedade Hípica Paulista tottyreplay@hotmail.com São Paulo

(41) 9987 4578 / 92*5248 Sociedade Hípica Paranaense baicahipismo@terra.com.br Paraná

Leandro Cardoso

Anderson Tonon

(48) 7812 0504 / 7812 0589 Movimento Equestre ljccardoso@yahoo.com.br Santa Catarina

(41) 7811.4246 - 92*3138 .78114720 Sociedade Hípica Paranaense www.andersontonon.com.br Paraná

Marcelo Blessman

Eduardo Marchezzi

Francisco Luiz Viana

Telefone: (11) 8334 3434 Assessoria B.H. - Juíz Nacional B.H. mblessmann@hotmail.com São Paulo

Telefone: (41) 9622 3687 Sociedade Hípica Paranaense Paraná

(47) 9122 7534 / 84*78758 Centro Equestre Leme chico_cavaleiro@hotmail.com Santa Catarina

Telefone: (54) 9992 2722 Centro Hípico e Haras MD eronipacheco@yahoo.com.br Rio Grande do Sul Alberi Luiz Rodrigues

(51) 9806 0118 / 8450 0072 alberi2020@hotmail.com www.hipicast.com.br Rio Grande do Sul

Cesar Almeida

(11) 9949 1344 / 5*4932 Manegé Pinus Park - Cotia cesaralmeidabr@gmail.com São Paulo


S e l arias Galope Sport

Selaria Santa Rosa

Salto e Sela

Telefone: (41) 3266 7831 Vitor Ferreira do Amaral -Jockey Club www.selariasantarosa.com.br Paraná

Telefone: (11) 5533 2990 Av. Santo Amaro 1775 www.saltoesela.com.br São Paulo

(19) 7828-9844 / (19)7828-0075 galopesport@yahoo.com.br www.galopesport.com.br São Paulo

Horse Shop

Maison du Cavalier

Telefone: (11) 8380 0853 Alameda das meninas,265-Cotia www.horseshop.com.br São Paulo

(11) 5505 0900 | (21) 2535-8946 Soc.Hipica Paulista e Brasileira www.maisonducavalier.com.br São Paulo / Rio de Janeiro

Ecuyer

(51) 3311 1256 / 9333 1556 Av. Juca Batista 4931 mariahipica@hotmail.com Rio Grande do Sul Selaria Santa Rosa

Selaria Querência Rio

Equiloja Spur

Telefone: (21) 2548-7090 R. Figueiredo de Magalhães, 615.Lj F www.querenciario.com Rio de Janeiro

(11) 3845 0365 / 3845 7611 Rua do Consórcio, 125 www.spur.com.br São Paulo

Telefone: (51) 3241 8455 R. Cel.Claudino 10 CS12-Jockey Club www. selariasantarosars.com.br Rio Grande do Sul

Selaria HDB

Best Choice

(41) 3332 6500 / 9101 0387 Sociedade Hípica Paranaense www.hdbextreme.com Paraná

Selaria Villaça

(11) 5524 3681 / 7718 5017 b.choice@hotmail.com www.bestchoice.com.br São Paulo

(11) 3813 8752 R. Pero Leão nº161 - Pinheiros www.selariavilaca.com.br São Paulo

Cavallus

VETERINÁRIOS Pedro Vicente Michelotto Jr

Telefone: (41) 9234 9218 Jockey Club do Paraná michelottojunior@yahoo.com.br Clínica, cirurgia e acupuntura Paraná

Valdir Roberto Tonin

Telefone: (41) 9974 2888 Sociedade Hípica Paranaense valdiroberto@globo.com Clínica e cirurgia equina Paraná

Christiano Rinaldi

(41) 8403.6738 | 7820 2467 Nextel:114*32403 crinaldi@uol.com.br Odontologia Equina Paraná

Lab. de Análises Clínicas Tarumã

Murilo Nichele Telefone: (41) 3366 7616 / 9974 4955 Av. Vitor F. do Amaral - Jockey Club - PR tarumalab@hotmail.com Paraná CARE Centro Avançado de Reabilitação

(41) 3076 3218 / 96*1813 Jockey Club do Paraná j.garotti@uol.com.br Radiografia digital / Clínica e cirurgia Paraná

Carolina Dunin

(41) 7815 1023 / 92*7142 Sociedade Hípica Paranaense caroldunin@yahoo.com.br Clínica e Fisioterapia equina Paraná

Telefone: (61) 3445 2008 Setor Hípico Sul. dentro da SHBR www.cavallus.com.br Brasília

Luis Fernando Coelho Bastos

(41) 3022 7806 / 9965 0521 (41) 7815 6570 / 92*20519 luisbst@terra.com.br Radiografia digital Paraná

João Luiz dos Santos

Telefone: (47) 9985 4372 eohippus_joao6@hotmail.com Clínica e cirurgia equina Santa Catarina

VENDA DE CAVALOS - Criadores Cavalos de Salto

(11) 9121 0633 | 7695 6865 contato@cavalosdesalto.com.br www.cavalosdesalto.com.br São Paulo

Marcelo Mesias

Telefone: (19) 9771 3949 Rancho Império ranchoim@terra.com.br São Paulo


Centros hípicos C. Hípico de Excelência SerrAzul

Telefone: (11) 7739 0108 Rod. dos Bandeirantes km. 72 www.chesa.com.br São Paulo

Centro Hípico Alterosa

CEHIP - Marina Cassettari

Telefone: (61) 9271 4945 INCRA 9 – chácara 3 / 465 rafa.d.j@hotmail.com Brasília

Telefone: (48) 7812 0726 R. Anardina Silveira Santos 441 www.cehip.com.br Santa Catarina

Rancho Império

Centro Equestre Leme

Movimento Equestre

Telefone: (19) 9771 3949 R. Norte 118 - Indaiatuba ranchoim@terra.com.br São Paulo

(47) 3435 2937 www.celeme.com.br hipismo.leme@terra.com.br Santa Catarina

(48) 3357 3159 / 7812 0589 Av. Vidal Vic. de Andrade 676 movimentoequestre.com Santa Catarina

C. Hípico e Haras MD

Manege das Araucárias

Joinville Country Club

Telefone: (41) 9987 5588 Estrada da Fazendinha, km 6 - Araucárias manegedasaraucarias.com.br Paraná

Telefone: (47) 3489 9620 Estrada da Ilha 4830 www.sitejcc.com.br Santa Catarina

Telefone: (54) 3313 3769 Estrada Santo Antão s/n www.harasmd.com.br Rio Grande do Sul By Ranna

Telefone: (51) 9965 8889 Beco do Schneider - Porto Alegre milucan_n@hotmail.com Rio Grande do Sul

Sociedade Hipíca Paranaense

Telefone: (41) 3266 6644 Br 116 / km 93 www.hipicaparanaense.com.br Paraná

f edera ç õ es Federação Hípica de Brasília

Presidente: Luiz Filipe R. Coelho Telefone: (61) 3245 5870 SHIP - Sul, lote número 8 www.fhbr.com.br Brasília

F. Gaúcha de Esportes Equestres

Presidente: João Mazzaferro Telefone: (51) 3264 1297 Av. Juca Batista 4931 www.fgee.com.br Rio Grande do Sul

Federação Paranaense de Hipismo

Presidente: Rodrigo Otávio Kost Telefone: (41) 3363 3406 R. Itupava 1299 sala 111 www.fprh.com.br Paraná F. Catarinense de Hipismo

Presidente: Artisio Prandini Neto Telefone: (47) 3350 6881 Av. Antonio Heil km 29,5 nº33 s.4 www.fch.com.br Santa Catarina

p r o d u t o s e servi ç o s Beto Transporte

(41) 9661.1622 | 3642.1129 Transporte de cavalos betoinckot@ig.com.br Paraná

Atelier Vasconcellos

Esculturas em metal Telefone: (19) 3272 3722 / 9167 7252 www.zevasconcellos.com.br contato@zevasconcellos.com.br São Paulo

Lavizoo

SAC 0800 771 0241 lavizoo@lavizoo.com.br www.lavizoo.com.br São Paulo

Road House Grill

(61) 3321 8535 / 3034 8535 Brasília SCES e Terraço Shopping www.roadhousegrill.com.br Brasília

Ferraduras Brasil

(15) 3302 3717 / 4141 1594 Av. Antonio Silva Saladino 1826 Sorocaba - SP www.ferradurasbrasil.com.br São Paulo MA Parcour Ltda

(41) 9987-5588 / 7815-2567 / 92*10478 contato@maparcour.com.br www.maparcour.com.br Paraná

Para estar no GUIA 4 PATAS, envie um email para contato@mundoequestre.com.br ou ligue: 41 3203.1960


Revista Mundo Equestre - junho 2012  

Revista Mundo Equestre - Bem-estar para cavalo e cavaleiro, também na internet.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you