Page 1

nº 50 – Março de 2013

“Nestes últimos meses senti que as minhas forças diminuíram, e pedi a Deus com insistência, na oração, para me iluminar com a sua luz para me fazer tomar a decisão certa, não para o meu bem, mas para o bem da Igreja. Dei este passo na plena consciência da sua gravidade e também novidade, mas com uma profunda paz de espírito. Amar a Igreja também significa ter a coragem de fazer escolhas difíceis, sofridas, tendo sempre diante de si o bem da Igreja e não de si próprio”. (Bento XVI, Última Audiência Geral, 27 fevereiro 2013)

OBRIGADO, BENTO XVI!


Reunião de Casais Oásis Neste ano da Fé, quis o grupo de casais OásisSemente conhecer melhor o que é a vida daqueles que têm por missão levar a fé a quem ainda não conhece a Cristo. Respondeu positivamente ao convite o Pe. Pedro Fernandes, missionário do Espírito Santo. Pudemos pois ouvir no dia 3 de Fevereiro, na primeira pessoa uma experiência da evangelização de 17 anos em terras africanas. Falou-nos da sua experiência quer em terras onde se vive uma primeira evangelização, a missão “ad gentis”, bem como uma experiência mais longa, em terras moçambicanas, entre comunidades que apesar de já contactarem com a fé Cristã há algum tempo, vivem ainda uma fase de primeira evangelização, com uma organização Pastoral muito assente em Leigos empenhados, com o apoio de missionários que com muito poucos recursos têm que chegar a populações e áreas geográficas muito vastas. Depois de uma oração sobre a importância da partilha na vivência da Fé, ouvimos um relato apaixonante, de alguém claramente apaixonado por esta missão de levar a fé em Cristo a outros povos com outras culturas, outros hábitos, outras tradições, outras e por vezes muito diversificadas línguas. Apercebemo-nos da enorme capacidade de adaptação que estes missionários têm que ter (só a plena aprendizagem da língua local pode exigir 2 anos de esforço empenhado). Do seu enorme esforço de entrega e sacrifício para com muito poucos recursos humanos e materiais organizarem a ação das Igrejas locais com palavras,

mas sobretudo obras (“Mostra-me a tua fé sem obras, e eu mostrarei a minha fé pelas obras”. Tiago 2,18). Ouvimos também relatos apaixonantes da forma como estas comunidades se organizam de forma corresponsável, com os leigos a assumirem o seu papel de evangelizadores entre os irmãos. Da forma como vivem as celebrações, que chegam a durar 5 horas ou até mais. Mas ouvimos também como experiências de missão necessitam de uma atitude interior de disponibilidade. Estas experiências são verdadeiras viagens interiores de encontro aos outros, de descoberta pessoal, das nossas resistências e resiliências, mas sobretudo de entrega ao Espírito, e de descoberta de uma verdade Imutável. O Espirito Santo precede o Missionário. Onde quer que o missionário vá, o Espirito que o impele já o precedeu. É pois uma experiência de fé em Deus, mas também na Humanidade, em toda a sua riqueza de diversidade de formas, manifestações e culturas. Aprendemos nesta tarde memorável, num discurso apaixonado e apaixonante que a diversidade é verdadeiramente uma riqueza enorme da Igreja. Cristo faz-se presente em todos, para todos e com todos. Aprendemos ainda na primeira pessoa que Cristo não só nos chama como nos capacita e providencia o que precisamos para com verdade O servirmos. Saibamos estar atentos à chamada, responder com exigência ao serviço, aceitar os desafios e as mudanças que em nós e na nossa vida eles exigem. José Manuel

Crescer - on-line nº 50 Março de 2013 Página nº 2


GRUPOS DO MOVIMENTO… Somos um grupo formado em 1994. Inicialmente eramos um grupo de jovens, mas com o tempo agregaram-se os respetivos cônjuges e 3 crianças (filhos) que trouxeram bastante alegria ao grupo. Temos um casal responsável pela dinâmica anual do grupo e um outro que nos representa nas reuniões dos animadores do movimento. Procuramos viver a espiritualidade do serviço por amor! Vivemos de um modo especial o Natal e a Pascoa, fazemos uma celebração onde há espaço para a oração, reflexão e reconciliação. Debatemos temas da atualidade e refletimos os acontecimento e as situações do dia-adia confrontámo-las com a Palavra de Deus e com os pontos da Espiritualidade. Este ano, que iniciamos em outubro passado e terminará em junho, temos como tema a fé. Usamos como texto de base um livro do Teólogo Bruno Forte «Eis o mistério da Fé» Não pode deixar de referir que é para nós um prazer sermos orientados pelo Padre Adélio, temos também a Ana Maria e a Linda que nos acolhem há tantos anos sempre com muita alegria! Para nós (elementos do grupo) é sempre com agrado que nos encontramos, em cada mês, pois a amizade que nos une é um símbolo e alimento do grupo!

Crescer - on-line nº 50 Março de 2013 Página nº 3


TESTEMUNHO 1 Testemunhar Jesus Cristo é um desafio diário. É um compromisso que também implica momentos de reflexão, de escuta e de aprofundar a relação que cultivamos com Deus. De forma a enriquecermos a nossa caminhada religiosa, fomos, calorosamente, acolhidos, na casa de retiros Oásis, em Ermesinde entre os dias 18 a 20 de janeiro.

A proposta que nos foi feita foi de assumir um Sim! Mas não era um simples sim, consistia em assumir um Sim ao que Deus diz, dá e pede. Para tal, tivermos oportunidade de ao cantar, rezar, de aprofundar em grupo quais os princípios que fundamentam e sustentam a nossa fé, de conhecer um pouquinho mais aquilo que somos e definir aquilo que queremos ser, ou melhor: aquém queremos dizer Sim. Mas houve mais! Estes dias também foram preenchidos de momentos que permitem o nosso coração serenar e ficar encantados por um Jesus verdadeiro, altruísta e inspirador. Perceber que não somos os únicos adolescentes que põe de parte os mimos dos pais e se aventura num fim de semana com outros adolescentes que residem em paróquias diferentes, fez-nos perceber que não somos os únicos a ter Jesus presente no nosso projeto de vida. Além disso, ouvimos testemunhos de pessoas que optaram por ter Jesus presente no seu dia-a-dia e o manifestam em gestos de ajuda ao outro, em cultivar a acreditar que o matrimónio é também um compromisso de felicidade e que há sempre tempo e vontade nos seus dias para rezar. Terminamos este encontro da única maneira possível: em comunhão. Numa eucaristia vivida por todos os que estiveram pressente nos três dias, com os nossos familiares mas principalmente com Ele. E se na sexta-feira fomos questionados sobre o significado da frase: “uma Fé que não se apega, apaga-se”, no domingo percebemos que foi isso

que que fizemos todo o encontro, contagiamos os outros com a nossa Fé e é assim que ela irá sempre permanecer. Adolescentes do 8º ano da catequese de Canelas TESTEMUNHO 2 Nos dias 8,9 e 10 de fevereiro, nós, alunos do 9ºano de catequese da paróquia de S.Pedro de Avintes tivemos o prazer de, como já tem sido hábito anualmente, passar 3 dias na casa do Movimento Oásis em Ermesinde. Partimos de Avintes com um espírito aberto, pronto a receber com entusiasmo todas as actividades que nos fossem propostas; mas estávamos longe de imaginar que os dias seguintes nos renovariam de forma tão especial o espírito de união enquanto grupo. No Sábado elegemos como o momento mais marcante, e muito divididos entre tantos momentos de reflexão, a oração da noite, onde foi criado um clima de paz e sublimidade que nos permitiu a abstracção total dos problemas e obstáculos que cada um de nós tem na vida.

No Domingo é impossível não referir o testemunho de um casal de crentes que nos explicou de uma forma entusiástica o que é o casamento cristão como um dos tantos projectos que podemos escolher na vida; e também todos os outros testemunhos que ouvimos. Queremos, por fim, prestigiar todas as pessoas que colaboraram para que desfrutássemos ao máximo do nosso tempo no Oásis, deixando um enorme obrigado e uma enorme ânsia de voltar ainda este ano.

Crescer - on-line nº 50 Março de 2013 Página nº 4

Ana Faria e Rita Diogo


Testemunho 3 Nos dias 8, 9 e 10 de Fevereiro o grupo do 9.º ano da catequese paroquial de S. Pedro de Avintes, juntamente com um grupo de Canelas, outro de Ermesinde e outro de Lousada participou em mais um retiro no Centro de Espiritualidade do Movimento Oásis quatro anos consecutivos em que essa participação tem feito parte das suas atividades principais. De facto, esta atividade de retiro tem sido, desde a primeira experiência realizada no ano de 2010, uma exigência dos nossos adolescentes que, conforme tem sido habitual, saem no domingo à tarde daquele cantinho de Ermesinde completamente revivificados e felizes! Este ano o tema abordado foi «Deus interpela, chama e compromete: a vocação como caminho para a Alegria», tema esse que foi fantasticamente trabalhado com o apoio do grupo maravilhoso, atento, preocupado, dinâmico e simpático de jovens animadores que nos acompanhou ao longo daquele belo fim-de-semana, nas pessoas do Diogo, da Elvira, do Hélder, da Sara, da Bi, . Agradeço, desde já, a todos pela total entrega dos seus corações a todos nós durante estes dias!

O acolhimento na sexta-feira à noite foi extremamente doce e tranquilo, a dinâmica de criação de grupos Recorrendo a imagens de sinais de trânsito, cuja simbologia foi como que desconstruída para que a eles recorrêssemos e disséssemos definitivamente "Queremos seguir Jesus!", o mote para nos conduzir ao longo de todas as atividades estava perfeitamente lançado. Foi-nos entregue um pequeno cartão com inúmeras placas a serem preenchidas por nós em cada momento de oração ou dinâmica com que nos iriamos deparar, o que, para mim, foi um elemento fundamental para sintetizar momentos, reflexões, sentimentos… realizados. Naquele cantinho tão especial da belíssima capela parámos e demos graças, oran-

do, cantando, meditando…foi um belo início de noite que nos abriu um pouco o leque do que viria a seguir e que nos permitiu parar para aproveitar a noite de descanso que se seguiu.

No dia seguinte, a oração da manhã só nos aproximou ainda mais dos olhos doces daquele maravilhoso rosto de Jesus que estava sempre presente e sempre a olhar-nos com aquele ar terno e misericordioso. De seguida, estivemos reunidos com o Padre Sérgio, cuja simpatia cativou logo a atenção de todos. Depois de algumas reflexões sobre o Amor como imagem da marca de Deus, ficamos ainda mais despertos para um Deus que nos ama e, por isso, nos ch(ama), consciencializando-nos de que, na realidade, Deus nos criou para nos amarmos com todas as forças e consequentemente sermos verdadeiramente felizes! Devo dizer que, de facto, é extremamente saboroso saber que todos desempenhamos um papel essencial nesta criação divina, por isso, retive que, como dizia Santo Agostinho, "Deus não escolhe os capacitados, capacita os escolhidos." O momento que se seguiu a este foi também ele um momento especial, pois pudemos passar pela experiência de participar numa feira da felicidade, onde pudemos comprar tudo o que precisávamos naquele momento para sermos mesmo felizes, chegando depois a consenso no seio do grupo dos três aspetos mesmo essenciais! Por fim, ficamos mesmo a perceber que a semente da felicidade está no nosso coração e depende de cada um de nós cultivá-la! A oração da noite que fez culminar o dia num momento ainda mais belo pôde simplesmente resumir-se a uma resposta da nossa parte a um apelo de Jesus - sim, estou disponível para Ti, Senhor! Recebemos em troca uma imagem muito significativa que colocamos desde logo junto do

Crescer - on-line nº 50 Março de 2013 Página nº 5

(Continua na página 6)


(Continuação da página 5)

nosso coração e que nos acompanhou ao longo do resto daquele retiro. No fim deste belo momento, ainda houve tempo para cada um ficar no seu sossego, em diálogo íntimo com Deus, como se não houvesse mais ninguém naquela casa cheia de cor e vida. Que bom que foi podermo-nos entregar assim de corpo e alma! No domingo, já com um pouco de nostalgia pelo que estava já a chegar ao fim, estivemos, durante a manhã a ouvir testemunhos de vocações diferentes, de caminhos diferentes. Ouvimos a nossa simpática Linda, que tanto se empenha, tal como a nossa querida Ana Maria, para que gostemos tanto de estar naquele oásis de sabor e sentimento. Ela mostrou-nos que a felicidade pode ser encontrada no servir os outros por amor! De seguida, ouvimos a Irmã Paula, franciscana, que nos mostrou também que o caminho que seguiu para concretizar a sua vocação, apesar de difícil, lhe trouxe a felicidade que ela sempre desejou. Por fim, escutamos um casal muito simpático e divertido que nos contou como a vocação do matrimónio e da maternidade ou paternidade pode também levar-nos para a realização pessoal, nunca se dissociando da presença acolhedora do nosso Pai. Foi, efetivamente, uma manhã muito deliciosa, que nos moveu os mais diferentes sentimentos e curiosidades e que esclareceu também muitas outras. Foi claramente um momento muito bom, sobretudo para quem se identificou com alguns dos desabafos pessoais e individuais daqueles intervenientes. A tarde, como não podia deixar de ser, foi passada na preparação da eucaristia, em que nos sentimos sempre tão próximos de Deus, e da casa para receber os nossos familiares, que vinham cheios de saudades e ávidos de saber mais e mais sobre o que nos move a querermos participar sempre sedentamente nestes momentos, estarmos naquela casa, naquela companhia, sem temermos assumir a nossa fé e a nossa entrega! E que bom que foi saber que, no final, muitos adolescentes queriam abdicar das suas férias de Carnaval e ficar lá junto com as pessoas que cuidam tão bem daquele paraíso, ajudando-as e mantendo ambiente de carinho e alegria que se sentiu ao longo de todo o fim-de-semana! “Esperança viva” na Quaresma “DEUS INTERPELA-NOS” foi o mote de um retiro, no Centro Oásis no Mirante de Sonhos (Ermesinde), que decorreu dias 8, 9 e 10 de fevereiro. Sete jovens do 8º ANO DE CATEQUESE (Marco,

Rui, Márcia, Mané, Beatriz, João e Miguel) reuniram-se sexta-feira às 21h15, na Matriz de Ermesinde, e depois foram aco-lhidos com simpática sabedoria pela Ana Maria, que desde muito nova está ligada ao movimento Oásis.

O grupo juntou-se a outros catequizandos das mesmas idades, provenientes de Lousada, Santo Tirso e Gaia, num total de uns 40 adolescentes acompanhados por 5 animadores. O grupo foi orientado pelo Irmão Alberto e o Pe. Sérgio, para descobrir as vocações próprias e à noite, após vigília, o Pe. André entregou cruzes aos jovens. Domingo à tarde houve missa e confraternização com a presença de pais e familiares. Felizes com a fraternidade vivenciada, a reflexão serena, o saber adquirido, os cânticos diversificados, os jogos divertidos e as refeições saborosas, os jovens querem voltar a fazer retiros como este com a certeza que “DEUS NOS AMA, PORQUE NOS CHAMA!” RETIRO encontro com o AMIGO JESUS Em Janeiro descobrimos, no Oásis, o enorme tesouro que somo e que podemos ser na vida dos outros. Desde aí temos tentado diluir o “concentrado” de Fé que recebemos no quotidiano. Nem sempre é fácil mas neste tempo da Quaresma estamos a esforçarmo-nos ao máximo para marcarmos a diferença nesta sociedade, por vezes pobre em valores. Esforçamo-nos, de facto, para ser Esperança Viva não só para os elementos do grupo mas sobretudo para a nossa comunidade que nos acolhe nas diferentes atividades em que cada um de nós participa. O nosso muito obrigado por todo o carinho e esperamos conseguir ajudar a tornar esta Quaresma num verdadeiro tempo de preparação para a grande festa da Igreja, a Páscoa! Ana Rita, “Esperança Viva”

Crescer - on-line nº 50 Março de 2013 Página nº 6


PALAVRA DO FUNDADOR O que o Papa é para a humanidade vê-se todas as vezes em que a Praça de São Pedro ( Roma ) se enche de fiéis, provenientes de todas as partes do mundo. Que o Papa se chame Paulo VI, João Paulo II… não importa. Nos olhos da multidão, nas mãos da multidão, no coração da multidão há um sentir, um ver, um perscrutar pala além do que parece, do que se escuta: o mistério de Pedro, o mistério da “pedra”, o mistério da “rocha”, o mistério da estabilidade, o mistério da indefectibilidade, da capacidade de chamar os desencaminhados, os desviados, os transviados; de confirmar – sempre que é necessário – os irmãos de Pedro, isto é, os bispos. Para estarmos tranquilos, para caminharmos seguros olhamos - hoje, mais do que nunca – para o verdadeiro Papa, o Papa vivo. Devemos fazê-lo qualquer que seja o Papa… Com o Papa está Jesus; quem está com o Papa está com Jesus, está com Deus. Ele é o timoneiro de uma barca em que Jesus, o homem-Deus, nos garante um porto seguro. ( in Crescere, 5-6, 2012: tre minuti per te ) Crescer - on-line nº 50 Março de 2013 Página nº 7


“Somos chamados a servir a humanidade do nosso tempo, confiando unicamente em Jesus, deixando-nos iluminar pela sua Palavra: «Não fostes vós que Me escolhestes; fui Eu que vos escolhi e destinei, para que vades e deis fruto e o vosso fruto permaneça» (Jo 15, 16). Quanto tempo perdido, quanto trabalho adiado, por inadvertência deste ponto! Tudo se define a partir de Cristo, quanto à origem e à eficácia da missão: a missão recebemo-la sempre de Cristo, que nos deu a conhecer o que ouviu a seu Pai, e somos nela investidos por meio do Espírito na Igreja. Como a própria Igreja, obra de Cristo e do seu Espírito, trata-se de renovar a face da terra a partir de Deus, sempre e só de Deus!” (Bento XVI, Homilia na Avenida dos Aliados, Porto, 14 de Maio de 2010)

Movimento Oásis Centro de Espiritualidade Rua Mirante de Sonhos, 105 4445-511 Ermesinde - tel. 229712935 http://www.movimentooasis.com Contactos : padrearaujo@sapo.pt / oasis@movimentooasis.com

Crescer on-line - março de 2013  

Orgão formativo e informativo do Movimento Oásis

Advertisement