Issuu on Google+

Edição Nº 018 - Janeiro/2017

EDITORIAL Começamos o ano de 2017. 52 semanas, 365 oportunidades de nos aproximarmos de nosso melhor! Li recentemente um parágrafo que apreciei bastante e repito para vocês (com a devida autorização de um dos autores): O futuro chega assim: primeiro, você questiona e logo em seguida, age. Um dia por vez. Todos os dias. Mudanças podem ser inspiradas em algo externo, mas começam de dentro pra fora. Começam por você. (“What’s Next”) A reflexão que quero propor para todos neste período é a seguinte: como partimos da intenção para a prática? Como nos tornamos excelentes em transformar a intenção em prática, o sonho em realidade? Como agimos com o devido SENSO DE URGÊNCIA, sabendo que se cada dia traz uma nova oportunidade, cada dia também encerra uma oportunidade? Em suma, como nos tornamos excelentes em EXECUÇÃO? (Assim mesmo, sem qualificadores!) Muitas vezes, não cuidamos do planejamento, não elaboramos o mapa de onde queremos chegar - e, obviamente, nunca chegamos lá. (Ouvi nestes últimos meses, o termo “fazejamento” em oposição a planejamento, que confesso que me deixou intrigado.) Porém, o mapa da viagem não é a viagem e a jornada começa desde o planejamento, mas só termina quando você a realiza. Execução é isso: pensar onde queremos chegar, definir objetivos, identificar o que precisa ser feito para atingi-los, fazer, identificar obstáculos, contorná-los (alterando o que pensamos antes), voltar a fazer. Muito já se escreveu sobre execução e acho positivo que, a partir do final da década de 90, uma questão tenha crescido em relevância: por que estratégias e planos bem elaborados fracassam e caem no esquecimento? Meu resumo pessoal das diferentes recomendações restringe-se a duas palavras: ESCOLHA e DISCIPLINA. Por Escolha, quero dizer que devemos, a cada momento, ter certeza de que estamos escolhendo as metas e objetivos que realmente fazem diferença e que estamos escolhendo as batalhas que realmente nos ajudam a atingi-los. Em suma, não dispender esforços com o que não importa. Por Disciplina, quero dizer, principalmente, não deixar passar um dia sem que um passo consistente na direção de nossos objetivos não tem sido tomado (ter “senso de urgência” a todo momento), mas quero dizer também não abandonar nunca o ciclo do planejar, agir, medir, ajustar (sim, o ciclo PDCA, uma ferramenta simples e eficaz, por que não?). Há várias outros conceitos e ferramentas, mas não é meu objetivo explorá-los. Meu objetivo é simplesmente levá-los à reflexão e à ação e, por isso, deixo duas questões: - Você, líder, já comunicou claramente para sua equipe o que escolhemos como metas e objetivos? Você, colaborador, já se informou sobre que metas e objetivos escolhemos? Discutiu com sua liderança e contribuiu com sua visão do que precisa ser feito para atingir os objetivos que escolhemos? - Já se passaram 8 dias de 2017 (no momento em que estou finalizando este texto). O que você já fez para ajudar-nos a atingir nossos objetivos? (Em tempo: estou muito satisfeito de estar agora escrevendo também neste espaço que me permite mais um ponto de contato com você, nosso colaborador!) Fabian Magalhães

A boa liderança sempre eleva a equipe O setor de Contabilidade esteve em 1º lugar na Pesquisa de Clima Organizacional e ficamos curiosos para saber como a coordenadora Camila Bertholini atingiu o topo do ranking. Boas atitudes colaboram para excelentes resultados, então vamos conhecer um pouco mais sobre a gestão da Camila. - O que você acha que faz a diferença na sua liderança? Não tenho nenhuma receita secreta para fazer a diferença, muito pelo contrário. Na verdade, me baseio nos valores da empresa para liderar, cada um dos valores foram o alicerce da minha liderança, pois, para mim, estão todos interligados. A base principal é “franqueza total no relacionamento, juntamente com a empatia e respeito”. Desde o momento da contratação, já deixo claro que estarei fazendo avaliações sempre que julgar necessário, sem a intenção de constranger ou intimidar, mas sim, para dar um feedback, mostrando os pontos fortes do colaborador e os pontos que precisam ser trabalhados. E confesso que tem dado muito certo, é tão tranquilo a conversa que alguns colaboradores também me dão feedbacks sobre a minha gestão. - Quais atitudes são tomadas para o bom andamento do trabalho da equipe e qual o feedback deles? Aqui entram outros valores que contribuem. “Trabalho comprometido e norteado por Metas”: cada colaborador é responsável por uma atividade específica, trabalhando com cronogramas e prioridades de tarefas, mas também trabalhamos em equipe, para que todas as entregas possam ser atendidas, estando dispostos a ajudar, não sobrecarregando o colega. É incentivado também a “busca do autodesenvolvimento”, deixando o colaborador livre a conhecer o trabalho dentro de nossa área, na medida do possível, sem atrapalhar as atividades diárias. Nas minhas avaliações, recebo feedback e sugestões para que possamos sempre melhorar nossa equipe. Uma sugestão muito interessante e que já estamos trabalhando para implementar em 2017 é o colaborador ministrar cursos de assuntos específicos que ele domina para a própria equipe. Confesso que fiquei surpresa e muito contente, pois isso aumentará o conhecimento individual e contribuirá para o crescimento técnico do departamento. - Como funcionam os processos que estão dando certo com seus colaboradores? Para mim, ser um bom líder é quando você forma bons colaboradores. Para isso, é necessário avaliar constantemente cada colaborador e o grupo, para analisar qual a melhor maneira de tratar cada indivíduo. Tenho alguns processos que são importantes para a minha gestão. O feedback: este aplico sem data marcada, ou seja, independente da avaliação aplicada pela empresa, para uma atitude que precisa ser parabenizada ou até mesmo algum ponto relevante a ser corrigido, verifico a disponibilidade do meu colaborador e faço uma pequena avaliação. Acompanhamento das atividades/tarefas: através de um check-list manual e por meio do Outlook, relaciono as atividades delegadas para cada colaborador e vou acompanhando semanalmente, pois isso aumenta a produtividade e motivação dos colaboradores, além de não ter surpresas na entrega. Traçar metas e cronogramas de entregas de atividades juntamente com os colaboradores: procuro envolver meus dois assistentes para montar cronogramas e eles, consequentemente, se reúnem com os auxiliares para verificar a melhor data. Quando julgo necessário, eu reúno todos os envolvidos para traçar as metas/cronogramas, auxilia bastante na obtenção de resultados, pois somente quem executa sabe os problemas sujeitos a acontecer e, com isso, fica mais viável o cumprimento dos prazos. Ouvir os colaboradores: é de extrema importância no processo de liderança. A queda no rendimento, por exemplo, pode ser causada por problemas que uma simples conversa já resolve e, caso seja mais complexo, procuro uma solução em conjunto. Quando o problema é particular, procuro ajudá-lo neste momento difícil, com conversas e até mesmo flexibilizando os horários. Isso motiva e no momento em que a empresa precisar dele, ele estará disponível. Além de conversas individualizadas, quinzenalmente, o departamento se reúne para uma reunião de sintonia.


Conhecendo a empresa Expansão

Sete Ferramentas da Qualidade

Equipe: João Carlos, Mayumi e Luiz Felipe.

O Departamento de Expansão, como o próprio nome diz, é responsável em expandir nossa empresa, ou seja, promover o crescimento da marca com nossos parceiros, preservando sempre a ética, transparência e bom relacionamento com todos, afinal, esse é o nosso DNA: relacionamento que gera negócios. Trabalha diretamente ligado com as demais áreas da empresa, principalmente, com os departamentos de Inteligência, Operações e Marketing. Estudos de Geomercado são realizados pela área frequentemente, seja de maneira macro ou micro, avaliando cidades, bairros e regiões, em busca de áreas potenciais para o nosso negócio. O setor auxilia os franqueados na busca e negociação do ponto com muito critério, afim de minimizar os riscos e viabilizar o negócio. É responsável pela captação de novos candidatos, fazendo os primeiros filtros, encaminhando-os para o processo de seleção e chegando, por fim, ao Test Drive, última etapa antes de torná-los franqueados. Coordena também eventos como Feira ABF, Selo de Excelência e organizações semelhantes. Vale lembrar que somos detentores do Selo de Excelência ABF há mais de 10 anos, graças ao trabalho de todos: Franqueadora e Franqueados!

Aniversariantes

Ações com trocas de conhecimento e experiências, novidades, aprendizado e melhorias trazem mais motivação e dinamismo para o trabalho da equipe. O gerente geral dos Centros de Distribuição Marcelo Ninomiya, tendo esta percepção, está desenvolvendo sua equipe cada vez mais. Com o tema “As sete ferramentas da qualidade”, utilizadas para definir, mensurar, analisar e propor soluções aos problemas identificados que interferem no desempenho dos processos organizacionais, o time dos CDs está participando de um treinamento organizado pelo gerente. Segundo Marcelo, estas ferramentas podem ser aplicadas no dia a dia e utilizadas por qualquer colaborador que busca a qualidade e a melhoria contínua. “Cerca de 95% dos problemas enfrentados por uma organização podem ser resolvidos utilizando as Sete Ferramentas da Qualidade, pois elas foram desenvolvidas para simplificar e subsidiar melhor a análise de informações. As ferramentas fornecem meios para a tomada de decisões com base em fatos. São elas: Folhas de Verificação, Diagrama de Causa e Efeito, Pareto, Histograma, Fluxograma, Cartas de Controle e Diagrama de Dispersão”, conta.

Aniversariantes de novembro e dezembro - SP

O curso tem duração de oito horas, dividido em quatro módulos. O treinamento iniciou com os Líderes dos CDs SP e MS. “Ao final do curso, eles apresentarão um trabalho de melhoria no processo, utilizando os conceitos aprendidos em aula”, afirma Marcelo. Para Loammy P. Dias, assistente administrativo do CD MS, o tema agrega muito para seu dia a dia e sua carreira. “O assunto reforça muito o que aprendi na faculdade, pois aqui nós colocamos em prática. São ferramentas que facilitam bastante na tomada de decisão, ajudam a direcionar melhor a equipe no dia a dia”, observa.

Aniversariantes de novembro e dezembro - RF/MS

Equipe desenvolvida produz muito mais!

O Jornal Conexão Franqueadora é veiculado mensalmente, destinado à Multicoisas Franquias, Concentro e Rede Forte. • Tiragem: 25 exemplares • Coordenação: Danielly Azevedo - DRT/MS 1202 • Comitê Editorial: Danielly Azevedo, Kärstin Berger, Patrícia Oyakawa, Rodolfo Martin e Silmara de Andrade • Sugestões: danielly@multicoisas.com.br


Jornal Conexão Franqueadora - Janeiro/2017 - Ed. 018