Page 1

O que é voluntariado? Segundo definição das Nações Unidas: "o voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, em benefício da comunidade "

•2010 - Ano Internacional da Biodiversidade •2010 - Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social


O que é voluntariado? •

Voluntariado ( art.º 2.º da Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro) É o conjunto de acções de interesse social e comunitário, realizadas de forma desinteressada por pessoas, no âmbito de projectos, programas e outras formas de intervenção ao serviço dos indivíduos, das famílias e da comunidade, desenvolvidos sem fins lucrativos por entidades públicas ou privadas. Não são abrangidas pela presente Lei as actuações que, embora desinteressadas, tenham um carácter isolado e esporádico ou sejam determinadas por razões familiares, de amizade e de boa vizinhança.


8 razões para ser voluntário Atender às nossas próprias motivações pessoais, sejam estas de caráter religioso, cultural, filosófico, político, emocional.

Realizar um trabalho gerado pela energia do nosso impulso solidário

Atender tanto às necessidades do próximo como aos imperativos de uma causa

Doar o nosso tempo e conhecimentos

Estar ao serviço das pessoas, das famílias e das comunidades, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do bem estar das populações.

Participar em acções de interesse social e comunitário, realizadas de forma desinteressada, expressando o trabalho voluntário.

Integrar-se em projectos e programas de entidades públicas e privadas com condições para integrar voluntários, envolvendo as entidades

Tomar uma decisão livre e voluntária apoiada em motivações e opções pessoais que caracterizam o voluntário.


Ser voluntário promove a saúde? Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos revelou que as pessoas que se dedicam a trabalhos voluntários dizem ter melhor saúde física e mental por causa dos serviços comunitários desenvolvidos.


Ser voluntário promove a saúde? Cerca de 84% de mais de 4.500 pessoas pesquisadas concordaram que o voluntariado promove a saúde física, e 95% disseram que o trabalho comunitário também traz benefícios emocionais. Aproximadamente 68% dos voluntários afirmaram que suas ações filantrópicas os fazem sentir mais saudáveis.


Ser voluntário promove a saúde? Durante o período da crise financeira, o número de voluntários nos Estados Unidos saltou de 61,8 milhões para 63,5 milhões, o que representa 26,8% da população total do país, segundo números do Departamento de Estatísticas dos EUA.


Ser voluntário promove a saúde? “O voluntariado é uma atividade que todos nós podemos fazer, não apenas para ajudar nossos vizinhos e nossa comunidade, mas também para melhorar nosso próprio bem-estar”, afirma Mark Leenay, vicepresidente da United Healthcare.


Ano Europeu Do Combate à Pobreza e à Exclusão Social A Comissão Europeia anunciou 2010 como o Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social (AELCPES). Na declaração apresentavam-se quatro objectivos específicos:

Reconhecer o direito das pessoas em situação de pobreza e exclusão social a viver com dignidade e a participar activamente na sociedade.

Reforçar a adesão do público às políticas e acções de inclusão social, sublinhando a responsabilidade de cada um na resolução do problema da pobreza e da marginalização.

Assegurar uma maior coesão da sociedade, onde haja a certeza de que todos beneficiam com a erradicação da pobreza.

Mobilizar todos os intervenientes, já que, para haver progressos tangíveis, é necessário um esforço continuado a todos os níveis de governação.


Ano Europeu Do Combate à Pobreza e à Exclusão Social Os números da pobreza em Portugal são preocupantes. Cerca de 20% dos portugueses vivem ou estão em risco de viver em situação de pobreza (com menos de 360 euros mensais) Entre os grupos de risco – mais propícios a caírem em situação de pobreza – estão os idosos e as famílias numerosas.

• . • O desemprego, salários de miséria e pensões ainda mais miseráveis, colocam estes grupos em situações francamente difíceis.

De entre os 27 países da União Europeia, Portugal é um dos nove mais pobres, existindo 1,9 milhões de pessoas que vivem abaixo do limiar da pobreza, na sua maioria no Norte.


Ano Europeu Do Combate à Pobreza e à Exclusão Social

O número de portugueses que recebe rendimento social de inserção tem vindo a aumentar nos últimos anos. Portugal apresenta o maior índice de desigualdade entre ricos e pobres.


Ano Europeu Do Combate à Pobreza e à Exclusão Social Independentemente do ângulo em que forem encaradas, a pobreza e a exclusão são sempre reflexos de injustiça e de indignidade.

A sua erradicação tem de ser a prioridade das prioridades, assumida como um desígnio nacional.

É tempo de passar do tema da pobreza para uma estratégia e uma prática efectiva de luta contra a pobreza, contra as suas causas, as suas expressões, os seus efeitos e os seus legados.


A pobreza atenua-se com medidas. As Instituições de Solidariedade são exemplos: neste ano de 2010/2011 vão dar mais um sinal. Não devem ficar isoladas. A pobreza combate-se e erradica-se com determinação e com envolvimentos. Dos pobres, das comunidades, das empresas, dos produtores de riqueza (empregadores e trabalhadores) e dos que ousam sonhar uma sociedade justa e livre. Também daqueles a quem se confiaram mais responsabilidades e do Estado.

Ano Europeu Do Combate à Pobreza e à Exclusão Social


IDÉIAS DE AÇÕES SOLIDÁRIAS


IDÉIAS DE AÇÕES SOLIDÁRIAS Na área da saúde

Na área de Meio Ambiente

1. Acompanhamento a doentes internados em hospitais e visita a doentes crónicos a suas casas. 2. Apoio às campanhas de saúde preventiva e ações de saúde familiar. 3. Doação de sangue e de órgãos.

1. Promoção de atividades de educação ambiental nas escolas, associações, etc. 2. Limpeza de espaços públicos como praças, parques e jardins. 3. Reciclagem de lixo, papel, vidro, plástico etc.


IDÉIAS DE AÇÕES SOLIDÁRIAS AMBIENTES DE PAZ Cada grupo deve promover um convívio respeitoso, fraterno, alegre e solidário entre seus próprios integrantes e no relacionamento com outros grupos. Bernardo Loro, sociólogo colombiano, aponta para a responsabilidade que cada indivíduo tem por sua comunidade, afirmando que “O agir ou não agir de cada um contribui para a formação e consolidação da ordem em que vivemos.” Fomos nós que críamos a ordem social vigente. Fomos nós que criámos um mundo de desigualdades, injustiças, exclusão. Então, também somos capazes de criar um mundo diferente, melhor, mais humano e justo, um mundo onde todos sejam cidadãos, um mundo onde todos tenham vida digna. Porém, criar este mundo exige o envolvimento de todos, o compromisso de cada um, a sua participação.


Ano Europeu Do Combate à Pobreza e à Exclusão Social

Atualmente existem diversas organizações que se utilizam do trabalho voluntário de milhares de pessoas, não só em Portugal como em todo o mundo.


WEBQUEST Solidariedade Introdução Num mundo onde super abundam as injustiças e as desigualdades sociais, apesar de demasiado egoísta e de se pensar apenas sobre os seus próprios interesses, ambições e sucesso, é possível encontrar, prelo contrário, outros que lutam por um mundo melhor, mais justo e mais humano! Para o fazerem, muitos dão as mãos para ir mais longe… envolvendo-se em organizações de solidariedade!


WEBQUEST Solidariedade A tarefa • Em grupos , vão poder escolher uma organização de solidariedade portuguesa ou não- que irá apresentar um trabalho sob a forma de cartaz, tamanho A3, em formato digital para posterior impressão. • Deve conter o nome da Instituição a indicação dos seus objectivos, as suas necessidades e as suas atividades que podem ilustrar o seu trabalho. • Gostaria que mencionassem , se um dia, gostariam de participar numa organização com fins humanitários, como a que escolheram, juntamente com as razões que vos fizeram responder sim ou não.


A Acreditar luta para que cada momento seja de Esperança! "É nosso objectivo que as crianças com cancro tenham as mesmas oportunidades, não só de sobrevivência, mas também de conquistar a saúde psicológica e física e crescer tornando-se adultos de pleno direito."

VOLUNTARIADO O VOLUNTARIADO NA ACREDITAR... Visa procurar proporcionar momentos agradáveis e/ou a diminuição do desconforto, às crianças e seus familiares, contribuindo, desta forma, para a promoção da sua qualidade de vida. O CANDIDATO A VOLUNTÁRIO DA CREDITAR... Tem idade igual ou superior a 21 anos; demonstra interesse, disponibilidade de tempo e emocional para o desempenho da função. O PROCESSO DE RECRUTAMENTO •1. Preenchimento da ficha de inscrição e envio/entrega no núcleo da Acreditar a que se candidata; •2. Comparência em entrevista com a coordenação da Acreditar; •3. Frequência de estágio no local onde exercerá funções. Duração aproximada de 2 meses; •4. Participação no Curso de Formação Inicial de Voluntários promovido pela Acreditar. Duração de um fim-de-semana. APOIO HUMANO

DOAÇÃO DE SANGUE E PLAQUETAS

DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA

O SANGUE não se fabrica artificialmente e só o Ser Humano o pode doar. As PLAQUETAS são as mais pequenas células sanguíneas e têm um papel fundamental na coagulação do sangue.

É o órgão formador das células do sangue, constituída por um material esponjoso que se encontra no interior dos ossos. Dentro da medula localizam-se as células mãe, cuja função é a diferenciação e produção de células sanguíneas.

MATERIAL Materiais ludicos e didácticos são sempre bem vindos desde que novos ou em muito bom estado de conservação. Deverá ter-se em conta que estes bens se destinam a crianças cujo sistema imunologico se encontra fragilizado pelo que temos que garantir condições de higiene rigorosas.


Gostaria de ser voluntária na Associação Acreditar, pois considero que devo contribuir para ajudar a minimizar problemas sociais no nosso país. Ao estabelecer este compromisso, estou a proporcionar uma infância mais feliz a estas crianças permitindo que estas crianças, sejam crianças. Paula Ramos


Começa este ano, praticando a Solidariedade Livros sobre Voluntariado •

CORULLÓN, Mónica Beatriz Galiano; FILHO, Barnabé Medeiros . Voluntariado na Empresa Gestão eficiente da participação cidadã. Editora Peirópolis, 2002. 144p. CORULLÓN, Mónica. Trabalho Voluntário. Publicado pelo Conselho da Comunidade Solidária, 1996.

DAL RIO, Maria Cristina. O Trabalho Voluntário - uma questão contemporânea e um espaço para o aposentado. Editora Senac, 2004.

DOHME, Vania. Voluntariado equipes produtivas - Como liderar ou fazer parte de uma delas. São Paulo: Editora Mackenzie, 2001. 210p.

DOMENEGHETTI, Ana Maria. Gestão do Trabalho Voluntário em Organizações Sem Fins Lucrativos. Editora Esfera, 2001. 184p.

JUNQUEIRA, Luciano A. Prates. Voluntariado e a Gestão das Políticas Sociais. Organizador: Perez, Clotilde. Editora Futura, 2002. 390p.

ROUCO, Juan Jose; RESENDE, Marisa. A Estratégica Lúdica com CD - jogos didáticos para a formação de gestores de voluntariado. Editora Peirópolis, 2003. 135p.


Instituições de Solidariedade http://www.voluntariado.pt/left.asp?09.01

o que é o voluntariado  

Uma proposta de trabalho para o CEF e EFA

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you