Page 1

das associações empresariais do Vale do Itapocu Ano 4 | nº 18 Maio e Junho de 2012 R$ 8,90

A força do associativismo Conheça os presidentes eleitos da ACIAS, ACIAC, ACIJS e ACIAG e as principais bandeiras que irão defender ENTREVISTA: Governador Raimundo Colombo fala de ações na região e Estado

GESTÃO: Königs Bier resgata o hábito de apreciar uma boa cerveja 1


Produtos e serviços inovadores, feitos sob medida para você e sua empresa.

Portfólio e equipe especialmente voltados a atender as necessidades das empresas, seja ela pequena, média ou grande.

A Blucredi faz parte do Sicoob. Um sistema com mais de 550 cooperativas que somam 2.000 agências em todo o Brasil, o que faz dela a 6ª maior rede bancária do país e a 2ª maior rede de atendimento em SC. Na Blucredi você encontra os mesmos produtos e serviços de um banco. Mas aqui você é dono do negócio, participa anualmente da distribuição das sobras, tem acesso a taxas e tarifas diferenciadas e um atendimento personalizado. Venha conhecer todas as vantagens que você e a sua empresa têm ao se associar a Blucredi, a cooperativa que é muito melhor que um banco. Cobrança

Cartão Empresarial Cartão Alimentação Plano de Saúde Seguros / Previdência Plano Odontológico Crédito / Capital de Giro Consórcio Sicoob


BREVE EM GUARAMIRIM Rua Norberto Silveira Junior, 191 Centro 3322-1100 | Atendimento: 10h às 16h

JARAGUÁ DO SUL Rua Walter Marquardt, 407 - Vila Nova 3275-3704 | Atendimento: 10h às 16h


editorial

Desafios do Século 21

D

iante de tudo que surge em nosso dia a dia, temos muitos degraus a serem alcançados para ampliarmos nossa melhoria contínua de convivência em sociedade. Deixamos o Século 20 de uma convivência com a inflação para aprendermos a conviver com uma economia estável neste início de Século 21. Somos desafiados a cada instante e, atualmente, essa velocidade aumenta. Portanto, é preciso ser ágil em respostas e ações que somem a um resultado positivo. Ao iniciar a gestão 2012/2013, a ACIAS percebe esses desafios e, com uma forte união da diretoria, associados e comunidade, procura desenvolver ações dentro de um planejamento estratégico que está desencadeando atividades para o bom andamento da entidade e, principalmente, dos associados. Atuando em diversas frentes como o associativismo, gestão de processos, de4

senvolvimento socioeconômico e na busca de uma representatividade maior, nós da ACIAS nos deparamos com carências. Hoje, o Brasil vive um momento de possibilidades. Ao viajarmos pelas diversas federações, percebemos que desejos e vontades são bastante similares aos de nossa região. Todos buscam qualidade de vida, crescimento maior e sustentável, oportunizando às novas gerações algo melhor. Porém, é visível que esses sonhos e desejos não serão atingidos de uma forma rápida e firme se não houver organização das classes. Estar inserido na Região Norte de Santa Catarina nos dá orgulho, pois se compararmos em uma proporção nacional, estamos crescendo muito e essa expansão vem sendo estudada mais pelas lideranças, para que possa atender às expectativas esperadas de forma organizada. Causas desse crescimento em nossa região são percebidas quando necessitamos de mais profissionais para atuar

em nossas organizações e não os temos, quando falamos de rodovias melhores e não as temos, assim como a internet, telefonia e energia elétrica. Nós, empresários, continuaremos a ser desafiados. Precisamos questionar a cada dia como podemos diferenciar nossas empresas, como reter as melhores pessoas em nossas equipes, como buscar o compromisso dessas equipes com nossos clientes, nossa marca, nosso produto, nossos serviços. O que não estamos enxergando e será fundamental para nosso negócio. Dessa forma, precisamos integrar mais nossa região, unindo as diversas classes para que os interesses em comum sejam alcançados. Temos oportunidades claras e devemos aproveitar agora, pois elas não vão durar para sempre. Ivandel Hambus Presidente da ACIAS


5


sumário

18. Reportagem especial A ACIAC, ACIAG, ACIAS e ACIJS promovem o associativismo com ações que beneficiam a classe empresarial. Nesta reportagem, conheça os presidentes de cada entidade e as bandeiras que irão defender.

Conselho Editorial

Beatriz Zimmermann (ACIJS) Jean Carlo Chilomer (ACIAC) Francisco Ricardo Schiochet (ACIAS) Rogério Souza Silva (ACIAG) Ronaldo Corrêa (CEJAS) Danielle Fuchs (Mundi Editora) Edição - Francielle de Oliveira francielle@mundieditora.com.br Textos - Iuri Kindler, Rodrigo Brasil e entidades Fotos - Daniel Zimmermann e divulgação Foto de capa - Daniel Zimmermann Gerente de Arte e Desenvolvimento - Lucas Gonçalves Diagramação - Tiago de Jesus e Adriana Baier

24. Sustentabilidade Para obter produtos de qualidade, a fundição da Metalúrgica Imam produz cerca de 60 toneladas de peças por mês, utilizando como matéria-prima até 100% de sucata gerada por outras empresas. 6

Circulação - circulação@mundieditora.com.br Sugestão de pauta - revistanegocios@mundieditora.com.br Tiragem - 3.000 exemplares Esta é uma publicação das associações empresariais do Vale do Itapocu: Jaraguá do Sul (ACIJS), Corupá (ACIAC), Guaramirim (ACIAG), e Schroeder (ACIAS).Informações no Centro Empresarial de Jaraguá do Sul (CEJAS), na Rua Octaviano Lombardi, 100 – (47) 3275-7000.


12. Entrevista O governador do Estado de Santa Catarina, Raimundo Colombo, avalia o governo e fala sobre as novas diretrizes para o Vale do Itapocu e Estado

expediente

Editora-chefe Danielle Fuchs-Fuchs Editorial Ltda. ME. danielle@mundieditora.com.br Gerente Comercial Eduardo Bellidio eduardo.bellidio@mundieditora.com.br Gerente Comercial Geral Cleomar Debarba debarba@mundieditora.com.br Diretor Executivo Niclas Mund niclas@mundieditora.com.br Rua Almirante Barroso, 712 Vila Nova - Blumenau/SC - CEP. 89.035-401 Telefone: + 55 (47) 3035-5500 mundieditora.com.br facebook.com/mundieditora twitter.com/mundieditora

32. Empreendedorismo Especializada no setor de material elétrico, a Elétrica Neuber vem construindo, há 51 anos, uma história de dedicação e sucesso em Corupá, sempre oferecendo grande variedade de produtos e apresentando novidades ao público. 7


canal aberto

tribuna

Programa Óleo Útil tem resultados surpreendentes A campanha Óleo Útil, lançada pelo Núcleo de Postos de Combustíveis de Jaraguá do Sul, em setembro de 2011, vem alcançando ótimos resultados. A ação começou com nove postos de coleta e a meta é recolher, em um ano, 10 mil litros de óleo de cozinha comestível usado em frituras por donas de casa, restaurantes e lanchonetes. Na plenária de 23 de abril, o coordenador do núcleo, Sérgio Seefeld, mostrou resultados otimistas do programa para a ACIJS. Dados indicaram que com o passar dos meses o número de participantes aumentou, resultando em novos postos de coleta e a quantidade do material recolhido. Até o final de março, houve o recolhimento de 5.706 mil litros de óleo, ultrapassando a meta correspondente de seis meses do programa. O consultor e gestor do projeto, Valmir Antonio Coleto, comemora a adesão. Atualmente, são 41 postos de coleta, sendo 27 destes atribuídos ao núcleo mantenedor do projeto e outros 12 do Núcleo de Gastronomia. Há também uma empresa de plásticos e uma unidade de educação participando da coleta. “Certamente, a grandeza do projeto está ligada à participação dos integrantes. O Núcleo de Gastronomia foi um grande fortalecedor do projeto, pois as cozinhas dessas empresas utilizam muito o óleo que agora tem destino correto”, destaca Coleto. O restaurante e lanchonete da Arweg já fazia a dispensação correta do óleo de cozinha utilizado desde 2004. Agora, como participantes do programa Óleo Útil, a contribuição com os índices é expressiva. São recolhidos, em média, 180 litros do material a cada 15 dias no restaurante e outros 65 litros semanais na lanchonete.

O projeto O Óleo Útil surgiu para comemorar a primeira década do Núcleo de Postos de Combustíveis da ACIJS, criado em 2001. Como meta, está estipulada a coleta de 10 mil litros de óleo de cozinha, que é feita pela parceira RestiÓleo, especializada na destinação desse material. Enviado para Curitiba (PR), o montante de óleo é usado para produção de ração animal, massa de calafetar e biodiesel. A Ong Angusa também tem metas para o Óleo Útil. A entidade parceira está plantando uma árvore para cada 10 litros recolhidos. Entre as intenções de extensão do projeto, está o envolvimento de 18 mil crianças e dois mil professores nas 46 unidades de ensino de Jaraguá do Sul e Guaramirim. O teatro, abordando a temática do cuidado com o meio ambiente, é uma estratégia de incentivar os pequenos estudantes como agentes da mudança da cultura de despejar o óleo de cozinha simplesmente no ralo, sem qualquer cuidado. 8

Não tenho dúvida de que o movimento das micro e pequenas empresas e empreendedores individuais ainda terá muito trabalho pela frente e é importante a participação de todos para que estes números sejam modificados em um futuro próximo” Alessandro Truppel Machado, reconduzido à presidência da Associação das Pequenas Empresas do Vale do Itapocu (Apevi) para o mandato 2012-2013.

A Associação Brasileira das Indústrias de Óleo Vegetal aponta o consumo estimado de 19 litros per capita de óleo por ano. Considerando que 12 litros do volume produzido não são absorvidos pelos alimentos, cerca de sete litros de óleo, por pessoa, são desperdiçados, contaminando o meio ambiente.


em alta X em baixa

Mais saúde para o Vale do Itapocu A Secretaria de Desenvolvimento Regional de Jaraguá do Sul, que abrange cidades da região, aprovou, em março, os projetos que incluem a construção do Centro Cirúrgico, UTI adulto, UTI Coronariana e novos leitos do Hospital e Maternidade Jaraguá, totalizando R$ 3 milhões. O Hospital e Maternidade São José está ampliando o Centro Oncológico. Estão previstos também o novo centro de diagnóstico por imagens e de internações, além de um novo pronto-atendimento. Em Guaramirim, o Hospital Padre Mathias Maria Stein obteve a certidão negativa de débitos pela primeira vez em 30 anos. Outra novidade foi a inauguração do centro cirúrgico da unidade em 28 de março, após quatro anos inativo. Os primeiros procedimentos cirúrgicos da unidade iniciaram em 2 de abril e irão atender ao Sistema Único de Saúde (SUS). Estão previstos, até julho, cerca de 70 procedimentos por mês, acrescidos nos meses posteriores para 100. De 46 leitos, o hospital passará para 54. A Unimed Jaraguá do Sul também fará investimentos na região. O hospital, próprio da instituição, começou a ser construído no Centenário. A primeira fase da obra, com finalização em julho de 2013, contará com pronto-atendimento, centro de imagens e laboratórios. Duas outras fases da obra devem incluir quatro centros cirúrgicos, UTI e leitos de internação.

Envie sua opinião para revistanegocios@mundieditora.com.br

Longas filas Enquanto o atendimento normal está garantido pela Junta Comercial de Santa Catarina (Jucesc) em Jaraguá do Sul, com média diária de 50 processos para a instituição de CNPJ para pessoas físicas, o novo sistema de atendimento da Receita Federal está gerando reclamações. Em março, o atendimento de pessoas jurídicas passou a ser feito somente com agendamento pelo site do órgão, conforme determinação da Delegacia da Receita Federal de Joinville. A intenção é dar mais atenção ao atendimento a pessoas físicas, que estava com problemas. Houve melhoras de um lado, mas problemas por outro. João Batista Nunes, que está no 12º ano à frente da agência, confirma a falta de pessoas na equipe. Para ele, que conta hoje com quatro servidores, o ideal seriam, no mínimo, 10. Consequentemente, mesmo com a vantagem de agendamento pelo site, há demora de até 30 dias para o atendimento gerado pelo pequeno número de servidores. Porém, a decisão de ampliar o quadro de funcionários é da jurisdição de Joinville. Esse pedido já foi solicitado várias vezes, mas sem retorno positivo. Pessoas jurídicas e físicas podem formalizar reclamações na área de ouvidoria do site da Receita Federal. Para Nunes, esses pedidos podem auxiliar a agência de Jaraguá do Sul a conseguir novos servidores.

Mais informações www.tse.jus.br

9


direitos & deveres

Nova regulamentação do teletrabalho O funcionário com carteira assinada que trabalha longe do escritório passa a ter os mesmos direitos dos outros

A

Lei 12.551/2011, sancionada em 15 de dezembro, altera a CLT para incluir o teletrabalho e garantir direitos aos profissionais que fazem trabalho remoto. Empresas terão de criar regras para não pedir tarefas ao funcionário fora da jornada de trabalho, sob o risco de serem questionadas futuramente na Justiça. A lei alterou o artigo sexto da CLT para equiparar os efeitos jurídicos do trabalho exercido por meios telemáticos e informatizados ao exercido por pessoais e diretos. Isso significa que, no Brasil, deixa de haver distinção entre trabalho na empresa, em casa ou à distância. A lei é uma tentativa de acompanhar o avanço da tecnologia e o aumento da preocupação com a qualidade de vida. Agora, oficialmente, não importa mais o local de trabalho, mas se o trabalhador executa a tarefa determinada pela empresa. O funcionário com carteira assinada que trabalha longe do escritório passa a ter os mesmos direitos dos outros, como hora extra, adicional noturno e assistência em caso de acidente de trabalho. O controle das horas e a supervisão do trabalho podem ser feitos por meios eletrônicos. A nova regulamentação vai exigir que as empresas adotem medidas para evitar questionamentos futuros na Justiça. Pela lei, empregados com carteira assinada que não exerçam cargos de confiança e que receberem e-mails, mensagens pelo celular corporativo ou que sejam requisitados por 10

qualquer outro meio para desempenhar tarefas fora da jornada de trabalho poderão ganhar hora extra. A regulamentação do profissional remoto

A lei é uma tentativa de acompanhar o avanço da tecnologia e o aumento da preocupação com a qualidade de vida”

(teletrabalhador) era uma reivindicação antiga, principalmente das empresas do setor de Tecnologia da Informação (TI), onde muitas funções podem ser realizadas em qualquer lugar. De posse de um computador em casa, notebook, tablet ou smartphone com acesso à internet, alguns empregados nem precisam comparecer ao ambiente físico de

trabalho para realizar as tarefas. Muitos profissionais de TI, assim como os que exercem outras funções, carregam o escritório móvel para qualquer lugar e, agora, com as aplicações em cloud computing, podem acessar e-mails corporativos e bases de dados da empresa 24 horas, sete dias da semana. Como a CLT é antiga, a nova lei veio com a proposta de acompanhar o avanço da tecnologia e o aumento da preocupação com a qualidade de vida. Agora não importa mais aonde o empregado está, mas, sim, se a tarefa é realizada. Assim, o funcionário contratado em regime CLT e que trabalha longe do escritório passa a ter os mesmos direitos dos outros, como hora extra, adicional noturno e assistência em caso de acidente de trabalho. Entretanto, a forma de controle das horas e a supervisão do trabalho estão gerando polêmicas no mercado.

Romeo Piazera Júnior Assessor jurídico da ACIAG


11


entrevista

Em busca de um Estado mais eficiente O governador do Estado de Santa Catarina, Raimundo Colombo, fala sobre as ações realizadas no Vale do Itapocu e as novas diretrizes para a região e Estado

G

overnador do Estado de Santa Catarina desde janeiro de 2011, Raimundo Colombo assumiu o desafio de tornar o serviço público mais eficiente, dispensando à população um tratamento humanizado em todas as áreas. Porém, no primeiro ano de governo, enfrentou dificuldades, como a greve do magistério (que recomeçou este ano) e da polícia, a fuga de presos e as enchentes que atingiram o Estado. Em março de 2012, lançou o “Modelo de Gestão Estratégica” com 12

o propósito de aumentar a capacidade de investimento e melhorar a eficiência dos recursos públicos. Em entrevista à Revista Negócios, o governador fala sobre as ações realizadas no Vale do Itapocu, como a construção de unidades habitacionais, posto de saúde em Jaraguá do Sul e o quartel da segunda companhia do 14º Batalhão da Polícia Militar, em Guaramirim, além de outras obras em andamento na área de Educação, o projeto de duplicação da BR-280 e as novas diretrizes para a região e todo o Estado.

Revista Negócios: O senhor enfrentou dificuldades no primeiro ano de mandato, como a greve do magistério e as enchentes que atingiram o Estado. Como avalia o seu governo até agora? Raimundo Colombo: Os desafios são inerentes ao cargo. No mandarim, o mesmo ideograma que significa crise também tem outro significado: oportunidade. No ano passado, tivemos uma redução de 97% nos óbitos com as fortes chuvas, em comparação com 2008. Criamos a Secretaria de Estado da Defesa Civil e a prevenção passou a ser uma política de Estado. Agora, a secretaria está construindo uma infraestrutura que será referência para todos os outros Estados do País. Conseguimos sair da greve do magistério como um dos únicos estados que cumprem o piso nacional dos professores, além de já estarmos cumprindo o aumento de 22,2% deste ano no piso, com ganhos de até 94% em comparação com janeiro de 2011. No ano passado, os professores receberam aumentos de 35% a 74% do salário. Sobre o vencimento inicial, o aumento foi de 95%. Concordo e muito com a valorização dos professores, mas não temos como resolver toda a questão em apenas dois anos. Neste ano, mesmo a lei não exigindo isso, nos comprometemos a repassar o aumento de 22,2% a todos os níveis da carreira. Agora, estamos negociando para que ele seja feito de forma gradual por uma questão de caixa. No Senado, está em votação o Projeto de Resolução 72, que pode reduzir em R$ 1 bilhão a arrecadação do Estado. Em pouco tempo, conseguimos fazer muito. Duplicamos a SC-401 até Canavieiras, fizemos uma terceira pista na SC-405, não paramos nenhuma obra no Estado, aumentamos o número de vagas no sistema prisional e estamos aumentando o


efetivo policial todos os semestres na capacidade máxima de treinamento da Polícia Militar: cerca de 1,4 mil policiais. Também nomeamos, em fevereiro, a maior turma da história da Polícia Civil, 512 novos policiais civis. E esses são apenas alguns exemplos do que fizemos no ano passado. Estamos atendendo as prioridades verdadeiras dos catarinenses. E, este ano, vamos conseguir fazer ainda mais. RN: Desde que assumiu o governo, o que foi feito no Vale do Itapocu? Quais ações estão previstas para a região? Colombo: Finalizamos a construção de 100 unidades habitacionais e de um posto de saúde em Jaraguá do Sul e também concluimos a nova sede do quartel da 2ª companhia do 14º batalhão da Polícia Militar, em Guaramirim, responsável também pelo policiamento das cidades de Massaranduba e Schro-

eder. No total, são 66 policiais militares, dentre os quais 36 em Guaramirim. Mas a maioria das obras estão em andamento para a região. Para a Educação, estão previstas quatro reformas de escolas da região, duas ampliações, a construção de duas novas, uma delas para o ensino profissionalizante, o Cedup de Guaramirim, em um investimento de quase R$ 7 milhões, a revisão elétrica de 11 unidades escolares e a construção de um ginásio. Qualquer busca por desenvolvimento econômico tem que começar sempre pela Educação, porque quem constrói o crescimento são as pessoas. Também estamos avançando nas obras do Centro Multiuso, que vai permitir o aumento no turismo de negócios para a região, o que traz, além de movimento para a rede hoteleira, oportunidades para os empresários. Contratamos o projeto e vamos realizar a duplicação da BR-280 entre Guaramirim e Jaraguá do Sul.

RN: Qual a perspectiva para a duplicação da BR-280? Colombo: Estamos negociando para que toda a duplicação da BR-280 seja realizada pelo Governo Federal como uma compensação para as mudanças do ICMS na importação em transações entre estados, que devem ocorrer se o projeto de resolução 72 do Senado for aprovado. Como a realização da obra é da alçada federal, o responsável por essa obra é o DNIT. Nesse caso, o nosso único papel é cobrar que esta importante obra para Santa Catarina seja realizada com agilidade. Não posso dar prazos sobre algo que não é da minha responsabilidade. Olhe o exemplo da duplicação do trecho Sul da BR-101, que ano após ano tem o prazo de entrega adiado. RN: Em julho de 2011, o senhor assinou um pacote de convênios no valor de R$ 13,3 milhões beneficiando os municípios da região. O Hospital e Orientando 02/12

Deformidades Esqueléticas Faciais Cirurgia Ortognática

É uma cirurgia realizada nos ossos da face, maxila e mandíbula, com a finalidade de corrigir deformidades dento-esqueléticas, congênitas, de desenvolvimento ou adquiridas, que não podem ser corrigidas com o tratamento ortodôntico convencional isolado. O problema pode localizar-se em um único osso (maxilar superior, por exemplo) ou acometer os dois maxilares (deformidade bimaxilar). Quando presentes em adultos podem levar a problemas na articulação Têmporomandibular (ATMs), manifestando-se como dores de cabeça e pescoço, dor à mastigação, dificuldade de deglutição e respiração ( apnéia do sono), estalidos e creptação nos ouvidos, perdas dentárias precoces, entre outros. É notável a grande interferência positiva que este tipo de cirurgia traz ao paciente, sob o aspecto funcional ( respiração e mastigação) e estético interferindo positivamente na autoestima e sociabilidade do indivíduo. Atualmente há um grande crescimento no número de cirurgias realizadas, em comparação à última década. Isto se deve ao aprimoramento das técnicas cirúrgicas e materiais de fixação óssea (placas e parafusos), o que minimiza o desconforto pós-operatório e o tempo de internação, além do procedimento ser coberto por todos os planos de saúde.

Tipos mais comuns de deformidades Faciais

Excesso Maxilar

Deficiência Maxilar

Excesso vertical do Maxilar Superior

Clínica Dr. Martins de Cirurgia Maxilofacial S/S - CLM 643 Respons. Téc:

José C. Martins Jr. Fellow em Cirurgia Maxilofacial pela University Hospital of Basel- Suíça Especialista em Dor Orofacial e Disfunção Têmporomandibular pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP

Cirurgia das Fraturas da Face Deformidades dos Maxilares (Ortognática) Dor Orofacial e Disfunção Têmporomandibular Doenças da Boca e Maxilares Enxertia e Reconstruções Maxilofaciais

Centro Clínico Santa Catarina Sl. 807/808 - Blumenau (47) 3322 4389 / 3035 4350 – crosc 7549

www.martinsjr.com.br

13


entrevista

Maternidade Jaraguá receberam R$ 3 milhões, a segunda maior parcela desse montante, além de mais um repasse financeiro em janeiro. Todo esse valor já foi repassado? Como o senhor avalia a saúde no Vale do Itapocu? Na ocasião, o senhor também anunciou, na presença do então presidente da ACIJS, Durval Marcatto Junior, o repasse de R$ 500 mil para a elaboração do projeto para adequação, duplicação e melhoramentos da rodovia BR-280. Esse montante já foi repassado? Como está a situação? Colombo: Todos esses recursos que me comprometi já foram repassados, inclusive o do projeto para a BR-280, que está em andamento. Com relação à saúde, queremos que cada região tenha uma cidade que seja a referência para os tratamentos de média e alta complexidade, como de permitir que as pequenas cidades tenham um local com uma série de tratamentos especializados de fácil acesso para evitarmos deslocamentos pelo Estado. Sei que ainda temos que avançar para termos um bom atendimento em todas as nossas unidades, mas estamos caminhando ruma a essa meta e confio muito no trabalho do nosso secretário da Saúde, Dalmo Claro de Oliveira. RN: Uma pesquisa apontou que a região Nordeste do Estado, que engloba o Vale do Itapocu, foi considerada a região mais promissora economicamente do Brasil, ultrapassando São Paulo. Ao que o senhor atribui esses dados? Qual sua opinião? Colombo: A pesquisa, na verdade, se refere à região Norte-Nordeste do Estado, que abrange 20 municípios e tem Joinville como polo de desenvolvimento central, ainda mais agora que Joinville está se transformando também em um polo automotivo. Mas Jaraguá do Sul, como a segunda cidade mais populosa dessa grande região, também tem imensas oportunidades nesse potencial de crescimento, principalmente no setor de serviços. Por isso a importância do nosso apoio ao desenvolvimento do pequeno e médio empresário, que pode ser o

14

grande exportador de amanhã. É necessário dar condições, com infraestrutura e financiamento, e esse é nosso compromisso, para permitir que as empresas catarinenses possam crescer. O estudo da consultoria McKinsey, que aponta o Norte-Nordeste de Santa Catarina como a região urbana brasileira com mais de meio milhão de habitantes que mais vai crescer até 2025, vem comprovar esse movimento de desenvolvimento econômico em áreas afastadas das capitais, normalmente já saturadas em infraestrutura. A General Motors do Brasil irá investir R$ 710 milhões para construir uma nova fábrica de transmissões de veículos em Joinville. E também temos a grande possibilidade de a BMW instalar a sua primeira fábrica de toda América Latina no município de Araquari. RN: Que investimentos estão sendo feitos para melhorar a rede de distribuição de energia elétrica no Estado? Colombo: No Estado inteiro, a Celesc vai investir R$ 1,75 bilhão na ampliação, melhoria e capacidade da rede de distribuição estadual de energia elétrica, de acordo com dados do Plano de investimento da Celesc. Esse investimento será realizado até 2015. Nesse mesmo período, estão previstos investimentos da ordem de R$ 46,6 milhões – R$ 32,5 milhões em baixa e média tensão e R$ 14,1 milhões em alta. Entre os investimentos em alta tensão, destacam-se a construção de novas linhas de transmissão,

novas subestações, ampliações das capacidades transformadoras e melhorias em subestações existentes. E a Celesc inaugurou recentemente cinco novas subestações: três delas no Norte, em Garuva, Itapoá e Joinville/Paranaguamirim. Apesar de não estarem especificamente localizadas na região de Jaraguá do Sul, as três ajudam a atender indiretamente todo o sistema das regiões vizinhas. RN: Os advogados do Vale do Itapocu, que prestam assistência judiciária, decidiram pelo descredenciamento do serviço, até que o governador defina a situação referente ao pagamento desses serviços. O senhor já tem uma definição sobre isso? Colombo: De fato, aconteceram alguns poucos descredenciamentos, mas não há um descredenciamento em massa. O Estado vai, logicamente, pagar aquilo que é devido e vai continuar repassando os valores devidos pelos trabalhos da defensoria dativa, modelo que vai continuar funcionando até o ano que vem e tendo os serviços prestados pagos. RN: O senhor considera a criação do programa Juro Zero sua principal conquista para o empresariado catarinense em seu primeiro ano. Que outras ações serão lançadas para apoiar as empresas? Colombo: Conseguimos atingir o montante de R$ 7 milhões em março, totalizando 2.568 microempreendedores inscritos. Depois de cinco meses, o índice


de inadimplência do Juro Zero é mínimo, de 0,86%. De fevereiro para março, aumentamos em 25% o número de tomadores do crédito. Agora vamos para a parte mais substancial do programa, que é a consultoria de gestão e inovação, dada pelo Sebrae, individualmente, a cada tomador dos recursos do Juro Zero. Além do apoio financeiro, os empreendedores vão passar a ter esse apoio operacional que, acredito, vai permitir a melhoria e expansão dos negócios. RN: A política ambiental em Santa Catarina tem criado dificuldades para que investimentos sejam feitos no Estado, como foi o caso do estaleiro de Eike Batista. Qual o caminho para conciliar desenvolvimento econômico e crescimento ambiental? Colombo: Nesse caso, o que emperrou as negociações foi o órgão federal ambiental: o ICMBio. É o mesmo órgão que tem atrasado a liberação da

licença ambiental para a construção do contorno viário da Grande Florianópolis. A Fatma, o órgão estadual de meio ambiente, comandada pelo meu amigo Murilo Flores, tem realizado um traba-

Estamos negociando os inícios das duplicações da BR-470 e BR-280 com o Governo Federal, como uma compensação para as mudanças do ICMS na importação em transações entre estados” lho exemplar ao conciliar agilidade, nas concessões que facilitem o desenvolvimento sustentável de Santa Catarina, e

rigor, com os projetos em que os prejuízos ambientais superam os ganhos. RN: O governo estadual tem conseguido acelerar as obras nas rodovias federais? Colombo: Infelizmente, o único poder estadual nessa questão é a cobrança, que nem sempre gera resultados efetivos. A máquina federal está muito burocratizada, exatamente o que estamos tentando evitar aqui no Estado. Tenho certeza que a bancada pressiona muito por melhorias no nosso Estado, por essas nossas obras imprescindíveis, mas continuamos vendo absurdos como a demora na duplicação da BR-101 Sul. Vamos continuar fazendo nosso papel: cobrando e fiscalizando para que consigamos desenvolver ainda mais o nosso Estado. Também estamos negociando os inícios das duplicações da BR-470 e da BR-280 com o Governo Federal, como uma compensação para as mudanças do ICMS na importação em transações entre estados.

15


Muito mais por você, muito mais por Jaraguá e região A atuação da Unimed Jaraguá do Sul na Área da Saúde do Vale do Itapocu sempre garantiu mais que a satisfação dos clientes. Estar na comunidade, fez com que a Cooperativa criasse um relacionamento muito próximo com toda a população. Presença marcante há 20 anos na região, a Unimed sempre acreditou nas potencialidades locais existentes, seja no setor econômico de destaque ou como um local de referência para se viver. Ser de Jaraguá do Sul é orgulho. Isto fica evidente na consolidação desta proximidade, por meio dos programas sociais realizados. Uma forma de cuidar das crianças, jovens, adultos e idosos que formam esta população.

Sempre mais São diversas atividades realizadas com clientes da Cooperativa e com a comunidade, visando prevenção de doenças e a manutenção da qualidade de vida. O foco destas ações está nas orientações, incluindo cursos, monitoramentos e programas públicos por meio de mídias. O estímulo à prática de esportes e atividades que beneficiem as pessoas para uma vida saudável também estão entre os projetos, podendo ser citadas, como exemplo, as academias ao ar livre e atividades realizadas dentro de empresas e parques. Sem falar na preocupação com quem fará o futuro. O trabalho com crianças e jovens tem sido muito importante para a Unimed Jaraguá do Sul. Seja com o esporte ou em atividades sócio-educativas, o estímulo ao aprendizado é proporcionado dando novas condições para o desenvolvimento humano e a formação dos novos cidadãos.

16

O melhor plano de sáude é viver.


Informe Publicitário Informe Publicitário

Da Unimed para a comunidade Querer fazer sempre mais por quem se quer bem estimou a Cooperativa em um novo projeto com objetivos que atendam as necessidades das pessoas desta região. Lançado no início deste semestre, o Hospital Unimed Jaraguá do Sul vem de encontro com a intenção de proporcionar benefícios para a cidade e a região. “O intuito é aumentar as possiblidades de atendimento. Presamos pela qualidade na hora que um beneficiado da Unimed nos procura e, por isso, a criação do hospital próprio da Cooperativa”, destaca o presidente da Unimed Jaraguá do Sul, German Jimenez. Para o executivo, a qualidade Unimed já está inserida no atendimento realizado em hospitais conveniados da cidade, mas com a ampliação, propõe-se aos beneficiários mais opções e também o aumento de leitos hospitalares para a região. As obras iniciadas em janeiro contemplam três fases. A primeira, que deve ser entregue em julho de 2013, oferecerá para a comunidade um pronto atendimento, laboratório e centro de imagens. Seguindo o padrão Unimed do Brasil, a estrutura integra tecnologia e sustentabilidade. A construção seguirá padrões que evitam agredir o meio ambiente e prezam pela economia

Escritório Unimed Jaraguá do Sul

de recursos naturais. A inovação tecnológica estará presente em aparelhagens e softwares que irão compor o conjunto de equipamentos, tanto para o atendimento quanto para os recursos laboratoriais e diagnósticos por imagem. Em uma segunda fase, a Unimed Jaraguá do Sul construirá o centro cirúrgico e leitos de internação seguindo os parâmetros da primeira fase. Isto será estendido até a terceira fase do empreendimento hospitalar, que terá novos leitos de internação, ampliação do centro cirúrgico e unidade de terapia intensiva (UTI). “A estrutura será exemplar como outros hospitais da Unimed já construídos, tendo administração independente às cooperativas das demais regiões. Será uma unidade própria de Jaraguá do Sul, com gestão feita por nossos próprios colaboradores”, afirma Jimenez. A obra, localizada na rua Germano Wagner, no bairro Centenário, é um investimento com recursos da própria Unimed Jaraguá do Sul, que permitirá o atendimento de quatro mil pacientes por mês. Hoje, a Cooperativa atende 25 mil beneficiários e conta com corpo clínico de 181 médicos cooperados nas mais diversas especialidades.

Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, 1412 - Jaraguá do Sul www.unimed.com.br/jaraguadosul

O segundo melhor é Unimed.

47 2106 2200 17


reportagem especial

Unidos em busca de mais efetividade Os presidentes da ACIAC, ACIAG, ACIAS e ACIJS falam das principais bandeiras que irão defender e da importância da união das entidades para promover ações que beneficiem a classe empresarial

O

associativismo é a força que vem da união, ampliando os horizontes do individualismo. Isso é visto como uma forma de juntar interesses comuns, defendendo os mesmos pontos de vista. A ACIAC, ACIAG, ACIAS e ACIJS promovem o associativismo com ações que favorecem o crescimento e beneficiam a classe empresarial. Cada entidade tem suas bandeiras, mas, muitas vezes, é preciso se

unir para defender os interesses comuns da região e realizar um trabalho mais “forte” em conjunto. Há muitas demandas comuns a serem compartilhadas entre as quatro entidades, mas a principal é a busca da duplicação da BR-280. “Vamos integrar ações comuns e buscar mais efetividade e volume em nossos pleitos”, afirma a presidente da ACIJS, Monika Conrads. Além da duplicação da rodovia, as novas diretorias da ACIJS, ACIAG, ACIAS e ACIAC, empossadas em ja-

neiro e março, vão buscar, juntas, outros interesses da região, como telecomunicações e energia elétrica. “Precisamos nos organizar para, futuramente, não ficarmos na situação em que outras cidades se encontram por falta de planejamento e, hoje, precisam investir em ações para corrigir erros”, destaca o presidente da ACIAS, Ivandel Hambus. Conheça o perfil dos presidentes de cada entidade e as bandeiras que irão defender no mandato 2012-2013.

Carlos Hugo Dequech – presidente da ACIAG O empresário Carlos Hugo Dequech é formado em Administração de Empresas. Atualmente, é diretor Administrativo e Financeiro da Distribuidora de Alimentos Dequech e foi reeleito presidente da ACIAG para o mandato 2012-2013. Já foi presidente do Sindicato Patronal dos Atacadistas e Distribuidores da região Norte e Nordeste (Sincanorte) durante cinco anos. Segundo Dequech, a meta é aumentar o número de associados, hoje com 467 empresas. Para atender essa demanda de crescimento, a estrutura física da entidade passou por grandiosa reforma, contando com ambientes confortáveis, climatizados, aptos a receber as diversas necessidades das empresas associadas e comunidade. Este ano, a proposta é conscientizar os empresários da importância dos debates sobre os problemas em comum, respeitando a diversidade e fomentando a busca de soluções para as empresas.

Confira algumas bandeiras da ACIAG: - Valorização da capacitação da mão de obra: divulgação de grade de treinamentos aos associados e fomento de cursos para o Centro Tecnológico; - Aproximação dos associados através dos Núcleos Setoriais; - Criação do projeto Observatório Social para 2013; - Criação de incubadora das empresas em parceria com as

18

faculdades da região para formação dos associados; - Ampliação da rede municipal de creches; - Incentivos à abertura de MEs e EPPs e para as já existentes no município; - Promoção do comércio de Guaramirim; - Buscar a excelência na gestão da entidade.


Monika Hufenüssler Conrads - presidente da ACIJS Monika é formada em Engenharia Química, com mestrado em Engenharia de Alimentos, e em Economia e Administração de Empresas. Começou a vida profissional em empresas de grande porte em São Paulo. Teve experiência internacional de trabalho e especialização na Alemanha e, em 1991, iniciou como gerente na Duas Rodas Industrial. Depois de 20 anos como gerente, passou a presidir o Conselho de Administração da empresa. Monika também foi presidente da SCAR (Sociedade Cultura Artística) durante seis anos e, atualmente, é vice-presidente do Instituto Femusc, responsável pela organização do Festival de Música de Santa Catarina, o maior evento do gênero Festival-Escola na América Latina. Ela é a segunda mulher a liderar a entidade, pois a irmã Christiane Hufenüssler esteve à frente da ACIJS, entre 2000 e 2002. O objetivo da nova diretoria é contribuir para que a ACIJS continue o belo trabalho que vem sendo realizado ao longo dos anos, mas reconhecendo que sempre é possível fazer mais para o associado. A entidade atua por meio de um planejamento de longo prazo e as diretrizes têm orientado as diretorias com ajustes e inovações na medida em que projetos são consolidados. “Nosso plano é trabalhar ainda mais pela representatividade da região”.

19


reportagem especial

Confira algumas bandeiras da ACIJS: -Mobilidade urbana; -Trânsito: tirar o trânsito pesado do Centro da cidade (anel viário); ampliar ciclovias e otimizar o fluxo de veículos na cidade; -Transporte público: criar alternativas que viabilizem a utilização intensiva do transporte coletivo; -Criação de áreas públicas de lazer; -Implantar projeto Empreendedorismo nas Escolas; -Ampliação da escola integral para o Ensino Fundamental; -Apoio aos hospitais; -Criar procedimentos de gestão pública;

-Melhoria no tempo e nos critérios de análise de projetos emissão de alvarás; -Apoiar as ações na área da segurança pública; -Expansão da capacidade de licenciamento da Fujama (autonomia); -Buscar regularização das empresas em faixa de APP (Estudo da Bacia Hidrográfica - Amvali); -Apoio ao projeto regional de destinação de resíduos sólidos urbanos; -Criar tratativa ambiental diferenciada para Micro e Pequenas Empresas (MPEs); -Fomento ao desenvolvimento turístico no município e região.

Ivandel Hambus- presidente da ACIAS Natural de Rio do Oeste, no Alto Vale do Itajaí, Ivandel Hambus vive em Schroeder há duas décadas. Hambus é pós-graduado em Finanças e Custos e proprietário da Ambos Ltda, Ambos Representações, Portal PCH, sócio da TPA Internet e leciona na Uniasselvi. Ele já participa da diretoria da ACIAS há quatro anos e, agora, assume a presidência. Do cargo para o mandato de dezembro de 2011 a novembro de 2013, Hambus buscará fortalecer o crescimento socioeconômico de Schroeder, além de atrair mais associados, fortalecendo a ACIAS na região. Para o exercício de 2012, uma das grandes ações será a definição e esclarecimento de pleitos a serem encaminhados aos partidos políticos, para que suas propostas de governo estejam alinhadas com a necessidade dos empresários de Schroeder e comunidade. Desta forma, a ACIAS continua integrada às diversas classes em Schroeder. “Ao assumir o desafio de gerir a ACIAS, juntamente com toda a diretoria, sinto-me na responsabilidade de, cada vez mais, fazer o dever de casa perante esta comunidade e microrregião. Vamos procurar, dentro dos princípios do associativismo, desencadear ações para um crescimento econômico sustentável, favorecendo toda a sociedade inserida no contexto, porém, principalmente para nossos associados, que fazem a grande diferença, mostrando força e postura perante o que precisa ser feito”, destaca o presidente.

Confira algumas bandeiras da ACIAS: - Apoio para ampliação do crescimento socioeconômico do município; - Expandir o número de associados; - Realizar a ExpoSchroeder 2013; - Fortalecer o Núcleo do Comércio e o Núcleo de Jovens, que são os pilares para a sustentabilidade; - Baseado em algumas necessidades, desenvolver novos

20

núcleos, organizando, assim, as demandas internas por alternativas de ampliação; - Deixar a ACIAS mais próxima dos associados, procurando conhecer melhor a realidade, elencando projetos para uma ampliação do crescimento mútuo e sustentável; - Dinamizar o Programa ACIAS de Capacitaçãoes (PAC), realizando mais cursos, palestras e eventos de desenvolvimento.


Vilmar Maas- presidente da ACIAC O sócio-proprietário da Domus Móveis, Vilmar Maas, é natural de Jaraguá do Sul, mas reside em Corupá há 23 anos com a esposa Lorines Maas e três filhos. Maas foi presidente do Núcleo Moveleiro da ACIJS por quatro anos, diretor da Indústria de Corupá e vicepresidente da ACIAC na gestão passada. O presidente quer mostrar que a entidade tem vários núcleos de trabalhos e que isso só acrescenta mais benefícios aos associados.

Confira algumas bandeiras da ACIAC: - Trazer o associado para participar dos projetos da ACIAC; - Integrar a escola com a entidade (abrir as empresas para as escolas conhecerem o trabalho realizado por elas); - Ampliação do segundo piso da sede (projeto que já foi lançado);

- 3ª Codornada para angariar fundos; - Expo Corupá 2013 (maior projeto); - Fortalecer os núcleos (Jovens Empreendedores, Meio Ambiente e Comércio); - Este ano será feita a definição de todo o planejamento estratégico.

21


IDEAL PARA QUEM VIVE O PRESENTE. PERFEITO PARA QUEM INVESTE NO FUTURO.

RIVIERA CONCEPT. O PRIMEIRO COMPLEXO MULTIUSO DE SANTA CATARINA. VENHA CONHECER.

22


salas comerciais, hotel e apartamentos. Tudo para valorizar a região e o seu dia a dia. Bem-vindo a um novo conceito de vida. Ambientes de trabalho, lazer, hospedagem, moradia e serviços em um único lugar. Um novo esƟlo de morar inspirado em tendências urbanas mundiais, agora em Santa Catarina. É business. É hotelaria. É home. É qualidade de vida.

INOVAÇÃO EM UM AMBIENTE ESPECIALMENTE PLANEJADO PARA FAZER BONS NEGÓCIOS. OFFICES DE 26 A 560 M2

• Reuso das águas pluviais • 5 elevadores ecológicos, sendo 1 com gerador • Bicicletário com vesƟários e banho • Vagas privaƟvas • Estacionamento com valet • Energia limpa para iluminação nas áreas comuns externas • 2 Salas de reuniões • Controle de acesso informaƟzado e sistema CFTV • Estrutura para ar-condicionado • Fachada de pele de vidro • Medidores individuais de energia • Serviços PAY-PER-USE • Hall de entrada decorado.

Unidades a partir de R$

229.403,00

Mensais a partir de R$

1.937,41

INVESTIR EM HOTELARIA: SEJA DONO DE UM HOTEL QUALITY.

Os números comprovam: o turismo, o comércio e a indústria de Itajaí estão crescendo. Aproveite o bom momento e adquira uma unidade hoteleira com a marca Quality, uma das bandeiras mais renomadas do Brasil.

Unidades a partir de R$

222.713,00

Mensais a partir de R$

1.963,41

HOME STUDIOS MORE NO ENDEREÇO MAIS DESEJADO APARTAMENTOS E DUPLEX DE 42 A 115 M²

Vista privilegiada para o mar • Serviços Pay-Per-Use • Área de lazer incomparáveis

• Reuso de águas pluviais • 5 elevadores ecológicos, sendo 1 com gerador • Bicicletário • Energia limpa nas áreas comuns para iluminação • Vagas privaƟvas • Piscina infanƟl • Piscina adulto • Bar molhado • Bar da piscina • Solarium • Estacionamento com valet • Estrutura para ar-condicionado Ɵpo split • Medidores individuais de gás, energia e água • Praça de fogo com lareira • Quadra poliesporƟva coberta • Gazebo com churrasqueira • Salão de festas • Lounge • Espaço gourmet • Sala de jogos • CelebraƟon grill • Espaço ofurô • Hall espaço care • Manicure • EstéƟca • Hair care • Academia • Open tness • Playground • Pista de cooper • Moon lounge • Sky lounge.

Lobbyy do Hot Lobb Hotel el

Unidades a partir de R$

305.117,00

Mensais a partir de R$

2.033,49

Moon Lounge

V®Ý®ã› Ê S«ÊóÙÊÊà —›‘Êك—Ê ÄÊ ½Ê‘ƒ½:

Rod. Osvaldo Reis, 3281 | Praia Brava Entre Itajaí e Balneário Camboriú

IÄ¥ÊÙÖΛÝ: 47 3241 2300 www.rivieraconcept.com.br

www.facebook.com/gruporiviera

23


sustentabilidade

O meio ambiente agradece O que é sucata para outras empresas é matéria-prima para a produção de peças para máquinas agrícolas da Metalúrgica Imam

Estela e Lourival são diretores da empresa e se preocupam com o futuro do Planeta

24

A

Metalúrgica Imam é um bom exemplo de como uma atividade que causa considerável impacto ao meio ambiente pode, através de novas tecnologias e consciência sustentável, ter influência praticamente nula na natureza. Para obter produtos de qualidade reconhecida internacionalmente, sua fundição produz aproximadamente 60 toneladas de peças por mês, utilizando como matéria-prima até 100% de sucata gerada por ela mesma e outras empresas. No processo de produção, o metal é derretido a uma temperatura de 1,6 mil graus sem a queima de nenhum combustível, utilizando a tecnologia de fusão por indução eletromagnética. O forno gera uma alta frequência, que vibra as moléculas do metal, gerando aquecimento até derreter.Após análises e correções na composição química, se transformam nas mais variadas ligas metálicas para aplicações específicas. Para os moldes de areia que recebem o metal líquido, foi escolhido o processo chamado de cold box em árvore, no qual até 98% da areia utilizada nos moldes é recuperada e reaproveitada, retornando ao sistema. A empresa toma todo o cuidado com a qualidade do ar nas instalações, retirando as partículas finas de poeira através de filtros tipo cortina de água. “Para uma empresa ligada ao campo, que depende fundamentalmente do clima, temos a missão de deixar uma boa herança para o Planeta. Nossos processos foram escolhidos para gerar o mínimo de impacto ambiental e resíduos, e aqueles que não podem ser eliminados contam com destinação ou tratamentos adequados e certificados”, afirma Lourival Stoinski Junior, diretor industrial. “A coleta de lixo seletiva e destinação adequada já é política da empresa há 10 anos”, destaca Estela Stoinski Wiest, diretora administrativa. Para obter uma gama variada de itens, a empresa conta também com setores de estamparia, forjamento a quente, usinagem, tratamentos térmicos, pintura líquida e a pó. Em todos esses processos, pode-se identificar a preocupação com a qualidade e sustentabilidade, seja nos filtros, métodos e materiais utilizados ou na escolha de tecnologias responsáveis.


25


sustentabilidade

No esteio da revolução industrial A história da Imam começou em meados de 1970, em Guaramirim, Norte de Santa Catarina, uma região colonizada por italianos e alemães. Nesta época, a empresa, fundada pelo casal Isolda Kinas e Lourival Stoinski, produzia pás, enxadas, foices e tantas outras ferramentas voltadas para a agricultura manual. A partir de 1980, com a expansão das fronteiras agrícolas e a evolução da agricultura mecanizada no País, a Imam passou a ter como foco o trabalho realizado no campo. Teve início, aí, a produção de peças para colheitadeiras e implementos agrícolas. “Em 1970, o arroz era colhido à mão e os implementos agrícolas eram puxados por arado de tração animal. Após a abertura das fronteiras agrícolas no Brasil, não se vendia mais implementos e acessórios manuais, mas, sim, para máquinas”, comenta Estela. Hoje, a Imam figura como uma das maiores empresas do setor em que atua na América do Sul e Central, atendendo a diversos fabricantes de máquinas agrícolas (montadoras). A empresa produz, por ano, aproximadamente dois milhões de unidades, entre facas e peças para colheitadeiras e implementos agrícolas de montadoras de máquinas. Na linha há mais de 450 itens, que são comercializados em mais de 850 pontos

de venda no mercado brasileiro. “A empresa vende para o País todo. Onde se produz grãos tem Imam”, afirma Estela. Além disso, exporta para outros 12 países da América Latina e Central – cerca de 20% da produção da metalúrgica são destinados à exportação. A Imam cresceu 19% no ano passado e, este ano, projeta aumento de 15%. “O mercado agrícola está aquecido e bons horizontes podem ser vislumbrados dentro da vocação brasileira em produzir alimentos para o mundo. Além disso, focamos nossa atuação em peças de desgaste, portanto, todo ano têm que ser substituídas”, observa Stoinski Junior. Em todos os processos a empresa traz, desde 2003, o selo de qualidade da norma ISO 9001. Essa certificação lhe confere os controles padronizados e estabilização nos processos, pré-requisito para crescimento organizado, que gera confiança e competitividade para realizar fornecimentos a montadoras do

exigente mercado automotivo nacional e internacional. Atualmente, a metalúrgica atende 13 montadoras ou fábricas de máquinas agrícolas que respondem por cerca de 35% da produção. “O mercado traz constantemente oportunidade de complementação de linha dentro da versatilidade de processos industriais, e como possuímos uma marca forte e conhecida, a aceitação é imediata e se traduz em valor para nossos clientes. A partir de uma pesquisa de mercado e demanda, faz-se um estudo da viabilidade da implantação destes novos produtos”, observa Alfredo Hackbart, diretor comercial. A empresa possui, atualmente, cerca de 70 funcionários, e inova também em recursos humanos, quebrando paradigmas e preconceitos com a contratação de mulheres para a linha de produção, cargos até então de exclusividade masculina. “O sucesso foi tão grande que a solução veio para ficar”, comenta Glauco Cristofolini, supervisor de produção.

Associativismo “Para empresas como a nossa, o associativismo gera resultados práticos e efetivos. Podemos destacar o intercâmbio de técnicas e informações entre empresas não-concorrentes e soluções em conjunto, como cursos e treinamentos, levando a voz dos micros e pequenos empresários a esferas mais altas. Unidos somos mais fortes”. Lourival Stoinski Junior Diretor industrial

26


A fundição da empresa produz cerca de 60 toneladas de peças por mês

Perfil Nome: Metalúrgica Imam Ramo: Metalurgia Local: Guaramirim Área: 5 mil m² Regiões abrangentes: Brasil e outros 12 países das Américas Central e Latina Número de funcionários: 70 Serviço: Produção de peças de reposição para máquinas agrícolas. www.imam.ind.br

27


gestão

Sabor da tradição A única microcervejaria da cidade resgata o hábito de apreciar uma boa cerveja, trazido pelos alemães

Dennis viajou para a Europa e Estados Unidos em busca de informações com mestres cervejeiros para criar a Königs Bier

E

mpenhados em resgatar a cultura cervejeira de Jaraguá do Sul e região e abastecer a população local com uma cerveja de qualidade, o contabilista Ivan Pilon Torres, ao lado do filho Dennis e da esposa Rúbia, inauguraram, no final de 2007, a Königs Bier, uma cervejaria artesanal que vem alcançando resultados muito bons e expandindo a atuação e produção. O nome, Königs Bier (em português, Cerveja do Rei), faz uma homenagem aos diversos clubes de tiro da região, uma das tradições culturais herdadas dos imigrantes alemães – assim como a cerveja, os grandes bailes e os desfiles. A intenção é apresentar às novas gerações 28

o espírito festivo trazido pelos colonizadores alemães quando chegaram à região. Após várias viagens à Alemanha, os fundadores da empresa resolveram iniciar o projeto de uma microcervejaria. Depois de quatro anos de planejamento, pesquisas na Europa e nos Estados Unidos, informações trocadas com mestres cervejeiros do Velho Mundo e, mais tarde, do Brasil, nasceu a Königs Bier. Ao resgatar a fórmula de um amigo na Europa e adequá-la ao paladar brasileiro, foi criada a composição ideal para o chope Königs Bier, uma bebida leve e com cor intensa, que lembra o ouro da coroa de um rei.


29


gestão

A cervejaria produz, em média, 10 mil litros por mês e projeta ampliar esse volume até o fim do ano. “A produção envolve poucas pessoas, pois, além do processo ser automatizado, a empresa preza mais pela qualidade que pela quantidade”, comenta Dennis, um dos diretores da empresa.

A Königs Bier oferece aos clientes o chope Pilsen Natural (não filtrado), Pilsen Cristal (filtrado) e o Bock (sabor levemente adocicado), além dos sazonais, Radler e Land Bier. Produz os chopes de acordo com a Reinheitsgebot (Lei de Pureza Alemã), promulgada pelo Duque da Baviera, em 1516,

em que são utilizados somente água, malte, lúpulo e fermento na produção. Não há adição de quaisquer conservantes, o que garante o frescor e o sabor original dos chopes Königs Bier. O chope da Königs Bier pode ser encontrado em vários bares e casas noturnas de Jaraguá do Sul e região.

Associativismo “O associativismo é a melhor arma que os empresários do pequeno varejo têm para atingir o sucesso, por meio da troca de experiências e do fortalecimento do grupo com os mesmos objetivos”. Dennis Torres

Cervejaria produz, em média, 10 mil litros por mês e projeta ampliar esse volume até o final do ano 30


Königs Bier oferece produtos diferenciados, como chope de trigo e outras cervejas especiais Também pode ser encomendado para animar festas, encontros, almoços ou reuniões de amigos. “O perfil do consumidor mudou. Antes as pessoas achavam caro comprar chope. Hoje, cada vez mais pessoas aprendem a apreciar e valorizar uma cerveja de qualidade”, observa Dennis. O desafio agora é levar a marca para outras regiões. Porém, o transporte envolve a utilização de um caminhão refrigerado, pois o chope não pode ser exposto ao calor ex-

cessivo. A empresa estuda a possibilidade de engarrafar a cerveja, o que envolve um investimento alto em equipamentos. A intenção é oferecer produtos diferenciados, como chope de trigo e outras cervejas especiais. “A concorrência é grande. As regiões do Vale do Itajaí e Vale do Itapocu apresentam a maior concentração de cervejarias do Estado”, comenta Dennis. “Nossa meta é conseguir engarrafar o produto até o fim do ano”, completa.

Perfil Nome: Königs Beer Ramo: Bebidas Local: Jaraguá do Sul Regiões de abrangência: Vale do Itapocu www.konigsbier.com.br

31


empreendedorismo

Tradição em bom atendimento Capacitação empresarial gera mais conhecimento e beneficia o desenvolvimento profissional

Filosofia da empresa é buscar, sempre, atender o cliente da melhor maneira

A

Elétrica Neuber, especializada na área de material elétrico em Corupá, vem construindo uma história de dedicação e sucesso. Fundada há 51 anos, a empresa é administrada há duas gerações pela família Neuber, que acredita na importância de oferecer produtos de qualidade e atendimento atencioso para fidelizar os clientes. Tudo começou quando Artur Neuber (01/01/1934-23/12/2008) e a esposa Lidia Neuber resolveram montar o próprio negócio em 32

busca de uma renda melhor para criar a família. Ex-militar, Artur trabalhava numa marcenaria quando resolveu fazer um curso por correspondência para aprender a montar e consertar rádios. A esposa também trabalhava na marcenaria, a princípio no setor de escovas e depois como telefonista. Após concluir o curso, Artur montou uma oficina de consertos de rádio e TV. A empresa, localizada então à Avenida Getúlio Vargas, na antiga Gruta Verde, foi inaugurada no dia 1º de abril de 1961. O ne-

gócio foi crescendo rapidamente e passou a instalar redes elétricas nas residências. Nessa época, Artur já contava com cinco funcionários, e optou por se concentrar apenas na venda de materiais elétricos. Após 51 anos de história e trabalho, a empresa se mantém na família. Schirley Martini, a filha mais velha e Sidney Artur Neuber, o filho mais novo, atualmente, administram a loja, enquanto o filho do meio, Artur Neuber Filho, trabalha realizando projetos de máquinas para empresas. Cássio Artur Martini, da


terceira geração da família, também trabalha na loja. A Elétrica Neuber procura, sempre, oferecer uma grande variedade de produtos e apresentar novidades ao público. Comercializa, atualmente, uma infinidade de materiais elétricos, incluindo luminárias, lâmpadas, objetos de decoração, chuveiros, interruptores e tomadas, fiação, caixas diversas e linha industrial. A filosofia da empresa é buscar, sempre, atender o cliente da melhor maneira. “Mesmo que não seja possível num primeiro momento, procuraremos fazê-lo o mais rapidamente”, destaca Sidney. Um bom indício da qualidade dos produtos é o sucesso que faz

com os eletricistas, uma clientela especializada e exigente. “Buscamos encomendar os produtos que solicitam, sem querer impor o que queremos vender”, afirma Schirley. O cuidado no atendimento é uma filosofia da empresa. “Caso algum eletricista leve uma peça e esta por acaso não sirva, pode voltar para trocá-la. Quem sai ganhando é o cliente, que só paga aquilo que realmente usar”, observa o proprietário. Outro exemplo que ilustra o cuidado com o atendimento é o respeito ao prazo de validade dos produtos. A lâmpada econômica de luz fria branca, por exemplo, é vendida com garantia de um ano – o cliente pode trocar a lâmpada caso

Sidney Artur Neuber e Schirley Martini administram a loja 33


empreendedorismo

Elétrica Neuber oferece grande variedade de produtos e procura apresentar novidades ao público

Associativismo “A Elétrica Neuber é filiada à Associação Empresarial de Corupá (ACIAC) desde 14 de agosto de 1986. Sidney Artur Neuber já assumiu diversos cargos na diretoria da associação e, atualmente, ocupa o cargo de tesoureiro da entidade. “Para nós, o associativismo é muito importante, pois favorece a troca de ideias com outros comerciantes. Também possibilita nos manter atualizados, por meio dos cursos que a associação traz para a cidade. Além disso, os núcleos da associação abordam temas diversos, seja sobre o SPC, as datas comemorativas ou a decoração natalina, além de buscarem alternativas para solucionar as dificuldades”. Sidney Artur Neuber

34

ela queime no período anotado na embalagem, prática adotada por pouquíssimas lojas. Outro destaque da linha de produtos é a tradicional decora-

ção natalina, como a iluminação e os pinheirinhos, sempre muito diversificados e comercializados com grande sucesso no final de cada ano.

Perfil

Nome: Elétrica Neuber Ramo: Comércio de material elétrico Local: Corupá Região de abrangência: Corupá e microrregião


35


soluções empresariais

Mais benefícios à classe empresarial Capacitação empresarial gera mais conhecimento e beneficia o desenvolvimento profissional

Cursos e palestras para a área de serviços devem ser apreciadas pelos prestadores que querem inovar perante os clientes

A

capacitação empresarial se tornou um dos importantes focos das entidades associativistas do Vale do Itapocu. O intuito é gerar conhecimento variado à comunidade, com intenções de beneficiar o desenvolvimento profissional. Novas formas de comunicação, abertura de portas para negociações internacionais, mudanças, alterações e informatização de procedimentos contábeis, jurídicos e administrativos, 36

por exemplo, surgem diariamente. Ou mesmo novas técnicas para a área de serviços estão aí para serem consumidas pelos prestadores que querem inovar perante os clientes. Para tanto, é necessário treinamento. Até mesmo as atividades mais conhecidas das empresas, como vendas para um setor comercial ou produção para área industrial têm desenvolvido mudanças nestes últimos anos. Vindo de encontro com estes novos parâmetros de negócios, iniciativas

como das Associações Empresariais de Corupá, Guaramirim, Jaraguá do Sul e Schroeder são vistas com bons olhos por empresários associados. De um lado, as pequenas empresas, que sozinhas não têm a viabilidade de custear cursos e capacitações individualmente. Por outro, as grandes empresas, que traçam desafios de maior proporção e podem contar com as associações para capacitações integradas aos fornecedores e parceiros de mercado.


O vice-presidente para Assuntos de Desenvolvimento Profissional da ACIJS, Robert Burnett, destaca que a capacitação e desenvolvimento profissional deve ser vista sempre como complemento. O executivo afirma ainda que, independente do tamanho da empresa, ela precisa estar integrada à comunidade empresarial. Assim, pode ser mais tato sobre as próprias ações, percebendo o que há de diferente no mercado. Essas oportunidades estão justamente nas capacitações oferecidas pelas entidades. Empresários associados estão tendo a visão positiva de que o desenvolvimento profissional agrega valor ao participante, seja ele o presidente ou os colaboradores de qualquer nível de escala hierárquica do negócio.

Palestra da Câmara da Mulher Empresária na ACIJS

37


soluções empresariais

Empresários associados estão tendo a visão positiva de que o desenvolvimento profissional agrega valor ao participante

Narlon Fabiano Tomczak, diretor de Capacitação da ACIAS

O diretor de Capacitação da ACIAS, Narlon Fabiano Tomczak, revela dados positivos relacionados a treinamento. Mais de 2 mil pessoas, entre empresários e colaboradores das empresas receberam capacitações de consultores, orientadores e profissionais especialistas de diversas áreas que passaram nestes últimos três anos pela entidade, apresentando aos associados técnicas, formatos e novidades em qualificação. A entidade tem o Programa ACIAS de Capacitações, em que treinamentos são subsidiados por empresas patrocinadoras. Dessa forma, os investimentos por cada participante têm valores baixos. Saldos positivos são notados pelas instituições. Quanto maior a adesão, mais cursos são confirmados nas mais diferentes áreas. Somente nos meses de maio e junho, as agendas das entidades totalizaram cerca de 30 diferentes cursos. Informe-se na associação empresarial de sua cidade sobre as agendas. Sugestões de capacitação também podem ser feitas.

Fique ligado

38

ACIAC: www.aciaccorupa.com.br

ACIAS: www.acias.net

ACIAG: www.aciag.com.br

ACIJS: www.acijs.com.br


39


institucional

Nova estrutura da ACIAG

Os novos ambientes contam com auditório para 212 pessoas, além de plenário, mini auditório e sala de treinamento e reuniões

A

diretoria da ACIAG, sempre preocupada na valorização do associado, priorizou a reforma da estrutura interna da entidade. Foram necessários seis meses para que a estrutura estivesse apta a receber as necessidades dos associados com conforto e praticidade. A nova estrutura

interna oferece salas climatizadas, devidamente equipadas, com tamanhos diferenciados, atendendo empresas de pequeno, médio e grande portes. Como benefício, as empresas associadas têm a isenção de quatro horas, uma vez ao ano, para utilização da estrutura. Os novos ambientes estão dispostos na parte superior com

auditório para 212 pessoas e plenário para 54 pessoas e na parte térrea com mini auditório para 60 pessoas, sala de treinamento para 35 pessoas, sala de reuniões para 16 pessoas e espaço para coquetel. Agende um horário e venha conhecer nossa estrutura, nossa transformação é pensando no associado.

Curso de Panificação

Os participantes aprenderam novas receitas e desvendaram alguns segredos da panificação 40

A parceria entre Fundação Empreender e Câmara de Artes e Ofícios de Munique da Alta Baviera na Alemanha contou com o apoio das associações e resultou no Curso de Panificação com o mestre alemão Herrmann Späth. O curso foi realizado entre os dias 27 de fevereiro e 2 de março, no Laboratório do Senai, em Joinville, e contou com a presença dos associados da ACIAG: Posto Mime, Supermercado Breithaupt, Panificadora da Nona e Panificadora e Confeitaria Cantinho Doce. Os participantes puderam aprender novas receitas, melhorar a prática de outras e ainda desvendar alguns segredos da panificação. O mestre Späth, através de consultoria individual, visitou cada empresa participante dando dicas e sugestões aos empresários que saíram totalmente motivados.


Seguindo os passos O Núcleo do Jovem Empreendedor da ACIAG, com o apoio da Associazione Bellunesinel Mondo – Famiglia Jaraguá do Sul e Núcleo de Panificação e Confeitaria ACIJS-APEVI, está promovendo o Curso de Pasticceria para o mês de outubro, com o mestre italiano Vincenzo. Mais informações com Samara, pelo telefone (47) 3373-7520 ou email consultor2@aciag.com.br.

Núcleos setoriais ACIAG

Após dois anos de árduo trabalho com o projeto de núcleos setoriais, a ACIAG, através da diretoria, sente-se realizada com os cinco núcleos e o recém-formado Conselho dos Núcleos Setoriais, que trabalham com a coordenação dos núcleos as ações de maior relevância que envolvam todos os núcleos e membros. A Diretoria de Núcleos Setoriais da ACIAG está entusiasmada e vigilante com o desafio de manter os núcleos fortes e ativos. O Núcleo das Imobiliárias e Corretores de Imóveis e o Núcleo das Empresas de Contabilidade são os mais experientes, com as ações e eventos definidos nos Planejamentos Estratégicos. Os grupos trabalham coerentemente o conceito de núcleo, buscando, sempre, o alcance do resultado satisfatório para os membros. O Núcleo das Imobiliárias promoveu forte ação para alteração

do projeto Minha Casa Minha Vida, além de reuniões com a presença de políticos que foram envolvidos para auxiliar na busca de soluções. Um grupo de empresários dos núcleos se fez presente em Brasília, reivindicando a alteração. O Núcleo das Empresas de Contabilidade promoveram o Seminário do Sped Fiscal, que foi um sucesso, onde estiveram presentes o presidente do CRC/SC, Adilson Cordeiro, e presidente do Seprosc, Marcelo Ferreira Chaves Oliveira Lima. O Núcleo de Jovens Empreendedores vem buscando ações de fortalecimento para manter o grupo unido, com reuniões quinzenais e trazendo empresários com sucesso em seus negócios para troca de experiências. Como desafio, realizaram em 2011 o Feirão do Imposto, em Guaramirim. Prestigiaram o evento cerca de 300 pessoas.

Os Núcleos do Comércio e Auto Mecânica são os mais recentes e estão na fase de implantação de metodologia na captação e fidelização de nucleados, assim como desenvolvimento do Planejamento Estratégico. O Núcleo do Comércio convidou o Fiscal de Tributos de Guaramirim para conversar com os empresários comerciantes sobre a fiscalização dos ambulantes. O núcleo ganha o apoio da Diretoria do Comércio, que é forte, presente e atuante. Com ela, a Campanha do Comércio – Compra Premiada, calendários especiais para o Sábado Aberto e demais ações. O Núcleo de Auto Mecânicas, com apenas três encontros, trouxe a empresa Metalúrgica Nilmar, de Jaraguá do Sul, para apresentar o case “Decantação de Água”. Os presentes saíram otimistas e se comprometeram a retomar o assunto, em razão do elevado grau de importância para as mecânicas de Guaramirim.

41


institucional

Núcleo do Comércio promove palestra teatral Com o tema “A incrível arte de vender”, os personagens abordaram com bom humor fatos que ocorrem no cotidiano com profissionais de vendas e atendimento

Personagens trabalham focados no desenvolvimento de pessoas, utilizando a arte como ferramenta de criação e produção de temas

N

a noite de 11 de abril, foi realizada a palestra teatral “A incrível arte de vender”, com um público de aproximadamente 250 pessoas, no teatro do Seminário de Corupá. A palestra abordou com bom humor fatos que ocorrem no cotidiano com os profissionais de vendas e atendimento, procurando, de maneira lúdica, identificar e corrigir atitudes negativas. O público presente riu, divertiu-se, reviu conceitos e atitudes. Foram mais de 30 personagens encenando fatos e acontecimentos do dia a dia, com uma pitada de bom humor, exemplificando os erros mais comuns que ocorrem nas empresas na área comercial. O Núcleo do Comércio da ACIAC, fundado em 1997, é composto por 25 empresas, que se reúnem quinzenalmente para discutir as necessidades, buscar soluções e melhorias para as empresas e sociedade. 42

O núcleo realiza capacitações, a campanha Natal Premiado, o projeto Natal Iluminado, campanha para redução da inadimplência, busca melhorias contínuas através de parcerias com a Prefeitura Municipal, Sebrae, Senac, entre outros. “Comprar a ideia de realizar um evento desse porte foi uma atitude ousada, porém, devido ao empenho dos empresários nucleados e da participação dos associados e colaboradores das empresas do município, o evento foi considerado um sucesso”, ponderou o coordenador do Núcleo do Comércio, Idali Bosse, do Açougue e Mercearia Bosse. A Seu Chico Teatro e Treinamento Corporativo é uma produtora de eventos empresariais, especializada em palestras e treinamentos corporativos. Trabalha focado no desenvolvimento de pessoas, utilizando a arte como ferramenta para a criação e produção de temas que auxiliem na

gestão da Educação Corporativa. O espetáculo foi especialmente desenvolvido para os lojistas, empresários, representantes comerciais e colaboradores de empresas, com o intuito de motivar pessoas e contribuir para o desenvolvimento profissional e pessoal. O espetáculo é uma palestra-show que aborda, de forma inovadora e criativa, temas relacionados a atendimento, vendas e serviços. Baseado em fatos reais, “A incrível arte de vender” traz uma versão criativa e bem humorada de situações que levam o espectador a uma reflexão sobre importantes conceitos referentes ao atendimento, relacionamento humano e, consequentemente, as vendas. Música, arte e interpretações diversas são alguns dos diferenciais deste espetáculo, que transportam a plateia para um ambiente descontraído e divertido, motivando profissionais e equipes para o sucesso nos negócios.


Lançamento do projeto “Educando para o empreendedorismo”

O Núcleo de Jovens Empreendedores se reuniu para discutir o projeto O Núcleo de Jovens Empreendedores da ACIAC, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, lançou, em 25 de abril, o projeto “Educando para o empreendedorismo”. O projeto, que vem sendo implantado em todo o Estado, incentivado pelos Núcleos de Jovens Empreendedores,

através do Conselho Estadual dos Jovens Empreendedores de Santa Catarina (Cejesc), tem início programado para a primeira quinzena de maio, quando serão ministradas aulas semanais para alunos do oitavo ano (antiga sétima série), visando despertar o espírito empreendedor, tornando-os pessoas mais preparadas para o mercado de trabalho e a vida adulta. O conteúdo que será ministrado contempla educação e planejamento financeiro, noções de marketing, vendas, trabalho em equipe, ética profissional, economia local e regional, visitas técnicas a empresas da região, palestras com empreendedores locais, dentre outras atividades. “Esperamos que este seja o primeiro passo de uma longa jornada em que pretendemos disseminar o espírito empreendedor, a ética e a criação de jovens mais preparados e comprometidos com a sociedade como um todo”, pontuou Cristiano Hack, coordenador do núcleo.

43


Institucional

Jaraguá do Sul investe na educação financeira O Núcleo de Jovens Empreendedores (NJE) de Jaraguá do Sul iniciou em abril um circuito de aulas de educação financeira para 60 alunos de escolas da rede municipal de ensino. Em parceria com a Secretaria de Educação do Município, o NJE colocou em prática o projeto Empreendedorismo na Educação, que compreende outras duas ações, com o objetivo de levar informações sobre finanças, auxiliar na gestão de recursos e motivar os jovens para que fiquem atentos às oportunidades do mercado de trabalho e ao desenvolvimento de carreiras dentro de empresas ou na abertura dos próprios negócios. Até novembro, jovens do último ano do ensino fundamental terão aulas nas quartas-feiras em horários diferenciados dos períodos normais nas escolas para receber orientações sobre orçamento doméstico, empreendedorismo e como utilizar os recursos financeiros. Também faz parte do projeto a aplicação de disciplinas de empreendedorismo nas duas escolas do município que já oferecem ensino em tempo integral, e palestras ministradas voluntariamente por jovens empreendedores nas escolas do município interessadas em receber o programa. Conforme a coordenadora do Núcleo de Jovens Empreendedores, Graziela Bordin, o projeto é inspirado no modelo de ensino adotado na cidade de Rio do Sul, que vem sendo difundido pelo Cejesc – Conselho Estadual do segmento, com a parceria da Secretaria de Educação do município. “O objetivo não é mudar o modelo de

Marcos Vieira (empresário) e Graziela Bordin (coordenadora do Núcleo de Jovens Empreendedores) educação de Jaraguá que já reconhecido como referência, mas, sim, contribuir para melhorar ainda mais os indicadores de qualidade, que hoje são referência”, afirma Graziela. Marcos Vieira, empresário que participou do programa de palestras, diz que a ideia é abordar a importância de um bom planejamento financeiro. “Repassamos também as consequências de uma má gestão da renda e a possibilidade de realizarem seus sonhos com uma gestão adequada, não gastando mais do que ganham”, relata. Os alunos, segundo ele, demonstraram interesse pelo tema, e interagiram com perguntas e até mesmo com o envio de emails ao palestrante elogiando a iniciativa.

Jovens preparam ação para conscientizar consumidor O Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte, em 25 de maio, merecerá atenção por parte dos jovens empreendedores de Santa Catarina. O coordenador do Feirão do Imposto, o empresário Thiago Coelho, de Jaraguá do Sul, informa que o objetivo é dar continuidade ao esclarecimento dos contribuintes quanto à carga tributária que incide sobre produtos e serviços no Brasil. “Será um dia de reflexões com 44

a intenção de levar informações às pessoas para que elas conheçam o volume do que é arrecadado no País e desta maneira conseguir uma mobilização maior da sociedade para as reformas que são necessárias na área fiscal e tributária”, assinala. Como coordenador nacional do Feirão do Imposto e do Dia da Liberdade de Impostos do Conselho Nacional do Jovem Empreendedor (Conaje) e diretor do Conselho


Estadual do Jovem Empreendedor de Santa Catarina (Cejesc), Thiago diz que é preciso maior conscientização do que representa a arrecadação fiscal sobre a produtividade nacional, lembrando que 75% da população desconhecem ser pagadora de tributos. “Essa situação leva a um imobilismo e tira a força de reivindicação da sociedade. Ações como o Feirão do Imposto ou a realização de eventos como o de 25

de maio visam alterar este quadro de inércia”, justifica Thiago. Ele cita como exemplo a baixa adesão ao Movimento Brasil Eficiente (MBE), que propõe uma série de medidas como sugestão para que o País se torne mais competitivo a partir de ajustes no sistema de arrecadação. Para poder chegar ao Congresso Nacional, o MBE precisa de 1,4 milhão de assinaturas, mas contando hoje com uma adesão muito baixa.

IPPLAN faz relato sobre atuação à classe empresarial

A engenheira civil Thais Liane Henning é presidente do IPPLAN

A Fundação Instituto de Pesquisa de Planejamento Físico Territorial de Jaraguá do Sul (IPPLAN) foi apresentada aos empresários durante encontro organizado pela ACIJS com o objetivo de conhecer as propostas do órgão criado em fevereiro por ato da administração municipal. Conforme a engenheira civil Thais Liane Henning, presidente do órgão, o IPPLAN surge com a missão, entre outros objetivos, de ser responsável pela formulação, execução e avaliação das ações de política urbana, política de desenvolvimento físico-territorial e expansão urbana, prevista no Plano Diretor do município. Neste período, segundo explicou, o trabalho está sendo dedicado à montagem da equipe que atuará no instituto, salientando que a intenção é atuar de acordo com as metas traçadas pelo grupo. Conforme Thais, entre as prioridades do órgão estão questões como a situa-

ção do transporte coletivo, a discussão sobre a expansão do perímetro urbano e a regulamentação do Plano Diretor. “Este não é um projeto da Prefeitura e, sim, da comunidade. Por isso queremos debater com todos os segmentos”, assinalou no encontro com os empresários. A presidente da ACIJS, Monika Conrads, disse que o IPPLAN surge em momento oportuno e oferece a possibilidade de pensar a cidade em termos de planejamento de longo prazo. “É uma grande oportunidade para Jaraguá do Sul neste sentido e as entidades empresariais desejam contribuir com essa discussão”, reforçou, lembrando que os desafios relacionados com expansão urbana, zoneamento, mobilidade e restrições ambientais são assuntos que integram uma agenda positiva que Jaraguá do Sul precisa inserir com urgência na pauta de debates.

Festival Brasil Sabor chega a Jaraguá do Sul Jaraguá do Sul foi incluída na rota do Festival Gastronômico Brasil 2012, iniciativa da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). O evento vai ocorrer de 3 de maio a 3 de junho, em 14 cidades e com a participação de 74 restaurantes de todo o Brasil. Em Jaraguá, o projeto envolverá seis restaurantes, com o objetivo de divulgar a gastronomia local. Essa é a primeira ação nacional com a participação de empresas do município. É o resultado da filiação, em dezembro, do Núcleo de Gastronomia ACIJS-APEVI à Abrasel, buscando trazer maior incremento às atividades do setor no município em 2012. Conforme Mariana Aparecida de Andrade, consultora de Núcleos Setoriais da ACIJS-APEVI, a filiação do grupo de empreendedores de gastronomia de Jaraguá do Sul se insere no plano de interiorização das atividades da Abrasel, com o objetivo de ampliar a presença da entidade nas 10 regiões turísticas do Estado.

45


institucional

ACIAS em ação Sede da entidade recebe manutenção para atender melhor os associados

A

sede da Associação Empresarial de Schroeder (ACIAS) recebeu manutenção, eliminando infiltrações, nova pintura e renovação da identidade visual na fachada. A valorização do patrimônio tem como objetivo manter a sede em bom estado e possibilitar um bom ambiente para que os empresários, associados e todos que a visitam se sintam bem. Foram investidos mais de R$ 9 mil. A Associação Empresarial de Schroeder investiu R$ 9 mil na valorização do patrimônio, com o objetivo de manter a sede em bom estado

Presidente participa de plenária O presidente da ACIAS, Ivandel Hambus, participou da reunião da plenária da Facisc da regional Norte no mês de abril, realizada na ACIAG, em Guaramirim. Foram debatidos vários assuntos, entre eles a duplicação da BR-280, que já se estende por muitos anos, e a classe empresarial, que chama a atenção dos políticos para que deem o apoio necessário para a realização da obra. O presidente também participou da reunião do Conselho Diretor da FACISC, em Florianópolis, que teve como objetivo aprovar as contas e ações daquela entidade.

Núcleo de Jovens organiza o evento de integração O Núcleo de Jovens vem se reunindo para organizar o evento de integração – Feijoada, que acontecerá no dia 16 de junho, com a participação do Corpo de Bombeiros Voluntários de Schroeder. Além do prato principal, o evento contará com vários atrativos, como apresentações culturais e musicais, demonstração dos bombeiros e dos equipamentos, brinquedos para as crianças, caipirinha produzida em uma betoneira, entre outras. 46


Mais capacitação aos associados

Para atender e oportunizar capacitações ao associado, em 2012, a ACIAS criou o setor de eventos, com a responsabilidade de atender as necessidades dos associados e colaboradores. A área de eventos está sob a responsabilidade da Naiara, no email eventos@acias.net. O Programa ACIAS de Capacitações (PAC) está bem ativo nessa gestão. Foram realizados os cursos de Qualidade de Atendimento ao Cliente, em março, e de auto- maquiagem, em abril. No dia 3 de maio, aconteceu o Teatro Treinamento, com a companhia teatral Seu Chico, que traz o espetáculo “A Arte de vender 2” e o curso de Formação de Preço. Para os próximos meses já estão programados diversos treinamentos.

Núcleo do Comércio em busca do comércio legal

A coordenação do Núcleo do Comércio esteve reunida com o prefeito de Schroeder, Felipe Voigt, para tratar das campanhas de Natal e da Campanha de valorização do comércio legal, que tem o objetivo de combater a venda por sacoleiros e de produtos piratas. Estão sendo desenvolvidas as ações para que o comércio legalmente constituído tenha melhor visibilidade e a fiscalização municipal atue sobre as demais vendas.

47


ponto de vista

Mobilidade ameaçada

N

o rol das crises históricas surge agora a da mobilidade, cuja solução é complexa, cara e demorada. Por um lado, a indústria automobilística festeja lucros crescentes, por outro, os congestionamentos entopem as vias, aumenta a poluição do ar, o aquecimento global, o consumo de energia, o estresse e os acidentes de trânsito, impactando a qualidade de vida e a economia. Na nossa região imediata (Jaraguá do Sul, Guaramirim, Schroeder e Corupá), a frota é de 134.032 veículos para 211.494 habitantes. Em 14 meses, registraram-se 10.221 novos veículos (730 veículos/mês). Temos 1,6 habitante/veículo, três vezes mais que o projetado para o Brasil em 2014 (4,8 habitantes/veículo). Aumenta a população e a quantidade de veículos para o mesmo espaço viário. Avançamos velozmente para a imobilidade, que afeta a produtividade e a economia. O tempo perdido no trânsito congestionado e a logística comprometida atingem diretamente a competividade das empresas num mercado globalizado, reduzindo a velocidade e aumentando os custos na circulação e distribuição de produtos. O leque de soluções vai de investimentos em infraestrutura viária e de transportes a medidas restritivas de circulação, de corresponsabilidade de governos, sociedade, empresários e especialistas. É uma nova realidade, que exige nova abordagem, mudança cultural e de hábitos. Quanto à infraestrutura, faz-se urgente o contorno rodoferroviário. É intolerável termos que conviver com o tráfego pesado, de passagem e composições da ALL atravessando o centro da cidade, misturando-se ao tráfego intraurbano. Precisamos do contorno da BR-280 ao Norte e Oeste, ligando-a com a SC-416, e transferência da linha férrea já. Pra ontem! Que se agilize a implantação do Complexo Intermodal Catarinense (Lei Estadual 15.227/10), a cargo da SC Parcerias, previsto para Araquari (atrás do posto Sinuelo), congregando transporte e logística de cargas e passageiros, incluindo acesso rodoviário privilegiado; terminais aeroviário, ferroviário, marítimo e logístico; complexo industrial multidisciplinar; e Zona de Processamento de Exportação.

48

Osmar Günther Engenheiro civil e especialista em Planejamento Urbano

Avançamos velozmente para a imobilidade, que afeta a produtividade e a economia” E, bem-vinda a Lei da Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei Federal 12.587/12), que acaba de entrar em vigor, obrigando os municípios a terem seus Planos de Mobilidade Urbana atrelados ao Plano Diretor no prazo de três anos. Priorizando o transporte público sobre o individual, o não motorizado sobre o motorizado e a integração modal, regulando também o transporte coletivo, o planejamento e a gestão dos sistemas de mobilidade urbana e as ações e instrumentos de apoio, que deverão estar consignados nos planos plurianuais e na legislação orçamentária.


49


50

Revista Negócios - Ed. 18  

Revista empresarial da ACIJS, de Jaragúa do Sul. Produzida Pela Mundi Editora. Blumenau / SC