Page 1

[ automaテァテ」o ]

CONFORTO AO ALCANCE

DAS MテグS

[ paisagismo ] abr/mai.12 Ano 7 R$ 11,90

#51

palmeiras viram protagonistas

NOS JARDINS


à t i n u t OppoSr accaro aproveite as condições especiais da Saccaro e transforme a sua casa. Esse clima vai surpreender você.

av. do Estado, 4770 - Sala 01 - Casa Hall Shopping Bairro dos Estados - Balneário Camboriú - SC Fone 47 3241 6563


Deixe sua casa surpreender você todos os dias.

Descontos de até

50% 35% à vista ou até

* Período da promoção: 17 de janeiro a 17 de fevereiro de 2012, ou enquanto durarem os estoques. Condições de pagamento: até 50% de desconto à vista (pagamento no pedido), ou até 35% de desconto em 1+9 vezes, sujeito à aprovação de cadastro. Parcela mínima de R$ 250,00. Descontos com percentuais variáveis de acordo com o produto, exceto para lançamentos, produtos especiais e pedidos corporativos.

em 1+9 vezes


que

Imagens meramente ilustrativas.

ser

como tem

Cinema

Brinquedoteca Sala de Jogos Playground Salão de Festas / Lounge Academia / Fitness Sauna úmida / Spa Espaço Gourmet Piscinas / Raia

2 vagas na garagem

Registro 2° Ofício de Registro de imóveis, comarca de Blumenau, sob a matrícula número R3-37.731

Lan house


l

ç iza

e nt e l ce Ex

a loc

ão

r

e d n

o K r

to c i V

www.grandvillageclub.com.br

Informações e vendas:

Vendas

Incorporação e Construção

CRECI 2962J

GRUPO TARUMÃ

3322 7233 www.imoveispremium.com


Josimery Suely Tinti Arquiteta e Urbanista (47) 9176-1267

Pensando no dia a dia do casal e seus filhos, a arquiteta Josimery Suely Tinti projetou os espaços de forma funcional e também harmoniosa. O casal gosta de cozinhar e receber amigos, por este motivo os ambientes de jantar e lazer foram integrados. Uma bancada para lanche que separa a cozinha das salas proporciona ao espaço um ambiente ora reservado, ora integrado.

A sala de jantar possui espaço aconchegante para oito pessoas. Neste ambiente foi colocado um espelho cristal com detalhes em espelho bronze que proporciona ao ambiente uma sensação agradável e dá um toque de amplitude e fineza. Os espelhos se integram com os detalhes da madeira escura, colocados em todos os espaços misturados com as cores claras das paredes para dar maior leveza ao ambiente.

Rua 7 de Setembro, 2405 Blumenau | 47 3322-3870 Rua 7 de Setembro, 1455 Blumenau | 47 3222-0045


informe publicitário

A sala de Home Teather possui um amplo espaço comum com a sala de jantar e a sacada. Os equipamentos de som e vídeo estão interligados tanto com a TV da sala quanto com o projetor que se encontra no espaço da sacada, desta forma os proprietários podem optar por assistir a um bom filme na tela de projeção ou simplesmente na sala de TV. Da mesma forma o sofá pode ter seu encosto regulado para ambas as situações.

O teto foi rebaixado com gesso favorecendo assim a instalação de luz indireta valorizando os espaços para cada situação de uso. Ao entrar nas salas destaca-se visualmente um pendente de cristal instalado próximo ao sofá cuja posição foi escolhida com intuito de atrair os olhares de quem chega ao ambiente. Sua luz reflete na parede e na cortina e proporciona ao ambiente um toque sofisticado. Para o lavabo foi usado madeira de demolição e papel de parede listrado aplicado em todas as paredes. As listras são na vertical e com brilho discreto deixou o ambiente requintado.

FOTOS DANIEL ZIMMERMANN

O sofá do Home Theater, tapete, mesa de jantar, poltrona, cadeiras e alguns objetos de decoração foram comprados na loja Inter Design de Blumenau onde se encontra uma equipe altamente qualificada para orientar os clientes e profissionais.

www.interdesign.com.br


[ editorial ]

[ expediente ]

Daniel Zimmermann

CONSELHO EDITORIAL Amanda Marques, Amauri Alberto Buzzi, Ângela Ferrari, Carla C. Back, Daniela P. Garcia, Danielle Fuchs, Jorge Luiz Strehl, Margareth Volles, Maurilio Bugmann, Odete Campestrini, Patrícia Serafim, Sidnei dos Santos, Silvana Silvestre e Valter Ros de Souza

Na Rua XV de Novembro é possível contemplar a riqueza arquitetônica de Blumenau

Modernidade e simplicidade As facilidades do mundo moderno atraem cada vez mais pessoas em busca de conforto e comodidade, principalmente em casa. Por isso, as construtoras investem cada vez mais em automação residencial. Climatização dos ambientes, sistema de som, iluminação, janelas, portas e persianas podem ser controlados a distância, via smartphone, ou de dentro de casa. O descanso após um dia cheio fica facilitado. As tecnologias de automação residencial estão evidenciadas no apartamento decorado para amostra do Sea’s Palace Residence, da FG Empreendimento, em Balneário Camboriú. Sob responsabilidade da Syncrovision, o projeto de automação leva aos potenciais consumidores o que há de melhor no mercado residencial. O convívio com a modernidade gera, por outro lado, uma busca pelo orgânico, pelo simples e pela reinvenção das coisas. Nesse quesito, o designer Genézio João de Souza Filho é referência. Madeira de demolição, antigas peças ou ferro retorcido viram novos itens de decoração, cabeceiras de cama, espelhos... Tudo carregado de história, de humanidade e muita cor. E, por falar em história, vale a pena conhecer um pouco mais da história da Rua XV de Novembro de Blumenau, a primeira via pavimentada de Santa Catarina, cujo traçado foi definido ainda na época colonial. A rua guarda uma rica amostra da arquitetura da cidade, com detalhes que só são revelados em um passeio a pé e observação criteriosa. Para continuar na linha da humanização, a seção paisagismo mostra as espécies de palmeiras mais usadas atualmente para ornar jardins, avenidas e parque. Entre elas está a palmeira-real, ou imperial, disseminada no País pelo imperador Dom Pedro 2º – responsável pelo plantio no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Hoje, as palmeiras-reais embelezam cartões-postais, como a Rua das Palmeiras (Alameda Duque de Caxias) e Igreja Matriz Luterana Centro, só para citar dois exemplos em Blumenau. Aproveite as reportagens da edição 51 da revista Alto Padrão. Boa leitura!

Sidnei dos Santos Editor-Executivo 12

/Editor-Executivo: Sidnei dos Santos Palavra Escrita Ltda. ME sidnei@mundieditora.com.br /Reportagem: Cleiton Schlindwein, Daiani Caroline Coelho, Francielle de Oliveira e Iuri Marcelo Kindler /Gerente de Arte e Desenvolvimento: Lucas Gonsalves lucas@mundieditora.com.br /Diagramação: Tiago de Jesus e Adriana Baier /Projeto Gráfico: Ferver Comunicação www.ferver.com.br /Foto de Capa: Daniel Zimermann /Modelo da Capa: Gabriela Pereira /Editora-Chefe: Danielle Fuchs Fuchs Editorial Ltda. ME danielle@mundieditora.com.br /Gerente Comercial: Eduardo Bellidio eduardo.bellidio@mundieditora.com.br /Gerente Geral Comercial: Cleomar Debarba debarba@mundieditora.com.br /Diretor-Executivo: Niclas Mund niclas@mundieditora.com.br /Circulação: circulacao@mundieditora.com.br /Sugestão de pauta: pauta@mundieditora.com.br /TIRAGEM: 3.000 exemplares /TIRAGEM VIRTUAL: 50.000 exemplares mundieditora.com.br facebook.com/mundieditora twitter.com/mundieditora

Apoio:


[ sumário ] Daniel Zimmermann

Divulgação

40 [ móveis Designer cria peças a partir de material descartado

32 [ interiores

Mostra de Arquitetura e Decoração Splendour Decor

Decoração aliada à tecnologia

A história e a beleza da Rua XV de Novembro

Conceitos bem definidos

Auxílio para a criatividade

As vantagens do PVC

De cima para baixo

As aplicações do Drywall

Material valoriza superfícies e inibe bactérias e fungos

Um mundo novo com os papéis de parede

14

60 [ patrimônio Daniel Zimmermann

22 [ projeto residencial 28 [ projeto comercial 36 [ ambiente profissional 44 [ esquadrias 46 [ construção 50 [ acabamento 54 [ tecnologia 56 [ decoração


Daniel Zimmermann

16 [ automação

Conforto na ponta dos dedos

64 [ design 70 [ museus 74 [ evento 78 [ gastronomia 80 [ vinhos 84 [ cervejas 86 [ design AP 88 [ clic AP 90 [ AP indica 93 [ agenda AP

Para facilitar as compras

66 [ paisagismo

Espaço único para a história da música

Diferentes palmeiras oferecem diversas possibilidades Banco de Imagens

SC Gourmet prepara novidades

Aprecie com calma

A Teroldego brasileira

Como se formam os profissionais

Parque da Malwee

15


[ tecnologia ] Fotos Daniel Zimmermann

le remoto

o contro ia permite

Tecnolog

16

ens da

de vários it

ação, som

climatiz casa, como

a

e seguranç


Tudo na ponta

A automação toma conta dos ambientes residenciais e indica uma tendência que deve, em breve, estar disponível para diferentes níveis de empreendimentos

dos dedos

Faz tempo que Balneário Camboriú está no ranking das cidades com o metro quadrado mais caro do País. Atualmente, é a terceira da lista, com R$ 5,710 por m², perdendo apenas para São Paulo e Rio de Janeiro. Ter diferencial nesse espaço cobiçado por milionários do Brasil e Exterior é, hoje, essencial. Por isso, as construtoras apostam em muita tecnologia para conquistar clientes. A palavra do momento na construção civil é automação. Grandes empresas do ramo estão cientes das inúmeras possibilidades com a inserção de tecnologia em muitos processos básicos de uma residência. O diferencial passou a ser entregar o novo lar ao morador preparado para essas possibilidades. Iluminação, climatização do ambiente e da água, áudio e imagem, aparelhos elétricos e tantas outras necessidades que podem ser automáticas estão na mira das construtoras. Exemplo de requinte e automação juntos são os apartamentos da FG Empreendimentos de Balneário Camboriú. Atualmente, todos os apartamentos entregues pela empresa já possuem infraestrutura completa para receber diversos tipos de automação. Iniciado em 2009, o Sea’s Palace Residence foi erguido com as adaptações necessárias para simplificar a vida dos moradores quanto às tarefas diárias da casa.

rsia

Janelas e pe

No apartamento decorado, estrategicamente preparado no nono andar, com uma vista formidável para o mar e praia do Pontal Norte, é possível ter ideia do que pode ser executado com simples e práticos toques. “Hoje, temos uma demanda maior de clientes familiarizados com a automação. Por isso, o apartamento decorado foi projetado e executado com todas as possibilidades de automação, mostrando ao cliente as possibilidades destes serviços.” , diz a arquiteta da construtora, Vanessa Schmidt. Além de estar em um ambiente com a mais requintada decoração, produzida pela Blanc (a divisão de arquitetura e decoração da FG Empreendimentos), que presta assessoria aos clientes, é com um tablet em mãos que o cliente

a

o a distânci

adas mesm

tas ou fech

ser aber nas podem

pode desfrutar da tecnologia em seu próprio benefício. Com um sistema disponibilizado pela Syncrovision, na tela do tablet é possível perceber os ambientes da casa, todos divididos, e cada um com informações sobre a automação disponível. No apartamento com living, sacada com churrasqueira, sala de estar e jantar, cozinha e três suítes, muito pode ser feito simplesmente sentado, apreciando a vista do mar. Ascender, apagar ou sincronizar as luzes de qualquer ambiente. Fechar ou abrir as janelas. Ligar, desligar ou mesmo programar a temperatura da climatização. Optar entre a programação da TV, o filme em DVD ou do show em Blue Ray. 17


[ tecnologia ] Fotos Daniel Zimmermann

s do tablet ou

ionados atravé

s de

Equipamento

dem ser ac vídeo e som po

smartphone

Melhor de tudo é fazer isso sem estar sequer no prédio. Com um sistema remoto, ligado ao software utilizado para automação, é possível fazer qualquer dessas modificações de qualquer outro lugar, a partir de um smartphone. Para muitos, a sensação de chegar em casa com o tipo de iluminação preferida e a música perfeita é a deixa para um final de dia perfeito. “Quando nós começamos a aplicar estrutura para automação, sentíamos, de alguns clientes, certa desconfiança. Eles iniciavam apenas com as janelas ou com as luzes. Hoje, o cliente quer o mais completo possível, principalmente quando visita o ambiente decorado. É onde ele pode ter noção de todos os benefícios da tecnologia”, diz Vanessa. Especialista em ambientes de luxo, a FG Empreendimentos já entrega os apartamentos com persianas automatizadas e portas de acesso com sistema de biometria, infraestrutura para aspiração central e ar-condicionado split. A arquiteta explica que o departamento analisa, projeta e executa a decoração dos apartamentos, incluindo, se for vontade do cliente, os sistemas de automação dos ambientes. 18

ão de todo

A iluminaç

o ap

também artamento

a

tomatizad

pode ser au


Inteligência residencial A automação de um lar pode ir muito além do que se esperava há tempos atrás. Não apenas no uso do timer do ar-condicionado ou da programação da torradeira. Atualmente, as possibilidades ultrapassam aquelas muito desejadas. Afinal, quem é que nunca assistiu Os Jetsons, animação produzida por Hannah Barbera na década de 1960, e cobiçou tecnologias e facilidades domésticas como aquelas? “A automação residencial representa comodidade, controlabilidade e inteligência. Hoje, você pode controlar vários itens de sua casa mesmo a longa distância. Pode acionar as lu-

zes, criando um caminho quando estiver chegando em casa; ligar o home theater com apenas um toque em um painel de controle ou, ainda, acionar as câmeras de segurança de onde você estiver”. destaca Scheila Maria Zechner, da Syncrovision, empresa especializada em sistemas de automação. Ela explica que a automação é crescente. Conforme o NAHB, um centro de pesquisas norteamericano, a previsão é que, em 2015, 70% dos imóveis residenciais novos possuam automação integrada. É possível dizer que esse é um caminho sem volta e com grandes

O tablet na

iona como

parede func

aberturas de mercado. O que já é realidade para clientes de alto poder aquisitivo, logo estará acessível para projetos residenciais da nova classe média. Outro fator ligado ao crescimento é a faixa etária dos novos consumidores, que estão entrando no mercado e adquirindo o primeiro imóvel. São consumidores naturais da modernidade. O desafio, agora, é das construtoras e das empresas especializadas, em fazer projetos especiais para cada cliente. Fazer com que a automação torne os momentos dos moradores sempre únicos.

controles um painel de

atizado

ento autom

do apartam

19


[ tecnologia ]

Fotos Daniel Zimmermann

No quarto, as

Na sala da jantar

, fica fácil controlar

20

a melhor temperat

ura e a iluminação

adequada para um

possibilidades

a boa refeição

garantem o tecnológicas

r

ra de descansa

conforto na ho


[ projeto residencial ]

Ibiza Towers apresenta o apartamento showroom em Balneário Camboriú

Facilidades tecnológicas e alta

decoração

Ambientes decorados com referências de alto padrão e tecnologia de ponta projetam o showroom do Ibiza Towers no mercado dos apartamentos inteligentes. Cenários de luz com várias opções de iluminação LED, hidromassagem, TVs, cortinas, persianas, ar-condicionado e som podem ser acionados a distância, por iPad, celular ou notebook. A funcionalidade do apartamento showroom foi pensada em todos os aspectos, da automação à decoração. O projeto de decoração privilegia o layout versátil do apartamento e otimiza os espaços com soluções fun-

cionais e harmoniosas. No living, com cinco ambientes integrados, o centro das atenções está na cozinha/espaço gourmet. “Uma porta de vidro leve faz o papel de uma sutil divisória. Isola a cozinha, sem perder a transparência quando fechada e, quando aberta, integra ao espaço gourmet, ficando totalmente embutida e invisível. Esta solução agrada homens e mulheres e dá o ar de vanguarda da decoração que mescla estilos”, diz a coordenadora da equipe de decoração da Procave, Miriam Pinheiro. As peças decorativas exóticas marcam uma temática asiática que se

sobressai entre os tons de azul petróleo, grafites e beges. Modernidade harmonizada com o requinte retrô do papel de parede e da mesa de jantar em alto brilho. Cada móvel do showroom foi selecionado por Miriam e comprado em feiras. A maioria é de produtos importados e exclusivos. “Trabalhamos com móveis aéreos e espelhos para ampliar espaços, aplicamos cores complementares como cítricas e sóbrias nas áreas de circulação. As cabeceiras das camas revestidas com tecidos ultramodernos em tamanhos maiores são arrojadas, diferente de tudo o que se vê em de-

Fotos Divulgação

22


coração”, destaca a coordenadora. Cada quarto foi decorado com uma intenção. “Como é showroom, escolho as cores sem perder a sutileza do ambiente e manter o equilíbrio para agradar a todos”, comenta. O apartamento de 462 m² de área total tem quatro suítes, dependência completa de empregada, cozinha e espaço gourmet integrados no mesmo ambiente, quatro vagas de garagem e está localizado no quarto andar da torre Norte do empreendimento. O acesso para visitá-lo é pelo plantão de vendas, na

Avenida Atlântica, 5720, Barra Sul, Balneário Camboriú. Miriam diz que as três torres podem ser comparadas com a arquitetura de Dubai. “O Ibiza Towers é um oásis no meio do Litoral”. Ela destaca que, muitas vezes, uma pessoa não consegue ter uma percepção da decoração com o apartamento vazio, assim, com o showroom, é possível mostrar a interatividade do apartamento sem perder a intimidade, o glamour e uso no dia a dia. O apartamento contempla a beleza

da paisagem do mar e da natureza que circunda a Barra Sul, pois é todo de vidros especiais, com películas de proteção contra raios solares. “Quanto mais luz solar, menos consumo de luz artificial”, salienta. Tanto da sala quanto da banheira da suíte é possível contemplar a beleza da natureza. “Na verdade, as pessoas compram a vista maravilhosa e ganham o apartamento. Nossa intenção era fazer uma obra que contemplasse tudo isso. É o glamour e a beleza emoldurados pela natureza”, destaca Miriam. 23


[ projeto residencial ]

Fotos Divulgação

As torres O empreendimento, assinado pela Procave e R. Teixeira, tem 51 mil m². Para a área de lazer e convivência são 4.662 m² distribuídos na fachada frontal com orientação Norte. Ampla visão e insolação. Entretenimento, lazer e relaxamento. A piscina no térreo fica em frente ao mar, um visual privilegiado, com SPA, bar molhado e restaurante exclusivo. São três torres. A Sul e a Norte, com 38 andares cada, e a Central, com 40 andares, sendo um apartamento por andar com quatro suítes. Na máster, com 41 m², da sala de banho pode-se avistar o rio. E da cama, contemplar o mar. A torre Norte será entregue em setembro e a expectativa é que em dois anos todo o empreendimento seja entregue. No mezanino, dois salões de festas, lounge e cinema. No sexto pavimento, mais opções, com quadra poliesportiva, quiosques com churrasqueiras, salões de festas, raia de piscina aquecida e coberta. E, complementando, sala de massagem e saunas seca e úmida, sala de repouso, espaço beleza, fitness e lan house com acesso por um elevador exclusivo 24


[ projeto residencial ]

Fotos Divulgação

No alto da página, a foto panorâmica mostra a integração dos diferentes ambientes. Acima, pavimento do empreendimento destinado ao lazer e práticas esportivas. O design de interiores ficou por conta da equipe de profissionais da Pracave: a coordenadora Miriam Pinheiro, Giseli Santos de Andrade e Arianne Saut

Ibiza Tower Avenida

Atlântica,

Balneário Camboriú (SC) (47) 3267-0007

26

5720,

Barra

Sul,


[ projeto comercial ]

Fotos Daniel Zimmermann

Aposta em

conceitos

Depois de um estudo e verificada a demanda do mercado, a Cativa Têxtil inaugurou, em pleno calor de dezembro, as primeiras lojas próprias fora da empresa. Cada uma com conceito específico, a loja Exco e a Cativa Store foram postas no mais luxuoso corredor de compras de Santa Catarina.

A ideia foi ter nos dois ambientes, projetados na Avenida Brasil, de Balneário Camboriú, o termômetro sobre as coleções em ponto pró28

prio de venda. Para tanto, projetos modernos foram criados para alinhar moda em vestuário com design e arquitetura. A arquiteta Michelle Schwanke explica a opção pelo MDF Brilho, o principal material utilizado nas lojas. Ele foi integrado ao projeto por fatores essenciais: a multiplicidade de uso, a variedade de acabamentos e a resistência; além de criar ambientes modernos e sofisticados.

Dois projetos para a mesma empresa se diferem pela linguagem visual e atraem públicos distintos

A tecnologia também se mantém presente nos móveis, expositores, painéis, provadores, bancadas, tablados e divisórias. Todos sob medida. O design diferenciado também exigiu projeção luminotécnica moderna, com uso de lâmpadas LED. Houve ainda a integração dos sistemas de câmeras, áudio e vídeo, internet wireless e condicionamento de ar. Facilidades para a equipe de trabalho e conforto para os clientes.


Para mostrar o que há de melhor Nas duas lojas, houve a exploração de imagens conceituais em tamanhos maiores que os reais, para que as pessoas se familiarizem com as marcas e para dar identidade a cada uma das lojas. “Esporte, musicalidade e nostalgia compõem o mix desenvolvido e aplicado na Exco, visitada por público jovem e que busca independência. Ali, eles encontram diferenciação, conforto e preços adequados à marca homônima, além das marcas B.Joe e Disney Vintage”, destaca a diretora da Cativa, Cátia Maria Sprung. O ambiente é mais escuro, com tons amadeirados e detalhes em metais. Com claridade vinda apenas do porcelanato utilizado no piso, a iluminação é toda indireta. O jeito vintage do local tem ainda portas dos provadores em ferro e espelho. Por sua vez, a Cativa Store é familiar. Está sintonizada com os primeiros passos até a moda adulta, tanto masculina quanto feminina. As marcas Fido Dido, Disney, Habana, Sá, Gris e Cativa são apresentadas em ambiente joviais. Com tanta informação, a opção foi criar um ambiente mais clean, onde o predominante é a cor branca, com imagens conceituais que dispensam muito contraste. Isso foi ideal para que os destaques sejam as peças de moda. O visual merchandising conseguido a partir da arquitetura do projeto fez o local aconchegante, garantindo a presença do cliente por mais tempo. “Tivemos um bom desafio. Foram dois projetos totalmente diferentes para um mesmo cliente em curto espaço de tempo. Os 80 m² da Cativa Store e os 77 m² da Exco foram pensados, projetados e executados simultaneamente, entre 15 de agosto e 23 de dezembro de 2011”, explica Michelle.

A Exco (acima) mistura esportes com casualidade. Na Cativa Store, o branco dá o tom

29


[ projeto comercial ]

Fotos Daniel Zimmermann

Mais informações Exco Avenida Brasil, 2525, Balneário Camboriú - SC

Cativa Store Avenida Brasil, 3160, Balneário Camboriú - SC Diferenças nos projetos das duas lojas buscam atrair os públicos específicos de cada segmento

30


Itajaí 47 3348.9990 www.placocenteritajai.com.br

Itajaí Floripa Escritórios de atendimento em Blumenau

gesso acartonado steel frame forros e divisórias isolamento acústico

Tudo que você precisa em DRYWALL em um só lugar.

isolamento térmico ferramentas

“Centro de Distribuição e Treinamento Profissional.”

Fornecedores:

“Indicamos montadores e instaladores qualificados” Sistemas para portas de correr embutidas

“Visite nosso Show Room.”


[ interiores ]

Fotos Divulgação

Cenários de bom gosto

Mostra de Arquitetura e Decoração Splendour Decor apresenta três apartamentos decorados em diferentes estilos

e conforto

Um presente aos sentidos e uma celebração ao bom gosto. Assim é possível definir a Mostra de Arquitetura e Decoração Splendour Decor, em Meia Praia, Itapema. Três conceituadas empresas de móveis e decoração foram convidadas e provocadas a desenvolver conceitos distintos para três apartamentos do requintado condomínio Splendour of the Sea Residence, em32

preendimento da Construtora e Incorporadora J.A. Russi. Nos amplos espaços, o visitante pode desfrutar de uma instigante experiência de conforto e bem viver, com riqueza de detalhes e acabamento de três estilos diferentes: familiar, praia e contemporâneo. Os apartamentos fazem parte da torre Mar das Filipinas e possuem 400

m² de área total. O primeiro elemento que chama a atenção é a generosa divisão dos espaços e o arejamento dos ambientes. Cada unidade conta com quatro suítes (sendo uma máster), salas amplas, sacadas, churrasqueira e dependência de empregada. E foi nesse privilegiado cenário que os profissionais de arquitetura e design puderam expressar toda a criatividade.


Espaço família O apartamento inspirado no conceito familiar foi criado pela Hifer Móveis e buscou a essência de um ‘lar de praia’. O projeto foi desenvolvido para criar ambientes acolhedores, aconchegantes e, ao mesmo tempo, práticos e funcionais. Os espaços descontraídos, as nuances na iluminação, as texturas dos tecidos dos sofás, cadeiras e cabeceiras de camas formam um verdadeiro refúgio de harmonia, praticidade e sofisticação. Ideal para receber amigos e desfrutar momentos em família.

33


[ interiores ]

Praia em alto estilo

Fotos Divulgação

O conceito praia, proposto pela empresa Bentec Ambientes, reúne linhas suaves e contemporâneas e acompanha a ideia de um ambiente de praia, mas que, ao mesmo tempo, remete à sofisticação. Exemplo disso são os móveis soltos pelo ambiente, como a mesa de centro em madeira envelhecida, no living. Na cozinha, os planejados se destacam com a cor legno e os vidros Milk, que deixam o espaço em sintonia com as principais tendências do mercado. Os outros cômodos seguem a mesma linha, buscando a praticidade sem abrir mão do luxo, da modernidade e do conforto, harmonizados com o clima do Litoral.

Contemporâneo com toques clássicos O terceiro projeto foi desenvolvido pela Criare Boutique House, com o objetivo de unir requinte e conforto à praticidade e simplicidade em um ambiente contemporâneo. Os elementos naturais se destacam com a utilização de materiais extraídos da natureza na forma mais rústica, como a raiz de uma árvore de imbuia envelhecida submersa em rio de água doce, a fim de compor uma mesa de centro com tampo de vidro, no living. Seguindo um conceito atual, foram explorados os contrastes de materiais em ambientes como a cozinha, onde foi utilizado o legno-reale, um carvalho natural suave e elegante, com a tonalidade da madeira e o toque natural dos veios, conferindo a este desenho a autenticidade dos últimos lançamentos europeus. Para a suíte máster, foi criada uma cama de ferro seguindo uma linha clássica, unindo um ambiente despojado e moderno ao requinte do provençal. Na sacada, foram utilizados móveis em fibra natural, a fim de manter a leveza e a elegância em um ambiente de praia sofisticado. 34


Seis torres O Splendour of the Sea Residence, composto por seis torres, conta com lazer externo que inclui piscina adulto, piscina esporte, piscina para crianças, deck molhado e solarium. Além disso, possui um bar molhado com serviço, uma quadra de tênis asfáltica. Com mais de 6 mil m² de lazer, oferece opções de diversão e atividades para crianças e adolescentes, como quadra poliesportiva e playground.

Também tem um salão de festas para 300 pessoas, espaço gourmet para festas mais íntimas e jantares entre amigos, boate com decoração e isolamento acústico. Pensando na qualidade de vida, o residencial oferece uma academia de ginástica completa e equipada, com vista para o mar. Além disso, conta com um centro estético e um cinema particular.

Splendour Decor Mostra de Arquitetura e Decoração Local: Avenida Nereu Ramos, 5.999, Meia Praia, Itapema Quando: diariamente, entre 10h e 19h, até 30 de março Informações: (47) 3368-9718 www.jarussi.com.br

35


[ambiente profissional ]

Refúgio para a

criatividade Espaço é especialmente projetado para se tornar reduto de desenvolvimento de produtos para empresa têxtil

Fotos Daniel Zimmermann

A Estação Lancaster ganhou formato diferenciado e estilo contemporâneo em uma sala comercial do Edifício Premier, no Centro de Blumenau. São 215 m² projetados que receberam a equipe de Criação e Desenvolvimento, que também executa atendimento comercial aos clientes da empresa têxtil. O estudo de projeto durou três meses e foi colaborativo. A mesma equipe que passaria a trabalhar no local participou ativamente das decisões, com os profissionais do escritório Osvaldo Segundo Arquitetos Associados. 36

Entre pesquisas e análises de projetos do mundo todo, esse trabalho composto possibilitou à Estação Lancaster ser referência para o tipo de ambiente.

da equipe. Mais visíveis, foi obtida, ainda, uma facilidade para receber o cliente.

Ao entrar na área, é possível perceber três etapas. O espaço de execução da criação e desenvolvimento; a área de atendimento; seguida por uma copa, sala de reuniões e banheiros.

Nessa modificação, houve uma divisão por eixos. Permitiu-se, assim, uma linha intangível que separa a circulação dos clientes da circulação da equipe de trabalho. Essa separação quase imperceptível, mas eficaz, é feita por blocos, como estantes e expositores.

Diferente da proposta inicial, os arquitetos trouxeram a área criativa para primeiro plano e o atendimento em segundo. O intuito foi valorizar o estilo de trabalho

A mesma separação ocorre entre as mesas de atendimento. Os mostruários bloqueiam a visão de uma mesa para a outra, possibilitando mais conforto aos clientes.


Neutralidade e muitas cores É possível perceber uma neutralidade no local. A ambientação é bastante clara. Muito branco e texturas em tons acinzentados, que remetem ao concreto aparente, deixam que o colorido apareça somente nos objetos e acessórios utilizados para o trabalho e, é claro, nas belas peças desenvolvidas pela empresa. “O aspecto clean foi algo solicitado pelos clientes. Por se consumir muita informação e ter uma grande produção de material visual, ambientes carregados de cores poderiam não ser tão eficazes. Assim, o abastecimento de cores e pequenos itens de decoração ficou por conta do pessoal que trabalha no local”, destaca o arquiteto Fernando Vargas. Incumbidos da tarefa de alimentar os espaços com acessórios e itens de trabalho, os funcionários capricharam. Prateleiras, balcões e até paredes ganharam um conjunto bem interessante de ideias. Itens de pesquisa, como livros e cadernos de moda, também se tornaram peças importantes no visual, além de caixas portas-treco, para armazenar objetos sem muito uso. Detalhe para uma das paredes, que ganhou pixels bem coloridos, além das prateleiras que possuem peças escolhidas pelos profissionais. Todas com o estilo do local, que foi especialmente desenvolvido para instigar criatividade. “A idéia era transmitir o estilo da empresa em um ambiente que conferisse liberdade e descontração em um espaço amplo e bem iluminado. Foram dadas ainda mais condições de atendimento aos clientes e para que a equipe de designers pudesse criar”, diz Vargas.

Os móveis também foram projetados sob medida e com formatos especiais. Nenhum deles é fixo no chão ou nas paredes. Montados por módulos, são de fácil movimentação e, na maioria, com apoio de rodas. A intenção é que o layout possa ser facilmente modificadoxxxxxx 37


[ambiente profissional ]

Dimensões moduladas Com o pé direito em 2,5 metros, a iluminação foi trabalhada em vários pontos da estrutura. Luz branca para a área de criação e desenvolvimento e luz amarela nas áreas de atendimento. Os móveis também foram projetados sob medida e com formatos especiais. Nenhum deles é fixo ou prezo nas paredes. Montados por módulos, são de fácil movimentação e, na

maioria, com apoio de rodas. A intenção é que o layout possa ser facilmente modificado conforme vontade e necessidade. Este perfil retroalimentável dos móveis pode ser muito bem observado no sofá, que é todo em módulos e pode ser disposto e modificado inúmeras vezes. A mobilidade das peças facilita o esvaziamento do espaço – e, até 20 minutos – em casos especiais, como cheias no

Rio Itajaí-Açu, que atingem parte do centro de Blumenau. A copa ganhou um aspecto diferente do restante. Ao contrário do porcelanato, é a grama sintética que dá o tom do local, com móveis amadeirados. De um ambiente que, normalmente, é pequeno e sem muito estilo, a copa da Estação Lancaster se tornou especial, até mesmo para pequenas reuniões.

Fotos Daniel Zimmermann

Tecnologia Para reuniões mais específicas, uma única sala foi totalmente fechada para receber projeção audiovisual. Além da alta tecnologia de transmissão, um monitor com tela touch screen pode ser utilizado para apresentações mais dinâmicas. Dinamismo também no atendimento ao cliente. Todos os mouses e teclados são wireless. Isso possibilita que, além dos computadores da área de criação, os funcionários utilizem os televisores dispostos na área de atendimento para acessar informações na rede. O arquiteto Fernando Vargas, do escritório Osvaldo Segundo, é um dos autores do projeto

38

Esses televisores possuem tablets acoplados, que permitem acesso instantâneo e prático sem que clientes e atendentes fiquem reféns de uma mudança de mesa ou mesmo de notebooks.


[ m贸veis ] Fotos Daniel Zimmermann

40


Novas

Ideias e cores formam exclusividade em peças de demolição

possibilidades

Quando você passa por uma obra de reforma ou demolição e vê um monte de madeira velha e ferro retorcido pode até achar que o único destino desses elementos seja o depósito de lixo mais próximo, junto de cadeiras quebradas e armários sem parte das peças. Porém, há quem pense diferente e crie o novo a partir do velho.

bientes do lar ou do escritório. Um misto de novas possibilidades, que são desenvolvidas com muito zelo e criatividade por Genézio João de Souza Filho, que logo afirma: “Todas as peças são diferentes, sem cópias, permitindo exclusividade para o cliente”.

“O trabalho com móveis a partir de madeira de demolição é foco de muitas empresas preocupadas com o meio ambiente. Essa preocupação nós também temos, mas o que tenho de diferente é criar ainda mais vida com cor. Gosto de colorido e coloco isso nos produtos”, explica Filho.

Tábuas que se transformam em mesas. Janelas que viram espelhos. Armários que ganham novos formatos e cadeiras que se transformam nas mais belas peças de decoração. Ferros de amarração que viram luminárias e adornos para os mais diferentes am-

O designer Gê, como é conhecido no meio, trabalha há anos com decoração de ambientes comerciais. Ele, e o sócio Erivelton Azolini começaram aos poucos notar novas possibilidades em uma área que logo passaria a ser tendência.

Além do trabalho único na montagem de cada peça, a pintura dá o tom de exclusividade. Nunca uma mesma peça fica igual a outra, ainda mais nos detalhes. Assim, até mesmo em um conjunto de cadeiras, cada unidade terá diferenças.

41


[ móveis ]

De um jeito artesanal, Gê e Eri pegam as peças cruas, analisam e criam no caderno de rascunhos o desenho do que veio em mente. Partem então para a produção. Quando a peça é muito grande, ou exige cortes e estofamento, vai para o marceneiro e o estofador de confiança. Ou, se a peça é mais simples, a produção fica por conta da dupla.

Fotos Daniel Zimmermann

Criação

Móveis antigos ou madeira de demolição viram peças que transformam os ambientes

Logo, as criações vão para o acabamento. Os sócios, novamente, colocam a mão na massa e imprime nas peças sua personalidade. Quando menos esperam, os clientes recebem a ligação avisando que a encomenda está pronta. Todos os produtos fabricados são vendidos exclusivamente na Casa LÔka. A loja de Genésio e Erivelton está sempre com novidades e, mesmo com atendimento por hora marcada, recebe constantemente os arquitetos de Blumenau e região. “Muitos vêm até aqui e levam uma enormidade de peças. Criam os ambientes para os clientes se familiarizarem. Talvez, uma ou outra peça volte, mas, na maioria das vezes, o que vai, fica”, explica Azolini Os dois apostam na combinação entre as peças de decoração assinadas por eles, que já têm listas de encomendas, e exclusividades conseguidas no Exterior e de fornecedores da região. Assim, a Casa LÔka esbanja estilo com madeiras revitalizadas, porcelanas importadas, produtos artesanais em resina e gesso, além de telas e gravuras conseguidas com artistas de outros países e relógios únicos. Em poucos metros quadrados da loja, o encanto é certo e as possibilidades de decoração infinitas. 42

Casa LÔka Décor Rua Concórdia, 30, Ribeirão Fresco, Blumenau Atendimento com hora marcada pelo (47) 3340-0131


[ esquadrias ]

Fotos Divulgação

Pode parecer frágil,

Janelas, portas e esquadrias em PVC são as mais duráveis do mercado, com a melhor relação custo-benefício

mas não é

Bem-quista pela comunidade europeia, a esquadria de PVC já supera qualquer outro material no mercado da construção civil do Velho Contonente. Na média, 70% das obras, da Alemanha, por exemplo, utilizam esse material. Um percentual gigante se comparado com o Brasil, onde menos de 5% do setor usa o PVC. O motivo ainda seria um delay na chegada de produtos de alto padrão e valor agregado ao País, já que por lá o material já teria ganhado fama na década de 1980. Relativamente, esse atraso estaria 44

ligado também à resistência das construtoras em pagar valor mais alto do que atualmente paga nos produtos convencionais, de menor desempenho, e o forte looby das empresas que fornecem os materiais em madeira, ferro ou alumínio. Mas, aos poucos, o cenário está se modificando com um personagem importante da história: o morador do imóvel. Ele tem sido beneficiado com o potencial de informação, aliado à descoberta de produtos e serviços para melhorar o cotidiano. Os caminhos se abriram com as re-

formas. Quando o cliente, já morador da casa ou apartamento, busca maior conforto nos casos em que as estruturas de PVC são melhores. E, assim, construtoras passaram a cotar o material e, aos poucos, inseri-lo na execução da obra. Na relação custo-benefício, as esquadrias de PVC são, agora, a escolha de muitos clientes que querem conforto em vários aspectos, como o isolamento acústico e térmico, praticidade de limpeza e maior possibilidade de layout.


Grandes benefícios Contrário ao pensamento de uma parcela da população, o sistema de PVC que já é oferecido no Brasil é de alta qualidade e desempenho. Resistente às ações químicas e biológicas, inibe manchas e defeitos e não é atingido por maresia e cupins. A estanqueidade também é maior, com performance melhor na inibição de chuva e vendo do que as esquadrias de outros materiais oferecidas no mercado. A mesma estanqueidade inibe vazamento do ar em ambientes climatizados. A economia de energia também é muito bem vista. Pois, além impedir vazamentos, permite a duplicidade de vidro que, quando aplicada, diminui a intensidade na transmissão de calor na superfície, diminuindo o consumo de energia. Mas, a grande procura é referente ao benefício do isolamento termoacústico. “Se o ambiente está em uma área urbana de grande mo-

vimento, com o uso de esquadrias em PVC de padrão europeu, com vidro duplo, transpassará para o interior daquele local os mesmos decibéis que em uma casa de campo. Não há, nesses sistemas, brechas para interferir na qualidade e, hoje, o consumidor final quer isto”, destaca Luiz Felipe Rebellato, diretor da Bellevue, empresa com sede em Blumenau e a primeira fabricante da área, desde 1995.

Branco ou colorido, o material inibe a propagação de chamas em caso de incêndios. “A manutenção é mínima, além de maior facilidade de automação. Hoje, temos peças que variam entre R$ 600 e R$ 800 o metro quadrado, oferecendo todas as vantagens que citamos”, afirma Rebellato.

As esquadrias em PVC para portas e janelas seriam as únicas aptas se as normas específicas para segurança acústica da ABNT fossem aplicadas e exigidas hoje, no Brasil, da mesma forma que já são cobradas normas similares em países europeus. Outro benefício é a aplicação mais fácil, segura e limpa e que não requer pintura. Após a aplicação, a média de garantia é de 10 anos para os perfis brancos e de cinco anos para perfis coloridos e demais acessórios da esquadria.

Acima, detalhe do vidro duplo na esquadria de PVC, que melhora o isolamento termoacústico em separações como churrasqueiras e cozinha

45


[ construção ] Construtora traz para Santa Catarina um sistema invertido que reduz o impacto ambiental

De cima

para baixo

Divulgação

46

Um novo sistema construtivo trazido para Santa Catarina pela Construtora Hahne muda a concepção de tudo o que já se conhece de construção civil. Primeiro, pela forma como a obra é executada: com os pilares fixados, as lajes começam a ser formadas do último andar, para o térreo. O sistema construtivo possibilita a otimização de materiais, menos custos e menor tempo e, ainda, contribui para a redução do impacto ambiental.

o desenvolvimento pensando em menos danos ao meio ambiente. No canteiro de obras, o uso de poliestireno expandido, composto de material reciclado, reduz o volume de concreto e armadura. O isopor é composto por resíduos que normalmente iriam ficar no meio ambiente. “Utilizamos somente o volume necessário de concreto e aço. Depois, a laje é preenchida com isopor feito de material reciclável”, explica o engenheiro Rui Hahne.

Com departamento de projetos próprio, a Hahne faz os cálculos e

O sistema de formas, próprio da Hahne, assegura uma laje nivelada

sem necessidade de se fazer um contrapiso para receber material de acabamento. O formato como a obra é desenvolvida reduz até 40% o número de pilares e vigas, diminuindo a emissão de dióxido de carbono no ambiente. A construtora não utiliza formas e escoramentos de madeira. Foram desenvolvidos escoramentos metálicos, que não precisam ser descartados após o uso. A utilização de metal e fibra de vidro torna as formas reutilizáveis e ecologicamente corretas.


[ construção ]

Só nesse processo, uma obra de 500 m² deixaria de derrubar aproximadamente 50 árvores. O método de construção inteligente trazido da Europa pela Hahne é um exemplo da evolução constante da indústria da construção. A construtora adequou esse método ao sistema construtivo próprio e desenvolveu estruturas de concreto adaptáveis a qualquer edificação. “É um sistema baseado no que já é utilizado por construtoras na Europa. Porém, adaptamos aqui no Brasil,

usando a ideia”, diz Rui. De acordo com o engenheiro, o sistema, além de facilitar o andamento e o controle do cronograma geral da obra, evita o trânsito nas áreas já finalizadas. Assim, o risco de danificar algo já construído e finalizado é significativamente reduzido. A colocação dos revestimentos e acabamentos é mais administrada, garantindo a qualidade final da obra e um ganho de tempo, independentemente de situações climáticas que poderiam atrapalhar ou atrasar a

conclusão. O sistema construtivo Hahne já foi utilizado em diversas obras, totalizando área superior a 300 mil m². Com elas, já foram preservadas aproximadamente 30 mil árvores. Entre as principais obras estão os prédios da Incasa Administradora de Bens (IAB), em Joinville, os complexos industriais da Malwee Malhas, LMG Roupas e Duas Rodas Industrial, em Jaraguá do Sul, além do edifício industrial e silos da Bunge Alimentos, em Ponta Grossa (PR).

No sistema de construção invertida da Hahne, as lajes são assentadas de cima para baixo e não há escoramento com madeira Fotos Divulgação

Construtora Hahne www.hahne.com.br Blumenau (SC) – Rua Itajaí, 642 – (47) 3326-0677 Jaraguá do Sul (SC) – Rua Albina KogusPiazera, 170 – (47) 3376-0274 João Câmara (RN) – Rua OTR Comunidade Florêncio José, s/n - (84) 3262-2116

48


47.3322.1999

. 47.3326.0536

E-mail: projetados@artenobre.net Endereรงo: Rua 7 de setembro 1069, sl.3 - Centro, Blumenau-SC.


[ acabamento ]

Fotos Divulgação

Mais resistência

e rapidez

O drywall é um produto já incorporado à cultura da construção. No Brasil, as paredes de gesso já conquistaram arquitetos e construtoras e, agora, registram crescente aceitação também dos consumidor final. Conhecido como placa de gesso ou acartonado, o drywall tem transformado muitos ambientes. Com a estrutura interna composta por montantes estruturais e guias, as paredes em drywall atendem todas as normas de desempenho e resistência exigidas pelo Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro). Durante a construção, ou posteriormente, em uma reforma, o produto é bastante eficiente para a criação de paredes divisórias, painéis, forros, rebaixamento de teto e, até, para móveis. 50

O drywall, ou gesso acartonado, resulta em ganho de tempo na construção, evita desperdícios e facilita reformas

Ecologicamente correto, o gesso acartonado também pode ser utilizado em áreas úmidas, como banheiros, áreas de serviço e cozinhas, onde a placa utilizada é chamada de Resistente à Umidade (RU). É possível a instalação de qualquer tipo de móvel, bancada ou televisores e equipamentos nas paredes em drywall, pois suportam até 30 quilos (carga pontual). Porém, é necessário que isso seja previsto no projeto. De acordo com o diretor da Placocenter Santa Catarina, engenheiro Davi Zimmermann, as paredes de drywall têm inúmeras vantagens quando comparadas às de alvenaria. “A formação combina estruturas de aço galvanizado com placas de gesso, produzidas

com rigoroso padrão de qualidade. São mais econômicas, oferecem conforto térmico e acústico, a instalação é rápida e não geram entulho. Na hora da reforma, o drywall também evita o quebra-quebra”, ressalta o empresário. “Em um mercado cada dia mais exigente, com custos operacionais cada vez maiores, a economia gerada com a utilização das paredes e forros em drywall, tanto em relação à velocidade de execução, facilidades e custos menores para instalações hidráulicas e elétricas, quanto à questão da sustentabilidade, fazem dele a melhor opção de paredes e forros internos, tanto para uso comercial quanto residencial”, destaca Zimmermann.


Os revestimentos são apresentados em três versões, conforme o sistema de aplicação. Dois sistemas com estrutura metálica paralela à parede, possibilitando a passagem dos sistemas elétricos e hidráulicos e aplicação de lã mineral para melhor conforto térmico e acústico. As paredes são constituídas por placas de gesso, pré-fabricadas a partir da gipsita natural, parafusadas em uma estrutura metálica leve. A estrutura, em perfilados de aço zincado normatizado, é constituída por guias e montantes, sobre os quais são fixadas as placas de gesso em uma ou mais camadas, gerando uma superfície apta a receber o acabamento. As principais vantagens do drywall são facilidade na instalação e manutenção elétrica e hidráulica; rapidez e economia em construções novas ou reformas; aceita qualquer tipo de acabamento; resistência e facilidade na fixação de móveis e objetos; mais privacidade e conforto termoacústico.

Vantagens das paredes em drywall - Montagem rápida com obra limpa e seca - Ganho de área útil: em um apartamento de 100m², pode-se chegar a 4% de ganho de área útil em decorrência da menor espessura da parede - Diversas opções de acabamento: pinturas, azulejos, mármores, fórmicas, entre outros - Menor peso por m², otimizando o dimensionamento das estruturas e fundações. Uma parede simples pesa em torno de 25k/m² - Adaptabilidade a qualquer tipo de estrutura: madeira, concreto ou aço, podendo receber qualquer tipo de fixação de objetos. O comportamento das paredes atende aos critérios de impacto de corpo mole e duro, além das solicitações transmitidas por portas - Facilidade na instalação dos sistemas elétricos e hidráulicos - Isolamento térmico e acústico - Resistência ao fogo

51


[ acabamento ]

Processo de produção do drywall Matérias primas O minério gipsita é extraído de jazidas selecionadas que garantem alto grau de pureza mínima adequada ao padrão de qualidade

Tremonha Equipamento através do qual o minério é introduzido no processo produtivo

Gessaria O minério é transformado em semi-hidrato, também conhecido como stucco. O processo de beneficiamento inclui moagem, calcinação – remoção das moléculas de água através de calor – e resfriamento controlado

Papel O papel especial de fibras longas, obtido através de matéria prima reciclada, é produzido por empresas do grupo BPB. Introduzidos continuamente na linha de produção, os papéis superior e inferior são devidamente tensionados e alinhados.

Misturador O misturador, especialmente desenvolvido, recebe o gesso calcinado (stucco), os aditivos e a água convertendo-os numa massa homogênea, que é continuamente depositada sobre o papel inferior.

Sala de controle Este é o cérebro da fábrica, onde todo processo fabril, da alimentação das matérias primas à paletização das placas, é integrado, monitorado e continuamente ajustado. A tecnologia de ponta não só otimiza o

Inauguração A Placocenter Itajaí, inaugurada no dia 16 de fevereiro, conta com quase 1 mil m² de área construída e fica localizada na Avenida Vereador Abraão João Francisco, 4021, no Bairro Fazenda. “É um espaço para que profissionais da construção civil e consumidores conheçam a estrutura de montagem e instalação do drywall, além das vantagens em relação à alvenaria para ambientes internos”, ressalta Zimmermann. Outra novidade da Placocenter Itajaí é o Centro de Treinamento, onde, mensalmente, serão oferecidos cursos teóricos e práticos para formação de mão de obra qualificada para a aplicação do sistema. Este ano, Blumenau e região ganharão o primeiro lançamento de um edifício residencial de alto padrão com 15 andares, todo no sistema construtivo do drywall. O edifício será erguido no Bairro Vorstad. Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall, o consumo no primeiro semestre de 2011 teve aumento de 62% em relação ao mesmo período de 2010.

fluxo produtivo, mas, principalmente, assegura a qualidade. Divulgação

Guilhotina Uma vez formado e endurecido, o tapete de gesso acartonado é cortado em placas nos comprimentos programados.

Transferência úmida Depois de cortadas, as placas são transferidas para uma mesa elevatória que alimenta os oito níveis do secador.

Secador O secador de 12 estágios é responsável pela eliminação da água excedente existente nas placas. Nele, também se conclui o processo de aderência papel/miolo de gesso.

Acabamento e paletização Ao deixar o secador, as placas são transferidas para o acabamento, onde são esquadrejadas, identificadas e paletizadas.

Armazenagem Os paletes são transferidos para o setor de armazenagem, em áreas pré-definidas e identificadas, para despacho. Davi Zimmermann inaugurou nova loja em Itajaí

52


[ tecnologia ]

Fotos Divulgação

A casa de

cara nova O mercado moveleiro oferece variadas opções para quem quer dar uma cara nova a diferentes ambientes. Uma das novidades, lançada pela Eucatex durante a FórMobile – Feira Internacional de Fornecedores da Indústria Madeira-Móveis 2010, é o Formitop. Trata-se de um revestimento melamínico de baixa pressão com acabamento brilhante. Esse acabamento traz um efeito espelhado, o que dá mais destaque à superfície dos móveis. O revestimento pode ser utilizado em vários estilos de móveis e, também, ser combinado com outras 54

texturas para criar ambientes diferenciados e modernos. “Além de proporcionar uma superfície mais natural e que dispensa, inclusive, o uso de verniz e polimento, o MDF Formitop é resistente. O acabamento apresenta qualidade quando os assuntos são riscos, agentes químicos domésticos e calor”, explica Andrea Krause, gerente de Marketing da Indústria Moveleira da Eucatex. A face principal do revestimento vem com um filme protetor brilhante e o verso tem acabamento textu-

Formitop valoriza a superfície dos móveis e paredes e inibe a proliferação de bactérias e fungos

rizado. “Ele é uma ótima alternativa para trazer sofisticação aos projetos, pois valoriza os detalhes e pode ser usado na fabricação tanto de móveis residenciais quanto comerciais”, destaca a gerente. Como possui uma ótima estabilidade de cor e não amarela sob a luz, o Formitop é indicado para ser utilizado tanto em móveis quanto em paredes. O efeito espelhado dá à superfície um aspecto mais vivo, por isso, pode fazer parte de todos os cômodos da casa, principalmente da cozinha, onde a superfície ganha ainda mais destaque.


Padrões pedra Desde 2010, a indústria de móveis encontra no mercado os padrões com efeito madeirado Ciliegio Cinza, Legno Rustic e Fantasia-Linho. A novidade agora é o lançamento dos padrões que lembram diferentes pedras, tendência essa que vem da Europa.

Elas trazem o charme do mármore branco, cinza e preto, respectivamente, aos mais variados estilos de decoração. Uma opção para criar ambientes exclusivos. “É um produto alternativo à pedra para móveis de cozinha e área de serviço”, ressalta Andrea.

Bianco Carrara, Cremona Stone e Nero Marquina são os nomes das novas superfícies.

Ela também destaca a praticidade na hora de limpar o revestimento. Através do Bacterban, um antibacteriano

que é incorporado ao Formitop durante o processo de fabricação, o móvel mantêm uma superfície mais higiênica. “Além de trazer beleza para os ambientes, o revestimento conta com essa proteção. O antibacteriano inibe o crescimento e a reprodução de fungos e bactérias na superfície do painel, facilitando a limpeza e mantendo a aparência nova do móvel por muito mais tempo”, conclui.

Bianco Carrera

Nero Marquina

Cremona Stone

O efeito espelhado destaca a superfície dos móveis e pode ser encontrado em diferentes texturas

55


[ decoração ]

Paredes bonitas

sem pintura

Tradicional em países da Europa e Estados Unidos, o papel de parede ganha cada vez mais adeptos no Brasil

A oportunidade de ter em casa um projeto de decoração exclusivo é um dos principais atrativos do papel de parede, muito utilizado, hoje, na decoração de interiores. Na hora de decorar a casa, as paredes podem se tornar peças fundamentais na formação do ambiente. Ao invés de trocar toda a mobília ou mudar a pintura, por exemplo, é possível mudar o ambiente simplesmente utilizan-

do o papel como novo revestimento. Esses papéis são muito utilizados na Europa e nos Estados Unidos, onde já são tradição. São inúmeras as possibilidades de cores, texturas e acabamentos existentes, que podem valorizar a mobília e o espaço. “O papel de parede traz beleza, modernidade e, o melhor, não exala nenhum odor na hora da

aplicação”, destaca a decoradora Joice Woelfer, da CortiKasa. Hoje, a tecnologia está bem desenvolvida e a padronagem dos papéis de parede é grande, sendo possível encontrar desde modelos mais simples, como os de listras, a modelos que imitam personagens de desenhos animados ou, até mesmo,

Fotos Divulgação

56


texturas, última moda no segmento. “Esses papéis podem ser revestidos com tecidos, palhas sintéticas e naturais, como o bambu, cana-da-índia, sisal, entre outros. Além de bonitos, esses materiais sugerem mais aconchego e trazem ainda mais exclusividade para os ambientes”, explica Joice. As opções no mercado são variadas. Com fabricação nacional, o papel de parede vinilizado é o mais simples e possui várias opções de estampas e cores. Já o papel de parede vinílico é importado de países como a França, Itália, Inglaterra e Estados Unidos e é resistente se comparado ao modelo nacional. Outro atrativo do papel de parede é a facilidade e rapidez de aplicação. Na maioria das vezes, a aplicação é feita com cola à base de água, que não deixa odor e nenhum tipo de poeira. “Em termos de saúde, existe, ainda, uma vantagem em relação à pintura, já que é uma aplicação limpa e rápida que evita qualquer irritação em pessoas alérgicas e crianças”, ressalta a decoradora. Quanto à praticidade, como a aplicação do papel de parede não gera nenhum tipo de resíduo, comuns em reformas ou pinturas, um cômodo pode ser redecorado em um dia, sem haver necessidade, inclusive, de retirar a mobília. Além disso, quando bem aplicado e cuidado, o papel tem uma vida útil superior a da pintura, de, no mínimo, oito anos, dependendo do tipo escolhido. “Se a parede não possuir umidade, pode durar a vida toda”, destaca Joice. Utilizando papel de parede é possível decorar todos os ambientes da casa, desde salas de jantar e estar, quartos, salões de festas, cozinhas e banheiros. “Existem vários modelos para diferentes ambientes. Depende muito do gosto do cliente, da decoração geral da casa e do estilo de cada um”, explica a decoradora. Dependendo do local em que será aplicado, são necessários cuidados diferentes. Em paredes que já estão pintadas, é preciso, apenas, limpar a superfície. Em paredes que já possuem papel, é necessário retirar o antigo e deixar a superfície limpa para, só depois, aplicar o novo. Em paredes de madeira ou de azulejos, o papel pode ser aplicado normalmente, desde que a superfície esteja limpa e uniforme, para evitar bolhas e ondulações. “As paredes precisam estar lisas, pintadas e sem penetração de umidade” A conservação do papel de parede também é muito prática. Para deixá-lo limpo, basta passar um pano úmido com sabão neutro em toda a superfície. Alguns papéis são emborrachados e permitem que se passe uma esponja em cima de sujeiras mais resistentes.

Papel de parede transforma ambientes com cores, formas e texturas as mais variadas

57


[ decoração ]

- Para obter um revestimento sem falhas, é importante que a superfície da parede esteja lisa e sem sinais de umidade

Fotos Divulgação

Cuidados na aplicação - Antes de substituir um papel por outro, é recomendado remover totalmente o anterior e, se necessário, tratar a parede - É possível fazer a aplicação em paredes de azulejo, desde que esteja uniformizada e coberta por rejunte, produto utilizado para preencher os espaços entre os ladrilhos - Antes de usar qualquer produto de limpeza sobre os papéis, é importante se informar sobre como a limpeza deve ser feita e quais os produtos que podem ser utilizados

As possibilidades são infinitas e podem incrementar diferentes ambientes e contemplar estilos variados

CortiKasa Rua São Paulo, 1238, Victor Konder, Blumenau (47) 3322-7642 ou (47) 3322-0344 www.cortikasa.com.br

58


V ISUAL GESSOS

®

Nossa empresa atua na areá de decorações de gesso. Somos especializados em executar obras com gesso comum e gesso acartonado. Também temos toda linha de ferramentas e materia prima para os gesseiros, inclusive toda linha de acartonado e cimenticia. Trabalhamos com entrega própria para melhor atender nossos clientes. Atendemos todo o estado.

Completa linha de ferramentas

47. 3338.0676

Sanca para luz

Todos os ambientes decorados

www.visualgessos.com.br

Decoração em gesso acartonado

visual@visualgessos.com.br

Rua João Ernesto Batista, 90 - Badenfurt - Blumenau - SC


[ patrim么nio ]

Fotos Daniel Zimmermann

60


A Rua do

Comércio

Conforme as cidades evoluem, o tempo se encarrega de armazenar histórias. Através das pessoas que deixaram um legado importante, das praças que servem para manifestações culturais, da arquitetura que mostra as influências de determinadas épocas. Toda cidade possui uma rua principal, algumas servem para garantir fluidez ao trânsito, outras guardam marcos históricos que são melhor visualizados durante uma caminhada. Quando a rua em questão tem mais de 100 anos, exis-

Na XV de Novembro: a história de Blumenau é contada dos primórdios aos dias de hoje

te muito para falar e ver. A principal rua do Centro de Blumenau também é a mais importante do comércio da cidade: a Rua XV de Novembro.

ria sido batizada assim por conta de uma vaca fujona que escapou de colonos e fez o percurso deixando um traçado sinuoso.

Ela surgiu logo nos primeiros anos da Colônia, como uma picada paralela ao Rio Itajaí-Açu que ligava dois ribeirões (Garcia e Velha). Não há relatos que precisem a data de abertura do caminho, mas acredita-se ele que tenha surgido na metade dos anos 50 do Século 19. Conhecida como Wurstrasse (Rua da Linguiça), ela te-

Mas não existe nenhum embasamento histórico que comprove tal possibilidade. De acordo com a historiadora e professora Sueli Petry, diretora do Arquivo Histórico de Blumenau, é apenas uma lenda. Segundo a professora, a denominação partiu dos moradores devido à sinuosidade e ao fato de a rua ser estreita,

61


[ patrimônio ]

Fotos Daniel Zimmermann

Curiosidade Texto publicado no jornal Der Urwaldsbote, em 4 de novembro de 1913 “A praga do automóvel também teve inicio entre nós. No último domingo, dois automóveis transitaram pela estrada principal, entre Blumenau e Altona, de manhã até a noite. Realmente, não é nada agradável que a cada 10 minutos os carros passem produzindo tanto pó, mau cheiro e ruído para os moradores. Nos parece que ainda não exista necessidade de um trânsito regulamentado. De toda forma, os órgãos precisam estar atentos para que os carros se mantenham em velocidade adequada e que só motoristas aprovados sejam autorizados a dirigir, afim de evitar acidentes. Como está não pode ficar.”

longa e irregular. Lendas a parte, o fato é que, em 1890, a rua recebeu o nome que permanece até hoje. Fatos importantes e que mostram o pioneirismo quando se trata de infraestrutura estão ligados à história da rua. Como em 1929, quando se tornou a primeira via calçada de Santa Catarina. “Era uma representação de modernidade para a época”, diz a historiadora. Nos primeiros prédios da XV de

Logo ao lado, está o Mausoléu Dr. Blumenau, que armazena os restos mortais da família e do fundador Hermann Bruno Otto Blumenau. Um busto com a imagem do colonizador está em frente.

Não se pode esquecer da visão é privilegiada da curva do Rio Itajaí-Açu obtida a partir da Praça Hercílio Luz – ou Biergarten (Jardim da Cerveja) –, onde fica o único Museu da Cerveja do Brasil. Na praça, que era um dos principais pontos para reuniões na época da Colônia, também está instalado o Monumento Voluntários da Pátria, homenageando os homens que participaram da Guerra do Paraguai (1865-1870) e 2ª Guerra Mundial (1938-1945).

nos fins de semana. Ela está inserida no roteiro Histórico e Cultural da Secretaria Municipal de Turismo. Com

calma e atenção, é possível observar detalhes únicos, como nas fotos que ilustram essa reportagem.

Novembro estão concentradas muitas histórias. Onde hoje é a Fundação Cultural, que também abriga o Museu de Arte da cidade, um dia já foi a sede da Prefeitura, parcialmente destruída por um incêndio, em 1958.

Revitalização Em 2000, foi concluída a reurbanização da Rua XV de Novembro com o uso de Paver (lajotas encaixadas que proporcionaram novo visual às calçadas e pista). A partir de janeiro de 2012, uma revitalização se fez necessária. O projeto ‘Revitalização de Espaços Comerciais – Shopping a Céu Aberto’, do Sebrae, com apoios locais, é responsável por, inicialmente, lavar toda a rua e trocar bancos e lixeiras que estavam danificados. Na continuidade do projeto, estão sendo feitos treinamentos com lojistas e uma campanha de conscientização para manter a rua bem cuidada para continuar sendo o importante corredor central do Município. Para conhecer melhor a Rua XV de Novembro e apreciar as construções históricas, recomenda-se um passeio a pé ou de bicicleta, principalmente 62

Detalhes de uma arquitetura rica podem ser observados por toda extensão da Rua XV de Novembro


Construções e comércio Entre os inúmeros prédios da Rua XV de Novembro, vários são tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), pelo Patrimônio Histórico estadual ou Município. Entre as construções históricas, algumas trazem lendas, como o Teatro Carlos Gomes, que esconderia um túnel para passagem de Adolf Hitler, caso viesse à cidade nos tempos da Segunda Guerra Mundial. Também especula-se que a parte de cima da fachada foi construída para lembrar o quepe do ditador alemão e serviria para um discurso, caso ganhasse a guerra. A Catedral São Paulo Apóstolo foi inaugurado em 1958, com vitrais e uma torre de 45 metros de altura e três sinos no alto, além do relógio tra-

zido da Alemanha. Mas, o que predominava e ainda predomina na rua são construções que abrigam estabelecimentos comerciais. Entre eles, um dos atrativos mais fotografados do Sul do Brasil: o Castelinho. Trata-se de réplica da prefeitura da cidade alemã de Michelstadt, constuída em 1978 pelo empresário Udo Schadrack. Até 1999, foi sede da tradicional loja Moellmann. Tombado pela Fundação Catarinense de Cultura, já abrigou a Secretaria de Turismo e hoje, restaurado, é sede de uma das lojas da rede Havan. As casas que se estabeleciam ao longo da rua eram conhecidas na época como de Secos e Molhados. Vendiam diversos produtos típicos, como linguiça, queijos, cachaça, pão, embutidos e cerveja. Como explica a

historiadora, a partir de 1900, com o aumento da população, as casas comerciais, que antes se concentravam no entorno da Alameda Duque de Caxias / Praça Hercílio Luz, começaram a seguir em direção à estrada principal, ao longo da Rua XV de Novembro. Alguns desses comércios se destacavam, como a Livraria Curlin, Altenburg Filho & Cia., H. Probst & Filho, Paul Husadel, Gustav Salinger, F. Schdrack, H.Ruedger & Filhos, Padaria e Confeitaria S. Katz (posteriormente Kieckbusch). A rua também era local de inspiração para as mulheres. Roupas e vestidos que eram lançamentos vindos de grandes capitais poderiam ser encontrados em casas comerciais como Peiter, Burger, Coelho, Borba, Calçados Marva, Hering e Willy Sievert.

Fachadas conhecidas, como a do Castelinho (centro), ou anônimas, compõem a riqueza visual da via

63


[ design ]

Mais praticidade no

dia a dia

Envolta na polêmica da proibição do uso de sacolas plásticas em supermercados em algumas das grandes cidades, a Cobrirel lançou o carrinho para compras prático, que estimula o consumo consciente e oferece conforto em supermercados, feiras, empórios, e até em viagens.

Cobrirel lança no mercado o carrinho de compras prático para estimular o consumo consciente e oferecer conforto durante as compras

O produto é dobrável e ocupa pouco espaço na hora de armazenar. Vem com três organizadores, também dobráveis, para separar os diferentes produtos e alimentos. É possível, por exemplo, colocar produtos frios no último suporte, latas e garrafas no meio e produtos de limpeza em cima. Tudo no devido lugar. As bandejas que acomodam cada organizador são deslizantes, facilitando a colocação das compras. O consumidor nem precisa utilizar o carrinho do supermercado ou do empório, pode colocar as compras no próprio carrinho. O carrinho vem com quatro rodinhas, podendo ser empurrado exatamente como um carrinho de supermercado durante as compras, de forma prática, leve e segura. O produto é feito em material totalmente reciclável, suporta até 18 quilos e é fabricado somente na cor cinza. Os organizadores dobráveis podem ser comprados nas cores azul, cinza, preto, vermelho ou colorido.

Divulgação

Carrinho de compras Capacidade por organizador: 6 kg Capacidade total: 18 kg Aberto: 90cm x 48cm x 34cm Fechado: 90cm x 48cm x 14cm www.cobrirel.com.br

64


[ paisagismo]

O Brasil tem uma grande variedade de espécies de palmeiras, mas poucas são utilizadas no paisagismo

As protagonistas

do jardim

Palmeira é o nome genérico das plantas da família Arecaceae. Elas distribuem-se pelo mundo todo, mas estão concentradas nas regiões tropicais e subtropicais. São plantas perenes, arborescentes, tipicamente com um caule cilíndrico não-ramificado do tipo estipe, atingindo grandes alturas, mas, por vezes, se apresentando como acaule (caule subterrâneo). Não são consideradas árvores porque não possuem o crescimento do diâmetro do caule para a formação do tronco, que produz a madeira.

Quando as plantadas são pequenas, devem ser levados em conta o porte e a altura que atingirão quando adultas, ou seja, devem ser plantadas com um bom afastamento umas das outras e de paredes e muros, pois irão crescer e precisar de mais espaço. “As pessoas não têm ideia, ou são mal informadas, do porte de muitas palmeiras. Com isso, fazem escolhas erradas das espécies ou do local do plantio”, afirma o engenheiro agrônomo e paisgista.

O agrônomo explica que quando se compra uma palmeira de grande porte deve-se observar alguns passos para um transplante perfeito. “O ideal é fazer a sangria. Primeiro, cava-se envolta da planta e deixa-se por aproximadamente dois meses, até as raízes cicatrizarem. Depois, arranca-se o torrão, onde estão as raízes e a terra”, explica. “O Verão não é indicado para plantar espécimes grandes, o ideal é no final do Inverno ou começo da Primavera”, completa. Fotos Banco de Imagens

De acordo com o engenheiro agrônomo e paisagista Fábio Luebke, o Brasil tem uma grande variedade de espécies nativas de palmeiras, mas poucas são utilizadas no paisagismo. “A vantagem é que a palmeira é uma planta versátil e pode crescer tanto em lugares frios quanto em desertos. Além disso, o transplante de palmeiras adultas é menos trabalhoso e delicado do que o transplante de uma árvore de grande porte”, explica. Dentre todas as espécies de palmeiras, as espécies com mais destaques atualmente são Phoenix canariensis, Butia spp, Bismarkia nobilis (palmeira azul), Roystonea spp (palmeira imperial ou real), Washingtonia filifera e Wodyetia bifurcata (rabo-de-raposa). Luebke afirma que, em uma casa ou prédio, o paisagismo bem elaborado é responsável direto pela valorização, não só estética, mas financeiramente do imóvel. Uma palmeira Phoenix canariensis, de 10 metros, chega a custar R$ 20 mil, pois o período de crescimento é lento. Já uma palmeira imperial de seis metros custa, em média, R$ 600. 66

Plantio de uma palmeira adulta 1º - Arranca-se o torrão com o tamanho da planta 2º - A planta precisa estar sadia 3º - Durante o transporte, a planta não pode ter estresse. Isso significa que ela precisa ser tirada da terra e, rapidamente, plantada, em função da perda de água 4º - Precisa ser plantada em uma cova proporcional ao tamanho do torrão e adubada corretamente 5º - Precisa ser podada e as folhas amarradas 6º - Deve ter um suporte para não balançar 7º - Regar diariamente até os primeiros 45 dias. Depois, as folhas podem ser soltas e esperar mais 15 dias para retirar o suporte


Phoenix canariensis Nome científico: Phoenix canariensis Nome popular: tamareira-das-Canárias, palmeira-tamareira, palmeira-das-Canárias Origem: Ilhas Canárias Altura: 15 metros Clima: subtropical

Essa palmeira é robusta e rústica. Apresenta folhas pinadas e longas, com folíolos afilados, de coloração verde-brilhante. As flores são pequenas e brancas, reunidas em grandes inflorescências e dão origem a frutos alaranjados do tamanho de azeitonas, muito apreciados pelos pássaros. Devido à imponência, a tamareira-das-Canárias não é indicada para pequenos ou médios jardins residenciais, pois acaba, de certa forma, reduzindo o imóvel pela proporção. É muito valorizada em parques, avenidas e grandes jardins residenciais ou de empresas. Apresenta crescimento moderado a lento. Fonte:www.paisagismodigital.com

Butiá Nome científico: Butia eriospatha Nome popular: Butiá Origem: América do Sul Clima: tropical e subtropical Altura: 6 metros

Essa palmeira tem nove espécies conhecidas, nativas da América do Sul. Possuem, em geral, estipe médio, com cicatriz de pecíolos antigos, longas folhas penatífidas em obras trançadas e pequenas drupas comestíveis, com semente oleaginosa. A floração amarela ocorre de setembro a janeiro. Os frutos, pequenos, globosos e amarelos, amadurecem no Verão e são consumidos ao natural ou a polpa é usada na produção de licor e vinho. Dos frutos alaranjados também se faz geleia, licor, cachaça e vinagre. Das sementes comestíveis se extrai óleo. Também é conhecida pelos nomes de butiá-açu, butiá-azedo, butiá-branco, butiá-da-praia, butiá-de-vinagre, butiá-do-campo, butiá-miúdo, butiá-roxo, butiazeiro, cabeçudo, coqueiro-azedo, guariroba-do-campo e palma-petiza. Fonte: www.frutas.radar-rs.com.br

Bismarckia nobilis Nome científico: Bismarckia nobilis Nome popular: palmeira-azul, palmeira-bismarckia, palmeira-de-bismarck Origem: Madagascar Clima: tropical e subtropical Altura: 12 metros

A palmeira-azul está em crescente popularização devido às qualidades paisagísticas. As folhas são grandes, eretas, cerosas, em número de 15 a 20, com formato de leque, palmadas e de cor azul-prateada. Quando as folhas velhas caem, deixam uma marca no tronco, que fica anelado. Há uma variedade de folhas verdes, que é menos resistente ao frio e à seca. O efeito é escultural e impactante, tornando-se, invariavelmente, um ponto focal no jardim. Ideal para jardins amplos, contemporâneos ou tropicais. Também pode ser cultivada em grupos ou linhas, com excelente efeito. Para o desenvolvimento e apreciação, precisa de espaço de, no mínimo, oito metros de diâmetro. A mesma medida deve ser tomada para espaçamento entre mudas. Fonte: www.jardineiro.net

67


[ paisagismo] Fotos Banco de Imagens

Washingtonia filifera Nome científico: Washingtonia filifera Nome popular: palmeira-de-saia, palmeira-de-saia-da-califórnia, palmeira-da-califórnia Origem: Estados Unidos e México Clima: tropical e subtropical Altura: 20 metros

Essa palmeira é nativa dos oásis nos desertos da Califórnia, Arizona e Noroeste do México. As folhas são grandes, em forma de leque e formam uma copa aberta. As folhas mortas persistem, ao invés de cairem como em outras palmeiras, criando uma saia volumosa, pardo-amarronzada, característica da espécie. A palmeira-de-saia é indicada para plantio em majestosos grupos alinhados, ao longo de avenidas e ruas. Encaixa-se perfeitamente em jardins tropicais e mediterrâneos, principalmente no Litoral. Fonte: www.jardineiro.net

Roystonea Nome científico: Roystonea spp Nome popular: palmeira imperial ou real Altura: 40 metros Clima: equatorial, subtropical, tropical, tropical de altitude, tropical úmido Origem: Antilhas, Colômbia e Venezuela

No Brasil, o primeiro exemplar foi plantado no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, pelo príncipe regente Dom João 6, em 1809. Deste exemplar, descendem todas as palmeiras-imperiais do Brasil, inclusive as plantadas na Rua das Palmeiras, em Blumenau. A espécie muito difundida no Sul e Sudeste do País. É adequada para cultivo em vasos durante a juventude para decoração de interiores. Também utilizada no paisagismo de parques e jardins, plantada isoladamente, em grupos, fileiras ou aleias. Fonte: www.paisagismodigital.com

Wodyetia bifurcata Nome científico: Wodyetia bifurcata Nome popular: rabo-de-raposa Origem: Austrália Altura: 12 metros Clima: tropical e subtropical

Apresenta preferência por solos úmidos, porém, bem drenados e argilosos. Possui efeito ornamental extraordinário, principalmente pelo aspecto e beleza das folhas. É adequada para o paisagismo de parques e jardins, plantada tanto isoladamente como em grupos ou fileiras. É uma das mais fascinantes palmeiras ornamentais, descoberta somente no início dos anos 1980. Produz um efeito deslumbrante quando plantada em grupo de três a quatro palmeiras. Fonte: www.thjardins.com.br

68


[ museus ]

música

70

Fotos Daniel Zimmermann

A história da

Único no Brasil, Museu da Música de Timbó mostra a evolução dos instrumentos no passar dos séculos


Timbó: a pequena cidade de raízes europeias, com pouco mais de 30 mil habitantes, possui um rico acervo cultural. São vários os eventos promovidos pela Fundação Cultural do Município que buscam resgatar a tradição e incentivar a prática de atividades artísticas, entre elas – e principalmente – a música. Desde o dia 19 de setembro de 2004, o Museu da Música faz parte da história da cidade. Ele está instalado no Salão Hammermeister, edifício que foi construído no início do Século 20 e utiliza a alvenaria autoportante de tijolos aparentes, que se intercalam nas tonalidades clara e escura, formando diversos desenhos geométricos. O espaço foi, inclusive, tombado como patrimônio histórico federal pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Ipahn). O Salão Hammermeister tem a música na própria história. Ao ser criado, era destinado para cantos e danças. “A Prefeitura aproveitou o espaço que já tinha relação com a música para instalar o museu”, destaca Adriana Becker, responsável pela

administração do Museu da Música e colaboradora da instituição há seis anos. Até hoje, há um pequeno auditório que, mensalmente, sedia o ‘Café Musical’, com apresentações de orquestras, bandas, corais e solistas, em recitais e concertos, muitas vezes, com instrumentos do próprio Museu. Além de o próprio edifício ser um patrimônio cultural, o Museu da Música traz um acervo de mais de 1,5 mil peças, desde instrumentos musicais e acessórios dos mais variados tipos e épocas, até coleções de gravuras, métodos, partituras, livros e desenhos técnicos provenientes de diversas partes do mundo. Grande parte do acervo veio do idealizador do Museu da Música, o pastor Hans Hermann Ziel. “Dos instrumentos que temos aqui, cerca de 200 deles pertenceram a Hans Hermann”, destaca Adriana. O alemão Hans Hermann Ziel que, desde 1968, vive no Brasil, é o responsável por grande parte da cultura musical de Timbó. Incentivador da

música, ele próprio construía flautas de bambu e oboés a partir de observações que fazia nos instrumentos em viagens pela Europa. Esses instrumentos, junto com outros da coleção de Ziel, hoje, fazem parte do acervo do Museu da Música. “Ele fabricava instrumentos de sopro para ensinar crianças a tocar. Até hoje, faz visitas ao museu trazendo novas peças para o acervo”, conta Adriana. O Museu da Música é o único do gênero em todo o País. Nele, é possível conhecer a evolução dos instrumentos musicais. Estão expostas, por exemplo, as peças que deram origem às clarinetas e trompetes que compõem, hoje, as orquestras. Também é possível conhecer instrumentos com nomes não tão comuns, como fagotes, rabecas, cornettis, entre outros. Os mais antigos são uma flauta transversa, de 1760, e um violino barroco, de 1770. Ambos pertenciam a Ziel. Embora fabricados há aproximadamente 250 anos, os dois instrumentos estão em ótimo estado de conservação.

71


[ museus ]

Fotos Daniel Zimmermann

Através do acervo e eventos, museu busca preservar e disseminar a cultura musical

Cultura musical Além de preservar o patrimônio musical e de mostrar ao visitante a cultura da música ao redor do mundo, o museu busca incentivar o gosto pela arte através de ações educativas e culturais. Em parceria com a Fundação Cultural de Timbó, o Museu da Música é responsável por promover diversas ações que destacam a arte e a história, democratizando o acervo. “Através de diferentes ações, procuramos fazer com que as pessoas aprendam mais sobre

Museu da Música Visitação: Terça a domingo e feriados, das 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 17h30min Ingresso: R$ 2,00 (estudantes: R$ 1,00)

Rua Edmundo Bell, Rodovia SC-477, Km 5, Bairro Dona Clara, Timbó (SC) www.culturatimbo.com.br (47) 3399-0418

72

a história da música e vejam o museu não como um lugar onde existem somente peças expostas, mas, sim, como um lugar de aprendizado”, ressalta Adriana. Para isso, além de exposições e eventos, como a ‘Tarde do Rock’ – que divulga bandas da região e busca promover esse estilo musical – também são realizadas visitas orientadas com alunos de escolas e grupos institucionais; e ações educativas, em que membros do museu vão até as escolas

para ensinar um pouco mais sobre a arte da música. “Investimos também na educação. Além de poderem agendar visitas especiais, realizamos ações educativas com escolas da região, Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) e outros grupos institucionais”, destaca Adriana. Através dessas e de outras ações educativas e culturais, o Museu da Música atendeu e atraiu cerca de 3,4 mil pessoas em 2011.


Realizando

grandes mudanças na sua vida.

Crediário próprio, Amplo estacionamento, Ambiente climatizado, toda linha de móveis em

1+9x

sem juros, financiamos em 36x através,

711

0 47.3324r .b m o .c a @terr

s.tomio

a 819

E-mail venda

Rua Da Glóri

RINHO

COM CA O H L I F U E S O D O D N BY CUIDA

TOMIO SÓ BA

Rua Da Glória 665

baby.tomio@terra.com.br

47.3336.3303

Toda linha de móveis ,enxoval, acessório e confecção para seu filho de 0 a 10 anos Crediário próprio com montagem e entrega gratuita


[ evento ]

Daniel Zimmermann

novidades

SC Gourmet terá Cardápios de todos os tipos para o mais exigente paladar. Um evento em que a viagem gastronômica passa por chocolates e geleias, queijos e frutos do mar e, para aguçar ainda mais as papilas gustativas, à disposição vinhos finos, cervejas e cachaças especiais. Esse roteiro de sabores pode ser apreciado entre 18 e 21 de julho, em Blumenau. A segunda edição da SC Gourmet - Mostra Brasileira de Delikatessen, Queijos, Vinhos e Gastronomia ocorrerá paralelamente à Festitália, no Parque Vila Germânica. Segundo o promotor do evento, Develon da Rocha, é preciso inovar para melhorar ainda mais a mostra que, no ano passado, atraiu um público de 13 mil pessoas das mais va74

riadas regiões do Brasil. Além de palestras e workshops que vão desde temas como a harmonizações com vinhos, enogastronomia e saúde, a aulas técnicas sobre o uso dos produtos em exposição, as novidades ficam por conta de novos parceiros, como o Senac. O lançamento oficial do evento aconteceu em 28 de fevereiro, no Senac Bistrô. Além de apresentar os números e agradecer a todos que tornaram possível a realização da primeira edição, a organização divulgou o cronograma deste ano. O evento de lançamento foi uma pequena mostra do que está sendo preparado para julho, com degustação de queijos, tapas catalanas e vinhos catarinenses.

A mostra, que recebeu visita de 13 mil pessoas na primeira edição, terá competição gourmet em julho

2ª SC Gourmet Quando: 18 a 21 de julho de 2012 Horário: das 15h às 22h Local: Setor 1 do Parque Vila Germânica Informações: scgourmet.com.br


[ evento ]

Daniel Zimmermann

As inovações para a segunda edição ficam por conta da Arena Senac, onde serão preparadas seis cozinhas para competição. De uma arquibancada, o público poderá assistir à montagem dos pratos pelos competidores, que serão avaliados por cinco jurados de nível nacional, inscritos na Associação Brasileira da Alta Gastronomia (Abaga). Isso, sem contar o Wine Bar e o Espaço Senac, com salas equipadas para aulas com chefs e sommeliers nacionais e internacionais. Os destaques também contam com o Caminhão-Escola Duas Rodas, o Programa Comprador e a Rodada de Negócios, essa com estrutura exclusiva para atender expositores e compradores que passarem pelo SC Gourmet. Entre os objetivos da Mostra – valorizar e divulgar os produtos gourmet, potencializar o conhecimento dos profissionais do ramo gastronômico, proporcionar conhecimento e consumo de vinhos brasileiros, cachaças e cervejas especiais – está o de vincular a imagem de Santa Catarina como região de excelente enogastronomia e produtos gourmet.

Wandér Weege apresentou os vinhos Pericó

A ideia é apresentar as novidades do mercado aos empresários, profissionais e estudantes das áreas de alimentos e bebidas, além de garantir mais uma ótima opção aos frequentadores da Festitália. “Teremos uma seleção

criteriosa de vinhos e espumantes nacionais, queijos diferenciados, aguardentes especiais, cervejas premium, alimentos gourmet, acessórios e presentes”, destaca Rocha. Além disso, o tema da mostra em 2012 – Sustentabilidade e uso racional dos recursos na alimentação – traz a preocupação dos organizadores com o meio ambiente. A importância da conscientização que todos devem ter quanto ao uso adequado de produtos para a gastronomia e como aproveitar melhor os alimentos. O projeto para realizar o SC Gourmet começou em 2008 e, segundo Rocha, a participação do empresário Emílio Schramm, a quem ele chama de grande mentor, foi essencial tanto na formação profissional, quanto no apoio para que o evento saísse do papel e virasse realidade. Além do apoio do empresário e da Vila Germânica, Rocha teve o auxílio de Julio César Vieira. Em viagem por vários estados brasileiros, a dupla conheceu feiras dos mais variados setores e pôde pesquisar e estudar os pontos positivos e negativos que encontravam nos eventos. Após as viagens, foi elaborado e debatido o plano de realização da primeira edição do SC Gourmet, que contou com 80 marcas de renome nacional.

Eduardo Sofiati

Daniel Zimmermann

O chef francês Emmanuel Bassolei participou do evento gastronômico em 2011

76

O promotor do SC Gourmet, Develon da Rocha


[ gastronomia ] Chef propõe relaxar nas refeições e degustadar os pratos por uma tarde inteira

Devagar,

devagarinho Fotos Daniel Zimmermann

xxxxx

Esqueça como foi a semana de trabalho. Não pense nos próximos compromissos e nem mesmo se preocupe com as ligações telefônicas, pois elas não tomarão seu tempo. Absorva o que puder de uma atmosfera que envolve natureza, história e boa culinária, dispensando a preocupação com o relógio. Esta é a dica para quem já provou a cozinha relaxante da Hostaria Filidoro. 78

Um espaço genuinamente italiano entre tantos alemães, na Vila Itoupava, em Blumenau. Desde 2009, o espaço atende clientes com hora marcada durante a semana ou para o almoço nos domingos. Nas duas situações, não há o que faça você se arrepender da escolha. Mas é na carta dominical, com cinco pratos diferentes a cada semana (entrada, primero prato, sorbetto de inter-

mezzo, prato principal com acompanhamento, sobremesa), que a viagem gastronômica pode durar até as 16h. Preconizando a prática sustentável e de eco e agro turismo, o restalrante está em uma antiga casa enxaimel, que abrigou o colonizador Henrique Havenstein. Com registros de 1900, a construção foi restaurada por Danilo Berti e Eleni Barani (Alto Padrão 49, páginas 58 a 61).


Ele é italiano e ela paulista, descendente de italianos. Optaram pela Vila Itoupava depois de uma pesquisa. A escolha do local teve como foco a região tranquila, mas que, ao mesmo tempo, possibilitasse exercer o desejo de trabalhar com práticas diferentes. “Nossa intenção deu certo. Oferecer uma refeição em que o cliente realmente desfrute daquilo que temos para oferecer”, explica o chef Danilo, mostrando o ambiente em área rural que já é convidativo ao descanso. Para ele, nada mais justo que os pratos sejam servidos com calma e que cada tempero seja realmente degustado. As especialidades do cozinheiro têm como base um fruto bem peculiar: o limão-siciliano. E é uma dessas receitas que ele pôs à prova para a Alto Padrão. O Espaguete com Creme Mascarpone e Limão-Siciliano é diferente. Uma receita que transmite um frescor especial para as tardes ensolaradas do final do Verão e começo de Outono.

Espaguete com Creme Mascarpone e Limão-Siciliano (4 porções) INGREDIENTES • 500g de espaguete ou talharim frescos • 2 limões-sicilanos (1 para receita e outro para decorar os pratos) • 200g de mascarpone • 2 colheres (sopa) de azeite extravirgem • 1 colher (sopa) de cúrcuma (açafrão-da-terra) • Sal, pimenta-do-reino, páprica e erva-cebolinha picadas Modo de preparo • Cozinhar o espaguete ao dente em grande quantidade de água salgada fervente. • Ralar a casca de meio limão e cortar a casca da outra metade em fitas bem fininhas (evitar ralar ou cortar a parte branca da casca) e espremer o suco do limão e reservar. • Em uma frigideira grande, juntar o azeite, o mascarpone, a casca ralada do limão e metade das fitas fininhas de limão, meia colher (sopa) de cúrcuma (o mascarpone pode ser substituido por creme de leite fresco, com baixa quantidade percentual de gordura). • Esquentar, misturando, até ferver, juntar um pouco de sal e tirar do fogo. • Juntar os espaguetes cozidos e coados ao molho, retornar ao fogo, adicionando o suco do limão reservado. • Misturar bem e depois empratar decorando com erva-cebolinha, uma pulverizada de pimenta-do-reino, uma de cúrcuma e outra de páprica, além das fatias fininhas de limão. • Para a harmonização com o prato, o chef aconselha um espumante italiano demi-sec, vinhos branco ou rosê.

79


[ Vinhos ]

Casta italiana em terras

brasileiras

Recordando os primórdios da viticultura brasileira, impulsionada por Portugal e Itália, vinícola do Vale traz ao País uva italiana pouco conhecida

Hoje é possível encontrar em lojas importadoras do Brasil, ou até mesmo dispostos nas prateleiras de supermercados, vinhos tintos e brancos dos mais variados países, algo impensável há algumas décadas. Essa história envolvendo o Brasil e o vinho começou a ser escrita basicamente através de dois países: Portugal e Itália. No caso dos portugueses, isso aconteceu por conta da colonização das terras verde-amarelas.

Paisagem da Província de Trento, na Itália

80

de Portugal estava presente também nas cotas que eram impostas aos brasileiros através de escritórios da Companhia Geral da Agricultura dos Vinhos do Alto Douro, com sedes em Recife, Salvador e Rio de Janeiro. Portanto, todo o Vinho do Porto que não era comercializado, especialmente com a Inglaterra, era vendido à colônia.

A partir de 1532, quando Brás Cubas, português nascido em Porto, veio para cá dar continuidade ao processo de colonização, ele se tornou o primeiro viticultor no Brasil. Após denominar a região como Vila de Santos, onde passou boa parte da vida, determinou que fossem plantadas cepas trazidas de Portugal. O local escolhido para o cultivo foram as encostas da Serra do Mar, onde hoje é a cidade de Cubatão.

A viticultura italiana também marcou presença forte em terras brasileiras, instalando-se na Serra Gaúcha. Posterior às cotas do vinho português, os italianos que, a partir da década de 1870, passaram por inúmeras crises, só tinham um sonho: conseguir um pedaço de terra para se instalar fora da Itália e continuar tocando a vida. Migrando de Vêneto, Lombardia e Trento, homens e mulheres começaram a habitar o Rio Grande do Sul, dando início ao que pode ser chamado de Indústria Vinícola Brasileira.

Em 1640, por conta da baixa qualidade dos vinhos, São Paulo procurou padronizar e melhorar a qualidade e os preços da bebida que era produzida por lá. Mais de 100 anos depois, em 1750, a predominância

Conforme o comércio se desenvolvia, os gaúchos iam aprendendo a produzir vinho de qualidade. Um dos responsáveis pelo avanço na técnica e, consequentemente, melhora na qualidade da


Fotos Divulgação

vitivinicultura da época, foi Celeste Gobbato. O italiano que imigrou para o Brasil escreveu um livro chamado ‘Manual do Vitivinicultor Brasileiro’, em que apresenta tudo o que fazia e experimentava na Estação Experimental de Viticultura e Enologia, instalada em Caixias do Sul. Com mais força, o surgimento de empresas de vinho no País foi acontecendo gradativamente a partir de 1910, por conta da decisão do governo federal de arrecadar impostos com o setor. Dois anos depois, já estavam organizadas mais de 30 cooperativas, ano em que foi fundada a Federação das Cooperativas do Rio Grande do Sul.

A partir dos anos 1990, são derrubadas as barreiras de importação. Assim, junto com Estados Unidos, Inglaterra e Japão, o Brasil está entre os quatro países com mais variedade de vinhos no mundo

A evolução do vinho no Brasil Depois de muito tempo tentando se firmar em território brasileiro, a partir da década de 1970, o vinho começou a ganhar notoriedade. Nas décadas posteriores, são criadas no País confrarias e entidades profissionais através de enófilos que se expandem para todo o Brasil. A partir dos anos 1990, são derrubadas as barreiras de importação em território brasileiro, assim, junto com Estados Unidos, Inglaterra e Japão, o Brasil está entre os quatro países com mais variedade de vinhos no mundo. Atualmente, o desafio é aumentar o consumo que ainda é baixo, se comparado a países como a França. Porém, a variedade de importados e nacionais já é considerada muito boa. No cenário brasileiro, as uvas mais conhecidas são Cabernet Sauvignon, Merlot ou Malbec. Para aqueles um pouco mais conhecedores da bebida, uvas como Chardonnay, Pinot Noir e Carménère também são apreciadas. Existem inúmeras uvas pouco conhecidas, mesmo no País de origem. Em alguns casos, os produtores pararam de usar essas uvas, como é o caso de Por-

tugal, onde, por algum tempo, deixaram de lado a Alvarinho, que hoje está voltando com força total ao mercado. No caso da Itália, que tem mais de mil variedades de uva, é possível encontrar inúmeras raras e pouco conhecidas por aqui, como a Teroldego. O vinho que se origina dessa uva apresenta características próximas de um Syrah, possuindo parentesco também com a casta Lagrein e Marzemino. Uva proveniente de Trento, a Teroldego é uma variedade usada para produzir vinhos tintos de cor e sabor intensos, conhecido como Príncipe Trentino. É o vinho mais popular da região chamada de Piana Rotaliana. Cultivida nesse sítio arqueológico, que é rota turística, a Teroldego Rotaliano possui Denominação de Origem Controlada (D.O.C.) desde 1971. Composta por Faedo, Mezzacorona, Mezzolombardo, Roverè della Luna e San Michele all’Adige, essa região do Vale do Trento tem história, natureza e arquitetura impressionantes. Desde 2006, um roteiro turístico é oferecido na região, passando pela Estrada do Vinho e do Sabor de Piana Rotaliana. 81


[ Vinhos ] Daniel Zimmermann

mosto-vinho fica em contato com as cascas para a extração de fenóis e taninos, dura de 10 a 12 dias. Depois de passar pela fermentação alcoólica e ser levado para os barris, o vinho fica com um vermelho escuro com reflexos granados, o que, segundo o empresário, seduz pela fragrância de fruta madura, lembrando a amora silvestre, o mirtilo e a framboesa.

Silnei, da San Michele, fornece as mudas de Teroldego para os vinhedos e compra a produção

A Teroldego de Rodeio Resgatando o antigo nome dado à cidade de Trento, que foi uma homenagem a Netuno, a vinícola San Michele, de Rodeio (SC), produz, desde 2006, o vinho chamado Tridentum. O objetivo foi lembrar a forte ligação entre a Província Autônoma de Trento e os descendentes italianos que vivem em Rodeio, sede da vinícola fundada em 1992. A colaboração entre a vinícola, a Universidade Regional de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto Agrário San Michele, da Itália, proporcionou que essa uva fosse trazida ao Estado em 1999. Para o proprietário da vinícola, Silnei Furlani, essa uva teve resultados surpreendentes, superando as expectativas, pois se adaptou muito bem às condições climáticas. Assim, nasceu um vinho fruta82

do e com boa estrutura, podendo ser envelhecido em barris de carvalho por até dois anos, suportando grandes períodos de maturação na garrafa. Em condições ideiais de armazenamento, pode ser conservado por até 10 anos. “O plantio foi feito com o sistema de condução espaldeira, que melhora a superfície folhar e, consequentemente, a qualidade das uvas. Os vinhedos foram formados em Tangará e Bom Retiro, através de parcerias em que a San Michele forneceu as primeiras mudas e suporte técnico”, acrescenta Furlani. O processo de vinificação desse tinto, a chamada maceração, período em que

A produção dessa uva – aproximadamente seis toneladas por hectare – é traduzida em um paladar agradável, persistente, harmonioso e encorpado, com a presença de taninos finos. No quesito harmonização, Furlani indica para degustar com o Tridentum uma variedade de pratos, que vai desde as tradicionais massas, realçadas por molhos fortes, até o bacalhau e escargot. Entre as carnes, estão as vermelhas, de caça, cordeiro, pato, codorna; além de queijos de paladar robusto, como parmesão, gruyère, emmental e outros de sabor marcante. A vinícola trabalha nos últimos anos na introdução de vinhedos com cepas novas. Em 2012, estão em produção variedades como Sangiovese, Touriga Nacional, Petit Manseg, Fiano e Pignolo. A partir destas uvas, serão elaborados vinhos tintos, brancos e espumantes de alta qualidade, em vinhedos que ficam a uma altitude de 1080 metros, em Bom Retiro. Para julho, quando a vinícola completa 20 anos, está programado o lançamento de uma garrafa de 1,5 litro. O vinho que está sendo produzido ainda é segredo, mas, para comemorar o aniversário, a promessa é que o líquido seja muito especial.


Fotos banco de imagens

[ cervejas ]

Mantendo viva

a tradição

Blumenau é conhecida nacionalmente pela tradição em cervejarias artesanais. Esse costume, vindo com os colonizadores alemães, mantém-se até hoje. Só no Médio Vale do Itajaí existem 10 cervejarias artesanais, entre as quais estão Bierland, Wunder Bier, Eisenbahn e Oktobier, todas em Blumenau. Muitas dessas, conhecidas e apreciadas em todo o Brasil. Para manter viva a tradição e incentivar ainda mais a população a apreciar a arte da fabricação de cervejas, nada melhor do que um curso que tem por finalidade instruir os alunos e prepará-los para atuarem na área cervejeira. Esse é o objetivo do Curso de Cervejeiro da 84

Pós-Graduação Uniasselvi. “O curso proporciona os conhecimentos teóricos e práticos necessários para o início da atuação em microcervejarias ou na produção artesanal. Ele ensina todas as etapas do processo de produção e fabricação da bebida”, destaca Maria Cristina da Silva, coordenadora acadêmica do Curso de Cervejeiro. A Uniasselvi/Fameblu iniciou o curso no primeiro semestre de 2011. A partir do segundo semestre, o curso passou a ser administrado pela Pós-Graduação. Com duração aproximada de um ano, ele é classificado como um curso de extensão ou aperfeiçoamento, que leva aos estudantes a oportunidade de apren-

Curso de Cervejeiro da Pós-Graduação Uniasselvi prepara alunos para atuarem em microcervejarias e produção artesanal

der como funcionam os processos de fabricação da cerveja, bebida tão apreciada na região. Após um ano de estudos, o cervejeiro sai preparado para atuar na área. “O nosso aluno vai desenvolver as competências e habilidades no planejamento, coordenação, acompanhamento e controle de ações dos processos de malteação, fabricação do mosto, fermentação, maturação, filtração e envasamento da cerveja”, explica Maria Cristina. Para isso, na matriz curricular estão tópicos que vão desde a composição das matérias primas das cervejas, gestão de qualidade e segurança na produção, legislação e normas da


O mestre cervejeiro

como polo na área. O profissional em cervejaria pode acreditar que, com todo esse crescimento, haverá mercado de trabalho em todo o território nacional”, ressalta Maria Cristina.

cervejaria, até a tecnologia de fabricação da cerveja, métodos e técnicas de envasamento, entre outros. As aulas ocorrem em dois ou três finais de semana por mês, dependendo da turma, sempre nas sextas e sábados. A coordenadora destaca que o Curso de Cervejeiros não é para a formação de tecnólogos e, sim, um curso de extensão que habilita os participantes a trabalharem no setor que cresce não só na região, mas em todo o Brasil.

A profissão do mestre cervejeiro é cercada de tradição e, por que não, de algumas doses de mistério. São eles os responsáveis por garantir o sabor e a qualidade da bebida. O mestre cervejeiro assina as fórmulas dos tipos de cerveja ou chope, seleciona a matéria prima e acompanha o passo a passo do processo de fabricação da bebida, tudo para garantir a qualidade.

“Nos últimos anos, acompanhamos um enorme crescimento das microcervejarias em todo o País e, a nossa região, pela colonização e pela tradição das Escolas na Europa, tem se firmado

Para se inscrever no curso, basta ter o Ensino Médio completo. Os professores também merecem destaque. São oito Mestres Cervejeiros – Katia Jorge, Amanda Felipe Reitenbach, Antônio de Almeida e Macedo, Cilene Saorin, Guilherme Rolim, Kathia Zanatta, Otto Paulo Zschoerper e Paulo Schiaveto – que trazem no currículo o conhecimento mais do que necessário para fazer dos alunos verdadeiros conhecedores da bebida e torná-los aptos para atuarem no mercado de um dos produtos mais apreciadas do mundo.

Para se formar Mestre Cervejeiro dois caminhos podem ser seguidos: o primeiro é ter o segundo grau completo e, após alguns anos de prática em todos os processos de produção de uma cervejaria, fazer um curso de formação profissional em uma faculdade técnica no Exterior. O segundo caminho é possuir graduação em cursos superiores – como química, biologia ou engenharia de alimentos – também fazer um estágio em uma cervejaria e, em seguida, uma especialização em uma instituição de ensino estrangeira, na Europa ou Estados Unidos, que oferecem certificados reconhecidos mundialmente. Os mestres cervejeiros são responsáveis por garantirem a qualidade final da cerveja, por isso, nesses cursos, o aluno aprende tudo sobre a produção, seleção e consumo, inclusive sobre como harmonizar os diferentes tipos de cerveja com os mais variados pratos.

Ab

a cervejaria

so em visita a um

udantes do cur aixo, grupo de est

Divulgação

Além disso, o mestre cervejeiro precisa ter conhecimentos em diferentes áreas. Para garantir a qualidade da bebida, são necessários, por exemplo, conhecimentos em microbiologia e bioquímica e, também, nos campos de fornecimento de energia, meio ambiente e higiene. Esse profissional também é responsável pelo orçamento e planejamento financeiro e por gerenciar a equipe de cervejeiros. Por isso, ainda precisa de conhecimentos de administração e economia.

Curso de Cervejeiro Para mais informações, acesse www.grupouniasselvi.com.br e clique em Treinamentos

85


[ design AP ]

Diversão

criativa

Caneca divertida UncommonGoods

Essa é a versão revisitada e bem-humorada da caneca com espaço para biscoitos. Feita em cerâmica, a grande diferença é que essa caneca tem um rosto humano e o espaço na boca aberta para colocar bolachas, pães, cookies, brioches, rosquinhas ou donuts. Diversão pura para começar bem o dia ou terminar bem a noite. Exclusividade da UncommonGoods, no valor de US$ 18.

86

Tapete criativo Danishbydesign

A Danishbydesign lançou uma ideia criativa para a criançada. Um tapete feito com aplicação de tecidos de tapeçaria, formando uma cidade para brincar com carrinhos e bonecas. Muito divertido!


Criatividade em alta Claire-Anne O’Brien

Fruteira Centopéia Rocombole

Puff de revistas NJUStudio

Para quem coleciona revistas, aqui está uma ideia supercriativa para guardá-las. Bonito e prático, o puff de revistas pode ter rodinhas e almofada, podendo fazer parte da ambientação da sala, escritório ou, até mesmo, do closet. A ideia é dos designers alemães do NJUStudio.

A Fruteira Centopeia é inspirada na natureza e é tão flexível quanto o animal que lhe empresta o nome. A peça pode ser moldada ao gosto do usuário e as frutas viram mais uma peça de decoração na casa. O desenho inovador possibilita utilizar os dois lados do objeto, guardando tanto frutas grandes quanto pequenas. A fruteira é desenvolvida com materiais 100% recicláveis, à base de fibras naturais, e já foi premiada no Product Design Award.

Para quem adora criatividade, Claire-Anne O’Brien é uma designer irlandesa com a imaginação super fértil. Ela desenvolveu cadeiras bem especiais para as amantes de móveis inusitados. As peças são todas feitas com tramas de tricô.

87


[ clic Alto Padrão ]

Bonito por

Localizado em Jaraguá do Sul, Parque Malwee facilita o contato com a fauna e a flora

natureza

Fotos Divulgaç

ão

Eberson Teodoro

88


São mais de 1,5 mil metros quadrados de área preservada, 15 quilômetros de estradas e calçadas ornamentadas, aproximadamente 35 mil árvores, 17 lagoas e dois museus de cultura popular. Este é o Parque Malwee em números. Se com dados assim ele representa enormidade, imagine tirar um dia todo para fazer uma visita e perceber, pessoalmente, quanta beleza natural pode ser aproveitada nestes espaços. Em todo o parque, existem espécies nativas,que já estavam no local an-

tes da implantação da reserva, além de outras não típicas da região. Exemplos são o jambo, vindo de outras regiões do País e uma espécie de pinus-japonês. Há ainda espécies da Polinésia e uma infinidade da cipestre Bidwille, exemplares de limoeiros raros e árvores como coco-anão, nozeira-pecan, flamboyant, cerejeira, araucárias e palmitos. A ideia ciaram dor da Weege,

e prática do parque iniem 1978. Foi o fundaempresa têxtil, Wolfrang que implantou o Parque

Malwee, um projeto para se tornar referência em ecologia. O local foi doado aos funcionários da empresa em 1982, então batizado como Armalwee, tornando-se uma associação recreativa. Foi só mais tarde que a área, localizada em Jaraguá do Sul, no Vale do Itapocu, viria a ser aberta para visitação pública. Considerado um verdadeiro santuário ecológico, o parque recebe pessoas que realmente querem aproveitar o verde. Ao todo, são 35 pontos de visitação. A entrada é gratuita.

Cultura à parte Na entrada do parque há duas casas. Uma datada de 1938, na técnica enxaimel, e a outra, em formato colonial, de 1945. Ambas servem para cultura e conhecimento abrigando um conjunto de 1.650 peças em exposição. Outro detalhe são as réplicas de estátuas de deuses e seres da mitologia greco-romana, espalhadas pelo parque. Weege tanto admirava e estudava a mitologia, que trouxe as peças para o parque. Dois restaurantes rústicos atendem os visitantes com culinárias diferentes. Um deles oferece cardápio típico. O outro oferece uma variação atual de carnes e frutos do mar.

Parque Malwee Horário: segunda a domingo, das 7h30min às 17h Restaurantes: terça a domingo Estacionamento para carros e ônibus Sanitários Espaço para descanso Oratório Bicas de água potável Quiosques com churrasqueira Seleção de lixo Ginásio de esportes Vigilância 24 horas Contatos: (47) 3376-0114

89


[ AP indica ]

Enfeites, decorações e

lembrancinhas .Coelho feito em palha

.Guirlanda

R$ 78,52

para decorar a casa na Páscoa R$ 144,08

.Coelho feito em pelúcia R$ 28,88

.Coelha de Páscoa sentada R$ 36,20

.Arranjo toca do coelho R$ 52,72

.Casal de coelhos grandes R$ 350

.Mukifo – www.mukifodecoracoes.com.br – (47) 3338-1342 90


.Potinho de suspiro R$ 4,20

.Marmita de marshmallow ou brigadeiro R$ 3,50

.Caixinha .Potinho

de bala de goma

de vidro com amendoim

R$ 3,90

R$ 4,30

.Caixinha de acetato com confete R$ 4,30

.Caixinha com bala de goma R$ 3,20

.Mini baleiro .Garrafa

com bala de coco

de água benta com mini terço

R$ 5,70

R$ 8,90

.L´Aparatto – www.lapparato.blogspot.com – (47) 3326-4001 91


[ AP indica ]

.Poltrona para bar Stool, de acrílico, em várias cores R$ 299

.Mesa para bar com regulagem de altura R$ 1.148

.Banqueta disponível em várias cores R$ 428

.Painel de banho com dois jatos frontais e bucha superior R$ 1.764

.Pia para lavabo nas cores preta e branca R$ 198

.Cadeira de jantar estilo Luís 15, nas cores preta ou branca R$ 490

.Caso sanitária eletrônico

.Cuba

controle remoto, odorizador, acento aquecido e jatos internos R$ 5.198

para banheiro, sem a torneira R$ 460

.Dimy´s – www.dimys.com.br – (47) 3035-6789 92


[ agenda AP ]

Cursose eventos

Decoração de Interiores

A DNA cursos está com as inscrições abertas para o curso de Decoração de Interiores. Nele, os alunos aprendem a planejar a arranjar espaços, combinar elementos, harmonizar cores, entre outros. Além da história dos estilos da decoração, também são ensinadas as novas tendências que vão habilitar o profissional para a condição tanto de gerenciador, quanto para o planejamento e controle de projetos de decoração de interiores. O investimento é de 20 parcelas de R$ 350,00.

Paisagismo e Jardinagem O curso de Paisagismo e Jardinagem – Módulo I, da Ana Holzer Projetos e Planejamento Paisagístico, tem o objetivo de capacitar o aluno a elaborar anteprojetos utilizando diversos elementos, como plantas, texturas e formas. O curso é direcionado para arquitetos, engenheiros florestais e para pessoas que querem fazer os próprios projetos em casas, apartamentos ou, até mesmos, sítios. A matrícula custa R$ 150,00, mais investimento de duas parcelas de R$ 250,00.

• O quê: Curso Paisagismo e Jardinagem – Módulo I • Quando: no mês de maio. Opção de curso durante a semana ou aos sábados • Onde: Blumenau (SC) • Telefone: (47) 3323-6223 / (47) 9963-2208 • Site: www.anaholzer.com.br

A 15ª edição da Feira de Móveis do Paraná – Mobiliar reúne expositores com as últimas tendências em móveis e decoração. Referência para consumidores finais, assim como para arquitetos, designers e decoradores, a Mo¬¬biliar mostra diversos ambientes, entre residenciais, comerciais e corporativos, com oferta de materiais de escritório, camas, estofados, tapetes, vasos, entre outros.

Tecnologia e design em aplicações em vidro para a indústria. É isso que traz a 10ª Feira Internacional de Tecnologia de Design em Vidro. Aproximadamente, 200 expositores trazem as novidades em vidro para as áreas de arquitetura, construção civil, eletrodomésticos, entre outros.

• O quê: Curso de Decoração de Interiores • Quando: no mês de março. • Onde: Blumenau (SC) • Telefone: (47) 3041-9770 • Site: www.dnacursos.com.br

+ informações

Mobiliar

Glass South América

+ informações

+ informações • O quê: 15ª Feira de Móveis do Paraná • Quando: 6 a 15 de abril • Onde: Marumby Expo Center, Curitiba (PR) • Telefone: (41) 3075-1103 • Site: www.feiramobiliar.com.br

+ informações • O quê: 10ª Glass South America • Quando: 16 a 19 de maio • Onde: Transamérica Expo Center, São Paulo (SP) • Telefone: (11) 3205-5000 • Site: www.glassexpo.com.br

93


[ agenda AP ]

+ informações

FestFotoPoa O FestFotoPoa – Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre é um tradicional festival que encanta todos os apaixonados por fotografia. Durante mais de um mês, são oferecidos workshops, palestras, debates, encontros com autores e mostras multimídia. Esta edição tem como tema ‘A Experiência Coletiva’, que vai mostrar movimentos importantes de artes como pintura, cinema, música, literatura e teatro.

Expolux A 13ª Feira Internacional da Indústria da Iluminação (Expolux) é a principal mostra do mercado para profissionais que necessitam entrar em contato com as tendências e novas tecnologias que envolvem o universo da decoração. O evento é direcionado para arquitetos, engenheiros, lojistas e decoradores. Duas vezes ao ano, a Expolux apresenta produtos desenvolvidos com tecnologia de ponta e serve como uma grande vitrine de funcionalidade e design.

• O quê: 6º FestFotoPoa • Quando: 24 de abril a 27 de maio • Onde: Porto Alegre (RS) • Telefone: (51) 3392-9982 • Site: www.festfotopoa.com.br/2012

+ informações • O quê: 13ª Expolux • Quando: 24 a 28 de abril • Onde: Expo Center Norte, São Paulo (SP) • Telefone: (11) 3060-5000 • Site: www.expolux.com.br

+ informações

Expoalumínio A 2ª Exposição Internacional do Alumínio (Expoalumínio) vai trazer as novidades em esquadrias, fachadas, utensílios domésticos e tudo que possua alumínio na composição. Com cerca de 150 expositores, o evento é direcionado para empresários e designers que procuram tendências no segmento.

Design Forum Cozinhas A 5ª edição do Design Forum Cozinhas vai debater o futuro desse espaço tão íntimo da casa. Os participantes terão a oportunidade de se informarem sobre novas tendências de consumo, tecnologias e sustentabilidade, que atendam às necessidades dos consumidores. O evento irá proporcionar para os profissionais que atuam no segmento de cozinhas novas informações para promover melhores projetos planejados.

94

+ informações • O quê: 5º Design Forum Cozinhas • Quando: 23 de maio • Onde: Espaço Vila Über, São Paulo (SP) • Telefone: (11) 5505-7548 • Site: www.designforum.com.br/cozinhas

• O quê: 2ª Expoalumínio • Quando: 24 a 26 de abril • Onde: Centro de Exposições Imigrantes, São Paulo (SP) • Telefone: (11) 3060-5000 • Site: ww.expoaluminio.com.br


Alto Padrão - Ed. 51  

Revista Alto Padrão. Voltada ao público de decoração, arquitetura e design de Blumenau e região. Produzida pela Mundi Editora - Blumenau/SC.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you