Page 1

CADERNO VIAGENS DE

maria teresa almeida 2006-2012


Quantas vezes contámos o número de diferentes carimbos no nosso passaporte, calculámos a viagem mais comprida que fizemos ou lembrámos-nos daquele dia que foi o dia em que mais longe estivemos de casa? Não interessa quantos países visitámos, mas antes como o fizemos. A intensidade de cada experiência individualizada pelo que alcançámos, descobrimos, sobrevivemos e por quem nos acompanhou. O desafio à constante procura, mesmo sem saber de quê, fica-nos embrenhado. E impele-nos.

1


CURRICULUM VITAE

Maria Teresa Freitas Almeida n. 04|04|1989, Lisboa | Portugal

www.pratododiaemestocolmo.blogspot.pt www.cargocollective.com/mariateresaalmeida mt.freitasalmeida@gmail.com +351 912198886


CV FORMAÇÃO ACADÉMICA

2011|2012 2007|2011 2004|2007

estudante erasmus do 5º ano de mestrado integrado em arquitectura na Kungliga Tekniska Högskolan Stockholm, Suécia Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, Portugal Escola Secundária José Estêvão, Aveiro, Portugal, curso de artes visuais

APTIDÕES LINGUÍSTICAS português como língua materna inglês como segunda língua, utilizadora avançada C2 alemão como terceira língua, utilizadora independente B2 espanhol, utilizadora básico A2 francês, utilizadora básico A2 sueco, utilizadora básico A1 APTIDÕES T´ÉCNICAS informáticas: office [word, powerpoint, excel], adobe [photoshop, indesign, illustrator], autocad, archicad, rhino, artlantis. tem experiência de revelação e ampliação de fotografia analógica p.b. adquirida em actividade extracurricular no Clube de Fotografia da FAUP. APTIDÕES SOCIAIS habituada ao trabalho em equipa desenvolvido em âmbito escolar e em actividades recreativas [participação em concursos internacionais de arquitectura integrada em grupos com membros de nacionalidades múltiplas; participação em viagens longas feitas em grupo]. interesse e integração em novas culturas adquirida em viagens efectuadas e ao longo do percurso de formação em escolas internacionais. boa comunicação em várias línguas adquirida através de formação especializada.

VIAGENS REALIZADAS

2012 2011 2010 2009 2008 2007 2006

lapónia, helsínquia, copenhaga, rússia, noruega santiago de compostela, la coruña, estocolmo, israel, riga bilbao paris, turquia marrocos madrid saint malo 3

>>


ÍNDICE

7 SAINT MALO

11 MARROCOS

15 TURQUIA

19 ISRAEL

23 LAPÓNIA

27 RÚSSIA

31 NORUEGA


5


CREOULA navio de treino de mar

LOCAL: mar DATA: julho’06 ITINERÁRIO: lisboa-saint malo[FR]-lisboa TRANSPORTE: veleiro DISTÂNCIA: 2 138 milhas náuticas DURAÇÃO: 21 dias ALOJAMENTO: camaratas a bordo COMPANHIA: grupo de jovens instruendos da juvemedia e tripulação da marinha portuguesa. ESPÍRITO: desafiador, empreendedor, colectivo e divertido. OBJECTIVO: participação na regata Tall Ships Races 2006. FUNÇÕES: instruenda a bordo - turnos de 4h a decorrer 24h por dia - actividades de faxina e manutenção, vigia, arreio de velas, ponte, leme, cozinha, casa das máquinas, ...

7


Alvorada! Alvorada! Começava assim um novo dia a bordo do Creoula, aquela voz anasalada a intrometer-se nas camaratas e no nosso sono. Isto para quem não estivera de plantão das 4h da madrugada até àquela hora. Após a formatura distribuíamse tarefas e começava o trabalho em equipa. Tínhamos partido num fim de tarde de verão lisboeta. Orgulhosos, envergávamos as camisolas da tripulação, todos em fila e orientados para a doca e para a pequena multidão que nos via a afastar pelo Tejo. Confesso que os primeiros dias foram um pouco sofridos, descobri que padecia de incompatibilidades com o balançar contínuo do barco e passei horas na amurada a fitar o vazio das ondas. A experiência de fazer uma travessia de 3 semanas pelo Atlântico proporciona uma aprendizagem que ultrapassa meros aspectos técnicos de navegação. Cumprir funções, saber conviver, sentir momentos de adrenalina, outros de tédio e ainda os paz interior, criar motivos de divertimento e celebrar a consumação de um objectivo, em equipa - não só faz parte, como é o que constrói a experiência.

9


MARROCOS encontro com o deserto

LOCAL: marrocos DATA: dezembro’08-janeiro’09 ITINERÁRIO: lisboa-algeciras[ES]-ceuta[MA]-chefchaouen-fezazrou-vale do ziz-er rachidia-merzouga-todra-ait benhaddoumarrakech-essaouira-asilah-lisboa TRANSPORTE: caravana de jipes DISTÂNCIA: 3 800 km DURAÇÃO: 10 dias ALOJAMENTO: hostels e tendas berbere COMPANHIA: grupo de sócios da juvemedia ESPÍRITO: aventureiro, alerta, inebriante, reflexivo. OBJECTIVO: descobrir marrocos, encontrar o deserto. FUNÇÕES: passageira de jipes, dromedários e moto4.

11


Pode-se dizer que Marrocos foi o primeiro amor. Foi a primeira vez que saí da Europa, a primeira vez que tive um carimbo no meu passaporte virgem. Foi a primeira vez que viajei para descobrir paisagens e foi o primeiro contacto com uma cultura diferente. A sugestão veio pela caixa do correio, um panfleto berrante com a imagem de um dromedário. Marrocos pareceu plausivelmente perto e aliciante. As cores, os cheiros, os sabores, as roupas e as pessoas. O pó, a lama, as rochas, as montanhas, os lagos, as dunas, os oásis e as noites do deserto. A chuva no deserto. As estrelas, as fogueiras e o sorriso dos locais com turbantes azul anil e amarelo canário, as pestanas escuras e densas, a pele morena. As crianças que nos puxavam pela manga, chamando a atenção para os seus pequenos fósseis e colares de pedras. As arquitecturas toscas e puras das cidades marroquinas com os seus volumes brancos, ocres e do tom vermelho da terra. Quando cheguei a casa dei-me conta de que não havia recolhido uma amostra de areia do deserto. Sacudi roupas e mala e consegui juntar suficientes grãos de areia para me fazer lembrar a sua cor e a sua textura delicada na ponta dos dedos.

13


TURQUIA

fui visitar a minha irmã à

LOCAL: turquia DATA: dezembro’09-janeiro’10 ITINERÁRIO: lisboa-izmir[TR]-istambul-lisboa TRANSPORTE: avião DISTÂNCIA: [izmir-istambul] 560 km DURAÇÃO: 7 dias ALOJAMENTO: residência de estudantes e hotel COMPANHIA: irmã e amigo ESPÍRITO: curioso, expansivo, impulsivo e admirador. OBJECTIVO: explorar alguma da riqueza cultural do país. FUNÇÕES: irmã, amiga e companheira de viagem.

15


A Mariana levou-nos a descobrir o seu pedacinho da Turquia em Izmir. Cidade sem turistas em Dezembro onde nos embrenhámos nas multidões dos mercados, observámos as cabeças tapadas com lenços coloridos, ouvimos as chamadas para as orações e experimentámos iguarias dos tascos locais. Já Istambul, cidade imperial charneira de dois mundos, ofereceu um conjunto artístico e arquitectónico ímpar à luz de ouro do Bósforo.

17


ISRAEL viagem de estudo a

LOCAL: israel e jordânia DATA: outubro-novembro’11 ITINERÁRIO: estocolmo[SE]-tel aviv[IL]-rosh hanikra-galileia-colinas de golã-akko-haifa-cesareia-jerusalém-mar morto-neot smadar-petra[JO]eilat[IL]-tel aviv-estocolmo TRANSPORTE: avião e carrinha de 9 lugares DISTÂNCIA: [percorrida em israel] 1 800 km DURAÇÃO: 21 dias ALOJAMENTO: hostels e kibbutz COMPANHIA: colegas e professor da faculdade de arquitectura da KTH Estocolmo. ESPÍRITO: liberal, activo, aberto, desinibido e receptivo. OBJECTIVO: conhecer e estudar o país e a capital em particular. desfrutar dos cenários naturais e dos ambientes urbanos. FUNÇÕES: aluna [realização de workshop em tel aviv].

19


Um sopro de ar fresco. A liberdade e a responsabilidade dos nossos actos nas nossas mĂŁos. Mais do que uma viagem de estudo foi uma viagem de encontros: com colegas que se tornaram amigos, com paisagens que nos marcaram, com um patrimĂłnio rico, com culturas e ideais que se misturam e que definem a complexidade e a identidade deste paĂ­s.

21


LAPÓNIA 67º51’36’’N

LOCAL: suécia DATA: janeiro’12 ITINERÁRIO: estocolmo-kiruna-estocolmo TRANSPORTE: comboio nocturno DISTÂNCIA: 1 200 + 1 200 km [ida e volta] DURAÇÃO: 5 dias ALOJAMENTO: cabana e comboio COMPANHIA: grupo de amigos ESPÍRITO: aventureiro, ingénuo, desafiador. OBJECTIVO: primeira incursão a norte do círculo polar ártico. FUNÇÕES: organização e manutenção da cabana e das reservas.

23


Vamos. Vamos procurar o frio extremo, os lagos congelados, as paisagens imaculadamente brancas e as auroras boreais. Vamos para onde os dias são mais curtos e onde os trenós puxados por cães deslizam no silêncio da noite inóspita. Aquecemos-nos na sauna ou numa fogueira - um pontinho de luz sobre a imensidão do lago esquecido da floresta.

25


RÚSSIA terra do caviar e do vodka

LOCAL: rússia DATA: abril’12 ITINERÁRIO: estocolmo-s. petersburgo-moscovo-estocolmo TRANSPORTE: avião e comboio nocturno DISTÂNCIA: [s. petersburgo-moscovo] 700 km DURAÇÃO: 7 dias ALOJAMENTO: hostels COMPANHIA: grupo de amigos ESPÍRITO: divertido, interessado, curioso e guloso. OBJECTIVO: viver intensamente uma pequeníssima parte da rússia numa semana. FUNÇÕES: nada mais que ser uma jovem turista em ambiente urbano estimulante.

27


Foi uma semana muito preenchida e mesmo delirante. Absorvi de tudo, desde aspectos culturais, históricos e patrimoniais até ao alto teor alcoólico da bebida nacional russa. Em Moscovo tivemos a sorte e a atenção de uma amiga local que nos proporcionou, empolgada, a experiência da cidade através da sua perspectiva. Aproveitámos cada dia e cada noite.

29


NORUEGA noites de sol

LOCAL: noruega DATA: junho’12 ITINERÁRIO: estocolmo-karlstad-oslo[NO]-kristiansand-stavanger-bergenaurlandsfjellet-sognefjellet-hjerkinn-geiranger-trollstigen-ålesund-trondheim-bodølofoten-andøya-senja-tromsø-vardø-estocolmo TRANSPORTE: carrinha de 9 lugares DISTÂNCIA: 7 600 km DURAÇÃO: 21 dias ALOJAMENTO: campismo selvagem COMPANHIA: grupo de amigos ESPÍRITO: aventureiro, colectivo, de sobrevivência e deslumbre. OBJECTIVO: as rotas turísticas norueguesas até ao norte. FUNÇÕES: condução, montagem de acampamento, refeições, organização da carrinha, manutenção das reservas.

31


No último dia de Maio partimos, juntos, mais uma vez. Sabíamos que ia ser cansativo, que íamos passar muito tempo no carro, que os duches iam ser escassos e que teríamos de montar e desmontar acampamento quase, quase todos os dias. Mas também sabíamos que era a última viagem, a última oportunidade por tempo indeterminado. Sabíamos que íamos ver cenários incríveis, conduzir por estradas solitárias e desconhecidas, encontrar paisagens de neve e fiordes de águas surreais. Tomámos banho em lagos nas montanhas geladas e no mar debaixo do sol da meia noite. Apanhámos ferries e vimos golfinhos. Acampámos em praias com sol e com chuva e em campos com rebanhos a pastar. Vimos renas de perto e ao longe. Desfrutámos de um dos melhores conjuntos arquitectónicos de intervenção na paisagem natural. Molhámos-nos debaixo de céus carregados e enterrámos-nos em neve alta. Tivémos um furo e uma multa. Ficámos fartos, saturados e zangados. E ultrapassámos rancores para continuar. Se foi um sucesso? Garantido.

33


E agora? O meu mapa mundo ainda está em crescimento. E tenho tempo para o construir. Oportunidades, surpresas e (in)certezas, novos e velhos amigos - são pretextos para sacudir o pó à mala, mais uma vez, e partir. Penso que tenho de ir ainda mais a norte - à ilha dos ursos polares, Svalbard, último lugar considerado urbanizado. E quem visitou a Lapónia não pode deixar de sentir curiosidade em relação à Patagónia. Talvez cumpra finalmente a promessa de ir visitar aquela amiga da escola ao Canadá, mas faço questão de subir até lá pela costa dos Estados Unidos. Trabalho humanitário, talvez na minha área, também parece bonito de se concretizar. Para relatos mais ou menos engraçados e alguns detalhes sobre as recentes viagens que fiz visitem o meu blog: www.pratododiaemestocolmo.blogspot.pt

35


mt.freitasalmeida@gmail.com | +351 912198886

Caderno de Viagens 2006-2012  

Pequenas histórias e lembranças de algumas viagens recentes.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you