Page 1

[ adegas ]

REPOUSO

MERECIDO DA BEBIDA

DOS DEUSES [ tendテェncias ] jul/ago.11 R$ 11,90

#47

[ mテウveis ]

novidades

O QUE OS

O MUNDO

OFERECEM

DE MILテグ PARA

PLANEJADOS


saccaro.com.br

Em 70 lojas no mundo.

Av. do Estado, 4.770 - sala 1 - Casa Hall Shopping Bairro dos Estados - BalneĂĄrio CamboriĂş - SC Fone 47 3241 6563


Painéis Canaletados

Possamai

Seu projeto não precisa mais ficar restrito aos poucos painéis canaletados encontrados no mercado. Agora, todos os painéis em MDF da Possamai podem ser fornecidos canaletados e a pronta entrega.

Rodovia BR 470, Km 72.4 N° 3501 Indaial • possamai@placacentropossamai.com.br


www.placacentropossamai.com.br

Deixe a criatividade tomar conta do seu projeto Visite o showroom da Placacentro Possamai e conheça o amplo espaço que projetamos para reunir tudo o que há de mais atual no mercado global de tendências em matéria-prima para móveis e ambientes.

Na Placacentro Possamai você encontra uma grande variedade de: texturas • madeirados • acessórios • acabamentos padrões de cores • linha completa de MDF Masisa painéis • ferragens • máquinas • ferramentas tintas • colas e ainda madeiras de lei 100% secas

47 3333 8740


Prêmio Profissional do Núcleo Catarinense de Decoração Profissionais de Blumenau são homenageados na edição 2011

1º Lugar Premiação Regional Blumenau 5º Lugar Estadual Escritório

Studium Saut Arte & Interiores

2º Lugar Premiação Regional Blumenau 7º Lugar Estadual Escritório

Eliege Longen Interiores


[ informe publicitário]

U

ma festa impecável, cheia estilo, inspirada no talento e ousadia dos convidados marcou a edição 2011 do Prêmio Profissional do Núcleo Catarinense. A comemoração aconteceu na noite da última sexta, dia 8 de julho, na ACM, em Florianópolis, e reuniu cerca de 800 convidados entre empresários do ramo, lojistas e os mais seletos profissionais do setor de arquitetura, decoração e design do estado. Na Regional Blumenau, o destaque ficou por conta do escritório Studium Saut Arte & Interiores, que conquistou o 1º lugar nas categorias Regional Blumenau e Fideli dade Regional Blumenau e o 5º lugar na categoria Estadual Escritório, recebendo um total de 4 mil dólares, em créditos de viagem.

3º Lugar Premiação Regional Blumenau 13º Lugar Estadual Escritório

Silvana Silvestre e Sherlana Reis Arquitetura e Engenharia (representadas pelas arquitetas Loraine Duarte e Renata Rebelo)

Para as decoradoras Arianne Saut da Silveira e Flávia Saut da Silveira, a premiação foi uma surpresa. “A gente trabalha o ano todo e nunca esperar estar entre os melhores do Estado, mas é sempre uma alegria. Assim que a premiação teve início, sentimos um frio na barriga e a expectativa para estar entre os premiados era grande”, comentaram as decoradoras. Também entre os profissionais premiados da noite ficaram os escritórios: Eliege Longen Interiores, Silvana Silvestre e Sherlana Reis Arquitetura e Engenharia, Mauricio Christen Interiores e Stein Arquitetura. Na categoria Profissional de Vendas, o prêmio foi para Ana Paula Cattani, funcionária da Ligths On Iluminação de Ambientes que levou para casa 500 dólares em créditos de viagem.

4º Lugar Premiação Regional Blumenau

Mauricio Christen Interiores


A

lém da homenagem aos profissionais, ponA edição 2011 do Prêmio Profissional do Núto alto da noite, o Núcleo Catarinense de cleo Catarinense de Decoração também marcou Decoração aproveitou a festa para come- o lançamento do novo programa de premiação de morar o excelente saldo positivo do mercado de ar- especificadores, baseado no estudo da diretoria e do consultor Ricardo Botelho, quitetura e decoração do estado, que apresentou crescimento de 27% Maior festa do se- além da posse da nova diretoria do em relação a edição 2010 do Prêmio. NCD, gestão 2011/2012. A partor de arquitetura tir de agora, Alfredo Vanelli, No total, foram gerados R$85,5 e decoração distri- da Studio Ambientes|Conceito, milhões em negócios nas lojas associadas ao núcleo, um incremento de buiu quase R$100 e Márcia Maurano, da Saccaro Florianópolis, assumem os cargos R$17,9 milhões se comparado com mil em prêmios a um o ciclo anterior da entidade – que de presidente e vice-presidente seleto grupo de ar- do Núcleo, respectivamente. Em vai sempre de maio a junho de cada ano. O destaque foi para a Regional quitetos, decorado- Blumenau assumiram Cereni Maria Frizzo, da Florense, como Blumenau que, com performance bem res e designers de diretora e Marcos Luz, da Poracima da média, registrou um cresSanta Catarina. tobello Shop Blumenau e Jaracimento de aproximadamente 65% em guá do Sul, como vice-diretor. relação ao mesmo período de 2010.

Lugar Premiação Regional Blumenau

Stein Arquitetura

Vendedor Destaque da Regional Blu.

Ana Paula Cattani Ligths On Iluminação de Ambientes Sheila Schwanke Michels Diretor de Marketing do NCD - Schwanke Casa Blumenau e BC


[ informe publicitário] “Obra Coletiva”

A

edição 2011 do Prêmio Profissional do Núcleo Catarinense de Decoração veio repleta de novidades. Uma delas foi a participação do artista plástico Viti, conhecido nacional e internacionalmente por suas ilustrações em outdoors, muros, camisetas, entre outros. O artista criou para a festa uma obra de arte que virou um painel interativo, no qual todos os profissionais premiados deixaram a sua marca, pintando a tela e assinando a obra, transformando-a em uma “Obra Coletiva”. Após o evento, a obra saiu em uma exposição itine-

rante coordenada pelo Núcleo Catarinense de Decoração e o primeiro local a recebê-la, já no dia seguinte ao evento, foi a loja Studio Ambientes, em Florianópolis. Em setembro, ela ficará exposta no projeto NCD na Mostra Casa Nova 2011 e, até o final de ano, terá uma destinação social. “Procurei mostrar alguns ícones do design, como cadeiras assinadas, o primeiro microcomputador Macintosh, a minisaia, entre outros. Tudo em um clima bem lúdico para que os participantes se sintam em uma brincadeira e à vontade para pintar”, comentou o artista Viti.

Fabio Mattioli Gonçalves Luxaflex - Parceiro NCD Cereni Maria Frizzo Diretora Regional Blumenau - Florense lfredo Vanelli Presidente do NCD - Studio Ambientes Novos Diretores Regional Blumenau

Marcos Luz Vice-diretor Regional Blumenau - Portobello Shop Blumenau e Jaraguá do Sul Cereni Maria Frizzo Diretora Regional Blumenau - Florense

Michael Helmut Lochner WEIKU • Esquadrias de PVC Participação especial no palco


[ editorial ]

[ expediente ]

Atrações para toda a casa Banco de imagens

CONSELHO EDITORIAL Amanda Marques, Amauri Alberto Buzzi, Ângela Ferrari, Carla C. Back, Daniela P. Garcia, Danielle Fuchs, Jorge Luiz Strehl, Margareth Volles, Maurilio Bugmann, Odete Campestrini, Patrícia Serafim, Sidnei dos Santos, Silvana Silvestre e Valter Ros de Souza

Guardar bem aquela garrafa de vinho que não será consumida imediatamente é condição fundamental para manter a qualidade dessa bebida cheia de sofisticação e história. Quem tem o costume de manter uma certa reserva em casa, precisa dispor de local adequado para armazená-la. Para facilitar a tomada de decisão na hora de construir ou reformar, a Alto Padrão falou com três especialistas em vinhos sobre as características de uma boa adega. Elas podem variar de tamanho e design, mas critérios quanto à temperatura, umidade, ventilação e iluminação têm que ser seguidos para garantir a preservação da boa bebida. Além de adegas, a edição 47 da revista Alto Padrão traz dicas do designer de interiores Maurílio Bugmann sobre como usar corretamente os tapetes na composição dos ambientes. São toques práticos sobre a combinação de cores, texturas, a posição das peças nas salas de jantar, estar, quarto ou home theater; sobre como usar as listras para interferir na percepção visual do ambiente ou de como acertar no conjunto tapetes-estofados-cortinas. Ainda falando de interiores, as arquitetas da Berlim Ambientes mostram as vantagens de se optar pelos móveis planejados na hora de equipar ou repaginar a residência. Os modulados, por exemplo, permitem aproveitar bem os

espaços, por menores que sejam os cômodos, com o benefício adicional de poderem ser utilizados em outro ambiente em casos de mudanças. Nas seções de jardinagem e paisagismo, nossa equipe mostra as características do cultivo da espada-de-São Jorge, uma planta polivalente, que pode ornamentar interiores, canteiros ou jardins; plantada em vasos, floreiras ou diretamente no solo. Apresentamos, também, os cuidados com os gramados e os diferentes tipos de grama que estão entre os mais comuns na região. A gastronomia mostra um pouco da história da focaccia, um clássico da cozinha italiana que ganhou versões criativas e saborosas em diversas regiões do Planeta. E o chef francês – radicado no Brasil, Emmanuel Bassoleil, mostra três receitas deliciosas (entrada, prato principal e sobremesa), que vêm com dicas de bons vinhos para harmonizar. E aproveite para conhecer projetos de um escritório ecológico, de uma clínica dentária, de um sofisticado apartamento de praia e de um café cujo interior busca maximizar as boas sensações provocadas uma bebida especial. Tudo isso e mais na Alto Padrão 47. É diversão com muita informação. Boa leitura!

Sidnei dos Santos Editor-Executivo Boa leitura!

/Editor-Executivo: Sidnei dos Santos Palavra Escrita Ltda. ME sidnei@mundieditora.com.br /Reportagem: Cleiton Schlindwein, Francielle de Oliveira, Iuri Marcelo Kindler /Gerente de Arte e Desenvolvimento: Rui Rodolfo Stüpp rui@mundieditora.com.br /Diagramação: Tiago de Jesus e Fabiano B. Linares /Projeto Gráfico: Ferver Comunicação www.ferver.com.br /Foto de Capa: Divulgação /Fotos: Daniel Zimmermann, Eduardo Sofiati, Banco de Imagens e divulgação /Editora-Chefe: Danielle Fuchs Fuchs Editorial Ltda. ME danielle@mundieditora.com.br /Gerente Comercial: Eduardo Bellidio 47 3035.5500 eduardo.bellidio@mundieditora.com.br /Diretor-Executivo: Niclas Mund niclas@mundieditora.com.br /Circulação: circulação@mundieditora.com.br /Sugestão de pauta: pauta@mundieditora.com.br /TIRAGEM: 3.000 exemplares /TIRAGEM VIRTUAL: 50.000 exemplares www.mundieditora.com.br facebook.com/mundieditora twitter.com/mundieditora

Apoio:


[ sumário ] Divulgação

Divulgação

32 [ tendências Novidades apresentadas na Feira de Milão

26 [ decoração

O poder dos tapetes na transformação do ambiente

Um escritório natural

Normas que atestam eficiência nos projetos

A sofisticação, por Val Araújo

Planejados ajudam a aproveitar os espaços

Nada de angústia na clínica odontológica

Alto padrão com baixo custo

Salução para economizar água

Excelência desde a universidade

SC divulga talentos na Gift Fair

12

44 [ comercial Tudo projetado para degustar um bom café Daniel Zimmermann

20 [ sustentabilidade 24 [ energia 36 [ interiores 40 [ móveis 48 [ comercial 52 [ residencial 56 [ banheiros 58 [ concurso 62 [ design


Daniel Zimmermann

14 [ adegas

Como guardar de forma adequada uma boa coleção de vinhos

74 [ gastronomia Delícias preparadas pelo chef francês Emmanuel Bassoleil Divulgação

66 [ jardinagem 68 [ paisagismo 70 [ museus 78 [ gastronomia 82 [ cervejas 86 [ design AP 88 [ clic AP 92 [ AP indica 94 [ agenda AP

A mística espada-de-São Jorge

As gramas e os cuidados necessários

Casa preserva memória de Lindolf Bell

Focaccia, o fast food italiano

Festival está agendado para novembro

Molhe da Barra Sul

13


[ reportagem de capa ] Fotos Divulgação

deve O ambiente

14

m

érios de te

seguir crit

idade e peratura, um

iluminação

var a bebida

para conser


s são essenciais

anhos e estilo as de vários tam

Adeg

para manter a

ho

qualidade do vin

Para quem gosta de ter uma quantidade razoável de garrafas de vinho estocadas, a solução ideal é a adega

as garrafas

O armazenamento ideal para

É durante o frio que muitas pessoas aproveitam para beber vinho. Porém, muitas fazem isso durante o ano inteiro, pois o têm como a bebida preferida. Geralmente, essas pessoas compram com frequência garrafas ou caixas de vinho e gostam de receber convidados em casa para encontros com boa conversa e boa comida harmonizada com bons vinhos. Depois de o vinho ser fermentado e engarrafado, os cuidados devem ser mantidos para que a qualidade continue até a hora de sacar a rolha. Silnei Furlani,

proprietário da Vinícola San Michele, de Rodeio, atesta que a medida mais importante é sempre guardar o vinho em um local fresco e fora da luz, principalmente longe do sol. Porém, a solução ideal para armazenar os vinhos que serão consumidos em períodos de médio e longo prazo deve ser uma adega. Agora, para aqueles que não têm espaço em casa para a construção de um local como esse, o vinicultor indica uma forma simples de guardar os vinhos, pelo menos aqueles que serão consumidos em períodos curtos de tempo. Segundo ele, essas garrafas podem ser

guardados no fundo da geladeira ou em uma adega elétrica. “Porque, pelo menos lá no fundo, a temperatura é constante. Em torno de oito graus. Sendo que o ideal para vinhos tintos é tirar da geladeira um pouco antes de servir para que entre na temperatura ideal, que fica em torno dos 18 graus”, acrescenta Furlani. Outro fator que é inimigo do bom armazenamento do vinho é a umidade. Em excesso, pode causar bolor; por outro lado, a umidade baixa, pode ressecar a rolha, prejudicando a qualidade. 15


[ reportagem de capa ] Divulgação

Além da adega para armazenar corretamente as garrafas, existem outros pontos importantes para que o vinho seja de ótima qualidade. Segundo o especialista José Carlos Grando, da Companhia do Vinho, outros quatro fatores contribuem para que se tenha um bom vinho. Um solo apropriado para a plantação, o local com tipo de clima ideal, a uva escolhida e o homem, que deve ter experiência acumulada através dos tempos. “O melhor vinho é aquele que possui boa cor, bons aromas e, na boca, é equilibrado, persistente e de boa estrutura”. Ainda existem dois mitos que rondam o mundo dos vinhos apontados pelo empresário blumenauense. 1 - Não existe temperatura ambiente para o vinho. “Por exemplo, em Blumenau, que é muito quente, como se vai tomar um vinho durante o Verão com temperaturas que chegam a 40 graus?” 2 - Quanto mais velho melhor o vinho. “O vinho precisa ser construído para envelhecer. Nem todos os vinhos têm estrutura para envelhecer”, acrescenta Grando. Para Grando, a vinoteca, enoteca ou adega deve respeitar regras para ser construída no imóvel que já está pronto. As adegas são, geralmente, construídas com tijolo maciço, mas, em alguns casos, também podem ser 16

ntro

as para enco

as são usad

eg Quando as ad

ores podem

icos, os od s gastronôm

de pedra. Esses materiais conservam a umidade, diminuindo a incidência de calor no local, e abafam os ruídos. “As garrafas devem ficar em um local sem vibrações, porque o vinho perde a qualidade se a garrafa ficar mexendo. Como o vinho é fermentado, pode haver uma reação química”, explica Grando. Uma boa solução para as adegas são os sistemas de iluminação por sensor, que permitem que a luz acende só quando alguém acessa o local, não deixando iluminação incidente por longo tempo nas garrafas. O proprietário da Companhia do Vinho, fundada em 2002, em Blumenau, explica que os vinhos possuem uma ficha

prejudicar o

do

vinho guarda

técnica. Isso é como um atestado de nascimento e data de validade para consumo, com histórico da safra, ano de fabricação e longevidade da bebida. Em alguns casos, os vinhos podem até passar da idade de 20 anos que continuam com a qualidade inalterada, mas, segundo o especialista, isso só acontece se o armazenamento das garrafas for feito de forma perfeita. Um exemplo citado pelo empresário, habitual na Itália e usado por quem não possuía adega é a escolha do porão da casa para armazenar não só as garrafas de vinho, mas também os alimentos, simplesmente por ser o local mais frio da residência.

Dicas Ao construir uma adega, respeite as normas abaixo: Arejamento: um arejamento mínimo, que evite excesso de umidade para não provocar a criação de fungos nas rolhas. Temperatura: entre 15 a 18 graus. Temperaturas altas provocam o envelhecimento rápido do vinho. Umidade: entre 60% a 70%. Iluminação: quanto menor melhor. Se possível, na escuridão total. Localização: localizar um ponto fresco da casa, livre de odores e vibrações. Porões e subsolos são os locais indicados. Em um apartamento, procurar um local que reúna a maior parte destas condições

Fonte: José Carlos Grando, Companhia do Vinho


17


Divulgação

[ reportagem de capa ]

Tipos de adegas A experiência profissional do sommelier Igor Maia, da Decanter Importadora de Vinhos, já proporcionou que conhecesse, em viagens no Brasil e no Exterior, adegas com padrão elevado de qualidade. Duas são as que mais chamaram a atenção do profissional. Uma fica na Toscana, Itália, onde um produtor de vinhos a construiu em três níveis, 30 metros abaixo do solo, naturalmente, feita na pedra. “No primeiro solo, fica a expedição. No segundo, a vinificação, que tem as barricas de carvalho, e, no terceiro, é onde ele envelhece o vinho, com a temperatura podendo chegar até 10 graus. A última parte é de pedras colocadas sobre pedras, existindo, ali, vãos que permitem a respiração da adega”. A outra adega fica no restaurante Locanda Della Mimosa, do chef Danio Braga, em Petrópolis (RJ). Com mais de 500 rótulos de diversos países e considerada uma das melhores cartas de vinho do país, a adega foi construída 15 metros abaixo do solo, em pedra. Uma camada de brita colocada no chão da adega e molhada constantemente é usada para devolver a umidade ao ambiente. Igor afirma que esse tipo de adega, feita de pedra, é a mais adequada, porém os custos são altos.

“Formas diferentes podem ser usadas para você ter uma boa adega” Igor Maia 18

ão de vinhos

merece ser be

m armazenad

Com o crescimento do consumo de vinhos no Brasil, que, segundo pesquisas, deve aumentar em pelo menos 39% este ano, as condições de possuir uma adega em casa também aumentam, sem contar as adegas já prontas vendidas em lojas especializadas. Mas, em se tratando de uma adega a ser construída, em alguns casos é a criatividade que garante a solução para a bebida que, antigamente, já era cultuada na mitologia grega através do deus Baco. Quando Igor trabalhou em Belo Horizonte, viu a ideia de um amigo sommelier virar realidade em um restaurante que ainda não tinha os recursos necessários para construir uma adega de pedra subterrânea. Ela foi feita com tubos de PVC. “Ele perfurou todos os tubos e ambientou só com o ar-condicionado. Para devolver a umidade, ele colocou uma caixa com areia e brita no piso e molhava constantemente. Enfim, formas diferentes podem ser usadas para você ter uma boa adega”, explica Maia. Quanto a reuniões para degustação em adegas domésticas, como acontece em alguns casos, principalmente nos grandes centros, o sommelier observa que não é uma prática adequada, jus-

a

tamente, por contrariar uma das exigências para a boa armazenagem dos vinhos: evitar o contato das garrafas com os odores externos. Geralmente, nesses casos, a degustação pode vir acompanhada de aromas muito intensos, prejudicando, assim, o processo de envelhecimento de vinhos que precisam estar livres, inodoros. Em resumo, a adega é somente para o armazenamento e envelhecimento do vinho, explica o sommelier. Sommelier Igor Maia ressalta as qualidades de uma boa adega

Companhia do Vinho www.ciadovinho.com.br Decanter Importadora de Vinhos www.decanter.com.br Vinícola San Michele www.sanmichele.ind.br

Daniel Zimmermann

Para quem quiser montar uma adega e não dispõe de condições ou espaço para escavar a terra, as regras de luminosidade, vibração e temperatura devem ser seguidas, aliadas à escolha do melhor local na casa ou apartamento. Nesses casos, um aparelho disponível hoje no mercado deixa a tarefa de montar uma adega menos complicada. O equipamento, conhecido como breezaire, é semelhante a um ar condicionado e serve para que a umidade e a temperatura do ar fiquem constantes.

Uma boa coleç


[sustentabilidade ]

Ecologicamente

correto

Projeto do escritório da Green Multicom busca soluções sustentáveis, criativas e inovadoras para gerar resultados consistentes

Diferente em tudo o que faz, o empresário Gustavo Siqueira atravessou as divisas de Santa Catarina em direção ao mundo para defender o meio ambiente. Há mais de 12 anos na área da comunicação, a empresa Green Multicom expandiu os negócios e, há um ano, Gustavo montou um escritório ecologicamente correto. O projeto é de autoria da arquiteta Ana Paula Sperhacke, que cuidou para que todos os materiais utilizados fossem sustentáveis. Todos os armários, mesas, portas e painéis foram feitos com madeira de demolição, que é “uma atitude ecologicamente correta, de bom gosto e sustentável”, diz Ana Paula. Para a arquiteta, o benefício da madeira de demolição é que se tem uma peça exclusiva no ambiente, já que as alterações causadas pelo tempo, marcas de pregos e riscos, proporcionam características únicas à matéria-prima. Outra vantagem desse material é a grande possibilidade de acabamentos: pode ser clareada, escurecida, lisa ou natural. As madeiras de demolição 20

também são caracterizadas pela alta densidade. As classificadas como nobres são muito resistentes a fungos e cupins, o que proporciona longa durabilidade. Tudo isso, é claro, além do ganho ecológico de se estar reutilizando a madeira.

rio são reciclados e, depois de utilizados, são separados para serem reciclados novamente. No banheiro, o papel higiênico e o papel-toalha também são reciclados e podem ser jogados no vaso sanitário por serem totalmente biodegradáveis.

O piso do escritório é todo de PVC, matéria-prima 100% reciclável, fabricada através de extrusão e laminação de camadas de PVC de alta resistência, com controle de qualidade e respeito à preservação do meio ambiente.

Já na cozinha, foi colocado um triturador de lixo. Instalado embaixo da pia, ele tritura os resíduos alimentares em pequenas partículas que são enviadas para o cano junto com água e para o sistema de esgoto ou fossa séptica. Ele leva alguns segundos para eliminar os resíduos alimentares da cozinha, incluindo cascas de frutas e legumes, espinhas de peixe, cascas de ovos, entre outros. Os trituradores de resíduos ajudam a diminuir a quantidade de lixo e, consequentemente, de sacos plásticos no meio ambiente.

No banheiro, a torneira é com sensor, deixando sair apenas água suficiente para lavar as mãos. O sanitário usa caixa acoplada e tem o botão de descarga com duas intensidades. Um vaso sanitário de caixa acoplada consome em média seis litros de água a cada descarga. Como a maioria das pessoas utiliza de forma indiferenciada para urina e fezes, o desperdício é alto. Já no caso das duas opções, a economia chega a 30% do consumo de uma residência durante um mês. Todos os papéis utilizados no escritó-

Toda a linha de eletrodomésticos da cozinha tem certificado de economia de eletricidade. Seguindo o mesmo conceito de economia, a iluminação foi feita em circuito para não precisar utilizar todas as lâmpadas ao mesmo tempo.


O empresรกrio Gustavo Siqueira

Fotos Eduardo Sofiati Ana Paula Guerra

21


[sustentabilidade ]

Fotos Eduardo Sofiati

22


No viés da sustentabilidade, toda linha de eletrodomésticos da cozinha tem certificado de eficiência energética

A ideia Gustavo Siqueira é o principal articulador e idealizador do Prêmio Gigantes da Ecologia. A edição de 2009 – “A Água é o Sangue da Terra” – esteve entre os 10 finalistas do Prêmio Agência Nacional de Águas (ANA) do Governo Federal. Recentemente, foi nomeado Chanceler Ambiental do Instituto Nacional de Defesa da Natureza (IBDN) e assumiu a presidência do Instituto Gigantes da Ecologia (IGE). Como comunicador, foi o repórter mais jovem a gravar especiais na Floresta Amazônica, Bahia de Todos os Santos e com o casal Jorge Amado e Zélia Gattai. É um dos autores mais lidos do Projeto Troque Lixo por Livro com a obra “Aventuras no Jalapão”.

Todos os armários, mesas, portas e painéis foram feitos com madeira de demolição, uma atitude sustentável e de bom gosto, salienta a arquiteta Ana Paula

A arquiteta Ana Paula Sperhacke (47) 3326-5419 arqpaula@arqinside.com.br www.arqinside.com.br

23


[ energia ]

Divulgação

Edifica

Procel

No mesmo ritmo do crescimento imobiliário, há um aumento do consumo de energia, que dispara. O fato gera a busca de alternativas econômicas interessantes, tanto para as construtoras quanto para as pessoas que ocuparão os ambientes.

programa de etiquetagem classifica a eficiência energética das construções. Essa classificação vai de E a A, com regulamentos diferentes para edificações comerciais, de prestação de serviço ou prédio público e residenciais.

cos, os cuidados com a economia e e sustentabilidade são cobrados pela população. A etiquetagem é concedida parcialmente. Primeiro, durante a construção, conforme prescrições ou simulações. Por último, quando construído, em uma avaliação in loco.

A procura por novos formatos econômicos também cresceu logo após a chamada crise do apagão, que aconteceu em 2001 e 2002, afetando grande parte do Brasil na distribuição de energia elétrica.

O programa não é obrigatório, como se previu inicialmente. Mas, o pesquisador Roberto Lamberts, do Laboratório de Eficiência Energética em Edificações (LabEEE), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), afirma que a indústria da construção civil tem absorvido a ideia.

Os regulamentos, que vigoram desde 2009, podem ser conferidos no site da LabEEE, que foi escolhida como incubadora e entidade indicada para realizar as inspeções de avaliação dos projetos e fornecer as etiquetas.

Com base em todas estas necessidades e transformações, o Inmetro e a Eletrobrás lançaramu regulamentos de referências para verificar níveis de consumo. Diferente de um selo, o 24

De forma voluntária, a construção civil se adapta à era da eficiência energética

“Promover a eficiência energética acaba agregando valor aos produtos das empresas”, afirma. Aos pou-

Mais informações www.labeee.ufsc.br


25


[ decoração ] Divulgação

Peça-chave em

Tapetes fazem parte de uma composição que envolve um conjunto de itens como os estofados, cortinas e persianas

um ambiente

O uso adequado de tapetes tem o poder de transformar significativamente as sensações que se tem ao entrar em um ambiente. O tapete faz parte de uma composição que envolve um conjunto de itens como os estofados, cortinas e persianas. Os objetos, além dos revestimentos de piso e parede, devem dialogar entre si, de forma articulada e muito bem orquestrada para se obter um excelente resultado visual. Por isso, o tapete é uma peça-chave que desempenha várias funções, que vão desde o embelezamento propriamente dito até demarcar ambientes. 26

Também contribuem para o conforto e aconchego em uma sala, proporcionando sensação térmica agradável em climas frios.

vings, onde a sala de jantar é integrada a de estar; além dos usos protocolares e de orientação de circulação, no caso de casamentos e em empresas”.

De acordo com o designer de interiores e professor da Furb no curso sequencial de Design e Decoração de Interiores, Maurílio Bugmann, no home theater, um tapete de boa espessura contribui sensivelmente para melhoria acústica e, em ambientes estreitos, um tapete listrado no sentido da menor dimensão amplia o cômodo visualmente. “Os tapetes também podem ser usados para dividir ambientes, como no caso de li-

Para a escolha dos tapetes é preciso ter em mente quais sensações físicas e estéticas a pessoa quer que ele transmita e o que necessita em termos de funcionalidade: se o ambiente é grande ou pequeno; se a casa tem animais de estimação; qual estilo do ambiente; se é para um home theater ou para uma sala de jantar; se é para um clima frio ou quente; se terão outros tapetes no mesmo ambiente, entre outros.


Estilos De forma geral, os tapetes são divididos em três grupos: rústicos, clássicos e modernos. Os rústicos utilizam materiais naturais na composição, como couro, chamois, pelo natural, algodão, seda, juta, rami, lã, malaca, sisal, fibras de bambu, entre outros. Os tapetes artesanais de tear são exemplos de tapetes rústicos muito delicados e exclusivos. Os clássicos são os de origem europeia, como os aubussons, bastante usados no estilo provençal ou em ambientes contemporâneos, fazendo um contraponto com estofados retos. E os orientais, como os persas, turcos, chineses, indianos, romenos, entre outros. Os tapetes persas têm muitas variações de acordo com a região que os produz e são verdadeiras obras de arte em função dos desenhos minuciosos e por serem produzidos de forma artesanal. Eles têm uma durabilidade incrível devido à grande quantidade de nós de amarração por centímetro quadrado. Hoje, existem muitas imitações de persa, mas os verdadeiros, por

serem artesanais, nunca são perfeitamente simétricos e os desenhos e nós aparecem do lado avesso. Já os tapetes modernos são produzidos com materiais atuais, como a poliamida (nylon), o polipropileno e o poliéster, que têm excelente resistência, durabilidade e facilidade de limpeza. “Existem os tapetes feitos em série, de forma totalmente industrial, com medidas padronizadas”, comenta o designer. Segundo Bugmann, há empresas que possibilitam a personalização destes tapetes em termos de dimensões, desenhos, espessuras e cores, como a Tapeçaria Italiana, de Blumenau. “Pode-se trabalhar com grande liberdade, criando tapetes exclusivos”. Os tapetes modernos podem ser mesclados com materiais diferentes, trabalhando-se o corpo do tapete em poliéster e fazendo a borda ou detalhes em couro ecológico ou tecido. Dessa forma, o tapete adquire uma roupagem contemporânea, permanecendo com as características de grande durabilidade.

Dimensionamento e disposição

Bugmann comenta que, materiais como feltros feitos com garrafas PET, resíduos da indústria têxtil, aparas de algodão ou patchwork de pedaços de diferentes couros possibilitam versões ecológicas e despojadas de tapetes contemporâneos.

“Dentre os tapetes contemporâneos, existe um incrível, que simula um bosque com folhas caídas pelo chão” Maurílio Bugmann “Dentre os tapetes contemporâneos, existe um incrível, que simula um bosque com folhas caídas pelo chão, executado com pedaços recortados a laser de chamois em tons de marrom e verde; sem falar nos tapetes luxuosos que têm aplicações de tachas douradas ou detalhes em cristais swarovski”, destaca.

Eduardo Sofiati

Para Bugmann, as dúvidas sobre a utilização de tapetes em ambientes são, na maioria, com relação ao dimensionamento e disposição correta junto ao mobiliário e sobre que tipo de tapete usar. “Em termos gerais, consideramos a escolha dos tapetes como um dos últimos itens a ser definido em um projeto de interiores, porque depende, na maioria dos casos, que os estofados e móveis já estejam colocados no local”, salienta. No caso de tapetes clássicos, orientais ou aubussons, que são comprados prontos, o ideal é, antes de adquiri-los, fazer um teste no local onde eles serão usados com várias opções de tamanhos. Assim, a pessoa poderá saber, com certeza, se ele ficará bem em relação à dimensão e em relação às tonalidades e desenhos. Já nos tapetes sob medida, pode-se trabalhar com liberdade em relação aos tamanhos, cores e desenhos.

Maurílio Bugmann dá dicas de como usar bem os tapetes

27


[ decoração ]

Salas de TV e estar

Fotos Divulgação

O tapete não ultrapassa o meio do sofá (tapete da Tapeçaria Italiana)

Nas salas, os tapetes não devem passar do meio da profundidade dos sofás. Isso não é uma regra, mas, se esta medida é ultrapassada, a impressão é de que o tapete não foi feito para o ambiente. A vantagem de o tapete entrar embaixo do sofá é que ele fica mais firme, porém, nesse caso, torna-se imprescindível o rodízio a cada três meses para que, devido à falta de oxigenação, o tapete não apodreça embaixo dos pés dos estofados. Quando se pretende valorizar os desenhos de um tapete, como no caso de um clássico, rico em pormenores, é importante que eles não entrem embaixo do sofá. “Deixe-os quase encostados ao sofá para que o tapete e, consequentemente, os desenhos apareçam”, diz o diseigner.

Bugmann explica que, no caso de home theaters, o procedimento é o mesmo, tomando cuidado para que não fiquem embaixo das estantes e racks. O uso de tapetes com espessuras maiores, normais nesses

ambientes, além de proporcionarem sensação de conforto, contribui sensivelmente para a acústica. O uso de tecidos encorpados nas cortinas e estofados também seguem estas funções.

Conjunto perfeito “Coordene cores e contraste texturas”, afirma Bugmann. “Para isso, é importante termos claro o que desejamos”, emenda. Em uma sala com o tecido do sofá colorido ou listrado, o ideal é que o tapete funcione como uma tela de pintura em branco, na qual os estofados, o mobiliário, as cortinas e objetos fazem a composição. “Nesse caso, um tapete de tonalidade mais clara faz um bom equilíbrio. No caso inverso, com um tapete decorado ou listrado, com muitas cores ou desenhos, ou um tapete persa, o sofá de cor lisa e neutra faz o contraste e ajuda a equilibrar visualmente a composição”, explica. Um sofá de cor escura pede um tapete claro e um sofá claro pode receber um tapete mais escuro, o que contribui para que o ambiente pareça menor. Pode-se ter também a harmonia de tons com tapete, sofá e cortina em tonalidades de graduações diferentes de uma mesma família de cores e os contrastes nas almofadas e objetos.

Tapetes listrados dão amplitude ao ambiente quando as listras ficam dispostas paralelamente à parede de menor dimensão (Tapeçaria Italiana)

28

Caso seja necessário mais de um tapete no mesmo ambiente, como nos livings, os tapetes demarcam os ambientes e é interessante que eles sejam diferentes, porém, que, ao mesmo tempo, exista um denominador comum, que não precisa ser as cores. O diálogo pode ser entre desenhos, texturas ou até a moldura de acabamento. “Algo que resulta em um movimento visual agradável e harmônico é trabalhar com espessuras de fios com alturas diferentes e em tonalidades próximas”, afirma.


[ decoração] Divulgação

Dormitórios Como é bom acordar de manhã e colocar os pés descalços sobre um tapete macio! Nos dormitórios, existem duas hipóteses usuais para colocação de tapetes: passadeiras de cada lado da cama ou um tapete grande que passe embaixo da cama. Neste último caso, existe uma dificuldade maior de limpeza, mas o tapete fica bem firme e contribui para ampliar o espaço. Uma largura em torno de 60 centímetros além da cama funciona bem para os tapetes de dormitórios.

No dormitório do casal, o tapete colocado embaixo da cama fica mais firme e amplia visualmente o ambiente (tapete da Tapeçaria Italiana)

Salas de jantar

Daniel Zimmermann

Edson Jorge Fandaruff produz tapetes sob medida e exclusivos

Nas salas de jantar, é importante que os tapetes sejam confeccionados com materiais de fácil limpeza e de pouca espessura, facilitando a movimentação e nivelamento das cadeiras. Tapetes de poliamida, poliéster e os sisais artificiais funcionam bem nestes casos. O tapete deve ultrapassar a borda da mesa em torno de 60 a 80 centímetros. Para mesas redondas, pode-se usar tapetes redondos ou quadrados. Já para as mesas quadradas, usa-se os quadrados e para as elípticas ou retangulares, formatos retangulares.

Tapetes sob medida e exclusivos A Tapeçaria Italiana fabrica tapetes sob medida, seguindo as especificações do cliente. A empresa permite a escolha de medidas, formato, espessura, cor, materiais e até a estampa do tapete a ser confeccionado, sendo a comercialização através das melhores lojas do ramo da decoração, destaca o sócio-proprietário da Tapeçaria Italiana, Edson Jorge Fandaruff. 30

Tapeçaria Italiana www.tapecariaitaliana.com.br Bugstudium Creative Design bugstudium.blogspot.com


[ tendências ]

Fotos Divulgação

32


Novidades vindas

O Salão Internacional do Móvel de Milão 2011 reuniu os maiores expositores de decoração do mundo, com os objetos mais cobiçados

da Europa

O Salão Internacional do Móvel de Milão, na Itália, que aconteceu de 12 a 17 de abril, é o maior evento de decoração e design do mundo. E, haja disposição física para percorrer os 21 pavilhões da feira, divididos em Euroluce (iluminação), Design, Clássico, Móveis para Escritório e Moderno. Foram 2.720 expositores que exibiram as novidades e tendências para o ano, num espaço de cerca de 210 mil metros quadrados.

Cada vez mais brasileiros, entre profissionais, lojistas e apreciadores, visitam a Feira de Milão para descobrir o que há de mais novo, criativo, tecnológico e sustentável. Os especialistas na arte da decoração fazem todo o percurso com um sorriso estampado no rosto e câmeras fotográficas para registrar todas as tendências e novidades. Pela primeira vez, as arquitetas Giselle Wagner e Marcela Schmidt visitaram a feira e ficaram encantadas com tudo o que viram.

Lá, tem muita variedade de objetos e estilos de decoração, móveis, entre outros, que lançam novas tendências no ramo, principalmente, pela criação desenvolvida por novos designers e tecnologias envolvidas. Durante a feira, uma miscigenação de estilos, cores e materiais marca presença sob o nome de marcas consagradas do mundo do design, vindas de todos os cantos do Planeta.

Wagner & Schmidt Arquitetos Associados Marcela Schmidt (E) e Giselle Wagner (47) 3037-3667 www.wagnerschmidt.com.br 33


[ tendências ] Divulgação

Adaptação à realidade local A Feira Milã existe há 50 anos e cresce continuamente. Na primeira edição, foram 328 expositores e, atualmente, são cerca de 2,5 mil. A feira reúne os maiores expositores de decoração do mundo, com os objetos mais cobiçados, como mesas, cadeiras, quadros, camas, luminárias, sofás, entre outros. “É muita novidade num mesmo lugar”, destacam as arquitetas. Para Giselle e Marcela, o salão mostra uma nova visão, principalmente para quem trabalha na área. “São coisas que, às vezes, nem tem como fazer aqui, pela falta de ferramenta e mão de obra especializada, mas vamos tentar adaptar para o Brasil”, ressalta Giselle. “Assim como a moda de vestuário, a tendência do mobiliário também vai e volta. O clássico voltou com tudo”, afirma Marcela. As arquitetas ressaltam que muita coisa que encontram lá já estão utilizando nos projetos e vão tentar adequar ao gosto dos clientes.

Tendências mostradas na feira 1) A mistura do antigo com o novo está em alta, como já vem acontecendo. O clássico está com tudo e, aliado a ele, as cores, texturas, tecidos e materiais modernos fazem uma composição interessante. 2) O colorido esteve presente na maioria dos estandes. Pode ser desde um ambiente com muito requinte até um super descontraído. Também pode ser numa peça única para dar um toque especial ou num ambiente inteiro. 3) O destaque para os materiais utilizados na fabricação dos móveis é a laca brilhante, nas mais variadas cores. Mas também tem couro, veludo, vidro, inox e madeira de demolição. 4) Nos pavilhões da Euroluce, a diversidade de estilos, materiais, tamanhos e formas dos lustres e embutidos é algo impressionante. Desde produtos bizarros até os mais requintados e chiques. 5) Os pavilhões de Design são incríveis ao que se refere à criatividade. Muitos produtos chamam a atenção. Os diferentes formatos de sofás, cadeiras, móveis e objetos instigam e, muitas vezes, levam a pensar na maneira como se chegou a tal concepção ou àquele formato. São verdadeiras obras de arte.

34


[ Interiores ]

Confraternização Sala de estar e sacada integradas servem de ponto de encontro para pessoas de vários países e são marcadas pela sofisticação

sofisticada

Fotos Divulgação

A combinação de peças sofisticadas, reunidas em um ambiente de praia que integra a sala e a sacada com vista para o mar em Meia Praia – Itapema, no litoral catarinense é a decoração que a arquiteta Val Araújo projetou para que um diplomata pudesse reunir no local pessoas de alto escalão, como ela mesmo define. O ambiente projetado tem em 20m² de 36

área um espaço composto por sofá em seda italiana e pedestais em espelho com mesas centrais. O projeto da sala de estar social com sacada integrada foi concebido em 45 dias e a obra finalizada em seis meses. Os móveis em espelho receberam peças e esculturas assinadas por artistas renomados. Na sacada o ambiente é bastante iluminado para garantir o

uso do local principalmente à noite. Segundo a arquiteta, para deixar o ambiente mais aconchegante a todos que frequentam o local, foram utilizadas fibra natural e piso amadeirado. Formada em Desenho Arquitetônico e Técnico em Paisagismo, depois Arquitetura e Urbanismo a arquiteta que trabalha com design de interio-


Requinte foi o ponto de partida para o projeto assinado pela arquiteta Val Araújo para o apartamento de veraneio de um diplomata

res desde 1994, diz que não existe um segredo para desenvolver os projetos. “A inspiração para realizar os projetos vem de muita conversa com o cliente. Os projetos são adequados à necessidade do mesmo, sempre acompanhando as tendências”. Val Araújo explica ainda que os gostos do cliente são respeitados em be-

nefício de um melhor projeto. Como o exemplo relatado pela arquiteta no caso desse projeto da sala de estar social, onde o cliente gosta de obras de arte e produtos sofisticados, que a arquiteta explorou para decorar o ambiente. Cada projeto da arquiteta é particularmente pensado, sendo um diferente do outro por reunir características de cada cliente. “Eu

sempre parto do ponto da necessidade do cliente. No caso desse projeto, isso aconteceu porque a casa precisa de uma decoração muito rica em elementos de ótima qualidade, como tapetes persas. Porque pessoas de outros países e com cultura sobre materiais de qualidade são convidadas a frequentar a casa”, complementa a arquiteta.

“A inspiração para realizar os projetos vem de muita conversa com o cliente. Os projetos são adequados a necessidade do mesmo, sempre acompanhando as tendências” Val Araújo

37


[ Interiores ]

Fotos Divulgação

A experiência no Exterior Além desse projeto decorativo em um apartamento no Residencial Splendour of the Seas, Val Araújo também possui projetos em Balneário Camboriú, Blumenau e Milão, na Itália. Por ser casada com um italiano há sete anos, a arquiteta tem proximidade com a cultura local desse país, e em algumas ocasiões, quando viaja com o marido, se encontra com outros arquitetos e decoradores na faculdade de Belas Artes de Milão.“A gente discute projetos e acaba fazendo uma integração que não vai me trazer diploma, mas enriquece. São espanhóis, italianos, ingleses, então há uma diversificação cultural com a troca de experiências”, explica Val. Nessas reuniões todos levam um projeto que é discutido entre os profissionais, e cada um da sua opinião e por vezes acabam desenvolvendo um projeto escolhido. A arquiteta também busca o aprendizado em exposições em São Paulo, na Bienal de Artes de Veneza e na Feira de Milão, que é considerado o maior evento de decoração do mundo. A forma de trabalho da arquiteta é sempre extrair o máximo de informações sobre o cliente, aliada com a tecnologia no caso dos programas 3D hoje existentes no mercado, sendo para a arquiteta um complemento para o projeto, que sempre inicia com lápis e papel.“Ainda faço o croqui do projeto no papel para mostrar ao cliente a ideia. Desenhar a mão ajuda muito. Eu já fui conversar com clientes que fecharam o negócio por causa do desenho que fiz na hora”, finaliza a arquiteta Val Araújo.

C

M

Y

CM

MY

Mais informações

CY

Val Araújo – Arquiteta e Urbanista (47) 9609-2667 entrearquitetos@ig.com.br

CMY

K

Arquiteta acumula experiências profissionais na Europa

xxxxxxx

38


Sem dúvida, uma das ferramentas

Faça um orçamento conosco!

3329-2873 - 3329-0737 R. Frei Estanislau Schaette, 329 - Água Verde - Blumenau - vendasbenedett@gmail.com.br

"desconto especial" para clientes que citarem o anúncio constante nesta revista.

mais importantes para sua decoração!


[ m贸veis ]

Espa莽os

personalizados

Modernos, sofisticados e resistentes, os m贸veis planejados possuem estrutura sob medida para cada tipo de ambiente

40


Fotos Divulgação

Os móveis planejados ditam tendências na área de decoração e conseguem revolucionar o visual das residências. Esta opção de móveis é moderna, sofisticada, resistente e possui uma estrutura sob medida para cada tipo de ambiente. Ao optar por móveis planejados, de certa forma, a pessoa está personalizando os ambientes. Os móveis planejados reúnem as vantagens dos móveis modulados e sob medidas e, decorar a casa com essa opção transmite estilo, personalidade e variedade, já que o cliente escolhe cada composição. De acordo com as arquitetas e sócias da Berlim Ambientes, em Blumenau, Cristiane Rutzen e Daniela Tomelin Lazari, através de um mix versátil de produtos e com uma vasta gama de acabamentos, cores e texturas é possível fazer com que cada projeto seja único, funcional e com a identidade do cliente. “Os tons amadeirados estão ganhando espaço e vieram para ficar”, diz Cristiane. Com fábrica em Guaramirim e 20 lojas espalhadas pelo Brasil, há 35 anos, a Berlim Ambientes trabalha com peças pré-moduladas e produção em série em MDF. “Como a modulação é em múltiplos de cinco centímetros, os móveis adequam-se facilmente ao ambiente, tanto na largura como na altura”, ressalta Cristiane. O período de produção, até a entrega, é, em média, de 30 dias, com garantia de cinco anos. Hoje, os móveis planejados vêm ganhando cada vez mais o mercado e, como não há desperdício de material, a relação custo-benefício é melhor.

“Uma das poucas restrições dos móveis planejados é a não-execução de móveis arredondados, sendo possível apenas em tampos. Mas, como as tendências apontam para as linhas retas e cleans, o planejado não deixa nada a desejar”, destaca Cristiane. Há muitas vantagens em adquirir móveis planejados, além de toda a sofisticação que essa opção proporciona ao ambiente. Quem escolhe os planejados pode decidir qual o tamanho, a cor e quais acessórios quer no produto. Por outro lado, quem compra móveis prontos não pode fazer nenhuma dessas escolhas, muitas vezes nem a cor. Os móveis planejados também podem ser redimensionados sempre que se desejar ou quando houver necessidade, como no caso de mudança de residência ou aumento de família. Segundo Cristiane, cada ambiente precisa ser avaliado individualmente, exceto quando são ambientes integrados, em que um vai complementar o outro. “É tudo personalizado, planejado e projetado tanto para o ambiente residencial quanto comercial. Fazemos todo o projeto computadorizado para que o cliente tenha uma visão real de como o ambiente ficará depois de tudo pronto”, explicam as arquitetas. Os móveis planejados assumem caráter estético e funcional, pois, ao mesmo tempo em que contribuem com a beleza dos ambientes, também ajudam na organização e melhor aproveitamento dos espaços de cada cômodo.

Eduardo Sofiati

Berlim Ambientes Cristiane Rutzen e Daniela Tomelin Lazari (47) 3323-2111 www.berlimambientes.com.br 41


[ móveis ] Fotos Divulgação

O quarto deve ser acolhedor, íntimo e, ao mesmo tempo, refletir a personalidade. As tendências internacionais dos ambientes minimalistas com portas amplas, modulações horizontais com aproveitamento total dos espaços são sinônimos de beleza e conforto durante o dia e a noite. Não importa o estilo – urbano, cosmopolita, racional ou romântico – tudo é personalizado. O universo jovem está presente nas soluções oferecidas na hora do projeto, unindo funcionalidade ao design com o visual que mais se identifica com o jeito de viver de cada um.

Outro fato a ser pensado é o armário de roupas, que otimiza o espaço do quarto. Mesmo sendo no canto, é possível aproveitar bastante a parte interna do móvel.

42

Mesmo não sendo uma peça que fique muito exposta aos visitantes, o banheiro também deve ser pensado com atenção, para que combine com o conforto inerente a um quarto, com cores delicadas e design mais linear. Hoje, os banheiros estão cada vez menores, pois se deseja economizar espaço para utilizaro em outras partes da casa, no entanto, não é porque este ambiente é pequeno que ele não merece móveis sofisticados e, acima de tudo, bem projetados. Os móveis planejados são perfeitos para obter o máximo de aproveitamento do espaço, organização, melhor ventilação e iluminação.


[projeto comercial] Fotos Daniel Zimmermann

Para reverenciar

Caffè Gourmet, em Brusque, foi decorado para que as sensações proporcionadas pela bebida sejam ainda melhores

bons cafés

Os apreciadores da estimulante bebida, produzida a partir do fruto cafeeiro, podem provar as mais diferentes sensações em ambiente propício para o consumo de cafés especiais. O projeto de interior do espaço foi todo pensado para potencializar o prazer de degustar a bebida largamente apreciada no mundo inteiro. Com característica única na região e 44

localizado em um condomínio empresarial, no centro de Brusque, o Caffè Gourmet comercializa cafés especiais, manipulados e torrados no próprio local.

da do prédio. Da metade para os fundos, o cenário muda, se transformando em um ambiente com características de um típico café parisiense.

Ao chegar, é possível ter duas impressões do ambiente. A primeira é de estar em um deck, com conjunto de mesas em madeira, rodeadas de plantas em um espaço ao ar livre, protegido pela cobertura da facha-

Arcos de ferro, com ferrugens aparentes, se destacam entre o teto escuro, paredes brancas de um lado e de tijolos à vista do outro. Detalhes nas cores azul-claro e escuro podem ser percebidos nas mobílias, como o


estofado xadrez e a parte inferior do balcão, que tem também desenhos de grãos de café. O couro está presente no revestimento de poltronas e banquetas.

dros, de fundo transparente, fixos por correntes, os sacos, que remetem ao início do comércio, no Século 9, estão expostos em uma parede de vidros.

Marcantes são as gravuras expostas em quadros nas paredes. Algumas lembram pinturas famosas. Outras, têm como tema o produto que é vendido ali. Também há aquelas que reproduzem o movimento de grandes metrópoles mundo afora. Abaixo de uma charmosa miniatura de relógios utilizados em outros séculos, nas estações de trens da Europa, um mural contém exemplares de embalagens de cafés, consumidos em diferentes regiões do Planeta. Alguns, Guilherme Fritzke, proprietário do Café Gourmet, trouxe de viagens, outras, ganhou de amigos.

Nos fundos, as paredes são revestidas por um papel com desenhos de mapas rodoviários e adesivos dos mais diversos tipos, idiomas e temas. Ali estão um televisor que reproduz clipes musicais, um balcão especialmente posto para usuários de notebook e a charmosa máquina de torra e moagem de grãos. Grandes sacos de café completam a decoração do espaço. “Além de toda a decoração produzida por Felix Valle, o grande diferencial da casa é a máquina que faz o preparo na hora. É uma atração para muitos que se encantam com o universo do café”, afirma Fritzke.

No outro lado, atrás de uma dupla de poltronas de design arrojado, o mesmo é feito com dois grandes sacos de grãos. Comprimidos por qua-

Nem os toaletes escaparam da cafeína. As gravuras de um casal se deliciando com a bebida foram postas nas portas, identificando de for-

ma original o feminino e masculino. Junto do lavador, uma pequena cristaleira embutida na parede tem pequenos itens, como bules e xícaras.

Marcantes são as gravuras expostas em quadros nas paredes. Algumas lembram pinturas famosas. Outras, têm como tema o produto que é vendido ali. Também há aquelas que reproduzem o movimento de grandes metrópoles mundo afora.

Nos fundos do ambiente, os sacos de grãos e a máquina que faz o processamento fazem parte da decoração

45


Divulgação

[projeto comercial]

Caffè Gourmet Daniel Zimmermann

Fica anexo ao CRF Prime, na rua Felipe Schmidt, 172 (térreo) Atendimento de segunda a sexta-feira, entre 8h e 20h. www.caffegourmet.com.br

O tema café está explícito até mesmo nas figuras que identificam os sanitários

46


[ projeto comercial ]

AlĂŠm do bom

atendimento

Maison projetada para clĂ­nica odontolĂłgica acolhe com estilo e modernidade

48


Iuri Kindler iuri@mundieditora.com.br

Fotos Divulgação

A transformação de uma residência, no Centro de Balneário Camboriú, em uma clínica de tratamentos odontológicos, buscou ir além do essencial para o bom atendimento e as práticas para cuidar muito bem do paciente. A Oral Esthetic Maison apresenta novas experiências ao começar pelo estilo da arquitetura. Das áreas de uso comum surge a primeira diferenciação, já que nada é parecido com as conhecidas e brancas clínicas. A tendência dos materiais e tons amadeirados já aparece na entrada, com o acesso em forma de deck. Ao entrar no hall, é possível observar o uso de laminados no piso e paredes transmitindo acolhimento e aconchego. Sensações que são arrematadas com o uso de tapetes. Além da grande incidência de luz natural,

que surge das grandes janelas mantidas do projeto residencial, um conjunto de iluminação foi instalado de forma inteligente. Além de beneficiar o projeto, embeleza os espaços da clínica.

No hall, é possível observar o uso de laminados no piso e paredes transmitindo acolhimento e aconchego. Sensações que são arrematadas com o uso de tapetes Com o mesmo intuito, são utilizados móveis arrojados e decoração moderna, além do uso de tecnologia. As duas salas de espera do térreo e uma do primeiro piso contam com sistema de áudio e vídeo de última tecnologia. Detalhe para a programação, que é diferente em cada uma delas.

Aconchego na sala de espera (ao lado) e painéis que transmitem alegria no consultório

49


[ projeto comercial ]

Quando o cliente chega à clínica, recebe um pager para ser informado minutos antes de que a consulta está prestes a começar. Isso porque, além de salas de espera, onde é possível escolher o que se quer assistir ou ler, a Maison conta com uma sala de massoterapia, espaço para alimentação, área de descanso externa e outra com computadores com acesso à internet. Tudo com atenção exclusiva, como no jardim, que tem um pequeno lago construído com pedras, habitado por peixes que viraram atração para as crianças. “Na hora de conceber o projeto, nossa constante foi o conforto do cliente. Queríamos a a tranquilidade das pessoas na hora das consultas que, para muitos, são tensas. Por isso, transformamos a antiga casa em um espaço diferente, com a quebra de paradigmas”, descreve o arquiteto Christian Weiler, do escritório Módulo 2. O uso de papel de parede também é constante no projeto. Cada local em que há a aplicação, foram utilizados desenhos e cores diferentes, mas seguindo a mesma tendência, sem destoar os estilos de decoração. Uma das janelas, que precisou ser inutilizada por ficar muito próxima do prédio vizinho, não foi retirada. Elas continuam

Atenção à saúde dos pacientes resultou na instalação de um elevador de serviços para a movimentação de instrumentos de procedimentos e de resíduos, impedindo a passagens desses itens pelas áreas de uso. Para atender à acessibilidade, um dos consultórios adaptado para cirurgias foi instalado no térreo, com a facilidade de ter um corredor sem obstáculos, próximo da entrada. O acesso aos outros ambientes do térreo pode ser feito por rampas. 50

lá, mas, para manter a privacidade do cliente em tratamento, ela foi coberta internamente por um grande painel com uma imagem conceitualizando o espaço. Uma diferente forma de dar uma nova cara aos ambientes. Não foram só as janelas, as únicas a serem escondidas. Atrás da parede de madeira onde está fixado o televisor da segunda sala de espera, há uma lareira. Na decisão de não inserí-la no contexto do projeto, a parede foi posta para evitar a necessodade de demolição. A mesma técnica foi utilizada na área da recepção, onde o piso laminado foi fixado por cima do piso original. O último par de pilares, de um conjunto de três, construídos no poço de luz, entre o térreo e o primeiro piso, também foi oculto. Com a remodelagem para acolher a clínica, este último foi revestido por laminados de madeira e peças de gesso. A falsa parede, imperceptível aos olhos, ganhou também um espelho com um televisor, acentuando a decoração. Os consultórios e centro cirúrgico mantêm o padrão branco nos móveis e acessórios, transparecendo a rigorosa higienização. Mas o diferencial fica nas paredes e porcelanatos em tons pastéis. A opção do que assistir ou escutar fica por conta do cliente, que indica as preferências de programação ou música em um pré-cadastro na consulta.

Mais informações A TV conectada ao computador, quando ligada, apresenta imagens conceituais, textos e publicidade da área profissional da clínica. Desligada, fica invisível, pelo vidro tratado que fica refletivo.

Daniel Zimmermann

Bem cuidados

Divulgação

Mais que ambientes


São nos detalhes que sua casa se torna um lar.

CORTINAS E PERSIANAS - COLCHAS - PAPÉIS DE PAREDE - TAPETES - TECIDOS - PISOS Na Schwanke Casa você encontra uma linha completa de decoração com alto padrão de acabamento aliada à experiência de nossos consultores. Tudo para ambientar o seu lar com requinte e qualidade. Venha nos fazer uma visita e solicite um orçamento sem compromisso. Balneário Camboriú 3ª Avenida, 1180 - Sala 01 - Centro - (47) 3363 1470

Blumenau Rua São Paulo, 1120 - Loja 04 - Victor Konder - (47) 3041 9770

www.lojasschwanke.com.br


[ projeto residencial ]

Inteligência

imobiliária

Projeto apresenta um novo e econômico formato para morar

Estamos no Século 21, mas, a antiga ideia de que projetos arquitetônicos e com design de qualidade podem ser consumidos apenas por um grupo menor, de poder aquisitivo maior, ainda faz parte do pensamento. Rompendo esse paradigma, um grupo de profissionais topou o desafio de criar um empreendimento contemplando os aspectos de viver bem a preços populares. Resultado de pesquisas realizadas pelo Estúdio Terra na área de empreendimentos para a Classe C, o Baden Baden Residencial, da RR Incorporações, foi apresentado durante a 7ª Feira Nacional das Tecnologias da Habitação (Fenahabit). Dentro do espaço da feira, foi montado um apartamento-modelo, em tamanho real e decorado. O apartamento, aberto à visitação, facilitou ao público conhecer mais sobre o residencial. A ação de marketing foi resultado do serviço de Inteligência Imobiliária oferecida pelo Estúdio Terra. Os apartamentos poderão ser financiados pelo programa ‘Minha Casa Minha Vida’. A proposta concebe projetos focados em inovações, necessidades 52


Fotos Daniel Zimmermann

reais do público-alvo e na demanda de mercado. Além da concepção arquitetônica, a Inteligência Imobiliária direciona decisões de marketing e vendas, resultando em uma comunicação alinhada e ágil. A arquiteta Daniela Pareja explica que tudo é moldado conforme estudos que iniciam antes mesmo de o projeto de engenharia começar, com análises da realidade imobiliária regional, social, econômica e ambiental. Além do foco sobre o local de investimento, demanda familiar e comportamento, o estudo continua até a concepção da obra. No caso do Baden Baden Residencial, o projeto foi extendido até o desenvolvimento do design mobiliário. A unidade de 60 m², montada para exposição, apresentou a qualidade e racionalidade no uso dos espaços. O conceito de ambientes abertos foi utilizado para dar amplidão entre cozinha, sala de jantar, estar e sacada com churrasqueira. Os espaços foram planejados para contribuir com a inteligência do projeto, tanto nos ambientes comuns quanto nos quartos de casal e solteiro, além do banheiro. 53


Fotos Daniel Zimmermann

[ projeto residencial ]

Baden Baden Residencial O condomínio terá duas torres de seis pavimentos, com apartamentos de dois ou três dormitórios (53 ou 73 m²), totalizando 72 unidades, além de 52 sobrados geminados, com dois dormitórios, totalizando 73 m². Para o lazer dos moradores, estão projetados playground e três salões de festa. O espaço comum

manterá também 1.634 m² de área verde. Localizado na região Norte de Blumenau, o empreendimento será livre de enchentes e terá sistema de de captação da água da chuva nos jardins, que ganharão também projeto paisagístico.

Outro detalhe é a qualidade dos espaços coletivos, com a intenção de estimular o lazer, a convivência e a recreação das crianças, além de oferecer diversidade de plantas e bicicletário, que incentiva a prática de hábitos saudáveis entre os moradores.

Empresário Abdo Barakat (Grupo Barakat), arquitetos Christian Krambeck e Daniela Pareja (Estúdio Terra) e empresário Carlos Henrique Ros (RR Incorporações) 54


[ banheiros ]

Reformar ou construir com

economia Fotos Divulgação

Além dos ganhos econômicos, mecanismos modernos fazem bem ao meio ambiente

Na hora de construir ou reformar um banheiro, beleza, praticidade e modernidade são características importantes. Mas, o que muita gente não sabe é que se pode aliar tudo isso à economia, escolhendo materiais que gerem menos despesa na obra e no uso diário. Um exemplo são os mecanismos de meia descarga ou descarga total disponíveis nas caixas acopladas e mecanismos de saída com duplo acionamento (Dual Flush). A economia gerada chega a 50%. Outra opção para economizar água utilizada no vaso sanitário são as entradas universais, que servem em qualquer modelo de caixa acoplada. “Elas podem ser instaladas em qualquer marca do mercado, em situação de baixa ou alta pressão, e possuem diversas regulagens, completando o sistema de economia”, explica Paulo Censi, da Censi Sistemas Hidrossanitários. Outro mecanismo que acarreta redução do consumo de água é o redutor de vasão, que diminui a pressão da água que sai pelo chuveiro ou pelas torneiras. De acordo com o Censi, o redutor limita o volume de água para fluxos que podem variar de quatro a 14 litros por minuto, de acordo com o modelo escolhido. “Além da economia para o bolso, o meio ambiente também ganha”, aponta Censi. 56

Para economizar no banheiro - Banhos mais curtos. Cada minuto a menos pode reduzir o consumo em 23 litros - A banheira, em geral, requer mais água que o chuveiro, por isso, não deve ser usada sempre. - Verifique a temperatura da água enquanto enche a banheira, para evitar que fique muito quente e depois seja necessário acrescentar grande quantidade de água fria. - Considere a instalação de um sistema de reutilização de água da banheira, do chuveiro e da pia. A água pode ser usada no jardim ou nas descargas. - Instale torneiras com arejadores, capazes de reduzir a vazão de água em até 50%, garantindo uma economia de 5 mil litros por ano. - Não abra completamente as torneiras – até 90% da água pode ser desperdiçada. Adote o hábito de abrir apenas o necessário.


Fotos Daniel Zimmermann

[ concurso ]

O telhado borboleta do projeto vencedor facilita a captação da água da chuva e a entrada da luz solar

Estudantes de Blumenau conquistam Concurso Nacional no Rio Grande do Sul

A arquitetura de Blumenau em

boas mãos

“Inovação e Sustentabilidade em Edificações Residências Unifamiliares”. Esse foi o tema do Concurso Nacional de Ideias para Estudantes de Arquitetura e Urbanismo, promovido pelos organizadores da Feira da Construção e Mobiliário de Erechim (RS) – a Construir 2011, que atraiu inscrições de estudantes de todo o País. 58

A Comissão Organizadora do Concurso recebeu 152 inscrições de equipes de 20 estados e de 60 instituições de ensino, entre elas a Furb. O resultado divulgado durante a feira, que aconteceu entre os dias 19 e 22 de maio, no Pólo da Cultura, que fica no Parque da Associação Comercial e Cultural de Erechim, contemplou nove projetos

com menções honrosas e dois prêmios de primeiro e segundo lugares. Os projetos vencedores foram “Rincão Erechim”, em primeiro lugar, recebendo R$ 1.000,00, e “Fit House”, em segundo, que recebeu R$ 500,00 de premiação. Os vencedores são estudantes do quinto semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo da Furb.


O fato de a mesma universidade alcançar as duas primeiras colocações do concurso foi surpresa não só para os organizadores quando abriram os envelopes com os nomes dos vencedores, mas, também, para os próprios estudantes, que nunca haviam participado de um concurso até então.

Residência Rincão Erechim – 1º Lugar Sala com cozinha integrada 2 quartos Área de serviço Banheiro Varanda Estudantes Amanda Tiedt – 19 anos Ana Letícia Knuth – 19 anos Fabíola Luana Cordeiro – 19 anos Priscila Weber – 20 anos Orientadores: Márcia Cristina Sardá Christian Krambeck

“Essa proximidade entre os integrantes dos grupos é importante” Amanda Tiedt

Como a maioria das entidades que disputaram o concurso era universidades federais e estaduais, os estudantes nem cogitavam a vitória, apenas desenvolveram os projetos da melhor forma possível. “Achávamos que as nossas chances eram mínimas porque competir com a UFSC e a USP é muito difícil”, afirma Tiago Soares, um dos participantes do projeto Fit House. “Como foi a primeira vez que participamos de um concurso, não sabíamos se estávamos projetando e graficando de acordo com o esperado em uma disputa dessas”, comenta Amanda Tiedt, do projeto Rincão Erechim.

pantes chegaram a passar madrugadas debruçados nos desenhos e nas melhores soluções sustentáveis, que foi o tema do concurso. Eles atribuem a não-desistência do concurso, primeiro, à união do grupo e, principalmente, ao apoio dos professores orientadores que, segundo os estudantes, foi fundamental para que continuassem firmes no propósito diante das dificuldades encontradas, como o cansaço e o sono. Cada grupo de quatro estudantes desenvolveu um projeto e as ideias, mas, as oito pessoas trabalharam em conjunto para que o resultado positivo fosse percebido nos dois trabalhos, como ressalta Amanda. “Essa proximidade entre os integrantes dos grupos é importante. Antes de participar do concurso, já fazíamos os trabalhos da faculdade juntos e, por isso, conhecíamos bem a equipe com a qual iríamos trabalhar”.

Como todos os envolvidos estudam de manhã e têm a vida profissional à tarde, o esforço em desenvolver os projetos vencedores estava guardado para as noites, no Galpão da Arquitetura da Furb. Durante um mês de trabalho intenso, os partici-

Residência Fit House – 2º Lugar Sala e cozinha com área de serviço integradas 2 quartos Banheiro intimo Lavabo Deck de madeira Abrigo para veículo

A Fit House tem telhados com inclinição perfeita para o aproveitamento da energia solar

Estudantes Allison B. Andrade – 21 anos João Otávio k. Dagnoni – 20 anos Tiago César Soares – 19 anos William F. Ortmann – 20 anos Orientadores: Sheila Klein Silvia Odebrecht 59


Fotos Divulgação

[ concurso ]

Os projetos vencedores Os projetos deveriam ter 50 m² e elementos que garantissem conforto aos moradores. Na residência Rincão Erechim, o Grupo das Meninas, como os participantes apelidaram, procurou utilizar e reaproveitar materiais presentes na região, além da água da chuva. Nas paredes, pedras basalto marrom e tijolos de solo-cimento, uma mistura de barro, areia e água, reforçados com a serragem vinda das marcenarias – que pode ser produzido no local da obra com a quantidade exata que será usada, evitando desperdício. A maior dificuldade encontrada pelo grupo foi não conhecer a realidade de Erechim. Por isso, pesquisaram os imóveis da cidade e os hábitos dos moradores, percebendo que a maioria das casas têm varanda e que a cultura é voltada a receber os amigos na varanda para beber chimarrão. O contraste entre Blumenau, uma cidade quente, e Erechim, com clima subtropical úmido registrando temperaturas médias de oito graus nos meses de junho e julho, também foi fator decisivo para a escolha dos materiais. “Não estávamos acostumadas com o frio da cidade. Percebemos que eles usam bastante o fogão à lenha”, diz Amanda. Por causa das chuvas de granizo constantes, os estudantes optaram por usar a telha sanduíche (dupla camada metálica com uma espécie de manta térmica), além dos vidros duplos, que causam um atraso térmico no interior da residência. Outra parte importante do projeto é o telhado borboleta. Esse tipo de cobertura tem um único ponto de coleta de água, com inclinação apro-

priada para o melhor aproveitamento da radiação solar para iluminar e aquecer a água. Nesse caso, também foram usados painéis de aquecimento solar feitos de garrafas PET.

Conseguimos integrar os ambientes no interior da casa e com o exterior Tiago César Soares O Grupo dos Meninos, autor do projeto de Fit House (casa organizada; compacta, ajustada), elaborado com o conceito de modulação. O que norteou o grupo não está somente ligado a criação de algo novo, mas também ao processo de utilização mais produtiva dos sistemas já existentes. Aproveitando-se da linearidade do terreno, tiveram como base a integração dos espaços da casa, como explica Tiago. “Projetamos acompanhando o traçado do terreno, levando em consideração os aspectos naturais, assim, geramos afastamentos que promovem maior liberdade no entorno da edificação. Com essa forma linear, conseguimos integrar os ambientes no interior da casa e com o

exterior, através das aberturas existentes em cada cômodo, dando acesso ao deck externo, que seria uma parte mais intima da casa”. “No telhado, tentamos fazer com que o sol entrasse mais na casa. Como o preço da placa solar é alto, utilizamos o telhado da forma correta, voltando-o para o Norte. Assim, temos 100% de aproveitamento nesse sistema de aquecimento. Todas as paredes são duplas para gerar conforto térmico e foram feitas de madeira de eucalipto de reflorestamento”, destaca Allison Andrade. Visando à sustentabilidade, o projeto tráz soluções para o aproveitamento da água das chuvas, aquecimento natural e solar da água, além da Iluminação do interior através de aberturas superiores no telhado. A casa fica mais elevada do solo, permitindo que o piso não sofra com a umidade e evite que a madeira apodreça em contato com a umidade. Um deck também foi projetado para possibilitar o descanso e as atividades ao ar livre. Com a vitória em um concurso nacional, os dois grupos são unânimes em afirmar que querem participar de outras competições e que gostaram da experiência de trabalhar em conjunto. Já surgiu até a ideia de montar um escritório após a formatura. “Na faculdade, a gente faz uma coisa muito mais técnica, já um concurso é algo mais humanizado, um projeto claro para que qualquer pessoa que veja o trabalho entenda”, explica Amanda. O primeiro colocado nesse concurso realizado em Erechim recebeu duas passagens, estada e inscrição para o Encontro Latino-Americano de Comunidades Sustentáveis, no Espírito Santo, entre 7 e 9 de setembro deste ano.

60


[ design ] Fotos Divulgação

A designer Carolina Haveroth, de Joinville, é uma das profissionais catarinenses confirmadas para expor produtos na Gift Fair

62


Maravilhas

do design catarinense

Empresas de Santa Catarina vão participar da Gift Fair, maior feira de produtos para o lar e decoração da América Latina

A Associação Catarinense de Design (SC Design) vai participar da 42ª edição da House & Gift Fair South America 2011, na Expo Center Norte, em São Paulo. O evento, que acontece entre os dias 27 e 30 de agosto, é a maior feira de móveis, decoração e design da América Latina, tanto em tamanho como em volume de vendas. De acordo com a presidente da SC Design, Roselie Lemos, o intuito é mostrar e promover o design catarinense e proporcionar a exposição dos produtos das empresas do Estado. “Todos os produtos são projetados por designers”, destaca.

linha Terrine e Duo, compostas por panelas da exclusiva cerâmica refratária, que é 100% atóxica e resistente a choques térmicos. Além da Ceraflame, as empresas Delin, de Indaial; Timberart, de Joinville; Arte Quadros, de Laurentino; Carolina Haveroth, de Joinville; entre outras, já confirmaram presença. Roselie diz que a associação está

participando da Gift Fair porque quer sediar a Bienal Brasileira de Design 2014. No ano passado, foi em Curitiba e, em 2012, será em Minas Gerais. Ela explica que para conseguir apresentar um projeto na bienal precisa ter outras apresentações prévias de design, por isso quer levar os produtos do Estado para a feira. “Queremos que em 2014 Santa Catarina seja sede da bienal”.

Ela explica que, como fica muito caro para somente um empresário colocar um estande na feira, a associação resolveu ter um espaço com quatro vistas, para ficar bem visível ao público. Assim, a SC Design oferece a possibilidade de empresários catarinenses comprarem uma cota e exporem os produtos na feira. “Teremos um catálogo com todas as empresas e produtos que serão expostos, para entregar aos visitantes”, ressalta. Segundo ela, várias empresas irão lançar produtos, além de expor outros que já são sucesso.

Lu re

Uma das empresas que já confirmou presença no estande da SC Design é a Ceraflame, de Rio Negrinho, que produz panelas de cerâmica. A empresa catarinense vai lançar no mercado a 63


Fotos Divulgação

[ design ]

Concurso Durante a Gift Fair, também acontece um concurso de design, do qual Roselie faz parte da comissão julgadora e é a única do grupo que não é de São Paulo. Na primeira fase do concurso, foram examinados mais de 300 produtos, sendo escolhidos apenas 60 para a segunda fase. Roselie conta que a SC Design tem planejamento estratégico e o maior objetivo é implementar o design de todas as categorias. “Como Santa Catarina tem muita indústria, fica mais fácil para desenvolver o design dentro das empresas, porém, no aqui ainda não existe a cultura de designers dentro das indústrias, o que em outros estados já é comum”, ressalta.

SC Design A Associação Catarinense de Design, fundada em 2004, é uma organização sem fins-lucrativos, formada por profissionais, professores, estudantes, instituições de

ensino, fomento e empresas privadas ligadas ao setor de design gráfico, de moda, de interiores e de produto, entre outras especialidades, em Santa Catarina.

Como instituição, a principal meta é fomentar a prática do design no Estado, além de fortalecer a indústria e a produção de bens de consumo com alto valor agregado.

A House & Gift Fair é a maior feira profissional e dirigida de artigos para casa e decoração da América Latina. Segmentada em seis salões especializados e dois espaços, reúne em apenas quatro dias toda a cadeia produtiva do setor, atraindo compradores qualifica-

Eduardo Sofiati

Gift Fair dos de todos os estados brasileiros e de 51 países, que ativam contatos, estreitam relacionamentos e geram negócios. São mais de 1,3 mil empresas expositoras, entre fabricantes, importadores e distribuidores, que apresentam moda, novidades e tendências.

Roselie Lemos preside a SC Design, que promove o desenvolvimento do setor no Estado

House & Gift Fair 27 e 30 de agosto Expo Center Norte, em São Paulo Maior feira de design da América Latina 64


[ jardinagem ]

Em todo

lugar

Cercada de misticismo, esta planta rústica pode ser cultivada em vasos ou diretamente no jardim e requer pouca manutenção

Fotos Divulgação

A espada-de-São-Jorge é uma planta com aspecto bem característico, sendo bastante utilizada em todo o mundo para ambientes internos e externos. Ela se destaca também por exigir pouca ou nenhuma manutenção e pela sua resistência em diferentes condições. A planta é herbácea, formada por rizomas, perene, sem caule, de 70 cm a 90 cm de altura, com folhas espessas. São cultivadas diversas variedades de folhas com margens creme-amareladas curtas e com manchas amareladas nas margens. Possui inflorescências longas, com flores brancas e pequenas, de importância ornamental secundária. A espada-de-São-Jorge se desenvolve melhor quando plantada em locais à meia-sombra, mas tolera tanto o sol pleno quanto ambientes pouco iluminados. Apresenta boa resistência a solos áridos e ao calor tropical, bem como ao frio. Ela ode ser cultivada em vasos ou em grupos, formando bordaduras ou mesmo para compor maciços. Recomenda-se evitar excessos, pois, isso pode causar o apodrecimento da planta. O ideal é deixar a terra secar bem antes de regar novamente. Se for adubar, fazer somente uma vez ao ano. Assim que as raízes preencherem o vaso todo, é preciso fazer o replantio. A planta multiplica-se por divisão pelas raízes, ou também por estacas feitas das folhas, enterrando-se a base de pedaços de folhas.

Crença Para os esotéricos, a espada-de-São-Jorge faz parte de um grupo de sete ervas (mais arruda, guiné, alecrim, comigo-ninguém-pode, manjericão e pimenteira) com poderes especiais. As folhas pontudas fazem a planta ser associada ao poder de cortar as energias negativas, a inveja, o olho-gordo, magia etc. Alguns dizem que espanta ela os maus espíritos. Segundo a crença, ao cortar as energias negativas, a erva atrai coragem e prosperidade.

A planta Nome popular: espada-de-São-Jorge; rabo-de-lagarto; língua-de-sogra Nome científico: Sansevieria trifasciata var laurenttii Família: Liliaceae Origem: África 66


[ paisagismo ] Cuidados essenciais para manter os jardins belos em todas as estações

Meu reino por

um gramado

Não há dúvidas de que projetos residenciais com jardins ficam muito mais acolhedores com o uso de gramados, já que dão maior proximidade à natureza. Mas, estas plantas, que tem diversas linhagens, exigem cuidados diferentes em cada época do ano. No Sul do Brasil, existem quatro espécies encontradas com maior facilidade. Elas são a grama Variegata, São Carlos, Esmeralda, Koreana, produzidas e comercializadas por empresas especializadas. Ainda são conhecidos outros tipos, como Santo Agostinho, Batatais e Bermudas.

A escolha deve ser feita conforme a necessidade. Algumas são mais frágeis perante outras, servindo apenas para locais com aspecto decorativo, que não são áreas passagens. Outras, com maior resistência, são colocadas exatamente em locais mais transitados e que servem ao lazer. Silvana Ponath, da Gramados Ponath, em Blumenau, explica que todas exigem atenção regular. No Inverno, é comum que gramado fique mais ralo, por causa da quantidade de chuva, ou a intensidade do frio que também prejudica o desenvolvimen-

to das plantas. Por isso, quanto mais sol, melhor; ao contrário do Verão. As épocas de maior incidência solar também prejudicam, pois podem secar as plantas. Por isso, a irrigação e adubação devem ser constantes. Fixar objetos em cima de qualquer tipo de grama pode ocasionar a morte das plantas naquela região. O mesmo pode acontecer por falta de adubo, que enfraquece as raízes. Outro detalhe é a preparação do terreno, que para manter um gramado deve estar composto das terras bem preparadas.

Fotos Divulgação

68


Variedades nas linhagens Grama São Carlos: de tonalidade escura, tem folhas largas e lisas. É tolerante com áreas sombreadas, locais frios e úmidos, mas tem pouca resistência à seca. Deve ser aparada constantemente. Grama Esmeralda: com folhas claras e de formato mais fino, alcançam de 15 a 20 centímetros. Com enraizamento fácil, forma um tapete uniforme que inibe o aparecimento de ervas daninhas. É resistente ao sol e pisoteios, podendo ser aplicada em áreas de passagem, playground e campos esportivos. Grama Koreano: também conhecida como Japonesa ou grama-veludo, não passa de 15 centímetros, com folhas macias e finas. Não é resistente ao pisoteio e requer solo sempre adubado. Atingindo pouca altura, não exige muitas podas, mas transmitirá um aspecto feio se não for bem ornamentada. Grama Variegata: com folhas em verde e branco, o gramado cria um formato diferente e bonito. Forma grandes marcações se utilizada com outro tipo mais escuro. Também deve receber cuidados especiais e não é indicada para locais de grande tráfego. Grande parte das espécies é comercializada em blocos, que escondem a terra no mesmo momento e demoram pouco tempo para se unir, diferente da grama semeada, que terá um ciclo maior até crescer e fechar os espaços. Por isso, na hora de optar entre os dois modelos de aplicação, os blocos acabam tendo um melhor custo-benefício.

Mais informações Gramados Ponath jp.gramados@gmail.com

No Inverno, é comum que o gramado fique mais ralo, por causa da quantidade de chuva, ou a intensidade do frio, que também prejudica o desenvolvimento das plantas

(47) 3334-1879

69


[ museus ]

Fotos Daniel Zimmermann

70


O refúgio de

A casa de Lindolf Bell mantém viva a história e costumes do artista

um poeta

Os traços arquitetônicos das construções da década de 1940 estão expressos na fachada e interior da morada dos pais de Lindolf Bell. Além de ter sido o cenário de grande parte da vida do casal de lavradores Theodoro e Amália Bell, foi também o refúgio dos filhos na infância, adolescência e início da vida adulta. Situada no Bairro Quintino, em Timbó, a casa de alvenaria tem os aspectos construtivos oriundos da cultura dos imigrantes vindos da Europa. Com exceção da antessala e da cozinha, que ficam nas extremidades da casa, todos os cômodos possuem grandes janelas e pé direito alto. Internamente, o piso em madeira de lei tem a mesma aparência dos móveis em mogno. Na área externa, as placas de cerâmica são separaras por espaçosas fugas. A mesma casa voltou a abrigar o filho poeta na fase posterior ao fim do casamento com a artista plástica Elke Hering. Alí, Lindolf Bell se permitiu

A varanda lateral, além de grande, sempre teve o frescor obtido da sombra das grandes árvores do terreno. Era o local preferido de Bell para receber amigos e fazer churrascos. Estes encontros eram constantes até o último mês de 1998, quando a cultura de Santa Catarina ficou órfã do poeta.

nos preservam e elas se preservam conosco, na memória ou dentro da terra, seja onde for, mas elas também nos projetam porque, à medida que elas se preservam na terra, elas crescem, fazem a gente crescer, como uma árvore. O homem é uma árvore que abriga amores, lembranças, outros seres, uma árvore que dá sombra e luz e é para isso que a gente nasceu, fundamentalmente. Isso eu aprendi, é claro, convivendo com meus pais e também com os vizinhos, que tinham maneiras semelhantes de viver e conviver, maneiras simples, mas definitivas” (texto de Lindolf Bell sobre a casa).

“Todas as coisas que me rodeiam são raízes. A jabuticabeira que deve ter quase 100 anos, a caramboleira, os baús, os móveis e todos os objetos antigos não são uma forma triste de memória mas uma afirmação de que, num crescimento espiritual, num crescimento humano não podemos jogar nada pela janela ou no lixo. Não podemos jogar fora as raízes - elas

Daquela data em diante, a mesa da cozinha também deixou de receber o artista durante as refeições e o trabalho, já que era nela, o local onde a antiga máquina de escrever era datilografada. As coleções de potes, em formatos de galinhas, e bules coloridos também deixaram de ser contempladas pelo último morador daquela casa.

viver revivendo, já que era saudosista dos tempos que já não voltariam. Com o passar dos anos, Bell manteve a decoração, móveis e utensílios exatamente como os pais deixaram. Exemplo mais peculiar é o lavador da cozinha, que nunca ganhou uma cuba. No lugar, eram usadas bacias.

71


[ museus ] Fotos Daniel Zimmermann

Vida eternizada A residência de número 902 da Rua Quintino Bocaiúva só passou a ser habitada novamente em 2002, mas com a intenção de torná-la histórica. “Não houve muita dificuldade de montar a história do poeta, pois ele já tinha o costume de registrar tudo. Bell matinha intactos até mesmo os receituários médicos. Sempre organizado com fotografias e a biblioteca”, conta a responsável pela Casa do Poeta, Alice Krueger Krieser. Os únicos objetos resgatados e trazidos para a casa foram as pinturas antes exibidas na Galeria Açu-Açu, inaugurada em 1970, por Bell, Elke Hering e os amigos Péricles e Arminda Prade. Além dos quadros, muitas fotografias são mantidas, assim como o acervo literário do próprio poeta e as brochuras que contêm as leituras preferidas do antigo morador. Todos os troféus e honrarias presentes demonstram tamanha importância de Lindolf Bell, que carregava e expunha em todos os locais por onde passava o orgulho de ser timboense. Anexos à casa estão dois espaços. O Grão-Espaço Cultural, montado no rancho de madeira construído junto ao projeto de alvenaria, que antes guardava as ferramentas de lavoura, foi reaproveitado para a realização de lançamentos, exposições culturais e recitais. Já o Espaço Arte Praça é um grande ambiente de poesia e arte a céu aberto. Ao longo do gramado, além de poemas fragmentados de Bell, existem obras de outros renomados artistas. Entre eles Elke Hering, Pita Camargo, Jayme Reis, César Otacílo, Lygia Roussenq Neves e Paulo Greuel.

Casa do Poeta Aberta de terça-feira a domingo, das 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 17h30min Grupos devem agendar antecipadamente Ingreso - R$2,00 - estudantes, R$1,00 Telefone: (47) 3399-2074

72


Depois da barriga da mamãe, o quarto do bebê deve ser o lugar mais especial do mundo.

Fotógrafo - Cicero Viegas

Arquitetas Silvana Silvestre e Sherlana Reis

Móveis e Decoração • Enxoval Puericultura Leve e Pesada • Confecção de 0 a 8 anos

Alameda Rio Branco, 287 - Centro - Blumenau - 47 3222 3600

www.lojasschwanke.com.br

Carinho em cada detalhe.


[ Gastronomia ]

Divulgação

74


Emmanuel Bassoleil mostra como transformar cozinha em arte

A serviço da

excelência

Tato, olfato, visão, audição e paladar. Todos os sentidos entram em ação quando Emmanuel Bassoleil assume a cozinha. E o chef manipula os ingredientes com tamanha intimidade que até mesmo o sexto sentido é colocado a serviço da excelência. O talento nato do francês que já rodou o mundo em busca de novos sabores e aromas foi amadurecido no Brasil, onde vive desde 1987. A segunda pátria, como ele qualifica, colocou no cardápio uma pitada de calor humano, ingrediente indispensável no País tropical. Em julho, os blumenauenses tiveram o privilégio de acompanhar de perto a arte que garantiu a Bassoleil diversos prêmios mundiais de gastronomia. O chef francês abriu o ciclo de pales-

tras e workshops da 1ª SC Gourmet – Mostra Brasileira de Queijos, Vinhos e Delikatessen. A receita escolhida pelo chef executivo do Hotel Unique e Skye Restaurante-Bar, em São Paulo, foi peculiar. Bassoleil aproveitou ingredientes e costumes da região para criar o cardápio que foi desenvolvido, passo a passo, na presença de 40 profissionais, estudantes de gastronomia e jornalistas. O resultado foi um jantar saboroso, próprio para o Inverno, que não deixou dúvidas: Emmanuel Bassoleil é uma personalidade vibrante à frente de uma cozinha criativa e impecável. A entrada foi um ‘Toast’ de queijos com ervas e melaço com cerveja. Para harmonizar, o sommelier da Decanter,

Igor Maia, serviu Casa Valduga Premium Blush. O prato principal foi o Risoto de ‘Vin Rouge’ com rúcula e moela de pato. Harmonização com San Michele Tridentun. Como sobremesa, Sopa de frutas vermelhas com cassise de queijo mascarpone. Harmonização com Quinta de Santa Maria Portento. Fundador da Associação Brasileira de Alta Gastronomia (Abaga) e autor dos livros ‘Uma cozinha sem chef’ (1994) e ‘Os sabores da Borgonha (2007)’, Bassoleil esbanja conhecimento na área. Mas, para quem ainda não teve a oportunidade de conhecer a obra ou visitar o Skye, em São Paulo, a Alto Padrão oferece a oportunidade de experimentar três receitas deliciosas que vêm com dicas do chef. Confira na próxima página!

Daniel Zimmermann

Mais informações A 1ª SC Gourmet – Mostra Brasileira de Queijos, Vinhos e Delikatessen, ocorreu de 21 a 24 de julho, na Vila Germânica, em Blumenau. O evento foi paralelo à 18ª Festitália. A programação de palestras e workshops enogastronômicos ficou por conta do Senac/SC.

75


[ Gastronomia ]

Receitas do chef Emmanuel Bassoleil para 4 pessoas, com harmonização do sommelier Igor Maia Entrada: “Toast” de queijos com ervas e melaço de cerveja Ingredientes: 8 fatias de pão de forma (sem casca) 200g de queijo parmesão ralado 100g de queijo emmental ou gruyere 2 gemas de ovo 100ml de cerveja suave 1 colher (chá) de tomilho fresco picado 1 colher (chá) de alecrim fresco picado 1 colher (café) de tabasco ½ colher (café) de noz moscada Sal e pimenta do reino moída (a gosto)

Modo de Preparo: Misturar o parmesão com o emmental/gruyere e as gemas. Acrescentar, aos poucos, a cerveja, misturando bem até formar uma massa homogênea. Adicionar o tomilho, o alecrim e a noz moscada. Finalizar o tempero com o sal e a pimenta do reino moída. Deixar descansar. Montagem: Espalhar generosamente a mistura em cada fatia de pão e colocar em uma forma levemente untada. Levar ao forno a 180° e assar por 10 minutos (com grill, de preferência), até dourar. Cortar e servir quente. Melaço de cerveja (opcional): Deixar reduzir à metade 500ml de cerveja clara ou escura, com 150g de rapadura. Deixar resfriar e servir coma porção de ‘Toast’. Harmonização: Casa Valduga Premium Blush. Para acompanhar os aromas do prato, o ideal é um vinho ou espumante intensos. O tinto pode ser utilizado, assim como um branco mais adocicado.

Prato principal: Risoto de “Vin Rouge” com rúcula e moela de pato Ingredientes: 1 garrafa de vinho tinho 300g de arroz arbóreo 1 cebola roxa grande picada em pedacinhos finos 50g de manteiga 50g de queijo mascapone 1L de caldo de frango 150g de moela de pato 150g de queijo coalho cortado em cubos pequenos 100g de queijo parmesão ralado ½ maço de rúcula 1 taça de vinho branco seco Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo: Em uma panela, deixar reduzir 1/3 do vinho tinto. Reservar. Em outra panela, refogar a cebola na manteiga. Acrescentar o arroz e refogar por mais algum tempo em fogo moderado. Adicionar o vinho branco e deixar que se incorpore ao arroz . Alternadamente, acrescentar uma concha de caldo de galinha e uma concha de vinho tinto reduzido, mexendo, sempre, até chegar ao ponto de cozimento al dente. Quase no final, adicionar as moelas. Acrescentar o queijo coalho, o mascarpone, o parmesão e, por último, a rúcula. Misturar os ingredientes até obter uma consistência cremosa. Temperar com sal e pimenta. Servir. Harmonização: San Michele Tridentum. Uva teroldego, nativa do norte da Itália. O prato exige um vinho intenso, com potência e expressão, que enxugue o teor de gordura do prato.

Sobremesa: Sopa de frutas vermelhas com cassise queijo marcarpone Ingredientes: 500ml de vinho tinto 130g de glaçúcar (açúcar de confeiteiro) 1 canela em pau 1 cravo da Índia 500g de frutas vermelhas diversas (morango, framboesa, amora, mirtilo) 2 colheres de sopa de queijo mascarpone 2 colheres de sopa de creme de leite 1 copo de licor de cassis Folhas de hortelã ou alecrim para decoração

76

Modo de Preparo: Em um liquidificador, bata as frutas vermelhas (reserve algumas para a decoração), a canela e o glaçúcar. Vá adicionando, aos poucos, o vinho tinto. Finalize com o licor de cassis a gosto. Montagem: Divida a sopa em pratos fundos e coloque uma bola de queijo mascarpone (misturado com o creme de leite). Decore com hortelã ou alecrim e com uma fruta vermelha. Servir gelado. Harmonização: Quinta de Santa Maria Portento. O ideal é usar um vinho de altitude, tipo porto (adocicado). A adição de aguardente vínica confere um calor alcoólico que enxuga a suculência da sobremesa.


[ gastronomia ]

Clássico da cozinha

italiana

A tradicional focaccia é uma massa de pão aberta, regada com azeite, sal grosso e alecrim

Divulgação

78


Eduardo Sofiati

A focaccia é um clássico da cozinha italiana e consiste em uma massa de pão aberta, regada com azeite, sal grosso e alecrim. A tradicional massa é mais grossa que a pizza, com, no máximo, dois centímetros de altura, além de crocante por fora e macia por dentro. Na Itália, é consumida tanto no desejum, quanto como aperitivo ou antepasto. A receita é preparada em toda a Costa Norte do Mediterrâneo e ganha variações em cada região. Ela também foi batizada com os mais diferentes nomes: na França é fougasse; em Bolonha é schiacciata; e em Roma, Florença e algumas áreas da Itália Central é fitascetta. De acordo com o sócio-proprietário da Baggio Pizzeria e Focacceria, Aloisio Selhorst, a focaccia é um tipo de pão rústico italiano consumido desde a época da Roma Antiga. Originalmente, era preparada para testar o forno que seria usado para o assado da alimentação principal, servido como entrada com vários tipos de condimentos, legumes grelhados e em conserva. Passada de geração em geração, logo a receita se tornou uma tradição em datas especiais e, hoje, em terras francesas e italianas, permanece sendo servida em casamentos, aniversários e festas religiosas, principalmente, o Natal. Assim, a focaccia começa a se tornar protagonista de estabelecimentos gastronômicos em todo o mundo: as chamadas focaccerias. Existem várias receitas de massa de focaccia, pois, em cada lugar que uma receita chega, acaba sofrendo modificações, mas, conservando as principais características: massa grossa, regada com um bom azeite, sal grosso e folhas de alecrim, além de ser servida quente, recém tirada do forno. A focaccia se tornou uma espécie de fast food, disponível em restaurantes, padarias e casas especializadas por toda a Itália. No Brasil, ganhou adaptação e pode ser servida com recheios variados. Aloisio conta que na Baggio foi feita uma adaptação da focaccia tradicional. “Criamos a focaccia com recheio, ficando assim, dois discos de massas finas e crocantes e o recheio entre elas”, explica. “Com o sabor característico do alecrim e do azeite, este produto conquista as pessoas que não dispensam uma comida diferenciada e saborosa”, completa. Há 12 anos servindo focaccia, a Baggio conta com 15 sabores especiais no cardápio e serve em dois tamanhos: média, com seis pedaços, e grande, com oito pedaços. “Pode-se comer a focaccia com garfo e faca ou com as mãos, como se fosse um sanduíche”, destaca Aloisio.

Curiosidades *A focaccia teve origem no Império Romano, com os povos do Norte da Itália, por volta de 1000 a.C. *O nome focaccia vem do romano “panisfocacius” – Panis = pão; Focacius = lareira. Isso porque era assado nas brasas, sobre uma forma de barro. *Segundo uma lenda, as mulheres dos navegadores preparavam uma variação acebolada da iguaria para os maridos se alimentarem durante as viagens e afastarem, devido ao forte sabor que impregnava na boca, outras mulheres em portos e cidades. 79


[ gastronomia ] Fotos Eduardo Sofiati

Processo simples e rápido garante a produção da focaccia, um clássico da cozinha italiana que ganha diferentes versões mundo afora

Focaccia com recheio INGREDIENTES • Massa normal de pão ou pizza • Azeite • Sal grosso • Alecrim Modo de preparo Pegue a massa de pão ou pizza e divida em duas bolinhas médias e deixa crescer. Depois, amasse cada bolinha em formato de disco, como se fosse uma pizza bem fina e deixa crescer mais um pouco. Coloque azeite sobre uma das massas e depois a outra metade sob a massa com azeite. Por cima, coloque o sal, alecrim e o azeite e leve para pré-assar. Depois de pré-assada, tire a parte de cima da massa e coloque o recheio de sua preferência, como presunto, mussarela, frango, catupiry, tomate, entre outros. Leve ao forno novamente por alguns minutos, retire e coloque a tampa (outra metade da massa pré-assada) e leve novamente ao forno somente para aquecer. Pronto! A focaccia já pode ser servida.

80


81


[ Cervejas ]

Festival Brasileiro da Cerveja

Evento consolida a cidade como referência em bebidas de qualidade superior

em Blumenau

São inúmeras as variações de uma bebida milenar que historicamente já é apreciada há, pelo menos, 4 mil anos a.C. pelos sumérios, egípcios e mesopotâmios. Com ingredientes simples como água, malte e lúpulo, hoje, a cerveja é consumida e preparada em várias partes do mundo. Quem domina o mercado desde 2002 é a China, com uma produção média de 40 bilhões de litros por ano. No Brasil, o mercado cervejeiro vem crescendo gradualmente e, em 2010, a produção recorde de 12,6 bilhões de litros fez o País desbancar a Alemanha e sair do quarto para o

terceiro lugar na produção mundial, ficando atrás do segundo colocado, os Estados Unidos.

Festival Nacional da Cerveja. A próxima edição está marcada para 17, 18 e 19 novembro.

Em Santa Catarina, uma das contribuições da cultura germânica que está arraigada no povo é o gosto pela cerveja. Blumenau, por exemplo, além de sediar a segunda maior festa do chope no mundo, a Oktoberfest, também abriga o único Museu da Cerveja do Brasil. Soma-se, ainda, o fato de a região contar com nove cervejarias artesanais. Diante disso, o Parque Vila Germânica passou a promover, no ano passado, o

A primeira edição do Festival da Cerveja ocorreu em 2005, no antigo Pavilhão A da Proeb, intitulado, na época, como o 1º Grande Festival Brasileiro da Cerveja, tendo a participação das cervejarias artesanais de Blumenau e região, foi organizado por uma empresa contratada pela Prefeitura. Depois de cinco anos, o Parque Vila Germânica realizou novamente o

Banco de imagem

82


evento, que passou a ser chamado de Festival Brasileiro da Cerveja. Em 2010, o festival realmente tomou maiores proporções e teve abrangência nacional. A vinda de 25 cervejarias, quatro importadores e 16

cervejeiros caseiros de todo o Brasil, além do Frangó Bar, uma casa de São Paulo que é conhecida por sua carta de cervejas com mais de 300 opções e a famosa coxinha de frango, fez do festival um sucesso nos três dias de realização.

Além de todas as cervejarias disponíveis, as 11 mil pessoas que visitaram o evento puderam se inscrever em palestras com nomes reconhecidos nacionalmente no ambiente cervejeiro, como Edu Passarelli, que falou sobre a harmonização.

Eraldo Schnaider / Divulgação

Atrações para 2011 Na edição deste ano, o público terá à disposição, além das cervejarias artesanais de todo o Brasil e as palestras sobre cerveja e gastronomia, uma feira com equipamentos, insumos e matéria-prima para a produção da bebida. Os palestrantes serão consultores do setor cervejeiro, proprietários de cervejarias artesanais e biersommeliers. A diretora de Promoções do Parque Vila Germânica conta que uma das mudanças deste ano é o aumento de estandes no Setor 2, local onde será realizado o festival. “Ampliamos a participação de

Mais informações cervejeiros e cervejarias, ampliamos os pontos gastronômicos de quatro para seis, incluindo a participação de mais um bar cervejeiro de São Paulo, o Melograno; abrimos para a participação de equipamentos, insumos e afins”, explica Cristina Miranda. Para esta edução, o público esperado pela organização é de 20 mil pessoas. O ingresso custará R$ 10,00 cada dia e poderá ser comprado no local do evento. Confira na próxima página alguns nomes que já estão confirmados para o festival deste ano.

Quem quiser se inscrever nas palestras ou obter mais informações sobre o festival pode acessar o site oficial do evento: www.festivaldacerveja.com.

Um concurso de cervejas artesanais será realizado dentro do festival com organização da Associação dos Cervejeiros Artesanais de Santa Catarina (Acerva - SC).

O festival será na Vila Germânica, nos dias 17, 18 e 19 de novembro.

83


[ Cervejas ]

Palestras agendadas Paulo Shiaveto

Cilene Saorin

Engenheiro de Produção – Universidade de São Paulo

Mestra Cervejeira - Universidad Politécnica de Madrid - Escuela Superior de Cerveza y

Mestre Cervejeiro - Louvain-la-Neuve (Bélgica)

Malta (Espanha)

Consultor técnico na área de (engenharia, projeto e soluções em qualidade, produtivi-

Sommelier de cervejas - Doemens Akademie (Alemanha)

dade e desenvolvimento de produtos)

Presidente, desde 2004, da Associação Brasileira dos Profissionais em Cerveja e Malte

Consultor assistente de Cara Technology (empresa inglesa de tecnologia na área de

Ronaldo Morado

processos cervejeiros)

Autor do livro Larousse da Cerveja

Marcelo Carneiro da Rocha

Horários do Festival 2011

Proprietário da Cervejaria Colorado, de Ribeirão Preto (SP)

Dia 17/11 Quinta-feira - 19h às 1h

Werner Emmel Profissional formado em Weihenstephan (Alemanha) Proprietário da WE Consultoria

Dia 18/11 Sexta-feira - 19h às 1h Dia 19/11 Sábado - 12h às 1h Local: Setor 2 do Parque Vila Germânica Site do evento: www.festivaldacerveja.com

Banco de imagem

84


[ design AP ]

Utilitários e

confortáveis

Poltrona ícone do design Tok&Stok

86

Ícone do movimento artístico De Stijl por ser uma das primeiras formas de explorar os pensamentos do movimento em três dimensões, a poltrona Red Blue, hoje exposta no MoMA, de Nova Iorque, foi criada em 1917 por Gerrit T. Rietveld. Azul, vermelho, amarelo e preto fazem parte da principal paleta de cores utilizada pelos artistas do movimento. É uma poltrona com estrutura em madeira maciça (jequitibá) e assento/encosto em compensado multilaminado, com acabamento em pintura. Custa R$ 1.675,00 na Tok&Stok.

Árvore Azul Bugstudium

A árvore com LED é uma peça de impacto e efeito visual criada pelo blumenauense Bugstudium para Kleiner Schein. Ela pode ser usada sobre a mesa para iluminar suavemente uma refeição especial, em aparadores ou mesinhas de canto, com os mais variados estilos


Torneira hi tech Doro Design

Uma torneira elétrica com visual moderno e interface touchscreen cai bem nos melhores banheiros. Essa é a proposta do designer Steffano Ollino, da Doro Design, que apresentou um conceito chamado The Sunrise Faucet. A torneira se assemelha a uma onda, com as laterais cromadas e tons de preto na parte superior. A interface de acesso é completamente touchscreen. Tanto para ligar ou desligar, quanto para regular a temperatura da água, o controle é feito com um leve deslizar do dedo sobre o símbolo correspondente. Os botões são invisíveis, iluminados por LED apenas quando o usuário toca sobre a função. O modelo ainda não está disponível comercialmente.

Luminária chaleira Imaginarium

Seguindo a tendência de luminárias que são em forma de outras coisas e objetos, a luminária chaleira é mais uma opção divertida e moderna. Mede 22 cm de altura por 23 cm de largura. Sai por R$ 84,90 na Imaginarium.

Saca-rolhas Tramontina

O saca-rolhas assinado pelos irmãos Humberto e Fernando Campana, expoentes do design contemporâneo mundial, faz parte da linha Tramontina Design Collection. A peça, produção artesanal em aço inox, evidencia linhas leves e elegantes. O produto foi desenvolvido para ser o ícone máximo da marca Vinhos do Brasil e Wines From Brazil.

87


[ clic Alto Padrão ] Balneário Camboriú entre o rio e o mar

Molhe da

Barra Sul Fotos D

ivulgaçã

88

o


Balneário Camboriú é referência turística para todo o País. O jeito metropolitano da cidade, que ainda não chegou aos 50 anos, envolve um grande mercado imobiliário que cresce a cada dia, principalmente na parte mais movimentada, onde a beleza natural está em quase sete quilômetros de extensão da Praia Central. Quem gosta de apreciar a bela paisagem formada pelos arranha-céus construídos pelos homens e as maravilhas da natureza de um ângulo diferente, encontra na Barra Sul, o molhe construído na extremidade da Avenida Atlântica, com 452 metros de extensão.

Inaugurada em 2006, a obra logo tornou-se mais um dos cartões-postais da cidade. O piso totalmente decorado com desenhos da fauna marinha, como robalos, siris e cavalos-marinhos, embeleza a caminhada de quem prefere o conhecer por terra, ou a visão de quem vê a obra do alto, do teleférico ou em voos de helicóptero ou parapente. A visitação pode ser feita em qualquer horário, já que o projeto conta com iluminação de todo o percurso, onde também existem bancos ao dispor de quem quer passar mais tempo por ali contemplando as belezas da cidade.

O ponto final do molhe marca também o encontro das águas do Rio Camboriú com o mar, local de passagem de pequenas embarcações de pesca e também dos grandes barcos de passeio que ficam ancorados em marinas localizadas na foz do rio. O amanhecer, com o belíssimo nascer do sol, ou o anoitecer, com a chegada da lua e as milhares de luzes que se acendem por toda a orla de Balneário Camboriú, são momentos que ficam eternizados na memória de qualquer pessoa. Se esses fenômenos forem vistos a partir do molhe da Barra Sul, melhor ainda.

89


[ AP indica ]

do vaso ao lustre com

estilo

.LANTERNA Inox e vidro

.VASOS

R$ 752,00 a peça

Conjunto de vasos de cerâmica marrom, com quatro peças de diferentes tamanhos R$ 330,00

.POLTRONA De um lugar, giratória e estofada com chantung R$ 1.680,00

.PORTA-RETRATOS Conjunto de porta-retratos preto com cristal, com três peças de diferentes tamanhos R$ 254,00

.CAIXA DECORATIVA De madeira e com duas peças de tamanhos diferentes R$ 125,00

.BOLAS DECORATIVAS De resina R$ 30,00 cada

.Inter Design – www.interdesign.com.br – (47) 3222-0045 90


[ AP indica ] .QUADRO

.RELÓGIO DE PAREDE

Em formato de casinha de madeira e com ursinhas de pelúcia

Em formato de quadro de madeira

R$ 875,60

R$ 330,00

.LIXEIRA De madeira e com laço rosa de strass R$ 253,00

.ANJO De madeira com oração do Santo Anjo do Senhor nas asas R$ 187,00

.ABAJUR EM FERRO .TORRE Enfeite de madeira R$ 209,00

Com duas cápsulas de lâmpadas e letra do nome da criança bordada no meio R$ 517,00

.PORTA-RETRATO De couro

.PORTA-HIGIENE

R$ 108,65

De madeira cortado com laser. Contém uma cesta e dois potinhos R$ 307,50

.Schwanke Baby & Kids – www.schwankebabyandkids.com.br – (47) 3222-3600 92


.EMBUTIDO DANTE Em cor preta ou branca, no tamanho 34 x 34 centímetros R$ 500,00

.EMBUTIDO PRISMA LUX Com fundo branco ou preto em formato redondo R$ 26,00

.MOON GLASS .LUSTRE DE CRISTAL

Imita uma lua e foi premiado em um concurso internacional, o IF Design

Com 12 braços, na cor fumê

R$ 1.100,00

R$ 4.000,00

.LUSTRE DE CRISTAL Com 55 braços R$ 21.000,00

.BELEMO Em preto acrílico e ristais swarovski R$ 2.560,00

.Q Iluminação – qiluminacao@qiluminacao – (47) 3329-0444 93


[ Agenda AP ]

Cursose eventos 5ª Projetar Projetar é um campo de conhecimento ou um caminho para o conhecimento da arquitetura? A 5ª Projetar abrirá espaço para discutir a produção arquitetônica e urbanística contemporânea no Brasil, envolvendo profissionais interessados em colocar trabalhos e pesquisas em análise de professores da EA/UFMG.

+ informações • Quando: 25 a 28 de outubro de 2011 • Onde: Universidade Federal de Minas Gerais (Pampulha) • Telefone: (31) 3409-8820 • Site: www.mom.arq.ufmg.br/vprojetar

Boomspdesign Tudo o que há de novo está presente na Boomspdesign. Evidencia a transversalidade entre arquitetura, design e arte e seu impacto nas novas formas de tecnologia, consumo e comportamento. Voltado para designers, arquitetos, publicitários, empresários, lojistas e meio acadêmico, envolvendo grandes nomes da cena nacional e internacional em uma programação com palestras, workshops, lançamentos editoriais e exposições.

+ informações • Quando: 29 de agosto a 2 de setembro de 2011 • Onde: Centro Universitário Belas Artes / D&D Shopping (São Paulo) • Telefone: (11) 3845-0828 • Site: www.boomspdesign.com.br

ExpoGarden Um ambiente ideal para conhecer, vivenciar e estar por dentro dos lançamentos e tendências de paisagismo, jardinagem, lazer e floricultura. A Fiaflora ExpoGarden é a principal da exposição da América Latina, que neste ano comemora 14 anos.

Cut & Paste O Cut & Paste é um torneio de global de design digital que ocorre nas mais importantes capitais do mundo. Porto Alegre terá o evento focado na categoria 2D que serão avaliados por um júri que tem como integrantes os profissionais experts da área. Assistindo ou competindo, o evento é emocionante. Um dia com muito informações em palestras, competição nas batalhas e um festa pra você não esquecer. 94

+ informações • Quando: 3 de setembro de 2011 • Onde: DC Artplex (Porto Alegre) • Telefone: (51) 3207 8463 - (11) 5041 5707 • Site: www.ideafixa.com/cutandpaste/poa

+ informações • Quando: 22 a 25 de setembro de 2011 • Onde: Anhembi (São Paulo) • Telefone: (11) 3845-0828 • Site: www.expogarden.com.br


Alto Padrão - Ed. 47  

Revista Alto Padrão. Voltada ao público de decoração, arquitetura e design de Blumenau e região. Produzida pela Mundi Editora - Blumenau/SC.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you