Page 1

SUPERCARROS McLAREN SENNA: 800 cv de potência!

www.r acingo n

line.co

m.br

CONHEÇA TODOS OS CARROS DA TEMPORADA!

ANUÁRIO

GUIA 2018 DA

FÓRMULA 1

Haas VF-18

POWERED BY

Red Bull RB14

Alfa Romeo Sauber C37

Renault R.S.18 McLaren MCL33

Mercedes-AMG W09

• OS PILOTOS • AS EQUIPES • OS CIRCUITOS CAPACETE DE OURO A maior i ffesta t do d automobilismo nacional

9 771413 891004

00346

Nº 346 Ano 21z Anuário 2018 ISSN 1413-8913 R$19,90

Ferrari SF71H


COMBINE COM SEU CARRO FAVORITO. (CARRO NÃO INCLUSO)

Nova geração pneu P ZERO TM

Pirelli P ZeroTM. Performance sob medida desde 1986. Durante mais de 30 anos, os pneus P Zero ™ foram a escolha dos mais importantes fabricantes dos melhores veículos do mundo. Com base nessa experiência e em sua tecnologia de ponta, a Pirelli lançou o novo P ZERO ™, o pneu feito sob medida para a próxima geração de veículos, projetado para extrair o máximo do prazer de dirigir.


Para obter desempenho personalizado para o seu carro, escolha P ZERO ™. Descubra mais em Pirelli.com Os novos pneus P ZERO ™ já estão disponíveis nas melhores revendas. A versão colorida mostrada aqui é uma edição limitada e disponível somente em modelos e medidas selecionados. Para mais informações, entre em contato através do e-mail limitededition@pirelli.com


EDITORIAL

/revistaracing @revista_racing

Sem Brasil no grid, mas com pilotos globalizados

www.revistaracing.com.br

\DIRETORIA \ Dudu Ribeiro dos Santos \dudu@autoshow.com.br Eduardo Ribeiro dos Santos \eduardo@matel.com.br Isabel Reis \isabel.reis@motormidiateam.com.br

A

\REDAÇÃO \ venício.zambeli@motormidiateam.com.br andrea.guimaraes@motociclismoteam.com.br

Fórmula 1 em 2018 terá um grid repleto de estrelas. Mas nenhuma delas será brasileira. Pela primeira vez em 48 anos, nenhum piloto do Brasil estará entre os competidores que irão largar para a temporada da categoria. Mas, devido ao mundo globalizado e conectado de hoje em dia - no qual até mesmo no futebol vemos em nosso país (o país do futebol!) a nova geração torcendo e vestindo camisas de times europeus, admirando e vibrando com jogadores argentinos, portugueses e alemães -, o fato de não termos mais um representante local na competição máxima do automobilismo não mudará nada para quem realmente gosta de corrida de automóveis. E é pensando neste público que vive e respira automobilismo (incluindo aí futuros pilotos brasileiros que chegarão um dia à Fórmula 1 por mérito de serem bons naquilo que fazem, com certeza), que a RACING lança este Guia da Fórmula 1 2018. Aqui você vai conferir os novos carros e as novidades das equipes e pilotos para este ano. E aí, para quem você está torcendo?

\COMERCIAL \ marcelo.cervantes@motormidiateam.com.br \MARKETING \ thomas.bento@crjbrasil.com.br \ASSINATURAS \ assinaturas@motociclismoteam.com.br \GRÁFICA \ Log&Print Gráfica e Logística Rua Joana Foresto Storani, 676 Distrito Industrial - Vinhedo, SP www.logprint.com.br \DISTRIBUIÇÃO \ Dinap Rua Kenkiti Shinomoto, 1678, CEP 06045-390 Osasco, SP \JORNALISTA RESPONSÁVEL \ Isabel Reis - MTB 17311

Venício Zambeli Diretor de redação

Revista Racing ISSN 1413-8913. Publicação da Motor Mídia © Direitos reservados. Mercedes-Benz/Divulgação

venicio.zambeli@motormidiateam.com.br

\MOTOR MÍDIA \ Empresa de conteúdos, soluções digitais e eventos Rua Plínio de Morais, 394, Sumaré, São Paulo CEP: 01252-030 Fone: (11) 2888-5300

\PRODUTOS MOTOR MÍDIA \

Moto de Ouro 2018

OS MELHORES DO MUNDO A temporada 2018 da F1 promete ter boas disputas entre grandes pilotos e entre grandes marcas da indústria automotiva esportiva r 4 racing


SUMÁRIO Edição 346

6

Mercedes-Benz/Divulgação

ESPECIAL GUIA DA FÓRMULA 1 Todos os carros, pilotos e novidades da temporada

ESPECIAL • GUIA DA FÓRMULA 1

Editorial

Calendário e circuitos

Temporada 2018

Pneus Pirelli F1

Saiba mais sobre a categoria...................... 6

Equipes e pilotos

Mercedes-AMG ........................................... 8 Ferrari .........................................................12 Red Bull ..................................................... 16

Renault ...................................................... 20 McLaren .................................................... 24

Detalhes para ver e consultar .................. 38 Os compostos

..........................................

Supercarros

40

Hot Laps Pirelli .......................................... 42

Capacete de Ouro 2017

Os campeões da temporada .................. 44

Supercarros

54

Force India ................................................ 28

McLaren Senna

Toro Rosso ................................................ 32

X Rally Team .............................................. 62

Williams..................................................... 30 Haas ........................................................... 34

Sauber Alfa Romeo ................................. 36

Supercarros

Imagem

........................................

McLaren/Divulgação

Carta do Editor ............................................. 4

Halo - F1 2018 .......................................... 66

Curta a RACING no Facebook

/revistaracing Você encontra mais posts e conteúdos exclusivos sobre tudo de automobilismo!


GUIA DA FÓRMULA 1

TTemporada 2018

GUIA 2018 DA

FÓRMULA 1 VAI SER DADA A LARGADA PARA O CAMPEONATO MUNDIAL DE FÓRMULA 1 EM 2018. CONFIRA UMA ANÁLISE COMPLETA DAS EQUIPES E DOS PILOTOS QUE PARTICIPARÃO DESTA TEMPORADA

Mercedes-AMG W09

r 6 racing


Haas VF-18

Ferrari SF71H

Red Bull RB14

Force India VJM11

Williams FW41

Renault R.S.18

Toro Rosso STR13

McLaren MCL33

Alfa Romeo Sauber C37

racingg 7


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Mercedes-AMG

Preparada para manter Principal equipe da F1 desde 2014, a Mercedes-AMG busca manter a hegemonia de vitórias e títulos dos últimos anos

Texto

Leonardo Marson Fotos

Divulgação

r 8 racing

A

Mercedes inicia a temporada 2018 da Fórmula 1 como candidata ao título mais uma vez. Para isso, a equipe da estrela prateada de três pontas, que desde o início da era híbrida na principal categoria do automobilismo mundial é hegemônica, manteve sua dupla de pilotos para o campeonato deste ano. Ela segue com o tetracampeão Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, além de apostar mais uma vez na confiabilidade do carro e no fortíssimo e confiável motor para seguir como o time a ser batido. O modelo W09, carro para a temporada deste ano é bastante semelhante ao utilizado pela equipe no ano passado, quando a Mercedes garantiu

12 vitórias em 20 corridas. Nos testes de pré-temporada, realizados em Barcelona, Bottas e Hamilton realizaram boas voltas com o novo carro, sem enfrentarem nenhum problema. A boa quantidade de voltas demonstrou um equipamento dos mais confiáveis, o que é importante em um ano em que as equipes podem usar apenas três unidades de força no campeonato todo. Em que pese admitir não ter tido foco em desempenho nos testes, o time viu Hamilton marcar o melhor tempo da primeira semana, com 1min19s333, utilizando pneus tipo Medium (médios). Além disso, Bottas se colocou na 4a colocação entre todos os 22 pilotos que fizeram ao


o domínio na F1

menos uma volta naquela semana, que teve influência de baixa temperatura e pista molhada, Na semana seguinte, com outra característica de temperatura e pista (um pouco mais quente e seco), Hamilton e Bottas marcaram apenas o 8o e 10o tempos, respectivamente, mas os trabalhos foram concentrados em simulação e ritmo de corrida, segundo comentários da equipe alemã. Para Hamilton, que não se mostrou realmente preocupado, mas admitiu que terá bastante trabalho para manter seu domínio, a temporada significa a chance de alcançar o quinto título mundial, o que o igualaria a Juan Manuel Fangio na lista de campeões do mundo. Para isso, o inglês precisa-

rá bater o entusiasmado Sebastian Vettel - com a promissora Ferrari -, outro piloto que busca o pentacampeonato na categoria. Para isso, é vital que a Mercedes continue sendo a melhor equipe da Fórmula 1, mesmo com a forte oposição de Scuderia e a chance de crescimento da Red Bull. Bottas, por sua vez, parte para um ano de afirmação. Apesar de ter tido três vitórias e quatro poles position em 2017, o finlandês se cobra para ter um desempenho ainda melhor, batendo com mais constância os pilotos da Ferrari e, talvez, até superando Hamilton em algumas corridas. Em seu segundo ano, Bottas tenta mostrar que pode seguir por mais temporadas na Mercedes.

racingg 9


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Mercedes-AMG

MERCEDES-AMG Nome da equipe:

Mercedes-AMG Petronas Motorsport Base da equipe: Brackley, Inglaterra Chefe de equipe: Toto Wolff Diretor-técnico: James Allison Pilotos: Lewis Hamilton e Valtteri Bottas Piloto de testes: George Russell e Pascal Wehrlein Chassi: W09 Motor: Mercedes Pneus: Pirelli Estreia: 1954 Títulos: 4 Vitórias: 76 Poles: 88 Voltas mais rápidas: 56

O motor Mercedes é um dos mais confiáveis e potentes do grid

O modelo W09 foi um dos que apresentou menos mudanças estéticas em 2018

O chassi balanceado permite a utilização ideal dos pneus

r 10 racing

O bico frontal é simples e as entradas de ar têm poucas aletas


44

2008

2014

2015

77

2017

LEWIS HAMILTON Nacionalidade: inglesa Data de nascimento: 07/01/1985 Cidade: Tewin GPs disputados: 208 Poles: 72 Vitórias: 62 Pódios: 117 Títulos: 4 (2008, 2014, 2015 e 2017)

VALTTERI BOTTAS Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

finlandesa 28/08/1989 Nastola 97 4 3 22 -

Pentacampeonato para igualar Fangio na mira do inglês

Conseguirá ele ser um novo Nico Rosberg?

Hamilton inicia a temporada deste ano como o principal favorito ao título mundial mais uma vez. Para isso, o piloto aposta na manutenção da hegemonia da Mercedes, equipe que dominou a Fórmula 1 nos últimos quatro campeonatos, e que começou a pré-temporada demonstrando ter no modelo W09 um carro confiável e com boa velocidade e potência. Hamilton foi o mais rápido da primeira semana de testes, ao marcar 1min19s333, utilizando os pneus médios. Na segunda semana, seu foco foi fazer longos trechos e simular GPs. Hamilton disse que sente-se mais confiante e animado para os deasfios desta temporada. No ano passado, o competidor “relaxou” na primeira metade do campeonato, mas depois recuperou o foco e acabou campeão. Agora, ele pretende iniciar o ano por cima.

Bottas começa sua segunda temporada na principal equipe da Fórmula 1 buscando mostrar ser capaz de seguir no time pelos próximos anos. Em que pese não ter sido publicamente cobrado pelos diretores da Mercedes, e ter obtido três vitórias e quatro poles positions, o finlandês se cobra para fazer frente a Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, dupla titular da Ferrari, para ajudar o time alemão a alcançar seus objetivos. O desempenho na pré-temporada foi satisfatório, mas ainda não mostrou que pode bater Lewis Hamilton. Com um carro confiável, o finlandês espera cumprir seu objetivo dentro do time e ser um oponente mais duro para os pilotos da equipe de Maranello. Mas a dúvida é saber se ele terá ímpeto para disputar de igual para igual e bater o seu companheiro de equipe, como fez Nico Rosberg em 2016. racingg 11


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Scuderia Ferrari

Ferrari quer retornar aos Sem títulos desde 2007, equipe de Maranello tenta, finalmente, acabar com domínio da Mercedes

Texto

Leonardo Marson, Fotos

Divulgação

r 12 racing

A

Ferrari inicia a temporada 2018 da Fórmula 1 na condição de maior rival da Mercedes, buscando encerrar sua seca de títulos que dura desde 2007, quando Kimi Räikkönen foi campeão. O finlandês segue na equipe para este ano, mas as atenções estão voltadas à Sebastian Vettel, que liderou a maior parte do campeonato de 2017 antes de ver Lewis Hamilton crescer na segunda metade da temporada e faturar seu quarto título mundial. Assim, a Ferrari espera entregar a Vettel um carro capaz de lhe dar o quinto campeonato. Pelo desempenho nos testes de pré-temporada realizados

em Barcelona entre o final de fevereiro e o início de março, o SF71H é um carro dos mais confiáveis e tem demonstrado bom desempenho em voltas rápidas, ainda que o trabalho nos primeiros dias de atividades seja voltado à confiabilidade do equipamento. O tetracampeão do mundo foi o segundo piloto que mais andou na primeira semana de testes, fechando 218 voltas, ou 1.014 quilômetros, marca menor apenas que a de Pierre Gasly, da Toro Rosso. Coube ao alemão ainda anotar o melhor tempo da pré-temporada, marcando 1min17s182, no terceiro dia, ficando na geral à frente de Kimi Räikkonen, seu companheiro de Ferrari.


tempos de glórias

Para Räikkönen, a temporada começa com a expectativa de conseguir marcar mais pontos em relação ao ano passado. O piloto, que tem contrato até o final deste ano, não conseguiu tirar pontos da Mercedes constantemente ao longo de 2017, o que impediu os italianos de brigarem pelo título mundial de construtores. O campeão de 2007, porém, não parece ser um candidato ao campeonato de pilotos. O maior ponto de preocupação das equipes para temporada, a durabilidade das unidades de força, também não parece ser um problema para a Ferrari, ao menos para as primeiras corridas da

temporada. Os motores fabricados pela equipe de Maranello foram uns dos que mais andaram nos testes. Além disso, ainda somou voltas para o motor Ferrari com a Sauber, equipe cliente dos italianos, sem enfrentar problemas significativos. Mesmo admitindo não ter trabalhado na performance do carro, o time parece ter um equipamento dos mais velozes. Aliado a uma unidade de força confiável, a tendência é de que os italianos consigam desafiar mais uma vez a Mercedes, agora de forma mais eficiente, em uma disputa que promete perdurar ao longo dos 21 Grandes Prêmios da temporada 2018.

racingg 13


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Scuderia Ferrari

FERRARI Nome da equipe: Scuderia Ferrari Base da equipe: Maranello, Itália Chefe de equipe: Maurizio Arrivabenne Diretor-técnico: Mattia Binotto Pilotos: Sebastian Vettel e Piloto de testes: Chassi: Motor: Pneus: Estreia: Títulos: Vitórias: Poles: Voltas mais rápidas:

Kimi Räikkönen Daniil Kvyat SF71H Ferarri Pirelli 1946 16 229 213 244

A Ferrari adotou uma entrada de ar lateral com vários dutos para melhorar o fluxo de ar

O logotipo da Ferrari foi colocado no alto do Halo, além do bico do modelo

O bico do carro tem a língua como diferencial da rival Mercedes

r 14 racing

O vermelho escuro predomina em todo o carro deste ano, voltando às origens


5

2010

2011

2012

2013

SEBASTIAN VETTEL Nacionalidade: alemã Data de nascimento: 03/07/1987 Cidade: Heppenheim GPs disputados: 198 Poles: 50 Vitórias: 47 Pódios: 99 Títulos: 4 (2010, 2011, 2012 e 2013)

7

2007

KIMI RÄIKKÖNEN Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

finlandesa 17/10/1979 Espoo 270 17 20 91 1 (2007)

Piloto quer provar que não é campeão só com carro bom

Correndo por fora e fazendo a F1 ficar mais divertida

Principal concorrente de Lewis Hamilton na disputa pelo título no ano passado, Vettel surge mais uma vez como rival do inglês em 2018. O alemão, que busca neste ano seu quinto título mundial e o primeiro com equipe de Maranello, terá em mãos um carro confiável e rápido, pelo desempenho demonstrado nas semanas de testes de prétemporada na Espanha. Coube ao alemão o melhor tempo de todos os dias de treinos com a SF71H no terceiro de quatro dias de atividades em Barcelona. Utilizando pneus Hypersoft (hipermacios), resta saber se conseguirá manter um bom ritmo durante toda a extensa temporada com compostos mais duráveis. Quatro vezes campeão com carros perfeitos de Adrian Newey na Red Bull, quer provar agora que pode triunfar com um modelo teoricamente mais fraco que os carros da Mercedes-Benz.

Marcar pontos para ajudar a Ferrari no Mundial de Construtores. Esta deverá ser, mais uma vez, a principal função de Kimi Räikkönen na temporada. Sem conseguir uma vitória desde o Grande Prêmio da Austrália de 2013, quando ainda defendia a Lotus (atual Renault), o finlandês não parece ter forças para rivalizar com Sebastian Vettel dentro da equipe, ou com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, seus adversários na Mercedes. Mas vai correr por fora. O campeão mundial de 2007 conseguiu marcar o 2o melhor tempo dos testes de Barcelona, atrás apenas de seu parcerio na Scuderia, Vettel (também usando pneus Hypersoft (hipermacios). Além de sua experiência, Kimi é um dos pilotos mais epsontâneos e divertidos do grid (mesmo sem sorrir muito), pois não faz média e quebra protocolos, podendo esperar dele sempre alguma surpresa. racingg 15


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Red Bull

Red Bull busca incomoda Terceira força do grid nos últimos anos, equipe austríaca pretende voltar a ser um rival constante aos dois principais times da F1

Texto

Leonardo Marson Fotos

Divulgação

r 16 racing

T

erceira força nas últimas duas temporadas da Fórmula 1, a Red Bull espera finalmente voltar a se colocar como uma postulante ao título mundial neste ano. Para isso, a equipe austríaca aposta mais uma vez em uma dupla de pilotos das mais fortes, formada por Daniel Ricciardo e Max Verstappen, e na melhora de desempenho das unidades de força da Renault, que sofreram com diversas quebras no campeonato do ano passado. Durante a primeira semana de testes de pré-temporada, realizada no Circuito de Barcelona, na Espanha, a Red Bull não conseguiu adquirir quilometragem da mesma forma que Ferrari e Mercedes fizeram. Foram apenas 209 voltas, número maior

apenas que os obtidos por Haas e Force India. E na segunda bateria de testes, os tempos de volta marcados por Ricciardo também foram próximos de seus rivais, mas ele voltou a ter uma McLaren à sua frente (se antes fora Vandoorne, desta vez, ficara atrás de Alonso). A temporada é encarada de formas diferentes pelos dois pilotos da equipe ligada à marca de energéticos mais conhecida do mundo. Verstappen tem contrato até o final de 2019, e espera brigar por vitórias para, de fato, se colocar entre os candidatos ao título nesta e nas próximas temporadas. O holandês sofreu muito com quebras e com acidentes em que se envolveu durante o ano,


r Mercedes e Ferrari

mas terminou a temporada com duas vitórias, obtidas na Malásia e no México. Para Ricciardo, a temporada pode ser a última junto da Red Bull. O australiano tem contrato com o time baseado em Milton Keynes até o final deste ano, e não esconde a vontade de brigar por um título mundial, ainda que isso signifique uma mudança para Mercedes ou Ferrari, equipes que também têm pilotos em fim de contrato ao final deste ano, e que podem deixar seus times para buscar novos ares. Ricciardo, porém, considera também uma permanência no time austríaco. Para isso, o sempre sorridente piloto busca um início de campeonato

dos mais fortes, visando aumentar seu valor no mercado e aumentar seu poder de barganha na equipe comandada por Helmut Marko e Christian Horner. O australiano estreou no time em 2014, e conquistou todas as suas vitórias na Red Bull. Caso a evolução do time seja confirmada, a Red Bull passa a ser um fator a ser considerado para a disputa do campeonato, que tem em Mercedes e Ferrari seus principais favoritos. Os austríacos, porém, devem sofrer com a evolução de Renault e McLaren, que prometem incomodar neste ano. Os franceses vêm com uma dupla de pilotos forte e melhoraram o carro, enquanto os ingleses passam a usar motores Renault.

racingg 17


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Red Bull

RED BULL Nome da equipe: Aston Martin Red Bull Racing Base da equipe: Milton Keynes, Inglaterra Chefe de equipe: Christian Horner Diretor-técnico: Adrian Newey Pilotos: Daniel Ricciardo e Max Verstappen Piloto de testes: Sébastien Buemi Chassi: RB14 Motor: Tag-Heuer (Renault) Pneus: Pirelli Estreia: 2005 Títulos: 4 Vitórias: 55 Poles: 58 Voltas mais rápidas: 54

A Red Bull espera mais confiabilidade do motor Renault em 2018 para vencer

Duas asas saem do cockpit ao lado do piloto, deixando limpas as entrdas de ar

Meta é fazer frente à Mercedes e à Ferrari, deixando McLaren e Renault para trás O bico do RB 14 tem uma “língua” com grande entrada de ar

r 18 racing


3

DANIEL RICCIARDO Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

33

MAX VERSTAPPEN australiana 01/07/1989 Perth 129 1 5 27 -

Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

holandesa 30/09/2007 Hasselt, Bélgica 60 3 11 -

Para ser ainda mais alegre, ele espera brigar por vitórias

Talento que vai se lapidando, agora ele quer algo a mais...

Daniel Ricciardo busca uma temporada com início consistente. O australiano tem contrato com a Red Bull apenas até o final deste ano e acredita ter melhores condições de negociar um novo acordo com bons resultados, e não esconde a vontade de brigar por títulos mundiais nos próximos anos, seja com a equipe austríaca, seja com Mercedes ou Ferrari. Mais um dos pilotos que acabaram prejudicados pela neve que inviabilizou um dos dias de testes em Barcelona, Ricciardo deu 107 voltas na primeira bateria da pré-temporada, número abaixo em relação ao que os pilotos de Ferrari e Mercedes fizeram. Apesar disso, o australiano foi o 5o mais veloz da primeira semana e o 4o da segunda semana de treinos, sendo batido pelos carros da Ferrari, Mercedes e sempre uma McLaren (Vandoorne e, depois, Alonso).

Max Verstappen inicia sua terceira temporada com a Red Bull – a segunda completa – esperando que os problemas que o prejudicaram durante 2017 sejam minimizados. A Red Bull demonstrou bom ritmo, o que dá uma expectativa para ser, ao menos, a terceira força do grid, o que o possibilita brigar por pódio. Os números de Verstappen na pré-temporada não chegam a empolgar: ele sempre ficou atrás de seu comapnaheiro na Red Bull, Daniel Ricciardo (que chegou a ser o mais rápido de todos em um dos dias). Ainda assim, o holandês tem a seu favor um estilo de pilotagem diferenciado, que o credencia a disputa pela vitória em todas as vezes na qual tiver um equipamento que o possibilite lutar por ela. A confiabilidade do carro e da unidade de força da Renault são vitais para que ele possa mostrar seu talento e, quem sabe, brigar pelo título.... racingg 19


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Renault

Renault quer brigar por

Texto

Leonardo Marson Fotos

Divulgação

r 20 racing

Equipe vem em evolução, e deve entrar no grupo das cinco melhores da F1 já neste ano

E

ntre todas as 10 equipes que compõem o grid da Fórmula 1 atual, aquela que deve apresentar a maior evolução é a Renault. Em reestruturação desde que voltou a ter uma equipe na principal categoria do automobilismo mundial, o time francês nunca esteve tão forte: tem um carro confiável, um motor potente que promete ser mais confiável e uma dupla de pilotos

formada por Nico Hülkenberg e Carlos Sainz, capaz de pontuar com regularidade. Não por acaso, o objetivo dos franceses é alcançar o grupo das cinco melhores equipes no Mundial de Construtores. Missão que parece plausível, dado ao aumento da estrutura do time na cidade inglesa de Enstone e o orçamento maior em relação a equipes como Force India e


pódios e andar na frente

Williams, que a superaram no ano passado. Mais do que isso, a Renault espera que Sainz e Hülkenberg possam lutar por pódios ainda neste ano. Os resultados dos testes de pré-temporada foarm animadores. A Renault não enfrentou nenhum problema crônico e conseguiu imprimir um ritmo que a colocou perto do pelotão da frente. Sainz – chegou a cravar o 5o melhor tempo na geral dos treinamentos. O espanhol utilizará esta temporada para mostrar que pode ser piloto de uma equipe de ponta no futuro, seja na Renault, ou na Red Bull.

Para Nico Hülkenberg, 2018 representa sua maior chance de mostrar que as expectativas em cima de seu nome estão certas, e de que ele pode disputar, no futuro, vitórias por equipes grandes - o que se espera dele desde a estreia na Fórmula 1. Os principais oponentes da Renault no ano serão a McLaren, que utilizará os mesmos motores que os franceses, e a Red Bull, equipe que se consolidou como uma das principais do campeonato e também usa os mesmos propulsores. Uma disputa intermediária que promete ser uma verdadeira revolução, para ver quem andará na frente.

racingg 21


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Renault

RENAULT Nome da equipe: Renault Sport Formula One Team Base da equipe: Enstone, Inglaterra Chefe de equipe: Cyril Abiteboul Diretor-técnico: Bob Bell, Nick Chester e Rémi Taffin Pilotos: Carlos Sainz e Nico Hülkenberg Piloto de testes: Jack Aitken e Artem Markelov Chassi: R.S.18 Motor: Renault Pneus: Pirelli Estreia: 1977 Títulos: 2 Vitórias: 35 Poles: 51 Voltas mais rápidas: 31

A Renault foi a equipe que mais se desenvolveu na temporada passada

O R.S.18 demostrou ser uma evolução do modelo anterior

r 22 racing

Os engenheiros priorizaram o desenvolvimento e confiabilidade do motor

Red Bull e McLaren serão os rivais diretos a serem superados pelo time


27

CARLOS SAINZ Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

55 espanhola 01/09/1994 Madri 60 -

NICO HÜLKENBERG Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

alemã 19/08/1987 Emmerich 135 1 -

Oportunidade de se transformar em piloto de ponta

Quer crescer junto com a Renault para alcançar o topo

Será a primeira temporada completa de Carlos Sainz com a equipe Renault, após substituir Jolyon Palmer na parte final do campeonato do ano passado. O espanhol foi trazido por empréstimo junto à Red Bull (ele corria pela Toro Rosso) para que os franceses pudessem conquistar mais pontos, buscando atingir finalmente o objetivo de se colocar entre as cinco melhores equipes do grid e brigar por pódios pela primeira vez desde seu retorno à categoria. Com o carro da Renault se mostrando mais confiável em relação ao do ano passado, o que é um ponto fundamental para se alcançar constância nas pontuações, Sainz poderá mostrar que está no mesmo nível de Max Verstappen, com quem dividiu o time na temporada 2016 mas viu o holandês ser chamado para a equipe principal da Red Bull.

Depois de praticamente duas temporadas ao lado de Jolyon Palmer, Nico Hülkenberg terá como companheiro de equipe um concorrenre dos mais fortes: Carlos Sainz. E se superar o rápido espanhol dentro do time, esta será a possibilidade de, finalmente, mostrar que é capaz de lutar por posições mais à frente do grid. Buscando ser o primeiro piloto da Renault, o alemão tem como missão conseguir bons resultados para fazer com que o time baseado na cidade inglesa de Enstone possa se colocar entre os cinco melhores. Em um ano em que a Renault busca conquistar pódios, algo inédito na carreira do piloto alemão, Hülkenberg vai usar de sua experiência para usufruir o máximo da máquina francesa, trilhando um caminho junto do time que possa levar ambos ao topo. racingg 23


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • McLaren

Com Renault, McLaren m

Texto

Leonardo Marson Fotos

Divulgação

r 24 racing

Equipe deixa parceria com a Honda e espera voltar a brigar por pódios usando motores Renault

R

ecuperar o tempo perdido. É com este pensamento que a McLaren inicia a temporada 2018 da Fórmula 1. Depois de uma celebrada parceria com a Honda para fornecimento de motores, a expectativa era de que o time de Woking voltasse aos seus melhores tempos, brigando por vitórias e títulos, reeditando uma fase vitoriosa da parceria, que rendeu 3 títulos mundiais com Ayrton Senna e 1 com Alain Prost. O que se viu, porém, foram quebras seguidas e falta de potência clara em relação aos concorrentes, que acabaram por minar quaisquer chances dos ingleses de conseguir bons resultados.

Sem conseguir desempenho consistente, e sentindo Fernando Alonso cada vez mais irritado com a situação que perdurou por todo o período da parceria, a McLaren optou por romper o contrato com a Honda, que passou a equipar os carros da Toro Rosso nesta temporada, e utilizar pela primeira vez em sua história unidades de força produzidas pela Renault, que já fornece seus motores para a Red Bull, além de ser usada nos carros da própria equipe francesa. Nos primeiros testes de pré-temporada da Fórmula 1, realizada em Barcelona, o que se viu foi uma McLaren mais rápida do que nas tempo-


ira recuperação em 2018

radas anteriores. Apesar disso, a confiabilidade segue sendo um problema a ser resolvido para a equipe baseada em Woking. Nos dois períodos de testes, a McLaren enfrentou quebras. Mas tudo foi minimizado, ainda mais se comparado ao ano anterior, no qual o time não conseguia completar voltas constantes. E, ainda que as equipes não levem em conta os tempos marcados em pré-temporada, vale destacar que Alonso estabeleceu a 3a melhor marca com pneus Hypersoft (hipermacios), o que promete uma boa expectativa. A meta é de que a McLaren entre no grupo das cinco melhores equipes da temporada, em um patamar semelhante ao da Renault, e um degrau atrás de Mercedes, Ferrari e Red Bull, equipes que têm dominado o campeonato mundial nos últimos anos. Caso a expectativa se confirme,

representará um grande avanço do time inglês entre os construtores, depois do 9o e penúltimo lugar do ano passado, ficando à frente apenas da limitada Sauber. Além de uma recuperação da equipe, o ano promete ser agitado também para os pilotos. Alonso nunca escondeu que tem o desejo de ser campeão do mundo mais uma vez, e espera poder brigar por pódios em um ano em que se revezará com a disputa do Campeonato Mundial de Endurance. O espanhol defenderá a Toyota na categoria LMP1, e buscará vencer pela primeira vez na carreira a tradicional 24 Horas de Le Mans, mais importante prova de longa duração do mundo. Por outro lado, Vandoorne busca mostrar ser o piloto combativo que venceu o campeonato da GP2 em 2015 e na Super Fórmula em 2016.

racingg 25


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • McLaren

McLAREN Nome da equipe: Base da equipe: Chefe de equipe:

McLaren F1 Team Woking, Inglaterra Zak Brown e Eric Boullier Diretor-técnico: T im Gross, Matt Morris e Peter Prodromou Pilotos: Fernando Alonso e Stoffel Vandoorne Piloto de testes: Lando Norris Chassi: MCL33 Motor: Renault Pneus: Pirelli Estreia: 1966 Títulos: 8 Vitórias: 182 Poles: 155 Voltas mais rápidas: 155

Desempenho mostrado nos testes mostrou muita velocidade

O MCL33 pode ser um dos melhores carros do ano, mas precisa ser confiável

r 26 racing

Agora com motor Renault, o carro terá potência ideal para o chassi

As entradas de ar da McLaren são mais simples e limpas


14

2005

2

2006

FERNANDO ALONSO Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

espanhola 29/07/1981 Oviedo 290 22 32 97 2 (2005 e 2006)

STOFFEL VANDOORNE Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

belga 26/03/1992 Courtrai 20 -

Motivação em alta novamente para mostrar seu talento

Primeiro objetivo: andar no mesmo ritmo de Alonso

Foram três temporadas sofrendo com o desempenho dos motores Honda, mas agora Fernando Alonso espera por um ano em que possa voltar a brigar pelo menos por lugares no pódio com o carro equipado com o motor Renault. Apesar disso, a primeira semana de testes da McLaren em Barcelona não foi das mais pródigas, com o MCL33, carro da McLaren para este campeonato, apresentando falhas que custaram tempo de pista para o piloto espanhol. Apesar das falhas nos primeiros testes, o espanhol segue confiante em um bom desempenho do time na temporada, depois de ter marcado o 3o melhor tempo da pré-temporada, ficando atrás apenas de Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, da Ferrari. Alonso efetuou bom ritmo com o MCL33 e apontou otimismo, o que há tempos não demosntrava.

Após uma chegada badalada à Fórmula 1 possibilitada pelo título na então GP2 em 2015, e uma campanha positiva na Super Fórmula japonesa em 2016, Vandoorne sofreu com o fraco desempenho do motor Honda no carro da McLaren em seu ano de estreia na principal categoria do automobilismo mundial. Agora, o belga espera reverter a impressão do primeiro ano com uma boa temporada.Apesar dos problemas sofridos com o MCL33 nos primeiros testes de pré-temporada, Vandoorne conseguiu dar bastante voltas e completar boa quilometragem. A esperança do piloto é de que a confiabilidade do carro possa melhorar para que, assim, tenha condições de lutar por pontos e pódios. A questão é ter Fernando Alonso como companheiro de time. Para mostrar que é bom mesmo, terá de superar o espanhol. racingg 27


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Force India

Quer continuar crescendo... Texto

Leonardo Marson Fotos

Divulgação

Force India fez um belo campeonato em 2017 e espera crescer mais em 2018 para tentar ser grande. Mas será que consegue?

FORCE INDIA Nome da equipe: Sahara Force India Formula 1 Team Base da equipe: Silverstone, Inglaterra Chefe de equipe: Andy Stevenson Diretor técnico: Andrew Green Pilotos: Sergio Pérez e Esteban Ocon Piloto de testes: Nicholas Latifi e Nikita Mazepin Chassi: VJM11 Motor: Mercedes Pneus: Pirelli Estreia: 2008 Títulos: Vitórias: Poles: 1 Voltas mais rápidas: 5

Motor Mercedes continua sendo um trunfo para a equipe indiana na F1

Modelo continua com as cores rosa dos patrocinador (incluindo o Halo)

Carro possui aletas aerodinâmicas avançadas à frente das entradas de ar

r 28 racing


31

ESTEBAN OCON DECEPÇÃO DOS TESTES A Force India não foi bem nos testes de pré-temporada e andou pouco

U

ma das equipes de menor orçamento na Fórmula 1, a Force India surpreendeu ao conseguir a 4a posição no Mundial de Construtores nas últimas duas temporadas. A expectativa do time indiano é tentar se manter no grupo dos cinco primeiros em 2018, mas a concorrência de Renault, que promete brigar pelo top-5, e McLaren, time que trocou as unidades de força Honda pela Renault, deverão tornar as coisas mais complicadas para o time baseado em Silverstone. Outro problema para a equipe é o dinheiro gasto para a instalação do Halo, protetor de cockpit que passa a ser obrigatório a partir deste ano na categoria. Segundo a direção da equipe, foi utilizado em torno de 1 milhão de euros para que a peça pudesse ser fixada ao carro, que precisou da construção de um novo chassi para o VJM11, o que representou outro gasto ao time. Para tentar se manter entre as melhores equipes, a Force India manteve sua dupla de pilotos, formada por Sergio Pérez e Esteban Ocon. Os dois garantem ter deixado para trás os desentendimentos da temporada passada, e formam uma dupla forte entre as equipes de meio de pelotão. Na pista, o VJM11 foi, porém, um dos carros que menos andou no circuito de Barcelona, que recebeu a pré-temporada da Fórmula 1. Inicialmente, a briga da Force India, que além de Pérez e Ocon, tem Nikita Mazepin como reserva, e Nicholas Latifi como piloto de desenvolvimento, será contra Williams e Toro Rosso, que deverão lutar pelo 6o lugar do Mundial de Construtores. Os indianos, porém, esperam seguir a boa fase e aparecer atrás apenas do trio de ferro formado por Mercedes, Ferrari e Red Bull.

Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

11

SERGIO PÉREZ francesa 17/09/1996 Evreux 29 -

Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

mexicana 26/01/1990 Guadalajara 134 7 -

Francês mostrou ser Mexicano parece competitivo de cara estar amadurecendo O francês inicia sua segunda temporada completa na mais importante categoria do automobilismo mundial buscando manter a Force India entre as cinco melhores equipes da Fórmula 1. Apoiado pela Mercedes, que o tem como opção para a equipe no futuro, Ocon se mostrou combativo em seu primeiro ano no time indiano, mesmo com os incidentes com Sergio Pérez ao longo da última temporada. Por conta do trabalho para desenvolver o carro aerodinamicamente, Ocon completou apenas 79 voltas ao longo dos primeiros quatro dias de testes coletivos da Fórmula 1 no circuito de Barcelona. Ainda assim, piloto e equipe esperam iniciar a temporada na Austrália em um patamar semelhante aos apresentados por Williams, Haas e Toro Rosso para poder brigar com McLaren e Renault, caso a performance do carro melhore.

A missão de Pérez na temporada é manter a Force India, 4a colocada nos dois últimos Mundiais de Construtores, como a melhor equipe cliente do grid. A missão, porém, será das mais complicadas, uma vez que a equipe de fábrica da Renault deve manter seu momento crescente iniciado no final de 2017, e a McLaren, em que pese os problemas de confiabilidade, também deve evoluir, agora com o motor francês sob a carenagem. Nos testes de pré-temporada, a Force India foi uma das equipes que mais decepcionaram, ficando sempre entre os piores tempos. Mas teste é teste e corrida é corrida e por isso a equipe conta com Perez para, em uma competição direta e “caseira” com Esteban Ocon dentro da equipe, evoluir o ptencial do carro. Se ele souber separar as disputas de pista com as disputas pessoais com seu companheiro, poderá surpreender em algumas provas e mostrar que amadureceu como piloto da categoria. racingg 29


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Williams

Williams “novata” em 2018 Texto

Leonardo Marson Fotos

Divulgação/Williams

Lance Stroll e Sergey Sirotkin formam a dupla mais jovem do grid. Será que darão conta de manter os ingleses no meio do pelotão?

WILLIAMS Nome da equipe:

Williams Martini Racing Base da equipe: Grove, Inglaterra Chefe de equipe: Frank Williams e Claire Williams Diretor-técnico: Paddy Lowe e Rob Smedley Pilotos: Lance Stroll e Sergey Sirotkin Piloto de testes: Robert Kubica e Oliver Rowland Chassi: FW41 Motor: Mercedes Pneus: Pirelli Estreia: 1975 Títulos: 9 Vitórias: 114 Poles: 128 Voltas mais rápidas: 133

Sem um piloto experiente, será difícil desenvolver o carro na temporada

Robert Kubica poderá assumir o cockpit oficial durante o campeonato

r 30 racing

A Wiliams trabalhou na melhora do chassi, com foco em usufruir melhor o motor Mercedes


18

LANCE STROLL SEM FELIPE MASSA A Williams conta com dois jovens pilotos titulares e o recuperado Robert Kubica

A

Williams parte para a temporada 2018 da Fórmula 1 cercada de incertezas. O time inglês, 5o colocado no último Mundial de Construtores, terá a dupla de pilotos mais jovem do grid, com a manutenção do questionado Lance Stroll e a chegada de Sergey Sirotkin, que foi escolhido em detrimento de Robert Kubica, e chega para ocupar a vaga do brasileiro Felipe Massa, agora aposentado. Muitas dúvidas surgem pelo fato de o time contar com dois pilotos pagantes. Lance tem a carreira financiada pelo pai, Lawrence Stroll, que não mediu esforços para que o canadense chegasse ao principal campeonato do automobilismo mundial. Já Sirotkin passou pela Fórmula Renault, World Series e Fórmula 2 antes de chegar à Fórmula 1, e é apoiado pelo SMP Racing, projeto de desenvolvimento de pilotos do banco russo SMP. Na pré-temporada, o FW41, carro da Williams para o campeonato deste ano, completou boa quilometragem, mas dividida em três pilotos. A Williams escalou para os testes Stroll e Sirotkin, além do polonês Robert Kubica, piloto reserva da equipe, e que busca uma vaga de titular no futuro. Com a expectativa de crescimento de Renault e McLaren, e a manutenção de Mercedes, Ferrari e Red Bull como principais forças da Fórmula 1, os ingleses de Grove, pelo menos neste início de campeonato, lutarão para tentar ser a sexta força do campeonato, posto que deve ser disputado também por Force India e Toro Rosso. A pouca experiência de seus pilotos, porém, é um fator a ser considerado para esta disputa ao longo do ano. E pode ser na hipótese de o time ir mal no início do ano que Kubica poderá ser acionado.

Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

35

SERGEY SIROTKIN canadense 29/10/1998 Montreal 20 -

Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

russa 27/08/1995 Moscou -

Sem coach, Stroll virou “experiente”

Novato que quer provar seu talento

Mais uma vez, Lance Stroll começa a temporada da Fórmula 1 sob desconfiança. O piloto, que tem a carreira bancada pelo pai, o milionário Lawrence Stroll, não teve um ano de estreia dos mais fáceis, mesmo tendo obtido um pódio no caótico Grande Prêmio do Azerbaijão. O canadense espera ainda que a Williams possa apresentar um carro que lhe dê condições de brigar mais à frente do grid e mostrar que tem talento de piloto de verdade. Ainda mais que, neste ano, ele não terá o suporte de um piloto experiente ao seu lado, como foi tendo Felipe Massa em 2017. Por conta do revezamento que a Williams promoveu com Sergey Sirotkin e Robert Kubica, Stroll andou menos do que o ideal nos testes de pre-temporada. Os tempos foram satisfatórios, mas fica a dúvida de onde a sua Williams conseguirá estar no grid de largada nas corridas iniciais da temporada 2018 da F1.

A expectativa era de que o piloto polonês Robert Kubica ocupasse a vaga de titular da Williams, mas a participação de Sergey Sirotkin nos testes de pneus da Pirelli no final do ano passado, aliado ao apoio financeiro prestado pelo SMP Bank, mantenedor do SMP Racing, fizeram com que o russo alcançasse uma até então improvável vaga de titular, depois de passar um ano como piloto reserva da Renault. Sirotkin possui bons desempenhos nas categorias de base. Na antiga GP2, garantiu o 3o lugar nas temporadas de 2015 e 2016. Na pré-temporada, a Williams não marcou bons tempos e isto pode ser o reflexo de pouca experiência tanto de Sirotkin, como de Stroll. As primeiras etapas do Mundial 2018 já vão apontar se o competidor russo faz frente - ou é mais rápido - que o seu parceiro canadense, ou se ele será batido pela velocidade de Stroll. E todos verão qual será o resultado desta aposta ousada da Williams. racingg 31


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Toro Rosso

Grande aposta no motor Honda Texto

Leonardo Marson Fotos

Red Bull Content Pool

Time de Faenza foi o 7o colocado no ano passado e faz manobra inusitada com os motores japoneses para arriscar a crescer

TORO ROSSO Nome da equipe:

Scuderia Toro Rosso Honda Base da equipe: Faenza, Itália Chefe de equipe: Franz Tost Diretor-técnico: James Key Pilotos: Brendon Hartley e Pierre Gasly Chassi: STR13 Motor: Honda Pneus: Pirelli Estreia: 2006 Títulos: Vitórias: 1 Poles: 1 Voltas mais rápidas: 1

O motor Honda não rendeu bem nos últimos anos, mas parece melhor agora

STR pegou todo o desenvolvimento do motor feito na McLaren e quer aproveitar isso como chance

r 32 racing

O conjunto chassi/ motor se mostrou bem confiável na pré-temporada


28

BRENDON HARTLEY SEM QUEBRAS Os dois pilotos da Toro Rosso andaram muito nos treinos e não tiveram problemas

A

Toro Rosso inicia a temporada sob atenção de toda a Fórmula 1. O time de Faenza começa o ano com uma nova parceria técnica com a Honda, que substitui a Renault como fornecedora de motores da equipe. Depois de ter a imagem do STR13 vazada no shakedown realizado em Misano, a equipe exibiu um carro com layout semelhante ao do ano passado, exceto pelas faixas vermelhas nas laterais, alusivas à nova fornecedora de unidades de força. Cercada de desconfiança por conta dos problemáticos três anos juntos da McLaren, a fabricante japonesa mostrou confiabilidade nos testes de pré-temporada com a equipe italiana, sendo uma das que mais completou voltas no circuito de Barcelona, na Espanha, e sem quebras. A dupla de pilotos será a mesma que encerrou o campeonato do ano passado, com Pierre Gasly e Brendon Hartley, pilotos que têm cinco e quatro Grandes Prêmios na carreira, respectivamente. Apesar do pouco tempo na principal categoria do automobilismo mundial, os dois têm trajetórias respeitáveis: campeão da GP2 em 2016, o francês disputou o título da Super Fórmula japonesa até o final no ano passado. Já o neozelandês é bicampeão mundial de endurance e venceu as 24 Horas de Le Mans no ano passado. A Toro Rosso se coloca no início do campeonato como uma das candidatas à sexta força da Fórmula 1, junto com Williams e Force India. A equipe de Faenza, porém, tem como trunfo a parceria com a Honda – o que foi um tiro no pé da McLaren nos últimos três anos. Mas, se depender do desempenho inicial de testes, o time comandado por Franz Tost pode até acreditar em surpreender.

Nacionalidade: neozelandesa Data de nascimento: 10/11/1989 Cidade: Palmerston North GPs disputados: 4 Poles: Vitórias: Pódios: Títulos: -

10

PIERRE GASLY Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

francesa 07/02/1996 Rouen 5 -

Vencedor de Le Mans agora na F1

Ano para se firmar na F1

Uma das grandes estrelas das provas de longa duração nos últimos anos, Brendon Hartley parte para sua primeira temporada completa como titular na Fórmula 1 com a melhor das expectativas. O carro da Toro Rosso equipado com motores Honda passou pelos testes de pré-temporada livre de problemas, o que permite ao neozelandês sonhar com um bom campeonato. Hartley também se vê livre, pelo menos no início do campeonato, das penalizações por troca de motor, que minaram seus desempenhos nas primeiras quatro corridas feitas na Fórmula 1 até agora. Na semana inicial da pré-temporada, por conta da neve que atingiu o circuito de Barcelona, Hartley deu apenas 95 voltas, mas ajudou o time de Faenza a ser aquele com mais voltas, com expressivas 324 voltas completadas logo de início. Após vencer as 24 Horas de Le Mans em 2017, agora ele quer se dar bem na F1.

Cercado por expectativas por conta dos desempenhos apresentados nas categorias de base e na Super Fórmula japonesa, onde só não teve a chance de brigar pelo título por conta do cancelamento da última etapa, Pierre Gasly inicia a temporada 2018 esperando um melhor desempenho da Toro Rosso, que sofreu nas etapas finais com os problemas de motor. Para isso, conta com o até aqui bom desempenho dos motores Honda em seu carro. Coube ao francês o feito de ser o piloto com mais voltas completadas na primeira semana de testes de pré-temporada, em Barcelona, anotando 229 voltas nos quatro primeiros dias de atividades. Assim, Gasly espera ser capaz de brigar com constância por pontos nesta temporada, algo que foi impossível no campeonato do ano passado. Dentro da equipe, promete travar uma disputa acirrada com seu companheiro de Toro Rosso, o também arrojado Brendon Hartley. racingg 33


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • Haas

Haas aposta em continuidade Texto

Leonardo Marson Fotos

Divulgação

Mesmo com rivais mais bem preparados, equipe americana espera avançar no Mundial de Construtores Time continua utilizando o motor italiano da Ferrari em 2018

HAAS Nome da equipe: Base da equipe: Chefe de equipe: Diretor-técnico: Pilotos:

Haas F1 Team Kannapolis, EUA Gunther Steiner Rob Taylor Romain Grosjean e Kevin Magnussen Piloto de testes: Santino Ferrucci e Arjun Maini Chassi: VF-18 Motor: Ferrari Pneus: Pirelli Estreia: 2016 Títulos: Vitórias: Poles: Voltas mais rápidas: -

r 34 racing

Único time dos Estados Unidos na Fórmula 1, a Haas busca se consolidar

Entradas de ar laterais foram montadas na parte bem anterior do carro


8

ROMAIN GROSJEAN EVOLUÇÃO Haas pretende deixar a oitava posição entre as equipes nesta temporada 2018

D

eixar a 8a colocação e avançar. Este é o objetivo da Haas em sua terceira temporada na Fórmula 1. Para isso, o time pouco mudou para o campeonato deste ano: a parceria técnica com a Ferrari segue, bem como a dupla de pilotos do ano passado, com Romain Grosjean, que está na equipe americana desde sua fundação, e Kevin Magnussen, dinamarquês que parte para o segundo ano em Kannapolis. O time se apoia na melhora entre 2016, seu ano de estreia na principal categoria do automobilismo mundial, e 2017. Foram 29 pontos dois anos atrás, contra 47 na última temporada, condição que fez os americanos brigarem pelo 6o lugar entre as equipes até o final, sucumbindo diante Renault e Toro Rosso. A briga da escuderia comandada por Gene Haas é exatamente melhorar o posicionamento. O carro da equipe será o VF18, primeiro a ser apresentado para a temporada deste ano. Na pista, durante os testes de Barcelona, a Haas conseguiu marcar bons tempos utilizando pneus Supersofts (supermacios). Com este composto, Magnussen foi o responsável por marcar o 6o melhor tempo no circuito localizado em Montmeló, enquanto os pilotos à sua frente utilizaram o Hypersoft (hipermacio). Grosjean marcou o 9o melhor tempo de todos os dias, mas utilizando pneus Ultrasoft (Ultramacios). A Haas time terá que lidar com o avanço das rivais. A Toro Rosso, uma das equipes que mais andou em Barcelona sem problemas (agora utiliza os motores Honda), enquanto a Renault espera fazer um bom trabalho para entrar no top-5 do campeonato. Além disso, a McLaren promete uma temporada forte com motores Renault neste ano.

Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: Genebra, GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

20

KEVIN MAGNUSSEN francesa 17/04/1986 Suíça 122 10 -

Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

dinamarquesa 05/10/1992 Roskilde 60 1 -

Em busca de mais regularidade

Polêmico, vai manter seu estilo agressivo

Integrante da Haas desde a temporada de estreia da equipe americana na Fórmula 1, Romain Grosjean busca fazer neste ano um campeonato mais regular em relação ao do ano passado. O principal objetivo do francês é ajudar o time a melhorar a 8a colocação obtida nos últimos dois Mundiais de Construtores, mesmo em um ano em que a McLaren, empurrada agora por motores Renault, e rivais como a própria equipe Renault e também a Toro Rosso, devem avançar. O desempenho nos testes, porém, não foi dos mais animadores. Grosjean foi o piloto titular que menos andou na primeira semana de pré-temporada, com apenas 55 voltas completadas, ante 132 feitas por Kevin Magnussen. O francês andou em apenas um dos dias da primeira das duas sessão de testes coletivos, já que sua atividade inicial foi inviabilizada por conta da neve que atingiu o circuito de Barcelona, onde ocorreram os testes.

Contestado e criticado por pilotos e por alguns membros da mídia, o dinamarquês segue para seu segundo ano com a equipe baseada na cidade americana de Kannapolis cercado por dúvidas. O piloto, tido como uma promessa quando chegou à Fórmula 1 em 2014, pela McLaren, jamais convenceu, e marcou 19 pontos no ano passado, contra 28 de Romain Grosjean, mas segue prestigiado por Gene Haas, chefe da equipe. Mas mostrou uma boa performance nos testes de pré-temporada, conseguindo um 6o melhor tempo. Caso a Haas consiga desenvolver seu carro durante a temporada, o competidor poderá se redimir da fama de “piloto promessa” e mostrar na pista que pode obter bons resultados. Mas, para isso, terá de evitar brigas com manobras exageradas e polêmicas. Isto já lhe causou punições e batidas que tiraram as chances dele (e de outros competidores) de conseguir melhores resultados. racingg 35


GUIA DA FÓRMULA 1 EEQUIPES • ALFA ROMEO Sauber

Sauber não quer o fim do grid Texto

Leonardo Marson Fotos

Divulgação

Ampliação de parceria com a Ferrari e chegada da Alfa Romeo fazem os suíços pensarem em deixar as últimas posições

A parceria técnica com a Alfa Romeo permitirá mais desenvolvimento

ALFA ROMEO SAUBER Nome da equipe: Alfa Romeo Sauber F1 Team Base da equipe: Hinwil, Suíça Chefe de equipe: Frédéric Vasseur Diretor-técnico: Axel Kruse Pilotos: Marcus Ericsson e Charles Leclerc Piloto de testes: Antonio Giovinazzi e Tatiana Calderón Chassi: C37 Motor: Ferrari Pneus: Pirelli Estreia: 1993 Títulos: Vitórias: Poles: Voltas mais rápidas: 3

r 36 racing

O motor Ferrari dará confiabilidade e potência para o C37 evitar o fim do grid

Charles Leclerc é uma das grandes novas promessas da F1 e pode surpreender


9

MARCUS ERICSSON SUPORTE DE FABRICANTE Contar com a Alfa Romeo significa ter infra-estrutura de fábrica de uma marca

A

Sauber inicia 2018 pensando em esquecer a temporada passada, quando terminou o Mundial de Construtores na última colocação, com apenas cinco pontos conquistados. Para isso, o time ampliou seu relacionamento com a Ferrari, e passará a receber unidades de força atualizadas da fabricante de Maranello. Mais do que isso, o time passará a estampar no C37, carro para este ano, a marca da Alfa Romeo, que pertence ao Grupo Fiat Chrysler. Há uma mudança de piloto também no time de Hinwil. A parceria com a Ferrari fez com que o monegasco Charles Leclerc se tornasse titular da Sauber, ocupando a vaga de Pascal Wehrlein, dono de todos os pontos da Sauber no ano passado, mas que é ligado à Mercedes. O outro carro da equipe suíça segue comandado pelo questionado Marcus Ericsson, que partirá para sua quarta temporada na escuderia comandada por Frédéric Vasseur. Em que pese os pilotos não terem sido rápidos nos testes da Fórmula 1, realizados em Barcelona entre os dias 26 de fevereiro e 9 de março, a Sauber viu Leclerc e Ericsson completarem muita quilometragem sem grandes problemas. Se não existe a expectativa de a Sauber se colocar entre as equipes do meio do pelotão, ao menos os suíços esperam agora, com o apoio da Alfa Romeo e o motor Ferrari, deixar o fim do grid, realidade que tem assombrado o time nas últimas temporadas. A última vez em que os suíços não terminaram o Mundial de Construtores nas últimas posições foi em 2015, quando o time marcou 36 pontos e terminou na 8a posição entre as 10 equipes que tomaram parte daquele campeonato, à frente de McLaren e Manor.

Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

16

CHARLES LECLERC sueca 02/09/1990 Kumla 76 -

Nacionalidade: Data de nascimento: Cidade: GPs disputados: Poles: Vitórias: Pódios: Títulos:

monegasca 16/10/1997 Monte Carlo -

Coadjuvante e suporte financeiro

Chance de crescer com a Alfa Romeo

O contestadíssimo piloto sueco quase deixou o grid ao final do campeonato do ano passado, mas acabou ficando com a Sauber e partirá para sua quinta temporada na principal categoria do automobilismo mundial, a quarta junto do time de Hinwil. Ericsson leva patrocinadores locais de peso para a Sauber, o que ajuda na compaosição do orçamento do time. Com o apoio da Ferrari, que fornecerá unidades de força atualizadas e estampará a marca da Alfa Romeo nos carros, Ericsson espera, finalmente, mostrar serviço pelo time e voltar a pontuar depois de dois anos, com um carro que, se não for forte, promete ao menos deixar o fim do grid. A sua vida não será fácil, pois terá ao seu lado um dos pilotos mais aguardados para estrear na F1, o rápido Charles Leclerc. Ericsson terá, antes de tudo, que tentar andar à frente de Leclerc caso queira algo mais do que pagar e correr na categoria.

O monegasco promete ser uma das atrações da temporada 2018 da Fórmula 1. Apoiado pela Ferrari, Charles Leclerc teve um desempenho fulminante nas categorias de base, garantindo os títulos da GP3, em 2016, e da Fórmula 2 no ano passado, sempre defendendo a Prema. É justamente o apoio da Ferrari que permitirá a estreia de Leclerc na principal categoria do automobilismo mundial, uma vez que os italianos ampliaram a parceria com a Sauber, cedendo a partir deste ano motores atualizados aos suíços. Com um carro que promete ao menos deixar as últimas posições, a expectativa é de que Leclerc consiga bater com alguma facilidade Marcus Ericsson, seu companheiro de equipe e que não pontua na Fórmula 1 desde a temporada de 2015. Ele pode ser um competidor que cresça com a Alfa Romeo, caso a parceria com a Sauber dê certo a longo prazo, o que pode lhe garantir uma posição já de primeiro piloto. racingg 37


GUIA DA FÓRMULA 1 CCALENDà RIO 2018 A temporada 2018 contarå com 21 Grandes Prêmios e marcarå a volta da F1 a dois dos países mais tradicionais de sua história: França e Alemanha, que receberão corridas em Paul Ricard e Hockenheim, respectivamente. O campeonato começa dia 25 de março, na Austrålia, e serå encerrado oito meses depois, no dia 25 de novembro com o GP de Abu Dhabi. O GP do Brasil serå em 11 de novembro.

25/03 | AUSTRĂ LIA Albert Park, Melbourne

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min24s125, Michael Schumacher, tNÂş de voltas: 58 (307.574 m)

Divulgação Sauber

CalendĂĄrio da F1 em 2018: 21 corridas

BARCELONA Palco dos testes de prĂŠ-temporada vai receber o GP oďŹ cial em 13 de maio

08/04 | BAHREIN Circuito de Bahrein, Sakir

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min31s447, Pedro De La Rosa, 2005 tNÂş de voltas: 57 (308.238 m)

01 02

29/04 | AZERBAIJĂƒO Circuito da Cidade de Baku, Baku

ExtensĂŁo da pista: 6.006 m Recorde da pista: 1min43s441, Sebastian Vettel, 2017 tNÂş NÂş de voltas: 51 (305.000 m)

Circuito Gilles Villeneuve, Montreal

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min13s622, Rubens Barrichello, 2004 tNÂş de voltas: 70 (305.270 m)

07 r 38 racing

Circuito de Xangai, Xangai

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min32s238, Michael Schumacher, tNÂş de voltas: 56 (305.066 m)

03

13/05 | ESPANHA Circuito da Catalunha, Barcelona

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min21s670, Kimi Raikkonen, 2008 tNÂş de voltas: 66 (307.104 m)

05

04 10/06 | CANADĂ

15/04 | CHINA

27/05 | MÔNACO Circuito de Monte Carlo, Monte Carlo

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min14s439, Michael Schumacher, tNÂş de voltas: 78 (260.286 m)

06 24/06 | FRANÇA Circuito Paul Ricard, Le Castellet ExtensĂŁo da pista: 5.861 m tNÂş de voltas: a ser deďŹ nido

08

01/07 | Ă USTRIAA Red Bull Ring, Spielberg

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min07s411, Lewis Hamilton, 2017 tNÂş de voltas: 71 (307.020 m)

09


08/07 | INGLATERRA Circuito de Silverstone, Silverstone

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min30s621, Lewis Hamilton, 2017 tNÂş de voltas: 52 (306.198 m)

22/07 | ALEMANHA Hockenheimring, Hockenheim

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min13s780, Kimi Raikkonen, 2004 tNÂş de voltas: 67 (306.458 m)

11

10 26/08 | BÉLGICA Spa-Francorchamps, Spa

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min46s577, Sebastian Vettel, 2017 tNÂş de voltas: 44 (308.052 m)

02/09 | ITĂ LIA Circuito de Monza, Monza

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min21s046, Rubens Barrichello, 2004 tNÂş de voltas: 53 (306.720 m)

14

13 30/09 | RĂšSSIA Circuito de Sochi, Sochi

Extensão da pista:NtRecorde da pista: 1min36s844, Kimi RäikkÜnen, 2017 tNº de voltas: 53 (309.745 m)

16 28/10 | MÉXICO Autódr. Hermanos Rodrigues, Cidade do MÊxico Extensão da pista:NtRecorde da pista: 1min18s785, Sebastian Vettel, 2017 tNº de voltas: 71 (305.354 m)

19

07/10 | JAPĂƒO Circuito de Suzuka, Suzuka

Extensão da pista:NtRecorde da pista: 1min31s540, Kimi RäikkÜnen, 2005 tNº de voltas: 53 (307.471 m)

29/07 | HUNGRIA Hungaroring, Budapeste

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min19s071, Michael Schumacher, tNÂş de voltas: 70 (306.630 m)

12 16/09 | CINGAPURA Circuito urbano de Marina Bay, Cingapura

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min45s008, Lewis Hamilton, 2017 tNÂş de voltas: 61 (308.828 m)

15 21/10| EUA Circuito das AmĂŠricas, Austin

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min37s766, Sebastian Vettel, 2017 tNÂş de voltas: 56 (308.405 m)

18

17 11/11 | BRASIL AutĂłdr. JosĂŠ Carlos Pace (Interlagos), SĂŁo Paulo

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min11s044, Max Verstappen, 2017 tNÂş de voltas: 71 (305.909 m)

20

25/11| ABU DHABI Circuito de Yas Marina, Abu Dhabi

ExtensĂŁo da pista:NtRecorde da pista: 1min40s279, Sebastian Vettel, 2009 tNÂş de voltas: 55 (305.355 m)

21 racingg 39


GUIA DA FÓRMULA 1 GGAMA DE PNEUS F1

O arco-íris da Pirelli irá iluminar a Fórmula 1 A Pirelli, fornecedora oficial exclusiva da categoria, mostra sua nova gama de pneus para Fórmula 1 em 2018 Texto

Divulgação / Pirelli

r 40 racing

H

averá dois novos compostos e cores nesta temporada da F1, bem como novas construções, compostos e faixas de trabalho para toda a família, agora renovada. Esses são os principais pontos sobre 2018: todos os compostos são um estágio mais macio que os de 2017, fazendo desses pneus os mais velozes da história da Fórmula 1. Uma das novidades para 2018 é um pneu acima do ultramacio, um composto ainda mais macio chamado P Zero Rosa ultramacio. Este é o pneu mais macio já feito pela Pirelli para a Fórmula 1. Esse novo composto será ideal para circuitos onde é necessário ter o máximo em termos de aderência mecânica, como Mônaco. Outra novidade para 2018 é o composto duro, que passa a receber a cor azul glacial. Outro novo pneu é o superduro. O laranja segue como a cor indicativa do composto mais duro da gama. No total, haverá agora sete compostos P Zero para pista seca. Junto com os novos Cinturato intermediário e de chuva, a gama de  pneus  Pirelli para 2018 terá nove cores. Os compostos e as construções foram remodelados para cada pneu, mantendo a filosofia da  Pirelli  de renovar sua gama de  pneus  a cada ano, desde que a empresa italiana voltou para a Fórmula 1, em 2011. Há novas faixas de trabalho permeando toda a família. Isso, somado ao aumento do número de compostos, permitirá que a nomeação de  pneus  seja mais especificamente adequada para cada corrida da temporada, dependendo do tipo do traçado e do tipo de piso do circuito. Para a  Pirelli  e as equipes, isso também significa que pode haver mais flexibilidade e variações nas escolhas de pneus, levando a oportunidades adicionais no que se refere a formular estratégias criativas de corrida.

O novo pneu rosa recebeu o nome de P Zero Rosa hipermacio após uma pesquisa nos canais de mídias sociais da Pirelli. A pesquisa foi apoiada por grandes celebridades do esporte, que convidaram os fãs a escolher o novo nome após o Grande Prêmio do Brasil de 2017. Mario Isola, líder de competições de veículos da  Pirelli disse: “Comparado ao ano passado, quando os  pneus  cresceram 25% para calçar uma nova geração de carros, as mudanças para 2018 são menos extensas. Contudo, temos o prazer de apresentar algumas importantes inovações, com compostos mais macios e velozes em toda a gama, incluindo o novo hipermacio. Percebemos que, levando-se em conta as circunstâncias únicas de 2017, alguns dos compostos talvez fossem conservadores. Os  pneus  que criamos para 2018 abordam essa questão, em linha com o objetivo de ter cerca de duas paradas na maioria das corridas. Porém, o conceito fundamental de design dos pneus não foi alterado para este ano, preservando os atributos que todos os pilotos apreciaram em 2017 e permitindo que eles possam acelerar forte do início ao fim de cada stint. A nova gama é formada por pneus mais velozes, que devem levar a corridas ainda mais disputadas e espetaculares em 2018.” Os pilotos da F1 tiveram a possibilidade de conhecer e experimentaros pneus de 2018 nos dois dias de testes em Abu Dhabi no fim da temporada passada, e já nos carros novos deste campeonato, durante as duas sessões oficiais de testes de pré-temporada, em Barcelona, Espamha, entre os dias 26 de fevereiro e 1º de março e entre 6 e 9 de março. E pensando já em 2019, a Pirelli anunciou também um calendário de testes na qual irá preparar mais novidades para a próxima temporada, mantendo sempre o compromisso de inovar e desenvolver os melhores pneus para a Fórmula 1.


SUPERCARROS Voltas Rápidas F1

ASTON MARTIN O F1 Pirelli Hot Laps vai usar modelos como o Vantage

Acelerando carros espor A Pirelli é parceira exclusiva do novo programa de voltas rápi Texto

Divulgação F1 Fotos

Divulgação / Pirelli

r 42 racing

Pirelli, fornecedora exclusiva de pneus da Fórmula 1, entra como principal parceira da categoria no novo programa “Formula 1 Pirelli Hot Laps”. A atividade, que será realizada em dez etapas desta temporada, está marcada para começar no Grande Prêmio do Bahrein, entre 6 e 8 de abril, dando a oportunidade de convidados, celebridades e espectadores serem levados para acelerar carros

esportivos em voltas rápidas no mesmo local dos seus ídolos das pistas. Como principal parceira do programa, a marca Pirelli  será responsável por fornecer os  pneus  para os carros que serão usados em uma garagem exclusiva da fabricante italiana, localizada no paddock da Fórmula 1. O local também será usado durante o fim de semana para exposição dos superesportivos de marcas como


MCLAREN O modelo 720S será um dos supercarros utilizados no programa

tivos nos GPs de F1

das da Fórmula 1. Atividade feita em dez etapas este ano Aston Martin e McLaren, já confirmadas na atividade, ao lado da Pirelli, com modelos como o novo Aston Martin Vantage e o McLaren 720S. Sobre esta novidade, Mario Isola, líder de competições de veículos da Pirelli, disse: “A Pirelli está orgulhosa e feliz em ser parceira exclusiva do programa em 2018. A primeira experiência em curso projetada especificamente para os fãs sentirem a velocidade e a emoção do limite da pilotagem

em circuitos reais, utilizados nos Grandes Prêmios da categoria. Agora, no oitavo ano da nossa mais recente era na Fórmula 1, a Pirelli mostrará o desempenho e a tecnologia da sua famosa gama de  pneus  P Zero para carros de rua, em alguns dos modelos mais sofisticados do mundo. Esta família de  pneus  é beneficiada naturalmente por toda a experiência adquirida na pista de corrida, o nosso principal laboratório de pesquisa”.

racingg 43


A P R E S E N TA

Capacete de Ouro premiou os melhores pilotos do Brasil em 2017 e prestou homenagens a algumas personalidades que contribuem para o fortalecimento do nosso automobilismo

CAPACETE Texto Fotos

Vencedores do Capacete de Ouro 2017 reunidos para celebrar a conquista do principal prêmio do automobilismo brasileiro

r 44 racing

João Alberto Otazú/Mastermídia/Divulgação Rafael Munhoz/Divulgação


P AT R O C Í N I O

DE OURO 21 ANOS

APOIO

ORGANIZAÇÃO


Lucas Di Grassi, campeão da Fórmula E, recebeu premiações pelas mãos de Isabel Reis, da Motor Mídia

A

comemoração da maioridade da maior premiação do esporte a motor do Brasil foi marcante e sucesso de presença. A 21ª edição do Capacete de Ouro, promovido pela revista RACING, contemplou os melhores pilotos e navegadores brasileiros de 2017 em solenidade no Auditório Elis Regina, no Anhembi, na capital de São Paulo. “Nos primeiros 20 anos nós mostramos muito da história do automobilismo, com várias premiações e homenagens, como Piloto do Século, en-

r 46 racing

tre outras. Viemos acompanhando, valorizando e mantendo os ídolos brasileiros desde pequenos. Agora o Capacete de Ouro está vendo a chegada de nova geração que já está dando o que falar e vai ditar os próximos 20 anos de história”, discursou Isabel Reis, organizadora do Capacete de Ouro, da revista RACING. Um dos grandes momentos da noite foram as homenagens à Lucas Di Grassi, campeão mundial de Fórmula E nesta temporada, e vencedor do Capacete de Ouro nesta modalidade, que teve


P AT R O C Í N I O

Lucas Di Grassi recebeu de Venício Zambeli (Diretor da RACING) o Capacete de Ouro Especial do estúdio Sid / Alan Mosca

Lucas Di Grassi foi ao Capacete de Ouro 2017 acompanhado da família: o pai, Vito Di Grassi, e a mãe, Leila Tucci Di Grassi

Fabio Guillaumon (EDG Advanced Bikes Mechatronics), Lucas Di Grassi e Cláudio Castro (Schaeffler) falaram sobre a Fórmula E

Eduardo Ribeiro (Matel), Holger Marquardt (diretor geral Automóveis América Latina e Caribe da Mercedes) e Isabel Reis (Motor Mídia)

Fabio Magliano (Gerente de Produtos Car e Motorsport da Pirelli), ao centro, recebeu homenagem de Isabel Reis e Eduardo Ribeiro

Waldner Bernardo, o Dadai, Presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), ao centro, com a placa de reconhecimento

APOIO

ORGANIZAÇÃO


O piloto Pietro Fittipaldii venceu na categoria Internacional, superando Victor Franzoni e Felipe Drugovich. O neto de Emerson Fittipaldi recebeu o troféu de ouro de Ademar Cabral, proprietário da empresa AC Design

r 48 racing

dois brasileiros campeões em três anos de existência. Di Grassi ganhou também o Capacete Especial Senna pela melhor ultrapassagem, em parceria com o Instituto Ayrton Senna, e o Capacete Especial Sid Mosca, com pintura de Alan Mosca. “Todo mundo que trabalha no automobilismo brasileiro merece um Capacete de Ouro”, disse Di Grassi, enquanto agradecia e destacava que apesar do momento político e econômico que o país atravessa, o esporte sobre quatro rodas nacional segue firme. Outro momento especial foi a homenagem à Daniel Serra, que além de levar o Capacete de Ouro na categoria Stock Car, teve valorizada a sua vitória nas 24 Horas de Le Mans, na categoria GTE Pro, com a presença de seu pai, o ex-piloto de Fórmula 1 Chico Serra. Outra família que subiu ao palco foi a Fittipaldi, com Pietro – neto de Emerson – recebendo o Capacete de Ouro da


P AT R O C Í N I O

Na Revelação de kart, Gabriel Koenigkan (centro) foi ouro, Vinícius Tessaro, prata, e Gabriel Gomes / Fabrício Filho, bronze. Dadai (CBA) foi o padrinho

No Rali, o troféu Capacete de Ouro ficou com a dupla Ricardo Malucelli/Giovani Bordin. Prata ficou com Rossi/Tonial e bronze com Larossa/Moralez. Leonardo Ugolini (Inarco) fez a entrega

Beco Andreotti e Christian Baumgart foram homenageados pela vitória nos Sertões

No Kart, Capacete de Ouro (e convite VIP da Mercedes) para Marcel Coletta; João Cunha foi prata e Bruno Grigatti bronze

No Off Road, ouro para a dupla Guilherme Spinelli/Youssef Haddad, prata para Fontoura/Miyauti e bronze para Miranda/Pedroso. Eduardo de Souza Ramos foi o padrinho da categoria

Fabio Magliano (Gerente de Produtos Car e Motorsport da Pirelli), contou um pouco sobre a importância de desenvolver pneus de competição voltados para os carros de rua APOIO

ORGANIZAÇÃO racing 49


Daniel Serra e Chico Serra receberam homenagens. Daniel ganhou o Capacete de Ouro na categoria Stock Car, ficando à frente de Thiago Camilo e Àtila Abreu. Além disso, ele recebeu de seu pai uma placa pela vitória nas 24 Horas de Le Mans 2017 (GTE Pro)

r 50 racing

modalidade Internacional, e Wilson, recebendo o Capacete de Prata pelo seu filho Christian, na categoria Internacional Top. E não parou por aí. O “Oscar” do Automobilismo contemplou os pilotos e navegadores de 15 modalidades, desde o Kart, passando por Rali, Off Road, Mercedes-Benz Challenge C250, Mercedes-Benz Challenge CLA AMG, Fórmula 3 Brasil, Stock Car, Nacional, Formação de Pilotos, Revelação, Internacional, Internacional Top, até Fórmula Indy, Fórmula E e Fórmula 1. Foram homenageados também os patrocinadores Pirelli, Sparco e Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), além do momento especial 50 anos da Mercedes-AMG, com um Capacete Prateado desenhado e pintado pela dupla Raí Caldato/Alan Mosca, do estúdio Sid Mosca, entregue depois ao chefe da equipe Mercedes-AMG F1 durante o GP do Brasil, Toto Wolf.


P AT R O C Í N I O

Fórmula 3: Igor Fraga foi ouro, G. Samaia prata e G. Raucci bronze. Maurelio Casquet (Sparco) fez a entrega dos troféus

Formação de Pilotos: Bruno Leme venceu, seguido de Gabriel Silva e Emílio Padron. Decio Bittencourt foi padrinho

Tobias Leist foi receber o troféu de ouro em nome do filho, Matheus Leist, e Wilsinho Fittipaldi representou seu filho Christian, na Internacional Top

Na premiação da categoria Nacional, Nonô Figueiredo levou o troféu de ouro, seguido por Rodrigo Baptista e Berlanda Jr.

Carol Figueiredo, grande piloto que fez história em nosso automobilismo, fez a entrega do Capacete de Ouro para seu filho Nonô Figueiredo

APOIO

ORGANIZAÇÃO racing 51


Toto Wolff, (MercedesAMG F1), recebeu de Isabel Reis (Motor Mídia) e Venício Zambeli (RACING) o Capacete de Prata Especial nos boxes do GP do Brasil. Holger Marquardt e Alessandra Souza (Mercedes) participaram da ação

r 52 racing

No evento, a Mercedes-Benz anunciou que levaria os vencedores das categorias Revelação Gabriel Koenigkan – e Kart – Marcel Coletta – para assistirem os treinos livres do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 no camarote VIP da montadora, com direito a visitação aos boxes, enquanto a CBA conferia o mesmo benefício para os demais colocados destas modalidades de iniciação no automobilismo, mostrando que o Capacete de Ouro sempre valorizou muito o kartismo nacional. O evento Capacete de Ouro 2017, promovido pela revista RACING, teve organização de CRJ Brasil, com patrocínio ouro de Mercedes-Benz, patrocínio prata de Pirelli, e apoios de Sparco, Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), AC Design e Auto Show Collection. Mais informações podem ser obtidas no site oficial do evento: www.racingonline.com.br.


P AT R O C Í N I O

Os designers Raí Caldato e Alan Mosca fizeram o Capacete de Prata Especial

Na Mercedes CLA, Fernando Jr. foi Capacete de Ouro, Betão Fonseca prata e José Vitte bronze. Dirlei Dias (gerente sênior vendas Automóveis da Mercedes-Benz) fez as entregas

Ouro: Marcel Coletta e Gabriel Koenigkan ganharam da Mercedes visitação à F1

Na Mercedes C250, Ouro para Cláudio Simão, prata para André Jr. e bronze para R. Teixeira/R. Cruvinel. Dirlei Dias foi o padrinho APOIO

ORGANIZAÇÃO racing 53


SUPERCARROS McLaren Senna

A experiência má O novo carro de rua da McLaren traz o nome do piloto de F1 Texto Fotos

Divulgação / RF1 Divulgação McLaren

O

McLaren Senna foi desenhado e desenvolvido com um único objetivo: se tornar o melhor McLaren concebido para as ruas com o melhor conceito vindo das pistas. Este novo supercarro pode ser usado nas ruas, mas busca fazer a conexão entre piloto e automóvel, assim como em uma competição, entregando a experiência de autódromo mais próxima que qualquer carro de rua produzido pela McLaren conseguiu.

r 54 racing

Este novo carro surge com a clássica receita dos supercarros da McLaren Automotive, fundada em 2010. Construção ultra-leve, com chassis de fibra de carbono, possuiu motor biturbo V8 da McLaren com 800 cv, sendo o McLaren mais rápido já feito em sua história. “O McLaren Senna é um carro sem igual: a personificação está no DNA automobilístico da marca inglesa, permitido nas ruas e nas estradas,


xima de um carro Ayrton Senna, unindo duas lendas do automobilismo

mas concebido e desenvolvido para performance digna de um circuito. Tudo neste novo Ultimate Series McLaren tem um compromisso total de performance buscando a mais pura conexão entre piloto e máquina e entregando a melhor experiência que só um MacLaren pode conseguir”, diz Mike Flewitt, CEO da McLaren Automotive. “Nossa família está muito orgulhosa em ter o nome Senna no novo supercarro da McLaren.

Este é o primeiro projeto que realmente se conecta o espírito de performance e automobilismo do Ayrton. O McLaren Senna honra meu tio porque é intensamente ligado à experiência de pista, de um autódromo. Esse compromisso puro garante uma experiência tão focada que você fica maravilhado com as profundidades de excelência que o McLaren Senna possui”, diz o piloto Bruno Senna, sobrinho de Ayrton e embaixador da McLaren.

racingg 55


SUPERCARROS McLaren Senna

SINTA-SE PILOTO A dirigibilidade do carro foi pensada em conectar ao máximo o homem e a máquina

FILOSOFIA DA MCLAREN O desenho do carro, fluído e agressivo, expressa que “a forma segue a função”

r 56 racing

Entre as grandes frases que Ayrton Senna deixou como legado de seu total comprometimento na busca pela vitória e pela perfeição, uma delas é emblemática: “você se compromete a tal ponto que não há meio-termo. Você dá tudo de si, absolutamente tudo”. E esta famosa frase foi usada na Inglaterra no início de 2018, na apresentação do mais novo supercarro esportivo da McLaren: o McLaren Senna. O primeiro carro do mundo a levar o nome do tricampeão mundial de F1 justifica este momento histórico com números impressionantes. O esportivo foi desenvolvido com um único objetivo: se tornar o melhor McLaren concebido para as ruas com o melhor conceito vindo das pistas. Serão produzidas apenas 500 unidades e o preço é de 750 mil libras esterlinas. Com o famoso nome que este novo McLaren traz, não é surpresa esperar dele sua extrema performance e excelência em dinâmica. Seja no

volante, nos pedais e mesmo no banco, toda sensação transmitida pelo carro ao piloto é de coloca-lo em posição de total controle. A ligação entre Senna e McLaren é profunda, marcada pelos três títulos mundiais que Ayrton conquistou pelo time inglês (1988, 1990 e 1991), e seu legado e presença global será ainda maior com a marca McLaren com o lançamento do novo McLaren Senna. Através de acordos de licenciamento, a Marca Senna tem por objetivo perenizar os valores essenciais de Ayrton Senna – paixão por alta performance, determinação e superação dos próprios limites – através de produtos inovadores que melhor traduzam seu espírito. São produtos premium, diferenciados, de marcas icônicas e percebidas como as melhores em suas categorias. Ainda que os produtos com maior identificação com a marca envolvam esportividade e velocidade, a associação com outras áreas já está em desenvolvimento. Parte da receita obtida com os


DETALHES DE F1 O aerofólio traseiro lembra o utilizado nos carros de corrida

contratos é destinada ao Instituto Ayrton Senna, que promove a melhoria das políticas públicas de educação voltadas a crianças e jovens do Brasil. Mas é neste carro superesportivo que o DNA de Senna faz jus ao lendário talento do piloto. Com os seus 800 cv de potência e 81,5 kgfm de torque gerados por um motor V8 biturbo 4.0 – o propulsor de combustão interna mais potente já colocado pela McLaren em um carro de passeio – e a capacidade de gerar incríveis 800 kg de downforce, a McLaren Senna, de 1.198kg, oferece uma exclusividade a quem o pilota. O desempenho é de tirar o fôlego. A McLaren Senna acelera de 0 a 100km/h em 2s8; 0 a 200km/h são atingidos em apenas 6s8 e um quarto de milha (402m), partindo da inércia, é coberto em apenas 9s9. Mas por mais que a aceleração em linha reta e a velocidade máxima de 340 km/h sejam impressionantes, a verdadeira profundidades das credenciais de performance da nova

Ultimate Series McLaren se revela quando ela usa a downforce de até 800kg em um circuito, enfrentando o cronômetro. A McLaren Senna combina pouco peso, potência extrema, excelência aerodinâmica e um sistema revolucionário de suspensão ativa, para oferecer a experiência mais reativa e cativante até hoje com um carro de passeio da fabricante britânica de carros esporte e supercarros de luxo, tornando-se realmente de altíssima performance.

APENAS 500 UNIDADES Este é o número de carros que serão fabricados


SUPERCARROS McLaren Senna

COCKPIT O interior do McLaren Senna é um verdadeiro habitáculo feito para pilotos

r 58 racing

“A McLaren Senna apresenta pistas sensoriais às quais o motorista responde e das quais ele depende. Toda a experiência imersiva estiveram no centro do desenvolvimento desde o início”, diz Bruno Senna. Todas as 500 unidades serão fabricadas no McLaren Production Center, em Woking, Surrey, Inglaterra (mesmo lugar no qual são feitos os carros de Fórmula 1 da McLaren). Todas já foram alocadas a compradores. A última reserva restante foi leiloada em dezembro de 2017, em um evento particular para clientes da McLaren. O lance vencedor foi de 2 milhões de libras esterlinas, com os lucros sendo revertidos ao Instituto Ayrton Senna. “A linguagem de design da McLaren Senna é extremamente agressiva e diferente da de qualquer McLaren anterior – porque nenhuma outra McLaren legalizada para uso nas ruas teve que atender a critérios tão exigentes”, explicou Rob Melville, Diretor de Design da McLaren Automotive. “Quando se vê o carro pela primeira vez, você nota imediatamente como ele tem um foco específico. Para cumprir as metas de desempenho, nós tivemos que ir muito além até mesmo da McLaren P1 (outro modelo de rua da McLaren)”. A nova McLaren Senna foi apresentada ao público geral no 88º Salão Internacional do Automó-

vel de Genebra, surgindo em Visual Carbon Fiber (Fibra de Carbono Aparente). A McLaren Senna Carbon Theme by McLaren Special Operations (MSO) é um dos cinco temas desenvolvidos pela MSO para o carro que está no centro das atenções desde que suas primeiras imagens foram divulgadas em dezembro. O exterior em fibra de carbono aparente é a característica individual mais óbvia da McLaren Senna Carbon Theme by MSO. Composto de 67 peças, o conjunto da carroceria leva quase 1.000 horas para ser produzido. Detalhes em Amarelo Solar no exterior das soleiras, na asa traseira e nos elementos aerodinâmicos ativos dianteiros – um processo que consumiu quase 250 horas do tempo da MSO – combinado com as pinças dos freios em Verde Laurel, homenageiam as cores do capacete do lendário piloto brasileiro. O esquema de cores continua no interior do carro, com o pistão a gás da porta em Verde Laurel e costura contrastante nos acabamentos em Carbon Black Alcantara® dos bancos, interior das portas e painel. O volante também tem um detalhe central de couro em um tom similar. Os dois bancos ostentam um “S” de Senna no encosto de cabeça, e o mesmo detalhe se repete em fibra de carbono aparente com acabamento


acetinado nas placas laterais da asa traseira, um resultado obtido através de um processo altamente especializado no qual cada logotipo com textura fosca é anexado ao painel de fibra de carbono brilhante. Um dos para-lamas dianteiros exibe orgulhosamente a marca Senna. “Os clientes da McLaren Senna, no processo de especificar seus próprios carros personalizados, têm exigindo um nível elevado de conteúdo da MSO, então sem dúvida estamos atingindo nosso público-alvo”, explica Ansar Ali, Diretor Administrativo, McLaren Special Operations. Homologada para uso nas ruas, mas não “domesticada” para isso, a McLaren Senna foi projetada e desenvolvida desde o início para se destacar nas pistas e, como resultado, possui um foco em performance sem concessões que se reflete na sua aparência. O visual agressivo é a expressão mais forte até hoje da filosofia de que “a forma segue a função” da McLaren, e a McLaren Special Operations já está vendo interesse da parte dos compradores da McLaren Senna em tornar seus carros ainda mais diferenciados. Em Genebra também foi apresentada a versão conceito GTR da McLaren Senna, para pista. Este modelo é ainda mais potente, com 855 cv de potência! Performance à altura do nome Senna...

MCLAREN SENNA GTR Acima, o carro de corrida do modelo Senna; abaixo, a versão Senna Carbon Theme by MSO

Ficha técnica MCLAREN SENNA Motor Tecnologia McLaren M840TR Potência Torque Aceleração 0 - 100 km/h Aceleração 0 - 200 km/h Aceleração 0 - 300 km/h Máximo Downforce Desaceleração 200 - 0 km/h Relação Peso/Potência Peso

V8 Twin-Turbo 3,999 cc 800cv 81,5 kgfm 2.8s 6.8s 17.5s 800 kg 100 metros 1,49 kg/cv 1,198 kg


SUPERCARROS McLaren Senna PARCERIA TÉCNICA McLAREN / PIRELLI: DAS PISTAS DIRETO PARA AS RUAS A longa parceria técnica entre a Pirelli e a McLaren abriu um novo capítulo, um dos mais desafiadores de sua história. O desenvolvimento de pneus para garantir os níveis mais altos de desempenho, dentro e fora da pista, para um carro especial, com características únicas: a nova McLaren Senna. O resultado são versões particularmente extremas dos pneus P Zero e Pirelli P Zero Trofeo, que irão equipar o hipercarro britânico. O P Zero Trofeo desenvolvido para a McLaren Senna foi concebido para uso em circuitos de corrida, mas também pode rodar em ruas e estradas. Da mesma forma, o modelo P Zero, por natureza um pneu mais para uso diário, também poderá ser utilizado em pistas. Para desenvolver o melhor produto possível, os engenheiros da Pirelli dependiam não só de uma extensa história compartilhada com a McLaren – especialmente no desenvolvimento de pneus para o modelo P1 – mas, acima de tudo, de todas as lições aprendidas no motorsport. A McLaren Senna é um autêntico carro esportivo, uma reminiscência de uma máquina de GT3 para a estrada. Isto fica explicito em sua estarrecedora potência de 800 cavalos, em seu chassi de fibra de carbono extremamente leve, em seu sistema de suspensão derivado do usado em competição e em sua aerodinâmica de ponta. Estas características principais requisitaram pneus feitos sob medida, capazes de suportar extrema aceleração e altíssimas cargas aerodinâmicas. A Pirelli deu atenção especial aos materiais para conseguir alcançar estes objetivos, escolhendo os mais adequados a uma performance extrema, com peso leve e design ideal, garantindo confiabilidade e adequação a um propósito. A combinação de todos esses elementos garante perfeito equilíbrio e aderência, com entradas precisas nas curvas, estabilidade impressionante e máxima tração em qualquer condição, além de distâncias de frenagem reduzidas. O desenho inovador do pneu, com perfis e paredes laterais assimétricas, proporciona a aderência lateral ideal e maximiza a interação entre os eixos dianteiro e traseiro. Tudo pelo desempenho.

r 60 racing


TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA REAL Os diversos dados adquiridos nas corridas da categoria Fórmula 1 (na qual a Pirelli é forncedora oficial e exclusiva da competição), especialmente com a própria equipe McLaren, foram fundamentais para criar um pneu especial para a McLaren Senna

racingg 61


SUPERCARROS X Rally Team

Protótipo que levanta

Equipe X Rally Team, bicampeã do Rally dos Sertões, trabalha um novo protótipo para provas de cross-country e já tem fila

ESTRUTURA CAMPEÃ A X Rally Team é a atual bicampeã dos Sertões, uma das provas mais difíceis do off-road mundial r 62 racing


poeira TESTES Os protótipos X Rally Team já estão em fase avançada de desenvolvimento e disputarão as principais provas de cross-country do país. Tecnologias empregadas no modelo são provenientes do intercâmbio especializado com equipe campeã sul-africana

na construção de de espera de clientes

U

ma história de 18 anos tem um novo começo. A equipe X Rally Team, sediada em São Paulo, bicampeã do Rally dos Sertões e atual vencedora da mais difícil disputa do fora-de-estrada nacional, passa a ser, também, construtora. O time iniciou a construção de veículos de competição off-road com foco no cross-country, modalidade que trouxe toda experiência à organização, cuja base se localiza na Vila Guilherme, na zona norte da capital paulista, além de dois títulos consecutivos no Rally dos Sertões. Há quatro temporadas competindo no principal rali brasileiro na classe T1 FIA, a mais rápida do Sertões - e cujos carros também competem no Dakar e no Campeonato Mundial de Cross Country da FIA - a equipe X Rally Team foi campeã geral do Rally dos Sertões nos dois últimos anos com o piloto Cristian Baumgart e o navegador Beco Andreotti, dupla que comandou o modelo protótipo de corrida Ford Ranger V8 4x4 construído na África do Sul pela Neil Woolridge Motorsports – o

time também foi vice em 2015 com Marcos Baumgart e Kleber Cincea. Na esteira do crescente interesse de pilotos brasileiros pelos bólidos da classe T1 FIA, o X Rally Team agora investe na construção destes protótipos em território nacional, aproveitando a criação da categoria T1 FIA Brasil pela Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), homologados para competições nacionais de cross-country. “O carro da T1 FIA Brasil que estamos construindo tem algumas pequenas diferenças em relação à T1 da FIA em sua concepção, principalmente para deixar os custos mais acessíveis e com desempenho muito similar. De qualquer maneira, já são carros muito mais rápidos do que os atuais Protótipos T1”, ressalta Beco Andreotti, navegador bicampeão do Rally dos Sertões e chefe de equipe no X Rally Team. A construção dos dois primeiros protótipos já foi iniciada, fruto de uma parceria com a Neil Woolridge Motorsports, empresa sul-africana

racingg 63


SUPERCARROS X Rally Team

MÁQUINA PODEROSA O carro utiliza motor V8 de 350 cv de potência

r 64 racing

responsável pelo fornecimento à equipe do carro que venceu os dois últimos Sertões. “Desde 2014 estamos juntos com a NWM e construímos uma relação de confiança muito forte. Agora eles estão nos auxiliando com toda a expertise de mais de 30 anos de rali na África do Sul na execução deste projeto”, aponta Andreotti. A configuração dos bólidos, de acordo com ele, é a mesma do carro com o qual venceu o Sertões por duas vezes consecutivas. “É o mesmo motor V8 de 350 cavalos, o mesmo câmbio sequencial Sadev de seis velocidades, a mesma mecânica, com algumas pequenas diferenças que não prejudicam seu altíssimo desempenho, mas deixam os custos mais baixos em relação ao T1 FIA de especificação completa”, destaca o chefe de equipe. Entretanto, Beco destaca que, dependendo da demanda, também poderão ser feitos carros para clientes que desejarem competir na classe T1 FIA com o carro “full-spec”, seja para o Sertões, seja para o Dakar ou para provas do Campeonato Mundial de Rally Cross Country da FIA. Com a expertise de 18 anos de Rally dos Sertões e mais quatro anos competindo em provas internacionais contando com a consultoria sul-africana da NWM, construtora dos Ford Ranger

V8 4x4 que venceram duas vezes a prova no Brasil, o time sediado na zona norte de São Paulo coloca-se como construtora de veículos de competição, e não somente de manutenção. “Estamos iniciando uma nova era dentro da equipe X Rally Team. Com toda a experiência e estrutura de que dispomos, era natural dar este passo adiante. Realizamos investimentos e já estamos em estágio avançado na construção e desenvolvimento dos primeiros protótipos, que poderão competir em breve nas etapas do Campeonato Brasileiro”, afirma Andreotti. O profissionalismo e a qualidade técnica da equipe X Rally Team têm atraído a atenção de diversos pilotos na busca por material e serviço de qualidade quando disputam uma competição. Por isso, a equipe disponibiliza um esquema de trabalho para pilotos em que a única preocupação dos competidores é sentar no carro e acelerar. O Sit and Drive implementado pelo X Rally Team possibilita ao competidor um trabalho de alto nível aliado à logística e manutenção dos veículos de competição, controle de peças, transporte para as provas, entre outros serviços, qualquer que seja sua categoria entre os carros. O time também trabalha com a venda ou aluguel dos veículos, mais o “condomínio” para pilotos.


HISTÓRIA CAMPEÃ Os irmãos Cristian e Marcos Baumgart sempre gostaram de adrenalina. As primeiras provas que a dupla disputou no rali foram ainda na categoria motos. Quando os carros e o Rally dos Sertões entraram pela primeira vez na vida dos irmãos paulistanos, a história tomou outro rumo e, seja como equipe ou participantes, eles acumulam várias conquistas

Ficha técnica X RALLY TEAM PROTÓTIPO T1 FIA BRASIL

PROTÓTIPO BRASILEIRO O novo carro atenderá a categoria T1 FIA Brasil, homologado para todas as competições nacionais de cross-country

Motor Ford Tipo V8 Cilindrada 5.0 L Potência 350 cv Torque 56,0 kgfm Câmbio Sedev - 6 velocidades - Sequencial Carroceria Fibra de vidro Tração 4x4 integral Tra Aceleração 0 - 100 km/h 7s1 Ac Valocidade Máxima 185 km/h Val Peso 1.930 kg Tanque de Combustível 500 litros


IMAGEM Halo 2018

r 66 racing

Divulgação/Mercedes-Benz


Saiba tudo sobre o Capacete de Ouro e as novidades do automobilismo no nosso site www.racingonline.com.br @revistaracing


Leo Burnett Tailor Made

Se você não sabia que patrocinamos as principais corridas do Brasil e do mundo, a culpa é nossa. Passamos rápido demais. Pirelli. O pneu oficial da Fórmula 1 e do automobilismo brasileiro.

dos junJUNHO tos2014fazem motociclismo 68To

um trânsito melhor.

/PIRELLI

@pirelli_br

PIRELLI.COM.BR

Revista Racing 346  

Revista RACING Especial – Guia da Fórmula 1 2018 A revista RACING Especial – Guia da Fórmula 1 2018 é uma edição completa que mostra todas...

Revista Racing 346  

Revista RACING Especial – Guia da Fórmula 1 2018 A revista RACING Especial – Guia da Fórmula 1 2018 é uma edição completa que mostra todas...

Advertisement