Page 1

Ano 4 nº 42 OUTUBRO 2010 R$ 8,90

Ein Prosit, Blumenau

Nerino Furlan é o criador do Planetapeia, conjunto de brinquedos que virou símbolo da festa alemã

Oktoberfest atrai visitantes, movimenta economia e divulga a cidade para o mundo

Sustentabilidade Vassouras feitas a partir de garrafas PET geram renda para famílias carentes

SERVIÇOS: Hemos Laboratório Médico investe em tecnologia e atendimento


EDITORIAL

Natal Jaime Batista da Silva

Decoração antecipada busca despertar o interesse em patrocinar o projeto Magia de Natal O clima de Natal, este ano, chegou mais cedo em nossa cidade. Essa antecipação no calendário tem um propósito muito forte: conseguir o apoio da classe empresarial para que projetos de valorização dessa data possam sair do papel. Entre essas ações, está o Magia de Natal, versão atual do Natal Alles Blau, criado em 2008 com o intuito de resgatar as comemorações natalinas na terra conhecida pela germaneidade. Os moradores de Blumenau que conhecem mais a nossa história sabem que,

nos anos 70 do século passado, o Natal por aqui era referência no Brasil por uma programação atrativa e pela decoração de casas e estabelecimentos comerciais. Perdemos o foco nessa promoção, mas podemos resgatá-lo. Para isso, entidades como a CDL não medem esforços para colocar nas ruas um projeto inovador, belo e que vai marcar o nosso calendário de eventos. Uma mostra do projeto já está nas ruas. Em quatro pontos da cidade foram instaladas peças alusivas à data que servem

como chamariz a patrocinadores. Estamos esperançosos para que a emoção toque o coração de quem pode nos auxiliar. Ainda falando sobre o Natal, a CDL já definiu os detalhes da tradicional Campanha do Comércio, que sorteará brindes para quem comprar em lojas cadastradas à Câmara de Dirigentes Lojistas de Blumenau no final de ano. Acreditamos que o clima natalino começará com nosso empurrão e que, certamente, chegará aos demais setores e aos moradores da cidade. Paulo Cesar Lopes Presidente da CDL

4


SUMÁRIO

Daniel Zimmermann

Daniel Zimmermann

SUPERINTENDENTE DO MTE FALA SOBRE PONTO ELETRÔNIC0 Carlos Arthur Barboza garante que nenhuma empresa é obrigada a aderir ao novo equipamento

8

Daniel Zimmermann

18

hemos foca na tecnologia e bom atendimento

EMPRESA DOA TERRENO E CRECHE PARA A PREFEITURA

Com 10 anos de atividades, empresa tem três unidades e presta serviços especializados

Iniciativa da Ártico proporcionou a instalação de um novo Centro de Educação Infantil municipal

24 Projeto social gera renda a partir de garrafas PET 26 Comércio já definiu promoção de Natal 28 Securitizadoras formam associação nacional 30 Núcleos setoriais trocam experiências no Internúcleos 32 Sest Senat investe R$ 18 milhões em Blumenau

34 Artigo 36 Acib é notícia 40 CDL é notícia 42 Intersindical é notícia 44 SINDILOJAS é notícia 46 Memória

EDITOR-EXECUTIVO Sidnei dos Santos - 1198 JP (MTb/SC) - sidnei@mundieditora.com.br REPÓRTERES Beatriz Alves Gaviolli e Mariana Tordivelli GERENTE DE ARTE E DESENVOLVIMENTO Rui Rodolfo Stüpp - rui@mundieditora.com.br FOTO DE CAPA Gilberto Viegas EDITORA-CHEFE Danielle Fuchs - danielle@mundieditora.com.br GERENTE COMERCIAL Eduardo Bellidio - 47 3035.5500 DIRETOR-EXECUTIVO Niclas Mund - niclas@mundieditora.com.br TIRAGEM 4.000 exemplares

6

22


Arquivo Mundi Editora

Turismo, tradição e empregos Oktoberfest atrai milhares de visitantes, incrementa as vendas do comércio, a ocupação hoteleira e gera 2 mil empregos temporários

12

Conselho Editorial Acib: Ronaldo Baumgarten Junior, Charles Schwanke e Cristiane Soethe Zimmermann CDL: Paulo Cesar Lopes, José Geraldo Pfau, Jorge Luiz Caresia e Ana Paula Ruschel Intersindical: Leomir Minozzo, Emil Chartouni Neto e Maurílio Schmitt SINDILOJAS: Marco Aurélio Hirt, Márcio Rodrigues e Juliana Pfau

Rua Ingo Hering, 20 – 8º andar CEP: 89010-205 Blumenau – SC 47 3326.1230

Alameda Rio Branco, 165 CEP: 89010-300 Blumenau - SC 47 3221-5735

Alameda Rio Branco, 165 CEP: 89010-300 Blumenau-SC 47 3221 5750

www.acib.net

www.cdlblumenau.com.br

www.sindilojasblumenau.com.br

Rua XV de Novembro, 550 – sala 403 47 3037 4932 www.intersindicalpatronal.com.br

Mundi Editora: Sidnei dos Santos e Danielle Fuchs

7


Entrevista Daniel Zimmermann

Carlos Arthur

Barboza

Superintendente do Ministério do Trabalho em Santa Catarina, Carlos Arthur Barboza, 55 anos, nasceu em Jerônimo Monteiro, Espírito Santo. Formado em Direito pelo Centro Universitário de Vila Velha, especializando-se, em 1985, na área de Negociação Coletiva. Advogado atuante na área trabalhista, foi consultor de entidades sindicais prestando assessoria jurídica a confederações, federações e sindicatos de trabalhadores. Integrou conselhos do Sesi/Senai/Senac e o Conselho Estadual de Trabalho e Renda. No Ministério do Trabalho e Emprego, o superintendente atuou como chefe da Relações do Trabalho da SRTE/SC de 1996 a 2000. De 2001 a 2002, foi assessor técnico. Em 2007, retornou à SRTE para ocupar a função de assessor técnico. E em 2010 foi nomeado superintendente regional do Trabalho e Emprego em Santa Catarina. 8


“Nenhuma empresa será obrigada a usar o ponto eletrônico” Revista Empresário: Está causando discussões e dúvidas a obrigatoriedade de troca das máquinas de ponto. Até quando as empresas podem fazer essa troca? Quais as características do novo equipamento? Carlos Arthur Barboza: As empresas possuem três maneiras de cobrar o registro de funcionários: registro manual – no qual o funcionário assina a entrada e saída; registro mecânico – funcionário bate o ponto na máquina – e o registro eletrônico. Diante dessas possibilidades, a empresa escolhe qual é a melhor ma-

neira de registrar o ponto dos colaboradores. O Ministério do Trabalho regulamentou o artigo 74 da CLT no qual o novo sistema, exigido apenas para empresas que utilizam o ponto eletrônico, obriga a emissão imediata de um registro impresso para o empregado. A ideia é que ele possa ter em mãos uma prova concreta das horas trabalhadas, evitando fraudes ou abusos. As empresas que adotam o ponto manual ou mecânico – que já emitem em papel horários de entrada e saída – continuarão regulares e não precisarão comprar os novos equipamentos. O custo médio para

a troca de cada equipamento é de R$ 3.650,00. O equipamento deve conter uma espécie de ‘caixa preta’ que vai registrar todo o fluxo dos trabalhadores, sem que haja – pelo menos em tese – possibilidade de alteração. A máquina também deve conter uma entrada USB para que o fiscal do trabalho tenha acesso às informações do fluxo dos empregados. Essas empresas têm até 1° de março de 2011 para implantarem o novo sistema. RE: Quantas empresas estão autorizadas a fabricaras as máquinas? Que órgão afere o equipamento?


Entrevista

O Homolognet poderá ser obrigatório para as empresas privadas a partir de 2011 Barboza: Qualquer empresa está apta a fabricar o equipamento que é aferido e credenciado pelo próprio Ministério do Trabalho. Além disso, os equipamentos eletrônicos que são utilizados pelas empresas podem ser adaptados ao novo sistema. RE: Essa medida abrange todas as empresas? CB: As novas regras valem somente para as empresas que já utilizam o ponto eletrônico e que têm mais de 10 funcionários. A norma do Ministério do Trabalho e Emprego determina que todas as empresas que usam o registro eletrônico troquem seus aparelhos por relógios certificados pelo ministério. RE: A anotação manual e a antiga máquina de cartão-ponto podem continuar a serem usadas. Até quando elas serão permitidas? Barboza: Nenhuma empresa será obrigada a usar o ponto eletrônico, independente do tamanho e da quantidade de trabalhadores que tenha. Apenas as empresas que usam este equipamento terão que se adequar e, se não quiserem, também podem usar ponto manual ou mecânico, que já registram em papel horários de entrada e saída. RE: Após o término do prazo, a que penalidades as empresas que não cumprirem a determinação estarão sujeitas? Barboza: Após o dia 1° de março de 2011, as empresas com mais de 10 funcionários pagarão uma multa de R$ 2,7 mil e acima de 100 trabalhadores a multa é de R$ 4 mil. RE: Com a implantação do Homolognet as rescisões de trabalho vão 10

ser homologadas via internet pelo Ministério do Trabalho e Emprego e não mais pelos sindicatos dos trabalhadores. Quais os efeitos práticos disso para empresas, trabalhadores e ministério? A partir de quando estará implantado? Barboza: O Homolognet está em fase de experiência. Agora é a etapa de ambientação, na qual somos procurados para solucionar dúvidas sobre como migrar para o Homolognet. O sistema quer, por exemplo, garantir maior exatidão no cálculo dos valores trabalhistas, diminuir o tempo entre a demissão de um empregado e a concessão do seguro-desemprego e tornar o fim da relação de trabalho mais transparente e segura por meio de diferentes ferramentas, entre elas, a certificação digital. Assim que a certificacao for adotada no sistema, ela será importante para viabilizar as rescisões de contrato de trabalho de quem tem menos de um ano de serviço e que, portanto, não estão sujeitas à homologação pelo ministério ou pelo sindicato. E a certificação também será usada no caso de rescisões que precisam ser homologadas pelos sindicatos, para verificar se é o

sindicato que de fato está prestando a assistência. É fundamental garantir que quem está prestando as informações sobre o encerramento do vínculo é realmente o empregador. A previsão é de que a certificação digital seja adotada no Homolognet em 2011 e, inicialmente, de forma facultativa. Com a nova solução, a liberação do seguro-desemprego, que hoje leva, em média, 20 dias, poderá cair para apenas cinco dias. O Homolognet poderá ser obrigatório a partir de 2011 e o serviço público federal deve ser inserido no sistema até o final de 2010. No momento, ele já está disponível no Distrito Federal e em quatro estados: Tocantins, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraíba. RE: Quais as responsabilidades da empresa que contrata uma terceirizada sobre os direitos dos trabalhadores da empresa contratada? Barboza: As empresas que contratam serviços terceirizados têm o papel fundamental de verificar as condições de trabalho da empresa, os encargos sociais. Fiscalizar se os trabalhadores terceirizados têm as mesmas condições de contratados. Daniel Zimmermann


Diretor Técnico: Dr. Tarcísio Lins Arcoverde – CRM 5832

Não conte com a sorte. Conte com SOS Unimed Área Protegida. SOS UNIMED ÁREA PROTEGIDA

TEL:

3331-8669

twitter @unimedblumenau | unimedblumenau.com.br

SOS:

0800 6454747


reportagem de capa

O mês

de Blumenau Arquivo Mundi Editora

Mariana Tordivelli mariana@mundieditora.com.br Outubro é o mês em que Blumenau se agita. Turistas invadem a cidade e a atmosfera de festa paira no ar. Carro-chefe do roteiro das festas da Primavera em Santa Catarina, a cidade, com a Oktoberfest – maior festa alemã das Américas – movimenta a economia e gera empregos temporários. No comércio da cidade e dentro do Parque Vila Germânica são oferecidas aproximadamente 2 mil vagas. Tudo para atender às milhares de pessoas que vêm para a festa. Na edição de 2009 foram registradas 732 entradas nos pavilhões da Vila Germânica. A Secretaria Municipal de Turismo trabalha com a expectativa para este ano de 800 mil foliões distribuídos em quase um mês de festa. Em média, por ano, 700 mil pessoas já participaram da Oktoberfest desde sua criação. Para colorir ainda mais a festa, trajes típicos garantem entrada livre no evento.

Cidade cheia A rede de serviços, segurança, alimentação e hotéis está mais que preparada para receber todos de braços abertos. Dados do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sihorbs) indicam que os 30 hotéis e pousadas associados já contrataram reforço. Camareiras, garçons e recepcionistas encontram-se a postos e treinados para receber o contingente. Para isso, o presidente do Sihorbs, Emil Chartouni Neto, avisa que cursos de hotelaria são ministrados conforme a demanda. Em 2009, os 17 dias de Oktoberfest receberam 60.697 turistas. A média de ocupação na rede hoteleira chega a 100% nos finais de semana e a 65% nos outros dias. Para este ano, Chartouni afirma que a expectativa 12


Rogério Pires /Arquivo Mundi Editora

Ein Prosit! Desfiles Dia 7, às 19h30min Dia 9, às 16h Dia 13, às 19h30min; Dia 17, às 10h; Dia 20, às 19h30min;

é a melhor possível. A festa ocorre durante 18 dias, no período de 7 a 24 de outubro, sendo o acesso gratuito no primeiro e último dias de evento. A concentração máxima do público é sempre nos pavilhões do Parque Vila Germânica. O local é um complexo com 26 mil metros quadrados de área construída. Um conjunto de lojas típicas forma a Vila Germânica. É lá que os visitantes encontram lembranças de Blumenau e também trajes para a festa. A Rua XV de Novembro, principal via do Centro de Blumenau, também reserva um atrativo especial ao público: os desfiles típicos, dos quais participam mais de 2,5 mil pessoas. Integrantes de grupos folclóricos e clubes de caça e tiro participam do evento que é cheio de música, traje típico e alegria.

Dia 23, às 16h. Como os desfiles ocorrem ao ar livre, em caso de chuva são cancelados. Ingressos e chope Sábados, domingos e nos dias 11 e 12, os ingressos serão cobrados a partir das 15h Sextas e sábados e nos dias 10 e 11, o ingresso custa R$ 15,00 Domingo, dia 24, a entrada é gratuita a partir das 11h De segunda a quinta, custa R$ 6,00 (exceto dia 11) Meia-entrada para estudantes (mediante documento com foto e data de validade) e para pessoas acima de 60 anos. O copo de 400 ml de chope custará R$ 4,25. O refrigerante, R$2,75. Pessoas vestidas com traje típico alemão não pagam entrada.


Divulgação

reportagem de capa

O dono da alegria Foi brincando com os três filhos que o empresário Nerino Furlan deu inicio ao hobby de construir engenhocas sobre rodas. Durante a infância da prole, construiu uma bicicleta com quatro pedais para passear com todos de uma só vez. Como a cultura alemã sempre o encantou, o empresário encontrou no desfile da Oktoberfest a oportunidade perfeita para homenagear a tradição e participar da festa. Sendo assim, Furlan enfeitou a bicicleta e com alguns amigos tentou infiltrar-se no desfile. “Fui barrado nas primeiras tentativas. Andei mais algumas quadras, pulei a corda e comecei a pedalar. Na ocasião, fui proibido de entrar no desfile e, hoje em dia, estou proibido de sair”, brinca. Nas edições seguintes da Oktoberfest, Furlan e sua invenção caíram nas graças do público. Batizada de Centopeia do Chope, a engenhoca adquiria um módulo a mais a cada ano. Atualmente, o brinquedo conta com 17 lugares. Foi a partir da Centopeia do Chope que Furlan deu asas à imaginação e criou a coleção conhecida como Planetapeia. Com os brinquedos, vieram também os amigos. O empresário conta que a empreitada tornou-se um grupo de relacionamentos, no qual 6 mil pessoas já desfilaram nas engenhocas alegóricas. “Não tenho vínculos e nem compromissos. Não faço disso um negócio, é só diversão”, diz. Ambulância para levar sogra e submarino conversível são algumas das ideias para as próximas festas. Isso é tudo que Furlan revela, já que gosta de surpreender o público com as invenções. Em 1998, ele participou da Oktoberfest de Munique, na Alemanha, e desfilou com a Centopeia para mais de um milhão de pessoas. O empresário voltou inspiradíssimo e, sem parar, desenvolveu os mais criativos brinquedos, tornando-se atração à parte nas festas de Blumenau e do mundo. 14

Garotapeia e Locopeia, duas das invenções do irriquieto Nerino Furlan (E) Locopeia do Chope Em 1999, nasceu a divertida Locopeia, um brinquedo que lembra a Maria-Fumaça das extintas estradas de ferro. Construída sobre um rebocador de avião, a engenhoca faz manobras ousadas como o 360 graus sem sair do lugar. A estrutura é feita de materiais como cobre, latão, ferro forjado, madeira nobre e couro. O brinquedo conta com um potente equipamento de som e um gerador próprio que produz efeitos visuais de raio lazer e fumaça pela chaminé. Com capacidade para transportar até oito pessoas - quatro na primeira classe e mais quatro na classe econômica - a Locopeia tem uma chopeira em forma de vaca, onde o chope é servido quando acionado o rabo do animal. Bondepeia Resgatando o romantismo dos casais dos anos 1970, Furlan retratou a poesia da época em um bonde feito a partir de uma plataforma de ônibus. O brinquedo, rico em detalhes, é revestido com madeira nobre, metais, entalhes e pinturas. Até 22 pessoas cabem no veículo que foi projetado em 2000. Fuscopteropeia O encontro do Fusca com um helicóptero resultou na criativa Fuscopteropeia. No brinquedo, três passageiros tomam chope em bar giratório. Com uma asa delta acoplada na cauda, pode levar até seis fuscopteropeístas. Garotapeia A versão feminina das engenhocas foi criada em 2001 para agradar a ala feminina que também queria participar da brincadeira. Baseado na clássica Centopeia, o diferencial fica por conta dos materiais e imagens usadas para compor um veículo que homenageasse a formosura e a doçura da mulher. São 13 garotas que desfilam em cima do brinquedo e levam alegria e delicadeza ao público. Trenopeia Em 2002, Furlan inspirou-se num sonho de criança e inventou a Trenopeia. O transporte do Papai Noel tem por base o conjunto mecânico de uma Kombi e estrutura de ferro, bronze, cobre e decorações natalinas. O trenó é sonorizado, transporta o Papai Noel e mais cinco ajudantes. O brinquedo traduz o espírito festivo do Natal e espalha magia por onde passa. Alfapeia Furlan começou a vida profissional viajando pelas estradas do Brasil em um caminhão Alfa Romeu. Após 24 anos de parceria, o fiel companheiro de longas viagens aposentou-se da melhor maneira possível: tornou-se um bar móvel. O modelo foi reformado e nele o empresário criou uma carroceria de 20 metros quadrados. Com características fiéis ao do caminhão original, o Alfapeia é um bar móvel sonorizado, com pinturas feitas à mão e carrega até 24 alfapeístas.


Ricardo Silva / PhotusPress

Vikingpeia A partir do chassi de um Landau, foi construído o Vikingpeia, em 2004. O misterioso mundo dos vikings é representado sobre um barco motorizado que carrega muita diversão. O exótico brinquedo leva cinco tripulantes, um comandante e muita alegria. Europeia Em 2005, o Planetapeia saiu do Brasil e foi brincar pela Europa. Para esta aventura, o empresário criou uma nova Centopeia com 15 módulos e 30 centopeístas distribuídos em 33 metros de comprimento. A Europeia fez um tour por Portugal, Espanha, França, Mônaco, Itália e Vaticano, atraindo atenção e admiração por onde passou. Babypeia Em 2007, Furlan relembrou a infância e faz um divertido brinquedo. A Babypeia veio para alegrar a garotada. Construído a partir de uma motocicleta adaptada a um carro, o brinquedo carrega uma roda gigante onde as crianças brincam girando ao som de animadas músicas. Chinapeia e Dubaipeia Em 2008, a fama do Planetapeia chegou ao Oriente. A engenhoca do empresário foi adaptada para a grande aventura que, com sua trupe, percorreu o deserto até chegar aos Emirados Árabes. Em Dubai, desfilou no maior shopping center do mundo e carregou até sheiks. A segunda etapa dessa odisseia passou pela China. A Chinapeia foi a única bicicleta a desfilar nas muralhas chinesas, além de presenciar os Jogos Olímpicos. A invenção transporta 17 amigos e é facilmente montada e desmontada. Bonecos Gigantes Inspirado nos bonecos de Olinda, Furlan inovou mais uma vez e trouxe para o desfile nove convidados com quatro metros de altura. Os bonecos gigantes brincam, dançam e tiram fotos com os turistas. Fazem parte da turma a Centopeia, o Capivara, a Frida, o Negro e mais cinco alemães trajados tipicamente.

Nerino no comando da engenhoca mais conhecida: a Centopeia do Chope


reportagem de capa

Espaço privilegiado Nos dias de Oktoberfest, um lugar especial é comercializado pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha. Trata-se do AHK Business Lounge, um camarote com capacidade para 40 foliões que pode ser alugado por empresas para levar funcionários, fornecedores ou amigos. O coordenador da área de relacionamento da Câmara, Josino Dias, conta que a iniciativa visa a apresentar Blumenau a pessoas da Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo e, assim, divulgar a festa. No entanto, o AHK Business Lounge foi mais longe e abrigará visitantes da Alemanha, trazidos pela empresa T-Systems. Corporações como Dudalina, Allianz Seguros, Kienbaum, DG Advocacia, entre outras, já garantiram o espaço. Dias revela que o valor do aluguel muda de acordo com o dia, cotado entre R$ 5 mil a R$ 15 mil. “Este é o primeiro ano do AHK Business Lounge e já é um sucesso. Vamos continuar com a empreitada nas próximas edições, uma vez que o espaço é sofisticado e diferente de tudo o que a Oktoberfest ofereceu até hoje”, diz. No AHK Business Lounge os foliões encontrarão camisetas e canecas de cristal da Cristallerie Strauss personalizadas com o logo da empresa. Além do ingresso incluso e decoração da Ninha Flor, os convidados contam com serviços de bar, cozinha e segurança; buffet de frios e pratos quentes do Restaurante Tabajara e chope Eisenbahn, água, refrigerante e caipirinha à vontade.

100m² de área total 35m² de área interna com ar-condicionado Bar e cozinha Único camarote com banheiro privativo

16

Números de todas as edições da Oktoberfest de Blumenau Edição

Ano

Outubro

Público

Chope (litros)

1984

5 a 14

102.000

103.000

1985

4 a 20

362.371

182.530

1986

3 a 19

802.230

485.855

1987

2 a 18

874.945

560.713

1988

7 a 23

1.009.057

721.652

1989

6 a 22

954.692

765.739

1990

5 a 21

959.998

774.672

1991

4 a 20

844.255

561.774

1992

9 a 25

1.010.060

553.491

10ª

1993

1º a 17

853.000

406.814

11ª

1994

6 a 23

827.000

501.062

12ª

1995

5 a 22

929.793

502.386

13ª

1996

10 a 27

515.213

352.293

14ª

1997

2 a 19

500.245

290.395

15ª

1998

8 a 25

500.000

312.037

16ª

1999

7 a 24

607.417

284.571

17ª

2000

5 a 22

616.222

290.337

18ª

2001

4 a 21

626.620

265.342

19ª

2002

10 a 26

502.937

242.654

20ª

2003

2 a 19

605.538

263.120

21ª

2004

7 a 24

613.184

269.380

22a

2005

7 a 23

365.288

266.811

23ª

2006

5 a 22

602.941

370.000

24ª

2007

4 a 21

690.144

*365.000

25ª

2008

9 a 26

594.636

*373.984

26ª

2009

1º a 18

731.934

*450.514

17.601.720

10.516.126

TOTAL

* Total de consumo não inclui a venda de garrafas de cervejas importadas, que foi de 19.821 unidades

Fonte: www.oktoberfestblumenau.com.br

Rogério Pires /Arquivo Mundi Editora

Estrutura

Público e consumo


Case empresarial

Tecnologia e bom atendimento

a serviço da saúde Fotos Daniel Zimmermann

Desde os primeiros passos, o Hemos Laboratório Médico foi moldado através de uma visão inovadora em produtos, serviços, gestão e, especialmente, relacionamento com os clientes. Os 10 anos recém-completados comprovam que a fórmula funciona. Um dos quatro sócios do empreendimento, o bioquímico Kelson Keith Kitamura Yoshioka, lembra que, em princípio, a ideia era sair do roteiro hospitalar onde se encontravam a maioria dos laboratórios e oferecer um ambiente confortável e diferenciado ao cliente. A trajetória de uma década foi marcada por premiação, como o Prêmio Talentos Empreendedores, em 2002, conferido pelo Sebrae, e o Prêmio Gustav Salinger, em 2003, da Acib Jovem. E por superação, como a reconstrução da unidade central do laboratório, que sofreu danos decorrentes das chuvas do final de 2008. O bioquímico promete, para o próximo ano, retribuir à sociedade os louros colhidos pelo Hemos. Projetos como a Junior Achievment e Pescar estão sendo estudados pela equipe que busca apoiar causas relacionadas a responsabilidades sócioambientais.

Equipamentos de ponta Atualmente, três unidades estão espalhadas pela cidade. Yoshioka revela que mais uma vem por aí no próximo ano. “O próspero crescimento é resultado de bom atendimento ao cliente em todas as etapas: recepção, coleta e pós-atendimento”, explica o sócio da empresa. O Hemos tem aproximadamente 15 mil clientes cadastrados. Quanto aos profissionais, as três unidades somam 25 colaboradores. Entre eles está um médico hematologista e patologista clínico, um especialista em 18

bioquímica clínica e outro em estudos da infertilidade. Por trás das portas do laboratório o cliente não vê, mas o bioquímico garante usar tecnologia de primeira para processar resultados. Um exemplo é a coleta de sangue a vácuo, que manda a amostra direto para o tubo. O método evita o contato do profissional com seringas, fornece melhor qualidade técnica da amostra e trabalha com um sistema de código de barras que evita a troca de nomes de pacientes, resultando em segurança

e rapidez. O bioquímico salienta que a tecnologia está presente até no processo de divulgação dos resultados. O laboratório é pioneiro na região ao disponibilizar exames pela internet, mas, antes, avisa ao cliente por SMS. “Isso evita que a pessoa perca tempo ligando ou acessando a internet desnecessariamente. Assim que o cliente recebe a mensagem no celular, ele pode checar no site do Hemos (www.hemos.com.br), pois o resultado estará lá”, afirma.


Conforto e discrição No total, Yoshioka contabiliza aproximadamente 1,5 mil tipos de exames no menu do laboratório. Os que são inviáveis, por serem raros ou especializados, são encaminhados para laboratórios de apoio de qualidade. Dentro do Hemos, camas confortáveis e TV esperam por clientes que precisam realizar coletas demoradas. Já aqueles que precisam fazer o espermograma contam com atendimento discreto. “Trata-se de uma sala espaçosa que tem uma campainha que pode ser acionada depois da coleta. O cliente sai por uma porta lateral e livra-se de qualquer constrangimento que possa existir”, explica o sócio.

Serviços especiais O Hemos Laboratório Médico conta com dois setores especializados em investigação da fertilidade masculina e feminina e em veterinária. O Hemosfert é um setor especial dedicado à realização de exames relacionados à investigação da fertilidade. O serviço é coordenado pela bioquímica embriologista Silvana Hilgenberg, com especialização em centros de fertilização assistida. Já o Hemosvet nasceu com o objetivo de auxiliar a medicina veterinária, fornecendo resultados de qualidade o mais rápido possível. Dispõe de tecnologia para realizar exames laboratoriais tanto em animais domésticos, como animais de criação, preservando a saúde e auxiliando no diagnóstico e monitoramento. Além da automação técnica, o Hemosvet oferece para as análises veterinárias tecnologia em informática (resultados via internet) e a estrutura empresarial. O Hemos mantém parcerias com laboratórios de referência em medicina veterinária.

Kelson Keith Kitamura Yoshioka salienta o emprego de alta tecnologia e a relação da empresa com os clientes

Perfil Razão social: Hemos Laboratório Médico Fundação: 2001 Fundadoras: Rosele Branco e Larissa Machado Welter Colaboradores: 25 Clientes: 15 mil cadastros Unidades: 3 em Blumenau Alameda/Hemosfert, na Alameda Rio Branco, 680 – (47) 3041-9944 Unidade Vila Nova, na Rua Engenheiro Paul Werner, 1141 – (47) 3041-9955 (anexo ao Hospital do Pulmão) Unidade Centro, na Rua Marechal Floriano Peixoto, 350 – (47) 3041-9933

19


Case empresarial

Divulgação

Silvana Hilgenberg, Rosele Branco, Larissa Machado Welter e Kelson Keith Kitamura Yoshioka

Dinâmica empresarial Para o bioquímico Kelson Keith Kitamura Yoshioka, outro diferencial do laboratório é o atendimento especial dado às empresas. A comodidade está na realização de exames laboratoriais como admissionais, demissionais, periódicos e ocupacionais que são realizados no local de trabalho.

Corpo clínico Rosele Branco, diretora-clínica Médica, especialista em hematologia e patologia clínica, formada pela UFPR, com pós-graduação em gestão empresarial. Mestranda em filosofia pela PUC/SP. Sócia-fundadora do Hemos Laboratório. Larissa Machado Welter, diretora-técnica Bioquímica formada pela Univali, com pós-graduação pela UFSC e bacharelado em Direito pela Furb. Sócia-fundadora do Hemos Laboratório. Kelson Keith Kitamura Yoshioka, diretor-administrativo Bioquímico formado pela PUC/PR, com pós-graduação em Gestão Empresarial pela FGV Blumenau e estágios em Micologia (HC-UFPR) e Biologia Molecular (USP). Ingressou no Hemos Laboratório em 2001. Silvana Hilgenberg, diretora-técnica Bioquímica formada pela UEPG/PR, com aperfeiçoamento nas clínicas de reprodução assistida Fertilitat (Porto Alegre), Maternidade Sinhá Junqueira (Ribeirão Preto) e Fertility (São Paulo). Ingressou no Hemos Laboratório em 2001.

20


Responsabilidade social

Exemplo a ser

seguido Fotos Daniel Zimmermann

Solidariedade. Foi esse sentimento que motivou a empresa Ártico Indústria de Refrigeração Ltda. a doar um terreno de 25 mil metros quadrados para a construção de um novo Centro de Educação Infantil (CEI), em Blumenau. A doação aconteceu no dia 7 de julho desse ano, data em que a empresa comemorou 50 anos de fundação. “Nessas cinco décadas, a Ártico quis presentear a comunidade blumenauense com a doação desse terreno”, afirma a diretora financeira Christiane Buerger. O novo CEI fica localizado na Rua Fritz Bruch, Bairro Itoupavazinha. A unidade tem capacidade para 80 crianças. De acordo com Christiane, a Ártico executou as obras sob a supervisão técnica 22

CEI foi construído de acordo com as normas da Prefeitura, com segurança e conforto para as crianças

e fiscal da Prefeitura. “A creche está foi construída dentro das exigências e normas propostas pela Prefeitura de Blumenau”, garante. A Ártico, segundo Christiane, ao longo dos 50 anos de existência sempre apoiou a comunidade com ações e melhorias. “Acreditamos que, se cada um fizer um pouco pela comunidade, estaremos formando um mundo melhor”, afirma a diretora.

Para o prefeito João Paulo Kleinübing, parcerias como esta auxiliam ainda mais no desenvolvimento econômico da cidade. “Parcerias como a realizada entre a Prefeitura e a empresa Ártico são de extrema importância para o desenvolvimento da nossa cidade, pois vão além do atendimento a 80 crianças. Iniciativas como essa ajudam Blumenau a construir um futuro mais promissor para a nossa juventude”, aposta o prefeito.


A empresa

A creche tem capacidade para atender 80 crianças no Bairro Itoupavazinha

Fundada em 7 de julho de 1960 pelos imigrantes alemães Hubert e Johannes Schildwachter, a Ártico foi a pioneira no ramo de refrigeração comercial no Vale do Itajaí. Teve como atividade inicial a fabricação de balcões refrigerados e, em pouco tempo, a marca já era destaque em toda a região pela qualidade dos produtos. Através de recursos próprios e de incentivos fiscais da Prefeitura de Blumenau instalou-se definitivamente em 1972, às margens da BR-470, no quilômetro 3 (hoje, Rua Engenheiro Udo Deeke, 1882), numa área de 45 mil metros quadrados – destes, 10 mil de área construída. Neste período, ampliou a linha de produção, fabricando, além de balcões frigoríficos, geladeiras comerciais, câmaras frigoríficas, instalações para panificadoras, lanchonetes, padarias, restaurantes, açougues e supermercados. Também produz

congeladores de diversos modelos e capacidades, aplicando tecnologia adquirida pelo diretor Hubert Schildwachter na Alemanha. O primeiro freezer foi comercializado em dezembro de 1972. Em 1998, a Ártico assinou com a Organização das Nações Unidas (ONU) um acordo para eliminação do uso de CFC (gás prejudicial à camada de ozônio) em toda a linha de produção. No mesmo ano, lançou no mercado dois produtos aplicando tecnologia de ponta. A Linha de Plug-In, conjuntos frigoríficos compactos para câmaras frigoríficas e geladeiras, equipamentos silenciosos, práticos e com baixo consumo de energia elétrica, operando com gás ecológico. E a Linha Bavária de Balcões Vitrine, para panificadoras, confeitarias e padarias. Hoje, a Ártico se destaca entre as maiores indústrias de refrigeração do Sul do Brasil.


Sustentabilidade

Vassouras que vão Fotos Daniel Zimmermann

além do ato de varrer

Francisco Dias conheceu o projeto em Minas Gerais e trouxe para Blumenau

Quem diria que a simples ação de comprar uma vassoura pode, ao mesmo tempo, ajudar o meio ambiente e uma organização não-governamental (ONG) cujo objetivo é trabalhar com famílias de baixa renda. Em Blumenau, a aquisição duplamente solidária é viável através do projeto Vaspetblu, que produz vassouras ecológicas pelo Instituto Dr. Hermann Blumenau. O diretor do Vaspetblu, Francisco Dias, conta que o projeto foi implantado em abril deste ano, após uma viagem que fez para Ribeirão das Neves, em Minas Gerais. Lá, visitou a empresa Vapet, que, através de parceria com a prefeitura, coletava garrafas PET para transformar em vassouras ecológicas. Como presidente da Associação de Moradores do Bairro Progresso, Dias retornou empolgado para propagar por aqui a novidade que havia aprendido e, ao mesmo tempo, ajudar as famílias de baixa renda da 24

comunidade. Mesmo depois de receber negativas de todas as secretarias municipais em que buscou apoio, o diretor não desanimou. Pela importância do projeto, foi procurado pelo Instituto Dr. Hermann Blumenau para inserir o programa na ONG. Dias conta que teve de colocar recursos próprios e contou com a ajuda de um deputado, de empréstimo feito pela ONG e patrocínio da Eletrosul. Assim, comprou maquinas, reuniu a família e voluntários e, finalmente, deu início ao Projeto Vaspetblu. Hoje, as vassouras ecológicas podem ser encontradas em mercados, em lojas de agropecuária e nos almoxarifados de empresas que se preocupam com a responsabilidade sócioambiental. O produto também está sendo usado para varrer as ruas de Blumenau pela empresa de limpeza Mecanicapina, que aprovou o produto pela durabilidade e pela economia. “A garrafa PET é um material que demora 400 anos para decompor-se. Tirar

esse material das ruas, dos ribeirões e dos rios é ajudar ao meio ambiente, já que em cada vassoura pequena são utilizadas 10 garrafas e 15 nas grandes”, contabiliza Dias. Segundo ele, a vassoura de PET é seis vezes mais durável que a tradicional. Parte do valor adquirido com a venda dos produtos é revertido em projetos sociais do Instituto Hermann Blumenau.

Adquira a sua Adquira a vassoura ecológica e contribua com a preservação ambiental. Para encomendas, falar com Francisco Dias pelo telefone: (47) 8407-9805 ou no email francisco.dias@ brturbo.com.br. A sede do projeto está na Rua Santa Maria, 2667, Bairro Progresso, Blumenau.


Varrendo e aprendendo Diariamente, a ONG compra garrafas PET dos coletores de reciclados. O material também vai ser recolhido em escolas e condomínios através de campanhas educativas de apoio a preservação ambiental. A produção começa pela remoção do rótulo e do fundo da garrafa. Em seguida, a garrafa é lavada para depois ser cortada em cerdas, que são enrijecidas para garantir durabilidade. Para Dias, a montagem é trabalhosa, porém, em um ritmo bom, a ONG produz de 30 a 35 vassouras por dia. Com mais voluntários, este número pode aumentar para 80 unidades, seguindo a capacidade das máquinas. O próximo passo é aumentar os pontos de vendas e a produção, que possivelmente contará com a ajuda de usuários de drogas em recuperação, uma vez que se trata de um grupo com dificuldade de inserção no mercado de trabalho. “Com este trabalho, vamos tentar abranger mais um ponto deficiente da sociedade e dar oportunidade de trabalho para pessoas recuperadas”, vislumbra o diretor. A ONG produz três tipos de vassouras ecológicas que são para uso externo e, atualmente, trabalha em um novo modelo com cerdas finas, para uso interno. O Projeto Vaspetblu oferece descontos para empresas que fazem compras acima de 30 unidades.

Voluntários aumentam a renda transformando garrafas em vassouras


Comércio

Lojistas preparam

campanha de Natal

A magia do Natal está tomando conta da cidade. Para os lojistas, é o melhor período de vendas no ano. Para impulsionar e aquecer ainda mais o comércio varejista de Blumenau, a CDL e o SINDILOJAS realizam a promoção Natal de Sorte em Blumenau. Nos últimos cinco anos, as promoções realizadas pelo comércio premiaram mais de 1,2 mil consumidores e distribuiram 2 milhões de cupons. De acordo com o presidente da CDL, Paulo Cesar Lopes, a promoção Natal de Sorte em Blumenau retorna em 2010 com o objetivo de envolver lojistas e consumidores. “As campanhas com sorteio de prêmios já são tradicionais na cidade e os lojistas reconhecem que este é um valioso diferencial para incrementar as vendas, principalmente na época do Natal”, afirma. Durante o período de realização da campanha, os consumidores recebem um cupom para concorrer aos prêmios a cada R$ 30,00 em compras. “Os sorteios serão realizados na Casa do Comércio e toda a promoção é regulamentada e fiscalizada pela Caixa Econômica Federal”, explica Lopes. Segundo o dirigente lojista, o investimento total na promoção, incluindo os prêmios, mídia e produção dos materiais será em torno de R$ 180 mil. A promoção começa em 8 de novembro e segue até 5 de janeiro de 2011. 26

“Este tipo de promoção é de grande importância para a comunidade, uma vez que movimenta a economia, auxiliando na geração de empregos e renda. Também é uma preocupação das entidades oferecer uma variada e grandiosa gama de prêmios, o que possibilita um número grande de ganhadores”, finaliza.

Os prêmios 2 carros 2 motos 5 TVs de plasma 100 vales-compra de R$ 100,00 cada 50 vales-compra de R$ 150,00 cada Total de premiados: 159 Datas dos sorteios: 23 novembro 7, 14, 21 e 23 de dezembro 5 de janeiro


Daniel Zimmermann

Associativismo

Securitizadores se reúnem

em associação

A securitização, operação cujo conhecimento, até pouco tempo, era restrito a operadores desse mercado específico, está cada vez mais tornando-se comum em diversos nichos de mercado, além do já tradicional mercado imobiliário. Com efeito, a securitização, conforme já se previa há alguns anos, tem passado por fases de evolução e amadurecimento consistentes, o que torna a operação cada vez mais adequada aos fins pretendidos por aqueles que a utilizam. O advogado blumenauense Paulo Pfau (foto) assumiu, em junho desse ano, a presidência da Associação Nacional das Securitizadoras de Ativos Empresariais (Ansae). Com 50 associados, a Ansae tem a missão de promover e fortalecer o desenvolvimento das companhias securitizadoras de ativos empresariais. Segundo 28

Pfau, a associação pretende contribuir para o fortalecimento comercial e o crescimento científico e cultural do segmento. “A Ansae pretende também desenvolver a capacitação dos integrantes e difundir as ideias e o conhecimento”, afirma. A securitização, segundo Pfau, é uma ferramenta financeira usada para converter uma carteira relativamente homogênea de ativos em títulos imobiliários passíveis de negociação. “É uma forma de transformar ativos relativamente não-líquidos em títulos imobiliários líquidos e de transferir os riscos associados a eles para os investidores que os compram”, acrescenta. Sob a ótica jurídica, a securitização pode ser definida como a estrutura composta por um conjunto de negócios jurídicos – ou um negócio jurídico indireto – que envolve a cessão e segregação de ativos em uma sociedade ou um fundo de

investimento, que emite títulos garantidos pelos ativos segregados. “Esses títulos são vendidos a investidores e os recursos coletados servem de contraprestação pela cessão de ativos”, explica. Assim, pode-se definir securitização como um conjunto de contratos que visa à emissão de títulos garantidos por um ativo específico segregado do patrimônio geral da sociedade beneficiária final dos recursos captados, geralmente, em veículo de propósito exclusivo. O ativo pode ser um fluxo de recebimentos, um bem, ou um direito de qualquer ordem, desde que possa ser cedido e gerar renda. Os ativos mais comuns incluem empréstimos hipotecários, financiamentos de automóveis, recebíveis de cartões de crédito, empréstimos educacionais, recebíveis decorrentes de vendas a prazo, mercadorias, equipamentos e produtos.


Núcleos setoriais

Internúcleos

favorece a integração Fotos Daniel Zimermann

Dieter Pfuetzenreuter, Avelino Lombardi e Ronaldo Baumgarten Junior na abertura do Internúcleos

30

A Associação Empresarial de Blumenau (Acib) realizou em 23 de setembro o evento anual de integração dos Núcleos Setoriais. O Internúcleos reuniu cerca de 200 pessoas no Teatro Carlos Gomes para trocar informações e experiências, promovendo também as empresas de cada núcleo. O Internúcleos nasceu do Conselho dos Núcleos da Acib, em 2006. No início, o objetivo era integrar os participantes em atividades e dinâmicas de cunho esportivo. Porém, foi avaliada a necessidade da integração a partir do trabalho desenvolvido pelos núcleos e empresas nucleadas, ampliando a rede de relacionamentos de cada participante. Por esse motivo, há três anos, o evento ganhou novo formato, que vem se fortalecendo a cada edição. Na abertura do Internúcleos 2010, o presidente do Conselho dos Núcleos, Dieter Pfuetzenreuter, falou sobre a importância de buscar conhecimento e compartilhar as experiências entre as empresas associadas à Acib. “Em um ambiente cada vez mais competitivo, tornam-se necessárias as parcerias e o associativismo”, apontou. Para o coordenador do Núcleo de Segurança Privada, Asseio e Conservação, Maurélio Pinto, o evento é fundamental para a comunicação com os demais núcleos. “No Internúcleos, temos a oportunidade de conhecer os núcleos que fazem parte da Acib. É a hora de trocarmos informações e fazermos bons negócios”, afirma. O presidente da Acib, Ronaldo Baumgarten Junior, enfatizou o associativismo como ferramenta estratégica para o crescimento e amadurecimento das empresas. “A troca de experiências é um processo simples, mas fundamental para o desenvolvimento humano”, disse. Para a diretora para Assuntos de Comércio e Turismo e integrante dos núcleos de academias, Maria Denise Ribeiro Ern, o evento é uma oportunidade de integração indispensável. “Todos que participam são clientes em potencial. Sempre antes de fechar um negócio, priorizo as empresas que são associadas à Acib”, aponta. Este ano, o Internúcleos contou com o patrocínio das empresas dos Núcleos de Segurança Privada, Asseio e Conservação e de Indústrias de Eletroeletrônicos; Sesi, Banco do Brasil, Javorski Consultoria Empresarial e Stuttgart Artigos Finos.


Homenagens

Cristiane Soethe

Os representantes das empresas nucleadas reuniram-se no Teatro Carlos Gomes

O diferencial do evento este ano foram as homenagens prestadas pela Acib aos destaques nos trabalhos dos Núcleos Setoriais Participantes mais antigos: Valmir Fronza e Roberto Koffke, do Núcleo de Automecânicas (há 15 anos) Coordenador com maior frequência nas reuniões do Conselho dos Núcleos: Glória Bernardes, do Núcleo de Agências de Viagens e Turismo Núcleo que trouxe o maior número de novos associados: Núcleo de Automecânicas (passou de 13 para 21 empresas participantes) Núcleo que melhor se apresentou no Internúcleos: Núcleo de Escolas de Educação Profissional

Dieter Claus Pfuetzenreiter, presidente do Conselho dos Núcleos, Avelino Lombardi, diretor de Núcleos da Acib, Valmir Fronza e Roberto Koffke, do Núcleo de Automecânicas há 15 anos, Jacir Lenzi, coordenador do Núcleo de Escolas de Educação Profissional, Sidney Roberto Junkes, coordenador do Núcleo de Automecânicas 31


Transporte

Sest Senat investe

R$ 18 milhões Fotos Daniel Zimmermann

O Serviço Social do Transporte (Sest) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) atuam desde 2007 em Blumenau. De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Blumenau, Osmar Ricardo Labes, o Sest Senat tem como princípio desenvolver e disseminar a cultura do transporte e melhorar a qualidade de vida dos profissionais e familiares. Para isso, promove cursos, palestras e atendimento médico e odontológico. “Nosso objetivo busca também o aperfeiçoamento, a reciclagem, a preparação e o bem-estar dos profissionais”, acrescenta Labes. A unidade de Blumenau, localizada na Rua Dr. Pedro Zimmermann, tem atualmente 300 metros quadrados. Segundo Labes para ampliar e melhorar ainda mais 32

o atendimento, será construída a nova sede em uma área de 40 mil metros quadrados, com 8 mil metros quadrados de área construída. “Serão investidos cerca de R$ 18 milhões nessa nova unidade. Com isso, vamos atender e qualificar um número maior de pessoas”, afirma. De acordo com o gerente da Unidade de Blumenau, Mauricio Dalpiaz, todas as atividades desenvolvidas pelo Sest e pelo Senat estão inseridas no contexto da responsabilidade social. “Isso se comprova em 15 anos de atuação, quando foram capacitadas mais de 7 milhões de pessoas nos diversos programas desenvolvidos pelo Senat e atendidas mais de 30 milhões de pessoas no Sest, entre consultas médicas, odontológicas e outras atividades de promoção social”, aponta. Segundo Labes, o Sest Senat desenvolve ainda o projeto Ciclo de Palestras, que contribuiu para o conhecimento sobre as

atividades do setor de transporte, questões sociais e éticas e, ainda, presta informações sobre saúde preventiva. “Os temas escolhidos são de relevância e atuais, buscando sempre a reflexão e o interesse dos participantes”, explica. Além de prestar serviços médicos e odontológicos, o Sest Senat oferece outras atividades: Brasil Acessível, Inclusão Digital, Qualidade de Vida na Melhor Idade e Voluntários do Transporte. “O sistema atua diretamente na comunidade onde está inserido, oferecendo serviços não somente ao transporte como também à comunidade em geral”, afirma. Os serviços oferecidos pelo Sest Senat são gratuitos para as pessoas que trabalham em empresa de transporte, seja de carga ou passageiro. Para a comunidade, é cobrado um valor pequeno que varia de acordo com o tipo de tratamento e carga horária de cada curso.


Mauricio Dalpiaz gerencia o Sest Senat em Blumenau

Mais informaçþes Sest Senat Blumenau - Pate 29 Rua Dr. Pedro Zimermann, 2600 Bairro Itoupava Central CEP 89066-000, Blumenau, SC (Anexo ao Auto Posto RG Ltda) (47) 3378-5005 / 3338-2237 pate29@sestsenat.org.br


ARTIGO

Diferença entre

desejo e meta

Daniel Zimmermann

Nos meios acadêmicos é muito comum ter bem claro e definido o que é uma meta, ou qual a definição correta de meta. Quando o cenário é de uma grande empresa cheia de executivos e com departamentos bem estruturados, há planos decenais, quinquenais, anuais e todos os tipos de alvos a serem atingidos dentro de um período qualquer. Não que esses alvos venham a ser atingidos apenas porque os envolvidos se propuseram a essa tarefa, mas sim porque há um compromisso em atingi-los dentro de um determinado prazo. Quando o assunto é pequena e média empresa, a conversa é bem outra. Dentro do trabalho de conciliar os interesses dos sócios com o que é possível fazer na empresa, normalmente nos deparamos com a questão da falta do componente prazo. Assim sendo, as se34

guintes questões são demandadas: • Quero atingir uma margem de lucro de 15% sobre o faturamento bruto. • Estamos engajados no esforço de salvar a empresa. • A inadimplência atingiu valores não suportáveis. Temos que diminuí-la. • Vamos crescer e necessitamos de ajuda financeira. • Precisamos aumentar a participação no mercado do Estado em mais 20%. Todas essas colocações expressam os desejos ou as necessidades dos donos ou da própria empresa, no entanto, faltou definir quanto tempo é necessário para equacionar cada uma dessas demandas, ou seja, qual o prazo para que cada uma delas se materialize. O ser humano convive com prazos no seu dia a dia. Por exemplo, em geral há prazo entre o café da manhã e o almoço, se há um casamento marcado, então os prazos são impositivos e a vida, normalmente nos impõe prazo para quase tudo. Assim sendo, prazo é o intervalo de tempo definido ou fixado para o início e o fim de uma atividade ou objetivo. É tão importante no planejamento das empresas, que quando negligenciado coloca a perder a maioria dos empreendimentos. Tudo tem que ser equacionado dentro de prazos adequados sob pena de se perder a eficiência das ações que estão em andamento. Podemos afirmar que as seguintes condições devem ser analisadas: a - Há um prazo limite a partir do qual não adiantam mais as ações? b - Há um prazo antes do qual não há eficácia das ações para o objetivo? c - Há um prazo em que o benefício para a organização seja maximizado? A questão de se lidar com prazos é fundamental e irá fornecer os elementos básicos para que se gerem todos os indicadores que permitam controlar o processo de avaliação daquilo que está se pretendendo. Portanto, a diferença entre meta e desejo é exatamente o prazo, ou seja, podemos sintetizar esta afirmação da se-

guinte forma: META É O DESEJO COM PRAZO. No dia a dia, presenciamos exemplos da confusão entre metas e desejos, tanto na área do empresariado privado quanto na área governamental, como: • Meta - Uma fábrica de equipamentos aeronáuticos vai desenvolver e construir um helicóptero todo brasileiro até 2020. Está claro o que quer (nacionalizar tudo, inclusive o projeto) dentro de 10 anos. • Desejo - “O governo vai construir um milhão de moradias populares”. Bem de acordo com os discursos políticos. Fala-se o que se pretende com objetivos os mais variados possíveis e sem compromisso de prazo. • Meta - Uma empresa do ramo de confecções pretende faturar R$ 1 bilhão em 2011 com uma margem de lucro de 10% ”. Aqui vemos um exemplo de duas metas diferentes, pois uma tem ações voltadas para mercado (crescimento) e outra com ações voltadas para a eficiência (controle de custos, compras, melhoria de processos etc.). • Desejo - “Indústrias paulistas terão metas de reciclagem” Embora seja um desejo, essa afirmação já traduz a necessidade de se colocar prazos para as ações de reciclagem. A meta aqui é apenas a palavra, pois não há compromisso de prazo para acontecer o que se pretende. Os exemplos na realidade são muito numerosos e seria até enfadonho listar tudo que é divulgado. O mais importante é que o pequeno e médio empresário tenha a consciência de que tudo que se propõe a fazer tenha como compromisso um prazo de realização, porque, se não for assim, fica sempre a impressão que é apenas um desejo e não uma meta.

Moacyr França Filho Consultor de empresas e sócio da Nível 10 Consultoria Empresarial


ACIB É NOTÍCIA

Facisc lança cartilha de reivindicações Cristiane Soethe

Novos Associados STUDIO FISCAL BLUMENAU 47 3336-3654 www.studiofiscal.com.br FARMÁCIA ALVORADA 47 3378-5450

Candidatos receberam a cartilha das entidades empresariais A Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) e as associações empresariais do Vale do Itajaí lançaram, em Blumenau, a Cartilha Voz Única, documento que faz parte do projeto Voz Única, que contém um raio-x do Estado na ótica empresarial. O evento, que foi organizado pela Facisc e pela Acib, aconteceu na sede da associação e contou com a presença de candidatos domiciliados na região, lideranças empresariais, presidentes das associações empresariais da região, autoridades e imprensa. O Projeto Voz Única está focado na valorização do voto, na aproximação entre as classes empresarial e política e no fortalecimento da representatividade pelo desenvolvimento. A cartilha, que está sendo lançada em eventos por todo o Estado, foi apresentada no evento de Blumenau junto com os pleitos elencados pelas associações empresariais do Vale. O presidente da Facisc, Alaor Tissot, explicou o objetivo da cartilha. “Levantamos as necessidades do Estado, publicamos em um documento que possa servir de base para os candidatos entenderem o que o nosso Estado precisa para se desenvolver economicamente”. Ele ressaltou que a intenção é dar subsídios para que os eleitos possam atender à expectativa do eleitor com informações precisas das reais necessidades de Santa Catarina. Durante o evento, foi feita a entrega da cartilha para os candidatos presentes. Para o presidente da Acib, Ronaldo Baumgarten Junior, o Projeto Voz Única encaixa-se perfeitamente na Campanha Vote por Blumenau. “Já fazemos esta campanha há quatro eleições e o Voz Única vem reforçar a importância da participação política. A cartilha vem transmitir a todos os candidatos a realidade da população catarinense”. O vice-presidente regional da Facisc e vice-presidente da Acib, CarlosTavares D’Amaral, destacou o empenho de todas as associações empresariais do Vale na cartilha. “Com a participação de todas as associações, conseguimos retratar fielmente o Vale do Itajaí”.

Conselho estadual realiza assembleia-geral ordinária

GRUPO FT 47 3337-0555 H MAIS 47 3328-1666 www.hmais.com.br JAWORSKI CONSULTORIA 41 3224-1700 www.jaworskiconsultoria.com.br DESIGN A2 47 3321-7880 www.designa2.com.br PLS LAVANDERIA 47 3322-6229 PRIME NEXTEL 47 3035-5000 www.primecel.com.br DUPET 47 3328-0140 RTE RODONAVES 47 3337-5458 www.rte.com.br

Serviços Acib Tecnologia da Informação

Blumenau sediou a Assembleia-Geral Ordinária (AGO) do Conselho Estadual da Mulher Empresária (Ceme), em setembro. A Câmara da Mulher Empresária da Acib recebeu participantes de diversas associações do Estado. Na programação, estavam visitas à Cristal Blumenau e à Glas Park. As visitas foram monitoradas pela integrante da CME da Acib, Berenice Ruschel Senger, da empresa Glaspremium. No período da tarde, houve a assembleia na Acib e um workshop sobre práticas na condução dos trabalhos nas Câmaras e Núcleos de Mulheres Empresárias, com o supervisor do Empreender de Santa Catarina, Clóvis Consoli. 36

A Acib possui convênio com a Sociedade de Usuários de Informática e Telecomunicações de Santa Catarina (Sucesu) para a participação em grupos de interesses. Mais informações com Charles, pelo email gerencia@acib.net.


ACIB É NOTÍCIA

Revitalização da margem esquerda debatida na Acib Cristiane Soethe

O projeto de revitalização da margem esquerda do Rio Itajaí-Açu, que teve parecer contrário do Comitê do Itajaí, foi discutido em reunião entre Conselho Deliberativo e Diretoria da Acib no mês de setembro. Opiniões divergentes foram apresentadas. Para o arquiteto e conselheiro da Acib, Alfredo Lindner, o problema principal na cidade é o esgoto e o lixo e não a vegetação, que, de maneira geral, está bem preservada. “Blumenau finalmente se encaminhava para uma solução a fim de proteger as margens do rio, ao menos no trecho central. Mas, em vez de colaborar, técnicos e organizações colocaram a população contra a ideia”, apontou. A secretária executiva do Comitê do Itajaí, Beate Frank, salientou o trabalho do órgão na análise minuciosa dos projetos apresentados. Segundo Beate, o parecer sobre o projeto Margem Esquerda foi favorável, desde que houvesse o redirecionamento, visando à conservação dos aspectos naturais em detrimento dos aspectos estáticos urbanísticos. “Mas, as alterações efetuadas continuavam privilegiando os aspectos urbanísticos, por isso não recebeu parecer favorável. O último parecer enviado alega que o projeto não estava de acordo com as diretrizes do comitê”, observou. O secretário municipal de Planejamento, Walfredo Balistieri, rebateu as críticas ao go-

O secretário Walfredo Balistieri alega que o projeto não traria qualquer tipo de prejuízo ambiental verno municipal: “Nos preocupamos com a cidade, com as pessoas e também com o rio. As ações foram previstas com muito cuidado no Plano Diretor. Nada foi por acaso, não trabalhamos com ‘achismos’, mas com estudos técnicos bem embasados”, afirmou. Balistieri disse que o projeto foi apresentado logo após a tragédia de 2008. De acordo com o secretário, um estudo hidrológico definiu que não

haveria quaisquer consequências negativas. Ao final, o presidente do conselho deliberativo da Acib, Hans Dieter Didjurgeit, lamentou a perda desta oportunidade de revitalização da margem esquerda e apelou para que as partes e a sociedade de Blumenau encontrem uma maneira de buscar o consenso e os recursos para a realização da obra, que é importante para a cidade.

Agenda

Curso: Fundamentos Câmbio Financeiro Promotor: Banco do Brasil/Acib Data: 20 de outubro Horário: 8h às 18h Local: Acib Inscrições: (47) 3326-1230

38

Banco de imagens

Curso: Marketing Pessoal e Etiqueta Profissional Promotor: Dimensão/Acib Data: 14 e 15 de outubro Horário: 18h às 22h15min Local: Acib Inscrições: R$ 65,00 (associados Acib) e R$ 85,00 (não-associados), pelo telefone (47) 3326-1230


SUA NOVA OPORTUNIDADE DE ESTAR NO CENTRO DE TUDO. Sucesso de vendas na primeira fase, o Premier lança a Fase II com novos Studios integrados a uma área de lazer completa. Visite o plantão de vendas e conheça todos os diferenciais do Premier Fase II.

Registro de Incorporação No R - 11 - 8894 do 1º Ofício de Registro de Imóveis

Novos Studios Área de Lazer Completa Excelente Localização Valorização de mais de 30% desde o Lançamento da Fase I.

47

CONHEÇA OS AMBIENTES TOTALMENTE PRONTOS E DECORADOS.

3331 0780

www.premierestilodeviver.com.br VISITE O STUDIO DECORADO. PLANTÃO DE VENDAS: Rua 7 de Setembro, 2014, Centro - Blumenau/SC


CDL É NOTÍCIA

Mais de 30 mil no Super Sábado Fotos Divulgação

A Rua XV de Novembro recebeu mais de 30 mil pessoas para o segundo Super Sábado. Sucesso ainda maior do que o registrado na primeira edição, realizada em agosto. “Quem veio na primeira vez gostou, voltou e ainda chamou mais pessoas. O sábado foi de lojas cheias e muita comercialização”, conta o presidente da CDL de Blumenau, Paulo Cesar Lopes. Foram oferecidas atrações para todos os gostos ao longo da rua. Desde massagens gratuitas até camas elásticas para as crianças. Os interessados em comprar mais barato encontraram lojas com descontos especiais e algumas até mesmo com varais nas ruas, mostrando as promoções. O Super Sábado é realizado sempre no terceiro fim de semana de cada mês. A iniciativa da CDL retoma o tradicional

Novos Associados JSD Adm. Imóveis Janaína Modas Loja Nelson Krug Assistec Divina Inocência

População aproveitou o sábado na XV Calçadão da XV, que deixou de ser realizado em 1990. No passado, as atrações eram destinadas aos turistas. Hoje, o projeto busca oferecer opções de compras e lazer não só para os visitantes, mas também para as famílias blumenauenses, das 9h às 17h. A próxima edição será realizada em 16 de outubro.

Construcon - Filial Ponta Aguda Construcon - Filial It. Central Guia Têxtil Estilo Fatal A Parada 1 JFS Têxtil Top 10 Paula Fernanda Ofício Distribuidora

CDL alerta sobre boletos duvidosos

Blutop Amparo Assessoria Contábil Guindastes Blumenau

O fato acontece todos os anos e sempre é motivo de preocupação. Por isso, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Blumenau faz o alerta sobre boletos de contribuição da Associação Comercial e Empresarial do Brasil. “Os boletos chegam pelos Correios e pedem valores variados. Trata-se de uma entidade desconhecida do meio empresarial e a CDL não recomenda o pagamento”, explica o presidente Paulo Cesar Lopes.

Jean Carlos Itso English Time Language Dinamics Assessoria Imobiliária Youprint Gráfica e Editora Barbieri Painéis e Cartazes Simpet Com. de Equipamentos

Conscientização sobre recolhimento de lixo A CDL de Blumenau e o Samae realizam mais uma etapa do projeto de educação ambiental com os comerciantes do Município. A intenção é mostrar como a triagem e o acondicionamento do lixo devem ser realizados nos contêineres instalados nas ruas centrais. “Este serviço é uma reivindicação antiga da CDL. Vamos trabalhar agora para mostrar como é importante levar o lixo até estes locais e evitar o acúmulo de resíduos”, diz o presidente da entidade, Paulo Cesar Lopes. São 14 contêineres para recolhimento de lixo. Sete serão destinados aos produtos recicláveis, identificados pela cor azul. Os outros acondicionarão resíduos orgânicos, úmidos e sanitários, identificados pela cor verde. Cada contêiner tem a capacidade de acomodar mil litros. 40

os contêineres Alameda Rio Branco – Vaga de estacionamento de turismo ao lado do Banco Bradesco; Rua Nereu Ramos – Abaulamento da calçada próximo ao Tabelionato Nóbrega; Rua Ângelo Dias – Vaga de estacionamento de transporte de valores, antes da faixa de pedestre; Rua Floriano Peixoto – Estacionamento área azul próximo à Loja Salfer; Rua Curt Hering – Vaga de estacionamento em frente ao telefone público próximo ao Estacionamento Curt Hering.


Calendário CEV Aperfeiçoamento e Formação de Vendedores Lojistas Traz conceitos técnicos de vendas no varejo, bem como novas posturas profissionais e aperfeiçoamentos individuais, para o melhor desempenho das funções. Dias 13, 14 e 15

A diretora do SPC, Odete Campestrini, participou do Impar 2010

CDL presente no Impar 2010 A Câmara de Dirigentes Lojistas de Blumenau participou da divulgação do resultado do projeto Impar Vale do Itajaí, da Ric Record, realizada no Hotel Plaza. A diretora do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e outros produtos da CDL, Odete Campestrini, esteve presente e fez a entrega de algumas das premiações. O Índice de Marcas de Preferência e Afinidade Regional contou com a presença de representantes das marcas vencedoras e de agências de publicidade. O Impar foi realizado pela terceira vez no Estado, pela RIC Record, em parceria com o Ibope Inteligência. A pesquisa aponta as marcas mais lembradas e as preferidas dos consumidores.

Serviço de alerta via internet A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL) oferece um novo sistema de alerta para os lojistas: o Serviço de Atendimento de Alerta, mesmo que a pessoa não tenha um telefone, através do 0800 via Voip (Voz sobre IP). Para isso, basta possuir um computador com placa de som, microfone, caixas de som e acesso à internet. O Alerta possibilita a comunicação de perda, roubo ou extravio de documentos.

Como funciona - Acessar o site da FCDL/SC (www.fcdl-sc.org.br); - Localizar no menu direito do portal o título Alerta 0800; - Clicar no botão ligar e aguardar o atendimento; - Válida a partir das 20h. Deverá ser utilizado o teclado virtual para o auto-atendimento.

Gestão Financeira Simplificada Sistema de gestão empresarial simplificado para pequenas empresas e auxilia gestores no processo de tomada de decisões. Dias 13, 15, 22 e 25 Atendimento de Alta Performance Conhecimento das competências naturais para desenvolver um atendimento de alta performance. Dias 18, 19 e 20 Motivação e Vendas Mescla modernas técnicas de vendas e atendimento com aplicação de conceitos da Psicologia, PNL e dinâmicas, para criar uma consciência empresarial voltada para as vendas. Dias 20, 21 e 22 Pós-Venda no Varejo Mostra como estruturar e operacionalizar o pósvenda com foco no varejo. Dias 25, 28 e 29 Técnicas de Vendas Apresenta conceitos modernos da área comercial, abordando personalização do contato, negociação e pós-vendas. Dias 26, 27, 28 e 29 Sobre os cursos Aulas das 19h às 22h, na Casa do Comércio CDL Inclui: Certificado, apostila, estacionamento e cofee-break. Informações e Inscrições (47) 3321-5715 / 3221-5724 / jancarlos@cdl-sc. org.br Desconto para associado CDL. Informe-se sobre condições especiais para grupos e in-company.

Campanha para o Dia das Crianças A CDL de Blumenau lançou a campanha promocional para o Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro. As empresas associadas já recebem cartazes com o título da ação “Brincar é tudo de bom”. O material pode ser aproveitado em vitrines, balcões de atendimento, escritórios e provadores. O

arquivo pode ser baixado gratuitamente pela internet. Para intensificar a divulgação, a CDL também programou ação de mídia em outdoors, inserções comerciais em emissoras de TV, rádio AM e FM da região de Blumenau. “Queremos que a campanha seja com-

pleta. Por isso, é importante também que os lojistas decorem as vitrines e estabelecimentos de maneira personalizada. A intenção é atrair e agradar os consumidores e, consequentemente, ter um bom desempenho nas vendas”, explica o presidente da CDL Blumenau, Paulo Cesar Lopes. 41


Intersindical é notícia

Divulgação

Encontro Catarinense da Indústria

Empresas são certificadas por gestão da qualidade

A Fiesc promoveu, de 15 a 17 de setembro, o Encontro Catarinense da Indústria, que debateu os desafios do setor, em Florianópolis. Os dados mostram a recuperação do setor industrial em 2010, com alta de 10,3% na produção, de 4,3% no faturamento e de 6,8% no número de empregos. O encontro teve 20 workshops que abordaram questões como perspectivas da economia, mercado de capitais, inovação nas empresas, finanças pessoais, gestão de marcas e sucessão nas empresas familiares. Representantes do Sescon e da Contabilidade Deschamps

Texfair divulga o site Já está no ar o site da Texfair Home – Feira Internacional de Produtos Têxteis para o Lar (cama, mesa, banho, cortina, tapete e decoração), que será realizada de 22 a 25 de fevereiro de 2011, no Parque Vila Germânica. O endereço é www.texfair. com.br. No espaço estão disponíveis todas as informações sobre a nova feira e contatos para os interessados em expor ou se credenciar como lojista visitante. Em breve, estará disponível também o site da Texfair Fashion – Feira Internacional do Vestuário, no mesmo endereço. O evento será de 14 a 17 de junho, também no Parque Vila Germânica.

42

Três empresas de contabilidade receberam, em agosto, o certificado de conclusão do Programa Qualidade Necessária Contábil (PQNC), realizado pelo Sescon Blumenau em parceria com a Diretiva Consultoria. Contabilidade Deschamps e Étika Contabilidade, de Blumenau, e Toti Serviços Contábeis, de Timbó, vão melhorar os seus processos de gestão com o treinamento. O PQNC é voltado especialmente para a área de contabilidade. O programa trabalha com a filosofia CTC (Comprometimento Total com o Cliente), que, em 10 anos, já ajudou mais de 800 empresas a aprimorar processos de gestão. Clientes que contratam empresas que possuem o certificado têm a certeza de que os serviços prestados seguem uma metodologia de controle e clareza, garantindo mais qualidade e um maior grau de confiança e credibilidade.

Empresas conhecem linhas de crédito especiais As linhas de financiamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), voltadas para a expansão da produção, foram apresentadas a empresários de Blumenau e região. A iniciativa foi do IEL/SC, em parceria com a Intersindical Patronal de Blumenau. Associados do Simmmeb estiveram presentes no evento, que proporcionou uma extensa discussão sobre as possibilidades de desenvolvimento e investimento em inovação para as empresas. Interessados em mais informações sobre as linhas de fomento podem entrar em contato com o IEL/SC, pelo telefone (48) 3231-3054, ou pelo e-mail iel@ielsc.org.br.


Trabalhadores da construção têm dia especial Fotos Edson Pelence

Atividades recreativas diversificadas, atendimentos de saúde, palestra de conscientização, show humorístico, cortes de cabelo, sorteio de 45 bicicletas e distribuição de guloseimas proporcionaram uma tarde diferente para os trabalhadores das empresas associadas ao Sindicato da Construção e ao Serviço Social da Construção (Sinduscon e Seconci). O Dia Nacional da Construção Social, realizado em 18 de setembro, no Centro Esportivo do Sesi, promoveu serviços gratuitos com foco no bem-estar do profissional. Mais de 1,3 mil trabalhadores participaram. Um show com a dupla Rudy e Willy fechou a tarde com direito a muitas gargalhadas.

Promoção reuniu trabalhadores da construção civil no Centro Esportivo do Sesi

Sinduscon de Blumenau empossa nova diretoria Um jantar reuniu autoridades, empresários do setor e representantes de classe para homenagear o novo presidente do Sinduscon Blumenau e presenciar a posse da nova Diretoria – gestão 2010-2012. O engenheiro Amauri Alberto Buzzi foi empossado no cargo, deixado pelo também engenheiro Jorge Luiz Strehl. O evento foi realizado no Tabajara Tênis Clube, em 20 de setembro, e serviu para reforçar a importância do setor da construção. “O associativismo é a forma sólida de fortalecer os setores. E se o empresariado estiver comprometido com o lado social, com o meio ambiente e atento à inovação tecnológica, tem tudo para dar certo”, disse Buzzi em seu discurso.

Jorge Strehl (E) passou o cargo a Amauri Buzzi

Unidade Móvel Odontológica para associados O Sintex possui uma Unidade Móvel Odontológica que está à disposição das empresas associadas. O equipamento conta com todos os recursos necessários para o atendimento. A Altenburg já utilizou a unidade por três vezes nos

últimos quatro anos. “A Unidade Móvel propicia ao colaborador melhoria em sua qualidade de vida e evita as faltas ao trabalho para procedimentos odontológicos fora do ambiente da empresa”, destaca a gerente de Recursos Humanos

da Altenburg, Maria de Fátima Marchi. Para utilizar a Unidade Móvel Odontológica do Sintex as empresas associadas devem entrar em contato pelo telefone (47) 3326-9662, com Paulo Heinzen. 43


SINDILOJAS é notícia

Coluna Jurídica

Integração com associados Fotos Divulgação

TRABALHO NAS ELEIÇÕES De acordo com o disposto no Art. 98 da Lei nº. 9.504/97, as empresas que tiverem empregados nomeados para compor Mesas Receptoras ou Juntas Eleitorais, bem como requisitados para auxiliar seus trabalhos, deverão dispensá-los do serviço pelo dobro dos dias de convocação. A dispensa (folga), somente será válida mediante declaração expedida pela Justiça Eleitoral, não havendo prejuízo do salário, devendo sua fruição ser diretamente negociada entre empresa e empregado. De acordo com a Resolução nº. 22.424/2006 do TSE, a realização dos atos preparatórios do processo eleitoral, como nas hipóteses de treinamentos e de preparação ou montagem de locais de votação, também será compreendida pelo referido artigo.

TRABALHO TEMPORÁRIO Em outubro, época em que ocorrem diversas festas culturais na região, há aumento de demanda de mão de obra, seja nos locais de realização ou no comércio em geral. Para suprir esta demanda, as empresas poderão se valer do que dispõe a Lei nº. 6.019/74, que trata da contratação temporária, decorrente de necessidade transitória de substituição de pessoal regular e permanente ou o acréscimo extraordinário de serviços. Aos trabalhadores temporários, além do respectivo registro e comunicação à empresa prestadora de serviços temporários no caso de acidente de trabalho, são assegurados os seguintes direitos: • Remuneração equivalente à recebida pelos empregados de mesma categoria da empresa tomadora ou cliente, calculados à base horária, garantida, em qualquer hipótese, a percepção do salário mínimo regional; • Jornada de oito horas, remuneradas as horas extraordinárias não excedentes de duas; • Férias proporcionais; • Repouso semanal remunerado; • Adicional por trabalho noturno; • Indenização por dispensa sem justa causa ou término normal do contrato, correspondente a 1/12 (um doze avos) do pagamento recebido; • Seguro contra acidente do trabalho; • Proteção previdenciária.

44

Sindicato reuniu os novos associados em um café da manhã Visando à integração com novos associados, o SINDILOJAS realizou, em 21 de setembro, um café da manhã, oportunidade em que foram apresentadas as ações da entidade, serviços, convênios e benefícios. O evento aconteceu no Hotel Sesc de Blumenau e reuniu cerca de 30 novos associados, além de parceiros do SINDILOJAS, como Servimed, CIEE, Senac, além do Sesc. Os parceiros da entidade tiveram a oportunidade de apresentar produtos e serviços, bem como tirar dúvidas dos empresários. Segundo o presidente do SINDILOJAS, Marco Aurélio Hirt, este tipo de encontro fortalece o associativismo. “Faz o associado perceber a importância da entidade e da união do segmento”. Serviços, como a Câmara de Conciliação Trabalhista (Concilia) e a Assessoria Jurídica, foram apresentados aos sócios. O comerciante, segundo o diretor-executivo do sindicato, Márcio Rodrigues, deve observar as ações e serviços, principalmente pelo fácil acesso, preços e garantia de qualidade.

Catarinenses colocam contas em dia Levantamento da Fecomércio na Capital aponta que 13% dos consumidores estão com dívidas atrasadas, o menor percentual deste ano, segundo pesquisa de setembro. Os dados levaram em conta os consumidores de Florianópolis, mas, segundo o presidente da Fecomércio/ SC, Bruno Breithaupt, eles refletem a realidade catarinense. “Existe alguma variação conforme a região do Estado, mas nada significativo. O varejo se desenvolve praticamente da mesma forma, por isso, podemos dizer que as pesquisas espelham a realidade e as tendências no consumo das outras regiões”. Em quatro meses, 20 mil famílias da Capital saldaram dívidas. Ainda assim, seis em cada 10 consumidores têm parte da renda mensal comprometida com cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimos pessoais e outras formas de dívida. A pesquisa que projeta a intenção de consumo das famílias revela que a população está otimista – 41,8% dos que ganham mais de 10 salários mínimos afirmaram que estão consumindo mais agora do que antes e 62,7% pretendem aumentar este consumo nos próximos seis meses.


Espaço do Associado

FLAMINGO, NOVO CONCEITO A Flamingo inaugurou, em novembro de 2009, um novo conceito de loja, em Itapema. Além da loja, foi centralizada no mesmo local a administração e o departamento de logística da empresa, em função da localização às margens da BR-101. A novidade é que está sendo agregada à cama, mesa e banho a seção de presentes e decoração, com peças de design inovador. Ao mesmo tempo em que ocorrem estas

Nova loja reúne também a administração da rede

mudanças, a Flamingo inaugurou, em 14 de agosto, a loja virtual (www.lojasflamingo.com.br). Agora, os clientes podem comprar ou conferir as novidades no conforto de casa. Este

Concilia atinge estatística positiva histórica Uma ferramenta eficaz se consolida na solução de conflitos trabalhistas em Blumenau. Em agosto, a cada 100 casos que chegaram à Câmara de Conciliação Trabalhista (Concilia), 68 foram resolvidos por meio da conciliação. O desempenho da Concilia comprova um resultado positivo nas relações de trabalho e o percentual alcançado é marcante, pois trata-se do melhor resultado estatístico obtido desde a implantação da câmara, em 2000. Com o passar dos anos, a Concilia conquistou credibilidade junto aos empregados e empregadores. O bom relacionamento entre os sindicatos patronais e laborais demonstram o comprometimento das entidades, cujos diretores cedem seu tempo e dedicação para realizar esta função, aproximando-se cada vez mais da categoria atendida. “Queremos fazer da Concilia um exemplo para todos os sindicatos de Blumenau, além de ter a prestação de serviços de forma exclusiva para nossa categoria, auxiliamos na construção de uma cidade menos morosa na solução dos conflitos trabalhistas”, afirma o presidente do SINDILOJAS, Marco Aurélio Hirt. Para a executiva da câmara, Priscila Krieger, “o trabalho realizado está surtindo um efeito tão positivo que é nossa intenção disseminar esta cultura da conciliação, incentivando outras categorias a aderirem à Concilia ou criarem sua própria câmara”. A Câmara de Concialiação Trabalhista surgiu como uma iniciativa pioneira em Santa Catarina e de uma parceria entre o SINDILOJAS e o Sindicato dos Empregados no Comércio de Blumenau. Sua criação foi conduzida por dois grandes objetivos: prestar um serviço para a categoria do comércio e contribuir com a sociedade ao reduzir o número de processos judiciais.

novo conceito já foi implantado em Blumenau e, este mês, na nova loja de Balneário Camboriú. Gradativamente, estará disponível para toda a rede.

Novos Associados Pontinho hobbyes - roupas para mulheres de estilo - 3322-0733 Pernambucanas - confecções, cama, mesa, banho e eletrodomésticos - 3340-8518 Gartil aviamentos - comércio de aviamentos e reparos - 3339-0009 Gw computadores - comércio de equipamentos e serviços de informática - 3035-4525 Mohana modas - comércio de confecções - 3334-1843 Rocha e andrade - comércio de colchões ortobom - 3037-6006 Nm presentes - joalheria e relojoaria - 3326-29-65 Artur multimarcas - mecânica de importados - 3323-1084 Susistel - vivo e equipamentos telefônicos - 3222-3233 Lumix - fábrica de lustres - 33403147

45


MEMÓRIA

Segurança e sistema viário Arquivo Hitórico

A associação discutia com a Prefeitura soluções para a melhoria do trânsito na cidade A Acib definiu como prioridade para o ano de 1956 a deflagração de uma campanha junto ao governo estadual no sentido de sensibilizá-lo a respeito da necessidade da completa formação do efetivo da polícia, para que se fizesse a seguranca na cidade. Simultaneamente, desencadeou na cidade outra campanha, para a reorganização da guarda noturna, objetivando sua manutencão pelo Poder Público municipal. Os empresários decidiram que, enquanto a Prefeitura não assumisse o encargo, a Acib doaria mensalmente os recursos necessários para manter a estrutura da guarda. A Acib, na qualidade de entidade consultiva da prefeitura, participava ativamen46

te de diversas discussões a respeito do futuro de Blumenau. Integrava comissões que estudavam as mudanças no tráfego urbano e a implantação de cursos superiores. Em janeiro, o deputado federal Hercílio Deeke assumiu o cargo de secretário da Fazenda do governo Jorge Lacerda. Em maio, juntamente com o sócio Kurt von Hertwig, ele fundou a Porcelana Condessa, primeira fábrica do ramo em Blumenau. Em abril de 1957, os empresários associados foram às urnas e decidiram que Júlio Horst Zadrozny seria o novo presidente da Acib, auxiliado pelos vice-presidentes Alfredo Freshel e Carlos Heinz Buechler, ambos com 122 votos. Aquele ano mostrou-se difícil para os blumenauenses, que sofreram com

três enchentes em três meses. Em julho, as águas atingiram 8,68 metros. No mês seguinte, chegaram a 12,43 metros e, em setembro, a 9,8 metros. A cheia de agosto inundou dois terços da área edificada do municipio. Houve muitos prejuízos, desmoronametnos e duas pessoas morreram. A Acib, mais uma vez, interveio, encaminhando à Prefietura, em setembro, um documento no qual sugeria algumas medidas para minimizar os efeitos das enchentes. Elas se referiam princpialmente à concessão de autorização para construções às margens dos rios. Nestes casos, a Acib sugeriu que fosse exigido um rigoroso controle na construçãõ de sistema de esgoto, instituição de uma cota mínima de 10 metros, construção de muros de arrimo nas margens e estaqueamento adequado.


Empresário Acib / CDL / Sindilojas - Ed. 42  

Revista empresarial das associações Acib, CDL e Sindilojas. Produzida Pela Mundi Editora. Blumenau / SC