Issuu on Google+

GRAFITE

| Edição nº 117/2011

GRAFITE

Jornal-Laboratório do curso de Jornalismo

| Edição nº 118/2011

Vocalista da banda Móveis Coloniais de Acaju fala sobre a expectativa de tocar em um dos maiores eventos musicais do mundo

A

pós 26 anos de história, mais de cinco milhões de espectadores, e aproximadamente 700 atrações, um dos maiores eventos de música do mundo, o Rock in Rio,

volta à sua cidade natal.

O festival, que surgiu no Brasil em 1985, soma nove edições,

sendo três no Brasil, quatro em Portugal, e duas na Espanha. Em 2011, o evento, que será realizado no Rio de Janeiro promete muitas

Foto: Divulgação/Rock in Rio

Por Marta Stegani

show

Rock in Rio volta às origens

novidades para os frequentadores. Com data marcada para os dias 23, 24, 25, 29 e 30 de setembro e 1 e 2 de outubro, o festival será realizado na Barra da Tijuca, mesmo bairro de sua estreia, e pretende reunir cerca DE 600 mil pessoas (40% turistas) na Cidade do Rock, espaço que foi construído especialmente para o festival e será utilizado nos Jogos Olímpicos de 2016.

Sunset, Eletrônica e Rockstreet. Entre as bandas confirmadas estão

De acordo com a RioTur , além dos recursos privados, a

artistas de sucesso no Brasil e no mundo, como Ivete Sangalo, Clau-

prefeitura deve investir cerca de R$ 37 milhões na infraestrutura e o

dia Leite, Milton Nascimento, Paralamas do Sucesso, Guns N’Roses,

retorno esperado com o evento pode chegar a US$ 350 milhões aos

Coldplay, Shakira, Lenny Kravitz e Elton John, além de DJ’s e bandas

cofres municipais.

que surgiram no cenário musical independente.

ATRAÇÕES

dias, 10 meses do festival. Os organizadores aguardam cerca de 60

O Rock in Rio 2011 terá proporções muito maiores do que

a primeira edição, de 1985. Ao todo, serão quatro palcos: Mundo,

Os cem mil ingressos disponibilizados se esgotaram em quatro

mil pessoas a cada dia do evento.

A banda Móveis Coloniais de Acaju é uma das atrações que vão abrir o Rock in Rio e o vocalista André Gonzales conversou com a equipe do jornal Grafite. Grafite: Vocês já tocaram em algum festival do porte do Rock in Rio? Qual foi o maior público que vocês já tocaram? André Gonzales: Tocamos em alguns grandes festivais aqui no Brasil, mas não do porto do Rock in Rio. Em 2008, na Bélgica, tocamos no Festival Pukkelpop, em uma cidade chamada Husselt, e foi ótimo. Era uma média de 50 mil pessoas por dia e teve bandas como Metallica e The Killers. Grafite: Há alguma banda que vai tocar que vocês são fãs e vão acompanhar o show? André: Bem, vimos o show do Metallica na Bélgica, mas pra nós terá um sabor mais que especial não só ver, mas sim dividir palco com

1

a Orquestra Rumpilezz, que somos fãs de carteirinha. Então, só de pensar nisso já dá um friozinho na barriga. Vai ser emocionante. Grafite: Vocês acham que o espaço dado para bandas independentes ainda é pequeno? Com os festivais existentes, esse cenário tende a mudar, dando mais destaque as bandas? André: Creio que já mudou bastante. Temos um cenário brasileiro hoje menos segmentado e mais diversificado. essa diversidade de bandas e novas linguagens musicais tem chamado a atenção dos meios de comunicação, pela qualidade e também por ter outros festivais que acontecem por todo o Brasil.


Rock in Rio volta às origens