Issuu on Google+

INTENCAO

MENSAL

DA MI

FIDELIDADE AO NOSSO BATISMO

M

ana: 0 seu nome, a sua pessoa e a rela9aO de amor para conosco, instaurada e desejada pelo mesmo Filho seu, san 0 sinal da filia9aO divina a ser amadurecida como eco no tempo. Pensar e sentir Maria, ama-Ia com a for9a das fibras do cora9ao e com a vontade da pessoa humana, ou seja, 0 desejo de amar e ser amado infinitamente, inaugura 0 f1uxo da gra9a de Deus e garante dinamica a dadiva da mesma filia9ao divina em sinal da nossa responsabilidade de rela9ao fiel ao Senhor. Por isso, conservar em nossa experiencia religiosa um sentimento perene a Virgem Maria e alimentar tal sentimento com uma sabedoria perscrutada e encontrada em cada horizonte e mensagem escondida, ofere-

cida pelo evangelho de maneira pcrsonalizada, e 0 modo imediato de abrir-se afetivamente aos valores do batismo, por vezcs csquecidos e desvalorizados. Maria para nos e como a lua cheia de verao: so be lentamente e com grande discri9ao para render homenagem ao ceu claro e se fazer presente com uma luz e cor radiante que nao san suas, aguardando seja a paciencia de quem a observa, seja 0 suspiro de "maravilha!", para depois se esconder uma vez ainda enquanto cala a noite. Esta imagem simbolica significa que no ceu da gra9a de Deus em nossa vida, a sua presen9a materna e funcional a presen9a da propria gra9a de Deus, que irradia a sua providencia na penuria, fidelidade na prova e companhia com

001


o proximo que encontramos a cada instante. Se contornamos a nossa vida, em todos os seus aspectos, desde a dimensao privada aquela publica, de discri<;ao e retidao, de gratidao e humildade, de paciencia e serenidade, irradiamos entao uma luz que nao e nossa e suscitamos maravilha aos nossos amigos e parentes, e entendemos finalmente que a vida de gra<;a e ora<;ao, de sacramento e caIidade, pernlite valorizar cada minima experiencia humana, colocando 0 amor de Deus em primeiro lugar, dando a a<;ao gratificante de Maria em nossa vida correspondencia a gra<;a do batismo que nos liga de modo unico a fonte de nossa existencia que e Deus. Fidel idade que esta ligada antes de mais nada ao todo de nos mesmos, envolvido e tocado em cada minimo espa<;o e experiencia, conquistado e vencido, entregue e informado de novo significado no amor de Deus. Na perspectiva da fe e consciencia clista, somente a fidelidade de Deus ao homem pressupoe a fidelidade humana a Cristo. A consciencia mariana, ou seja, a gama de valores vividos e ratificados pela experiencia de Maria, que soma com a nossa consciencia e experiencia, nao sempre reta, mas sempre em via de transfonna<;ao, e compreendida como uma fidelidade filial, on de a percep<;ao que se tem de Deus e sobretudo AbbG (cf. Rm 8,15). Maria foi fiel ao Abbir Paler e nos envolve nesta sua fidelidade de modo que, amando Maria, a nossa vida nao assume outra consequencia senao constfmcia ao Senhor, acima de cada nossa inevitavel pequenez. A fidelidade - valor imprescindivel para solidificar 0 bem - dedicamos constancia as inten<;oes e aos gestos que nascem em quem e batizado: dialogo aberto e nao pretensioso, pois todos somos filhos e filhas do mesmo Pai celeste e dignos de respeito e promo<;ao dos talentos da propria personalidade; acolhida fervida e natural, sem mediocridade e interesses mesquinhos, pois cada innao e inna sente saudade de Deus e a nossa gentil e gratuita acolhida Ihes pennite sentiI' em nosso abra<;o fratemo 0 abra<;o do Pai; a missao que nao e somente limitar-se ao fazel', mas e criatividade do amor, como Kolbe, que pOl'amor criativo entendeu trabalhar, criar estruturas para a evangeliza<;ao e promo<;ao humana, oferecer instru<;ao e dire<;ao espiritual, escuta aos innaos e innas necessitados de aten<;ao e orienta<;ao, dialogo e reverencia a quem lhe era

... amando Maria, a nossa vida nao assume outra consequencia senao constancia ao Senhor ...

CONSAGRA~O A NOSSA SENHORA Virgem Imaculada. Minha mae Maria. Eu renovo, hoje e sempre, a consagracao de todo 0 meu ser, para que disponhais de mim para 0 bem de todos. Somente peeo que eu possa, minha rainha e mae da Igreja, cooperar fielmente com a vossa missao de construir 0 reino do vosso Filho Jesus, no mundo. Para isso, vos ofereco minhas oracoes, sacriflcios e aeoes. "Para que, na fidelidade ao nosso batismo, redescubramos a verdadeira devocao a ti, abrindo-nos 11 missao, ao diiJlogo e 11 acolhida"

o Maria concebida sem pecado, rogai por nos que recorremos avos e por todos quantos nao recorrem avos, especialmente pelos inimigos da santa Igreja e por todos quantos SaDavos recomendados.

Perguntas

1

Scndo cristaos batizados, somos chamados a ser I11IS510narios. Diantc disto. como de\'cmos atuar na sociedadc?

2

0 que

podcmos fazer para atingir a verdadeira dcyo<;ao il Imaculada? ,\n..: \

diferente como religiao e principio, oferta dos proprios limites de saude, angustia e preocupa<;ao, abandono confiante ao bom senso dos proprios companheiros e responsaveis maiores, envolvimento coral e fraterno nos projetos, bondade sem medida e compaixao na dol' e solidao alheia, entrega do proprio corpo e da necessaria seguran<;a, enfim, de toda a vida pOl'alguem que gritou 0 direito a vida e a familia. Hoje, nos serve sobretudo a coragem de nao sentiI' a fidelidade como um peso, mas como um processo; como um espa<;o cedi do ao fundamental e essencial em lugar do narcisismo. Na companhia de Maria, procurar vencer 0 mal com 0 bem (cf. Rm 12,21) para que 0 batismo nao seja um rito esteril, implicado pela nos sa possivel omissao, mas um sinal existencialmente rico de vigor e novidade para a cultura e para a pessoa na atualidade. ROBERTO MlsSIONAnlO

MARIO

BARBOSA

DA IMACULADA-PADI~E CENTno

KOLBE

INTEnNACIONAL

DA MI

ROMA - ITALIA

I>L

rOn\l \(\0

SAIBA MAIS:

MlLiclA

www.miliciadaimaculda.org.br

DA I\lACULADAlESPIRITUALJDADE


Fidelidade ao Nosso Batismo