Page 1

Quadrinhos - Cinema - TV - Games - Internet

WOLVERINE REVELAMOS O SEGREDO DO MUTANTE MAIS FEROZ DA MARVEL

SELECIONAMOS OS MAIORES CRIMES DO

CORINGA AINDA NESSA EDIÇÃO: DUAS HQ’S IMPERDÍVEIS - LEÃO NEGRO E OS MORTOS VIVOS

MAURICIO DE SOUZA REVELA - “AINDA TENHO MUITOS PROJETOS PELA FRENTE”


A


A


Ano 1 - # 1 - Março de 2009

nonon onono nono noo on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non ononono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non ononono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon

on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon ono nono nono no nono non onon on onon onon nono nono no nono non on onon onon ono nono no nono non

PĂĄg. 26

ono onon nono onon


Pág. 66

das hq’s ma r o o d f n n I u do om 6. Mun dades d i v o n s a As últim in Japan s de japonê a 20. Ma h n a ro r A emno futu a i r ó O Hom s m e o na me 28. Gam mes que ficarã ga Os dez a icologi rovão m o C . 0 3 us do T e D O Thor gem 36. Ori de Noturno m A orige ilhas do Rock Tr 37. Nas ollings Stones sR Hq’s do a do Mês ist 38. Art inema c s o k d r s a o B Calr ment soon g n i m o ça 40. C os lan m i x ó r Os p

Pág. 14

42. On T Super V Choqu e 43. Clá ssico X A Piad a Morta Moderno l e a Sa Grotes ga O co 45. Gra n Batma des Encontr n X Th e Dark os 46. Qu ness ad Leão N rinhos egro e O 64. Tú nel do s Mortos Viv os Tempo Duckta les 68. Es pe Os crim cial e 72. Var s do Coringa ie Budy P dades oke


Mundo Informa Lanterna Verde em ação Filmagens do primeiro longa do herói começam no próximo semestre Texto Mundo Comics O site norte-americano Production Weekly revelou que a Warner Bros. iniciará em setembro, na Austrália, as filmagens do filme Green Lantern. O longa-metragem do Lanterna Verde, com estreia marcada para o dia 17 de dezembro de 2010, será dirigido por Martin Campbell. Boatos sobre Chris Pine em Lanterna Verde podem ter sido precipitados Na quinta-feira a internet fervilhou com a informação de que o Lanterna Verde no cinema pode ser Chris Pine, o Capitão Kirk da nova série de Star Trek. eMLos Angeles, onde nos encontramos com Steve Weintraub, nosso correspondente na cidade e editor do site parceiro Collider. com, que garante: a Warner Bros não ofereceu o papel a ele. Conhecemos a fonte de Steve - e podemos garantir que é quentíssima, já que deu aos nossos sites ótimas informações no passado, já confirmadas. A não ser que essa fonte esteja tentando controlar os boatos vazados da história, o que parece improvável, Pine não deve usar o anel esmeralda nas telonas - em tempo, muito menos Anton Yeltchin. Em outra notícia relacionada, nos últimos dias ouvimos dizer em Los Angeles que a Warner,

descontente com o resultado de Watchmen nas bilheterias, a partir de agora tentará colocar astros em todos os seus filmes de superheróis, já que acredita que o filme de Zack Snyder poderia ter sido melhor em arrecadação se rostos mais conhecidos estivessem nos cartazes. Será? Saberemos em breve, já que com Martin Campbell (Cassino Royale) preparando-se para dirigir Lanterna Verde a partir de setembro na Austrália, a escalação de elenco não deve demorar para ser anunciada. Na Comic-Con em julho, talvez? Estaremos de olho (e lá no evento) para contar para você. O roteiro é de Greg Berlanti, Marc Guggenheim e Michael Green. O filme estreia em 17 de dezembro de 2010. Em outra notícia relacionada, nos últimos dias ouvimos dizer em Los Angeles que a Warner, descontente com o resultado de Watchmen nas bilheterias, a partir de agora tentará colocar astros em todos os seEm outra notícia relacionada, nos últimos dias ouvimos dizer em Los Angeles que a Warner, descontente com o resultado de Watchmen nas bilheterias, a partir de agora tentará colocar astros em todos os se


Mundo Informa

DC COMICS ANUNCIA REVISTA MENSAL

NOVIDADES DO MORCEGO Ed Benes em Batman e mais novidades sobre o morcegão A DC Comics revelou ao website IGN as equipes criativas completas dos novos títulos da linha de Batman, que começam a ser lançados em junho. O destaque fica para o brasileiro Ed Benes, que assume os desenhos da revista solo do herói, com roteiros do já confirmado anteriormente Judd Winick. O roteirista Christopher Yost e o desenhista Ramon Bachs cuidarão da revista Red Robin, que mostrará o novo herói em uma busca por Bruce Wayne. Já Gotham City Sirens, que terá roteiros de Paul Dini, terá arte de Guillem March. Já estavam confirmadas anteriormente as equipes criativas de Batman & Robin (Grant Morrison e Frank Quitely), Detective Comics (Greg Rucka e J.H. Williams III) e Batman: Streets of Gotham (Paul Dini e Dustin Nguyen). Outra novidade revelada pela editora é que alguns dos novos títulos da linha Batman terão histórias de fundo com personagens diferentes dos principais,

como ocorrerá também nas revistas da Patrulha do Destino, Novos Titãs e Gladiador Dourado – que terão aventuras dos Homens-Metálicos, Devastadora e Besouro Azul, respectivamente. Em Detective Comics, o próprio Greg Rucka contará histórias da heroína Questão, com artes de Cully Hamner, e em Batman: Streets of Gotham Marc Andreyko volta à sua criação, a Justiceira, com artes de Georges Jeanty. A DC Comics é atualmente uma das maiores editoras de quadrinhos nos EUA, conhecida por ser a casa de famosos super-heróis como Batman, Superman, Mulher-Maravilha, Liga da Justiça, entre outros. Junto com sua linha adulta, Vertigo, e a linha Wildstorm, oferece diversidade para todas as idades. A DC produz mais de oitenta títulos por mês e cerca de mil por ano. Também é uma das mais antigas empresas do ramo, com setenta anos de publicação contínua.

A DC Comics acaba de anunciar uma nova minissérie semanal, em 12 partes, com edições a serem lançadas toda quarta-feira nos EUA. Wednesday Comics busca capturar o antigo espírito das tiras de domingo publicadas nos jornais, e por isso vem em formato diferenciado, cerca de 35 x 50 cm. De acordo com o editor-executivo Dan DiDio, cada edição trará 16 tiras no antigo formato dos jornais, protagonizadas pelos personagens da editora e criadas por artistas de destaque na indústria. Entre as atrações, haverá histórias do Gavião Negro (por Kyle Barker), Adam Strange, Metamorfo (com Neil Gaiman e Mike Allred – leia aqui), Mulher-Gato, Etrigan, Deadman (ou Desafiador), Kamandi, Sargento Rock, MulherMaravilha, Lanterna Verde, Novos Titãs, Supergirl, Flash e Homens Metálicos. Cada história ocupará uma página inteira a cada semana, durante as 12 edições. As histórias podem ser avulsas ou parte de uma série, depende da escolha de cada autor. Além de Gaiman, Allred e Barker, a lista de autores ainda inclui nomes de destaque como Dave Gibbons, Ryan Sook, John Arcudi, Lee Bermejo, Joe Kubert, Ben Caldwell, Kurt Busiek, Eddie Berganza, Jimmy Palmiotti, Amanda Conner e Karl Kerschel. Bermejo, Joe Kubert, Ben Caldwell, Kurt Busiek, Eddie Berganza, Jimmy Palmiotti, Amanda Conner e Karl Kerschel. Bermejo, Joe Kubert, Ben Caldwell, Kurt Busiek, Eddie Berganza, Jimmy Palmiotti, Amanda Conner e Karl Kerschel. Busiek, Eddie Berganza, Jimmy Palmiotti, Amanda Conner e Karl Kerschel.


GAROTA ARANHA A volta online da Garota-Aranha Depois de ter seu título cancelado e ressuscitado infinitas vezes, a Garota-Aranha agora balançará pelas teias da internet. A Marvel Comics anunciou que um novo título estrelado pela personagem, chamado The Spectacular Spider-Girl, será lançado no dia 15 de abril no Marvel Digital Comics Unlimited, o canal de quadrinhos online da editora.

MAURICIO PRESENTEIA JOGADOR RONALDO

Se Liga! Fique por dentro do que está rolando no mundo dos quadrinhos e afins

ANIMA MUNDI INSCRIÇÕES ABERTAS PARA ANIMA MUNDI 2009!!! Curta-Metragem - curtas para o público geral. Longa-Metragem - filmes com duração superior a 60 minutos. Curta Infantil - curtas para o público infantil. Animação Brasileira - curtas realizados por brasileiros. Exibidos nas sessões Curta-Metragem e Curta

CRISES INFINITAS NA DC As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononononononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononononononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononononononononnononononoonononon O treino do Corinthians na tarde de terça-feira, dia 17 de março, foi diferente. Mauricio de Sousa, o criador da Turma da Mônica, esteve por lá para homenagear o atacante Ronaldo com um desenho do jogador, ao estilo da turminha. Acompanhado por parentes e amigos, o cartunista acompanhou o treino enquanto esperava para falar com o jogador. No encontro, os dois trocaram autógrafos e posaram para fotos. O cartunista, entretanto, confessou torcer pelo São Paulo.

CRISES INFINITAS NA DC As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononononononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononono nononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono ono nonononononononononononnononononoonononon


Mundo Informa

TURMA DA MÔNICA GANHA CARD GAME

Os personagens criados por Maurício de Sousa vêm fazendo sucesso em suas versões adolescentes, vivendo aventuras no estilo mangá dentro da revista Turma da Mônica Jovem. Acompanhando o sucesso, a Panini lança nesta segunda-feira em bancas o livro ilustrado e card game Turma da Mônica Jovem: 4 Dimensões Mágicas. São 110 cards que remetem ao primeiro arco de histórias da Turma da Mônica Jovem, publicado nas quatro primeiras edições da revista. A Turma da Mônica foi criada por Mauricio de Sousa na década de 1960 e fez sua estréia pela Editora Continental, passando pela Editora Abril de 1970 a 1986, pela Editora Globo de 1987 a 2006 e a partir de 2007 sendo publicada pela Pa Os personagens criados por Maurício de Sousa vêm fazendo sucesso em suas versões adolescentes, vivendo aventuras no estilo mangá dentro da revista Turma da Mônica Jovem. Acompanhando o sucesso, a Panini lança nesta segunda-feira em bancas o livro ilustrado e card game Turma da Mônica Jovem: 4 Dimensões Mágicas. São 110 cards que remetem ao primeiro arco de histórias da Turma da Mônica Jovem, por Mauriciosan 2006 e a partir de 2007 sendo publicada pela Pa por Mauriciosan 2006 e a partir de 2007 sendo publicada pela Pa por Mauriciosan 2006 e a partir de 2007 sendo publicada pela Paciosan 2006 e a partir de 2007 sendo publicada pela Paciosan 2006 e a partir de 2007 sendo publicada pela Pa

CAPITU - NOVA REVISTA

O Manicômio do Coringa Aos Leitores vivem pedindo por novidades nas bancas, mas desta vez, algumas delas quase passaram despercebidas. No final do ano passado, a Panini Comics divulgou várias novidades para 2009, que foram amplamente divulgadas pela internet. Em janeiro, suas publicações mensais com os heróis da DC Comics trouxeram, na forma de páginas do jornal Planeta Diário, um anúncio mais detalhado de tais lançamentos. Dentre as novidades, a revista Batman Extra, que havia sido paralisada no ano passado, tem o seu retorno prometido para 2009. Uma das atrações da revista é O Manicômio do Coringa, onde o Palhaço do Crime é a estrela e narrador de histórias de alguns dos pacientes mais famosos do Asilo Arkham: Espantalho, Pinguim, Hera Venenosa, Duas-Caras e o próprio Coringa. Nos EUA, a história foi publicada na forma de vários especiais, que contam com nomes Joe Harris e David Hine, entre outros. Outra atração prometida para Batman Extra é O Submundo de Gotham, minissérie escrita por Frank Tieri e desenhada por Jim Calafiore. A trama mostra heróis, vilões e vigilantes de Gotham às voltas com um grande conflito na cidade. Vilões estão desaparecendo graças aos eventos de O Planeta dos Condenados. Os restantes começam uma luta para assumir o posto de chefão do submundo de Gotham. A coisa só piora quando forças externas se envolvem na batalha. O Submundo de Gotham ocupará duas edições de Batman Extra, embora nenhuma data de lançamento tenha sido divulgada. Em abril, a revista Superman & Batman recebe a minissérie Superman & Batman vs. Vampires & Werewenfrenta vamcontando cversarte de Tom Mandrake. Por fim, a editora confirmou a Crise Final para o

Acaba de chegar às bancas capixabas a nova revista de humor Capitu, editada pelo jornalista Sacramento de Oliveira e pelo cartunista Fábio Turbay. A publicação traz histórias em quadrinhos, charges, jornalismo mentira e até passatempos, com pitadas de inteligência e senso crítico. A primeira edição traz revelações surpreendentes sobre o aquecimento global e uma faceta desconhecida do Tim Maia. Outro destaque é uma incrível e dramática história de carnaval, inspirada em fatos reais. Com tiragem de 1.000 exemplares, Capitu conta com colaborações de desenhistas e escritores do Espírito Santo (Turbay e Sacramento), Rio de Janeiro (Pablo Luiz), Amapá (Ivan Carlos) e dos Estados Unidos (Hector Rodrigues). A publicação é aconselhada para maiores de 14 anos. Janeiro (Pablo Luiz), Amapá (Ivan Carlos) e dos Estados Unidos (Hector Rodrigues). A publicação é aconselhada para maiores de 14 anos.


Bones recebe personagem de Uma Família da Pesada

epois de parodiar Star Wars e receber a nova geração de Jornada nas Estrelas, agora é a vez de Uma Família da Pesada visitar outra franquia de sucesso. Stewie, o bebê falante da série, terá uma participação especial no seriado Bones. O estranho acontecimento se dará em maio (nos EUA) através das alucinações vividas pelo detetive Booth (David Boreanaz), no meio de uma crise de saúde que pode colocar em risco sua própria vida. O produtor-executivo de Bones, Stephen Nathan, não quis revelar que doença causaria esse estranho efeito no detetive, mas disse que é perfeitamente plausível. Haverá uma investigação médica para descobrir como Booth pode estar tendo alucinações com um personagem animado. plausível. Haverá uma investigação médica para descobrir como Booth pode estar tendo alucinações com um personagem animado. tendo alucinações com um personagem animado.

Disney divulga pôster de Força G O filme terá direção do mestre dos efeitos especiais e ganhador do Oscar Hoyt Yeatman e estreia nos cinemas americanos em 24 de julho de 2009. No Brasil, a estreia está marcada para 14 de agosto. Na história, um grupo de animais inteligentes que trabalham para uma agência governamental precisam impedir que um bilionário malvado domine o mundo.

John Connor de Christian Bale ganha toy A empresa Hot Toys anunciou que já está terminando a produção de uma action figure de John Connor como apresentado em O Exterminador do Futuro: A Salvação. Confira a primeira imagem da figura ao lado. O Exterminador do Futuro: A Salvação se passa em 2018 e traz Christian Bale como John Connor. Sempre visto como a pessoa destinada a liderar as forças humanas contra as máquinas, Connor aqui é um homem atormentado, já que o futuro para o qual ele foi criado foi alterado. Uma parte dos problemas se deve à aparição de Marcus Wright (Sam Worthington), um estranho cuja última lembrança é a de estar no corredor da morte de uma prisão. Cabe a Connor decidir se Wright foi trazido do futuro ou resgatado do passado, enquanto ambos embarcam em uma odisséia que os leva ao coração da Skynet. É lá que eles encontrarão o terrível segredo por trás da possível aniquilação da raça humana. O elenco conta ainda com a presença do rapper Common, da atriz Moon Bloodgood e de Chris Browning. A estreia está programada para 22 de maio n o s EUA, e 5 de junho no Brasil. Com


Mundo Informa The Spirit e as estreias da semana nos cinemas

Baseada na obra de Will Eisner, com direção de Frank Miller, mais uma

esperada adaptação estreia nesta semana nos cinemas: The Spirit - O Filme. Além de The Spirit, confira também o retorno de Kevin Smith como diretor e roteirista na comédia Pagando Bem, Que Mal Tem?, onde um casal de amigos decide fazer um filme pornô para pagar as contas. Estreiam também Gran Torino, o novo filme de Clint Eastwood; e Alma Perdida, terror dirigido por David Goyer, diretor que esteve envolvido nas produções de Blade, Batman Begins, Batman – O Cavaleiro das Trevas, Motoqueiro Fantasma, entre outros. Confira as sinopses e os trailers das principais estreias desta semana, além de uma matéria especial e a resenha de The Spirit, e a crítica da comédia de Kevin Smith: The Spirit – O Filme (The Spirit) Denny Colt (Gabriel Macht) é um ex-investigador novato da polícia que, misteriosamente, retorna do mundo dos mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o criDenny Colt (Gabriel Macht) é um ex-investigador novato da polícia que, misteriosamente, retorna do mundo dos mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o criDenny Colt (Gabriel Macht) é um ex-investigador novato da polícia que, misteriosamente, retorna do mundo dos mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o criDenny Colt (Gabriel Macht) é um ex-investigador novato da polícia que, misteriosamente, retorna do mundo dos mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o criDenny Colt (Gabriel Macht) é um ex-investigador novato da polícia que, misteriosamente, retorna do mundo dos mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o crime, se aproveitando das sombras de Central City. Um de seus mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o crime, se aproveitando das sombras de Central City. Um de seus mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o crime, se aproveitando das sombras de Central City. Um de seus mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o crime, se aproveitando das sombras de Central City. Um de seus mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o crime, se aproveitando das sombras de Central City. Um de seus mortos. Sob o alter-ego de Spirit ele combate o crime, se aproveitando das sombras de Central City. Um de seus

CRISES INFINITA As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononononononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononononononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononononononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononononononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas exmploes para mostraa onon As palavras aqui descritas são apenas apenas exmploes para mon As palavras aqui descritas mostraa ono ono onononononononononononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas apenas exmploes para mostraa ono ono onononononononononononononnononononoononononon As palavras aqui descritas são apenas

Dentes-de-Sabre pela Marvel Select A Diamond Select divulgou seu mais novo lançamento da linha Marvel Select. Trata-se do inimigo número 1 de Wolverine, Dentes-de-Sabre. O personagem é representado em seu uniforme mais conhecido, possuindo vários pontos de articulação e uma base de luxo. O boneco foi produzido pela Dig Deep Entertainment com escultura da elogiada Gentle Giant. O lançamento do boneco está previsto para agosto deste ano nos EUA, com preço estimado em Us$ 19.99. Dentes-de-Sabre é um vilão criado por Chris Claremont e John Byrne em 1977. Arquiinimigo de Wolverine, é um mutante que possui fator de cura, garras e dentes afiados e sentidos superaguçados. É um assassino feroz, que mata tanto por prazer quanto por dinheiro. garras e dentes afiados e sentidos superaguçados. É um assassino feroz, que mata tanto por prazer quanto por dinheiro. garras e dentes afiados e sentidos superaguçados. É um assassino feroz, que mata tanto por prazer quanto por dinheiro.


A


WOLVE Nas garras do

Vasculhamos os arquivos do herói mais feroz das hq’s e do cinema


ERINE Por Leonardo Di Sessa


CARCAJU HUMANÓIDE? Wolverine pode ter ganho seu primeiro filme solo somente neste ano, mas sua história é bem mais antiga. Se considerarmos o “mundo real”, Wolverine surgiu em 1974, mas na cronologia dos quadrinhos da Marvel Comics, sua história tem bem mais de 100 anos. Embora seja o mais popular dos X-Men, Wolverine surgiu como coadjuvante do Hulk nas páginas de The Incredible Hulk #180, criado por Len Wein e John Romita Sr. Nesta sua aparição, o mutante baixinho ainda trabalha para o governo canadense, que o manda para cima do Hulk e da criatura chamada Wendigo. O herói foi inspirado no animal pouco conhecido chamado Carcaju, encontrado em diversos países, principalmente no Canadá, sendo muito forte para sua pequena estatura, além de muito selvagem. Em 1975 Wolverine foi reaproveitado na reformulação ocorrida com os X-Men, que procurava renovar o grupo com novos membros de diferentes países. Se provando rapidamente o mais popular personagem dessa encarnação, ele ficou envolto em mistério por muitos anos. Os detalhes de sua origem demoraram muito para serem revelados, até mesmo seu nome real era um mistério, já que sempre se apresentava apenas como Logan. De início, nem sequer sabíamos se suas garras eram parte de seu poder mutante junto de seu fator de cura. Nas primeiras aventuras ao lado dos X-Men, ele era desenhado por Dave Cockrum com uma aparência mais velha do que a de seus companheiros, algo que

foi deixado de lado com o passar do tempo, principalmente quando o artista John Byrne assumiu o título do grupo, “adotando” Wolverine como seu personagem predileto. Tendo ido morar no Canadá (ele é de origem inglesa) ainda criança, Byrne gostou muito da ideia de poder dar destaque a um herói canadense, o que acabou também dando origem à Tropa Alfa, grupo que por muitas vezes bateu de frente com os XMen, na tentativa de reaver Wolverine para o governo canadense, que dizia que havia gasto muito dinheiro com ele. Lein Wein, um dos criadores do personagem, revelou anos mais tarde em entrevistas, que a ideia original para Wolverine não era apresentá-lo como um humano mutante, mas sim como um carcaju humanóide evoluído pelo cientista Alto Evolucionário. Até mesmo suas garras e ossos de adamantium (um metal indestrutível só existente no Universo Marvel) não estavam no plano original. A ideia inicial de Wein era de que as garras retrateis fizessem parte das luvas do herói, sendo luvas e garras feitas de adamantium. Até mesmo seu rosto por pouco não foi diferente. Byrne chegou a criar uma face não usada, que acabou sendo reaproveitada justamente no arquiinimigo de Logan, Dentes-de-Sabre. Tanto Byrne quanto Chris Claremont, o mais importante e duradouro roteirista das revistas X, pretendiam fazer com que Dentes fosse o pai de Logan e, de fato, por muito tempo, a suspeita permeou as histórias, sendo deixada de lado posteriormente.

Dentes-de-Sabre

A primeira aparição de Wolverine em na HQ The Incredible Hulk #180


PASSADO MISTERIOSO Com o passar do tempo, pequenos fragmentos da vida de Wolverine foram sendo revelados lentamente. Descobrimos que ele sofria de amnésia, que teve treinamento samurai, que serviu na 2ª Guerra Mundial (onde chegou a lutar ao lado do Capitão América), que sofria intensos casos de descontrole, sendo tomado por uma fúria cega. Sempre tendo seu lado selvagem em alta, Logan teve também seus momentos mais humanos, como o amor que sentiu por sua companheira de equipe Jean Grey, ou pela oriental Mariko Yashida, ou até mesmo seu papel como mentor das mutantes Lince Negra e Jubileu. Em 1982, quase uma década depois de seu surgimento, Wolverine teve sua primeira chance de brilhar sozinho, em uma aclamada minissérie criada por Claremont e Frank Miller, onde seu amor por Mariko e sua afinidade com a cultura japonesa foram muito bem explorados. O herói ganhou sua primeira série mensal em 1988 (entre cancelamentos e reinícios, tem um título solo até hoje), mas o primeiro grande avanço no mistério da origem de Wolverine só veio em 1991, nas páginas das edições 72 a 84 da revista Marvel Comics Presents. Barry Windstor-Smith escreveu e ilustrou a série de histórias curtas Arma X, que enfim mostra como Logan foi capturado para servir de cobaia para o Experimento X (mais tarde rebatizado como Programa Arma X e, ainda mais tarde, sendo revelado como parte de um projeto maior, chamado Arma Extra). Elogiado por público e crítica, o arco de histórias mostra todo o sofrimento da Arma X (Logan), enquanto tem adamantium implantado em seu esqueleto (pela

Logan após sofrer o implande de adamantiun na série Arma X

primeira vez, é deixado no ar que as garras em seu corpo sempre existiram, sendo apenas revestidas de adamantium, sem no entanto confirmar isso claramente) e suas memórias apagadas e manipuladas. A trama foi publicada em 1992 no Brasil nas páginas de Grandes Heróis Marvel #35, pela Editora Abril. Em 1995, foi republicada pela Abril em uma edição especial chamada Wolverine Extra. Sua última republicação foi no especial Arma X, pela Panini Comics, em 2003. Um grande avanço na trajetória do personagem, Arma X no entanto deixou muitas coisas em aberto, pois continuamos sem saber quem era Logan antes do experimento, e mesmo a identidade de todos por


A ORIGEM REVELADA trás da experiência nunca ficou totalmente clara. Não apenas isso, nos anos seguintes, graças à revelação de que muitas memórias de Wolverine eram falsas, implantadas pelo Programa Arma X, seu passado se tornou ainda mais nebuloso, sendo difícil definir o que era real ou não, como por exemplo, sua conturbada relação com Raposa Prateada, um amor de seu passado que também fez parte da Arma X. Pior ainda, o Programa Arma X foi reformulado inúmeras vezes, recebendo nomes diferentes, líderes diversos, mais e mais cobaias, subdivisões, até que ninguém entendesse mais o funcionamento de tudo. Em 1993, enfim descobrimos que as garras de Wolverine realmente são só cobertas por adamantium, quando o vilão Magneto, usando seus poderes magnéticos, retira todo o adamantium do corpo de Logan. Com esqueleto e garras de ossos, gravemente ferido e com seu fator de cura sobrecarregado, o herói passa por mais problemas quando, em 1996, o vilão Gênesis (filho de Cable) tenta lhe devolver o adamantium, o que dá errado, servindo apenas para mutar Logan em uma criatura bestial e com pouco controle. Com a ajuda de Tempestade e Elektra, Wolverine consegue se controlar melhor, mas recupera o adamantium apenas em 1999, graças a outro vilão, Apocalipse. Somente em 2001 o início da vida de Wolverine é revelado aos leitores. Escrita por Paul Jenkins, Bill Jemas e Joe Quesada, com arte de Andy Kubert, a minissérie Origem mostrou a infância do herói, de uma maneira surpreendente. No século 19, a rica família Howlett

Capa da minissérie Origem Um classico das hq’a

vive no Canadá, numa enorme propriedade de campo. James, o filho do dono de tudo, é um menino sempre doente, cheio de alergias e medroso. Suas amizades são a jovem empregada Rose e Cão, filho de um dos empregados do local, chamado Thomas Logan (que é idêntico ao Wolverine adulto). Com o passar da trama, descobrimos que James teve um irmão que morreu bem jovem em circunstâncias misteriosas. Sua mãe enlouqueceu, e exibe cicatrizes de três garras, aparentemente deixadas pelo jovem morto. Ao contrário do que se poderia pensar de início, Wolverine não é Cão, mas sim James Howlett. Uma luta grave acontece na propriedade, quando Cão e Thomas invadem a casa dos Howletts. Cão mata o pai de James, que, enfurecido, apresenta seus poderes pela primeira vez. Com suas garras de ossos, deforma Cão e mata Thomas, para em seguida sair correndo pela floresta. Deixada para trás, a mãe de James se mata. James e Rose fogem juntos. James inibe suas próprias memórias, mostrando que a amnésia de Wolverine pode não ser culpa somente dos implantes da Arma X. Indo trabalhar numa pedreira, Rose, para encobrir seus rastros, rebatiza James como Logan. Em sua nova vida, Logan logo começa a andar com uma matilha de lobos, desenvol-


NAS TELAS DO CINEMA

vendo seu lado selvagem. Anos depois, Cão, já adulto, retorna e ataca Rose e Logan. Acidentalmente, Logan causa a morte de Rose, novamente fugindo para o campo, na companhia da matilha. A figura de Rose, uma bonita mulher ruiva, explica até o fascínio de Logan com a mutante Jean Grey, também ruiva. Indo mais além, vale notar que várias vezes, quando à beira da morte, Logan alucinou com uma ruiva falando com ele, o que poderia ser interpretado com vestígios d e suas antigas memórias. Já Cão, que poderia muito bem s e r Dentes-de-Sabre, acabou sendo um personagem nunca mais reutilizado. Mais recentemente, depois de se tornar membro de um grupo de Vingadores, Wolverine se envolveu no evento Dinastia M. Nesta saga, a mutante Feiticeira Escarlate reestrutura a realidade, criando um mundo onde o s mutantes são a espécie dominante, e onde ninguém lembra como era o mundo antes. Ninguém, exceto Wolverine, que, graças a seus implantes de memória, retém as lembranças do mundo real. Com o fim da saga, o mundo volta ao normal, mas Wolverine é afetado por um interessante

efeito colateral: agora ele lembra de toda sua vida. De posse de todas suas lembranças, Wolverine segue seu passado em uma nova revista mensal, Wolverine: Origins, onde são revelados novos detalhes de sua vida, como um aprofundamento do envolvimento do governo americano na Arma X, e até a existência de um filho de Logan, chamado Daken, cuja mãe é a falecida Itsu, esposa japonesa de Wolverine. Outra importante descoberta foi o vilão Romulus, que teve influência no Programa Arma X e manipulou Daken por anos. Se mantendo em alta, o mutante aparece em diversas publicações da Marvel todos os meses, c o n t i n u ando nos X-Men e nos Novos Vingadores, além de liderar a nova X-Force. Nos cinemas, sempre roubou a cena nos filmes dos XMen, e na TV tomou a frente na nova série animada Wolverie e os X-Men. Agora, Hugh Jackman volta a encarnar o personagem em X-Men Origens: Wolverine, a primeira aventura solo do herói na tela grande, que, a julgar pela sinopse e trailers, apresenta diversas elementos das duas mais importantes histórias do baixinho invocado: Arma X e Origem.


Made in Japan

supaida man O Aranha japones Por: Wellington Araujo Alguns já devem ter ouvido falar de um tal “Homem-Aranha japonês”, mas poucos sabem realmente informações sobre o seriado, sendo assim resolvemos apresentar à vocês a série que salvou o gênero tokusatsus (sinônimo de filmes ou séries de super-heróis produzidos no Japão) do desaparecimento. Em 1977 a Marvel, buscando ampliar a abrangência de seus personagens fez um acordo com a produtora japonesa TOEI para um seriado televisivo baseado em seu herói mais popular. A TOEI então fez sua versão do herói aracnídeo, mas sem Peter Parker e picadas de aranha radioativas. Supaida Man estreou em 17 de maio de 1978 e teve seu fim em 14 de Março de 1979, com 41 episódios. Nessa versão, Takuya Yamashiro, um jovem piloto de corridas de motos ouvia uma voz que o chamava constantemente depois de ter o pai, o Dr. Yamashiro assassinado por um monstro. Takuya descobre que a voz misteriosa era de um ser chamado Garia, príncipe de um planeta extinto; o planeta Aranha. Garia conta a história de bravos guerreiros que vem enfrentando o Tetsujiidan (Império da Cruz de Prata) ao longo dos tempos. Após ser derrotado pelo Professor Monstro, líder do Tetsujiidan, Garia veio à terra na nave Marveller para encontrar um sucessor. Takuya no inicio não acredita na história e nega seu destino, mas após um terremoto, Takuya é gravemente ferido e Garia, para salvar sua vida, injeta o “extrato aranha” com a ajuda de um bracelete no corpo de Takuya. Garia explica que agora, Takuya tem a responsabilidade de derrotar o Professor Monstro e todo o Tetsujiidan. Assim começa a luta de Takuya,(logo batizado de Homem-Aranha pelos transeuntes que o vêem escalar uma parede) contra o maligno Tetsujidan. Durante as batalhas, o Homem-Aranha tem à sua disposição o spider machine gp7, um carro equipado com vários acessórios, inclusive, um lançador de teias e a nave Marveller, que se transformava no Leopardon, um mecha (robô) gigante para enfrentar mostros gigantes. Um fato interessante - esse foi o primeiro seriado a utilizar um robô gigante. Antes dele, no máximo era o próprio herói quem ficava maior pra enfrentar os monstros (como Ultraman e Spectromen). A boa aceitação da série Supaida Man (no Japão), salvou o gênero, que não ia muito bem de audiência na época. No ano seguinte, a TOEI havia fechado pra fazer outra adaptação da Marvel : um seriado dos Vingadores que acabou se transformando na série Batoru Fibaa (Battle Fever), onde cinco jovens enfrentavam o monstro da semana liderados pelo Battle Japan. Uma coisa é certa, se não fosse a série do Aranha japonês, não existiriam Jaspion, Changeman, Flashman entre outros.

1

2

3

1- Takuya, o Parker japonês. 2- Professor Monstro 3- Amazoness , a Assistente do Prof. Monstro

4

5

4- Supaida Man com seu bracelete. 5 - Enfrentando um dos vários monstros do seriado.


A


Entrevista


A


Caça Comics

Qualquer semelhança é mera coincidência Já até sei qual foi primeira impressão de muitos de vocês caros leitores ao visualizar esse personagem! Só de olhar o visual já associou com vários heróis ou anti-heróis como nosso saudoso Spawn – O soldado do inferno criado pelo consagrado desenhista Todd MacFarlane. Já deve estar imaginando que esse personagem é uma cópia abissal de determinado desenhista famigerado. Pois bem, entrei em contato com o autor do personagem, Sir Lorde Lobo para questionar essas similaridades. Logo, Lorde me encaminhou os primeiros exemplares da revista do personagem para que eu tirasse minhas próprias conclusões. Confesso que fiquei com um certo receio, mas ao ler a história me surpreendi com a originalidade do roteiro e os desenhos. Segundo Lorde Lobo, as semelhanças com outros personagens existem mesmo, principalmente com o Spawn. “Dentro dos quadrinhos, infelizmente, tudo acaba sendo parecido com algo já existente. Sequer tive tempo de pensar no Spawn, personagem com o qual tanto comparam o Penitente. Na verdade, quando estava estruturando o único personagem que me inspirei um pouco foi o James Bond, pois pensei assim: Como seria se o 007, ao invés de um agente a serviço da rainha, fosse um terrorista? E se Arte de Pow Rodrix

ele tivesse morrido e tivesse a chance de se redimir, o que faria?” Afirma o criador do personagem. Toda essa história de personagens supostamente copiados é bem antiga. Até mesmo nas grandes editoras encontramos personagens com várias semelhanças. Como o caso do Sr Fantástico da Marvel e o Homem-Borracha da DC, Namor e Aquaman entre tantos outros. A verdade é que hoje existe uma infinidade de personagens e uma criação inédita e exclusiva hoje pode parecer até impossível. Outro ponto a destacar é entender o processo de criação de personagens. Já que as idéias são extraídas do repertório cultural que cada artista tem. As idéias podem surgir naturalmente, mas dentro da capacidade criativa de cada um, e nesse processo, quanto mais referências o artista tem, mas facilidade de criar algo inovador ele terá. Na história, Penitente foi um assassino profissional preparado com as mais diversas técnicas de combate corporal e bélico. Em uma de suas missões acabou morrendo, e quando chegou no “tribunal divino”, Deus o interveio e propôs a chance de se redimir de seus pecados voltando ao mundo dos vivo como um zumbi. Assim nasce o Penitente, que tem a missão dada por Deus de salvar “setenta vezes sete vezes” o número de inocentes que ele matou e mandar ao inferno algumas criaturas que de lá fugiram. Agora ele vaga pela Terra aniquilando bandi-


dos, salvando vidas inocentes e até evitando suicídios. Varios personagens fazem parte do universo Penitente e podem ser conferidos no site: www.lordelobo.com.br/penitente. O Penitente é uma publicação independente. Um outro motivo que me deixou surpreso ao folhear à revista foram os anúncios de várias empresas. Acredito que ambas ajudaram a financiar a obra publicada. Isso mostra a força do mercado independente e as várias maneiras de se driblar as dificuldades em publicar uma obra. A publicação está na sua segunda edição. Lorde promete a terceira ediçao para breve. Com o atraso, as outras duas edições programadas para este ano talvez sofram também adiamentos. De acordo com Lobo, talvez sejam publicados apenas os números 3 e 4 da série. O editor, no entanto, assegura que as 10 edições desta primeira fase do Penitente continuam sendo produzidas.

Sobre o autor Lorde Lobo é natural do Rio Grande do Sul, onde vive até hoje. Sempre foi apaixonado pelos quadrinhos, desde pequeno gostava de desenhar os personagens da Turma da Mônica e da Disney . Mais tarde, na sua pré-adolescencia conheceu os super-heróis, se interessando ainda mais por quadrinhos. A partir daí Lorde resolveu encarar os desenhos de forma profissional. Começou a publicar ilustrações, charges, cartuns, tiras e hq’s em vários jornais, revistas e informativos regionais, além de prestar serviços para agências de publicidade.Em 1995, entrou para a faculdade de Educação Artística com Habilitação em Artes Plásticas, na Fundação Universidade Federal do Rio Grande, onde se destacou por ter sido o primeiro acadêmico a defender uma monografia de conclusão de curso sobre histórias em quadrinhos. Além disso, nesse período produziu por mais de um ano um jornal mensal dedicado ao humor gráfico chamado “Chargeta, o jornal das charges”.Em 2001 a 2006, foi um dos editores da revista independente “Areia Hostil”. O título foi eleito o Melhor Prozine de 2005 durante o 18º HQ Mix (o oscar dos quadrinhos brasileiro), e conta também com uma versão virtual que pode ser acessada no site: www.areiahostil.com.br . As criações de Lorde Lobo não se limita apenas em super-heróis, sua criatividade possibilitou o desenvolvimento de outros projetos. Além do Penitente, criou outros personagens, tanto de humor como infantis: Topman: um super-herói brasileiro que, para ser melhor aceito no mercado de paladinos mascarados, assumiu um nome estrangeiro. Trata-se de um personagem de humor dedicado a todas as pessoas que curtem o gênero heróico, mas com uma pitadinha de graça. Lipe: um menininho muito esperto, curioso e simpático que vem servindo de mascote para o caderno infantil do Jornal Agora, o “Agorinha”.

Arte de Samicler Gonçalves


Games

10


GAMES QUE MARCARÃO A DÉCADA DE 2000

Seria praticamente impossível citar os melhores games da década de 2000, pois nesse período foram lançadas uma infinidade de jogos dos mais variados tipos e gêneros que fizeram a cabeça de jovens e até de adultos. Entretanto, alguns se tornaram praticamente indispensáveis para a vida dos game-maniacos dessa nova geração. Pensando nisso, resolvemos selecionar alguns dos games que na nossa visão entrarão para história e futuramente serão tão comentados como os lendários jogos do Atari dos anos 80. Resident Evil - Embora o primeiro game tenha sido lançado em 1996, Resident Evil alcançou seu fastígio depois do lançamento do primeiro longa para o cinema lançado em 2002, a partir daí o game ganhou uma legião de fãs que esperavam ansiosos pela lançamento de Resident Evil 4, que se tornará um grande sucesso. Tomb Raider – Outro game que mesmo tendo a sua primeira versão lançada em 1996, continuou mantendo seu sucesso no inicio de 2000 com o lançamento do Tomb Raider – Chronicles. Em 2001 foi lançado o primeiro filme baseado no game com a atriz Angelina Jolie. Em 2008 a Eldos Interactive lançou Tomb Raider – Underworld, a última das várias versões já lançadas do game. Need for Speed – É a mais popular série de jogos de corrida para computador e videogames, publicada pela Eletronic Arts em 1994. É considerado um dos melhores jogos de corrida do mundo. Já lançaram cerca de 16 versões do game. A última, Need for Speed – Undercover lançada em 2008 é considerado uma das melhores versões já lançadas. The Sims - Uma série de jogos eletrônicos de simulação de vida. Com o lançamento inicial do primeiro jogo em 2000. Os jogadores podem criar e controlar as vidas de pessoas virtuais (chamadas de Sims). O jogo atrai até hoje legiões de fãs. Homem-Aranha – O herói aracnídeo ganhou seu primeiro game em 1982 para o Atari. De lá pra cá ganhou várias versões para várias plataformas. Mas foi em 2002 que o cabeça de teia alcançou um grande sucesso lançando praticamente de maneira simultanea o filme e o game. Em 2008 a Activision lançou até então a última versão para o Aranha , o game Web of Shadown. O Senhor dos Anéis – Enquanto o filme revolucionava os cinemas em 2001, a obra criada por Tolkien também fez sua história nos games lançando 3 versões acompanhando a trilogia do filme.

Uma curiosidade, o primeiro game da trilogia vinha com uma réplica do “Um Anel” de brinde. Esse ano a Eletronic Arts lançou “The Lord of the Rings: Conquest”. Matrix – Em 2003 é lançado o primeiro game baseado na trilogia do filme Matrix. Foi um dos jogos mais caros para ser desenvolvido, custando em torno de 30 milhões de dólares. Posteriormente foi lançado também “The Matrix Online” e em 2005 o game “The Matrix: Path of Neo” com alguns cenários e argumentos diferentes dos filmes originais. Battlefield - Uma das mais famosas séries de jogos da EA Games lançadas em 2002. O primeiro jogo da série,”Battlefield 1942”, usava como cenário a Segunda Guerra Mundial, sendo um game inovador para a época, pois além de apresentar excelentes gráficos no mesmo jogo você pode contar os inúmeros módulos de combate criados no jogo. Guitar Hero – Lançado em 2005. Rapidamente se tornou uma verdadeira febre no mundo. O jogo apresenta um controlador em forma de guitarra que o jogador usa para simular a reprodução das músicas de bandas consagradas do rock. Crysis – Desenvolvido pela Crytek. Esse jogo em primeira pessoa trouxe a revolução para os games com gráficos realistas e efeitos físicos impressionantes jamais vistos. Sua primeira versão foi lançada em 2007. Em 2008 a Crytek lançou um complemento do game, o Crysis Warhead com missões mais objetivas, mas que foi um pouco criticado por durar pouco. Um jogador que dedique 5 horas diretas de jogo chegará ao fim da trama.

Resident Evil

Tomb Raider

Need for Speed

The Sims

Homem-Aranha

O Senhor dos Anéis

Matrix

Battlefield


Comicologia

Mitologia N贸rdica Por: Saulo Costa


UM COMPARATIVO NA SAGA DO GUERREIRO THOR NA MITOLOGIA E NAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS Dentre todos deuses e heróis apresentados na mitologia, pode-se afirmar que Thor - o Deus do trovão é o mais conhecido entre todos apresentados nesse conjunto de crenças e histórias que foram compartilhadas por tribos do norte da Germânia (atual Alemanha) na era pré-cristã. Foi dentro desse rico universo mitológico que o mestre dos quadrinhos Stan Lee junto com Larry Lieber e Jack Kirby buscaram inspiração para criar Thor, um dos personagens mais famosos da Marvel (e o que tem o traje mais feio). Ao comparar a história do herói da Marvel com o Deus da mitologia encontramos algumas diferenças que mostram que os autores não buscaram a interpretação fiél do personagem, apenas retiraram das lendas as principais características do ser mitológico para criar o universo de Thor nas hq’s. Segundo a lenda mitológica, Thor é um deus de cabelos vermelhos e barba. Era extremamente forte e possuía uma fome fora do comum. Sempre gostou de disputas de poder e era o principal campeão dos deuses contra seus inimigos, os gigantes de gelo. Nos quadrinhos, Thor é apresentado na maioria das vezes com o cabelo loiro e sem barba. Na história criada por Stan Lee e companhia, Thor tinha um comportamento arrogante e impulsivo em sua juventude, que o fez violar uma lei de seu pai, o Deus Odin, que o enviou para a Terra com a lição de aprender a humildade. Assim sua memória foi apagada e por um tempo esqueceu quem realmente o era. Na Terra nasceu como Donald Blake, manco de uma perna e que futuramente se tornara médico. Assim foi pouco a pouco, aprendendo a lição da humildade até que seu destino se cumpriu. Ao fugir de uma nave espacial, Donald se

esconde em uma caverna e encontra o martelo mágico, ao bater um cajado contra o chão, ele transformou-se em Thor e todo seu destino foi revelado. As Armas A principal arma de Thor é o martelo, conhecido como Mjölnir que significa “aquilo que esmaga”. Na mitologia o martelo é feito de um mineral

chamado Uru. Este mineral, de tão pesado, permitia só o Deus Thor levanta-lo. A arma foi criada pelos Filhos de Ivaldi numa aposta contra o deus Loki. Mjölnir lançava raios de luz, era formado com uma enorme cabeça e um cabo curto e que nunca errava o alvo e sempre retornava às suas mãos. Ele usava luvas de ferro mágicas para segurar o cabo do

martelo. Além do Mjölnir, o Thor da mitologia usava Megingjard - um cinto lendário que dobrava a sua força, e também o tornava apto a manejar o Mjolnir, que mantinha uma espécie de ligação com o Megingjard. Nas hq’s da Marvel , o martelo usado pelo Deus do Trovão foi criado por seu pai, o Deus Odin e forjado pelos anões

de Asgard, os lendários ferreiros. Nos quadrinhos Mjolnir é capaz de criar tempestades e furacões, gerar raios, abrir portais entre dimensões, desferir golpes poderosos, possibilitar que Thor voe, absorver qualquer tipo de energia, e relança-la ampliada, ao girar o martelo, a incríveis velocidades, pode ser criado um escudo, o martelo também pode

criar campos de força, além de possibilitar os mais diversos encantamentos misteriosos. Como na mitologia o encantamento do martelo faz com que os inimigos de Thor nunca consigam se apossar da arma, mas por não ser digno de usala. Além do martelo, por ser um Deus, o Thor das hq’s possui força sobre-humana, maior resistência física e comanda o clima onde e como quiser. Inimigos Nos quadrinhos seu arquiinimigo é Loki, sendo ele responsável pela primeira reunião dos Vingadores. Loki controla o fogo, e também se transfigura podendo ganhar várias aparências. Extremamente traiçoeiro, em Asgard é o deus das trapaças e mentiras, além de ser filho adotivo de Odin. Devido à sua má índole e a inveja que sente por Thor está sempre tramando maneiras de aniquilar seu irmão e se apossar de Asgard. O Loki da mitologia é o Deus do fogo e irmão de Thor. É considerado como um símbolo da maldade. É o senhor dos truques, da trapaça e do sexo.Também pode assumir muitas formas de vida, como alguns animais: cavalo, falcão, etc. Na mitologia causou grandes danos, mas logo restaurava a ordem e evitava o desastre completo. Nas histórias, já levou Thor a uma situação de perigo, mas posteriormente arquitetou o plano para recuperar o martelo roubado de Thor. O Deus Loki, segundo as lendas germânicas é bonito e de aparência amigável, mas de natureza maléfica. Ao contrário das hq’s que muitas vezes apresenta Loki com uma aparência feia e perversa.


Entrevista


A


Origem

Por: Max Silva

DE ATRAÇÃO CIRCENSE A X-MAN Por ter um filho diferente de todos os humanos, com a cor azul, orelhas pontudas, rabo e apenas três dedos nas mãos e dois nos pés, uma mulher fugia dos aldeões no interior da Alemanha para não ser linchada, pois estava sendo julgada como Bruxa por ter um filho diferente e por dominar poderes especiais. Essa mulher, conhecida como a vilã Mística, tinha a habilidade de alterar sua forma física da forma que quiser. Para se salvar da multidão tranformou-se em um aldeão e numa atitude desesperada atirou seu próprio filho no rio. Por milagre a pobre criança sobreviveu. Logo, a cigana Margali Szardos encontra o bebê na beira do rio, que não se importou com a aparência da pobre criança e logo o adotou como filho e trouxe para sua familia. A família inteira de Margali trabalhava no circo e logo Kurt virou uma estrela circense. Além da aparência demoniaca, Kurt era muito agil, podia ficar invisível no escuro e se teletransportar à pequenas distâncias deixando um cheiro de enxofre. Mas seu estrelato não durou muito tempo. Com o passar do tempo, o vilarejo onde Kurt morava começou a pensar que o jovem era o próprio Diabo e tentou linchá-lo. Então seu irmão adotivo, Stefan, que estava dominado pela inveja por sempre achar que Kurt teria tomado o lugar dele na familia também tentou matá-lo. Kurt, ao se defender acabou atingindo gravemente seu irmão que faleceu. Foi nesse momento que Charles Xavier apareceu, salvando Kurt e recrutando-o como mais um X-Man. Assim Kurt Wagner passou a ser o herói conhecido como Noturno. Sua origem foi contada em uma série especial produzida pela Marvel e lançada pela Editora Abril em 1999 - “ Origens dos Super-Heróis Marvel” que apresentava além do Noturno, a origem de heróis como Tempestade e Demolidor. Uma curiosidade: a arte da história do Noturno publicada nessa edição especial ficou por conta do artista brasileiro Marcelo Campos.


Nas Trilhas do Rock ROLLING STONES NA MARVEL? Talvez um fato não muito lembrado pelos fãs de quadrinhos, mas em 1994 a Marvel Comics lançou o selo Marvel Music e publicou uma série de hq’s com ilustrações tendo como tema músicos e bandas que deixam até hoje seu rastro na história da música. A primeira hq publicada foi “Tale Of The Tuff Gong”, lançada em uma série de três edições que contava histórias baseadas na vida de Bob Marley. Logo depois lançaram também uma série baseada no álbum de Alice Cooper - The Last Temptation. Em 1995 é lançada Voodoo Lounge, apresentando ilustrações para o álbum de mesmo nome de uma das maiores bandas de rock do mundo, os Rolling Stones. O roteiro e as ilustrações ficaram a cargo de Dave McKean, um célebre desenhista e ilustrador inglês, além de cineasta e músico. Seu trabalho incorpora desenho, pintura, fotografia, colagem digital e escultura. Entre seus trabalhos, estão as capas da quadrinhos Sandman, Orquídea Negra, Coraline (livro) e muitos outros, além de ilustrar capas de CDs e de livros. O álbum lançado pela banda conta com 15 canções, mas no livro Dave usou 7 músicas para produzir a obra. Com o lançamento desse diisco, na época, os Rolling Stones provaram que tinham muito a acrescentar na história do rock&roll, retomando os melhores momentos de sua longa carreira - um álbum de grande personalidade. Essa mesma obra foi lançada aqui no Brasil importada pela Editora Abril. Dados técnicos: 48 páginas, formato prestígio (17cm x 26cm), com capa resistente, lombada na lateral e papel especial


O legado de Carl Barks Por: Wellington Araujo

Nascido na pequena cidade de Merrill, no estado de Oregon no dia 27 de Março de 1901, Carl Barks logo cedo começou a trabalhar na fazenda do pai. Em 1916, após a morte da mãe, decidiu parar os estudos por sofrer de problemas auditivos e passou a se dedicar integralmente ao trabalho ajudando na pequena renda que seu pai ganhava com o cultivo na fazenda. Passou a trocar de trabalho constantemente como fazendeiro, lenhador e vaqueiro. Sempre foi um rapaz tímido e sem amigos, a única diversão desde criança era desenhar. Começou copiando grandes desenhistas e aos poucos foi aperfeiçoando seu próprio estilo. Cansado do serviço nas fazendas, com o passar dos anos resolveu tentar transformar seu hobbie em uma fonte de renda. Conseguiu emprego na editora Pacific Fruit Express, onde por cinco anos desenhou charges e ilustrações esporádicas para a revista Calgary Eye-Opener. A CARREIRA NA DISNEY Em 1935 sua vida começou a mudar. Foi contratado como animador na Disney, e ficou responsável por desenhos e roteiros do Pato Donald. Também chegou a trabalhar em algumas sequências do filme Bambi. Em 1942, colaborou com desenhos para a história em quadrinhos ”Donald Duck Finds Pirate Gold” (no Brasil, foi

publicada como: O Tesouro do Pirata). Em novembro daquele ano Barks saiu da disney e passou a se dedicar exclusivamente às histórias em quadrinhos na editora Western Publishing, que na época editava as histórias do Pato Donald. Quando fez alterações em um roteiro que havia recebido para apenas desenhar, os editores gostaram tanto que passaram a deixá-lo também roteirizar as desventuras do Pato. A partir daí não parou mais e durante 25 anos, Barks deu profundidade ao personagem. Criou toda uma cidade em torno do protagonista e deu a ele parentes de todas as espécies: além dos três sobrinhos, que já existiam nos desenhos, criou o milionário Tio Patinhas, Professor Pardal, Irmãos Metralha, o vizinho rival do Donald, Silva, o primo sortudo Gastão, entre muitos outros. Mas foi com o Tio Patinhas que Barks passou a trabalhar mais. Segundo ele, as histórias do Donald apesar de fáceis de escrever, com o passar dos anos se tornavam repetitivas, pois não havia muito espaço para histórias não cômicas com o personagem. Foi então que pegou o Pato Sovina que havia criado anos antes em 1947 na história: ”Natal nas Montanhas”. Era pra ser apenas uma única aparição, mas Barks passou a “lapidar” o personagem. Deu-lhe um passado ao longo de várias citações nas histórias.


No comando de Barks, Tio patinhas, sempre acompanhado dos sobrinhos de Donald - Huguinho, Zezinho e Luizinho, viajou pelo mundo em aventuras espetaculares, muitos dos locais e histórias retratados, simbolizavam lugares e lendas reais. Uma curiosidade é que Barks jamais chegou a conhecer esses lugares exóticos, já que sempre foi recluso. Ao ser perguntado por um fã, como fazia pra retratar culturas de países que nunca havia visitado com tanta objetividade, ele respondeu que recorria à sua coleção de revistas da National Geographic. Carl Barks faleceu em 25 de Agosto de 2000, deixando uma obra de mais de 500 histórias. RECONHECIMENTO Por um longo período, Barks se manteve anônimo e nem fazia idéia do sucesso que suas histórias faziam. Pois ele trabalhava em casa e mandava os desenhos pelo correio para os escritórios da Western Publishing. Até que um fã o descobriu e todos ficaram sabendo que todas aquelas histórias que tanto gostavam eram feitas por apenas um homem. Foi assim que ele ganhou o apelido que levou por toda a vida: ”O Homem dos Patos”. Em 1994, já com 93 anos e aposentado, Barks embarcou para sua primeira viagem à Europa. Nos 11 países visitados, foi tratado como chefe de estado, com direito a desfile em carro aberto e sessões de autógrafos super concorridas. Muitos criadores desenhistas e até cineastas já se declararam fãs do “Homem dos Patos”. As referências mais famosas à sua obra estão nos filmes do Indiana Jones, do cineasta Steven Spielberg: A cena da fuga da pedra rolante gigante em “ Os Caçadores da Arca Perdida” é quase identica a uma passagem da história ”As Cidades de Ouro” (também publicadas sob o titulo “As Cidades Perdidas de Cibola”) publicada em 1954. Outra cena, a inundação de uma mina em “Indiana Jones e o Templo da Perdição” foi inspirada no roteiro de “As Minas do Rei Toleimon”, de 1958. Outros quadrinhistas se inspiraram na obra do velho mestre, sendo mais significativo o norte-americano keno Don Rosa, considerado por muitos como o sussessor de Barks. Ele deu continuidade a algumas histórias escritas pelo mestre. Além de ter escrito e desenhado a “Saga do Tio Patinhas” onde conta a história do pato, desde sua infãncia na Escócia até seu primeiro encontro com os sobrinhos. Don Rosa realizou uma minunciosa pesquisa às referências ao passado do pato pão-duro contidas nas histórias do Barks. Foi ele também quem organizou a árvore genealógica da familia pato. Em 2004, a Editora Abril começou a publicar a coleção ”O melhor da Disney, as obras completas de Carl Barks”. A coleção acabou recentemente em outubro de 2008, com 41 volumes e todas as histórias (muitas inéditas até então) da obra do mestre Barks publicada em ordem conológica. E covenhamos o homem dos patos merece todas as homenagens!


Coming Soon

A Bela Quem viveu intensamente a década de 80 com certeza lembra do sucesso dos bonecos da linha Comandos em Ação (G.I. JOE). O sucesso dos brinquedos foi tanto que viraram desenho animado e até histórias em quadrinhos. Em meados de 2003 a Hasbro, empresa fabricante dos brinquedos anunciou que estava perto de fechar um contrato para levar os soldados as telonas. Em 2004 a história se confirmou e deu inicio ao processo de negociações, pré-produção e escolha dos atores. Em 2007, a Hasbro se manifestou oficialmente com o seguinte comunicado: “O filme será uma versão moderna do embate entre G.I. Joe e Cobra, com os personagens cativantes que a Hasbro criou há 25 anos. A sede da equipe não será em Bruxelas, e sim no ‘Pit’, como na série em quadrinhos dos anos 80. O filme terá locações e personagens do mundo todo. Duke, o líder dos Comandos, personifica os valores de bravura e heroísmo que a primeira geração de figuras de G.I. Joe estabeleceu.” Nesse mesmo ano a Paramount Pictures anunciou a data de estréia do longa agosto de 2009. Agora, pra quem pensava em ver apenas um monte de “cuecas” com amas até o talo pode comemorar (não considere esse texto maxista). Uma das beldades presentes no filme é a belíssima atriz Karolina Korkova interpretando a modelo e espiã Cover Girl (Oh My God!). Outra beldade, atriz Sienna Miller também estará no filme interpretando A Baronesa. Pra fechar o elenco feminino com chave de ouro está Rachel Nichols como Scarlett. A direção é de Stephen Sommers (Van Helsing). Também estão no elenco os atores Channing Tatum, Byung-hun Lee, Ray Park e Dennis Quaid. Pelo Spot TV lançado à algumas semanas atrás o filme promete muita ação!


A Fera Se pudessemos citar quais são as criaturas mais exploradas em filmes, livros e contos poderiamos citar os vampiros e os lobisomens. A onda dos vampiros têve seu estopim com a obra consagrada de Bran Stoker - Drácula, que depois tornou-se referência para uma vasta obra e publicações voltada para temas vampirescos. Em relação aos Lobisomens, pode-se dizer que a lenda começou a se disseminar e tomar grandes proporções a partir de 1941 com o filme - O Lobisomen. Um clássico do terror antigo. Acompanhando a moda dos remakes, o próximo filme a ganhar uma refilmagem é o próprio clássico. No filme original, o ator Lon Chaney interpreta Larry Talbot, um homem que retorna ao castelo de seu pai (Claude Rains) e conhece uma linda mulher (Evelyn Ankers). Numa noite, Talbot é mordido por um lobisomem e começa a sofrer uma maldição. A refilmagem promete novidades à trama, como personagens inéditos. Além disso conta com atores de peso com Benicio Del Toro, que repetirá o papel de Lon Chaney. O ator Hugo Weaving interpreta o detetive Aberline, a atriz Emily Blunt vive Gwen e o consagrado ator Anthony Hopkins faz o pai. O filme contará com o trabalho de Rick Baker, um dos maiores especialistas em efeitos especiais e maquiagem. A filmagem passou por uns problemas como a saida do diretor Mark Romanek (Retratos de uma obsessão) alegando diferenças criativas, mas foi substituido a tempo pelo competente Joe Johnston (Jurassic Park III, Mar de Fogo). O filme tinha o lançamento agendado para fevereiro desse ano. A nova data mundial de estreia está prevista para 6 de novembro, mas pode sofre. Para os amantes de filme de terror, vale a expectativa para ver a refilmagem de um dos maiores clássicos de terror do cinema que inspirou tantas outras obras.


On TV

Por: Felipe Walker

SUPER CHOQUE O jovem super-herói que coquistou o gosto da garotada e a confiança de heróis consagrados como Batman, Super-Homem e Lanterna Verde

Produzida pela Warner Bros, a animação estreou em 2001 no canal norte-americano The WB. Foi exibida por quatro temporadas, num total de 52 episódios. O desenho conta a história de Virgil Hawkins, um jovem estudante que mora na cidade de Dakota. Virgil perdeu sua mãe quando era um bebê vítima de uma bala perdida em um tumulto na cidade. Sua mãe, Jean Hawkins, era uma dedicada para-médica que morreu enquanto socorria uma pessoa na rua durante uma briga de gangues. Virgil cresceu junto ao pai e a irmã mais velha, sempre bem-humorado e esforçado. Um dia foi exposto acidentalmente a um gás estranho que cobriu parte da cidade. Esse evento ficou conhecido como Big Bang e acabou transformando todos que tiveram contato com o gás em “Meta-Humanos” (humanos com poderes e mutações nunca vistos). Ritchie, o melhor amigo de Virgil é o primeiro a se encontrar com o garoto após o contato com o gás, e assim, descobriram juntos os poderes elétricos de Virgil. Por ser fã de quadrinhos, Ritchie convence Virgil a se tornar um super-herói e começa a ajuda-lo com sua inteligência criando aparelhos para combater o crime. Assim nasce o Super Choque, um herói disposto a combater os crimes causados por diversos “Meta-Humanos”. Poderes: Super Choque tem poderes elétricos, ele pode mover objetos que conduzem eletricidade, ou até matérias com bastante estática, c o m o meias e

roupas. Virgil também possui um planador de vôo que ele controla com descargas elétricas. Posteriormente Ritchie descobre que recebeu um pequeno

poder por ter contato com Virgil logo após o Big Bang - uma inteligência avançada, e com ela virou um ajudante disfarçado do Super Choque usando o codinome Gear. Ele também criou vários acessórios para uso pessoal e para auxiliar o amigo, entre eles: Um Patins a jato para acompanhar o Super Choque; uma “Mochila” usada para diversas situações com diversos equipamentos, radares e sensores para usos diversos, captar sinais e leituras de materiais perigosos até voar e agir independente de seu dono; dois comunicadores tipo “walkie talkies”, um para ele e outro para Virgil; pequenas esferas usadas principalmente para “amarrar” vilões com poderes, etc. O desenho também contou com a aparição de super-heróis conhecidos como a liga da justiça - Lanterna Verde, Batman e outros. Outro ponto forte da animação é a diversidade de personagens. São vários vilões, vários poderes e tramas que sempre acabam fazendo sentido e divertindo quem assiste. É um desenho que também conta histórias de relações e convivência de uma família negra. “Super Choque” não é um grande sucesso nacional e mundial, mas é um personagem original e divertido. Nos Estados Unidos já lançaram DVD’s, toys, game e até books do personagem. Ainda sem previsão de lançamento desses produtos aqui no Brasil. Super Choque era exibido todos os dias no SBT, conforme os episódios foram se repetindo demasiadamente optaram por tirar o desenho do ar, mas acreditamos no breve retorno do desenho na grade de programação da emissora.


Clássico x Atual

Por: Carlos Potter

A PIADA REVOLUCIONÁRIA

O quê faz de uma história em quadrinhos um clássico é basicamente uma história coerente, que utilize dos aspectos mais marcantes dos personagens retratados e envolva o leitor, além de desenhos à altura da história. Levando em conta essas características podemos entender facilmente porque “A Piada Mortal” (The Killing Joke, originalmente) é um dos maiores clássicos do personagem Batman. A narração de Alan Moore é feita com maestria, oscilando entre presente e passado sem confundir o leitor, podendo assim relacionar aos poucos a origem do personagem Coringa com sua personalidade insana. Por falar em personalidade, a loucura, o humor negro e a crueldade do personagem estão presentes em peso na história, assim como os valores, a habilidade e o senso de justiça do Vigilante de Gotham, sem que ocorra, em nenhum momento, a descaracterização dos personagens muito famosos no mundo das HQs. Os desenhos de Brian Bolland são muito bons, não chegam a ser os melhores já vistos, porém cumprem muito bem com a proposta da narração, mantendo o aspecto sombrio comum em todas as histórias do Cavaleiro das Trevas, que foi acentuado em A Piada Mortal. Para aqueles que estiverem buscando ler uma ótima história que não se prolonga por muitas páginas, e nem por isso deixa a desejar em seu enredo, acompanhada por ótimos desenhos, “ A Piada Mortal” é, com certeza, uma das melhores opções.

Ano de lançamento: 1988

O GROTESCO

Nessa saga, o vigilante de Gotham depara-se com um novo mascarado intitulado como Grotesko. A intenção deste novo vigilante é acabar com o crime em Gotham, não importando os meios utilizados para conseguir isto. A revista mostra a história de Amina Franklin e seu irmão Wayne Franklin, um cientista que antes de morrer, criou um aparelho chamado Ciberurgião. Batman acha indícios que levam a crer que o irmão de Amina seria na verdade o misterioso Grotesko. A HQ mostra todo um percurso de eventos terríveis que levaram Grotesko ao estado atual, uma monstruosidade assassina em uma trama de mistério e assassinato sombria. Escrito por John Ostrander, o roteiro utiliza-se de um argumento um pouco massante nas hq’s, o velho confronto entre Batman e um outro vigilante que faz justiça a qualquer preço. É uma história de fácil compreensão, o que pode não agradar os leitores mais “cult” . A arte fica por conta do desenhista Tom Mandrake, que tem um estilo próprio bem desenvolvido. É uma boa história mas está bem longe de se tornar um fato marcante das hq’s. Trata-se de mais uma história efêmera de Batman.

Ano de lançamento: 2008


Quando o assunto é se meter nas maiores roubadas essa turma se supera! São azarados, famintos, e alguns atrapalhados. Podemos afirmar que definitivamente eles nasceram para sofrer. Alguns tem a fama de vilão e mesmo assim são os personagens preferidos de muita gente. Separamos algumas criaturas que até hoje são “injustiçados” pelos roteiristas e motivos de muitas risadas para os fãs de quadrinhos e desenho animado.

Coyote O o faminto Coyote sonha em capturar o Papaléguas. Seus meios? Vive encomendando produtos ACME, uma empresa fictícia que fabrica todos os tipos de armadilhas que você possa imaginar. O Papa-léguas, com o seu “bip-bip” consegue escapar sem esforços das tramas do Coyote. Para o azar do caçador, sua presa sempre escapa ileso de todas as artimanhas e o pior, o próprio feitiço vira contra o feiticeiro! O coyiote sempre acaba pego por sua própria armadilha. Em todos os episódios, o predador sempre acaba frustrado...e com fome.

Tom

Tom pode ser o considerado o personagem que mais sai no prejuizo nas histórias dos desenhos animados. Nos inúmeros episódios da série, ele já apanhou até do tio do Jerry, um ratinho valentão que colocou o bixano na linha. Já levou panelada na cabeça, e várias sapecadas do Spike, um buldog que só era amistoso com seu pequeno filhote. Sempre usou diversas armadilhas e truques (bombas, ratoeiras, etc) com o objetivo de capturar o esperto ratinho Jerry. Mas que no final nuncadavam certo.


Pato Donald Donald também já passou por poucas e boas. Um pato extremamente genioso e temperamental, o que faz dele o pato mais engraçado da Disney. Já foi vitima de um exército de abelhas na tentativa de extrair mel de uma coméia. Também sofreu bastante nas mãos dos esquilinhos Tico e Teco. E não para por ai, o trigêmios Huguinho, zézinho e Luisinho também já deixaram Donald com os nervos a flor da pele.

Patolino O Patolino quase sempre apareceu nos desenhos como adversário do Pernalonga. Além disso, sempre foi inconformado pois tudo dava certo para o coelho, menos para ele. Sempre levava a pior contra seu “rival” em diversas situações. Além do Pernalonga, o veloz ratinho Ligeirinho também aprontou bastante para o pato.

Scrat Esse esquilinho consquistou o mundo com suas consagradas aparições na animação “A Era do Gelo”. Seu objetivo sempre foi um só : capturar seu alimento preferido. Por uma única noz ele é capaz de fazer qualquer coisa. Já sofreu quedas de penhascos gigantes, quase foi comido por aves, enfrentou piranhas e até ficou entre a vida e a morte de frente com um dinossauro feroz. Scrat tem coração brasileiro, não desiste nunca!

Frajola Graças a ele o Piu-Piu (Tweety) ganhou aquela famosa frase: “Eu acho que vi um gatinho”. O probre Frajola, que além de sofrer um problema de dicção que o faz falar cuspindo, sempre toma o prejuizo quando o assunto é tentar degustar o Piu-Piu. Vive perseguindo o passarinho e também o ratinho mexicano Ligeirinho. Sempre foi estabanado para caçar, já caiu de prédio, apanhou de cachorro e prova que realmente gato tem sete vidas.


Corria o ano de 1987 quando estrearam na seção de quadrinhos do jornal O Globo as tiras do Leão Negro, abrindo as portas de um fantástico mundo medieval habitado por felinos guerreiros. Seus criadores, Cynthia Carvalho e Ofeliano de Almeida, conquistaram público e crítica, estabelecendo um modelo a ser seguido no quesito quadrinhos profissionais e de qualidade internacional. Ao longo das duas décadas seguintes, o Leão Negro invadiu as páginas de revistas e álbuns distribuídos no Brasil e no exterior, somando mais de 200 mil exemplares publicados, incluindo um álbum pela editora portuguesa Meribérica, que levou o personagem para a Europa, África e Estados Unidos. Mais que meros felinos, os personagens de Leão Negro são muito humanos, travam batalhas, brigam entre si, se apaixonam, sentem ciúmes. Suas aventuras ganham vida através dos elegantes traços de Daniel Campos em ilustrações em preto e branco com tons de cinza. O universo de Leão Negro, embora parecido com o nosso, não possui exatamente as mesmas regras e valores morais. Livre das limitações de uma tira publicada em jornal, Cynthia agora pode finalmente dar asas à imaginação para narrar uma história que mexe com nossos tabus e crenças. Porém, como ela mesma ressalta que o único compromisso do Leão é entreter, jamais dar lições!


A


Os Mortos Vivos é uma publicação lançada em 2003. A história foi criada e escrita por Robert Kirkman e conta a história de um grupo de pessoas tentando sobreviver em um mundo aonde a maioria se tornou Zumbis. Muito mais que uma simples série de terror. Os Mortos-Vivos fornece ao leitor uma verdadeira reflexão sobre aquilo que nos torna humanos. Na pele de Rick e seus companheiros, descobrimos até onde iríamos para sobreviver, caso vivêssemos em uma realidade onde os zumbis tomaram conta de tudo. Sucesso de público e crítica, a série é ganhadora do prestigiado Prêmio Eagle, foi indicada ao Eisner – o Oscar dos quadrinhos – e premiada em nosso país com o troféu HQMix de melhor álbum de terror com Dias Passados, o primeiro volume da série.


A


Túnel do Tempo

Por Wellington Araujo

OS CAÇADORES DE AVENTURA

Revelamos curiosidades sobre o desenho animado de maior sucesso da Disney

No dia 11 de setembro de 1987 era exibido nos EUA o primeiro episódio de um desenho que viraria febre entre as crianças (e adultos): DUCKTALES. Os Roteiristas fizeram a aposta de basear a série no universo da família pato, para mostrar personagens que não apareciam em animações frequentemente. A série segue as aventuras do Tio Patinhas em busca de tesouros e enfrentando adversários em vários locais ao redor do mundo. Tem início com um episódio dividido em 5 partes: ”O tesouro dos Sóis Dourados” (depois compilados em um único filme) com o Donald partindo para servir na marinha e deixando seus três sobrinhos - Huguinho, Zezinho e Luisinho aos cuidados de seu Tio Patinhas. Ao longo dos 100 episódios, vários personagens da galeria dos patos nos quadrinhos fizeram uma aparição na série, casos como o Gastão e o professor Ludovico. Outros foram criados especialmente para a série como o mordomo do Patinhas, Leopoldo e o Engraçadíssimo capitão Bóeing. Os vilões também não ficavam atrás, Maga Patalógika e os incansáveis Irmãos Metralhas e r a m presença frequente

na série. Uma curiosidade é que vários dos episódios eram adaptações fiéis de roteiros escritos por Carl Barks (vide matéria nessa edição) o que era garantia de aventura de qualidade. Após o término da série, em 1990, foi lançado um filme no cinema intitulado “Ducktales, O Tesouro da Lâmpada Perdida” passando inclusive nos cinemas do Brasil. Também foram lançados três jogos de vídeo game da série: Ducktales e ducktales 2, para o nintendo 8-bits e DuckTales: The Quest for Gold para PC’s. No Brasil, como é comum, a série estreiou no ano seguinte no programa da Mara Maravilha no SBT. Ganhou o subtítulo: ”Os Caçadores de Aventura” e foi um sucesso imediato tanto que logo passou a ter um horário só do desenho na programação. Com o sucesso era questão de tempo para que uma

infinidade de produtos com a marca Ducktales invadisse o país. Como jogada de marketing, a Editora Abril dava de brinde na compra do iogurte chambinho uma revista com a quadrinização do episódio ”Pato das Selvas”. Isso fez um tremendo sucesso entre a criançada que se entupia de iogurte só pra ganhar a revistinha. Meses depois, a Editora Abril lançava nas bancas a revista dos Ducktales, com aventuras inéditas, dentre as quais, pode-se destacar a saga em 4 edições: ”Em busca da número 1” onde a Maga consegue finalmente se apoderar da moedinha da sorte do Patinhas. A revista teve 26 edições e durou até 91, mas até hoje é possível encontrar reedições dessas histórias nas revistas Disney. Logo após a ultima edição, foi publicada a mini-série “Ducktales no Brasil: o segredo do tio patinhas” total-


mente escrita e desenhada quadrinhistas brasileiros.

por

Personagens : Tio Patinhas: Personagem central da série, pão duro, é o pato mais rico do mundo e está sempre à procura de tesouros que façam sua fortuna crescer ainda mais; Huguinho,Zezinho e Luisinho: Sobrinhos do Pato Donald. Os Três patinhos escoteiros estão sempre acompanhando o velho patinhas ao redor do mundo. Capitão Bóeing: Criado especialmente para o desenho, o aloprado Capitão é o piloto pessoal do Patinhas. Atrapalhado seu lema é: ”Não existe veículo com o qual eu ainda não tenha caído.” Madame Patilda:“Babá”dos trigêmeos e governanta do Patinhas, foi contratada no episódio 3 para cuidar dos meninos enquanto o Tio Patinhas viajava. Patrícia: Neta de Patilda. Passou a morar com a avó na mansão Patinhas. Leopoldo: Mordomo do patinhas, é ele quem cuida da organização na mansão. Professor Pardal: Inventor que está sempre construindo máquinas e geringonças para ajudar o patinhas mesmo que elas nem sempre funcionem direito. Na segunda fase da série, surgem dois novos personagens: Bubba: Pato pré-histórico encontrado pelo Tio Patinhas durante uma viagem àquela época. Gostou tanto do p ã o duro que passou a acompanhá-lo onde quer que fosse (até de volta ao tempo atual). Está sempre acompanhado de “Dedão” seu dinossauro de estimação e chama o Patinhas de “Pitinhas” Patralhão: Contador con-

tratado pelo Tio Patinhas para fazer o balanço de sua fortuna quando precisava mudar de lugar. Secretamente e quase por acaso, é o pato na armadura do “robô-pato”. Super herói que é uma sátira ao Robocop. A palavra que usa para se transformar é “baboseira”. Donald: É o sobrinho do Patinhas e Tio dos trigêmeos. Aparece em poucos episódios. Asnésio: O gorducho amigo escoteiro dos três patinhos. Os Vilões: Muitas vezes a turma do mal rouba a cena nos episódios, entre perigos místicos, milionários mau caráter e bandidos, destacam-se: Os Irmãos metralhas: Grupo formado por uma família de ladrões que vem tentando roubar a fortuna do Patinhas ao longo dos episódios são os mais frequentes. Maga Patalógika: Feiticeira que é obcecada pela moedinha numero 1 do Tio Patinhas por acreditar que seus poderes multiplicariam se fizesse um amuleto após derreter a moeda.. Pão Duro Mac Money: Segundo pato mais rico do mundo. Está sempre tentando vencer o Patinhas e tomar o posto de mais rico. sempre usando de trapaças para tal.

Os irmãos Metralha

DVD com o filme que foi exibido nos cinemas - ainda pode ser encontrado disponível para venda.

Um dos games lançados - versão para gameboy

A caixa forte do tio Patinhas


Animacomics

Esse ano a Pixar, que em 2006 foi foi comprada pela Disney por US$ 7,4 bilhões lança o décimo longa metragem de sua história. Depois do sucesso de seu primeiro filme - Toy Story, a companhia vem injetando altas doses de criatividade no mercado da animação com outras grandes obras como Vida de Inseto, Os Incríveis e o premiado e aclamado pela crítica Wall-E. Agora, a sua próxima empreitada é a animação Up - Altas Aventuras, que conta a história de Carl Fredricksen, um senhor de 78 anos, vendedor de bexigas que finalmente realiza o sonho de sua vida amarrando milhares de bexigas à sua casa com o objetivo de voar pelo céu até as florestas da América do Sul. Tudo parecia perfeito até ele descobrir que não está sozinho. A bordo da viagem está o pequeno escoteiro Russell de apenas 8 anos. Para garantir o sucesso da animação, a Pixar contou com os diretores Pete Docter (Monstros S.A.) e Bob Peterson, desenhista dos dois Toy Story e co-roteirista de Procurando Nemo. Para orgulho da Pixar, a organização do Festival de Cannes anunciou que Up será o longametragem de abertura da edição deste ano, que começa dia 13 de maio (duas semanas antes da estreia de Up no circuito dos EUA). O motivo especial é que Up será a primeira animação a abrir o festival. O filme terá sua estréia no inicio de maio nos Estados Unidos. Em nossos cinemas a estréia está prevista para 4 de setembro. Com os trailers lançados na internet, a animação conseguiu gerar bastante expectativa no público e na crítica. Up promete ser mais um dos grandes sucesso da Pixar e um forte concorrente ao Oscar. Lembrando que esse ano a Disney e a Pixar Animation levou o oscar de melhor animação com o simpático robozinho Wall-E.

Up -Alt

A viagem nada con


tas Aventuras

nvencional de um vendedor de bexigas


Por: Ricardo Pereira

Em meio ao estrondoso sucesso de Batman – O Cavaleiro das Trevas, surgiram milhares de mathomemmorcego e sobre seu nêmesis. Aqui, porém, faremos diferente. Nada de mais material contando novamente a origem do Coringa. Ao invés disso, um pequeno dossiê contendo os maiores crimes cometidos pelo Coringa nos quadrinhos, que lhe renderam o título de maior vilão das hq's.


AMorte de Alexandre Luthor Alexander Luthor, em uma das realidades paralelas, era o herói de seu mundo, um mundo onde os vilões eram aqueles que nós consideramos os heróis. Porém, Luthor acabou se tornando um dos principais antagonistas da Crise Infinita, e organizou uma espécie de liga de vilões para combater os heróis de nossa realidade. Ele, no entanto, não permite a entrada do Coringa em seu ‘’clubinho’’. Até aí tudo bem. Porém, os vilões fracassam, e Luthor passa a morar em um beco de Gotham, onde começa a fazer novos planos para encontrar a ‘’Terra perfeita’’. Contudo, seus planos são interrompidos por Lex Luthor, o da nossa realidade, que leva consigo...O Coringa! Alexander tenta inutilmente se defender, mas o Coringa acaba matando-o com um balaço na testa. O motivo? Vocês sabem, ele não aceita um não como resposta!

O Aleijamento de Barbara Gordon Na clássica A Piada Mortal, o Coringa cria uma teoria, de que qualquer homem, por mais correto e normal que seja, com um dia muito ruim, poderia ficar completamente insano. Além do mais, para ele, exemplos vivos disso seriam ele próprio e o Batman. Ele decide então colocar essa teoria em prática, com o homem mais correto que ele conhecia: o Comissário Gordon. Pra começar, ele invade a casa de Jim e com o maior sangue frio possível, alveja Barbara, retira sua roupa e aparentemente, a estupra, enquanto tira fotos de tudo. Seus capangas levam o comissário a um velho parque de diversões e...bom, se quiser saber mais, leia a HQ! Em relação a Barbara, depois desse crime, ela obviamente teve que abandonar a carreira de Batgirl. Continua paralítica até hoje, mas age como Oráculo, uma hacker profissional que eventualmente ajuda Bruce Wayne.

Nome: Crise Infinita Editora: DC Ano de Lançamento: 2006

Nome: Batman - A Piada Mortal Editora: DC Ano de Lançamento: 1988


A morte de Sarah Essen-Gordon Sarah Essen foi criada por Frank Miller e Dave Mazzucchelli na história Batman: Ano Um, de 1986. Surgia como um interesse amoroso para o então capitão James Gordon, que no entanto era casado. Muitos anos depois, com Gordo separado, Sarah voltou e os dois acabaram se casando. Porém, o Coringa colocou um fim na relação, assassinando Essen. A história ocorre durante a mega-saga Terra de Ninguém. Bruce Wayne, Gordon e sua esposa estavam quase obtendo sucesso em finalmente recuperara cidade depois do terremoto que a atingiu, mas antes havia um último problema: o Coringa. Ele joga uma criança, mas Sarah consegue agarrála; porém, para evitar que ela vazasse sua localização, o Coringa a mata enquanto ela está com os braços ocupados, segurando o bebê. Logo depois, o Comissário Gordon atira na perna do Coringa como represália, e o palhaço consegue apenas rir da situação – para ele, uma piada, já que o Coringa tinha anos antes aleijado a filha de Gordon, Barbara (veremos isso a seguir). Porém, felizmente para o Coringa, ele acabou não ficando paralítico com esse ferimento.

Nome: Batman - O Cavaleiro das Trevas Editora: DC Ano de Lançamento: 1987

Nome: Batman - Terra de Ninguém Editora: DC Ano de Lançamento: 1999


O Massacre do Estúdio de TV Essa se passa na história O Cavaleiro das Trevas (o quadrinho, não o filme). O Coringa tinha passado 10 anos em estado catatônico, devido à aposentadoria do Batman. Todavia, assim que soube do retorno do Homem-Morcego, o palhaço voltou ao normal, de forma surpreendente. A partir daí, o Coringa de forma muito hábil age como se estivesse totalmente curado de sua insanidade, sendo aprovado em todos os testes psicológicos. Para provar que ele estava curado, seus psiquiatras agendam uma entrevista dele em um dos maiores programas de televisão. O tal programa contava com uma platéia de mais de duzentas pessoas, ansiosas para presenciar a recuperação daquele que fora o maior pesadelo de Gotham por décadas. Porém, foi aí que o Coringa realizou um de seus planos mais bem elaborados: no meio da entrevista, um boneco invade o estúdio, e despeja o gás letal do Coringa sobre a platéia, os psiquiatras e o apresentador, sendo que tudo estava sendo transmitido em rede nacional. Em meio a centenas de corpos inertes, o palhaço do crime partiu para aquele que seria seu derradeiro confronto com o Cavaleiro das Trevas.

A morte de Jason Todd Esse foi, discutivelmente, o maior crime do Coringa. Por aqui já foi republicada várias vezes, sob o título de Morte em família. Jason foi o segundo Robin, o mais rebelde de todos e que sempre contestava as ordens de Bruce. Em certa ocasião, ele descobriu pistas de sua mãe no Oriente Médio, e parte pra lá com Bruce. Depois de encontros e desencontros, Robin encontra a mulher, mas descobre que ela estava trabalhando com o Coringa. Ao perceber o menino-mala no galpão, o Coringa, munido de um pé de cabra, espanca sem dó o garoto, desfigurando sua face e quebrando ossos. Não o bastante, ele prende o garoto e sua mãe no galpão e planta uma bomba, programa da para explodir em pouco tempo. Jason consegue se libertar, mas a bomba explode antes que ele pudesse desprogramá-la, matando ele e sua mãe na explosão. Batman chega ao local algum tempo depois. Essa morte marcou profundamente a carreira de Bruce Wayne, sendo constantemente lembrada em várias histórias clássicas. Um detalhe interessante é que o destino de Robin foi Nome: Batman decidido pelos leitores, por meio de ligações no melhor estilo - A Morte de ‘’eliminação do BBB’’. Milhares de ligações foram feitas, e por Robin Editora: DC uma diferença pequena foi decidida a morte de Jason. Mais Ano de Lançainteressante ainda é que depois descobriram que houve mento: 1980 fraude nas eleições, favorecendo o pessoal que queria a morte do menino-mala. Enfim, c’est la vie. É por essas e muitas outros que o coringa é, definitivamente, o maior vilão dos quadrinhos. Todas as histórias acima são altamente recomendadas.


Variedades

Agora a mania é “pokear”! O Orkut tem se tornado praticamente um vicio principalmente entre os jovens dessa geração. O Brasil , junto com a India é o país que mais frequenta a rede social, são cerca de 23 milhões de usuários cadastrados. Com o passar do tempo, o Orkut começou a criar vários aplicativos para maior interação entre os usuários, entre eles, o Buddy Poke é o que mais tem feito sucesso atualemente. Com esse aplicativo, o usuário cria um(a) “boneco(a)”, em formato 3D com suas características físicas, como a cor da pele, o cabelo, a boca, os olhos o bigode,etc. O que mais instiga os usuários é a possibilidade de interagir por meio dos “Pokes” com seus amigos, permitindo dar beijos, abraços, paquerar, imitar, curtir um som, tocar guitarra, dar bronca, chutes, socos, mandar flores entre outros. Alguns usuários do orkut consideram o aplicativo com uma aparência meio “gay”. Po serem supostamente “fofos”. Resolvemos perguntar para orkuteiros de plantão suas opiniões sobre os bonecos fofuxos do orkut: “ Acho que é um meio de entretenimento legal para as pessoas. Todo mundo gosta de ter avatares animados. Na internet parece que todo mundo gosta de ter uma segunda vida. Eu por exemplo, vivo mudando a cor do cabelo do meu poke, na verdade eu queria fazer isso n vida real mas eu ia ferrar meu cabelo se fika descolorindo todo dia.” afirma o usuário Danilo Velez. Já para o usuário Gabril Silveira - “O

buddypoke foi um dos aplicativos para orkut mais populares. O crescimento foi instantâneo e todos começaram a “pokear” uns aos outros. Mandando mensagens, gestos e indicando emoções. Nada mais é do que uma espécie de cartão virtual acoplado no orkut, é legal, mas não tem muita utilidade. Para a orkuteira Rosana Santos, “ Eu adoro brincar com aqueles bonecos, algumas vezes perco horas no computador só pra mudar a aparência. Se tornou meio que um hobbie, e eu adoro”. A verdade é que a moda pegou. Em 2008 o orkut lançou uma nova versão possibilitando mais interações como passear de moto, por exemplo. Em época comemorativas como o Natal e o Carnaval também ganharam animações especiais. Algumas são até engraçadas, como a dança do zumbi, que lembra bastante a coreografia do clipe Thriller do astro pop Michael Jackson. Outra interação bem divertida são as lutas com robôs. Legal para alguns e inútil para outros, esse quem vos escreve achou uma interessante utilidade para esse aplicativo. Como um bom curioso, resolvi criar versões de alguns heróis famosos utilizando tal ferramenta. Tentei chegar o mais próximo possível, mas ainda faltou um pouco de recursos para deixar os personagens idênticos. Fica ai uma boa sugestão para o orkut. Caso alguém ai conseguir produzir versões melhores que a minha (o que não acho difícil) pode mandar pra redação. Agora como vocês a versão em Buddy Poke do Wolverine, Demolifor, Homem-Aranha!


oonon nononono nononononoon nononnononon nononononoonnonn ononononononononno nonononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononononono nonononononononononononononononononon

nononononoon nononononononoononnon noonononononnoonononono noonononononononononononn onononononononononononon ononononononnoonononononn ononononononononononononon oonnonoonononnoonononnoononon onononononononononononononon onononnononoononnonononono onononononononononononono onononononononononononono onononononononon-

noonnoononnoonnoonnonnonoonnoononnoonnoonnonnonoonnoononnoonnoonnonnonoonnoononnoonnoonnonnonoonnoononnoonnoonnonnonoonnoononnoonnoonnonnonoonnoononnoonnoonnonnonoonn

nononononoon nononononononoononnon noonononononnoonononono noonononononononononononn onononononononononononon ononononononnoonononononn ononononononononononononon oonnonoonononnoonononnoononon


Especial

Por: Leonardo Di Sessa Junior

SUPER-HERÓIS NÃO Criada pelo roteirista Alan Moore e pelo desenhista Dave Gibbons, a minissérie Watchmen estourou no mundo em 1986, logo sendo considerada um marco dos quadrinhos por apresentar um mundo realista em suas páginas. Um detalhe importante - Wachmen não foi uma idéia 100% original. A DC Comics, editora original da obra, havia adquirido há algum tempo os super-heróis de outra editora, a Charlton. Moore se interessou em usá-los para constituir Watchmen. Porém, Dick Giordano, ex-editor da

Charlton, agora na DC, tinha planos para lançar uma revisa semanal com os heróis, o que impossibilitou a participação desses na obra de Moore, que então criou novos heróis, ainda que totalmente inspirados nos personagens da Charlton. Ironicamente, Comics Calvacade Weekly, o projeto de revista semanal, nunca saiu do papel, e os personagens da Charlton perderam em vão sua chance de se tornarem marcos. Talvez esse percalço tenha sido até melhor, afinal, sem super-heróis já estabelecidos, Moore teve a


O TÃO DIFERENTES chance de construir um mundo mais complexo. Em Watchmen, vigilantes uniformizados existem desde o fim da década de 30, mas nenhum deles tem super-poderes, embora alguns usem apetrechos cientificamente avançados. O primeiro e único a apresentar habilidades sobre-humanas foi o Dr. Manhattan. A partir de seu surgimento, o mundo muda drasticamente. Com os poderes quase onipotentes de Manhattan, os Estados Unidos ganharam a Guerra do Vietnã; Richard Nixon ainda é o presidente dos EUA em 1986; e

a Guerra Fria é mais perigosa do que nunca. Muito antes da Guerra Civil da Marvel Comics, Watchmen já apresentava uma lei restringindo a ação de vigilantes uniformizados. O pontapé inicial da trama é o assassinato de um dos mais antigos heróis. A investigação que se segue apresenta o leitor a todos os personagens, usando e abusando de flashbacks para montar um mundo complexo, cheio de intrigas e personagens ambíguos. Mas quem são os astros de Watchmen?


Rorschach, nos cinemas vivido por Jackie Earle Haley, é o personagem mais conhecido. Brutal vigilante, é inspirado no detetive sem rosto da Charlton, o Questão. Leva o nome do famoso teste psicológico que literalmente estampa em sua face. O Coruja é quem mais se assemelha ao seu correspondente na Charlton, o Besouro Azul. Assim como o Besouro da Charlton, teve duas versões, e usa uma nave especial. Nos cinemas, Stephen McHattie é o Coruja original, enquanto Patrick Wilson vive o segundo. Outra personagem que tem duas versões é Espectral, inspirada em Sombra da Noite, embora bem diferente dela, já que Sombra da Noite teve apenas uma versão com poderes, e a identidade de Espectral foi adotada por duas pessoas, ambas sem poderes. As Espectrais são mãe e filha, interpretadas no filme por Carla Gugino e Malin Akerman, respectivamente. O todo poderoso Dr. Manhattan, vivido pelo ator Billy Crudup, ganha seus poderes em um acidente de laboratório. É baseado no Capitão Átomo, que hoje em dia é o vilão Monarca.Graças a sua origem atômica, foi batizado em homenagem ao Projeto Manhattan, onde foi criada a Bomba Atômica. O psicótico Comediante é baseado no Pacificador, herói que teve problemas mentais que só aumentavam sua violência. Interpretado por Jeffrey Dean Morgan, ele trabalha para o governo, fazendo seu trabalho s u j o . Ozymand i a s , base-

ado no pouco conhecido Thunderbolt, é o homem mais inteligente do mundo, usando tal dom não só no combate ao crime, mas também para construir um império financeiro. É interpretado por Matthew Goode. IMPORTÂNCIA DENTRO E FORA DAS TELAS

Quase tudo escrito pelo inglês Alan Moore se torna um clássico instantâneo, mas Watchmen conseguiu ser mais do que isso. Ao lado de Batman: O Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller, a minissérie trouxe um tom na época inovador aos quadrinhos americanos. Embora ainda cheia de elementos fantasiosos, a história era mais calcada no mundo real, sombria e violenta, levando em conta o que poderia acontecer se super-heróis realmente existissem no mundo real. Tal enfoque se tornou quase uma regra a partir de então no mercado americano, infelizmente sem alcançar bons resultados na maioria das vezes, acabando por fazer deste cenário algo desgastado, repetitivo, sem graça. A versão cinematográfica vem sendo ensaiada desde a publicação da HQ, e chega somente agora aos cinemas, depois de disputas entre as gigantes do cinema Fox e Warner, o descaso de Alan Moore (que sempre quer distância de adaptações) e outros problemas. Para conduzir o filme, foi escalado o diretor Zack Snyder, que já havia realizado o impressionante 300, trazendo desta obra o visual avassalador que combina perfeitamente com uma adaptação de HQs. Tendo a complexidade que tem, Watchmen na verdade não cabe num único filme, e por isso mesmo, dois elementos da HQ serão adaptados a parte num DVD. Nos quadrinhos, há uma HQ dentro da HQ, chamada Contos do Cargueiro Negro. O próprio Snyder dirigiu uma animação que conta com Gerard Butler (também de 300) no papel principal. Complementando o DVD, está o documentário Sob o Capuz, cri-


ado como se fosse baseado num livro real, no caso a biografia de Hollis Manson, o primeiro Coruja. Mais tarde, uma versão reunindo todos esses produtos será lançada, conforme Snyder, com uma nova montagem, inserindo a animação na trama principal, tal como na HQ. A obra foi publicada diversas vezes no Brasil. Entre 1988 e 1989, a Editora Abril a lançou em

Rorschach

Coruja

Espectral

Comediante

Ozymandias

seis edições, que logo depois foram encadernadas. Em 1999, a editora reeditou a série em 12 volumes. Entre 2005 e 2006 foi a vez da Via Lettera, desta vez em 4 volumes, fortemente criticados por sua baixa qualidade gráfica baixa Neste ano é a vez da Panini Comics lançar Watchmen em um volume único cheio de luxos.


Grandes Encontros

Encontros da Escuridão

Em outubro de 1999 a editora abril lança no Brasil o encontro entre dois guerreiros das trevas. De um lado, o “frontman” da editora TopCow , Jackie Estacado - The Darkness, que domina o poder das forças trevosas. No universo de The Darkness, Jackie Estacado é um herdeiro da Escuridão: No seu 21º aniversário, tornou-se hospedeiro da Escuridão, uma maldição passada de pai para filho. Um poder que lhe permite acessar uma dimensão infernal e comandar os demónios que lá habitam. Um detalhe, como esse poder é hereditário, o pai morre assim que o poder é transferido para o filho. Orfão e sozinho, seu destino foi determinado pelo sangue que corre em suas veias. Ele detém o poder que lhe permite levar a vingança aos inimigos da única familia que o acolheu - o mafioso clã dos Franchetti. De outro lado, também orfão, o milionario Bruce Wayne jurou combater o crime e vingar a morte de seus pais, assassinados ainda quando era apenas uma criança. Rico e filantropo, se “disfarça” de dia como um playboy despreocupado e a noite assume o manto do morcego tornando-se Batman, usando as trevas para provocar medo nos criminosos de Gothan City. Na trama, o mafioso Frankie Franchetti e Jackie Estacado saem de sua cidade, Nova York e se instalam em Gothan City com o objetivo de montar uma base para suas negociações criminosas. Logo, Batman e o comissário Gordon inicia uma investida para capturar o mafioso Franchetti. Personagens como o Duas-Caras, Mulher Gato e Coringa

fazem pequenas aparições durante o enredo. Um ponto em comum faz com que Batman e The Darkness não travem uma luta insana, trata-se da assistente social Jenny Romano, amiga de Jackie e de Bruce wayne. Na hq, Batman dá boas porradas em Jackie Estacado, que quando se transforma em The Darkness também manda uma boa surra no morcegão, que só não o matou porque Bruce, com sua inteligência, fez seu jogo psicológico afetando os valores morais de Jackie Estacado que chegou até a entregar seu parceiro, o Sr. Franchetti. Um dos pontos altos da hq, são as piadinhas feitas pelos Darklings, as criaturas demoniacas que acompanham The Darkness. Tiradas do tipo “Batman.. nah nah nah nah nah nah...Batman” (música da antiga série de Batman) e “Batman, que orelhas grandes você tem!” (alusão a história da Chapéuzinho Vermelho e o Lobo Mau) são frases que conseguem arrancar boas risadas. O roteiro ficou por conta dos consagrados Scott Lobdell e Jeph Loeb. Os desenhos são do próprio criador de The Darkness - Marc Silvestri com Dave Finch e Clarence Lansang. Para o bom fã de quadrinhos, torna-se uma leitura indispensável com um roteiro muito bem elaborado aliado aos desenhos e ilustrações no melhor estilo Marc Silvestri.

Detalhe: A Panini Comics republicou duas hq’s em 2007 do personagem The Darkness, da Top Cow, mesma série já publicada no Brasil pela Editora Abril e pela Mythos: 1 - The Darkness - Série Clássica (formato americano, 160 páginas), que republica as seis primeiras histórias do personagem. Uma chance dada pela Panini para que o ao leitor tivesse a chance de conhecer melhor o personagem da TopCow. 2 - The Darkness: Ressurreição Sombria (formato americano, 160 páginas), após a trágica morte de sua amada Jenny, assassinada pelo chefão Frankie Franchetti, Jackie se volta contra a família mafiosa na qual foi criado.


A


A

Revista Mundo Comics  

Projeto Revista Mundo Comics

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you