Page 1

nº 58 – Dezembro de 2013


TESTEMUNHO 1 Curso “Espiritualidade: Inundados pela Fonte vida centrada em Cristo; novo ritmo para o serviço por amor”

Se no inicio julguei difícil conciliar a vida profissional, a vida de estudante, que ainda sou, e continuarei a ser , a pós-graduação, e todas as atividades a que estou ligada, depois percebi, que mais fácil não teria sido...E porquê? Porque Ele está lá, sempre está... Então começou... Fui recebida de braços abertos, numa casa "fria" com gente "muito quentinha", que nos acarinha e nos faz sentir amados. Depois foi mais um beijinho, um miminho...e já estava pronta para Deus entrar...

E entrou, como entrou... Foi no deserto, que tudo começou, a caminhada foi dura, mas não foi só, tinha-te a Ti, à Antónia, ao Pe. Sérgio, ao Pe. André, a todos aqueles que partilharam um pouco das suas vidas connosco e a todos aqueles que, como eu se retiraram e se entregaram numa partilha de experiências, que me tocaram o coração, de forma suave, mas penetrante, com a brisa que passa...o sorriso que fica... e Deus entrou... Entrou num coração, que estava ressequido de sede, enrugado, partido e mal-tratado, seco e vazio, pois então, a Ele nada é impossível!... Primeiro um cântaro, depois.. deu de beber, devagarinho, para não partir, mais um pouquinho... um tesouro pequenino, simples...palavras, gestos, brincadeiras, alegria, amor e paz...e Ele entrou... Remexeu, escavou, escavou, e encontrou... ÁGUA brotou e a fonte foi encontrada, numa terra árida sequiosa, mas renascida... E este coração na sua pequenez, voltou a bombear, voltou a dar a gota, que faz o oceano maior e não está só...nunca está só... Obrigada por tudo... Juliana

Crescer - on-line nº 58 Dezembro de 2013 Página nº 2


TESTEMUNHO 2 “Inundados pela Fonte – Vida centrada em Cristo; novo ritmo para o serviço por Amor” Foi nos passados dias de 29, 30 de novembro e 01 e dezembro de 2013, no Centro de Espiritualidade Oásis em Ermesinde, que se viveu mais um encontro de jovens, desta feita com o tema: Inundados pela Fonte – Vida centrada em Cristo; novo ritmo para o serviço por Amor. Perto de 30 jovens passaram estes dias debatendo e refletindo individual e coletivamente, sobre a proposta que Jesus nos faz de vivermos a seu jeito, tendo como exemplo a sua boa-nova (evangelho), como fonte de inspiração! Foi possível através dos testemunhos dos vários intervenientes, percebermos que significado tem Jesus de Nazaré na nossa vida e o quão perto, ou mais distante, está a nossa vida da Sua presença. De salientar alguns pontos dos testemunhos que nos interpelaram a refletir que somos sempre chamados a ser santos e partilhando da principal missão da igreja, sermos meios de Evangelização de Deus nas nossas vida quotidianas. Citando Santo Agostinho, o pe. Sérgio Leal lembrava-nos: “Devemos sempre evangelizar e se necessário utilizar palavras”, colocando desta forma a nossa “vida centrada em Cristo”. Noutros testemunhos percebemos também a importância de desenvolvermos as nossas capacidades, quer intelectuais quer espirituais, e através delas sermos firmes nas nossas vidas, demonstrando que ser cristão hoje em dia é uma questão de firmeza nas nossas opções e assim sermos também testemunhas da presença do Espírito Santo na nossa realidade atual. Saímos destes dias com uma esperança renovada e com a certeza também, que a nossa vida é Dom de Deus e que este tempo de espera (advento), será sempre um tempo de refazermos nossos passos e esperar pelo (re)nascer de Jesus de Nazaré nos nossos corações e vidas! Em jeito de oração final suplicamos ao Senhor: “Que nas nossas vidas, continues a ser a fonte de água viva, que sempre inunda o nosso Oásis!” Um bem-haja a todos! André Martinho Azevedo Crescer - on-line nº 58 Dezembro de 2013 Página nº 3


A PALAVRA DO FUNDADOR O nascimento - a vinda - de Cristo, que nesta quadra recordamos, faz-nos pensar na Sua vinda ao mundo, hoje. Será que Ele virá? Sim, virá!... Virá porque são muitos os que O esperam. Quem espera a paz – a paz de espírito, a paz nas famílias, a paz nas nações e entre as nações – espera-Te, Jesus, porque só Tu podes dar a paz que o mundo procura, que o mundo quer, mas não encontra nem sabe dar. Quem procura a verdade – e são tantos! – procura-Te, ó Senhor. Não foi dito, não foi escrito que só Tu tens palavras de vida eterna? Quem procura a justiça – e é procurada pelos pobres com fome, os inocentes caluniados, os povos… - procura-Te, ó Senhor. Quem procura o amor – que não é desejo nem concupiscência – procura-Te, ó Jesus. Tu, que pregaste o amor como sendo o Teu mandamento, como sendo o distintivo dos que querem ser Teus discípulos; Tu, que és Amor encarnado, vem, Senhor!... Vem e não tardes… Volta, ó Senhor, a este mundo que Te invoca, como a terra árida e seca implora o cair do orvalho ou as chuvas torrenciais. Crescer - on-line nº 58 Dezembro de 2013 Página nº 4


CRISTO, FONTE DE ÁGUA VIVA O mundo em que vivemos passa por grandes transformações de mentalidade e de sentido, marcantes da vida quotidiana e, muitas vezes, escravizantes e massificadoras. A pessoa tornou-se o centro de tudo, na voragem do egoísmo, da lassidão moral, do subjectivismo ético, do abuso da liberdade, da indiferença religiosa e espiritual. O mundo, como dizia P. Rotondi ao apresentar o rumo e o ritmo de Movimento Oásis, está a arrefecer; está a tornar-se num deserto, na aridez das relações interpessoais, na falta da verdade, na ausência de amor transparente, no vazio da fé, na vitória do individualismo. Um mundo assim seca a alma e o coração; embrutece os sentimentos; esvazia a esperança. Hoje, mais do que nunca, sabemos que as sedes do mundo saciam-se, a maioria das vezes, em águas inquinadas e há tanta gente a correr atrás de miragens. Nós, os crentes e amigos de Jesus, vivendo a exigência do Evangelho e as propostas do Movimento Oásis, devemos ser luz de esperança a apontar a verdadeira fonte, onde jorram águas vivas, frescas e puras, capazes de saciar para a eternidade. Lembramos a cena e as palavras de Jesus no encontro com a Samaritana: “ Se tu quisesses Eu dar-te-ia uma água viva que, bebendo dela, nunca mais terias sede”. Uma água viva feita de perdão, de amor, de ternura, de compaixão, de renovação interior, de alegria, de paz, de bemaventurança… Jesus quer saciar as nossas sedes; lavar as nossas culpas; sarar as nossas feridas, regarnos com a sua graça para que sejamos, nós também, uma nascente a jorrar vida, verdadeira vida. Como são belas as palavras do Profeta Isaías: “As águas jorrarão no deserto, as torrentes na solidão e a terra queimada será fonte…” Com Cristo no coração de cada um; no meio do mundo; na vida e respiração de cada instante. Cristo ansiado, procurado com todo o fervor e toda a dedicação. Mergulhados em Cristo: vida e ressurreição, novo céu e nova terra, justiça e santidade, dádiva e louvor… Cristo, fonte de água viva, é um desafio permanente a deixarmos o nosso lamaçal e a perdermo-nos n’Ele. Neste tempo de Advento, saibamos abrir o coração a Cristo e aos outros para que, no Natal de Jesus, nos saciemos de alegria, de paz, de comunhão e O partilhemos em autêntico “serviço por amor”. Um bom Natal, com Jesus. P. Eleutério Crescer - on-line nº 58 Dezembro de 2013 Página nº 5


GRUPO DE CASAIS VISITA SINAGOGA DO PORTO No dia 24 de Novembro, tarde ensolarada, mas fria, o grupo de Casais Semente, no desenvolvimento do tema escolhido refletir ao longo do ano: As religiões monoteístas, distância e proximidade a caminho de um Ecumenismo sem perda de identidade, visitou a Sinagoga do Porto, centro de culto da Comunidade Israelita do Porto, que celebrou o seu 90.º Aniversário em julho de 2013. Um breve apontamento histórico: este templo judaico foi começado a construir em 1929 e terminado 8 anos mais tarde. Também chamada Sinagoga Kadoorie (em homenagem a Laura Kadoorie, descendente de judeus portugueses que abandonaram o país devido à Inquisição, cuja família, à morte daquela, deu relevante apoio monetário à construção de grande parte da Sinagoga do Porto) - Mekor Haim (“Fonte de Vida”) é a maior sinagoga da Península Ibérica e uma das maiores da Europa. Já no interior, os nossos jovens, com o Kipá na cabeça e uma enorme curiosidade, concretizada em mil perguntas, que o gentil e engraçado guia se apressou a esclarecer… E houve ocasião para tudo: conhecer a comunidade israelita do Porto, as suas origens, visitar a escola judaica que ali funcionou nos primórdios daquela comunidade, mas, antes ainda, de conhecer e perceber a Sinagoga mesma: um local que eleva o Judeu, ligando-o à sua Fonte. E lá vieram os nomes “esquisitos”: Arca Sagrada (Aron HaCodesh ), um armário ou um recesso na parede, na direção de Jerusalém, no qual são guardados os Rolos de Torá (Sifrei Torá); Luz Eterna (ner tamid), uma lâmpada colocada acima e em frente da Arca Sagrada, que é deixada sempre acesa; Bimá, a plataforma, tradicionalmente separada da Arca, sobre a qual há uma mesa (shulchan), na qual a Torá é lida para a congregação e o leitor ou cantor lidera a congregação nos serviços; candelabro (menorá) reminiscente da menorá de sete braços do Templo, geralmente colocada em local proeminente perto do Aron HaCodesh ou da bimá, sendo que para não duplicar aquela usada no Templo é usada uma menorá de seis ou oito braços... Uma seção para mulheres (ezrat nashim) é um aspeto antigo e representativo na sinagoga ortodoxa e tradicional, com formato de balcão. E houve muitas questões a um tal propósito! E uma explicação sobre as Festas Judaicas e a sua ligação ao ciclo da vida. E, novamente, mil perguntas, sobretudo dos nossos jovens, ávidos de perceber as razões de uma Fé que se constitui antes do mais como uma identidade. Para concluir, a refletir melhor o proveito daquela tarde, foi para o grupo ocasião de fazer nossas as palavras escritas na parede da Arca Sagrada, as que se constituem para os Judeus, como para os Cristãos, verdade essencial. E pudemos rezar (juntos): Shemá Ysrael (em hebraico - (‫שמע ישראל‬Escuta ó Israel, Ado-nai, nosso Deus é Um, as duas primeiras palavras da seção da Torá, que constitui a profissão de fé central do monoteísmo judaico (Deuteronómio 6:4-9). Isabel Peixoto Movimento Oásis Centro de Espiritualidade Rua Mirante de Sonhos, 105 4445-511 Ermesinde - tel. 229712935 http://www.movimentooasis.com Contactos : padrearaujo@sapo.pt / oasis@movimentooasis.com

Crescer On-line - dezembro de 2013  
Advertisement