Page 1

Mundo de Isis II – 0 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 1 – Histórias de Viagens

Texto de acordo com a nova ortografia.

Fotos: Ledo Gomes Revisão: Nina Martinez

Joner Jr., Iedo S. 1973 – Mundo de Isis 2: Histórias de Viagens / Iedo S. Joner Jr. – 1 ed. – Novo Hamburgo, RS. ISSUU 258p.: 21 cm

© Ledo Gomes, 2017.

Prefixo Editorial: 917492.

O conteúdo obra está protegido de acordo com a Lei nº 9.610/98. Não reproduza nenhuma das informações aqui contidas sem a expressa autorização do autor.


Mundo de Isis II – 2 – Histórias de Viagens

2

www.MundodeIsis.com.br Edição do Autor (não finalizada)


Mundo de Isis II – 3 – Histórias de Viagens

Versão II

Durante o período em que esta livro foi escrito perdí alguns grandes companheiros de viagem. Meu pai foi para a sua última jornada, levando como acompanhantes sua mãe e o meu cachorro. Todas estas passagens ocorreram em um curto espaço de tempo, um ano. Dois capítulos deste livro são dedicados à memória destes viajantes. Agradeço ao Grande Criador, sem Ele, este mundo tão interessante não teria existido. Imagino que Ele tenha escolhido o melhor momento para chamar meu pai. Acredito que Ele tenha chamado minha avó Rosa e meu cachorro Mulder para preparar a Isis para a perda do seu avô Iedo. Agradeço a minha esposa pela insistência em ser mãe e a disposição que sempre demonstrou em me acompanhar, até nas maiores indiadas. Em especial ao seu apoio incondicional na realização de um desejo de viagem para o meu pai. Agradeço a Isis, por ela simplesmente existir e provar que a paternidade é a maior aventura que existe. Aproveito para relembrar a memória dos que nos deixaram: Vô Bolivar, Vó Maria, Bisa Rosa, Vô Iedo, Pépa, Malú e Mulder. O título, Mundo de Isis, é criação dela, trata-se de um lugar mágico onde a vida é bem diferente do normal e as leis da física seguidamente não se aplicam.


Mundo de Isis II – 4 – Histórias de Viagens

Sumário

Apresentação.........................................................................

6

América do Sul e Caribe.........................................................

8

Lima no Peru..........................................................................

12

Comentários da Isis sobre Lima.............................................

21

Venezuela I, só problemas.....................................................

22

Cruzeiro Pullmantur Monarch...............................................

26

Batalha Naval.........................................................................

28

Comentários da Isis sobre o navio.........................................

29

Curaçao..................................................................................

46

Comentários da Isis sobre Curaçao........................................

47

Colón no Panamá...................................................................

48

Comentários da Isis sobre Colón............................................

51

Cartagena na Colômbia..........................................................

52

Comentários da Isis sobre Cartagena.....................................

55

Aruba.....................................................................................

56

Comentários da Isis sobre Aruba...........................................

58

Venezuela II, deu tudo certo..................................................

60


Mundo de Isis II – 5 – Histórias de Viagens

Comentários da Isis sobre a Venezuela.................................

62

Pai, te amo! ...........................................................................

64

Epifania sobre o Caribe..........................................................

66

Planejando Uruguai...............................................................

68

O Caso da Borboleta Atíria.....................................................

76

Acidente rodoviário na viagem ao Chuí.................................

78

Montevidéu...........................................................................

82

Puntas: Ballena e Del Este......................................................

98

Chuy e Chuí............................................................................

108

Neve em Gramado.................................................................

114

Planejando nova incursão pelo Caribe...................................

120

Planejando a Disney nos EUA................................................

130

Últimos acertos para o Caribe 2.............................................

132

Caribe 2..................................................................................

137

Batalha Naval.........................................................................

156

Caribe 3..................................................................................

162

Comentários da Isis ..............................................................

182

Volta ao Mediterâneo............................................................

190


Mundo de Isis II – 6 – Histórias de Viagens

Apresentação

Com a Isis ficando “mais velha” perdemos a liberdade de viajar em qualquer data e por longos períodos. A solução encontrada foi a de realizar viagens de menor duração e nos adaptar com as caras e disputadas férias de verão. O livro 1 termina com a Isis com 8 anos, tendo passado pela Alemanha, Andorra, Argentina, Áustria, Bélgica, Brasil, Croácia (2x), Espanha (2x), França (2x), Grécia (2x), Inglaterra, Itália (2x), Malta, Portugal (2x), San Marino e Vaticano. Poderia considerar ainda a Catalunha (que não é um país, ainda) e Bahamas (bandeira do navio da Royal Caribbean). Estou incentivando a Isis a escrever, ela faz alguns parágrafos do livro 2 e gostaria que o livro 3 seja só dela.

A companhia Costa fez uma promoção que era exclusiva para casais, comprei achando que “na hora” poderia pagar a diferença e levar a Isis.


Mundo de Isis II – 7 – Histórias de Viagens

A mecânica da promoção era a seguinte: Escolhiam-se duas datas de saída e dois roteiros e, alguns dias antes do cruzeiro a Costa informaria qual seria efetivado. Como não gostamos de voar para São Paulo escolhi dois roteiros que saiam do Rio de Janeiro. Não consegui incluir a Isis então acabamos por fazer uma nova lua de mel. O curioso foi que no “sorteio” acabamos ganhando a maior cabine da nossa carreira, com direito a sacada e tudo. No clubinho do Costa Favolosa encontramos uma conhecida (e responsável da área), a Carol, contamos esta nossa história e ela resolveu mandar um presente para a Isis. É o embrulho da foto da página anterior. A inovação desta versão são os vídeos em alta definição, HD. Eu já poderia ter usado esta tecnologia antes, não fiz em função do tamanho dos arquivos, 6 minutos em HD geram um arquivo digital equivalente a um gigabyte. Com o recurso HD melhora-se a experiência de segunda tela, ou seja, o livro pode ser acompanhado com o seu tablet, assistindo aos vídeos que estão no Youtube. O índice está organizado em www.mundodeisis.com.br e as referencias estarão nos capítulos correspondentes. Também fiz vídeos com APP de celular, muito fraco. Outro aspecto novo e interessante é fazer as viagens sabendo do livro. O primeiro livro nasceu de comentários que eu colocava no blog das viagens www.EuroReal.blogspot.com agora eu viajo pensando no que vou escrever. Não sei se isso é bom ou ruim. No mesmo ano da viagem com o Costa Favolosa viajamos no Pullmantur Monarch o que possibilitou uma nova “batalha naval”. No roteiro da Pullmantur pela America do Sul e Caribe (?) a Isis esteve presente. Ela também foi incentivada a registrar suas impressões http://youtu.be/gu4kqNUFvOg Aos 9 anos a Isis visitou projeto Tamar em Florianópolis, uma total surpresa para nós foi descobrir que há uma “filial” em Santa Catarina.


Mundo de Isis II – 8 – Histórias de Viagens

America do Sul e Caribe Caribe... tive que procurar para saber o que vem a ser “o Caribe”, segue: O Caribe constitui uma região do continente americano formada pelo Mar do Caribe, suas ilhas e estados insulares. Também é chamado de Antilhas ou Índias Ocidentais, nome originado pela crença inicial europeia de que o continente americano fosse a Índia (o termo "ocidentais" foi, posteriormente, adicionado para distinguir a região da Índia verdadeira). Os nascidos nas ilhas do Caribe são denominados caribenhos. O Caribe está localizado na placa tectônica do mesmo nome - a Placa Caribeana, que engloba também a parte sul da América Central. Na fronteira desta placa com a Placa Sul-americana, a leste, junto ao Oceano Atlântico, existe uma zona de subducção vulcanicamente ativa, que originou as Pequenas Antilhas. Territórios: Anguilla (colônia britânica), Antígua, Barbuda, Antilhas Holandesas (parte do Reino dos Países Baixos), Bonaire, Curaçao, Saba, Santo Eustáquio, São Martinho (parte de uma ilha dividida com Guadeloupe), Aruba (parte do Reino dos Países Baixos), Bahamas, Andros, Cat Island, Eleuthera, Grande Bahama, New Providence, com a capital Nassau, Barbados, Bermuda (colônia britânica), Ilhas Virgens, Ilhas Virgens Americanas (território dos Estados Unidos), Ilhas Virgens Britânicas (colônia britânica), Ilhas Caymans (colônia britânica), Cayman Brac, Grand Cayman (com a capital Georgetown), Little Cayman, Cuba, Dominica, República Dominicana, Ilha de São Domingos (também "Espanhola" ou "Hispaniola", ilha dividida com o Haiti e República Dominicana), Granada (divide as Granadinas com São Vicente e Granadinas), Guadalupe (departamento ultramarino da França), Ilha de Basse-Terre, La Désirade, Grande-Terre, Marie Galante, Îles de la Petite Terre, Îles des Saintes (duas ilhas), São Bartolomeu (também Saint Barts) São Martinho/St.Maarten (parte de uma ilha dividida com as Antilhas Holandesas), Haiti, Santa Lucia, Jamaica, Martinica (departamento ultramarino da França), México não é


Mundo de Isis II – 9 – Histórias de Viagens

um país caribenho, mas tem algumas ilhas no Caribe: Ilha de Cancún, parte da cidade de Cancún, Ilha das Mulheres, perto de Cancún. A lista segue com: Cozumel, Montserrat (colônia britânica), Porto Rico (estado livremente associado aos Estados Unidos), São Cristóvão, Névis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas (divide as Granadinas com Granada), Bequia, Mustique, Palm Island, São Vicente, Young Island, Tobago, Trinidad, Turks e Caicos (colônia britânica), Grande Turca e Providenciales. Fica longe demais, ao norte do norte do Brasil:

Começou assim... peguei o panfleto da CVC que anunciava um Cruzeiro de 7 dias por R$ 1.090,00 saído do Panamá. Como a Isis estava com outras atividades resolvi investir tempo e entrei na agência para conseguir mais informações.


Mundo de Isis II – 10 – Histórias de Viagens

Depois de vários minutos e muito trabalho do atendente com os seus sistemas fiquei sabendo que o Cruzeiro era 30% mais caro (para 3 pessoas e incluindo todas as taxas) e que as passagens aéreas custariam 125% do valor do navio. Agradeci o atendimento recebido sem dar esperanças de fechar este pacote. Em casa iniciei a pesquisa sobre a Pullmantur (antes daquele panfleto não me lembro de ter tido contato anterior com eles) e sobre outras possibilidades e ofertas. Achei o MESMO roteiro, só que saindo da Venezuela. Minha esperança era que os voos fossem mais baratos. Enviei todas as informações para a agência que mais me atende e fiquei aguardando a resposta. As respostas que vieram não foram satisfatórias, seguia sendo muito caro (e demorado) voar pela América do Sul. Mais de um mês se passou, recebi outras ofertas de várias agências. E nada. Tudo muito caro ou as datas eram complicadas e o final do ano se aproximando com assustadora velocidade. Fui à escola conversar com a professora da Isis para saber da possibilidade dela se ausentar nas últimas semanas do ano letivo. Recebi o sinal verde. Novamente pego o panfleto atualizado da CVC e lá está a aquela mesma oferta da Pullmantur. Consegui o telefone da esposa de um conhecido que trabalha na CVC só que em outro endereço. Liguei para ela, contei tudo que já havia passado, que a dificuldade era que o valor da parte aérea era desproporcional ao valor do cruzeiro. Algumas semanas depois consegui fechar o pacote, foi mais barato do que aquela primeira cotação e incluiu 3 dias em Lima. Golaço!


Mundo de Isis II – 11 – Histórias de Viagens

Roteiro: Embarque em LA GUAIRA, vai para CURAÇAO, passa um dia navegando, daí COLÓN, CARTAGENA, mais um dia navegando, para em ARUBA e volta para LA GUAIRA. Um ano depois este mesmo roteiro era vendido pelo DOBRO do preço (em dólares!!!). Na preparação padrão solicitei a liberação dos meus cartões de crédito e débito para uso internacional. Uso Itaú e Banco do Brasil com Visa e Mastercard de forma invertida, a bandeira que é debito em um banco é crédito no outro.


Mundo de Isis II – 12 – Histórias de Viagens

Lima no Peru Voamos com a companhia Taca para a capital do Peru, onde passamos alguns dias. Foi um voo direto de 4 horas.

Não há loiras no Peru. O trânsito é muito maluco e buzinam para expressar alegria, tristeza ou qualquer outra coisa. No caminho do aeroporto para o hotel vi placas de propaganda e descobri que o preço dos automóveis por aqui é bem melhor do que no Brasil. O nuevo sol, ou simplesmente sol, é a moeda oficial do Peru. A cotação de um sol costuma variar de R$ 0,80 a R$ 0,85. Na atualidade circulam moedas de 5, 10, 20, 50 céntimos e de 1, 2 e 5 soles. As notas são de 10, 20, 50, 100 e 200 soles.


Mundo de Isis II – 13 – Histórias de Viagens

Encontrar a moeda peruana no Brasil não é tarefa fácil. A menos que você more em uma grande cidade é difícil haver disponibilidade de notas e geralmente só é possível encontrar após encomenda. Com isso, a cotação não é das melhores. Saquei 300 soles no aeroporto, o que me custou 276 reais. O taxi para o hotel custou 132 soles. Daqui voamos para a Venezuela onde pegamos o navio Monarch. Vídeo da primeira saída do hotel http://youtu.be/wT5um6Sxat0 estamos no bairro Miraflores, o segundo mais importante dos 43 distritos de Lima. O refrigerante nacional é a Inca Kola, gosto de tuti-fruti, doce demais!


Mundo de Isis II – 14 – Histórias de Viagens

Fizemos um Citytour Noturno, o primeiro da nossa carreira, o vídeo está em: http://youtu.be/-O5L2UsRGfI foi das melhores coisas que desta viagem. Normalmente não temos programas noturnos e este foi mito bom. Recomendo muito: #ficaadica. Fundada em 1535, Lima, mistura aspectos de uma cidade cosmopolita e resquícios de seu passado colonial. No Centro Histórico, declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, está a famosa Plaza de Armas, com símbolos arquitetônicos, como a Catedral, o Monastério San Francisco e o Palácio de Gobierno. A metrópole também possui uma grande oferta de museus, como o Larco, que reúne peças do império inca e até uma coleção de arte erótica. Com acontece em outras regiões do país, Lima também apresenta sítios arqueológicos como Huaca Pucllana. Confira esses e outros pontos turísticos de Lima. Huaca Pucllana nossa http://youtu.be/dkyoKuU7gF8

primeira

pirâmide

em:


Mundo de Isis II – 15 – Histórias de Viagens

Plaza de Armas Além de abrigar a catedral da cidade, o Palácio de Gobierno e a igreja e convento de San Francisco, a principal praça de Lima também é lugar da antiga residência de Francisco Pizarro e atual centro do poder político do país. Por lá é possível fazer um passeio de trem, charrete ou apenas passear pela praça que fica cheia de turistas e locais nos finais de semana. A área também é rodeada de lojas e restaurantes. Catedral de Lima O prédio de estilo barroco foi construído originalmente em 1540, mas, devido a terremotos e guerras, precisou ser reconstruído cinco vezes. O altar feito de madeira entalhada chama atenção assim como os mosaicos e as pinturas da igreja. Em 1756, a catedral recebeu os restos mortais do conquistador espanhol Francisco Pizarro, que ocupam uma capela feita de mármore. O prédio também abriga capelas e o Museo de Arte Religiosa. O prédio é aberto à visitação de segunda a sexta, das 9h às 17h, aos sábados, das 10h às 13h, e aos domingos, quando a entrada é restrita aos horários de missa. Igreja e monastério de San Francisco O complexo reúne uma igreja e um monastério, mas é especialmente conhecido por suas catacumbas subterrâneas que possuem cerca de 25 mil ossadas de pessoas enterradas ali entre os séculos 17 e 18. Esta foi uma das únicas construções que resistiram ao grande terremoto que atingiu a cidade em 1746. O edifício também possui um museu e oferece um passeio guiado com informações sobre a história da arquitetura, de ícones religiosos e obras de arte. O tour também inclui visitação às catacumbas e a igreja fica aberta diariamente das 7h às 11h e das 16h às 20h. Convento San Domingo O convento da ordem dominicana foi fundado em 1535 e abriga em sua sala capitular os restos mortais de Santa Rosa de Lima, uma das santas mais veneradas pelo povo peruano. Logo na entrada, os visitantes podem observar o belo teto feito de mosaico de madeira e os azulejos que datam


Mundo de Isis II – 16 – Histórias de Viagens

do início do século 17. O prédio também contém uma biblioteca de cerca de 25 mil volumes. A capela de San Martin, outro santo fortemente venerado no país, ocupa o segundo claustro, com arquitetura de influência árabe. Construída no século 18, a capela também contém a tumba do santo. Foi no convento que, em 1551, foi fundada a Universidade de San Marco, considerada a primeira das Américas. Huaca Pucllana Localizado em Miraflores, um dos bairros mais nobres da cidade, esse sítio arqueológico é considerado um dos mais importantes centros cerimoniais da época pré-hispânica. A pirâmide de cerca de 30 metros de altura é apenas uma parte da construção original e vem sendo restaurada há mais de 30 anos. O local também abriga um museu com objetos encontrados nas escavações e serve de palco para alguns eventos culturais.

Museu Larco Este é um dos museus mais importantes do país. Seu acervo reúne milhares de peças encontradas durante escavações nas terras de seu fundador, Rafael Larco. Além da exposição com esculturas, objetos


Mundo de Isis II – 17 – Histórias de Viagens

domésticos, joias e restos mortais, o museu também possui uma mostra de arte erótica, com representações do povo inca de hábitos sexuais. Depois de curtir a exposição, o turista ainda pode passar algum tempo no café ou no jardim florido do museu. A visitação acontece de segunda a domingo, das 9:00 às 22:00, e custa 30 soles, cerca de R$ 24,00. Lima tem um clima que varia muito durante o ano, fazendo muito calor no verão e frio no inverno, já que está localizada em uma região alta. Para quem passa pela cidade, alguns lugares não podem deixar de fazer parte do roteiro como a Casa Museu “José Carlos Mariátegui”, o Centro Histórico, a catedral e o Palácio Presidencial, também conhecido como Casa de Pizarro. Para quem ainda tem mais um tempo para ficar em Lima também vale a pena ir ao Museu Arqueológico e ao Museu de Arte. A cidade conta ainda com o balneário de Punta Hermosa e com o parque “A Muralha”. El Circuito Mágico del Agua, del histórico Parque de la Reserva de Lima es el complejo de fuentes más grande del mundo en un parque público. Esse parque tem dois recordes registrados no Guiness Book, o da fonte que jorra mais água e o do parque público com mais fontes. Essa foi uma das paradas no citytour noturno que fizemos #ficaadica é imperdível! Eles tem um show com projeções de imagens e lasers em uma das fontes que é espetacular.


Mundo de Isis II – 18 – Histórias de Viagens

O Gustave Eiffel assina esta obra em Lima, fica no parque da exposição:

Além da torre em Paris, também conhecemos a ponte dele que liga Porto a Gaia, em Portugal. Mas não precisa se preocupar com isso. Caso não consiga comprar soles ou só encontre com uma cotação baixa você pode adquirir dólares, pois são bem aceitos no país. TSUNAMI vídeo será publicado em: http://youtu.be/15-ArytYPv


Mundo de Isis II – 19 – Histórias de Viagens

Ontem encomendei um taxi para nos levar ao aeroporto. A menina da recepção falou do trânsito terrível de Lima. Acabei pedindo o taxi para as 7:45 levamos mais de uma hora para chegar. Nos "sobrou" soles. Depois de toda a função de fazer o checkin e passar pela imigração sobraram poucos minutos para as compras. Voltaremos ao Brasil com moeda peruana. O taxi da volta saiu por 50 soles. A Taca se uniu com a Avianca. Usamos o transporte coletivo, nos perdemos, mas no fim deu tudo certo. O cartão sai por 4,50 soles, a viagem 2,00.

O genial “Solmáforo” ficam em uma praça pública perto de onde se pratica parapente em Lima. Ele indica a intensidade dos raios UV.


Mundo de Isis II – 20 – Histórias de Viagens

Hotel El Tambo US$ 130.00

localização

conforto

beleza

Internet

média

9

7

8

8

8,00


Mundo de Isis II – 21 – Histórias de Viagens

Comentários da Isis sobre Lima O hotel que nós ficamos era muito bonito, o quarto era do lado do café da manhã que tinha varias frutas como Kiwi , Melancia , Melão , Mamão e Abacaxi. E era só caminhar um pouco que nós chegamos no Shopping e foi lá que o pai conseguiu o Citytur de noite. Foi bem legal, lá coisa mais legal foi o parque da reserva, vimos muitos chafarises e um deles ganhou até como: o maior jato de água do mundo, e tinha um que a gente passou por baixo. E lá perto do shopping tinha um ‘carinha” de parapente. E essa foi a nossa viagem a Lima AMO VOCÊS Obs. Eles comem Porquinhos da India “Cuy” e eles tomam muita Inka Kola. Pela mãe é o melhor refri do mundo.


Mundo de Isis II – 22 – Histórias de Viagens

Venezuela I, só problemas... Depois de um bom voo de quatro horas, Taca/Avianca, a partir de Lima chegamos a Caracas. Dentro do avião recebemos dois formulários para preencher, um para entrar no país e outro a respeito dos itens que trazíamos conosco. Ambos solicitam dados pessoais completos, número do passaporte e nosso destino dentro da Venezuela.

Depois que desembarcamos procuramos a fila para entrar no país, haviam placas indicando filas especiais para os países “Bolivarianos”, não achei placa com referência ao Mercosul. Perguntei na central de informações qual a fila para brasileiros e a resposta foi “qualquer uma”. Escolhi a que parecia ser a melhor e lá fomos, uns 15 minutos depois recebemos o carimbo de entrada e fomos resgatar as malas.


Mundo de Isis II – 23 – Histórias de Viagens

Começa o primeiro drama. Onde fica a esteira do nosso voo? Não há um painel eletrônico de informações onde constam todos os voos que chegaram e suas respectivas esteiras. Deixei as meninas paradas entre duas esteiras e caminhei por todas as outras olhando os painéis de cada uma. Nada. Vi um funcionário do aeroporto e pedi informações a ele e a resposta foi: “Eu não trabalho para a Taca, você tem que falar com alguém da Taca”. No melhor estilo “coice de cavalo”. Segui caminhando e procurando informações. Encontrei um rapazinho, com uniforme da Taca, perguntei a ele e a resposta foi: “Não sei”. Passaram uns 15 minutos, desisti e voltei para onde estavam as meninas, que tiveram mais sorte e conseguiram a informação de qual esteira seria utilizada para as nossas malas. Lá fomos nós. O placar eletrônico indicava o nosso voo junto com outro. Depois de 15 minutos, apareceu uma das malas. Reparei outros passageiros pressionando funcionários da Taca e fui lá ver, como falavam em espanhol (que pareceu ser muito melhor do que o meu) resolvi só escutar. Entendi que a resposta do funcionário foi “é aguardar que as malas virão”. Voltei, consegui um banco para a Isis sentar e ficamos aguardando as malas. Este processo levou uma hora! Vídeo: http://youtu.be/HLKFPwKtqbo sobrou tempo para perceber um pequeno fuso horário, de 30 minutos a mais em relação à Lima. Agora é o momento de procurar o taxi para nos levar ao porto de La Guaíra (que se pronuncia La Guáira). Tínhamos a expectativa de ter tempo livre na Venezuela para visitar Caracas, mas em função do atraso das malas isso não será possível, nem tentamos. Achei um guichê para atendimento a clientes de taxi, perguntei se podiam nos levar até o porto. Confirmaram que sim e daí me apresentaram ao motorista, perguntei sobre o valor e disseram que era 40 dólares. Achei caro, mas o que eu podia fazer? Perguntei se pagava ali mesmo com cartão e respondeu que era com o motorista e em dinheiro.


Mundo de Isis II – 24 – Histórias de Viagens

Descemos do taxi, paguei a corrida (ele reclamou de uma nota de 20 surrada, então troquei) pegamos as malas e entramos no porto (na volta o valor pago foi ¼ deste). Tudo muito confuso, deixei as meninas com as malas e fui procurar informação. Achei um funcionário da Pullmantur que me indicou a fila para despachar as malas. Um outro trouxe vários formulários e disse que tínhamos coisas para pagar. Falei que tinha pago tudo no Brasil, com a CVC. Não adiantou. Disse ele: essa taxa de 321 bolivares é do porto, tem que pagar aqui... Não tem outro jeito... Eles não aceitam cartão... Esse preço e por passageiro, em dólar vai dar 150. Mas eu tenho a solução. Eu te vendo 1000 bolivares por 90 dólares e ai... Novamente argumentei que tinha fechado um pacote completo no Brasil, não adiantou. Ele disse que tínhamos comprado o cruzeiro por 240 dólares e que a taxa não está incluída. Falei que pagamos mais que o dobro deste valor, mostrei o voucher da CVC. Nada adiantou. No fim os 1000 bolivares acabaram saindo por 75 dólares. O funcionário da Pullmantur não tinha troco, em dólares, para 100. Alguém me enrolou nessa. Paguei os 75 dólares ao funcionário e ele me entregou discretamente os 1000 bolivares. Sabia que estava fazendo algo errado. Conferi o valor também discretamente. Ele nos passou na frente na fila das pessoas que aguardavam o checkin. Entregamos os formulários a uma atendente e esta, além dos mil Bolivares, não recebi nenhum recibo. Queria também mais 90 dólares para pagar as gorjetas. Ou propina em espanhol. Novamente informei que já havia pago no Brasil. Desta vez não me forçaram a pagar em duplicidade Foto do “troco” do achaque, na próxima página.


Mundo de Isis II – 25 – Histórias de Viagens

Fomos para a fila da imigração. Mais formulários, mostrar passaportes e conseguimos o carimbo para sair da Venezuela.

Entramos no navio e nossa cabine estava toda desarrumada. Incrivelmente desarrumada e com quatro camas de solteiro. Levamos a Isis no brinca brinca. Ela não ficou só fez o cadastro. O brinca foi a melhor coisa do navio até aqui. Cinco meses depois do relato do problema, a CVC me ligou informando que não faria o ressarcimento do achaque do funcionário da Pullmantur.


Mundo de Isis II – 26 – Histórias de Viagens

Cruzeiro Pullmantur Monarch O Monarch é o maior e mais novo navio deles, tem capacidade para 2.700 passageiros e 900 tripulantes. Tem clubinho para as crianças. Parece bom.


Mundo de Isis II – 27 – Histórias de Viagens

Bem boa à localização da nossa cabine, no chamado “meio do meio”:

Tinha este modelo em todos os andares para facilitar os deslocamentos internos. Em Lima a Isis não escreveu nada, ela foi pegar o livro para fazer seus comentários dentro do Navio:

Interessante reparar nesta foto o jeito peculiar que ela pega o lápis.


Mundo de Isis II – 28 – Histórias de Viagens

Batalha Naval Café da Manhã no Monarch, Cruzeiro da Pullmantur: http://youtu.be/nPmYuSskdKY As comparações entre as companhias Costa e a Pullmantur e seus navios são inevitáveis, fiz uma tabela comparativa e chamei de BATALHA NAVAL:

QUESITO Almoço buffet Café da manhã Jantar Bebidas TV Internet Organização Informação Brinca-brinca Brinca atividades Shows Eventos Beleza do navio

VENCEDOR Pullmantur Costa Costa Pullmantur Pullmantur Costa Costa Costa Costa Costa Pullmantur Costa Costa

Quarto/Cabine

Costa

Piscinas Conforto Sorteios

Costa Costa Costa

Quiz

Costa

Motivo da vitória Menos filas Maior variedade de pratos 5 pratos, imbatível All inclusive, imbatível HBO e canais de filmes Menos cara Quase empataram nessa Mais farta, e com TV interativa Mais tempo aberto Mais atividades Brasileiros esforçados Praticamente todos os dias Quase empataram nessa Covardia essa, foi maior cabine da nossa história (externa com varanda) versus a menor (não conseguimos abrir as malas) Maiores e mais equipadas A cabine contou muito Só ele fez Organizado, com formuários e premios Não tinha crianças correndo pelos corredores

Tranquilidade Costa Costa Favolosa 15 X 4 Pullmantur Monarch


Mundo de Isis II – 29 – Histórias de Viagens

Os Pirata! (no Monarch) http://youtu.be/fei1f5xKTlY Buffet Tropical no Cruzeiro Monarch: http://youtu.be/AVvgzGvexoM

Comentários da Isis sobre o navio

Eba ferias de caminhar... no primeiro dia já fui ver o brinca lá eu conheci todas as “tias” Miri, Caramelo e a Gina.. O primeiro show com música da Madonna a pai adorou, a piscina é ótima mais um pouco fria. No último dia teve show do Brasil e festa tropical. Informações sobre as paradas desta viagem: Informação sobre La Guaira É considerada a porta de entrada à Venezuela, e nela se situa um dos portos mais importantes da nação, onde nosso Cruzeiro começa. Os Caraquenhos se refugiam em La Guaira à fim de escapar da vida urbana e desfrutar das suas bonitas praias , onde podem praticar divertidas atividades esportivas , como o surf ou o longboard. A cidade combina o estilo moderno com o colonial. Os edificios comerciais se alternam com ruas antigas, estreitas e de pedras. Se analizamos apenas a arquitetura, nos


Mundo de Isis II – 30 – Histórias de Viagens

parecerá anárquica, porém, o resultado do conjunto faz sentido e se ajusta perfeitamente a idiossincrasia do caribenho, onde a norma é a espontaneidade. O Cruzeiro oferece a oportunidade de visitar Caracas, a capital venezuelana, conhecida como a sucursal do Céu. Nela se fusionam imponentes estruturas modernas com florestas e reservas naturais. Possui um centro econômico e é a sede do poder político. A variedade de origen da população e o legado que aportaram com sua gastronomia, artesanato e música, dotam a cidade com uma rica herança cultural. Graças a sua proximidade com a cidade de La Guaira, podemos admirar o parque Nacional El Ávila, maciço que separa o mar de Caracas. Devido as diferenças de altura, desde o nivel do mar aos 2.765 metros, há uma grande diversidade de vegetação e abundante fauna de aves , répteis e mamíferos . Desde seu cume, podemos tirar magníficas fotografias do Mar do Caribe como lembrança da nossa visita. Você não pode perder Caracas Balneário de Los Caracas, Parque Nacional El Ávila, Praia Todasana, Teleférico, Povoado Galipan Assembléia Nacional El Hatillo. Foi no treinamento de emergência, no primeiro dia, o mais “faiado” da nossa carreira. Ficamos sentados ouvindo explicações em Ingles e Espanhol.


Mundo de Isis II – 31 – Histórias de Viagens

Almoço, jantar com bebidas incluídas. No primeiro dia tomamos cerveja no segundo vinho, eu tinto e a nina rose. Bom o cafe da manhã. O navio é menor com menos gente para formar filas e disputar mesas. Vimos 2 shows no teatro. Um bem bom.

A cabine é bem pequena. Se abrirmos as malas não teremos onde colocar as coisas. E estamos comprando... Dias quentes e bonitos.


Mundo de Isis II – 32 – Histórias de Viagens

O roteiro que fizemos neste cruzeiro, com algumas informações de cada parada: Informação sobre Venezuela Conhecer a Venezuela é uma oportunidade que os Cruzeiros oferecem e que não deve perder. Venezuela é, sobretudo, sinônimo de biodiversidade. É um país excepcional, com pessoas excepcionais, receptivas e dispostas a ensinar e compartilhar a sua história com os visitantes. Sua população é mestiça entre europeus, nativos e africanos. Essa riqueza racial aumentou a partir de 1940, com a chegada de muitos imigrantes espanhóis (principalmente Canários e Vascos) , portugueses e italianos, em busca de uma nova vida em Terras férteis. O país possui uma grande variedade de belezas naturais que compõem um cenário espetacular, onde poderá desfrutar do seu maravilhoso litoral, com praias belíssimas, boa infraestrutura turística, incríveis paisagens montanhosas, exuberantes florestas, savanas e rios cheios de vida para deixar-se levar e absorver toda a magia da Venezuela. O arquipélago de Los Roques, os Andes Venezuelanos, o Parque Nacional Canaima, Isla Margarita e a grande savana, são apenas algumas das belezas que oferece esse exuberante país. Clima, devido a sua situação geográfica, o clima é quase equatorial. Ou seja, faz calor durante o ano todo, apesar de que sua altitude e localização com respeito ao nível do mar provocam variações, dependendo da região. Nas zonas quentes, por baixo dos 800 metros, a temperatura média é de 30ºC. A moeda é o Bolívar, que vale aproximadamente R$ 0,36. Fuso Horário: GMT – 4. Compras, as lembranças mais típicas são: artigos de couro e cerâmica, sapatos artesanais, colchas coloridas, pinturas naif, tapetes guajiros, música popular, rum escuro e bom café. A gastronomia desse país apresenta uma clara influencia indígena e européia. Os produtos mais


Mundo de Isis II – 33 – Histórias de Viagens

utilizados são o milho, o aipim (tubérculos em geral) e a cana de açúcar. Os pratos mais típicos são, entre outros: pabellón criollo, arepas , empanadas de farinha de milho ou o fervido de galinha. E de sobremesa... majarete, tequiche, torta bejarana e os doces em calda.. Hoje embarcaram servios e holandeses. Somos poucos brasileiros. A Isis pegou na janta os pratos especiais, arroz, feijão, ovos fritos e batatinha. A Nina gostou mais do feijão. A Isis perdeu um dente e eu prendi o dedo dela na porta do banheiro, nada sério.


Mundo de Isis II – 34 – Histórias de Viagens

A fada dos dentes deixou uma ficha de 5 dólares para a Isis. A Internet via satélite do navio custa nove dólares por meia hora. Entonces desço com o celular e tento achar um wifi livre, já viu né? Internet dia sim, dia não.

A programação da tv da cabine é bem boa, já vimos vários filmes. Informação sobre Curaçao Nosso Cruzeiro atraca nessa ilha do sul do Mar do Caribe, na costa ocidental da Venezuela. O centro histórico e porto da sua capital, Willemstad, foi declarado Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO; Pode-se visitar todos os cantos da cidade a pé ou pegando um trolley, ônibus turístico. Para aqueles que desejem estar em contato com a sua esplêndida natureza, existem caminhos nos seus Parques Nacionais habilitados para andar de bicicleta ou a pé, e poder assim desfrutar da sua extensa variedade de fauna e flora. Curaçao é também o destino perfeito para os amantes do mergulho e das atividades aquáticas, como jet ski e snorkel. Recomendamos passear pelas extensas praias paradisíacas. Indicações que deram: Covas de Hato, prática de snorkel e kayak, Câmara do Vudú.


Mundo de Isis II – 35 – Histórias de Viagens

Informação sobre Colón Colón está situada na entrada do Canal do Panamá. É banhada pelo mar do Caribe e o principal porto de entrada e saída das mercadorias do país. No transcurso do cruzeiro, além de desfrutar do Canal do Panamá, poderá se relaxar nas suas praias maravilhosas com areia branca e água quente e tranquila. Colón destaca por ser um paraíso para as compras, oferecendo uma grande variedade de produtos na zona Duty Free. Com o cruzeiro Antilhas e Caribe Sul, visitamos o lago Gatún, um lago artificial construído para a navegação do Canal. Nessa travessia é possível observar os macacos Titi e Aranha nas copas das árvores, e à margem do lago, os macacos Cariblancos. Os experientes guias locais nos levarão por um fascinante passeio em teleférico pela floresta tropical de Gamboa, onde poderemos observar a sua exuberante vegetação, suas aves e escutar aos macacos. Conforme formos subindo, observamos o rio Chagres e parte do rio Panamá. Não se pode perder: Panamá antigo, Passeio das Bóvedas, Represa de Gatún, Lago Gatún, Jardim Botânico, Teleférico de Gamboa.

Camisas da seleção brasileira autografadas, no bar dos esportes. Vídeo em: http://youtu.be/Tb538iT_xnc


Mundo de Isis II – 36 – Histórias de Viagens

Informação sobre Panamá O cruzeiro nos leva a Panamá, um dos destinos mais peculiar do Caribe devido a seu Canal, fundamental para o comércio interoceânico, e sua natureza deslumbrante. Panamá possui uma ampla variedade de recursos turísticos, belas praias e ilhas, muitas delas ainda vírgens, a espera de serem exploradas, com areia branca e mar azul cristalino. Admire sua paisagem montanhosa, de elevadas alturas e impressionantes vistas. Explore suas densas florestas tropicais ou perca-se pelas suas aldeias convivendo com seus amáveis habitantes. O Canal do Panamá que une o Oceano Atlântico com o Oceano Pacífico outorga ao país um papel fundamental no comércio internacional. Atualmente o Canal se está ampliando para permitir o acesso de barcos ainda maiores. Aproxime-se a riqueza cultural do país conhecendo kuna na região de São Blas. Os kunas são uma das tribos mais incríveis do mundo. São conscientes da sua espiritualidade e se consideram parte essencial da natureza. Também as atividades esportivas do país são o centro de atração de muitos visitantes porque no Panamá, apesar do seu pequeno tamanho, se pode praticar alpinismo, rappel, surf e rafting pelos seus abundantes rios. Deixe-se levar pelo ambiente panamenho através da sua música, sua rica gastronomia, e do seu povo, graças ao Cruzeiro Antilhas e Caribe Sul. A cultura e os costumes são principalmente espanhóis e caribenhos . Os panamenhos te contagiarão com seu espírito alegre, e será uma experiência enriquecedora o contato com tanta variedade de origens étnicas. Clima Panamá goza de um clima tropical com temperaturas agradáveis que não variam muito durante o ano. O clima panamenho se diferencia em duas zonas. O da costa do Caribe é mais chuvoso que o da costa do Pacífico. No Oeste chove com menos intensidade, e de janeiro a abril, é a temporada seca. A moeda local é o Balboa (R$ 2,29) e também aceitam dólar americano. Fuso Horário: GMT – 5.


Mundo de Isis II – 37 – Histórias de Viagens

Compras Panamá é o paraíso das compras, pois os produtos são livres de impostos, entre outros, roupa, equipamentos eletrônicos e perfumes. Embora deva ter cuidado com as imitações. O souvenir mais típico é o "Mola", artesanato feito pelas mulheres indígenas da tribu Kuna, utilizando tecido de algodão com várias camadas sobrepostas formando desenhos. Também são típicas as máscaras de madeira e cerâmica da península de Azuero. Gastronomia Os pratos mais típicos são o arroz cozido de diferentes maneiras (com ervilha, arroz verde, com coco, etc.), as sopas (sancocho, guacho, de carne), o milho, a banana e o aipim. Também são abundantes os mariscos e as frituras (patacones, lechona, chicharrón). Do Panana a Cartagena o mar esta bem agitado. Hoje não conseguimos tomar café, eu subi e as meninas ficaram dormindo. Peguei uma taça, mas não consegui beber, fiquei enjoado e voltei para a cabine. Vamos almoçar antes de descer na Colômbia. Informação sobre Cartagena das Índias Esta encantadora cidade de estilo colonial espanhol, está situada em um dos mais importantes centros turísticos da Colômbia, à margen do Mar do Caribe. Também conhecida como la Heroica e a bahia mais bonita da América,sua beleza e estratégica localização fazem dela um atrativo para os visitantes e uma fundamental zona portuária. Cartagena das Índias oferece uma mistura fascinante quanto à arquitetura. Muralhas, baluartes, fortalezas, e estruturas militares que poderão ser visitadas a bordo do nosso Cruzeiro Pullmantur. Graças a defesa desse porto chave durante a Colônia contra os corsários ingleses, Cartagena agora conta com uma variedade impressionante de fortificações. Aqui poderemos percorrer suas ruas de pedras enfeitadas pelo colorido das flores que sobressaem das sacadas das casas. É uma cidade romântica por excelência, comprove você mesmo , passeando pela cidade em carruagem no pôr do Sol.


Mundo de Isis II – 38 – Histórias de Viagens

Vale a pena dar uma volta de Chivas, são jardineiras turísticas decoradas com cores chamativas, movida à música, com um bar que oferece bebidas nacionais e comida típica. A festa, ou rumba como dizem os colombianos, está garantida! O Cruzeiro Antilhas e Caribe Sul, lhe brinda com a oportunidade de visitar a espetacular ilha do Rosário, território protegido , comum dos recifes de corais mais importantes da costa do Caribe colombiano.Você não pode perder Castelo San Felipe de Barajas,Palácio da Inquisição, Igreja de Santo Domingo, Santuário de San Pedro Claver, Estátua da Virgem del Carmen. Pela primeira vez tivemos dificuldades em conseguir mesa para o almoço. Muita gente com a mesma ideia. Os quiz da Pullmantur não tem nada a ver com os da Costa e a Royal. É na piscina, o animador faz a pergunta e quem souber a resposta senta em uma cadeira e responde. Nada de formulários, canetas ou disputas. É só passatempo. Informação sobre Colômbia Colômbia é o quarto maior país da América do sul, sua capital é Bogotá. É banhada pelos Oceanos Atlântico e Pacífico e faz fronteira com a Venezuela, Panamá , Brasil e Equador. É um território cheio de contrastes devido a sua acidentada geografia. A Cordilheira dos Andes ocupa praticamente a metade do país , atravessando-o de Norte a Sul. Consequentemente, é uma das zonas da América com maior biodiversidade animal e vegetal,o primeiro produtor de esmeraldas, de café, e um dos principais exportadores de flores. Os espanhóis chegaram aqui em busca do "El Dorado", e apesar de não o encotrarem, transformaram essa jóia natural em colônia até finais do século XVIII deixando seu idioma e cultura de herança. De fato, é normal que os colombianos falem espanhol com uma correção e pureza fora do habitual, ocupando um lugar de destaque em literatura, com o máximo representante, premio Nobel, Gabriel García Márquez. Na pintura se destaca Fernando Botero pelos seus personagens com forma arredondada. Com o cruzeiro Antilhas e Caribe Sul, viverá uma


Mundo de Isis II – 39 – Histórias de Viagens

experiência ardente e com sabor tropical. Os colombianos são pessoas muito alegres, amantes da música e da festa. Prova disso é o famoso carnaval da Barranquilla, festejado em fevereiro. Uma das cidades mais espetaculares da Colômbia, é Cartagena das Índias. Lugar que vale a pena conhecer passeando pela cidade velha. Suas ruas e praças, igrejas e castelos, são únicos no país e em todo o Caribe. Clima Quente e estável. Nas zonas costeiras pode-se alcançar os 29ºC, embora no sopé dos Andes a temperatura pode cair até 6ºC. Na Colômbia se distinguem duas estações: verões secos e invernos úmidos e de abundante pluviometria. A moeda corrente é o Peso colombiano (vale R$ 0,18), mas são bem aceitos os dólares americanos. Fuso Horário: GMT – 5. Compras: Ouro, esmeralda, material metalúrgico, cestaria, ponches de lã, couro e peles. Gastronomía A culinária colombiana é mestiça, com influências espanholas e indígenas, denominada cozinha crioula, cujos pratos típicos são a sopa sancocho de frango, carne ou peixe ,arepas, feijão, lentilhas, banana frita, ajiaco (sopa de frango, batata e milho), bandeija paisa com carne de vaca, linguiça, feijão, arroz, banana- verde frita, ovo frito, chicharrón e abacate. Entre os doces, destacam o chocolate Santaferenho que é servido com queijo, a banana frita e as bolas de tamarindo e outras frutas tropicais. As bebidas mais conhecidas são o delicioso café colombiano, sucos naturais, chicha, guarapo e o Rum. Descobrimos a lista de bebidas incluídas no pacote. Tem tudo!Peguei uma dose de conhaque e a Nina sangria. A Isis um coquetel sem álcool, o mesmo que havia pego no primeiro dia.


Mundo de Isis II – 40 – Histórias de Viagens

Já em Lima estranhei que o uso do cartão do Itaú, na modalidade débito, não havia aparecido no extrato. Usei a caríssima internet via satélite do navio para mandar um e-mail para a minha gerente:

Informação sobre Aruba Aruba é uma das Antilhas Menores e está situada ao nordeste da península de Paraguaná, a oeste da Venezuela e ao sul, o mar do Caribe. Em 1986 a ilha se consolidou como País autônomo dentro do Reino dos Países Baixos. Aruba é um claro reflexo da arquitetura holandesa, com seus edifícios coloridos, pintados ao estilo antilhano. Para os que gostam de comprar, encontrarão em Aruba o paraíso devido às suas lojas Duty Free. Aruba é um lugar onde abundam as discotecas , os pubs e os cassinos,onde o contato com o povo local lhe proporcionará uma estadia especial. É, sem lugar a dúvidas um cenário caribenho de turismo de praia e de diversão noturna. Sua principal atração são os esportes aquáticos, e o mais importante deles é o submarinismo, cuja prática permite ver os recifes de corais ou um cargueiro alemão naufragado durante a II Guerra Mundial. Graças ao Cruzeiro Antilhas e Caribe Sul encontrará uma infinidade de possibilidades para divertirse e desfrutar de uma ilha que goza de natureza e diversão praiana. Você não pode perder Ilha de Palm, Aventura de snorkel e Submarino. O bloqueio da função de débito ocasionou o BLOQUEIO COMPLETO do cartão:


Mundo de Isis II – 41 – Histórias de Viagens

Avisei e a resposta foi surpreendente:

Informação sobre Antilhas Holandesas O Cruzeiro nos transporta a um país caribenho situado na América Central, considerado como um território autônomo dos Países Baixos,


Mundo de Isis II – 42 – Histórias de Viagens

formado por 5 ilhas situadas no Mar do Caribe que se dividem en dois grupos de ilhas de Sotavento e Barlavento. A base da sua economia é o turismo e a refinaria de petróleo. As ilhas de Barlavento são Saba e Sint Eustatius, junto a parte sul de Sint Maarten e as ilhas de Sotavento: Aruba, Bonaire e Curaçao, frente da costa Venezuelana. Sint Eustatius (São Eustáquio) é um autêntico jardim tropical flutuante, com vulcões inativos. Sem dúvida, um destino turístico idôneo para a prática de submarinismo pela existência de antigos barcos, naufragados há séculos. Saba é uma pequena ilha vulcânica, na qual não existem praias, sua costa está formada principalmente por penhascos. Sint Maarten está dividida pela parte francesa e pela parte holandesa e cada uma delas tem a sua própria capital. A Capital da parte francesa, conhecida como Saint Martin, é Marigot, e a capital de Sint Maarten, parte holandesa, é Philipsburg. Sint Maarten ou Saint Martin , destaca pelas praias com areia branca e mar azul cristalino. Bonaire é a segunda maior ilha das Antilhas Holandesas ideal para submarinismo, poís seu mar cristalino proporciona uma visibilidade de até 30 metros, permitindo assim, apreciar com claridade a fauna e flora. Aruba, com uma vegetação fora do habitual para uma ilha do Caribe, possui praias consideradas como as mais belas do mundo, situadas no sul da ilha. O nordeste de Aruba é rude e selvagem, e no interior, a geografia apresenta formações rochosas e abundam os cactus. Curaçao é a mais extensa de todas e os seus habitantes são em sua maioria africanos ou descendentes de espanhóis e holandeses. Aqui poderá descansar em alguma de suas maravilhosas praias, ou visitar o parque submarino de Curaçao, que conta com um recife de 19 km, perfeito para o mergulho. Clima Tropical úmido, com uma temperatura média de 26º C. No sul da ilha Chove menos que no norte, onde também são mais comuns os furacões. A moeda Florim das Antilhas, que vale aproximadamente R$ 0,80.


Mundo de Isis II – 43 – Histórias de Viagens

Fuso Horário: GMT – 4. Compras, dependendo da região em que estiver de Aruba, poderá encontrar aloe-vera, pinturas, licores, corais e perfumes com preços acessíveis. Aruba não foi grande coisa, o Panamá foi bem melhor. Em Curaçao são típicos os kunuku, que são miniaturas feitas com cerâmica, ou os colares de contas , ou , se preferir, no mercado , encontrará produtos como especiaria, cestas tecidas à mão e bolsas de esparto. Gastronomía é variada, dependendo da região, apesar de predominar a culinária holandesa. Em Curaçao o licor típico é o Bami, elaborado com casca de laranja. Em Aruba destaca o molho picante feito com uma variedade de pimentões doces que se vende puro ou misturado com mamão, o Kashi yena , que é um tipo de queijo recheado ,e a cocada ,feita com coco e tamarindo. Já de volta o Itaú apresentou sua solução simplória em relação ao ocorrido:


Mundo de Isis II – 44 – Histórias de Viagens

Poucos dias depois o governo federal alterou a regra do IOF, aumentando em 6% o imposto para o cartão de débito. Agora tanto faz. Voltamos para lanchar no navio e descemos novamente, é tudo bem pertinho. Não carregamos a câmera fotográfica ou sacolas neste passeio final. Estranhamentos neste cruzeiro: o o o o o o o o

Crianças correndo Gente sentada nas escadas Feijão com tomate Bebidas alcoólicas liberadas (fotos abaixo) Tudo em espanhol Ar condicionado gelado na cabine Vinho tinto a temperatura ambiente Roupas nas malas e espalhadas pela cabine

Selfie da familia!


Mundo de Isis II – 45 – Histórias de Viagens

Passaram-se alguns dias até descobrirmos, por acaso, a relação de bebidas libedadas:

A diferença entre viajar pelo Caribe e viajar pela Europa é o sentimento na volta ao Brasil. É bem mais fácil voltar do Caribe.


Mundo de Isis II – 46 – Histórias de Viagens

Curaçao Curaçao ou Curaçau, também conhecida em Portugal como ilha da Curação, é a maior ilha do antigo arquipélago das Antilhas Neerlandesas e um país autônomo constituinte do Reino dos Países Baixos. Os nomes dados inicialmente à ilha (1501), Curasorbo e Curasoto, significando, respectivamente, "trago de bebida para cura" e "matagal de cura". Assim se entende a palavra "curação" (arte de curar) e não com o significado de "coração". Havendo, também, a teoria de que o nome tem origem no facto de aí se produzir um licor a partir de cascas de laranja-da-terra, cravo e canela. Os holandeses denominaram assim a ilha por não serem capazes de pronunciar "Ilha da Curação", nome dado originalmente por navegadores portugueses que viram ali a cura de doentes atacados pelo escorbuto. Provavelmente, terão sido salvos pelas vitaminas dos frutos que ingeriram na ilha. Video de Curaçao: http://youtu.be/TZoLOJuOLUA


Mundo de Isis II – 47 – Histórias de Viagens

Em 10 de outubro de 2010, a ex-colônia neerlandesa das Antilhas Neerlandesas dividiu-se em dois países autônomos: Curaçao e São Martinho. Os dois novos países se juntaram a Aruba, que, em 1986, ganhou status de Estado individual, enquanto três outras ilhas, Bonaire, Santo Eustáquio e Saba, se tornaram municipalidades dos Países Baixos, com a dissolução das Antilhas Neerlandesas após 56 anos de existência. Segundo os novos estatutos, quatro países agora formam o Reino dos Países Baixos, que é responsável pela segurança e relações internacionais dos seus países-membros: Países Baixos, na Europa; Aruba, São Martinho e Curaçao, no Caribe.

Comentários da Isis sobre Curaçao Eu achei muito interessante eles terem uma própria língua o dialeto Papiamento é uma mistura de espanhol, francês, holandês, inglês e português. Vi letras bem grandes escrevendo CURAÇAO achei bem legal. Lá tem muitas casinhas coloridas...


Mundo de Isis II – 48 – Histórias de Viagens

Colón no Panamá Na saída do porto nos abordou um "afro americano de tamanho avantajado" o popular negrão. Ele nos vendeu o taxi de ida e volta ao canal do Panamá, com parada para compras. Queria 20 dólares por cabeça, fechamos 50 nos três. Ele disse que a moeda local vale um dólar. Não era um taxi e sim uma van. Tudo bem. Nosso motorista era José Francisco Cuervo, como a tequila. Eu reconheci o nome. O transito é terrível. Alias em todas as cidades que visitamos (e que usamos carro) ate agora foi assim.


Mundo de Isis II – 49 – Histórias de Viagens

Ele nos mostrou o lugar onde foi filmado "o alfaiate do Panamá" o lugar esta caindo aos pedaços. Na época deram 300 dólares para os moradores saírem de lá para as filmagens. Fizeram um isolamento policial por uma semana. Vídeo do local das gravações do filme: http://youtu.be/yxjl37T7Gbk No caminho para o canal, José Cuervo, resolve passar por dentro da zona franca por achar que o transito estaria melhor. Lesma lerda! Depois duma meia hora chegamos "as esclusas de gatun" foi bem legal. Vimos navios subindo e descendo o canal e na saída às obras de ampliação. O tour de 20 dólares por cabeça incluía 4 horas para compras, na zona franca. Expliquei que não tínhamos dinheiro para ficar tanto tempo comprado e que queria itens do próprio Panamá. Ele nos levou em uma loja de departamentos, onde os panamenhos compram. Só consegui a bandeira do país, as meninas compraram roupas e brinquedos. Colón é um porto importante, um centro comercial, e um destino para turistas. Foi feito a uma zona do comércio livre em 1953 e é o porto "duty-free" o segundo maior do mundo (a atração principal dos turistas). A cidade foi fundada em 1850 por um estadunidense que trabalhou na estrada de ferro e era nomeada Aspinwall até 1890. O Canal do Panamá é um canal marítimo com 81 quilômetros de extensão, que corta o istmo do Panamá, ligando assim o Oceano Atlântico e o Oceano Pacífico, no Panamá. O canal é considerado como um ponto importante para o comércio internacional devido a grande diminuição do percurso feito pelos navios (a rota alternativa contorna o Cabo Horn).


Mundo de Isis II – 50 – Histórias de Viagens

Custa 5 dólares a entrada para ver o canal. Calor úmido parecido com o nosso. O canal começou a ser construído em 1880 e foi terminado em 1914. Os Estados Unidos e a China são os principais usuários do canal. No Canal do Panamá: http://youtu.be/ri61unmFvLg Aqui parece ser um bom lugar para a Isis investir os dólares que ganhou dos familiares no dia das crianças...


Mundo de Isis II – 51 – Histórias de Viagens

Foi o que aconteceu, ela comprou estas bonequinhas pela metade do preço praticado no Brasil. Nina e a Isis gastaram 100 dólares em compras. Colón é Colombo em espanhol, foi Cristovão Colombo que criou o termo “índio”, ele acreditava ter chegado a Índia e denominou os “índios” os habitantes desta nova terra. Com isso as culturas nativas perderam a sua identidade não eram mais Incas, Astecas ou Maias eram todos “Índios”.


Mundo de Isis II – 52 – Histórias de Viagens

Comentários da Isis sobre Colón


Mundo de Isis II – 53 – Histórias de Viagens

Cartagena na Colômbia O dólar vale 2000 dinheiros na moeda local. O porto deles é sensacional, tem vários animais soltos, a Isis adorou.

Cidade grande e organizada, melhor trânsito até agora. Nas outras cidades foi um caos. Não consegui internet, no porto eles vendem por 3 dólares meia hora. Taxi de dez dólares nos levou ao centro histórico.


Mundo de Isis II – 54 – Histórias de Viagens

Cartagena das Índias, ou simplesmente Cartagena, é uma cidade da Colômbia, capital do departamento de Bolívar. É a quinta maior cidade do país, e a segunda maior na região, depois de Barranquilla. A região metropolitana de Cartagena é, também, a quinta maior área urbana da Colômbia. As indústrias marítima e petroquímica, bem como a turística, são as maiores atividades econômicas da cidade. A cidade foi fundada em 1 de junho de 1533, e foi batizada em homenagem a Cartagena, na Espanha. No entanto, o assentamento de vários povos indígenas na região da Baía de Cartagena data de 4000 a.C. Durante o período colonial, Cartagena teve um papel fundamental na administração e na expansão do Império espanhol, devido a presença de vice-reis que habitavam a cidade. Cartagena é a cidade mais associada a Piratas no caribe, e no mundo. O centro histórico de Cartagena, conhecido como a cidade fortificada, foi declarado Patrimônio Nacional da Colômbia, em 1959, e Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 1984. No ano de 2007, sua arquitetura militar foi reconhecida como a quarta maravilha da Colômbia. A cidade antiga é protegida por uma muralha de 11 km.

India Catalina A estátua da índia Catalina foi erguida para lembrar uma jovem indígena de quartorze anos, que foi raptada pelo conquistador Diego de Nicuesa.


Mundo de Isis II – 55 – Histórias de Viagens

Era filha do cacique Moratuba, da tribo Mokana. Acabou se tornando intérprete dos espanhóis, peça fundamental para a colonização espanhola na área de Cartagena. Castelo de São Felipe de Barajás Em 1536, pouco antes de tomar posse de Cartagena, os espanhóis iniciaram a construção de um forte sobre a colina de São Lázaro. Sua posição estratégica lhes permitiu controlar um amplo espaço de terra. Convento de la Popa Sobre uma colina com vista para toda a cidade, se construiu em 1609 e 1611 uma igreja e convento no terreno onde antes alguns escravos veneravam seus deuses pagãos. A ideia era forçar a troca de crenças, tornando-os adeptos de uma Virgem Negra que se transformou em um dos símbolos da cidade. Torre do Relógio Construída em 1876 pelo arquiteto Luis Felipe de Jaspe, a torre do relógio ligava o centro da cidade a região de Getsemaní. Em uma de suas áreas ficava um depósito de munições. É um dos símbolos da cidade, representando a arquitetura típica da Colômbia colonial.


Mundo de Isis II – 56 – Histórias de Viagens

Peguei um dólar para comprar picolé para a Isis. O vendedor entregou 2 e ainda estava procurando uma forma de nos dar um troco, pedi que não se preocupasse com isso e agradecí. Tem gente honesta neste mundo. Plaza de los Coches Cartagena das Índias foi um dos pontos mais importantes de introdução de escravos vindos da África. Era nesta praça que os escravos eram exibidos e comercializados aos traficantes de outras colônias da América. Cartagena - Cultural Percorra as fascinantes muralhas de Cartagena das Índias, local repleto de história, arquitetura colonial e casarões transformados em luxuosos hotéis boutiques. Descubra uma cidade que reúne cultura e modernidade em sua gastronomia, inúmeras opções para compras, galerias e passeios por suas belas igrejas e esquinas que inspiraram um prêmio Nobel de Literatura.

Comentários da Isis sobre Cartagena


Mundo de Isis II – 57 – Histórias de Viagens

As cinzas de Gabriel García Márquez, que morreu em 2014 no México, foram levadas à cidade caribenha de Cartagena em 2015. "A família de Gabriel García Márquez, sua esposa, Mercedes Barcha, e seus filhos, Rodrigo e Gonzalo, tomaram esta decisão, que foi acolhida com profunda emoção", anunciou o governo de Bolívar, no norte da Colômbia.

O lugar onde, a partir de 12 de dezembro, repousarão as cinzas do autor laureado com o Prêmio Nobel de Literatura em 1982 será o Claustro de La Merced, um antigo convento situada na zona histórica e murada da cidade, onde atualmente funciona a sede da Universidade de Cartagena.

O local fica a poucas quadras da casa de García Márquez em Cartagena, cidade onde o autor de obras como "Cem anos de solidão" começou a trabalhar como jornalista e que também é sede da Fundação Novo Jornalismo Ibero-Americano (FNPI, na sigla em espanhol), criada por ele para promover a formação de jovens repórteres da região. "A relação do escritor com Cartagena teve a característica de um permanente ir e vir, como assim o fazia Gabo. Aqui sempre esteve para visitar seus pais, seus irmãos e seus amigos", prosseguiu o comunicado do governo, justificando a escolha dos familiares.

Segundo as autoridades, junto às cinzas chegará ao Claustro de La Merced um bronze da escultora britânica Kate Murray, "querida amiga" do escritor e o qual será doado pelos García Barcha. As cinzas de García Marquez permanecem até agora no México, onde residia desde de seu exílio da Colômbia na década de 1980. A família não se pronunciou até agora sobre a decisão de transportar as cinzas.


Mundo de Isis II – 58 – Histórias de Viagens

Aruba Aruba é um território autônomo neerlandês do Caribe, ao largo da costa da Venezuela. Além da Venezuela, os seus vizinhos mais próximos são Curaçao, São Martinho e a Península de La Guajira (Colômbia). Capital: Oranjestad.


Mundo de Isis II – 59 – Histórias de Viagens

Aruba foi descoberta e ocupada em 1499 por exploradores espanhóis e adquirida pelos Países Baixos em 1636. A ilha separou-se das Antilhas Neerlandesas a 1 de Janeiro de 1986 e tornou-se uma dependência autônoma do Reino dos Países Baixos. O Reino dos Países Baixos (em neerlandês: Koninkrijk der Nederlanden) é composto, desde 2010, por quatro países constituintes: Países Baixos, na Europa; Aruba, Curaçao e São Martinho nas Caraíbas.

O Estatuto do Reino dos Países Baixos, datado de 1954, determina quais os assuntos geridos pelo reino. O monarca do Reino é também o monarca de cada um dos países, ou seja, o rei Guilherme Alexandre dos Países Baixos e os seus herdeiros legítimos. O monarca encabeça o conselho regente executivo do reino e de cada um dos países, sendo representado por governadores em Curaçao, em Aruba e em São Martinho. Vídeo de ARUBA: http://youtu.be/el9TZAFpHfA


Mundo de Isis II – 60 – Histórias de Viagens

Comentários da Isis sobre Aruba


Mundo de Isis II – 61 – Histórias de Viagens

A São Pellegrino é a melhor água mineral do mundo, na nossa opinião:

Se em uma viagem tiverem oportunidade, comprem! No Brasil uma garrafa de 500 ml. sai por 10 reais no supermercado.


Mundo de Isis II – 62 – Histórias de Viagens

Venezuela II, deu tudo certo Na chegada a Venezuela não conseguimos ter tempo para ver nada, ao desembarcarmos passamos algumas horas em La Guaíra e em Caracas onde pegamos o voo da Taca de volta ao Brasil. Na volta, mais dois formulários para entrar no País, aogra sabemos o motivo: há desabastecimento, filas para compras e racionamento, com isso os locais saem para comprar no exterior. Vimos alguns comprando loucamente. Saimos bem, sem atropelos, consegui negociar o taxi por 10 dólares (na ida o achaque foi de 40 dólares).

Depois de comprar uma água com os bolivares que tínhamos, localizamos esse carrinho da “Kibon”.


Mundo de Isis II – 63 – Histórias de Viagens

Caracas, oficialmente Santiago de León de Caracas, é a Capital Federal da República Bolivariana de Venezuela, assim como seu centro administrativo, financeiro, comercial e cultural, como cidade capital da Nação e do Distrito Capital. É sede dos Poderes que formam o Estado Venezuelano. Dada a sua importância, é considerada uma cidade global beta. O Poder Executivo tem sua sede no Palácio de Miraflores. O Poder Legislativo no Palácio Federal Legislativo, o Poder Judiciário no Tribunal Supremo de Justiça, o Poder Eleitoral no Centro Simón Bolívar e o Poder Cidadão com a Controladoria Geral da República, a Defensoria do Povo e o Ministério Público. Além dos principais centros da Administração pública central, Instituições e também Organismos do Estado. Está localizada no Município Libertador, do Distrito Capital, e os municípios Chacao, Baruta, El Hatillo e Sucre, que formam parte do Estado de Miranda e constituiem o Distrito Metropolitano de Caracas, com quem compartilha uma população e cria a Grande Caracas com uma população total estimada oficialmente de 5 milhões de habitantes para o ano 2008. Encontra-se na zona centro-norte do país, a uns 15 km do Mar do Caribe, separada deste pelo Parque Nacional El Ávila, mas conectada pela Autoestrada Caracas-La Guaira por tres viadutos elevados que, junto a dois túneis, permitem a conexão da capital com a costa caribenha (Litoral Central da Venezuela) e os principais aeroportos e portos marítimos do país em 20 minutos. Boa parte da cidade é atravesada pelo Río Guaire em sentido sudoeste-nordeste. Ganhei o almoço no aeroporto. Nenhum dos 3 cartões funcionou e um venezuelano se ofereceu para pagar e não aceitou meus dólares para compensá-lo. O pessoal da fila ficou nervoso quando puxei 20 dólares e ele não aceitou. Nosso pedido tinha dado 200 soles algo como 10 dólares.


Mundo de Isis II – 64 – Histórias de Viagens

Comentários da Isis sobre a Venezuela


Mundo de Isis II – 65 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 66 – Histórias de Viagens

Pai, te amo!

Poucas vezes escutei da Isis que ela me amava.

Hoje ela disse.

Na presença de uma amiguinha dela.

Foi depois que eu fiz a Internet funcionar...

Contemporizando: A Isis estava com 9 para 10 anos, foi neste ano que a Internet passou a ser mais importante do que a TV para ela.


Mundo de Isis II – 67 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 68 – Histórias de Viagens

Epifania sobre o Caribe

A uma grande diferença de sentimento entre voltar ao Brasil vindo da Europa e do Caribe. É mais fácil voltar do Caribe que apresenta uma realidade bastante conhecida no Brasil, as zonas turísticas são bonitas mas basta olhar um pouco para os lados para perceber as dificuldades de intraestrutura e a pobreza geral do povo. Estivemos na Europa em crise, passamos literalmente por dentro das manifestações de Madri de 2011, sem sentir medo ou ameaças a nossa integridade. O que ocorre é que problemas de infraestrutura foram resolvidos muitos anos antes, então quando há a crise e os investimentos cessam o que “sobra” é ainda muito superior ao que temos na America do Sul e Caribe.


Mundo de Isis II – 69 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 70 – Histórias de Viagens

Planejando Uruguai

Fica cada vez mais difícil viajar com a Isis em função dos seus compromissos escolares. Viajar em Janeiro, Fevereiro e Julho é caro e chato em função do aumento das filas nas atrações. Um programa sul-americano que não temos no nosso currículo são as visitas a Montevidéu e Punta del Este. Também quero ir ao Chuí, onde o Brasil começa! O primeiro hotel reservado foi o de Montevidéu: NH Columbia Rambla Gran Bretaña, 473 (Montevidéu - Uruguay) O hotel foi construído em 1959 e renovado por completo em 1999. O edifício de 10 andares compreende um total de 136 quartos modernos, oferecendo um ambiente acolhedor e simpático. As comodidades deste hotel totalmente climatizado incluem um hall de entrada com recepção e check-out 24 horas por dia, cofre, guiche para câmbio monetário e bengaleiro. As instalações incluem ainda elevador, uma área de estar com televisão, acesso à Internet sem fios, aluguer de bicicletas, um café, um bar e um restaurante. Os serviços de quarto e de lavandaria são outras das ofertas. Estacionamento gratuito e público disponível no local. Diária de USD 112,00. Punta del Este: Joan Miro SIMPLE- 3 STARS Naciones Unidas Esq Selva Negra, (Punta del Este - Uruguay) Diária de USD 146,56.


Mundo de Isis II – 71 – Histórias de Viagens

Para o Chuí pegamos uma pousada de R$ 160,00 com tudo que precisa. Endereço: Bairro/Praia: CEP: Cidade/Estado: Telefone:

RUA PANAMÁ, 355 CENTRO 96255-000 CHUÍ / RS 53 3265-2155

E-mail:

renato9630@hotmail.com

Vi preço de pesos Uruguaios para comprar, taxa está UYU 0,13 / 0,14.

Lá é R$ 1,00 igual a 8,90 pesos uy.


Mundo de Isis II – 72 – Histórias de Viagens

Tem casas de câmbio na Gorlero, rua principal, confiáveis. Numa esquina da Gorlero tem o Churros Manolo que é imperdível. Pontos Turisticos no Chuí com Atrativo Histórico: Este ponto turístico maravilhoso situado no Uruguai, cerca de 09 Km de nossa cidade Chuí. O Forte de São Miguel foi construido pelos portugueses, em 1737, a mando do Brigadeiro José da Silva Paes, que havia fundado e fortificado neste mesmo ano a cidade de Rio Grande de São Pedro, primeira cidade do atual Estado do Rio Grande do Sul. Sua construção se deu na disputa entre as coroas portuguesa e espanhola, pela posse da Colônia de Sacramento, bem como por toda a banda oriental do Uruguai. Após um longo periodo de abandono e ruinas, o Forte de São Miguel é declarado Monumento Nacional em 1937, intensificando o processo de recuperação. Atualmente se encontra muito bem conservado, funcionando como Museu Temático. Descrição: A Fortaleza esta localizada no Uruguai, departamento de Rocha, Ruta 09, Km 330, a pouco mais de 42 Km da cidade do Chuí, extremo Sul do Brasil. Construida pelos portugueses e brasileiros que ocuparam a região. A Fortaleza de Santa Tereza está dentro do Parque Nacional de Santa Tereza, outro local muito bonito e de visitação interessante. Bem maior que o Forte São Miguel, passou definitivamente à posse dos uruguaios em 1828, quando foi retomada pelas forças do Gen. Leonardo Oliveira. O parque, além da praia, tem uma ótima infraestrutura incluindo camping, restaurante e parrillada. A fortaleza de Santa Tereza é uma edificação abalaurtada, iniciada em 1762 pelos portugueses, sob as ordens do Cel. Osório, no âmbito das disputas entre Portugal e Espanha, pela posse do sul do Continente


Mundo de Isis II – 73 – Histórias de Viagens

Americano. Foi conquistada em 1763 pelos espanhóis, sob o comando do Governador D. Pedro Cevallos, o mesmo que invadiria a Ilha de Santa Catarina em 1777. Montevidéu é um destino perfeito para uma viagem curta, como um feriado prolongado ou até mesmo um final de semana. A capital do Uruguai é uma cidade pequena, acolhedora e muito agradável. Dois dias são suficientes para conhecê-la e, com alguns dias a mais, você também pode visitar cidades próximas, como Colonia del Sacramento e Punta del Este. Neste post vou fazer uma sugestão de um roteiro de 4 dias em Montevidéu e no final também indico uma alternativa para 3 dias. A melhor maneira de aproveitar bem este roteiro é de carro para fazer os passeios. Desta forma é possível se deslocar com facilidade entre as atrações, sem depender de ônibus ou empresas de turismo que oferecem passeios fechados. Mas mesmo que você não tenha interesse em alugar um veículo, pode utilizar este roteiro como base para seus passeios em Montevidéu. Dia 1: A sugestão para o primeiro dia em Montevidéu é fazer um longo passeio pelo centro da cidade. Ele pode começar pela Plaza Constitución, onde está a Catedral Metropolitana de Montevidéu. Há alguns museus que podem ser visitados nas proximidades, como o Museo Histórico Nacional e o Museo de Arte Precolombino e Indigena (MAPI). Em seguida você pode visitar o Museo del Carnaval e aproveitar para almoçar no Mercado del Puerto, já que ambos estão localizados um ao lado do outro. Há vários restaurantes no Mercado, uma boa sugestão é o El Palenque. O passeio continua na Plaza Independencia, uma grande praça na divisa entre o centro de Montevidéu e a Ciudad Vieja. Antigamente havia uma muralha dividindo estas duas áreas e um pedaço dela ainda restou e está no local, a Puerta de la Ciudadela. No centro da praça está o Mausoleo General Jose Artigas, um monumento que guarda as cinzas do militar, que foi um herói nacional. Nos arredores da praça está o Palácio Salvo, um dos edifícios mais antigos do Uruguai.


Mundo de Isis II – 74 – Histórias de Viagens

Após visitar a praça, você pode fazer uma caminhada pela Av. 18 de Julio, a principal rua de comércio popular da cidade. Logo no início dela há algumas casas de câmbio com boa cotação. Ao longo da avenida há duas atrações imperdíveis: a Fonte dos Cadeados e o Mirador da Intendencia de Montevidéu, um mirante localizado no último andar do edifício da Prefeitura, com uma bela vista panorâmica da cidade. O passeio termina com um tour guiado no Teatro Solis, que tem início as 16:00h e pode ser feita em português. A visita circula por todos os ambientes do teatro, desde a fachada do edifício até a platéia e, às vezes, há atores fazendo uma pequena encenação, interagindo com os visitantes. No final da tarde vale a pena fazer um passeio pelas Ramblas e curtir o por do sol no Farol de Punta Carretas. E à noite, a sugestão é conhecer algum shopping da cidade. Dia 2: O segundo dia é dedicado a visitar algumas atrações que estão mais distantes do centro da cidade. O passeio pode começar com uma caminhada pelo Parque Rodó, um grande parque urbano localizado no bairro Punta Carretas, próximo as Ramblas. A saída do parque, ou das Ramblas, deve ser no máximo às 10:15h, para dar tempo de chegar com folga no tour das 11:00h na Bodega Bouza, uma das maiores vinícolas do Uruguai. A visita guiada é um passeio imperdível e muito interessante. Ela tem uma duração aproximada de 1:30h e faz um giro pela propriedade, com explicações bem detalhadas sobre o cultivo das uvas e a produção dos vinhos. No final, acontece uma degustação de cinco tipos de vinhos no restaurante da vinícola, que pode ser uma boa opção para o almoço neste dia. É preciso agendar este passeio com antecedência. Na parte da tarde há uma outra visita guiada para ser feita, desta vez no Palácio Legislativo, edifício sede do Senado Uruguaio e da Câmara dos Deputados. O tour, em português, começa às 15:00h e circula por diversos ambientes do do Palácio. É muito bonito e interessante, vale a pena. Ao sair do Palácio você pode se dirigir até o Estádio Centenário para conhecer o Museu do Futebol.


Mundo de Isis II – 75 – Histórias de Viagens

No final da tarde, a sugestão é passear por toda a extensão das Ramblas, que são as avenidas ao longo da orla, à beira-mar. Vale a pena dirigir da Rambla da Ciudad Vieja até a Rambla de Carrasco, fazendo paradas pelo caminho para curtir o visual. Esse passeio pode ser feito em qualquer horário, tanto de dia, quanto à noite. Punta del Este é o balneário mais chique e badalado do Uruguai, com mansões, condomínios de luxo, lojas de grife e bons restaurantes. Mas o agito só acontece mesmo na alta temporada, principalmente na época do reveillon. No inverno a cidade muda, fica vazia e muitas atrações e estabelecimentos não funcionam. Até os semáforos ficam desligados! Apesar disso, é uma boa época para “turistar” e conhecer seus principais pontos turísticos em apenas um dia. A primeira parada pode ser na península de Punta Ballena, pouco antes de chegar em Punta. É lá que se encontra a Casapueblo, uma das construções mais emblemáticas do país, construída pelo artista uruguaio Carlos Paez Vilaró. A casa é uma mistura de hotel, restaurante, museu e galeria de arte, onde estão expostas dezenas de obras do artista que a criou. Bem próximo à casa, na ponta da península, está o Mirador de Punta Ballena, um mirante com vista panorâmica que permite visualizar ao fundo a cidade de Punta del Este e várias praias da região. O passeio segue em direção a Punta, visitando todas as atrações ao longo da costa, começando pela Playa Mansa e pelo Puerto de Punta del Este. Em seguida, ao chegar na ponta da península, vale a pena visitar o “coração” do bairro, onde está o Farol de Punta del Este e a Iglesia de la Candelaria. Voltando para a beira do mar, a próxima parada é no início da Playa Brava, onde está localizado o principal cartão-postal da cidade, o Monumento Los Dedos. É preciso ter um pouco de sorte para conseguir uma boa foto com poucas pessoas ao redor, pois o local está sempre cheio de turistas.


Mundo de Isis II – 76 – Histórias de Viagens

Antes de conhecer o centro de Punta, vale a pena dirigir por toda a orla da Playa Brava até o início do distrito de La Barra, para conhecer a Puente Leonel Vieira, duas pontes gêmeas com pista num formato ondulado. Na volta para a cidade, vale a pena também passear pelas ruas do bairro das mansões, repleto de casas luxuosas. No centro de Punta, uma sugestão é visitar o Mirador La Vista, um mirante giratório localizado junto a um restaurante, no último andar do edifício Torreon. Infelizmente ele fica fechado durante o inverno. O centro também possui as principais ruas de compras da cidade, como a Av. Gorlero. O passeio em Punta del Este pode terminar no famoso Casino do Hotel Conrad, que possui centenas de máquinas de jogos, que só aceitam notas de dólar. O acesso ao local é gratuito e permitido apenas para maiores de 18 anos. Punta está localiada a aproximadamente 130 km de Montevidéu. O caminho é pela Ruta Interbalnearia, ou apenas IB, que se inicia próxima ao Aeroporto Internacional de Carrasco. A estrada é muito boa, com poucas curvas, asfalto de boa qualidade, duplicada em todo o trecho e com iluminação noturna em pelo menos metade do trajeto. Há dois pedágios, tanto na ida quanto na volta, que custam 60 pesos uruguaios (aprox. R$8,00) cada. O limite de velocidade varia entre 90 e 110 km/h e a estrada só não é perfeita porque há alguns semáforos ao longo do caminho, em cruzamentos na entrada das cidades litorâneas. Vamos tentar visitar a Fazenda La Pataia, uma pequena fábrica de doce de leite. Ela é mais voltada para crianças, por causa dos animais e brinquedos, mas eu queria mesmo era conhecer o famoso crepe de doce de leite que é vendido no restaurante da fazenda.


Mundo de Isis II – 77 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 78 – Histórias de Viagens

O Caso da Borboleta Atíria

Estava assistindo TV na sala da casa da praia da minha mãe, vó da Isis, quando lembrei de um livro que lí quando estava na sexta ou sétima série. Imaginei que talvez a Isis teria interesse. Era um fim de semana de verão. Durante a semana pesquisei e encontrei o livro a venda em um sebo de Curitiba, comprei e eles me enviaram via correio. Serviço de primeiro mundo, o livro veio embalado em plástico bolha e com o marcador de páginas da livraria. Levei o livro para casa mas não dei ele para a Isis no mesmo dia. Esperei um momento dela de tédio ou uma noite sem outra atividade ou programa para competir com a leitura. Dei no fim da tarde, antes de sair para um compromisso. Já depois da meia-noite a Isis quis falar sobre o livro, tive algum compromisso que me fez chegar em casa mais tarde que o normal. Falei que a hora dela ir para cama já havia passado e que falaríamos amanhã. No outro dia eu estava tomando café da manhã quando ela veio me mostrar o livro. Não tenho explicação para isso, só sei que nada acontece ao acaso. Minha esposa depois me contou que a Isis já havia mostrado a ela o nome científico da Atíria e que a Isis acreditava que eu já sabia disso e que este seria o motivo de ter comprado o livro. Quem me dera. Se eu soubesse ou lembrasse já teria comprado o livro muito antes e não seria de um sebo. O pensonagem que eu lembrava, mais de 25 anos depois de ler o livro era o Caligo, identifiquei e mostrei para a Isis esta borboleta quando estivemos no Parque das Avez em Foz do Iguaçu. Mais recentemente, no Peru, encontramos vários quadros com


Mundo de Isis II – 79 – Histórias de Viagens

borboletas, cada vez eu tentava identificar uma Caligo, no Peru não achei nenhuma. Ficha do livro: Título: O caso da borboleta Atíria, Autor (a): Lúcia Machado de Almeida, Editora: Ática, Coleção/Série: Vaga-lume, Período de Publicação: 1975-2010. No livro, os personagens são insetos que exemplificam o comportamento humano. Por causa dessa zoomorfização dos personagens podemos classificar o livro como uma fábula, mas o livro segue as regras do romance policial: o detetive, pelo processo de observação e dedução, descobre que o criminoso é aquele que estava presente nos locais dos crimes e de quem ninguém suspeitava. Nas notas de rodapé do livro, a autora apresenta informações explicativas sobre os animais apresentados na trama, com os nomes científicos dos animais e com informações sobre eles, como seu tempo de vida, sua aparência, seus hábitos e mesmo curiosidades. Uma dessas notas, por exemplo, dizia: “Há uma cigarra norte-americana que fica 17 anos enterrada, até completar sua evolução.” Essas informações permitem ao leitor compreender melhor as observações feitas pelos personagens (“Imagine você que ela está enterrada há mais de quatro anos nesse buraco!”). Em uma destas notas de rodapé estava: Athyria Isis! No mesmo dia pesquisei sobre esta espécie (é amarela e preta como na capa do livro) e mandei por e-mail para minha mãe, que ainda estava no litoral. Ela retornou informando que esta borboleta havia sido fotografada no jardim dela, naquele verão. Impressionante! Em 1992, com o encerramento da ECO-92, Lúcia Machado de Almeida retomou seu personagens em um novo livro, Atíria na Amazônia. A ECO-92 foi a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CNUMAD), realizada entre 3 e 14 de junho de 1992 no Rio de Janeiro. O seu objetivo principal era buscar meios de conciliar o desenvolvimento sócio-econômico com a conservação e proteção dos ecossistemas da Terra.


Mundo de Isis II – 80 – Histórias de Viagens

O (ou a) Caligo nos http://youtu.be/uak6cnc2JFE

visitou

em

casa,

video

em:


Mundo de Isis II – 81 – Histórias de Viagens

Acidente rodoviário na viagem ao Chuí

Fazia quase 9 anos que a Isis não fazia uma viagem rodoviária tão longa. Quando ela era um bebê de alguns meses fomos até a Argentina e Paraguai, na sua primeira viagem internacional, depois disso fizemos algumas vezes passeios por Santa Catarina. Desta vez seria algo como 2.000 km. Logo no começo desta jornada tivemos nosso acidente rodoviário, sendo o primeiro da vida da Isis. Pegamos a ponte que liga Porto Alegre a Guaiba levantada, esperamos uns 10 minutos até que a ponte e a pista fossem liberadas. Inicia-se aquela confusão na saída, onde quatro pistas de rodovia que viram duas sobre a ponte. Na minha frente testemunho uma caminhonete grande (com placa de Sapiranga) e um Corolla bem loucos, disputando e brigando por centímetros. Deixo os dois se afastar, e vejo o Corolla se jogar na frente da caminhonete e tenho a impressão que a confusão teria terminado. Ledo engano. Passaram-se uns poucos minutos e o motorista da caminhonete se assusta com alguma coisa (pode ter sido o Corolla ou a policia rodoviária) e freia bruscamente, o sistema ABS do meu carro não consegue segura nos a tempo e há a colisão. Uma batida, felizmente, em baixa velocidade (o limite da rodovia é de 100 km/h). O outro motorista encosta (à esquerda da rodovia mesmo) eu faço sinal para seguirmos viagem, sem olhar o tamanho do meu prejuizo. Estava aliviado que estávamos todos bem e que poderíamos seguir viagem.


Mundo de Isis II – 82 – Histórias de Viagens

Depois do acidente em Eldorado do Sul, cidade que fica entre Porto Alegre e Guaíba, fizemos uma parada em Camaquã para o almoço e de lá rumamos para o Chuí. Tivemos que passar por dentro de Pelotas, foi a recomendação do GPS, o tempo total foi de 6,5 horas. A Isis suportou bem este primeiro trecho, só perguntou “falta muito” na primeira hora.

O Chuí estava com 10 graus a menos que em Porto Alegre. Porto Alegre teve um verão escaldante neste ano então estes 10 graus a menos era uma boa noticia. Nos instalamos na pousada, (que era bem simples mas com tudo que precisamos para este pernoite) e fomos explorar as redondezas. Já conheciamos outra cidade que faz fronteira com o Uruguai, Santana do Livramento, o Chuí mostrou-se bem mais desenvolvido e organizado no chamado “turismo de compras”, trata-se de uma rua com lojas e freeshops algumas delas com armários informatizados para que os compradores guardem seus pertences antes de iniciar um novo ciclo de compras. Durante nosso jantar recebemos uma #ficaadica do garçom uruguaio que nos atendia, utilizar o cartão de crédito Visa para receber desconto nos impostos (IVA) uruguaios. É um incentivo do governo para o turismo.


Mundo de Isis II – 83 – Histórias de Viagens

Sobre o acidente: Uma semana depois do nosso retorno a montadora do meu automóvel, Citroen, anuncia um recall para verificação e ajuste do sistema de freio que poderia “falhar” durante os primeiros minutos com o motor ainda frio. Realizei o procedimento e procurei saber se o meu acidente poderia ter relação com esta situação, a resposta da revenda foi negativa e a montadora não me deu uma resposta formal sobre o assunto muito embora eu tenha protocolado a reclamação. Não fiz foto dos danos, não queria guardar esta recordação. No vídeo que fizemos em Punta Ballena é possível perceber o amassado.


Mundo de Isis II – 84 – Histórias de Viagens

Da pousada até estas placas, caminhamos menos de 2.000 metros.


Mundo de Isis II – 85 – Histórias de Viagens

Montevidéu

As 11:00 estávamos na aduana do Chuy. Preenchemos os formulários e carimbamos os passaportes. Minha esposa tem dois sobrenomes espanhois o que facilita bastante os tramites burocráticos em algumas aduanas, desta vez o atendente até tentou achar algum parentesco. Com o roteiro impresso do google maps começamos a viagem. Eu atualizei o GPS comprando o mapa “América do Sul - atualização”, a esperança que tinha de receber o mapa do Uruguai acabou sendo frustrada. Faróis ligados, é a regra no Uruguai. Tanque cheio, disseram que a gasolina lá sai mais de R$ 4,00 o litro. Álcool já não tinha no Chuí, os carros com tecnologia flex não tem muita utilidade por aqui. Boa a rodovia, as placas de velocidade máxima ficavam oscilando. Regulava o piloto automático no carro para a velocidade máxima possível, os motoristas locais e brasileiros mais acostumados passavam correndo por nós. Neste trecho até Motevideo vimos apenas uma viatura de policia rodoviária e ela não parecia estar utilizando radar ou fazendo qualquer tipo de fiscalização. Os pedádios tem todos o mesmo valor, pagamos 60 pesos a cada passagem. Este foi o motivo para comprar pesos no Brasil, tê-los disponiveis para pagar os pedágios do caminho, #ficaadica. Paramos em um posto de combustivel, que não aparecem com muita frequencia, para almoçar. Tive que ir para o outro lado da rodovia pois já estávamos com fome e do nosso lado não surgiu nenhum local para pararmos.


Mundo de Isis II – 86 – Histórias de Viagens

Uma das madrinhas da Isis havia estudado em Montevidéu, conseguimos com ela várias dicas, um guia de turismo e vários mapas (daquele tipo que são distribuidos gratuitamente). Já tínhamos localizado nosso hotel e o caminho mais simples para chegar até ele, diferente do Google Maps que faz o caminho mais curto (que ele sabe). Não tivemos dificuldade para chegar até o hotel, o trânsito de Montevidéu é bom, tem muitos automóveis mas flui bem. A sinalização é bem completa, muitas placas nos ajudaram no caminho. Um dos critérios de seleção do hotel foi o estacionamento. No caso o NH Columbia tem um espaço privado em frente ao hotel para os hóspedes estacionarem, não é coberto, não tem cercamento e não tem segurança 24 horas. É um pouco melhor do que deixar na rua, só um pouco. O hotel fica a beira do mar, ou no caso, a beira do Rio da Prata. É estranho, parece mar.


Mundo de Isis II – 87 – Histórias de Viagens

Na chegada, na recepção fazendo o checkin, a recepcionista perguntou se era a primeira vez (já com aquela ficha cadastral enfadonha nas mãos) explicamos que em Montevidéu sim mas que já haviamos nos hospedado em um hotel da rede NH Hotels (foi em Milão, 2011). Fomos dispensados de preencher a ficha!!! Nos instalamos e saímos para fazer a primeira volta de reconhecimento. Sabemos que estamos bem localizados perto de vários pontos turisticos, o hotel fica na Cidade Velha. Bem perto achamos o teatro Solis (a Glenn Close estave aqui nesta semana, palestrando) e a Praça Independência (em espanhol: Plaza Independencia) está localizada no limite entre a Cidade Velha e a área central, anteriormente conhecida como Cidade Nova. Estava começando uma espécie de manifestação, policiais estavam organizando cercar e fechando algumas ruas, o palácio do governo fica em uma das ruas da praça, vimos umas cem pessoas com faixas fazendo barulho, tudo sem arruaça ou violência. Descemos as escadas para visitar o mausoléu de Artigas. Vídeo em: http://youtu.be/YQ--4cqYeBo Desde 1882, durante o governo de Máximo Santos, havia uma lei que aprovava um orçamento para a criação de um monumento a José Artigas, "fundador de nuestra nacionalidad"; a pedra fundamental foi colocada em 25 de agosto de 1884, no entanto, o monumento demorou a se materializar. Juan Zorrilla de San Martín esboçou as ideias gerais em "A Epopeia de Artigas"; em 1913, uma comissão declarou vencedores do concurso de projetos o italiano Angelo Zanelli (1879-1942) e o uruguaio Juan Manuel Ferrari (este terminou por ser dispensado). Foi finalmente inaugurado em 28 de fevereiro de 1923 ao final do mandato presidencial de Baltasar Brum. Durante a ditadura civil-militar (1973-1985), através do decreto-lei N° 14.276, de 27 de setembro de 1974, foi decidido a criação de um mausoléu para abrigar os restos mortais de Artigas, que estavam no Panteão


Mundo de Isis II – 88 – Histórias de Viagens

Nacional do Cemitério Central até 1972 e, posteriormente, na posse dos Blandengues. Obra dos arquitetos Lucas Ríos Demalde e Alejandro Morón, que acrescentaram ao monumento um mausoléu de granito com amplas escadas até o subsolo que guarda a urna com os restos mortais de José Artigas; uma pirâmide truncada permite que o sol penetre diretamente até a urna. Em 19 de junho de 1977, na presença do presidente de fato Aparicio Méndez, o mausoléu foi inaugurado. Com a volta da democracia no Uruguai, muito se questionou este uso do nome, imagem e os restos mortais do herói nacional para a exaltação de uma ditadura que implicava negar os ideais democráticos republicanos e representativos de Artigas. Durante 2009, o presidente Tabaré Vázquez propôs e insistiu na possibilidade de transferir os restos mortais do herói para a nova Torre Executiva, mas isso provocou muitas críticas da oposição, e até queixas dos descendentes do herói. Deverá ser implementada a lei de 2001, segunda a qual deverão ser escritas frases célebres do ideário artiguista nos muros do mausoléu. O dia 23 de setembro do 2011 foi trasladada a urna com os restos do herói até o Quartel dos Blandengues. Urna que será restaurada e decidido seu próximo destino. Artigas é muito citado na cidade toda. Continuamos caminhando pela avenida 18 de Julho na direção oposta ao hotel, olhamos outra bela praça e chegamos até o MuHar. Voltaremos em ambos para uma visita mais demorada. No caminho passamos por uma fonte cuja cerca é utilizada para colocar os cadeados dos enamorados.


Mundo de Isis II – 89 – Histórias de Viagens

Vimos muito este tipo de tradição em cercas de pontes, não lembro de ter visto em uma fonte. (Em Paris tem uma ponte quase caindo pelo peso).

Fica na 18 de julho. A noite repetimos o passeio e jantamos pelas redondezas. A cidade parece ser bem segura. Vídeo da praça a noite http://youtu.be/hwfFmtRVTs4


Mundo de Isis II – 90 – Histórias de Viagens

Segundo dia em Montevidéu Para o café da manhã é bom passar protetor solar e levar os óculos escuros, o lugar é todo envidraçado lembrando uma estufa:

Depois rumamos para o mercado público e o museu do carnaval, que são próximos. No caminho passamos pela praça do fundador de Montevidéu:


Mundo de Isis II – 91 – Histórias de Viagens

No Mercado duas medias-medias (uma mistura de espumante com vinho suave) é encontrada por 270 pesos, no supermercado é 74 cada uma. O city Tour custa R$ 50,00 por cabeça, há um ponto de embarque próximo ao mercado público.

Um pouco estranho visitar um museu do carnaval que não fica no Brasil. Começamos a voltar pensando em ir tomar banho na praia. Como começou a chover fomos para o shopping Montevidéu, enorme, o estacionamento é isento de pagamento para até 3 horas. Vídeos: http://youtu.be/-ooR3vvlino e http://youtu.be/X_tiZvOyY0g Para compensar a falta da praia fomos na piscina, 15 minutos depois de voltarmos ao hotel, parou a chuva...


Mundo de Isis II – 92 – Histórias de Viagens

O terceiro foi um dia cheio em Montevidéu. Nas quartas-feiras não há cobrança de ingresso. Fomos de carro até o Zoológico:

Bem bom, só um pouco decadente por estar mal cuidado. Repara no matagal desta foto. Com um pouco de tinta e algum roçado melhoraria bastante. Vídeo do Zoológico: http://youtu.be/u_WpPd3JJvk


Mundo de Isis II – 93 – Histórias de Viagens

Na saída encontramos uma Pracinha: http://youtu.be/u6L-qek-VCg

E na porta do Planetário, o busto do Yuri Gagarin:

Vídeo desta visita: http://youtu.be/pzqhzR-qn-A


Mundo de Isis II – 94 – Histórias de Viagens

Deixamos o carro estacionado e fomos caminhando procurar o museu Egípsio que aparecia no nosso mapa, chegando lá era uma casa. Depois de tocarmos a campainha algumas vezes a pessoa que nos atendeu informou que o museu não é aberto ao publico e que é uma pequena coleção. Nos indicou visitar o MuHar. Seguimos caminhando até o Estádio Centenário. Ele é bonito, pintado com cores vibrantes em um dos lados. Na volta localizamos uma outra pracinha mas a Isis não pode aproveitar em função das poças d´água que se formaram embaixo dos brinquedos. Agora ficamos procurando algum lugar para almoçar, no nosso caminho de volta ao Zoológico. Não foi fácil. Encontramos um lugar que vendia mercadorias, lanches e pratos e que tinha duas mesas na calçada. Foi a nossa salvação. Na hora de buscar o carro tinha que dar uma gorgeta para o guardador. Não tinha uma referência para saber quanto dar. Dei 20 pesos e ele me agradeceu bastante, entendo que dei mais do que ele estava acostumado. Voltamos ao hotel e fomos conhecer a praia de rio:


Mundo de Isis II – 95 – Histórias de Viagens

Depois caminhamos até o Parque Rodó:

Video da nossa doação de sangue no Parque Rodó: http://youtu.be/vwqG1-0FW7U enfrentamos os mosquitos mais abusados do mundo, eles ficava grudados na pele e não se assustavam com nada, só paravam depois de mortos. Voltamos empelotados de uma caminhada uns 4 km. de volta ao hotel. A foto que tiramos era no local indicado como “Parque Rodó”, mas a entrada oficial era muito mais longe, quando conseguimos informação, em um parque de diversões, nos disseram que estávamos no Parque Rodó, que toda aquela imensa área era o parque. À noite fomos ao restaurante La Pasiva que estava passando o jogo de um time brasileiro com um time uruguaio. Aqui consegui o desconto no imposto, IVA, pela primeira vez em Montevidéu. Na primeira janta, no Chuy, o atendente falou da possibilidade de desconto do IVA ele indicou usar a bandeira Visa de cartão de crédito. Hoje isso funcionou. Consegui um belo desconto! O detalhe é o seguinte: nota fiscal!


Mundo de Isis II – 96 – Histórias de Viagens

Quem passa o cartão tem que informar o numero da nota fiscal, foi a primeira vez que me deram uma... Depois, já no Brasil, recebi a fatura do cartão de crédito e verifiquei que em outros estabelecimentos também o IVA foi dado como desconto. Nesta modalidade o desconto aparece na fatura e não na hora da compra, #ficaadica!


Mundo de Isis II – 97 – Histórias de Viagens

No outro dia rumamos novamente em direção ao mercado público, para visitar os outros pontos turísticos que ficam nas proximidades. Nossa primeira parada foi no museu Casa de Garibaldi. Vídeo da visita: http://youtu.be/U1HercoE5hw

No caminho foto no Museu de Artes Decorativas, que não visitamos.


Mundo de Isis II – 98 – Histórias de Viagens

Depois fomos ao Museu de Arte Pré-colombiana e Indígena. Video do MAPI: http://youtu.be/KtvhbF1ZIYk


Mundo de Isis II – 99 – Histórias de Viagens

No caminho avistamos o Costa Fascinosa, tínhamos um casal de colegas cruzeiristas nossos que estavam viajando nele, mas que deveria estar em Punta del Este, depois ficamos sabendo que por problemas meteorológicos este cruzeiro não parou em Punta vindo direto para Montevidéo.

Na catedral há a tradição de passar a mão no pé de São Pedro para fazer pedidos. O pé dele está sempre bem lustroso. Vídeo da catedral: http://youtu.be/i2mdVtcZReE

Finalmente chegamos ao MuHar, Museu da História da Arte. Não há cobrança de ingresso.


Mundo de Isis II – 100 – Histórias de Viagens

Isis com a múmia de Isis, vídeo em: http://youtu.be/wnFSwflzU7Q Video do MuHAr: http://youtu.be/XDYefMRu0H0

NH Columbia US$ 112.00

localização

conforto

beleza

Internet

média

9

10

9

10

9,5


Mundo de Isis II – 101 – Histórias de Viagens

Puntas: Ballena e Del Este

Casapueblo é a antiga casa de verão do artista uruguaio Carlos Páez Vilaró e é agora uma cidadela-escultura que inclui um museu (160 pesos a entrada), uma galeria de arte e um hotel chamado Hotel Casapueblo que fica dentro da estrutura. Ele está localizado em Punta Ballena, próximo de Punta del Este, Uruguai.


Mundo de Isis II – 102 – Histórias de Viagens

Construído ao redor de uma casa de lata chamada La Pionera (Da Pioneer), foi o arquiteto Carlos Páez Vilaró, que o desenho com um estilo que pode igualar as casas da costa mediterrânica de Santorini (a Isis esteve nesta ilha grega em 2011), mas geralmente o arquiteto refere-se ao Forneiro, um pássaro típico do Uruguai, para discutir o tipo de construção. No interior é um museu e uma galeria de arte, mas há alguns anos ele construiu um apart-hotel chamado Hotel Casapueblo ou Club Hotel Casapueblo e tem um restaurante chamado Las Terrazas (Os Terraços), que segue o estilo da construção original e oferece um saboroso cardápio internacional. O almoço foi pobre e caro, o refrigerante de 600 ml. saiu pelo equivalente a 14 reais. Dizem que esta é a casa muito engraçada que não tinha teto não tinha nada...

Também comparam Vilaró a Gaudi (vimos as obras de Gaudi em Barcelona, espaços bem maiores que a Casapueblo) entendo a


Mundo de Isis II – 103 – Histórias de Viagens

comparação, entendo também que ela só pode ser feita por quem não foi a Barcelona... Vilaró e Vinicius, 1971:

Vilaró faleceu em fevereiro de 2014, alguns dias depois da nossa visita. Video da nossa visita à Casapueblo: http://youtu.be/LkNh0_2iJlY


Mundo de Isis II – 104 – Histórias de Viagens

As meninas gostaram bastante da Casapueblo, de lá fomos nos instalar no hotel em Punta del Este.

O Joan Miró, da rede Best Western, é bem mais simples do que nosso hotel em Montevidéu. Assim como a pousada Chuí, ele tem tudo que precisamos. O estacionamento fica no gramado na frente do hotel, tem tres vagas, se estas estiverem ocupadas a indicação deles é estacionar em uma rua sem saída ali perto. As boas supresas deste hotel foram a possibilidade de usar a cozinha deles e que eles tem bicicletas para os hóspedes. Eu e a Isis fomos avaliar a possibilidade de sairmos de bicicleta, achamos uma que tinha instalada uma cadeirinha, que era muito pequena para a Isis. Resolvemos que sairíamos caminhando mesmo. Pegamos no hotel o mapa da cidade e as dicas de como nos deslocar e o que ver. Previamente tinhamos dois objetivos, ver o Hotel Conrad e os “dedos” que saem de dentro da areia da praia. Em duas horas de caminhada completamos estas missões.


Mundo de Isis II – 105 – Histórias de Viagens

Pegamos um pouco de chuva e bastante vento neste primeiro passeio pela cidade. No caminho de volta compramos uma água com gás preciosa, ou seja com muito preço, custou 110% mais do que a da mesma marca comprada em Montevidéu. Conrad hotel e cassino em: http://youtu.be/XfmzbGTuwtg


Mundo de Isis II – 106 – Histórias de Viagens

Video da nossa primeira visão dos “dedos”: Vento ventania! http://youtu.be/R7kPjWaSJhI Não entendo como Punta del Este tem tanta fama. A cidade não é maravilhosa e tudo é muito caro. O sorvete de casquinha foi 20% mais caro que em Montevidéu. Fizemos compras em um mercado local e a janta fizemos no hotel. Solução boa e barata para os padrões de Punta. No dia seguinte passeamos pelos mesmos locais e fomos adiante, caminhando por toda a avenida Gorleiro. Amoçamos no McDonalds, um dos programas esperados pela Isis nas viagens pois raramente fizemos isso no Brasil. Retornamos ao hotel para pegar o carro e ir até a Fazenda Lapataia, onde antigamente havia uma fábrica de doce de leite. Ela fica na saída de Punta del Este, do outro lado da rodovia, há um trecho de estrada de chão batido.


Mundo de Isis II – 107 – Histórias de Viagens

Foi bastante legal, não há cobrança de ingresso. Logo na entrada existem duas lojas com venda de produtos a base de doce de leite e uma lanchonete. Mais adiante já começam a aparecer os animais, cabras, vacas, cavalos, poneis. Seguindo encontramos uma pracinha, onde a Isis brincou um pouco. Vídeo da Lapataia: http://youtu.be/Ylc9qJME0_w


Mundo de Isis II – 108 – Histórias de Viagens

Antes de irmos embora fomos caminhar pelo litoral.


Mundo de Isis II – 109 – Histórias de Viagens

Video da Praia de Punta del Este: http://youtu.be/Wm7irh_PT30

Joan Miró US$ 146.56

localização

conforto

beleza

Internet

média

8

7

7

9

7,75


Mundo de Isis II – 110 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 111 – Histórias de Viagens

Chuy e Chui

A maior aventura desta viagem foi não encontrar um posto de combustível entre Punta del Este e o Chuy. O carro já estava rodando só com o vapor da gasolina quando chegamos em um pedágio, perguntei para a atendente e ela me informou que logo em seguida acharíamos o posto. Eu deveria ter abastecido em Punta, #ficaadica! Fizemos uma parada para visitar o forte de Santa Tereza. A entrada é controlada pelo exército, pegamos um ticket ao entrar com o carro. Estacionamos o carro e logo depois que saímos alguns cavalos se aproximaram de nós, comportamento bastante incomum, eu não sabia o que fazer. Imagino que os turistas alimentem os cavalos, não encontro outra explicação. Tratei ele como um cachorro, depois de criar coragem de encostar em um animal tão grande, dizem que a mordida de um cavalo é bem dolorida.


Mundo de Isis II – 112 – Histórias de Viagens

A entrada no forte é paga, preço simbólico. Dentro vimos diversas salas, armas, roupas, maquetes de outros fortes, uma capela, paiol, enfermaria, canhões e construções. Vale a visita.

Aproveitamos para almoçar, tem um restaurante-bar-lancheria com atendentes muito simpáticos. Nossa primeira opção de prato não estava


Mundo de Isis II – 113 – Histórias de Viagens

disponível naquele dia, tivemos que improvisar. Foi muito bom #ficaadica, recomendo! Não precisa saber o nome do lugar, só tem ele ali.

De lá rumamos para o Brasil, para a mesma pousada e para as compras nos freeshops da cidade. Deixamos o carro no estacionamento da pousada e voltamos às lojas que já havíamos selecionado anteriormente. Não ir de carro é uma estratégia para não exagerar nas compras, ficamos dentro do limite do que podemos carregar. Voltamos para a pousada e lá recebi a tarefa de ajudar o dono do lugar a restabelecer a conexão de Internet. Ele fez algumas ligações para o 0800 da operadora, sem conseguir resolver o problema. Eu consegui resolver na segunda ligação, quando fui atendido por uma pessoa que estava com boa vontade de resolver o problema. Jantamos desta vez no lado brasileiro. Chuí e Chuy convivem em uma avenida de quatro pistas com um tráfego muito estranho.


Mundo de Isis II – 114 – Histórias de Viagens

No outro dia tomamos o café da manhã e... fomos fazer mais compras! Desta vez estacionei o carro perto dos freeshops, afinal de contas as garrafas de Whisky e Limoncello são pesadas.

Pousada Chuí

localização 9

conforto 5

beleza 5

Internet 6

média 6,25


Mundo de Isis II – 115 – Histórias de Viagens

Neve em Gramado

Inaugurou recentemente na cidade de Gramado uma atração turística chamada Snowland, ela se localiza na estrada que leva a Nova Petrópolis. Para quem vem de Porto Alegre ou Caxias do Sul pela BR-116 basta entrar em Nova Petrópolis e seguir até Gramado, fica logo após o pedágio. Atenção para os radares, neste caminho terá normalemte um radar móvel a 60 km/h entre Dois Irmãos e Nova Petrópolis. Também existem três controladores fixos do tipo “caetano” a 50 km/h no percurso até Gramado.


Mundo de Isis II – 116 – Histórias de Viagens

Trata-se de uma atração de classe mundial, ou seja, seria impressionante em qualquer lugar onde estivesse instalada. Conseguimos visita-la na nossa segunda tentativa, na primeira vez a recepcionista informou que a espera para a entrada na montanha de neve era de 3 horas. Voltamos no dia seguinte e esperamos por quase 4 horas para finalmente chegar até esta atração. Os estacionamentos estavam lotados em ambos os dias. Snowland, vídeo da fila para a patinação http://youtu.be/po0HocBF27A Durante este período de espera realizamos outras atividades, a primeira delas foi parar na fila para patinar no gelo, uma espera de 60 minutos, com 10 minutos de preparação e 30 minutos de patinação. A pista em formato de "L" não é muito amigável aos pequenos e inexperientes, na segunda queda mais forte a Isis preferiu encerrar as atividades antes do tempo.


Mundo de Isis II – 117 – Histórias de Viagens

Na verdade não percebemos nenhum controle sobre o tempo de entrada e saída. Ao redor da pista de gelo ficam as lojas de roupas, comidas e lembranças diversas. Vídeo da Isis patinando: http://youtu.be/HYWDh4D7qiQ No segundo andar encontra-se o restaurante onde existem janelas que mostram as atividades da Montanha de Neve, que é um enorme freezer dividido em duas grandes áreas: Esqui (pagamento a parte) - Usando snowboard e esquis próprios ou alugados. Brincadeiras na neve (esqui-bunda e Airboard, com boias infláveis) Incluídas no pacote padrão do parque. Nesta área tem também um zoológico de bonecos e uma cafeteria.

Vídeo da visão da montanha de Neve http://youtu.be/fE-pUiqHw8E Depois de nos alimentar ficamos esperando nosso número ser chamado, para entrarmos na fila para receber as roupas especiais para entrar na montanha-freezer.


Mundo de Isis II – 118 – Histórias de Viagens

Snowland - Antes da Montanha: http://youtu.be/RzdfOUGHPXE A Isis preferiu brincar com a neve mesmo, as demais atrações não motivaram ela.


Mundo de Isis II – 119 – Histórias de Viagens

A negociação para irmos embora foi feita com o oferecimento de um chocolate quente. Compramos nossas entradas em um site de compras coletivas chamado "Laçador de Ofertas", não vale a pena pagar o valor integral e na próxima vez tentaremos evitar o fim de semana e as consequentes filas. Vídeos: Dentro da Montanha de Neve http://youtu.be/4ivtzDH5R4g e Fazendo Anjo na Neve http://youtu.be/vTsYr_FKOes


Mundo de Isis II – 120 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 121 – Histórias de Viagens

Planejando nova incursão pelo Caribe

Recebi um tweet do @costacruzeiros com uma excelente oferta de cruzeiro pelo Caribe, segue o print screen:

O que acabou se revelando uma babada da Costa Cruzeiros, sem visto americano, só que não... no mesmo dia enviei a oferta para a agência de turismo que me atende para que investigasse e buscasse o voo para nos levar até o local de embarque. Minha agência não conseguiu nada, ai liguei para Costa SP... a atendente do Aéreo disse que não era possível, que seria exigido o visto americano. Falei que tinha recebido DELES a oferta dei o endereço e a data do tweet. Ouvi o clássico: “só um minutinho...” Quinze minutinhos depois ela volta com a informação que o Marketing ERROU! Não há como chegar a Guadalupe voando sem visto americano, mesmo que você não saia do avião voos com escalas nos Estados Unidos e companhias aéreas americanas exigem o visto. O tweet foi apagado imediatamente! Como a Costa falhou terrivelmente em divulgar um pacote que não podia vender, passei a acompanhar mais de perto as ofertas de outras empresas. Vi um anúncio de jornal da MSC, roteiro melhor que o do Costa e um valor equivalente. Como todo cruzeiro fora do Brasil o problema é o custo dos trechos aéreos para chegar até lá.


Mundo de Isis II – 122 – Histórias de Viagens

Minha esposa achou o mar do Caribe mais agitado, causando mais enjoos. Nossa esperança é que um navio maior do que o da Pullmantur seja mais estável.

Além do Pullmantur Monarch, comparei MSC Música com os navios da mesma companhia que estão navegando pela costa brasileira:

Passageiros Peso Comprimento Cabines

Musica 2.550 92.409 293,80 1.275

Monarch 2.733 73.937 268 1.193

Lirica 1.560 59.058 251,25 795

Poesia 2.550 92.627 293,80 1.275

Preziosa 3.502 139.072 333,30 1.751

Embora tenha menor capacidade de passageiros o MSC supera o Pullmantur em todos os outros números. Interessante fazer a proporção Comprimento/Passageiros. Os resultados são Musica 0,12 e Monarch 0,10 teoricamente teremos 20% mais espaço e conforto. Conseguimos uma boa cabine no "meio do meio" onde as oscilações são menores. Ficaremos em uma cabine próximo ao meio do navio e no oitavo andar. Sobre o MSC Musica: A música está em toda parte quando você embarca em seu cruzeiro de férias no MSC Musica! Uma mistura perfeita de ambientes de bom gosto e locais fantásticos para o seu divertimento. Nossos hóspedes do mundo todo desfrutarão dos cruzeiros que oferecem


Mundo de Isis II – 123 – Histórias de Viagens

uma atmosfera sem fronteiras com extraordinárias instalações para recreação e uma requintada culinária italiana, além de inúmeras especialidades da cozinha internacional.

O MSC Musica é a primeira embarcação da "Classe Musica" da MSC Cruzeiros. Esta embarcação tornou-se a "bela do baile" no dia 29 de junho de 2006 em Veneza, onde uma exibição de luzes e cores comemorou a inauguração do MSC Musica. Com a presença embaixadora mundial da elegância italiana, Sophia Loren (muito legal !!!), como sua madrinha.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO NAVIO Construído em

2006

Peso

92.409 ton.

Número de passageiros

2.550 (em cabine dupla)

Tripulação

Aprox. 1.014

Número de cabines

1.275, incluindo 16 para hóspedes com mobilidade reduzida

Comprimento/Calado/Altura 293,80m / 32,20m/ 59,64m Decks

16, sendo 13 para hóspedes

Velocidade máxima

22 nós

Velocidade média

18 nós

Tecnologia ambiental

Sistema de monitoramento e redução de gasto de energia


Mundo de Isis II – 124 – Histórias de Viagens

Nosso roteiro: Dia Data

Porto

Chegada Partida Atividade

1

dom dez 14 La Romana

....

23:00

Atracado

2

seg dez 15

Road Town

14:00

19:00

Atracado/Lancha

3

ter dez 16

St John's

08:00

18:00

Atracado

4

qua dez 17 Fort de France

08:00

21:00

Atracado

5

qui dez 18

Castries

08:00

18:00

Atracado

6

sex dez 19

Pointe-à-Pitre

08:00

21:00

Atracado

7

sáb dez 20

Philipsburg

09:00

15:00

Atracado

8

dom dez 21 La Romana

13:00

....

Atracado

Desembarcar todos os dias e visitar algum lugar não é comum em cruzeiros de 7 ou mais dias. Este também foi um motivo para escolher, desta vez, a MSC. Será nosso debut nesta companhia.


Mundo de Isis II – 125 – Histórias de Viagens

Muito embora eu já tivesse lido e escrito sobre isso é um choque “lembrar” que a badalada Republica Dominicana divide a mesma ilha com o despedaçado Haiti.

Pela perspectiva do Brasil a esquerda da ilha fica a Jamaica e Cuba, a direita Porto Rico. Tudo fica mais ao norte do que nossa aventura anterior pelo Caribe.

Road Town, localizada na ilha de Tortola, é a capital das Ilhas Virgens Britânicas. Está situada no Road Harbour no centro da costa sul da ilha. Um quarto dos 10.000 habitantes da ilha vive em Road Town. As Ilhas Virgens Britânicas são territórios britânicos ultramarinos nas Caraíbas, que corresponde à metade oriental das Ilhas Virgens (as maiores são Tortola, Virgem Gorda e Anegada). Faz fronteira marítima com as Ilhas Virgens Americanas, a oeste. A leste, a Passagem Anegada separa-as de outro território britânico: Anguilla.


Mundo de Isis II – 126 – Histórias de Viagens

Saint John's ou São João é a capital de Antígua e Barbuda, com uma população de 23.342 habitantes (em 2008). Localiza-se na ilha de Antígua, às margens do oceano Atlântico. A cidade é o centro comercial do país e possui o principal porto da ilha de Antígua. Antígua e Barbuda é um país independente das Américas constituído por 37 ilhas situadas entre o mar do Caribe. É constituída por duas grandes ilhas, Antiga e Barbuda, e outras seis ilhotas: Great Bird, Green, Guinea, Long, Maiden e York; além de outras 29 ilhotas desabitadas. Separada por poucas milhas marítimas, o arquipélago faz parte das ilhas de Barlavento das Pequenas Antilhas, na América central; cerca de 17° norte da linha do Equador. Os primeiros habitantes das ilhas surgiram há cerca de 4 400 anos, mas apenas em 1493, elas foram descobertas por Cristóvão Colombo que as batizou, e colonizou em nome do reino da Espanha. Tal estatuto durou até 1667, quando foram vendidas à Grã-Bretanha, tendo estado sob soberania britânica até à sua independência em 1981. Desde então Antígua e Barbuda se tornou um dos 196 países reconhecidos pela ONU, além de uma das últimas 44 monarquias da atualidade, um dos 25 microestados (países com uma área menor que 1 000 km², e um dos dezesseis reinos da Comunidade de Nações), a liga de ex-colônias britânicas que reconhecem a Rainha Elizabeth II como sua chefe de Estado.

Martinica (em francês: Martinique) é um departamento ultramarino insular francês no Caribe, com fronteiras marítimas com a Dominica ao noroeste, e com Santa Lúcia ao sul. Capital: Fort-de-France. Tem estatuto de região administrativa, assim como as outras colônias francesas (como Guadalupe, a Reunião e a Guiana Francesa). A antiga capital, Saint-Pierre, ficou mundialmente famosa após a grande erupção vulcânica de 1902, no Monte Pelée. Em 29 de novembro de 2007, houve um terremoto de 7,4 na escala de Richter, que foi sentido no Amazonas, no Pará, Rondônia,


Mundo de Isis II – 127 – Histórias de Viagens

Roraima e Amapá. Seu mais ilustre filho foi a 1ª consorte do imperador Napoleão I, a imperatriz Josefina de Beauharnais.

Castries é um distrito da ilha de Santa Lúcia, bem como a capital do país. Castries está localizado em uma planície e é realmente construído sobre terras recuperadas. Abriga a sede do governo e as sedes de muitas das empresas, tanto estrangeiras como locais. A cidade está em uma grade padrão semelhante a uma metrópole como Nova York, mas em muito menor escala. Tem um porto abrigado, que recebe navios de carga e barcos, bem como cruzeiros. Contém duty free shopping facilidades como Ponto Seraphine e La Place Carinage; inúmeros restaurantes que oferecem cardápios variados a partir de locais para chinês; supermercados e muitos outros shoppings. A cidade é bem servida por um sistema de ônibus e táxis serviço. A cidade tem uma população de 61.341 habitantes (2008) e IDH de 0,814. A bandeira teria sido inspirada em Jornada nas Estrelas?

Guadalupe (em francês: Guadeloupe) é um departamento ultramarino francês nas Caraíbas (Caribe), constituído por dois grupos de ilhas: a "ilha de Guadalupe", que é na realidade composta por duas ilhas, Basse-Terre e Grande-Terre, e ilhas próximas, e um grupo situado bastante mais a norte, constituído por São Bartolomeu, pela metade norte de São Martinho e pelas ilhotas circunvizinhas. As fronteiras do primeiro grupo fazem-se, por mar, com a Dominica, a sul, com Montserrat a noroeste e com Antigua e Barbuda a norte, e as do segundo grupo fazem-se, por terra, com as Antilhas Holandesas, e por mar com Anguilla a norte, Antigua e Barbuda a sueste, e Saint Kitts e Nevis a sul.


Mundo de Isis II – 128 – Histórias de Viagens

Sua capital é Basse-Terre, sendo que a capital econômica é Pointe-àPitre, onde se encontra a maioria do comércio, bem como o Port Autonome de la Guadeloupe.

São Martinho é um país constituinte do Reino dos Países Baixos. Compreende a parte meridional da ilha caribenha de São Martinho. A parte setentrional da ilha é uma coletividade ultramarina da República Francesa (Saint-Martin). A capital é Philipsburg. A população total da parte neerlandesa da ilha é de 37 000 habitantes numa área de 34km². Até 10 de outubro de 2010 São Martinho era parte das Antilhas Holandesas, coletividade que foi extinta por decisão das populações residentes de suas partes constituintes. Em 2001, no censo das Antilhas Neerlandesas, a população dessa região era de 30 594 habitantes, com uma densidade populacional de 900 hab./km².

República Dominicana é um país que ocupa dois terços orientais da ilha de São Domingos. O terço ocidental da ilha é ocupado pelo Haiti, portanto, a ilha de São Domingos é compartilhada por dois países. Tanto pelo tamanho de área e pela quantidade populacional, faz da República Dominicana o segundo maior país do Caribe (atrás de Cuba), sua área é de 48 442 quilômetros quadrados e possui aproximadamente 10 milhões de habitantes. Limita-se ao norte com o Oceano Atlântico, ao sul com o mar do Caribe, a leste com o canal de Mona, que a separa de Porto Rico, e a oeste com a República do Haiti. Habitada por taínos desde o século VII, o país foi descoberto por Cristóvão Colombo em 1492 e se tornou o local do primeiro assentamento europeu na América, denominado Santo Domingo, a capital do país. Em Santo Domingo está a Cidade Colonial, declarada como Patrimônio Mundial pela UNESCO.


Mundo de Isis II – 129 – Histórias de Viagens

Após três séculos de dominação espanhola, francesa e haitiana, o país alcançou a independência em 1821, mas foi rapidamente tomada pelo Haiti, em 1822. Após a vitória na Guerra de Independência Dominicana, em 1844, os dominicanos travaram várias lutas, a maioria internas, bem como um breve retorno ao domínio espanhol (1861–1865). A ocupação dos Estados Unidos de 1916 até 1924, e posteriormente seis anos de prosperidade com o presidente Felipe Horacio Vásquez Lajara (1924– 1930), foi seguido pela ditadura de Rafael Leonidas Trujillo Molina até 1961. A guerra civil de 1965 terminou com uma intervenção liderada pelos Estados Unidos, e foi seguida por vários períodos de governo de Joaquin Balaguer (1966–1978). Desde então, a República Dominicana tomou direção para a democracia representativa. A República Dominicana tem a segunda maior economia caribenha. Apesar de conhecida pela produção de açúcar, a economia é dominada pelos setor terciário. No entanto, o desemprego, a corrupção e o serviço de abastecimento de energia elétrica permanece como grandes desafios para o país. Há também uma "acentuada desigualdade de renda". No país se encontra a montanha mais alta do Caribe, o Pico Duarte, assim com o lago Enriquillo, o ponto mais baixo no nível do mar é o maior lago do Caribe. A República Dominicana tem uma temperatura média de 26 °C e uma grande biodiversidade. Utilizaremos a Copa Airlines para ir até a Republica Dominicana, será nossa primeira experiência com esta companhia.

Voos Copa Airlines CM 518 13/12/2014 PTY PUJ 19:04 22:33 CM 151 22/12/2014 PUJ PTY 15:15 16:58 Pacote terrestre que tentamos negocias incluia: - transfer aeroporto PUNTA CANA / HOTEL LA ROMANA / aeroporto PUNTA CANA; - transfer hotel / PORTO / hotel;


Mundo de Isis II – 130 – Histórias de Viagens

- hospedagem conforme abaixo para duas noites; - seguro viagem para todo o período; Grand Bahia Principe La Romana www.bahia-principe.com/en/hotels/la-romana/resort-la-romana/contact/

Carretera San Pedro-Romana km 12. - LRM Check-in: 13/12/2014 Check-out: 14/12/2014

Referência

Tipo

Quarto 1

Junior Suíte Superior

Board

All inclusive

O valor do hotel e transfers são desproporcionais, é quase o mesmo preço do Cruzeiro! Desistimos dos tranfers, vamos utilizar taxi mesmo sabendo que são 50 km. entre o aeroporto e o hotel. Tentamos que achar algo menos caro, no dia 13 vamos chegar quase a meia-noite e no dia 14 vamos sair cedo, sem aproveitar nada do "all inclusive". Não conseguimos A diária do dia 21 se aproveita mais, mas mesmo assim qualquer hotel comum nos atenderia bem. Consegui um orçamento dos transfers com o serviço “Concierge” do cartão de crédito Martercard, também fora da realidade. Um trecho entre o aeroporto e o hotel foi orçado em US$ 152.00.


Mundo de Isis II – 131 – Histórias de Viagens

Planejando a Disney nos EUA

A avó paterna da Isis fez o CPF dela e abriu uma caderneta de poupança já no primeiro ano, um dos objetivos esa visitar o parque da Disney na Florida. Esse ano lembrei a ela que a Isis será criança por mais 2 anos, depois disso os interesses dela devem mudar muito. Este fato deu início a este novo planejamento. Outra consideração importante é NÃO ir nas férias escolares em função das filas e dos preços. Duas semanas perdendo só 7 dias de aula! Melhor pegar em ABRIL, 21 feriado de Tiradentes até MAIO primeiro é feriado do Dia do Trabalho. Vai na escola dia 20 e voa no dia 21. A ideia é formar dois ou mais grupos que se encontrarão nos Estados Unidos. Também temos que considerar que os interesses da Isis na Disney serão os brinquedos e atrações mais infantis. Eu quero ver os estúdios MGM e os brinquedos mais “radicais”. Montei dois roteiros, um em que a Isis vai primeiro e no segundo eu e minha esposa vamos primeiro e recebemos ela lá. Em ambos aproveitamos as atrações que estão geograficamente próximas e ficam nas cidades de Orlando, Miami e Tampa.

Isis Vó Pai

Embarca 21/04/2015 21/04/2015

Para? Orlando? Orlando?

18/04/2015

Miami

Mãe 18/04/2015

Miami

Pai

10/04/2015

Miami

Mãe 10/04/2015

Miami

Hotel em?

Cruzeiro

19-25 Abr Fort Lauderdale, Fort Lauderdale Flórida 19-25 Abr Fort Lauderdale, Flórida 11 Abr - 19 Abr Fort Fort Lauderdale Lauderdale, Flórida 11 Abr - 19 Abr Fort Fort Lauderdale Lauderdale, Flórida


Mundo de Isis II – 132 – Histórias de Viagens

Todos temos que providenciar o visto americano, para que este planejamento vire realidade. Minha mãe e meu irmão já estão providenciando os seus vistos, a próxima na fila é a Isis. Ela e a minha mãe estão dispensadas da entrevista, uma pela idade e a outra por ser uma renovação. Meu irmão e sua namorada pensam em ir também. No final de 2014 foi divulgado que os passaportes brasileiros passarão a ter validade por 10 anos, nossos passaportes estão para vencer em menos de um ano. Não foi divuldaga data para esta mudança passar a valer. Estes dois fatos juntos praticamente inviabilizam a ida aos Estados Unidos com a Isis com 10 anos. Em 2015 não vai ter Disney e em janeiro de 2016 o passaporte que a Isis tem caduca. Estamos na expectativa do passaporte com validade de 10 anos que foi anunciado em dezembro de 2014 e que até agora não existe!


Mundo de Isis II – 133 – Histórias de Viagens

Últimos acertos para o Caribe 2

Com a escalada do valor da taxa de câmbio deixei para fechar o transfer do Aeroporto ao Hotel para o "último minuto", que para mim é um mês antes da viagem. Foram US$ 83.00 contratados on-line e pagos com Paypal em: www.dominicanplus.com/from-punta-cana-airport-puj Faremos escala no Panamá e nosso horário previsto de chegada é 22:33. Vamos ao hotel o no dia seguinte embarcamos no cruzeiro pelo Caribe. Mudanças de última hora - República Dominicana e Caribe Faltando dois dias para o embarque a documentação da viagem chegou, com as algumas alterações, todas positivas. Os voos vão sair mais tarde. Nossa cabine no MSC Musica ficará dois andares acima do previsto e terá varanda. Ainda não sei como será nossa recepção no hotel, quando chegarmos lá a meia-noite. Os horários de checkout do hotel e checkin no navio também possuem um descompasso de algumas horas. Precisaremos nos livrar das malas para poder aproveitar estas horas "livres". Teremos um "Duelo De Titãs" em relação as cabines. O ano passado também tivemos varanda no Costa Favolosa, foi a maior cabine (até agora) da nossa carreira de cruzeirista. Seguimos fazendo as malas (malas) para a viagem que se aproxima.


Mundo de Isis II – 134 – Histórias de Viagens

No aeroporto as meninas ganharam os primeiros livros da primeira edição:

Escala no Panamá: Belo aeroporto!


Mundo de Isis II – 135 – Histórias de Viagens

Desembarcamos em Punta Cana de madrugada e pegamos nosso trasporte até o hotel. O motorista andava a 110 Km/hora, nas estradas construidas pela brasileira Odebrecht (sob suspeita de corrupção), manipulando seu celular de tela grande (um iPhone 6 Plus genérico). Levamos uma hora até o hotel em La Romana que é bacanérrimo!


Mundo de Isis II – 136 – Histórias de Viagens

No outro dia fomos de taxi ao porto, uma corrida de 60 dólares. Foi um péssimo negócio não ter fechado todos os tranfers antecipadamente. Tão logo consegui internet iniciei a negociação para os próximos trajetos. Chegamos no horário previsto pela MSC, 3 horas antes, não adiantou. Ficamos duas horas esperando para entrar no navio.


Mundo de Isis II – 137 – Histórias de Viagens

A Internet deste navio não tem como usar: 23 euros por hora!!!


Mundo de Isis II – 138 – Histórias de Viagens

Road Town – Ilhas Virgens Britânicas Road Town, localizada na ilha de Tortola, é a capital das Ilhas Virgens Britânicas. Está situada no Road Harbour no centro da costa sul da ilha. Um quarto dos 10.000 habitantes da ilha vive em Road Town. O nome faz muito sentido, não tem nada aqui...


Mundo de Isis II – 139 – Histórias de Viagens

Lá tinha MUITAS galinhas soltas, também vimos dois bodes soltos lá. Fomos em um shoppingzinho chamado Swisterland cheio de joias e os lindos e maravilhosos bichinhos Swarowski, muito lindos.


Mundo de Isis II – 140 – Histórias de Viagens

Saint John – Antígua e Barbuda Saint John's ou São João é a capital de Antígua e Barbuda, com uma população de 23.342 habitantes (em 2008). Localiza-se na ilha de Antígua, às margens do oceano Atlântico. A cidade é o centro comercial do país e possui o principal porto da ilha de Antígua.


Mundo de Isis II – 141 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 142 – Histórias de Viagens

A ilha era bem maior, tinha muitas casinhas coloridas bem fofas. Uma coisa bem diferente eram as blusas que mudam de cor os prendedores e os esmaltes todos mudavam de cor no sol. Compramos 4 esmaltes , Também vimos uma igreja em reforma que dava o nome a ilha e vimos uma loja chamada Isis.


Mundo de Isis II – 143 – Histórias de Viagens

Fort de France- Martinica Martinica (em francês: Martinique) é um departamento ultramarino insular francês no Caribe, com fronteiras marítimas com a Dominica ao noroeste, e com Santa Lúcia ao sul. Na chegada recebemos um mapa turístico. A calçada é pintada de azul para facilitar o caminho do porto ao centro da cidade. No meio do caminho vimos dois jovens usando uniforme onde estava escrito tourist information. Perguntei o caminho para a sacre coeur. Siga naquela avenida, passe o cemitério e pegue o taxi 25. Depois de algumas dificuldades localizamos o local. O taxi na verdade é um ônibus de linha. Dois euros e meio cada passagem, que vale para ir e voltar. Foi uma subida acentuada e sinuosa. O motorista gostava de correr e não nos entendeu muito bem, acabamos por desembarcar bem longe da igreja. O marketing é melhor do que a realidade. A promessa de uma réplica pequena da famosa catedral parisiense não se confirmou. A vista realmente é linda. Depois da contemplação voltamos ao ponto de ônibus para mais 20 minutos de espera. Descemos no centro e fomos ao mercado publico, que é bem cheiroso pois não vende peixes e sim ervas, frutas, legumes e especiarias. Depois entramos e saímos de lojinhas e voltamos ao navio. Almoçamos e a Isis foi para o brinca. Eu desci para ver o freeshop do porto que tínhamos esquecido de passar.


Mundo de Isis II – 144 – Histórias de Viagens

A noite a Isis se apresentou no teatro.


Mundo de Isis II – 145 – Histórias de Viagens

A ilha parecia mais com uma cidade bem grande com vários prédios. Hoje caminhamos muito e testei meu esmalte que muda de cor e funciona! Na ilha fomos ver a “mini Sacre Coeur” que tem lá é bem longe e fica em um morro no fim vimos ela e não parece  Vimos o mercado publico de lá tinha cheiro de temperos bem bom.


Mundo de Isis II – 146 – Histórias de Viagens

Castries – Santa Lucia Castries é um distrito da ilha de Santa Lúcia, bem como a capital do país. Também mão inglesa. Primeiro uso do cartão de credito desta viagem. Vou comprar uma ceva para ter uma senha de internet.


Mundo de Isis II – 147 – Histórias de Viagens

Do navio a ilha parecia bem mais bonita... Vimos uma praça bem bonita com palmeiras grandes, também vimos uma igreja bem diferente por dentro e por fora. A bandeira de lá é muito estranha. Compramos os prendedores de cabelo que mudam de cor, bem legal.


Mundo de Isis II – 148 – Histórias de Viagens

Pointe-à-Pitre - Guadalupe Guadalupe (em francês: Guadeloupe) é um departamento ultramarino francês nas Caraíbas (Caribe). Sua capital é Basse-Terre, sendo que a capital econômica é Pointe-à-Pitre, onde se encontra a maioria do comércio, bem como o Port Autonome de la Guadeloupe.


Mundo de Isis II – 149 – Histórias de Viagens

Chuva, chuva e mais chuva credo. Mas tirando isso a ilha era bem bonitinha .Compramos um óculos de sol pra mim :D muito bonito


Mundo de Isis II – 150 – Histórias de Viagens

Philipsburg – San Maarten São Martinho é um país constituinte do Reino dos Países Baixos. Compreende a parte meridional da ilha caribenha de São Martinho. A parte setentrional da ilha é uma coletividade ultramarina da República Francesa (Saint-Martin). A capital é Philipsburg. Deixei para o ultimo dia usar a camisa do grêmio. Tinha receio em relação a reação em função do caso de "injuria racial". Ainda estou no navio e até agora tudo bem. Foram 3 reações positivas. Com a camisa do brasil não tive nenhuma abordagem. O dia esta lindo. Espero que usem dólares aqui, muitas das ilhas anteriores preferem euros. A noite temos encontro com as malas. A Internet nas ilhas onde estou é escassa e lenta. Voltarei a ter uma conexão fixa só no natal.


Mundo de Isis II – 151 – Histórias de Viagens

O Aeroporto Internacional Princesa Juliana localiza-se na ilha tropical de São Martinho, nas Antilhas Neerlandesas e é o segundo aeroporto com maior movimento no Caribe. Foi batizado graças à então princesa herdeira Juliana dos Países Baixos. É considerada uma das aproximações mais difíceis de todo o mundo, onde os aviões passam por cima da Praia Maho a 10 metros dos banhistas para o procedimento de pouso. No momento das decolagens feitas pela cabeceira 10, os banhistas são "lançados" para o mar com muita força, especialmente pelos aviões de grande porte (Boeing 747 e Airbus A340). Contudo, mesmo com o tráfego diário destes aviões, apenas há registro de 2 acidentes, nos anos de 1970 e 1972. O aeroporto recebe diariamente aviões 'jumbo' como os B747 da KLM vindos de Amsterdam ou os A340 da Air France, de Paris.


Mundo de Isis II – 152 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 153 – Histórias de Viagens

La Romana – República Dominicana Ela não quis dormir na cama de solteiro e dormiu no chão.


Mundo de Isis II – 154 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 155 – Histórias de Viagens

Eu suspeitei e agora está confirmado: Três Marias é o nome popular dado a um asterismo de três estrelas que formam o cinturão da constelação de Orion, o caçador. Outro nome popular para este grupo é Três Reis. As estrelas, facilmente identificáveis no céu pelo brilho e por estarem alinhadas, têm o nome de Mintaka, Alnilan e Alnitaka. A constelação tem a forma de um quadrilátero com as Três Marias no centro. As estrelas que formam o Cinturão de Órion são facilmente identificadas no céu e são um importante alvo para se localizar diversas estrelas e constelações

Bahia Principe US$ 127.00

localização

conforto

beleza

Internet

média

7

10

10

2

7,25


Mundo de Isis II – 156 – Histórias de Viagens

Batalha Naval

Entre: Pullmantur Monarch, MSC Musica e Costa Favolosa.

Decida você: Qual o copo mais bonito?


Mundo de Isis II – 157 – Histórias de Viagens

Quadro comparativo VENCEDOR MSC MSC Costa Pullmantur Pullmantur Costa Costa Costa MSC Costa Pullmantur Costa Costa MSC

Motivo da vitória Grande variedade Maior variedade e locais 5 pratos, imbatível All inclusive, imbatível HBO e canais de filmes Menos cara Ganhou por pouco Mais farta, e com TV interativa Mais tempo aberto Mais atividades Brasileiros esforçados Praticamente todos os dias Quase empatado com MSC MSC ganhou por pouco, ambas as cabines tinham varanda.

Piscinas Conforto Sorteios

Costa MSC Costa

Quiz

Costa

Tranquilidade

Costa

Maiores e mais equipadas A limpeza contou muito Só ele fez Organizado, com formuários e premios Não tinha crianças correndo pelos corredores

QUESITO Almoço buffet Café da manhã Jantar Bebidas TV Internet Organização Informação Brinca-brinca Brinca atividades Shows Eventos Beleza do navio Quarto/Cabine

Costa Favolosa 11 pontos, Pullmantur Monarch 3 pontos e MSC Musica 5 pontos.


Mundo de Isis II – 158 – Histórias de Viagens

Surpresa desagradável na última noite:

120 euros não previstos, a mais na conta!


Mundo de Isis II – 159 – Histórias de Viagens

Depois de muita fila e reclamação, vem o ajuste:

#FicaaDica: Malandragem e perna de anão sempre podem aparecer... No cartão de crédito seguinte veio em 3 moedas: 29/12 MSC MUSICA R$ 378,12 FRANCE 113,22 (EUROPEANMON) 138,00 (U. S. DOLLAR). Primeira vez que tivemos um cruzeiro em euros, o padrão é dólares.


Mundo de Isis II – 160 – Histórias de Viagens

Escrevendo o livro II:


Mundo de Isis II – 161 – Histórias de Viagens

Caribe III Estudando para as férias de Julho achei um cruzeiro no México. Na verdade estudei vários no Mediterrâneo mas em 2015 o clima de terrorismo e naufrágios de imigrantes africanos desaconselhavam ir para lá. Pela primeira vez vamos “repetir” um navio, o Monarch. Pela primeira vez vamos em Julho.


Mundo de Isis II – 162 – Histórias de Viagens

25 JUL – COZUMEL – 26JUL – YUCATAN –

SAIDA 6PM CHEGADA 12AM – SAIDA 8PM

27JUL – NAVEGANDO 28JUL – GEORGE TOWN, GRAND CAYMAN – CHEGADA 8AM – SAIDA 7PM 29JUL- NAVEGANDO 30JUL – ROATAN, HONDURAS –

CHEGADA 7AM – SAIDA 7PM

31JUL – BELIZE CITY –

CHEGADA 7AM – SAIDA 5PM

01AGO – COZUMEL –

CHEGADA 9AM

Como sempre o mais caro é chegar, o cruzeiro é relativamente barato, para toda a familia equivale ao trecho aéreo de um adulto.

Vamos desenbarcar em Cancun e ficar duas noites. As pirâmides Maias ficam a 200km de Cancun, queremos alugar um carro e ir.


Mundo de Isis II – 163 – Histórias de Viagens

Pela primeira vez vamos “repetir” um navio, o Monarch. A cabine de 2015 é no mesmo corredor de 2013: Só que é maior, para até 4 pessoas.


Mundo de Isis II – 164 – Histórias de Viagens

Cancun Um dos 10 destinos preferidos dos brasileiros, pesquisa de 2015. Meus pais estiveram aqui tem quase uns 20 anos um conhecido meu esteve aqui em 2014 e pegou o último dia do Hard Rock Café (que, segundo ele, está fechado). Cancun é uma cidade que fica na costa do estado de Quintana Roo, no México, em uma península que se tornou um dos centros turísticos mais importantes do México, tendo conseguido preservar suas belezas naturais e sua cultura ancestral, representada principalmente em cidades maias, como Tulum, Uxmal ou Chichén Itzá, fundadas no período précolombiano. Em Cancun existem cerca de 22 quilômetros de praias de areia fina, divididos entre a lagoa e o mar. As ruínas, as praias, a vegetação, os parques cheios de espetáculos de entretenimento, o clima, a fauna marinha e a estrutura hoteleira fazem de Cancun um dos destinos turísticos mais visitados do México. As cinco zonas de Cancún Fernando Martí Brito, cronista oficial de Cancun, inicialmente dividiu Cancun em três zonas, ou três "Cancunes", geográfica e socialmente falando segundo (dados de 1985). Atualmente, Cancun se encontra dividida em cinco zonas principais, perfeitamente identificáveis para o governo municipal e a sociedade cancunense: Isla Cancún A primeira e mais importante é Isla Cancún ou Zona Hotelera, onde se concentra a maior parte das praias e atividades turísticas por que é reconhecido por este destino. Isla Cancún, é uma terra na forma de "7", com uma extensão de 23km. A ilha, que abriga a maior parte dos hotéis e praias, também de zonas residenciais e o campo de golf Pok Ta Pok, está unida ao continente por três pontes: a ponte Calinda no km 4, a ponte de Club Med no km 20 e a ponte Nizuc no km 22. A zona hoteleira rodeia no


Mundo de Isis II – 165 – Histórias de Viagens

interior do "7" no sistema da Laguna Nichupté, composto de sete corpos de água: Laguna Bojórquez, Cuenca del Norte, Cuenca Central, Cuenca Sur, Río Inglés, Del Amor, e Laguneta del Mediterráneo. Zona urbana A segunda é o centro da cidade, a zona urbana onde habita o grosso da população cancunense e se encontra dividido em colonias, fracionamentos, superquadras ou regiões, zonas regulares perfeitamente delimitadas por ruas e avenidas pavimentadas, que contam com os serviços básicos de eletricidade, água potável, serviço telefônico e drenagem. Aqui se localizam a maior parte das instituições políticas, educativas, culturais e de serviços da cidade. Puerto Juárez A terceira zona, chamada anteriormente Tamtamchen, encontramos duas docas principal para embarcar e cruzar a Isla Mujeres, localizada a 7 km frente ao porto, que se dedica principalmente à pesca. Possui restaurantes onde se pode desfrutar frutos do mar fresco. Puerto Juarez está dividido em três locais (áreas urbanas delimitadas pelo governo municipal): o superbloco 86, que abriga a divisão Villas Playa Blanca e alcança as ruínas de El Meco , apenas na ponta o município de Isla Mujeres. Frente a descrita demarcação se encontra praia Del Niño, uma das 10 praias públicas de Cancun. As outras duas localidades, no superbloco 84 e 85 abrigam a maior parte da população, que atualmente se estima em cerca de 4500 habitantes. Os pescadores vivem ali, a maioria parte dos quais vivem em palapas situado ao lado de trabalhos de terraplenagem. Esta área também sugere uma infinidade de lojas que tiveram seu apogeu até o início dos anos 80, e hoje está completamente abandonada. Mesmo durante os anos 80 o governo municipal ordenou a construção de arcos de ambos os lados da avenida principal para realçar a imagem urbana.1 Seu atual abandono urbano e social faz que tanto locais como visitantes usem este porto só para se transportarem até Isla Mujeres ou comer em algum de seus restaurantes.


Mundo de Isis II – 166 – Histórias de Viagens

Franja ejidal Zona de assentamentos distribuídos de forma irregular na parte norte da cidade, nos limites municipais de Isla Mujeres. O conformam terrenos irregulares ocupados pela parte mais pobre da população, na sua maioria imigrantes de outros estados da república. Atualmente algumas zonas da franja ejidal estão sendo regularizados pouco a pouco com ajuda do governo, embora devido ao crescimento de Cancun, cada vez se aumenta o tamanho da zona ejidal. Alfredo V. Bonfil A quinta zona, é uma das três delegações do município de Benito Juárez, o eleito Alfredo V. Bonfil, uma população que nasceu originalmente de colonos originários do norte do país, com a missão de contribuir para o aumento demográfico de Quintana Roo para alcançar a categoria de estado livre e soberano em 1974. Se localiza a 8 km do centro de Cancun, sobre a rodovia federal 307 que vai ao aeroporto internacional e Riviera Maya.


Mundo de Isis II – 167 – Histórias de Viagens

Cozumel Dia 2: Progreso (Yucatán) Progreso de Castro é uma localidade com a categoria de cidade localizada no estado mexicano de Yucatán , especificamente no município homônimo localizado na Região Metropolitana VI ou influência do mesmo estado. A cidade tem o nome oficial de Progreso de Castro, nomeado em honra do primeiro promotor do porto em 1884 , Juan Miguel Castro . É o principal porto do estado de Yucatan , México .


Mundo de Isis II – 168 – Histórias de Viagens

Ele está localizado no Golfo do México ao noroeste do estado, 36 km ao norte de Mérida , capital do estado.

Progreso é baseado em uma indústria de pesca grande e estabeleceu-se com a construção do porto, instalação offshore singular que consiste em um viaduto que vai para o mar para ganhar 6,5 km profundidade e permitir que os navios ancorados até um projecto de 34 pés, como um centro de logística estratégicas para os exportadores e importadores da Península de Yucatán. Os contentores carregados com mercadorias deixam Os progressos no sentido de alcançar o mundo exterior e para ser distribuído para a Península de Yucatán e outros locais nas proximidades. Progreso é também uma marina em pleno crescimento. Atualmente operando cruzeiro grande, geralmente em uma parada de escala para 2436 horas. Os passageiros desembarcam no porto de altura e são levados para visitar o porto de Progreso, Merida , Izamal e sítios arqueológicos maias de Chichen Itza , Uxmal e Dzibilchaltun . Durante Julho e Agosto as praias estão lotadas por milhares de turistas, principalmente locais. Estes meses são preferidos por famílias de Yucatán para passar o verão nas praias, onde o porto de Progreso um dos locais favoritos.


Mundo de Isis II – 169 – Histórias de Viagens

Dia 3: Navegação Dia 4: George Town (Grand Cayman)


Mundo de Isis II – 170 – Histórias de Viagens

A ilha Grande Caimão (Grand Cayman em inglês) é a maior das três ilhas que formam a nação das Ilhas Caimão (as outras duas são Caimão Brac e Pequena Caimão). A Grande Caimão abriga a vasta maioria da população e da atividade econômica desta nação que é um território ultramarino britânico. As principais atividades econômicas são o turismo (com algumas dezenas de hotéis e restaurantes servindo os visitantes que chegam em vastos navios de cruzeiro para passar o dia ou os que chegam de avião para temporadas mais longas) e a indústria financeira internacional. Centenas de bancos, seguradoras e administradores de fundos de investimento fazem da ilha seu domicílio, atraídos pela estrutura legal moderna mas estável (baseada na lei inglesa), pela estabilidade política e pela neutralidade fiscal, que não penaliza as transações financeiras com impostos ou taxas como outras jurisdições. Nesta ilha fica a capital da nação, Georgetown.


Mundo de Isis II – 171 – Histórias de Viagens

Dia 6: Belize City

Belize é um pequeno país da América Central, limitado a norte pelo México, a leste pelo Golfo de Honduras e a sul e a oeste pela Guatemala. Belize é a capital do distrito de Belize e maior cidade de Belize. No último censo realizado em 2000, sua população era de 49.050 habitantes. Em meados de 2005, a população estimada da cidade era de 60.800 habitantes.


Mundo de Isis II – 172 – Histórias de Viagens

A cidade de Belize foi fundada em meados do século XVII, por colheitadeiras de madeira britânica. Já tinha sido uma pequena cidade maia chamada Holzuz. Era um posto central ideal para os britânicos porque estava no litoral e havia saídas para os rios e riachos. A Cidade de Belize também se tornou o lar de milhares de escravos africanos trazido pelos britânicos para ajudar na indústria florestal. Era o local de coordenação para a Batalha de St. George's Caye, em 1798, contra possíveis invasores, e era casa dos tribunais locais e funcionários do governo até 1970. Por este motivo, os historiadores costumam dizer que "o capital era a colônia", porque o centro de controle britânico na colônia ficava na cidade. A cidade lentamente melhorou a sua infra-estrutura e tem sido objeto de inúmeros projetos. No entanto, muitas das ruas construídas ainda são pequenos e congestionadas, a maioria das casas ainda estão suscetíveis ao fogo e danos causados por furacões.


Mundo de Isis II – 173 – Histórias de Viagens

Roatán é uma ilha e uma cidade das Honduras. A cidade é capital do departamento de Islas de la Bahía e a ilha é a maior do arquipélago, situando-se no mar das Caraíbas entre Útila e Guanaja. Tem 45 km de comprimento por menos de 8 km no ponto mais estreito, e fica a 30 milhas da costa hondurenha. Honduras, oficialmente República das Honduras (português europeu) ou República de Honduras (português brasileiro)(em espanhol: Republica de Honduras), é um país da América Central, limitado a norte pelo Golfo das Honduras, e a leste pelo Mar das Caraíbas (por onde possui fronteira marítima com o território colombiano de San Andrés e Providencia), a sul


Mundo de Isis II – 174 – Histórias de Viagens

pela Nicarágua, pelo Golfo de Fonseca e por El Salvador e a oeste pela Guatemala. Sua capital é Tegucigalpa. O país abrigou várias culturas indígenas importantes, mais notavelmente os Maias. Cristóvão Colombo foi o primeiro europeu a visitar as Islas de la Bahía, na costa do país, desembarcando perto da atual cidade de Trujillo. Grande parte do país foi conquistado e colonizado pela Espanha no século XVI, que introduziu seu idioma, agora predominante, e muitos de seus costumes. Foi organizada como uma província do Reino de Guatemala e teve três capitais: Trujillo, Comayagua e, a partir de 1880, Tegucigalpa, que permanece até hoje. Tornou-se independente em 15 de setembro de 1821 e foi uma república desde o fim do domínio espanhol. O território de Honduras é muito acidentado, formando-se por montanhas, planaltos, vales profundos e planícies extensas e férteis, atravessadas por rios navegáveis.6 Tudo isso contribui para a sua rica biodiversidade.7 Estima-se que existam cerca de 8.000 espécies de plantas, 250 répteis e anfíbios, mais de 70.015 espécies de aves e 110 espécies de mamíferos, distribuídos em diferentes regiões ecológicas em Honduras. A população hondurenha é de 8,2 milhões de habitantes, de acordo com estimativas de 2010, fazendo deste o quinto país mais populoso da América Central, superado por Guatemala, Cuba, República Dominicana e Haiti. Sua área territorial é de 112,492 km², sendo o 101º maior país do mundo. A economia é voltada principalmente às atividades agrícolas, além do comércio, indústria, finanças e serviços públicos.


Mundo de Isis II – 175 – Histórias de Viagens

Placa no porto:

Na Europa vimos avisos sobre roubos em Portugal e em Londres.


Mundo de Isis II – 176 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 177 – Histórias de Viagens

Cruzeiro Pullmantur Monarch O Monarch é o maior e mais no


Mundo de Isis II – 178 – Histórias de Viagens

Batalha naval com menos de 1 ano entre os cruzeiros QUESITO Almoço buffet Café da manhã Jantar Bebidas

VENCEDOR MSC MSC Pullmantur Pullmantur

TV Internet Organização Informação Brinca-brinca Brinca atividades Shows Eventos Beleza do navio Quarto/Cabine Piscinas Conforto Sorteios Quiz Tranquilidade

Pullmantur Pullmantur Pullmantur Pullmantur MSC MSC Empate Empate MSC MSC Empate MSC Empate Empate Empate

Motivo da vitória Grande variedade Maior variedade e locais Atendimento impecável All inclusive, imbatível Canais de filmes: um para crianças e um em portugues Vendem por minuto Menos bugs que MSC MSC zero em português Mais tempo aberto Mais estrutura Os 2 tiveram só 1 show bom Fraco em ambos Maior que o Pullmantur Cabine com varanda Só água, nenhuma atração A cabine contou muito Fraco Zero Ambos bons

Pullmantur Monarch 6 pontos e MSC Musica 7 pontos. Considero um empate.


Mundo de Isis II – 179 – Histórias de Viagens

Cozumel

Fica situada perto da costa oriental da península de Iucatã. Está coberta por um espesso bosque e possui abundante pesca. Sua principal atividade é o turismo, apresentando uma indústria hoteleira desenvolvida. Possui um aeroporto. Localizada no Caribe mexicano, Cozumel é uma ilha plana composto de rocha vulcânica porosa. A elevação natural mais importante da ilha é inferior a 100 m. O cenotes formado pela infiltração de água através da rocha pedra há milhares de anos podem ser exploradas através de actividades como a natação ou mergulho, pode apreciar diversas espécies marinhas. A ilha é de cerca de 48 km de norte a sul e 16 km de leste a oeste, tornando-se a terceira maior ilha do México após o Isla Tiburón, no estado de Sonora e Isla Angel de la Guarda na Baja California. Localizado a 20 km a leste da Península de Yucatán, e 60 km ao sul de Cancún, tem uma área de 647,33 km² e 1208 km² em comparação com o a Isla Tiburón e 895 km² da Isla Angel de la Guarda. Voo Panamá: 7 horas de voo. Fuso de 2 horas a menos. Além de vinho tinha vodka e wisky no almoço e no lanche. Olhei 2 filmes. Ta 30 graus aqui. São 22h no Mexico 0h no Brasil. Estamos esperando as malas. Disseram que vão abrir todas as malas para inspecionar.


Mundo de Isis II – 180 – Histórias de Viagens

Ja carimbamos o passaporte mas nao passamos a aduana. Em Cancun perdi meu boné e câmera. Deixei na frente do quarto, a fechadura é meio manhosa... Conseguimos recuperar horas depois do descanso do almoço. Comprei pesos em Cancun. Tenho mil no preço velho... foram 1.500 pesos por 96 dólares+ IOF.

Oasis Cancun US$ 250.00

localização

conforto

beleza

Internet

média

9

7

7

1

6

Uma hora de carro do hotel ao ferry e mais uma hora de navegação, resgate das malas e taxi até o porto de Cozumel.


Mundo de Isis II – 181 – Histórias de Viagens

O checkin levou uns 45 minutos. Saímos do hotel em Cancun as 10:00 e as 14:00 estávamos dentro do navio. Estranhamento da chegada foi atendentes em todos os andares, com luvas brancas indicando os caminhos para quem estava embarcando.


Mundo de Isis II – 182 – Histórias de Viagens

No restaurante atendentes entregando pratos e talheres e outros servindo os comes e bebes. Nada mais dos passageiros se servirem. Vamos ver se é sempre assim ou só no embarque. Amanha temos passeio de 7 horas...que compramos no navio. "O corpo existe para levar a mente para passear." Refeições Navio: As 23h. Termina os jantares no navio, fecha mesmo... Se perder só pagando. As 11h termina o café da manha, hoje perdemos. Subimos na piscina e conseguimos sucos e em um dos bares caputtino e chocolate quente. As 12:30 abre a pizzaria, com saladas. Por favor libere Malta para meu cartão Visa. O cruzeiro tem esta bandeira e nao conseguiu fazer transação de reserva no sábado. Isis bateu a cabeça no brincabrinca e eu cortei a perna. Nada sério. Marcação pesada para todos limparem as mãos com álcool gel antes de entrar nos restaurantes. Quarta foi a noite de gala, entreguei o meu livro para o capitão que é Português. Ele ficou surpreso com o meu boné de Portugal, sabia que não seriamos portugueses perdidos no México. Ele nos contou que passa as férias em SC. A gerente de administração é brasileira. Novamente a camisa do gremio serviu para puxarem papo. Cayman: Um inglês veio falar conosco se éramos de POA e que ele tem uma camisa igual em casa.


Mundo de Isis II – 183 – Histórias de Viagens

Guerra de Bixiguinhas Monarch Pullmantur 2015: youtu.be/W62LSY5KK0?a México e Caribe Maia: Receitas Internacionais no Pulmantur #Monarch euroreal.blogspot.com/2015/08/receit… Torta de Batata com Cogumelos e Bacon No navio um mexicano gritou Grêmio e eu respondi "vamos Tigres"! Honduras: Um gritou grêmio e Porto Alegre. http://www.discovermexico.org/


Mundo de Isis II – 184 – Histórias de Viagens

K'inich J'anaab Pakal (26 de março de 603 — 31 de agosto de 683 (80 anos) também conhecido como Pacal II ou Pacal, o Grande foi o governante do estado maia de B'aakal cuja sede era acidade de Palenque. Pacal II é o mais conhecido dos senhores de Palenque em razão do desenvolvimento e sofisticação que B'aakal atingiu durante o seu governo, bem como pela suatumba, considerada um dos achados arqueológicos mais importantes da Mesoamérica. Pacal era filho de K'an Mo' Hix e Sak K'uk', filha de Janaab' Pakal. Teve, com sua esposa Tz'akb'u Ajaw, três filhos e possivelmente uma filha.

Park Hotel Czm US$ 200.00

localização

conforto

beleza

Internet

Média

7

10

9

9

8,75


Mundo de Isis II – 185 – Histórias de Viagens

Chegou a hora do grande irmão do norte

Tem muitos anos a Isis vem fazendo campanha para ir aos Estados Unidos. Por diversas vezes estudei e simulei viagens para a “Disney”, na verdade a atração que ela quer ver é o Harry Potter, na Universal Studios. Nossos passaportes fizeram sua última viagem para o México, o próximo já vai ser o novíssimo, aquele com 10 anos de validade. O que sempre me desanima é o visto, além de ser chato de fazer é caro, sai 160 dólares A companhia Azul começou a fazer voos diretos para Orlando e foi numa destas promoções que confirmei a viagem. Vamos ficar no hotel Westgate Lakes Resort & Spa que, segundo a agência, oferece transporte de ida e volta aos parques.

O ingresso da Universal é um bilhete único que dá direito aos 2 parques e pode entrar 14 dias consecutivos a hora que quiser, custa U$ 236.00. A Disney é diferente, são 4 parques, pode comprar de 1, 2, 3 ou 4 dias, e só pode visitar um parque por dia. 1 dia custa U$ 124.00; 2 dias custa U$ 224.00; 3 dias custa U$ 305.00 e 4 dias sai por U$ 318.00 Que saudade do dólar a 2 reais!


Mundo de Isis II – 186 – Histórias de Viagens

Dica boa de Orlando Universal Studios O ingresso do Universal Studios tem validade de 14 dias. São 2 parques e eles são ligados por um trem, tem que ver o preço com e sem esse trem. Chama-se park to park. Outra: nas filas da Disney tem internet WiFi e pequenas atrações para passar o tempo. Bom! Nas lojas pedir os bottons, são brindes e tem vários modelos.

Orlando

Chegamos no aeroporto duas horas antes do voo e o guiche da Azul ainda estava fechado! Bem triste isso! Voamos de Campinas a Orlando, foi um vôo tranquilo e o desembarque também foi bem fácil, mesmo a entrada nos Estados Unidos e os procedimentos aduaneiros. No aeroporto de Orlando chamamos um Uber Black para nos levar ao hotel, outras categorias mais simples do Uber não tem permissão para pegar passageiros. O motorista falava portugues e o trajeto saiu por 36 dólares, no hotel ficamos sabendo que este valor é equivalente ao mesmo trajeto feito de taxi. O hotel é ótimo e imenso, são muitos prédios, eles oferecem carrinhos de golfe e ônibus interno para facilitar os deslocamentos. Nosso quarto também é muito bom, peças grandes, cozinha completa com todos eletrodomésticos, duas TVs, sacada. Estilo apart-hotel. Depois de instalados fomos todos ao Walmart mais próximo nos abastecer, muitas tentações! O hotel oferece serviço de transporte para os parques, primeiro visitamos o Universal Studios. O ônibus do hotel nos deixa no


Mundo de Isis II – 187 – Histórias de Viagens

estacionamento principal, uma escada rolante nos leva até o local onde a segurança olha todos os pertences e passamos pelo detector de metais. Abrem até as capas das máquinas fotográficas. Depois são duas esteiras rolantes até chegarmos a uma espécie de shopping com restaurantes, cinemas e lojas. Depois de um tempo caminhando temos que escolher entre dois pontos de entrada Universal Studios e Islands of Adventure. Fomos pelo Universal Studios e entramos em uma fila para trocarmos nossso vouchers pelos ingressos (o atendente nos disse que não era necessário era só ir direto com os vouchers para a fila da entrada).


Mundo de Isis II – 188 – Histórias de Viagens

Na entrada cadastram nossa impressão digital que fica vinculada ao código de barras do voucher. Entramos, o processo todo desde o estacionamento levou uns 45 minutos. Caminhamos sem nenhum objetivo, somente olhando para os lados e vendo as atrações e os tempos das filas. O primeiro brinquedo que andamos foi a “Múmia”, onde não é permitido levar objetos. Perto das atrações que tem esta restrição existem armários com chave eletrônica onde deixamos nossas coisas. A “Múmia” é um brinquedo padrão na Universal, a maioria deles segue este mesmo padrão: frio, quente, barulho, efeitos especiais e alta tecnologia. As meninas não gostaram, acharam agitado demais. #FicaaDica: Quando não deixarem levar bolsas ou mochilas o percurso será bem agitado, desaconselhados para quem fica enjoado questões semelhantes.


Mundo de Isis II – 189 – Histórias de Viagens

Comentários da Isis


Mundo de Isis II – 190 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 191 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 192 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 193 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 194 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 195 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 196 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 197 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 198 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 199 – Histórias de Viagens

Westgate Resort US$ 45.00

localização

conforto

beleza

Internet

Média

8

8

9

9

8,50


Mundo de Isis II – 200 – Histórias de Viagens

Perdemos um companheiro de viagem

Foi uma vida, sempre ao nosso lado, nosso companheiro em várias viagens rodoviárias para Tramandaí, Santa Maria, Nova Petrópolis, Gramado e Porto Alegre. Companheiro nas viagens e palhaçadas O Mulder foi se encontrar com São Francisco de Assim, que fez aniversário na véspera. 05 de Julho de 1182 nascia o amado São Francisco de Assis: "Há 834 anos, nascia Giovanni di Pietro di Bernardone, mais conhecido como São Francisco de Assis. Foi um frade católico da Itália que morreu com 44 anos. O poeta Dante Alighieri disse que ele foi uma "luz que brilhou sobre o mundo". Um aspecto importante do seu misticismo é sua intensa e amorosa relação com a natureza, relação que o tornou modernamente em um patrono dos animais e do meio ambiente. Salve São Francisco de Assis, luz que brilhou sobre o mundo"

Nosso luto durou 5 meses, adotamos uma cocker de uns 3 anos, a Dorothy.

Em tempo: não há possivilidade de substituir o Mulder no meu coração.


Mundo de Isis II – 201 – Histórias de Viagens

Passamos uma vida juntos!


Mundo de Isis II – 202 – Histórias de Viagens

Uma mudança no Mundo de Isis

A Isis agora é vegetariana. Num dia nos contou que uma amiga havia tomado essa atitude e, no dia seguinte, já estava desviando dos capeletis da sopa. No instante que estou escrevendo este parágrafo já se passaram 9 meses e ela segue não comendo carne, aliás este é um ponto interessante... muitas pessoas entendem que a pessoa que “não come carne” poderia comer peixe ou frango... não é o caso da Isis ela parou geral! A família teve que adaptar seus hábitos, nunca fomos dos mais carnívoros, só agora percebemos que a carne é componente de muitos pratos. Não se esqueça do presunto, que também entra como carne. Na minha família, algumas vezes ao mês, havia um churrasco onde o único prato era a carne, a Isis foi criada com vegetais sempre a sua disposição. Antes disso minha esposa já havia introduzido o arroz nos nossos churrascos, na verdade eu já tinha uma experiência anterior desta prática estranha. Uma vez, quando criança, almocei na casa de um amigo (que depois veio a ser padrinho da Isis) e eles fizeram arroz no churrasco. Estranhei muito, hoje estranho ter estranhado... Por recomendação do cardiologista eu reduzi muito o consumo de carne vermelha e passei a utilizar grãos integrais, já tem vários anos isso. Aprendi a fazer receitas saborosas com massa e arroz integral e várias opções com frango. Tenho 1,80 de altura, perdi peso com esta dieta, raramente fico acima dos 70kg. Nas primeiras semanas de vegetarianismo a Isis me acompanhou na sobremesa: Salada de frutas. Hoje ela já não me acompanha mais. Descobri, na prática, que a minha dieta é mais saudável do que o vegetarianismo, cujas ofertas mais frequentes de alimentos envolvem


Mundo de Isis II – 203 – Histórias de Viagens

frituras, batatas e queijos. Como a minha dificuldade é com os triglicerídios todos estes componentes estão praticamente proibidos para mim. Estive com ela em um restaurante vegano... não almocei... muito radical, sem carne, ovos e leite. Ela curtiu. Aprendi a fazer umas novas receitas, além do macarrão integral com todo tipo de molho sem carne, faço agora lazanha de abobrinha (que ocupa o lugar dos farinácios).


Mundo de Isis II – 204 – Histórias de Viagens

Planejando a próxima viagem

Quando não tenho nada para fazer gosto de entrar nos sites que vendem pacotes de viagens e procurar por alguma promoção e ver quais são as novidades. A abertura de Cuba aos americanos do norte trouxe a possibilidade de um cruzeiro pela ilha. A MSC lançou uma oferta bem interessante que também inclui visitar a Jamaica e Bahamas. A queda da taxa do dólar também me dava esperança em fechar este pacote. Enganei-me. Acabei fechando um cruzeiro no Mediterrâneo, saindo de Barcelona, que estava com a promoção “crianças grátis”. A companhia Costa é a única que considera 12 anos como “criança”. Também teremos outros companheiros que irão ir junto nesta viagem. E ai ocorreu o problema com o cartão de crédito, vamos a novela. Fui na agência e sai de lá com os dois recibos de pagamento, do áreo e do marítmo, era uma sexta-feira. As 18:11 recebo um SMS do meu banco informando que uma transação não foi efetuada e solicitando entrar em contato com a central de atendimento. Achei o número da tal central e liguei, o primeiro atendente disse que “por questões de segurança a transação não foi liberada por ser estranha ao meu perfil”. Expliquei que, uma vez ao ano, faço uma compra maior dos pacotes de férias. Raramente os pacotes tem desconto para pagamento a vista, então, faço parcelado no cartão. Não adiantou. Ele pediu os dados do cartão para “confirmação”, não resolveu. Ai pediu o número do meu RG, disse que não confirmava (como assim???), ai ele pediu o número da minha carteira de habilitação. Vixe! Fui no carro buscar e informei o bendito número. Nada feito.


Mundo de Isis II – 205 – Histórias de Viagens

Depois de 30 minutos ele me informou que meu RG não estava no sistema e nem o nome da minha mãe. Ele não gostou muito quando disse que isso era incompetência do banco, uma vez que, a agência que fez este cartão possuia todas estas informações. Ele me transferiu para uma segunda atendente, a quem contei uma versão resumida do meu drama. Esta, então, me passou para a “área de segurança” que também nada resolveu. Recebi por email um “protocolo de atendimento” que tratava de uma “atualização cadastral”, a qual eu não solicitei. Também recebi um emai da agência de turismo dizendo que um dos pagamentos não “passou”. No sábado, sem saber se meu cartão estava bloqueado ou liberado, usei no almoço e funcionou. Enviei email para a agência informando que o cartão estava desbloqueado e solicitando que refizessem a transação. Na segunda-feira recebo um SMS do banco informando que meu limite havia estourado e que taxas seriam cobradas. Também ví no extrato do cartão o registro de dois débitos na sexta-feira e nenhum deles batia com os valores dos recibos que tinha. Mandei emails para a agência e ao banco informando o ocorrido. Uma das atendentes do banco me responde por email perguntando minha agência e conta. Depois esta mesma atendente me ligou e contei toda a minha história. A agência de turismo me mandou email informando que a segunda transação foi efetuada com sucesso. Em um outro email eles esclareceram que um dos débitos está correto por o parcelamento não é linear, a primeira parcela é maior. O segundo débito não foi esclarecido neste momento. Encaminho esta resposta para o banco e a atendente me liga dizendo que a comanha aérea registrou o débito integral das passagens e não parcelado como deveria. Também me informou que a transação da parte marítima não havia ocorrido até o momento.


Mundo de Isis II – 206 – Histórias de Viagens

Informei a agência destes retornos. Vou consultar o extrato amanhã, e amanhã, e amanhã, e amanhã... Essa confusão durou mais de 5 meses. A agência chegou a fazer 4 depósitos na minha conta dos valores das parcelas erradas. Essa novela acabou, poucos dias antes de virar o ano.


Mundo de Isis II – 207 – Histórias de Viagens

A primeira vez do meu pai

Dia desses meu pai estava choroso na minha casa, ele recém havia completado 70 anos: “Ninguém viaja comigo...”, imediatamente me candidatei e em um mês embarcamos para uma EuroTrip. Foi tudo muito rápido, ainda que ele tivesse que fazer um novo passaporte. O primeiro roteiro que ele me pediu era completamente insano, queria passar por muitas cidades em um espaço de tempo muito curto, esta foi nossa primeira negociação. Aprendí já tem vários anos que o menor tempo possivel para se conhecer uma cidade são dois dias, ele aceitou a recomendação. Sairam do roteiro Barcelona e Pisa. Pedí para as agências as cotações dos trechos aéreos, os valores das primeiras respostas foram proibitivos. Reduzí o roteiro para apenas dois países, matendo apenas Madri como sendo obrigatório, ou seja, a agência tinha que conseguir um vôo para a Europa e um dos trechos internos. Vieram cotações bem mais baratas da AirFrance e da TAP. Fechamos com a AirFrance: Brasil-Lisboa, Madri-Paris-Brasil. Agora faltam os hoteis e os outros trechos internos. Esta foi minha segunda experiência comprando diretamente de sites de viagens e a primeira vez que comprei trechos aéreos de companhias lowcost. O método que utilizei foi o de verificar qual o próximo país com a menor tarifa, de Lisboa fechei o vôo para Zurique (AirEurope.com). Na sequencia comprei os trechos para Veneza (eDreams.com) e Madri (Iberia.com). Tem que ter atenção com as malas, tudo é vendido separado. Pedi para a agência que nos vendeu os vôos principais cotações de hoteis para todas as cidades, alguns fechamos com eles e alguns compramos diretamente dos sites: Hotels, Booking e Decolar. Estamos prontos para a viagem!


Mundo de Isis II – 208 – Histórias de Viagens

Entramos na Europa por Paris, na escala do vôo até Lisboa. Aqueles chatérrimos formulários que eram preenchidos antes do pouso foram abolidos. Meu pai estava preocupado por não ter conseguido comprar muitos euros para trazer, no aeroporto ele experimentou trocar os seus dólares. A minha última experiência com câmbio na europa tinha ocorrido cico anos antes e lembrava que a taxa de conversão era pior do que sacar da conta corrente. No aeroporto de Orly cobra-se uma taxa de 8 euros por transação, então 150 dólares se transformaram em 108 euros. Um roubo. Um lanche mais tarde e embarcamos novamente. Boa a internet em Orly. O hotel de Lisboa anunciava no seu site que poderíamos ir do aeroporto de metrô, foi o que fizemos. Desde a minha última estada na cidade aumentaram o metrô em três estações. Todas após a estação Oriente, onde fica o Oceanário. Para quem não carrega muitas malas, o metrô é a melhor opção para sair do aeroporto de Lisboa. Cada um de nós carregava uma mala pequena e uma mochila. Depois do checkin saímos rumo aos nossos primeiros objetivos na cidade. Ainda no Brasil atualizei meu Uber, que agora aceita paypal. Não usei, a expectativa de preços passada era o mesmo valor do taxi, foram 10 euros para ir até Belém, fazer o strike turístico da região. Mosteiro dos Jerônimos, Torre de Belém, pastel de Belém e caipirinha. Depois de algum esforço ele fez a foto junto ao túmulo do Vasco da Gama, uma piada para os flamenguistas. O “Marco dos Descobridores” estava em reformas, tinha um grupo grande de turistas asiáticos olhando o mapa mundial no piso. Expliquei o significado das caravelas, que as datas e locais indicam as descoberta dos navegadores.


Mundo de Isis II – 209 – Histórias de Viagens

Pelo padrão do meu pai foi um dia bem produtivo, ele se surpreendeu que o pastel era doce. Eu me supreendi com os tuktuks, não lembro de ter visto este tipo de transporte das outras vezes que estive por aqui. Na volta ao hotel também conseguimos comprar a mala nova que ele queria, uma rígida com os rodados que giram em todas as direções. A primeira noite no hotel revelou algumas surpresas... descobri que meu pai é viciado em celular! Ele trouxe um carregador que não era o seu de uso diário e... adivinha...? Não funcionou. Então ele passou a usar o meu carregador. Outra situação era a necessidade de conexão com a Internet, ele tinha a necessidade de estar constantemente conectado. Ele também estava maravilhado que deixou o chip com o número do celular dele no Brasil e que o WhatsApp com o mesmo número funcionava em Lisboa. O celular dele passou a noite fazendo todo tipo de barulho e vibrando. Dormí mal e por poucas horas. Ele me acordou as 8:00 e parecia ser 4:00... Bem bom o café da manhã do hotel. Saímos logo depois, de metrô rumo a estação Oriente, ele queria conhecer o oceanário de Lisboa. Mostrei primeiro o shopping e o parque das águas. No oceanário apareceu outra dificuldade envolvendo o celular: falta de capacidade de armazenamento para as fotos. Ainda no Brasil eu havia recomendado que ele trouxesse sua câmera digital, o argumento dele é que a câmera do celular era mais atual e fazia fotos melhores. Esquecí de perguntar quanta memória livre o celular dele estava... ele começou a fazer fotos, mandar para os seus contatos e apagar do celular. Fiz fotos com uma tabela periódica e com o Vasco, mascote do oceanário que faz aniversário no mesmo dia da Isis.


Mundo de Isis II – 210 – Histórias de Viagens

Almoçamos no shopping, caminhamos mais um pouco pelas redondezas e voltamos para o hotel. Meu pai queria descansar, pouco mais de uma hora foi suficiente para recarregar as baterias. Sim! Sempre que podia ele colocava seu celular para carregar. Eu fiquei sem bateria nesta tarde.


Mundo de Isis II – 211 – Histórias de Viagens

Saímos para caminhar, mostrei a cervejaria Portvgália ( com v no lugar do u ) e fomos caminhando pela Av. Almirante, onde por duas vezes me hospedei com a Isis. Passamos por uma casa de câmbio, dentro estavam pessoas com trajes árabes. Passamos pela loja “Isis flor”, seguimos por mais algumas quadras e ele não quis continuar. Sentamos num bar e tomamos alguma coisa. Tentei continuar no roteiro e ele queria voltar ao hotel, passando antes na casa de câmbio. Caminhamos mais umas duas quadras e começamos a retornar. . A taxa de câmbio desta vez foi mais favorável e não tinha aquela taxa de 8.00 por transação. Então aqui 150 dólares viram 123 euros. Chegando próximo ao hotel entramos em uma hamburgueria que parecia estar abrindo, confirmamos que estava em funcionamento e que tinha internet. Sentei para ver o cardápio e pedi dois chopps enquanto o pai ia ao banheiro. O atendente pareceu achar que nós éramos um casal... esclarecí a situação. Fomos muito bem atendidos, com direito a canapés de cortesia e a escolher a música que tocava no local. Voltamos a noite para jantar, eles tem uma sugestão no cardápio que são oito hamburgueres diferentes, o mais exótico era o de salmão. Para a segunda noite no hotel pedi para tirar todos os sinais sonoros do celular. Não adiantou muito, o aparelho seguiu vibrando de tempos em tempos. Dormi melhor dest vez, estava bem cansado. Logo depois do café da manhã fizemos o checkout e deixamos nossas malas para busca-las somente antes de ir ao aeroporto. Fomos de metrô até a estação mais próxima do castelo de São Jorge, é uma boa subida que é recompensada por uma das melhores vistas da cidade. De lá descemos caminhando até o centro histórico, onde ele gostou de ver uma apresentação de um coral. Buscamos nossas malas e fomos até o aeroporto, como meu pai havia comprado uma mala nova ele estava agora carregando duas. Precisávamos


Mundo de Isis II – 212 – Histórias de Viagens

dar um destino na velha, lembrei a ele que malas desacompanhadas são motivo para pânico nesta época de ataques terroristas. Na porta da estação do aeroporto vimos um homeless. Ele ficou contente em receber a mala. Rumo a Suiça! Uma pequena confusão no embarque, ficamos na fila da Iberia só que nosso vôo desta companhia era “operado por Voeling”. Desfeita a dúvida fomos para a fila certa e embarcamos, tudo certo com as malas. Chegamos em Zurique no início da noite, lembrei ao pai que aqui ele poderia exercitar o seu alemão, serviu bem para descobrir onde ficam os taxis por aqui. Caminhamos bastante, encontramos diversas placas com rotas de trem e ônibus e nada dos taxis. A primeira pessoa abordada nos aconselhou a voltar e entrar no aeroporto (que estranho!). O segundo contato foi com um funcionário, que nos indicou o local correto: é no “meio” do aeroporto, que é circular, no térreo do centro tem um ponto de taxi. Quarenta francos suiços depois chegamos ao hotel. O euro, teóricamente, vale mais do que o franco. Na prática se paga o mesmo valor. O taxista nos disse que estávamos numa região de mulheres bonitas. O hotel era bem estiloso. Nos instalamos e saimos para jantar, foi ai que entendemos o comentário do taxista: prostitutas! A quadra seguinte era um ponto de encontros, nada agressivo nem ostensivo, as meninas ficavam nas suas posições esperando a abordagem e, obviamente, mexendo no celular. Entramos em um restaurante que fica, curiosamente, em frente ao bar “Piranhas”. Comemos mal e pagamos caro, tudo parece ser caro na Suiça. Pedi para a atendente uma indicação de cerveja, que não fosse amarga. Ela me entregou uma longneck com uma mistura de cerveja com tequila que era doce, um horror. A próxima eu mesmo peguei e foi bem melhor. Preço? Seis francos cada cerveja, um jantar ruim saiu uns 200 reais.


Mundo de Isis II – 213 – Histórias de Viagens

Além das meninas e do bar “Piranhas”, tivemos outro entretenimento, assistimos ao que parecia ser uma perseguição policial, carros passando na rua em frente com sirenes ligadas. Outra curiosidade foi que na nossa mesa haviam palitos de dentes! Foi a primeira vez que vi isso na europa. Zurique é uma das maiores cidades e tem só 300 mil habitantes. Voltamos ao nosso estiloso hotel e, na recepção, peguei guias turísticos. Um deles oferecia inclusive passeios com áudio em português. No quarto percebí que as tomadas elétricas suiças são idênticas as brasileiras, com aquele terceiro pino “novo”. Vídeo: https://m.youtube.com/watch?v=Epw0HiJ2F-M Pela manhã saimos para conhecer a cidade, fomos até a estação ferroviária para ver a passagem de trem para Basel. Fotografei a diferença de taxa de Francos e Euros:

Compramos um citytour de ônibus e barco, na parte rodoviária com áudio em português e paradas para explorar os pontos turísticos. O pai gostou muito do ônibus e nada do navio, cujo ponto alto foi passar em frente a fábrica de chocolates Lindt, o preferido da Isis (depois descobrimos que a única coisa barata aqui são os chocolates Lindt). Foram quase 4 horas de citytour,a grande vantagem para o meu pai foi fazer quase tudo sentado. Ele reclamou muito comigo das longas caminhadas de Lisboa. Comparando ele com a Isis estabeleci que a disposição dele aos 70 anos se equivale a Isis com 5 anos.


Mundo de Isis II – 214 – Histórias de Viagens

Trem para Basel:

No trem, entre os bancos, haviam tomadas elétricas uma no padrão português e uma “brasileiro”.


Mundo de Isis II – 215 – Histórias de Viagens

Da Suiça embarcamos para Veneza. Ficamos em um hotel em Mestre, o mesmo que estive 5 anos antes. Tivemos que esperar o atendente da papelaria voltar da siesta para conseguir os passes de ônibus. Descemos em Veneza na praça central e saimos a caminhar pelo labirinto. Meu pai ficou cansado e voltamos ao hotel sem conseguir chegar até San Marco. Na volta entramos em um museu que estava fazendo uma exposição sobre Leonardo DaVinci, foi bem legal. No dia seguinte, na segunda tentativa, conseguimos chegar em San Marco!

De lá fomos a Murano. Lindo dia de sol. Foi a primeira vez que passei por baixo das pontes, de vaporetto. Fizemos a visita a fábrica de cristais e vimos o soprador de vidro fazer um vaso e uma égua. O “mestre de cerimônias” do local falor sobre o “Mengão” em referência a camiseta do pai.


Mundo de Isis II – 216 – Histórias de Viagens

Almoçamos em Murano, escolhi meu prato e sai para ir ao banheiro... na volta perguintei o que ele havia escolhido e ele respondeu “o prato com peixe”, eu ri, ele não entendeu... dai expliquei que entenderia quando o prato chegasse... Era um prato de “frutos do mar” e eu sei que ele não curte muito este tipo de aventura gastronomica:


Mundo de Isis II – 217 – Histórias de Viagens

Ele passou um tempão separando as conchas da massa. Depois do almoço caminhamos um pouco mais por Murano e voltamos para Mestre. Depois de um descanso no hotel saímos para caminhar no “centrinho” de Mestre, da outra vez que fiz isso foi com a Isis, ela estava com 6 anos e saímos sozinhos pois minha esposa estava fechando as malas. Nas duas noites que passamos em Veneza jantamos no mesmo restaurante, próximo ao hotel. Descobri que os italianos agora fazem pizzas com vários sabores, nas outras quatro vezes que estive no país só havia visto pizzas inteiras de um único sabor. Meu pai comeu pizza nas duas noites, ele havia recebido a recomendação de beber na Itália o vinho “Nero D´avola”, neste restaurante havia este vinho, que ele bebeu na primeira noite. Na segunda noite, interagindo com a atendente, conseguimos caipirinha de cachaça “51”, conseguimos ver a garrafa de cachaça da mesa que escolhemos nesta noite.


Mundo de Isis II – 218 – Histórias de Viagens

A atentente não sabia que a caipirinha era feita de cachaça e nem que eles tinham uma garrafa no restaurante. Eu escolhi uma massa, com tomate, manjericão e queijo de búfala. Depois que voltei ao Brasil fiz uma versão desta massa para a minha filha vegetariana. Na noite anterior eu também havia pedido pizza, que foi muito boa e totalmente diferente das minhas experiências anteriores na Itália. No dia seguinte embarcamos para Madri, objetivo que motivou toda esta viagem... Estes próximos parágrafos foram os que eu que levei mais tempo para escrever, pensar, apagar e reescrever.


Mundo de Isis II – 219 – Histórias de Viagens

Quando ele falou a primeira vez em ir para a Europa, tinha um claro objetivo de ir “visitar o Christian”, que vem a ser o filho da sua excompanheira (que tem fobia de voar). Ele está fazendo parte do seu doutorado na capital espanhola e trouxe a esposa e a filha para acompanha-lo. Desde a primeira cotação dos trechos aéreos com as agências eu solicitei que, além da ida e da volta, precisaria ter um trecho interno que passasse por Madri. Os demais trechos internos fui verificando e comprando posteriormente. Com as datas dos vôos definidas fiquei sabendo que seríamos hóspedes do Christian no seu apartamento e que ele iria nos buscar no aeroporto, meu pai achou que seria de automóvel eu achava que seria de trem (acertei, o que é o normal na Europa). Chegamos alguns minutos antes dele, mantivemos contato usando a Internet da rede WiFi do aeroporto. Após nos localizarmos e dos abraços de boas vindas, comprei na máquina automática de bilhetes um combo de 10 viagens e dois bilhetes especiais, de saida do aeroporto. A selfie no metrô, nós e as malas:


Mundo de Isis II – 220 – Histórias de Viagens

Chegamos no apartamento do Christian, depois de uma troca de linha de metrô e nos instalamos. Eu tinha um compromisso marcado com a empresa Prooxima.es, passei alguns anos trocando mensagens e seria a nossa primeira reunião presencial. Vencida esta missão nos dividimos em dois grupos. Meu pai já havia completado a sua segunda missão nesta parada: Brincar com a Ana Laura, a filha do Christian e da Taci. Ele e as meninas sairam para passear pela cidade. Eu e o Christian fomos até o Google Campus.

O lugar é bem legal, vários espaços para você se conectar e trabalhar livremente. Achamos, no segundo andar, um painel de ofertas onde as pessoas deixam bilhetes dizendo o que procuram e o que oferecem e seus dados de contato. Saímos de lá e pegamos um Car2GO, um carro elétrico que é alugado por tempo de uso, tudo controlado por aplicativo de celular. Fomos até o local onde carro estava estacionado e, via app, o Christian desbloqueou para o uso. Em Madrid as vagas de estacionamento são escassas, antes de saírmos já tinha um outro carro sinalizando que iria entrar. Andamos um pouco e fomos até o ponto de encontro, demosramos mais tempo em localizar uma vaga do que com a troca de bairro. O encontro foi na loja “El Corte Ingles”, no último andar tem uma instalação estilosa com restaurantes e itens para um boa cozinha gourmet.


Mundo de Isis II – 221 – Histórias de Viagens

Para não fugir muito da sua dieta meu pai escolheu comer pizza... Depois de um tempo conseguimos uma mesa com vista para a cidade, como estávamos no alto a paisagem era bem bonita. Na volta para o metrô passamos pela praça que era nosso objetivo para o próximo dia. Quando estive em Madrid com a Isis ficamos em um hotel bem próximo à esta praça.

Madrid day 2 - sol Templo de Isis e citytour. https://m.youtube.com/watch?v=gzbZk5y4I4k tem a história que ele perdeu os tenis a sangria a caipira os metrôs o format do celular


Mundo de Isis II – 222 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 223 – Histórias de Viagens

Caminhando em Paris:

Nicolas “o pequeno campeão”.

Ranking dos hoteis, MundodeIsis.weebly.com

segundo

BELEZA: Zurique > Paris > Lisboa > Veneza

CONFORTO: Lisboa > Veneza > Paris > Zurique

LOCALIZAÇÃO: Paris > Lisboa > Zurique > Veneza

os

clássicos

critérios

do


Mundo de Isis II – 224 – Histórias de Viagens

INTERNET: Zurique > Lisboa > Paris > Veneza

Friuzinho em Paris Não é frio, é friu en francês! Carrega no r, frrriu e faz biquinho... Meu abraço aos que votam hoje. Wifi no taxi: Um pequeno contratempo com taxistas malandros. Isso tem em todo mundo. O hotel tinha quarto dispinível antas do horário. Estamos no 3o andar com o menor elevador DO MUNDO. As 11:00 já nos instalamos. 11:08 Internet liberada... Falando em voto, taí a República: Vou voltar ao hotel parae recuperar de ter acordado as 4:45 para voar...

Paris - day 1 Ficou lenta a internet do hotel... levei dois dias para organizar este post.

https://youtu.be/WryXo4_1WNU


Mundo de Isis II – 225 – Histórias de Viagens

https://youtu.be/nZnY_Z2EBPk https://youtu.be/8bWUF2gtf1Y

mais cedo estava bem melhor... o www.moulinrouge.fr está LOTADO para hoje..

Paris - day 2 Aquele café basicão no hotel 6,50 euros, tem o que precisa. Caminhamos bastante. Muitas fotos para mostrar depois.

Preços na Europa, Lisboa a mais barata Zurique a mais cara Preços em geral:

Zurique > Paris > Veneza > Madri > Lisboa


Mundo de Isis II – 226 – Histórias de Viagens

A Isis não é mais criança

Quase todas as empresas consideram a idade de 11 anos como sendo o limite máximo para o passageiro ser considerado “criança”. A viagem para Orlando foi a última que a Isis fez desfrutando dos benefícios da idade. A única companhia, das nossas relações, que é mais flexível é a Costa Cruzeiros. Em algumas promoções “crianças” de até 12 anos tem benefícios. Aproveitamos uma destas promoções para voltar a navegar pelo Mediterrâneo: crianças grátis na cabine dos pais. Entendo que será a última viagem da Isis como criança. A natureza concorda comigo e, com 12 anos e 2 meses, a Isis deixou de ser criança. Eu nada posso fazer para reverter o que a natureza definiu, só me resta comemorar mais esta fase da vida da minha filha. Para o último cruzeiro da Isis como “criança” consegui juntar 12 pessoas, no nosso núcleo somos 5: Nós, a Isis e um casal da melhor idade, sendo um aniversariante! Vai ser a primeira vez que juntamos pessoas suficientes para comer o bolo de aniversário... no nosso primeiro cruzeiro tivemos dois aniversários e no nosso terceiro o fake da Isis. As outras famílias que irão se juntar a nós são formadas por 3 e 4 pessoas, sempre um casal e sua prole. Eles estarão indo no seu primeiro cruzeiro! Vamos jantar todos juntos? Normalmente optamos pelo 1º serviço, que acontece por volta das 19:30... isso pode parecer cedo para quem tem sua primeira experiência. Já sei que iremos voar para Barcelona em um grupo de 9 pessoas, provavelmente no embarque estaremos todos os 12.


Mundo de Isis II – 227 – Histórias de Viagens

O roteiro deste cruzeiro passa por alguns portos que já comnhecemos: Marselha, Savona e Barcelona. Destes o passeio que mais me chamou a atenção sai de Savona e vai para O PRINCIPADO DE MÔNACO, eu já havia namorado esse passeio na nossa primeira travessia. Segue a curiosa descrição: Percorreremos de autocarro a "Auto-estrada das Flores", que nos oferecerá panoramas sugestivos de alguns vilarejos lígures típicos. Depois de termos atravessado a fronteira francesa, chegaremos ao Principado de Mónaco. Trata-se de um dos menores Estados independentes do mundo, cujas origens e cuja história estão indissoluvelmente ligadas à família Grimaldi, há mais de 700 anos dinastia reinante. Em particular, o príncipe Rainier III, que reinou de 1949 a 2005, deu um impulso considerável ao crescimento do Principado. Graças ao casamento de sonho com a actriz americana Grace Kelly, e às numerosas iniciativas que apoiou, a família Rainier inseriu realmente este minúsculo Estado entre as metas mais frequentadas pelo jet set internacional transformando-o num sítio onde se realizam inúmeros eventos mundanos, alguns dos quais deliciosamente de carácter benéfico. A nossa visita iniciará em Monaco Ville, a cidade antiga, que se desenvolve sobre uma rocha fortificada numa posição muito sugestiva debruçada sobre o mar. Aqui, poderemos visitar a praça do Palácio Real e, se o horário de chegada permitir , assistir à mudança da guarda. Prosseguiremos, em seguida, em direcção da pequena Catedral, onde estão guardados os restos mortais do Príncipe Rainier e de sua amada Princesa Grace, tragicamente morta num acidente de carro, que ainda hoje, depois de tantos anos, está envolvido no mistério. No final da manhã, iremos de autocarro até Montecarlo, a zona mais famosa do Principado, com o seu Casino, os hotéis de luxo, a vida mundana e as estradas onde, todo ano, é disputado o célebre Grande Prémio de Fórmula 1. Aqui, teremos tempo livre para um agradável passeio e para um momento de compras exclusivo, entre as boutiques das grifes mais famosas do mundo. Desistí deste passeio ao saber que são duas horas em um ônibus sem banheiro... segundo a agência na Europa é proibido ter banheiros em ônibus. “Farão algumas paradas no caminho”, não curti.


Mundo de Isis II – 228 – Histórias de Viagens

Os demais portos do roteiro:

Em Palma de Maiorca pretendemos usar o citytour do “ônibus vermelho”, Palma de Mallorca, a capital da ilha de Mallorca, famosa pelas suas belas praias e mar cristalino, conta com um quarteirão histórico, marcado por diversos episódios extremamente interessantes. A catedral, o Palácio Real da Almudaina, a feira de troca de peixes e Plaza Mayor são apenas alguns dos locais turísticos imperdíveis para qualquer visitante.

Barcos pesqueiros, pinheirais e palmeiras complementam os mais belos monumentos, e você pode ver essas atrações no seu próprio ritmo em uma excursão turística em ônibus panorâmico em Palma de Mallorca que permite definir o próprio itinerário.

Você pode embarcar e desembarcar quantas vezes quiser no ônibus de dois andares com vista panorâmica. Há 16 paradas e a rota completa leva aproximadamente 80 minutos. O ônibus sai a cada 20 minutos de cada parada. Os ingressos são válidos por 24 horas a contar do primeiro uso.

Excursão turística pela cidade de Palma de Mallorca em ônibus panorâmico


Mundo de Isis II – 229 – Histórias de Viagens

Opção: Excursão de 24 horas Excursão com várias paradas de 24 horas da City Sightseeing por Palma de Mallorca

Adulto (Idade 16 - 64) Criança (Idade 8 - 15) Criança de colo (Idade 0 - 7) Idoso (Idade 65 - 99)

Preço per person mínimo de 1 adulto exigido USD 18,09 USD 18,09 USD 9,05 USD 9,05 gratuito gratuito USD 9,05 USD 9,05 em Civitavecchia tem um passeio que minha mãe quer fazer: ROMA EM LIBERDADE, basicamente é um leva-etráz para a capital Italiana, segue a descrição: No porto de Civitavecchia vai nos aguardar um guia local que, durante o percurso de ônibus até o centro de Roma, nos vai dar todas as informações úteis e um mapa da cidade para nos permitir explorar, em total liberdade, uma das mais fascinantes capitais do mundo. Marcando a hora para o retorno, vamos descer do ônibus ficando imediatamente imersos na atmosfera mágica da cidade eterna, onde a cada passo vamos encontrar testemunhos dos muitos séculos de história que esculpiram a face da Roma pagã, desde o longo reinado terreno dos papas até os dias de hoje. Ao longo de ruas elegantes e nos becos estreitos, nas grandes e pequenas praças, subindo e descendo pelos suaves declives das suas sete colinas, passear por Roma é uma experiência inesquecível para todos, pois esta cidade oferece um concentrado de arte sublime, diversão e compras como poucas outras no mundo. O dia vai estar a nossa completa disposição


Mundo de Isis II – 230 – Histórias de Viagens

para ver, visitar, comprar e saborear tudo aquilo que Roma tem de melhor a oferecer, cada um de acordo com seu gosto. No final da tarde, vamos regressar ao ponto de encontro com o nosso guia local para voltar a bordo. Em La Spezia nos deram a dica que perto do porto tem um trem para Cinque Terre, os míticos cinco vilarejos encravados na costa lígure e tombados pela Unesco. O trajeto completo de trem, parando em todas as Terre, leva 29 minutos entre La Spezia e Monterosso (a viagem expressa, sem paradas intermediárias, leva menos de 15 minutos). Não é uma viagem panorâmica: o trem vai por dentro da montanha quase todo o tempo, com poucas aberturas para o Mar da Ligúria (pegar a janelinha da esquerda no sentido La Spezia-Riomaggiore-Monterosso, ou a janelinha da direita no sentido Monterosso-Riomaggiore-La Spezia). O trem deve ser usado apenas para cortar caminho. Temos que comprar um 5 Terre Card (€ 5), que dá direito a percorrer os trechos abertos do Sentiero Azzurro (incluindo a Via dell'Amore de que ninguém abre mão) e também permite usar o serviço de ônibus interno do parque (uma mão na roda para ir da estação de Corniglia até a cidade, que a pé fica 365 graus morro acima). Sai La Spezia, podemos comprar logo um 5 Terre Card Train (€ 10), que também dá direito a transporte ilimitado de trem entre La Spezia, as Cinque Terre e Levanto durante todo o dia (é ótimo para voltar na última hora ao vilarejo de que você mais gostou). Os cartões podem ser comprados nas estações de La Spezia. Corniglia é a Terre do meio -- são duas pra lá, duas pra cá. De La Spezia até lá o trem leva 14 minutos. Da estação ferroviária você toma um ônibus até a vila (incluído no Cinque Terre Card) ou sobe 365 degraus. Pela dificuldade de acesso, Corniglia é a menor e também a menos visitada das Cinque Terre. O que é ótimo: assim você começa seu périplo pelo vilarejo menos afetado pelo turismo. Mande fazer um panino no minimercado da praça e aprecie a vista de Manarola.


Mundo de Isis II – 231 – Histórias de Viagens

Monterosso, na extremidade norte do parque, é o vilarejo mais espalhado dos cinco, graças à larga praia de areia que se estende da estação até o centrinho. A viagem desde Corniglia leva 7 minutinhos.

A praia é a mais amigável da região; é para cá que você voltará caso tenha um dia sobrando para descansar à beira-mar. O centrinho é bastante simpático, mas sofreu com os desabamentos; pode ser que você encontre ainda algo sendo reconstruído. Aproveite que o trecho do Sentiero Azzurro entre Monterrosso e Vernazza acaba de ser liberado ao público (desde 3 de abril de 2012), e percorra os primeiros 15 minutos de trilha. É subida, mas vale a pena: é a melhor vista de Monterosso que você pode ter.


Mundo de Isis II – 232 – Histórias de Viagens

Ano novo em Montevidéu

Final do ano é sempre uma confusão e uma trabalheira com as festas, resolvi que no ano novo vamos fugir para o Uruguai. O dólar TRUMP acabou com essa viagem.


Mundo de Isis II – 233 – Histórias de Viagens

Perdí um grande companheiro de viagem

Meu pai faleceu, de forma inesperada, aos 70 anos. Acredito que ele sentiu alguma coisa, se deitou pensando que iria melhorar e fez a passagem. Não tenho como saber se, caso ele fosse socorrido a tempo, a sobrevida teria a qualidade que ele queria. A dúvida que eu não tenho é que ele não queria passar pelo sofrimento de um longo tratamento e de suporte artificial a vida. Ele falava sobre isso várias vezes ao ano. Fizemos uma grande viagem juntos, ele havia recebido a recomendação que na Itália provasse o vinho Nero D'Avola. Assim foi feito, em Veneza. Depois que retornamos, percebi que tinha em casa uma garrafa de vinho, que havia comprado anos antes, também Nero D'Avola.


Mundo de Isis II – 234 – Histórias de Viagens

Eu já havia tentado abrir esta garrafa com ele algumas vezes, cheguei a fazer o sacrilégio de gelar o vinho e voltar a guardá-lo. Este ano, muito embora ele tenha resistido bastante, abrimos e derrubamos a garrafa num jantar. Missão cumprida a tempo. Olhar a garrafa vazia agora já traz tristeza, imagina se ela estivesse cheia... Papai foi para a sua última viagem na semana do Natal. Buscando consolo lembrei que ele teve um grande ano, foi ao batizado do terceiro neto e fez várias viagens ( esteve am Foz do Iguaçú pela enésima vez e foi até as Missões pela primeira vez ). Ainda nesta linha de buscar consolo na semana seguinte ao seu passamento, faleceram um cantor famoso aos 53 anos e uma atriz famosa aos 60 anos. Esta última chegou a ser socorrida e teve os melhores tratamentos que o país mais poderoso do mundo pode proporcionar. Ele, certamente, iria preferir partir da forma como foi. Só não precisava ser tão cedo!


Mundo de Isis II – 235 – Histórias de Viagens

Visitei seu túmulo um mês após o falecimento. Foi muito triste. A foto que escolhi para ser refeita em preto e branco foi colocada e está linda, o que deixa tudo ainda mais triste. Não consegui falar, só chorei. Chorei bastante neste dia. A azia também voltou. Talvez eu consiga falar na próxima vez. Talvez eu deva ir sozinho ao cemitério.

Na segunda visita ao cemitério foi novamente uma choradeira.


Mundo de Isis II – 236 – Histórias de Viagens

A volta ao Mediterrâneo

Embarcamos na Alitalia no Rio de Janeiro. Colocaram a Isis em um assento sozinha e nós dois no banco de trás. Obviamente assumi o lugar dela que era na janela e ainda negociei o corredor com outra passageira. O sistema de entretenimento da Alitalia é decepcionante. Não há opções de legenda em português. E os filmes e séries disponíveis são todos velhos. A interface de uso é mal pensada, ruim para o passageiro (que é chamado de hóspede). O sistema da minha esposa travou no começo do voo e não funcionou mais. O serviço de bordo também foi estranho, com uma hora de voo serviram um salgadinho de 15 gramas e bebidas. Pedi vinho, recebi um copo cheio, marca de 200 ml. Antes disso passaram para confirmar a refeição vegetariana da Isis. Ficamos na expectativa, o prato dela chegou em meia hora, 25 minutos antes dos pratos "normais". Tentaram entregar para a passageira que estava sentada no lugar dela... Ela gostou. Achou que valeu a pena avisar a Alitalia. Também recebeu café da manha vegetariano! No checkin para o cruzeiro no Costa Diadema, descobrimos que somos uma família do futuro! O carimbo de entrada na Europa da aduana Italiana foi feita com a data errada, chegamos amanhã! Uma das nossas malas já estava na cabine, duas estavam em transito.


Mundo de Isis II – 237 – Histórias de Viagens

Registraram meu nome errado, fiquei sem pontuar no Costa Club. Fui me informar e para resolver isso tem horário específico. O jantar e o show da primeira noite foram acima da expectativa. Dormimos e acordamos cedo, exaustos da viagem aérea. Acordamos cedo e descemos em Palma de Maiorca. Aquele passeio padrão, com o citytour do ônibus vermelho. Esta ilha lembra Málaga, descemos para ver um castelo e a vista da cidade do alto. A temperatura estava bem boa, considerando que é inverno. O sol nos beneficiou e fizemos boas fotos. Retomamos o citytour e fomos até o shopping Porto Pí! Liquidações anunciadas de 70%... Compramos roupas para o inverno brasileiro.

Em uma das lojas as etiquetas apresentavam os preço em 20 moedas diferentes! Nunca havia visto isso antes. Na parada do ônibus encontramos os nossos vizinhos, fomos com eles até a catedral da cidade, que é a única no mundo banhada pelo oceano.


Mundo de Isis II – 238 – Histórias de Viagens

A catedral estava fechada e o nosso tempo terminou, a saída do navio estava prevista para as 17:00. Nem tentamos pegar o ônibus e fomos correndo para o porto. Chegamos as 16:30, último horário para o embarque. Lógico, tudo com a precisão italiana. Sabemos que raramente eles cumprem os horários e as regras. Bem parecido com outro povo latino.


Mundo de Isis II – 239 – Histórias de Viagens

No navio era o horário da "Merenda", bolinhos e sanduíches com chá e café. Tinha o total de uma opção de sanduíche vegetariano, que a Isis não quis comer. As 17:00 a Isis queria ir no TeensClub, a atividade prevista era jogar JustDance. Fomos até o ponto de encontro, não tinha ninguém e a porta estava trancada. A Isis estava decepcionada. Uma outra vez que algo assim havia ocorrido descobrimos que a entrada ficava nos fundos. Sem indicação é difícil de saber. Resolvemos procurar uma entrada alternativa e assim localizamos uma saleta, sem indicação na porta, onde dentro havia uma placa do TeensClub. Fui atendido por um grupo de teens. Depois de uma breve conversa apareceu o "responsável" um italiano com muitas espinhas no rosto. Confirmei que aquele era o local correto e perguntei por que, no ponto de encontro definido na programação escrita do navio não havia nenhuma nova orientação. Tive que me controlar para não esganar a criatura, que tentava justificar o injustificável.


Mundo de Isis II – 240 – Histórias de Viagens

A Isis ficou e fui busca-la as 18:45, na programação o término era previsto para as 19:00. Neste meio tempo resolvi o problema do meu cartão de acesso e depositei euros na máquina automática para já começar a pagar a conta do cruzeiro. Em cada sistema meu nome está escrito de uma forma diferente e isto está me trazendo dificuldades. Chegando no TeensClub fui informado que a Isis já havia saído. Perguntei se ela estava com mal estar. Com a negativa voltei correndo para a cabine. No corredor avistei a Isis entrando na cabine. Me acalmei. O que ocorreu foi o seguinte, segundo ela: em inglês ela perguntou se podia sair e a "tia" abriu a porta para ela. Aos 12 anos, dentro do navio, as crianças conquistam a sua liberdade de movimentação. A Isis não estava preparada para isso, ela poderia ter recuado e ficado no TeensClub. Acontece que ela não sabia chegar ma cabine, errou o número. Foi salva, chorando, pelo nosso camareiro, Carlo. Passado o drama, nos dirigimos para o jantar onde contei o ocorrido aos nossos companheiros de viagem. Logo após o jantar tivemos o coquetel fake com o comandante. No passado ele ficava a disposição para fazer fotos, agora ele é inserido digitalmente. A boa surpresa foi a volta do caviar, sigo não gostando. Já ficamos no teatro para o show, os 15 minutos entre as atividades não justificam perder os bons lugares onde estávamos. Conseguimos suportar três canções. Conseguir estragar New York, New York é uma façanha para poucos. No final da noite ainda tinha a "festa de branco", passamos para dar uma espiadinha antes de ir deitar.


Mundo de Isis II – 241 – Histórias de Viagens

No dia seguinte acordamos tarde, é dia de navegação. A noite é do jantar de gala e do show do ventriloco, bem bom.

Vimos três das cincoterres, Monterosso foi a mais interessante. Depois paramos em Vernaza e Manarola, onde lanchamos.


Mundo de Isis II – 242 – Histórias de Viagens

O dia não estava muito bonito, começou a ficar bem frio, resolvemos voltar antes. Poderíamos ter visto ainda Corniglia. O bilhete de trem saiu por 13 euros, vale para todo o dia. Tem que validar nas máquinas ANTES de entrar no trem... fomos abordados por um fiscal que reclamou que não havíamos carimbado os bilhetes nas máquinas, desci com todos, carimbei e voltei.

Os pratos vegetarianos do jantar estão surpreendendo. Comi aqui o melhor bolinho de arroz e agora um excelente crepe de espinafre. Foi o aniversário do Luiz, comemos o bolo e ainda as sobremesas que pedimos. Banquete completo. Show do navio foi com a tripulação, uma das apresentações, LOVE, deve ser uma tradição do Costa, já havíamos visto. É bem legal.


Mundo de Isis II – 243 – Histórias de Viagens

Na manhã seguinte desembarcamos em Civitavecchia. Acordamos cedo e fomos tomar café no restaurante Fiorentino. Recebemos a dica que neste são servidos waffles. Dica confirmada, no café belga temos waffles e no americano panquecas.


Mundo de Isis II – 244 – Histórias de Viagens

No verão deve bombar. O mar é bem bonito e no inverno tinham uns malucos fazendo windsurf, vídeo: https://youtu.be/z9MpWc5NZ_M

Vimos uma bela e grande estátua do Garibaldi, nela há uma inscrição sobre a sua passagem pelo Uruguai.


Mundo de Isis II – 245 – Histórias de Viagens

Pegamos uma chuva fina em alguns momentos, isso encurtou nosso tempo na cidade.

Hoje a Isis conseguiu chegar na cabine sozinha, sem dramas. Encontramos um brasileiro que trabalha ma Costa e ele nos contou que o Diadema é o navio modelo da frota. Que todas as novidades são testadas nele. Também falou que este navio está navegando a apenas dois anos e que os melhores chefes de cozinha estão a bordo. Com isso concordamos, até aqui foram os melhores jantares que vimos nos diversos cruzeiros. Algo que eu acho que não vai vingar é a substituição do formulário de satisfação de papel pela versão por email. Responder aqui enquanto ainda estamos em férias faz muito mais sentido do que em casa, com toda a confusão que o fim das férias acarreta.


Mundo de Isis II – 246 – Histórias de Viagens

A Isis perdeu um jantar e meio em função de enjoos. O navio balançou bastante na segunda metade do trajeto. Não há mais água quente e gelo a disposição dos hóspedes 24 horas. As máquinas de gelo foram extintas. A alternativa é solicitar no balcão dos bares. Fiz isso uma vez para levar gelo para o refrigerante da Isis, que ficou na cabine por causa do enjoo. Em Savona o clima foi ainda pior, frio com chuva. Por sorte era a parada onde tínhamos as menores expectativas.


Mundo de Isis II – 247 – Histórias de Viagens

Marselha, o dia mais chuvoso deste cruzeiro. Contratamos o ônibus da Costa para nos levar até o centro, 10,95 euros. Depois nos disseram que há um serviço do próprio porto, sem custo. Se viermos aqui outra vez vamos testar. O ônibus nos deixou mais longe do centro que o esperado, foi uma grande caminhada. A Isis viu, no começo do caminho, uma loja com um unicórnio na fachada e entrou. Ali ela comprou o tradicional sabonete da região.


Mundo de Isis II – 248 – Histórias de Viagens

Seguimos caminhando, buscando nos abrigar da chuva, até ver as Galerias Lafayette. Passamos grande parte do nosso tempo ali, aquecidos e com Internet. Demos mais uma volta pelo centro, vimos o carrossel onde a Isis andou da primeira vez e a nova roda gigante. A chuva e frio encerraram este passeio precocemente.

1ª vez...


Mundo de Isis II – 249 – Histórias de Viagens

...antes e 6 anos depois:


Mundo de Isis II – 250 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 251 – Histórias de Viagens


Mundo de Isis II – 252 – Histórias de Viagens

Bate e volta até a Fontana di Trevi!


Mundo de Isis II – 253 – Histórias de Viagens

Objetivando: 100 países!

Quanto mais a Isis evolui em sua carreira estudantil, mais preciso organizar antecipadamente nossas viagens. Como faço habitualmente, verifiquei as datas do calendário escolar para estudar as próximas viagens. Me faltam mais de 60 países para chegar nos 100... A companhia Costa levantou a sua régua e a Isis agora será criança até os 14 anos, só que isso não se refletiu nos preços, fiz simulações com outras empresas e os valores ficaram bem parecidos. Esta é a noticia boa. A notícia ruim é que a Costa mudou seu programa de fidelidade e nós fomos muito rebaixados! Caímos dois níveis no último ano e os privilégios conquistados e que nem chegamos a usufruir, bem triste. Pelo site deles agora os Acquamarina, “que decidirem viajar mais do que no ano anterior receberão, para o cruzeiro adicional, um upgrade gratuito para a melhor categoria de cabine disponível”. Será real? 2017

Estudos de datas e roteiros Feriados duplos: 15/jun 27-28 fevereiro carnaval 12/out Suficiente para ir a Quito ou Santiago. Férias ISIS: 15/jul 13/dez

Cruzeiros: CIA Costa Costa MSC Royal Pullmantur

PORTO Estocolmo, Suécia Warnemünde (Alemanha) Warnemünde (Alemanha) Estocolmo, Suécia Rostock, Alemanha

Embarque 22/jul 21/jul 23/jul 23/jul 15/jul

16/jun 13/out 30/jul em diante


Mundo de Isis II – 254 – Histórias de Viagens

Julho:

Tem o problema adicional do custo dos trechos aéreos.

Além de nós três temos mais um casal interessado em conhecer a Russia, eu não me vejo indo até a Russia sem ser num cruzeiro. Nestes acima me interessa passar também umas noites em Estocolmo para conhecer a cidade. Os roteiros que achei, para julho: CIA Costa

Novidades SUÉCIA, FINLÂNDIA, RÚSSIA, ESTONIA

Obs. Isis grátis

Costa

DINAMARCA, NORUEGA

Isis grátis

MSC

Finlândia, Rússia, Estônia, Dinamarca

Royal

SUÉCIA, FINLÂNDIA, RÚSSIA, ESTONIA, Látvia

Pullmantur

Suécia, Estónia, Rússia

all inclusive

Países interessantes que faltam: Europa: Holanda, Escócia, Irlanda, Hungria, Bulgária, Eslovênia Caribe: Jamaica, Bahamas, Cuba Asia: Tudo (tinha um cruzeiro da Costa “Oriental”) AMS: Chile e Equador Africa: Marrocos (tem uns cruzeiros pelo sul) Oceania: Tudo (tinha um cruzeiro da Costa)

Onde eu quero voltar: Atenas e Londres, em ambas foi pouco tempo para a exuberância das cidades. Os roteiros dos cruzeiros são meras sugestões, estou aberto avaliar outras ideias. Gosto muito de cruzeiros, nestes últimos anos vimos a qualidade da Costa cair e o da Pullmantur melhorar. Vou começar a ver isso em fevereiro.


Mundo de Isis II – 255 – Histórias de Viagens

Escolhendo um novo cruzeiro

Nossos vizinhos escolheram um roteiro e vão levar toda a família, gostaríamos de ir com ela... vamos a avaliação:

Roteiro Vizinhos Dias Valor cruzeiro Valor aéreo Paises novos Bebidas Navio

MSC Mediterrâneo Sim 12 Maior Maior 1: Marrocos Não Orquestra

Pullmantur Caribe Não 7 menor menor 2: Jamaica e Costa Rica Sim Monarch

Vencedor MSC MSC Pullmantur Pullmantur Pullmantur Pullmantur Pullmantur Empate

Tirando o emocional da equação a decisão é fácil. MAS, as mulheres da minha vida preferem a MSC... adivinhe o que aconteceu? Reservei com a MSC! Primeira vez que fecho o cruzeiro SEM o aéreo!


Mundo de Isis II – 256 – Histórias de Viagens

Roteiro do MSC ORCHESTRA: DIA

DATA

PORTO

1

terça-feira, 30 jan 2018

Genova, Itália

2

quarta-feira, 31 jan 2018

Marselha, França

3

quinta-feira, 01 fev 2018

Barcelona, Espanha

4

sexta-feira, 02 fev 2018

Em alto mar

5

sábado, 03 fev 2018

Casablanca, Marrocos

6

domingo, 04 fev 2018

Em alto mar

7

segunda-feira, 05 fev 2018

Santa Cruz de Tenerife

8

terça-feira, 06 fev 2018

Funchal, Portugal

9

quarta-feira, 07 fev 2018

Em alto mar

10

quinta-feira, 08 fev 2018

Málaga, Espanha

11

sexta-feira, 09 fev 2018

Em alto mar

12

sábado, 10 fev 2018

Civitavecchia, Itália

13

domingo, 11 fev 2018

Genova, Itália


Mundo de Isis II – 257 – Histórias de Viagens

Distancias terrestres: Genova, Itália 143 km

Milão

157 km

Pisa

182 km

Monaco

230 km

Florença

501 km

Roma

858 km

Barcelona, Espanha

Milão é joia.

Penso em fazer: poa-Amsterdam-Milão-Poa A Eslovenia também fica “perto”

QUESITO Almoço buffet Café da manhã

VENCEDOR

Motivo da vitória

Mundo de Isis - 2 - Dois  

atualizado 2017

Mundo de Isis - 2 - Dois  

atualizado 2017

Advertisement