Page 1

nº 51 – Abril de 2013

PÁSCOA FELIZ

“Jesus não é um morto, ressuscitou, é o Vivente! Não regressou simplesmente à vida, mas é a própria vida, porque é o Filho de Deus, que é o Vivente. Jesus já não está no passado, mas vive no presente e lança-Se para o futuro; Jesus é o «hoje» eterno de Deus. Assim se apresenta a novidade de Deus diante dos olhos das mulheres, dos discípulos, de todos nós: a vitória sobre o pecado, sobre o mal, sobre a morte, sobre tudo o que oprime a vida e lhe dá um rosto menos humano. E isto é uma mensagem dirigida a mim, a ti, amada irmã, a ti amado irmão. Papa Francisco, na Vigília Pascal 2013


PALAVRA DO FUNDADOR O que fazer para sermos santos? A Igreja ensina que a santidade não é o cume da moralidade. Quando alguém se esforça por tornar perfeita a relação moral que liga a sua acção à vontade de Deus, então essa pessoa está decisivamente no caminho da santidade. Caminho longo - é preciso dizê-lo – do qual não se vê a termo, a meta. Assim como a moralidade diz respeito a todo o nosso agir, assim também a santidade. Diz-se que ter fé é correr um grande risco; tentar ser santo é correr um risco muito maior. No entanto, é obrigatório: todos devemos corrê-lo. A vocação à santidade – a do ser, que é puro dom de Deus; e a do viver, que deve ser conquista nossa, através do nosso esforço e com a ajuda de Deus – a vocação à santidade é fundamental e, por isso, universal. Deus chama todo a ser santos; a viver como santos, qualquer que seja o estado de vida e seguindo cada um o seu caminho. Uma mensagem que não é nova; não fui eu que a inventei. Mas, posso chamá-la “minha” no sentido de que eu procurei sempre propô-la a todos, especialmente aos jovens quando me perguntavam: O que devo ser? O que devo fazer?... A pergunta foi dirigida a Jesus por um doutor da lei. Este nosso tempo é tempo de simplificação, isto é, de reduzir à simplicidade. Andamos à procura de fórmulas que simplifiquem a vida espiritual e a nossa acção. Há muitas fórmulas e algumas com sucesso… Eu, também, proponho uma fórmula a quantos se aproximam de mim. Ofereço-a, sobretudo, aos jovens. Digo-lhes: “Concebei a vida como um serviço por amor”. In, Crescere, 6, 2011.

Crescer - on-line nº 51 Abril de 2013 Página nº 2


Testemunho 1

Não sabia o meu rumo, vivia através de medos, de desconfianças, de inseguranças… fui para o encontro e vivi cada momento como se fosse o único, conheci pessoas que nunca vou querer perder! Lembro-me do primeiro dia em que entrei em Ermesinde e pensei para mim mesma: Afinal o que é que eu estou aqui a fazer? Começamos logo com os grupos e encaixei-me muito bem no meu grupo! Todos os nossos momentos...foi tudo tão lindo!

tinha medo de errar. Passado este fim de semana fiquei a perceber muito mais sobre o meio em que estou inserida. Todos os testemunhos que lá foram e nos disseram a sua vida como cristãos, aqueles que connosco tiraram as nossas dúvidas! Foi uma experiência que de certeza vou voltar a repetir.

Posso repetir a experiência e sei que isso vai acontecer mas nenhum vai ser igual a este pois foi este que me fez crescer como cristã e como pessoa! Obrigado por tudo e pelo que eu mesma consegui atingir. beijinhos Vera( grupo de Viana) Testemunho 2

Encontrei algo em mim que nunca tinha encontrado, encontrei o descanso e a fé que até agora estava adormecido em mim! Colocaram-nos várias perguntas e a todas elas eu agora sei responder, mas antes de isto tudo eu não sabia responder a nada e

Entre medos e vergonhas, cheguei a Ermesinde onde descobri um grupo maravilhoso; vinham de Canelas, Gondomar, Viana, Avintes e outros sítios cujo nome não me vem agora à memória. Desde de logo me senti como se estivesse em casa, parecia que já tinha estado com este grupo, algumas 50 vezes. Estavam todos com o mesmo objetivo que era saber “de onde vim, para onde vou, e em que lugar da barca estou?”. Assim fui para o fim-de-semana, à descoberta entre grandes partilhas feitas pelas pessoas que

Crescer - on-line nº 51 Abril de 2013 Página nº 3

(Continua na página 4)


(Continuação da página 3)

passaram pelo grupo, mas não posso deixar de falar em duas partilhas que me marcaram, a da Isabel e da Sara. A da Isabel porque despertou ainda mais que é preciso pôr mãos à obra e não parar, é preciso insistir mesmo que corra mal, nunca desistir; da Sara porque me identifi-

quei muito com o seu testemunho, temos de ser como diz a canção “sem medo sem vergonha eu quero gritar, a minha vida nas mãos de Deus quer ficar”. E assim foi mais um encontro com o Pai, todos juntos partilhamos momentos que ficaram marcados e muitas dúvidas que inicialmente tinham sido levantadas obtiveram resposta e este grupo fortaleceu-se na Fé e todos juntos na Barca partimos com uma certeza de fazer mais e melhor pela Igreja e a sociedade. Amigos fica a saudade daqueles dias, mas fica a certeza que “Passo a passo, grão a grão Completamos esta construção” da nossa fé. Emanuel Rosa

Crescer - on-line nº 51 Abril de 2013 Página nº 4


CAMINHADA OÁSIS: À DESCOBERTA DO SÍMBOLO DOS APÓSTOLOS 25 de Abril No próximo dia 25 de abril realizar-se-á a programada caminhada do Oásis que congregará os oasistas e seus familiares e amigos num contacto privilegiado com a Natureza e numa reflexão sobre o símbolo dos apóstolos. Caminharemos pela serra de Valongo. O ponto de encontro será na estação da CP de S. Martinho do Campo e o início da caminhada será pelas 9h30m. Outros pormenores serão oportunamente divulgados (por mail e no site).

Movimento Oásis Centro de Espiritualidade Rua Mirante de Sonhos, 105 4445-511 Ermesinde - tel. 229712935 http://www.movimentooasis.com Contactos : padrearaujo@sapo.pt / oasis@movimentooasis.com

Crescer On-line - abril de 2013  

Órgão formativo e informativo do Movimento Oásis

Advertisement