Page 1

nº 66 Outubro de 2014

III Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos Roma, 05 a 19 de Outubro 2014 «Os desafios pastorais da família no contexto da evangelização»


ORAÇÃO PELO SÍNODO

Jesus, Maria e José, em Vós, contemplamos o esplendor do verdadeiro amor, a Vós, com confiança, nos dirigimos: Sagrada Família de Nazaré, tornai também as nossas famílias lugares de comunhão e cenáculos de oração, escolas autênticas do Evangelho e pequenas Igrejas domésticas. Sagrada Família de Nazaré, que nunca mais se faça, nas famílias, a experiência da violência, do egoísmo e da divisão: todo aquele que ficou ferido ou escandalizado depressa conheça consolação e cura. Sagrada Família de Nazaré, que o próximo Sínodo dos Bispos possa despertar, em todos, a consciência do carácter sagrado e inviolável da família, a sua beleza no projeto de Deus. Jesus, Maria e José, escutai, atendei a nossa súplica. (Papa Francisco) Crescer on-line - Outubro de 2014 - Página nº 2


Acampamento Oásis 2014 “Vai ao fundo…” Fornos (Castelo de Paiva) 24 a 29 de agosto Desde já o meu especial agradecimento a quem confiou na minha palavra, para agora desse lado estarem a ler o meu testemunho. Quando me convidaram para esta atividade pensava que estava preparada mas, na verdade, comecei a sentir que ia deixar a rotina de ajudar nas tarefas domésticas e que iam ficar a sentir a minha falta; o não conhecer as 24 pessoas com que ia conviver, também contribuiu para que enfraquecesse a minha presença no acampamento. Os primeiros dias foram uma junção de sentimentos (medo, medo de desistir e angústia) que fui perdendo ao longo da semana. Todos os presentes marcaram-me de uma forma especial acolhendo-me como se já me conhecessem há muitos anos e, isto sim, fezme crescer e não desistir. Todas as atividades realizadas tiveram um dinamismo e uma enorme importância para cada um de nós, pois crescemos não só psicologicamente como crescemos em Deus. Uma das perguntas feitas ao longo da semana foi: “Quem sou eu?”… A resposta que obtive foi muito simples: “Alguém que ao longo destas horas está a descobrir um mundo melhor e diferente do que aquele que tem vindo a viver. Estou feliz!” Esta resposta fezme perceber que este é o meu caminho, um caminho de partilha, um caminho com Deus. Um dos momentos mais marcantes foi o “Lavapés”, em que no fim recebemos como frase: “Deus quer mais de ti” e na verdade é isto mesmo… que nunca percamos a ânsia de viver, que nunca queiramos desistir e que sejamos mais e melhor. Para terminar deixo aqui o meu agradecimento a todos pelo companheirismo, especialmente ao Pe. André Machado que sempre confiou em mim, um muito obrigada. E acabo dizendo… PARA O ANO HÁ MAIS! Sandra Soares

‘Fui ao fundo e todos os meus problemas vieram à tona’ Na semana de 24 a 27 de Agosto, estivemos em Fornos na casa do sr. abade André, em acampamento mas mais que isso estivemos também em retiro da rotina e do quotidiano. Dizem que eramos à volta de 25 mas com a presença Dele tornámo-nos muitos mais e ao mesmo tempo soubemos ser um. Foi uma semana de reflexão, de muita brincadeira e convívio, de acordar cedo e deitar a horas que muitos diriam indecentes, uma semana de cantar até dizer chega e caminhar até não poder mais, mas acima de tudo uma semana de ir ao fundo. Por isso, um grande obrigado ao Movimento Oásis, a todos os monitores presentes e não presentes, ao sr. padre André, à Ana Maria e à Linda, a todos os presentes no acampamento (testemunhos incluídos) e claro um grande obrigado a Deus que mais uma vez nos uniu para continuar Seu caminho. Marco Barbosa

Crescer on-line - Outubro de 2014 - Página nº 3


“IR AO FUNDO” Num dia destes dei por mim a olhar atentamente para a camisola que personalizamos no acampamento. Enquanto olhava e lia o que nela estava escrito as recordações daqueles cinco dias fantásticos inundaram o meu pensamento… Encontramo-nos como sempre na casa do OASIS em Ermesinde. A maioria das caras já conhecia e outras era a primeira vez que as via. Recordo-me da noite desse Domingo, já em Fornos, estávamos reunidos para fazermos as apresentações e falarmos um pouco das questões e das expectativas que carregávamos na bagagem para aquela semana. Lembro-me de ter dito que não costumava criar muitas expectativas por duas razões, a primeira é que simplesmente os acontecimentos nunca correspondem as expectativas que crio no sentido em que ou ultrapassam ou ficam aquém das expectativas, a segunda é que gosto de ser surpreendido, ir ao encontro do inesperado sem pensar muito no que poderá ocorrer. Por isso mais uma vez, este acampamento superou qualquer expectativa que eu pudesse levar, foi uma semana autêntica, graças ao grupo sempre unido e onde cada um deu e deixou um pouco de si. Conhecemos pessoas novas, que partilharam e ofereceram o que tinham de melhor, outras ficamos a conhecer melhor e a receber mais um bocadinho do que tinham para dar. No entanto não fortalecemos só a nossa relação com os outros mas também fortalecemos a nossa relação connosco e sobretudo com Deus. Isto numa semana em que tivemos tempo para tudo, numa semana em que não caímos na rotina, em que cada dia era uma aventura e uma surpresa desde a alvorada até à hora de adormecer. Rimos, brincamos, reflectimos, rezamos, debatemos e discutimos os mais diversos assuntos desde a dignidade humana até ao perdão e ao amor. Continua na página 4

Crescer on-line - Outubro de 2014 - Página nº 4


Ir ao fundo… era o nosso lema para aquela semana, uma simples expressão mas com um enorme significado para nós… Um dos dias que mais me marcou foi o de quarta-feira. Foi o dia do silêncio, foi uma experiencia tão forte e desafiante, no inicio questionei-me, será que sou capaz de passar um dia em silêncio? É desafiante para quem está habituado à correria do dia-a-dia, mas o medo e o receio deram lugar à tranquilidade e à paz de espirito. Foi um dia em que fui mesmo ao fundo, parecia que estava sozinho mas Deus acompanhava-me onde quer que eu fosse, era só ele e eu, ele estava lá! Podíamos senti-lo na brisa... Deixei-me tocar, fui ao fundo do meu coração, do meu pensamento, do meu ser… Senti-me como o peixe da história que li, no início estava com medo, com receio de sair do meu lugar de segurança, mas Ele estava comigo, fechei os olhos e deixei-me ir… Outro dia que me marcou, foi o de quinta-feira pois se quarta foi o dia em que convivemos connosco e com Deus a quinta foi um dia em que convivemos com os outros, foi mais um dia para fortalecer laços, e se na quarta o objectivo era ir ao fundo, na quinta ir ao fundo era o que ninguém queria. Nesse dia vivemos mais uma experiencia, fomos andar de canoa, foi mais uma experiencia, entre muitas, espectacular e onde metemos muita água à mistura. Depois do jantar vinha o nosso serão com a habitual missão secreta onde dávamos a conhecer as peripécias do dia, e de seguida o habitual debate sobre os mais variados temas. E claro como não podia deixar de ser, no último dia celebramos a eucaristia sobre um cenário deslumbrante, uma autêntica tela pintada por Deus pois o nascer do sol que serviu de pano de fundo á nossa celebração tornou-a ainda mais rica e mais bela. Resumindo foi uma semana intensa, repleta de experiências, sempre com Ele ao nosso lado, uma semana da qual levarei sempre as melhores e mais bonitas recordações. Agradeço a todos os amigos que viveram comigo esta aventura, agradeço também ao P. André, a todos os animadores e a todos os que não estando presentes colaboraram para que tudo se tornasse possível. José Emanuel Amorim

Crescer on-line - Outubro de 2014 - Página nº 5


GRUPO DE CASAIS EM FESTA O Grupo de casais Semente celebrou, em festa, as Bodas de Prata Matrimoniais dos casais Luz e António José e Esmeralda e José Manuel, sendo-o, respetivamente, em 07 de Setembro (a data do casamento foi 03.09) e 16 de Setembro. Em ambos os casos a celebração da Eucaristia foi o momento mais marcante da memória de dois matrimónios fecundos. Foi tempo de, em conjunto, celebrar uma data, na qual vivemos e actualizamos o profundo e grande mistério de fidelidade e amor destes casais um ao outro e a Jesus Cristo e à Igreja. Ficou a alegria do encontro e a certeza de que num casamento feliz, o amor a Deus dá sentido à construção humana de uma família. Por eles demos e continuamos a dar Graças a Deus.

Também em Setembro, mas já de 12 a 14 teve lugar o habitual fim-de-semana do mesmo grupo de casais, o qual dá (re)início às respetivas atividades. Desta feita, foi tempo de apreciar, com a ajuda de S. Pedro, que, contra as previsões, nos concedeu um fim de semana quente e solarengo, a belíssima paisagem da Barragem do Azibo. E de remar, nadar e até andar aos tiros e ter encontros com fantasmas... De destacar a imaginação e qualidade do tradicional Family Show e a alegria, boa disposição e laços de amizade, digo, de verdadeira familiariedade. É muito bom começar um novo ano de atividades com este entusiasmo. Isabel Peixoto Crescer on-line - Outubro de 2014 - Página nº 6


PALAVRA DO FUNDADOR “…Falar da pobreza é uma tarefa muito difícil. Porém, é preciso falar dela; é urgente falar dela. É indispensável reflectir acerca da pobreza, senão ficamos privados de um dos mais significativos elementos que definem o espírito do Evangelho. A nossa pobreza: como devemos entendê-la? Como devemos desejá-la? O que ressalta imediatamente da pobreza de Jesus é a sua recusa de protagonismo. No facto de ter vivido trinta anos no anonimato - como uma pessoa comum –, Jesus mostra que escolheu a condição humana, a mais humana possível: como os homens sem história, sem rosto, que não contam, que passam sem deixar marca, que vivem sem qualquer privilégio, sem qualquer sinal de distinção social. A primeira “escolha” dos cristãos deveria ser a aceitação da sua condição, sem dramas, sem ansiedade, sem complexos. Os cristãos deveriam renunciar à corrida frenética para o sucesso, que agita tanta gente, conscientes de que a sua dignidade não está ligada à posição social do lugar que ocupam, mas reside unicamente no facto de terem nascido, de serem homens, de serem filhos de Deus. Quem vive a obsessão de ser rico, de ter sempre mais, para aumentar sempre mais as condições de comodidade da sua vida, não vive o espírito da pobreza cristã. Isto não significa que não devemos servir-nos dos bens materiais, dos meios técnicos que o progresso põe à nossa disposição, mas que devemos usá-los na medida em que concorrem para a nossa salvação. Devemos colocar-nos em rota de colisão com este mundo consumista que, apesar de nos inundar de prazeres, não nos dá uma migalha de alegria. Vivida com este espírito, a pobreza cristã torna-se uma bem-aventurança: Felizes os pobres! Torna-se, definitivamente, um acto de amor para com Deus: talvez o modo mais genuíno e mais sincero de amar a Deus, porque leva a um verdadeiro abandono a Deus e à sua providência. Jesus quis ser pobre e preferiu o pobre. Por isso, ser imagem de Jesus significa “preferir” os pobres: uma preferência – note-se bem – que é um devido acto de justiça, que dá mais a quem tem menos. Em relação aos pobres, devemos estar mais disponíveis, mais prontos a dar, a darmonos. E, acima de tudo, devemos ter deles um conhecimento, o mais possível, pessoal e cordial. Devemos sentir-nos próximos; afectuosamente atentos; desejosos de não perder, nunca, o contacto com eles; de estar com eles com simplicidade e alegria. Devemos saber dar: dar do nosso, dar alguma coisa ou dar muito e, porventura – quando o Espírito o pede – dar tudo o que somos e temos. Devemos empenhar-nos – cada um segundo a sua condição – para que os bens da terra permaneçam tal como são: de todos, para serem distribuídos por todos. O cristão não pode assistir, inactivo e indiferente, ao espectáculo de uma distribuição, evidentemente, injusta entre os indivíduos e entre os povos…” ( Così, semplicemente, 26.11.1978 ) Crescer on-line - Outubro de 2014 - Página nº 7


ENCONTRO DE ANIMADORES No passado sábado, dia 20 de Setembro, o grupo de animadores do movimento Oásis reuniu-se para refletir sobre o lema deste novo ano pastoral: “Deus chama: Da inquietação da procura à alegria do Sim Fiel”. Foi no seguimento deste lema que tivemos a oportunidade de ouvir o testemunho do Padre Cláudio que nos disse que Deus nos chama pelo nosso nome, que nos conhece e chama porque nos ama. E é por sentirmos este amor, que somos chamados a levar aos outros esta alegria que é ser Filho muito amado de Deus. Percebemos desta forma que este amor de Jesus só é vivido e experimentado quando o levamos ao outro, pois tal como o Padre Cláudio nos dizia: “A inquietação não é uma novidade, mas traz novidades à nossa vida”. Desta forma, fomos desafiados a algumas atitudes que nos fazem concretizar na nossa vida o “Sim Fiel”, por isso devemos levar o abraço de Deus, levar o sorriso de Deus e levar a companhia de Deus ao outro. Estas três atitudes que devem ser uma constante em cada dia da nossa vida são facilmente sentidas sempre que entramos na casa do Movimento Oásis. Em cada encontro sentimos o abraço fiel de Deus, que nos acolhe com alegria e nos faz sentir esperados e amados. …..

Como o Padre Cláudio dizia, ainda quando estamos a chegar já sentimos essa alegria, pois o acolhimento no movimento Oásis é sempre feito com o sorriso de Deus que gravamos nos nossos corações. Deste modo, é desta forma que nos sentimos inquietos e desafiados a levar a companhia de Deus ao outro. Durante a manhã fomos convidados a reunirmo-nos em pequenos grupos de trabalho onde interpelados pelas perguntas que nos foram lançadas, podemos reflectir e partilhar a forma como cada um de nós sente este amor de Jesus e de que maneira ele nos inquieta. Posteriormente, voltamos a reunir em plenário e cada grupo partilhou aquilo que conclui na reflexão. Por fim, o nosso orador convidou-nos a contemplar em silêncio o sinal de Amor e de Entrega de Jesus: a Cruz. Naquela belíssima imagem de Jesus abandonado, cada um de nós sentiu esse abraço misericordioso e amoroso de Deus que nos envia como testemunhas desse amor. No final do almoço, onde experimentamos esta alegria de servir, foi apresentado o plano de actividades para o ano 2014/2015. Posto isso, teve lugar um breve momento de oração, terminando o encontro com um pequeno lanche. Este encontro deixou gravado nos nossos corações a certeza que a alegria do “Sim Fiel” deve ser uma contante nas nossas vidas, um sim dado em cada dia de olhar fito na Cruz, sinal de entrega generosa e total aos outros. Sara Leal

Crescer on-line - Outubro de 2014 - Página nº 8


MOVIMENTO OÁSIS PLANO DE ACTIVIDADES 2014 / 2015 LEMA:

DEUS CHAMA: DA INQUIETAÇÃO DA PROCURA À ALEGRIA DO SIM FIEL - 14-16 NOVEMBRO: Deus chama: a hora é de decisão – diz SIM, com alegria (a partir do 18 anos) -29-3D NOVEMBRO: Deus chama : Ao serviço do amor (adultos ) - 17-19 DEZEMBRO: Deus tem um projeto: deixa-te envolver pela ternura de Deus (a partir do 15 anos) - 9-11 JANEIRO: Movimento Oásis: um caminho de resposta à interpelação de Deus – a dinâmica da espiritualidade do serviço por amor (a partir dos 16 anos) - 23-25 JANEIRO: Escuta Jesus no teu coração. Ele tem um projeto para ti: responde com alegria (a partir dos 13 anos) - 13-15 FEVEREIRO: Deus precisa de ti: porque esperas? Decide-te! (a partir dos 15 anos) - 27-29 MARÇO: Maria – o testemunho de uma resposta fiel (a partir dos 13 anos) - 10-12 ABRIL: A vida com Jesus é mais feliz: a alegria de servir – ser um SIM ( a partir dos 15 anos) - 9-10 MAIO: Jesus ama: ouve o que Ele diz; dá-lhe o teu coração (pequenos amigos de Jesus) - 23-24 MAIO: Jesus ama: ouve o que Ele diz; dá-lhe o teu coração (pequenos amigos de Jesus) - 5-7 JUNHO: Sede santos: um desafio a acolher na alegria – o SIM que transforma a vida (a partir dos 15 anos) - 20-21 JUNHO: Faz da tua vida um dom: a Jesus e aos outros (a partir dos 13 anos) OUTRAS ACTIVIDADES: . Acampamento … . Encontro celebrativo … ANIMADORES: - 20 de Setembro - 3 de Janeiro

Movimento Oásis Centro de Espiritualidade Rua Mirante de Sonhos, 105 4445-511 Ermesinde - tel. 229712935 http://www.movimentooasis.com Contactos : padrearaujo@sapo.pt / oasis@movimentooasis.com

Crescer On-line - outubro de 2014  

Boletim do Movimento Oásis em Portugal

Advertisement