Issuu on Google+

Ano 8 nº 74 JUNHO 2013 R$ 8,90

Nylson Braun e Enedina Maria iniciaram o pequeno negócio de refrigeração, de maneira informal, na década de 1960

da garagem a referência De uma pequena empresa formalizada há 40 anos, a Reconfrio se transformou em nome consolidado em toda Santa Catarina

sustentabilidade: confira nesta edição um conjunto de reportagens sobre o tema


Blucredi,

parceira no crescimento da sua empresa. Produtos e serviços integrais e exclusivos. A Blucredi oferece um amplo portfólio permitindo uma parceria sólida, pautada pela confiança, segurança e na constante busca de soluções financeiras para empresas de todos os tamanhos. Faça parte da cooperativa que é muito melhor que um banco, faça parte da Blucredi.

Vá até uma de nossas agências e conheça todas as vantagens de ser associado Blucredi

Cobrança

Cartão Alimentação

Crédito

SicoobNet

Seguros / Previdência

Consórcio

Cartões

Saúde e Odontologia

Investimentos


36 Agências no Vale do Itapocú, Vale do Itajaí e Litoral Catarinense.


editorial

Oportunidade de crescimento e atualização

O nome Blumenau é forte e reconhecido em toda Santa Catarina. Temos um povo trabalhador, que gosta de ver e fazer a cidade crescer. Somos uma cidade atípica, onde a comunidade se envolve nas discussões que visam o bem comum. A CDL Blumenau não é diferente e, mais uma vez, provou que trabalha de olho no futuro do varejo e das cidades, vislumbrando o crescimento de toda a economia. A realização de eventos de peso, como a 45ª Convenção Estadual do Comércio Lojista e do 14º Encontro Nacional da CDL Jovem, comprova nossa preocupação em buscar atualização para atender as demandas e satisfazer as vontades dos clientes. Durante os três dias de evento, reunimos mais de mil líderes lojistas e novos empresários, que tiveram a oportunidade de avaliar o mercado 8

e as tendências econômicas com palestrantes de renome nacional, como o jornalista Carlos Alberto Sardenberg. Além disso, exemplos de empresas e profissionais blumenauenses deram o tom de como é possível encantar o público com histórias de inovação e empreendedorismo, que hoje dominam o Vale do Itajaí e são referências para todo o Brasil. Juntos, pudemos debater e criar oportunidades para trilhar um caminho de sucesso. O comércio já é um dos grandes propulsores do desenvolvimento econômico catarinense e eventos como esses são fundamentais para mostrar a união do movimento lojista, que gera milhares de empregos e acelera o progresso de todo o País. Por isso, é importante que o varejo trabalhe com constante atualização e inovação para garantir a sobrevi-

vência das nossas lojas e tornar o mercado mais competitivo e atraente para os consumidores. Sabemos que os lojistas possuem fórmulas consolidadas para obter resultados, mas as novidades tecnológicas nos impõem um novo desafio. Em meio a diversas oportunidades, geradas por diferentes tipos de negócios, nós, lojistas, temos que estar atentos às novidades do mercado e às necessidades do público. A escolha do tema ‘Inovando o varejo’ foi oportuna para que pudéssemos conhecer e entender as tendências, discutindo ações para oferecer sempre algo diferenciado e que se destaque, já que, diariamente, os clientes se veem diante de tantas opções. Paulo Cesar Lopes Presidente da CDL


SUMÁRIO

Daniel Zimmermann

cliente moderno é mais exigente e multiconectado O especialista em varejo Fernando Lucena fala sobre as estratégias necessárias para obter sucesso

Divulgação

Daniel Zimmermann

12

16

vasselai lança conceitos no modo de morar

Conheça a trajetória de sucesso da Reconfrio, empresa fundada a 40 anos pelo empresário Nylson Braun

Incorporadora preza pela humanização de espaços e busca um olhar cada vez mais contemporâneo e participativo

18 Senac faz novos investimentos em Blumenau 24 Entidades promovem quinta edição do ‘Bolo Tributário’ 26 Comércio varejista tem nova rainha e princesas 28 Sincor prepara jovens para o mercado de trabalho

42 Acib é notícia 44 CDL é notícia 46 Intersindical é notícia 48 SINDILOJAS é notícia 50 Artigo

EDITOR Sidnei dos Santos / Palavra Escrita- Ltda. ME - sidnei@mundieditora.com.br EDITORA ASSISTENTE Francielle de Oliveira REPORTAGENS Daiani Caroline Coelho, Mariana Tordivelli e Mundi Assessoria GERENTE DE ARTE E DESENVOLVIMENTO Lucas Gonçalves - lucas@mundieditora.com.br DIAGRAMAÇÃO Tiago de Jesus CAPA / Foto: Ivan Schulze GERENTE COMERCIAL GERAL Cleomar Debarba - 47 3036.5659 DIRETOR-EXECUTIVO Niclas Mund - niclas@mundieditora.com.br CIRCULAÇÃO circulação@mundieditora.com.br SUGESTÃO DE PAUTA empresario@mundieditora.com.br

10

22

da garagem de casa à referência para toda santa catarina

Conselho Editorial Acib: Carlos Tavares D’Amaral, Charles Schwanke e Cristiane Soethe Zimmermann CDL: Paulo Cesar Lopes, José Geraldo Pfau, Carlos Jacques Dressler e Ana Paula Ruschel Intersindical: Richard Steinhausen, Leomir Minozzo e Emil Chartouni Neto SINDILOJAS: Emílio Rossmark Schramm, Márcio Rodrigues e Juliana Pfau Mundi Editora: Sidnei dos Santos TIRAGEM 4.000 exemplares

TIRAGEM VIRTUAL 50.000


Banco de imagens

especial sustentabilidade Reportagens mostram como as empresas podem ser mais competitivas e atrair novos clientes ao adotarem processos sustentáveis

Rua Almirante Barroso, 712 - Sala 2 Vila Nova - Blumenau/SC CEP. 89.035-401 Telefone: + 55 (47) 3035-5500

Rua Ingo Hering, 20 – 8º andar CEP: 89010-909 Blumenau – SC 47 3326.1230

Alameda Rio Branco, 165 CEP: 89010-300 Blumenau - SC 47 3221-5735

Alameda Rio Branco, 165 CEP: 89010-300 Blumenau-SC 47 3221 5750

www.acib.net

www.cdlblumenau.com.br

www.sindilojasblumenau.com.br

29

Rua XV de Novembro, 550 – sala 403 47 3037 4932 www.intersindicalpatronal.com.br

mundieditora.com.br facebook.com/mundieditora twitter.com/mundieditora

11


Entrevista

“O cliente moderno é um cliente multicanal”

lucena

Presidente do Grupo Friedman no Brasil, Fernando Lucena é especialista em varejo e pós-graduado em Administração de Empresas pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec). Atualmente, divide o tempo entre as consultorias a empresas e redes de lojas por todo o Brasil e as atividades de palestrante nos seminários oferecidos pelo Grupo Friedman, nos quais alia a experiência na área com o conhecimento obtido em cursos realizados no The Friedman Group – matriz da empresa localizada nos Estados Unidos. Em entrevista à Revista Empresário, Lucena fala sobre o consumidor atual e o que as empresas devem fazer para se destacarem no mercado varejista.

12

Daniel Zimmermann / FFM

fernando


Revista Empresário: O que o consumidor de hoje difere daquele de 10 anos atrás? Fernando Lucena: A principal diferença está na informação que ele tem disponível. O consumidor de hoje é mais bem informado. Como tem mais opções disponíveis no mercado, se torna mais exigente com o que irá consumir. RE: Como as empresas do varejo devem agir para satisfazer e conquistar esse consumidor? Lucena: Primeiramente, antes de atender, deve-se entender o cliente. É fundamental conhecê-lo, saber quem ele é, o que ele veio buscar dentro da loja – que pode não ser necessariamente o produto; às vezes é uma solução, uma ajuda. A partir daí, encantá-lo com algum tipo de diferencial. Com essa maior quantidade de produtos disponíveis no mercado, o cliente acaba encontrando muito do mesmo. Então,

para diferenciar-se, é preciso pensar quais tipos de coisas posso oferecer para o cliente. RE: E o que seria essa diferenciação? Lucena: Um tempo atrás, seria oferecer uma água ou um café dentro da loja. Hoje, isso já não é mais um diferencial; mas é possível oferecer, por exemplo, atendimento de qualidade, um serviço agregado ao produto, excelência e pontualidade. Enfim, trazer ao negócio alguns atributos que o faça diferenciar-se da concorrência. E isso é válido para qualquer área. Não importa se é uma empresa, um produto ou uma marca. É preciso demonstrar algum tipo de diferença para o cliente, senão, corre-se o risco de cair dentro de uma vala comum. RE: O que as pequenas lojas familiares precisam para se mante-

rem no mercado atual? Lucena: Um movimento que já existe há bastante tempo: o de profissionalização. O desafio de se manter no varejo sempre foi árduo, mas, hoje, principalmente, a exigência do profissionalismo e do erro quase zero é muito grande. RE: O e-comerce é uma ameaça ou uma oportunidade ao varejo tradicional? Lucena: Para o varejo atual é uma necessidade. O cliente moderno é um cliente multicanal. Então, ele gosta muito de poder chegar perto da empresa, da marca e do produto de uma forma que não seja simplesmente através do físico. Os centros, hoje, estão mais tumultuados na questão do trânsito, o tempo das pessoas está mais escasso. Assim, como consumidores modernos, as pessoas gostam de ter mais disponibilidade da empresa – e uma das formas é através do co-


Entrevista

mércio eletrônico. Mas não adianta a empresa ter somente um site, por exemplo, se ele não for consistente e não funcionar bem. RE: A falta de qualificação talvez esteja no fato de o comércio varejista ser encarado como uma oportunidade de emprego transitório. O que é preciso para que pessoas queiram seguir carreira no varejo? Lucena: Geralmente, as pessoas que procuram o varejo não o veem como uma carreira. Mas, na primeira semana já é possível perceber que existe muita oportunidade nessa área. O principal problema dessa questão está em quem abre a porta para os colaboradores entrarem com essa mentalidade. Em uma entrevista de recrutamento e seleção já poderia se distinguir o joio do trigo, quem quer somente passar um tempo na empresa – o que não tem problema, porque, às vezes, a pessoa mesmo não enxerga as oportunidades que tem ali dentro –, de quem é, realmente,

um candidato em potencial. Costumo dizer que não existe gente ruim, existe gente boa no lugar errado. RE: O papel do vendedor é vender ou assessorar o cliente a fazer a melhor compra? Lucena: Venda é consequência de um bom atendimento. O vendedor deve estar lá para entender e atender o cliente. A venda será consequência natural disso. Claro que, com técnica, é possível pegar a chamada agressividade em vendas e traduzir isso de uma forma mais sutil. Como, hoje, o cliente tem mais informação, ele vai fazer objeções ao preço, por exemplo, algumas exigências que, com habilidade e técnica, é possível manusear. O vendedor está lá, primeiramente, para atender e, de preferência, vender. RE: Você diz que para obter um bom atendimento é necessário entender o cliente, a sua marca e o seu produto. Como chegar nesse estágio de excelência?

Lucena: A informação está disponível. É um dever da empresa formar o profissional, pois não existe gente pronta. Por mais que seja recrutado alguém da concorrência, essa pessoa talvez entenda muito da outra empresa, mas não da atual. Então, é preciso formar essa pessoa. É possível ensinar técnicas de venda, é possível ensinar a parte operacional da loja, é possível ensinar produto. É preciso somente vontade do candidato. Claro que o profissional também pode correr atrás da capacitação – hoje, tudo está muito facilitado –, mas, de modo geral, cabe à empresa essa formação, é o dever dela. RE: Qual é o futuro do varejo? Lucena: É um futuro de muita competência, de muita competição e quem vai se sobressair é quem for realmente bom, desde a empresa até a marca. Quem oferecer velocidade ao cliente, que é muito dinâmico. Quem tiver velocidade como competência, acredito, irá se sobressair.

Daniel Zimmermann / FFM

É preciso demonstrar algum tipo de diferença para o cliente, senão corre-se o risco de cair dentro de uma vala comum


REFRIGERAÇÃO

Reconfrio é destaque

em Santa Catarina Fotos Daniel Zimmermann

Família Reconfrio: Nylson Braun e Enedina com os filhos Marco Aurélio, Kátia e Nylson Júnior

Quando começou o negócio, na garagem de casa, em 1965, Nylson Braun não imaginava que poderia tornar-se um dos principais distribuidores e prestadores de serviços na área de refrigeração para todo o Estado. Foram oito anos de trabalho informal até que, em 1973, juntamente com a esposa Enedina

Maria Braun, inaugurou a Refrigeração Reconfrio. Atualmente, a empresa é administrada pelos filhos Marco Aurélio, Kátia e Nylson Júnior e segue para a terceira geração da família, pois Ricardo e Juan, filhos de Kátia, já atuam na empresa. Este ano, a Reconfrio completou

40 anos e planeja novos projetos de ampliação e crescimento na área de refrigeração. “O sucesso desses 40 anos está na dedicação ao trabalho, base da consolidação da marca no mercado”, afirma Kátia. A Reconfrio é reconhecida pela qualidade dos equipamentos e serviços e excelência no atendimento. A empresa atende varejo e atacado

Linha do tempo Em 1965, Nylson começou o próprio negócio na garagem de casa. Após oito anos de trabalho informal, resolveu, em 1973, fundar a Refrigeração Reconfrio. A primeira loja foi na garagem da residência, na Rua Pastor Osvaldo Hesse, Bairro Ribeirão Fresco, em Blumenau.

16

Logo, a loja ficou pequena para atender aos clientes e foi necessário mudar para um espaço maior, na Rua Euclides da Cunha, Bairro da Velha. Ali permaneceu por cinco anos, mantendo um pequeno estoque de peças de reposição e componentes para atender à clientela.


nas linhas doméstica, comercial e industrial. Entre as marcas parceiras estão Panasonic, Full Gauge, Embraco, Du Pont, Heatcraft, Carrier e Gelopar, além da Consul, Brastemp e Electrolux para peças de linhas brancas domésticas. A diversificada linha de produtos vai de câmaras frigoríficas, máquinas de gelo, bebedouros, expositores de bebidas, purificadores de água, climatizadores, refrigeradores e congeladores verticais, até condicionadores de ar Split. Com técnicos qualificados, trei-

nados constantemente e preparados para trabalhar com as mais avançadas tecnologias, a empresa presta atendimento em todo o Estado. O diferencial da Reconfrio é a mão de obra. A empresa presta serviço 24 horas, inclusive nos finais de semana e feriados, especialmente em empresas que possuem produtos perecíveis em câmaras e balcões frigoríficos. Além disso, a Reconfrio faz atendimento de manutenção corretiva e preventiva, para evitar problemas futuros e garantir o bom serviço e baixo custo de manuten-

ção ao cliente. “Estamos de acordo com as normas técnicas e isso é uma segurança para o cliente”, diz Marco Aurélio. Para Nylson Júnior, a qualidade do atendimento é essencial. A Reconfrio conta com 20 colaboradores e oferece a eles cursos profissionalizantes e de especialização. Dessa forma, a rotatividade de funcionários é pequena. “Temos um funcionário que já está conosco há 18 anos. Valorizamos, reconhecemos e incentivamos o trabalho dos colaboradores e damos premiações pelo desempenho”, ressalta.

Sustentabilidade Este ano, a Reconfrio apresentará um projeto voltado para a sustentabilidade, que promete reaproveitar gases nocivos liberados no meio ambiente. Kátia diz que essa iniciativa vem para garantir a preservação e a qualidade de vida.

Perfil Razão social: Refrigeração Reconfrio Ltda. Fundação: 20/02/1973 Fundador: Nylson Braun Sede: Rua Marechal Deodoro, 63, Bairro da Velha, Blumenau Funcionários: 20 www.reconfrio.com.br (47) 3329-6288

Em franca expansão, a Reconfrio precisava de um espaço ainda maior e encontrou um local na Rua João Pessoa, também no Bairro da Velha, para montar a loja, visando o atendimento ao varejo e atacado de peças para refrigeração e prestação de serviços.

Após 15 anos, o espaço, mais uma vez, tornou-se insuficiente e a sede da Reconfrio foi para a Rua Marechal Deodoro, 63, no Bairro da Velha, no dia 2 de janeiro de 1992. O prédio foi construído em uma área de 1,5 mil m² e novos projetos de crescimento estão em estudo para melhorar ainda mais a qualidade de atendimento dos clientes. Em breve, a empresa deve contar com uma loja virtual.

17


INVESTIMENTOS

Senac amplia estrutura Fotos Daniel Zimmermann

em Blumenau

A sede do Senac no Bairro Ponta Aguda foi reinaugurada no dia 13 de março, com investimentos de R$ 16 milhões. O prédio, que tinha 2,6 mil m², agora tem 6 mil m². Entre as principais novidades da nova estrutura estão os espaços pedagógicos modernizados e ampliados e a nova instalação, totalmente adaptada para atender aos portadores de necessidades especiais. De acordo com a diretora do Senac, Elita Grosch Maba, foi construído um novo prédio de quatro pavimentos, além de uma reforma e ampliação no antigo edifício. “Foi destinado um andar do prédio antigo para a área de gastronomia e turismo, para darmos suporte às atividades do Restaurante-Escola Senac Bistrô”. A ampliação triplicou a capacidade 18

diária de alunos nos três períodos de funcionamento. Elita garante que a nova estrutura tem condições de receber 3 mil alunos por dia. “Vamos ampliar cursos na área de gastronomia, inclusive com curso superior e também os cursos técnicos de Podologia, Massoterapia, Recursos Humanos, Segurança no Trabalho e Marketing”, informa. Atualmente, a unidade oferece cursos livres (aperfeiçoamento, capacitação e oficinas), aprendizagem (menor aprendiz), técnicos, graduação tecnológica e pós-graduação lato sensu. Com a nova estrutura, o Senac em Blumenau agora possui 11 laboratórios (seis de informática, um de estética facial e podologia, um de estética corporal e massoterapia, um de enfermagem e segurança no trabalho, uma sala show para aulas de gastronomia e serviços de restaurante para 50

alunos e uma cozinha pedagógica para 40 alunos), biblioteca com 300 m², 25 salas de aula com capacidade para 25 alunos, auditório com capacidade para 400 pessoas, área de convivência, cantina, amplo estacionamento, além de toda a área administrativa, que ficou concentrada no térreo. Em todo o prédio, foram colocadas rampas de acesso do térreo ao último andar, com a instalação de sinalização com pisos táteis, direcionáveis e com indicação para deficientes visuais. Os banheiros também receberam adaptação. “Temos acesso para cadeirantes por rampas a todos os andares, banheiros adaptados, piso tátil, todas as salas indicadas em braile, bem como na subida e na descida das escadas e um mapa em braile para indicação de todo prédio na entrada principal”, destaca Elita.


Di Ferrero e Mariana Rios doaram parte do seu cachê para a campanha O Câncer de Mama no Alvo da Moda® marca licenciada do Conselho de Moda da América – Fundação CFDA Inc., EUA. Ao adquirir os produtos contendo o “Alvo Azul”, você estará doando R$ 6,50 (seis reais e cinqüenta centavos) ao Instituto Brasileiro de Controle do Câncer – IBCC.

di ferrero e mariana rios por HerinG

HERING STORE BALNEÁRIO CAMBURIÚ :: Avenida Brasil, 1600 :: Balneário Camburiú Shopping BLUMENAU :: Shopping Neumarkt :: Blumenau Norte Shopping :: Shopping Park Europeu ESPAÇO HERING :: Rua Bruno Hering, 1421 FLORIANÓPOLIS :: Beiramar Shopping :: Shopping Iguatemi JOINVILLE :: Shopping Muller :: Joinville Garten Shopping


eventos

Restaurante-escola passa

por reestruturação Divulgação

Este ano, o Senac Restaurante-Escola se reinventou, com novas propostas e reestruturação, com o objetivo de continuar sendo referência em gastronomia em Blumenau e região. O Senac Restaurante-Escola existe desde 2005, atendendo no jantar com serviço a la carte e cursos na área de gastronomia e, desde 2010, no almoço, com buffet. A primeira mudança foi o nome, que passou de Senac Bistrô para Senac Restaurante-Escola, por uma determinação do Senac nacional com a implantação da nova identidade visual. Além disso, o chef alemão Heiko Grabolle veio agregar seus conhecimentos com a culinária alemã atual. Desde o início de abril, a equipe de profissionais do Senac Restaurante-Escola já trabalha nas mudanças do restaurante em conjunto com o diretor da unidade, Fábio Ricci, e com a assessoria de Grabolle. O cardápio está sendo reconstruído pelo chef alemão com a proposta de oferecer experiências 20

gastronômicas e alta qualidade no serviço. Essa proposta de trabalho fica por conta da forma que contempla os ingredientes já tradicionais da gastronomia alemã, com temperos e produtos leves e pioneiros da região. O almoço conta com algumas mudanças, como a inclusão de um prato alemão todo dia no bufê. O jantar e os cardápios de eventos também passarão por mudanças em breve. A reestruturação também contempla uma reforma no ambiente, para dar a cara da proposta que o chef alemão está trazendo para o Senac Restaurante-Escola.

Heiko Grabolle Chef alemão radicado no Brasil desde 2003, Heiko Grabolle vive em Florianópolis. Proprietário da Heiko Grabolle Gastronomia, é membro da Associação dos Chefs Alemães VKD e um dos organizadores do Cruzeiro Gourmet. Tem passagens por restaurantes e hotéis da Alemanha, Suíça, Itália, Espanha e Inglaterra, entre outros.

Serviço Senac Restaurante-Escola Capacidade: 70 pessoas Onde: Alameda Rio Branco, 165, Jardim Blumenau – Casa do Comércio Horário de funcionamento: almoço (bufê a quilo) de segunda a sábado, das 11h30min às 14h. Jantar (a la carte), de terça a sexta-feira, das 18h às 23h. Eventos: sábados


Mercado Imobiliário

Acesse a versão digital e veja mais fotos

http://www.mundieditora.com.br/revista/empresario/

A transformação do jeito de morar A busca pela diferenciação foi, desde o início, o foco do planejamento da Vasselai Incorporações. Com a visão de que hoje se vive de maneira diferente, a empresa prioriza aspectos como convivência, informalidade e comodidade na hora de dar início a um novo projeto, buscando construir um espaço que, além de qualidade, traga design e inovação. 22

O nome Vasselai atua no mercado imobiliário há mais de 30 anos e já entregou milhares de lotes, galpões industriais para locação e residenciais. Já a Vasselai Incorporações iniciou as atividades em julho de 2000 e trabalha, especificamente, na área de incorporação imobiliária. “No decorrer dos anos, sempre fomos aprendendo com o que já havíamos construído. Sempre nos mantemos de olho nas novidades, ouvimos os clientes e con-

versamos bastante com os arquitetos para saber a melhor maneira de dar início a um novo empreendimento”, salienta o diretor Ricardo Vasselai. Ele destaca que foi em meio a esse aprendizado que surgiu o Jazz, primeiro imóvel com mais de quatro andares criado pela empresa e no qual foram inseridos alguns ambientes contemporâneos. “O Jazz foi lançado em 2009 e está sendo entregue agora. Através da construção dele, percebemos a impor-


Acesse a versão digital e confira o vídeo

Fotos divulgação

http://www.mundieditora.com.br/ revista/empresario/

Free – condomínio que está sendo construído no Bairro Victor Konder. “Foi um passo ainda mais arrojado. Trouxemos uma arquitetura contemporânea com ambientes no mesmo direcionamento do Jazz e inserimos novos elementos, como acabamentos e texturas diferentes”, destaca.

Razão Social: Vasselai Incorporações Ltda. Fundação: 20 de julho de 2000 Fundador: Ricardo Vasselai Sede: Blumenau Projetos Arq. Col. www.vasselai.com.br/arqcolab Design ID www.vasselai.com.br/projetos/design-id Intervenções www.vasselai.com.br/intervencoes www.vasselai.com.br Rua XV de Novembro, 534 Edifício Albor, sala 77 – Blumenau

imm

erm

ann

(47) 3340-4030

lZ

De acordo com o empresário, a Vasselai está focando em três projetos-conceito, sendo um deles o Arquitetura Colaborativa. O site do projeto é uma plataforma que coloca as pessoas ligadas ao processo de discussão do morar contemporâneo. Através de enquetes, o futuro cliente pode opinar sobre o que gostaria de ter disponível na área comum de um condomínio. Todo o trabalho de criação dos ambientes do Free foi feito com base nas respostas desse projeto. “Esse espaço virtual nos deu um feedback muito bom e embasou bastante as decisões em relação ao Free. Hoje, o cliente quer participar do projeto, quer colaborar, e nada melhor do que estar online para ter essas respostas”, diz. Outro projeto da empresa é o Design ID, no qual um designer ou arquiteto é convidado para projetar um ambiente exclusivo para cada novo empreendimento. “Quando trazemos uma pessoa de fora do projeto, temos uma percepção totalmente nova e diferente. No Jazz, a designer convidada fez todo o projeto e conceito do ambiente no último andar, transformando o espaço no Cubo de Vidro. Já no Free, o pessoal do Fetiche Design vai personalizar o hall de entrada e os elevadores”, explica Ricardo. Além de design, a arte também é encontrada pelos condomínios criados pela Vasselai. Com a ideia de que a arte é aliada da boa arquitetura, a empresa desenvolveu o projeto Intervenções, no qual artistas urbanos são convidados a trazer traços diferentes aos empreendimentos – em lugares que antes eram deixados de lado, como garagens e escadarias ou a própria estrutura da obra em andamento. Segundo Vasselai, a arte contemporânea está cada vez mais presente no dia a dia e, com o Intervenções, o empreendimento ganha a própria identidade. “Queremos trazer a arte para dentro da obra. Essa ideia está sendo implantada no Jazz, onde um artista vai pintar toda a escadaria do hall, transformando em obra de arte uma área que antes não teria tanto uso”, salienta.

PERFIL

nie

Diferentes olhares

O Free foi lançado em 2012 e a previsão de entrega é para 2015. Ambientes coletivos como o Office, o Pub, o Fitness e o Espaço Gourmet, integrado com um pequeno cinema, e um terraço aberto fazem parte do projeto. Voltados ao público jovem, esses ambientes possuem design característico.

Da

tância em investir, além da qualidade, na boa arquitetura e design em nossos empreendimentos”, salienta. Para o diretor, o sucesso na comercialização dos apartamentos foi um incentivo para a Vasselai continuar aliando o design e a arte aos novos projetos. Assim, foi criado o


Tributação

Em defesa do

contribuinte

Fotos Alexandre Eggert

Sobre o código Líderes de entidades empresariais participaram do corte do ‘Bolo Tributário’, em frente à escadaria da Catedral São Paulo Apóstolo

Pelo quinto ano consecutivo, entidades empresariais de Blumenau e região se reuniram em frente à escadaria da Catedral São Paulo Apóstolo para o corte do ‘Bolo Tributário’. A ação, organizada por diversas entidades empresariais e sindicais, com coordenação do Sescon Blumenau, é relativa à Semana Nacional de Respeito ao Contribuinte, que busca conscientizar a população sobre o alto valor pago em tributos nacionais. Foram 4 mil fatias de bolo – que trazia os nomes dos impostos pagos no País – distribuídas à população. No local, também foi exposto um banner com uma linha do tempo dos impostos. Organizado pela Acib Jovem, o painel mostrava o aumento das taxas de 1947 até 2012. Além 24

disso, também foi apresentado o ‘Varal Tributário’ – uma exposição com imagens de diversos produtos com os respectivos percentuais de impostos. A Semana Nacional de Respeito ao Contribuinte em Blumenau teve como tema o Código de Defesa do Contribuinte, projeto de lei que está em fase final de preparação para ser votado no Congresso Nacional. Durante a realização do Bolo Tributário, ocorreu a coleta de assinaturas em favor desse projeto para, posteriormente, ser encaminhado aos deputados e senadores de Santa Catarina. De acordo com Daniela Zimmermann Schmitt, presidente do Sescon Blumenau, a coleta de assinaturas tem o objetivo de pedir aos deputados que votem favoravelmente ao Projeto de Lei 2.557/2011, que trata especificamente dos direitos dos contribuintes.

O Projeto de Lei do Código de Defesa do Contribuinte tramita no Congresso Nacional sob no. 2.557/2011. Ente os direitos previstos estão: O adequado e eficaz atendimento pelos órgãos e unidades fazendárias O acesso a dados e informações pessoais e econômicas que a seu respeito constem em qualquer espécie de fichário ou registro, informatizado ou não, dos órgãos integrantes da Administração Tributária Federal, Estadual, Distrital ou Municipal A efetiva educação tributária e a orientação sobre procedimentos administrativos A apresentação de ordem de fiscalização ou outro ato administrativo, autorizando a execução de auditorias fiscais, coleta de dados ou quaisquer outros procedimentos determinados pela administração tributária O direito à utilização de meios eletrônicos que facilitem o exercício das obrigações de contribuinte e acompanhamento do processo administrativo fiscal


Público compareceu e recebeu informações sobre a carga de impostos que incide sobre os diversos produtos que consumimos

Conscientização nas escolas

Bolo trazia inscritos nomes dos diversos impostos cobrados no Brasil

Em 17 de maio, teve início o trabalho nas escolas sobre educação fiscal, com a distribuição de cartilhas educativas. A ação, que aborda o Código de Defesa do Contribuinte, busca esclarecer as crianças sobre os direitos que virão a ter quando pagadoras de impostos. No total, foram distribuídas 15 mil cartilhas ilustradas com quadrinhos do personagem Vovô Chopão. “A cartilha foi elaborada com base nos direitos elencados no código, levando às crianças informações sobre os direitos que cada cidadão passa a ter com a aprovação do novo código”, destaca Daniela.

Entidades participantes do ‘Bolo Tributário’ Sescon Blumenau

Sindilojas

Sirecom

Fenacon

Setcesc

Sihorbs

Acib

Sinduscon

Secovi

Acib Jovem

Sincavi

Sindicato das Empresas Gráficas

Ampe

Sindicatos das Serrarias

Siapb

CDL

Simmmeb

Sierc SC/RS

Sebrae

Sindasseb

Sintex

Intersindical Patronal

Sinpeb

Singavale

25


varejo Fotos divulgação

Michelle Chequeto, 1ª princesa; a rainha Josiele Sabino; e a 2ª princesa Lissara Trindade Costi

A nova realeza do comércio No dia 4 de maio, ocorreu mais uma edição do concurso que elege a Rainha e Princesas do comércio de Blumenau, promovido pelo Sindicato do Comércio Varejista de Blumenau e Região (SINDILOJAS). O evento, na 12ª edição, foi realizado no Clube Blumenauense de Caça e Tiro e se consolida como meio de divulgação do comércio do Município para outras regiões. Além da beleza, as 10 candidatas que concorreram ao título este ano tiveram que mostrar muita simpatia e desenvoltura nos três desfiles da noite. Primeiro, entraram com um traje militar, seguido de traje fitness e, por último, com vestidos de gala. As torcidas animaram ainda mais a noite. Entre todas, a que fez mais barulho, considerada a melhor do concurso, foi a do Ateliê do Papel. Os jurados do concurso elegeram como a Rainha a bela Josiele Sabino, comerciária representante da Dickmann Material de Construção; Michelle Chequeto, da Cooper, foi eleita a 1ª Princesa; e Lissara Trindade Costi, do Angeloni, a 2ª Princesa. Elas deverão participar e divulgar eventos relacionados ao setor. 26

Apoiadores do evento Concredi – Cooperativa de Crédito Cooper – A Nossa Cooperativa Janfer Sport – Fitness e Moda Praia Kibaguetti – Doce Vida Very Noivas Thabrulai Sesc Senac Lunozê Joias Sindicato dos Empregados no Comércio de Blumenau Singavali Sincofarma Sincavi Pittol Calçados Otto Caça e Peça Ótica Heusi Cine Foto Carlos Doce Flores


Premiação Rainha R$ 2.000,00 Final de semana com acompanhante na Pousada Rural Sesc – Lages Book do Cine foto Carlos Óculos da Óptica Heusi Curso de Capacitação do Senac 1ª princesa R$ 1.000,00 Final de semana com acompanhante na Pousada Rural Sesc – Lages Curso de Capacitação do Senac 2ª princesa R$ 500,00 Final de semana com acompanhante na Pousada Rural Sesc – Lages Curso de Capacitação do Senac Todas as participantes também ganharam: Conjunto de gargantilha e brinco da Lunozê Joias Três meses de academia no Sesc Curso de aperfeiçoamento do Senac


Qualificação

Projeto prepara jovens profissionais Daniel Zimmermann

O Sindicato dos Corretores de Seguros de Santa Catarina (Sincor) colocou em prática o projeto Sincor Profissional do Amanhã e está capacitando jovens concluintes do Ensino Médio ao mercado de trabalho. Os alunos são encaminhados ao Sindicato pelo Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee). As aulas são ministradas por corretores de seguros e o conteúdo programático do curso foi desenvolvido pelo próprio Sincor. Nos meses de fevereiro e março deste ano, o Profissional do Amanhã capacitou 18 jovens e já 15 foram absorvidos pelo mercado como estagiários. “O objetivo do curso é atender a demanda do mercado e preparar recursos humanos de modo que, ao iniciarem a carreira profissional, os jovens tenham uma noção básica que vai desde como se comportar no ambiente corporativo até o conhecimento das principais operações da corretagem de seguros; sem falar no ‘segurês’, que também é alvo do curso”, explica o presidente do sindicato, Odair Roders. Entre os conteúdos trabalhados também estão noções de endomarketing, princípios básicos dos seguros, como funciona e qual a estrutura técnica de uma operação de seguros. O período de formação é de 45 dias e as aulas são ministradas na sede do sindicato, em Blumenau. “Ao concluir o curso, o aluno é capaz de realizar os cálculos das operações de seguros mais usuais, como de automóvel e residencial”, destaca Roders. Para frequentar as aulas é preciso ter conhecimento básico de informática, boas notas e alto índice de presença nas aulas do Ensino Médio. Complementando a formação, os jovens passam por uma avaliação psicológica. Por meio de um 28

Na prática Para a estudante Franciele Aparecida Anacleto, aluna do terceirão da Escola de Educação Básica Heriberto Joseph Muller, do Bairro Fortaleza, a formação valeu muito. Ela assinou um termo de estágio com a PBS Corretora de Seguros e está muito feliz com as atividades que realiza. “Nunca tinha imaginado trabalhar com corretagem de seguros, estou gostando bastante da atividade e do dia a dia na empresa”, afirma. O diretor da PBS, Marco Aurélio Soares, também está satisfeito. “Sentimos uma grande diferença em relação aos jovens contratados anteriormente e vamos continuar apoiando a iniciativa do sindicato”.

teste, o aprendizado é avaliado, bem como são definidas as áreas de interesse para uma qualificação mais aprofundada, visando o crescimento na corretagem de seguros. “Também estabelecemos uma parceria com a Shape Academia e com o Instituto Embelezze, que colaboraram na orientação e preparo dos jovens quanto às questões relacionadas ao visual e à postura que devem adotar para passar uma boa

impressão no primeiro emprego”, conta o presidente. Em abril, o curso deu uma pausa para ser avaliado pela diretoria do sindicato, que pretende estendê-lo a outras cidades do Estado. “Nossa intenção é fazer com que a formação evolua, atendendo cada vez mais e melhor às necessidades das corretoras”, destaca o presidente. O convênio com o Ciee já foi firmado em nível estadual.


Sustentabilidade PROCESSOS PRODUTIVOS SUSTENTÁVEIS E AÇÕES QUE VÃO AO ENCONTRO DO BEM-ESTAR COMUM AGREGAM VALOR ÀS MARCAS E FIDELIZAM CLIENTES


Sustentabilidade

Banco de imagens

Ações que geram lucro e respeito Os processos de transformação social vêm sendo adotados, cada vez mais, por diferentes empresas em todo o mundo. Hoje, o mundo empresarial está mais atento à questão de trabalhar políticas de sustentabilidade que, além da melhoria ambiental, geram lucro. “As empresas podem adotar medidas em curto e longo prazo, trabalhando, principalmente, questões pontuais que envolvem o conceito de meio ambiente. A empresa deve en-

30

xergar isso como uma oportunidade”, destaca Thiago Vizine da Cruz, economista e mestre em desenvolvimento regional.

na qual podem ser utilizados itens como iluminação natural, materiais de origem certificada, reuso de água, descarte de entulho, entre outros.

Além de ser uma forma de estratégia da empresa, trabalhar com ações sustentáveis gera resultados concretos que são traduzidos em práticas e processos de trabalho: diminui custos, reduz riscos, evita desperdícios e melhora relacionamentos.O trabalho sustentável pode começar, por exemplo, já na construção da empresa,

Essa construção sustentável tem um custo, em média, 15% mais alto, mas se justifica pela redução de custos operacionais em curto prazo. Já na logística e na operação da empresa, iniciativas como o descarte de embalagens junto a cooperativas e indústrias de reciclagem – além de economia – geram emprego e renda.


Sustentabilidade Divulgação / Cooper

Preferência do público consumidor Os consumidores têm se tornado cada vez mais conscientes e engajados em ações ambientais, participando com mais frequência de programas de coleta seletiva, adquirindo produtos orgânicos, produtos de marcas ou de manejo sustentável.Cruz explica que, atualmente, as pessoas dão mais valor às empresas que trabalham com ações de preservação e preferem adquirir produtos dessas que investem em práticas socialmente responsáveis. “Os trabalhos relacionados à sustentabilidade geram benefícios não só financeiros, mas também agregam prestígio à marca. Tão importante, ou até mais, é que, na medida em que fazem isso, as empresas ganham prestígio frente aos consumidores”, salienta o economista.

Sustentabilidade interna Dentro da empresa, os colaboradores também podem ser alvo de práticas interessantes, desde o estímulo à participação no processo de sustentabilidade, até a adesão a programas de voluntariado e relacionamento comunitário. A empresa, indiferente do tamanho, pode, ainda, posicionar-se como parceira na solução de problemas locais e no desenvolvimento das comunidades em que atua. Em Blumenau, a MPL SanMed – Segurança e Saúde do Trabalho, desenvolve um trabalho de conscientização com os colaboradores. O programa, chamado “Consciência Coletiva”, abrange diversas ações relacionadas à sustentabilidade e à prática de hábitos saudáveis. A diretora-executiva da MPLSanMed, Patrícia de Oliveira Gonçalves, salienta que, inicialmente, o programa surgiu com o objetivo de reduzir custos internos, como o consumo de papel, o gasto de energia etc. Para isso, foram colados adesivos pela empresa que lembravam a importância de manter essas pequenas atitudes. “Também colocamos um painel em cada andar com recados em que convidamos as pessoas – colaboradores e visitantes – a refletirem sobre o assunto, levando essas atitudes para além da empresa”, explica. A MPL San Med mostra que não é preciso ser um empreendimento grande para trabalhar com ações voltadas à melhoria da saúde e do ambiente. Atualmente, a empresa conta com 12 colaboradores que, semanalmente, recebem dicas e orientações sobre como manter hábitos saudáveis. A cada dois ou três meses, são realizadas atividades coletivas, geralmente, em conjunto com outras ações desenvolvidas por grupos da região. “Participamos, por exemplo, da Caminhada Ecológica da Vila Itoupava e do programa Viver Mais e Melhor, da Cremer. Somos um grupo pequeno para desenvolvermos ações somente para nós, por isso, optamos por incentivar nossos colaboradores a fazerem parte dessas diferentes atividades”, destaca a diretora. Recentemente, a empresa lançou a ‘Parede da Leitura’ – em parceria com a BluLivro - como forma de incentivar o hábito da leitura entre os colaboradores. Foram dispostos livros para que os funcionários possam levar para casa. Eles também foram convidados a trazerem os próprios livros para aumentar o número de exemplares disponíveis na ação. Além disso, representantes da BluLivro conversaram com a equipe sobre a importância da leitura e presentearam os colaboradores com cartões fidelidade da loja. 32

Na rede Cooper, os clientes são incentivados a usar sacolas retornáveis (acima). Abaixo, a Parede da Leitura, da MPL San Med Daniel Zimmermann


Sustentabilidade

Reciclagem, reutilização e redução Por definição, produção nada mais é do que um processo que tem como objetivo mudar a forma de um determinado material, como o algodão, por exemplo, transformado-o em fio – depois em tecido e em roupas –, sendo adaptado para um produto que seja útil para o consumo. Durante a produção de diferentes itens, muitos são os resíduos gerados, o que faz necessário às empresas pensarem na melhor solução para aproveitar os recursos disponíveis e tornar o processo produtivo o mais eficiente possível. O mestre em Administração e professor da FAE Fabiano Goldacker salienta que é possível melhorar o processo produtivo por meio do planejamento, pois é esse passo que vai alocar da melhor maneira os recursos disponíveis. Se uma empresa não planeja as atividades, boa parte do que ela faz não será aproveiFotos banco de imagens

34

tado. “Processos produtivos mal planejados irão gerar mais perdas, por conta do excesso de trocas e intervenções que são feitas na produção e por causa do excesso de produtos com defeito que, fatalmente, serão produzidos. Aí teremos um processo cuja produtividade é baixa e, com isso, temos um volume maior de resíduos”, diz. O professor destaca, porém, que o foco principal do planejamento da empresa não deve ser a eliminação do resíduo, já que esse faz parte do processo produtivo. O que a empresa deve fazer é usar os chamados 3R da sustentabilidade: reciclar – reprocessando o resíduo para que ele seja transformado em um material diferente; reutilizar – reinserir o resíduo no processo produtivo; reduzir – usar racionalmente os recursos disponíveis. A consciência de que reaproveitar e reciclar resíduos são boas opções tanto do ponto de vista econômico quanto

ambiental já é percebida pela maioria das pessoas. No Brasil, por exemplo, de acordo com uma pesquisa realizada em 2010 pelo IBGE, 91,5% das latas de alumínio utilizadas são recolhidas para reciclagem. Para a indústria, isso representa uma grande vantagem, pois produzir latas extraindo matéria-prima sai aproximadamente 20 vezes mais caro do que reciclar. Em relação ao restante do Brasil, Santa Catarina tem uma cultura maior de reaproveitamento dos resíduos sólidos gerados pelo consumo de produtos industriais. Goldacker salienta que isso não significa que não sejam produzidos resíduos, mas que, devido ao reaproveitamento, o número kg/habitante/dia, em geral, é um dos menores do País. “Esse fato traz, também, benefícios à saúde pública por conta da menor proliferação de doenças decorrentes do mau armazenamento ou não tratamento do lixo gerado”, destaca.


Requisitos Gerais para a Sustentabilidade Em 2010, o Inmetro definiu uma proposta com os Requisitos Gerais para Sustentabilidade e Processos Produtivos. Essa normativa estabelece princípios, critérios e indicadores de sustentabilidade que visam a melhoria dos processos de produção, estimulando as empresas industriais a se adequarem. “Entre as propostas, eu destacaria a questão da rastreabilidade de todos os produtos, desde a compra de insumos até a venda do produto final, passando pelo processo produtivo e incluindo os produtos rejeitados e estoques. Isso permite ter um controle maior do processo produtivo e, mais importante, que se conheça a cadeia logística reversa dos produtos”, salienta Goldacker.

Outro item importante é a avaliação do ciclo de vida. Com produtos cada vez mais tecnológicos, os ciclos se tornam mais curtos. Assim, os produtos tornam-se obsoletos mais rapidamente, sendo necessário, novamente, entrar a questão da logística reversa, pois as empresas devem viabilizar o descarte do produto antigo. “Além dos requisitos técnicos de qualidade intrínsecos aos produtos, o Inmetro irá avaliar os requisitos de sustentabilidade inerentes a cada processo produtivo. Ou seja, não bastará fazer produtos que funcionem e que atendam às normas técnicas, elas terão que fazê-lo atendendo aos requisitos de sustentabilidade que estão previstos nessa normativa”, destaca Goldacker.

Sete princípios Instrução Normativa para Requisitos Gerais de Sustentabilidade de Processos Produtivos do Inmetro Princípio 1 – Cumprimento da legislação

PAGUE SEUS IMPOSTOS MUNICIPAIS EM ATRASO PARCELADOS EM ATÉ 96 VEZES, COM DESCONTO DE ATÉ 100% SOBRE JUROS E MULTAS.

Princípio 2 – Gestão sustentável dos recursos naturais Princípio 3 – Preservação, conservação e recuperação da biodiversidade Princípio 4 – Respeito às águas, ao solo e ao ar Princípio 5 – Valorização e bem estar dos trabalhadores Princípio 6 – Desenvolvimento ambiental, econômico e social das regiões em que se inserem as atividades da organização Princípio 7 – Promoção da inovação tecnológica O documento completo está disponível em www.inmetro.gov.br/legislacao/ rtac/pdf/RTAC001827.pdf

O Programa Renovar Blumenau oferece esta oportunidade, até 29 de maio, para pessoas físicas e jurídicas que queiram ficar em dia com seus débitos. Programa Renovar Blumenau. Informe-se e participe. www.blumenau.sc.gov.br

Secretaria Secretaria Municipal da Municipal da FazendaFazenda


Sustentabilidade

Canteiro de obras sustentável

Novos prédios lindos e modernos brotam nos terrenos de Blumenau com rapidez ímpar. Cada vez mais, arquitetos gabam-se de seus projetos construídos à luz da arquitetura sustentável ao mesmo tempo em que compradores preocupam-se em adquirir moradias ecologicamente corretas. Entretanto, pouco se discute sobre como foi o processo de construção do empreendimento e se nessa etapa houve preocupação com o meio ambiente.

Segundo o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Blumenau (Sinduscon), Amauri Alberto Buzzi, as empresas representadas pelo sindicato adotam, na medida do possível e da necessidade, as recomendações da entidade.

“O termo sustentável é uma medida econômico-social para as empresas. As mudanças exigem investimento e isso é discutido levando-se em conta a sustentabilidade”, afirma. Buzzi acrescenta que, atualmente, os canteiros de obras estão mais modernos, mais limpos, organizados e se aproximam com a dinâmica dos pátios de indústria tradicionalmente conhecidos. Segundo o presidente, há muitas maneiras de tornar os processos mais sustentáveis e cada empresa utiliza sua expertise para tirar o melhor resultado disso. Porém, Buzzi salienta que uma regra importante é planejar partindo do princípio de que tudo o que entra no processo, no canteiro da obra, fique lá para sempre e que nada saia em forma de resíduo. “Isto nos induz à industrialização dos processos construti-

vos”, afirma. O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) criou uma resolução que prevê que os municípios providenciem os espaços para descarte dos resíduos provenientes da construção civil. Entretanto, Buzzi informa que a iniciativa privada de Blumenau se antecipou e criou empresas para esse fim, como prestadoras de serviço, disponibilizando a contratação prévia para coleta e destinação em áreas especiais. “Esses custos devem ser agregados aos produtos. Não teremos preservação sem pagar por isso. Essa transformação vai, aos poucos, sendo incorporada de forma a mudar os processos existentes, para industrializar o setor. O que não faltam são leis e o que falta é fiscalizar, principalmente, a informalidade que não atende a essas determinações”, enfatiza.

Arme-se com as novidades O presidente do Sinduscon acredita que as iniciativas econômicas, de modo geral, têm utilizado na mídia a informação sobre seus procedimentos em relação ao ambiente como forma de promover os seus produtos, dando-lhes, assim, uma melhor imagem. “Há, inclusive, diferenciais de financiamento

às empresas que têm algum processo produtivo sustentável. O consumidor adquire o produto que melhor lhe convém, mas, é claro, a imagem da empresa fica melhor aos seus olhos”. O construtor e os envolvidos na construção civil devem informar-se sobre processos mais limpos por

Canteiros de obras cada vez mais limpos e sem resíduos são tendência na indústria da construção

36

meio de uma participação ativa nos eventos do setor. O sindicato ajuda a informar e manter as ideias inovadoras mais presentes no planejamento das empresas. “A atividade associativa via Sinduscon é o ambiente adequado para a troca de informações oficiais e atuais”, convida Buzzi.


Clientes encaminham material reciclável e ganham bônus para compras na rede de supermercados

De bem com o bairro A geração e destinação correta de resíduos sólidos é um problema que acompanha o desenvolvimento das cidades ao longo dos anos. Cada vez mais lixo é produzido, o que faz com que novas medidas devam ser desenvolvidas para atenuar os impactos ambientais gerados pela comunidade. Pensando nisso, e em incentivar a reciclagem do lixo doméstico pelos cooperados, a Cooper desenvolveu algumas ações de sustentabilidade. “Como prática dos princípios cooperativistas, a Cooper sempre realizou ações em prol da comunidade. Porém, a partir de 2003, ampliou e rees-

truturou essas ações, criando diversos programas de relacionamento, entre os quais está a campanha Bairro Limpo”, destaca Regina Aparecida Eberle, responsável pelo setor de Marketing da Cooper. A Campanha Bairro Limpo incentiva a reciclagem de resíduos domésticos produzidos pela comunidade – como papel/papelão, plástico, vidro, alumínio e metal. Nessa ação, as pessoas levam os materiais até as filiais da Cooper, que revertem o peso deles em bônus de compra na cooperativa. Regina explica que cada material tem um valor específico por quilo e também há diferença nos valores em algumas filiais. “O material leva-

do pelo cooperado deve ser limpo e separado por tipo. Ele é pesado e cada material tem o seu valor. É somado, então, o valor total entregue pelo cooperado e gerado um cupom que dá o direito dele trocar o mesmo por mercadorias disponíveis na Cooper”, diz. A coleta dos materiais recicláveis ocorre uma vez por mês em cada uma das oito filiais. Em 2012, a campanha Bairro Limpo – que faz parte do Programa Cooper Sustentável – arrecadou mais de 18 toneladas de materiais recicláveis. De acordo com Regina, esse material é entregue às empresas parceiras da campanha que o transportam e o descartam de forma correta através da reciclagem, ou o reutilizam.

Além disso, também disponibiliza nas filiais a bolsa retornável, que pode ser reutilizada nas compras, diminuindo o uso das sacolas plásticas. A população também pode levar até a Cooper o óleo de cozinha usado, que é encaminhado para a

destinação correta. Nas cidades de Rodeio e Indaial, o trabalho do Programa Cooper Sustentável com a comunidade se estendeu também às escolas, onde os alunos receberam orientação e participaram de práticas de sustentabilidade e reciclagem.

Cooper Sustentável Além da campanha Bairro Limpo, a Cooper desenvolve outras ações dentro do Programa Cooper Sustentável. A cooperativa oferece sacolas plásticas mais resistentes, com capacidade para até sete quilos. Assim, os consumidores levam menos sacolas em cada compra.

37


Sustentabilidade

Descontaminação de lâmpadas com recuperação de mercúrio Especializada na descontaminação e reciclagem de lâmpadas fluorescentes e resíduos mercuriais, a Apliquim Brasil Recicle, que tem unidade em Indaial, é líder de mercado no segmento e atua há mais de 28 anos com tecnologia exclusiva na recuperação do mercúrio no estado líquido elementar, evitando, assim, a disposição de materiais recicláveis ou contaminantes em aterros sanitários. O fundador e presidente das empresas Datasys, Apliquim Brasil Recicle e Dueto, Mário Guilherme Sebben, e o diretor superintendente da Apliquim Brasil Recicle, Eduardo Sebben, ressaltam que todos os componentes ou subprodutos gerados a partir do processo são submetidos a laudos analíticos para constatação da imunidade do princípio ativo de mercúrio, antes do encaminhamento para as indústrias de reprocessamento. Os componentes reciclados a partir das lâmpadas fluorescentes são encaminhados para várias indústrias de reprocessamento. O vidro, o metal e o pó fosfórico são encaminhados para empresas de São Paulo e Santa Catarina e o resíduo eletrônico 38

(soquetes de lâmpadas compactas) para empresas de São Paulo. O mercúrio, por se tratar de matéria-prima renovável e um resíduo tóxico Classe I, possui um processo de venda diferenciado, de acordo com as normas, acompanhamento e regulamentação do Ibama. “Realizamos a venda do mercúrio elementar recuperado apenas para empresas que possuem cadastro técnico federal, com autorização para a compra e movimentação do material. Ao revendermos o mercúrio recuperado dos resíduos de nossos clientes, estamos contribuindo para a diminuição do volume de importação desse metal altamente tóxico para o nosso País”, destaca Sebben. Como os subprodutos não possuem valor agregado, a escolha das empresas para o reprocessamento se dá em função de avaliação dos critérios de responsabilidade ambiental. Praticamente, todos os materiais são passíveis de descontaminação e reciclagem. Apenas 7% dos materiais resultantes dos processos são considerados rejeitos, ou seja, materiais que não possuem tecnologias disponíveis para a reciclagem. Os processos de reciclagem das

lâmpadas variam de acordo com o modelo do produto. Basicamente, separam-se os componentes de metal (terminais de alumínio, soquetes e estruturas metálicas) e o vidro do pó fosfórico (pó branco contido no interior da lâmpada) para, posteriormente, encaminhar esse pó (ainda contaminado com mais de 80% do mercúrio contido nas lâmpadas) a uma última etapa de atamento chamada de desmercurização térmica, quando o pó é aquecido a mais de 400 graus para a destilação completa do mercúrio. As lâmpadas fluorescentes, por conterem mercúrio, não devem ser jogadas no lixo comum, pois acabam contaminando o ambiente. Alguns municípios realizam coleta seletiva destes resíduos, mas como decorrem custos para o descarte de lâmpadas, muitos acabam não se interessando em sistematizar a questão. Iniciativas individuais de algumas empresas também realizam este trabalho de coleta. Está em trâmite no Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) a legislação que obrigará as lojas revendedoras de lâmpadas a receberem estes materiais de volta.


Sustentabilidade

Coleta Seletiva: faça o seu papel Na sociedade industrializada em que vivemos, a destinação do lixo que produzimos em casa e no trabalho é o principal desafio das administrações públicas. Em Blumenau, cada cidadão produz 680 gramas de dejetos por dia. Sendo assim, separar o que pode ser reaproveitado é colaborar para que matérias-prima não sejam extraídas em excesso e para que seja economizada energia nos processos de fabricação. A comunidade sabe que de nada adianta separar os recicláveis se o Município não é eficiente no papel

de coleta e triagem. Em Blumenau, o destino sustentável por meio da coleta seletiva vem sendo implantada desde 1990, quando a triagem e comercialização era executada pela Sociedade Promocional Promenor, mas ainda não alcançou o estágio de excelência necessário. De acordo com o gerente de Resíduos Sólidos do Samae, João Carlos Franceschi, a Associação de Trabalhadores Coletores de Materiais Recicláveis (Reciblu) faz a triagem e disponibiliza o trabalho de 52 associados. O Samae fornece os nove caminhões com os respectivos motoristas.

“Os resíduos recicláveis coletados pelo Samae são destinados para a Reciblu, que faz a triagem e posteriormente os comercializa. Os ganhos são divididos entre os associados”, informa o gerente. Franceschi conta que algumas empresas têm coleta especial – elas próprias fazem o transporte para a estação de triagem. Outras repassam os materiais a particulares. No comércio e nas residências, a coleta seletiva é realizada de acordo com o roteiro preestabelecido do Samae. “Nos condomínios, o que não é realizado no roteiro do Samae, a coleta é feita por caminhão do mesmo serviço”, esclarece.

Potencialidade e parcerias Para Fraceschi, é preciso melhorar o sistema de coleta e de separação, para que possamos ampliar a quantidade de resíduos reciclados. “Potencial existe, porém, pelo sistema atual, sempre enfrentaremos dificuldades em atender a demanda dos moradores”, diz.

O gerente garante que o Samae está trabalhando na implantação de nova metodologia para efetuar a coleta seletiva. E adianta uma parceria com o Plano Municipal de Habitação de Interesse Social (Semudes) e com a Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP),

Cada um na sua lixeira Contêineres foram instalados na área central de Blumenau, em pontos estratégicos, para facilitar a disposição e a coleta dos resíduos sólidos. “Porém, salientamos que se faz necessária a colaboração dos moradores para a correta separação e disposição dos materiais, porque, diariamente, encontramos resíduos recicláveis e orgânicos misturados”, diz o gerente de Resíduos Sólidos do Samae, João Carlos Franceschi. Ele explica que o objetivo é facilitar a vida dos munícipes, bem como o trabalho da coleta que é realizado diariamente no período noturno, na área central. Mais informações Veja quais materiais são recicláveis na versão digital da Revista Empresário, acessando http://bit.ly/Emp74

40

da Furb, na ampliação do número de cooperativas de trabalhadores na reciclagem. “Com a descentralização desses empreendimentos de economia solidária, buscamos que a logística da coleta, separação e destinação final seja a ideal dentro das exigências legais”, completa.


Acib é notícia

Comissão acompanha definições sobre Ferrovia Divulgação

No dia 8 de maio, o vice-coordenador da Comissão Pró-Ferrovias e diretor para Assuntos da Pequena e Micro Empresa da Acib, Leomir Minozzo, participou de reunião da Frente de Mobilização da Ferrovia da Integração junto à Presidência da Valec, em Brasília. Estiveram presentes o presidente da Frente Parlamentar Mista das Ferrovias, deputado federal Pedro Uczai (PT/SC), lideranças políticas e representantes das associações de municípios de Santa Catarina, o presidente da Valec, Josias Cavalcante, e o diretor de Planejamento, Jair Galvão. No dia 10, foram assinadas em Chapecó as autorizações para licitação do projeto de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), e do projeto básico das obras da Ferrovia da Integração. Na reunião em Brasília, Josias Cavalcante informou que os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental vão levar em consideração o projeto que trata o traçado original da ferrovia, com ramais que ligam Chapecó ao Porto de Itajaí. Segundo Leomir Minozzo, foram discutidos os aspectos que serão levados em conta para a escolha do traçado. Alguns deles são: o traçado deve passar por locais de grande fluxo de caminhões e veículos e que, con-

Reunião em Brasília debateu traçado da ferrovia que vai ligar Oeste ao Litoral

sequentemente, registram grande número de acidentes; o impacto ambiental; o eixo deve ser centralizado para facilitar o escoamento de mercadorias; o desenvolvimento econômico e social para regiões mais pobres do Estado. “Uma vez definidos esses critérios, o grupo precisará de apoio das lideranças políticas para que a Justiça dê celeridade aos processos de desapropriação de terras”, afirmou Minozzo.

BRDE incentiva a exportação

Novos Associados

Com destaque para o workshop realizado pelo BRDE em Blumenau, na sede da Acib, em abril, Santa Catarina já responde por 59 das 590 atividades programadas do Plano Nacional da Cultura Exportadora 2013. Os números compõem o relatório de atividades anuais do plano, que foi apresentado pelo presidente da Apex, Maurício Borges, e pela secretária executiva do ministério do Desenvolvimento, Tatiana Lacerda Prazeres, em Brasília, dia 15 de maio. No evento, o diretor de Planejamento, Renato Vianna, representou o BRDE, que é parceiro no plano do governo federal. O Plano Nacional da Cultura Exportadora prepara empresas e estrutura ambiente institucional visando o financiamento e a ampliação da exportação da produção brasileira, apoiando, principalmente, as pequenas empresas. Para Tatiana, que é neta do ex-governador catarinense Jorge Lacerda, Renato Vianna disse que o Banco levará a atividade de treinamento e capacitação dos empreendedores para o comércio exterior a Joinville e Chapecó, ainda neste ano.

AUTO POSTO BELA JOIA (47) 3222-0602 www.postobelajoia.com.br POLIMEDYCAL (47) 3330-6968 www.polimedycal.com.br INOX DO BRASIL (47) 3326-0064 www.inoxdobrasil.com.br LEAN HANDS TREINAMENTOS (47) 9964-2450 www.leanhands.com.br AUTO POSTO BELA JOIA (47) 3323-8098 www.postobelajoia.com.br Divulgação

TAVARES PEREIRA, HAAS E OLIVEIRA ADVOGADOS (47) 3041-5034 www.tavareshaas.com.br CONTABILIDADE VOLTOLINI (47) 3325-2433 WMF INFORMÁTICA (47) 3041-0466 www.wmfinformatica.com.br ALL MÉDICA (47) 3329-7480

Renato Vianna (D) representou o BRDE no envento em Brasília 42

NOVA ERA IMÓVEIS (47) 3232-1264


Núcleo Web lança podcast O Núcleo Web da Acib lançou, no mês de maio, o primeiro podcast do núcleo, hospedado no website www.acib.net/nucleoweb e denominado “PapoWeb”. A ideia é reunir os representantes das empresas integrantes do núcleo para um bate-papo, abordando temas relacionados à internet e atualidade. Neste primeiro episódio, o debate é sobre as redes sociais. Os participantes falam sobre o surgimento, a atualidade e quais são as perspectivas de futuro para essa área na internet. A cada mês um novo podcast deve ir ao ar, sempre com informações direcionadas a empresas e profissionais interessados no ambiente web. A iniciativa faz parte das ações planejadas para comemorar os quatro anos de existência do Núcleo Web, completados em abril deste ano.

Ronaldo Baumgarten Jr. é o novo presidente do Conselho Deliberativo da Acib. A eleição ocorreu na reunião conjunta entre Diretoria e Conselho Deliberativo da entidade, em 6 de maio. Ricardo Stodieck, que ocupava o cargo até então, foi eleito vice-presidente do Conselho para a gestão 20132015. Baumgarten foi presidente da Acib por duas gestões e deixou o cargo em abril deste ano.

Divulgação

Baumgarten assume o Conselho da acib

Ronaldo Baumgarten Jr. foi presidente da Acib de 2009 a 2013

planejamento estratégico No dia 10 de maio, a diretoria da Acib esteve reunida com o consultor do Empreender, Jassir Cassol, para discutir o planejamento estratégico da nova gestão, que estará à frente da entidade entre 2013-2015. Os diretores discutiram objetivos e ações para o fortalecimento da entidade e dos núcleos setoriais. A partir da reunião, foram criadas comissões temáticas para propor ações práticas para cada uma das áreas debatidas. A visão, a missão e os valores da Associação Empresarial de Blumenau foram readequados. A nova redação ficou da seguinte forma: Visão: Ser reconhecida como referência pela excelência de sua atuação junto aos associados e à comunidade. Missão: Representar os interesses dos associados e estimular a livre iniciativa e o empreendedorismo, bem como promover ações comprometidas com o desenvolvimento sustentável de Blumenau e região. Valores: Espírito de associativismo Comportamento ético e transparente Atitude independente e apartidária Compromisso com a inovação e a sustentabilidade Respeito à memória Promoção da justiça e da cidadania

agenda Palestra: Limpeza consciente e sustentável - nunca ensinaram para você! Data: 04/06 Horário: 19h Local: Sede da Acib Organizador: Núcleo de Gestão da Qualidade Fone: (47) 3326-1230 Curso de Mestre de Obras – Intensivo Data: 08/06 a 20/12 Horário: das 8h às 12h (todos os sábados) Local: Acib Organizador: Data Treinamentos Ltda Valor: R$ 1.499,00 à vista (parcelado em até 1+9 no carnê) Inscrições: (47) 3326 1230 ou eventos@ acib.net Excelência no Atendimento Data: 10/06 Horário: das 19h às 22h Local: Acib Organizador: N. Marinho Valor: R$ 200,00 associados / R$ 220,00 não associados Inscrições: (47) 3326 1230 / eventos@ acib.net / contato@nmarinho.com.br Vitrinismo Data: 11 e 12/06 Horário: das 19h às 22h Local: Acib Organizador: N. Marinho Valor: R$ 200,00 associados / R$ 220,00 não associados Inscrições: (47)326 1230 / eventos@acib. net / contato@nmarinho.com.br Loja Cheia todo dia Data: 13 e 14/06 Horário: das 19h às 22h Local: Acib Organizador: N. Marinho Valor: R$ 200,00 associados / R$ 220,00 não associados Inscrições: (47) 3326 1230 / eventos@ acib.net / contato@nmarinho.com.br Treinamento NR 33 – Para Vigias e Trabalhadores Autorizados Data: 17 e 18/06 Horário: das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30min Local: Acib Organizador: Previne Participações Valor: R$ 290,00, desconto de 10% para associados Inscrições: (47) 3035 6969 / comercial@ previneonline.com.br com Marcela Treinamento NR 33 – Treinamento de Capacitação para Supervisores de Entrada Data: 17 a 21/06 Horário: das 8 às 12h e das 13h30min às 17h30min Local: Acib Organizador: Previne Participações Valor: R$ 590,00 desconto de 10% para associados Inscrições: (47) 3035 6969 / comercial@ previneonline.com.br com Marcela

43


cdl é notícia

Procon ressalta a importância da Vitrine Legal O Procon deve intensificar a fiscalização no comércio para verificar quais estabelecimentos já estão de acordo com o Decreto nº 5.903/06, que regulamenta a Lei Federal nº 10.962/04. A legislação estipula a maneira correta de apresentação das vitrines, especialmente no que diz respeito às formas de pagamento. Desde 2009, Procon e CDL Blumenau realizam a Campanha Vitrine Legal para orientar os lojistas. O presidente da CDL, Paulo Cesar Lopes, informa que a entidade sempre buscou alertar sobre as punições da lei, mas que cada associado

deve agir isoladamente para não arcar com os custos de eventuais multas. “A intenção da Campanha Vitrine Legal não é apenas informar nosso consumidor, mas o turista que vem em busca de boas compras. Já reeditamos essa ação inúmeras vezes, promovemos encontros e orientamos os comerciantes sobre as exigências da lei”, reforça Alexandre Caminha, diretor geral do Procon de Blumenau. A legislação dispõe sobre formas de afixação de preços de produtos e serviços nas vitrines do comércio em geral, sejam restaurantes, lojas, prestadora de serviço e outros previstos em

lei. A afixação de preços em vitrines, segundo o Procon, possibilita mais informações aos consumidores e fornecedores, melhorando a prestação de serviços no comércio da cidade. Pensando em auxiliar os associados a cumprir os requisitos da lei, a CDL disponibiliza gratuitamente a Calculadora Lojista. A ferramenta ajuda no cálculo de parcelas, juros, quitação de financiamento e emissão de etiquetas. O sistema foi preparado para que os dados sejam apresentados na etiqueta em conformidade com a legislação e está disponível no site www.cdlblumenau.com.br.

CDL Jovem oferece diferencial aos associados çar sucesso nas vendas e na recuperação de seus créditos. A segunda edição está sendo organizada e deve apresentar

o tema ‘Contabilidade para não contadores’. Fique por dentro das ações da CDL Jovem acessando o site www.cdlblumenau.com.br. Divulgação

A estreia do Momento Empresarial reafirmou o compromisso da CDL Jovem, criada em julho de 2012 com o objetivo de promover o desenvolvimento profissional e a integração dos jovens lojistas no meio empresarial. A palestra ‘As relações de consumo e crédito sob a ótica empresarial’ lotou o auditório do Sebrae e deixou a organização animada para um segundo encontro. O advogado Gabriel Strazas Henkin abordou os conceitos básicos do Código de Defesa do Consumidor, explicando os direitos e deveres dos consumidores e dos fornecedores. Foi abordado, também, como os lojistas podem minimizar riscos, melhorar o relacionamento com o cliente e alcan-

Nucleados da CDL Jovem participaram de palestra do advogado Gabriel Strazas Henkin, que abordou o Código de Defesa do Consumidor

CDL recebe homenagem da PM No aniversário de 178 anos da Polícia Militar de Santa Catarina, quem ganhou o presente foi a CDL Blumenau. O presidente Paulo Cesar Lopes foi um dos 36 homenageados e recebeu o título de ‘Amigo da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina’. A entrega foi realizada em Florianópolis, durante a sessão solene 44

que marcou a data de criação de uma das organizações mais respeitadas do Estado. O presidente da CDL Blumenau marcou presença para agradecer a homenagem. “Temos uma parceria muito grande com a Polícia Militar, recebemos apoio para realizar nossos eventos com mais tranquilidade e damos suporte às

lutas da corporação blumenauense”, diz. Lopes recorda que o efetivo sempre participa de ações como o Super Sábado e o Primavera na XV e que a CDL contribui fazendo parte do Fundo de Segurança de Blumenau e reivindicando, junto ao Governo do Estado, melhorias para o 10º Batalhão de Polícia Militar.


CDL Blumenau apresenta novos convênios

Agenda

Pensando no lazer e bem-estar dos associados, a CDL Blumenau enriquece o portfólio de convênios, fechando parcerias com o Parque Unipraias e com a corretora de câmbio MultiMoney. Além disso, para incrementar as opções de formação curricular e profissional, a Uniasselvi passa a oferecer mais opções aos associados da entidade, como descontos especiais para cursos de graduação presencial e cursos à distância. O lazer está garantido em Balneário Camboriú, onde os associados pagam apenas R$ 30 para desfrutar de um dia pertinho da natureza, com passeio pelos bondinhos que ligam três estações, saindo da Barra Sul, subindo o Morro da Aguada e descendo na praia de Laranjeiras. Crianças e pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 18. Já as viagens internacionais ficam mais em conta para aqueles que procurarem a MultiMoney. Os associados da CDL Blumenau têm 2% de desconto na compra de moeda estrangeira e no cartão Visa Travel Money. A parceria com a Uniasselvi também foi renovada. Agora, os novos alunos (calouros) ou alunos vindos (transferidos) de outras instituições ganharão desconto de 15% nas mensalidades dos cursos de graduação presencial. Nas mensalidades dos cursos de ensino a distância o desconto é de 10%. Todos os convênios são extensivos a sócios, diretores e proprietários das empresas e instituições filiadas à CDL Blumenau, cônjuges, filhos e dependentes diretos.

Calendário CDL Treinamentos JUNHO

Núcleo da XV organiza eventos para 2º semestre

24 a 27 Liderança Transformadora Desenvolver nas lideranças a conscientização da produtividade profissional e as técnicas e comportamentos frente a pessoas e situações, bem como as habilidades práticas da liderança. Elton Soares 12 horas

A CDL Blumenau já está de olho no calendário do segundo semestre, prevendo dar continuidade às ações de sucesso que contam com a Rua XV de Novembro como cenário. Além do Super Sábado, que ocorre no segundo sábado de cada mês, o Núcleo da XV já está organizando a segunda Primavera na XV, marcada para 21 de setembro. O coordenador do núcleo, Marcelo Althoff, explica que o primeiro passo para a organização do evento é ampliar as opções de gastronomia e fazer com que as pessoas aproveitem ao máximo o dia de atrações na Rua XV de Novembro. Informações pelo telefone 3221-5735.

3a6 Técnicas e Práticas de Vendas Capacitar profissionais da área comercial, através de técnicas aplicáveis e de fácil entendimento. Conscientizar os participantes na necessidade das mudanças póscapacitação para a conquista de melhores resultados em vendas. Márcio Magalhães 12 horas 10 a 13 Contas a pagar/ Contas a receber/ Tesouraria Conceituar e demonstrar as práticas de gerenciamento das rotinas de Tesouraria, Contas a Pagar e Contas a Receber, integrando-as à gestão orçamentária e de Fluxo de Caixa. Carlos Emerson Raduenz 12 horas 17 a 21 Oratória e Comunicação Moderna Desenvolver a autoconfiança nas diversas apresentações em público, lidar com as técnicas de visualização, leitura de um discurso, comunicação eficiente com as hierarquias, discursos preparados e de improviso. Trabalhar a comunicação assertiva como forma de persuasão e convencimento. Carlos Alberto Bittencourt 15 horas

Sobre os cursos Aulas das 19h às 22h, na Casa do Comércio CDL Inclui certificado, estacionamento, apostila e coffee break. Informações e inscrições (47) 3321 5747 / eduardo@cdl-sc.org.br – (47) 3221 5766 / marcos@cdl-sc.org.br Desconto para associado CDL Informe-se sobre condições especiais para grupos e in company

Nucleados discutem parceria com Poder Público Em parceria com a Diretoria de Bem Estar-Animal, da Prefeitura, o Núcleo Pet Bem planeja colocar em prática dois projetos para beneficiar os animais de estimação. Uma das propostas, que já vinha sendo discutida pelos nucleados, é a criação de um parque para cães. O local ainda não está definido e, por isso, a parceria é importante. “Vamos encontrar um espaço que esteja disponível para inves-

timento da Prefeitura e que atenda os desejos daqueles que querem um local para passear com seus animais”, explica o coordenador do núcleo Carlos Henrique Sansão. Outra ideia é a visitação em escolas. O objetivo é conscientizar as pessoas sobre os cuidados que os animais de estimação precisam. Segundo o coordenador do núcleo, para que casos de abandono e maus tratos deixem de

acontecer, o trabalho deve começar com as crianças que, automaticamente, levam as informações aos pais. Fora a parceria, o núcleo planeja a realização de uma palestra sobre o mercado pet com Kika Menezes, em junho. A advogada gaúcha faz parte do Centro Profissionalizante do Segmento Pet e vem a Blumenau para conversar com profissionais da área e estudantes de Direito e Medicina Veterinária. 45


Intersindical é notícia

Secovi reúne correspondentes imobiliários e caixa

46

Fotos divulgação

O Sindicato da Habitação de Blumenau e Região (Secovi) promoveu uma reunião entre os correspondentes imobiliários e a superintendência e gerências da Caixa. A reunião aconteceu na Acib e teve como foco as melhorias que a Caixa deve implementar ao longo do ano com o objetivo de agilizar a aprovação dos contratos de crédito imobiliário. O superintendente regional da Caixa, Renato Scalabrin, afirmou que a estratégia do banco para manter a liderança no financiamento imobiliário está no correspondente. “Mantemos o atendimento ao cliente nas agências, mas o correspondente é o principal foco. O financiamento para habitação cresceu muito e não somente no nível social, mas para todos os níveis de investidor”, destacou. Scalabrin reforçou a necessidade de “evoluir com o mercado” e citou as melhorias que a Caixa está trazendo, como a modernização do sistema de cadastro de documentos. “O cliente é mais exigente, o prazo é menor, a concorrência é maior e o mercado está cada vez mais seletivo; tudo isso torna o papel do correspondente ainda mais destacado”, afirmou.

O novo sistema que a Caixa está implantando inverte o fluxo das operações, deixando a maior parte a cargo do correspondente. “Cabe à Caixa a aprovação do crédito, mas, com todo o trâmite de aprovação de cadastros acontecendo online, o correspondente ganha agilidade e segurança, além da transparência para o cliente, que poderá acompanhar cada etapa do processo”. O superintendente destacou, ainda, a necessidade de investir na qualificação dos correspondentes. “Hoje, 40% dos processos chegam incorretos, o que acaba gerando um volume muito grande de retrabalho. Com o novo sistema,

essa dificuldade deixa de existir, uma vez que o próprio sistema só libera para aprovação o cadastro que estiver com todos os dados e documentos corretos, alimentados diretamente pelo correspondente”. Com isso, o banco pretende reduzir o tempo para aprovação do crédito para 16 horas úteis. Para o presidente do Secovi Blumenau e Região, Rogerio Patrício, a expectativa é grande. “A parceria com a Caixa é muito importante para a movimentação do mercado imobiliário e vamos fazer a nossa parte para que estas melhorias cheguem o mais rápido possível até o cliente”, diz.

Novo sistema de classificação

Frete mais barato para o Nordeste

O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sihorbs) realizou, juntamente com a Santur, uma palestra sobre o Novo Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem. A palestra aconteceu em 13 de maio e reuniu empresários do setor hoteleiro de Blumenau e região. O novo sistema foi criado pelo Ministério do Turismo, em parceria com o Inmetro. A classificação é reconhecidamente um instrumento de divulgação positiva e um importante mecanismo de comunicação com o mercado, que possibilita a concorrência justa entre os meios de hospedagem do País e auxilia turistas, brasileiros e estrangeiros, em suas escolhas. Trata-se de tendência mundial adotada pelo Brasil para atrair ainda mais turistas.

As empresas associadas ao Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário (Sintex) deverão ter fretes com valores reduzidos para o Nordeste a partir dos próximos meses. Isso graças ao trabalho desenvolvido pela Comissão de Transporte do sindicato, que selecionou transportadoras e fará o trabalho de orçamento e contratação de frete com preços especiais para um conjunto de empresas interessadas em levar seus produtos para aquela região. “São poucas as empresas que fazem frete até o Nordeste e há dificuldade em encontrar serviços nesta área, mas, com a força do Sintex e das empresas associadas, conseguiremos prestadores de serviço de qualidade e com o melhor preço”, destaca o assessor de Relacionamento com Associados, Paulo Heinzen.


menos gastos com impostos

Representantes de 30 empresas da região participaram de um curso sobre como pagar menos impostos dentro da legislação atual. O evento ocorreu no dia 26 de abril, no auditório do Senai, em Blumenau, com o palestrante Alexandre Andrade, vice-presidente do Sescon-RJ, e teve o apoio do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário (Sintex). Informações sobre como atuar coletivamente para defender a redução da carga tributária e a simplificação do Sistema Tributário Nacional foram apresentadas no encontro. Além disso, Andrade falou sobre os regimes tributários Simples, Lucro Presumido e Lucro Real, explicando como melhorar o desempenho tributário nas empresas.

Simmmeb na Feira de Manutenção 2013 O Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (Simmmeb) estará presente, com um estande institucional, na 4ª edição da Feira de Manutenção e Equipamentos Industriais, entre 25 e 28 de junho, no Parque Vila Germânica, em Blumenau. O evento já é referência nacional, sendo o único direcionado para mais de 65 setores da manutenção e equipamentos industriais no Sul do Brasil, e tem se tornado uma verdadeira vitrine aos participantes que, em grande parte, são empresas de pequeno e médio porte fornecedoras de produtos e serviços da área industrial. Com a feira, ganham a oportunidade de gerar novos negócios. Para divulgar suas mais de 100 associadas, o Simmmeb preparou materiais exclusivos, como um catálogo com os contatos das associadas, distribuídas por área de atuação. Das empresas pertencentes ao Grupo Painel do projeto PREC – Fortalecimento de Polos Industriais do Setor Metal Mecânico de Blumenau e Região, oito estarão na feira, com participação subsidiada pela parceria entre Simmmeb e Sebrae/SC, pelo Programa Nova Economia@SC.

Sinduscon/Seconci e Sesi oferecem cursos

Ecoseg 2013 deve reunir mais de 500 corretores Mais de 500 profissionais de seguros de Santa Catarina são esperados em Blumenau no Encontro Catarinense de Corretores de Seguros (Ecoseg 2013), de 30 e 31 de julho, no Teatro Carlos Gomes. O evento é uma promoção do Sindicato dos Corretores de Seguros e de Resseguros e das Empresas Corretoras de Seguros do Estado de Santa Catarina (Sincor-SC), sediado na cidade. A programação inclui nomes como o consultor Waldez Ludwig, professor Gretz e o palestrante Edson Talarico. “Durante dois dias, os profissionais terão a oportunidade de se capacitar e estreitar o relacionamento com outros corretores, trocando experiências e aumentando as chances de se destacar no mercado”, afirma o presidente do sindicato, Odair Roders.

O projeto do Sinduscon/Seconci e Sesi que oferece cursos gratuitos de alfabetização, Ensino Fundamental e Médio para trabalhadores da construção civil de Blumenau e dependentes teve início em 8 de maio. Os alunos foram recepcionados pelos representantes das empresas parceiras e pela equipe de educação do Sesi e receberam um kit com mochila, caneta e garrafinha. A primeira turma, com 21 estudantes, é do Ensino Fundamental. As aulas são realizadas duas vezes por semana, no período noturno, no Sinduscon Blumenau. Ainda há vagas disponíveis. 47


Sindilojas é notícia

Centro de Comércio Internacional Atento aos movimentos de mercado do comércio varejista do Vale do Iatajaí, o SINDILOJAS, em parceria com as empresas do comércio, criou um departamento de atendimento para assuntos do comércio internacional. O Centro de Comér-

cio Internacional oferece consultoria para que a loja tenha acesso à importação de produtos, a fim de atender as necessidades dos consumidores. A consultoria mostra como importar diretamente, com melhores condições

de competitividade e rentabilidade maior. Interessados devem contatar o Centro de Comércio Internacional através dos emails neto@sindilojasblumenau.com.br e r.h.neto@terra.com.br, ou pelos telefones (47)-3221-5750 e (47) 8829-9523.

SINDILOJAS e SINCAVI recebem certificados Fotos Divulgação

O presidente do SINDILOJAS, Emílio Rossmark Schramm, recebeu, em 29 de abril, os certificados de participação das entidades no Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs). O Segs foi criado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) para alinhar as práticas de gestão sindical entre todos os integrantes do Sistema Confederativo da Representação Sindical do Comércio (Sicomércio). O programa desenvolve líderes e executivos sindicais com o objetivo de melhorar a atuação na defesa dos interesses das empresas que representam. Participaram do Ciclo de 2012, representando o SINDILOJAS e o Sincavi, as colaboradoras Izabel Cristina Leite e Bárbara Schmoeller.

Schramm recebeu os certificados de participação dos colaboradores

Sustentabilidade Empresarial foi o tema de encontro nacional Promovido pelo Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Maquinismos, Ferragens, Tintas, Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de Curitiba e Região Metropolitana (Sindilojas Curitiba) e pelo Sindicato dos Representantes Comerciais do Paraná (Sirecom/PR), o 29º Encontro Nacional de Sindicatos Patronais foi realizado de 15 a 17 de maio, na Expo Unimed, em Curitiba. Com o tema ‘Sustentabilidade Empresarial’, o evento buscou fomentar a troca de conhecimentos e a análise de temas ligados ao desenvolvimento do comércio e do sindicalismo patronal brasileiro. “Que esse encontro se torne para nós todos um evento inesquecível que poderemos lembrar pelo

48

seu sucesso”, afirmou o presidente do Sindilojas Curitiba, Ari Faria Bittencout. O presidente do Sirecom/PR , Paulo Cesar Nauiack, comemorou a reunião de mais de 1,2 mil líderes sindicais no encontro em prol do fortalecimento do comércio de bens, serviços e turismo, que corresponde a um volume superior a 50% do PIB do País. “Fazemos parte de um círculo virtuoso da economia. Encabeçamos a geração de empregos, garantimos renda à população e criamos condições favoráveis ao consumo, o que garante sustentabilidade, ampliação e novos negócios. Nossos segmentos se caracterizam pela transversalidade e capilaridade. Estão em todos os povoados, vilas, municípios, dos mais de 5 mil deste nosso

Brasil. Gerando emprego e renda para todos os brasileiros”, ressaltou. O evento contou com uma rica programação técnica, incluindo reuniões de executivos, assessores jurídicos e de comunicação, apresentações de cases de sucesso e palestras com temas como Sustentabilidade, Cooperativismo de Crédito, Shopping Centers, Comércio de Ruas, Negociação Coletiva, entre outros. O grupo de Blumenau foi formado pelo presidente do SINDILOJAS, Emilio Rossmark Schramm; presidente Sincavi, Célio Fiedler; diretor executivo do SINDILOJAS, Márcio Salvador Rodrigues; Diretor DO SINDILOJAS, Rui Felsky e pelo assessor de comunicação José Geraldo Reis Pfau.


SINDILOJAS institui Conselho Consultivo Está marcada para as 9h do dia 14 de junho, no auditório do Senac, na Avenida Brasil, 610, Bairro Ponta Aguda, a primeira reunião do Conselho Superior do SINDILOJAS. O conselho vai se reunir a cada três meses para discutir um tema específico, de interesse geral. O conselho é composto pelo ex-prefeito Felix Theiss; secretário estadual de Educação, Eduardo Deschamps; juiz do Trabalho, Nelson

Hamilton Leiria; professor de Economia Pedro Paulo Hugo Wilhelm; advogado Sérgio Fernando Hess de Souza; presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt; ex-presidentes do SINDILOJAS Alexandre Peters e Marco Aurélio Hirt e representantes do Sesc, Roberto Anastácio Martins, e do Senac, Rudney Raulino. O primeiro encontro contará com a palestra do ministro do Superior Tribunal de Justiça

Coluna Jurídica NECESSIDADES ESPECIAIS Uma trabalhadora portadora de necessidades especiais dispensada sem justa causa, em outubro de 2008, ajuizou ação na Justiça do Trabalho pedindo reintegração ao emprego, alegando que, embora a empresa tivesse admitido outra pessoa deficiente, a contratação não ocorreu para o mesmo cargo. Ante a improcedência do pedido em primeiro e segundo grau, recorreu ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), tendo a Primeira Turma, por maioria de votos, determinado sua reintegração ao emprego, condenando o empregador, ainda, ao pagamento dos salários vencidos e vincendos, vantagens correspondentes, além dos benefícios que a reclamante teria direito se estivesse em atividade. Apontando decisão precedente da Quarta Turma do TST, o relator do processo, ministro Lélio Bentes Corrêa, afirmou que a demissão de um trabalhador com deficiência só pode ocorrer mediante a contratação de substituto para o mesmo cargo. Do contrário, estaria sendo facultada uma via transversa para dispensar portadores de necessidades especiais que já houvessem galgado postos de maior hierarquia, mediante a contratação de outros empregados em setores menos relevantes ou com responsabilidades subalternas, afirmou. O ministro destacou a finalidade social da Lei nº 8.213/91, que é assegurar a inclusão da pessoa portadora de necessidades especiais no mercado de trabalho com possibilidade de crescimento na hierarquia da empresa. “O artigo 93 da referida norma legal estabelece que empresas com 100 ou mais empregados são obrigadas a preencher de 2% a 5% dos cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas com deficiência, habilitadas, e a dispensa imotivada só poderá ocorrer após a contratação de substituto de condição semelhante. Ao se admitir que a restrição quanto à contratação de substituto de condição semelhante refira-se apenas ao valor numérico da cota, há sim, uma possibilidade bastante factível de se restringir o alcance da norma no que diz respeito à garantia de progressão funcional desses trabalhadores. Estou absolutamente convencido de que o alcance social da norma só é plenamente atingido mediante a observância estrita dessa garantia nos termos ditados pelo dispositivo legal”, concluiu o ministro. Processo RR 231700-03.2009.5.02.0070 Fonte: Tribunal Superior do Trabalho

(STJ), Marco Aurélio Buzzi, que falará sobre a ‘A Consolidação da Política Nacional de Solução de Conflitos’. A ideia central é debater por que a solução de conflitos não deslancha como alternativa para a morosidade e o alto custo das ações judiciais. A palestra será aberta ao público. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site www.sindilojasblumenau.com. br ou pelo telefone 3221-5725.

Vendas no Dia das Mães cresceram 3,85% A pesquisa da Fecomércio-SC com o resultado das vendas do Dia das Mães 2013 revelou um pequeno crescimento em relação ao ano anterior, tanto no gasto médio dos consumidores (1%) quanto na variação do faturamento das empresas (3,85%). Os índices apontam para uma desaceleração do comércio catarinense, que normalmente não se fazia sentir nas datas comemorativas. As vendas continuam crescendo, porém, as taxas cada vez menores. Em 2013, o gasto médio dos consumidores catarinenses ficou em R$ 182,50 por pessoa, ligeiramente superior ao do ano passado, que foi de R$ 178,98. Entre as sete principais cidades catarinenses, o maior gasto foi na Capital, com uma média de R$ 240,25, enquanto que o menor foi em Itajaí: R$ 138,50. Esse maior gasto em Florianópolis, no entanto, não se refletiu em maior faturamento. Na Capital, a variação em relação a 2012 foi de -1,49%. E a cidade de Itajaí, em que pese o gasto médio ter sido o menor do Estado, apresentou uma elevação de 13,96% no faturamento ante os números do ano passado. Já em relação ao mês anterior (abril de 2013), o crescimento do faturamento só no período do Dia das Mães, em Santa Catarina, foi de 13,9%. A forma de pagamento preferencial foi à vista, responsável por 58,4% das compras, divididas entre cartão de crédito em apenas uma parcela (27%), dinheiro (20,9%) e cartão de débito (10,5%). Já no pagamento a prazo, o cartão de crédito dominou, sendo responsável por 36,4% das vendas, seguido pelo parcelamento no crediário (5,2%). Apenas 15,5% das empresas pesquisadas contrataram funcionários para o Dia das Mães e a média de novos empregados foi de 2,56 pessoas por empresa. Foram entrevistados proprietários ou gerentes de 574 empresas nos municípios de Lages, Chapecó, Blumenau, Joinville, Criciúma, Florianópolis e Itajaí, no dia 13 de maio, imediatamente após a data comemorativa. A metodologia aplicada foi de pesquisa quantitativa por amostragem.

49


Artigo

Negociação e avaliação

de desempenho – educação

Em novembro de 2012, em Newark (Estado de New Jersey, também nos Estados Unidos), o contrato coletivo dos professores introduziu um sistema de bônus atrelado ao desempenho, que permite aos mestres ganharem até US$ 12 mil adicionais por ano – US$ 5 mil quando alcançarem bons resultados; US$ 5 mil quando melhorarem o nível dos alunos problemáticos e mais US$ 2 mil quando se dedicarem ao ensino de matérias consideradas de difícil compreensão. Inúmeras outras cidades norte-americanas adotaram esse estilo de negociação coletiva. O presidente Barack Obama quer levar essa prática para o nível nacional como parte do esforço que o governo vem fazendo para recuperar a qualidade da educação americana. Nos Estados Unidos, 25% dos alunos não se graduam na idade certa e, entre os demais, as de50

ficiências de linguagem, matemática e ciência têm deixado o país atrás de várias nações desenvolvidas e até mesmo de algumas emergentes. Coincidentemente, na Coreia do Sul, a prefeitura de Seul acaba de negociar um contrato coletivo com os professores na mesma direção. A medida recebeu total apoio da população e está levando outras prefeituras a adotarem o mesmo mecanismo. Olhemos para o nosso caso. Em 2012, o Brasil amargou uma greve dos professores do Ensino Superior que durou quase quatro meses, tendo atingido 57 das 59 universidades federais. Além de elevados aumentos salariais, os sindicatos pleitearam a reestruturação da carreira docente em 13 níveis. Foi uma verdadeira guerra de números. Os sindicatos puxando para cima e o governo para baixo. Apesar de as autoridades terem adotado uma conduta mais dura do que a convencional, no acordo final foram acertados reajustes de vencimentos de 25% a 50% até 2015 e uma reestruturação da carreira que custará bastante aos cofres públicos. Durante quatro meses de negociação, falou-se bastante sobre o impacto daquelas medidas nas finanças públicas, mas não se tocou na importante questão do desempenho dos professores e, muito menos, na eventual vinculação do aumento salarial ao progresso comprovado dos alunos e ao avanço da pesquisa. Apesar de todos reconhecerem que a má qualidade do ensino constitui um dos maiores entraves ao crescimento econômico e ao amadurecimento da cidadania e da própria democracia do Brasil, essa preocupação ficou fora da mesa de negociação. Aliás, a ausência de referência ao desempenho no trabalho tem sido a tônica das negociações coletivas do nosso setor público. Estas são altamente politizadas: os sindicatos repu-

Divulgação

Em setembro de 2012, uma greve de sete dias dos professores de Chicago terminou com um acordo segundo o qual o governo municipal concordou em conceder um aumento salarial para a categoria de 3%, para 2013, e de 2%, para 2014. Por sua vez, os dirigentes sindicais aceitaram um mecanismo de pontuação segundo o qual os professores passam a ser hierarquizados em níveis de desempenho. Os mal classificados terão de fazer cursos e melhorar a atuação no prazo de um ano para, com isso, receberem o aumento de 2% em 2014. Se permanecerem na mesma condição, serão dispensados. Os classificados no nível médio também terão de melhorar o desempenho. Caso contrário, permanecerão empregados, mas sem o referido aumento.

diam os sistemas de avaliação com base no mérito e no desempenho de seus filiados em desacordo com suas próprias palavras, quando atacam a precariedade da educação brasileira, e pouco se importando com os elevados aportes que nós, contribuintes, fazemos para manter seus salários e benefícios. Isso conspira contra a qualidade dos serviços públicos e, na medida em que impede o crescimento da produtividade, eleva o custo unitário do trabalho. Trata-se de um estilo de negociação que é bem diferente do que ocorre no mundo desenvolvido. Isso me intriga. Será que o mundo está todo errado e o Brasil é o único certo? José Pastore Professor de relações do trabalho da FEA-USP



Empresário | Acib - CDL - Intersindical - Sindilojas - Ed. 74