__MAIN_TEXT__

Page 29

na sustentabilidade do negócio como um todo”. Como ficam as relações humanas neste processo? Elas avançam na mesma velocidade? Fronza apontou que as relações humanas irão se fortalecer com estas tecnologias, ate porque serão necessárias mão de obra especializada, o que faz com que as pessoas busquem este aperfeiçoamento profissional e pessoal, evoluindo desta maneira as relações entre elas. “Como exemplo claro dessa situação, basta olharmos o IDH dos municípios que possuem agroindústria e, se possível compararmos este índice antes e depois da implantação desta agroindústria”, disse. Melhoramento genético, bioinformática, pré-produção, agricultura de precisão, equipamentos diversos na produção, comunicação geral e melhorias na logística e transporte na pós-produção são alguns pontos que podemos traçar como pilares desta análise evolutiva. Certamente, são todos pilares para um desenvolvimento de escala de produção, redução de custos, qualidade e sustentabilidade ambiental da atividade, enfim, focados nos interesses dos consumidores desta proteína. Aumento do número de produtores x aumento da demanda por alimentos. Este equilíbrio, sofreu uma alavancagem nos últimos anos, principalmente devido a profissionalização do produtor rural como também o desenvolvimento do produtor como uma empresa rural, o que concedeu um rápido crescimento deste equilíbrio, visto a retenção de novas gerações familiares conduzindo as atividades agropecuárias, e claro a atratividade econômica do agronegócio. É o que explica Eduardo André Fronza. Na primeira matéria divulgada pela Revista do AviSite, em parceria com a Agroceres Multimix, a Dra. Irenilza Nääs, da Unicamp e FACTA, apontou: "O avanço tecnológico, associado à internet das coisas e a uma geração que nasceu com habi-

Melhoramento genético, bioinformática, préprodução, agricultura de precisão, equipamentos diversos na produção, comunicação geral e melhorias na logística e transporte na pósprodução são alguns pontos que podemos traçar como pilares desta análise evolutiva

lidades de compreender o mundo digital com grande facilidade, deverá transformar todas as formas como tomamos decisões hoje." De acordo com Fronza, foram muito bem colocadas as palavras da Dra. Irenilza Nääs. “Estamos convivendo com uma geração que já nasceu com muita habilidade no mundo digital, o que fará com que o desenvolvimento de tecnologias e automações ocorram muito mais rapidamente que quando comparado há algum tempo atrás para ocorrer o mesmo desenvolvimento”, afirmou. “Vejo a avicultura como uma atividade muito dinâmica, o que faz de seus profissionais adotarem um perfil inovador, flexível e criativo, encaminhando a novas tecnologias e adoção das mesmas. A maior dificuldade no que tange a infraestrutura, ainda são os altos custos e as dificuldades em tomar credito financeiro para implantação, que geralmente são investimentos com retorno de médio a longo prazo, mas que são melhorias que impactam no resultado zootécnico e financeiro

de imediato na avicultura, não acompanhando na mesma velocidade de investimentos”, disse. Por ser uma atividade dinâmica, e estar sempre em atualização, a avicultura gerencia uma infinidade de itens de controle, gerando um abundante banco de dados para auxiliar nas tomadas de decisões da atividade. “Atualmente a busca dos dados e a aplicação de sistemas dependem e muito desta nova geração de produtores, que serão mais conectados e dependeram cada vez mais de informações de qualidade para tomada de decisões”, destacou. O produtor está sempre em busca de melhores resultados e baixos custos, desta forma ele está consciente de que necessita de técnicas modernas de produção bem como de analisar os dados de sua produção, buscando assim a melhoria continua. Não obstante, também é consciente que precisa evoluir e investir na atividade, desafios estes que necessitam de apoio financeiro e técnico para a constante evolução da cadeia. Muito já se fez e evoluiu a avicultura nestas últimas décadas, porém pela característica dinâmica da atividade, gerenciamento das atividades e controle de custos, temos muito a desenvolver ainda nestes pilares de tecnologia, nutrição e produção. Já é realidade a avicultura 4.0, com inúmeras informações controladas para a melhor resposta do animal em produtividade. “A nutrição desenvolveu-se muito, e atualmente encara alguns desafios como retirada de promotores de crescimento, alta de custos de matérias primas e desenvolvimento de insumos para atender a nova demanda de mercado por um produto que atenda por completo suprir as necessidades bem como um impacto ambiental cada vez menor. Aliado a este cenário, temos uma população crescente, mais exigente e com melhor acesso a proteínas, o que irá aumentar e muito ainda a produção avícola”, finalizou Fronza. A Revista do AviSite

29

Profile for Mundo Agro Editora

Revista do AviSite - Edição 133  

Revista do AviSite - Edição 133