Issuu on Google+

nº 57 – Novembro de 2013


PARA QUE CRISTO SE FORME EM NÓS Semana dos Seminários 10 a 17 de novembro 2013 “No âmbito da pergunta: «Onde se integra o Seminário? Que significado tem o período nele transcorrido?», fundamentalmente o que mais me impressiona é o modo como São Marcos, no terceiro capítulo do seu Evangelho, descreve a constituição da comunidade dos Apóstolos: «O Senhor fez os Doze». Ele cria algo, faz algo, tratase de um acto criativo. E fê-los, «para que estivessem com Ele e para os enviar» (cf. Mc 3, 14): vemos aqui uma dupla intenção, que parece, sob certos aspectos, contraditória. «Para que estivessem com Ele»: devem estar com Ele, para chegar a conhecê-Lo, para O escutar, para deixarse plasmar por Ele; devem andar com Ele, caminhar com Ele, aos pés d’Ele e seguindo os seus passos. Mas, ao mesmo tempo, devem ser enviados que partem, que levam para fora o que aprenderam, levam-no aos outros homens que estão a caminho; partem rumo à periferia, ao ambiente mais amplo, e rumo mesmo até ao que está muito distante d’Ele. E, no entanto, estes aspectos paradoxais andam juntos: se estão verdadeiramente com Ele, então estão sempre a caminho também rumo aos outros, então vão à procura da ovelha perdida. Então saem, devem transmitir aquilo que encontraram; então devem dá-Lo a conhecer, tornar-se enviados. E vice-versa: se quiserem ser verdadeiros enviados, devem estar sempre com Ele. Uma vez São Boaventura disse que os Anjos, para onde quer que vão, por mais longe que seja, movem-se sempre no seio de Deus. O mesmo sucede aqui. Como sacerdotes, devemos sair pelas inúmeras estradas onde se encontram os homens, a fim de os convidar para o banquete nupcial do Filho. Mas só

o poderemos fazer, continuando sempre junto d’Ele. Ora, aprender este sair, o ser mandados, e conjuntamente estar com Ele, o permanecer junto d’Ele é precisamente – segundo creio – aquilo que devemos aprender no Seminário: o modo justo de permanecer com Ele, o ficar profundamente enraizados n’Ele – estar sempre mais com Ele, conhecê-Lo cada vez mais, conseguir cada vez mais não separarse d’Ele – e, ao mesmo tempo, sair cada vez mais, levar a mensagem, transmiti-la, não conservá-la para si, mas levar a Palavra àqueles que estão longe e que todavia, enquanto criaturas de Deus e seres amados por Cristo, trazem no coração o desejo d’Ele.” (Papa Bento XVI) Para reflectir Que tem o Seminário a ver contigo? E que tem o Seminário a ver com a tua comunidade?

Crescer - on-line nº 57 Novembro de 2013 Página nº 2


ENCONTRO DE ANIMADORES Boas notícias! O encontro de animadores que se realizou no passado dia 14 de Setembro reuniu cerca de 35 animadores com alegria e ânimo para testemunhar Cristo onde são chamados a ser fermento! Destaco sobretudo a participação dos jovens que se iniciaram nestes Encontros e que muito contribuíram para a vivência dos momentos de reflexão, oração (com as melodias das guitarras e do violino que trouxeram) e convívio. O Encontro teve como tema ” Cristo, fonte de água viva que sacia a nossa sede” e como conferencista o Pe. Paulo Jorge, o qual se propôs falar mais com o coração e a vida, e não com a teologia, e assim aconteceu. Apresentou-nos Cristo como fonte abundante de água fresca em que todas as manhãs se refresca, onde sacia a sede e recupera forças para continuar a caminhada. O ponto de partida foi o Evangelho de S. João (4, 5-42) que serviu de mote à Mensagem ao Povo de Deus do Sínodo dos Bispos para a Nova Evangelização. No diálogo de Jesus com a mulher samaritana o Pe. Paulo Jorge destacou o que mais o impressionou em

Jesus: o poder de cativar, de atrair e prender a Si as pessoas. “Cativar significa criar laços”, lemos na história do Principezinho de Saint-Exupéry. Então propôs-nos deixarmo-nos cativar por Jesus e com Ele criarmos e estreitarmos laços perenes que durem para a vida toda. A partir daqui a reflexão centrou-se em 5 pontos essencias: 1-Toda a Humanidade está sentada junto do poço, de ânfora vazia, na esperança de encontrar um sentido de plenitude para a sua vida. 2-Hoje são muitos os poços que se oferecem à sede do homem, mas é preciso discernir para evitar águas poluídas. Poços como o dinheiro, o poder, o egoísmo, a indiferença, o vício, a droga, o prazer sem amor. 3-Como Jesus no poço de Sicar, também a Igreja sente que se deve sentar ao lado dos homens e mulheres deste tempo, para tornar presente o Senhor nas suas vidas,

Crescer - on-line nº 57 Novembro de 2013 Página nº 3


(Continuação da página 3)

para que O possam encontrar. 4-Só Jesus é capaz de ler no fundo do nosso coração e de nos revelar a nossa verdade. 5-Quem recebeu a vida nova do encontro com Jesus, por sua vez não pode deixar de se tornar anunciador de verdade e de esperança para os outros. Por fim, propôs-nos responder a estas questões: Quem é Jesus para mim? E como vivo a minha relação com Ele? Ser amigo de Jesus transforma a minha vida? De que modo? (para reflexão pessoal); Para que junto ao poço o nosso movimento possa transparecer o rosto de Jesus, o que cabe a cada um de nós fazer em prol do movimento? O que pedimos ao movimento? (para reflexão em grupo). Durante a tarde foi apresentado o plano de atividades do Movimento para este ano pastoral que já se encontra disponível no site. Obrigada a todos! Paula Valinhas

Crescer - on-line nº 57 Novembro de 2013 Página nº 4


REUNIÃO DE CASAIS Tarde chuvosa de Domingo, 13 de Outubro, reuniu em Ermesinde o grupo de casais "Semente", naquele que foi o primeiro encontro de "trabalho" deste novo ano pastoral; dando início à temática que se desenvolverá ao longo de todo o ano: Conhecer melhor as outras religiões para compreender melhor a novidade da nossa Fé e integrar o imprescindível diálogo ecuménico. Desta feita a reunião resolveu-se com a "prata da casa" e tivemos ocasião de, numa perspetiva introdutória, verificar a cronologia das grandes religiões, percebendo o contexto histórico do seu surgimento e seguindo a sua evolução ao longo dos tempos, mais analisando o que de mais fundamental as caracteriza e distingue. Foi também ocasião de "desconstruir" as principais dificuldades no relacionamento com outras religiões e crenças: o dogmatismo exclusivista, o utilitarismo ou pragmatismo e a tão atual tendência de "fusão", adiantando pistas para os próximos encontros, que se planeiam como encontros entre crentes, mais do que conversas a propósito de religião e culturas distintas. Isabel Peixoto

Crescer - on-line nº 57 Novembro de 2013 Página nº 5


Palavra do fundador Faz que amemos como Tu amas “Aumenta em nós o dom do Teu amor” Que o Teu amor esteja em nós… um amor que seja como o Teu. Faz que amemos – Te amemos – como Tu amas. Faz com que, com este amor, um amor a que não colocamos limites, amemos os outros, todos os outros. Assim, compreenderemos a inestimável riqueza do baptismo que nos purificou, do espírito que nos regenerou e do sangue que nos redimiu… ( … a fé do povo de Deus deve reavivar-se… isto é, tornar-se operante. Mas, as obras devem ser, sobretudo, obras de amor: do amor de Deus, e - em Deus - do amor aos irmãos) in, Ho pregato, pag 37

Movimento Oásis Centro de Espiritualidade Rua Mirante de Sonhos, 105 4445-511 Ermesinde - tel. 229712935


Crescer On-line - novembro de 2013