Page 1

[ decoração ]

ARTE E

TECNOLOGIA NAS

PAREDES

[ móveis ]

MDF LIDERA

PREFERÊNCIA ENTRE OS

PLANEJADOS [ tecnologia ]

mai/jun.11 R$ 11,90

#46

EXPLOSÃO DE SENSAÇÕES

NO BANHO


saccaro.com.br

Em 70 lojas no mundo.

Av. do Estado, 4.770 - sala 1 - Casa Hall Shopping Bairro dos Estados - BalneĂĄrio CamboriĂş - SC Fone 47 3241 6563


[ editorial ]

[ expediente ]

Aconchegos do Inverno CONSELHO EDITORIAL Amanda Marques, Amauri Alberto Buzzi, Ângela Ferrari, Carla C. Back, Daniela P. Garcia, Danielle Fuchs, Jorge Luiz Strehl, Margareth Volles, Maurilio Bugmann, Odete Campestrini, Patrícia Serafim, Sidnei dos Santos, Silvana Silvestre e Valter Ros de Souza

Entre as pinturas especiais, o trompe-l’oiel permite a inserção de paisagens artísticas nas paredes de casa

As tecnologias e a criatividade dos profissionais da área, aliadas aos anseios dos consumidores, geram múltiplas possibilidades de se trabalhar as paredes de uma casa, apartamento ou espaço comercial. As pinturas com técnicas especiais e os revestimentos permitem modificar um ambiente e deixá-lo mais sofisticado, aconchegante ou, simplesmente, diferente. A decisão de modificar a aparência de uma parede ou utilizar um material ou técnica diferente na fase de acabamento da nova construção deve ser tomada com cuidado e com a assessoria de profissionais qualificados. As cores e texturas devem fazer parte do projeto de design de interior e a execução requer um profissional que domine a técnica a ser usada. Do contrário, as expectativas podem ser frustradas. Para ajudar o leitor, a Alto Padrão traz, na reportagem de capa, dicas de profissionais sobre técnicas, diferentes texturas e novidades em tecnologia de revestimento de paredes. Em Balneário Camboriú, nossa equipe descobriu em exemplo de preservação do patrimônio arquitetônico que

merece ser divulgado e seguido. O empreendimento Tour Chapelle, residencial em construção em um terreno nobre da cidade, vai preservar uma capela luterana da década de 1960. Mais que manter a velha construção, ela será restaurada, integrada ao novo prédio e ficará aberta para visitação e realização de cerimônias religiosas. Esta edição também dá tratamento especial aos móveis planejados. Com eles é possível aproveitar melhor os espaços disponíveis e seguir fielmente as tendências do projeto arquitetônico. E para um banho quentinho no Inverno, apresentamos uma nova linha de banheiras que leva 70% de areia na composição. A utilização do elemento natural como matéria-prima predominante resulta em conforto e sensações aumentadas na hora do banho. Na seção de gastronomia, além da realização do SC Gourmet, na Vila Germânica, em Blumenau, abordamos também o lançamento de novas cervejas premium e a qualidade dos vinhos da Serra Catarinense. Então, escolha aquele canto aconchegante da casa e boa leitura! Boa leitura!

12

/Editor-Executivo: Sidnei dos Santos Palavra Escrita Ltda. ME sidnei@mundieditora.com.br /Reportagem: Cleiton Schlindwein, Francielle de Oliveira, Iuri Marcelo Kindler /Gerente de Arte e Desenvolvimento: Rui Rodolfo Stüpp rui@mundieditora.com.br /Diagramação: Tiago de Jesus e Fabiano B. Linares /Projeto Gráfico: Ferver Comunicação www.ferver.com.br /Foto de Capa: Divulgação /Fotos: Daniel Zimmermann, Eduardo Sofiati, Banco de Imagens e divulgação /Editora-Chefe: Danielle Fuchs Fuchs Editorial Ltda. ME danielle@mundieditora.com.br /Gerente Comercial: Eduardo Bellidio 47 3035.5500 eduardo.bellidio@mundieditora.com.br /Diretor-Executivo: Niclas Mund niclas@mundieditora.com.br /Circulação: circulação@mundieditora.com.br /Sugestão de pauta: pauta@mundieditora.com.br /TIRAGEM: 3.000 exemplares /TIRAGEM VIRTUAL: 50.000 exemplares www.mundieditora.com.br facebook.com/mundieditora twitter.com/mundieditora

Apoio:


Sem dúvida, uma das ferramentas

Faça um orçamento conosco!

3329-2873 - 3329-0737 R. Frei Estanislau Schaette, 329 - Água Verde - Blumenau - vendasbenedett@gmail.com.br

"desconto especial" para clientes que citarem o anúncio constante nesta revista.

mais importantes para sua decoração!


[ sumário ]

32 [ banheiras Peças à base de areia aumentam as sensações do banho

24 [ patrimônio

Tour Chapelle dá exemplo de preservação

28 [ design 30 [ aquecedores 36 [ projeto comercial 40 [ tendências 44 [ imagens 3D 52 [ cozinha 54 [ loteamentos 58 [ arquitetura 62 [ urbanismo

Móvel sob medida para estudantes universitários

MDF é o material preferido para os planejados

As opções para esquentar o Inverno

Prime muda cena urbana em Brusque

Projeto busca sugestões para adenter demanda de moradias

Vídeos inserem o cliente no futuro empreendimento

Coifas eliminam os maus odores

Alto padrão e privacidade junto à natureza

Criatividade e conforto para uso comum

Projetos que mudarão o Centro de Blumenau

14

48 [ móveis


16 [ decoração 82 [ cervejas Carta de bebidas especiais ganha mais dois rótulos

Revestimentos e pinturas especiais podem transformar qualquer ambiente

66 [ jardinagem 68 [ paisagismo 72 [ banheiros 74 [ museus 78 [ vinhos 86 [ gastronomia 9o [ design AP 92 [ clic AP 94 [ AP indica 98 [ agenda AP

Como cultivar bromélias em casa

A importância de um bom projeto

Elementos naturais humanizam ambiente

Conheça o Mausoléu Dr. Blumenau

Os bons rótulos da altitude catarinense

Vem aí o SC Gourmet

Teatro Carlos Gomes

15


[ decoração ]

O

16

das ruas grafite saiu

a técnica ar

e hoje é um

da para stica utiliza

s o de parede

a decoraçã


Texturas e aplicações especiais em paredes resultam na transformação dos ambientes

paredes

Arte nas

A grande preocupação de quem constrói ou reforma uma casa é com os detalhes finais da obra; entre eles está a pintura ou as texturas das paredes. O investimento em texturas deixa um visual bonito em qualquer parte da residência ou empresa, tanto na área interna quanto na externa. As texturas estão em evidência e atraem cada vez mais adeptos em busca do resultado que somente esse tipo de revestimento proporcio-

na. Épossível, de acordo com o estilo da obra, fazer composição de cores e efeitos as mais variadas. “Antigamente, as paredes eram neutras e o branco predominava em todos os ambientes. Hoje, o mercado disponibiliza uma infinidade de materiais com cores e texturas especiais, o que facilita a composição de cores, efeitos e sensações, de acordo com o estilo da obra e as

preferências do cliente”, destacam as arquitetas Patrícia Volpatto e Gisele Boll, da VolpattoBoll Arquitetura e Interiores. “Além do fim a que as paredes se propõem, que é delimitar os espaços, elas são parte da decoração, podendo ser elemento de destaque de um ambiente, tornando-o mais elegante e aconchegante, quando bem trabalhadas”, observa Gisele.

tura Aplicação da tex

ceira da cama

ação para a cabe

garantiu sofistic

17


[ decoração ]

Estilos Para cada estilo arquitetônico existem revestimentos específicos. Dentro de um estilo rústico, por exemplo, podem ser utilizados os revestimentos de bambu, pedra, madeira, tijolo de demolição, pastilhas de coco e até mesmo revestimentos de fibras naturais, como as tramas de palha, que aquecem, suavizam e invocam a natureza.

Segundo Patrícia, uma tendência é o grafite que, saído dos guetos, deixou para trás o prólogo marginal para ser reconhecido como arte. Hoje, de galerias badaladas a espaços corporativos e, até mesmo, castelos europeus, a street art ganhou importância e reconhecimento, passando a fazer parte da decoração e dando vida, estilo e identidade aosambientes.

No estilho clássico, pode-se destacar os revestimentos de tecido, tapeçarias, espelhações, entalhes, pinturas especiais e técnicas artísticas como o trompe-l’oiel que, com truques de perspectivas, explora os limites entre a imagem e a realidade.

As arquitetas afirmam que a simples mudança na cor ou textura de uma parede é capaz de ampliar o ambiente, renovar o espaço e alterar a forma de comunicação com o meio. Escolher o revestimento correto para cada ambiente requer análise, pois, além de ter finalidades específicas, adequadas para cada superfície e tipo de ambiente, a harmonia na composição é fundamental. Na arquitetura de interiores é importante que o ambiente seja visto como um todo, para que, dessa forma, as renovações atribuídas ao espaço permaneçam em harmonia com os elementos condicionantes, proporcionando um ambiente singular e aconchegante.

Quando se trata do estilo contemporâneo, abre-se uma infinidade de opções de texturas e revestimentos para as paredes. E mais: nada impede de se misturar elementos dos estilos clássicos e rústicos. Os revestimentos mais utilizados são os papeis de parede, adesivos, painéis de eco resina, espelhos e tintas com cores e texturas especiais.

Escolher o revestimento correto para cada ambiente requer análise, pois, além de ter finalidades específicas, adequadas para cada superfície e tipo de ambiente, a harmonia na composição é fundamental

VOLPATTOBOLL ARQUITETURA E INTERIORES Patrícia Volpatto (D) Gisele Boll (E) contato@volpattoboll.arq.br (47) 9602 3284 / (47) 8488 1960 www.volpattoboll.arq.br

l de parede xtura e pape

Te

18

se completam

o do quarto

na decoraçã


[ decoração ]

Aplicação das texturas O hábito de aplicar pinturas texturizadas nas paredes já fazia parte dos costumes europeus há muito tempo, como forma de proteção contra a umidade. Os pioneiros em paredes com texturas foram os italianos. No Brasil, essa técnica já existe há mais de 40 anos, mas era pouco difundida. Apenas há cino anos é que a arte começou a se expandir. “A primeira textura utilizada no Brasil foi o chapisco ou sttuch, aplicada em muros ao redor das casas, depois foram se criando novos estilos”, destaca o pintor especialista em texturas Fernando da Fonseca. Ele lembra que o auge das texturas foram os grafiatos, um revestimento mais rústico que pode ser utilizado tanto dentro como fora da casa, tem uma aplicação fácil, secagem rápida, ótima consistência, é fácil de limpar e resiste ao mofo. De acordo com Fonseca, cada tipo de textura tem uma técnica e pode ser aplicada em diferentes tipos de ambientes. Ele trabalha com mais de 60 tipos, 4,2 mil possibilidades de cores e, no mercado, existem mais de 12 tipos de massas para textura. “O grafiato já está saindo da moda. A tendência agora é a textura projetada, feita com uma massa chamada Jet blaster, pistola para pintura e compressor profissional, utilizada em áreas externas por ser mais resistente”, afirma.

ura

ação da text

da com aplic

ia ganhou vi

zzar Entrada de pi

Segundo o pintor de paredes, a textura, técnica e efeitos são os três principais requisitos dessa área. O primeiro efeito de pintura foi o esponjado, que molhava o pano e aplicava como se fosse carimbando a parede. Depois, surgiu o efeito pátina, feito com uma escova própria, bem dura, e, após, o efeito linho, parecido com o tecido. Mas, a moda nas paredes também muda e, no momento, as tendências são efeito palha, camurça, jeans, aço-escovado, marmoratto e projetado, entre outros. Fonseca diz que as cores mais usadas ainda são as neutras e que a textura, cor e iluminação influenciam o ambiente. “É por isso que o profissional dessa área têm que estar sempre se atualizado com as tendências”.

FERNANDO DA FONSECA Pinturas especiais e curso de textura (47) 9992-5459 blutexturattos@hotmail.com

20

Para fazer uma parede convencional de três metros de comprimento e 2,75 metros de altura ele leva, em média, dois dias. “Em uma manhã, aplico a massa e, no outro dia, a pintura, pois tenho que esperar a massa secar”, explica. O custo para fazer uma parede de textura com essas medidas é de R$ 345,00, incluindo a mão de obra.


[ decoração ]

ciona

ento propor

O revestim

go de luz criar um jo

s paredes

e sombra na

Novo revestimento de parede propõe brincadeira com as formas geométricas

jogo de luz

Formas geométricas e

Uma nova linha de revestimento para parede está sendo lançada pela empresa Castelatto. Responsável pela criação de mais de 15 linhas do roduto, a líder em revestimentos premium no País conta com três fábricas no Brasil. As formas do novo revestimento, batizado de Scaleno, têm composição criativa e instigante, com traços retos, formando figuras geométricas de encontro livre. 22

As propriedades estéticas das peças possibilitam uma disposição pouco comum, mas sem perder a originalidade, sendo possível mesclar o assentamento nas direções verticais e horizontais, o que permite a disposição na parede de inúmeras formas. O resultado desafia a descoberta do ponto de partida e chegada da composição, causando um efeito visual impressionante.

A fabricação do Scaleno é artesanal, garantindo um toque de originalidade a cada peça, pois apresenta diferenças de dimensões e cores, imprimindo aspecto rústico e valorizando o resultado final. O revestimento de concreto como possui alta resistência ao impacto e à umidade, além de ótimo custo-benefício, com pouco desperdício de material durante a aplicação na obra.


O Scaleno possui característica única quanto à forma como a iluminação está disposta. A acomodação na parede garante um jogo de luzes e sombras interessante, brincando com luz e sombra. Como as figuras podem formar relevo, mantendo volume perceptível nas paredes, a sensibilidade do tato é aguçada, oferecendo versatilidade e beleza. Além da preocupação com a qualidade dos produtos, a empresa tem como bandeira a responsabilidade ambiental, com um modelo de produção sustentável. A busca por novas técnicas de produção visa à melhora na qualidade de vida dessa e de futuras gerações. Na produção, não só de revestimentos, mas também de pisos, conta com reaproveitamento a água e dos resíduos de concreto. As matérias-primas utilizadas são devidamente certificadas. Outra forma de prevenir o impacto ambiental é o trabalho com produtos biodegradáveis.

Diferentes fo

rmas geomét

ricas surgem

na parede

Mais informações Medida: 50 x 100 cm Cores: Chumbo, cinza, fendi, sépia, areia e branco Valor: R$ 340,00 o m² A ambientação das fotos foi assinada pelo Escritório Itten Desgin Mais informações podem ser obtidas pelo site da empresa www.castelatto.com.br

sado para o

ferente e ou Um toque di

ambienta da

sala de jantar

23


[ patrimônio ]

Respeito à história

Tour Chapelle alia modernidade à preservação histórica em Balneário Camboriú

Havia um tempo em que Balneário Camboriú era refúgio para poucos. Bucólica e bem menos povoada, a cidade praiana recebia apenas turistas de regiões próximas. Foi nessa época que integrantes da comunidade Evangélica de Confissão Luterana do Brasil, que lá moravam ou visitavam as praias, ergueram uma capela. Em 1960, a capela foi construída pelo grupo fundado pela luterana Berty Jensen, que fixou residência na cidade em 1956, vinda de Curitiba. A intenção da comunidade era ter um local aconchegante para as reuniões 24

e cultos, já que, antes disso, era necessário ir até a vizinha Itajaí para os encontros luteranos. Situada em um terreno particular, a capela deixou de ter as visitas frequentes quando a comunidade luterana ergueu nova igreja em local próprio. Em 1998, a antiga foi tombada pelo Patrimônio Histórico de Balneário Camboriú. Após a inauguração da paróquia luterana, a capela foi desativada, permanecendo com a estrutura intacta, porém, alvo de depredações e desgastada pela falta de manutenção.

Próximo do mar e localizado em uma das quadras de grande valor imobiliário da cidade, o terreno da capela despertou o interesse de construtoras. Porém, muitos projetos esbarravam na capela, protegida por lei. Passados 10 anos do tombamento, Tero Nunes, da Ciaplan Planejamento e Construções, adquiriu o terreno da capela e entorno e apresentou projeto que foi ao encontro dos anseios da Fundação Cultural do Município. O Tour Chapelle foi aceito por unanimidade no Conselho da Cidade e a construção já está em andamento.


“Manteremos a capela aberta à visitação e nela poderão ser realizadas cerimônias. É uma forma de contribuir com a história da cidade” Tero Nunes

O projeto O Tour Chapelle é um edifício residencial que insere a capela na arquitetura. Foi uma forma de aliar paisagem, história e inovação. A restauração total da obra e a incorporação ao edifício será um diferencial na arquitetura contemporânea de Balneário Camboriú. Nunes afirma que há resultados positivos para a construtora com a decisão de se responsabilizar e administrar a restauração da igrejinha e reinaugurá-

-la junto com o Tour Chapelle. “Manteremos a capela aberta à visitação e nela poderão ser realizadas cerimônias. É uma forma de contribuir com a história da cidade”, afirma o empresário. A inserção da antiga capela no empreendimento se dará de forma escalonada. As paredes do edifício no entorno da igreja receberão vidros, proporcionando visualização integral da restauração.

Em fase de construção, a obra terá 23 apartamentos de alto padrão, seguindo as mais modernas tendências de engenharia, arquitetura e decoração. Com um apartamento por andar, o empreendimento contará também com mezanino e um pavimento disponibilizados para academia, cinema, piscina, sauna, SPA, gazebo, salão de festas, sala de jogos, playground e brinquedoteca.

Vista deslumbrante será um dos grandes atrativos do novo empreendimento

25


[ patrimônio ]

A capela, com aspecto de abandonada até poucos meses atrás, já está ladeado por andaimes e protegido para não ser danificado durante as obras de construção do Tour Chepelle

Fique por dentro As áreas em volta da capela serão separadas das áreas comuns do condomínio, proporcionando privacidade para moradores e liberdade de apreciação para visitantes que terão horários fixos para conhecer a obra.

A obra fica na Rua 2300, número 86, na esquina com Avenida Brasil. em Balneário Camboriú.

26

Nunes idealizou projeto que preserva a capela


[ design ]

Robson Stédile desenvolveu o móvel em disciplina do curso da Furb

Projeto inovador e

compacto O estudante de Design de Produto da Furb, Robson Stédile, criou um móvel para estudantes que reúne várias utilidades numa peça só. O projeto foi finalista do Salão Design 2011.

28

Design 2011, mas não vai concorrer, por falta de patrocínio.

Estudante do último ano de Design de Produto da Furb, Robson Stédile criou a HiBed, um móvel para estudantes que habitam pequenos cômodos. A peça caracteriza-se por ser compacta e se diferencia pela multifuncionalidade, já que reúne mesa e luminária para estudo, cama, espaço para roupa suja, armário com cabideiro e prateleiras, suporte para TV e conjunto de tomadas elétricas.

A HiBed concorreu com 1.105 projetos inscritos e foi um dos 150 selecionados para a segunda fase. Na categoria “Estudante - Móveis residenciais”, na qual o projeto está inscrito, foram selecionados 20. Stédile ressalta que os projetos finalistas serão expostos de 2 a 6 de agosto na feira Casa Brasil 2011, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves (RS), na qual o vencedor irá receber R$ 5 mil. Mas isso é válido somente para os projetos que forem enviados em escala real, exigência do concurso.

O projeto, desenvolvido em cinco meses na disciplina Desenvolvimento de Projeto, em 2009, é dos finalistas do concurso nacional Salão

Como ele não conseguiu verba para produzir o móvel na dimensão real, o concurso liberou o estudante para expor um protótipo cinco vezes me-

Estudante de Design de Produtos cria móvel para estudantes que moram em cômodos de espaço reduzido

nor, considerando a condição de não concorrer à premiação. O concurso Salão Design 2011 já recebeu participantes de 19 estados brasileiros, além de Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, México, Panamá, Peru, Portugal, Romênia, Uruguai e Venezuela. Ele conta que o projeto foi desenvolvido depois de muita pesquisa, que auxiliou na descoberta dos problemas enfrentados por estudantes em função do espaço em que vivem. Como é de Rio do Sul e mora sozinho em Blumenau, o tema lhe despertou bastante interesse. “A solução apresentada nada mais é do que uma adequação aos requisitos de projeto definidos a partir dos problemas pesquisados e analisados”, ressalta.


O produto segue tendências ligadas à Geração Y e prega pela satisfação individual do usuário. O tamanho é 3 metros de comprimento, 1,40 metros de largura e 2,25 metros de altura

O projeto De acordo com o estudante, o produto permite esconder a bagunça que fica no quarto. Stédile explica que a cama não precisa ser arrumada, basta empurrá-la para debaixo do móvel. O travesseiro e cobertas são guardados na parte inferior do armário. Na parte superior há espaço para colocar roupas, aquelas que geralmente ficam dispersas pelo cabideiro ou qualquer canto da casa, além de conter prateleiras para armazenar outros tipos de materiais. A tampa da mesa de estudo pode ser fechada e esconder os materiais de estudo. Sob ela existe uma luminária flexível com luz de led para auxiliar no estudo. Os fios elétricos da luminária, notebook, TV, rádio, entre outros não precisam ficar jogados pelo chão do quarto, pois existe um local próprio no móvel para conectá-los. O estudante também explica que o suporte da TV permite que ela seja movimentada para várias direções. Segundo Stédile, o produto segue tendências ligadas à Geração Y e prega pela satisfação individual do usuário. O tamanho real do produto é 3 metros de comprimento, 1,40 metros de largura e 2,25 metros de altura. “Há vários detalhes a serem corrigidos à nível de produção, pois reconheço que na época em que o projetei a minha mentalidade era extremamente acadêmica. Estou bastante feliz com a repercussão que ele está tendo e sei que não devo enxergá-lo mais como um simples projeto de graduação. A minha perspectiva agora é comercial e vou aproveitar a participação na Casa Brasil 2011 para trabalhar nisso”, revela.

A peça reúne mesa para estudo, cama, armário com cabideiro e prateleiras, suporte para TV e conjunto de tomadas elétricas

29


[ aquecedores ]

Inverno

Mercado oferece modelos para diversos ambientes e com faixas variadas de preços

quentinho

O Brasil está quase todo dentro da zona tropical do Planeta, mas, principalmente nos estados do Sul e nas regiões serranas, o Inverno costuma apresentar dias de frio intenso. Por isso, no país das praias os aquecedores de ambiente começam a ser usados com mais frequência em espaços comerciais e, principalmente, residenciais. Os tipos de aquecedores encontrados no mercado variam entre os portáteis e os fixos. Uma das opções mais modernas é a lareira elétrica, com sistema de aquecedor ou a gás. A instalação é mais fácil que a da lareira convencional

30

(à lenha), pois pode ser instalada sem a necessidade de um espaço aberto na parede para a chaminé. Os modelos a gás são os mais procurados no mercado. O aquecimento se dá pelo mesmo processo de um fogão. O incômodo é ter que levar um ponto de gás até o aparelho. Para a escolha do local é necessário observar uma distância segura da lareira em relação aos móveis. A tendência do mercado é a escolha pelo aquecedor solar, em virtude da economia de energia que proporciona e por ser menos danoso ao meio ambiente. Antes, precisava ser instalado

na fase de construção; hoje, já pode ser instalado em residências prontas. Quem optar por esse tipo de aquecedor, além de um banho sempre quente no Inverno, com economia de energia elétrica e água, ainda pode aproveitar o aquecimento do ambiente e, em alguns casos, a luz natural. O sistema de aquecimento solar é um kit composto por placas solares e um boiler solar. Quem preferir, tem à disposição os aquecedores cerâmicos, que são fixados na parede, e os chamados de Chapéus de Calor, a gás, ideal para restaurantes, varandas e áreas de festa. Em geral, deve ser utilizado em ambientes mais abertos.


[ banheiras ]

Banheiras cuja composição leva 70% de areia aumentam as sensações de relaxamento e conforto

Banho

relaxante

A hora do banho é um dos momentos mais relaxantes do dia. E foi pensando nisso que a Sabbia apresentou a tecnologia sandstone (à base de areia) para banheiras, um novo conceito de banho nunca antes empregado no mercado nacional. A produção da banheira, com patente requerida, começou em 2010 por meio do contato com a tecnologia europeia sandstone e a adaptação às características das matérias-primas brasileiras. A areia surgiu como o elemento catalisador de um processo produtivo artesanal e sustentável, que utiliza elementos recicláveis e encontrados em abundância no Brasil. 32

A tecnologia e design do produto transmitem a sensação do contato direto com uma pedra, tornando o banho ainda mais relaxantes. Além da sensação única do toque na superfície das banheiras, devido à lisura, brilho e consistência, ao encher a banheira a pessoa pode ouvir um delicado som da água batendo sobre a pedra, o que transmite um agradável sentimento de tranquilidade e relaxamento. Os arquitetos e decoradores também podem usufruir da mobilidade e funcionalidade do sistema freestanding, que permite posicionar as banheiras em


Diferenciais 1 . Obras limpas e de execução prática Todas as banheiras são freestanding, proporcionando liberdade na concepção de projetos arquitetônicos; não há necessidade de alvenaria ou assentamento com argamassa e impermeabilizar o piso do local de instalação, pois são instaladas depois do piso de cerâmica pronto. Isso possibilita uma instalação prática e rápida. A banheira de imersão ou hidromassagem pode ser tratada como um acabamento. 2 . Mobilidade Facilidade para remoção das banheiras de um lugar para outro, bastando a adaptação de entrada e saída de água. 3 . Painel de acabamento Facilidade de remoção e reposição do painel de acabamento, permitindo total acesso ao sistema de hidromassagem. 4 . Sensação da pedra Devido à composição natural da tecnologia sandstone, as banheiras são robustas e transmitem sensações de toque e de som da água batendo na pedra. 5 . Possibilidade de integração com móveis A praticidade das banheiras freestanding, com hidromassagem ou imersão, permite aos arquitetos e decoradores ousar nos projetos, integrando móveis às banheiras.

qualquer ambiente, bastando adaptá-las a uma entrada e saída de água. O exclusivo Sistema Clic, de abertura do ralo, através de uma leve pressão sobre a tampa e o sifão 100% cromado, reforça a qualidade e praticidade do produto. A fábrica, instalada em Tijucas, busca a sustentabilidade na produção, se aliando a fornecedores com licenciamentos ambientais e situados próximos à planta industrial. A tecnologia exclusiva e patenteada, à base de areia (70%), vai ao encontro da necessidade de desenvolvimento de produtos sustentáveis.

Uma das características do produto é a facilidade de instalação e adaptação a qualquer espaço

33


[ banheiras ]

Coleção A primeira coleção da Sabbia traz sete diferentes modelos - Brisa, Solare, Onda, Libero, Lago, Marea e Clássica –, que permitem pensar as banheiras de imersão ou hidromassagem como peça de vanguarda dentro da decoração dos espaços de banho. A areia, que dá origem à marca, é moldada em formas que imprimem uma estética essencialista, voltada à natureza. As variações, que transitam do clássico ao contemporâneo, convergem em desenhos de curvas suaves e espontâneas, com linhas limpas que estimulam o equilíbrio. As banheiras são instaladas depois do piso de cerâmica pronto, possibilitando uma colocação prática, segura e rápida, sem necessidade de alvenaria ou assentamento com argamassa. Atributos técnicos e estéticos que estimulam a fácil integração com os demais objetos do mobiliário em diferentes ambientes. A coleção de banheiras conta com sete modelos, entre eles a Clássica (acima) e a Marea (abaixo), que permitem integração total com o ambiente

Mais informações Na região, as banheiras são encontradas nas lojas: - Formaris de Banho Balneário Camboriú Terceira Avenida, 1750 – Centro Tel.: (47) 3368-4493 - Requintte Louças e Metais Blumenau Rua Joinville, 463 Tel.: (47) 3037-1775

34


[ projeto comercial ]

Curiosidade O edifĂ­cio ĂŠ revestido por porcelanato nos pisos interiores. Na garagem, o verniz protege o piso de concreto e facilita a limpeza, manobras e pintura das vagas. Externamente ĂŠ utilizado paver.

36


O conforto

está logo ali

Projeto desenvolvido com atenção especial à modulação, acessibilidade e segurança ganha destaque na cena urbana de Brusque pelas características inovadoras

Até mesmo a escadaria de acesso à sobreloja tem degraus em porcelanato. As paredes são de vidro que proporcionam um charme à parte.

Inaugurado em 28 de agosto de 2010, o CRF Prime tem a assinatura da CRF Construtora e Administradora de Bens. Localizado no Centro de Brusque, o empreendimento é voltado para a área médica e escritórios de profissionais liberais, como advogados, engenheiros e consultores. Modulação, acessibilidade e segurança caracterizam o obra.

A arquitetura é de Luiz Guilherme Minatti, que buscou em outros países bases para realizar um projeto diferenciado. No terreno, de 3 mil m², foram erguidos 9,7 mil m² que correspondem a 12 andares de 60 salas com 70m², três pavimentos de estacionamento com 185 vagas de garagem, uma sobreloja e o térreo com mais cinco ambientes.

Luiz Minatti buscou referências europeias

37


[ projeto comercial ]

Modulação e acessibilidade Em cada andar, as seis salas podem se transformar em apenas uma, já que o projeto desenvolvido permite uma fácil unificação. Mas, a mesma modulação pode acontecer com apenas duas ou três unidades num mesmo andar, conforme a necessidade do locatário. Todas as salas possuem pé direito com mais de três metros, indiferente ao rebaixamento realizado com gesso para tornar imperceptíveis as

tubulações de ar-condicionado. Os elevadores, com tecnologia para alta performance, se movimentam com melhor estabilidade e rapidez. Portas e corredores foram pensados para circulação de cadeirantes. Com a intenção principal de atrair profissionais da área médica, a sobreloja do prédio está preparada para receber um investimento laboratorial ou assistencial à saúde com espaço

A facilidade de locomoção está presente nos ambientes de uso comum do empreendimento

Contemporaneidade O edifício é 100% revestido por pastilhas na área externa, com intenções de pouca manutenção e menores custos de condomínio. Na fachada dos primeiros pavimentos, foram inseridas placas de alucobond, passando uma sensação futurista. A iluminação artificial ganha uma grande aliança dos espelhos de vidro das salas. “Além de permitir um design arrojado, os vidros permitem grande incidência de luz natural, o que gera bastante economia de energia elétrica”, afirma Minatti. Além disso, o material gera efeito visual inusitado, fazendo parecer que as estruturas de concreto estão sem sustentação quando vão de encontro ao espelho de vidro . Na construção em formado de “L”, a utilização de uma grade vertical para o lado de dentro do formato permitiu esconder todas as bases para motores de ar-condicionado. Não há como perceber 38

a disposição dos aparelhos, mesmo com todo o espaço reservado para que não haja superaquecimento. Além de reservar o espaço para tal finalidade, a grade foi inserida como peça do conjunto arquitetônico. O terreno não foi utilizado integralmente para a construção. Há também espaço para estacionamento externo, onde palmeiras fazem parte do paisagismo com plantas de menor porte.

“Além de permitir um design arrojado, os vidros permitem grande incidência de luz natural, o que gera bastante economia de energia elétrica” Luiz Guilherme Minatti

na garagem para ambulâncias, sem interferir no andamento normal das demais vagas do pavimento. O mesmo conforto está disponibilizado para motoristas ou passageiros de automóveis que tenham algum tipo de deficiência física. Uma parada coberta foi pensada para que a pessoa possa embarcar ou desembarcar do veículo com tempo e comodidade necessários.


[ tendências ]

Construindo com

interatividade

Arquitetura Colaborativa busca criar tendência a partir das preferências de cada pessoa

Vivemos em constante mudança. E isse se reflete no comportamento, no jeito de vestir, na fala e também na moradia. Com uma nova proposta para o mercado imobiliário, a Vasselai Incorporações aproveita a interatividade proporcionada pela internet para criar um novo jeito de construir. O site Arquitetura Colaborativa é uma plataforma elaborada para que a empresa descubra qual a melhor forma de construir o imóvel tão desejado. Pesquisar a opinião dos possíveis clientes e estabelecer uma rede de contato para buscar soluções inteligentes e inovadoras. Lançado em maio, o www.arquiteturacolaborativa.com.br tem extensões nas redes sociais Twitter e Facebook e busca sincronizar tendências com preferências. Acessando o endereço da web, o internauta irá ajudar a projetar jeitos de morar antenados com a realidade atual e local. Todo o questionário, que foi visualmente projetado para agradar aos consumidores, tem como base a busca de colaboração para as tomadas de decisão da empresa. “Com a colaboração dos internautas, poderemos oferecer imóveis cada vez mais próximos da real necessidade e 40


do desejo dos nossos clientes. Hoje, as pessoas querem participar das decisões, querem colaborar. Buscam experiências novas, os desejos contemporâneos são dinâmicos. Nada melhor do que estar online com nossos clientes para atendê-los o mais rápido possível”, avalia o engenheiro e empresário Ricardo Vasselai. A pesquisa tem perguntas de múltipla escolha e espaço para contribuição, onde é necessário cadastrar apenas o nome e e-mail. Além do projeto de pesquisa, há um grande conteúdo multimídia no espaço virtual que explora o interesse dos visitantes e colaboradores durante o tour no site. Nos primeiros 20 dias no ar, mais de 400 pessoas colaboraram entre 2 mil que visitaram o site. A plataforma permite a análise das enquetes em tempo real e também das informações adicionais dos internautas. Assim, os responsáveis podem, imediatamente, entrar em contato para responder questionamentos à parte. “Nós acreditamos fortemente que a inovação requer colaboração. O nosso grande desafio será transformar essas ideias e sugestões em espaço construído.” afirma Vasselai. 41


[ tendências ]

Arquitetura Colaborativa é uma plataforma elaborada para que a empresa descubra qual a melhor forma de construir o imóvel tão desejado

Do sonho à realidade A Arquitetura Colaborativa é um projeto contínuo, com enquetes diferentes a cada dois meses e sorteio de brindes para os participantes. A cada novo pe-

42

ríodo, serão lançadas novas perguntas e, a qualquer momento, os participantes cadastrados podem receber e-mails com questões pontuais.

Mais informações www.arquiteturacolaborativa.com.br facebook.com/arqcolab twitter.com/arqcolab


[ projetos em 3D ]

Empreendimento está em fase de contrução próximo ao acesso à Praia Brava, em Itajaí

Ao gosto do

Cliente

O espaço privilegiado entre Balneário Camboriú e Itajaí foi escolhido pela MaxHaus para saltar da capital paulistana e aterrissar em terras catarinenses com o projeto “More na sua época”. O conceito de arquitetura aberta que a Maxcasa apresenta com os projetos MaxHaus são diferenciados, já que permite ao morador a liberdade de modular o espaço do apartamento como quiser. Essa inovação foi 44

criada pelo presidente da incorporadora Paim de Andrade. O empresário afirma que a tendência segue as mudanças na vida das pessoas. “Percebemos a inadequação do mercado imobiliário para atender esse público e as suas necessidades de personalização” afirma. De forma prática, a MaxHaus instiga a criatividade dos clientes, tanto na hora da compra do projeto, ainda na

MaxHaus Praia Brava estimula a imaginação com apartamentos modulados e inova no uso do 3D

planta, ou em qualquer outro momento pós-construção. Os 228 apartamentos, divididos em três torres, que estão sendo erguidos na Praia Brava, em Itajaí, terão uma planta básica de 70m², sem paredes, dando a liberdade de escolha de quantas divisórias o proprietário quiser. Interessante também são as possibilidades em optar pela multiplicação dos 70m² do espaço inicial, tanto na vertical como na horizontal.


Estrutura preparada A engenharia do MaxHaus contempla elementos desenvolvidos estrategicamente para facilitar a diversidade de layouts. Seja a configuração dos banheiros, instalações elétricas ou hidráulicas. Tudo foi preparado como facilitador da modulação. Até mesmo o piso elevado possibilita a flexibilidade. Outra diferenciação está nos espaços reservados para a cozinha, com alternativas entre diversos tampos modulares à escolha do morador. Ao lado da cozinha, há um espaço reservado à criatividade para projeção de uma varanda, home office, área de serviço ou, simplesmente, aumento da área da cozinha.

Controles inteligentes Automação residencial de primeira linha foi inserida no projeto MaxHaus Praia Brava. Será possível controlar a distancia a temperatura do ambiente, luminosidade, li-

gar home theater e chuveiro, entre outras facilidades. Tudo direto do computador ou dispositivos como smartphones e tablets. Há ainda o controle remoto da porta, que

possui visor unidirecional, LED indicador de destravamento, comando de abertura instantânea por contato, campainha digital MP3 e porta-cartas.

No site da empresa, as imagens estão disponíveis em vídeo 3D e ajudam a entender como os apartamentos podem ser trabalhados na decoração

45


[ projetos em 3D ]

Áreas nada comuns Além de toda a disponibilidade de flexibilização dos apartamentos, o projeto inclui ambientes comuns que proporcionarão experiências diversas aos moradores. O Maxhaus Café terá cardápios diversos, piscina com 25 metros e fitness, com aparelhagem moderna em um ambiente interligado com todo o projeto. Serviços de lavanderia serão dispostos com equipamentos profissionais que funcionarão com sistema de fichas e economia no consumo de energia elétrica e água. Por fim, os elevadores com vidro transparente ao fundo revelarão, em cada andar, uma obra de arte

MaxChannel, inovação em 3D A Maxicasa disponibiliza na internet o MaxChannel, com vídeos dos mais diversos empreendimentos. Lá é possível conhecer um mais do MaxHaus Praia Brava com imagens em 3D. Todo o envolvimento da modulação arquitetônica em ângulos de 360 graus. MaxHaus Praia Brava: Rodovia Osvaldo Reis, 1.950, no alto do morro entre Itajaí e Balneário Camboriú e com belíssima vista para a Praia Brava. www.maxhaus.com.br

46


[ móveis ]

Na medida

Certa Móveis sob medida ganham mercado e MDF está entre as preferências dos clientes

Atualmente, as casas estão ficando com os espaços cada vez menores, precisando de aproveitamento total de cada cômodo. A personalização está virando uma tendência, com clientes demandando peças únicas, feitas exclusivamente para cada ambiente, pois, o móvel feito por módulos não tem a mesma liberdade de criação, acabamento e aproveitamento de espaço que um móvel sob medida. Um móvel sob medida é projetado com base na área da residência do cliente. De acordo com o assessor-administrativo da Móveis Rossmark, Fabiano 48

Schwertl, para projetar móveis com estilo, funcionalidade, beleza e ergonomia é preciso entender o que o cliente deseja e transformar esse sonho em produto, projetando um móvel para cada necessidade. Considerando que móveis sob medida são pensados individualmente para cada pessoa ou família, tanto no design quanto na fabricação, eles precisam de um prazo maior para produção. Portanto, não se pode deixar para comprar estes produtos na última hora. É preciso planejar com antecedência para ter um móvel de qualidade.

Segundo Schwertl, a loja trabalha diretamente com os arquitetos, que já têm o projeto pronto. Armários embutidos, geralmente, são os mais pedidos, já que podem ser personalizados. “Escolher a quantidade de gavetas, o tamanho de cada uma delas e o melhor aproveitamento do espaço é o que os clientes querem, além de praticidade, conforto, qualidade e custo baixo”, ressalta. Para Schwertl, existem à disposição novos materiais, cores, texturas, padrões e formas de aplicação, prontos para atender às mais diversas necessidades de uso e os mais variados tipos de ambientes.


Os móveis sob medida são montados no local (residência ou escritório) pela equipe de marcenaria responsável pela fabricação

Passo a passo da fabricação Schwertl explica que, com o projeto do arquiteto em mãos, a medição no local é necessária para conferir as dimensões e, logo após, cada móvel passa a ter o desenho técnico com especificações de cortes e furações. “Essa etapa é quando o processo produtivo é definido”. O processo de produção se inicia no setor de beneficiamento, onde as chapas de MDF (Medium Density Fiberboard) - chapa de fibra de madeira de média densidade - ou de madeira são cortadas. Depois, passa pela marcenaria, onde o móvel é montado e são colocadas as ferragens. Na sequência, se necessário, segue para o setor de lustração, onde o móvel é lustrado ou pintado. Para finalizar, é embalado e fica no setor de expedição até ser entregue. Os móveis são todos fabricados na empresa e montados no local pelos colaboradores. “O marceneiro que produz na empresa é o mesmo que monta os móveis na casa do cliente”, ressalta Schwertl. A Móveis Rossmark atende toda a Região Sul e Sudeste do País.

Dos cortes ao acabamento, as placas de MDF são cuidadosamente manipuladas na marcenaria para garantir móveis perfeitos

49


[ móveis ]

MDF no todo do ranking De acordo com Schwertl, o MDF é o produto mais requisitado pelos arquitetos. Ele é composto de pó de madeira (serragem de pinus ou eucalipto) com resina e outros componentes químicos compactados e prensados para fazer a chapa. A espessura pode variar entre 6 e 25 milímetros. Após esse processo, é aplicado na chapa um papel decorativo chamado de melamina, com padrões variados que reproduzem com perfeição o visual de madeiras, como marfim, carvalho, jacarandá, entre outros. A durabilidade do MDF é tão boa quanto a da madeira, sendo que aquele agride menos a natureza, já que todas as chapas de MDF são feitas com árvores de reflorestamento. “O MDF agrada a todos, pois, tem um preço acessível, é de fácil manutenção, usa-se somente flanela úmida para limpar e, ainda, atende às normas ambientais tão importantes atualmente. O aproveitamento do MDF é maior do que o da madeira porque as chapas chegam na marcenaria 100% retas e niveladas. “Hoje, para a produção de um móvel de madeira perde-se em torno de 30% do material; com o MDF perde-se, no máximo, 10%”, compara.

50

O MDF ganha cada vez mais mercado na produção de móveis planejados, seja para a casa ou escritórios


Depois da barriga da mamãe, o quarto do bebê deve ser o lugar mais especial do mundo.

Fotógrafo - Cicero Viegas

Arquitetas Silvana Silvestre e Sherlana Reis

Móveis e Decoração • Enxoval Puericultura Leve e Pesada • Confecção de 0 a 8 anos

Alameda Rio Branco, 287 - Centro - Blumenau - 47 3222 3600

www.lojasschwanke.com.br

Carinho em cada detalhe.


[ cozinha ]

Os muitos modelos disponíveis no mercado podem variar de preço entre R$ 1 mil e R$ 15 mil

no ambiente

Ar puro

Um acessório popular na Europa e Estados Unidos está cada vez mais fácil de ser encontrado no Brasil. As coifas são equipamentos que sugam o vapor do fogão e devolvem ao ambiente o ar purificado através de um filtro de carvão. O item é usado, principalmente, em cozinhas de apartamentos que seguem o modelo americano, ou seja, cozinha integrada com a sala sem uma porta para fazer a divisão dos espaços.

O uso garante ar livre de odores mesmo quando alimentos passam pelo processo de fritura. Marcas nacionais, como a Fischer, já perceberam esse nicho de mercado e, inspiradas em modelos importados, como os italianos, estão investindo em avanços tecnológicos e produtos com design arrojado, procurando incorporar beleza e funcionalidade. Modelos com linhas retas em composições de vidro são os mais procurados. As Coifas são encontradas em duas dimensões-padrão - 60 e 90 centímetros -, porém, dependendo da marca, podem variar de 70 centímetros até 1,40 metro. O valor é determinado pela sofisticação e funcionalidade, podendo variar de R$ 1 mil a R$ 15 mil. Alguns modelos mais ousados vêm com televisor acoplado. Uma das marcas mais conceituadas no mercado mundial é a Falmec, que nasceu há 30 anos, na Itália. Desde 1999, tem fábrica no Rio de Janeiro. Em Blumenau, a Berlim Ambientes oferece vários modelos de coifas das melhores marcas e modelos que estão no mercado. 52


São nos detalhes que sua casa se torna um lar.

CORTINAS E PERSIANAS - COLCHAS - PAPÉIS DE PAREDE - TAPETES - TECIDOS - PISOS Na Schwanke Casa você encontra uma linha completa de decoração com alto padrão de acabamento aliada à experiência de nossos consultores. Tudo para ambientar o seu lar com requinte e qualidade. Venha nos fazer uma visita e solicite um orçamento sem compromisso. Balneário Camboriú 3ª Avenida, 1180 - Sala 01 - Centro - (47) 3363 1470

Blumenau Rua São Paulo, 1120 - Loja 04 - Victor Konder - (47) 3041 9770

www.lojasschwanke.com.br


[ loteamentos ]

Em meio

à natureza

98 lotes para casas de padrão elevado estarão disponíveis em terreno de 400 mil metros quadrados, no Bairro Ponta Aguda, em Blumenau. Condomínio terá estrutura de serviços e lazer para moradores

54

Empreendimento está localizado em uma área nobre do Bairro Ponta Aguda, que se destaca pelas moradias horizontais


O que já é tendência em moradia de alto padrão em cidades de grande porte, começa a ser realidade em municípios com menos de meio milhão de habitantes, como Blumenau. A cidade é o foco de ações da maior loteadora do Brasil, a GSP Loteamentos, que lança o Bosque Europeu Life & Green, o primeiro condomínio fechado de alto padrão da região. Em 18 meses, a GSP entregará o Bosque Europeu para iníciar a construção das casas.

fácil acesso ao Centro e saída ao Litoral. Junta-se às facilidade, muita área verde, já que 110 mil metros quadrados serão destinados à preservação ambiental.

Após cumprir rigorosos processos burocráticos, entre eles de legislação ambiental - o que levou à espera de nove anos até a apresentação do projeto -, a GSP deu largada nas vendas dos lotes. São mais de 400 mil metros quadrados de área divididos entre 89 lotes e áreas de uso comum, como salão de festas, espaço gourmet, playground, praça de yoga, entre outros itens de lazer.

“É um local consolidado e com característica de moradias horizontais” Marcio Gumiero de Souza

Os lotes variam entre 600 e 1,5 mil metros quadrados, com distância entre os espaços para garantir a privacidade dos moradores. Tudo isso em local privilegiado do Bairro Ponta Aguda, com

De acordo com o gerente nacional de vendas da GSP, Marcio Gumiero de Souza, o Bairro Ponta Aguda é um dos grandes diferenciais do empreendimento.

A localização muito próxima do Centro de Blumenau e o fácil acesso às principais saídas da cidade com direção ao Litoral tornaram a escolha do bairro uma certeza de sucesso para os empreendedores. “É um local consolidado e com característica de moradias horizontais”, explica Souza.

Áreas como a praça trarão humanização ao condomínio de alto padrão

55


[ loteamentos ]

Infraestrutura Não é apenas o cuidado com a preservação da mata nativa que se destaca no projeto do Bosque Europeu. O empreendimento oferecerá aos futuros moradores uma infraestrutura igual e até superior aos melhores condomínios fechados do Brasil. Contará, entre diversos itens, com rede de energia elétrica subterrânea, rede de esgoto

sanitário com tratamento próprio, câmeras de vigilância e portaria blindada com monitoramento contúnuo. Segundo Souza, o investimento é de R$ 10 milhões, sem incluir o valor da área. Serão gerados cerca de 600 empregos durante as obras e, após o lançamento, 2,1 mil.

Mais informações Área total: 418.166,65 m² Área verde: 302.156,99 m² Área loteada: 116.009,66 m² Sistema viário: 24.635,89 m² Sistema de lazer: 17.581,58 m² N° de lotes: 89 Metragem dos lotes: 600 a 1.500 m² Endereço: Rua República Argentina, 2.455 Bairro Ponta Aguda - Blumenau/SC

Um luxuoso Espaço Gourmet será construído para uso exclusivo dos moradores do condomínio

A loteadora A GSP surgiu há 25 anos em Ourinhos, São Paulo. Em 2003, a empresa apostou no mercado catarinense, trazendo a Blumenau o primeiro loteamento fechado, o Santa Paula Golden Park, no Bairro Itoupava Central. “Este empreendimento foi e é um grande sucesso, o que nos levou a investir de forma maciça no estado de Santa Catarina. Para o segundo semes56

tre, temos o lançamento do Bosque Europeu e da Morada dos Pássaros, ambos em Blumenau. O potencial de crescimento do Estado e a força interior nos levaram a investir e acreditar nessa cidade”, destaca Souza. Em Santa Catarina, a GSP investiu também em Florianópolis, Joinville, Camboriú, Balneário Camboriú, São

Francisco do Sul, Jaraguá do Sul e Governador Celso Ramos. A loteadora é considerada líder no segmento de urbanização horizontal, já que está presente em 60 cidades brasileiras, 10 estados, com 150 loteamentos lançados, 35 milhões de metros quadrados urbanizados, 60 mil terrenos entregues e 45 mil clientes atendidos desde 1986.


Surpreenda ! VocĂŞ pode muito mais ! Rua Sete de Setembro, 2251 - Centro - Blumenau

(47) 3037-6900 - www.imperiodoscolchoes.com.br


[ arquitetura ]

58


A pefeição dos

espaços

Um projeto que tomou como base a simetria entre os ambientes. Em que tudo seguiu o mesmo padrão - MDF e espelhos - resultando em harmonia e garantindo leveza e maior profundidade aos espaços. Esse foi o norte dado pela arquiteta Elenir Deluca, que começou o projeto da fachada, hall de entrada, salão de festas e academia, já durante a construção do residencial Mont Blanc. Na escada que dá acesso à entrada do prédio, os degraus foram todos suspensos com um leve recorte na base e o piso em granito é antiderrapante. Fatores como esse proporcionam a segurança necessária e a beleza para quem entra e saí do condomínio. É o

caso do corrimão que segue a escada, especialmente fabricado em aço inox, como explica Elenir. “Os materiais utilizados, como o MDF e o aço inox, garantem, além de leveza e segurança, um visual de harmonia entre as peças, proporcionando requinte ao projeto”. Além do impacto visual, que fica ainda mais valorizado à noite, quando as arandelas de parede iluminam a entrada, outra parte importante é a harmonização com as árvores que dão o toque de natureza para a fachada. As luzes chamam atenção, principalmente, para as três palmeiras que, próximas a duas colunas trabalhadas com textura, indicam o caminho para o playgroud.

Áreas comuns de residencial seguem padrão que garante harmonia e leveza

Depois de passar pela porta do prédio, depara-se com a tranquilidade do ambiente. O hall de entrada é o espaço que a arquiteta considera o mais importante, pois dá a visão da continuidade do que é o empreendimento. Nele, foi usado um jogo de luzes que direciona quem entra para os elevadores. Mas quem quiser esperar, pode descansar na parte mais aconchegante, que é a sala do hall. O sofá grande e confortável e um ambiente com luzes em tom mais ameno permitem a sensação de tranquilidade. Os tons predominantes nesse ambiente são cinza e preto, que se mesclam com a parede em café com leite.

Mais informações Projeto Condomínio Residencial Mont Blanc Espaços trabalhados pela arquiteta Elenir Deluca: Salão de Festas: 130 m², para 32 pessoas sentadas Hall de entrada: 70 m² Academia: piscina aquecida, sauna úmida e academia total 90 m²

59


[ arquitetura ]

“O balcão de mármore preto dá a impressão de que é um barzinho e foi projetado para que haja interação” Elenir Deluca

Área de festas Foi preciso concentrar atenções na colocação dos espelhos e do MDF. “O conjunto de espelhos serve para dar maior profundidade e noção de espaço ao ambiente”, destaca a arquiteta. Mesmo que exista a divisão entre a cozinha e o salão de festas pelo MDF no teto, Elenir se preocupou com a interação. “O balcão de mármore em preto absoluto dá a impressão de que é um barzinho e foi projetado para que quem esteja na cozinha interaja melhor com quem está no outro lado”.

Na cozinha, Elenir optou por usar os móveis na cor branca, porque, segundo ela, além de garantir um tom de limpeza ao ambiente, dá a noção de um espaço mais harmonioso. A iluminação segue o mesmo padrão no salão de festas, com luminárias Plafon sobrepostas e luminárias pendentes. O fogão, a churrasqueira elétrica, a geladeira e o freezer, são todos acoplados aos armários, proporcionando melhor aproveitamento do espaço e funcionalidade.

Ainda no salão de festas, há a sala de jogos. Nesse espaço, a iluminação tem papel fundamental para compor a beleza do ambiente. Uma luz de centro fica suspensa encima da mesa de sinuca, mesmo modelo usado em campeonatos e nos clubes que disponibilizam espaço para a prática desse esporte. O resto do ambiente tem luz mais amena, o que proporciona sensação de conforto e descanso para quem quer fugir um pouco da agitação da festa.

ELENIR DELUCA Arquiteta e Urbanista Rua Dr. Paulo Aldinger, nº 30 Apto. 301 Bairro: Escola Agrícola – Blumenau/SC Contato: (47) 9601-3023 60


[ urbanismo ]

Blumenau

Projetos buscam melhorar mobilidade e o visual do Centro de Blumenau

com nova fachada

Cidades em desenvolvimento carecem de mudanças constantes. Blumenau não foge à regra e busca soluções para resolver um problema que desafia as grandes cidades: o crescimento desenfreado do tráfego urbano. Com um rio cortando a cidade, é fundamental a intervenção por meio de pontes. A última construída no centro foi a Ponte Adolfo Konder, inaugurada em dezembro de 1957. A Ponte Aldo Pereira de Andrade, conhecida como Ponte de Ferro, também foi opção, a partir de 1991, quando foi restaurada e adaptada para o trânsito de veículos e pedestres. 62

Hoje, com mais de 300 mil habitantes e média de um veículo para cada duas pessoas, Blumenau precisa, novamente, optar por soluções sobre o Rio Itajaí-Açu. A construção da Ponte do Centro e Passarela da Prainha foi a solução encontrada para melhorar a mobilidade. Os projetos foram definidos em concurso nacional. A ponte fará a ligação em duas pistas de sentido único do Centro à Ponta Aguda. A estrutura iniciará no cruzamento da Rua Rodolfo Freygang com a Avenida Presidente Castelo Branco, seguindo até a Rua Chile.

A expectativa da Prefeitura é que a ligação melhore o tráfego na região, além de contribuir para aperfeiçoar o uso dos corredores de ônibus, obra de mobilidade urbana que deve estar pronta até o final deste ano. Quem quiser se deslocar do Bairro Ponta Aguda ao Centro terá a opção da Ponte Adolfo Konder, que continuará com dois sentidos. Uma passarela também será construída para ligar o Centro Histórico com a Prainha. A obra deve beneficiar pedestres e ciclistas, criando um circuito de caminhadas.


Ponte do Centro terá duas pistas com sentido único para o Bairro Ponta Aguda

Concurso nacional definiu projeto O resultado do Concurso Nacional de Arquitetura da Ponte do Centro e da Passarela da Prainha, lançado em parceria entre a Prefeitura e o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-SC), foi divulgado em maio. O vencedor foi o Estúdio América de Arquitetura, de São Paulo. Arquitetura de qualidade é a proposta do grupo de arquitetos que fundou o Estúdio em 2007, após a obtenção do 1º lugar no concurso para o Museo de La Memoria, em Santiago (Chile). Desde então, sempre trabalham com esse objetivo, sendo o concurso de Blumenau o 5º em que conquistam o primeiro lugar. Quem assina os projetos da ponte e passarela é o arquiteto Lucas Fehr, porém, ele não trabalhou sozinho. O envolvimento do Estúdio América no concurso foi integral. Os

cinco arquitetos-sócios tiveram o suorte de consultorias externas, como engenheiros especializados em engenharia geotécnica. Lucas e os outros sócios do estúdio acreditam que a modalidade concurso é um processo democrático e que contribui para a qualidade da arquitetura das cidades e deveria ser mais aplicada. A ponte deve ter 150 metros entre um vão e outro, enquanto a assarela será de 160 metros de extensão. A matéria-prima base para os projetos é o aço. A ponte será formada por um grande arco metálico, que suspenderá por estaios o tabuleiro. “O concurso de Blumenau colocava uma questão diferente dos demais: um projeto de infraestrutura urba-

na - uma ponte e uma passarela. Isso nos pareceu um desafio importante, além do reconhecimento da importância na arquitetura nesse tema. Gostamos de participar de concursos em vários locais do Brasil e do Exterior, onde a cultura apareça como um fator significativo. Blumenau se encaixa perfeitamente neste perfil”, avalia Lucas Fehr. Segundo a Prefeitura, os trâmites legais devem ser finalizados este ano. Depois do contrato assinado, as obras iniciam, segundo cronograma, no começo de 2012. Como a ponte é de maior complexidade por envolver o tráfego de veículos, deve começar primeiro. A previsão é que es duas obras fiquem prontas em, no máximo, dois anos após o início da construção.

“O concurso de Blumenau colocava uma questão diferente dos demais: um projeto de infraestrutura urbana” Lucas Fehr

63


[ urbanismo ]

Obras vão mudar o cenário da região central da cidade e vão melhorar a mobilidade urbana

Projetos têm verba internacional A Ponte do Centro e a Passarela da Prainha fazem parte do eixo de Mobilidade Urbana do Programa BID Blumenau. As obras contempladas pelo banco internacional têm cinco anos para serem concluídas. A aprovação desses projetos levou em conta o grande número de veículos que circulam pelo trecho: em média, 38,5 mil por dia. O orçamento para a construção da Ponte do Centro é R$ 27,5 milhão e a Passarela da Prainha está orçada em R$ 7,5 milhão. Os projetos do Blumenau 2050 fazem parte da segunda etapa de obras do

64

programa BID Blumenau. Até agora, já foram aprovados R$ 212,4 milhões e a liberação dos recursos deve acontecer no segundo semestre de 2011. Outros projetos do Blumenau 2050 que estão em fase de construção são a finalização do Trevo da Mafisa, na Rua Dr. Pedro Zimmermann, a Ponte do Badenfurt, que fará a ligação com a BR-470, e a finalização dos corredores de ônibus, agora com a implantação dos terminais de pré-embarque. O prolongamento da Rua Humberto de Campos para mais 1,8 mil metros de extensão ainda está em fase de elaboração do projeto executivo.

O orçamento para a construção da Ponte do Centro é R$ 27,5 milhão e a Passarela da Prainha está orçada em R$ 7,5 milhão

Passarela vai proporcionar passeios a pé, de bicicleta ou mesmo com cadeiras de rodas entre Centro e Ponta Aguda


[ jardinagem ]

em casa

A partir de uma planta adquirida na floricultura, é possível começar uma pequena coleção caseira

Como cultivar bromélias

As bromélias ganharam grande importância entre as plantas ornamentais e, hoje, dividem a preferência com as orquídeas, por exemplo. Cultivar essas plantas fascinantes em casa é o desejo de um número cada vez maior de pessoas. Com algum espaço e tempo para dedicar-se ao hobby, o cultivo das bromélias não é difícil e pode começar a partir de uma planta que você ganhou de presente ou comprou na floricultura. No final da floração, a planta-mãe emite filhotes (brotos) que, ao atingir certo tamanho – dependendo da espécie – podem ser separados e plantados em outro vaso.

Onde plantar A maior parte das bromélias pode ser plantada em vasos, mas podemos tê-las sobre troncos ou placas de fibra de coco. Crescem em quase todos os solos levemente ácidos, bem drenados, não compactados e que propiciem condições de bom desenvolvimento das raízes. O substrato deve ter partes iguais de areia grossa ou pedriscos, musgo seco ou fibra de coco (misturas prontas podem ser encontradas nas floriculturas). É imprescindível que a mistura possibilite uma rápida drenagem. As raízes devem ser molhadas com moderação, sendo importante molhar as folhas e manter o tanque central com água quando há formação de rosetas. Se a temperatura ambiente estiver muito alta, borrife água nas folhas, mas evite tal prática sob luz direta do sol e no período mais quente do dia. Plantas de folhas macias apreciam ambientes mais úmidos do que plantas de folhas rígidas. No Verão, devem ser molhadas duas vezes por semana; no Inverno uma vez basta.

Luminosidade e adubação Plantas com folhas rígidas, estreitas e espinhentas, tal como folhas de cor cinza-esverdeada, cinza, avermelhada ou prateada gostam de maior luminosidade, durante maior período de tempo, algumas até mesmo com sol pleno. Plantas de folhas macias, de cor verde ou verde-escura, apreciam lugares com menor intensidade de luz, mas nunca locais escuros. Plantas do gênero Nidularium requerem pouca luz, enquanto as Neoregelia precisam de bastante luz. A adubação precisa ser feita com extremo cuidado, pois as bromélias absorvem os nutrientes com muita facilidade pelas folhas. Usar um adubo químico de boa qualidade ajudará bastante. Adube semanalmente, durante os meses de maior intensidade de luz e calor (de agosto a abril). A relação NPK (nitrogênio, fósforo e potássio) de 2:1:4 com traços de magnésio é uma boa indicação. A mistura pode ser encontrada nas floriculturas. 66

Plantas fascinam apreciadores pela beleza das formas e das cores que apresentam


[ paisagismo ]

Verde valoriza os

ambientes Jardim precisa ser bem planejado para ficar de acordo com o projeto arquitetônico e satisfazer plenamente os desejos de quem vai utilizá-lo

68

Quando pensamos em um belo jardim, esperamos ver folhagens verdes, flores exuberantes e gramados maravilhosos. Por menor que seja o espaço, sempre é possível incluir um vaso ou um pequeno canteiro. Um jardim bem cuidado embeleza e valoriza o ambiente e, para isso, é necessário contar com um profissional para desenvolver o projeto.

ni, é preciso pensar no projeto do jardim já na edificação da casa e seguir o estilo do projeto arquitetônico, definir a localização e verificar o gosto do cliente. “A escolha certa do estilo do jardim, o clima, a luminosidade e o tipo de planta que irá compor o visual são pontos primordiais para o sucesso do espaço”, ressalta.

Elementos como o estilo da casa, perfil do morador, ritmo de vida, clima da cidade, luminosidade do local, escolha de plantas e ambientação do espaço são alguns itens que devem ser colocados no papel antes de visualizar os contornos do jardim. Ao escolher as plantas, também deve-se atentar para os aspectos ambientais, como profundidade do solo e recursos naturais disponíveis, como água, luz, temperatura e vento.

O profissional de paisagismo trabalha em etapas, até chegar ao projeto definitivo. A primeira delas é o estudo preliminar, onde são feitos os levantamentos de todos os dados técnicos do ambiente, como luz, volumes e espaços, e entrevista com o cliente sobre as expectativas e necessidades. A segunda etapa é o anteprojeto, que é apresentado em desenhos para a melhor visualização do trabalho, espécies de plantas e troca de ideias.

De acordo com a engenheira florestal e proprietária da Flor de Liz Paisagismo, Ana Carolina Voltoli-

Com a aprovação do cliente, passa-se para a última etapa: o projeto de execuções, que traz os detalhes

da construção do jardim através, de especificação da vegetação, quantidades de cada espécie, nomes científicos e o custo da execução da obra. Ana Carolina explica que as plantas são capazes de transformar o ambiente. “Um local sem graça e com pouco verde pode virar um jardim charmoso, elegante e convidativo. Isso também depende da escolha certa dos elementos decorativos. Esse espaço é capaz, inclusive, de mexer com os sentidos, estimular boas sensações, confortar os olhos e relaxar a mente, por isso, deve ser muito bem planejado”, afirma. Segundo a engenheira florestal, todas as etapas do projeto são importantes, desde as características do solo, o preparo da terra, porte das plantas, manuseio das mudas, manutenção do jardim e a praticidade na escolha dos itens. “São etapas que parecem simples, mas não podem ser esquecidas”.


Manutenção Depois do jardim pronto, é hora de pensar na manutenção. A periodicidade, geralmente, é proporcional ao tipo e tamanho do jardim e das espécies utilizadas. “É fundamental contratar um profissional preparado para realizar a manutenção. Há adubos específicos para cada ocasião e cada tipo de planta e agroquímicos adequados para determinadas pragas”, ressalta. Algumas plantas também precisam de podas regulares. Outras, se podadas, são irremediavelmente prejudicadas. Portanto, uma manutenção adequada pode ser feita a cada 15 ou 30 dias. Tudo depende do tipo de vegetação que foi implantada e dos cuidados que as plantas necessitam.

A periodicidade da manutenção, geralmente, é proporcional ao tipo e tamanho do jardim e das espécies utilizadas 69


[ paisagismo ]

Projetos O projeto de um jardim, assim como a reforma, não se restringe apenas às plantas, mas aos caminhos, churrasqueiras, bancos, pisos, quiosques, fontes, piscinas e acessos. São recursos que quebram a monotonia e podem ser usados com muita criatividade.

A engenheira florestal revela que as pessoas tendem a buscar um jardim bonito, de baixo custo e que não dê trabalho para cuidar, como no caso de plantas perenes que exigem muita manutenção: buchinhos, hemerocallis, cicas, murta, moréia e palmeiras.

Ana Carolina é autora de projetos como a reforma do jardim de uma casa no Bairro Itoupava Norte. “Era um jardim com mais de 15 anos que precisava ser refeito pela falta de manutenção e para trazer uma leveza para a área”, destaca.

Outro projeto foi o da Capela Nossa Senhora de Lurdes, no Bairro Itoupava Norte. Ela conta que a preocupação começou na entrada, com um formato de cruz feito com paver. Na capela, tam-

Ela conta que o jardim estava cheio de canteiros altos e precisou rebaixá-los, fazer sistema de drenagem e controle de pragas. Também fez um caminho com pedras São Tomé, trocou toda a grama, colocou mais iluminação e utilizou seixos (pedrinhas de rio). “Hoje em dia, os clientes preferem mais folhagens e plantas verdes do que flores, que necessitam de manutenção constante, mas, como as flores dão um toque especial, prefiro utilizá-las em canteiros menores. Como engenheira, também gosto de colocar árvores em espaços maiores”, conta.

• analisar a área a ser trabalhada; • analisar as necessidades da área, levando em conta a funcionalidade, topografia do local e preservação do meio ambiente; • elaborar o projeto paisagístico; • submeter o projeto à aprovação do contratante; • após a aprovação, contratar todos os profissionais necessários • comprar os materiais, plantas, sementes, entre outros, que serão utilizados; • coordenar o andamento do projeto; • realizar mudanças, se necessárias; • entregar e expor o trabalho pronto.

Ana Carolina Voltolini se formou em 2006 no curso de Engenharia Florestal da Furb. Desde então, trabalhou com paisagismo e fez mais de 50 projetos de jardins de vários tamanhos. Ela atuou um ano e meio em uma empresa de São Paulo, além de outras empresas da região. Fez curso de paisagismo na Uniasselvi e participou de feiras e congressos em Holambra (SP),

70

Ela destaca que o grande problema é que as pessoas não fazem a manutenção correta. “Não é só roçar a grama, mas cuidar do jardim como um todo, porque é um investimento e depois precisa manter para não se perder”.

Principais atividades do paisagista

A engenheira florestal

mais conhecida como a cidade das flores.

bém foram usados cica, bambu-mossô, hemerocallis, podocarpos, palmeiras-rabo-de-raposa e feito um caminho alternando paver com grama. “O projeto ainda está no mesmo molde, mas, não foi dada continuidade na manutenção”.


UMA MÃOZINHA PRA VOCÊ SABER TUDO O QUE ACONTECE EM BLUMENAU.

FOLHA DE BLUMENAU DIGITAL. Todos os dias, a partir das 13h, a melhor cobertura do que acontece na nossa cidade.

folhadeblumenau.com.br


[ banheiros ]

Projeto para o Beto Carrero World leva vida para dentro dos sanitários

Nada de

padronização

Dar vida e personalidade aos banheiros. Essa foi a ideia da arquiteta Claudete Teresinha Barté Cando, gerente de obras do Beto Carrero World, ao projetar os novos sanitários da Vila Germânica, um dos espaços temáticos do parque de Penha. O destaque são as pias com tampo de vidro que deixam à mostra pedras e areia colorida. “Quis levar elementos da natureza para esse espaço, geralmente, padronizado”, explica.

72

Fugir da padronização fria e integrar os banheiros aos ambientes do parque onde estão inseridos está nos planos de Claudete. Como as atrações do empreendimento passam por uma série de repaginações, ela quer aproveitar as obras para deixá-los com a aparecia temática. Os banheiros da atração Excalibur – um dos grandes shows do parque – ganharam decoração que lembra a época medieval, por exemplo.

Voltando à Vila Germânica, Claudete conta que, primeiro, pediu para tingir pedriscos com as cores externas do espaço. Na hora da montagem, achou que pareceria artificial e teve a ideia de utilizar areia bem fina. Assim, sob as cubas das pias aparece uma mistura de areia nos tons natural, acobreado e avermelhado. Pedras em cor natural completam, harmoniosamente, a decoração que trouxe vida aos novos banheiros.


Germânica e colorida Após as obras de reestruturação e repaginação, iniciadas em abril, a Vila Germânica do Beto Carrero World foi reinaugurada em 23 de maio. A surpresa, para quem está acostumado com os tons pastéis das construções alemãs, é o colorido que tomou conta dos prédios. Segundo Claudete, muitos estranharam de início, mas existem explicações para a escolha das cores. Uma delas é que quis por a Vila Germânica no contexto de um parque de diversões e, para isso, precisava fugir dos tons palha e pastel. E, mesmo com o colorido, ela garante que não fugiu à origem germânica, pois, segundo referências buscadas no país europeu, construções antigas das cidadezinhas bucólicas do interior estão ganhando colorido vivo e alegre para atrair os turistas. Uma pitada de diversão na tradição secular. A vila é completada com coreto, detalhes em ferraria artística, floreiras nas janelas e muito colorido nos jardins. Tudo com uma musiquinha à moda da Oktoberfest no fundo.

Sob as cubas das pias aparece uma mistura de areia nos tons natural, acobreado e avermelhado. Pedras em cor natural completam, harmoniosamente, a decoração

Claudete levou aspectos da natureza para as pias

73


[ museus ]

74


Mausoléu Dr. Blumenau guarda restos mortais do desbravador

Eternas

lembranças Da idealização à inauguração, o Mausoléu Doutor Blumenau foi alvo de polêmicas, na década de 1970. Houve fortes críticas ao projeto idealizado pelo historiador José Ferreira da Silva. Parte da população não compreendia a homenagem, já que Hermann Bruno Otto Blumenau teria deixado a terra que dizia amar cinco anos antes de falecer. Isso não era bem compreendido e aceito pela população.

Mesmo com as contradições, a Prefeitura proporcionou à população, no dia 2 de setembro de 1974, as comemorações do sesquicentenário da imigração alemã, inaugurando a tão discutida obra, que recebeu, naquele dia, os restos mortais do fundador da cidade e de familiares. Na presença de Colombo Salles, governador de Santa Catarina na época, autoridades e comunidade local, o

prefeito Félix Christiano Theiss abriu espaço no discurso para ler trecho de uma carta escrita por Dr. Blumenau, destinada a Dom Pedro II, durante a viagem de regresso à Alemanha, em 1884. A carta que havia sido encontrada nos arquivos históricos de Petrópolis (RJ) trazia o desejo do fundador da cidade em “deixar um dia minhas cinzas no torrão em que derramei muito suor”. Tal ato pôs fim ao eco negativo sobre a obra.

No Centro Histórico da cidade, o Mausoléu Dr. Blumenau guarda os restos mortais do fundador da colônia e alguns de seus familiares

75


[ museus ]

A obra Localizado na lateral da antiga prefeitura, hoje Fundação Cultural, o Mausoléu Dr. Blumenau faz parte do complexo turístico da cidade. São 338,56 metros quadrados de área construída em técnica enxaimel. No centro, há quatro urnas onde estão depositados os restos mortais de Dr. Blumenau e familiares. No entorno, há exposições de fotos da família, cartas e documentos que fizeram parte da vida do imigrante. Todo o telhado é sustentado por uma estrutura de madeira de lei entrelaçada, sem forração. Também fabricadas de madeira, as portas e janelas largas permitem grande incidência de luz natural. “Para a época em que foi inaugurado, o projeto foi bastante inovador” afirma a diretora de Patrimônio Histórico-Museológico da Fundação Cultural de Blumenau, Sueli Petry. Tijolos à vista formam as poucas partes do prédio que contêm paredes. No chão, são lajotas vermelhas envernizadas que revestem a parte interna. Já as lápides e os jazigos estão como no começo, em concreto armado. A área externa do mausoléu está às margens do início da Rua XV de Novembro e próxima do horto municipal, logo muito arborizada. No local, também há uma estátua de Dr. Blumenau, que antes da inauguração da obra era fixada na Rua das Palmeiras (Alameda Duque de Caixas), onde ele morou no período em que viveu na colônia.

Eventos Desde a inauguração, até os dias atuais, o local é utilizado para fins culturais diversos, como lançamentos de livros, exposições, palestras e outras atividades. As pessoas interessadas em utilizar o mausoléu para determinados fins podem solicitar liberação na Fundação Cultura de Blumenau.

76


[ vinhos]

A consagração

da uva

Uma bebida data de surgimento é desconhecida, o vinho tem criação ou descoberta requerida por diferentes culturas. Do ponto de vista histórico, a origem precisa é impossível de determinar, pois, o vinho nasceu antes da escrita. Os enólogos, responsáveis pelo processo de fazer a uva virar vinho, acreditam que essa bebida tenha surgido por acaso, com muitas uvas amassadas que foram esquecidas em um recipiente e fermentaram. 78

Assim, cheio de mistérios, o vinho é apreciado em todos os cantos do mundo, presente desde um simples jantar, até as mais importantes celebrações. No Brasil, a característica principal é a diversidade de tipos de vinho. Sendo o 16º produtor mundial e o 5º maior consumidor da bebida no Planeta. Na Região Sul e Sudeste, a produção é semelhante a regiões europeias. No

Serra Catarinense conquista espaço com produção de vinhos de alta qualidade

Nordeste, na região semi-árida, as colheitas são sucessivas e acontecem durante todo o ano. Em Santa Catarina, existe a opção dos vinhos de altitude, única no mundo. Assim, o País oferece vários sabores, aromas e diferentes peculiaridades são, como características de clima, solo e diferentes sistemas de produção, garante qualidade já reconhecida internacionalmente.


Os vinhos da serra catarinense Em São Joaquim, na Serra Catarinense, duas vinícolas são exemplos de qualidade. A Pericó, localizada na fazenda Menino Deus, a 1,3 mil metros de altitude, encontrou na região o clima necessário para produzir o primeiro vinho de gelo brasileiro, tendo o Canadá como maior produtor dessa variedade da bebida. A Vinícola Villa Francioni também busca de São Joaquim o espaço no mercado brasileiro dos vinhos finos, conquistando, em 2007, o prêmio de melhor tinto nacional. O Pericó Icewine (vinho de gelo), foi lançado pela Vinícola Pericó em 10/10/2010, data especialmente escolhida para marcar o início de um projeto inovador. O vinho de gelo foi idealizado desde o plantio das primeiras mudas, em 2004. “Prepararemos o vinhedo para tornar realidade essa idéia”, ressalta Wandér Weege, fundador da vinícola. As uvas são colhidas ainda congeladas, a uma temperatura de 7,5 graus abaixo de zero, e antes do nascer do sol. No vinhedo, foi preciso um processo diferenciado de poda e, além disso, um caminhão frigorífico é usado para transportar as uvas até a parte da empresa que fará a vinificação. Nesse caso, a escolha das uvas Cabernet Sauvignon também foi importante. “Escolhemos

essa variedade por ser a mais tardia disponível no vinhedo e a única capaz de sustentar o lento amadurecimento nas parreiras até a chegada das temperaturas negativas do Inverno na altitude de São Joaquim”, explica Jefferson Nunes, agrônomo e enólogo da vinícola.

A partir da quinta safra, com a maturidade dos vinhedos, a tendência é que vinhos ainda melhores sejam produzidos Em 2011, a vinícola lançou o décimo primeiro vinho da gama de produtos: o Basalto. Vinho Tinto Fino Seco, elaborado com uvas Cabernet Sauvignon (60%) e Merlot (40%). Por ser um vinho complexo no sabor, é indicado para harmonizar com carnes vermelhas, feijoada e carnes de caça, diferente do Icewine, que tem veia ácida, realçando as características e o frescor. A Pericó também se preocupa com a questão ambiental e usa tecnologia à base de ar aquecido direcionado às folhas e cachos para permitir a redução, em 60%, do uso de fungicidas nos vinhedos. Outro equipamento adquirido pela vinícola é o pulverizador a túnel, o primeiro a ser vendido na América

do Sul e único no Brasil. Esse equipamento, importado da Itália, reduz em 95% a contaminação de fungicidas no ambiente. Os cuidados com a qualidade na produção já renderam diversos prêmios à vinícola, entre eles a medalha de ouro para o vinho Cave Pericó Branco Brut, no Concurso Mundial de Bruxelas – Edição Brasil 2010, realizado pela primeira vez em São Joaquim, e a premiação para o jovem Icewine no ano em que foi lançado. Porém, esses prêmios não deturpam a visão empreendedora do fundador e administrador da Vinícola Pericó. “Não devemos destacar um prêmio, mas valorizar todas as premiações conquistadas pela Vinícola Pericó até a quarta safra. Chegamos, em 2011, à quinta safra, momento em que os especialistas indicam como sendo de maturidade dos vinhedos e acreditamos que produtos com qualidade ainda maior deverão ser produzidos a partir dessa safra”, conclui Wandér Weege.

Mais informações Vinícola Pericó (49) 3233-1100 www.vinicolaperico.com.br

79


[ vinhos]

Celebração Outro expoente da produção de vinhos na Serra Catarinense é a Vinícola Villa Francioni. A frase cunhada pelo fundador da vinícola, Manoel Dilor, rege o trabalho da empresa. “Enriquecer a celebração da vida ao sabor de um elegante vinho elaborado com amor e arte”. Em 2005, a Villa Francioni lançou o primeiro vinho, um Chardonnay Lote I Branco, junto com a inauguração oficial da vinícola. Atualmente, produz 150 mil garrafas ao ano, divididas em 10 diferentes tipos de vinho, entre brancos, roses e tintos. As colheitas são sempre executadas em dias secos e nos horários em que as temperaturas sejam amenas, evitando os extremos do dia, sendo que a colheita é toda manual. Depois da colheita, as uvas seguem para a fermentação, processo que não dura mais que duas horas, e o amadurecimento acontece em barricas de carvalho 100% de origem francesa, permanecendo nelas de um a três anos. A escolha de uma região para a produção de vinhos é tão importante quanto

80

o processo de produção, como explica o enólogo e viticultor, Orgalindo Bettú, diretor-técnico da Vinícola Villa Francioni. “A região de São Joaquim propicia características fundamentais para a elaboração de vinhos finos de alta qualidade. Estamos situados a mais de 1.260 metros acima do nível do mar e, isso, além de propiciar invernos rigorosos, faz com que as temperaturas médias sejam mais baixas. Assim, o ciclo vegetativo das videiras se prolonga. Em se prolongando, podemos fazer com que as uvas maturem em maio, período de seca, havendo maior concentração de açúcares e compostos fenólicos na uva. Em consequência disso, a região de São Joaquim é ótima para elaborar vinhos de alta qualidade e, principalmente, vinhos de alta longevidade. Estima-se que os bons tintos da Villa Francioni possam melhorar

por até 30 anos, como os bons europeus”, afirma o enólogo. O cuidado desde a escolha do terreno, até o engarrafamento, que é todo automático, já rendeu diversos prêmios importantes para a vinícola, comandada atualmente pelos filhos de Dilor. Entre eles, o prêmio de melhor tinto nacional de 2007, pela confraria dos Sommeliers, de São Paulo e Rio de Janeiro, com o vinho Villa Francioni Tinto 2004, e o prêmio conquistado na Bienal de Buenos Aires 2009, como mais bela arquitetura da América Latina no segmento de vinícola.

Mais informações (49) 3233-1918 www.villafrancioni.com.br

É possível agendar visitas para conhecer os processos e degustar os vinhos da Vila Francioni


[ cervejas ]

A melhor cervejaria

sulamericana Cervejaria Bamberg, do interior paulista, saiu consagrada do concurso realizado em maio, em Buenos Aires

De 10 a 14 de maio, a capital argentina sediou o Great South Beer Cup, campeonato sulamericano de cervejas. Mais de 80 cervejarias participaram do evento com cerca de 300 tipos da bebida. Especialistas do mundo todo compuseram a comissão julgadora. A Cervejaria Bamberg, de Votorantim (SP), conquistou quatro medalhas de prata com os estilos Rauchbier, Helles, Schwarzbier e Munchen. Por ser a cervejaria mais premiada no concurso, faturou o prêmio de Melhor Cervejaria da América do Sul. “Esse é um momento único na história da Bamberg e também na cultura cervejeira nacional. Nosso empenho em desenvolver e produzir cervejas históricas tem refletido no cenário cervejeiro mundial. Nós e outras conceituadas cervejarias brasileiras temos provado que, através de um trabalho sério e comprometido, é possível mudar a cultura gastronômica de um país. Ainda temos um longo caminho a percorrer, mas estamos na direção certa”, afirma Alexandre Bazzo, mestre cervejeiro e proprietário da Bamberg.

Os estilos Rauchbier - Tradicional cerveja da cidade de Bamberg. O malte passa pelo processo de defumagem, com a utilização de madeiras das florestas daquela região. É uma cerveja de baixa fermentação, com 5,2% de teor alcoólico. Helles - Tradicional cerveja clara bebida no cotidiano do cidadão de Munique. Cerveja de baixa fermentação, com 5,0% de teor alcoólico, fácil de ser bebida e refrescante. Schwarzbier - Cerveja preta encontrada na região da Francônia. É uma cerveja de baixa fermentação, com 5,0% de teor alcoólico, fácil de ser bebida e muito complexa nos aromas e sabores. Munchen - Cerveja classificada como estilo Munich Dunkel, é uma cerveja de baixa fermentação com 5,0% de teor alcoólico. Mais informações www.cervejariabamberg.com.br www.southbeercup.com

82


[ cervejas ]

Para paladares

exigentes

A Bierland lançou mais duas novidades em cervejas: a Vienna e a Imperial Stout

Depois das cervejas Pale Ale, Bock, Pilsen e Weizen, a Cervejaria Bierland lançou, esse ano, mais duas novidades: a Vienna, em março, e a Imperial Stout, em maio. E mais novidades vêm por aí, com a Strong Golden Ale. A cerveja tipo Vienna é marcada pela forte personalidade dos lúpulos americanos, tanto no aroma como no paladar. 84

Para levar ao mercado produtos diferenciados, a empresa conta com a experiência de mais de 30 anos do mestre cervejeiro Ilceu Dimer, reconhecido pela Câmara de Indústria e Comércio da Baviera, na Alemanha. Além disso, é a única cervejaria artesanal de Santa Catarina a contar com os serviços de um Bier Sommelier, Paulo Bettiol.

As cervejas em garrafa podem ser encontradas em supermercados, bares, restaurantes e lojas especializadas no Sul, Sudeste e, em breve, Goiás e Brasília. As cervejas da Bierland não contêm componentes químicos como estabilizantes, antioxidantes ou corantes. “Nosso sabor é preservado ao máximo e de forma natural”, afirma Bettiol.


Vienna Um estilo de cerveja bastante tradicional, que surgiu antes da Pilsen, mas com poucos representantes no mercado atual. A Vienna foi fabricada pela primeira vez na Áustria, e foi desenvolvida em 1841 por Anton Dreher. É uma cerveja filtrada, de baixa fermentação e com 5,4% de álcool. Bettiol conta que buscou informações sobre o estilo, fiz degustações e conseguiu boa aceitação no mercado. A Vienna leva três tipos de malte de cevada, que conferem coloração avermelhada. O aroma remete a tons florais e cítricos, lembrando laranja, vindo dos três tipos de lúpulo utilizados, além de leves notas adocicadas, sugerindo caramelo, vindas do malte. Bettiol explica que o sabor tem boa presença de malte no início, remetendo a leves notas adocicadas e que recebe generosa porção de lúpulo, responsável pelo agradável e acentuado amargor.

Strong Golden Ale A Bierland lança, no dia 5 de julho, o sétimo estilo de cerveja da empresa: a Strong Golden Ale, que virá acondicionada em garrafas de 750 ml, fechadas com rolha de cortiça e terá 9% de álcool. Bettiol revela que a Strong Golden Ale tem uma coloração avermelhada e leva três tipos de malte e três de lúpulo, o que dá o aroma de frutas vermelhas, melaço e suave condimentado. Ele explica que, além da fermentação realizada no tanque, também é feita uma segunda fermentação na própria garrafa. “Deixamos condições para que esta segunda fermentação ocorra na garrafa e, por causa disso, a garrafa precisa ficar repousando em lugar inodoro, com

Imperial Stout No Século 18, a Corte Imperial da Rússia pediu que fossem enviados barris de cerveja Stout, de Londres, na Inglaterra, para o país, em viagem pelo Mar Báltico. Com o longo trajeto, a cerveja não chegava em condições de consumo. Para resolver o problema, os cervejeiros ingleses desenvolveram uma stout mais robusta e alcoólica, o suficiente para suportar o percurso, preservando o produto. A cerveja chegou em ótimas condições e foi chamado de Russian Imperial Stout.

baixa

e

constante

temperatura

durante, pelo menos, seis meses”, destaca. Para o lançamento já foram produzidas 800 garrafas da Strong Golden Ale, que está no processo de armazenamento desde dezembro.

O somelier Paulo Bettiol analisa o sabor da Imperial Stout

A Imperial Stout não é filtrada e o teor alcoólico é de 7%. Este estilo é marcado pela presença de cinco tipos de malte, podendo trazer sabor e aroma de chocolate e notas de torrefação. Além disso, traz características de frutas escuras, como ameixa e uva passa. “Possui coloração escura, perfil levemente frutado, com o álcool quase desapercebido e que traz um breve aquecimento ao paladar”, destaca o Bier Sommelier.

Harmonização O estilo Imperial Stout harmoniza bem com carnes vermelhas e aves. Outra boa dica é com o foie-gras, além de acompanhar perfeitamente sobremesas à base de chocolate, como tiramissu e brownie. A Vienna pede pratos suavemente picantes. Carne de porco, hambúrguer caseiro e peixes bem temperados e suculentos. “O que determina a harmonização da bebida com o prato é conhecer as características da cerveja para daí envolvê-la com o prato”, destaca Bettiol.

Copos Bettiol explica que os copos também têm funções na degustação e percepção da cerveja. O copo da Vienna tem a boca mais estreita para reter aromas muito voláteis e de difícil percepção, além de ajudar a manter um colarinho cremoso. Já o copo da Imperial Stout é parecido com os usados para conhaque e são ótimos para capturar os aromas, permitindo agitar a cerveja em movimentos rotativos leves. O design arredondado também ajuda a reter a espessa espuma das cervejas encorpadas e fortes e, como acontece com os conhaques, permite que seja envolvido pela mão para aquecer a bebida, caso esteja muito gelada. 85


[ gastronomia ]

Vários sabores à

mesa

SC Gourmet vai movimentar setor em Blumenau

Chocolates, vinhos, queijos, frutos do mar, cachaças e tantos outros produtos das linhas premium serão destaque em um novo evento que será realizado entre os dias 20 e 24 de julho, em Blumenau. O SC Gourmet reunirá produtores de todo o Brasil que apresentarão os mais conceituados produtos de delikatessem do mercado nacional. O destaque será a apresentação do know hall dos produtos alimentícios e de bebidas de alta qualidade produzidos em Santa Catarina, mas que ainda têm baixo reconhecimento pelos profissionais gastronômicos das demais regiões do Brasil. Para Júlio Vieira, que é um dos organizadores do evento, o SC Gourmet trará grandes benefícios para Blumenau e do Estado. “O nosso principal objetivo é reforçar a imagem da cidade no circuito enogastronômico brasileiro, por meio da valorização e divulgação dos produtos premium junto aos diversos canais de distribuição e consumo final”. Programada para o Parque Vila Germânica, a 1ª Mostra Brasileira de Queijos, Vinhos e Delikatessem ocorrerá em paralelo à 18ª Festitália, que celebra a cultura italiana.

O alemão Heiko Grabolle é chef de cozinha e atuou, além da Alemanha, em países como Suíça, Inglaterra, Itália e Espanha. Radicado, desde 2003, em Florianópolis, oferece serviços de food stylist e consultoria gastronômica. Como professor, contabiliza aulas para mais de 2,5 mil alunos em cursos da área em Santa Catarina. Durante o SC Gourmet, o profissional ministrará uma aula-show com dicas de receitas que elaborou durante as primeiras experiências que teve ao perceber as diferenças de hábito das cozinhas brasileira e européia, como também as novas receitas valorizando ingredientes locais. 86


[ gastronomia ]

Receita de Apfelstrudel, pelo chef alemão Heiko Grabolle A receita do Apfelstrudel pode variar, dependendo dos ingredientes escolhidos para o preparo. Conforme a

maçã a ser usada, o recheio pode conter mais ou menos umidade. É interessante regular com o açúcar cristal,

uva passas e farinha de rosca doce. A dica é fazer um teste antecipado de purê com a maçã que foi escolhida.

Apfelstrudel INGREDIENTES (MASSA FILÓ) • 250 gramas de farinha de trigo especial • 1 ovo • 1 colher de chá de óleo de girassol • 125 ml de água morna • 125 ml de água morna PREPARO misturar os ovos com o óleo e a água. Atente para medidas exatas, ao exemplo do tamanho do ovo, que se muito grande deve receber uma quantidade equivalente da farinha de trigo. Peneirar e acrescentar a farinha de trigo e o sal. Sovar tudo para obter uma massa homogenia e firme. Quanto mais sovada, melhor a massa ficará. De 15 a 20 minutos é o ideal. O descanso deve ser, pelo menos, de 20 a 30 minutos. Três horas seriam excelentes.

Em seguida, misturar todos os ingredientes, exceto farinha de rosca. Verificar a consistência do recheio e acrescentar farinha de rosca até o obter um recheio úmido, mas compacto. Provar e acrescentar mais açúcar, se necessário.

INGREDIENTES (RECHEIO) • 8 maçãs

FINALIZANDO

• 100 gramas açúcar cristal

Para finalizar o strudel, abrir a massa bem fina. Começar com um rolo primeiro e depois usar as costas da mão para esticar a massa. Deitar a massa sobre um pano e distribuir o recheio por cima da massa (75%).

• Canela em pó a gosto • 100 gramas uva passa • 60 ml de Amaretto ou outro licor com sabor de amêndoa • 100 gramas de castanha de caju sem casca • Farinha de rosca doce ao gosto

Depois, embrulhar a massa com o recheio e assar no forno a 160 graus, por 20 minutos. Para uma melhor aparência, pincelar uma misturar de gema de ovo e nata por cima.

PREPARO Lavar e descascar as frutas. Cortar em cubos, e misturar todas as frutas juntas numa tigela. Hidratar as uvas passas com o Amaretto, picar as nozes e castanhas.

88

O Apfelstrudel deve ficar firme e crocante por fora e úmida e pastoso por dentro. Servir morno com sorvete de baunilha. Rendimento: para 10 pessoas


[ design AP ]

Funcionais e

bonitos

CRIATIVIDADE NA COZINHA Design Mania

O MÁXIMO DO VINHO Flight Ravenscroft Decanter

90

O design do Flight Ravenscroft Decanter dá espaço máximo para o vinho respirar. Feitos à mão, a partir de cristal sem chumbo brilhante, possui uma base ampla que permite que o vinho libertar os sabores e aromas que realçam os atributos. Apresenta uma forma engenhosa, alça integrada com um acabamento brilhante de cristal de chumbo. Feito à mão por artesãos europeus, este projeto impressiona o entusiasta do vinho pela forma e funcionalidade. No www.sparklingstemware.com.

O porta-guardanapos de metal tem formato de talheres, dando um toque charmoso à mesa. A peça mede 10 cm de altura por 14 cm de largura, com quatro de profundidade e pesa 100 gramas. Da Design Mania.


Armazenar corretamente as frutas é importante para que elas não estraguem. Muito mais legal que isso, porém, é guardar elas com estilo. Essa fruteira vai tirar o tédio da sua cozinha – e vai arrancar um sorriso de quem enxergá-la. Essa fruteira combina com cozinhas bem modernas – ou com aquelas que precisam urgentemente de um toque de modernidade.

FRUTEIRA FUTURISTA

BUFÊ COM DESIGN Estilo BR

Linha de produtos do fabricante Estilo BR para comercialização pela Breton Móveis, a mesa possui uma gaveta estreita para armazenagem dos objetos periféricos, como talheres e pratos. A ideia original contava com um sistema de bandeja térmica (quente ou fria) embutida no tampo. Os pés são deslocados para dentro para evitar tropeços, causa frequente de acidentes domésticos. O bufê foi pensado para ser composto por um carrinho de bar, otimizando o espaço do ambiente.

O revisteiro Orabolas Duplo é mais uma peça exclusiva da Sazi. Para organizar as revistas com muito estilo e charme, vem com design diferenciado, levando requinte e sofisticação para casa. Esse revisteiro é uma peça de decoração. Desenvolvido para ambientes com espaço reduzido, tem fixação simples: através de parafusos ou fita dupla-face para superfícies planas. É produzido em inox.

REVISTAS ORGANIZADAS Sazi

91


[ clic Alto Padrão ]

Símbolo de um

velho conflito O Teatro Carlos Gomes é referência dos fatos marcantes da cultura e da sociedade blumenauense desde a chegada de Dr. Blumenau

A pedra fundamental da construção do teatro, em Blumenau, foi lançada em 1935, pela Sociedade Teatral Frohsinn. Era a época das últimas ocorrências da Primeira Guerra Mundial, que atingiu o povo e as tradições da colônia germânica fundada em 1850. Às margens do trajeto atualmente é conhecido como Rua XV de Novembro, a obra foi concluída externamente em 1939, junto com o sa-

92

lão de festas e restaurante. Pouco antes da inauguração, datada de 1° de julho daquele ano, a Sociedade Teatral Frohsinn alterou a nomenclatura para Sociedade Dramático Musical Carlos Gomes.

Em 1945, a sociedade era inaugurou a sala de espetáculos com o diferencial do palco giratório de 12 metros de diâmetro. Uma estrutura que, atualmente, existe em poucos teatros brasileiros.

Mais tarde, a sociedade, que compreendia a fusão da Frohsinn com a Liederkrantz, começava então a conquistar suas primeiras glórias: constituiu a orquestra e o coro sob regência do maestro Heinz Geyer.

São mais de 60 anos de história guardados pelas características originais da obra, mesmo com as alterações sofridas devido complementações ou exigências de reestruturação ao longo dos anos.


Arquitetura Algumas lendas rondam a história do Teatro Carlos Gomes. Uma delas é a arquitetura. Alegações populares afirmavam que Franz Knoblauch, engenheiro responsável pela construção teria projetado a parte superior do prédio com inspirações no quepe utilizado por Adolf Hitler.

que também era chefe da sede estadual do partido nazista no Brasil, que em épocas de guerra era o núcleo mais importante no País.

A Sociedade Dramático Musical Carlos Gomes abriga, atualmente, as escolas de balé, música,

As supostas afirmações tinham como base a posição Knoblauch,

teatro e a orquestra.

93


[ AP indica ]

peças exclusivas para sua

decoração

.MEXEDOR DE LÍQUIDOS PARA JARRAS Em aço inox, a peça possui diferentes desenhos nas pontas.

.SALEIRO EM CERÂMICA

R$ 84,50 a peça

Muito utilizado para as churrasqueiras. O formato da peça inibe a umidade no sal R$ 146,60

.COFRE EM CERÂMICA Prevestido de veludo em formato de porco R$ 76,00

.CAIXA MUSICAL BOOM BOX Em formato de rádio antigo, que pode ser utilizada com a conexão de MP3 e CD Player R$ 93,00

.PERFUMEIRA Em resina com design de Marina Prado R$ 314,00

.JARRA PARA SUCOS Em titânio e cobre R$ 440,21

.Vivacasa – vivacasa@vivacasa.net – (47) 3035 -1991 94


[ AP indica ] .ARMÁRIO CHIFFONIER Com cortina em tecido e tampa com espelho R$ 894,00

.FLOREIRA DE PAREDE Em metal R$ 229,00

.BANDEJA Em madeira com pintura especial R$ 194,00

.QUADRO EM TELA Com paisagem em preto e branco e um único elemento colorido R$ 89,00

.CAIXA DE JOIAS .PAINEL DE RECADOS Com espaço por dia da semana para anotar agendas de compromissos

Com divisórias R$ 149,00

R$ 369,00

.Magneto – magnetobl@hotmail.com – (47) 3037- 7509 96


.BANCO PEQUENO DE JARDIM Com almofada em tecido R$ 787,41

.CHAPELEIRA Com dispenser para guardachuvas e bandeja em acrílico para reserva da água R$ 1670,75

.GAIOLA PETIT CHALET Para passarinho R$ 323,70

.CAIXA BRANCA Em madeira MDF com divisórias para bijoux R$ 141,45

.ORATÓRIA SAINT CHAPELLE Em madeira MDF branca R$ 157,85

.ESPELHO ROMANTIC BRANCO Em três tamanhos R$ 59,04 (menor) R$ 67,45 (médio) R$ 73,39 (maior)

.Casa Vestida – casavestida@casaprovence.com.br –(47) 3340-0042/ 3340-0141 97


[ Agenda AP ]

Cursose eventos Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação e Contratação O curso enfoca as leis 8.666/93, 5.964/66, Resoluções do Confea e demais pertinentes à elaboração de projetos (anteprojeto, projeto básico, projeto executivo e ‘as built’) e a elaboração de orçamento, avaliação e demais aspectos a serem considerados, visando o controle da administração do contrato e a prevenção de riscos e falhas de execução, de atrasos e inadimplementos na execução de obras e serviços de engenharia.

+ informações • Quando: 18 e 19 de agosto • Hora: 9h às 18h • Onde: Fundação Universidade do Paraná Rua João Negrão, 180, Centro, Curitiba (PR) • Telefone: (11) 2626-0101 • Investimento: R$ 1.490,00

Gestão de Escritórios de Arquitetura e Design de Interiores: Clientes, Marketing e Rotinas Mesmo com uma boa bagagem teórica, Arquitetos e Designers podem sentir uma lacuna quanto à prática profissional propriamente dita: como cobrar e apresentar uma proposta, como apresentar um projeto, como conquistar e conseguir clientes, como conduzir um projeto e a obra, como se relacionar com clientes e fornecedores, quais os limites e os deveres de cada um. São as sutilezas de algumas atitudes e alguns cuidados que podem fazer a diferença entre os profissionais, além do talento criativo, e refletir no bom resultado do negócio.

+ informações • Quando: 8 e 9 de agosto • Hora: 9h às 18h • Onde: Bourbon São Paulo Business Hotel Av. Dr. Vieira de Carvalho, 99, Vila Buarque, São Paulo (SP) • Telefone: (11) 2626-0101 • Investimento: R$ 890,00

Iluminação Artificial - Luminotécnica Aplicada Aborda as variáveis que interferem na iluminação de um ambiente, não só na teoria, mas também na prática. Os participantes farão exercícios de projetos em prancheta e também com o uso de softwares. Assim, saberão decidir quais elementos devem adotar num projeto, visando ao melhor aproveitamento da luminosidade, com economia de energia.

Técnico em Paisagismo e Jardinagem O curso é reconhecido pelo MEC e conta com equipe de professores que atuam na área. O material didático é personalizado e a proposta pedagógica proporciona aos alunos maior interação com os professores. Na conclusão do 1º Módulo, o aluno recebe uma Certificação de Qualificação técnica em Projeto de Jardins. 98

+ informações IBDI Blumenau, Rua XV de Novembro, 1253, 1°piso, Centro, Blumenau (SC) Telefone - (47) 3222-3923 ibdi@ibdi-edu.com.br- www.ibdi-edu.com.br

+ informações • Quando: 29 e 30 de setembro e 1º de outubro • Hora: 8h30min às 18h • Onde: Quality Porto Alegre Rua Comendador Caminha, 42, Porto Alegre (RS) • Telefone: (11) 2626-0101 • Investimento: R$ R$ 990,00


Estética animal Tosa tesoura Produtos Nacionais

Banho

Escova

hidratação

Tosa

Creche

Produtos Importados

Veterinário

Hospedagem Venda de Filhotes

3237-3273

www.laboutiquepetshop.com.br

Pet Shop

Rua Bonifácio da Cunha, 29 . Jardim Blumenau - Blumenau / SC . (Transversal da Alameda Rio Branco)


Alto Padrão - Ed. 46  

Revista Alto Padrão. Voltada ao público de decoração, arquitetura e design de Blumenau e região. Produzida pela Mundi Editora - Blumenau/SC.

Advertisement