Issuu on Google+

MAGAZINE QUINZENAL PARA PROFISSIONAIS Nº 246 2ª série Preço 2,00

turismo em Lisboa

AVIAÇÃO COMERCIAL E TURISMO 1ª Quinzena de Fevereiro 2009

PROMOÇÃO Todos querem portugueses

JOGO Verbas do casino para melhorar

CRUZEIROS Porto de Lisboa lidera


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem



OBSERVAÇÃO

OMT prevê estagnação ou queda este ano A Organização Mundial do Turismo (OMT) avançou a previsão de uma estagnação ou queda na ordem de 2% do turismo mundial, medido pelas chegadas de visitantes internacionais, ao mesmo tempo que indicava que na segunda metade de 2008 já se verificou uma contracção em 1%. Apesar desta queda, e porque o primeiro semestre de 2008 ainda foi de crescimento, em 5%, a OMT indica que o balanço do ano passado é de um crescimento médio em 2%, para 924 milhões de chegadas de visitantes internacionais. O alastramento da recessão económica é a causa apontada pela OMT, que aponta a Europa como a região com pior desempenho em 2008 e previsões mais negativas para este ano. O comunicado da OMT, que se refere à mais recente edição do “UNWTO World Tourism Barometer” especifica apenas que no segundo semestre de 2008 se verificou na Europa uma queda em 3% das chegadas internacionais e que para este ano, o continente europeu e as Américas serão os mais afectados, uma vez que a maior parte dos seus mercados emissores estão em recessão ou em vias disso. A informação sobre o segundo semestre de 2008 indica também queda em 3% na Ásia e crescimentos em 1% nas Américas, 4% em África e 5% no Médio Oriente. “Apesar da desaceleração geral”, vários destinos em todas as regiões apresentaram crescimento, prossegue a informação, citando os casos nas Honduras, Nicarágua, Panamá, Uruguai, República da Coreia, Macau, Indonésia, Índia, Egipto, Líbano, Jordânia, Marrocos e Turquia. O comunicado da OMT também se centra na dificuldade em antecipar previsões no actual “cenário de turbulência económica”, que, diz, se prevê se faça sentir ao longo deste ano e “provavelmente” depois. A OMT salienta o “elevado grau de incerteza” nas suas previsões, adiantando que se a recuperação económica acontecer mais cedo o turismo ainda poderá apresentar um ligeiro crescimento este ano, mas que, se pelo contrário, houver uma maior deterioração da conjuntura, “as actuais previsões poderão ser revistas em baixa”. “Dada a incerteza global e com as previsões económicas a sofrerem contínuas revisões em baixa, a OMT irá monitorar de perto os desenvolvimentos para fornecer a mais rigorosa análise possível”, acrescenta a agência das Nações Unidas para o turismo, UNTWO.

Portugal surge na FITUR como líder nas energias renováveis

A

forma como Turismo de Portugal (TP) se apresentou na XXIX edição da FITUR, em Madrid destacou-se por ”revelar Portugal, como um país líder nas energias limpas, aliando essa realidade, à realidade turística” afirmou aos jornalistas, no decorrer do certame internacional, Bernardo Trindade, secretário de estado do Turismo (SET). O responsável acrescentou ainda que é “tempo de mostrar ao espanhóis, que Portugal, já não é simplesmente um país vizinho simpático, mas pouco apelativo. Hoje temos em diversos domínios, um conjunto de realidades que merecem ser comunicadas”. O stand do TP subordinado ao tema “Portugal, palco de grandes eventos”

DIRECTOR José Madureira Directora Financeira Idalina Madureira Director Executivo

recebeu cerca de 25 mil visitantes. Ocupando uma área de 1.500 m2, o espaço estava em grande destaque, apelativo e pleno de vida, junto à entrada do Pavilhão 10 sendo impossível passar despercebido. O stand levou o visitante a conhecer os principais eventos desportivos,

O stand subordinado ao tema “Portugal, palco de grandes eventos” recebeu cerca de 25 mil visitantes

Editor

REPRESSE Edições Especializadas, Lda. Rua Prof. Alfredo Sousa, 1º 1600-188 LISBOA

Administração e Redacção

Chefe de Redacção

Rua Prof. Alfredo Sousa, 1º 1600 LISBOA Tels.: 21 754 31 40 Fax: 21 754 31 88 e-mail: viajar@represse.pt

Redacção

Paginação Paulo A. Santos

Francisco Duarte

Carolina Morgado

Domingos de Azevedo Tiago Perdigão Ana Madureira Sara Cunha Ferreira

musicais e culturais que ocorrem em 2009, no nosso país. Porto e Norte de Portugal, Lisboa, Centro, Alentejo, Algarve, Madeira e Açores foram as 7 entidades regionais de promoção turística, presentes no stand. Destacam-se ainda as 39 empresas portuguesas e os 3

Fotografia

Arquivo Represse, Casa da Imagem Rogério Sarzedo, Raquel Madureira

Assinaturas

Isabel Anjos e-mail: publicidade@represse.pt

Director Comercial

Luis Miguel Oliveira Director de Publicidade Guilherme Teixeira Tels.: 21 754 31 40 Fax: 21 754 31 88 e-mail: viajar.pub@represse.pt

Pré-impressão

REPRESSE

Impressão Sogapal

Distribuição Nacional VASP, Complexo Crel. Bela-Vista, Rua da Tascoa, 4º piso, Massamá 2745-Queluz Tiragem: 7 000 exemplares Depósito Legal: 10 534/85 Registo no ICS: 108098 de 08/07/81 Proprietário: José Madureira Nº Contr.: 112963692


Reportagem



VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

empreendimentos PIN (Projectos de Interesse Nacional) – Troiaresort, Palmares Resort e Bom Sucesso. Coimbra e Figueira da Foz ainda não aderiram até ao momento de fecho desta edição, à Entidade Regional de Turismo Centro (ERTC). A este respeito o SET “sublinhou a ambição desta gente, que fora do Stand de Portugal mostra as suas realidades”. O executivo proferiu ainda que “Coimbra e a Figueira da Foz, numa lógica de posicionamento político afirmaram a sua discordância relativamente à sede da ERTC. Estou certo que o sentido de responsabilidade dos autarcas, os levará a participar na ERTC.”

Stand do TP ofereceu bilhetes e viagens Aqueles que visitaram o espaço do TP, habilitaram-se a ganhar estadias e ingressos para eventos no nosso país, bem como, experenciar sensações a bordo de um simulador de rally, de ténis, ou de golfe. O jogador que registou a maior pontuação diária ganhou uma estadia com bilhete, para assistir ao evento que simulou, desta vez, ao vivo e a cores. A programação de espectáculos e exposições da Casa da Música e da Fundação Serralves no Porto bem como o Museu Colecção Berardo em Lisboa, marcou presença no recinto do TP. A III edição do Allgarve, foi apresentado aos jornalistas e operadores turísticos. Na sessão estiveram presentes Bernardo Trindade, Luís Patrão, presidente do TP, bem como, o futebolista do Real Madrid Pepe e, o piloto Pedro Lamy. Susana Gaião Mota é a nova coordenadora geral do Allgarve, Guta Moura Guedes organiza o programa de arte e, o gastrónomo Bento dos

Santos é o responsável pelo Allgarve Gourmet. Entre as novidades do programa des-

taca-se o “Projecto Convidado” que inaugura uma série de convites, a curadores internacionais de renome.

O TP continuará a promover Portugal em Madrid, sem descurar outras regiões espanholas

Subordinada ao tema “As Bright as the Sun” (“tão brilhante como o sol”) as exposições de arte do Allgarve realizam-se entre Junho e Setembro, nos eixos Faro/Loulé e Portimão/Lagos. Destacam-se ainda os concertos “Edition”; “Allgarve Jazz” e Gourmet. “Hoje o Allgarve é absolutamente essencial no quadro de eventos de promoção de Portugal”, explicou o SET. Bernardo Trindade revelou ainda, que


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem



o orçamento de promoção turística em Espanha, não será “menos que 10 milhões de euros”, apesar de o valor ainda não estar estipulado. Um total de 12,7 milhões de Espanhóis visitaram Portugal, até Novembro de 2008. Trindade acredita que serão ultrapassados os 13 milhões em 2008.

Espanha rende pouco mais de 3 milhões de dormidas O TP está ciente que os turistas espanhóis são o maior mercado emissor para Portugal e, em simultâneo, o que permanece menos tempo no nosso país. “Espanha com mais de 40 milhões de habitantes, rende pouco mais de 3 milhões de dormidas anuais em Portugal”, referiu ao jornalistas, no decorrer do certame madrileno, Luís Patrão. O responsável acrescentou ainda que “estamos orientados para investir no mercado espanhol, o máximo dos nossos recursos”. A extraordinária crise económica na qual Espanha se encontra mergulhada preocupa o TP. Patrão acredita na hipótese que a actual crise espanhola, se transforme numa “oportunidade para melhorar o turismo interno em Espanha e dos seus países limítrofes, em detrimento destinos mais afastados”. Em contra partida a conjuntura pode “limitar o número de visitas e viagens de espanhóis. Se tal acontecer, todos sofrerão, seja o mercado interno espanhol, ou o mercado português, adjacente”, reiterou. Com o intuito de limitar, ou se possível combater a actual problemática económica, o TP direcciona os seus esforços no sentido de maximizar a divulgação de Portugal em Espanha, competindo directamente com as regiões turísticas espanholas.

Regiões espanholas mais populosas são mais desejadas Os mercado regionais espanhóis

foram seleccionados pelo TP, com base em dois conceitos: primeiro, as zonas de maior dimensão populacional. Atacando as regiões

mais populosas de Espanha, como a Andaluzia, Madrid e Catalunha. Segundo, os distritos com maior PIB per capita: Navarra, Aragão

e País Basco. Os turistas destas zonas, quando se deslocam a Portugal registam geralmente, dormidas. Assim, Luís Patrão crê “que o número de dormidas de espanhóis (em Portugal) ainda aumente este ano”. O TP continuará promover Portugal, em Madrid, sem descurar outras regiões espanholas. A título exemplificativo, o organismo realiza em Barcelona, com o consolado português, uma campanha de grandes dimensões denominada “Portugal Convida”, na semana do 10 de Junho, propondo “um conjunto de operações de rua e eventos culturais, bem como, deslocações à capital da Catalunha, de grandes figuras mediáticas portuguesas”, assegurou Luís Patrão. Tiago Perdigão


Reportagem



VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Espanha perdeu 2,6% dos turistas em 2008 Segundo dados do Ministério da Indústria, Turismo e Comércio de Espanha, divulgados durante a FITUR que decorreu em Madrid, este país recebeu em 2008 menos 2,6% de turistas estrangeiros que em 2007, quebrando assim o crescimento continuado de mais de uma década. No total, Espanha recebeu 57.417.871 turistas, menos 2,6% que no ano anterior, tendo o seu principal mercado emissor, o Reino Unido, caído 3%, com a Itália, terceiro mercado, a sofrer uma quebra de 5,8%. O mercado alemão, segundo principal emissor de turistas para Espanha, quase ia passando ao lado das descidas, mas mesmo assim registou uma queda de 0,2%, representando, em 2008, um pouco mais de 10 milhões de turistas. De Portugal, o país de “nuestros hermanos” recebeu um total de 2.291.147 turistas, número que reflecte um decréscimo de 3% face a 2007. A Espanha subiu, em 2008, em todos os países nórdicos à excepção da Finlândia, sendo que a Noruega, o mercado nórdico que maior crescimento apresentou, registou uma

subida de 10,5%, atingindo os 950 mil turistas. Os novos mercados europeus, à excepção da Rússia, também tiveram nota positiva em 2008, com um crescimento de 10,6% e representando, no seu conjunto, cerca de 2 milhões de turistas. A Rússia foi o mercado europeu que mais cresceu para Espanha o ano passado, 22%, ultrapassando o meio milhão de turistas: precisamente 541.174

turistas. O secretário de estado espanhol do turismo disse em Madrid ser “provável” que o sector recue em Espanha para os níveis de 2004 ou 2005. Joan Mesquita, que falava num seminário organizado pela Organização Mundial do Turismo durante a FITUR, reiterou ainda a sua confiança no sector turístico. O executivo sublinhou que os 57,4 milhões de turistas, números oficiais

de entradas de turistas estrangeiros em Espanha, apesar de representarem uma quebra de 2,4% em relação a 2007, é um número “tremendamente importante”, diz a imprensa espanhola. Joan Mesquita reconheceu que, no momento actual, as previsões não são as mais optimistas e que são difíceis de fazer, mas diz que é provável que os números deste ano fiquem ao nível dos alcançados em 2004 ou 2005. O executivo aconselhou ainda que o sector deve analisar os dados sob o ponto de vista da confiança uma vez que grande parte da crise que está a sentir obedece à conjuntura económica internacional, chamando a atenção para o elevado grau de fidelização que os turistas tem no destino e nível de satisfação. A imprensa espanhola afirma ainda que o governante destacou que o sector tem a habilidade de fazer análises a curto e a longo prazo e que a capacidade de previsão é uma das suas forças, por isso deverá olhar em frente e ver a crise como uma oportunidade da qual poderá sair reforçado se fizer um bom planeamento.

TAP alcança 396.580 mil em Espanha A TAP transportou em 2008, 396.850 mil passageiros vendidos no mercado espanhol, em ambos os sentidos, isto é, em todas as linhas Espanha/Portugal, ida e volta. “O ano de 2008, foi para a TAP em Espanha, muito bom”, afirmou à Viajar, no decorrer da FITUR, Victoria William, directora geral da TAP, para o mercado espanhol. No que concerne a tráfego de passageiros entre Espanha e Portugal, a transportadora área portuguesa obteve em 2008, um crescimento de 30%, face a 2007. “Estamos a falar de 6 meses em que o comparativo não é exactamente real devido à integração da Portugália, pelo que fomos beneficiados”, explicou William. Em Madrid, a companhia de bandeira colocou em marcha uma campanha denominada “¿Quien dijo crisis?” (Quem falou em crise?). A promoção inclui uma viagem de ida

e volta para Lisboa, por 97 euros com tudo incluído. A oferta é válida no sítio da Internet ( http://www.flytap.com/

Espana/pt/Homepage/) até 28 de Fevereiro. É necessário que o último voo seja efectuado antes de 26 de Março.

Entre os destinos de maior crescimento para a TAP destaca-se o Porto, fundamentalmente no segmento de tráfego “corporate”. A TAP enfrenta uma concorrência feroz em Espanha. A este respeito William nota que“tentamos ser uma empresa competitiva no preço, mas oferecemos algo mais. Somos a única companhia que voa para Portugal com este leque de oferta de cidades tão vasto”. A responsável realçou ainda a forte presença no Brasil, passando por África e Atlântico Norte. A directora geral da TAP para o mercado espanhol descarta em 2009, novos voos Espanha/ Portugal. “O nosso objectivo para 2009 em Espanha é a consolidação e não registar quaisquer quebras. Após 2 anos de continua expansão, não é o momento de estarmos a pensar em mais voos” sublinhou William.


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem



Turismo do Algarve: Espanha é uma aposta estratégica O Turismo do Algarve (TL) arranca em Fevereiro, na Inglaterra e Irlanda, com uma campanha televisiva na “Sky News e Sky Sports, com a duração de um mês, dirigida ao consumidor final, para promover o produto golfe”, afirmou à Viajar, no decorrer da FITUR, Daniel Queirós, director executivo da Associação de Turismo do Algarve (ATA). Os “spots” publicitários representam um investimento entre os 50 a 60 mil euros. Questionado face à quebra significativa na chegada ao Algarve, do número turistas provenientes do Reino Unido (RU), Queirós explica que “um decréscimo na ordem dos 0,3%, na chegada de turistas britânicos ao aeroporto de Faro, não é de todo mau”. No que concerne ao mercado espanhol, “2008 foi um ano muito bom para o Algarve, no entanto não nos pudemos basear unicamente nas estatísticas do Aeroporto de Faro, nem nas hoteleiras”, proferiu Queirós. A razão prende-se com a proximidade com Espanha. O Algarve recebe um grande fluxo de entradas de espanhóis não contabilizadas. A grande maioria dos turistas deslocam-se em viatura própria e autocarro. Em 2009, Espanha continua a ser uma aposta estratégica para o TL, juntamente com os mercados britânico, alemão e holandês. A título exemplificativo, Daniel Queirós referiu que a região registou em 2008, “um aumento de quase 15%, no mercado holandês, algo extraordinário. A Alemanha também registou um ligeiro acréscimo”. No Algarve a estadia de espanhóis por períodos de tempo sucintos “já é algo característico na zona”, disse, Queirós. O responsável sublinhou ainda o “interesse em aumentar o período de estadia de visitantes espanhóis no Algarve, no entanto o mais importante é que eles continuem estar presentes na região e a vejam como um destino gastronómico, comercial e de cultura”. Com o intuito de diversificar a oferta turística algarvia, a ATA passa a apostar mais vincadamente no turismo de natureza. A este respeito, Queirós enuncia as ”fantásticas áreas do parque natural da Ria Formosa a costa sudoeste alentejana, passando pela zona de Sapal, junto a Ayamonte”.

Autódromo Internacional do Algarve tem tudo para acolher F1 O Autódromo Internacional do Algarve, com um calendário de eventos

de desportos motorizados musculado em 2009, apresenta-se como um chamariz para o turista andaluz, da Estremadura ou até mesmo, o próprio madrileno, incrementando o seu período de estadia. Questionado sobre a eventual possibilidade de o Autódromo acolher

no futuro próximo, uma prova do Campeonato do Mundo de Formula 1, Daniel Queirós acredita ser necessário que existam“um conjunto de esforços governativos ao nível do poder central, bem como um conjunto de entidades, que juntamente com o sector privado, formem um lobbie para apresentar

a candidatura na FIA”. O director garante que o circuito contém todas as infra-estruturas necessárias para albergar um evento desta envergadura, até “Lewis Hamilton – campeão do mundo de F1 em título - testou e teceu comentários muito positivos sobre a pista”, disse.


Reportagem



Geopark Naturtejo apresentou Territórios de Inovação na FITUR “Territórios de Inovação” foi o mote que levou milhares de visitantes a descobrir o Geopark Naturtejo na Feira Internacional de Turismo, FITUR, que decorreu em Madrid, entre os dias 28 de Janeiro e 1 de Fevereiro. A Naturtejo esteve presente uma vez mais neste certame, em representação das Redes Europeia e Global de Geoparques sob os auspícios da UNESCO. Aquela que ultrapassou este ano todas as importantes feiras de turismo a nível internacional contou com a presença de mais de 2.000 stands em representação de organismos nacionais e de empresas relacionadas com o sector turístico, destacando-se o stand de Portugal como a maior representação estrangeira aí presente. Em tempo de crise económica, o mercado espanhol é, pela sua proximidade, fundamental para o crescimento do turismo em Portugal e o Geopark Naturtejo, com a sua localização estratégica, não quis perder a oportunidade de estabelecer mais contactos com grandes operadores turísticos internacionais e de se dar a descobrir aos mais de 250.000 visitantes desta feira. O stand da Naturtejo, que se caracterizou pela inovação no modo como apresentou o seu território, contou o apoio de empresas e instituições da região, que criaram um design de linhas arrojadas, com imagens das mais belas paisagens dos geoparques, fortemente iluminadas e atraentes. O Instituto de Realidade Virtual de Portalegre desenvolveu dois conteúdos interactivos que dinamizaram este stand: o Geopark 3D, onde foram apresentadas as mais belas fotos do Geopark Naturtejo a milhares de pessoas que faziam fila só para sentirem a experiência e a Trilobite Virtual, que deliciou centenas de crianças ao experimentarem ver-se ao lado de um fantástico animal que existiu no Geopark Naturtejo há quase 500 milhões de anos e que agora abunda, como fóssil, em lugares como o Parque Icnológico de Penha Garcia. Decorrente destas parcerias, o Presidente da Câmara Municipal de Portalegre, José Fernando Mata Cáceres, e o Director do Centro de Realidade Virtual, Gastão José Madeira Marques, estiveram presentes exclusivamente para visitar o stand do Geopark Naturtejo, demonstrando entusiasmo pelo território e pelas potencialidades de integração de novas tecnologias na recepção de turistas e interpretação das paisagens e da cultura. Estes espaços interactivos e o Miradouro de Geoparques, onde se apresentaram diversos filmes

promocionais de todos os geoparques ibéricos, trouxeram também até ao stand do Geopark Naturtejo para uma visita mais prolongada diversas individualidades, como o Secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, o Presidente do Instituto de Turismo de Portugal, Luís Patrão, o Embaixador de Portugal em Espanha, Álvaro de Mendonça e Moura, e o Presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro, Pedro Machado, sempre com o seu forte entusiasmo. Os mais ilustres convidados, assim como centenas de profissionais ligados ao sector turístico e outros visitantes, puderam saborear o Geopark Naturtejo através de uma apetitosa mostra de produtos tradicionais, que contou com o apoio de diversas empresas e produtores dos concelhos de Castelo Branco, Idanhaa-Nova, Nisa, Proença-a-Nova, Oleiros e Vila Velha de Ródão. Estes produtos e outras propostas inovadoras e aliciantes integradas no espírito do Geoparque Naturtejo foram apresentadas pelos gerentes da Geo-Padaria “Casa do Forno” de Salvaterra do Extremo, João Geraldes e Rita Cortês, que ainda ajudaram, com o seu conhecimento do território, milhares de visitantes a imaginar tantas propostas para rotas culturais e de natureza oferecidas pela Naturtejo ao longo dos dias em que decorreu a FITUR. Estes programas encontram-se condensados na nova brochura de Rotas pelo

Geopark 2009, assim como no novo mapa e folheto geoturísticos apresentados pelo Geopark Naturtejo. A FITUR é ainda a oportunidade do Geopark Naturtejo reforçar a sua colaboração com os restantes geoparques ibéricos da Rede Europeia de Geoparques, destacando-se a presença do Parque Geológico de Sobrarbe, através do Presidente desta Comarca, do director científico do geoparque e de um técnico de turismo que deram um forte apoio na apresentação da Rede Europeia de Geoparques. Saliente-se ainda a visita da representante do Parque Cultural de Maestrazgo, de Aragão, bem como representantes dos restantes geoparques ibéricos. Cada vez mais a FITUR demonstra a sua importância fundamental para reforçar a posição da Naturtejo no mercado turístico internacional fortemente competitivo. Esta visibilidade assenta numa aposta declarada em uma marca turística diferenciadora, o Geopark Naturtejo da Meseta Meridional, com o cunho de excelência da UNESCO. Esta marca caracteriza-se pela abordagem integradora do turismo sustentável, que alia a natureza (a geodiversidade e a biodiversidade), o património construído, a cultura local, as actividades desportivas e os saber fazer e receber numa lógica de Geoturismo, ou o turismo que usufrui e respeita a Terra, este nosso planeta em que vivemos e que devemos descobrir.

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Turismo Centro apresenta “Centre Experience” na FITUR

“Centre Experience” (Experiência Centro) é o nome da campanha promocional, da marca Turismo Centro, apresentada na 29.ª edição da FITUR, que ocorreu no passado mês de Janeiro. O produto está alicerçado em“ experiências ao nível da gastronomia gourmet; turismo activo e no “touring”, turismo de natureza, vocacionado para famílias”, afirmou à Viajar, no decorrer da feira madrilena, Paulo Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo Centro (ERTC). A Turismo Centro ofereceu no decorrer do certame espanhol , através do seu sítio na Internet, fins-de-semana na região, uma experiência “gourmet”e uma sensação Spa, com o intuito de fixar os visitantes durante 2 a 3 dias na zona. A marca realiza uma campanha de acção de rua, nas principais cidades espanholas desde Março até Outubro onde entrega kits, com informação do Centro, com base nas supracitadas 3 grandes experiências. “É o contributo que estamos a dar para fixar os turistas mais tempo na região”, proferiu, Pedro Machado. O presidente da ERTC revelou o desejo em “explorar a vantagem competitiva da região, face à cultura, língua e também em relação às acessibilidades. Por tudo isto, a nossa campanha começa aqui em Madrid”. Um total de 60% dos turistas estrangeiros que visitam o Centro são espanhóis. O país de “nuestros hermanos” é o primeiro mercado emissor para a região. Nela são creditados cerca de 60% do seu orçamento anual, direccionado para mercados externos, onde se destacam ainda a Inglaterra, Alemanha e Holanda. O ano de 2008 “foi excepcional. Foi o ano em que mais crescemos, nós e os Açores no contexto nacional, em dormidas de estrangeiros”, disse Pedro Machado. Em 2009, o executivo espera “manter os mesmos valores do ano transacto”.


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem



Turismo do Alentejo aposta em Espanha longínqua O Turismo do Alentejo (TA) passa a tentar captar de uma forma mais incisiva turistas espanhóis provenientes de regiões espanholas distantes, ao invés do actual turismo de proximidade. “Ao promover o Alentejo num raio de 450 quilómetros com a fronteira espanhola, registámos um incremento no número de turistas que visitam a região. O número de noites não acompanhava este crescimento”, revelou à Viajar, no decorrer da FITUR, António Larcerda, director de promoção do TA. O responsável clarificou ainda que ao apostar “em regiões mais longínquas, como a Catalunha, o resultado (no período de permanência de espanhóis) é imediato. Maior distância, estadia mais longa.” O TA mantém no entanto, a presença, no mercado de proximidade fortalecendo o investimento promocional na Espanha mais distante, sobretudo nas províncias onde o rendimento per capita ronda os 25 mil euros. “São comunidades com bom poder de compra e que ainda têm, em tempos de crise, uma capacidade aquisitiva interessante”, reiterou António Lacerda. O perfil do visitante é sobretudo do segmento social A, B e C+. A sua faixa etária ronda os 24 a 49 anos e desloca-se em viatura própria. O surfista é o novo tipo de turista emergente no Alentejo, ligado a um nicho de mercado específico. “A Costa Alentejana permite a prática do surf ao longo de todo o ano,

sobretudo aos espanhóis que residem mais longe do mar”, garantiu à nossa publicação, Lacerda. O responsável disse ainda que se começa “a notar na hotelaria do Alentejo litoral, uma melhoria substantiva na procura transversal espanhola com cujos períodos de estadia estão em crescimento”.

TA foge à promoção tradicional Ciente das dificuldades que Espanha atravessa, o

TA “foge” um pouco à tradição promocional turística. Passa agora a apostar na criação de eventos específicos, antecedentes às férias, pontes, fins-de-semana prolongados - com incidência no período antecedente à semana santa - Verão e feriados da constituição, em Espanha. O país vizinho apresenta-se como o mercado de maior relevância para a região do Alentejo, no conjunto dos mercados externos. Representa cerca de 25% do total da procura externa na região alentejana. “O Alentejo tem vivido nos últimos anos, em grande parte, à custa do turista doméstico. O ano de 2007 foi particularmente gravoso para o mercado nacional, com uma queda muito substantiva, compensada pelo mercado externo”, afiançou António Lacerda. O responsável revelou ainda que “as últimas estatísticas indicavam que a fatia doméstica (na região) tinha decrescido muito, enquanto que o mercado externo cresceu muitíssimo, permitindo obter até Outubro de 2008, um ano positivo”. “Temos que aguardar pela informação de Dezembro, devido ao período alargado de deslocações de espanhóis, devido às suas festividades”, aconselha o director de promoção turística do TA. “Em 2009 gostaríamos de manter a quota de mercado com Espanha, na casa dos 25%”, acrescenta.

Coimbra e Figueira da Foz estreiam parceria na FITUR A Turismo de Coimbra (TC) e a Figueira Grande Turismo (FGT) – empresas municipais - apresentaram na FITUR, a nova parceria dois concelhos, cujo objectivo passa por alargar e diversificar a oferta turística nos mercados externos, nomeadamente o espanhol, de forma a prolongar a estadia de turistas. A participação na feira internacional de turismo de Madrid “marca a estreia para o mercado externo num conjunto de participações na feiras de Barcelona, Salamanca, Vigo e Valhadolid, de forma a atacar o mercado Espanhol”, afirmou à Viajar, no decorrer da FITUR, Ana Redondo, administradora executiva da FGT. A responsável sublinhou ainda o peso que Espanha apresenta na Figueira da Foz: “mercado de influencia geográfica directa, que não pudemos perder”. O “Figueira Voucher” destacou-se entre as novidades apresentadas na feira madrilena. Apresenta-se como um pacote de senhas e um DVD promocional, onde os operadores turísticos são convidados a passar um fim-de-semana na cidade, tirando partido das várias experiências turísticas do concelho. Sobressaem os espectáculo musicais, passando por estadias em hotéis, ou passeios pelas várias rotas pedestres, com guia incluído. A FGT organiza ainda famtrips para agentes de viagens. Os seis grandes eixos turísticos da Figueira da Foz incluem o turismo náutico, escapadas, gastronomia, “touring” de cariz cultural e paisagístico e, o segmento“Meeting Industry” A FGT aposta na organização de vários eventos ao longo do ano, de Janeiro a Dezembro, começando com o evento “Figueira Gastronómica” e terminando com o Réveillon.

nos” tem um potencial de crescimento enorme. “É o primeiro ano que estamos a fazer um plano integrado de divulgação e de aposta mais alargada no mercado espanhol”, revela Luís Alcoforado. Com a abertura brevemente da autoestrada Salamanca-Ávila, qualquer ponto de Espanha,” fica a meia dúzia de horas”, garante o presidente do conselho de administração da TC. A nova via aumenta a possibilidade de realizar “short-breaks” aproveitando para visitar o“criptopórtico (obra de engenharia romana), que figura entre mais significativos de todo o mundo”, proferiu Alcoforado.

Universidade de Coimbra A Universidade de Coimbra (UC) passa a estar presente com a TC e a FGT nas feiras de turismo de maior ou menor dimensão. A razão surge para promover a instituição de ensino superior, “enquanto produto turístico, dando resposta a muitas das questões que nos eram colocadas, de públicos que nela desejam estudar”, confessou à nossa revista, Luís Alcoforado, presidente do conselho de administração da TC. A UC é apontada como uma das principais razões para visitar a cidade. “Num estudo sobre quais as universidades que têm maior procura em todo o mundo, Coimbra era a 14.ª na Europa e 36.ª no Mundo”, afiançou, Alcoforado. O executivo enumerou ainda as “jóias” da universidade: “mais de 700 anos de história, num edifício belíssimo com uma biblioteca extraordinária. Coimbra figura entre as cidades mais procuradas pelos espanhóis. O mercado de “nuestros herma-

Grupo Pestana marca presença na FITUR O Grupo Pestana marcou presença na passada edição da FITUR. A empresa portuguesa reforçou deste modo a aposta em Espanha. O stand situado ao lado do Turismo de Portugal foi idealizado no sentido de divulgar a imagem das marcas Pestana “Hotels & Resorts” e “Pousadas de Portugal”, como unidades diversificadas e capazes de surpreender e agradar a qualquer cliente. O mercado Espanhol assume grande importância nas unidades Pestana e “Pousadas de Portugal”, resultado da proximidade geográfica e da crescente fidelização dos clientes espanhóis à marca, bem como, às suas unidades no Brasil e Venezuela.


Reportagem

12

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Foi uma BTL de confiança, responsabilidade e determinação, confirmando as palavras do presidente da sua Comissão Organizadora

BTL2009

A crise ficou do lado de fora O

presidente da Comissão Organizadora da BTL, Vítor Neto, já dizia no discurso de inauguração do certame que “esta não é uma BTL de crise nem de pessimismo. É a BTL da confiança e responsabilidade”. E foi efectivamente de confiança que se tratou, pois os profissionais do turismo deixaram literalmente a crise do lado de fora do evento, olhando para o futuro, não seria “o turismo um sector maduro” com o qual “o país pode contar”, como também afirmou Vítor Neto. Presidida pelo ministro da Economia, Manuel Pinho, a sessão de abertura da BTL - Feira Internacional de Turismo, decorreu sob o signo da confiança no futuro. A palavra “crise” acabou por ficar praticamente à porta, mencionada apenas para qualificar a conjuntura económica internacional. Quanto ao turismo português, reina a vontade de “deitar mãos à obra”, que o mesmo é dizer, trabalhar e buscar soluções. O mote foi dado por Rocha de Matos, presidente da AIP, que garantiu ter “grande confiança em que todos unidos”, Governo, associações empresariais e empresários, se consiga levar de vencida dificuldades e problemas. Rocha de Matos deixaria também claro ser esta a vontade dos empresários que desde sempre “têm demonstrado vontade de servir Portugal”. Para o presidente da CTP, José Carlos Pinto Coelho perante a situação actual, diferente de tudo o que esta geração já viveu, há que “descobrir num mundo novo o que temos que fazer e a melhor maneira de o fazer para voltarmos de novo a ter crescimento. Para Pinto Coelho, o que há a fazer é “discutir novas soluções porque os problemas são novos”. E também para o presidente da CTP esta é “uma altura de união, em primeiro lugar, para partilhar informações, união, em segundo lugar, para descobrir soluções novas”. Manuel Pinho anunciou, na ocasião, um reforço de 30 milhões de euros para o Turismo de Portugal utilizar na divulgação turística nacional junto de operadores estrangeiros. Manuel Pinho anunciou ainda, aquela que designou como a mais ambiciosa campanha que jamais se fez na vertente de promoção interna de Portugal. “O facto de os portugueses fazerem muito menos férias em Portugal que os outros europeus nos seus países é algo que me entristece pois verifico que optam frequentemente por destinos

consiga colmatar as quebras que as várias regiões turísticas portuguesas poderão sentir este ano por parte dos mercados internacionais, principalmente do Reino Unido, Alemanha e Espanha, principais geradores de fluxos turísticos para o nosso país. Aproveitando para dar os parabéns a todos os profissionais do Turismo, responsáveis pelo crescente dinamismo e qualidade do sector, Manuel Pinho revelou que este será um dos primeiros pólos de competitividade do país e terminou por sublinhar a importância da BTL para o sector, afirmando que esta feira “é um acontecimento muito importante num sector crucial para a economia e para Portugal”. O Governo, de acordo com o governante, vai igualmente lançar uma linha de crédito de 500 milhões de euros no âmbito da PME Investe III, e disponibilizar um fundo de investimento de imobiliário e capital de risco na ordem dos 100 milhões de euros, bem como 175 milhões de euros destinados a facilitar operações de fusão e equisição. Caracterizando a BTL como “a grande montra e a grande festa do turismo português”, Vítor Neto, Presidente da Comissão Organizadora da BTL contrapôs uma visão mais optimista face às previsões de um ano difícil, dando como exemplo o dinamismo da presente edição da BTL onde estiveram patentes 900 expositores, ocupando toda a área da FIL. O Governo vai igualmente lançar uma linha de crédito de 500 milhões de euros no âmbito da PME Investe III, e disponibilizar um fundo de investimento de imobiliário e capital de risco na ordem dos 100 milhões de euros.

Expectativas suplantadas

de qualidade muito inferior à nossa própria oferta ”, confessou o ministro da Economia e Inovação, ao anunciar uma campanha a iniciar em Fevereiro com o objectivo de levar os portugue-

ses a fazerem mais férias em território nacional, orçada em 4 milhões de euros e a ser financiada pelo Turismo do Portugal. Pretende-se que o mercado nacional

A BTL – Feira Internacional de Turismo, encerrou a sua vigésima primeira edição com um total de 71.121 visitantes, um crescimento de aproximadamente 6% face aos 67.323 da edição transacta. Num ano fortemente condicionado pelas incertezas no sector turístico, decorrentes da actual conjuntura económica, a BTL suplantou as expectativas iniciais da organização tanto ao nível do número de visitantes como do grau de satisfação dos 900 expositores presentes no certame. O balanço final da vigésima primeira BTL – Feira Internacional de Turismo corrobora em pleno as palavras de


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

13

Vítor Neto, Presidente da Comissão Organizadora do certame, aquando da sua inauguração oficial: “esta não é uma BTL de crise e de derrotismo. É uma BTL de confiança, responsabilidade e determinação, que quer mostrar a toda a gente que o Turismo em Portugal goza de boa saúde e tem força e vontade de vencer os desafios que se lhe colocam”. A forte adesão dos profissionais nos dias que lhe foram dedicados e do público em geral, com destaque para o fim-de-semana, ditaram o sucesso da feira aos olhos dos intervenientes, que referem na generalidade um nível de concretização de objectivos de presença muito elevado. A reorganização do espaço e o alargamento do horário profissional foram opções estratégicas que, complementadas com iniciativas sectoriais inovadoras permitiram dar um novo e decisivo impulso à BTL, que consolidou assim o seu estatuto de maior e mais prestigiante evento do turismo português. Entre estas iniciativas sectoriais destaca-se o sucesso da BTL Rural, um formato em estreia absoluta que permitiu a mais de 70 associações e operadores de turismo rural aceder a uma plataforma de divulgação e concretização plena de negócios com um público de milhares de pessoas. Também a BTL Negócios registou um saldo muito positivo na sua estreia, possibilitando às dezenas de participações profissionais, nacionais e internacionais, um ambiente especialmente conducente à concretização de negócios. A BTL Negócios será um formato a manter e a desenvolver nas próximas edições de forma a apresentar um maior leque de mais-valias para os seus participantes. A Semana Ibérica da Gastronomia, uma opção de rotura com os modelos gastronómicos anteriores foi uma das iniciativas que recebeu uma aclamação dos vários sectores profissionais, assim como do público que em geral. Esta iniciativa promotora do turismo gastronómico enquanto potenciador de outros sectores constituiu-se como uma montra dos saberes e sabores de Portugal e das regiões espanholas da Cantábria e Castilla y León. A BTL – Feira de Turismo Internacional contou com a presença de 900 expositores nacionais e internacionais e a representação de mais de 40 destinos internacionais, que ocuparam a totalidade da área de exposição da FIL. Nesta edição destaca-se ainda para o contingente profissional estrangeiro que marcou uma forte presença, registando 600 participações nos dois dia.

BTL Rural estreou-se com sucesso Pela primeira vez este ano, realizou-

se na Bolsa de Turismo de Lisboa a BTL Rural. O formato, dedicavase exclusivamente ao Espaço Rural, Turismo Activo e Turismo Natureza.

A iniciativa contou com a presença de mais de 70 associações e operadores de turismo rural, das quais a TURIHAB – Solares de Portugal, as

Casas Açorianas, a Casa da Anta, a Quinta do Sobral, a Quinta do Mel, a Casa Terreiro do Paço, a pousada do Orillas, a empresa Portugal-Rural, a Associação Casario Ribatejano e a Entidade Regional de Turismo do Porto e do Norte de Portugal. “O desafio feito aos operadores de Turismo em Espaço Rural, Turismo Activo e Turismo Natureza foi bem recebido e superou na estreia a sua prova de fogo. Este é um formato extremamente vantajoso para os participantes que contactam com um público interessado e cada vez mais consumidor destes produtos turísticos. É um sector em clara ascensão que queremos continuar a apoiar”, disse Javier Galiana, director-geral da FIL. A presidente da Direcção da Privetur, Associação Portuguesa de Turismo em Espaço Rural, Maria Celina de Lemos Godinho, foi ao encontro das palavras de Javier Galiana. “É neste contexto de redimensionamento da oferta turística no espaço rural que a BTL poderá prestar um grande serviço ao turismo nacional e europeu podendo, nesse caso, a Privetur (Portugal) com a Asetur (Espanha) e a Eurogîtes (Federação europeia de TER) aproveitarem a oportunidade para a sua primeira apresentação anual do estado de desenvolvimento deste produto turístico, económico e social, de grande relevo europeu”. iniciais, destinados exclusivamente a profissionais. No rescaldo da BTL Javier Galiana, director da FIL afirmou estar “muito satisfeito com os resultados”, e com o êxito da BTL Rural, embora reconheça que o programa de Hosted Buyers tem que ser revisto e integrado na BTL Negócios. O executivo sublinhou que a BTL funcionou “lindamente” reiterando que não só houve mais profissionais, como o próprio nível destes foi mais elevado, havendo mais “poder de decisão” do que em edições anteriores. A BTL Rural foi considerada um “êxito total e absoluto” pelo director da FIL. “Tivemos uma reacção impressionante por parte do sector rural”, comentando que “para o ano vamos ter problemas para acomodar todos os que irão querer vir. Alvo de críticas foi o programa de Hosted Buyers e da BTL Negócios e o director da FIL não nega as criticas e vai mais longe ao afirmar que “todo o programa tem de ser revisto” visto que são duas iniciativas que se cruzam, tendo o Hosed Buyers prejudicado a BTL Negócios. O executivo defende que o programa de operadores tem de estar integrado na BTL Negócios que irá continuar a existir considerando-a “um instrumento absolutamente necessário e útil para a feira”.


Reportagem

14

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Perfil do turista nacional que visita a região apresentado na BTL

Portugueses gostam do Algarve O

estudo “Perfil do turista nacional que visita o Algarve”, promovido pelo Turismo do Algarve e executado por uma equipa de investigadores da Universidade do Algarve, revela que os portugueses têm uma forte afinidade com o Algarve, fruto da familiaridade que têm com a região e da satisfação que sentem com as experiências vividas no destino. “As campanhas promocionais não podem incidir apenas nos novos turistas, porque os que já conhecem o Algarve continuam a procurar informação sobre o destino”, advertiu Antónia Correia, investigadora da Universidade do Algarve, durante a apresentação do estudo “Perfil do turista nacional que visita o Algarve”, que decorreu no âmbito da BTL. Durante a apresentação do estudo, onde esteve também presente António Pina, presidente da ERTA, a investigadora afirmou que os portugueses têm uma forte afinidade com o Algarve, o que se deve ao facto de este ser um destino familiar, que satisfaz os turistas, proporcionando-lhes boas experiências. A maioria dos turistas nacionais que visita o Algarve tem entre 31 e 50 anos (51,3%), é casado ou vive em união de facto (65,1%), sendo os seus agregados familiares formados essencialmente por dois adultos e uma criança, constituindo estas famílias tradicionais (84,8%). Residentes maioritariamente no centro de Portugal, sobretudo na área da grande Lisboa (41,0%), mas também na região norte (14,7%), os turistas domésticos do Algarve têm formação superior (47,7%) e pertencem à população activa, sendo essencialmente trabalhadores por conta de outrem (58,4%).

Sol e praia é principal motivação Viajando sobretudo em família (52,9%), a deslocação ao Algarve é motivada pela vontade de descansar, passar bons momentos em família, e divertir-se. Para o turista nacional, o Algarve é sinónimo de bom clima, boas praias e segurança, sendo estes os principais factores de atracção da região. A maioria dos inquiridos procura o Algarve pelo lazer do turismo de sol e praia e pela animação/recreação, e fazem-no pelo menos uma vez por ano. Na verdade, os Portugueses revelam uma elevada frequência de

visita ao Algarve: 34,7% vem pelo menos uma vez por ano, 21,8% vem duas vezes por ano e 32,2% vem três ou mais vezes ao ano. A esmagadora maioria (95,8%) são turistas de repetição frequente (56,5%) ou muito frequente (32,2%). Uma faixa considerável dos turistas nacionais no Algarve é constituída por jovens, com menos de 30 anos (28,2%), que escolhem essencialmente o período da Páscoa para visitarem a região. Estes são maioritariamente turistas de lazer criativos, que pretendem aliar o lazer com a novidade e mudança, o sol e praia com a animação e a recreação e natureza. O Verão é a altura do ano privilegiada pelos nacionais para fazerem férias: 51,9% afirma escolher o período estival para viajar para fora da sua área de residência habitual. O Algarve não é excepção, e o Verão é o período do ano que concentra mais turistas nacionais, que escolhem a região para as suas férias, permanecendo nesta altura do ano no Algarve cerca de 12 dias. Ao longo do resto do ano, os Portugueses

optam por ir ao Algarve, para além de em família, também na companhia só do cônjuge/companheiro (23,4%), e para estadas de curta duração, seja para umas mini-férias ou apenas para passar o fim-de-semana; a estada média é de cerca de 6 dias por altura da Páscoa e de 7 dias no Fim de Ano. A estada média no Algarve em termos globais é de 10 dias. Turistas experientes, a maioria (91,2%) dos Portugueses não compra qualquer tipo de pacote turístico, mas reserva antes o seu alojamento com cerca de 45 dias de antecedência, directamente por telefone (40,8%) ou pela internet (26,0%); e opta preferencialmente por um regime que não inclui refeições (54,1%) ou que inclui apenas o pequeno-almoço (22,0%). Ainda assim, 47,2% opta pelo alojamento não hoteleiro: aproximadamente 25,1% dos Portugueses possui uma segunda habitação no Algarve, 22,1% fica alojado em casa de familiares ou amigos. Sendo um destino habitual, a maioria dos portugueses não apresenta expec-

tativas muito elevadas na vinda ao Algarve; ainda assim a região consegue satisfazer até o turista mais exigente. E é do ponto de vista emocional que o Algarve mais satisfaz os portugueses, que conseguem efectivamente cumprir os seus desejos de descanso, diversão e relação familiar. Os elementos físicos e naturais do destino, com destaque para o ambiente familiar da região, são factores geradores de satisfação. Mais críticos são os Portugueses para com os aspectos relacionados com as infra-estruturas, nomeadamente as hospitalares e as de apoio às praias, e condições económicas, relacionados sobretudo com a questão preço e custo de vida; sendo que metade dos inquiridos avalia o Algarve como um destino dispendioso, e a outra metade balança entre considerar a região como de preço adequado ou acessível.

Mais animação precisa-se Os portugueses gostariam ainda, por outro lado, de poder contar com mais iniciativas de animação e recreação, relacionados com a animação cultural, as actividades de natureza e de comércio, sobretudo nos períodos não estivais. Os passeios na natureza, os eventos e festivais, as actividades culturais e as de saúde e bem-estar são, de resto, sugeridos como potenciais eixos estratégicos para um turismo menos sazonal no Algarve. A satisfação dos portugueses para com o Algarve traduz-se numa elevada taxa de intenção de regresso à região, de 95,8%, sendo que 84,9% dos inquiridos admite voltar ao Algarve com toda a certeza; e na vontade explícita de recomendar o destino: 60,3% afirma que recomenda de certeza. Admitindo que os turistas satisfeitos transmitem uma imagem positiva do Algarve e recomendam a região a pelo menos cinco pessoas conhecidas, e os insatisfeitos “passam-a-palavra” a nove indivíduos, pode esperar-se um aumento da procura turística no Algarve de 34,5%. A intenção de regresso ao Algarve é transversal a todos os períodos analisados no estudo – Páscoa, Verão e Fim de Ano – e a todas as regiões geográficas consideradas – Costa Vicentina, Barlavento, Centro e Sotavento. É a Costa Vicentina que apresenta a taxa mais elevada de turistas fiéis à região (28,8%), e em segundo lugar aparece o Sotavento, em que 21,1% dos turistas nacionais estão fidelizados a esta região e 77,3% estão cativados.


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

15

Para apoiar a competitividade do Turismo Português

CTP apresenta pacote de medidas urgentes

A

Direcção da Confederação do Turismo Português (CTP), acompanhada de um grupo de empresários do sector, reuniu-se, recentemente com Manuel Pinho, ministro da Economia e Inovação, para apresentar um conjunto de medidas que permitam ao sector do turismo enfrentar as dificuldades que enfrenta actualmente. As medidas propostas pela CTP abrangem quatro domínios de intervenção: Promoção do Turismo Português e Acessibilidade Aérea, Fiscalidade, Relações Laborais e Legislação dos Empreendimentos Turísticos. A Promoção do Turismo Português exige a concertação estratégica a nível central entre a CTP, o Governo e o Turismo de Portugal, pelo que a CTP propõe uma reunião mensal com o MEI /SET e Turismo de Portugal para acompanhamento da evolução da situação em 2009 e a preparação do Plano de Promoção para 2010, no quadro de uma atempada concertação. Em paralelo, deve ser reforçada uma mais estreita parceria entre esforço público e Economia do Turismo, a nível regional. Mais ainda, propõe a CTP que, parte dos substanciais saldos do Turismo de Portugal (com origem nas chamadas Receitas do Jogo), se destine ao financiamento de um fundo especial para prospecção e

captação de eventos estruturantes. Muito embora os principais efeitos desta acção só se verifiquem em anos seguintes, o seu lançamento e início de actividade terá efeitos promocionais imediatos. A competitividade da acessibilidade aérea deve ser reforçada em todos os modelos de negócio: tradicional, charter e low cost. Entre outras medidas, a CTP destaca a redução substancial das taxas aeroportuárias, a instalação em 2009 da base de operação de uma companhia low cost no nosso País e transformação do Terminal 2 do Aeroporto da Portela em terminal das companhias low cost.

Diminuição da taxa de IVA da restauração A CTP mantém a sua constante defesa da diminuição da taxa de IVA da restauração, para travar as falências das empresas do sector, com o inerente aumento do desemprego. A cedência de parcelas de terrenos, a realização de obras ou infra-estruturas urbanísticas, indispensáveis ao desenvolvimento da actividade dos operadores, devem ser aceites para efeitos de IRC e dedução de IVA. Outra das propostas da CTP consiste no alargamento do âmbito da aplicação da utilidade turística e inerente isenção de Imposto IMT, às aquisições de prédios ou fracções

Taxas de juro para investimentos no turismo reduzidas a metade O limite mínimo da taxa de juro a suportar pelas empresas em operações de financiamento através das linhas de crédito PME Investe I, II e III, baixou de 3 por cento para 1,5 por cento. Esta redução, que acompanha a descida das taxas Euribor, facilita o financiamento das actividades dos empresários do sector turístico e surge na sequência das medidas de apoio ao Turismo aprovadas pelo Governo. A redução, para metade, da taxa de juro mínima a suportar pelas empresas foi já introduzida nas operações contratadas entre os bancos e as empresas, enquadradas nas linhas de crédito PME Investe I, II e III, e aplica-se a todas os novos financiamentos. As linhas de crédito PME Investe II e III

colocam à disposição das empresas do sector do Turismo uma dotação total de 1700 milhões de euros, distribuída por duas linhas específicas e duas linhas gerais. Na PME Investe II, a linha + Restauração tem uma dotação de 50 milhões de euros para qualificação e modernização dos estabelecimentos de restauração e bebidas, ao passo que a linha geral, destinada a investimentos e aumento do fundo de maneio de todas as empresas do sector, tem uma dotação de 750 milhões de euros. A PME Investe III estabelece uma linha específica para empreendimentos e actividades turísticas no valor de 500 milhões de euros e uma linha para micro e pequenas empresas, com dotação até 400 milhões de euros.

autónomas já afectos à exploração de empreendimentos qualificados de utilidade turística. A nível das agências de viagens, a CTP considera essencial eliminar o ónus da retenção na fonte das comissões pagas a não residentes, alterar o tratamento contabilístico dado a nível nacional ao goodwill, de modo a tornar Portugal mais competitivo do que a Espanha. No plano das relações laborais, a CTP defende que a entrada em vigor das medidas previstas no Código do Trabalho relativas ao agravamento da Taxa Social Única nos contratos a termo é incompatível com a necessidade de combater o desemprego, em particular no Turismo, que é forçado a recorrer a esta modalidade de contrato. No domínio da legislação dos empreendimentos turísticos, a CTP propõe criar as condições fiscais competitivas para que os cidadãos da União Europeia e de outros países fora dela estabeleçam residência

em Portugal ou aqui adquiriram casas de férias. As crises financeira e económica criam uma situação nova, que impõe a adequação de regras da Lei dos Empreendimentos Turísticos, às novas exigências do mercado.


Reportagem

16

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Mundial de Futebol é oportunidade única para visitar o país

África do Sul quer 10 milhões de turistas “Queremos mais de 10 milhões de turistas na África do Sul, até 2010”, afirmou Danny Jordaan, CEO do Comité da Organização Local, do Mundial de 2010 na África do Sul, no decorrer do evento de promoção turística que ocorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. “Desejamos que estes turistas regressem ao país. A sua segurança é fulcral. Já organizámos diversos eventos como o campeonato do mundo de Críquete em 2003 e não tivemos um único incidente”, assegurou Jordaan. O governo sul-africano investiu fortemente em segurança e coloca 4.100 polícias nas ruas, durante o Mundial. No que concerne à problemática do crime, Jordaan explica que existem zonas em todas as países do mundo, que não devem ser visitadas por turistas, a África do Sul não é excepção. “Sim, temos o problema do crime devido a questões sociais e económicas, porém é necessário distinguir entre realidade e percepção”, acrescentou Jordaan. “Com o investimento que faremos em segurança estamos preparados para lidar com a problemática do crime durante e após o torneio”, rematou. Entre os motivos que levaram o país a realizar o mundial, encontram-se a melhoria das infra-estruturas. A organização não está simplesmente a construir estádios”, estamos a construir um país”, proferiu o CEO do comité do Mundial de 2010. A segunda razão passa pela criação de postos de trabalho; a terceira é devido às pequenas e médias empresas – uma vez que o campeonato do mundo de futebol é um projecto de interesse nacional, 30% dos lucros são dirigidos a este segmento empresarial. O quatro motivo compreende a coesão social. Neste aspecto, Jordaan espera que o “futebol una os sul-africanos, como uniu os alemães, em 2006”.

25 mil portugueses no ano passado As estatísticas disponibilizadas pela Embaixada da África do Sul, demonstram que o número de turistas portugueses no país, sofreu um aumento na ordem dos 7% em 2008, totalizando 25 mil. Thandiwe Profit-McLean

Embaixadora do país organizador do próximo campeonato do mundo de futebol, acredita que o Mundial “é uma grande oportunidade para descobrir a verdadeira África do Sul”. A responsável ambiciona que os portugueses “não só estejam presentes no país, como também participem neste torneio”. Estamos a fazer figas pela equipa portuguesa. Está entre as favoritas dos africanos para ganhar o campeonato do mundo”, acrescentou. Neste momento estão a decorrer iniciativas com a federação portuguesa de futebol e inúmeros clubes, com o intuito de promover o Mundial no decorrer de eventos desportivos em Lisboa, Algarve, Porto e ilha da Madeira”. “Não direi que somos um destino barato, direi que apresentamos um bom “value for money”, (relação qualidade preço), proferiu Calvyn Gilfellan, CEO do Turismo do Cabo Ocidental. O responsável garantiu ainda, que todas as infra-estruturas desde estradas, transportes e comunicações, passando por acessos, estarão terminadas a tempo do campeonato do mundo . Laurentino Dias, secretário de Estado da Juventude e do Desporto esteve presente no acontecimento. Zakumi, mascote oficial do torneio, estreou-se em Portugal, no CCB. O nome “Zakumi deriva dos termos “ZA”, abreviação de “South Africa” (África do Sul) e “kumi” que significa “10”, em várias línguas africanas.


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

17

Turismo na Madeira bate todos os recordes em 2008 “O ano de 2008 foi excepcional, vamos bater todos os números a nível de dormidas e receitas”, afirmou em conferência de imprensa no decorrer da BTL, Conceição Estudante, secretária Regional do Turismo e Transportes da Madeira. A responsável realçou ainda que “numa conjuntura desfavorável, a Madeira foi o único destino português que manteve esta tendência (de crescimento)”. Para 2009, Estudante, lançou o mote: “continuar a apostar na satisfação e fidelização do cliente, para que a quota de mercado se mantenha igual ou superior aquela que temos”. Pela primeira vez, o clube de golfe do Porto Santo recebe de 19 a 22 de Março de 2009, a XVII edição do “Madeira Islands Open”, prova de golfe, inserida no “PGA European Tour”. O torneio terá um “Prize Money” (prémio monetário) de 700 mil euros. “A entrega de prémios será realizada no hotel Pestana Porto Santo, unidade hoteleira oficial da prova”, avançou Francisco Tabuada, presidente da Sociedade de Desenvolvimento do Porto Santo. O campo de golfe será propositadamente dificultado para o torneio. A 18 de Março ocorre o ProAm, unindo profissionais e amadores. A nova gare marítima internacional do porto do Funchal, destinada ao embarque e desembarque cruzeiristas, foi apresentada no decorrer da conferencia. O início de construção está previsto para o próximo mês de Março e o término das obras para Setembro de 2009. O projecto representa um investimento de 18 milhões de euros. Com o intuito de manter ou ultrapassar a quota de mercado a Secretaria Regional do Turismo e Transportes da Madeira (SRTT), desenvolve em 2009, inúmeras iniciativas entre as quais se destacam campanhas publicitárias na televisão, rádio, imprensa, bem como outdoors em todos os mercados tradicionais e emergentes; roadshows e workshops; patrocínio de eventos para o trade e o público final; viagens de familiarização (Famtrips) para operadores, agentes dos mercados tradicionais e emergentes bem como o “Madeira Specialist”, cursos de formação profissional para operadores e agentes de viagem. Evidenciam-se ainda, o incentivo à abertura de novas ligações aéreas e estudo do impacto das campanhas lançadas em 2008.

Resultados turísticos globais A SRTT, registou até Novembro de 2008 um aumento de 4,21% no número de dormidas; incremento de 4,45% no volume de hóspedes e, um acréscimo de 6,9% nas receitas totais. Sobressai pela positiva, o crescimento na taxa de ocupação média de 61,5% em 2007, para 62,3% em 2008, sendo que em Janeiro, transitou de 43,5% para 45,8%. A descida de preços das tarifas aéreas, resultante da liberalização dos céus da Madeira, contribuiu para o aumento de tráfego. Dados da ANAM (Aeroportos da Madeira), mostram um crescimento de 1,2% relativamente a 2007, totalizando 2.448.574 passageiros. O mercado doméstico ocupa o primeiro posto no ranking de mercados emissores de turistas, para a Madeira. Em 2007 registaram-se 239.677 hóspedes, representando um crescimento de 0,64% face a período homólogo de 2006. No que concerne a dormidas, o mercado português assume o terceiro lugar

com 805.825 noites, correspondendo a 13,45% do total de dormidas nas ilhas. Entre Janeiro e Agosto de 2008 o número de turistas portugueses que entraram na Madeira superou os 153.091, enquanto o número de dormidas cifrou-se nos 537.020. Em 2007 o Reino Unido (RU) era o segundo mercado emissor mais importante, com cerca de 19,53% de fatia de mercado. A Madeira recebeu nesse ano 188.843 turistas do RU, representando um crescimento de 5,88%, face a 2006. Entre Janeiro e Agosto de 2008, o número de britânicos que deram entrada na Madeira alcançava os 163.982, mais 36,8%, face a 2007. Este mercado representa 24,17% das dormidas totais da hotelaria madeirense em 2007, ocupando o 2.º lugar no ranking de dormidas, com 1.447.693 noites. Entre Janeiro e Outubro, de 2008, registou-se um aumento de 29,2%, relativamente a igual período de 2007. O crescimento do mercado britânico resulta também das novas ligações aéreas oferecidas pela EasyJet.

O mercado alemão ocupa o 3.º lugar no ranking das entradas de turistas na Madeira, com 174,023 hóspedes em 2007. Até Agosto de 2008, entraram nas ilhas 115.311 turistas alemães, menos 5,6% do que no período homólogo de 2007. Nas dormidas, os alemães geraram 1.426.176 dormidas, ocupando a primeira posição do ranking. Nos mercados emergentes, a Polónia registou um aumento de 710% e 893% em hóspedes que deram entrada e, dormidas, respectivamente, devido à realização de uma ligação aérea directa entre a Polónia e a Madeira. Os restantes mercados, como a Rússia, República Checa ou Roménia registam crescimentos entre os 36% e os 40%. No mercado de cruzeiros, o Porto do Funchal registou em 2008, 270 escalas de navios, totalizando 405.306 passageiros, o que corresponde a um aumento de 20% relativamente ao ano anterior. Os resultados da Madeira a nível nacional, apresentam resultados negativos na ordem dos 5,1% nas dormidas, até Outubro de 2008, no entanto até ao momento de fecho de edição, a SRTT não dispunha de informações finais definitivas, pelo que os dados apresentados são apenas estimativas. O número de passageiros com origem no mercado doméstico teve um crescimento de 1,1% relativamente a 2007, segundo dados da ANAM. Até Outubro de 2008, o tráfego de passageiros domésticos no Aeroporto da Madeira registou uma quebra de 0,4% relativamente a igual período de 2007. O ferry que liga Portimão/Funchal/ Canárias registou até Novembro de 2008, 49 escalas, com um trânsito total de 22.647 passageiros.

Madeira Island Open pela primeria vez em Porto Santo A XVIIª edição do “Madeira Islands Open” realiza-se este ano, pela primeira vez, em Porto Santo. A menos de dois meses da prova, os preparativos estão ao rubro para receber o torneio que marca a estreia do Porto Santo Golfe na alta-roda do golfe europeu e mundial. Os responsáveis do European

Tour, incluindo aquele que será o Director da Prova, DavidWilliams, estiveram no Porto Santo para fazer o balanço das tarefas a ser desempenhadas por todos. Os jogadores começam a treinar no campo a 16 e 17 de Março. No dia 17 realiza-se também a Conferência de Imprensa para apresentação da competição que

irá decorrer no Pestana Porto Santo, o hotel oficial da prova. O sempre muito esperado PROAM joga-se no dia 18 e junta cerca 50 profissionais com 150 amadores convidados pela organização. O Open começa oficialmente no dia 19 e decorre até dia 22 de Março com os 144 jogadores aceites para esta prova.


Reportagem

18

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

República Checa e Polónia convidam o turista português A

s Oficinas de Turismo da Polónia e da República Checa apresentaram aos órgãos de comunicação social nacionais os seus destaques turísticos. A iniciativa, que decorreu no Hotel Tivoli Oriente no dia inaugural da BTL, serviu para dar a conhecer as potencialidades de cada um dos países e ainda divulgar a abertura da linha directa entre Lisboa e Varsóvia pela TAP Air Portugal. No evento estiveram presentes vários responsáveis, entre eles Katerina Menclová, directora da Oficina Nacional Checa de turismo, Agata Witoslawska, directora da Oficina Nacional de Turismo na Polónia e André Serpa Soares, porta-voz da Tap. Para a respons��vel do turismo checo, 2009 é um “ano importante para a República Checa, em que comemoram 20 anos de democracia e 5 anos de União Europeia” a mesma informou também que a República Checa é já “um dos países mais visitados da Europa” acrescentando que o espaço checo “tem crescido de forma notável na oferta de hotéis” o que faz com que este destino reúna todas as condições para o turista “desfrutar de muito encanto”. Este destino surgiu com a recomendação de escapadelas que conjuguem o recorrente City Brake em Praga com outras cidades turísticas do país. A proposta “Praga +1” surge portanto como uma extensão do conhecimento para o turista português que visitou Praga e pretende ir ainda mais além na descoberta da República Checa. Para esse turista existem várias cidades que são grandes referências turísticas no país como é o caso de Brno, a segunda cidade checa, uma autêntica urbe cosmopolita e em constante ebulição; Cesky Krumlov que este ano comemora os seus 700 anos, Karlovy Vary célebre como zona balnear checa e herdeira do glamour centro-europeu; Pilsen muito conhecida pela sua famosa cerveja

avermelhada e Olomouc onde se encontra a maior reserva monumental de Moravia. Será também foco da oficina de turismo checo a “rota especial para seniores, com duração de uma semana, disponível 365 dias por ano”,criada para um target de turistas com mais de 55 anos, dotados de tempo e sequiosos de explorar experiências culturais, conhecer tradições e histórias locais e degustar a gastronomia e vinhos. Já o destino Polónia surgiu com uma diferente abordagem, mencionando como principais motivos para o turista português visitar a Polónia a hospitalidade polaca, os Campeonatos Europeus de basket e de voleibol a decorrer este ano em

várias cidades do país, a cidade de Cracóvia para turismo cultural e ficar a conhecer o percurso de Karol Wojtyla (Papa João Paulo II), Varsóvia para aprender mais sobre as raízes do autor clássico Frédéric Chopin, Gdansk o local onde a II Guerra Mundial começou e os 23 parques, diversas montanhas e mais de mil lagos que a Natureza polaca oferece ao turista. Agata Witoslawska referiu ainda o crescente investimento português na Polónia ( Banco Millenium, Jerónimo Martins e Mota Engil) como uma razão de peso para conhecer o país em turismo de negócios ou optando pelo turismo cultural, espiritual e activo. A responsável sublinha no entanto, que seja qual for a opção de turismo “o país é grande e para conhêce-lo bem há que lhe dedicar algum tempo” deixando um entusiástico convite aos portugueses para visitarem a Polónia, país cujo o lema é “hóspedes em casa, Deus em casa”, concluiu a mesma. O porta-voz da companhia aérea TAP, esteve também presente no encontro e adiantou informações sobre os voos directos Lisboa-Varsóvia, a realizar a partir do dia 10 de Junho através de cinco ligações semanais directas em Airbus A320, com capacidade para 162 passageiros. André Serpa Soares considera expectável o sucesso da operação visto que “Varsóvia tem todo o potencial para empresas portuguesas e turismo”. Em Praga a Tap já opera desde 2004 com “assinalável sucesso” e para este ano a companhia tem programada uma operação de seis voos semanais directos entre Lisboa e a capital checa.

Angola aposta no turismo Angola esteve presente na BTL e a seguir, na Fitur. Em Lisboa esteve uma delegação de quarenta pessoas, apresentando aspectos da cultura, do artesanato e da gastronomia angolana. O objectivo foi captar investimentos que possam desenvolver o sector turístico e começar a promover Angola como um destino turístico do futuro. Num encontro com empresários portugueses do sector do turismo o vice-ministro angolano da Hotelaria e Turismo, Paulino Baptista referiu que “Angola é actualmente um país em franco crescimento”, e que está cada vez mais longe, para melhor, dos

tempos em que esteve de guerra. O governante considera que o quadro legal já é atractivo para os investidores terem confiança, e salientou que “o potencial natural turístico do país abrange todas as formas imaginárias de turismo”. Referindo-se ao quadro hoteleiro, Paulino Baptista referiu que actualmente já existem “consideráveis investimentos, quer de cidadãos angolanos, quer de estrangeiros”, mas incentivou os empresários presentes que queiram apostar em Angola “a não medir esforços”, porque ao fazerem-no “estão a investir num dos países mais promissores do mundo”.


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

19

TURIHAB promove nova marca Casas no Campo

Arteh lança “the must hotels”

A

A Arteh Hotéis e Resorts lança um guia em inglês, com mais de 200 páginas denominado“the must hotels – hotel guide”, onde selecciona os melhores complexos hoteleiros de luxo e charme situados no Brasil, Portugal, Marrocos, Espanha, França, Holanda, Itália, África do Sul e Índia. As unidades hoteleiras escolhidas, englobam edifícios design, mansões, antigos conventos, palácios e castelos remodelados, localizados em grandes cidades, junto a praias, no campo, ou nas montanhas. Estes locais são “ideais para uma escapada ao fim-de-semana, agendar um evento especial, conferência ou reunião”, pode ler-se na brochura. Os espaços oferecem ainda a possibilidade de desfrutar de uma refeição gourmet, tratamentos no SPA, jogar golfe, praticar desporto, explorar o património local, entre outras.

Évora Hotel ganha mais uma estrela O Évora Hotel, que sofreu remodelações recentemente, ganhou mais uma estrela, sendo agora o mais recente quatro estrelas da Cidade Património Mundial. Integrada num grupo hoteleiro regional, esta unidade quer afirmar-se fora dos padrões das cadeias hoteleiras, apostando por isso na diferenciação. A Direcção do Évora Hotel considera que a ascensão a quatro estrelas representa “o reconhecimento que valida os constantes e criteriosos investimentos feitos na qualidade das instalações e do serviço prestado". Com 166 quartos e 4 suites, num ambiente confortável e familiar, onde a genuinidade e simplicidade alentejana se destacam, o Évora Hotel oferece uma gama de serviços, dos quais se destacam os seus dois hectares de jardins, o restaurante regional Sol Poente, um restaurante lounge, sete salas de reunião totalmente equipadas, um fórum com capacidade para 450 pessoas, a piscina interior aquecida e piscinas exteriores, um SPA e Health & Fitness e Kids Club.

CENTER – Central Nacional do Turismo no Espaço Rural apresentou o seu novo Portal www.center.pt, que surge agora totalmente renovado, “com uma imagem moderna, cores atractivas, linguagem simples e de fácil pesquisa, criando um novo canal de relacionamento com o “público” dos Solares de Portugal, Aldeias de Portugal e das Casas no Campo”, segundo comunicado da TURIHAB – Associação de Turismo de Habitação. Na cerimónia de apresentação, que contou com a presença de D. Duarte, o Duque de Bragança realçou que “a grande vantagem da Associação de Turismo de Habitação é reunir uma grande família portuguesa, que para além da preocupação de preservar o património privado português, tem também o cuidado de assegurar o legado, deixando toda a riqueza e tradição nacional a gerações vindouras”. Tendo como base a excelência da Marca Solares de Portugal, a TURIHAB lançou também uma campanha de angariação de novos associados, que integrarão a nova marca Casas no Campo. “Pretende dar-se enfoque ao turismo activo e de natureza, e à simplicidade da arquitectura regional, organizando a rede Casas no Campo, que passará a integrar todos os empreendimentos de Turismo no Espaço Rural inscritos nas modalidades de Agroturismo e Casas de Campo”, explica a TURIHAB em comunicado. De acordo com Francisco de Calheiros, presidente da TURIHAB, esta campanha de admissão “está a ser bem sucedida, sendo que, até à data, já aderiram à TURIHAB mais de dez novas Casas, tendo surgido, sobretudo, o interesse de Casas do Alentejo e do Centro do país em integrar a associação. Todo este processo deriva da credibilização da marca Solares de Portugal, que ao longo dos anos tem primado por um serviço de qualidade e distinção, e agora reconhecido através da certificação”. Nos próximos meses a TURIHAB e a CENTER focalizarão a sua actividade no desenvolvimento do E-marketing e do E-commerce, de forma a atrair e fidelizar clientes, conquistar novos mercados e efectivar negócios. Paralelamente, a TURIHAB, conjuntamente com a CENTER, estará presente em várias Feiras Internacionais de Turismo, como é

o caso da FITUR, já a decorrer em Madrid (Espanha), do Salon des Vacances, em Bruxelas (Bélgica), de 5 a 9 de Fevereiro, da BIT, em Milão (Itália), de 19 a 22 de Fevereiro, e da ITB, em Berlim (Alemanha), de

11 a 15 de Março. Esta “viagem” pela Europa irá permitir reforçar a marca Solares de Portugal e apresentar a nova rede Casas no Campo nestes mercados, de forma angariar novos públicos.


Reportagem

20

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Cinco estrelas Olissippo

A

Sociedade Hoteleira Seoane, SA anunciou o seu próximo projecto hoteleiro na cidade de Lisboa, o Hotel Olissippo Oceanos Congress Centre & SPA, durante a BTL. A construção tem início previsto para o 1º semestre e será a primeira unidade de cinco estrelas do grupo. Terá localização no Parque das Nações onde o grupo tem já outra unidade desde 2007. Este novo espaço hoteleiro vai estar vocacionado para o Turismo de Negócios, incluindo Reuniões, Congressos e equipamentos de Lazer e Saúde. Durante a apresentação do projecto Fernando Maia explicou que o novo hotel terá uma oferta de alojamento de 337 quartos (1 para pessoas com mobilidade condicionada) e 10 suites entre elas 3 Presidenciais. Foi ainda explicado que os serviços de Alimentação & Bebidas irão decorrer num Restaurante, 3 Bares e haverá também “Room-Service” e Salas de Convenções & Banquetes. Como facilidades para Congressos, Convenções e Reuniões a nova unidade hoteleira vai dispor de 11 salas e uma área total de 1.157 m2 distribuídos por dois pisos e capacidades entre 70 e 450 participantes.

O “Wellness Centre” incluirá Ginásio e SPA (5 Salas de Tratamento, Banho Turco, Sauna e “Hidropool, além de Gabinete Médico de Apoio). O novo empreendimento vai ter ainda piscina

aquecida, “Kids Club”, jardins e 400 lugares de estacionamento.” Fernando Maia prevê a “abertura no primeiro semestre de 2011”. A Viajar questionou Nuno Ferrari,

director de vendas da Olissippo hotels quanto ao valor de investimento no Hotel Olissippo Oceanos Congress Centre & Spa que no entanto adiantou ainda não terem apurado esse valor que só se saberá “quando começar a obra”. Sobre os resultados do ano de 2008 na Olissipo hotels, Nuno Ferrai informou que “superou as nossas expectativas” tendo ficado “6% acima do ano anterior, 2007 e também superámos o orçamento determinado para o ano que terminou”. O responsável de marketing acrescentou ainda que a “facturação total do grupo foi de nove milhões de euros” o que correspondeu a “108 mil quartos ocupados, uma ocupação acumulada que em termos de empresa representou 79% (taxa de acumulação de ocupação)”. Com estes dados o responsável garantiu que conseguiram “subir o número de quartos vendidos e a preços mais altos, tendo a facturação sido superior”. Já em relação ao início deste ano, o director de vendas Olissippo admitiu ter sido notada “uma quebra na procura neste primeiro trimestre, especialmente no hotel Olissipo Marquês de Sá” mas para o futuro, tendo em conta os pedidos e reservas “a tendência é de normalização para valores que não sendo os que desejaríamos são no entanto uma melhoria na procura” salientou Nuno Ferrari. Os objectivos do grupo para o ano de 2009 são “tentar superar o que foi feito no ano anterior” concluiu o responsável.

Quinta das Lágrimas cria rota histórica A Quinta das Lágrimas estabeleceu uma parceria com o novo centro de interpretação do mosteiro de Santa Clara-a-Velha, que vai permitir integrar os visitantes numa rota histórica singular que envolva os dois espaços. O centro de interpretação oferece um percurso guiado pelas ruínas do mosteiro, e a parceria prevê incrementar o fluxo de visitantes entre a Quinta das Lágrimas e Santa Clara-a-Velha, “procurando recriar uma ligação histórica que remonta ao século XIV, quando a Rainha Santa Isabel mandou erigir um aqueduto entre os dois

espaços, fulcral para o abastecimento de água à comunidade monasterial”, refere um comunicado do hotel. Em Abril ficará disponível a valência expositiva do centro de interpretação. No âmbito da parceria estabelecida entre as duas entidades, o Hotel Quinta das Lágrimas Relais&Châteaux ofereceu ao centro um equipamento de guias áudio disponível em português em inglês e em breve em espanhol e francês, para permitir aos visitantes das ruínas do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha conhecerem as histórias e segredos do monumento.

A Quinta das Lágrimas passa a explorar o espaço de cafetaria no centro de interpretação, e está a desenvolver, em conjunto com especialistas em História e Arqueologia, “um projecto ousado para recriar produtos únicos da doçaria conventual local”, refere a empresa em comunicado. A cafetaria situa-se junto a um espelho de água e com vista privilegiada sobre as ruínas. A entrada é gratuita e, tal como o centro de interpretação, estará aberta, no período de Inverno, entre as 10h30 e as 17h, encerrando à segunda-feira.


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

21

Vila Galé faz balanço positivo de 2008 apesar das quebras A

pesar da crise económica que se alastrou por todo o mundo em 2008, para o Grupo Vila Galé o ano acabou por ser positivo, isto apesar de a receita do grupo ter sofrido um decréscimo de 4,18% face a 2007, anunciou Jorge Rebelo de Almeida, presidente do conselho de administração do grupo. Num almoço com a imprensa, Jorge Rebelo de Almeida revelou que a receita do Grupo Vila Galé se ficou, em 2008, pelos 66 milhões de euros, quando no ano anterior tinha ultrapassado os 69 milhões, uma quebra que o responsável considerou pouco significativa, até porque o preço médio por quarto aumentou 9,17%. Apesar de o grupo esperar melhores resultados em 2008, Jorge Rebelo de Almeida admitiu que o ano acabou por ser até “muito positivo em termos globais”, já que o Verão, apesar das reservas tardias, acabou por se revelar proveitoso, tendo os números do ano sido influenciados negativamente pelos últimos três meses. Mesmo com uma ligeira descida nos resultados operacionais, que ainda assim devem rondar os valores apresentados em 2007, na taxa de ocupação dos hotéis e no número de dormidas, Jorge Rebelo de Almeida revelou-se satisfeito com os resultados, até porque, “ninguém esperava uma crise destas no final de 2007, mas já se antecipavam algumas dificuldades e por isso tomámos medidas”, explicou o responsável, precisando que o grupo procedeu a alguns cortes nos custos, o que permitiu uma optimização de 1,3%. Para os resultados animadores que o Grupo Vila Galé alcançou em 2008 contribuíram também as unidades do Brasil, onde o resultado operacional do grupo cresceu 73,9% face a 2007, o correspondente a 20 milhões de reais (um pouco mais de 6,517 milhões de euros, a cambio actual). Para 2009, Jorge Rebelo de Almeida não quis adiantar qualquer previsão, preferindo falar das unidades que o grupo deve abrir neste ano, como é o caso do Vila Galé Lagos, um hotel onde foram investidos 30 milhões de euros e que deve abrir no dia 25 de Abril. Para além da unidade de Lagos, Rebelo de Almeida falou ainda do resort Cumbuco, localizado no Ceará, Brasil, um empreendimento que tem sofrido sucessivos atrasos, mas que o presidente do Conselho de Administração do grupo acredita que deverá estar em condições de abrir no Verão de 2010.

O administrador da Vila Galé, anunciou que para 2009 as perspectivas e medidas do grupo passam passam por uma remodelação de várias unidades num investimento de cerca de 7 milhões de euros. O destaque vai para o Vila Galé Cascais, que vai contar a partir de Fevereiro com uma remodelação total da unidade iniciada no Inverno 2007-2008. O executivo salientou que o ‘up-grade’ ao grupo Vila Galé inclui ainda uma mudança de imagem corporativa, com a reformulação de logótipo. Esta acção pressupõe uma mudança de todo o material gráfico/promocional, sinalética, fardas, amenities, site, numa intervenção que deverá ficar concluída durante 2009 com a mudança de fardas. Para enfrentar 2009 e o reflexo da crise económica, Jorge Rebelo de Almeida, anunciou em conferência de imprensa que o grupo está a desenvolver medidas de incentivos às vendas com descontos para reservas antecipadas, uma reserva paga com 120 dias de antecedência pode usufruir de 20% de desconto. As crianças são grátis até 12 anos (inclusive) no regime de alojamento e pequeno-almoço, quando acompanhada pelos pais e alojado no mesmo quarto. A estas promoções junta-se o lançamento do cartão de crédito Vila Galé Premium. Em parceria com a Redunicre a Vila Galé propõe um cartão Visa, de anuidade grátis, que disponibiliza pagamentos de estadias em prestações sem juros em 3, 6 ou 10 meses.

Vila Galé Lagos – um hotel virado para a moda A nova estrela do grupo Vila Galé

- o Vila Galé Lagos - vai abrir portas no próximo dia 25 de Abril, num investimento que ronda os 30 milhões de euros. A unidade que conta com uma decoração temática dedicada à moda está inserida num terreno de 85 mil metros quadrados na zona da Meia Praia. O quatro estrelas vai disponibilizar 170 quartos duplos e 77 suites, uma área de convenções de 1100 metros quadrados; dois restaurantes e um Spa com 850 metros quadrados entre outras facilidades. A decoração da nova unidade Vila Galé conta já com 12 trabalhos de moda realizados pelos estilistas nacionais: Luís Buchinho; Katy Xiomara; Ana Salazar; Augustus; Filipe Faísca; Miguel Vieira; José António Tenente; Anabela Baldaque; Nuno Baltazar; Nuno Gama; Maria Gambina e a dupla Alves/Gonçalves. As linhas de crédito para o sector hoteleiro anunciadas pelo governo no ano passado não são consideradas interessantes para Jorge Rebelo de Almeida, que avançou ter conseguido um financiamento com melhores taxas de juro na banca para terminar o hotel Vila Galé Lagos. “Contratámos agora o financiamen-

to para terminar o Vila Galé Lagos e não temos tido problemas”, disse o executivo, que acrescentou que o facto de não terem em “apertos financeiros” e do hotel de Lagos estar em fase final são garantias que facilitam o negócio com o banco. O projecto de cinco estrelas na região do Cumbuco, Ceará, Brasil, do grupo Vila Galé que já teve início de obras poderá só abrir portas no Verão de 2010. Jorge Rebelo de Almeida referiu que o projecto tinha um praxo ambicioso de abrir até 31 de Dezembro de 2009 no entanto esse prazo não se vai cumprir. O executivo salienta que as obras estão encaminhadas, no entanto as contrapartidas do governo brasileiro na construção de estruturas logísticas de água; luz e saneamento na região do Cumbuco podem levar a que a abertura da unidade que terá 409 quartos; 4 restaurantes e um Spa de 2700 metros quadrados seja delegada para o Verão de 2010. O hotel contará com uma área de convenções de 1600 metros quadrados. Em aprovação prosseguem os projectos Vila Galé Tejo; Vila Galé Sintra; Vila Galé Évora e o Aldeamento Santa Vitória, em Beja.


Reportagem

22

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Tivoli introduz 3 novos hotéis em 2009 A

2008 fora do comum

2 de Março o grupo reabre o Tivoli Palácio de Seteais em Sintra e o Tivoli Victoria em Vilamoura. “A 15 de Fevereiro, o Tivoli São Paulo Mofarrej (antigo Sheraton) abre as portas ao público com a particularidade de ser o primeiro, a possuir um Spa da Bayan Tree”, explicou Alexandre Solleiro, director geral de operações da Tivoli Hotels & Resorts no decorrer de um almoço com a imprensa, no Tivoli Oriente. Por força destas novas unidades, o grupo contrata 2200 novos colaboradores. Os 3 novos hotéis são de 5 estrelas. O Mofarrej alberga 220 quartos, o Seteais outros 30, enquanto que o Victoria disponibiliza 280 habitações, totalizando 530 novas divisões. O grupo vê ainda o seu total de unidades hoteleiras aumentar para 14. Tenho muitas expectativas para S. Paulo. Temos sorte uma vez que não iram abrir novos hotéis na cidade durante os próximos 5 anos”, afiançou o director de operações da Tivoli. O responsável acrescentou ainda que o “mercado (de hoteleira) em S. Paulo, está neste momento em ascenção. “Os preços subiram e a ocupação também”. A nova unidade brasileira representa um investimento de 9 milhões de dólares (somente em remodelações).

O ano de 2008 foi atípico para a Tivoli.“Durante os 6 primeiros meses do ano tivemos 4 hotéis, dois deles completamente fechados, e dois a meio gás”, expôs o director de operações da Tivoli. Solleiro entende ser muito complicado estabelecer comparações com 2008 a todos os níveis, devido ao elevado número de hotéis encerrados e em remodelações. “Vamos poder começar a comparar , de novo resultados, em 2010”,sublinha. Aqueles que não conhecem a Tivoli, sabem que se encontra no “Preferred” ou “Leading hotels”, percebendo imediatamente de que tipo de marca se trata, clarificou Solleiro. Por outro lado o administrador da cadeia hoteleira garantiu ter “8 hotéis na “World Hotels”, 3 na “Preferred” e 1 na “Leading”. O número de dormidas aumentará, devido aos novos hotéis inaugurados - entre os 5% a 6%, em 2009, no computo global anual. O preço médio dos quartos Tivoli, sofre um acréscimo por força dos novas unidades de 5 estrelas. Queremos ser na hoteleira 4 e 5 estrelas, líderes em cada um dos mercados em que estamos situados”, proferiu Solleiro. “Para isso, temos que estar a nível da taxa de ocupação e, no que concerne a preço médio, em linha com o mercado de 5 estrelas”, acrescentou.

Tivoli apresenta novo website O novo website da marca Ticoli Hotels & Resorts dá um maior destaque às imagens e conta ainda com uma navegabilidade simplificada, com três níveis de pesquisa para os visitantes – por segmento de interesse, por hotel ou por destino – agora com uma linguagem mais apelativa. A identidade auditiva Tivoli Hotels & Resorts também está presente no novo website, ou seja, durante toda a visita é possível ouvir as músicas exclusivas Tivoli. Os visitantes têm ainda a possibilidade de gerir a playlist de músicas Tivoli, através de uma

Jukebox, que funciona de forma interactiva e independentemente da navegação. Nas palavras de Andrea Ivo, gestora do website, “a nova página on-line não só reflecte o actual posicionamento da marca como também envolve o visitante no mundo das experiências, atra-

vés do seu design elegante e do ambiente musical criado em torno das músicas Tivoli.” No site o visitante pode descobrir as T/Experiences e escolher a pretendida por destino ou tipologia, ficando a saber tudo sobre o conceito, os serviços associados e a equipa que os Tivoli Hotels &

Resorts colocam à disposição. Para os amantes do golfe, a área dedicada a esta modalidade foi melhorada com mais notícias e informações. Com a abertura do Tivoli São Paulo e a reabertura do Tivoli Palácio de Seteais, o website inclui agora uma área bastante desenvolvida sobre cada uma destas unidades. Muito em breve o website Tivoli Hotels & Resorts também terá disponível uma versão em Francês e outra em português do Brasil, uma área exclusiva para crianças e uma renovada área de restaurantes.


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

23

Altis Avenida dá vida a edifício dos anos 50 O

Grupo Altis convidou os órgãos de comunicação social a conhecer o futuro Altis Avenida, unidade hoteleira de quatro estrelas, situada bem no centro de Lisboa, na Praça dos Restauradores junto à baixa, uma zona histórica e comercial da cidade. A apresentação do projecto de 14 milhões de euros com abertura prevista para Junho de 2009, foi feita por Raúl Martins, administrador do grupo Altis, João Vasconcelos Marques, arquitecto da obra de reconversão, tendo ainda recebido a visita de António Costa, presidente da autarquia lisboeta. O edifício foi totalmente recuperado dando nova vida a uma obra antiga realizada pelo arquitecto Luis Cristino da Silva, um marco da arquitectura Moderna portuguesa. O projecto de restauração é da autoria do arquitecto João Vasconcelos Marques e os interiores são assinados pelo atelier OitoemPonto da dupla Artur Miranda e Jacques Bec. O arquitecto durante a apresentação do projecto elogiou o autor da obra original e afirmou que “toda a fachada do edifício foi preservada” não deixando no entanto de referir que no início da empreitada o encontrou o local em “avançado estado de degradação” informando ainda que objectivo foi sempre “recuperar o edifício em poucos meses”. O mesmo contou ainda com orgulho que o projecto Altis Avenida foi “objecto de estudo de arquitectos dinamarqueses como exemplo de preservação de património”. Em breves palavras o arquitecto sublinhou que todo o processo de reconstrução foi ““sempre no sentido de adaptar o projecto ao edifício e nunca adaptar o edifício ao projecto”. As demolições foram iniciadas em 2007 “com critério e alta delicadeza” motivo pelo qual as obras acabaram por se alongar por mais tempo do que o previsto. O hotel irá receber 72 quartos totalmente equipados com as mais modernas tecnologias e uma decoração de época, onde o passado e futuro se cruzam num ambiente único de charme e glamour. No último andar estará situado o Restaurante de Cozinha de Autor e o Bar Lounge, com uma vista privilegiada sobre a cidade. O Hotel irá ainda dispor de um Fitness Room e de um Business Centre no piso da Recepção.

Óptimo exemplo de reabilitação Durante o evento António Costa demonstrou a sua satisfação pela criação de um hotel, que o mesmo considera benéfica para o futuro económico de Lisboa. O autarca salientou que

“Portugal tem condições climáticas extraordinárias, Lisboa tem uma frente ribeirinha única em toda a Europa, condições históricas, culturais, patrimoniais e de vivência óptimas para a actividade do turismo”. O responsável pela Câmara Lisboeta elogiou também o grupo Altis pelo “óptimo exem-

plo de reabilitação” levado a cabo e por não recear em investir . O administrador do grupo Altis no final da apresentação referiu que este hotel terá como clientes “aqueles que querem estar próximos da cidade e ver monumentos culturais” e o seu ambiente decorativo reviverá os anos 50. Quando questionado sobre a possibilidade de agregar algum dos palácios da Câmara de Lisboa que vão a hasta pública para reconversão em hotéis de charme, o mesmo deixou essa hipótese em aberto admitindo que “qualquer um deles seria uma possibilidade excepto o localizado na zona do aeroporto”. Para além do Altis Avenida o Grupo vai lançar mais duas unidades de forma a diversificar a oferta e ir ao encontro das novas tendências do Turismo Mundial. O Altis Belém Hotel & SPA, será um Hotel de Design de cinco estrelas com 50 quartos e suites, localizado entre o Padrão dos Descobrimentos e a Torre de Belém, com abertura prevista para 19 de Fevereiro e o Altis Prime, um Hotel de Apartamentos que o administrador Raúl Martins afirma ter abertura prevista para o “início de Agosto” de 2009, situado na Rua Rodrigo da Fonseca junto ao Hotel Altis com um investimento de 30 milhões de euros. Questionado sobre o projecto Altis Marquês, Raúl Martins informou aos jornalistas que o mesmo ainda se encontra em fase de aprovação prevendo-se que a sua construção comece no próximo ano. Esta unidade hoteleira vai estar situada na Avenida Fontes Pereira de Melo terá 200 quartos e será um hotel cinco estrelas convencional moderno.


Reportagem

24

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Pestana estreia-se nos Estados Unidos e abre 6 novas unidades em 2009

O

Grupo Pestana estreia-se em Miami, nos Estados Unidos, em 2010 e, abre em 2009 um total de 6 novas unidades hoteleiras, dividas em 3 hotéis e 3 Pousadas de Portugal. O Pestana Miami representa um investimento de 15 milhões de euros. Metade do capital provém do grupo Pestana, enquanto o restante é financiamento bancário. Os projectos foram anunciados em conferência de imprensa, no hotel Pestana Palace em Lisboa. O capital global aplicado nos hotéis e Pousadas, ronda os 120 milhões de euros. Constituído por 3 edifícios, o novo complexo Norte-Americano, localizado na James Avenue, em South Beach, apresenta-se como um hotel boutique, de 4 estrelas e 100 quartos, inspirado no bairro arte-deco da cidade. “Uma das regiões mais fortes do turismo americano, que marca a entrada do Grupo, num mercado mais dinâmico”, afirmou José Roquette, responsável da área de desenvolvimento do Grupo Pestana. O executivo realçou ainda a importância de “o principal turista de Miami ser de nacionalidade Brasileira”, factor importante devido à presença que o Grupo tem no Brasil.

Pestana Promenade, Bahia Lodge e Chelsea Bridge O Pestana Promenade na ilha da Madeira; Bahia Lodge - imobiliário turístico, no Brasil – e, o Chelsea Bridge em Londres, são os nomes dos novos hotéis. Já as pousadas, estão localizadas em Estói (64 quatros), com abertura para a semana anterior à Páscoa; Viseu (83 habitações) com inauguração prevista para Fevereiro, e Porto, Palácio do Freixo (84 divisões), com término em Outubro. Na senda encontra-se a pousada da Covilhã com 95 quartos, maior dimensão, Spa e sala de reuniões. Estão empatados entre “16 a 17,5 milhões de euros no empreendimento”, afiançou Castelão Costa, administrador do Grupo Pestana. Ainda em Portugal, a empresa está a analisar o projecto da Pousada da Cidadela de Cascais de 127 quartos. O Grupo foi a única companhia que se candidatou à exploração da

unidade da linha. O início das obras está previsto para Dezembro de 2009. A respeito da entrada em Londres, José Roquette comentou que a capital inglesa “é o mercado mais rentável e competitivo em termos hoteleiros”.

Mais 300 quartos no estrangeiro No que concerne ao acordo de concessão assinado com o Governo, para exploração das Pousadas de Portugal, Castelão Costa disse que

“neste momento temos 20 anos de contrato com a opção de mais 5 anos, caso se cumpram os objectivos internacionais” ( entre eles, mais 300 quartos no estrangeiro). “Temos também de de ter mais 4 pousadas no mínimo, até final da presente concessão, para cumprir o contrato”, acrescentou. A empresa encerrou o apartotel Atalaia na Madeira. “A unidade será vendida como projecto imobiliário turístico. Esperamos um retorno entre os 150 a 200 mil euros por cada 100 quatros”, explicou Luigi Valle, administrador do

Grupo Pestana. O executivo sublinhou ainda que “a “Atalaia tinha um GOP (Gross Operating Profit, resultado das vendas, menos custos operacionais) positivo, mas não em justificativo para estar aberto”. Os postos de trabalho estão assegurados. Os funcionários foram transferidos para outras unidades da empresa. Brasil, Marrocos, Macau e África são os mercados em estudo, no que concerne à internacionalização do Grupo Pestana. No que concerne ao balanço empresarial para 2008, José Roquette adiantou que a companhia, deverá ter um EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) superior a 120 milhões de euros. O GOP deverá ser ultrapassar os 100 milhões de euros. No momento de fecho desta edição os resultados financeiros do Grupo ainda não se encontravam encerrados, pelo que os valores são apenas estimativas.


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

25

Prémios Turismo de Portugal

Nove projectos inovadores distinguidos O

secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade presidiu à cerimónia de entrega dos Prémios Turismo de Portugal 2008. As oito categorias distinguidas foram "Novo Projecto Privado", "Novo Projecto Público", "Requalificação Projecto Privado", "Requalificação Projecto Público", "Serviços", "Animação & Eventos", "Sustentabilidade Ambiental" e o "Prémio Especial Turismo de Portugal". Os prémios destacam os melhores projectos, públicos e privados, que contribuem para o desenvolvimento do Turismo no país, tendo sido recebidas 132 candidaturas. O prémio "Novo Projecto Privado" foi atribuído ex-aequo a três projectos da região do Douro: ao hotel Aquapura Douro Valley, localizado em Lamego, ao restaurante D.O.C. (Degustar, Ousar, Comunicar), em Armamar, e à Quinta do Seixo, um projecto de enoturismo, em Tabuaço. O Museu do Mar e da Terra da Carrapateira, um espaço comunitário e participativo da Câmara Municipal de Aljezur, e o Centro de Artes e Ciência do Mar da Câmara Municipal de Lajes do Pico, nos Açores, foram contemplados com duas menções honrosas na categoria "Novo Projecto Público", que não teve nenhum premiado. Os prémios "Requalificação Projecto Privado" e "Requalificação Projecto Público" recaíram, respectivamente, sobre o Memmo Baleeira Hotel, em Vila do Bispo, e o Parque Anjos – Centro de Arte Manuel de Brito, da Câmara Municipal de Oeiras. A Casa das Penhas Douradas, em Manteigas, e o Heritage Av. Liberdade Hotel, em Lisboa, receberam uma menção honrosa de "Requalificação Projecto Privado". O Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, em Bragança, também recebeu uma menção honrosa na categoria "Requalificação Projecto Público". O "Novo Projecto Privado" e o "Novo Projecto Público" contemplam intervenções físicas de raiz. A "Requalificação Projecto Privado" valorização. Na categoria "Serviços", o vencedor foi a Acessible Portugal – Turismo para pessoas com mobilidade reduzida, seus familiares e amigos, da Vectio. Esta empresa é a primeira agência de

viagens especificamente dedicada ao turista com mobilidade reduzida. A categoria teve também uma menção honrosa para o projecto Selecção – um programa de valorização da oferta de serviços e do produto Gastronomia, da AHRESP. O evento Red Bull Air Race World Series, que se realizou no Porto, recebeu o prémio "Animação e Eventos". Nesta categoria atribuíram-se também duas menções honrosas ao Festival Internacional de Cinema do Porto – Fantasporto e à Feira do Cavalo de Ponte de Lima. As categorias"Serviços" e "Animação e Eventos" dizem respeito aos projectos, públicos ou privados, que dão destaque a critérios como a qualidade, sustentabilidade, inovação e criatividade. A Central de dessalinização, um projecto da empresa Salvor (Grupo Pestana), ganhou o prémio "Sustentabilidade Ambiental". O projecto Passaporte Ambiental, um documento onde estão descritas todas as medidas ambientais implementadas pelo Hotel Vila Park, em Santiago do Cacém, recebeu uma menção honrosa nesta categoria. A novidade "Prémio Especial do Turismo de Portugal", que recai sobre um projecto que tenha recebido apoio financeiro do instituto nos últimos três anos, foi atribuída ao festival CCB Fora de Si, do Centro Cultural de Belém. O júri dos prémios é presidido pelo empresário André Jordan, e é constituído pelo presidente do Turismo de Portugal, Luís Patrão, o presidente da Confederação do Turismo Português, José Carlos Pinto Coelho, e o jornalista António Perez Metelo. A avaliação técnica das candidaturas esteve a cargo da empresa de consultoria Deloitte. Os projectos candidatos ficam expostos no stand do Turismo de Portugal, na BTL.


Reportagem

26

Soltrópico com “Trajes e Viagens” na BTL

A

Soltrópico esteve presente na BTL, apresentando como novidades a brochura “Férias por cá” e a nova imagem do ano subordinada ao tema “ Trajes e Viagens” das diversas regiões de Portugal e estrangeiro. Em termos de produto Armando Ferreira destacou a Ilha da Boa Vista em Cabo Verde, que o mesmo considerou ser “um grande destino que estamos ainda a promover fortemente, através de uma recente brochura que saiu em Novembro e através do alargamento da operação para Cabo Verde”. A operadora turística colocou no final do ano passado mais capacidade de voos para a Ilha da Boa Vista, que segundo o responsável “tem já grande qualidade hoteleira e acreditamos que será cada vez melhor“. Outra grande característica deste produto turístico é a sua proximidade “à distância de 3 horas e meia de voo” e vários outros “condimentos que servem para uma aposta forte na Boavista, sem deixar de apostar nas restantes ilhas de Cabo Verde”. A prova do seu sucesso é que cerca de um mês antes da abertura do Hotel Resort Riu Karamboa e do início da primeira operação charter directa de Lisboa para a Boavista com partidas semanais, a operar desde 1 de Novembro num Airbus A320 da SATA Internacional, a Soltrópico tinha “já quase tudo vendido” até ao final do ano de 2008. No mês de Março a Soltrópico vai apresentar a programação de Verão mas o responsável adiantou que não se prevêem grandes mudanças a nível de destinos. O director geral da operadora assegurou que irão “certamente apostar é em Angola” destino onde actuam há já muito tempo mas que este

ano irão reforçar uma vez que “começam a surgir novas condições com cidades re-construídas e boas estradas de acesso”. Este ano a Soltrópico conta com “um parceiro forte, a empresa operadora Intours, que está lá e que nos faz pensar que iremos mais além nesse país”, informou Armando Ferreira avançando ainda que pretende lançar produtos “não só de turismo de negócios, que é o que se tem feito até agora, como também de turismo de lazer para Angola”. Relativamente a expectativas para 2009 o coordenador referiu que “o futuro é sempre incerto todos os anos” e relembrou que “as condições da economia global / nacional não são favoráveis pelo que a questão do desemprego irá com certeza prejudicar o negócio do lazer” mas ainda assim a confiança da operadora turística no destino Ilha da Boa Vista em Cabo Verde é “mais que muita”, sobretudo com o futuro empreendimento hoteleiro que irá ser construído na praia do Lacacão cuja capacidade de alojamento vai ser superior à do Resort Riu Karamboa, e por isso o grupo prevê “um crescimento de 12% neste ano de 2009”. A empresa cresceu 10,8% de 2007 para 2008, passando de uma facturação de 17 milhões e duzentos mil para 19 milhões e trezentos mil, o que Armando Ferreira considerou “um belo crescimento”. A Sóltropico encontra-se “num registo muito sólido, estamos em condições de crescer, não queremos é crescer à custa da falta de rentabilidade ou de perdas, não vale a pena e não estamos cá para isso” concluiu Armando Ferreira, director geral da operadora Turística Soltrópico.

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Orlando “é só alegria” com TerraAmérica

A TerraAmérica apresentou no dia 19 de Janeiro, a mais de uma centena de agentes de viagens e jornalistas que estiveram presentes no Hard Rock Café Lisboa, o seu destino Miami e Orlando. A marca aproveitou ainda a ocasião para sortear vários prémios, entre eles uma viagem para duas pessoas a Orlando. Para este ano a marca Terra América, do operador Sonhando, propôs uma programação para Orlando com voos charter da White a operar na Páscoa e no Verão com datas previstas de 29 de Março a 26 de Abril e de 26 de Julho a 6 de Setembro, respectivamente. Presentes no evento estiveram os parceiros da Terra América no destino Orlando. A representar o Orlando Convention & Visitors Bureau esteve Johanna D’LaRotta Russo que falou da oferta democrática do destino, das suas condições climatéricas excepcionais e da sua localização estratégica, dando ainda especial destaque ao Orlando Disney Resort. Marcos Paes de Barros da Universal Orlando Resort apresentou o projecto da sexta Ilha da Aventura cuja temática será a saga Harry Potter que como o responsável explicou vai contar com o apoio de J.K.Rolling em todo o processo criativo e para que a recriação do cenário seja o mais real possível todo o staff contratado será inglês. Linda B. Miller do parque temático Sea World, Cláudia Menezes da Pegasus (receptivo da Terra América em Orlando) e Ana M. Gonzalez do restaurante temático Arabian Nights estiveram também no espaço Hard Rock Café para reforçar a diversidade do produto turístico Orlando. As propostas de pacotes a lançar serão para estadias em Orlando, Orlando e Cruzeiros Royal Caribbean (parceria já de anos anteriores) e combinados Orlando-Miami e Orlando-Nova Iorque, estando também disponíveis programas à medida do cliente. Orlando conta com 112 mil quartos de alojamento, uma vasta oferta para “todos os gostos e orçamentos”, prevendo-se ainda um aumento de 2300 quartos com a criação dos futuros projectos hoteleiros Four seasons de 445 quartos, Holiday In 323 quartos e Hilton Orlando Bonnet Creek 1500 apartamentos. No final da apresentação foi sorteada uma viagem para duas pessoas em Orlando, que incluía voos, alojamento, rent-a-car, “voucher” com cem dólares em compras na cadeia de lojas Prime Retail, e visitas a várias atracções da WDW, Universal e ainda um jantar no restaurante Arabian Nights.


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

27

Rússia apresentou Expresso Trans Siberiano na BTL A Lusitana Sol-Viagens e Turismo Lda., Office turístico da Rússia especializado nos segmentos de incoming e outgoing esteve presente na BTL para apresentar os seus produtos turísticos. Durante o evento de turismo em Lisboa, Olesya, representante da Lusitana Sol informou à Viajar que o objectivo na BTL foi captar novos clientes e criar parcerias com agentes de modo a “conhecermos e juntarmo-nos na área de turismo”. A agência apresentou aos visitantes da BTL os “melhores programas da Rússia” e destacou o produto Expresso Trans Siberiano “com passagem de comboio Russia-MongoliaChina, alojamento em cabines de luxo e guia em inglês e espanhol“ com a oportunidade de “conhecer várias cidades russas como Mosocovo, Kazan, Novosibirsk, Krasnoyarsk e ainda locais dos outros países” como Ulaan Baatar, a capital da Mongólia onde o turista pode visitar o famoso mosteiro de Gandan ou já na China visitar a Grande Muralha e os Túmulo de Ming. Uma viagem de 15 dias pelos três países, em condições de luxo custará ao turista o preço mínimo de 4390 euros, mas a responsável lembrou, que “não estão incluídos os custos de realização de visto”. Os vistos podem ser obtidos através da agência Lusitana Sol que é Office turístico da Rússia. O ano de 2008 na Lusitana Sol, segundo Olesya, “correu muito bem pois houve muita procura”. Para este ano as expectativas “são também de crescimento uma vez que tem havido muitos interessados na Rússia e em conhecer cidades de cultura diferente e temos boas condições para receber turistas este ano”. A responsável adiantou ainda que a nível do incoming se tem notado um grande interesse por parte dos turistas russos que “querem viajar para Portugal através das excursões com transfers e alojamento que organizamos.”

Lusanova celebrou meio século A

Lusanova conta já com 50 anos de existência. Um “marco histórico” que foi comemorado com a apresentação da nova imagem. Este refresh de identidade constituiu um investimento de 50 mil euros e foi apresentado aos media no Hotel Real Palácio, juntamente com as novidades e perspectivas futuras do grupo. O grupo Lusanova especializado em Circuitos Guiados em Autocarro, Grandes viagens, Circuitos Europeus e Brasil, “passou por altos e baixos” que foram sempre “ultrapassados com muita dedicação e sem nunca abdicar de princípios”, referiu em conferência de imprensa, Luís lourenço administrador do grupo. A Lusanova conta com dois escritórios em Lisboa e um no Porto, tem 45 funcionários e é uma empresa “credível e sustentável, já com uma imagem forte no mercado”. A nova identidade do grupo pretende reforçar estes valores de forma jovem, referindo ainda que é fundamental “numa concorrência feroz” surgir a novos clientes com uma ”imagem actual e apelativa”. Os novos logótipos foram desenvolvidos pela agência Artecomum, e estão divididos pelas cinco marcas que representam os diversos serviços do grupo.

50 anos a proporcionar bons momentos Para este ano a Lusanova pretende expandir a sua presença no Brasil. A existência neste mercado dura há já 10 anos em São Paulo e a sua mais recente abertura ocorreu em Outubro com a primeira filial no Rio de Janeiro. Actualmente encontramse em negociações para alargar para outros estados a marca Lusanova, prevendo-se que em 2009/2010 já tenham dez escritórios no Brasil. Luís Lourenço avançou que “o mercado brasileiro no domínio do outgoing, tem sido consistente em crescimento nos últimos anos”. O grupo pretende também em 2009 continuar a apostar na captação de turistas dos mercados asiáticos, especialmente Coreia e

China através de novas parcerias locais admitindo que “a Lusanova é actualmente um dos maiores na captação de turistas do mercado asiático”. O alargamento da oferta com as Viagens em Grupo e os Cruzeiros Lusanova é também outro dos investimentos da marca. Para os cruzeiros o responsável expecta para este ano“500 lugares vendidos”. Os itinerários serão na sua maioria Escandinávia, Mediterrâneo, Adriático e América do Sul (Chile, Argentina, Brasil e Costa Americana). O produto para grupos será outra das inovações Lusanova para que as viagens corram ainda melhor, através de guias que prestarão auxílio constante aos turistas. O número mínimo dos grupos é de vinte elementos e os destinos de eleição espalham-se por quase todo o mundo. Nos projectos futuros encontrase também a consolidação do sistema de reservas online de hóteis e serviços Lusahóteis. Luís Lourenço explicou que foram feitas várias mudanças, justificadas pela necessidade de adaptação à actual realidade, e desta forma surgiram os serviços através da Internet, com informações em tempo real. O responsável adiantou que 50% de oferta de reservas se encontra já disponível online e que em Abril o número aumentará para os 80%.

Com uma imagem cada vez mais jovem Durante a BTL a empresa apresentou todas as suas novidades desde a imagem a uma oferta de programação mais alargada. O segmento Lusanova é o turista médio/alto e todas as propostas assentam na alta qualidade para o segmento médio/alto do mercado nacional e ainda em produtos mais económicos para Circuitos Europeus e Ilhas portuguesas. A Lusanova é constituída por cinco marcas: a Lusanova Tours que corresponde a 37% do peso total de facturação do grupo, Lusanova Travel com 33%, Lusanova DMC cerca de 23%, Lusanova Jovem que neste momento se encontra em fase de reestruturação e a Lusahotéis Online com 4%. Em 2008 o grupo alcançou uma facturação de 30 milhões de euros e para 2009 esperam manter esse valor que “já é bom” tendo em conta o actual panorama. Por fim Fernando Lourenço, presidente do grupo, referiu que a empresa deve permanecer atenta às alterações no mercado do turismo, ter competitividade e saber escolher os seus representantes internacionais para que a resposta seja sempre eficaz. Por fim, o empresário afirmou que o fundamental é “continuar a lutar para fazer mais cinquenta anos Lusanova.”.


Reportagem

28

DouroAzul ruma contra a crise

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Clube Cruzeiros lança StarClass na BTL

O

empresário Mário Ferreira não se assusta com a tão falada crise. Além de 2008 ter sido o melhor exercício de sempre da DouroAzul, quer em vendas, quer em EBITDA, apostou fortemente na obtenção da totalidade do capital da Douro Azul S.G.P.S. A operação de compra rondou os 13 milhões de euros e para a concretizar, contou sobretudo com o apoio do Banco Espírito Santo. A aquisição visou os investidores institucionais BPI, Fundo de Turismo, INOV Capital e API Capital, assim como os 25% que eram ainda detidos por Barbara Rayford. No seu melhor ano de sempre, a empresa de cruzeiros fluviais aumentou as vendas em mais de 21%, relativamente a 2007, tendo o maior contributo para este sucesso, em termos de facturação, sido dado pelos mercados internacionais responsáveis por 66% do volume de negócios, com 30% a caber ao mercado americano. A fatia do mercado nacional correspondeu a 34%. Para 2009, a DouroAzul prevê um crescimento de 5 a 8% na facturação, que deverá rondar os 13,2 milhões de euros. O sucesso destes números traduz,

em grande parte, a estratégia de consolidação de acções de promoção e media awereness no mercado internacional, conseguindo, deste modo, a atenção de mercados tão importantes e altamente competitivos como o americano, inglês e suíço. Os cruzeiros da DouroAzul são considerados pelos mercados internacionais e pelas revistas internacionais da especialidade como great value for money, o que tem contribuído para que, em tempos de contenção, os criteriosos turistas optem por viajar para locais ainda desconheci-

dos, mas que lhes ofereçam melhores garantias de satisfação. Com esta aquisição, Mário Ferreira pretende navegar ainda mais longe. Nos seus planos, está a continuação da expansão do negócio no Douro, com novos programas e o aumento da frota de navios hotel. A partir de agora, irá também direccionar-se para outros rios, a nível internacional, que não estão ainda a ser devidamente promovidos e comercializados. O Brasil, com o Amazonas, faz parte deste roteiro para os próximos anos.

CLIA prevê crescimento em 2,3% de passageiros em 2009 O número de passageiros de cruzeiros deverá aumentar em 2,3% para 13,5 milhões este ano em previsão avançada pela CLIA – Cruise Lines International Association. A associação, que tem entre os seus 23 membros, companhias de cruzeiro como a Carnival, Royal Caribbean Internacional, NCl, Costa, Princess ou Silversea, diz em comunicado que “com um rasto de crescimento contínuo, a indústria norte-americana de cruzeiros está bem posicionada para os desafios da economia global em 2009”. Terry Dale, presidente e chefe executivo da CLIA, citado no comunicado, reconhece que 2009 apresenta um ambiente incerto, não só para os membros da CLIA mas para todas as indústrias e consu-

midores, mas diz que os membros da CLIA estão confiantes que irão suplantar os desafios e surgir mais fortalecidos. O perfil anual do mercado de cruzeiros realizado pela associação diz que em 2008 o número de passageiros que viajaram nas linhas dos seus associados aumentou de 12,56 para 13,2 milhões, dos quais 3,05 milhões eram de fora dos Estados Unidos. O mesmo estudo estima ainda que cerca de 34 milhões de americanos têm intenção de fazer um cruzeiro nos próximos três anos. Mais de 94% dos passageiros de cruzeiros qualificam a experiência como satisfatória, dos quais 44% diz que é extremamente satisfatória, dados que o presidente da CLIA diz que dão confiança à indústria

que a procura pelo produto vais continuar a ser forte. O estudo da CLIA identificou ainda algumas das tendências na procura, tais como viagens de solteiros e a crescente tendência para os avós acompanharem os pais e crianças nos cruzeiros, aconselhando as companhias a capitalizarem estas tendências. No capítulo das reservas a CLIA diz que o clima económico criou um intervalo mais curto entre as reservas e as datas de partida dos cruzeiros do que os cinco ou sete meses que tem sido a norma. A CLIA fez ainda um inquérito a 900 agentes de viagens norte-americanos no início de Janeiro em que 92% destes mostram-se optimistas com as vendas de cruzeiros para os próximos três anos.

O Clube Cruzeiros aproveitou a edição BTL para apresentar aos seus clientes e visitantes a sua nova marca comercial denominada de Star Class. A marca foi lançada no passado certame de turismo profissional e tem como produto os cruzeiros de luxo. Esta aposta numa nova marca orientada para um nicho de mercado surge, segundo Pedro Moura, director comercial da C.V.I.C., como “uma grande inovação na empresa”. O responsável referiu durante o evento que “a CVIC, embora fazendo parte do grupo Melair é uma empresa diferente, bastante autónoma” que até à data se apresentou com a marca Clube Cruzeiros e agora decidiu dividir-se em duas marcas através do lançamento da Cruzeiros Starclass “com o objectivo de divulgarmos e comercializarmos cruzeiros de luxo”. A empresa passa agora a comercializar as marcas de cruzeiros de luxo da Silversea, Regent Seven Seas Cruises, Windstar Cruises,Cunard, Seabourn, Crystal Cruises, Oceania Cruises e a Seadream Yacht Club. Foi esta a grande novidade da C.V.I.C para a BTL deste ano que apresentou ainda as novas brochuras para o clube de cruzeiros da Princess Cruises e da Norwegian Cruise Line para 2009/2010. Também no âmbito da Starclass foi apresentada uma brochura de cruzeiros de luxo “que nos vai permitir solidificar e desenvolver este nicho de mercado de cruzeiros”, referiu Pedro Moura. Quando questionado face às expectativas depositadas nesta nova marca comercial o responsável admite estarem ainda no início adiantando no entanto que “todas estas companhias de cruzeiros de luxo já trabalharam connosco, já temos um passado de vendas” acrescentando que apenas “o tipo de abordagem é novidade para o mercado assim como a forma como estamos a trabalhar o produto”, assim, o mesmo explicou que “as expectativas não podiam ser melhores”. O director comercial da recente marca de cruzeiros de luxo referiu também “a separação da C.V.I.C da marca Melair no início de 2007, a transferência da marca Clube Cruzeiros e agora o surgimento da Starclass ” como aspectos marcantes no percurso da empresa que provam haver espaço para “a consolidação e posicionamento da C.VI.C”. Quanto ao feedback que a nova marca rece-


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

29

Porto de Lisboa lidera mercado nacional de cruzeiros

James Rawes aposta forte nos cruzeiros de luxo O operador de cruzeiros James Rawes esteve presente na BTL onde apresentou a nova brochura para este ano, uma publicação de cerca de 30 páginas onde constam as novas companhias EasyCruise, Hebridean Cruises, Quark Expeditions, Victoria Cruises, Star Cruises, Quail Cruises, Vodohod Cruise and Travel, Cruise West, Nomade Yaching Bora Bora, Variety Cruises e Compagnie Des lles du Ponant. Miguel Amaral, director de vendas da James Rawes, referiu à Viajar que são no total “vinte seis companhias de representação” das quais salientou a easycruises, da easyjet com o conceito lowcost nas ilhas Gregas com partida de avião disponível no aeroporto do Porto ou Lisboa até Atenas e em “negociações com as ilhas dos Açores e Madeira para terem também voo incluído até ao porto de embarque dos cruzeiros”. Outras companhias que o responsável destacou foram a Disney Cruises, com Cruzeiros Disney destinados aos mais pequenos, Quark Expeditions Cruzeiros no Ártico e Antartica, um produto que Miguel Amaral considera ainda “pouco explorado no mercado Português” sendo por isso “um nicho de mercado a explorar” justificando que “num ano de suposta crise em que os massmarkets vão descer as vendas, este é o caminho a seguir”. Também a Victoria Cruises com cruzeiros na China e a Vodohod com cruzeiros na Rússia são dois novos produtos James Rawes que o operador referiu terem “alguma procura em Portugal e que nós vamos alargar essa oferta”. A Quail Cruises, “um barco antigo mas com uma filosofia muito jovem que sai de Valência, para o mercado sul de Espanha e para gente mais jovem” é outra nova referência da marca assim como a companhia de luxo Starcruises. Em 2009 a James Rawes decidiu incidir especialmente nos cruzeiros de luxo pois como o responsável refere, numa altura em que “estamos a segmentar consideramos que o mercado de luxo em Portugal é a área a explorar e onde devemos apostar.” A James Rawes em 2008 alcançou um crescimento de 20% que Miguel Amaral adianta “ter sido positivo mas aquém das expectativas, situadas nos 30%”. Para este ano a marca propõe-se a um crescimento nas vendas na ordem dos 15%. Quando questionado pela Viajar face ao feedback da marca relativo ao evento, o responsável admitiu que “não foram privilegiados na localização” expectando que “para o ano seja melhor”.

L

isboa alcançou em 2008 o maior número de sempre a nível nacional de escalas de cruzeiros – 308. Foi também ultrapassado o recorde de passageiros obtido em 2007, ano em que mais de 300 mil passageiros visitaram Lisboa por navio de cruzeiro. Em 2008, foi atingido o número de 407.508 passageiros, o que traduz um crescimento de 34 por cento relativamente ao ano anterior e coloca o porto de Lisboa na liderança nacional dos portos de cruzeiro. Lisboa fica, assim, à frente do Funchal, o porto nacional que, desde 2001, tinha vindo a assumir a liderança no número de passageiros de cruzeiro. O Funchal ocupa a segunda posição do ranking dos portos nacionais, tendo registado 270 escalas e 405.306 passageiros. Este aumento do número de passageiros no porto de Lisboa foi determinado quer pelo incremento de 35 por cento do número de passageiros em trânsito, que totalizou os 368.588,

quer pela variação positiva de 23 por cento ocorrida nos passageiros em turnaround, que passaram a ser 38 920, contrariando, assim, a tendência de decréscimo registada em 2007. Refira-se que, em 2008 o porto recebeu em primeira escala 20 navios, sendo que 7 eram novos, saídos de estaleiro há pouco tempo, o que demonstra a importância que Lisboa assume nos itinerários dos principais operadores

mundiais. A Administração do Porto de Lisboa congratula-se, assim, pela excepcionalidade destes resultados que fica a deverse em grande parte ao forte empenho que tem demonstrado na promoção de Lisboa enquanto destino de cruzeiros e na melhoria da qualidade dos serviços prestados aos turistas que chegam ao porto por todos os agentes locais que actuam nesta actividade.

Classic International Cruises lançou programação Primavera/Verão A Classic International Cruises lançou no mercado a brochura para 2009 que inclui os cruzeiros da Primavera e do Verão, com várias novidades entre as quais o cruzeiro “Brilho ao Sul”, com partida e chegada ao porto de Portimão, e o “Sol de Verão “ com partida e chegada ao porto de Leixões. Na Primavera, a CIC vai manter alguns cruzeiros temáticos já conhecidos, como o “Fitness, Saúde e Bem-estar”, um cruzeiro dedicado à música, que levará o nome de Música e Melodias, e o tradicional Cruzeiro da Páscoa, baptizado com o nome de “Páscoa de Ouro”. Acrescem os cruzeiros de fim-de-semana, três no total. Grande novidade é o cruzeiro “Danças no Mar”que, como o nome indica, será dedicado à dança. Um cruzeiro inédito no mercado português em que Eduardo Cabrita afirma depositar grandes esperanças. Num ano preparado com antecedência para oferecer aos clientes várias opções e muitas novidades, o navio Funchal, vai ter cinco novos cruzeiros temáticos durante o Verão, como o cruzeiro “Fado”, a 23 de Agosto, e outro com a temática “Vinhos&Sabores”, a 13 de Agosto, que irá rumar a norte da Península Ibérica, visitando o oeste francês e o norte de Espanha. A história da música vai ser o tema do cruzeiro “Orquestra ao Luar” a 20 de Setembro, e está marcado um

cruzeiro de fim de estação, o “Ibiza Dreams”, que vai oferecer entradas em três das mais famosas discotecas de Ibiza. A 30 de Setembro, parte o cruzeiro A Vida é Bela” que vai proporcionar uma viagem de experiências a Cádis e Ceuta. Todos estes cruzeiros têm partida e chegada a Lisboa. A Classic International Cruises, com os únicos cruzeiros em Portugal de língua portuguesa, bandeira portuguesa, staff português, cozinha portuguesa e com saída e chegada a Lisboa, apresenta agora também saída e chegada a Portimão, no navio Princess Danae. Já com saída a partir do Algarve, a companhia de cruzeiros sugere um passeio de 4 dias e três noites a Casablanca e Gibraltar. Com partida a 30 de Abril e chegada a 3 de Maio, o cruzeiro “Brilho ao Sul” tem um valor de 275 euros por pessoa, para ocupações duplas. No entanto, até 28 de Fevereiro a companhia tem uma promoção de ano novo, que também é válida para te cruzeiro, de 50 euros por pessoa em camarote duplo. Esta oferta é válida para todas as categorias do navio, mas está limitada aos camorot4es existentes para o efeito. A única excepção reside nas terceiras e quartas camas (em camarotes triplos e quádruplos) que não são passíveis destes valores promocionais. O cruzeiro “Brilho ao Sul” têm ainda outra oferta: os transferes de e para Porto, Coimbra e Lisboa são grátis.


Reportagem

30

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

TAP espera crescer

Ano de crise, mas de oportunidades L

uiz Mór, vice-presidente da TAP considerou, em Conefrência de Imprensa, no âmbito da BTL que, apesar das dificuldades de 2008 que o combustível gerou nos resultados, 2009 será um ano de crise, mas também de oportunidades e a companhia continuará a crescer em número de passageiros transportados. A previsão de crescimento e de 3,3% no total de passageiros, sendo que o Brasil deverá ter um índice maior dentro desse total. “Acreditamos que seja possível”, afirmou o executivo. Este crescimento de passageiros já inclui as novas rotas anteriormente anunciadas pela transportadora, à partida de Lisboa para Varsóvia, Moscovo e Helsínquia, a começarem em Junho e cada uma com cinco frequências semanais. O acordo recentemente assinado entre o Brasil e a Rússia para a eliminação de vistos entre os dois países pode também ajudar a aumentar o tráfego. A frota de médio curso vai contar com seis novos Airbus A320, dos quais quatro serão trocados por novos aviões, totalizando os 39 aviões, enquanto a frota de longo curso vai operar com 16 aviões. Ao todo,a frota daTAP,com a da PGA, vai contar com 71 aviões em 2009. Quanto a previsões para o primeiro semestre do ano, Luiz Mór referiu apenas que as reservas para os primeiros 15 dias de Janeiro “estão óptimas”, apesar de a partir daí não estarem ao nível desejável. A previsão para esta Páscoa “é muito boa”, mas, refere o executivo, o grande desafio vai ser o período entre a Páscoa e a alta temporada. Num contexto de incerteza, o administrador executivo sublinhou que a TAP deverá apostar na procura de novos mercados e ser “agressiva”. Outro dos objectivos da TAP para este ano reside na melhoria da qualidade do serviço, nomeadamente nas refeições a bordo, consolidação do produto para clientes Premium e aperfeiçoamento do site da companhia. Ainda ao nível do serviço, a TAP pretende continuar a melhorar a pontualidade dos seus voos e diminuir as irregularidades com as bagagens –“ já melhorámos muito o ano passado”, considerou Luiz Mór.  Em 2008 a TAP transportou no mundo 8.738.000 passageiros,

restante permanece em Portugal.

Parceria com o Brasil

mais um milhão que no ano anterior, o que significa um acréscimo de 12,3 por cento. O maior crescimento absoluto verificou-se nas linhas da Europa, com mais 600 mil passageiros, e nas do Brasil, com 200 mil, sendo ambos os mercados estratégicos para o turismo nacional.  Em valores percentuais o crescimento nos diversos sectores de rede foi o seguinte: Brasil, 20 por cento; África, 18 por cento; Venezuela, 15 por cento; Europa, 13 por cento; Estados Unidos, 2 por cento e Portugal (Continente e Regiões Autónomas), 1 por cento. Recorde-se que, no total dos aeroportos nacionais, o acréscimo foi, segundo a ANA, de 3 por cento, enquanto terá havido, de acordo com a IATA (Associação Internacional do Transporte Aéreo), um acréscimo de apenas 2 por cento do transporte aéreo a nível mundial. De facto, o extraordinário aumento do preço dos combustíveis verificado em 2008 e a crise económica mundial, que se evidenciou na parte final, contribuíram para frustrar as expectativas de crescimento no ano que agora findou. Além de ter aberto novas linhas

(Belo Horizonte e Praia) e reforçado outras, em especial para a Europa e África, a companhia investiu numa nova política comercial, com a adopção da filosofia “1 voo, 5 formas de viajar”, que lhe permite concorrer, em simultâneo, com os diversos segmentos de mercado, investindo tanto no preço como na qualidade do seu produto. O programa de passageiro frequente, Victoria, registou um crescimento de 17,3% para 840 mil aderentes, com um crescimento de 35,7% no Brasil para 139 mil membros. A TAP obteve um índice de 73% de pontualidade em 2008 com picos de 85% e tem investido em melhorias de serviços como um todo imputando mais valor a classe executiva, assim como entregando mais oportunidade de preços acessíveis para quem procura. Luiz Mor comentou que o perfil do cliente em termos de decisão de compra foi alterado, passando a deixar para a última hora essa decisão, o que impede uma projecão mais precisa das vendas, “a crise mudou o comportamento”. Outro dado é que 34% dos passageiros da TAP seguem para outros países de imediato em conexão, e o

No quadro da BTL verificaram-se reuniões de trabalho entre a TAP e as autoridades brasileiras do sector de turismo, com o objectivo de dar sequência ao trabalho que tem vindo a ser feito, com bons resultados tanto para Portugal como para o Brasil. A culminar o trabalho efectuado, Fernando Pinto e Luiz Mór encontraram-se com o ministro do Turismo do Brasil e outros responsáveis. No âmbito do encontro anual de Vendas da TAP, com a presença de representantes de todos os mercados, realizou-se também uma reunião com a Embratur, durante a qual os responsáveis da TAP e a presidente da Embratur, Jeanine Pires e o director de Turismo, Lazer & Incentivos, tiveram ocasião de dialogar abertamente, trocar informação mútua e avaliar quais as melhores acções e iniciativas de trabalho conjunto a desenvolver. Este encontro traduziu-se numa oportunidade excelente para avaliar os resultados da parceria TAP / Embratur e também para alinhar estratégias futuras e estreitar os laços de cooperação entre ambas. São, aliás, visíveis, as sinergias e os benefícios gerados por essa parceria, tanto ao nível do aumento do número de visitantes brasileiros que viajam para Portugal ou que escolhem o nosso País como porta de entrada na Europa, quanto no incremento dos fluxos de turistas oriun-


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

31

TAP Awards: Homenagem aos agentes de viagens

dos de alguns dos maiores mercados emissores da Europa para o Brasil, aproveitando as vantagens oferecidas pela Rede da TAP, a companhia aérea europeia líder de operação no Brasil. Durante a apresentação dos objectivos e prioridades do plano de acção da Embratur, Jeanine Pires falou da oferta de roteiros integrados para o Brasil, com o propósito de conquistar cada vez mais visitantes e corresponder melhor às suas diferentes motivações, salientando, nesse contexto, a importância da rede da TAP. “A TAP tem oito portas de entrada no Brasil e isso permite que o passageiro entre, por exemplo, pelo Rio de Janeiro e saia pelo Recife, ou entre por Salvador e saia por Fortaleza ou outra cidade”, disse. “Vamos criar roteiros para que os passageiros possam experimentar a diversidade do país, conhecer o Brasil além do sol e da praia”, acrescentou ainda. Oferecendo 67 voos por semana, à partida de Lisboa e também do Porto, e servindo oito destinos no Brasil, a TAP é, por isso, um parceiro privilegiado na captação e distribuição de tráfego aéreo entre a Europa e a América do Sul, tirando o máximo partido das vantagens proporcionadas pelo posicionamento geográfico estratégico do seu hub em Lisboa, na encruzilhada entre os dois continentes. Com um total de oito milhões e 738 mil passageiros transportados em 2008, mais um milhão que no ano anterior, a TAP viu assim reafirmada a importância da Europa e do Brasil – ambos os mercados estratégicos para o turismo nacional - no conjunto da sua Rede de operações, tendo registado crescimentos do tráfego transportado da ordem dos 20 por cento nas linhas do Brasil e de 13 por cento na Europa. Entretanto, através dos seus responsáveis comerciais, incluindo repre-

sentantes de alguns dos principais mercados emissores da Europa, bem como do Brasil, a TAP reuniu com algumas Regiões de Turismo, com o objectivo de contribuir e acompanhar de perto as estratégias de promoção definidas para as diversas regiões de Portugal. Estes encontros incluiram, nomeadamente, responsáveis do turismo da Madeira e dos Açores, do Norte e de Lisboa. Ainda durante o certame, e no seguimento da promoção dos destinos portugueses, foi apresentada no stand da TAP, a edição da Revista UP de Janeiro dedicada aos Açores. Este esforço de promoção é, aliás, ilustrado pelo aumento do número total de passageiros da Companhia alcançado em 2008 (+12,3%) face ao ano anterior, sendo de destacar, ainda, que a TAP cresceu em todas as regiões. Assim, verifica-se que em Lisboa a TAP cresceu 10 por cento face à variação de 1,6 pontos percentuais registados no aeroporto; no Porto, a transportadora aumentou em 17,7 por cento o número de passageiros transportados, face aos 13,8 por cento registados pelo aeroporto; em Faro, a TAP manteve o volume de tráfego, enquanto o aeroporto caiu 0,4 por cento. Nas Regiões Autónomas, a TAP registou um aumento de passageiros semelhante ao obtido nos aeroportos da Madeira (1,2%) e de 1 por cento nos Açores, onde se verificou uma quebra de 13 por cento nos aeroportos (controlados pela ANA). Esta acção enquadra-se na divulgação do destino Portugal, que a TAP tem vindo a desenvolver através de campanhas nos mercados onde opera, de promoções de viagens para Portugal, e ainda através da revista UP, com uma larga divulgação do que de melhor o país tem para oferecer e que, todos os meses, é lida por centenas de milhares de visitantes.

Os TAP Awards 2008 tiveram lugar no 80´s Disco Lounge do Pavilhão de Portugal, no Parque das Nações em Lisboa. A condução da cerimónia de entrega dos prémios aos melhores vendedores da TAP, inscritos no programa TAPin, coube a Catarina Furtado. Destacam-se ainda as participações de Marco de Camillis, Fontenelle Quartet, Rui Drummond, Filipe Gonçalves, Renato Júnior, Filipa Ruas, Petra Camacho, MC Dancers e dos djs, Tiago Freixo e El L. Os 10 melhores vendedores TAP são: Carlos Carreira, da VTC Carreira; Marina Pires e Juziete Fonseca, da Top Atlântico; Maria Inês Silva, da Bravatour; Luís Pedro Cabral, da Americatur; Carla Baptista da TravelStore; Paulo Viceto da Agência Teles; Maria Luz Antunes, da Carlson Wagonlit; António Dias da Castro e Fernando Paiva da TUI. O Top 5 do sector doméstico coube

a Maria Inês Silva, da Bravatour; Paulo Viceto, da Agência Teles; Jorge Sargo e Ricardo Jesus da Intertours bem como Maria Goretti, da Agência Viavitória. Os 5 primeiros do grupo Europa incluem Carlos Carreira, da VTC Carreira; Marina Pires e Juziete Fonseca, da Top Atlântico; Carla Baptista, da Agência TravelStore e Maria Luz Antunes, da Carlson Wagonlit. Os “5 +” do sector Américas apresentam Carlos Carreira, da VTC Carreira; Luís Pedro Cabral, da Agência Americatur; Nuno Miguel Torres, da Roytur; Carlos Peixoto, da Agência Realvitur e José Carlos Santos da Aerosoltur. Os 5 melhores no segmento África acolhem Paulo Figueiredo, Nuno Miguel Inácio e Nuno Jardim, da Agência Atlântida; Ana Paula Oliveira e Ana Patrícia Neves, da Top Atlântico.

SATA Internacional vai operar charters da Polónia para a Madeira A companhia aérea açoriana SATA Internacional firmou um acordo comercial com um operador turístico polaco, ITAKA, para realizar uma operação charter que ligará Funchal às cidades polacas de Varsóvia e Poznan. A operação, que terá início em Junho e contará com 52 rotações, perfazendo um ano inteiro, consistirá em dois voos semanais, um para Varsóvia, e outro para Poznan. Ambos os voos serão à terça-feira, em aparelho A320-200, com 165 lugares em classe económica (única classe a bordo). Segundo António Gomes de Menezes, presidente do Conselho de Administração do Grupo SATA, “a operação da Polónia aparece como uma via para o aumento da rentabilização da frota da SATA Internacional, através da diminuição da sazonalidade da operação, pois implicará um uso mais intensivo das aeronaves A320, especialmente no Inverno, altura em que o desafio reside em aumentar, de modo lucrativo, o número de horas de voo por dia por aeronave”. Através desta nova ligação entre a Polónia e a Madeira, a SATA Internacional “irá promover a vinda de novos fluxos turísticos para os Açores, uma vez que facultará tarifas para o operador turístico comercializar os Açores na Polónia, a partir das operações Funchal – Polónia e Funchal

– Ponta Delgada”, segundo se lê numa nota informativa da companhia.

Nova tarifa para residentes nos Açores Depois da tarifa Sata Discount, o Grupo Sata procedeu a mais uma inovação e lançou agora uma nova tarifa, disponível para residentes nos Açores, a aplicar nas rotas entre os Açores e o Continente e entre os Açores e a Madeira, intitulada Sata Discount Mais.Esta iniciativa, apesar de custar mais 19 euros que a primeira, lançada em Novembro de 2008 e que custava 146,56 euros, já com taxas incluídas, apresenta algumas vantagens uma vez que, ao contrário do que acontecia com a tarifa Satã Discount, é flexível, permitindo alterações nas datas de viagem ou um upgrade para a tarifa Sata Flex (a tarifa flexível disponível para residentes), mediante um pagamento adicional. Assim, a nova tarifa, que se encontra disponível desde ontem em todos os canais de vendas da companhia, custará um total de 165,56 euros, ida e volta, com todas as taxas incluídas.


Reportagem

32

Jet Republic garante voos privados em 24 horas “Basta telefonar 24 horas antes, para organizarmos a viagem de que o cliente necessita”, afirmou Luís Vianna, responsável pela gestão operacional da Jet Republic (JR), no decorrer da cerimónia de apresentação da transportadora aérea privada, no restaurante Eleven em Lisboa. A empresa de jactos privados encomendou 110 novos aviões”Bombardier Learjet 60 Xr2”, representando um investimento de 1.500 milhões de euros. A companhia já angariou inúmeros clientes e lançou o “Ski Card” oferecendo aos seus membros, acesso prioritário às melhores estâncias de esqui europeias. Cerca de 30% dos clientes da empresa são grande grupos empresariais e governamentais, 70% são compostos por empresários, particulares e famílias. O mercado dos jactos privados está a registar um forte crescimento. “Reino Unido e Irlanda são os nossos destinos principais. Alemanha Áustria e Suíça são mercados chave”, afiançou Luís Vianna. Segundo dados da JR a que a Viajar teve acesso, o preço de um jacto particular cifra-se nos 16 milhões de dólares, o seu custo anual por 200 horas operacionais está nos 3,5 milhões de euros. Com a JR, o dispêndio por um número de horas semelhante é de 1.75 milhões de euros. O negócio da aviação em Portugal contribui com mais de 1.000 milhões de euros e, 3.000 postos de trabalho, para a economia portuguesa, representando mais de 0,7% do PIB (dados JR). A sede da empresa está situada no Lagoas Park em Oeiras. “Portugal é o centro europeu da aviação privada”, explicou Jonathan Breeze, director executivo da JR. O grupo é responsável pela criação de 500 postos de trabalho, nos próximos 3 anos. Com o intuito de sustentar o supracitado investimento massivo em aeronaves, a transportadora garantiu suporte financeiro da Euram Bank - banco privado austríaco - e de um consórcio formado por clientes do mesmo banco. Mário Lino, ministro das Obras Públicas Transportes e Comunicações referiu em conferência de imprensa, que a JR é “um projecto de investimento de qualidade, ambicioso e

de ponta, virado para os segmentos desenvolvidos da sociedade mundial”.

JR quer ser referência A empresa ambiciona tonar-se no padrão de referência para a restante concorrência. Para o atingir, a companhia tem como missão prestar um serviço de viagem de classe incomparável; jactos com interiores desenhados por encomenda; assessoria pessoal e discreta, bem com uma aposta reforçada na protecção e segurança. O Clube de Jactos Privados da JR oferece aos seus membros duas modalidades: “Share Ownership (Proprietário de Quota) ou “Private Jet Card” (Cartão de jacto Privado). A primeira opção, destina-se a membros que queiram adquirir parte de um “Learjet” a pronto ou em “leasing”, pagando apenas a quota parte, correspondente às horas de voo de que necessitam, num míni-

mo de 50 horas anuais. A segunda, possibilita aos membros utilizar o tempo de voo, mediante a aquisição de 25 ou mais horas, sem qualquer tipo de compromisso. Os aviões estão equipados com novas cabines redesenhas e inúmeras melhorias tecnológicas como a conectividade “BlackBerry” durante o voo, ou conteúdos de vídeo através de “Ipod”. A aeronave pode transportar seis passageiros. Os clientes usufruem de um serviço de refeições quentes a bordo e café expresso feito na hora, entre outros mimos. Estabelecendo um termo de comparação, o interior de um jacto JR equivale a um pequeno e intimista hotel de 5 estrelas. O grupo tem acesso a mais de mil destinos na Europa, garantido a disponibilidade do avião, com a já referida antecedência máxima de 24 horas e permitindo que o cliente visite 3 países, no mesmo dia.

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Royal Air Maroc aposta em força na África A Royal Air Maroc continua a operar o voo Lisboa-Casablanca-Lisboa com seis frequências semanais, oferecendo um vasto leque de destinos em ligação dentro e fora de Marrocos. No programa de Inverno, o qual entrou em vigor a 28 de Outubro 2008 destaca-se novamente um acréscimo da oferta para África. Depois da abertura dos destinos Accra e Brazzaville (em Novembro 2006) e ainda Freetown (em Junho 2007), a companhia abriu mais linhas regulares este Inverno: Yaoundé (com Douala) e Monrovia (com Freetown). A partir do próximo mês de Abril, a Royal Air Maroc irá ter voos regulares para Lagos (Nigeria) e Kinshasa (Republica Democrática do Congo). Paralelamente serão também reforçados alguns destinos africanos, como Libreville, que passa a seis frequências, e Ouagadougou, Niamey, Douala, Cotonou e Lomé passam a cinco frequências por semana. No total, são cerca de 20 frequências suplementares que a companhia programou para África este Inverno, ou seja um aumento da oferta de 34 por cento. Para a Europa, a Royal Air Maroc abre a linha Tanger-Barcelona com três frequências semanais. A linha CasablancaIstambul passa de dois a quatro voos por semana e Amesterdão foi reforçada com partidas de Casablanca e Tanger com mais um voo por semana. Para a América do Norte, os seis voos semanais para Nova York e Montréal operados durante o Inverno do ano passado mantêm-se.

Air Berlin com mais passageiros e maior ocupação em 2008 Em 2008, a Air Berlin transportou um total de 28 559 220 passageiros a bordo, ou seja, mais cerca de 1% do que no ano anterior (em registou 28 272 967 passageiros transportados). Por outro lado, a capacidade de utilização da frota entre Janeiro e Dezembro de 2008 também melhorou para 78,4%, ou seja, um aumento de 1,2 pontos percentuais (em 2007 tinha sido de 77,2%). Durante o mês de Dezembro passado, a Air Berlin aumentou a receita por lugar/quilómetro oferecido ( “Yield por ASK”) alcançou os 5,35 cêntimos de Euro, um aumento de 17,6% relativamente ao mesmo mês do ano anterior (em Dezembro de 2007 a receita foi de 4,55 cêntimos de euro). Em resultado de uma redução programada da capacidade em 6,4%, o número de passageiros transportados diminuiu 5,4% durante o último mês de 2008 para os 1 806 618 de passageiros (em Dezembro de 2007 foram transportados 1 909 137).


VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Reportagem

33

BA divulga Lisboa em Londres No âmbito da nova estratégia de leisure da British Airways, a companhia aérea inglesa está a divulgar Lisboa como destino ideal numa campanha publicitária com vários outdoors espalhados pela cidade londrina. As imagens são da autoria da conceituada agência de fotografia Magnum que durante cinco dias esteve em Portugal para captar imagens únicas, reais e ao mesmo tempo sofisticadas que transmitissem a verdadeira essência da nova filosofia de leisure da British Airways. Esta consiste em desafiar o passageiro a ser um verdadeiro viajante e não um simples turista. Desta forma, cada imagem está acompanhada por uma dica sugestiva que tem como objectivo incentivar o público a explorar culturas e experiências locais. Uma dessas dicas - “Get on and see where it goes” - é em relação ao típico eléctrico lisboeta onde a British Airways incentiva o púbico a apanhá-lo e ver até onde este o pode levar. Nesta campanha, que será divulgada durante o ano de 2009, estão também incluídos outros destinos tais como: Índia, Japão, Hong Kong, Roma, Paris, Nova Inglaterra e Londres.

Continental deixa a SkyTeam a 24 de Outubro para se juntar à Star Alliance A Continental Airlines, única companhia norte-americana com voos regulares todo o ano de e para Lisboa, anunciou que deixa a aliança SkyTeam a 24 de Outubro, para se juntar à Star Alliance, liderada pela Lufthansa e da qual é membro a TAP. O CEO da Continental, Larry Kellner, citado em comunicado, não apontou uma data para a efectivação da integração na Star Alliance, indicando apenas que a companhia espera que ocorra “imediatamente” depois da saída da SkyTeam. Kellner frisou que a companhia está a desenvolver todos os esforços para que a transição seja o “mais amigável possível” para os clientes. A Continental anunciou a decisão de mudar para a Star Alliance em Junho de 2008, o que também passa por conseguir, da parte das autoridades da concorrência, a imunidade anti-trust para uma joint-venture nos voos transatlânticos com a United Airlines, a Air Canada e a Lufthansa.

British Airways propõe experiências únicas A

British Airways apresentou de 21 a 25 de Janeiro a sua nova estratégia Leisure numa iniciativa que decorreu no Parque das Nações, subordinada ao mote “Cinco dias, cinco destinos, cinco continentes” numa estrutura onde foi representado o mundo através de cinco destinos, cada um deles de um continente diferente: Reino Unido, Brasil, África do Sul, Austrália e Japão. Durante esta iniciativa o público teve a oportunidade de conhecer curiosidades, tradições, gastronomia e os locais mais escondidos de beleza ímpar nos cinco destinos. Foram várias as alternativas que a companhia aérea propôs para que o turista quebre a barreira dos clichés turísticos e se transforme num verdadeiro viajante. No stand BA o visitante pôde ficar a conhecer os melhores Spas do mundo, locais para meditação, retiros europeus, marcos de fotografia, etc. e para provar que existem porções de terra paradisíaca que apenas um habitante nos pode segredar a companhia aérea questionou um nova-iorquino sobre os seus locais de culto. A resposta do residente da grande maçã foi um leque de curiosidades inesperadas e lugares fascinantes que um turista provavelmente desconhecerá. Exemplo disso são as cinco localidades que compõem a cidade ou os mais económicos e autênticos hotéis urbanos de Nova Iorque. A nova estratégia leisure, segundo Jordi Porcel, director geral da empresa “serve para colocar tudo em contexto” e transmitir a “filosofia de turista como viajante”. O responsável pela marca aérea britânica explicou que a aventura começa no preciso instante em que se “decide viajar” e a “pesquisa, no nosso site, dos destinos é já o início da viagem de sonho”, explicou o mesmo. A British Airways a operar em toda a Europa e Reino Unido, desde África ao continente Americano, das Caraíbas à Ásia Central, do Médio Oriente e Extremo Oriente à Austrália é, para Jordi Porcel, a fonte ideal de experiências e conhecimentos para que cada pessoa sentada no avião não seja apenas mais um passageiro no meio de muitos. No site www.ba.com o futuro viajante pode encontrar dicas sobre os locais perfeitos para partir à descoberta.

Como o porta-voz da BA referiu à Viajar, o que se pretende com esta estratégia leisure não é uma nova segmentação focalizada na classe económica, o objectivo é antes satisfazer “todos os clientes que procurarem informação alternativa e fidedigna sobre determinado destino”. Este ano a companhia britânica decidiu não estar presente dentro do recinto da BTL. A justificação devese à vontade de estar acessível a todo o seu público e não apenas circunscrita ao espaço da Feira. Outro argumento apresentado pelo responsável foi o facto da operadora aérea só “estar presente nestas feiras quando tem algo para apresentar” como foi o caso do lançamento do “Club World em que estivemos na BTL” e do seu relançamento em que “voltámos novamente a lá estar”. Nesta campanha de apelo à aventura dos sentidos e do desconhecido a marca britânica contou com o apoio da Comercial, rádio oficial desta iniciativa, tendo atraído vários ouvintes ao espaço British Airways para descobrirem os locais mais recônditos do mundo e habilitarem-se a a uma viagem para duas pessoas à Cidade do Cabo, na África do Sul. Esta ocasião serviu ainda para anunciar a campanha “New Year World

Offers” com ofertas de voos a preços atractivos para Londres, desde Lisboa a partir de 70 euros e desde Faro a partir de 66 euros, assim como excelentes tarifas para mais de 75 destinos em todo o Mundo. Nesta campanha estão incluídos destinos pertencentes aos Estados Unidos, Caraíbas, Médio Oriente e Austrália entre outros. As tarifas referidas são de ida e volta para longo curso já com todas as taxas e suplementos incluídos . Nos voos de médio curso os valores referidos incluem apenas viagem de ida também com taxas e suplementos incluídos. O período de vendas desta campanha decorre até 15 de Fevereiro de 2009 com viagens a realizar entre 2 de Janeiro e 31 de Março do mesmo ano. Para os clientes que pretendam adquirir os seus bilhetes por telefone, a companhia aérea avisa ainda que os mesmos serão sujeitos a uma taxa de reserva de 30 euros. Por fim o director geral da British Airways adiantou à Viajar que no próximo Verão vão passar “de três voos por dia em Lisboa para quatro voos por dia” o que na opinião do responsável é algo “muito positivo” e que se reflectirá num maior número de clientes em Londres “e para a nossa rede”.


Reportagem

34

VIAJAR 2009/02/1ÂŞ Quinz


VIAJAR 2009/02/1ÂŞ Quinz

35

Reportagem


Reportagem

36

VIAJAR 2009/02/1ÂŞ Quinz


VIAJAR 2009/02/1ªQuinz

Entrelinhas

37

■Por Domingos de azevedo

Geotur Guarda-chuva

BTL Este ano a BTL – Feira Internacional de Lisboa glamorizou-se. Em tempo de crise. Fez bem. Que me lembre nunca assisti a uma das suas “feiras” tão bem organizada, como esta, com óptimo design em vários casos, e novidades. Gostei.

Oxalá tenha resultado para os profissionais que tanto lutam, com a sua presença, para bem do turismo.

No dia em que rebentou o escândalo FreePort chovia. Normal, nestes períodos do ano. Saí portanto munido de guardachuva. Que me foi oferecido quando um grupo de jornalistas, convidado, visitou o empreendimento em

Alcochete. Bem, se alguém tem reconhecido a marca exposta no guarda-chuva ainda diria que eu também estava feito… Não uso mais, mesmo que chova a potes. Prefiro outro, claro.

Quéque… Voltou a acontecer. Que saiba, pela segunda vez. E sempre, pelos vistos, com brasileiras que não “seguram” certo vocabulário luso. Durante BTL uma gentil brasileira, na companhia de amiga portuguesa, foi a um dos cafés-pastelaria. Quando o criado chegou perguntando o que pretendia, disse com todas as letras e bom som:

-Quero uma quéca! Estalou uma risota pegada em redor. A amiga corrigiu: -Ela quer um quéque. Só depois, fora do local do “crime”, lhe foi explicado a diferença entre quéque e quéca. A brasileira ficou apavorada e comentou apenas: -Não volto mais àquele local.

Flóri-engate Há pessoas que julgam poder “engatar” no stand do Brasil. O sujeito aproximou-se do balcão de Santa Catarina e informou: -Gostava de ir a Florianópolis. -Pois bem, respondeu a “hospedeira” (bonitinha) brasileira. -Queria alugar um apartamento por lá. -Acho muito bem. -Também queria uma companhia.

Casino Estoril -Isso já ultrapassa as nossas possibilidades, pois só tratamos de turismo. -Quando é que a menina regressa? Bem, o continuado é para esquecer…

António Monteiro O prestigiado funcionário da TAP, António Monteiro, relações-públicas da companhia aérea nacional, apareceu na BTL com duas canadianas (nada de interpretações erradas, eram duas muletas).

Ao vê-lo assim, indaguei o que tinha acontecido. -Caí de um escadote! Só respondi, como apoio: -Olhe eu não caí de um escadote e veja o que arranjei para sempre. E apontei a perna direita.

A maior do Mundo Em Iguaçu pode visitar-se a Usina Hidrelétrica de Itaipu, que continua sendo a maior do Mundo em geração de energia enquanto a Usina Hidréletrica das Três Gargantas, na China, não estiver concluída.

Nas noites de sexta e sábado a iluminação monumental da barragem é espectáculo invulgarissímo. A usina brasileira é uma das maravilhas da engenharia moderna. Beleza construída pelo Homem.

Anualmente, ganho no Casino do Estoril. Uma vez por ano já não é mau. Mesmo sem jogar. Então como é? Simplesmente a Administração

tem a gentileza de me enviar, na quadro dezembrista, simpatiquíssima oferta. Diferente, todos os anos. Com bom-gosto. Agradecido.

Brinque com tucanos A visita ao Parque das Aves, em Iguaçu, rende boas surpresas. Foi impulsionado por cidadão sul-africano de visita, que se lançou na iniciativa. Penetra-se em enormes viveiros acompanhando de perto a vida de mais de 900aves de 150espécies, muitas ameaçadas pela extinção. Araras azuis, papagaios e tucanos brincam soltos, sendo bastante dóceis. Também jacarés, cobras, saguins e borboletas. Os encantos do mato, num santuário ecológico. Além de garantir a conservação de

16hectares de mata nativa. Empreendimento privado, actualmente é o maior da América Latina. São bichos exclusivos do Brasil. Este zoo é uma espécie de bicho salva bicho.


Última

38

Verbas do casino para melhorar turismo lisboeta

VIAJAR 2009/02/1ª Quinz

Estoril Live é a nova marca do Turismo do Estoril

V

ários projectos que visam melhorar Lisboa enquanto destino turístico, até final de 2011 foram aprovados pelo Turismo de Portugal, . As verbas de Contrapartida Inicial, Contrapartida Anual e Imposto Especial de Jogo, aplicadas no aperfeiçoamento da Capital, provêm das receitas geradas pela concessão da zona de jogo, relativa ao Casino de Lisboa. As medidas foram anunciadas no Jardim do Torel. O investimento total aprovado cifra-se nos 42.065.287 milhões de euros, com um financiamento de 37.870.012 milhões de euros. “Lisboa é uma das zonas mais atractivas do ponto de vista turístico que existe em Portugal. Nesse contexto todo o investimento na requalificação das suas zonas de maior atracção é naturalmente uma melhoria na nossa oferta turística”, afirmou à Viajar, Luís Patrão, presidente do Turismo de Portugal, à margem da apresentação das novas medidas. O projecto do Parque Mayer está inserido nas verbas de Contrapartida Inicial. Nele serão investidos 10.000.000 milhões de euros, com financiamento assegurado a 100%. “Queremos devolver o Parque à cidade, naquele que é um projecto de grande amplitude”, proferiu em conferência de imprensa, António Costa, presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML). O plano pretende transformar o actual Parque, num pólo de desenvolvimento de actividades lúdicas e culturais onde o teatro, cinema, artes plásticas, música e lazer estarão em voga. A nível arquitectónico será introduzido um conceito renovado de lazer, no sistema de espaços públicos de Lisboa, como a Avenida da Liberdade, inserida numa estratégia de modernização urbanística da cidade, integrada no objectivo de potenciar a competitividade da Capital, concorrendo para o reforço das suas funções, enquanto pólo europeu, nas áreas da cultura ciência e lazer.

Museu Pavilhão Carlos Lopes Também no âmbito da contrapartida inicial, foi aprovado, no contexto do projecto Pavilhão Carlos Lopes (PCL), a requalificação das áreas envolventes, num montante de 1.722.012 milhões de euros, aplicados entre 2008/2010, como pólo de atracção turística. “O PCL será um espaço vivo, um museu interactivo de grande valor”, explicou António Costa. No que se refere aos projectos aprovados no âmbito das receitas provenientes do Imposto Especial de Jogo, serão aplicados investimentos na ordem dos 29.964.776 milhões de euros com financiamento previsto de 24.299.000 milhões de euros. As receitas provenientes da contrapartida anual são aplicadas em projectos de promoção turística no montante de 378.500 mil euros, com financiamento de 100%. O plano envolve uma série de melhorias, acções de investimento e desenvolvimento, com particular destaque para a zona histórica e central da cidade, com enfoque na

animação, requalificação e dinamização de áreas como o património histórico, cultural, ambiental e paisagístico. Outros projectos incluem a requalificação paisagística de ambas as vias na cidade de Lisboa (A1, portas de Benfica e segunda circular); mobilidade pedonal nas zonas históricas; rede de percursos pedonais clicáveis; requisição de dinamização da rede de miradouros e jardins; intervenção no Bairro Alto e requalificação da Estufa Fria. “No antigo edifício do Banco Nacional Ultramarino teremos o Museu do Design e da Moda, mesmo no coração da baixa. As exposições arrancam já em 2009”, adiantou o presidente da CML. O responsável sublinhou ainda a “intervenção na rede de 7 miradouros ( na qual se inclui o Jardim do Torel)”. Outros miradouros incluem o Boto Machado; Monte Agudo; Santa Luzia; Graça; Nossa Senhora do Monte e Penha de França. Bernardo Trindade, secretário de estado do Turismo disse que este conjunto de medidas “cria competitividade na região de Lisboa, existindo hoje, uma lógica em melhorar a cidade”.

“Estoril Live” apresenta-se como a nova marca de promoção de eventos no calendário de acções para 2009, do Turismo do Estoril. A medida foi anunciada por Duarte Nobre Guedes, presidente da nova entidade do conselho de Cascais. A nova empresa surge após a extinção da Junta de Turismo do Estoril, Sintra e Mafra. “O objectivo da nova programação alargada passa por potenciar as performances turística do Estoril”, disse Duarte Nobre Guedes, consagrando-a como um dos principais destinos nacionais, que inclui ainda a Moda Lisboa Estoril; Estoril Film Festival; Feira de Artesanato do Estoril; Estoril Jazz e Cool Jazz Fest. O Moto GP Estoril; O Global Championships Tour (GCT) – GP Portugal Estoril (CSI 5 estrelas), o Estoril Surf Festival, Cascais Vela 2008 e o Open de Portugal em Golfe, figuram entre a lista de iniciativas desportivas. Em 2008, a cobertura televisiva dos eventos representou 100 milhões de euros em investimento e 800 horas de emissão. A operação turística até Dezembro de 2008 no Estoril, obteve uma taxa de ocupação de 59,3% e um RevPar (Receita por Quarto Disponível) de 52,84 euros, representando menos 1,8% em comparação com o período homólogo de 2007. O Centro de Congressos do Estoril (CCE), foi reconhecido recentemente como Green Venue – tornando-se o primeiro centro europeu com certificação ambiental pela Green Globe International. A reestruturação do CCE, foi definida no início de 2007, no “Plano Estratégico Green Destination 2010”, no âmbito da política internacional de desenvolvimento sustentável. Este ano ocorre no CCE, a Conferência Mundial do Estoril sobre sustentabilidade e a Cimeira Ibero Americana.

Visiteestoril.com sofre remodelação

Entre as novidades para o plano de promoção internacional do Turismo Estoril em 2009, destacam-se dinamização dos workshops e “roadshows”; reformulação do visiteestoril.com, elaboração, distribuição e informação periódica aos privados e institucionais através de um barómetro e newsletter. O Plano de Promoção Internacional de 2008 incluiu um roadshow pela Europa de Leste e Brasil; presença na BTL, FITUR e ITB bem como em Feiras Regionais em Espanha, França e Alemanha. A nível publicitário investiu-se numa campanha publicitária em Espanha; suplementos de destino no jornal inglês Daily Telegraph; inserções publicitárias nas revistas de bordo da Iberia e British Airways; presença na Open Road, revista Hertz, dirigida ao mercado Reino Unido e Irish Golf Review, em conjunto com o Estoril Golf Coast. Destaca-se ainda o patrocínio do programa Wednesday Selection no canal desportivo Eurosport. O turismo do Estoril lucrou 25 milhões de euros com o plano de eventos.



Revista VIAJAR Nº 246