Page 1

ENTREVISTA exclusiva ao novo candidato ao título, Álex Rins

TRÊS RONDAS, TRÊS VENCEDORES Yamaha: a grande aposta da marca

páginas 70 a 75

BMW: pronto para a aventura

páginas 76 a 81

Kawasaki: análise completa à Versys 1000

páginas 82 a 89


NA PISTA OU NA ESTRADA

PURA PASSIONE DAL 1911

EQUIPA-TE Ă€ CAMPEĂƒO 48 MESES

0% JUROS

0â‚Ź

ENTRADA

4,3% TAEG

CAMPANHA PARA TODA A GAMA BENELLI SUPERIOR A125cc ANOS

3

GARANTIA

OFERTA NO VALOR DE 420â‚Ź CAPACETE MTHELMETS, LUVAS E BLUSĂƒO OXFORD

    

   

               

Valores com IVA incluído. Campanha vålida atÊ 15 de Setembro de 2019. Os PVP apresentados excluem despesas com documentação, ISV e despesas de transporte para arquipÊlagos da Madeira e Açores. Intermediårio de CrÊdito não exclusivo a título acessório. CrÊdito automóvel sujeito a aprovação Cofidis. Para mais informaçþes contacte a Cofidis. Campanha de crÊdito reservada aos concessionårios aderentes. Oferta vålida salvo ruptura de stock.

-2- | MOTORCYCLE SPORTS | Multimoto

IMPORTADOR

info@benelli.pt

benelli.pt


ÍNDICE 4

Notícias

6

GP do Qatar

As últimas novidades do motociclismo nacional e internacional.

O balanço do GP do Qatar de MotoGP, ronda inaugural da temporada, nas categorias MotoGP, Moto2 e Moto3.

18

23

34

sua fórmula, mantendo os mesmos padrões de sempre. que se caracteriza pelo levantamento de tudo o que aconte-

equipa da Suzuki fala-nos sobre a formação que dirige no terreno.

ceu desde o início do mundial e não só. As entrevistas não

GP da Argentina

foram excluídas e para esta publicação o nosso foco virou-se para a Suzuki de Álex Rins, Joan Mir e Davide Brivio. São três

Tudo sobre a segunda ronda dos Mundiais de MotoGP em MotoGP,

entrevistas exclusivas à revista Motorcycle Sports que pro-

Moto2 e Moto3, que levou os pilotos até à Argentina e ao Circuito

metem deixar a conhecer melhor os pilotos e a formação de

Termas de Río Hondo.

Hamamatsu.

Entrevista exclusiva a Joan Mir O único rookie do MotoGP em 2019 a entrar diretamente para

Entrevista exclusiva a Álex Rins A completar a série de entrevistas exclusivas na Suzuki, Álex Rins – – é o outro piloto em destaque.

GP das Américas

Por outro lado, falar de MotoGP não é o mesmo sem fazer referência a Miguel Oliveira que, por sua vez, apresentou resultados bastante animadores neste início de temporada. Graças a isso (e não só), o piloto que defende as cores nacionais no pináculo do motociclismo foi alvo de uma análise da nossa parte antes de se falar em outros assuntos. Todavia, o mundo das duas rodas não se faz apenas do mundial e nesse sentido as WSBK também tiveram o merecido destaque – incluindo as duas primeiras rondas em solo europeu. Além do mundo desportivo das motos de produção, esta quarta edição conta também com a secção das máquinas de

Os acontecimentos do GP das Américas em resumo, em mais uma

estrada assim como as habituais Café Racers e Custom Bikes.

ronda dos Mundiais de MotoGP, Moto2 e Moto3 – a terceira de 2019.

Resumindo, trazemos-lhe mais uma edição diversificada com

Miguel Oliveira nos GP do Qatar, Argentina e Américas O rescaldo das três primeiras rondas da temporada de MotoGP para Miguel Oliveira, que já somou os seus primeiros pontos.

58

timos meses ao editar a quarta edição sem mexer na

Davide Brivio em entrevista exclusiva à Motorcycle Sports. O diretor de

um dos que é visto como candidato ao título de MotoGP em 2019

54

continuidade ao trabalho que tem sido feito nos úl-

O MotoGP é o principal destaque deste quarto lançamento

Motorcycle Sports.

42

C

om três edições publicadas, o Motorcycle Sports deu

Entrevista exclusiva a Davide Brivio

uma equipa de fábrica, Joan Mir, em entrevista exclusiva à revista

38

EDITORIAL

WSBK na Tailândia A segunda ronda dos Mundiais de Superbike e de Supersport em

os principais assuntos do momento na competição, aliados às motas do dia-a-dia de alguns condutores. E, como é natural, com a premissa de lhe proporcionarmos um trabalho de cada vez maior qualidade a cada número. Bernardo Matias/Gonçalo Viegas

resumo.

64

WSBK em Aragão O sumário da jornada do WSBK, WSSP e do Mundial de Supersport 300 em Aragão – a primeira em solo europeu desta época.

70

Novidades de estrada Nesta edição, apresentamos-lhe três motas que chegaram recentemente: a Yamaha YZF-R1M, a BMW F 850 GS Adventure e a Kawasaki Versys 1000.

90

Café Racers e Custom Bikes Conheça algumas das melhores café racers e projetos de motas personalizadas nesta seleção que preparámos para si.

FICHA TÉCNICA Proprietário - Full Fixtures Unipessoal Lda Sede - Rua do Rebolar n3 3dt 2770-148 Paço de Arcos Director - Diogo de Soure Sub Director - Rodrigo Fialho Colaboradores - Bernardo Matias / Gonçalo Viegas / Fábio Fialho Departamento Gráfico - Rui Camacho Director de Arte - Rui Camacho Impressão - GRAFISOL - EDIÇÕES E PAPELARIAS, LDA. Distribuição - Online Tiragem - 10.000 ex. Periodicidade - Mensal Preço - (IVA inc.): 8.90€ ERC: N.º 127278 Depósito Legal: 455729/19

| MOTORCYCLE SPORTS | -3-


NOTÍCIAS Novos procedimentos para quando as motos vão abaixo na grelha no MotoGP

Quando nada o fazia prever, a Hero

A Comissão de Grandes

MotoSports surpreendeu com a con-

aos procedimentos a seguir quando uma moto se desliga na grelha. O objetivo é tornar tudo

de vários anos na Honda, Speedy muda-se para o construtor indiano, aonde vai encontrar o cunhado Joaquim Rodrigues. Para a Hero, é a chance de contar com um nome de peso, com um piloto bastante experiência em competição e que também poderá contribuir significativamente para o desenvol-

mais seguro, claro e

vimento da moto. A estreia vai ser no Rali Rota da Seda em julho.

justo.

Em comunicado, Paulo Gonçalves realçou que espera trazer vitórias à Hero

No início da volta de aquecimento, uma moto não pode voltar a ser

MotoSports: ‘Estou muito entusiasmado por iniciar esta viagem com a equipa

ligada, tendo de ser desde logo levada para a via das boxes. Caso consiga

e espero contribuir para o objetivo de melhorar o nosso desempenho nos

sair antes de o pitlane ser fechado, pode completar a volta de formação

ralis. Da minha parte prometo dar tudo para estar pronto a lutar pelas posi-

e arrancar do fundo da grelha. Já antes e depois do início da corrida, se

ções de topo pela equipa. A Hero MotoSports tem feito um bom trabalho nas

a moto ficar imobilizada da grelha terá de ser empurrada para a via das

últimas temporadas e esta equipa jovem mostrou que tem o potencial para

boxes. Até agora, os regulamentos proibiam apenas a tentativa de iniciar

vencer em grande. Gostaria de desempenhar a minha parte em trazer vitórias

uma moto parada na grelha após o fim da volta de aquecimento – era

para a equipa’.

a única situação em que seria necessário um piloto a precisar de ajuda rumar à via das boxes.

Dani Pedrosa vai ser homenageado O MotoGP começa a sua fase europeia em Jerez entre 3 e 5 de maio, e esse GP de Espanha ficará marcado por homenagens a Dani Pedrosa. O piloto que se retirou no ano passado vai ter um monumento na curva Dry Sack, que também passará a ter o nome do espanhol. Além disso, adianta o site Motorsport.com, o mesmo traçado andaluz deverá marcar o regresso de Pedrosa à ação – antecipa-se a sua participação no dia de testes privados da KTM na segunda-feira após a prova, a 6 de maio. De recordar que o #26 ficou afastado da pré-época devido a problemas físicos que exigiram uma cirurgia em fevereiro.

Sandro Peixe e Diogo Graça lideram Nacionais de Motocross Ao cabo de quatro rondas, Sandro Peixe e Diogo Graça são líderes nas

Dakar 2020 na Arábia Saudita: 12 etapas a partir de 5 de janeiro O Dakar está mesmo a caminho da Arábia Saudita. A prova de todo-o-terreno tem assim a segunda mudança de continente da sua história, uma década depois de se ter mudado de África para a América do Sul. Agora, é a vez da Ásia e da região do Médio Oriente. Em 2020, disputa-se de 5 a 17 de janeiro com 12 etapas e um dia de descanso. Para já, em 2020 a prova volta a desenrolar-se num só país – a Arábia Saudita – no qual não faltam possibilidades em termos de terreno. Ainda que o Deserto Arábico predomine, há zonas de mato, cordilheiras montanhosas e planaltos por onde escolher. Ao todo serão mais de 9.000km com início em Jeddah e fim no futuro complexo de Al-Qiddiyah.

CNTT ao rubro depois de três rondas

principais três categorias do Campeonato Nacional de Motocross. A jor-

Daniel Jordão e Salvador Vargas di-

nada mais recente foi em Casais de São Quintino, como habitualmente

videm a liderança do Campeonato

no domingo de Páscoa, no passado dia 21 de abril.

Nacional de Todo-o-Terreno (CNTT)

Nessa prova, a vitória em Elite foi de Paulo Alberto, mas Peixe passou a

depois da terceira ronda. Na Baja de Loulé, disputada a meio de abril, João

dispor de sete pontos de margem face a Luís Outeiro na geral. Também

Lourenço tornou-se no terceiro vencedor em outras tantas provas, depois

Alberto ganhou em MX1 na prova do Oeste, sendo que nessa classe a

de dominar aos comandos de uma Beta – marca que há muito não ganha-

liderança de Peixe é mais expressiva – está 43 pontos à frente de Daniel

va. Salvador Vargas foi segundo e Daniel Jordão o terceiro – o que, a juntar

Pinto. Quanto ao MX2, o segundo lugar em Casais de São Quintino atrás

aos resultados das jornadas anteriores, os colocou empatados na dianteira

de Rúben Fernández chegou a Graça para cimentar o comando – está

do campeonato com 61 pontos. Bernardo Megre segue na terceira posição,

com dois pontos de avanço face a Outeiro.

depois de ter resistido a uma queda em Loulé para acabar em quarto.

-4- | MOTORCYCLE SPORTS |

© Kfoto - Kico Moncada

de MotoGP, alterações

tratação de Paulo Gonçalves. Ao fim

Divulgação Clube Automóvel do Algarve

em todos os Mundiais

Christian Pondella/Red Bull Content Pool

Prémios implementou,

Paulo Gonçalves ruma à Hero MotoSports


| MOTORCYCLE SPORTS | -5-


MotoGP

GP do Qatar Honda Racing Corporation

TEXTO: Bernardo Matias

MotoGP arrancou na noite de Losail.

“A papel químico”: Triunfo de Dovizioso a abrir a época de MotoGP A temporada dos Mundiais de motociclismo começou uma vez mais com o GP do Qatar em Losail, na única ronda noturna da temporada. E, qual ‘cópia a papel químico’, Andrea Dovizioso ganhou poucas milésimas na frente de Marc Márquez, numa corrida em que Miguel Oliveira se estreou na categoria-rainha com um 17.º lugar.

-6- | MOTORCYCLE SPORTS |

8 de março de 2019. Este é o dia

QATAR ASSISTIU A VÁRIAS

que fica marcado na história do

NOVIDADES

motociclismo como aquele que

E este ano foram muitos os aspe-

viu começar a época de 2019 dos

tos inéditos. Desde logo, o Mundial

Mundiais de motociclismo. Como

de Moto3 começou sem os quatro

é hábito há mais de uma década,

primeiros classificados do ano pas-

o circuito de Losail no Qatar teve

sado, uma vez que todos alcan-

a honra de abertura, vendo-se pela

çaram a promoção ao Moto2. No

primeira vez em competição as

polo oposto, chegaram diversos

diversas novidades da nova tem-

pilotos promissores. Exemplos dis-

porada nas três classes: MotoGP,

so são Celestino Vietti a estrear-se

Moto2 e Moto3.

numa temporada completa pela


Gold and Goose

Sky Racing Team VR46; promissor Can Öncü na Red Bull KTM Ajo depois da vitória do ano passado em Valência na sua primeira corrida; Raúl Fernández a fazer a sua estreia a tempo inteiro pela Ángel Nieto Team; do promissor ou Sergio García (Estrella Galicia 0,0). Também de notar Romano Fenati a voltar ao Moto3 pela Team O, naquele que era o seu regresso à competição depois de toda a polémica com Stefano Manzi no GP de San Marino do ano passado. Por outro lado, houve diversas mudanças de equipa, como as de Arón Canet para a nova Max Racing Team, Gabriel Rodrigo para a

Canet mais rápido nos treinos de Moto3

Gresini ou de Marcos Ramírez pela

Di Giannantonio (Speed Up) Jorge

Leopard.

Martín (campeão de Moto3 em

No Moto2, a maior novidade de

2018 substituiu Oliveira na Red

todas foi a estreia das novas mo-

Bull KTM Ajo), Marco Bezzecchi

Comum ao Moto3 e ao Moto2

Ducati) foram os outro quatro es-

tos equipadas com o mais potente

(Red Bull KTM Tech3), Nicolò Bule-

era a estreia do novo formato de

treantes promovidos e chegavam

motor Triumph de 765cc e mais

ga (Sky Racing Team VR46). Igual-

qualificação. Tal como no MotoGP,

ao Qatar depois de terem deixado

opções de eletrónica. Do mesmo

mente de registar foram as várias

a partir de 2019 essas duas cate-

boas indicações na pré-época.

modo, o plantel contou com novi-

mudanças de equipa: Dominique

gorias passam a ter a qualificação

dades. Os dois primeiros de 2018

Aegerter estrear-se-ia em Losail

dividida em Q1 e em Q2 – a sub-

MOTO3, TREINOS LIVRES:

(Francesco Bagnaia e Miguel Oli-

pela MV Agusta Forward (também

sessão que decide os primeiros 18

MELHORES REGISTOS NO FP2

veira), bem como Fabio Quartararo

ela uma novidade), Sam Lowes vol-

lugares da grelha. Só que ao con-

O Mundial de Moto3 deu oficial-

e Joan Mir, ascenderam à classe de

tou à Gresini e Tom Lüthi (Dynavolt

trário do que acontece no Moto-

mente início à temporada, caben-

topo.

Intact GP) chegava ao Qatar para

GP, têm apuramento direto para a

do-lhe as honras da primeira ses-

Mas também chegaram vários ta-

a sua primeira corrida na categoria

Q2 os 14 mais rápidos no cômpu-

são de treinos. Ainda durante o

lentos promissores, como Fabio

após a passagem pelo MotoGP.

to geral dos treinos livres e outros

período diurno de sexta-feira, 8 de

quatro garantem as vagas na Q1.

março, os pilotos da categoria de

Quanto ao MotoGP, o GP do Qa-

iniciação saíram para a pista.

tar seria o palco da estreia com-

O primeiro treino livre assistiu a

petitiva de Danilo Petrucci pela

um domínio de Romano Fenati

Ducati, Johann Zarco pela KTM e

(Snipers Team), que liderou durante

Jorge Lorenzo pela Honda – a mais

grande parte do tempo e terminou

aguardada, diga-se. Quatro rookies

mesmo com a volta mais rápida

absolutos teriam a sua primeira

(2m05,917s) batendo Jakub Korn-

prova na classe-rainha, entre eles

feil (Redox PrüstelGP) por 0,300s.

Oliveira na Red Bull KTM Tech3

Lorenzo Dalla Porta (Leopard), o

que colocou Portugal pela primeira

melhor classificado do ano passa-

vez no mapa do pelotão do Moto-

do que permaneceu na categoria,

GP no que toca a pilotos a tempo

foi o terceiro a 0,457s.

inteiro. Joan Mir (Suzuki), Fabio

A segunda sessão, já de noite, as-

Quartararo (Petronas Yamaha SRT)

sistiu a melhorias consideráveis.

e Francesco Bagnaia (Alma Pramac

Arón Canet (Max Racing Team)

PILOTOS DESEJAVAM CORRIDA MAIS CEDO… MAS HORÁRIO MANTEVE-SE A primeira controvérsia do ano surgiu devido ao horário de começo da corrida. Depois de o arrefecimento noturno, acentuar da humidade e vento criarem problemas nos testes, vários pilotos do MotoGP apelaram por motivos de segurança ao começo antecipado da corrida em uma hora (das 20h00 para as 19h00 locais, tal como no ano passado). No entanto, e para desagrado de alguns, não houve qualquer alteração face ao horário programado desde início.

| MOTORCYCLE SPORTS | -7-


MotoGP

GP do Qatar

Gold and Goose

dominou de forma clara e avassaladora, sendo o único a entrar no 2m04s – a sua melhor volta foi feita em 2m04,561s a pouco mais de dez minutos da bandeira de xadrez, sendo Fenati quem mais perto ficou a 0,595s. Seguiu-se Niccolò Antonelli (SIC58) a 0,679s. No sábado, o terceiro treino livre revestia-se, pela primeira vez, de mais importância na categoria de base. É que a tabela de tempos combinada das três sessões iria resultar no apuramento direto de 14 pilotos para a segunda fase da qua-

no Moto3. Aí, Arón Canet voltou

lificação – que estreou no Qatar o

a destacar-se. Foi só a menos de

seu novo formato. No entanto, não existiram quais-

Pole position indiscutível de Canet

CLASSIFICAÇÃO GP QATAR - MOTO3

quer melhorias face ao que se

Pos.

Moto

Tempo/Diferença

verificava no final de sexta-fei-

1.º

Kaito Toba

Honda Team Asia

Honda

38'08.887

ra. Vicente Pérez (Avintia) foi o

2.º

Lorenzo Dalla Porta

Leopard Racing

Honda

+ 0.053s

mais rápido com um registo de

3.º

Arón Canet

Sterilgarda Max Racing Team

KTM

+ 0.174s

2m06,561s, mais de um segundo

4.º

Marcos Ramírez

Leopard Racing

Honda

+ 0.505s

acima do seu melhor pessoal do

5.º

Celestino Vietti

SKY Racing Team VR46

KTM

+ 0.584s

dia anterior. Desta forma, seguiram

6.º

Albert Arenas

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

+ 0.818s

para a Q2 diretamente os 14 pri-

7.º

Raúl Fernández

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

+ 0.846s

meiros conforme já a classificação

8.º

Niccolò Antonelli

SIC58 Squadra Corse

Honda

+ 0.850s

9.º

Romano Fenati

Snipers Team

Honda

+ 0.890s

10.º

Jakub Kornfeil

Redox PruestelGP

KTM

+ 0.903s

11.º

Ai Ogura

Honda Team Asia

Honda

+ 0.956s

12.º

Alonso López

Estrella Galicia 0,0

Honda

+ 1.755s

13.º

John McPhee

Petronas Sprinta Racing

Honda

+ 1.849s

14.º

Andrea Migno

Bester Capital Dubai

KTM

+ 3.450s

15.º

Gabriel Rodrigo

Kommerling Gresini Moto3

Honda

+ 3.514s

16.º

Tony Arbolino

Snipers Team

Honda

+ 4.201s

17.º

Vicente Pérez

Reale Avintia Arizona 77

KTM

+ 4.267s

18.º

Can Öncü

Red Bull KTM Ajo

KTM

+ 26.272s

19.º

Kazuki Masaki

BOE Skull Rider Mugen Race

KTM

+ 31.779s

20.º

Ryusei Yamanaka

Estrella Galicia 0,0

Honda

+ 31.820s

21.º

Filip Salac

Redox PruestelGP

22.º

Riccardo Rossi

Kommerling Gresini Moto3

23.º

Makar Yurchenko

24.º

Tom Booth-Amos

NC

Tatsuki Suzuki

SIC58 Squadra Corse

Team Asia).

NC

Dennis Foggia

Os 18 melhores foram então dis-

NC

Darryn Binder

putar a segunda e decisiva fase

NC

Ayumu Sasaki

Petronas Sprinta Racing

da qualificação pela primeira vez

NC

Jaume Masiá

Bester Capital Dubai

combinada estava ordenada após o FP2. MOTO3, QUALIFICAÇÃO: ARÓN CANET IMPÔS RITMO A disputa pelas quatro últimas vagas na Q2 foi intensa no Moto3 em Losail. Na Q1, o top cinco terminou separado por menos de duas décimas de segundo, sendo que o último dos quatro apurados – Raúl Fernández (Ángel Nieto Team) selou a vaga ao bater Tatsuki Suzuki (SIC58) por meras 50 milésimas. Também consumaram o apuramento Celestino Vietti (Sky Racing Team VR46), John McPhee (Sprinta Racing) e Ai Ogura (Honda

-8- | MOTORCYCLE SPORTS |

Piloto

Equipa

KTM

+ 31.943s

Honda

+ 31.979s

BOE Skull Rider Mugen Race

KTM

+ 1m23.259s

CIP Green Power

KTM

+ 3 voltas

Honda

4 voltas

SKY Racing Team VR46

KTM

4 voltas

CIP Green Power

KTM

1 volta

Honda

0 voltas

KTM

0 voltas


cinco minutos do fim que o espa-

Baldassarri entrou na frente dos treinos de Moto2

acabaria por ser muito diferente,

nhol assumiu pela primeira vez o

sem que o espanhol se tenha im-

topo da tabela, mas mais ninguém

posto como na qualificação e no

o destronou. Lorenzo Dalla Porta

da surpresa que o nipónico tinha

TRIUNFOS

warm-up.

(Leopard) foi o que mais perto es-

‘reservada’ para o Qatar.

A primeira corrida da época dos

Canet até partiu melhor desde a

teve de o fazer ficando a 0,197s,

Mundiais de motociclismo foi a

pole position, sendo perseguido

ao passo que Kaito Toba (Honda

MOTO3, CORRIDA: KAITO

de Moto3 no Qatar. Depois de no

por Dalla Porta e Tony Arbolino

Team Asia) surpreendeu com o

TOBA ENTROU A GANHAR

warm-up Arón Canet voltar a ser o

(Snipers Team). Mais atrás, Kaito

terceiro registo – mas, como per-

EM 2019 E ESTREOU-SE NOS

mais rápido, a história da corrida

Toba começava a galgar posições depois de ter caído para o fim do

Kaito Toba surpreendente estreou-se a ganhar

top dez e a 14 voltas do fim tinha acabado de chegar a quinto, passando pela primeira vez para o topo a 12 voltas do término da prova. A luta pela vitória e pelos lugares de pódio foi intensa, com um enorme grupo compacto na dianteira a trocar várias vezes de posições. Um dos homens que lá estava era Fenati, que já perto do fim recebeu um aviso por exceder de forma constante os limites de pista. twitter.com/honda_team_asia

ceberá daqui a pouco, era só parte

Acontece que interpretou o aviso como penalização e passou pela trajetória da ‘Long Lap Penalty’ erradamente, perdendo as suas chances. Na parte final, a luta pelo triunfo | MOTORCYCLE SPORTS | -9-


GP do Qatar

KF Glaenzel/RacePix

MotoGP

ficou reduzida a dois. Toba acabou por levar a melhor batendo Dalla Porta por escassas 53 milésimas. Canet, que arrancara da pole position, teve de se contentar com o terceiro posto, assegurando-o com alguma margem (0,210s) para o quarto classificado Marcos Ramírez. Após a prova, Toba não escondeu o seu contentamento com o resultado, admitindo inclusive ao site do MotoGP que se parece como um sonho: – É uma sensação fantástica, parece que estou a sonhar. Esta semana trabalhei no duro com a minha equipa. Foi uma corrida difícil, era um grupo muito grande na frente. Tentei forçar o ritmo desde o início mas foi complicado conseguir uma boa vantagem sobre o segundo piloto. Estivemos muito fortes, e de-

comandos de uma NTS ficando a

pois desta primeira vitória vamos

0,329s.

continuar a trabalhar.

Mas o melhor de sexta-feira estaria

Primeira pole position da carreira de Schrötter

reservado para o FP2 noturno. Se

sas melhorias nos últimos minutos.

zo Baldassarri (Flexbox HP40) che-

MOTO2, TREINOS LIVRES:

ao fim dos primeiros dez minutos

Nessa fase, Tom Lüthi sofreu uma

gou ao topo da tabela com uma

BALDASSARRI NO TOPO

era Jorge Navarro (+Ego Speed Up)

aparatosa queda, enquanto Loren-

volta completada em 1m58,635s.

DO PRIMEIRO DIA DA ERA

a liderar, o mesmo não se pode di-

TRIUMPH

zer do final, na sequência de diver-

A abertura da temporada do Mundial de Moto2 e da era Triumph deu-se com uma sessão ainda diurna, na qual Marcel Schrötter rubricou a melhor marca. O primeiro treino livre da categoria intermédia teve quase sempre um homem da Dynavolt Intact GP na primeira posição e acabou por ser o germânico a levar a melhor. Numa reta final de FP1 com diversas melhorias, Schrötter rubricou uma volta em 1m59,591s que lhe deu o comando na frente de Xavi Vierge (Estrella Galicia 0,0 Marc VDS). O espanhol, em estreia pela sua nova equipa, ficou a 0,193s. Bo Bendsneyder foi um surpreendente terceiro classificado aos -10- | MOTORCYCLE SPORTS |

Baldassarri celebrou começo vitorioso


Gold and Goose

Assim, deixou para trás o líder do FP1, Schrötter, por 0,234s, ao passo que Remy Gardner (ONEXOX TKKR SAG Team) ficou a 0,264s em terceiro. Estes registos foram válidos também para a tabela combinada no fim de sexta-feira. Para o Moto2, o dia de sábado no Qatar começou com o terceiro treino livre que fecharia o top 14 e consequentes lugares de apuramento direto para a segunda fase da qualificação. Jorge Martín – o sucessor de Miguel Oliveira na Red Bull KTM Ajo – terminou com o melhor tempo do FP3 graças a uma volta feita em 1m59,596s Nagashima

(ONEXOX

Losail foi o palco da estreia de Oliveira no MotoGP

já na última dezena de minutos.

Tetsuta

Schrötter ficou em segundo a ape-

TKKR SAG Team) ficou em terceiro

nas 43 milésimas.

e também seguiu em frente. Já a

Como ninguém melhorou face ao

definição do quarto lugar teve al-

de Schrötter, que conquistou a sua

quedas, entre colisões e quedas a

dia anterior, acabou por ser a clas-

gum drama à mistura. No final, Fa-

primeira pole position no Moto2.

solo. Os quatro primeiros começa-

sificação no fim de sexta-feira que

bio Di Giannantonio (+Ego Speed

Após a qualificação, o germânico

ram a destacar-se, com Baldassarri

também imperou para as contas

Up) rubricou o quarto tempo que

comentou: ‘Estivemos próximos

na frente de Vierge, Schrötter e

combinadas. O último a assegurar

lhe daria acesso à Q2 batendo Iker

tantas vezes. Finalmente alcançar a

Gardner. Ainda numa fase relativa-

uma vaga direta na Q2 foi Bends-

Lecuona (American Racing KTM)

pole position é uma sensação óti-

mente inicial, Tom Lüthi conseguiu

neyder, 29 milésimas na frente de

por 30 milésimas. No entanto, já

ma. Estou orgulhoso pelo trabalho

desde logo o recorde de volta a

Tom Lüthi (Dynavolt Intact GP). O

depois da bandeira de xadrez, ficou

que fizemos até agora. Até agora

Losail.

alemão e Luca Marini (Sky Racing

a saber-se que o tempo da volta de

tivemos sempre de desistir da pole

Já a dez voltas do fim, Baldassarri

Team VR46) foram as maiores

Di Giannantonio tinha sido cance-

position nos últimos minutos. Mas

tinha aberto uma margem a rondar

surpresas entre os homens que

lada por exceder os limites da pista

este fim de semana tudo correu

um segundo face a Schrötter, en-

ficaram obrigados a passar pela

na curva 15. Assim, Lecuona sorriu

muito bem desde início’.

quanto Vierge se afundara na clas-

Q1 para disputar uma das últimas

e seguiu em frente para a Q2.

quatro vagas na fase decisiva da

Nessa fase, os 14 participantes

MOTO2, CORRIDA: FINAL DE

Em franca recuperação, Lüthi foi

qualificação.

disputaram a pole position e as pri-

LOUCOS TERMINOU COM

galgando terreno até chegar à per-

sificação a partir da sétima volta.

meiras linhas da grelha de partida.

BALDASSARRI A GANHAR

seguição direta a Baldassarri. Ape-

MOTO2, QUALIFICAÇÃO:

Schrötter chegou rapidamente ao

Depois de Remy Gardner ser o

sar da pressão, o italiano aguentou

ESTREIA DE SCHRÖTTER NAS

comando, mas já depois de supe-

mais rápido do warm-up batendo

a liderança que ocupou durante

POLE POSITIONS

rado por outros pilotos o alemão

Augusto Fernández (Flexbox HP

grande parte da corrida e cortou a

Tal como no Moto3, também o

só fez o seu melhor registo a me-

40) por 0,103s, chegou a tão espe-

meta apenas 26 milésimas na fren-

Moto2 usou pela primeira vez na

nos de cinco minutos da bandei-

rada primeira corrida para a classe

te de Lüthi.

sua história o formato de qualifica-

ra de xadrez. A sua melhor volta,

de Moto2. Schrötter partia da pole

Ainda mais empolgante foi a luta

ção dividida em duas subsessões.

1m58,585s, permitiu-lhe superar

position, com Vierge e Baldassarri

pelo terceiro lugar, da qual Schrö-

Na primeira, um total de 18 pilo-

Vierge por claros 0,146s, sendo

logo ao lado a prometerem não lhe

tter só levou a melhor em cima da

tos rodou em Losail com o obje-

Baldassarri o terceiro a 0,199s para

facilitar a tarefa no arranque.

linha – bateu Gardner por escassas

tivo de ficar no top quatro. Luca

fechar a primeira linha da grelha de

Vierge fez o holeshot, mas não

duas milésimas. O top cinco foi fe-

Marini conseguiu o melhor registo

partida.

muito depois Baldassarri assumiu

chado por Fernández.

(1m59,154s) na frente do colega

Este foi um dia 9 de março de

a liderança. Os primeiros momen-

Estes foram os comentários de

Nicolò Bulega por 0,149s.

2019 dificilmente sairá da memória

tos ficaram marcados por algumas

Baldassarri após uma vitória suada | MOTORCYCLE SPORTS | -11-


MotoGP

GP do Qatar

CLASSIFICAÇÃO GP QATAR - MOTO2 Pos.

Piloto

muito simples: fazer o meu melhor Equipa

Moto

Tempo/Diferença

e tentar fazer o meu trabalho como

1.º

Lorenzo Baldassarri

Flexbox HP 40

Kalex

39m56,109s

sempre, e fazer a equipa contente

2.º

Tom Lüthi

Dynavolt Intact GP

Kalex

+ 0,026s

com a minha performance. Sinto

3.º

Marcel Schrötter

Dynavolt Intact GP

Kalex

+ 2,123s

que é importante para mim termi-

4.º

Remy Gardner

ONEXOX TKKR SAG Team

Kalex

+ 2,125s

nar a corrida, ganhar experiência e

5.º

Augusto Fernández

Flexbox HP 40

Kalex

+ 2,305s

perceber onde melhorar a minha

6.º

Sam Lowes

Federal Oil Gresini Moto2

Kalex

+ 3,334s

pilotagem. O mais importante é

7.º

Alex Márquez

EG 0,0 Marc VDS

Kalex

+ 5,018s

8.º

Luca Marini

SKY Racing Team VR46

Kalex

+ 7,336s

9.º

Enea Bastianini

Italtrans Racing Team

Kalex

+ 12,949s

10.º

Xavi Vierge

EG 0,0 Marc VDS

Kalex

+ 13,865s

11.º

Fabio di Giannantonio

+Ego Speed Up

Speed Up

+ 15,525s

12.º

Brad Binder

Red Bull KTM Ajo

KTM

+ 16,591s

13.º

Andrea Locatelli

Italtrans Racing Team

Kalex

+ 18,667s

14.º

Jesko Raffin

NTS RW Racing GP

NTS

+ 18,916s

15.º

Jorge Martín

Red Bull KTM Ajo

KTM

+ 22,771s

16.º

Bo Bendsneyder

NTS RW Racing GP

NTS

+ 22,822s

17.º

Khairul Idham Pawi

Petronas Sprinta Racing

Kalex

+ 23,978s

18.º

Dominique Aegerter

MV Agusta Idealavoro Forward

MV Agusta

+ 26,904s

19.º

Simone Corsi

Tasca Racing Scuderia Moto2

Kalex

+ 27,030s

20.º

Stefano Manzi

MV Agusta Idealavoro Forward

MV Agusta

+ 40,274s

21.º

Lukas Tulovic

Kiefer Racing

KTM

+ 43,003s

22.º

Joe Roberts

American Racing KTM

KTM

+ 44,212s

23.º

Philipp Öttl

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+ 47,657s

24.º

Dimas Eekky Pratama

IDEMITSU Honda Team Asia

Kalex

+ 57,596s

25.º

Xavi Cardelús

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

+ 1m18,749s

o forçou a estar de fora de um dos

26.º

Marco Bezzecchi

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+ 1m35,817s

testes de pré-época. Já o seu cole-

NC

Tetsuta Nagashima

ONEXOX TKKR SAG Team

Kalex

2 voltas

ga Marc Márquez, operado ao om-

NC

Jake Dixon

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

2 voltas

bro no início de dezembro do ano

NC

Somkiat Chantra

IDEMITSU Honda Team Asia

Kalex

1 volta

passado, era o outro dos pilotos

NC

Jorge Navarro

+Ego Speed Up

Speed Up

0 voltas

da frente que não chegava a Losail

NC

Nicolò Bulega

SKY Racing Team VR46

Kalex

0 voltas

na melhor forma possível, embora

NC

Iker Lecuona

American Racing KTM

KTM

0 voltas

antes do fim de semana tenha as-

ganhar esta experiência na minha primeira corrida do MotoGP, não penso em nenhum resultado em específico. Claro, que o resultado é sempre importante, mas como é a minha primeira corrida, não me quero focar em nada em especial. Fazer um bom trabalho, dar o meu máximo e sair do Qatar com um sorriso. Além da estreia de Oliveira, havia também a expectativa quando à primeira corrida de Jorge Lorenzo pela Honda, ainda que o espanhol não chegasse em pleno de forma. Um incidente enquanto treinava em janeiro provocou-lhe uma lesão num osso escafoide da qual ainda se ressentia um pouco e que

segurado que estava praticamente mas merecida pelo que fez em pis-

chegava a Losail depois de uma

a 100 por cento.

ta ao longo da corrida: ‘Efetuámos

MOTOGP: A TÃO ANSIADA

pré-temporada em que pode não

uma corrida muito boa. Arranquei

ESTREIA DE MIGUEL OLIVEIRA

ter saído do último terço da tabela

MOTOGP, TREINOS LIVRES

bem e quando pude situei-me na

Ao falar do GP do Qatar de Mo-

mas mostrou progressos evidentes

1 E 2: MÁRQUEZ NO TOPO E

liderança. Impus o meu ritmo e

toGP de 2019 é incontornável, em

aos comandos da sua RC16.

OLIVEIRA EM PROGRESSÃO

concentrei-me para o manter. Vi

Portugal, falar da estreia de Miguel

Antes da corrida de estreia, os

Ao início da tarde de dia 8 de

que os de trás não me apanhavam.

Oliveira. Pela primeira vez, um pilo-

objetivos eram moderados para

março de 2019 (hora de Portugal

No final, não esperava o ataque do

to luso iniciava uma temporada na

Oliveira, que na antevisão afirmou

Continental) deu-se o tiro de par-

Lüthi, mas fechei todos os espaços

elite do principal campeonato de

que mais do que no que resultado

tida para a época do Mundial de

já que queria a vitória. Obrigado à

motociclismo ao nível mundial.

o seu pensamento estava focado

MotoGP, com o arranque do pri-

equipa, aos patrocinadores, fize-

Integrando a Red Bull KTM Tech3,

em acabar e ganhar experiência:

meiro treino livre do GP do Qatar.

mos um bom trabalho e devemos

o #88 – sendo o número uma das

– Penso que a abordagem ao pri-

Numa fase inicial, Danilo Petrucci

continuar assim’.

suas novidades para este ano –

meiro Grande Prémio é sempre

(Mission Winnow Ducati) foi dos

-12- | MOTORCYCLE SPORTS |


Honda Racing Corporation

Márquez com a supremacia nos treinos livres no Qatar

minou em 18.º a 1,013s do topo,

trucci. Mais atrás, e com cerca de

sendo de destacar a melhor a ron-

20 minutos decorridos, Oliveira

primeiros a passar pela frente, mas

aproximou-se dos lugares cimeiros

dar os três segundos entre a sua

era o melhor das KTM em 16.º.

Márquez superou-o por 0,103s.

e mesmo no fim conseguiu mesmo

primeira e última volta lançadas.

Dentro do último quarto de hora,

Oliveira começou discreto, nas úl-

passar para a dianteira superando

Já em período noturno, teve lugar

surpresa de Joan Mir (Suzuki Ecs-

timas posições da tabela.

Lorenzo por 79 milésimas. Már-

o FP2 em Losail e, logo numa fase

tar), que bateu Márquez para assu-

Nos últimos minutos do FP1,

quez ficou em terceiro e Andrea

inicial, Márquez bateu a melhor

mir o comando.

existiram melhorias substanciais

Dovizioso (Mission Winnow Duca-

marca do primeiro treino, sendo

No entanto, ainda muito alterou até

e Lorenzo chegou a passar pelo

ti) em terceiro. Miguel Oliveira ter-

acompanhado de perto por Pe-

ao término da sessão – três pilotos

topo da tabela batendo Márquez.

acabaram por chegar ao 1m53s, com Márquez em destaque graças

Arranque de época com a pole position para Viñales

a uma volta em 1m53,380s que lhe permitiu terminar 0,474s na frente de Maverick Viñales (Monster Yamaha). Mais uma vez, Oliveira evidenciou progressos – baixou a sua marca de referência do FP1 em mais de um segundo e ficou em 20.º não muito longe de uma das KTM de fábrica. No final deste dia inaugural de 2019, Márquez desvalorizou os tempos: ‘Foi um dia muito positivo! Eu estava bastante concentrando em ir diretamente para o Q2 e Yamaha Motor Europe

Valentino Rossi (Movistar Yamaha)

sim, a volta foi rápida, mas o mais importante é o nosso ritmo. Ainda precisamos trabalhar um pouco sobre isso, mas estamos a encontrar | MOTORCYCLE SPORTS | -13-


MotoGP

GP do Qatar

o nosso caminho e felizes com a

poucos a melhorar face ao FP2 e

17.º

alcançou a 17.ª posição à partida,

forma como o dia acabou. Normal-

nenhum dos que o fez alcançou o

Já com a noite caída em Losail,

sendo o segundo mais forte do

mente, lutamos muito neste circui-

top dez – o que significa que Joan

chegou o primeiro momento deci-

‘universo’ KTM logo atrás de Pol

to, mas estamos lá mais ou menos.

Mir garantiu a última vaga direta

sivo da temporada – a qualificação

Espargaró – da equipa de fábrica.

É um treino livre, domingo ainda é

na Q2, com 35 milésimas de mar-

do GP do Qatar. Os pilotos que

A tensão em Losail subiu para a

a parte mais importante do fim de

gem face a Lorenzo. Oliveira este-

terminaram entre 11.º e 23.º na

Q2. Na derradeira sessão de sá-

semana’.

ve novamente em melhoria, ficou

tabela combinada dos três primei-

bado, Maverick Viñales teve uma

Já Miguel Oliveira fez assim o res-

em décimo da sessão e em 20.º na

ros treinos livres tiveram de passar

prestação dominadora liderando

caldo do seu primeiro dia enquan-

tabela combinada melhorando face

pela Q1 para disputarem as duas

praticamente sempre. O espanhol

to piloto de MotoGP: ‘Foi um dia

a sexta-feira.

últimas vagas na Q2 de discussão

da Yamaha fez a sua melhor vol-

complicado no final. Sabíamos

Antes da qualificação, aconteceu

da pole position.

ta dentro dos últimos cinco mi-

que o FP2 seria importante e que

o habitual FP4 de meia hora em

E logo na Q1 existiram as primei-

nutos ficando com um registo de

todos iriam forçar [o ritmo] para

que os pilotos e as equipas pude-

ras grandes surpresas da tempo-

1m53,546s. Dovizioso foi quem

conseguir uma volta rápida, mas

ram limar as últimas arestas para a

rada. Nos últimos cinco minutos

mais perto esteve de contrariar a

não conseguimos tirar o proveito

qualificação e corrida. Um total de

da sessão, Cal Crutchlow – que já

supremacia de Viñales na qualifi-

máximo do pneu que tínhamos.

quatro pilotos passaram pela fren-

liderava – reforçou o comando e o

cação mas ficou a 0,198s – uma

Estamos a tentar entender o que

te, mas com cerca de metade do

seu colega da LCR Honda, Takaaki

milésima à frente de Marc Már-

é que podemos melhorar na moto

treino decorrido Petrucci assumiu

Nakagami, chegou ao segundo. A

quez, que fecharia a primeira linha

para ganhar mais à saída das cur-

em definitivo o topo. O seu colega

dupla acabou por não ser supera-

da grelha de partida. Jack Miller

vas, que parece ser o que nos tem

Dovizioso ficou em segundo a 13

da até ao fim, sendo Bagnaia o que

(Pramac Ducati), em quarto, foi o

retido mais. Mas acredito que po-

milésimas, com Viñales em tercei-

mais perto esteve de o fazer – fi-

melhor das equipas oficiais, ao pas-

demos fazer um bom FP3 e talvez

ro. Miguel Oliveira chegou ao fim

cou a 0,041s de Nakagami.

so que Fabio Quartararo (Petronas

aproximarmos-nos da frente. Sem

em 16.º e sem melhorar face ao

Sendo estes os dois apurados, fica-

Yamaha SRT) foi o mais forte dos

dúvida que estamos longe do Q2,

FP3.

ram de fora da Q1 Rossi e Lorenzo,

rookies em quinto.

relegados respetivamente aos 14.º

Após conquistar a pole position,

mas vamos tentar ficar mais perto’.

e 15.º lugares na grelha. Miguel

Viñales confessou em conferência

VIÑALES ABRIU ANO COM

Oliveira fez a sua melhor volta à

de imprensa que não estava nas

DE SÁBADO: MÁRQUEZ

POLE POSITION; OLIVEIRA EM

segunda tentativa (1m55,122s) e

suas expectativas ter um tempo a

NOVAMENTE LÍDER; OLIVEIRA NO TOP DEZ DO FP3 O dia de sábado começou para o MotoGP ainda com o sol a raiar em Losail. Numa sessão acidentada, Lorenzo e Márquez sofreram quedas numa fase inicial. Ao longo do treino, os tempos desceram de forma gradual, sendo alguns os homens a passarem pelo topo – como por exemplo Álex Rins (Suzuki Ecstar). Márquez acabou por ser o mais rápido graças a uma volta em 1m54,677s. Francesco Bagnaia (Pramac Ducati) foi quem mais perto ficou, a apenas 63 milésimas, com Pol Espargaró (Red Bull KTM) a ser um surpreendente terceiro a 0,202s. Este treino foi mais lento do que os de sexta-feira, pelo que foram -14- | MOTORCYCLE SPORTS |

Gold & Goose/Red Bull Content Pool

MOTOGP, QUALIFICAÇÃO: MOTOGP, TREINOS LIVRES


este nível: ‘Não esperava ser tão

mos tanto no FP4 e melhorámos

rápido por causa do vento mas

bastante desde sexta-feira. Esta-

fizemos um bom tempo. Trabalhá-

mos a trabalhar de uma forma bem

BEIRER ESPERAVA ADAPTAÇÃO MAIS FÁCIL DE ZARCO O começo de Johann Zarco na Red Bull KTM esteve longe de ser fácil, com o gaulês que tão boa impressão tinha deixado na Tech3 Yamaha em 2017 e 2018 distante do seu colega Pol Espargaró agora na maquinaria da KTM. O diretor desportivo da marca de Mattighofen, Pit Beirer, admitiu ao site oficial do MotoGP à margem do GP do Qatar que não esperava tantas dificuldades para Zarco: – Não quero mentir, esperávamos uma troca mais fácil para o Johann para vir para a nossa moto e sair-se bem, mas ele está com dificuldades, portanto parece provado que precisas de pilotar uma KTM de forma diferente de outras motos e o Johann precisa de se adaptar à nossa moto. Neste momento ele está a pilotar com uma boa velocidade mas ainda não estamos lá,

Quase nada separou Dovizioso e Márquez no fim da corrida

positiva. Agora consigo puxar pela

DOVIZIOSO E MÁRQUEZ;

moto e isso é o mais importante’.

OLIVEIRA PERTO DO TOP 15

No polo oposto, Miguel Oliveira

Depois de Danilo Petrucci estabe-

admitiu que pensava que podia fa-

lecer o melhor tempo do warm-up

zer melhor do que fez: ‘Pensei que

57 milésimas na frente de Marc

poderia fazer uma volta um pouco

Márquez (Miguel Oliveira foi 15.º

melhor […]. Na última saída para a

a 1,022s), eis chegado o momento

pista houve alguma confusão com

dos semáforos se apagarem para a

os pilotos da frente e eu não pude

primeira corrida do ano de Moto-

atacar para fazer uma volta lim-

GP. Foi a 10 de março de 2019 que

pa. Estou um pouco desapontado

a nova temporada teve o seu início

por isso mas de outro lado estou

no que a corridas diz respeito.

contente por partir da sexta linha.

A prova começou de forma dramá-

É uma boa posição para arrancar

tica para Quartararo, que deixou

logo na nossa primeira corrida que

a moto ir abaixo na grelha antes

me permite estar perto do nosso

da volta de aquecimento e teve

objetivo que é o de conseguir ter-

de partir da via das boxes. Olivei-

minar nos pontos. Vamos ver’.

ra também deixou a sua moto ir abaixo, mas como conseguiu voltar

MOTOGP, CORRIDA: QUASE

antes das luzes se apagarem ainda

AO ‘PHOTO FINISH’ ENTRE

pôde ocupar a última posição da | MOTORCYCLE SPORTS | -15-


MotoGP

grelha de partida.

GP do Qatar

CLASSIFICAÇÃO GP QATAR - MOTOGP

Dovizioso fez o holeshot, enquanto

Pos.

no sentido inverso Viñales perdeu

1.º

Andrea Dovizioso

algumas posições depois de partir

2.º

do primeiro posto. Miller chegou

3.º

a passar pela vice-liderança, mas não resistiu a problemas com o assento que acabariam por resultar no abandono. A 19 voltas do fim, Dovizioso tinha algum avanço para Márquez, com as Suzuki de Rins e Mir no encalço do #93. Mais atrás, Oliveira ia desenvolvendo uma corrida sólida entre o top 15 que, no fim, dá direito a pontuar. Pouco depois, Rins atingiu pela primeira vez o comando ultrapassando Dovizioso quando estavam cumpridas cinco voltas – ele que tinha começado em décimo. À luta pela frente acabou por se juntar Petrucci, estando também nela Cal Crutchlow (LCR Honda Castrol) que, entretanto, tinha-se livrado de Joan Mir (Suzuki Ecstar). A discussão das posições cimeiras

Piloto

Equipa

Moto

Tempo/Diferença

Mission Winnow Ducati

Ducati

42m36,902s

Marc Márquez

Repsol Honda Team

Honda

+ 0,023s

Cal Crutchlow

LCR Honda Castrol

Honda

+ 0,320s

4.º

Álex Rins

Team Suzuki Ecstar

Suzuki

+ 0,457s

5.º

Valentino Rossi

Monster Energy Yamaha MotoGP

Yamaha

+ 0,600s

6.º

Danilo Petrucci

Mission Winnow Ducati

Ducati

+ 2,320s

7.º

Maverick Viñales

Monster Energy Yamaha MotoGP

Yamaha

+ 2,481s

8.º

Joan Mir

Team Suzuki Ecstar

Suzuki

+ 5,088s

9.º

Takaaki Nakagami

LCR Honda Idemitsu

Honda

+ 7,406s

10.º

Aleix Espargaró

Aprilia Racing Team Gresini

Aprilia

+ 9,636s

11.º

Franco Morbidelli

Petronas Yamaha SRT

Yamaha

+ 9,647s

12.º

Pol Espargaró

Red Bull KTM Factory Racing

KTM

+ 12,774s

13.º

Jorge Lorenzo

Repsol Honda Team

Honda

+ 14,307s

14.º

Andrea Iannone

Aprilia Racing Team Gresini

Aprilia

+ 14,349s

15.º

Johann Zarco

Red Bull KTM Factory Racing

KTM

+ 15,093s

16.º

Fabio Quartararo

Petronas Yamaha SRT

Yamaha

+ 15,905s

17.º

Miguel Oliveira

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+ 16,377s

18.º

Karel Abraham

Reale Avintia Racing

Ducati

+ 22,972s

19.º

Tito Rabat

Reale Avintia Racing

Ducati

+ 23,039s

20.º

Hafizh Syahrin

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+ 43,242s

NC

Bradley Smith

Aprilia Factory Racing

Aprilia

20 voltas

NC

Jack Miller

Alma Pramac Racing

Ducati

12 voltas

NC

Francesco Bagnaia

Alma Pramac Racing

Ducati

9 voltas

aqueceu nas últimas voltas, com os quatro primeiros a caberem em

seu turno, acabou por quebrar na

do, Andrea Dovizioso comentou

conservar o pneu traseiro e isto fez

curtas margens. A duas voltas do

fase final da corrida e quedou-se

que não foi fácil cumprir a sua es-

diferenças, mas não foi nada fácil

fim, e aproveitando um pequeno

pelo oitavo lugar. Ainda assim, foi

tratégia e mostrou a natural satis-

porque estive na liderança quase

erro de Dovizioso, Márquez pas-

o melhor rookie – Fabio Quartara-

fação com o triunfo: ‘Estou muito

toda a corrida e não pude estudar

sou para a frente da corrida. Mas

ro recuperou até 16.º, Oliveira foi

feliz com esta vitória, especialmen-

os meus adversários. O Márquez,

nada estava decidido. À entrada da

17.º e Bagnaia abandonou com da-

te porque depois dos testes não

como sempre, quis tentar até ao

derradeira volta, o #04 respondeu

nos na sua moto.

esperava ser tão rápido. Mantive-

fim’.

e recuperou o comando na reta da

Na primeira metade da corrida, Oli-

mos a concentração e fizemos pro-

Já Marc Márquez relembrou que

meta, resistindo depois às tentati-

veira rodou consistentemente nos

gressos a cada treino. A estratégia

se tratou de um GP do Qatar em

vas de ultrapassagem de Márquez

lugares pontuáveis, mas na fase

para a corrida era simples: queria

tudo parecido com o de 2018,

para ganhar com 23 milésimas de

final acabou por perder algum ím-

margem.

peto e caiu para o 17.º posto final,

Crutchlow bateu Rins num anima-

perdendo por isso a chance de se

do duelo pelo terceiro posto e foi

estrear no MotoGP com pontos.

também o melhor das equipas in-

O 15.º lugar, ocupado por Johann

dependentes, enquanto Valentino

Zarco na segunda KTM da equipa

Rossi completou uma recuperação

de fábrica, ficou a pouco mais de

notável desde 14.º até quinto – e

um segundo de distância para Oli-

a pouco mais de duas décimas do

veira.

pódio. Viñales não foi além de sétimo depois da pole position, so-

MOTOGP, REAÇÕES

frendo uma corrida difícil. Mir, por

Depois da corrida, em comunica-

-16- | MOTORCYCLE SPORTS |

DOVIZIOSO IGUALA BIAGGI A vitória no GP do Qatar foi a 13.ª da carreira de Andrea Dovizioso no Mundial de MotoGP. Desta forma, igualou Max Biaggi como o terceiro italiano com mais triunfos conquistados na categoria-rainha (500cc e/ou MotoGP). À frente de Dovizioso e Biaggi estão apenas Giacomo Agostini (68 vitórias) e Valentino Rossi (89 triunfos até ao momento).


Gold & Goose/Red Bull Content Pool

gular fazê-lo e, por isso, protestaram para o Tribunal do Apelo da FIM. Assim, e com a desclassificação dos pilotos das motos em causa a ser uma possibilidade, os resultados ficaram alguns dias em suspenso. Foi já na semana do GP da Argentina que surgiu a decisão final do Tribunal do Apelo. Este organismo deu razão à Ducati e a Aldridge e confirmou os resultados do GP do ao afirmar em comunicado: ‘Foi

Dispositivo da Ducati gerou muita controvérsia no Qatar

Qatar, considerando que o ‘spoiler’ não só estava legal como também

exatamente igual ao ano passado.

poderia continuar a ser usado, sem

Tentei atacar forte, mas neste cir-

adiantar grandes explicações no

cuito quando ultrapassas sais largo

corrida e assim que começámos eu

objetivo seria um único ponto e,

comunicado oficial.

e não consegues manter a trajetó-

e o Marc Márquez tivemos táticas

até a três ou quatros voltas do fim,

Numa conferência de imprensa à

ria. Tentei estar lá; queria manter o

semelhantes – poupando o pneu

estávamos com isso em mente’.

margem do GP da Argentina citada

ritmo e estar lá até ao fim. Estou

traseiro e gerindo um pouco mais

muito contente com os 20 pontos,

as coisas’.

MOTOGP, ARGENTINA:

ral da Ducati Corse, Gigi Dall’Igna,

porque normalmente neste circui-

Depois de Miguel Oliveira rodar

A POLÉMICA DEPOIS DA

congratulou a decisão e lamentou

to sofremos muito e este fim de

dentro dos lugares pontuáveis du-

CORRIDA

o dinheiro que foi necessário gas-

semana trabalhámos muito. Mu-

rante boa parte da corrida do Qa-

A corrida do GP do Qatar terminou

tar e segredos necessários de reve-

dámos algumas coisas que fizeram

tar e do 17.º lugar final, o luso me-

em pista dentro do seu tempo nor-

lar num processo evitável:

com que não conseguisse atacar

receu elogios por parte do diretor

mal, mas após a mesma muita tinta

– Interpretámos as regras de forma

tanto como normalmente faço nas

de equipa da Red Bull KTM Tech3.

correu fora do circuito. Tudo por

adequada, não apenas do ponto

travagens, mas acabámos a corrida

Hervé Poncharal analisou assim a

causa de um ‘spoiler’ que a Ducati

de vista do diretor técnico como

e somámos bons pontos’.

corrida do luso em comunicado:

decidiu instalar nas três Desmo-

também do ponto de vista do Tri-

Depois de meses complicados de-

‘Foi uma corrida incrível do Miguel

sedici GP19, um dispositivo loca-

bunal do Apelo, que teve a chance

vido a lesão, Crutchlow não podia

Oliveira aqui na sua primeira prova

lizado abaixo do braço oscilante e

de ler não só os nossos documen-

estar mais satisfeito por voltar à

de MotoGP com a Red Bull KTM

que segundo a formação de Borgo

tos como também os documentos

competição com um pódio. Após

Tech3! O motor foi abaixo na gre-

Panigale se destina essencialmente

dos nossos adversários. Diante do

a ronda de Losail, afirmou: ‘É óti-

lha tal como aconteceu ao Fabio

a arrefecer o pneu traseiro.

Tribunal do Apelo temos de dizer

mo estar de volta à competição do

Quartararo, mas, felizmente, ele

A solução recebeu ‘luz verde’ do di-

algo acerca do nosso conhecimen-

MotoGP, para não falar de sair com

conseguiu reiniciar e partiu de úl-

retor técnico Danny Aldridge, mas

to também à frente dos nossos ad-

um pódio, mas a minha equipa fez

timo. Com esta desvantagem, ele

quatro dos outros construtores

versários. E seguramente esta não

um ótimo fim de semana. […]. Este

já estava no 15.º lugar após a pri-

não ficaram convencidos. Aprilia,

é a melhor forma de fazer as coisas

fim de semana foi difícil e se me

meira volta e então vimos ele ir até

Honda, KTM e Suzuki tinham mo-

no motociclismo. […]. 50 por cento

perguntassem depois do warm-up

ao 13.º posto com Jorge Lorenzo

tivos para acreditar que a solução

do orçamento do túnel de vento

se eu terminaria no pódio, ter-me-

e os pilotos de fábrica atrás de si.

da Ducati gera carga aerodinâmica

para a aerodinâmica gastou-se no

-ia rido! Joguei as minhas cartas na

Então, começámos a sonhar que o

num local da moto em que é irre-

Tribunal do Apelo.

pelo Motorsport.com, o diretor-ge-

| MOTORCYCLE SPORTS | -17-


Entrevista

Davide Brivio

www.suzuki-racing.com

‘Miguel Oliveira pode ser um dos pilotos de topo no futuro’ Joan Mir, Sylvain Guintoli, Álex Rins

Nesta quarta edição, o Motorcycle Sports decidiu entrevistar as três caras que mais destaque têm dentro da Team SUZUKI ECSTAR com Davide Brivio a ser a primeira delas. O responsável que trabalhou com Valentino Rossi é Team Manager da estrutura nipónica e por isso é um dos pilares de toda uma equipa que já mostrou ser uma ameaça ao pódio. ENTREVISTA: Rodrigo Fialho TEXTO: Gonçalo Viegas -18- | MOTORCYCLE SPORTS |


www.suzuki-racing.com

da frente, do top cinco e agarrar a Ao seu encargo tem Álex Rins e

oportunidade de batalhar pelo pó-

Joan Mir numa temporada que

dio quando a oportunidade surgir.

promete ser entusiasmante. A ver-

Infelizmente na Argentina o Joan

dade é que nos testes de pré-épo-

não teve um dia bom, teve pro-

ca, a Suzuki mostrou que era capaz de conseguir ser veloz com os re-

blemas com o pneu a deslizar, es-

Joan Mir, Álex Rins

tava escorregadio... mas podemos ver durante os treinos quando ele

a aparecer. É importante salientar

sobe à moto que ele tem potencial.

que esta entrevista em específico

Sabemos que ele tem de aprender

decorreu após a corrida do GP da

e faremos o nosso melhor para o

Argentina; isto é, antes da vitória

colocarmos numa posição em que

de Álex Rins nas Américas.

ele possa ajudar esse potencial.

Twitter/Team SUZUKI ECSTAR

sultados a não demorarem muito

Motorcycle Sports: Quarto no Qatar com o Álex Rins e melhor novato com o oitavo lugar do Joan Mi r. Pode-se falar num iní-

MS: A GSX-RR melhorou muito. Novo motor, novo chassis e melhorias na eletrónica e na carenagem. Os pilotos têm a mesma

cio motivador de temporada?

opinião da moto?

Davide Brivio: É encorajador por-

DB: Sim, os dois estão contentes

que, como dissemos no inverno,

com a moto. Além disso usam afi-

queríamos continuar a tendência

nações similares, diria, mas é claro

em que tínhamos ficado no final

que o maior trabalho de desenvol-

da temporada passada, quando

vimento tem sido feito pelo Álex

estávamos na luta pelos lugares de topo e por vezes acabámos

Álex Rins, Davide Brivio

porque tem mais experiência. Mas também o Joan testou algumas

mesmo no pódio. Foi assim que

coisas no inverno e estão agrada-

começámos no Qatar, com o Álex

dos com o pacote competitivo que

[Rins] a liderar a corrida e a lutar

temos agora. Conseguimos algu-

pelo topo da corrida. E também

mas melhorias no inverno e agora

o Joan esteve, na primeira parte

vamos ver. Vamos continuar assim

da corrida com o grupo da frente.

até termos algo melhor.

Depois acabou em oitavo mas foi um grande arranque de tempora-

Álex Rins, Davide Brivio

‘ESSE É O NOSSO OBJETIVO,

da para ele. E depois na Argentina,

SERMOS CANDIDATOS AO

depois do Álex começar em 16.º

TÍTULO’

na grelha conseguiu fazer uma

MS: Sente que com esta moto a

grande recuperação e acabou mais

Suzuki pode batalhar pelo título?

uma vez acabar a corrida no grupo

DB: Esse é o nosso objetivo, ser-

da frente, no top cinco. Talvez con-

mos candidatos ao título, por isso

seguíssemos mais se tivéssemos

temos de continuar a trabalhar e

conseguido uma posição melhor

a melhorar. Claro que o Álex tam-

na largada mas seja como for foi

bém melhorou muito, diria mes-

um grande desempenho do Álex,

mo que é agora um dos pilotos

e é isso que temos de fazer. Gos-

de topo mas cabe-nos a nós, bem

tava de poder fazer isto em todas

como à moto e ao piloto, tentar

as corridas, ficar ali naquele grupo

estar sempre perto do topo. Po| MOTORCYCLE SPORTS | -19-


Davide Brivio

www.suzuki-racing.com

Entrevista

DB: O Miguel Oliveira é um grande talento, sem dúvida, ele foi sempre muito forte em Moto3 e Moto2, sempre candidato ao título. É um dos pilotos que pode, pela certa, ser um dos pilotos de topo no futuro. Podia ter sido uma opção interessante para nós mas não podemos contratar toda a gente, por isso tivemos de tomar uma decisão, o que nunca é fácil. MS: Em 2019 o foco está em perseguir a meta da vitória. Com tantos pódios no ano passado o triunfo parece cada vez mais próximo. O que falta à GSX-RR para passar a ser uma moto vencedora?

deremos estar na luta pelo título

pegar num jovem talento, ajudar

Apesar de não ter uma equipa sa-

DB: No ano passado ficámos nove

se continuarmos a trabalhar assim.

esse talento a crescer e ter su-

télite, a Suzuki conta com os servi-

vezes no pódio, cinco deles com o

Após a ronda final de Valência, a

cesso juntos. É ter um piloto que

ços de Sylvain Guintoli. Em 2018,

Álex Rins, que estava apenas no

Team SUZUKI ECSTAR fechou

seja um piloto Suzuki, entendes?

o francês ainda correu na Cata-

seu segundo ano na MotoGP. Por

o campeonato com Álex Rins no

Fizemos isso com o Viñales no pri-

lunha, República Checa e Japão,

isso provavelmente o que nos falta

quinto lugar (a 152 pontos de

meiro ano, fizemos isso com o Rins

terminando apenas estas últimas

é crescermos juntos. Ele tem de

Marc Márquez) e com Andrea Ian-

e estamos a torná-lo um piloto de

duas provas já fora dos pontos.

ganhar mais experiência e a moto

none – que entretanto se mudou

topo e esperamos ter sucesso com

para a Aprilia - no décimo posto

ele e com o Mir. É uma forma mais

MS: E uma equipa júnior que pos-

mos bastante perto. Talvez apenas

(a 188 pontos do topo). Em ter-

excitante de fazer as coisas e gos-

sa competir em Moto2 ou Moto3,

precisemos de uma boa oportuni-

mos de construtoras, a estrutura

tamos disto assim, esperamos ter

não é visto como interessante em

dade, de um domingo bom.

nipónica foi a quarta classificada

sucesso de novo.

Hamamatsu?

de melhorar muito. Diria que esta-

DB: Ficaria muito satisfeito se pu-

‘PODEMOS TRAZER MUITA

lia por mais de 160 pontos. Já no

MS: O facto de não ter uma equi-

desse ter uma espécie de equipa

EMOÇÃO AO MOTOGP’

campeonato de equipas, ficou em

pa satélite está a deixar a Suzuki

júnior e poder evoluir um piloto

MS: Por fim, quer deixar alguma

quarto lugar.

para trás em termos de desenvol-

na Moto3 ou na Moto2, que pos-

mensagem aos adeptos portu-

ficando à frente da KTM e da Apri-

vimento?

samos conhecer melhor e poder

gueses?

MS: Dois dos mais talentos do

DB: Eu não diria que estamos a

acompanhá-lo de mais perto, por

DB: Sim. Há anos íamos para o

paddock são pilotos da Suzuki.

ficar atrás em termos de desenvol-

isso talvez...quer dizer, a questão

Estoril, era uma corrida muito boa

Mas no passado admitiu que

vimento. Estamos a trabalhar nisso

dos jovens é uma filosofia de que

e desfrutávamos do local. Infeliz-

contratar Jorge Lorenzo chegou a

e temos melhorado imenso face

a Suzuki gosta muito, pelo que ve-

mente já não há corridas em Por-

ser uma possibilidade muito real

ao ano passado. É claro que gosta-

remos, podem haver novidades no

tugal mas espero que possam vir

para 2019. Há mais mérito em

ríamos de ter uma equipa satélite

futuro. Para já não estamos a pen-

aqui perto, a Espanha, para nos

vencer com jovens que com es-

para nos ajudar mais, poderíamos

sar nisso, sinceramente.

acompanharem. Espero que nos

trelas já estabelecidas?

reunir mais dados e tudo mais, mas

DB: O motivo pelo qual nós fi-

temos falado disso todos os anos

MS: Antes de contratarem o Joan

jovens, estamos a crescer e acho

zemos estas escolhas é porque a

e veremos quando é a altura ideal

Mir, o Miguel Oliveira chegou a

que podemos trazer muita emoção

Suzuki gosta desta filosofia. A de

para avançar.

ser uma opção?

ao MotoGP.

-20- | MOTORCYCLE SPORTS |

possam apoiar. Temos estrelas


| MOTORCYCLE SPORTS | -21-


MotoGP

GP da Argentina TEXTO: Gonçalo Viegas

Honda Racing Corporation

Márquez foi o homem do fim de semana; Miguel Oliveira conheceu o sabor dos primeiros pontos no MotoGP

Marc Márquez

Depois da complicada e conturbada ronda do Qatar, o paddock viajou para a Argentina para a realização da segunda corrida do campeonato. O traçado sul-americano tem um total de 14 curvas, sendo que 10 delas são para a direita.

-22- | MOTORCYCLE SPORTS |


Copyright © 2017 Ducati Motor Holding spa

Andrea Dovizioso

Marc Márquez é o piloto com mais vitórias (3), ficando à frente de Cal Crutchlow e Maverick Viñales – um triunfo cada. Em relação às pole positions, o #93 conquistou um total de cinco, enquanto que Jack Miller tem apenas uma em seu registo (2018). ALTERAÇÕES NA GRELHA PREVISTAS PARA A ARGENTINA; OLIVEIRA LANÇOU LIVRO SOBRE AS MELHORES 44 HISTÓRIAS DA SUA CARREIRA Depois da ronda inaugural do Mun-

portamental do qual Martín sofria

Já no MotoGP também se verifica-

onde os seus fãs podem ter acesso

dial de Moto3, os pilotos estavam

- síndrome esse que não ajudou o

ram situações semelhantes entre

a muitas histórias – algumas delas

mais do que mentalizados para da-

#88 a conseguir ser mais competi-

Losail e Termas do Río Hondo. Jor-

bem caricatas – sobre a carreira de

rem continuidade aos trabalhos já

tivo em Losail, uma vez que cruzou

ge Lorenzo (Repsol Honda Team)

Oliveira desde o início até ao pri-

na Argentina. No entanto, Albert

a linha de meta no 15.º lugar.

sofreu uma queda no FP3 do GP

meiro contacto ‘oficial’ nos testes

Arenas foi um caso diferente já que

Steven Odendaal (NTS RW Racing

do Qatar e após a corrida quei-

de Valência.

o piloto ficou de fora da segunda

GP) foi outro nome a ter algum des-

xou-se de mazelas físicas oriundas

Em conversa na Rádio Comercial,

corrida graças a uma lesão. O es-

taque mas não pelas razões mais

desse mesmo incidente. Após a

o atleta da Charneca da Caparica

panhol que compete com as cores

desejadas. O sul-africano lesionou-

corrida de domingo, o #99 fez uma

partilhou a sua real intenção com

da Ángel Nieto Team sofreu uma

-se durante um treino de enduro e

tomografia que acabou por revelar

esta sua obra: ‘Em 44 capítulos

queda de bicicleta em plenos trei-

acabou por contrair uma infeção

uma fissura na primeira costela do

conta um bocado aquilo que foi a

nos e, mais tarde, a equipa confir-

quando se encontrava a recupe-

lado direito. Acontece que, para

minha história de carreira, as difi-

mou a ausência de Arenas através

rar. Face a esta situação, a equipa

a lesão estar totalmente recupe-

culdades que tive de passar com

das redes sociais. Um par de dias

depositou as suas confianças em

rada, Lorenzo precisaria de três a

o meu pai. Íamos de carrinha para

depois tornou-se do conhecimen-

Jesko Raffin – que se sagrou Cam-

quatro semanas. Apesar de ter es-

Espanha, a dormir dentro da carri-

to público que Aleix Viu foi o esco-

peão da Europa de Moto2 e está

tado apto para a segunda corrida,

nha, contando os trocos para a ga-

lhido para assumir os comandos da

ligado à Dynavolt Intact GP para

o espanhol não teve em condições

solina. No fundo, passar aquilo que

moto do piloto de 22 anos.

o MotoE – para que este consiga

perfeitas no GP sul-americano.

foi a minha história para as pessoas

Olhando para a categoria de

novamente levar a NTS aos lugares

Quem se pôs de parte quanto a

ficarem a conhecer-me um bocadi-

Moto2, nem todo o elenco de pilo-

pontuáveis. De salientar que Raffin

estes momentos menos positivos

nho mais.’

tos estava livre de situações menos

já tinha testado esta mesma moto

foi Miguel Oliveira (Red Bull KTM

desejadas. Jorge Martín (Red Bull

na pré-temporada e que defendeu

Tech3). O português aproveitou

MOTO3, TREINOS LIVRES:

KTM Ajo) foi operado ao seu braço

as cores da estrutura uma primei-

a pausa entre as primeiras duas

JOHN MCPHEE DOMINOU

direito dois dias depois do GP do

ra vez este ano no Qatar, quando

corridas do campeonato para lan-

CONCORRÊNCIA

Qatar. A operação teve por base a

conseguiu ser o 14.º piloto mais

çar o seu livro intitulado de ‘Next

Logo a partir da primeira sessão, foi

existência de um síndrome com-

veloz.

Level: 44 Curvas até ao MotoGP’

possível ver que diferentes pilotos | MOTORCYCLE SPORTS | -23-


GP da Argentina

© 2019 Mirco Lazzari

MotoGP

MOTO3, CORRIDA: MASIÁ VOLTA A DOMINAR CONCORRÊNCIA E APROXIMASE DO TOPO Apesar de Masiá ter iniciado a corrida na primeira posição, Arón Canet foi quem fez um melhor arranque já que o espanhol conseguiu o holeshot. Antonelli também entrou nesta luta a dois e chegou mesmo a liderar a corrida numa fase inicial em que Canet deu resposta. O piloto da casa, Gabriel Rodrigo (Kömmerling Gresini Moto3) ouviu os seus fãs a partir do momento que passou para a dianteira da prova numa corrida onde o atleta

Jaume Masiá

chegou a rodar no 13.º lugar. As alterações na frente eram constantes, como é hábito no Mundial

eram candidatos à pole position.

de Moto3, e Darryn Binder (CIP

Jaume Masiá (Bester Capital Dubai) foi quem fez a melhor volta

ser o facto de Marcos Ramírez (Leo-

to, estava a fazer de tudo para se

Green Power) – irmão de Brad Bin-

(1m41,147s), enquanto que Roma-

pard Racing) ter conseguido fazer o

colocar nas melhores posições. O

der – passou também a governar a

no Fenati (VNE Snipers) terminou

terceiro tempo (1m49,376s). Esta

tempo foi passando e diversos pi-

‘cavalgada argentina’ depois de ter

a pouco mais de meio segundo de

última sessão acabou por definir

lotos foram capazes de aperfeiçoar

arrancado do 20.º posto. O grupo

diferença. A referir que Tony Arbo-

as primeiras 25 (de 29) posições

os respetivos registos. Contudo,

da frente estava tão competitivo

lino (VNE Snipers) ficou a 0,022s

dos tempos combinados, onde foi

Masiá foi quem conseguiu con-

que era constituído por 19 pilotos

do seu companheiro de equipa.

possível ter 17 pilotos dentro do

quistar a pole position numa ses-

onde qualquer um era candidato,

O FP2 trouxe algumas novida-

mesmo segundo – pormenor algo

são onde Canet foi bastante forte.

com diferentes probabilidades, a

des para o topo da classificação

normal dentro da categoria menos

A dupla espanhola ocupou assim

uma vitória.

numa sessão onde o top cinco foi

potente do mundial.

as primeiras posições e Arbolino

Entretanto, McPhee cometeu um

voltou a marcar território ao fechar

erro e chocou com Alonso López

os acessos ao top três.

(Estrella Galicia 0,0) e Kaito Toba,

ocupado por motos Honda. John McPhee (Petronas Sprinta Racing)

MOTO3, QUALIFICAÇÃO:

foi dos poucos a conseguir chegar

MASIÁ IMPÕE VELOCIDADE

ao segundo 49 (1m49,892s), par-

SUPERIOR E FAZ A POLE

Top seis da qualificação:

conseguido manter-se na moto

tilhando esse mesmo feito com

A primeira sessão de qualificação

1.º Jaume Masiá (Bester Capital

e seguir caminho. Na frente nada

Tony Arbolino que fez a sua me-

foi bastante disputada, dado que

Dubai/KTM), 1m48,775s

mudava e nenhum dos pilotos en-

lhor volta em 1m49,9971s. Encer-

apenas os melhores quatro pilo-

2.º Arón Canet (Sterilgarda Max

volvidos conseguiu afastar-se e

rando o top três, Niccolò Antonelli

tos podiam ascender ao Q2. No

Racing Team/KTM), +0,319s

cruzar a linha de meta completa-

(SIC58 Squadra Corse) foi terceiro

final, Andrea Migno (Bester Capital

3.º Tony Arbolino (VNE Snipers/

mente isolado. Ainda assim, Masiá

(1m50,061) com um diferencial de

Dubai), Arón Canet, Vicente Pérez

0,090s para o #17.

(Reale Avintia Arizona 77) e Jakub

O terceiro e último treino livre acabou por ser um pouco repetitivo. McPhee voltou a ser o mais veloz

uma volta em 1m49,496s.

Squadra Corse/Honda),

nas Sprinta Racing) a fecharem os

(1m48,959s) e Antonelli terminou

A segunda sessão começou e des-

+0,385s

acessos ao top cinco.

em segundo (1m49,272s), sendo

de o início que Kaito Toba (Honda

que principal diferença acabou por

Team Asia), o líder do campeona-

-24- | MOTORCYCLE SPORTS |

apesar deste último ainda ter

Honda), +0,347s

foi o piloto que venceu a corrida

4.º Lorenzo Dalla Porta (Leopard

com uma diferença de 0,108s para

Kornfeil foram os mais velozes,

Racing/Honda), +0,353s

Binder. Arbolino foi o terceiro, com

tendo o italiano terminado com

5.º Niccolò Antonelli (SIC58

Antoneli e Ayumu Sasaki (Petro-

6.º Andrea Migno (Bester Capital Dubai/Honda), +0,451s

Depois do final da corrida, era altura de fazer as contas… Face à


CLASSIFICAÇÃO GP ARGENTINA - MOTO3 Pos.

Piloto

Equipa

Moto

Tempo/Diferença

KTM

38'54.562

1.º

Jaume Masiá

Bester Capital Dubai

2.º

Darryn Binder

CIP Green Power

KTM

+0.108

tempos combinados, e tal como

3.º

Tony Arbolino

VNE Snipers

Honda

+0.295

aconteceu no Moto3, a última

4.º

Niccolò Antonelli

SIC58 Squadra Corse

Honda

+0.386

sessão definiu a grande parte da

5.º

Ayumu Sasaki

Petronas Sprinta Racing

Honda

+0.519

classificação final onde 22 pilotos

6.º

Gabriel Rodrigo

Kömmerling Gresini Moto3

Honda

+0.550

conseguiram rodar a menos de um

7.º

Lorenzo Dalla Porta

Leopard Racing

Honda

+0.588

8.º

Dennis Foggia

SKY Racing Team VR46

KTM

+0.671

9.º

Marcos Ramírez

Leopard Racing

Honda

+0.792

10.º

Kaito Toba

Honda Team Asia

Honda

+1.280

11.º

Andrea Migno

Bester Capital Dubai

KTM

+1.629

12.º

Aron Canet

Sterilgarda Max Racing Team

KTM

+1.775

13.º

Tatsuki Suzuki

SIC58 Squadra Corse

Honda

+1.836

14.º

Celestino Vietti

SKY Racing Team VR46

KTM

+1.978

15.º

Raul Fernández

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

+2.092

16.º

Romano Fenati

VNE Snipers

Honda

+2.273

17.º

Ai Ogura

Honda Team Asia

Honda

+2.350

18.º

Tom Booth-Amos

CIP Green Power

KTM

+9.798

19.º

Aleix Viu

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

+9.904

20.º

Makar Yurchenko

BOE Skull Rider Mugen Race

KTM

+10.136

21.º

John McPhee

Petronas Sprinta Racing

Honda

+26.464

22.º

Riccardo Rossi

Kömmerling Gresini Moto3

Honda

+27.044

23.º

Kazuki Masaki

BOE Skull Rider Mugen Race

KTM

+39.985

24.º

Jakub Korfeil

Redox PruestelGP

KTM

+40.177

25.º

Filip Salac

Redox PruestelGP

KTM

+58.474

a meio da sessão, o italiano era o

26.º

Can Öncü

Red Bull KTM Ajo

KTM

1 volta

sétimo classificado numa fase em

NC

Vicente Pérez

Reale Avintia Arizona 77

KTM

8 voltas

que Xavi Vierge (EG 0,0 Marc VDS)

NC

Alonso López

Estrella Galicia 0,0

Honda

10 voltas

detinha a pole provisória. O fim

segundo de Gardner. MOTO2, QUALIFICAÇÃO: VIERGE RESPONDE COM POLE EM LUTA POR MILÉSIMAS Na primeira sessão de qualificação, Simone Corsi (Tasca Racing Scuderia Moto2), Enea Bastianini (Italtrans Racing Team), Bo Bendsneyder (NTS RW Racing GP) e Andrea Locatelli (Italtrans Racing Team) foram os pilotos que tiveram a possibilidade de participar no Q2, já que o quarteto ficou definido ainda nas primeiras voltas. Já no Q2, os ataques ao topo começaram logo de início com Lorenzo Baldassarri (Flexbox HP 40) a abrir as hostilidades. No entanto,

aproximava-se e existiam diversos vitória conseguida no Qatar e ao

sessão de treinos livres onde Luca

voltou a ser segundo (1m43,445s)

pilotos a conseguirem candida-

quinto posto conquistado na Ar-

Marini (SKY Racing Team VR46) fez

ficando à frente de Remy Gardner

tar-se à primeira posição. Bastava

gentina, Kaito Toba permaneceu,

o melhor tempo (1m44,220s). Sam

(ONEXOX TKKR SAG Team) que

não apertar um pouco mais o ritmo

surpreendentemente, na liderança

Lowes (Federal Oil Gresini Moto2)

não foi além dos 1m43,477s.

para se perder posições. Após toda

do campeonato com 31 pontos.

foi o segundo mais rápido mas o

A terceira e última sessão trouxe

a incerteza e emoção que caracte-

Por outro lado, Lorenzo Dalla Porta

britânico ficou apenas a 0,020s

algumas mudanças mas nenhum

riza esta parte do fim de semana,

estava apenas com dois pontos de

atrás do meio-irmão de Valentino

piloto diferente conseguiu entrar

Xavi Vierge coloca-se como o pilo-

atraso para o japonês, enquanto

Rossi, enquanto que Marcel Schro-

no leque dos três mais rápidos.

to mais rápido partilhando a grelha

que Jaume Masiá era terceiro com

tter (Dynavolt Intact GP) foi tercei-

Desta vez, o filho de Wayne Gar-

de partida com Marcell Schrotter e

menos meia dúzia de pontos para

ro apesar de ter a sua Kalex com

dner suplantou os seus adversários

Sam Lowes.

o líder da geral.

menos velocidade de ponta face à

ao ser dos poucos a conseguir pi-

Após ter conseguido a melhor po-

restante concorrência.

lotar no segundo 42 (1m42,815s),

sição para o arranque da corrida

MOTO2, TREINOS LIVRES:

Tom Lüthi (Dynavolt Intact GP)

ficando à frente de Marini por um

de domingo, Vierge comentou que

GARDNER AMEAÇA COM

aproveitou para subir ao topo da

reduzido diferencial de 0,010s. Lü-

nem tudo foi perfeito. O piloto es-

MELHOR TEMPO

tabela no FP2, conseguindo su-

thi voltou a estar entre os melhores

clareceu que um erro seu atrapa-

Os trabalhos para o Grande Pré-

periorizar o registo de Marini com

depois de ter assinado uma volta

lhou o desenvolvimento dos traba-

mio tiveram início logo na primeira

uma volta em 1m43,353s. Lowes

em 1m42,843s. Em relação aos

lhos mas afirmou que ainda assim | MOTORCYCLE SPORTS | -25-


MotoGP

GP da Argentina

foi possível estar na frente:

MOTO2, CORRIDA: LORENZO

voltas do fim, Lowes e Lüthi caíram

Baldassarri e Schrotter passavam

‘Estou muito, muito feliz. É a minha

REFORÇA LIDERANÇA;

isoladamente com este último so-

a discutir diretamente a vitória.

segunda pole position consecutiva

GARDNER CONQUISTOU

frer uma queda depois de tocar no

Contudo, o piloto natural de Syd-

na Argentina e sempre me senti

PRIMEIRO PÓDIO

pneu traseiro de Brad Binder (Red

ney arriscou o que tinha e o que

muito bem nesta pista, mas ontem

Mesmo antes das luzes de partida

Bull KTM Ajo).

podia passando para o segundo

foi um dia complicado. Começá-

se apagarem para o arranque da

Na frente, a ação continuava com

posto, de forma a voltar a focar-se

mos bem, mas à tarde cometi um

prova, houve quem tivesse que

Márquez, Gardner, Schrotter e

no italiano.

erro com o pneu traseiro macio e

abandonar prematuramente. Xavi

Baldassarri a protagonizarem uma

A duas voltas do fim, o pupilo de

não pude recomeçar. No FP3, tra-

Vierge foi o piloto a quem o azar

prova que fazia lembrar a categoria

Valentino Rossi estava com segun-

balhámos bastante para conseguir-

bateu à porta depois do #97 ter

de Moto3, enquanto que o ex-co-

do e meio de vantagem para Gard-

mos recuperar desse mesmo erro.

visto o motor da sua Kalex parar

lega de equipa de Miguel Oliveira,

ner, enquanto que este era perse-

Demos bons passos para estarmos

ainda quando estava na volta de

Brad Binder, rodava a duas déci-

guido por Márquez que nunca se

prontos para a qualificação mas foi

aquecimento. Sem forma de voltar

mas deste grupo.

afastou totalmente do grupo. O pi-

complicado. Esforcei-me para en-

para a pista, o espanhol foi obriga-

O australiano passava, assim, para

loto que venceu em Losail acabou

contrar os bons sentimentos que

do a desistir e a deitar todo um fim

a frente e era perseguido por Lo-

por repetir a proeza e conquistou

tive na última sessão de treinos

de semana de trabalhos para o lixo.

renzo Baldassarri que se apre-

mais 25 pontos para o campeona-

mas, honestamente, parecia que

Apesar do sucedido, a grelha de

sentava claramente como um dos

to. Gardner estreou-se nos pódios

todos estavam com dificuldades.

pilotos permaneceu inalterada e

mais prováveis candidatos à vitória,

de Moto2 e Márquez fez o primei-

Tentei manter-me focado e suave

Marcell Schrotter partiu, na mes-

numa fase em que Márquez perdia

ro top três da temporada graças a

para não patinar o pneu traseiro.

ma, da segunda posição. O alemão

algum terreno para o trio dianteiro.

uma consistência que se revelou

No fim, conseguimos! ’, disse em

viu Sam Lowes querer sair da pri-

Afastados de todo este protago-

compensadora.

comunicado oficial.

meira curva na liderança, mas o

nismo, Niccolò Bulega (SKY Racing

Após a bela batalha que protago-

O espanhol prosseguiu: ‘Apresen-

britânico alargou a trajetória e o

Team VR46) via a sua moto sofrer

nizou, o piloto da Flexbox HP 40

támos um bom ritmo e agora pre-

#23 acabou por retornar para as

um problema mecânico enquanto

mostrou-se bastante contente com

cisamos de esperar até amanhã

lides da corrida. Mais tarde, Remy

Jorge Martín (Red Bull KTM Ajo)

a sua atual situação. O #7 ainda

porque alguém disse que poderia

Gardner usou e partilhou a agressi-

sofria uma queda. Na frente, o

mandou as melhoras para o seu

chover. De qualquer das formas,

vidade que tanto o caracteriza para

#87 cometia um erro e descia para

companheiro de equipa que fez

em ambas as condições, podemos

chefiar os andamentos, enquanto

a terceira posição enquanto que

uma fratura no seu pulso esquerdo

fazer um bom trabalho. O objetivo

que Márquez, em terceiro, pres-

é lutar pelas primeiras posições até

sionava Schrotter. Entretanto, a 18

longa e competitiva, pelo que vamos tentar estar lá a lutar entre os cinco primeiros. Esperemos alcançar uma vitória.’ Top seis da qualificação: 1.º Xavi Vierge (EG 0,0 Marc VDS/ Kalex), 1m42,726s 2.º Marcell Schrotter (Dynavolt Intact GP/Kalex), +0,011s 3.º S  am Lowes (Federal Oil Gresini Moto2/Kalex), +0,012s 4.º Álex Márquez (EG 0,0 Marc VDS/Kalex), +0,047s 5.º Tom Lüthi (Dynavolt Intact GP/ Kalex), +0,130s 6.º Brad Binder (Red Bull KTM Ajo/KTM), +0,147S -26- | MOTORCYCLE SPORTS |

Lorenzo Baldassarri Lorenzo Baldassarri/Facebook

à última volta. (…) Será uma corrida


CLASSIFICAÇÃO GP ARGENTINA - MOTO2 Pos.

Piloto

Equipa

Moto

Tempo/Diferença

1

Lorenzo Baldassarri

Flexbox HP 40

Kalex

39'46.000

após uma queda no terceiro e últi-

2

Remy Gardner

ONEXOX TKKR SAG Team

Kalex

+1.244

mo treino livre do fim de semana.

3

Álex Márquez

EG 0,0 Marc VDS

Kalex

+1.817

‘Estou muito feliz com esta vitó-

4

Iker Lecuona

American Racing KTM

KTM

+2.704

5

Marcel Schrotter

Dynavolt Intact GP

Kalex

+4.839

6

Brad Binder

Red Bull KTM Ajo

KTM

+4.707

7

Luca Marini

SKY Racing Team VR46

Kalex

+4.986

8

Jorge Navarro

Beta Tools Speed Up

Speed Up

+7.459

ria e depois do bom começo no Qatar, foi importante reafirmar o excelente trabalho que estamos a fazer. O fim de semana não foi fácil mas tive a certeza de que pode-

9

Enea Bastianini

Italtrans Racing Team

Kalex

+8.724

10

Somkiat Chantra

IDEMITSU Honda Team Asia

Kalex

+14.506

11

Andrea Locatelli

Italtrans Racing Team

Kalex

+16.145

12

Tetsuta Nagashima

ONEXOX TKKR SAG Team

Kalex

+16.450

13

Khairul Idham Pawi

Petronas Sprinta Racing

Kalex

+16.613

14

Bo Bendsneyder

NTS RW Racing GP

NTS

+23.007

15

Jesko Raffin

NTS RW Racing GP

NTS

+24.736

16

Marco Bezzecchi

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+25.381

17

Jake Dixon

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

+41.684

18

Lukas Tulovic

Kiefer Racing

KTM

+45.545

19

Philipp Oettl

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+45.811

20

Dominique Aegerter

MV Agusta Idealavoro Forward

MV Agusta

+56.934

21

Xavi Cardelus

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

+1'07.765

vencido as duas primeiras corridas.

22

Joe Roberts

American Racing KTM

KTM

+1'18.707

Graças ao seu segundo lugar, Gra-

23

Dimas Ekky Pratama

IDEMITSU Honda Team Asia

Kalex

4 voltas

dner subiu um par de posições e

NC

Simone Corsi

Tasca Racing Scuderia Moto2

Kalex

2 voltas

despediu-se da Argentina com um

NC

Jorge Martín

Red Bull KTM Ajo

KTM

5 voltas

diferencial de 17 pontos para o

NC

Nicolò Bulega

SKY Racing Team VR46

Kalex

5 voltas

topo. Marcel Schrotter manteve-

NC

Fabio Di Giannantonio

Beta Tools Speed Up

Speed Up

11 voltas

-se com o terceiro posto das con-

NC

Sam Lowes

Federal Oil Gresini Moto2

Kalex

18 voltas

tas globais, sendo detentor de 23

NC

Thomas Lüthi

Dynavolt Intact GP

Kalex

18 voltas

pontos de atraso para Baldassarri.

NC

Stefano Manzi

MV Agusta Idealavoro Forward

MV Agusta

22 voltas

Márquez subiu ao quarto lugar da

NT

Xavi Vierge

EG 0,0 Marc VDS

Kalex

0 voltas

ria ter uma boa corrida. Agradeço à equipa pelo seu esforço, assim como aos patrocinadores. Gostaria também de aproveitar para desejar uma rápida recuperação ao Augusto [Fernández]. Somos bons amigos e ele é muito rápido pelo que quero que ele volte à pista o mais depressa possível’, declarou em comunicado oficial de equipa. Em termos de classificação geral, Baldassarri permaneceu como líder do campeonato depois de ter

geral e Lüthi fechou os acessos ao A.Farinelli/FAlePhoto

top cinco. MOTOGP: MÁRQUEZ ENTROU A PÉS JUNTOS E HUMILHOU CONCORRÊNCIA

melhores pilotos aos comandos de uma KTM. Independentemente do resultado conseguido (17.º lugar) na prova anterior, o português apresentava

COM DIFERENÇA ABISMAL;

uma postura determinada e con-

OLIVEIRA CONTINUOU A

fiante para um circuito no qual ele

CRESCER

nunca pilotou aos comandos de

Esta segunda prova do campeo-

uma MotoGP:

nato seria mais uma oportunidade

– A Argentina é a primeira pista em

para Miguel Oliveira mostrar pro-

que vou pilotar sem antes lá ter

gressos depois de uma ronda em

testado. Calculo que seja diferente

Losail memorável. Apesar de não

e vamos precisar de nos adaptar-

ter entrado nos pontos no Qatar,

mos depressa às condições e ao

o piloto da Charneca da Caparica ainda conseguiu rodar dentro do top15 chegando a ser um dos

Valentino Rossi

layout do circuito. Vamos tentar descobrir esta moto com uma pista que conheço e gosto muito. Vai ser | MOTORCYCLE SPORTS | -27-


GP da Argentina

www.suzuki-racing.com

FAlePhoto

MotoGP

Danilo Petrucci

Álex Rins

um fim-de-semana positivo. Espe-

sua Desmosedici ao topo da classi-

a tornar a sua moto cada vez mais

ro que possamos continuar a luta

ficação (1m39,181s) enquanto que

veloz. Nos primeiros treinos livres,

MOTOGP, TREINOS LIVRES

onde ficámos no Qatar, que foi a

Miller repetiu o segundo posto.

o piloto fez o 16.º melhor tempo

DE SÁBADO: MÁRQUEZ

lutar pelos pontos. Esta é a minha

Maverick Viñales (Monster Energy

(1m41,513s) e foi a terceira KTM

MANTÉM ADVERSÁRIOS

meta, continuar a melhorar a mi-

Yamaha MotoGP) fez o terceiro

ao deter um diferencial de 1,6s

SOBRE PRESSÃO; OLIVEIRA

nha pilotagem, sentir-me melhor

melhor tempo sendo o primeiro pi-

para Márquez. Apesar de ter redu-

CONTINUA APROXIMAÇÃO

com a equipa, com a moto e com

loto aos comandos de uma Yamaha

zido este espaço para as oito déci-

Marc Márquez voltou a ser o mais

as afinações. Sinto-me confiante

a colocar-se nas principais posi-

mas no FP2, o #88 não foi além do

veloz na terceira sessão e com ele

para poder ir de novo à luta.

ções.

19.º tempo voltando a ficar atrás

Miller ficou novamente a um pas-

Referente a Miguel Oliveira (Red

das KTM de Pol Espargaró (16.º) e

so do topo. O piloto da Honda fez

MOTOGP, TREINOS LIVRES

Bull KTM Tech 3), o português

Johann Zarco (17.º).

uma volta rápida em 1m38,471s

1 E 2: MÁRQUEZ SORRI

chegou à Argentina com a men-

MAS É DOVIZIOSO QUEM

talidade de continuar a crescer e

APROXIMOU-SE DO TOPO Logo a partir da primeira sessão de treinos livres, Marc Márquez (Repsol Honda Team) ‘ameaçou’ toda a sua concorrência ao ser o único homem capaz de rodar no segundo 39. O #93 fez a volta mais rápida (1m39,827s) e criou uma diferença de 0,353s para Jack Miller (Pramac Racing). Cal Crutchlow (LCR Honda CASTROL) foi o segundo piloto mais forte da Honda ao ficar a três décimas do piloto australiano. O FP2 já viu mais pilotos a rodar no segundo 39, mas desta vez Márquez não foi o mais veloz. Em boa verdade, Andrea Dovizioso (Mission Winnow Ducati) levou a -28- | MOTORCYCLE SPORTS |

Jack Miller Pramac Racing/Facebook

DITA AS REGRAS; OLIVEIRA


© KTM Images / Gold and Goose

num sábado de manhã onde o #43 ficou a duas décimas do seu adversário. Quanto a Crutchlow, este voltou a repetir o terceiro tempo assegurando um atraso de 0,255s para o seu companheiro de fábrica. Em termos de registos combinados, o FP3 foi essencial para a conjugação das melhores voltas de cada pilotos. Além do trio dianteiro, Maverick Viñales, Danilo Petrucci (Mission Winnow Ducati), Franco Morbidelli (Petronas Yamaha SRT), Valentino Rossi (Monster Energy Yamaha MotoGP), Andrea Dovizioso, Jorge Lorenzo (Repsol Honda Team) e Fabio Quartararo (Pe-

Pol Espargaró e Miguel Oliveira

tronas Yamaha SRT) fecharam os acessos às dez primeiras posições.

SU) (1m39,064s) e Pol Esparga-

Ainda no terceiro treino livre, Oli-

ró (1m39,217s) foram os pilotos

veira foi a segunda melhor KTM ao

que conseguiram ser velozes o

repetir a 16.º melhor volta. Ape-

suficiente para participarem na

Top seis da qualificação:

estabeleceu os melhores tempos

sar do tempo de 1m39,552s ter

segunda sessão. Miguel Oliveira

1.º Marc Márquez (Repsol Honda

na qualificação (Oliveira foi nono a

demonstrado uma clara evolução,

não conseguiu apurar-se para o

Oliveira terminou a 1 segundo de

Q2, mas ainda assim fez um bom

Márquez. Em termos de registos

trabalho no Q1. Em boa verdade,

Energy Yamaha MotoGP),

estavam focados no ponto alto de

combinados, o jovem de 24 anos

o português estabeleceu o quarto

+0,154s

todo o fim de semana, ponto esse

foi novamente 16.º, dado que a

melhor tempo (1m39,298s) e ficou

terceira sessão de treinos foi aque-

a 0,234s do japonês, conseguindo

la onde a maioria dos pilotos me-

arrancar da 14.ª posição para o GP

lhorou os seus tempos pessoais.

da Argentina.

O FP4 não trouxe grandes mu-

A oito minutos do fim da segunda

danças para o vice-campeão de

sessão, Marc Márquez, Cal Crutr-

Moto2 e isso também não foi de

chlow e Jack Miller eram os três

todo negativo, já que esta sessão

melhores, estando Valentino Rossi,

não contaria para colocar Oliveira

Maverick Viñales e Danilo Petrucci

no Q2. De qualquer das formas,

bem perto do topo. De ressalvar

(…)

o #88 fez o 19.º registo com um

que o #93 apostou nos pneus ma-

14.º Miguel Oliveira (Red Bull

tempo de 1m40,686s numa sessão

cios para fazer um ataque à tabela

KTM Tech 3), +0,234s (para o

çou a ganhar terreno para a con-

onde Márquez voltou a dominar

de tempos, acabando por perma-

mais rápido do Q1)

corrência. À parte de toda esta

(1m39,341s).

necer entre os mais velozes.

exatamente o mesmo top 3 que

Team ), 1m38,304s 2.º Maverick Viñales (Monster

3.º Andrea Dovizioso (Mission Winnow Ducati), +0,164s 4.º V  alentino Rossi (Monster

0,760s de Márquez). Assim, todas as equipas e os respetivos pilotos

que começou com um arranque perfeito por parte do piloto da Honda.

Energy Yamaha MotoGP),

Com o espanhol a querer fugir de

+0,241s

tudo e de todos a partir do pri-

5.º J ack Miller (Pramac Racing/ Ducati), +0,244s 6.º Franco Morbidelli (Petronas Yamaha SRT), +0,582s

meiro segundo, Dovizioso e Rossi procuraram perseguir o líder ao mesmo tempo que Viñales perdeu posições logo desde a partida. Com a dupla italiana a disputar a segunda posição, Márquez come-

situação, Cal Crutchlow foi pena-

Com um par de minutos a faltarem,

MOTOGP, CORRIDA: MÁRQUEZ

lizado com um ride through depois

MOTOGP, QUALIFICAÇÃO:

Viñales e Rossi colocavam-se nas

SALTA PARA A LIDERANÇA

de ter arrancado antes da altura

MÁRQUEZ FAZ A POLE COM

posições mais benéficas. No en-

COM CORRIDA PERFEITA;

devida.

OLIVEIRA A PARTIR DENTRO

tanto, Márquez acabou por fazer

MIGUEL OLIVEIRA CONQUISTA

Cinco voltas após o apagar das lu-

DO TOP 15

a melhor volta nos instantes finais

OS PRIMEIROS (DE MUITOS)

zes de partida, Márquez já estava

Depois da normal incerteza que

enquanto que Viñales e Dovizioso

PONTOS

com quatro segundos de vantagem

tanto caracteriza o Q1, Takaaki

se colocaram nas restantes posi-

Antes da grande corrida, foi altura

enquanto que Dovizioso, Rossi,

Nakagami (LCR Honda IDEMIT-

ções da primeira linha.

de completar o Warm Up que viu

Miller e Morbidelli lutavam pelo | MOTORCYCLE SPORTS | -29-


GP da Argentina

© KTM Images / Gold and Goose

MotoGP

ções no arranque mas conseguiu recuperar logo na sua primeira volta. Mais tarde, deu início a uma perseguição a Pol Espargaró que era o melhor homem a correr pela KTM, ascendendo a 13.º depois de Cal Crutchlow ter passado no pit lane. O #88 mostrou consistência ao rodar no 1m40 acabando por perder terreno para o seu companheiro de fábrica. Contudo, Oliveira parecia ter um problema adicional: Jorge Lorenzo. O #99 foi subindo na classificação e ultrapassou Tito Rabat que, por sua vez, estava de olhos postos no piloto da Tech3. Apesar da moto de Lorenzo ser teoricamente melhor, Miguel Oli-

pódio. Nesta fase da prova, tudo

Miguel Oliveira

veira segurou a diferença de dois segundos para o espanhol durante

ditava que Márquez fosse o vence-

um bom conjunto de voltas.

dor da corrida caso nada de anor-

Com o fim a ficar cada vez mais

mal acontecesse.

‘DesmoDovi’ não ter conseguido

segundos de vantagem. Dovizioso

perto, o expoente máximo do

Álex Rins (Team SUZUKI ECS-

responder à altura. Desta forma,

terminou em terceiro lugar a sete

motociclismo

TAR) passou, entretanto, a fazer

o piloto da Yamaha regressava ao

décimas do #46.

a poucos passos de conseguir os

parte desta batalha e mais tarde

pódio numa corrida onde Marc

Referente a Miguel Oliveira, o pi-

seus primeiros pontos no MotoGP.

Valentino Rossi parecia preparar

Márquez terminou com quase dez

loto português perdeu duas posi-

Aquilo que Oliveira não estava à

um ataque ao seu compatriota ataque esse que teve sucesso por

Pol Espargaró, Andrea Dovizioso, Aleix Espargaró e Jorge Lorenzo

português

estava

espera, era de ver Maverick Viñales e Franco Morbidelli no chão; acontecimento esse que fez com que o português terminasse a um passo das dez primeiras posições. MOTOGP, REAÇÕES Marc Márquez foi um dos principais homens da corrida após ter dizimado a concorrência por uns largos dez segundos de diferença, pelo menos. Em parque fechado, o vencedor da prova referiu que este foi um dia perfeito e que desde a primeira sessão que as sensações foram bem positivas: ‘Foi um dia perfeito. Estive muito concentrado desde o FP1, tudo funcionou como devia. Tive uma pequena situação no FP4 mas continuámos a forçar, forçar, forçar... Sabia que na corri-

-30- | MOTORCYCLE SPORTS |


CLASSIFICAÇÃO GP ARGENTINA - MOTOGP Pos.

Piloto

Equipa

rápido, mas com as temperaturas Moto

Tempo/Diferença

mais altas tive um pouco mais de

41'43.688

dificuldades. O [Andrea] Dovi per-

1.º

Marc Márquez

Repsol Honda Team

Honda

2.º

Valentino Rossi

Monster Energy Yamaha MotoGP

Yamaha

+9.816

maneceu à minha frente e fez uma

3.º

Andrea Dovizioso

Mission Winnow Ducati

Ducati

+10.530

corrida muito boa com um bom rit-

4.º

Jack Miller

Pramac Racing

Ducati

+12.140

mo. Conseguimos escapar dos pi-

5.º

Álex Rins

Team SUZUKI ECSTAR

Suzuki

+12.563

lotos atrás de nós e ficarmos sozi-

6.º

Danilo Petrucci

Mission Winnow Ducati

Ducati

+13.750

nhos. Na ultrapassagem sabia que

7.º

Takaaki Nakagami

LCR Honda IDEMITSU

Honda

+18.160

8.º

Fabio Quartararo

Petronas Yamaha SRT

Yamaha

+20.403

9.º

Aleix Espargaró

Aprilia Racing Team Gresini

Aprilia

+25.292

10.º

Pol Espargaró

Red Bull KTM Factory Racing

KTM

+25.679

11.º

Miguel Oliveira

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+25.855

12.º

Jorge Lorenzo

Repsol Honda Team

Honda

+27.497

13.º

Cal Crutchlow

LCR Honda CASTROL

Honda

+31.398

14.º

Francesco Bagnaia

Pramac Racing

Ducati

+32.893

15.º

Johann Zarco

Red Bull KTM Factory Racing

KTM

+33.372

16.º

Hafizh Syahrin

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+35.545

17.º

Andrea Iannone

Aprilia Racing Team Gresini

Aprilia

+38.238

NC

Maverick Viñales

Monster Energy Yamaha MotoGP

Yamaha

1 volta

NC

Franco Morbidelli

Petronas Yamaha SRT

Yamaha

1 volta

NC

Joan Mir

Team SUZUKI ECSTAR

Suzuki

4 voltas

NC

Tito Rabat

Reale Avintia Racing

Ducati

10 voltas

NC

Karel Abraham

Reale Avintia Racing

Ducati

11 voltas

tinha de ser muito preciso na travagem para obter o segundo lugar, sem cometer qualquer erro, caso contrário o Dovi iria ultrapassar-me novamente. Nesse momento estava a pilotar bem, entrei muito rápido. Estou feliz porque ultrapassar na última volta é sempre especial e porque estive muito bem em travagem.’ Para Andrea Dovizioso, este terceiro lugar é uma boa oportunidade para limar arestas e perceber o que correu menos bem: ‘Objetivamente, antes da corrida o foco era o pódio… e conseguimos. Não consegui ganhar vantagem em relação ao Valentino, que era o principal. É

da o meu ponto forte eram as pri-

mim, para a minha equipa e para a

E continuou: ‘Tentei permanecer

um mau sinal e perdi alguns pon-

meiras cinco voltas e aí dei mesmo

Yamaha depois de um período difí-

na frente porque esperava ser mais

tos. É uma corrida para se estudar

tudo e vi a diferença: um segundo,

cil acabar esta corrida desta forma.

dois segundos, três segundos… Dai

Estou feliz!’.

mo ritmo e deixei de forçar, tentei gerir os pneus e a moto. Foram sensações muito boas na moto.’ Já Valentino Rossi mostrou-se bastante contente com este resultado dado que o italiano já não conquis-

Miguel Oliveira © KTM Images / Gold and Goose

para a frente mantive-me no mes-

tava um pódio desde o GP da Alemanha de 2018: ‘Há muito tempo – desde o ano passado em Sachsenring – que não estava no pódio. Este segundo lugar é especialmente satisfatório, porque nas últimas duas corridas do ano passado, Malásia e Valência, estive em primeiro e em segundo, mas cometi alguns erros. Acabar o campeonato assim foi muito difícil de aceitar, pelo que também é muito importante para | MOTORCYCLE SPORTS | -31-


GP da Argentina

© KTM Images / Gold and Goose

MotoGP

para ver o que pode ser melhorado na moto. Quando fui ultrapassado estava com muito medo de cair porque nessa parte do asfalto não havia aderência, razão pela qual não fiz nada maluco para não perder 16 pontos na última volta. O objetivo no ano passado foi poder lutar pelo pódio nas pistas que não correram bem…vamos ver se o fazemos em Austin, porque é outra pista difícil e temos que ver bem em que condições encontramos. É que o Márquez nos seus piores dias está no pódio.’ Por fim, Miguel Oliveira concluiu a

Miguel Oliveira

sua segunda participação no Mo-

estamos definitivamente a traba-

toGP com cinco pontos conquis-

lhar numa boa direção’, argumen-

tados. Além desse feito, o #88 foi

tou o português ao site oficial do

o segundo melhor piloto da KTM

campeonato.

pontos e uma diferença de outros

Se após o Qatar, a Ducati estava na

suplantando Johann Zarco (Red

Finda esta parte, está na altura de

40 para o líder do campeonato.

chefia da classificação de equipas

Bull KTM Factory Racing) e Hafizh

olhar para as diversas classifica-

Em termos de pilotos indepen-

e de fabricantes, a Argentina veio

Syahrin (Red Bull KTM Tech 3).

ções que compõem o pináculo do

dentes, Cal Crutchlow manteve-se

baralhar as contas. Com a vitória

‘Duas corridas passadas, posso

motociclismo. Referente à classi-

como o melhor posicionado com

de Márquez, a Honda subiu ao pri-

dizer com segurança que estou a

ficação individual, Marc Márquez

um total de 19 pontos conquis-

meiro lugar (45 pontos) enquanto

adaptar-me muito bem. Sabemos

era o novo líder do campeonato

tados nas duas primeiras rondas.

que a Ducati desceu uma posição

que temos as nossas lutas, mas já

com o piloto a deter 45 pontos.

O seu companheiro de equipa –

(41 pontos). Já a Suzuki deu o lu-

estou a batalhar com o piloto de

Por outro lado, Andrea Dovizioso

Takaaki Nakagami – permaneceu

gar à Yamaha no campeonato de

topo da KTM, que tem muito mais

perdeu uma posição e colocou-se

no segundo lugar enquanto que

marcas com esta última a deter 31

experiência do que eu, pelo que

no segundo posto a apenas qua-

Jack Miller é a novidade no que

pontos.

acho que isto mostra que estou

tro pontos de diferença para o

concerne às três primeiras posi-

Em termos de equipas, a situação

a adaptar-me bem à categoria e

seu principal adversário. Valentino

ções. Nesta classificação, o portu-

manteve-se com a Mission Win-

à moto. Acho, também, que este

Rossi ascendeu ao terceiro lugar

guês está em sexto com 14 pontos

now Ducati na frente (61 pontos)

começo de temporada é definitiva-

mas a deter já um diferencial de

para o britânico da LCR Honda.

e a Repsol Honda Team atrás (52

mente positivo. Tudo neste fim de

14 pontos para Márquez enquanto

Falando em rookies, Joan Mir foi o

pontos). Nesta segunda prova, a

semana foi verdadeiramente aper-

que Álex Rins manteve-se no pri-

único que pontuou no Qatar mas

LCR Honda deixou de ser a tercei-

tado, mas conseguimos controlar a

meiro lugar fora do top três. Por

nesta prova a situação tornou-se

ra melhor equipa com a Monster

corrida. Fomos com a escolha do

fim, Danilo Petrucci subiu ao top

mais interessante. Após o GP da

Energy Yamaha a colocar-se no

pneu médio traseiro, que sabíamos

cinco.

Argentina, o espanhol passou a

último lugar do pódio (40 pontos).

que não ia ser perfeito em termos

Quando se olha para as pontua-

partilhar a liderança do campeona-

Nas equipas independentes, a LCR

de velocidade, mas para a consis-

ções de Miguel Oliveira, o #88

to com Fabio Quartararo ao mes-

Honda mantém-se na frente (35

tência do pneu sabíamos que era

despediu-se da Argentina com o

mo tempo que Oliveira era terceiro

pontos), enquanto que a Pramac

a melhor opção. Senti-me bem na

15.º da geral depois de ter subido

com três pontos para a dupla dian-

Racing e a Aprilia Racing Team Gre-

moto. No final, estava a aproximar-

duas posições. Nesta fase do cam-

teira. Francesco Bagnaia era último

sini estão, ambas, com 15 pontos

-me do Pol e do Aleix [Espargaró]…

peonato, estava apenas com cinco

com seis pontos para o topo.

conquistados.

-32- | MOTORCYCLE SPORTS |


| MOTORCYCLE SPORTS | -33-


Entrevista

Joan Mir ENTREVISTA: Rodrigo Fialho TEXTO: Bernardo Matias

www.suzuki-racing.com

‘Não devemos ter confiança em demasia’

Um dos rookies de 2019 do Mundial de MotoGP é Joan Mir. Numa ascensão meteórica, o piloto de Palma de Maiorca mereceu a confiança da Suzuki para a categoria-rainha já este ano, depois de apenas uma temporada no Mundial de Moto2 na sequência do título de Moto3. Na trilogia de entrevistas à Suzuki, Mir foi um dos nossos entrevistados, numa conversa que lhe passamos a apresentar – nota prévia, esta entrevista foi realizada entre os GP do Qatar e da Argentina.

-34- | MOTORCYCLE SPORTS |


www.suzuki-racing.com

lotos de topo pelos lugares do pódio em toda a prova foi uma grande surMS: Foste o melhor rookie em

presa e que me deixa muito orgulho-

Moto3, melhor rookie na Moto2.

so. Ao mesmo tempo foi uma pena

O que tens a dizer deste padrão

porque o pneu estava destruído no

nos teus anos de rookie?

final e nesse sentido foi um proble-

JM: Na MotoGP apenas fiz uma cor-

ma. Mas foi bom e espero manter-

rida, ainda não ganhei nada. Mas é

-me na mesma linha nas próximas

verdade que nas outras categorias

MS: O ‘Pecco’ Bagnaia, o Miguel

MS: O oitavo lugar no Qatar, na

corridas, estar na luta por posições

fui o melhor rookie e este ano tam-

Oliveira e o Fabio Quartararo são

tua estreia, foi uma surpresa para

ambiciosas e ir-me aproximando do

bém quero voltar a sê-lo. Estamos no

os teus rivais na luta para melhor

ti?

topo.

caminho certo. A época é longa e há

rookie. És o único que está numa

JM: Bem, eu não acreditaria se me

muitas corridas pela frente, há muito

equipa de fábrica. É uma vanta-

dissessem na pré-época que seria

Refira-se que, depois do oitavo

que pode ainda acontecer pelo que

gem muito grande?

oitavo na minha primeira corrida, eu

lugar no GP do Qatar, Joan Mir

não devemos ter confiança em de-

JM: Sim e não. Por um lado, sim, in-

não acreditaria. Estar no top dez na

não voltou a pontuar – sofreu um

masia.

tegrar uma equipa de fábrica é mui-

primeira corrida e na luta com os pi-

abandono na Argentina e foi 17.º

to importante e o potencial aumen-

no GP das Américas. Ocupa ago-

Ao contrário dos outros três

ta desde logo. Por outro lado, temos

ra o 15.º posto como terceiro dos

rookies da temporada, Joan Mir

de testar muitas coisas e por vezes

rookies, apenas à frente de Miguel

estreia-se já numa equipa de fá-

podemos ficar confusos, enquanto

Oliveira ao cabo de três rondas.

brica. É uma chance de se supe-

os outros têm, não sei, uma moto do

riorizar aos demais estreantes,

ano passado ou mesmo deste ano

MS: Tens um compatriota espa-

mas também pode ser um fator de

que já está preparada e pronta com-

nhol como companheiro de equi-

pressão acrescido – até tendo em

petir. Comigo não é assim, mas

pa. Já lhe pediste ajuda acerca da

conta que a Suzuki é uma equipa

é evidente que estar numa

moto ou das pistas?

em ascensão e com ambições de

equipa de fábrica é im-

JM: Não, não lhe peço ajuda. Nós

lutar pelos lugares cimeiros… .

portante.

ajudamo-nos no sentido de os dois trabalharmos para melhorarmos a moto, mas não trocamos conselhos

PERFIL DE JOAN MIR

isso não acontece nas equipas, mas sim, ajudamos a moto a ser o mais competitiva possível. MS: Andaste na escola de pilotagem do Jorge Lorenzo em criança. Em Losail pudeste andar atrás dele e aprendeste muito a vê-lo. Quais foram as lições mais valiosas? JM: Sim, é verdade que comecei nessa escola. O meu primo andava www.suzuki-racing.com

Nome: Joan Mir Mayrata Data de nascimento: 1 de setembro de 1997 (21 anos) Estreia nos Mundiais: GP da Austrália de Moto3 de 2015 (resultado: abandono) Estreia no MotoGP: GP do Qatar de 2019 (resultado: oitavo lugar) Temporadas completas: 3 Primeira vitória em Mundiais: GP da Áustria de Moto3 de 2016 Primeiro título Mundial: Moto3 em 2017 Equipa atual: Team Suzuki Ecstar Equipas anteriores: Leopard Racing (Moto3) e EG 0,0 Marc VDS (Moto2)

sobre a moto ou as pistas. Acho que

lá e um dia fui lá ver. Acabei por ficar um ano, um ano e meio e foi muito bom para me dar as primeiras bases. Mas depois saí e evoluí à minha maneira. | MOTORCYCLE SPORTS | -35-


Joan Mir

www.suzuki-racing.com

Entrevista

‘TENHO DE EVOLUIR MAIS DO

face a agora, numa fábrica com a

‘ACREDITO QUE O MIGUEL SE

to que ele se vai dar muito bem na

QUE AQUILO QUE A MOTO TEM

dimensão da Suzuki.

VAI DAR MUITO BEM NA KTM’

KTM.

DE EVOLUIR’

JM: Houve uma grande diferença.

MS: No ano passado competiste

MS: Onde achas que tu e a GSX-

O que senti de mais diferente nesta

pela primeira vez contra o Mi-

MIR INCLUI COLEGA DE

-RR podem evoluir mais?

categoria é que me senti mais prote-

guel Oliveira e agora ele é teu

EQUIPA NO LOTE DE

JM: Eu tenho de evoluir mais do que

gido pela minha equipa, o que para

rival como rookie. O que achas

CANDIDATOS AO TÍTULO

aquilo que a moto tem de evoluir, é

mim é muito importante. Também

dele e como o vês na KTM?

MS: Acerca da luta pelo título na

mesmo assim. Mas não há uma área

sinto que quando acontece algo que

JM: Sim. Partilhei as pistas no ano

MotoGP, quem consideras como

em específico a melhorar. Falta-nos

não entendemos a equipa dá-me as

passado com o Miguel e ele era já

favoritos?

um pouco de velocidade de ponta, é

ferramentas para melhorar nessa

um piloto experiente naquela cate-

JM: Acho que vão ser os mesmos

verdade, mas da minha parte apenas

área específica. Esta foi a diferença

goria. Ele é um piloto muito bom,

dos anos recentes, talvez com al-

temos de meter a moto com as afi-

que senti mais.

com um grande potencial e acredi-

gumas surpresas no meio, não sei.

nações certas para me ajudar a que

O [Marc] Márquez, o [Andrea] Do-

eu possa ter bons resultados.

vizioso...e acho que o Rins também está nesse lote, assim como as duas

Joan Mir é o terceiro jovem espa-

Yamaha oficiais.

nhol em que a marca de Hamamatsu aposta nos últimos anos, de-

MS: Queres deixar alguma men-

pois de ter tido bastante sucesso

sagem aos teus adeptos portu-

com Maverick Viñales e Álex Rins.

gueses?

Conseguirá Mir seguir os passos

JM: Quero dizer olá aos meus adep-

dos seus compatriotas e alcançar

tos portugueses, sei que o mundo do

êxitos vestido com a cor azul da

MotoGP tem muitos apoiantes em

Suzuki?

Portugal, espero poder participar em alguma corrida aí em breve e possa

MS: Conta-nos as diferenças entre as tuas equipas anteriores -36- | MOTORCYCLE SPORTS |

passar algum tempo convosco.


As imagens apresentadas poderão incluir extras e acessórios que implicam um custo acrescido.

A TUA AVENTURA COMEÇA HOJE

DESCOBRE A FAMÍLIA V-STROM A família V-STROM foi desenhada para as tuas aventuras de longa e curta distância. O mais recente membro da família V-Strom, a 250, retoma as reconhecidas qualidades das suas irmãs em termos de ergonomia, polivalência e qualidade de construção, adicionando mais uma virtude, a reduzida altura do assento e formato estreito que permite uma enorme facilidade de utilização e segurança. Começa já a tua aventura.

www.suzukimoto.pt

| MOTORCYCLE SPORTS | -37-


Álex Rins

www.suzuki-racing.com

Entrevista

‘Gostaria de competir em Portugal’ ENTREVISTA: Rodrigo Fialho TEXTO: Bernardo Matias

-38- | MOTORCYCLE SPORTS |

A última das três entrevistas centradas na Suzuki que lhe trazemos em exclusivo para esta edição é com Álex Rins. Uma das sensações desta fase inicial da temporada de MotoGP, o #42 já alcançou o seu primeiro triunfo e nunca terminou abaixo do quinto lugar. Resultados que o colocam na ‘órbita’ da luta pelo título havendo muitos que o dão como um dos fortes candidatos – incluindo rivais como Andrea Dovizioso e Valentino Rossi.


www.suzuki-racing.com

O Motorcycle Sports chegou à fala com o talentoso espanhol, que aos 23 anos lidera a Suzuki em pista naquela que é a terceira época que enfrenta na categoria rainha. Apresentamos-lhe, de seguida, a entrevista exclusiva com Rins. De salientar que esta mesma entrevista foi efetuada entre os GP do Qatar e da Argentina, portanto antes da estreia nas vitórias de Rins em Austin. ‘A MOTO NÃO MUDOU MUITO’ MS: Quanto melhor é a GSX-RR

lhar por vitórias com os pilotos

zes. Seja como for há que retirar os

face ao modelo do ano passado?

de topo?

pontos positivos, assistimos a mui-

AR: A moto é quase igual. Melho-

AR: Fiquei um pouco chateado

tas coisas e reuni mais experiência.

rámos em cerca de dois, três terços

porque fui quarto depois de passar

e termos de ritmo de corrida mas a

uma grande parte da corrida a lutar

MS: Na Moto3 venceste após

moto não mudou muito face ao que

pelo primeiro, segundo e terceiro lu-

conseguires dois pódios e na

já era.

gares. Nas retas senti que não era

Moto2 precisaste de quatro pre-

competitivo. Sabíamos antes da

senças no top três antes de ven-

MS: O quarto lugar no Qatar foi

corrida que Losail ia ser compli-

ceres. Na MotoGP tens já cinco

frustrante porque falhaste o pó-

cado para nós por causa das

pódios. O que te falta para ven-

dio por pouco ou é um sinal de

retas. Era a primeira corrida

ceres?

encorajador de que podes bata-

e todos iam ser muito velo-

AR: Não sei. No Qatar tinha o que era preciso para ganhar, só me faltaram alguns cavalos de potência a

PERFIL DE ÁLEX RINS

tos importantes e só tenho de estar contente com a moto. Nas retas a moto é mais veloz que a do ano passado. A verdade é que é muito difícil conseguir...não sei, talvez mais cinco quilómetros nas rectas. Eles podem trabalhar nisso e melhorar a moto nas rectas, mas depois nas curvas a moto perde desempenho. www.suzuki-racing.com

Nome: Álex Rins Navarro Data de nascimento: 8 de dezembro de 1995 (23 anos) Estreia nos Mundiais: GP do Qatar de Moto3 de 2012 (resultado: décimo lugar) Estreia no MotoGP: GP do Qatar de 2017 (resultado: nono lugar) Temporadas completas: 7 Primeira vitória em Mundiais: GP das Américas de Moto3 de 2013 Equipa atual: Team Suzuki Ecstar Equipas anteriores: Estrella Galicia 0,0 (Moto3) e Paginas Amarillas HP 40 (Pons) (Moto2)

mais nas retas. Conseguimos pon-

Ao contrário do que sucedeu nas suas duas primeiras temporadas, em que fez dupla com o já veterano Andrea Iannone, Álex Rins é agora o mais experiente da Suzuki. Ao seu lado tem o rookie Joan Mir, | MOTORCYCLE SPORTS | -39-


Ă lex Rins

www.suzuki-racing.com

Entrevista

-40- | MOTORCYCLE SPORTS |


www.suzuki-racing.com

vindo do Moto2 em que passou apenas uma época. MS: Este ano tens o rookie Joan Mir como companheiro de equipa, o que o torna no teu primeiro rival. Ajuda-lo com dicas sobre a moto e sobre a categoria? AR: Sim, sem dúvida. Acho que ele é um bom piloto e fez uma boa corrida no Qatar. Veremos como ele se dá aqui na Argentina, mas acho que ele tem muito talento e creio que ele vai chegar sem dúvida ao lote dos mais rápidos. ‘O ESTORIL É UMA PISTA

diversos momentos na sua carreira

so tempo como companheiros no

track ou supermotard, ainda que

MUITO BOA’

chegando a ser colega de equipa

CEV e na Moto3.

aches que seja necessário. Qual

MS: Na tua época de rookie na

quando em 2012 o espanhol ficou

AR: Pilotei muito com o Miguel nas

seria a divisão perfeita de um

Moto3 foste sétimo no Estoril.

em quinto e o luso em oitavo no

categorias inferiores antes, no cam-

plano de treinos no ginásio e na

Gostaste da pista? E Portimão,

Mundial de Moto3. Posteriormente

peonato espanhol, tal como com o

moto?

conheces a pista?

encontraram-se na primeira época

Maverick [Viñales] e estávamos os

AR: Acho que é importante treinar

AR: Nunca pilotei em Portimão mas

de Oliveira na Moto2 (2016), em

três a batalhar uns com os outros

em cima de motos. Motocross, dirt

lembro-me bem do Estoril, pilotei

que Rins foi novamente mais forte

constantemente. Ele é um bom pilo-

track, supermotard, trial...o ginásio

muitas vezes ali, é uma pista muito

– terceiro, enquanto Oliveira aca-

to, foi meu companheiro em 2012 na

também é importante. Eu dividiria

boa, com um bom layout, ainda que

bou em 21.º.

Moto3 e para ele ter chegado aqui ao

80 por cento para as motos e 20 por

MotoGP é porque é muito bom piloto.

cento para o ginásio.

o asfalto não fosse o melhor. Quanto ‘TEMPO DE ADAPTAÇÃO DO

ta, terei de lá pilotar para ver como é

OLIVEIRA DEPENDE DA MOTO,

MS: Achas que ele vai demorar

SAIBA QUEM ERA O ÍDOLO DE

o circuito, talvez na minha 600cc ou

DO ENTUSIASMO QUE ELE

muito tempo até se adaptar à

INFÂNCIA DE ÁLEX RINS

a minha 1000cc.

TIVER’

classe rainha?

MS: És o ídolo de milhares de jo-

MS: Já que estamos a falar de Por-

AR: Depende. Depende da moto, do

vens. Quando eras miúdo, quem

Álex Rins foi um dos adversários

tugal, fala-nos da tua relação com

entusiasmo que ele tiver, não sei.

eram os teus ídolos?

que Miguel Oliveira enfrentou em

o Miguel Oliveira e recorda o voswww.suzuki-racing.com

a Portimão, parece-me uma boa pis-

AR: Quando era uma criança a miDiversos pilotos – incluindo Andrea

nha referência era o Valentino [Rossi].

Dovizioso, Marc Márquez ou Va-

Ele ganhava tudo e era o meu ídolo,

lentino Rossi – treinam frequente-

sim.

mente para o MotoGP noutras modalidades de motociclismo, o que

MS: Por último, queres deixar al-

os ajuda a manter em forma mas

guma mensagem aos teus adep-

também acarreta um risco acresci-

tos portugueses?

do de lesões. Por isso, nem todas

AR: Claro. Quero agradecer-lhes

as equipas são muito recetivas a

porque o apoio que recebo vosso

permitirem esse tipo de treino.

é fantástico. Gostaria de competir em Portugal porque lembro-me de

MS: Mudando de assunto. Dis-

competir aí e de ter muitas pessoas

seste no passado que a Suzuki

a apoiarem-me. Espero poder vê-los

não gosta que treines enduro, flat

em breve! | MOTORCYCLE SPORTS | -41-


MotoGP

GP das Américas www.suzuki-racing.com

TEXTO: Bernardo Matias

Estreia de Rins nas vitórias quebrou hegemonia de Márquez Depois da Argentina, os Campeonatos do Mundo de Motociclismo fecharam o périplo pelo ‘outro lado do Atlântico’ com o GP das Américas no já habitual Circuito das Américas, em Austin/Texas. Se a expectativa era da sétima vitória consecutiva de Marc Márquez, acabou por ser o inesperado Álex Rins a ganhar na categoria-rainha – em que Miguel Oliveira voltou a pontuar.

-42- | MOTORCYCLE SPORTS |

A meio de abril, os Mundiais de

de Moto3 era liderado por Kaito

MotoGP passaram por Austin para

Toba. O homem da Honda Team

o GP das Américas na sua sétima

Asia não teve uma segunda ron-

edição. Na única prova norte-

da tão forte, mas o décimo lugar

-americana do calendário atual,

junto à vitória na primeira ronda

Marc Márquez tinha o monopólio

deixavam-no dois pontos à frente

de vitórias na categoria-rainha, o

de Lorenzo Dalla Porta, da Leopard

que o tornava o principal favorito

Racing. Em terceiro seguia Jaume

à partida. Quanto a Miguel Olivei-

Masiá (Bester Capital Dubai), com

ra, depois dos primeiros pontos na

motivação acrescida após a estreia

Argentina, chegava com motivação

nos triunfos na categoria de inicia-

acrescida a um circuito árduo de

ção.

enfrentar.

Quanto ao Mundial de Moto2, a

Na chegada a Austin, o Mundial

questão nos Estados Unidos da


Christian Pondella/Red Bull Content Pool

América era se alguém conseguiria parar Lorenzo Baldassarri. O italiano da Flexbox HP 40 tinha triunfado nas duas primeiras jornadas do ano e já liderava destacado – 17 pontos na frente do surpreendente Remy Gardner (ONEXOX TKKR SAG Team), que na Argentina conquistara pela primeira vez na sua

penso que possamos correr aqui mais um ano nestas condições, nem pensar. Bastante irregular, especialmente em várias curvas, mas nas curvas consegues mais ou menos gerir. Na curva dois é um desastre, mas se perdes a frente estás a 120km/h ou 130km/h. Mas

Ressaltos na pista de Austin foram problema

nas retas, em sexta velocidade, é bastante difícil manter em acelera-

Já no MotoGP, graças à performan-

ção. É muito perigoso e estamos a

©Jesus Robledo

carreira um pódio ao ser segundo. ce dominadora na Argentina Marc Márquez (Repsol Honda) assumiu a dianteira do campeonato. Chega-

pilotar um a um. […]. A aderência não é assim tão má, pilotamos em circuitos com muito menos ade-

va a uma das suas rondas favori-

rência. Mas as lombas? Vá lá, isto

tas com quatro pontos de avanço

não é motocross. É MotoGP, por-

face a Andrea Dovizioso (Mission

tanto é demasiado. Na reta interior

Winnow Ducati) e 14 pontos na

a moto está a abanar de forma lou-

frente de Valentino Rossi (Monster

ca a mais de 300km/h. Se alguém

Energy Yamaha). Após os seus pri-

cai lá…’.

meiros cinco pontos, o luso da Red MOTO3, TREINOS LIVRES:

Bull KTM Miguel Oliveira dividia a 16.ª posição com Franco Morbidelli (Petronas Yamaha SRT).

Fenati ditou ritmo do Moto3 na sexta-feira em Austin

MELHORES REGISTOS NO FP2 Romano Fenati foi o grande protagonista dos treinos livres do

LOMBAS CAUSAM APREENSÃO

Mundial de Moto3 em Austin. Pre-

Mesmo sendo um dos mais novos

das lombas.

de perigo elevado e não cumpre os

vendo-se chuva para sábado, os

circuitos do calendário, o CoTA

Já citado pelo site Motorsport.com,

padrões para o MotoGP: ‘[As lom-

pilotos procuraram desde cedo os

está há muito marcado pelo facto

Aleix Espargaró (Aprilia) foi mais

bas são] Bastante perigosas. Nunca

tempos nas sessões de sexta-feira.

de possuir um asfalto com muitas

longe, defendendo que da forma

pilotei numa pista assim. Não está,

No FP1, o italiano da VNE Snipers

irregularidades na forma de ressal-

como estava, a pista de Austin é

de todo, ao nível do MotoGP. Não

passou pela liderança várias vezes,

tos, que não só dificultam a tarefa dos pilotos como também tornam a pilotagem mais perigosa. Os responsáveis têm tentado, sem grande sucesso, mitigar os problemas. Na conferência de imprensa de antevisão, Andrea Dovizioso, Jack Miller e Valentino Rossi sustentaram que o problema deverá ser significativo ao nível do próprio solo – Miller recordou que se tratam de solos barrentos – e que só uma intervenção de fundo poderia resolver os problemas. Já Álex Rins só esperava que não existisse tanto pó como o que houve no ano passado em resultado das tentativas para reduzir o efeito prejudicial

mas só já no fim é que estabele-

HONDA E KTM ‘IMITARAM’ DUCATI Recusado o processo submetido ao Tribunal Arbitral sobre o ‘spoiler’ no braço oscilante da Ducati, mais construtores apostaram numa solução similar para as suas motos. No caso da Honda, mesmo antes do GP Marc Márquez confirmou ao jornal AS a introdução do componente com fins de estabilização do braço oscilante. Já a KTM surpreendeu ao sair para a pista no dia de sábado com o ‘spoiler’ numa das RC16, o que evidenciou que este tipo de dispositivos veio para ficar. E, entretanto, Valentino Rossi também veio a público dizer que tinha pedido algo similar à Yamaha, embora não saiba o ‘timing’ da sua introdução.

ceu a marca que lhe permitiu terminar na frente – 2m18,536s para superar Dennis Foggia (Sky Racing Team VR46) por 89 milésimas. O FP2 revestiu-se de especial importância. As previsões apontavam para chuva no sábado, pelo que quem terminasse no top 14 poderia muito bem garantir desde logo a presença na Q2. Andrea Migno (Bester Capital Ducati) foi o primeiro a aguentar-se no comando durante um período mais longo, mas acabou superado por Lorenzo Dalla Porta (Leopard Racing). Este, por seu turno, cedeu o comando a Fenati quando estavam | MOTORCYCLE SPORTS | -43-


MotoGP

GP das Américas CLASSIFICAÇÃO GP AUSTIN - MOTO3 Gold and Goose

Pos.

Canet comemorou regresso aos triunfos

Piloto

Equipa

Moto

Tempo/ Diferença

1.º

Arón Canet

Sterilgarda Max Racing Team

KTM

39m06,761s

2.º

Jaume Masiá

Bester Capital Dubai

KTM

+ 0,909s

3.º

Andrea Migno

Bester Capital Dubai

KTM

+ 1,077s

4.º

Gabriel Rodrigo

Kömmerling Gresini Moto3

Honda

+ 1,104s

5.º

Niccolò Antonelli

SIC58 Squadra Corse

Honda

+ 1,187s

6.º

Tony Arbolino

VNE Snipers

Honda

+ 1,322s

7.º

Raúl Fernández

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

+ 1,418s

8.º

Alonso López

Estrella Galicia 0,0

Honda

+ 1,596s

9.º

Celestino Vietti

SKY Racing Team VR46

KTM

+ 1,735s

10.º Dennis Foggia

SKY Racing Team VR46

KTM

+ 7,876s

11.º Ai Ogura

Honda Team Asia

Honda

+ 8,020s

12.º Marcos Ramírez

Leopard Racing

Honda

+ 8,644s

13.º Lorenzo Dalla Porta

Leopard Racing

Honda

+ 8,779s

14.º John McPhee

Petronas Sprinta Racing

Honda

+ 8,780s

15.º Darryn Binder

CIP Green Power

KTM

+ 9,369s

16.º Kazuki Masaki

BOE Skull Rider Mugen Race

KTM

+ 25,290s

17.º Vicente Pérez

Reale Avintia Arizona 77

KTM

+ 33,964s

18.º Makar Yurchenko

BOE Skull Rider Mugen Race

KTM

+ 34,165s

19.º Sergio García

Estrella Galicia 0,0

Honda

+ 34,462s

20.º Filip Salac

Redox PruestelGP

KTM

+ 34,590s

21.º Riccardo Rossi

Kömmerling Gresini Moto3

Honda

+ 50,739s

NC

Ayumu Sasaki

Petronas Sprinta Racing

Honda

15 voltas

Aleix Viu

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

13 voltas

Honda

12 voltas

KTM

10 voltas

decorridos pouco mais de 24 mi-

MOTO3, QUALIFICAÇÃO:

nutos. O italiano melhorou ainda

POLE POSITION DE NICCOLÒ

duas vezes para acabar com um

ANTONELLI

NC

registo de 2m16,679s e terminou

A primeira fase da qualificação do

NC

Tatsuki Suzuki

SIC58 Squadra Corse

0,275s acima de Tatsuki Suzuki

Moto3 em Austin decorreu com o

NC

Tom Booth-Amos

CIP Green Power

(SIC58 Squadra Corse). Mais abai-

asfalto húmido, mas a melhorar as

NC

Romano Fenati

VNE Snipers

Honda

11 voltas

xo, Alonso López (Estrella Galicia

suas condições, pelo que os tem-

NC

Jakub Kornfeil

Redox PruestelGP

KTM

11 voltas

0,0) garantiu o 14.º posto 80 mi-

pos mais rápidos surgiram essen-

NC

Kaito Toba

Honda Team Asia

Honda

11 voltas

lésimas na frente de Jaume Masiá

cialmente no final. Darryn Binder

NC

Can Öncü

Red Bull KTM Ajo

KTM

2 voltas

(Bester Capital Dubai). Esse resul-

(CIP Green Power) acabou por ser

Também apurados foram Raúl Fer-

táveis 2,067s de margem face a Ai

tado revelar-se-ia bastante impor-

o mais rápido com uma volta es-

nández (Ángel Nieto Team) e Mar-

Ogura (Honda Team Asia).

tante, uma vez que o FP3 acabou

tabelecida em 2m33,777s com a

cos Ramírez (Leopard Racing), que

A tendência de melhoria das con-

por ser cancelado… .

qual superou Masiá por 0,473s.

selou o quarto posto com confor-

dições do piso continuou na Q2

SÁBADO A ‘MEIO GÁS’ DEVIDO À TROVOADA A meteorologia não deu tréguas no sábado do GP das Américas. Abateu-se uma intempérie na zona do traçado de Austin, mas o problema não era tanto a chuva e sim a trovoada. A primeira sessão do dia seria o terceiro treino livre de Moto3. Depois de vários adiamentos e de se ter chegado a traçar um plano de FP3 mais curtos para todas as categorias, e com o passar das horas, a única solução acabou por ser o cancelamento de todos os terceiros treinos livres. O programa começou assim com os horários iniciais a partir da Q1 de Moto3 – pelo que as qualificações das três classes e o FP4 de MotoGP não sofreram condicionamentos. Christian Pondella/Red Bull Content Pool

-44- | MOTORCYCLE SPORTS |


CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO MOTO3 - GP AUSTIN Pos.

Piloto

Equipa

Moto

Pontos

KTM

Diferença

1.º

Jaume Masiá

Bester Capital Dubai

45

2.º

Arón Canet

Sterilgarda Max Racing Team

KTM

45

0

3.º

Lorenzo Dalla Porta

Leopard Racing

Honda

32

-13

treia da Max Racing Team de Max

4.º

Niccolò Antonelli

SIC58 Squadra Corse

Honda

32

-13

Biaggi nos triunfos no Mundial

5.º

Kaito Toba

Honda Team Asia

Honda

31

-14

de Moto3 – não escondeu a sua

6.º

Tony Arbolino

VNE Snipers

Honda

26

-19

satisfação ao afirmar: ‘Sinto-me

7.º

Gabriel Rodrigo

Kömmerling Gresini Moto3

Honda

24

-21

8.º

Marcos Ramírez

Leopard Racing

Honda

24

-21

9.º

Andrea Migno

Bester Capital Dubai

KTM

23

-22

10.º

Darryn Binder

CIP Green Power

KTM

21

-24

11.º

Celestino Vietti

SKY Racing Team VR46

KTM

20

-25

12.º

Raúl Fernández

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

19

-26

13.º

Dennis Foggia

SKY Racing Team VR46

KTM

14

-31

14.º

Alonso López

Estrella Galicia 0,0

Honda

12

-33

15.º

Ayumu Sasaki

Petronas Sprinta Racing

Honda

11

-34

16.º

Albert Arenas

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

10

-35

17.º

Ai Ogura

Honda Team Asia

Honda

10

-35

18.º

Romano Fenati

VNE Snipers

Honda

7

-38

19.º

Jakub Kornfeil

Redox PruestelGP

KTM

6

-39

20.º

John McPhee

Petronas Sprinta Racing

Honda

5

-40

21.º

Tatsuki Suzuki

SIC58 Squadra Corse

Honda

3

-42

22.º

Kazuki Masaki

BOE Skull Rider Mugen Race

KTM

0

-45

23.º

Vicente Pérez

Reale Avintia Arizona 77

KTM

0

-45

24.º

Makar Yurchenko

BOE Skull Rider Mugen Race

KTM

0

-45

MOTO2, TREINOS LIVRES:

25.º

Tom Booth-Amos

CIP Green Power

KTM

0

-45

DYNAVOLT INTACT GP

26.º

Can Öncü

Red Bull KTM Ajo

KTM

0

-45

DOMINOU

27.º

Aleix Viu

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

0

-45

O Mundial de Moto2 no Texas

28.º

Sergio García

Estrella Galicia 0,0

Honda

0

-45

começou com um primeiro treino

29.º

Filip Salac

Redox PruestelGP

KTM

0

-45

livre dominado pela Dynavolt In-

30.º

Ryusei Yamanaka

Estrella Galicia 0,0

Honda

0

-45

tact GP. Grande parte da sessão foi

31.º

Riccardo Rossi

Kömmerling Gresini Moto3

Honda

0

-45

liderada por um homem da equipa

maravilhosamente. É ótimo conquistar a primeira posição, é uma sensação ótima. Tentei atacar com força, procurando usar bem o pneu traseiro. Na primeira parte da corrida controlei mais e no fim a minha estratégia foi certa e estou muito feliz’. Os resultados do GP das Américas ditaram uma mudança de líder no Mundial de Moto3, que passou a ter Masiá no topo em igualdade pontual com Canet. Toba, que chegou no comando, caiu para quinto com o abandono que sofreu. Assim ficou ordenado o topo do campeonato:

alemã, sobretudo Marcel Schrötter que decidiu os primeiros 14 luga-

fazer o melhor tempo do warm-up

queda que o afastou da prova –

que no final foi mesmo o mais rá-

res na grelha de partida. Fenati,

(2m18,262s) sendo 0,302s mais

isto quando faltavam cinco voltas

pido.

Antonelli e Fernández passaram

forte do que Canet, com Suzuki na

para o término. Assim, a luta pelo

O germânico superou o colega Tom

pelo topo após as primeiras voltas

terceira posição a 0,386s. Estavam

comando ficou entregue a Canet

Lüthi a cerca de dez minutos do fi-

lançadas, mas foi Binder tomou

assim as cartas em cima da mesa

e Andrea Migno, autores de boas

nal do FP1 para nunca mais ceder

conta do topo da tabela… antes

para a corrida.

recuperações.

o comando. Foi o único a entrar no

de Antonelli estabelecer, por fim, o

No começo da prova, o holeshot

A duas voltas da bandeira de xa-

2m10s (2m10,853s) para terminar

tempo que lhe deu a pole position

foi de Raúl Fernández, mas no

drez, Canet fez o decisivo ataque

0,485s acima do helvético. Atrás

– 2m31,346s. Fernández ficou

fim da primeira volta Antonelli re-

que o levou à liderança em definiti-

do duo da Dynavolt Intact ficou

a 0,501s de distância na segun-

cuperou a liderança ficando com

vo e ganhou alguma margem. Atrás

Jorge Navarro (Beta Tools Speed

da posição, ao passo que Gabriel

Rodrigo e Fernández atrás de si.

de si, foi a luta pelo segundo posto

Up), seguindo-se Luca Marini (Sky

Rodrigo (Kömmerling Gresini) en-

Numa prova bastante animada, as

a animar os últimos instantes, com

Racing Team VR46).

cerrou a primeira linha da grelha a

posições da frente não se mantive-

Masiá, Migno e Rodrigo envol-

O líder do campeonato, Lorenzo

0,783s do topo.

ram muito tempo assim ordenadas,

vidos. Masiá acabou por levar a

Baldassarri (Flexbox Pons HP 40)

com a liderança a rodar por alguns

melhor, cortando a meta a 0,909s

teve um início discreto com o 14.º

MOTO3, CORRIDA: TRÊS

dos pilotos do grupo dianteiro.

de Canet, com Migno a completar

registo. Este primeiro treino livre

CORRIDAS, TRÊS VENCEDORES:

Tatsuki Suzuki conseguiu por fim

o pódio oferecendo um duplo top

de Moto2 também ficou marcado

A VEZ DE ARÓN CANET

ganhar alguma margem no topo

três à Bester Capital Dubai.

por uma violenta queda de Jake

O domingo em Austin começou

da classificação cerca do meio da

No comunicado oficial de rescal-

Dixon, que valeu um traumatismo

solarengo e com Romano Fenati a

corrida, mas acabou por sofrer uma

do, Canet – que promoveu a es-

craniano ao homem da Sana Qatar | MOTORCYCLE SPORTS | -45-


GP das Américas

KF Glaenzel/Racepix.de

MotoGP

Ángel Nieto Team – mesmo sem demasiada gravidade, foi o suficiente para o afastar do resto do fim de semana. O FP2 de Moto2 encerrou o dia de sexta-feira. A Dynavolt Intact GP teve novamente a supremacia final, com Schrötter a alcançar o comando nos últimos minutos sendo o único a rodar em 2m09s (2m09,082s). Até então existiram cinco pilotos a passarem pelo topo – incluindo Lüthi que terminou no segundo posto a 0,508s. Álex Márquez (EG 0,0 Marc VDS), outro dos que liderou, rubricou a terceira marca a 0,598s do líder, ao passo que Marini e Sam Lowes (Federal Oil Gresini) fechou o top cinco a 0,664s. Destaque para Mattia Pasini, que a render Augusto Fernández na Flexbox HP 40 rubricou um positivo oitavo registo.

minuto Bendsneyder superou-o, tal

apuramento em quarto 0,216s

de um minuto houve cinco líderes

Em 14.º lugar ficou Enea Bastianini

como Jorge Martín (Red Bull KTM

acima de Iker Lecuona (American

diferentes – Enea Bastianini (Ital-

(Italtrans Racing Team), 38 milési-

Ajo). Estes três conseguiram o apu-

Racing KTM).

trans Racing Team), Simone Corsi

mas na frente de Brad Binder (Red

ramento, com Martín a terminar na

Chegou então o momento mais

(Tasca Racing Scuderia Moto2),

Bull KTM Ajo). Desta forma, asse-

frente com 0,331s de margem face

decisivo do sábado de Moto2 em

Remy Gardner (ONEXOX TKKR

gurou aquela que viria a ser a últi-

a Bendsneyder. Binder foi terceiro

Austin, a Q2. No início, em menos

SAG Team), Bezzecchi e Binder,

ma posição de apuramento direto

e Marco Bezzecchi (Red Bull KTM

para a Q2, tendo em conta o já

Tech3) selou a última posição de

viria a acontecer no sábado. MOTO2, QUALIFICAÇÃO: SCHRÖTTER DEU SEGUIMENTO À TENDÊNCIA PARA CONQUISTAR A POLE A primeira fase da qualificação começou com a pista já em condições de piso totalmente seco, depois de as Moto3 e MotoGP terem rodado nas horas antes. Xavi Vierge (EG 0,0 Marc VDS) foi o primeiro líder e manteve-se cerca de cinco segundos no topo antes de ceder perante Bo Bendsneyder (NTS RW Racing). Brad Binder foi o senhor que se seguiu no topo da Q1, mas no último -46- | MOTORCYCLE SPORTS |

Primeira vitória pós-MotoGP para Lüthi KF Glaenzel/Racepix.de

referido cancelamento do FP3 que


que se estabeleceu na frente. Cerca de seis minutos depois, surgiram no topo os – inevitáveis em

CLASSIFICAÇÃO GP AUSTIN - MOTO2 Pos.

Piloto

que o alemão conseguiu mesmo a

Equipa

Moto

Tempo/

ultrapassagem a oito voltas da ban-

Diferença

deira de xadrez.

1.º

Tom Lüthi

Dynavolt Intact GP

Kalex

39m11,508s

2.º

Marcel Schrötter

Dynavolt Intact GP

Kalex

+ 2,532s

3.º

Jorge Navarro

Beta Tools Speed Up

Speed Up

+ 3,836s

4.º

Mattia Pasini

Flexbox HP 40

Kalex

+ 4,757s

5.º

Alex Márquez

EG 0,0 Marc VDS

Kalex

+ 7,741s

6.º

Luca Marini

SKY Racing Team VR46

Kalex

+ 8,031s

7.º

Sam Lowes

Federal Oil Gresini Moto2

Kalex

+ 8,282s

não evitando a cedência de mais

2m10,875s. Álex Márquez ainda

8.º

Simone Corsi

Tasca Racing Scuderia Moto2

Kalex

+ 8,953s

uma posição já na antepenúltima

conseguiu colocar-se a 58 milési-

9.º

Enea Bastianini

Italtrans Racing Team

Kalex

+ 10,706s

10.º Andrea Locatelli

Italtrans Racing Team

Kalex

+ 16,868s

volta. Até final, o espanhol também

11.º Remy Gardner

ONEXOX TKKR SAG Team

Kalex

+ 25,633s

12.º Tetsuta Nagashima

ONEXOX TKKR SAG Team

Kalex

+ 25,948s

13.º Bo Bendsneyder

NTS RW Racing GP

NTS

+ 26,997s

14.º Dominique Aegerter

MV Agusta Idealavoro Forward MV Agusta

+ 27,462s

Austin… – homens da Dynavolt Intact GP. Lüthi passou perto de três minutos no comando, mas Schrötter fechou com as suas duas melhores voltas e conquistou a pole position com um registo de

mas nos instantes finais, ao passo que Lowes relegou Lüthi para o quarto posto final e fechou a primeira linha da grelha de partida.

Com os seus adversários a cederem terreno, Lüthi conseguiu ganhar alguma tranquilidade no topo. Márquez começou a perder andamento e ficou à mercê de Navarro,

perdeu face a Pasini, que assim selou um regresso bastante positivo com o quarto posto. Na frente, Lüthi esteve inabalável e

15.º Jorge Martín

Red Bull KTM Ajo

KTM

+ 27,482s

cortou a meta com 2,532s de mar-

MOTO2, CORRIDA: LÜTHI

16.º Jesko Raffin

NTS RW Racing GP

NTS

+ 39,435s

gem face a Schrötter para alcançar

VENCEDOR NUMA CORRIDA DE

17.º Khairul Idham Pawi

Petronas Sprinta Racing

Kalex

+ 49,582s

18.º Philipp Öttl

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+ 51,247s

a sua primeira vitória desde que

19.º Lukas Tulovic

Kiefer Racing

KTM

+ 51,380s

20.º Somkiat Chantra

IDEMITSU Honda Team Asia

Kalex

+ 53,778s

21.º Gabriele Ruiu

MV Agusta Idealavoro Forward MV Agusta + 1m19,156s

EMOÇÕES FORTES O dia de domingo começou com Álex Márquez a fazer o melhor tempo do warm-up ao superar

voltou ao Moto2 no início do ano. Navarro completou o pódio que é inédito na sua carreira na categoria intermédia.

22.º Dimas Ekky Pratama

IDEMITSU Honda Team Asia

Kalex

+ 1m19,286s

Navarro por cinco milésimas. Uma

NC Iker Lecuona

American Racing KTM

KTM

13 voltas

Após a corrida, Lüthi não escon-

curta distância, tal como aquelas

NC Marco Bezzecchi

Red Bull KTM Tech 3

KTM

12 voltas

NC Xavi Cardelús

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

4 voltas

deu a sua satisfação com o resul-

NC Brad Binder

Red Bull KTM Ajo

KTM

2 voltas

Speed Up

0 voltas

que se viriam a verificar na corrida da tarde desse dia. Os primeiros instantes da prova foram intensos, mas Schrötter aproveitou bem a pole position e fez o

NC Fabio di Giannantonio Beta Tools Speed Up NC Lorenzo Baldassarri

Flexbox HP 40

Kalex

0 voltas

NC Xavi Vierge

EG 0,0 Marc VDS

Kalex

0 voltas

NC Joe Roberts

American Racing KTM

KTM

0 voltas

aos êxitos: ‘Estou bastante feliz. Quando passei a bandeira de xadrez na primeira posição comecei imediatamente a gritar para o meu ©Jesus Robledo

holeshot. Logo foi ultrapassado por

tado que representa o regresso

Márquez e por Lüthi. Na primeira volta, azar para Baldassarri, que ao sofrer um incidente e consequen-

capacete. Foi uma sensação inacreditável. Obter novamente uma vitória e estar de volta à frente é incrível. Todo o fim de semana cor-

te queda ficou desde logo de fora

reu bem. Tivemos um bom ritmo e

e impedido de discutir o terceiro

eu sabia que podia ser rápido. Mas

triunfo consecutivo.

o piloto ao meu lado na garagem

Os primeiros três classificados

[Marcel Schrötter] foi mais rápido

começaram a isolar-se do res-

do que eu durante todo o treino

to do grupo nas primeiras voltas,

e penso que não foi demasiado

com Márquez na frente de Lüthi

mau, uma vez que me colocou sob

e Schrötter. A luta pela liderança

muita pressão. […]. Por causa dos

esteve ao rubro entre Márquez e

zero pontos na Argentina sabia que

Lüthi, que chegaram mesmo a to-

nesta corrida precisava mesmo de

car-se no seu duelo. Depois de as-

pontos e precisei de fazer uma cor-

cender a primeiro, Lüthi conseguiu

rida inteligente’.

ganhar algum distanciamento no

Apesar da queda e consequente

topo da prova, enquanto Márquez ficou sob pressão de Schrötter em disputa pelo segundo posto – até

Márquez chegava como imbatível em Austin

abandono, Baldassarri conseguiu conservar a liderança do Mundial de Moto2. No entanto, ficou com a | MOTORCYCLE SPORTS | -47-


MotoGP

GP das Américas

sua margem substancialmente en-

de não faltarem pilotos com toda

disso – como explicou em comuni-

a concentração’.

curtada, passando a ter no encalço

a ambição e legitimidade de pen-

cado de antevisão: ‘O Circuito das

Quanto à lesão no ombro esquer-

a dupla da Dynavolt Intact GP. As-

sarem em colocar um ponto final a

Américas é uma das minhas pistas

do de que recupera há alguns me-

sim ficou o topo do campeonato:

esse monopólio. Quanto a Miguel

favoritas. Aquelas em que se roda

ses, na conferência de imprensa de lançamento Márquez antecipou

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO MOTO2 - GP AUSTIN Pos.

Piloto

Equipa

que não seria um grande problema Moto

Pontos

1.º

Lorenzo Baldassarri

Flexbox HP 40

Kalex

2.º

Marcel Schrötter

Dynavolt Intact GP

Kalex

47

3.º

Tom Lüthi

Dynavolt Intact GP

Kalex

4.º

Remy Gardner

ONEXOX TKKR SAG Team

Kalex

5.º

Alex Márquez

EG 0,0 Marc VDS

6.º

Luca Marini

SKY Racing Team VR46

7.º

Jorge Navarro

8.º

Diferença

apesar de se tratar de uma pista exigente do ponto de vista físico: ‘É

50 -3

verdade que esta é uma das pistas

45

-5

mais difíceis para a condição física

38

-12

mas sinto-me apto. A questão é

Kalex

36

-14

que nos pontos de travagem forte

Kalex

27

-23

por vezes ainda sinto algo no om-

Beta Tools Speed Up

Speed Up

24

-26

Enea Bastianini

Italtrans Racing Team

Kalex

21

-29

9.º

Sam Lowes

Federal Oil Gresini Moto2

Kalex

19

-31

10.º

Brad Binder

Red Bull KTM Ajo

KTM

14

-36

11.º

Andrea Locatelli

Italtrans Racing Team

Kalex

14

-36

12.º

Iker Lecuona

American Racing KTM

KTM

13

-37

13.º

Mattia Pasini

Flexbox HP 40

Kalex

13

-37

14.º

Augusto Fernández

Flexbox HP 40

Kalex

11

-39

15.º

Simone Corsi

Tasca Racing Scuderia Moto2

Kalex

8

-42

16.º

Tetsuta Nagashima

ONEXOX TKKR SAG Team

Kalex

8

-42

17.º

Somkiat Chantra

IDEMITSU Honda Team Asia

Kalex

6

-44

18.º

Xavi Vierge

EG 0,0 Marc VDS

Kalex

6

-44

19.º

Fabio di Giannantonio

Beta Tools Speed Up

Speed Up

5

-45

20.º

Bo Bendsneyder

NTS RW Racing GP

NTS

5

-45

21.º

Khairul Idham Pawi

Petronas Sprinta Racing

Kalex

3

-47

22.º

Jesko Raffin

NTS RW Racing GP

NTS

3

-47

23.º

Dominique Aegerter

MV Agusta Idealavoro Forward

MV Agusta

2

-48

24.º

Jorge Martín

Red Bull KTM Ajo

KTM

2

-48

25.º

Marco Bezzecchi

Red Bull KTM Tech 3

KTM

0

-50

rências, tens de construir os teus

26.º

Jake Dixon

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

0

-50

pontos de travagem, os sítios em

27.º

Lukas Tulovic

Kiefer Racing

KTM

0

-50

que colocar a roda dianteira, não

28.º

Philipp Öttl

Red Bull KTM Tech 3

KTM

0

-50

é fácil. Mas aqui em Austin é uma

29.º

Stefano Manzi

MV Agusta Idealavoro Forward

MV Agusta

0

-50

pista muito particular, várias cur-

30.º

Xavi Cardelús

Sama Qatar Angel Nieto Team

KTM

0

-50

vas, retas longas, pontos de trava-

31.º

Gabriele Ruiu

MV Agusta Idealavoro Forward

MV Agusta

0

-50

gem forte. É difícil ter uma moto

32.º

Joe Roberts

American Racing KTM

KTM

0

-50

ter uma moto boa em todos os sí-

33.º

Dimas Ekky Pratama

IDEMITSU Honda Team Asia

Kalex

0

-50

tios no que toca ao set-up’.

bro, mas penso que não será um grande problema. […]. Sinto uma grande melhoria depois da Argentina. […]. Agora sinto quase a 100 por cento como um ombro normal e isto é o mais importante’. Na quinta-feira anterior ao GP, Oliveira mostrou a ambição de alcançar novo top 15, motivado pelos acontecimentos de Termas de Río Hondo. Em declarações ao site oficial do MotoGP, afirmou: ‘Chegar aos pontos é o objetivo, continuando a progredir com a moto. Pelo menos seria bonito repetir o resultado da Argentina, se for melhor seria fantástico. Em todas as pistas novas é uma boa sensação descobrir, porque não tens refe-

MOTOGP: TODOS CONTRA

Oliveira, chegava com motivação

no sentido contrário aos ponteiros

MOTOGP, TREINOS LIVRES 1 E 2:

MARC MÁRQUEZ

acrescida após os pontos na Ar-

do relógio, parece que adaptam-se

VIÑALES MAIS RÁPIDO DO QUE

Marc Márquez chegou ao GP das

gentina.

sempre melhor ao meu estilo. Em-

MÁRQUEZ

Américas de MotoGP como o na-

Apesar do domínio nos anos an-

bora tenhamos alcançado muitos

A confirmar o seu favoritismo,

tural favorito, tendo em conta o

teriores, Márquez não abordou o

êxitos no passado, trabalharemos

Marc Márquez (Repsol Honda) en-

seu palmarés – seis vitórias em

GP das Américas convicto de que

como fazemos sempre, desde o

trou a liderar nos treinos livres de

seis edições da prova, e isto apesar

a vitória estava garantida – longe

primeiro treino livre, e manteremos

sexta-feira em Austin. O espanhol

-48- | MOTORCYCLE SPORTS |


Tino Martino/Milagro

apressou-se a chegar ao topo da

passar para a frente e acabou por

importância de começar desta

to complicado e leva algum tempo

tabela de tempos, estabelecen-

superar Márquez por 44 milésimas.

forma: ‘Acho que foi muito impor-

para que eu possa entender como

do-se no topo durante grande

Todos os pilotos melhoraram, in-

tante trabalhar na configuração

andar e também como a moto

parte da sessão. No entanto, ain-

clusivamente Oliveira apesar do

básica, porque na Argentina enten-

pode me ajudar a pilotar melhor na

da foi ultrapassado por Maverick

21.º lugar – o luso rodou entre o

demos mal algumas coisas. Acho

pista. Neste momento com certe-

Viñales (Monster Energy Yamaha)

2m07s e o 2m06s, com a sua me-

que trabalhámos muito bem aqui

za não estamos contentes com o

com pouco menos de meia hora

lhor volta (2m06,276s) a coloca-lo

neste dia. Tentei ser muito compe-

resultado que fizemos, mas preci-

decorrida, respondendo então da

a 2,419s do topo.

titivo, especialmente nas primeiras

samos de aprender e entender que

melhor forma para acabar no topo

Francesco Bagnaia (Pramac Du-

voltas, mas ainda assim temos de

talvez seja normal sofrer um pouco

por 78 milésimas. Quanto a Miguel

cati) rubricou a décima marca 84

ser mais precisos nas primeiras

mais pela primeira vez aqui’.

Oliveira, terminou na 17.ª posição,

milésimas na frente de Andrea Do-

voltas e eu preciso de um pouco

mostrando um ritmo constante no

vizioso (Mission Winnow Ducati),

mais de aderência, especialmente

MOTOGP, FP4: MÁRQUEZ

2m08s para fazer a sua melhor vol-

assegurando assim a última vaga

na traseira. […]. É importante estar

AVASSALADOR EM CONDIÇÕES

ta em 2m08,035s – a 2,724s de

direta na Q2 – isto porque o FP3

no topo, porque acho que no sába-

DIFÍCEIS

Márquez e pouco atrás de Johann

acabou por ser cancelado devido à

do vai chover, e nós precisamos de

Como já lhe contámos, o dia de sá-

Zarco, da equipa oficial da KTM.

chuva. Fora do top dez combinado

começar na frente’.

bado em Austin foi bastante condi-

Mais tarde também na sexta-feira,

ficaram, entre outros, Dovizioso e

Quanto a Oliveira, admitiu que

cionado, com uma trovoada a mo-

12 de abril, realizou-se O fp2. Már-

Jorge Lorenzo (Honda).

terminou insatisfeito após os dois

tivar o cancelamento das terceiras

quez foi novamente o líder duran-

Após o término destes dois primei-

primeiros treinos: ‘Foi um dia difícil

sessões de treinos livres de todas

te boa parte dos 45 minutos, mas

ros dias de treinos livres, o homem

para aprender a pista com a moto

as categorias. Assim, o MotoGP só

mesmo no fim Viñales conseguiu

mais rápido, Viñales, salientou a

nova, já que o COTA é um circui-

teve a ação a começar com o FP4, | MOTORCYCLE SPORTS | -49-


MotoGP

GP das Américas

no qual Marc Márquez acabou por

positiva para Oliveira, que liderou

com Márquez e Lorenzo a serem

ter os pés assentes no chão quan-

dominar – liderou com 1,900s de

por duas vezes nos primeiros seis

os primeiros a fazerem tempos

to ao significado desse resultado:

margem face a Cal Crutchlow (LCR

minutos.

representativos. O primeiro dos

‘Estou contente por estar na pole

Honda) numa sessão com o piso a

No entanto, e com a pista a pro-

espanhóis foi, aliás, o único a li-

position, mas para a corrida nada é

melhorar progressivamente à me-

gredir, os tempos foram caindo e

derar – logo na sua primeira volta

ainda certo. Fomos os mais rápidos

dida que ia secando. Miguel Oli-

acabou por ser Jorge Lorenzo a

lançada fez o melhor tempo da

e ganhámos a pole, mas ninguém

veira esteve em bom plano apesar

liderar a subsessão 36 milésimas

qualificação em 2m03,787s, com

sabe ainda quais serão os pneus de

das condições difíceis, terminando

na frente de Danilo Petrucci (Mis-

Valentino Rossi (Monster Energy

corrida, uma vez que perdemos o

em 15.º.

sion Winnow Ducati Team). Este,

Yamaha) a ser o que mais perto

FP3’.

ficou a 0,273s. Cal Crutchlow aca-

Para Oliveira, apesar da melhoria

vaga na Q2 ao bater o colega de

bou em terceiro a 0,360s. Já Lo-

na sua posição, foi uma qualifica-

POSITION PARA O INEVITÁVEL

equipa Dovizioso por apenas 52

renzo, depois da entrada positiva

ção aquém dos objetivos: ‘Foi um

MÁRQUEZ; OLIVEIRA EM 18.º

milésimas. Quanto a Oliveira, fez

teve problemas na sua moto e com

dia difícil. Começámos o FP4 com

Minutos após o término do FP4,

o seu melhor registo na sua última

a suplente acabou por não ter ar-

condições mistas, depois finalmen-

teve lugar a primeira fase da qua-

volta – 2m06,543s – mas não foi

gumentos para discutir as posições

te tivemos sorte de ter uma ses-

lificação, em que os pilotos procu-

suficiente para ir além de oitavo

cimeiras acabando em 11.º.

são seca na qualificação. Foi difícil

raram as duas últimas vagas na Q2

– correspondente ao 18.º posto à

A conquista da pole position foi

com o vento e de a pista não es-

em que se discute a pole position.

partida, mesmo à frente de Zarco.

naturalmente do agrado de Már-

tar completamente seca. […]. Pelo

A sessão até começou de forma

Na Q2, entrada forte das Honda,

quez, que, no entanto, mostrou

menos a posição foi muito melhor Gold & Goose/Red Bull Content Pool

por seu turno, garantiu a última MOTOGP, QUALIFICAÇÃO: POLE

-50- | MOTORCYCLE SPORTS |


www.suzuki-racing.com

Primeira vitória da carreira de Rins

que no primeiro dia. Estamos fora

à pista em Austin para o ponto

do nosso objetivo, mas mantemos

alto do fim de semana – a corrida

a calma para o dia da corrida, pois

de MotoGP. No arranque, Már-

teremos uma corrida muito longa,

quez foi o mais forte, com Rossi e

o deixou fora da contenda. Assim,

primeira vez desde que está no

e fisicamente exigente, por isso va-

Crutchlow logo atrás. O espanhol

Rossi herdou o comando ficando

MotoGP e devolveu a Suzuki aos

mos tentar gerir da melhor maneira

rapidamente começou a distan-

com Álex Rins (Suzuki Ecstar) pou-

triunfos mais de dois anos e meio

possível’.

ciar-se, enquanto os seus rivais fi-

co atrás – ele que tinha conse-

depois.

caram a discutir o segundo posto.

guido ganhar margem face a Jack

Rossi ficou em segundo e Miller

MOTOGP, CORRIDA:

Mais atrás, falsas partidas motiva-

Miller (Pramac Ducati) naquela

teve uma corrida relativamente

‘BAPTISMO’ DE VITÓRIA PARA

ram penalizações de ‘ride through’

que até então era a luta pelo fim

solitária terminando em terceiro.

ÁLEX RINS; OLIVEIRA DE

a Joan Mir (Suzuki Ecstar) e Ma-

do top três.

Menos de um segundo atrás ficou

NOVO NOS PONTOS

verick Viñales – o que arruinou

Pouco depois, Jorge Lorenzo foi

Dovizioso, que com uma recupe-

O dia de domingo começou no

desde logo com a prova de ambos.

vítima de um problema mecânico

ração impressionante nem ficou

Circuito das Américas com o war-

Quanto a Oliveira, começou a

na sua Honda e também ficou de

muito longe de fechar o pódio.

m-up, que tinha mais alguma im-

perder posições mas rapidamente

fora. Todos estes acontecimen-

Ainda assim, o quarto lugar da-

portância do que o normal pois

conseguiu recuperar para chegar à

tos permitiram a Oliveira chegar

va-lhe o comando do campeona-

os pilotos tinham uma chance de

zona pontuável – contando tam-

a 13.º, sempre pouco atrás de

to. Franco Morbidelli (Petronas

compensar parte do tempo perdi-

bém com a ajuda das penalizações

Johann Zarco.

Yamaha SRT) fechou o top cinco.

do com o cancelamento do FP2.

a Mir e a Viñales… e com a que-

Até ao fim, a luta pelo triunfo

Francesco Bagnaia (Pramac Duca-

Marc Márquez foi o mais rápido

da de Crutchlow na sexta volta,

aqueceu entre Rins e Rossi, com

ti) desenvolveu uma corrida con-

dessa sessão 0,193s na frente de

quando seguia na disputa pela vi-

o espanhol a fazer a ultrapassa-

sistente e foi o melhor rookie ao

Andrea Dovizioso, com Miguel

ce-liderança.

gem decisiva a quatro voltas do

acabar em nono – logo atrás de

Oliveira em 21.º a não melhorar

Tudo fazia prever nova vitória

fim. Il Dottore ainda respondeu e

Pol Espargaró que assim rubricou

o seu registo face aos treinos e à

dominadora de Márquez, mas eis

conseguiu manter o contacto até

um dos melhores resultados de

qualificação.

que o espanhol sofreu uma ines-

ao fim, mas nunca pôde lançar um

sempre da KTM. Quanto a Oli-

Mais tarde, os pilotos regressaram

perada queda na volta nove que

ataque. Assim, Rins venceu pela

veira, apenas foi ultrapassado por | MOTORCYCLE SPORTS | -51-


MotoGP

GP das Américas

Viñales – na recuperação deste

a linha de meta todas as sensa-

depois da penalização – e acabou

ções atingiram-me de uma vez’.

em 14.º amealhando mais dois

Quanto a Valentino Rossi, assu-

pontos.

miu na análise a superioridade de Rins, mas sem deixar de lamentar

CLASSIFICAÇÃO GP AUSTIN - MOTOGP Pos.

Piloto

Equipa

Moto

Tempo/ Diferença

1.º

Álex Rins

Team Suzuki Ecstar

Suzuki

41m45,499s

2.º

Valentino Rossi

Monster Energy Yamaha MotoGP

Yamaha

+ 0,462s

3.º

Jack Miller

Pramac Racing

Ducati

+ 8,454s

4.º

Andrea Dovizioso

Mission Winnow Ducati

Ducati

+ 9,420s

5.º

Franco Morbidelli

Petronas Yamaha SRT

Yamaha

+ 18,021s

6.º

Danilo Petrucci

Mission Winnow Ducati

Ducati

+ 21,476s

Yamaha

+ 26,111s

KTM

+ 29,743s

MOTOGP, REAÇÕES

o triunfo perdido: ‘Lamento muito

Faltavam palavras a Álex Rins para

por falhar a vitória, porque quan-

descrever a estreia nas vitórias

do vi a queda do Márquez disse

– pelo menos segundo o que o

para mim que talvez conseguisse

7.º

Fabio Quartararo

Petronas Yamaha SRT

espanhol afirmou num discurso

ganhar, mas depois disso o Rins

8.º

Pol Espargaró

Red Bull KTM Factory Racing

notoriamente com emoção veicu-

chegou. Sinceramente, ataquei ao

9.º

Francesco Bagnaia

Pramac Racing

Ducati

+ 30,608s

lado no comunicado: ‘É incrível.

máximo, a corrida foi muito rápi-

10.º Takaaki Nakagami

LCR Honda Idemitsu

Honda

+ 31,011s

Estou muito feliz por ganhar aqui!

da, fiz boas voltas uma após outra,

11.º Maverick Viñales

Monster Energy Yamaha MotoGP

Yamaha

+ 34,077s

No

experimentámos

mas no fim ele foi melhor do que

12.º Andrea Iannone

Aprilia Racing Team Gresini

Aprilia

+ 34,779s

uma configuração diferente e não

eu. […]. Tentei tudo, fiz uma cor-

13.º Johann Zarco

Red Bull KTM Factory Racing

KTM

+ 42,458s

funcionou

esperávamos,

rida muito boa e permaneci mui-

14.º Miguel Oliveira

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+ 44,272s

15.º Tito Rabat

Reale Avintia Racing

Ducati

+ 44,623s

pelo que revertemos para as con-

to tempo na frente. Infelizmente,

16.º Karel Abraham

Reale Avintia Racing

Ducati

+ 44,740s

figurações normais para a corrida

a pilotar no limite cometi alguns

17.º Joan Mir

Team Suzuki Ecstar

Suzuki

+ 48,063s

e ganhámos, é soberbo! Estou

erros. Talvez se tivesse feito tudo

18.º Hafizh Syahrin

Red Bull KTM Tech 3

KTM

+ 1m07,683s

sem palavras! Geri bem a pressão,

de forma perfeita poderia ter ten-

NC Jorge Lorenzo

Repsol Honda Team

Honda

10 voltas

embora tenha sofrido um bocado

tado atacar novamente na última

NC Marc Márquez

Repsol Honda Team

Honda

8 voltas

nas últimas voltas. Quando cruzei

volta. Portanto, há um misto de

NC Cal Crutchlow

LCR Honda Castrol

Honda

5 voltas

NC Aleix Espargaró

Aprilia Racing Team Gresini

Aprilia

5 voltas

warm-up

David Goldman/Gold and Goose Photography

como

-52- | MOTORCYCLE SPORTS |


CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO MOTOGP - GP AUSTIN Pos.

Piloto

Equipa

Moto

Pontos

Diferença

1.º

Andrea Dovizioso

Mission Winnow Ducati

Ducati

54

2.º

Valentino Rossi

Monster Energy Yamaha MotoGP

Yamaha

51

-3

3.º

Álex Rins

Team Suzuki Ecstar

Suzuki

49

-5

4.º

Marc Márquez

Repsol Honda Team

Honda

45

-9

5.º

Danilo Petrucci

Pramac Racing

Ducati

30

-24

6.º

Jack Miller

Pramac Racing

Ducati

29

-25

7.º

Takaaki Nakagami

LCR Honda Idemitsu

Honda

22

-32

8.º

Cal Crutchlow

LCR Honda Castrol

Honda

19

-35

9.º

Pol Espargaró

Red Bull KTM Factory Racing

KTM

18

-36

10.º

Fabio Quartararo

Petronas Yamaha SRT

Yamaha

17

-37

11.º

Franco Morbidelli

Petronas Yamaha SRT

Yamaha

16

-38

12.º

Maverick Viñales

Monster Energy Yamaha MotoGP

Yamaha

14

-40

13.º

Aleix Espargaró

Aprilia Racing Team Gresini

Aprilia

13

-41

14.º

Francesco Bagnaia

Pramac Racing

Ducati

9

-45

15.º

Joan Mir

Team Suzuki Ecstar

Suzuki

8

-46

16.º

Miguel Oliveira

Red Bull KTM Tech 3

KTM

7

-47

17.º

Jorge Lorenzo

Repsol Honda Team

Honda

7

-47

18.º

Andrea Iannone

Aprilia Racing Team Gresini

Aprilia

6

-48

19.º

Johann Zarco

Red Bull KTM Factory Racing

KTM

5

-49

20.º

Tito Rabat

Reale Avintia Racing

Ducati

1

-53

21.º

Hafizh Syahrin

Red Bull KTM Tech 3

KTM

0

-54

22.º

Karel Abraham

Reale Avintia Racing

Ducati

0

-54

gar erro em corrida e abandonou o GP das Américas quando liderava com algum conforto. Um desfecho que colocou um ponto final a uma série de seis triunfos consecutivos conquistados pelo homem da Honda no circuito de Austin. O espanhol não deixou de reconhecer o erro que cometeu e que levou ao abandono: ‘Tivemos seis anos maravilhosos aqui mas nesta corrida cometi um grande erro. Quando cheguei à garagem pedi desculpas à equipa e agora gosta-

sensações: por um lado, lamento

‘OLIVEIRA APRENDEU, ALÉM

aprender com Zarco rodando atrás

ria de pedir desculpa aos fãs por-

por causa da vitória, e por outro é

DISSO OBTEVE MAIS DOIS

do gaulês durante grande parte da

que foi um erro meu. É diferente

um ótimo resultado depois de um

PONTOS’ – PONCHARAL

prova, como também amealhou

fazer um erro ao lutar por quinto

ótimo fim de semana. […]. Parece

Hervé Poncharal gostou do que

mais dois pontos:

e ao lutar pela vitória, o nível está

que somos fortes este ano e que

viu de Miguel Oliveira no GP das

– Ele qualificou-se bem e apesar

lá. Estamos a apenas nove pontos

a moto melhorou, e estas são as

Américas de MotoGP. Ainda que

de o seu arranque ter sido muito

da liderança. […]. Errei, mas somos

coisas mais importantes porque

não deixe de fazer o reparo que

mau recuperou algumas posições

humanos e isto pode acontecer’.

talvez consigamos lutar na frente

o arranque não foi o melhor para

e encontrou-se mesmo atrás do

As incidências do GP das Améri-

várias vezes esta época’.

o luso da sua equipa, o diretor da

Johann e fizeram a corrida ao

cas resultaram em alterações no

Naquele que foi o seu regresso

Red Bull KTM Tech3 acabou por

mesmo ritmo, seguindo-se um

topo da tabela do Mundial de Mo-

aos pódios desde 2016, o tercei-

o elogiar após a ronda norte-ame-

ao outro, e foi muito interessante

toGP. Andrea Dovizioso passou a

ro classificado Miller comentou:

ricana.

para o Miguel ver como o Johann

ser o novo líder com três pontos

‘Estou muito contente com este

Em comunicado, o responsável

estava a trabalhar. Portanto penso

de margem face a Valentino Rossi

resultado.

francês afirmou: ‘No geral, foi um

que ele aprendeu algumas coisas,

e cinco para Álex Rins, sendo que

O sentimento com a moto foi

fim de semana duro e não estive-

além disso obteve mais dois pon-

Marc Márquez desceu a quarto.

muito bom durante todo o fim-de-

mos ao mesmo nível da Argentina.

tos. Claramente que foi um fim de

Jack Miller, em sexto, passou a ser

-semana. Tive um bom começo e

A vir para aqui sabíamos que não

semana interessante, mas a dife-

o melhor independente com sete

isso permitiu-me estar no grupo

seria fácil, mas tenho de dizer que

rença no fim foi muito grande.

pontos de margem face a Takaaki

da frente desde logo. Agradeço

– como sempre – o Miguel baixou

à equipa porque eles fizeram um

a cabeça, manteve-se calmo e tra-

‘ERREI, MAS SOMOS

bio Quartararo (Petronas Yamaha

grande trabalho não apenas este

balhou muito bem’.

HUMANOS…’ – MARC

SRT) o melhor rookie em décimo.

fim de semana, mas desde o início

Na opinião de Poncharal, Oliveira

MÁRQUEZ

Já Miguel Oliveira passou a dividir

da temporada’.

acabou por ter não só a chance de

Marc Márquez cometeu um invul-

o 16.º lugar com Jorge Lorenzo.

Nakagami (LCR Honda), sendo Fa-

| MOTORCYCLE SPORTS | -53-


MotoGP 2019

Miguel Oliveira TEXTO: Bernardo Matias

Miguel Oliveira no MotoGP – GP do Qatar Gold and Goose

O GP do Qatar marcou o começo da temporada do Mundial de MotoGP e também a estreia de Miguel Oliveira na categoriarainha. Losail fica na história do motociclismo português como o palco do início de época para o primeiro piloto luso a tempo inteiro no MotoGP.

‘stint’ rodou em 1m55,557s e assim terminou em décimo. Foi um dos poucos pilotos a melhorar face ao dia

Jorge Lorenzo (Repsol Honda), antes de Fabio Quartararo (Petronas Yamaha) também se aproximar ra-

anterior mas acabou em 20.º na ta-

pidamente consumando a ultrapas-

bela combinada. Antes da qualifica-

sagem já na derradeira volta. Assim,

ção houve ainda tempo para o FP4,

Oliveira cortou a meta em 17.º.

no qual Oliveira realizou um stint

No rescaldo, o #88 comentou: ‘A

longo de cinco voltas e um curto de

corrida foi bastante interessante, o

O GP do Qatar iniciou com a primei-

duas, terminando com uma marca de

motor foi abaixo na grelha por isso

ra sessão de treinos livres, em que

1m56,011s que valeu o 16.º lugar.

tive de regressar ao pitlane e co-

o piloto da Red Bull KTM Tech3 já

meçar da última posição, mas seja

tinha as bases dos testes também

QUALIFICAÇÃO: MIGUEL

no traçado de Losail. Nesta sessão,

OLIVEIRA EM 17.º- NO

Oliveira enfrentou a sua primei-

corrida em nada. Tive um bom ar-

Oliveira fez três stints e esteve cons-

ARRANQUE DO PRIMEIRO GP

ra corrida no MotoGP. O começo

ranque e uma boa primeira volta.

tantemente entre o 1m56s alto e

O sábado à noite em Losail trouxe

não foi fácil, com o piloto a deixar

Estava a tentar continuar no gru-

o 1m57s baixo, acabando com um

a qualificação. Ao ter de passar pela

a moto ir abaixo na grelha antes

po com o Aleix Espargaró e o Taka

registo de 1m56,061s que o deixou

Q1, Oliveira tinha pela frente uma

da volta de aquecimento, pelo que

Nakagami depois de sete, oito vol-

em 18.º. Já à noite, o #88 voltou a fa-

missão quase impossível de termi-

teve de arrancar de último. Sem se

tas, e senti uma quebra na tração

zer três stints no FP2. No mais longo

nar entre os dois primeiros. Efetuou

deixar intimidar, o homem de Alma-

do pneu, passei a derrapar muito

com sete voltas, chegou a rodar em

quatro voltas (dois ‘stints’ com duas

da conseguiu rapidamente chegar

com a vibração na traseira, e since-

1m55s, mas o seu ritmo estabilizou

cada) e estabeleceu a sua melhor

ao top 15 e esteve mesmo à frente

ramente pensei que o pneu ia ex-

no 1m56s alto. O melhor pessoal até

marca em 1m55,122s – ficou em sé-

das KTM oficiais de Pol Espargaró e

plodir. Obviamente não pude fazer

então neste GP – 1m55,635s – va-

timo da Q1 a menos de um segundo

Johann Zarco.

muito. Estou desapontado porque

leu o 20.º posto.

do apuramento, e relegado ao 17.º

No entanto, na segunda parte da

sabia que podia ter acabado nos

No sábado do GP do Qatar, no FP3

posto da grelha.

corrida Oliveira perdeu ímpeto

pontos se isto não tivesse acon-

devido ao estado menos bom dos

tecido. Foi muito complicado gerir

o português teve uma última chance

como for, isto não afetou a nossa

de apuramento direto para a Q2. Oli-

CORRIDA: OLIVEIRA EM 17.º À

pneus. A seis voltas do fim ainda

isto, mas seja como for, acabámos

veira fez constantemente tempos no

BEIRA DOS PONTOS

era 14.º - em zona pontuável – mas

a corrida e diverti-me, além de reu-

1m56s, mas no início do seu terceiro

Depois do 15.º tempo no warm-up,

acabou por ceder perante Zarco e

nirmos dados importante’.

Gold and Goose

GP da Argentina Depois de um começo encorajador no Qatar, o GP da Argentina foi o segundo desafio de Miguel Oliveira na categoria-rainha. Com a Ásia deixada para trás, rumou à América do Sul e a Termas de Río Hondo, já um clássico.

gresso continuou no FP2 em Termas de Hondo, com mais 14 voltas cronometradas e a entrada no 1m40s. Oliveira completou a sua melhor volta em 1m40,006s sendo 19.º – Jorge Lorenzo (Repsol Honda) terminou atrás de si em 21.º. A missão de Oliveira no FP3 passou

fez o seu melhor tempo (1m41,513s)

também por tentar alcançar o top

Ao contrário do que aconteceu em

to argentino em MotoGP. Assim, no

que o deixou em 16.º duas posições

dez da tabela combinada e assim

Losail, Oliveira chegou à Argentina

FP1, ao longo dos três stints e 14

acima de Maverick Viñales (Monster

apurar-se diretamente para a Q2. O

sem quaisquer referências do circui-

voltas cronometradas, progrediu e

Energy Yamaha). A tendência de pro-

luso da KTM Tech3 acabou com a

-54- | MOTORCYCLE SPORTS |


BMW Motorrad

| MOTORCYCLE SPORTS | -55-


MotoGP 2019

Miguel Oliveira

16.ª marca e mais uma vez eviden-

xou-o em quarto a apenas 0,234s

nas duas primeiras voltas.

(Fabio Quartararo acabou em oitavo).

ciou progressos, tendo como melhor

do topo e a 81 milésimas do apura-

Oliveira estabilizou-se em 13.º –

Em comunicado, estas foram as de-

registo 1m39,552s – ficou a cerca de

mento para a Q2, numa classificação

posição a que chegou após o ride

clarações de Oliveira: ‘Estou verda-

três décimas de seguir para a Q2. O

equivalente ao 14.º posto na grelha

through imposto a Cal Crutchlow

deiramente satisfeito com esta corri-

ciclo de treinos ficou completo com

de partida da corrida.

(LCR Honda). Até ao término da pro-

da. É bom terminar nos pontos, que

va, o homem de Almada ainda teve

era o nosso alvo ao vir para Argentina

o FP4, no qual Oliveira esteve constantemente no 1m40s e acabou com

CORRIDA: SÓLIDO MIGUEL

alguma pressão de Jorge Lorenzo,

e principalmente depois de estarmos

um tempo de 1m40,686s em 19.º.

OLIVEIRA FEZ HISTÓRIA COM

mas mantendo-se na frente do tri-

próximos na primeira corrida, fomos

OS PRIMEIROS PONTOS

campeão. Quando tudo indicava um

bastante competitivos nesta corrida

QUALIFICAÇÃO: Q2 FUGIU POR

Na manhã de domingo na Argentina,

13.º lugar, na última volta Viñales e

para poder lutar por esse objetivo.

81 MILÉSIMAS

Oliveira ficou em nono no warm-up,

Morbidelli se envolveram num inci-

[…]. No final, foi um bom fim de se-

Miguel Oliveira teve a sua última

dando assim boas indicações para

dente ficando fora de prova. Como

mana, com uma boa qualificação,

chance de tentar marcar presença na

a corrida que seria horas depois. A

ambos seguiam à frente de Oliveira, o

melhorámos o nosso ataque ao tem-

Q2 do GP da Argentina na primeira

partir de 14.º, Falcão ainda perdeu

português acabou por cortar a meta

po, e senti-me bem com a moto. […].

fase da qualificação. Na Q1, com-

duas posições no arranque, antes

em 11.º a menos de duas décimas

Estou bastante satisfeito com o meu

pletou um total de cinco voltas cro-

de voltar rapidamente à posição de

do décimo – Pol Espargaró, que foi

desempenho na Argentina, segundo

nometradas e o seu melhor registo

partida – lutando pela mesma com

o melhor homem da KTM. O luso

KTM, muito perto do Pol, por isso

– 1m39,298s surgiu na última. Dei-

Francesco Bagnaia (Pramac Ducati)

foi também o segundo melhor rookie

acho que estamos no caminho certo’.

ao longo da qualificação e acabou

gaulês, da equipa oficial da KTM. O

com um tempo de 2m06,543s. Este

português cimentou o 15.º posto –

registo deixou-o em oitavo da Q1 –

viria a ascender a 13.º com o aban-

equivalente a 18.º na grelha de par-

dono das Honda de Marc Márquez

tida – e a mais de um segundo de

e Jorge Lorenzo – mas não resistiu a

uma posição de apuramento para a

Viñales nas últimas voltas e cruzou a

segunda fase da qualificação.

linha de meta em 14.º – significando

GP das Américas A estreia nos pontos foi um impulso moral para Miguel Oliveira antes do GP das Américas, no complicado Circuito das Américas em Austin. Em ‘Terras do Tio Sam’, a meta era dar sequência e voltar a amealhar pontos, bem como continuar a adaptação à KTM e ao MotoGP.

mais dois pontos. CORRIDA: MIGUEL OLIVEIRA

Para Oliveira, tratou-se de um re-

AMEALHOU MAIS DOIS PONTOS

sultado e de uma prova com vários

O Circuito das Américas, com os

da tabela combinada após o FP2 – o

No warm-up do GP das Américas,

aspetos positivos mas também as-

seus altos e baixos, curvas, longa reta

que significaria a necessidade de ir à

Miguel Oliveira assinou a 21.ª marca

petos a melhorar: ‘Com certeza, foi

interior e os – polémicos – ressal-

Q1, uma vez que não houve FP3 no

em 2m07,624s, o que significa que

uma corrida difícil e um arranque

tos no asfalto era um grande desa-

sábado devido à trovoada na zona

não melhorou face ao seu anterior

de prova muito dececionante. Não

fio que Oliveira tinha pela frente na

do traçado de Austin. Antes da qua-

melhor registo em Austin. A alinhar

estava à espera de começar assim

sua terceira jornada como piloto de

lificação, Oliveira ainda teve um FP4

para a corrida na 18.ª posição, o pilo-

tão mal, mas depois de aumentar-

MotoGP. O processo de adaptação

com a pista a secar depois da chuva

to da Charneca de Caparica perdeu

mos o ritmo e andámos bem; quer

começou no primeiro treino livre, em

que caiu anteriormente, evoluindo

dois lugares na primeira volta, mas

dizer, dentro daquilo que estávamos

que o português se mostrou cons-

rapidamente os seus registos para

encontrou o caminho da recupera-

à espera. Precisamos de estar felizes

tante no 2m08s tendo como melhor

acabar em 15.º (2m09,756s).

ção rapidamente e ainda na primei-

com este resultado porque no final

ra metade da prova chegou a 15.º

terminámos onde queríamos: dentro

registo 2m08,035s – alcançando o 20.º posto. No FP2, Oliveira termi-

QUALIFICAÇÃO: 18.º LUGAR

e à zona pontuável – beneficiando

dos pontos. É uma pista muito difícil

nou em 21.º, o que não ilustrou o

PARA OLIVEIRA

também da penalização imposta a

de pilotar e é muito bom ter estado

seu crescimento em pista – reduziu

Miguel Oliveira chegou a liderar nos

Maverick Viñales e da queda de Cal

nos pontos aqui. […]. Levamos mui-

a sua melhor marca em praticamen-

instantes iniciais da Q1 por duas ve-

Crutchlow.

tos pontos positivos desta corrida

te segundo e meio, andou de forma

zes, dando a sensação de que pode-

Sempre perto de Johann Zarco,

e compreendemos um pouco mais

constante no 2m07s/2m06s e o seu

ria vir a discutir a presença na Q2.

Oliveira desenvolveu uma corrida

a moto. Contudo, a minha posição

melhor tempo foi de 2m06,276s.

No entanto, o luso não conseguiu

em que também teve a chance de

[na moto] precisa de ser um pouco

Assim, ficou também no 21.º lugar

melhorar tanto como os adversários

aprender com o mais experiente

diferente’.

-56- | MOTORCYCLE SPORTS |


OPINIÃO

Início de temporada promissor de Miguel Oliveira no MotoGP! Como em qualquer desporto de alta competição, consistência e regularidade são os principais fatores críticos de sucesso, e nesse capítulo, Miguel Oliveira está a impressionar toda a estrutura da Tech3, mas também a da KTM, que não lhe têm poupado elogios, admintindo que o trabalho desenvolvido pelo português, está bem acima do esperado para um estreante em MotoGP. O circuito de Losail, recebeu uma vez mais, a prova de abertura do MotoGP, onde o nosso super piloto teve uma estreia muito auspiciosa e demonstrou um ritmo de corrida notável. Três semanas depois, provou na Argentina que a exibição realizada no Qatar não tinha sido sorte de principiante, ao exibir-se a um grande nível, e inscrever os primeiros pontos Portugueses na história do MotoGP. Mas mais do que estes primeiros pontos, muito ambicionados e festejados por todo o staff da Red Bull KTM Tech3, esta corrida não só confirmou todo o potencial que o Miguel vinha a demonstrar, como também colocou todo o paddock em sentido, ao deixar atrás de si pilotos experientes e titulados como Johann Zarco e Jorge Lorenzo. Austin com nova corrida de bom nível e mais 2 pontos registados, veio apenas confirmar esta curva de aprendizagem ascendente do número 88. O Miguel consegue conjugar todos as suas reconhecidas capacidades

Licínio SANTOS

de pilotagem, resiliência e inteligência emocional acima da média, o que lhe tem permitido uma rápida aprendizagem e adaptabilidade a esta nova categoria, e a uma moto muito mais evoluída no que diz respeito à potência, à capacidade de travagem e à eletrónica. Com a audácia que vem demonstrando, estão reunidos ingredientes suficientes para que, com a chegada do MotoGP à Europa, e a circuitos que o Miguel bem conhece como o de Jerez, possamos almejar novas evoluções e continuidade nas boas prestações do nosso piloto aos comandos da RC16.

| MOTORCYCLE SPORTS | -57-


WSBK

Tailândia TEXTO: Bernardo Matias

Mundial de Superbike na Tailândia A segunda ronda dos Campeonatos do Mundo de Superbike e de Supersport levou pilotos e equipas até ao Circuito Internacional Chang, em Buriram. Esta foi também a última jornada antes da entrada na Europa em que os campeonatos vão permanecer durante grande parte do ano. -58- | MOTORCYCLE SPORTS |


CLASSIFICAÇÃO WORLDSBK TAILANDIA - CORRIDA 1 Moto

Tempo/Diferença

Ducati

31m06,051s

Kawasaki

+ 8,217s

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+ 14,155s

Michael van der Mark

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+ 14,623s

5.º

Leon Haslam

Kawasaki Racing Team WorldSBK

Kawasaki

+ 18,554s

6.º

Marco Melandri

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+ 18,681s

7.º

Sandro Cortese

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+ 25,603s

8.º

Michael Ruben Rinaldi

BARNI Racing Team

Ducati

+ 27,627s

9.º

Tom Sykes

BMW Motorrad WorldSBK

BMW

+ 28,789s

10.º

Toprak Razgatlioglu

Turkish Puccetti Racing

Kawasaki

+ 32,153s

BAUTISTA COMEÇOU NA

11.º

Jordi Torres

Team Pedercini Racing

Kawasaki

+ 33,033s

FRENTE

12.º

Leandro Mercado

Orelac Racing VerdNatura

Kawasaki

+ 33,254s

Os treinos livres do WSBK em

13.º

Leon Camier

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

+ 34,232s

Buriram começaram com Álvaro

14.º

Markus Reiterberger

BMW Motorrad WorldSBK

BMW

+ 43,041s

Bautista – quem mais? – no topo.

15.º

Chaz Davies

Aruba.it Racing-Ducati

Ducati

+54,495s

16.º

Thitipong Warokorn

Kawasaki Thailand Racing Team

Kawasaki

+ 1m15,758s

17.º

Alessandro Delbianco

Althea Mie Racing Team

Honda

+ 1m25,108s

na primeira sessão em Buriram.

NC

Ryuichi Kiyonari

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

8 voltas

No mesmo dia, o espanhol ‘re-

NC

Eugene Laverty

Team Goeleven

Ducati

2 voltas

WSBK, TREINOS LIVRES:

O homem da Aruba.it Ducati, que dominara a primeira ronda, foi 0,199s superior a Jonathan Rea

Pos.

Piloto

Equipa

1.º

Álvaro Bautista

Aruba.it Racing-Ducati

2.º

Jonathan Rea

Kawasaki Racing Team WorldSBK

3.º

Alex Lowes

4.º

petiu a dose’ e rubricou a melhor marca do FP2 – 1m32,971s, ficando 0,298s acima do britânico da Kawasaki.

CLASSIFICAÇÃO WORLDSBK TAILANDIA - SUPERPOLE RACE Pos.

Piloto

Equipa

Moto

A fase de treinos livres fechou

1.º

Álvaro Bautista

Aruba.it Racing-Ducati

já no sábado, 16 de março, com

2.º

Jonathan Rea

Kawasaki Racing Team WorldSBK

Bautista a liderar novamente no

3.º

Alex Lowes

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

FP3, desta feita com 0,198s de

4.º

Michael van der Mark

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

avanço face a Rea. Estava assim

5.º

Leon Haslam

Kawasaki Racing Team WorldSBK

6.º

Marco Melandri

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

7.º

Sandro Cortese

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

a ser claramente o segundo mais

8.º

Michael Ruben Rinaldi

BARNI Racing Team

Ducati

forte, enquanto as Yamaha pare-

9.º

Tom Sykes

BMW Motorrad WorldSBK

BMW

ciam mostrar ter argumentos para

10.º

Toprak Razgatlioglu

Turkish Puccetti Racing

Kawasaki

discutirem o lugar mais baixo do

11.º

Jordi Torres

Team Pedercini Racing

Kawasaki

12.º

Leandro Mercado

Orelac Racing VerdNatura

Kawasaki

13.º

Leon Camier

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

14.º

Markus Reiterberger

BMW Motorrad WorldSBK

BMW

BAUTISTA

15.º

Chaz Davies

Aruba.it Racing-Ducati

Ducati

Após o FP3, os pilotos regressa-

16.º

Thitipong Warokorn

Kawasaki Thailand Racing Team

ram à ação em Buriram já para dis-

17.º

Alessandro Delbianco

Althea Mie Racing Team

Honda

putarem a superpole. Só durante

NC

Ryuichi Kiyonari

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

NC

Eugene Laverty

Team Goeleven

Ducati

lançada aquela que seria mais uma ronde de forte domínio de Bautista nas sessões ‘a contar’, com Rea

pódio. WSBK, SUPERPOLE: POLE POSITION INCONTESTÁVEL DE

cerca de três minutos desta sessão é que o comando não esteve

Ducati Kawasaki

Kawasaki

Kawasaki

| MOTORCYCLE SPORTS | -59-


WSBK

Tailândia


Matteo Cavadini/Alex Photo (c)2019

CLASSIFICAÇÃO WORLDSBK TAILANDIA - CORRIDA 1 Pos.

Piloto

Equipa

Moto

Tempo/Diferença

1.º

Álvaro Bautista

Aruba.it Racing-Ducati

Ducati

31m05,590s

2.º

Jonathan Rea

Kawasaki Racing Team WorldSBK

Kawasaki

+ 10,053s

3.º

Alex Lowes

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+ 12,368s

4.º

Michael van der Mark

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+ 17,378s

5.º

Leon Haslam

Kawasaki Racing Team WorldSBK

Kawasaki

+ 17,518s

6.º

Marco Melandri

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+ 18,925s

7.º

Sandro Cortese

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+ 23,281s

8.º

Michael Ruben Rinaldi

BARNI Racing Team

Ducati

+ 28,444s

9.º

Toprak Razgatlioglu

Turkish Puccetti Racing

Kawasaki

+ 33,156s

10.º

Jordi Torres

Team Pedercini Racing

Kawasaki

+ 33,224s

11.º

Markus Reiterberger

BMW Motorrad WorldSBK

BMW

+ 40,164s

12.º

Ryuichi Kiyonari

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

+ 53,511s

13.º

Alessandro Delbianco

Althea Mie Racing Team

Honda

+ 1m08,576s

NC

Chaz Davies

Aruba.it Racing-Ducati

Ducati

7 voltas

NC

Tom Sykes

BMW Motorrad WorldSBK

BMW

3 voltas

NC

Leandro Mercado

Orelac Racing VerdNatura

Kawasaki

0 voltas

NC

Eugene Laverty

Team Goeleven

Ducati

0 voltas

na posse de Bautista – quando

que chegou a liderar. Mas a 12

A acção terminou com a segun-

Alex Lowes (Pata Yamaha) por lá

voltas do fim, o espanhol assu-

da corrida principal que não teve

passou. A liderança do britânico

miu em definitivo o primeiro lugar

grande história. Bautista arrancou

foi ‘sol de pouca dura’, com Bau-

para nunca mais o largar. Cortou

da pole position e manteve-se

tista a acabar por assumir o con-

a meta com confortáveis 8,217s

toda a prova na frente, cortando

trolo da superpole.

de margem, ao passo que Rea

a linha de chegada com esclare-

No fim, a sua melhor volta foi

não teve oposição para selar o

cedores 10,053s de margem face

completada em 1m31,912s – su-

segundo posto. Quanto ao tercei-

a Rea. O britânico foi mais uma

ficiente para deixar Rea a impres-

ro lugar, houve uma luta entre o

vez o segundo classificado, com

sionantes 0,429s. Lowes fechou a

duo da Pata Yamaha, com Lowes a

um avanço bem mais curto face

primeira linha da grelha, enquan-

levar a melhor sobre Michael van

ao terceiro, Lowes – 2,315s. Com

to o rookie Sandro Cortese (GRT

der Mark por 0,468s.

estes resultados, Bautista refor-

Yamaha) alcançou um quarto pos-

Já depois do warm-up, no do-

çava o seu comando no Mundial,

to à partida naquela que foi a sua

mingo os pilotos enfrentaram a

segunda superpole da carreira no

Superpole Race. Bautista conse-

Mundial de Superbike.

guiu isolar-se cedo e nunca teve o triunfo verdadeiramente em ris-

CORRIDAS: 3X3 PARA ÁLVARO

co, com Rea a terminar a 2,042s.

BAUTISTA

Lowes fechou novamente o pódio,

A primeira corrida do WSBK em

a 2,457s. Uma colisão entre Leon

Buriram aconteceu ainda no sá-

Camier (Moriwaki Althea Honda)

bado, 16 de março. Embora te-

e Thitipong Warokorn (Kawasaki

nha partido da pole position, nas

Thailand) motivou uma bandeira

primeiras voltas Bautista ainda se

vermelha e o final prematuro da

viu perante a oposição de Rea –

prova na sexta volta. | MOTORCYCLE SPORTS | -61-


WSBK

Tailândia

CLASSIFICAÇÃO WORLDSSP TAILÂNDIA - CORRIDA Pos.

Piloto

Equipa

Moto

Tempo/Diferença

1.º

Jules Cluzel

GMT94 Yamaha

Yamaha

27m54,241s

2.º

Randy Krummenacher

BARDHAL Evan Bros. WorldSSP Team

Yamaha

+ 0,939s

3.º

Federico Caricasulo

BARDHAL Evan Bros. WorldSSP Team

Yamaha

+ 1,496s

4.º

Isaac Viñales

Kallio Racing

Yamaha

+ 1,572s

5.º

Raffaele de Rosa

MV Agusta Reparto Corse

MV Agusta

+ 2,861s

6.º

Hirako Okubo

Kawasaki Puccetti Racing

Kawasaki

+ 4,599s

7.º

Héctor Barberá

Team Toth by Willirace

Yamaha

+ 9,047s

8.º

Lucas Mahias

Kawasaki Puccetti Racing

Kawasaki

+ 15,821s

9.º

Loris Cresson

Kallio Racing

Yamaha

+ 16,933s

10.º

Hannes Soomer

MPM WILSport Racedays

Honda

+ 17,220s

11.º

Corentin Perolari

GMT94 Yamaha

Yamaha

+ 18,160s

12.º

Péter Sebestyén

CIA Landlord Insurance Honda

Honda

+ 24,255s

13.º

Jaimie van Sikkelerus

MPM WILSport Racedays

Honda

+ 25,188s

14.º

Rob Hartog

Team Hartog - Against Cancer

Kawasaki

+ 27,764s

15.º

María Herrera

MS Racing

Yamaha

+ 42,143s

16.º

Glenn van Straalen

EAB Racing Team

Kawasaki

+ 48,038s

17.º

Alfonso Coppola

GEMAR - Ciociaria Corse WorldSSP Team

Honda

+ 48,272s

18.º

Nacho Calero

Orelac Racing VerdNatura

Kawasaki

+ 52,497s

19.º

Ratchada Nakcharoensri

Yamaha PTT Lubricants TANN Racing

Yamaha

+ 1m36,212s

NC

Federico Fuligni

MV Agusta Reparto Corse

MV Agusta

15 voltas

NC

Jules Danilo

CIA Landlord Insurance Honda

Honda

8 voltas

NC

Christian Stange

GEMAR - Ciociaria Corse WorldSSP Team

Honda

6 voltas

NC

Thomas Gradinger

Kallio Racing

Yamaha

5 voltas

NC

Ayrton Badovini

Team Pedercini Racing

Kawasaki

0 voltas

somando 124 pontos em 124

menos de uma décima de Carica-

do WSSP na Tailândia. No entan-

possíveis.

sulo.

to, esteve longe de ser um triun-

Mas na Superpole, as coisas foram

fo fácil. Durante grande parte da

WSSP, TREINOS E SUPERPOLE:

diferentes. Os melhores tempos

prova, o francês batalhou e reve-

TREINOS PARA CARICASULO;

desceram para 1m36s e, depois

zou-se no comando com Carica-

POLE POSITION PARA CLUZEL

de diversas trocas de líder, foi

sulo, e no fim a sua margem foi de

Federico Caricasulo liderou duas

Cluzel a arrebatar a pole position.

0,939s… face a Krummenacher.

das três sessões de treinos livres

Na sua melhor volta, o francês ro-

Na parte final da corrida, o hel-

do Mundial de Supersport na

dou em 1m36,826s para superar

vético conseguiu completar a sua

Tailândia, com o homem da BAR-

Krummenacher por apenas 29 mi-

recuperação depois de ter caído

DHAL Evan Bros./Yamaha a esta-

lésimas. Já Caricasulo teve de se

para oitavo, relegando o colega

belecer mesmo a marca mais rápi-

contentar com o terceiro posto, a

Caricasulo para o terceiro posto

da no cômputo geral – 1m37,556s

89 milésimas do líder.

final. Com estes resultados, Cluzel

no FP3, em que superou o colega

passou a liderar o WSSP com os

de equipa Randy Krummenacher

WSSP, CORRIDA: CLUZEL COM

mesmos pontos de Krummena-

por apenas 45 milésimas. Jules

TRIUNFO SUADO

cher, e mais 13 do que Caricasulo.

Cluzel (GMT94 Yamaha), líder do

A partir da pole position, Cluzel

TABELA: Classificacao WorldSSP

FP2, foi o terceiro mais rápido a

liderou grande parte da corrida

Tailandia Corrida


Vaclav Duska Jr.

| MOTORCYCLE SPORTS | -63-


WSBK

Aragão Matteo Cavadini/www.alexphoto.it

TEXTO: Gonçalo Viegas

Álvaro Bautista

Bautista não vai contra as previsões e mantém domínio com tripla vitória Com as rondas de Phillip Island e Buriram concluídas, a caravana do Mundial de Superbike viajou para o Circuito de Motorland Aragão para a realização da terceira ronda do campeonato que começou, nesta fase, a sua jornada mais emocionante: a Europa!

-64- | MOTORCYCLE SPORTS |

O circuito espanhol tornou-se em

BAUTISTA E CLUZEL SÃO OS

2011 a quinta pista a albergar o

HOMENS A BATER; WSSP300

WSBK, sendo a pista onde Marco

ARRANCA COM ANA CARRASCO

Melandri e Max Biaggi triunfaram

A DEFENDER O TÍTULO DE

em ambas as mangas, respetiva-

CAMPEÃ

mente. Desde então, Chaz Davies,

Após seis corridas, Álvaro Bau-

Tom Sykes e Jonathan Rea foram

tista (ARUBA.IT Racing – Ducati)

os restantes pilotos a conseguirem

estava na liderança do campeo-

vencer no traçado de Alcañiz… até

nato depois de ter conseguido

agora!

acumular um total de 124 pon-


Facebook/@79tomasalonso

tos. Em todos os momentos em que entrou para a pista o piloto da Ducati foi sempre superior à sua concorrência sendo o favorito a vencer em Aragão. Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team WorldSBK) chegou a esta altura do campeonato com um atraso de 26

décimas de segundo para o topo.

pontos para o seu novo adversário

Andy Verdoïa (BDC Yamaha MS

enquanto que Alex Lowes (Pata

Racing) fechou o top três.

Yamaha WorldSBK Team) segura-

Tomás Alonso acabou por não

va o terceiro posto da geral com

entrar com o pé direito. O pilo-

menos 55 pontos para Bautista e

to natural de Loures fez o 24.º

outros 29 para o profissional da

tempo (de um total de 26 pilotos)

Kawasaki.

do grupo A com um registo de

Face a este domínio o #19 admi-

2m12,783s segurando um dife-

tiu que esperava maiores expecta-

rencial de 5,2 segundos para Gon-

Tomás Alonso

tivas face à sua competitividade,

zález.

já que Bautista iria estar a correr WSSP300, QUALIFICAÇÃO:

em casa: – Depois da Tailândia tivemos al-

ainda nesta época de 2019 com

foi campeã no ano passado, con-

GONZÁLEZ FAZ A POLE E

gum tempo para descansar antes

Loris Baz e uma máquina Yamaha.

tudo preferiu ficar na categoria.

TOMÁS ALONSO NÃO PASSA DA

da minha corrida caseira e mal

Os últimos anos foram bastan-

Desta forma, a espanhola que

LAST CHANCE RACE

vejo a hora de me divertir dian-

te complicados para a estrutura

passou a envergar o #1, foi um

A sessão de qualificação foi bas-

te dos vários adeptos espanhóis.

que sempre esteve com a Honda

dos destaques de um fim de se-

tante esclarecedora para perce-

Acredito que, depois das minhas

nos último 16 campeonatos. Mais

mana bastante competitivo.

ber a real velocidade dos pilotos.

seis vitórias

tarde, em Assen, soube-se que a

De salientar que Portugal en-

Tal como nos treinos, Manuel

duas primeiras rondas, o Mundial

intenção era regressar em Imola.

contrava-se

no

González voltou a fazer o melhor

de Superbike em Espanha é mais

Assim como o WSBK, o WSSP e o

WSSP300. Tomás Alonso (Kawa-

tempo e com isso conquistou a

seguido e estou feliz por ter con-

WSSP300 teriam o seu destaque

saki GP Project) foi o piloto por-

pole position. Com a sua Kawa-

tribuído um bocado para o seu

neste fim de semana. Referente

tuguês que esteve neste arranque

saki Ninja 400, o #18 fez uma

crescimento mas, como é óbvio,

ao Mundial de Supersport, Jules

de época aos comandos de uma

volta em 2m06,938s partilhando

as expectativas para a ronda ca-

Cluzel (GMT94 Yamaha) e Randy

Ninja 400.

a primeira linha com Galang Hen-

seira serão muito altas.

Krummenacher (BARDAHL Evan

E continuou: ‘Ainda que tenhamos

Bros. WorldSSP Team) segura-

WSSP300, TREINOS LIVRES:

Biblion Motoxracing) e Hugo De

feito testes positivos lá, o traçado

vam as lides das contas gerais já

MANUEL GONZÁLEZ TORNOU-

Cancellis (TEAM Trasimeno). Ana

da MotorLand será, para a Paniga-

que ambos os pilotos detinham

SE O HOMEM A BATER; ALONSO

Carrasco fez o 13.º melhor tempo

le V4 R, uma nova pista, mas como

45 pontos. Federico Caricasulo

COM ARRANQUE TÍMIDO

(2m08,223s) ao ver a primeira po-

sempre tentarei focar-me ao má-

(BARDAHL Evan Bros. WorldSSP

Após todas as sessões de trei-

sição a quase 1,3s.

ximo. O objetivo é exatamente o

Team) era o perigo que se seguia

no, Manuel González (Kawasaki

Tomás Alonso foi 23.º no Grupo

mesmo, temos de trabalhar para

com o italiano a deter apenas 13

ParkinGO Team) foi o piloto mais

A mas em termos gerais estabe-

tornar a moto o mais competiti-

pontos de diferença para a dupla

veloz com o jovem da casa a es-

leceu o 45.º tempo. Desta forma,

va possível depois veremos como

dianteira.

tabelecer uma melhor volta de

o português iria marcar presença

corre.’

No que respeita à categoria me-

2m07,491s, sendo mesmo o úni-

na Last Chance Race ao partir do

Nesta fase da temporada, poucas

nos potente do calendário esta foi

co a conseguir rodar no segundo

15.º lugar com o objetivo de ter-

eram as novidades que podiam

a ronda inaugural de um campeo-

07. Koen Meuffels (Freudenberg

minar dentro do top seis já que

aparecer. Todavia, a Ten Kate co-

nato que se adivinhava extrema-

KTM WorldSSP Team) foi o segun-

esse resultado lhe garantia um lu-

municou, em inícios de abril, que

mente competitivo. Ana Carrasco

do mais veloz e o melhor piloto da

gar na prova principal. Contudo, o

iria

(Kawasaki Provec WorldSSP300)

KTM apesar de ter ficado a seis

piloto de Loures não foi além do

regressar

consecutivas

ao

nas

campeonato

representado

dra Pratama (Semakin Di Depan

| MOTORCYCLE SPORTS | -65-


WSBK

oitavo lugar vendo a sua partici-

De Cancellis foi segundo a apenas

pação terminar antes do desejado.

0,058s de diferença. Scott Deroue

Yamaha Motor Europe

Aragão

(Kawasaki Motoport) foi terceiro Top seis da qualificação:

já com alguma distância (0,494s)

1.º Manuel González (Kawasaki

para a dupla da frente.

ParkinGO Team, Kawasaki), WSSP, TREINOS: DE ROSA E

2m06,938s 2.º G  alang Hendra Pratama

GRADINGER DIVIDEM LOUROS

(Semakin Di Depan Biblion

EM TRÊS SESSÕES

Motoxracing, Yamaha),

Raffaele De Rosa (MV AGUSTA

2m06,958s

Reparto Corse) e Thomas Gra-

3.º H  ugo De Cancellis (TEAM

dinger (Kallio Racing) foram os

Trasimeno, Yamaha),

pilotos que conseguiram ascender

2m07,532s

ao topo da tabela de tempos nas

4.º M  arc Luna Bayen (Kawasaki

três sessões de treinos que ante-

GP Project, Kawasaki),

cederam a qualificação. Porém, o

2m07655s

austríaco foi quem fez o melhor

5.º A  ndy Verdoïa (BDC Yamaha

Randy Krummenacher

registo combinado sendo mesmo

MS Racing, Yamaha),

o único a conseguir rodar no se-

2m07,690s

gundo 54 (1m54,992), enquanto

6.º G  uillem Erill (DEZA – BOX 77

que De Rosa ficou a meia décima

acabou por ser o segundo treino a

que também mostrou serviço logo

Racing, Kawasaki), 2m07,726s

de distância e Randy Krummena-

decorrer em piso seco naquele fim

a partir da sexta-feira.

cher terminou a 0,126s do topo.

de semana. Top seis da qualificação:

WSSP300, CORRIDA: GONZÁLEZ

Findada esta parte do fim de se-

CONQUISTA PRIMEIRO TRIUNFO

mana, Jules Cluzel – que também

WSSP, QUALIFICAÇÃO:

DO ANO

era líder do campeonato junta-

GRADINGER VOLTA A

Após olhar para os resultados das

mente com Krummenacher – fez

APLICAR FÓRMULA MÁGICA E

sessões anteriores, não é de ficar

o quinto tempo combinado a

CONQUISTA A SUA PRIMEIRA

(BARDAHL Evan Bros.

surpreso ao saber que Manuel

0,183s de Gradinger, enquanto

POLE

WorldSSP Team, Yamaha),

González venceu a primeira corri-

que Federico Caricasulo foi o pri-

Após as boas sensações, Gradin-

1m54,091s

da da época. No entanto, o piloto

meiro a ficar arredado do top três.

ger repetiu a velocidade que de-

3.º Randy Krummenacher

da ParkinGO não cruzou a linha

De salientar que os pilotos viram

monstrou ao longo de todo o fim

(BARDAHL Evan Bros.

de meta descansado já que Hugo

chuva no FP2, pelo que o FP3

de semana e conseguiu a primeira

WorldSSP Team, Yamaha),

pole position nas Supersport des-

1m54,227s

CLASSIFICAÇÃO WSSP300 Pos.

Piloto

1.º

Manuel González

2.º

Equipa Kawasaki ParkinGO Team

de que chegou à categoria, a temMoto

Tempo/

po inteiro, em 2018. Aos coman-

Diferença

dos da sua Yamaha R6, o piloto fez

1.º T  homas Gradinger (Kallio Racing, Yamaha), 1m53,972s 2.º F  ederico Caricasulo

4.º Jules Cluzel (GMT94 Yamaha), 1m54,361s 5.º Isaac Viñales (Kallio Racing,

Kawasaki

23'38,997

Hugo De Cancellis Team Trasimeno

Yamaha

+0,058

3.º

Scott Deroue

Kawasaki Motoport

Kawasaki

+0,494

4.º

Jan-Ole Jahnig

Freudenberg KTM Junior Team

KTM

+0,545

5.º

Andy Verdoïa

BCD Yamaha MS Racing

Yamaha

+0,767

6.º

Victor Steeman

Freudenberg KTM Junior Team

KTM

+0,865

7.º

Omar Bonoli

Team Trasimeno

Yamaha

+0,891

posto partilhando assim a primeira

WSSP, CORRIDA:

8.º

Bruno Ieraci

Kawasaki GP Project

Kawasaki

+2,364

linha de partida com o seu compa-

KRUMMENACHER VENCEU

9.º

Koen Meuffels

Freudenberg KTM WorldSSP Team

KTM

+2,477

10.º Maximilian Kappler Freudenberg KTM WorldSSP Team

KTM

+2,544

nheiro de equipa.

NUMA PROVA DECIDIDA NOS

Cluzel voltou a ser o quarto mais

ÚLTIMOS METROS

Kawasaki

---

rápido e consigo teve Isaac Viñales

Com o apagar das luzes de parti-

(Kallio Racing) e Raffaele De Rosa

da, a primeira linha de pilotos era

(…) NT Tomás Alonso

Kawasaki GP Project

-66- | MOTORCYCLE SPORTS |

o melhor tempo quando faltavam ainda dez minutos para a bandei-

Yamaha), 1m54,392s 6.º R  affaele De Rosa (MV

ra de xadrez. Independentemente

AGUSTA Reparto Corse),

do tempo restante, Federico Ca-

1m54,436s

ricasulo não foi além do segundo


CLASSIFICAÇÃO WSSP Pos.

22 pontos para o seu companhei-

Piloto

Equipa

Moto

Tempo/Diferença

Yamaha

30'54,791

ro de garagem.

1.º

Randy Krummenacher

BARDAHL Evan Bros. WorldSSP Team

2.º

Raffaele De Rosa

MV AGUSTA Reparto Corse

MV Agusta

+0,094

3.º

Federico Caricasulo

BARDAHL Evan Bros. WorldSSP Team

Yamaha

+0,158

4.º

Thomas Gradinger

Kallio Racing

Yamaha

+0,732

5.º

Julez Cluzel

GMT94 YAMAHA

Yamaha

+3,312

6.º

Corentin Perolari

GMT94 YAMAHA

Yamaha

+12,626

7.º

Lucas Mahias

Kawasaki Puccetti Racing

Kawasaki

+12,890

8.º

Hikari Okubo

Kawasaki Puccetti Racing

Kawasaki

+12,996

Bautista fosse o piloto mais ve-

9.º

Kyle Smith

Team Pedercini Racing

Kawasaki

+14,331

loz ao longo das três sessões de

10.º

Isaac Viñales

Kallio Racing

Yamaha

+17,653

11.º

Peter Sebestyen

CIA Landlord Insurance Honda

Honda

+22,995

treino. As esperanças tornaram-se

12.º

Jules Danilo

CIA Landlord Insurance Honda

Honda

+23,111

13.º

Federico Fuligni

MV AGUSTA Reparto Corse

MV Agusta

+23,425

14.º

Loris Cresson

Kallio Racing

Yamaha

+27,440

15.º

Maria Herrera

MS Racing

16.º

Glenn Van Straalen

EAB Racing Team

17.º

Hannes Soomer

18.º

WSBK, TREINOS: BAUTISTA VOLTA A ESTAR UM DEGRAU ACIMA DOS SEUS ADVERSÁRIOS Para a terceira ronda do campeonato, esperava-se que Álvaro

realidade e Bautista apresentou mesmo um andamento superior. No FP1 Alex Lowes ficou a 1,1s

Yamaha

+29,392

de Bautista e depois reduziu essa

Kawasaki

+49,383

diferença para os 0,519s na se-

MPM WILSport Racedays

Honda

+51,864

Christian Stange

GEMAR - Ciociaria Corse WorldSSP Team

Honda

+55,682

gunda sessão. As temperaturas

19.º

Alfonso Coppola

GEMAR - Ciociaria Corse WorldSSP Team

Honda

+1'09,679

RET

Jamie Van Sikkelerus

MPM WILSport Racedays

Honda

1 volta

RET

Xavier Navand

DK MOTORSPORT

Yamaha

1 volta

RET

Ayrton Badovini

Team Pedercini Racing

Kawasaki

6 voltas

RET

Nacho Calero

Orelac Racing VerdNatura

Kawasaki

10 voltas

foi o mais rápido com uma volta

RET

Gaetan Matern

Flembbo Leader Team

Kawasaki

11 voltas

em 1m50,655s, enquanto que

desceram um pouco para o FP3 e por isso verificaram-se algumas diferenças na tabela. Desta vez, no FP3, Jonathan Rea

Tom Sykes (BMW Motorrad WorRosa na dianteira já a uma volta

fase o segundo piloto na contas

ldSBK Team) e Alex Lowes ficaram

da primeira curva com a lideran-

do fim.

gerais com menos 14 pontos que

no top três com Bautista a fazer

ça da corrida. Foi isso mesmo que

Contudo, o suíço que perdeu duas

o suíço, enquanto que Federico

o quarto tempo. No entanto, em

acabou por acontecer, já que Ca-

posições não mostrou sinais de

Caricasulo fechava o top três com

termos de tempos combinados,

ricasulo fez o holeshot sendo este

desistência e retomou à batalha

pressionado por Gradinger logo a

muito pouco tempo depois. Pro-

partir dos primeiros momentos.

va disso foi o facto de o piloto ter

Logo a partir do arranque da cor-

chegado ao segundo posto no fi-

rida, os dois pilotos que estabele-

nal da reta da meta, pressionando

ceram as melhores voltas na quali-

o piloto da MV Agusta. No der-

ficação atacaram com toda a força

radeiro momento, mais concreta-

com a finalidade de se afastarem

mente na abordagem à última cur-

dos seus adversários mais diretos.

va, Krummenacher passou para a

No entanto, esses mesmos adver-

frente e cruzou a linha de meta no

sários, nomeadamente Krumme-

melhor lugar do pódio, partilhan-

nacher e Cluzel, conseguiram jun-

do-o com De Rosa e Caricasulo.

tar-se à dupla dianteira e com isso

Após estes minutos finais desen-

discutir os melhores pontos para o

freados e que deixaram qualquer

campeonato.

fã de motociclismo com o coração

A dada altura, e já no último terço

nas mãos, Krummenacher deixou

de prova, Krumennacher passou

Aragão com a liderança do cam-

para a frente antes de cometer

peonato segurando um total de

um erro na abordagem para a cur-

70 pontos recolhidos. Jules Cluzel,

va 12 - erro esse que colocou De

apesar do quinto posto, era nesta

Matteo Cavadini/ ALEX PHOTO (c)2019

a mais propensa a conseguir sair

Álvaro Bautista

| MOTORCYCLE SPORTS | -67-


Aragão

Graeme Brown/ GeeBee Images

WSBK

o piloto da Ducati ficou com um registo de 1m49,607 onde Lowes terminou em segundo (1m50,126) e Rea terceiro (1m50,149s). WSBK, QUALIFICAÇÃO:

WorldSBK), 1m49,414s 3.º T  om Sykes (BMW Motorrad WorldSBK Team), 1m49,557s 4.º A  lex Lowes (Pata Yamaha WorldSBK Team), 1m49,563s 5.º Michael Rinaldi (BARNI Racing

BAUTISTA TOMOU O GOSTO E

Team, Ducati), 1m49,689s 6.º E  ugene Laverty (Team

VOLTOU A CONQUISTAR A POLE POSITION

Goeleven, Ducati), 1m49,722s

Aragão não trouxe surpresas no que concerne à Superpole já que

WSBK, CORRIDA 1: BAUTISTA

Álvaro Bautista (1m49,049) vol-

ENVERGONHA CONCORRÊNCIA

tou a conseguir a melhor posição

AO VENCER COM UMA

para a primeira corrida. Ainda as-

DIFERENÇA ESMAGADORA

sim, houve alguma disputa, tanto

O primeiro braço de ferro do fim

Jonathan Rea, Alex Lowes, Chaz Davies

que Jonathan Rea ainda esteve no

de semana não trouxe grandes

topo da tabela nos primeiros mi-

surpresas… Esta foi a sétima corri-

nutos.

da da temporada e a sétima vitória

Contudo, o britânico acabou por

Alex Lowes foi quarto, Michael

Rea, Michael van der Mark (Pata

para Bautista que, por sua vez, fez

ser engolido pela concorrência

Rinaldi (BARNI Racing Team) fe-

Yamaha WorldSBK Team) e Leon

um bom arranque. Depois disso, o

nomeadamente por Sandro Cor-

chou o top cinco e Eugene La-

Haslam (Kawasaki Racing Team

piloto da casa, e principal candida-

tese (GRT Yamaha WorldSBK) que

verty (Team Goeleven) impediu

WorldSBK) a fazerem o 8.º, 10.º,

to a vencer o campeonato, impôs

apenas foi 0,365s mais lento que

restantes acessos à segunda linha

11.º e 12.º melhores tempos, res-

um ritmo desenfreado que nin-

Bautista. Além do rookie, Tom

de partida com o irlandês a ser o

petivamente.

guém foi capaz de acompanhar.

Sykes e a sua BMW colocaram-se

terceiro melhor piloto indepen-

no lugar mais atrás da primeira li-

dente. A surpreender pela nega-

Top seis da qualificação:

ta foi ampliando a diferença que

nha de partida ao ficar a meio se-

tiva ficaram Chaz Davies (ARU-

1.º Á  lvaro Bautista (ARUBA.IT

o separava dos restantes pilotos.

gundo do líder do campeonato.

BA.IT Racing - Ducati), Jonathan

CLASSIFICAÇÃO WSBK - CORRIDA 1 Pos.

Piloto

Equipa

Moto Ducati

Tempo/ Diferença 33'14,114

O tempo foi passando e Bautis-

Racing - Ducati), 1m49,049s

Nesta fase, a vice-liderança era a

2.º S  andro Cortese (GRT Yamaha

atenção do público sendo a dispu-

CLASSIFICAÇÃO WSBK - SUPERPOLE RACE Pos.

Piloto

Equipa

Moto

Tempo/

1.º

Álvaro Bautista

ARUBA.IT Racing - Ducati

2.º

Jonathan Rea

Kawasaki Racing Team WorldSBK Kawasaki

+15,170

1.º

Álvaro Bautista

ARUBA.IT Racing - Ducati

3.º

Chaz Davies

ARUBA.IT Racing - Ducati

Ducati

+15,650

2.º

Jonathan Rea

Kawasaki Racing Team WorldSBK Kawasaki

+5,791

4.º

Alex Lowes

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+18,204

3.º

Alex Lowes

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+5,906

5.º

Tom Sykes

BMW Motorrad WorldSBK Team

BMW

+20,165

4.º

Chaz Davies

ARUBA.IT Racing - Ducati

Ducati

+6,052

6.º

Michael van der Mark

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+22,419

5.º

Tom Sykes

BMW Motorrad WorldSBK Team

BMW

+9,217

7.º

Sandro Cortese

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+23,333

6.º

Eugene Laverty

Team Goeleven

Ducati

8.º

Toprak Razgatlıoğlu

Turkish Puccetti Racing

Kawasaki

+27,929

7.º

Leon Haslam

Kawasaki Racing Team WorldSBK Kawasaki

+10,221

9.º

Leon Haslam

Ducati

Diferença 18'25,853

+9,921

Kawasaki Racing Team WorldSBK Kawasaki

+28,243

8.º

Jordi Torres

Team Pedercini Racing

Kawasaki

+11,961

10.º Jordi Torres

Team Pedercini Racing

Kawasaki

+28,411

9.º

Sandro Cortese

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+13,712

11.º Leon Camier

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

+39,126

10.º Toprak Razgatlıoğlu

Turkish Puccetti Racing

Kawasaki

+14,218

12.º Marco Melandri

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+39,240

11.º Marco Melandri

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+19,481

13.º Michael Rinaldi

BARNI Racing Team

Ducati

+47,782

12.º Leon Camier

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

+21,149

14.º Ryuichi Kiyonari

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

+59,879

13.º Ryuichi Kiyonari

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

+27,041

15.º Eugene Laverty

Team Goeleven

Ducati

+1'37,121

14.º Alessandro Del Bianco

Althea Mie Racing Team

Honda

+43,317

RET Alessandro Del Bianco

Althea Mie Racing Team

Honda

18 voltas

15.º Michael van der Mark

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+1'20,614

RET Leandro Mercado

Orelac Racing VerdNatura

Kawasaki

18 voltas

RET Markus Reiterberger

BMW Motorrad WorldSBK Team

BMW

5 voltas

RET Markus Reiterberger

BMW Motorrad WorldSBK Team

BMW

18 voltas

RET Michael Rinaldi

BARNI Racing Team

Ducati

5 voltas

-68- | MOTORCYCLE SPORTS |


Matteo Cavadini/ ALEX PHOTO (c)2019

ta entre Chaz Davies e Jonathan Rea o principal destaque. Contudo, os dois pilotos supra referidos não estavam sozinhos, já que Alex Lowes, Michael van der Mark, Eugene Laverty, Sandro Cortese e Tom Sykes ainda tinham possibili-

Leon Haslam foi o segundo piloto da Kawasaki a terminar no quarto posto com um terreno muito reduzido para o pódio. Alex Lowes fechou ao top cinco. Após mais um fim de semana perfeito, Bautista comentou, oficial-

dades de lutar pelo pódio.

mente, que o seu plano era atacar

Na última volta, e com Bautista a

a partir do primeiro momento…

ter a vitória garantida, Rea e Da-

plano esse que resultou na per-

vies lutavam pelo segundo posto

feição:

como se de uma vitória se tra-

- Foi um fim de semana extraordi-

tasse. Ainda assim, não foi desta

nário para mim. Vencer três corri-

que a Ducati conseguiu ocupar as

das em Espanha diante da minha

duas primeiras posições do pódio,

família, amigos e adeptos foi real-

já que Jonathan Rea cruzou a linha

mente bom. Em todas elas conse-

Chaz Davies

de meta no segundo posto.

gui cumprir o meu plano, que era

De salientar que Leandro Merca-

ter um arranque veloz e gerir o

do (Orelac Racing VerdNatura) fi-

meu ritmo.

cou de fora das seguintes corridas

pódio ficaram Chaz Davies e Tom

o domínio que tem praticado des-

E continuou: ‘Sem dúvida que as

de Aragão. O piloto sofreu uma

Sykes.

de que chegou à modalidade, ter-

condições nas três corridas fo-

minando a sua prestação com um

ram diferentes, especialmente na

queda logo no arranque da primeira manga que o impossibilitou

WSBK, CORRIDA 2: BAUTISTA

diferencial de 6,8 segundos para

corrida superpole, que decorreu

de voltar à ação, sendo mesmo o

NÃO ENGANA AS CASAS

Jonathan Rea. Este teve uma ou-

durante a manhã e estava muito

único a ausentar-se durante o do-

DE APOSTAS AO VENCER

tra tarde de domingo bem anima-

frio. Aqueceu qualquer coisa para

mingo.

NOVAMENTE EM CASA

da uma vez que se envolveu numa

a segunda manga, mas mesmo as-

Esta corrida final não trouxe gran-

batalha com Chaz Davies que, por

sim estava algo ventoso. Apesar

WSBK, SUPERPOLE RACE:

des novidades no que concerne

sua vez, terminou no lugar mais

disso consegui manter-me foca-

BAUTISTA VOLTA A NÃO

ao pódio. Álvaro Bautista repetiu

baixo do pódio.

do, soube lidar com cada situação

MOSTRAR PIEDADE Tal como as provas anteriores, esta manga intermédia de Aragão foi conquistada por Álvaro Bautista. Apesar desta vez a corrida ter apenas dez voltas, o piloto da Ducati cruzou a meta bastante descansado, já que usufruía de uma vantagem de quase seis segundos para Rea.

e forçar o andamento. No final a

CLASSIFICAÇÃO WSBK - CORRIDA 2 Equipa

equipa conta com nove vitórias Moto

Tempo/

em nove possíveis e estou muito

Diferença

feliz com isso. A equipa tem feito

Pos.

Piloto

1.º

Álvaro Bautista

ARUBA.IT Racing - Ducati

2.º

Jonathan Rea

Kawasaki Racing Team WorldSBK Kawasaki

+6,867

3.º

Chaz Davies

ARUBA.IT Racing - Ducati

+7,127

4.º

Leon Haslam

Kawasaki Racing Team WorldSBK Kawasaki

+7,581

5.º

Alex Lowes

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+11,549

6.º

Eugene Laverty

Team Goeleven

Ducati

+16,797

Ducati Ducati

33'16,448

um trabalho incrível. Estamos no caminho certo.’ Com o fim de mais um fim de semana, a classificação geral sofreu poucas alterações nas principais

7.º

Jordi Torres

Team Pedercini Racing

Kawasaki

+17,825

posições. Bautista afastou-se da

De salientar que o espanhol con-

8.º

Michael van der Mark

Pata Yamaha WorldSBK Team

Yamaha

+18,788

concorrência e colocou-se a 25

seguiu fazer o melhor arranque e

9.º

Michael Rinaldi

BARNI Racing Team

Ducati

+19,329

10.º Sandro Cortese

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+20,351

pontos de Jonathan Rea enquan-

11.º Marco Melandri

GRT Yamaha WorldSBK

Yamaha

+23,546

12.º Tom Sykes

BMW Motorrad WorldSBK Team

BMW

+23,974

13.º Leon Camier

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

+35,177

que teve consigo Sandro Cortese e Alex Lowes a vigiarem de longe. No entanto, apenas o piloto da Yamaha foi capaz de se manter

to que Alex Lowes permaneceu no terceiro lugar da geral. Michael van der Mark aproximou-se

14.º Ryuichi Kiyonari

Moriwaki Althea Honda Team

Honda

+1'01,477

do seu companheiro de equipa e

entre os mais fortes conseguindo,

15.º Markus Reiterberger

BMW Motorrad WorldSBK Team

BMW

+1'39,168

Leon Haslam assaltou o quinto lu-

ainda, lutar com Rea pelo segundo

RET Alessandro Del Bianco

Althea Mie Racing Team

Honda

8 voltas

RET Toprak Razgatlıoğlu

Turkish Puccetti Racing

Kawasaki

11 voltas

gar deixando Marco Melandri em

lugar até à última curva. Fora do

sexto. | MOTORCYCLE SPORTS | -69-


YAMAHA

YZF-R1M

DA COMPETIÇÃO PARA A ESTRADA COM NOVIDADES EM 2019

A Yamaha YZF-R1M foi atualizada para 2019, sendo o modelo de produção de série inspirado diretamente no motociclismo de competição numa edição limitada.

-70- | MOTORCYCLE SPORTS |


Yamaha Motor Corporation, USA

TEXTO: Bernardo Matias

| MOTORCYCLE SPORTS | -71-


YZF-R1M

INDG

YAMAHA

A Yamaha lançou para este ano uma

lidade do quadro – o que tem con-

de suspensão eletrónica é o mais so-

ção. Dispõe de um novo software

versão atualizada da YZF-R1M. Com

sequências positivas nos tempos por

fisticado já desenvolvido pela Öhlins

avançado e de uma nova interface

inspiração na YZR-M1 do Mundial de

volta em pista e no esforço físico e

para equipar um modelo de produ-

que possibilita configurar os modos

MotoGP, o modelo disponibiliza aos

mental a que o condutor está sujei-

clientes algumas das mais recentes

to. Cada condutor pode eleger o seu

tecnologias de competição, sendo

modo QSS favorito graças à função

de edição limitada. Destina-se não

de controlo de condução Yamaha.

só ao uso em estrada como também nas pistas.

SUSPENSÃO ELETRÓNICA

As novidades começam desde logo

REVISTA

no sistema de mudanças rápidas

A suspensão eletrónica de compe-

QSS melhorado, permitindo engatar

tição ERS foi revista, ajustando au-

as mudanças de forma a roçar a per-

tomaticamente o amortecimento.

feição. Graças ao QSS, o condutor

Isso resulta em níveis de aceleração,

pode fazer os engrenar mudanças

travagem e controlo do desempenho

sem recorrer à embraiagem, além de

nas curvas ainda mais elevados. Se-

ter engates que favorecem a estabi-

gundo a marca de Iwata, este sistema

-72- | MOTORCYCLE SPORTS |


de suspensão de maneira rápida e

e resposta – com naturais benefícios

simples. Em termos de ‘hardware’, a

no rendimento em estrada e em pis-

suspensão é constituída por uma for-

ta.

quilha telescópica na dianteira e por

A conceção do quadro pretendeu

um braço oscilante (suspensão de li-

oferecer um equilíbrio otimizado

gação por braço) na traseira.

de rigidez por forma a maximizar a

Também no âmbito da eletrónica, a

manobrabilidade e a prestação das

unidade de medição da inércia UMI

suspensões. O motor é um membro

de seis eixos fornece dados de corri-

integrante com montagens rígidas. O

da precisos à nova ECU. Já estA faz

depósito de combustível com capa-

a ativação do sistema de controlo de

cidade para 17 litros é em alumínio,

elevação da roda dianteira (LIF) que

assegurando também uma boa ade-

recebeu melhorias para a edição de

rência dos joelhos e uma manobra-

2019 da Yamaha YZF-R1M. Também

bilidade fácil. Não foi pintado, sendo

o ECU ativa os sistemas de controlo

apenas polido e revestido.

de derrapagem SCS e de controlo de

da mota.

o traseiro possui um monodisco hi-

tração TCS. Os sensores de ângulo

Em termos de travagem, o ABS equi-

dráulico e pinça de pistão único.

de inclinação são derivados do Mo-

pa os discos dianteiros e traseiros,

toGP.

incluindo sensores de inclinação e

QUADRO DELTABOX

A ‘alma’ da Yamaha YZF-R1M é um

Quanto à ECU, surge com um ma-

o sistema de travagem unificado da

O quadro da Yamaha YZF-R1M é em

propulsor de quatro cilindros em li-

peamento revisto, ao passo que

Yamaha. Este possibilita que o con-

alumínio Deltabox, possuindo um

nha que tem por base aquele que

as melhorias no LIF asseguram um

dutor tenha maior controlo da moto

longo braço oscilante e um quadro

é usado pelas YZR-M1 de MotoGP.

maior controlo em aceleração. Deste

em distintas situações, seja em es-

traseiro construído em magnésio – o

Tem quatro válvulas com cambota de

modo, quando está em pista, o con-

trada ou em pista. O travão frontal

que enfatiza as ligações aos mode-

planos cruzados, 998cc de cilindra-

dutor pode concentrar-se totalmente

é constituído por disco duplo hidráu-

los de competição. A distância entre

da, debitando uma potência máxima

na pilotagem sem se distrair com ele-

lico flutuante e pinças radiais mono-

eixos curta e o peso total reduzido

de 200cv sem o efeito rama ir.

vações indesejadas da parte frontal

bloco de quatro pistões, enquanto

(200kg) garantem uma boa agilidade

Com este motor, a Yamaha pretende

MOTOR BASEADO NA YAMAHA DE MOTOGP

dotar a mota de uma potência significativa, ao mesmo tempo que mantém um excelente controlo. A sua cambota de planos cruzados resulta num binário o mais linear possível e um bom controlo de aceleração, sendo que o design do propulsor favorece ainda a prestação em curva. A ignição é controlada por transístor (TCI), ao passo que a injeção de combustível é com YCC-T e YCC-I. Associada ao propulsor está uma caixa de seis velocidades e uma embraiagem multi-discos assistida.

CARENAGEM EM FIBRA DE CARBONO A Yamaha YZF-R1M de 2019 possui uma carenagem construída em

| MOTORCYCLE SPORTS | -73-


YAMAHA

YZF-R1M

mas também outras como indicador

dianteiro. O para-brisas foi concebi-

de pressão do travão dianteiro, indi-

do com recurso ao túnel de vento

cador de aceleração, número de vol-

INDG

carbono, bem como o guarda-lamas

por forma a ser mais eficiente do

ta ou temporizador de voltas. Refira-

ponto de vista aerodinâmico. Segun-

-se que o guiador é do tipo clip-on.

do a yamaha-motor.ca, a resistência

Orientada para o uso em pista, a uni-

ao ar da carenagem foi reduzida em

dade de controlo de comunicações

oito por cento.

(CCU) incorpora uma função de re-

As jantes de 17 polegadas são fa-

gisto de dados. Assim, o condutor

bricadas em magnésio. Esta opção

pode gravar diversos dados de cor-

não só reduz o peso como também

rida, como tempos por volta, veloci-

proporciona uma resposta rápida da

dade, posição do acelerador, ângulo

suspensão. De série, as jantes são

de inclinação ou localização por GPS.

‘calçadas’ com pneus Bridgestone

É possível usar a CCU para comu-

120/70 ZR17M/C à frente e 200/55

nicar com o sistema de condução

ZR17M/C atrás.

da Yamaha, o Yamaha Ride Control, além de possibilitar aceder à infor-

ILUMINAÇÃO LED

mação da mota através de wifi.

Em termos de iluminação, a Yamaha

Ao nível da decoração, a Yamaha YZ-

YZF-R1M surge com dois faróis

PAINEL DE INSTRUMENTOS

dos mesmos. Estão disponíveis os

F-R1M é predominantemente negra,

dianteiros

COM ECRÃ TFT

modos estrada e pista, consoante o

mas também possui partes em tom

de mudança de direção integrados

No painel de instrumentos, o condu-

uso que estiver a ser dado à mota.

metálico e em azul, com as carena-

nos espelhos dianteiros (removíveis

tor encontra umadas unidades mais

Entre as funções estão as mais bá-

gens a ostentarem o nome do mode-

para o uso em pista), indicadores de

sofisticadas em modelos de produ-

sicas como velocímetro, consumo de

lo – R1M – acima da roda dianteira.

mudança de direção traseiros com-

ção de série. Inclui um ecrã TFT, com

combustível ou mudança engrenada,

As jantes são coloridas a azul.

pactos e luz traseira – tudo isto com

o visor multifunções a cores a exibir

tecnologia LED.

diversos dados facilitando a leitura

separados,

indicadores

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS YAMAHA YZF-R1M Motor: Quatro tempos, quatro cilindros em linha, 998cc Potência máxima: 200cv às 13.500 rotações por minuto Binário máximo: 112.4 Nm às 11.500 rotações por minuto Sistema de transmissão: Sincronizada, seis velocidades Consumo de combustível: 7,2 litros/100km Quadro: Diamante Deltabox em alumínio, com quadro traseiro em magnésio Suspensão dianteira: Garfo telescópico Suspensão traseira: Braço oscilante, suspensão de ligação por braço Travão dianteiro: Disco duplo hidráulico flutuante; pinças radiais monobloco de quatro pistões Travão traseiro: Monodisco hidráulico; pinça de pistão único

-74- | MOTORCYCLE SPORTS |


Yamaha YZF-R1 GYTR comemora 20.º aniversário da YZF-R1 Yamaha Motor Europe N.V.

A Yamaha assinalou as duas décadas de existência da YZF-R1 com uma edição especial muito limitada YZF-R1 GYTR – com apenas 20 unidades produzidas.

nada por uma equipa Official Yamaha Racing Team tendo em mente o seu proprietário. Entre o equipamento GYTR (Genuine Yamaha Technology Racing) disponível, inclui-se cablagem elétrica de competição, ECU, CCU, acelerador de punho rápido. As suspensões dianteiras são Öhlins FGRT 219, ao passo que na traseira surge um amortecedor traseiro TTX36 GP totalmente ajustável. O sistema de escape em titânio é Akrapovic Evolution 2. Há proteções para o cárter e para os veios das rodas. O motor derivado do MotoGP com cambota de planos cruzados é de quatro cilindros em linha, com

já esgotou.

vado na mesa de direção. O cliente

998cc de cilindrada. Está associado

comemoração dos 20 anos da Yama-

Com apenas 20 unidades produzidas

recebeu, com a máquina, um certi-

a uma caixa de seis velocidades e a

ha YZF-F1. Como tal, foi criada uma

– uma por cada ano comemorado –

ficado de autenticidade. Além disso,

uma embraiagem avançada.

versão especial comemorativa, a

cada mota que chegou aos clientes

como há poucas motas produzidas,

Existem diversos detalhes ao nível da

YZF-R1 GYTR do 20.º aniversário.

tem o número de edição limitada gra-

cada uma é montada, testada e afi-

eletrónica que merecem destaque,

Desde que no final de 1998 foi lançada a YZF-R1, a série R da Yamaha tem sido líder dentro e fora das pistas em termos de performance, tecnologia e entusiasmo. O estilo atualizado tem por base a

Yamaha Motor Europe N.V.

O ano de 2019 fica marcado pela

como é o caso da IMU de seis eixos que comunica com a ECU, Slide Control System desenvolvido no MotoGP ou alimentação ride-by-wire. O sistema de controlo do arranque limita o motor a 10.000 rotações por

combinação das cores vermelho,

minuto com o acelerador aberto.

preto e branco do modelo original, e

Tal como na Yamaha YZF-R1M, o

que foi visto em provas de motoci-

quadro é Deltabox com quadro tra-

clismo de todo o mundo como é o

seiro em magnésio e o depósito de

caso das míticas 8 Horas de Suzu-

combustível é em alumínio, ao pas-

ka. Esta YZF-R1 GYTR é destinada

so que as rodas são igualmente em

apenas ao uso em circuito e é uma

magnésio. Tudo isto contribui para

edição muito exclusiva que, de resto,

reduzir o peso da mota.

| MOTORCYCLE SPORTS | -75-


BMW

F 850 GS ADVENTURE

A nova aposta da BMW para os mais aventureiros

-76- | MOTORCYCLE SPORTS |


jkuenstle.de

A BMW F 850 GS Adventure parte da F 850 GS e é a nova proposta da gama bávara para quem procura uma mota ágil, mais orientada ao todoo-terreno, mas também com capacidade de percorrer longas distâncias.

TEXTO: Bernardo Matias

| MOTORCYCLE SPORTS | -77-


BMW

F 850 GS ADVENTURE

linha, bem como da cambota, e o espaçamento de ignição permitem produzir um som potente similar ao de um motor V2 90º. A colocação dos dois eixos de contrapeso garante uma melhor suavidade ao rodar. A lubrificação do motor não requer um depósito separado para o óleo do motor. A transmissão da potência do motor da nova F 850 GS Adventure passa por uma embraiagem anti-hopping húmida que beneficia a segurança consideravelmente – em especial quando as travagens são feitas enquanto se baixa uma mudança. A caixa de seis velocidades com uma nova

LINHA COM VÁRIAS NOVIDADES

anterior – debitando 95cv de potên-

com o Shift Assistant Pro que possi-

para este ano é a F 850 GS Adven-

Começando mesmo pelo propulsor,

cia máxima disponíveis às 8.250 ro-

bilita aumentar e reduzir de mudan-

ture, com o qual expande a sua gama

é uma unidade de dois cilindros em

tações por minuto (rpm). Já o binário

ças sem recurso à embraiagem.

premium do segmento de aventura

linha que tem uma engenharia total-

alcança os 92 Nm às 6.250 rpm. Tudo

Com vista ao conforto, o sistema de

e enduro de classe média. A base é

mente nova, sendo o objetivo pri-

isto resulta numa velocidade máxima

escape feito em aço inoxidável está

a F 850 GS, recebendo o motor bo-

mordial da sua conceção aumentar

de 197km/h. Para quem apenas pos-

posicionado do lado direito da mota.

xer típico das BMW GS Adventure,

significativamente a potência e o bi-

sui a carta de condução A2 há uma

A BMW acredita que assim beneficia

sendo que está disponível na versão

nário face aos antecessores. No en-

versão menos potente de 48cv e

o condutor quando este está a ma-

básica e também nas versões Exclu-

tanto, não foi esquecida a otimização

63Nm, existindo ainda uma opção

nobrar a mota à mão uma vez que o

sive e Rally.

da combustão.

para gasolina normal com 90cv de

normal é fazê-lo do lado esquerdo.

Tem uma cilindrada de 853 centíme-

potência e 86 Nm de binário.

Opcional é o silenciador HP que dá

tros cúbicos – mais face ao modelo

A instalação dos dois cilindros em

um aspeto mais desportivo à mota.

markus-jahn.com

MOTOR DE DOIS CILINDROS EM

-78- | MOTORCYCLE SPORTS |

markus-jahn.com

engenharia pode ser complementada Um dos modelos novos da BMW


markus-jahn.com

vorecido o caráter mais desportivo

pensão for rebaixada e se for instala-

da BMW F 850 GS, ao passo que o

do um banco de assento mais baixo

modo Enduro sublinha as capacida-

opcional.

des off-road do modelo. Já o modo

O para-brisas é ajustável em altu-

Enduro Pro disponibiliza mais opções

ra em duas posições e existem dois

de personalização por forma a alterar

defletores laterais de vento, o que

as características da mota consoante

assegura uma maior proteção do

as necessidades do condutor.

condutor contra o vento e condições climatéricas. Quanto ao depósito de

DESIGN E ERGONOMIA

combustível, e sendo a BMW F 850

Prometendo uma aparência mais

GS Adventure orientada a viagens

masculina, a nova BMW diz ‘trans-

mais longas, tem uma capacidade

portar o espírito puro e emocionan-

maior face ao da F 850 GS – 23 li-

te da aventura’. Possui uma silhueta

tros, assegurando uma autonomia a

Guiador mais elevado e altura do assento reduzida são dois

típica da gama GS. O guiador está

rondar os 550km.

dos destaques em termos de ergonomia.

mais elevado, o que resulta numa posição de condução sentada mais

CORES

confortável. As manetes de mão para

Existem três variações de cor e de

controlo do ABS e do ASC configura-

a embraiagem e travão dianteiro são

estilo, que têm em comum o facto

Há dois modos de condução de série

dos para a prestação ideal em todas

ajustáveis, permitindo ao condutor

de os componentes pintados serem

na nova BMW F 850 GS Adventure.

as estradas – bem como o ABS Pro e

definir mais a configuração ergonó-

reduzidos e essencialmente localiza-

São eles o Rain e o Road, com ABS

o DTC. Se o cliente tiver optado pela

mica.

dos na parte superior da mota, bem

e ASC. No modo Rain há uma res-

suspensão eletrónica ESA, esta tem

Os poisa-pés melhoram as capa-

como o domínio da cor preta e o ‘let-

posta suave do acelerador, com as

também uma configuração particular

cidades da mota para a condução

tering’ GS. A opção Rally consiste no

características do ASC, controlo de

no modo Road.

off-road, com a alavanca do travão

azul metálico Lupinblau conjugado

tração dinâmico DTC, ABS ou ABS

Opcionais são os modos de condu-

de pé ajustável a permitir operar da

com o branco e letras GS a vermelho;

Pro baseadas nos pisos molhados e

ção Pro, que acrescentam aos de-

melhor forma esse travão ao condu-

há depois a variante Exclusive em

escorregadios.

mais os Dynamic e Enduro, tal como

zir-se de pé. A alavanca de mudan-

cinzento metálico Granitgrau com

Quanto ao modo Road o motor for-

o controlo de tração dinâmico DTC

ças também é ajustável. A altura do

vermelho e letras GS a branco; e a

nece uma resposta otimizada do

e o ABS Pro com luz de travagem

assento foi ligeiramente reduzida,

versão de base surge numa pintura

acelerador, estando os sistemas de

dinâmica. No modo Dynamic é fa-

podendo ser ainda menor se a sus-

em cinzento Icegrey.

markus-jahn.com

MODOS DE CONDUÇÃO

| MOTORCYCLE SPORTS | -79-


BMW

F 850 GS ADVENTURE

QUADRO E SUSPENSÕES

de 43 milímetros de diâmetro anun-

O sistema de suspensões da nova

ciado como tendo características de

BMW F 850 GS representa um con-

resposta melhoradas. Proteções em

ceito totalmente novo face ao mo-

plástico asseguram que os tubos do

delo anterior. O quadro em aço tem

garfo estão protegidos de pedras.

uma maior rigidez, robustez e preci-

Na traseira há um braço oscilante

são de condução, sendo a geometria

de dois lados em alumínio conjuga-

das suspensões melhorada em ter-

do com um suporte de mola central

mos de precisão.

diretamente ligado. A base da mola é

O quadro desenvolvido para esta

ajustável, enquanto a fase de ressalto

com uma coordenação básica suave,

série, o sistema ABS está presente,

mota integra o motor de dois cilin-

do amortecimento pode ser ajustada

enquanto em Enduro e Enduro Pro

podendo o condutor desativá-lo se

dros como um elemento autoportan-

consoante os requisitos pessoais do

a coordenação está orientada para o

assim pretender. Opcionais são o

te e tem maior rigidez torsional do

condutor.

uso em terreno.

sistema ABS Pro, parte do equipa-

dro em aço tubular. Para desenvolver

DYNAMIC ESA

RODAS, PNEUS E TRAVÕES

Pro, bem como a luz de travagem

este quadro teve de se reposicionar o

O sistema de ajuste eletrónico da sus-

As rodas da BMW F 850 GS Adventu-

dinâmica. Esta é capaz de assinalar

depósito de combustível de maiores

pensão Dynamic ESA é um equipa-

re são de raios cruzados, os anéis das

efetivamente aos demais utilizadores

dimensões – se no anterior modelo

mento opcional que atua na suspen-

jantes são em alumínio. O tamanho

da via que seguem atrás que a mota

(F 800 GS Adventure) estava abaixo

são traseira. Este resulta numa maior

de 21 polegadas da roda dianteira fa-

está a travar avisando em dois níveis

do assento, na F 850 GS Adventure

segurança, mas também favorece o

vorece o uso em off-road oferecendo

diferentes caso exista uma travagem

encontra-se na posição tradicional

rendimento e o conforto, ajustando

uma elevada estabilidade em condu-

forte ou está a ser feita uma travagem

entre o banco e a mesa de direção. O

automaticamente o suporte da mola

ção através de forças giroscópicas

de emergência. O primeiro nível da

quadro traseiro em aço está aparafu-

traseira à situação consoante as con-

maiores. Os pneus são enduro de es-

luz de travagem dinâmica é ativado

sado ao quadro principal.

dições de condução e manobras.

trada de série, mas há outras opções

quando se trava em velocidades de

A BMW teve também um especial

O Dynamic ESA não funciona sozi-

para uso intenso em terreno.

até 50km/h e, se a mota estiver perto

cuidado na geometria das suspen-

nho, mas sim em conjunto com ou-

Em termos de sistema de travagem,

de ficar imobilizada, é exibida a luz de

sões por forma a favorecer a pre-

tros sistemas de controlo – ABS ou

na roda dianteira há disco duplo com

travagem do segundo nível com mais

cisão e estabilidade da condução,

ABS Pro, ASC ou DTC. Além disso

305 milímetros de diâmetro e conju-

potência. Neste caso, ativa também

sendo que a distância entre eixos

está ligado com os modos de condu-

gado a uma pinça flutuante de dois

as luzes avisadoras de perigo que fi-

também sofreu modificações. Na

ção Rain, Road, Dynamic, Enduro e

pistões. Já na traseira há um disco

cam ativas até que se acelere nova-

dianteira, a suspensão é guiada por

Enduro Pro. Em Rain, Road e Dyan-

único de 265 milímetros com uma

mente até pelo menos 20km/h.

um novo garfo telescópico invertido

mic o suporte de mola central opera

pinça flutuante de pistão único. De

No que respeita ao ABS Pro, ofere-

-80- | MOTORCYCLE SPORTS |

markus-jahn.com

mento opcional modos de condução

markus-jahn.com

que o modelo antecessor com o qua-


markus-jahn.com

Um ecrã TFT opcional substitui tacómetro analógico

forma rápida e clara permitindo o

caso de situação de emergência e

mínimo de distração da estrada.

envia as coordenadas do posiciona-

O equipamento opcional de conec-

mento da mota. É possível falar com

tividade Connectivity exibe o painel

o BMW Call Centre no idioma nacio-

de instrumentos num ecrã TFT a

nal do país em que o acidente se deu.

cores de 6.5 polegadas que dá ao

Outra das características pelas quais

condutor o acesso rápido às fun-

o cliente da BMW F 850 GS Adven-

ções do veículo e de conectividade.

ture pode optar incluir é o Keyless

Também permite aceder às funções

Ride que substitui o sistema tradicio-

de multimédia se um smartphone e

nal de ignição e bloqueio de direção.

capacete com BMW Motorrad Com-

Com o Keyless Ride, o bloqueio de

munication System estiverem ligados

direção, ignição e dispositivo anti-

ce uma maior segurança nas trava-

farol dianteiro em LED como compo-

ao ecrã através de Bluetooth. Não é

-roubo são ativados por um trans-

gens em curva por comparação com

nente de série, sendo a luz diurna em

necessário instalar qualquer aplica-

ponder integrado na chave da mota.

o BMW Motorrad ABS. Ao travar-se

LED opcional. Na versão de série da

ção móvel para tal.

com a mota inclinada, o ABS Pro evita

mota, a luz consiste em duas unida-

A BMW Motorrad Connected App

EQUIPAMENTO OPCIONAL

que as rodas da BMW F 850 GS Ad-

des LED-E para feixes baixo e alto e a

gratuita nas lojas Google e Apple

A BMW disponibiliza uma vasta gama

venture bloqueiem quando os travões

luz diurna opcional acrescenta quatro

inclui um manancial de funções adi-

de equipamentos opcionais para

são aplicados repentinamente. Com

unidades LED para iluminação diurna

cionais, como registo de percurso e

a nova F 850 GS Adventure. Luzes

os modos de condução Rain e Road,

e lateral.

a exibição de outras estatísticas de

indicadoras de mudança de direção

viagem e informação. Outro equi-

em LED, luz diurna LED, ecrã TFT 6.5

o ABS Pro está dimensionado para o uso em estrada e valores friccionais

PAINEL DE INSTRUMENTOS

pamento opcional é a função Intelli-

polegadas são alguns dos exemplos

baixos, bem como para oferecer uma

O condutor encontra um conjun-

gent Emergency Call de chamada de

já mencionados, mas há mais.

estabilidade em travagem ideal.

to de instrumentos com um design

emergência inteligente.

São casos do banco do assento para

completamente novo. Inclui tacóme-

Trata-se de um sistema de eCall que

dois (com versão baixa), silenciador

ILUMINAÇÃO LED

tro analógico e um ecrã multifuncio-

precisa da ligação a uma rede de te-

desportivo HP, caixas em alumínio

A F 850 GS Adventure possui um

nal que apresenta a informação de

lefone móvel concebido para trazer

para transporte de bagagem e respe-

o auxílio ao local de um acidente o

tivo suporte, saco para o assento do

mais rapidamente possível. É ativa-

passageiro, topcase em alumínio ou

do automática ou manualmente em

sacos laterais.

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS BMW F 850 GS ADVENTURE Motor: 853cc, dois cilindros quatro tempos Potência máxima: 95cv às 8.250 rotações por minuto (rpm) Binário máximo: 92 Nm às 6.250 rpm Velocidade máxima: 197km/h Caixa de velocidades: Seis velocidades Embraiagem: Húmida multi-discos Quadro: Em aço Suspensão dianteira: Garfo de 43 milímetros Suspensão traseira: Braço oscilante de duplo lado em alumínio (Dynamic ESA opcional) Travão dianteiro: Dois discos, pinça flutuante de dois pistões Travão traseiro: Disco único, pinça flutuante de um pistão

Caixas em alumínio opcionais favorecem transporte de bagagem.

| MOTORCYCLE SPORTS | -81-


KAWASAKI

VERSYS 1000 TEXTO: Bernardo Matias

Kawasaki Versys 1000 Double Red

Nova geração do modelo tipo Adventure da Kawasaki chega em 2019, com diversas novidades favorecendo o conforto e a versatilidade. Em Portugal, está disponível nas versões Versys 1000 e Especial (SE).

Ainda com maior conforto e versa-

guração do assento pretendida. Na

Versys 1000 SE cuja oferta de equi-

MOTOR DE QUATRO

tilidade. É assim que se apresenta

nova versão, existem diversas atua-

pamento tecnológico e de eletrónica

CILINDROS EM LINHA

a nova Kawasaki Versys 1000 para

lizações, inclusivamente ao nível do

é maior. Em qualquer caso, promete

A Kawasaki Versys 1000 surge com

2019, um modelo de aventura com

motor.

a Kawasaki, o condutor encontrará

um motor de 1.043cc de cilindrada,

motor de quatro cilindros em linha

Refira-se que há duas versões distin-

uma mota apta à aventura em estra-

de quatro cilindros em linha. Com

que pode ser ocupada por uma ou

tas do modelo. Está disponível na va-

da aberta, prefira a pilotagem des-

uma boa resposta de acelerador e

duas pessoas, consoante a confi-

riante Versys 1000 de entrada, e na

portiva ou de turismo.

entrega de binário em toda a gama

-82- | MOTORCYCLE SPORTS |


de rotações por minuto, está confi-

na competição, sendo a caixa de seis

cinco peças, todas elas fabricadas em

uso em todo-o-terreno conseguem

gurado para flexibilidade. Uma mu-

velocidades.

alumínio. Os suportes do motor e o

lidar com más condições de estrada.

dança operada ao nível das válvulas

quadro principal são juntos por tubos

Na dianteira há um garfo invertido

de acelerador eletrónicas (Electronic

QUADRO TUBO DUPLO EM

reforçados, o que favorece a rigidez

de 43 milímetros com um curso lon-

Throttle Valves) permite acrescentar

ALUMÍNIO

do chassis. O quadro traseiro consiste

go que contribui para as capacidades

o controlo de velocidade de cruzeiro

A nova Kawasaki Versys 1000 tem um

em tubo de aço tipo treliça.

de absorção. É ajustável em ressalto

eletrónico (Electronic Cruise Control)

tubo com design tubo duplo e fabri-

e ter uma entrega de potência suave.

cado em alumínio, que ao passar por

SUSPENSÕES

A suspensão traseira horizontal Back-

As Electronic Throttle Valves possi-

cima do motor possibilita uma cons-

Ao nível das suspensões, a mota pro-

-link coloca a unidade de amortece-

bilitam que a ECU controle o volume

trução estreita. Trata-se de um dispo-

cura responder às irregularidades das

dor (ajustável em ressalto) e a ligação

do combustível através dos injetores

sitivo leve que não deixa de ser rígido,

estradas e aos casos em que nem

abaixo do braço oscilante, o que liber-

de combustível e o ar através das vál-

beneficiando uma boa estabilidade

sequer estão pavimentadas – ainda

ta espaço face a uma suspensão Uni-

vulas de acelerador, o que contribui

e agilidade nas curvas. Consiste em

que não estejam concebidas para o

-Trak. Por isso mesmo, a pré-câmara

e pré-carga.

para uma resposta de motor suave e natural. O sistema inclui o sensor de posição do acelerador no manípulo eliminando a necessidade de cabos.

A Versys 1000 tem um quadro em alumínio

Noutra novidade, os tubos de ligação juntam as cabeças de escape 1-4 e 2-3, contribuindo para um melhor rendimento independentemente das rotações por minuto do motor. Os novos catalisadores de três vias no coletor de escape garantem o cumprimento das normas de emissões poluentes. A potência máxima do motor é de 116cv às 8.900 rpm, ao passo que o binário máximo de 102 Nm é alcançado às 7.300 rpm. Associada ao motor está uma embraiagem manual húmida multi-discos com tecnologia baseada

| MOTORCYCLE SPORTS | -83-


KAWASAKI

VERSYS 1000

é maior e assim o silenciador pode

leve, mas não deixa de ter especifica-

base é estabelecido contando com

lligent anti-lock Brake System (KIBS),

ser mais curto, algo que beneficia a

ções elevadas no sentido de garantir

o modo de condução selecionado –

que passa a ser um equipamento pa-

centralização de massas. O calor não

maior conforto para o condutor, maior

Sport, Road, Rain, Rider. Depois, ajus-

drão na Versys 1000. Trata-se de um

afeta a prestação das suspensões

tração, peso reduzido e a compressão

ta ao pavimento da estrada em tempo

sistema multissensorial, recorrendo

traseiras, graças ao afastamento dos

e o ressalto ajustáveis independente-

real para fornecer um amortecimen-

também a sensores de velocidade de

componentes face ao escape.

mente.

to ideal. Por outro lado, este sistema

roda específicos montados na diantei-

No modelo de entrada da Versys

A suspensão KECS, baseada no sis-

possibilita o ajuste eletrónico da pré-

ra e na traseira da mota. Monitoriza

1000, o amortecedor inclui um pistão

tema semiativo que no ano passado

-carga traseira.

igualmente a pressão da pinça hidráu-

livre que separa o gás e o óleo para

esteve em estreia na Kawasaki Ninja

uma prestação estável e de alto nível.

ZX-10R SE, adapta-se às condições

TRAVAGEM E O SISTEMA KIBS

da unidade de controlo de eletrónica

Todas as alterações efetuadas ao ní-

de condução e da estrada através da

Na dianteira da Kawasaky Versys

(ECU), como posição do acelerador

vel das suspensões foram concebidas,

combinação de elementos mecânicos

1000 surgem discos de 310 milíme-

ou velocidade do motor).

naturalmente, para aumentar o con-

com as tecnologias de controlo ele-

tros do tipo pétala, aos quais se agar-

Entre os benefícios do controlo da

forto do condutor.

trónico. O amortecimento é ajustado

ram pistões de diâmetro diferenciado

pressão do travão de elevada preci-

eletronicamente por forma a adequar

(32 milímetros na extremidade supe-

são que o KIBS se propõe fazer, há a

SUSPENSÃO KECS NA VERSYS

a velocidade da mota e do batimen-

rior e 30 milímetros na extremidade

limitação do levantamento da traseira,

1000 SE

to da suspensão. O sistema assegura

inferior). Aas pinças dianteiras de

por exemplo. O sistema consegue re-

A grande diferença ao nível de sus-

uma resposta muito mais rápida do

monobloco são rígidas e asseguram

gular as subidas de pressão, reduzin-

pensão na gama Versys 1000 encon-

que noutros sistemas de controlo ele-

a sensação de uma boa sensação de

do a tendência da roda traseira para

tra-se na Versys 1000 SE. Este tem o

trónico de suspensões – o que torna

paragem. O cilindro mestre favorece

levantar. Com a pressão dos travões

sistema eletrónico Kawasaki Electro-

a Versys 1000 SE ideal para condução

também para a sensação acerca das

aumentada de forma gradual, a sensa-

nically Controled Suspension (KECS).

desportiva.

pinças. Atrás, destaque para um disco

ção é de uma operação especialmen-

A ele está associado um garfo Showa

O

tipo pétala associado a uma pinça de

te suave, o que também acaba por

equipado com um ajustador de pré-

KECS depende de sensores localiza-

único pistão.

fazer com que o condutor minimize a

-carga eletronicamente controlado.

dos no garfo e no amortecedor tra-

Um dos pontos de destaque em ter-

sua distração.

O amortecedor traseiro BFRC é mais

seiro. O caráter de amortecimento de

mos de eletrónica é o Kawasaki Inte-

Também com o KIBS surge um maior

funcionamento

da

suspensão

Kawasaki Versys 1000 SE possui sistema de controlo de suspensão KECS.

-84- | MOTORCYCLE SPORTS |

lica da frente e diversos parâmetros


‘Comfort’ destaca-se pelo enchimento mais espesso de uretano com o intuito de maximizar o conforto – ideal passar várias horas aos comandos da mota. Já o ‘Low Seat’, 20 milímetros mais baixo, dá prioridade a atingir facilmente o chão. Quanto ao assento traseiro, em versão única, tem um enchimento mais profundo. Ambos os assentos são forrados a couro. Como não podia deixar de ser, numa mota como a Kawasaki Versys 1000, a carga não foi esquecida e há mecanismos para montar malas, perto do assento traseiro – duas laterais e uma top case traseira que podem ser usadas em simultâneo. Este sistema de montagem assegura que o aspeto da

Os assentos da Kawasaki Versys

sentado de forma relaxada.

traseira da mota permaneça limpo e

O assento tem um desenho estreito e

elegante quando as malas são remo-

o depósito de combustível tem carac-

vidas. O quadro traseiro possibilita

controlo do travão traseiro quando

ajustável em aproximadamente 65

terísticas que garantem a aderência

transportar uma carga de 220kg – su-

estão a ser feitas reduções de caixa

milímetros (45 milímetros, no caso da

dos joelhos, o que junto assegura uma

ficiente para passageiro e bagagem.

– tem em conta parâmetros como

SE), com a altura a poder ser regulada

boa liberdade de movimentos e a al-

posição do acelerador, atuação da

a partir do assento do condutor sem

teração à posição em que o condutor

LUZES LED

embraiagem e posição da engrena-

recurso a ferramentas. Uma pequena

vai sentado. A posição das pedaleiras,

Passando para a iluminação da mota,

gem por forma a reconhecer o que

abertura central permite erradicar o

inferior e superior, contribui para uma

é integralmente em LED. Os novos

o motor está a enviar. Já os dados da

efeito negativo da pressão no cockpit.

posição de condução espaçosa.

faróis dianteiros altamente visíveis

IMU permitem o KIBS ter a tarefa de

Um ‘spoiler’ abaixo dos faróis frontais

A Kawasaki promete uma mota com

oferecem um brilho aumentado, en-

gestão de travagem em curva, cuja

ajuda ao direcionamento do vento

uma posição de condução muito na-

quanto na traseira há uma luz com um

força é modulada para contrariar a

para passar em torno da estrutura su-

tural e relaxada, proporcionando um

padrão de H duplo. Os indicadores de

tendência da mota levantar em trava-

perior da dianteira – o que proporcio-

grande nível de controlo da mota.

mudança de direção compactos em

gem. As configurações do sistema de

na um melhor conforto e mais estabi-

A posição de condução é elevada

LED são outra novidade, bem como

anti-bloqueio de travagem eletrónico

lidade em velocidades elevadas. Já a

e permite seguir diversos estilos de

a lâmpada LED para iluminar a chapa

são ajustadas consoante o modo de

entrada de ar entre os faróis diantei-

condução – o que favorece por con-

de matrícula.

condução do KECS que está escolhi-

ros permite direcionar ar fresco ao co-

sequência o desfrutar da condução,

A Kawasaki Versys 1000 SE dispõe de

do.

ckpit mitigando-se assim o efeito da

mas também o conforto essencial

luzes de curva. Consistem num con-

pressão negativa a altas velocidades.

para o turismo. O condutor tem ao

junto de três luzes concebidas para

O CONFORTO EM CIMA DA

O guiador é largo e torna esta Kawa-

seu dispor uma manete do travão de

ajudar a iluminar a estrada em situa-

VERSYS 1000

saki fácil de controlar, sobretudo em

seis posições e uma manete de em-

ção de curva quando é de noite. Cada

Como não podia deixar de ser, a

manobras a baixa velocidade. Encon-

braiagem de cinco posições, podendo

uma das três luzes tem uma direção

Kawasaki Versys 1000 preocupa-se

tra-se posicionado de forma a garan-

desta forma adequar as posições des-

específica fixa e é ativada com base

com o condutor, disponibilizando-lhe

tir uma aderência natural do corpo

tas manetes ao tamanho da sua mão.

no ângulo de inclinação. À medida

uma ampla gama de características

do condutor, cujos cotovelos estarão

Ao nível do assento, elevado, tem

que a mota se inclina, as luzes são ati-

de ergonomia. O para-brisas largo é

ligeiramente

duas opções para a parte da frente. O

vadas por ordem, o que alarga o ca-

dobrados

estando-se

| MOTORCYCLE SPORTS | -85-


KAWASAKI

VERSYS 1000

A Kawasaki Versys surge com iluminação em LED

minho iluminado em curva na direção

O guarda-lamas dianteiro foi revisto,

seguida.

possuindo longos refletores contri-

geração da Kawasaki Versys de 2019.

dois modos de ecrã que permitem os

A pintura da versão SE consiste nas

condutores escolherem a informação

novas Highly Durable Paint e Highly

prioritária que querem ver consoante

Durable Matte Paint (no depósito de

a condução que estão a praticar.

combustível e nas cobertas laterais,

O modelo de série inclui um ecrã

por exemplo). No fundo, estas pintu-

LCD com mostrador negativo (carac-

ras incluem um revestimento especial

teres em branco, fundo em preto),

que permite a certos riscos repara-

juntando-se ao velocímetro digital e

rem-se sozinhos.

ao indicador de mudança engrenada

No que concerne às cores, a Versys

funções como: indicador do nível de

1000 está disponível numa combi-

combustível, medidores de viagem,

nação de branco Pearl Stardust Whi-

consumo de combustível médio e

te com preto Metallic Spark Black; e

atual, mostrador de ângulo de inclina-

noutra entre cor-de-laranja Candy

ção, função de registo de ângulo de

Steel Furnace Orange com preto Me-

inclinação máximo, indicador de con-

tallic Spark Black. Já a Versys 1000 SE

dução económica, entre outros.

surge num esquema verde Emerald

No caso da Versys 1000 SE, o ecrã

Blazed Green/cinzento Pearl Storm

TFT a cores assegura uma visibilida-

Gray; e noutro em preto Metallic Flat

de ainda mais elevada. A cor de fun-

Spark Black com branco Pearl Flat

do pode ser alternada entre branco

Stardust White.

e preto consoante a preferência do condutor, com o brilho a ajustar-se

buindo para o aspeto desportivo além

PAINEL DE INSTRUMENTOS

automaticamente à luz disponível.

DESIGN, ASPETO E CORES

de oferecer maior proteção aos tubos

No cockpit, o condutor dispõe de um

Dois modos de ecrã possibilitam a es-

O depósito de combustível tem ca-

interiores do garfo. Já ao nível do as-

painel de instrumentos novo, de ele-

colha da informação a apresentar. O

pacidade para 21 litros e é um dos

sento, tem uma nova linha de costura

vada tecnologia. O tacómetro de es-

primeiro tipo de ecrã, com o turismo

elementos que contribui para a apa-

que lhe confere uma aparência mais

tilo analógico é complementado por

em mente, é de fácil leitura exibindo

rência da mota. O design da mesma

fina e uma imagem de alta qualidade.

um ecrã LCD totalmente digital ou,

muita informação mas de forma intui-

anuncia-se como emotivo, com um

O silenciador do escape é compacto

no caso da Versys 1000 SE, por um

tiva. Já o segundo tipo é concebido

estilo muito mais fluído com uma li-

e desportivo, o que também tem um

ecrã LCD TFT a cores que permite a

para a condução desportiva, apre-

nha clara de cor que se pode ver facil-

impacto importante no estilo da nova

disposição gráfica da informação. Há

sentando graficamente a informação

mente da dianteira à traseira da mota. A carroçaria tem um design renovado mas mantém uma forte identidade Kawasaki, evoluindo face à geração anterior da Versys. O ‘spoiler’ abaixo dos faróis tem não só uma função, como também um propósito de aparência tornando a mota mais agressiva e desportiva. O sub-quadro do motor é um elemento de estilo completando o quadro traseiro tipo treliça. Além do uso de componentes coloridos, a conceção equilibra o uso do metal e do plástico, com cada parte a refleter a sua funcionalidade.

-86- | MOTORCYCLE SPORTS |


importante – dados das forças G, ace-

trajetória idealizada em curva.

embraiagem. O objetivo é proporcio-

que é manual. Estes modos fazem

lerador e aplicação de força no travão

Como não podia deixar de ser, as

nar uma aceleração sem cortes e uma

a ligação entre o KTRC, o Modo de

são exibidos visualmente e não nume-

novas Versys 1000 e Versys 1000

desaceleração rápida e fácil. Para tal,

Potência (Full Power ou Low Power)

ricamente.

SE vêm equipadas com controlo de

o sistema deteta a atuação sobre o

e o KECS garantindo aos condutores

Entre outras informações, este ecrã

tração – o KTRC, Kawasaki Traction

pedal de mudanças e envia um sinal

terem o controlo de tração, entrega

exibe ainda tempo total, velocidade

Control. Os condutores podem es-

à ECU para cortar a ignição e assim

de potência e comportamento de

média e aviso de gelo. Os botões de

colher entre três modos de interven-

permitir a engrenagem da mudança

suspensão necessário para o tipo de

controlo fazem com que o condutor

ção. No modo 1 é dada prioridade

seguinte sem usar a embraiagem. O

condução em causa.

só tenha de usar facilmente os dedos

à aceleração, enquanto no modo 2

KQS só funciona acima das 2,500 ro-

O controlo de velocidade de cruzei-

para selecionar o que pretende ver

há um equilíbrio entre aceleração e

tações por minuto e é equipamento

ro é equipamento de série nas duas

no ecrã. O painel de instrumentos

segurança maior do condutor. Já o

opcional para a Versys 1000.

Versys 1000 de 2019 e possibilita

da Versys 1000 SE está ainda dotado

modo 3 favorece a segurança ao fa-

O condutor tem também ao dispor

ao condutor viajar a uma velocidade

dos modos de condução integrados e

cilitar uma condução suave em pisos

os modos de condução integrados

estabelecida automaticamente, sem

de conectividade com os smartpho-

escorregadios. Há também a pos-

no caso da Kawasaki Versys 1000

a necessidade de aplicar constante-

nes.

sibilidade de desligar o sistema por

SE. São eles: Sport, que permitem o

mente a aceleração. Assim, é reduzi-

completo.

desfrutar da pilotagem desportiva;

do o cansaço nas viagens mais longas

AMPLA GAMA DE AJUDAS DE

O KQS – Kawasaki Quick Shifter é ex-

Road, que favorece o conforto em di-

e a condução ganha maior conforto.

ELETRÓNICA

clusivo da SE, permitindo que o con-

versas situações; e Rain em que é in-

Outro exclusivo da Versys 1000 SE

Além dos já referidos sistemas de

dutor faça passagens de caixa (para

crementada a segurança ao conduzir

é a conectividade aos smartphones

suspensão KECS e KIBS, a Kawasaki

cima e para baixo) sem o recurso à

em pisos molhados. Há ainda o Rider,

através da Rideology The App. Via

Versys surge com diversas ajudas ao

Bluetooth, é possível ligar o smar-

nível da eletrónica. O KCMF – Kawa-

tphone à mota acedendo a funções

saki Cornering Management Func-

como informação da mota, registo de

tion – monitoriza os parâmetros do

condução, avisos do telemóvel que

motor e do chassis durante a curva e

são exibidos no painel de instrumen-

modula a força de travagem e a po-

tos, configurações gerais do painel de

tência do motor de maneira a facilitar

instrumentos ou mesmo da própria

a transição entre aceleração e trava-

mota.

gem, e o inverso. Além disso, ajuda os condutores a traçarem a trajetória

ACESSÓRIOS

pretendida na curva.

O cliente das novas Kawasaki Versys

Quanto à Bosch IMU (Unidade de

1000 tem um vasto leque de acessó-

Medição Inercial) oferece uma pre-

rios ao seu dispor. Além da top case e

cisão acrescentada. O seu feedback

das malas, há luzes de nevoeiro LED,

permite não só uma gestão mais pre-

coberturas protetoras das mãos,

cisa como também permite o KIBS

aquecedores dos punhos ou um dis-

incorporar uma função adicional. A

positivo de proteção adicional ao ra-

gestão de travagem em curva apoia

diador que o protege mais das pedras

os pilotos na tarefa de seguirem a

ou detritos da estrada.

| MOTORCYCLE SPORTS | -87-


KAWASAKI

VERSYS 1000

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS KAWASAKI VERSYS 1000

Capacidade do depósito de combustível: 21 litros

Quadro: Em alumínio

Suspensão traseira: Braço oscilante horizontal Back-link (com controlo KECS na Versys 1000 SE)

Travão traseiro: Disco único tipo pétala, pinça de pistão único

-88- | MOTORCYCLE SPORTS |

Caixa: Seis velocidades


Preço de Venda ao Público em Portugal: 14.195 euros/17.995 euros na edição SE

Suspensão dianteira: Garfo telescópico invertido (com controlo KECS na Versys 1000 SE)

Motor: Quatro tempos, quatro cilindros, 1.043cc Potência máxima: 116cv às 8.900 rotações por minuto Binário máximo: 102 Nm às 7.300 rotações por minuto

Travão dianteiro: Dois discos tipo pétala semi-flutuantes, duas pinças radiais monobloco e quatro pistões opostos

| MOTORCYCLE SPORTS | -89-


Moto-Technology Custom

CAFÉ RACERS & CUSTOM BIKES

O ‘Falcão da noite’ da polaca Moto-Technology -90- | MOTORCYCLE SPORTS |

A oficina polaca Moto-Technology Custom embarcou no desafio de transformar uma Honda CBX 650 numa café racer. Assim nasceu a Nighthawk que lhe vamos apresentar. Da Polónia chega a Honda CBX 650 Nighthawk, trabalho da Moto-Technology Custom. Partindo de um modelo fabricado em 1983, procurou responder ao desafio de transformar uma CBC 650 numa café racer: ‘Gostamos de novos desafios e com alguma imaginação conseguimos um resultado final muito interessante’, sustenta a oficina responsável. Segundo nos explicou Łukasz Brewus, da Moto-Technology, a condição


Moto-Technology Custom

da mota de base era boa do ponto de vista técnico e estético, mas a oficina não deixou de desmontar todos os componentes, descartando todos os elementos do quadro que considerou desnecessários. A suspensão dianteira com garfo invertido foi montada com uma roda de 17 polegadas que rebaixou consideravelmente a mota. O balancim traseiro original manteve-se, tal como outros componentes Moto-Technology Custom

que foram pintados em preto semi-mate. O volante é uma unidade desportiva clip-on, sendo que há uma nova embraiagem eletrónica e bombas de travão frontais igualmente novas. A eletrónica é controlada através de um interruptor contemporâneo original da Honda. O espelho é da Highsider e o farol dianteiro foi montado no quadro. A criação do assento com um depósito bem integrado na linha do original foi o maior desafio da conceção da Honda CBX 650 Nighthawk, revela a Moto-Technology. A bateria de iões de lítio e outros componentes eletrónicos estão alojados no assento. Em termos de cores, a mota é essencialmente negra, mas o depósito tem um tom cinzento escuro metálico que marca o contraste. Na sua parte

@ Koelnmesse GmbH / Dirk Behlau

lateral possui o logótipo da oficina responsável pelo projeto.

A Yamaha XV950R (quase) transformada numa mota de drag, by Marcus Walz Marcus Walz é um conceituado autor de custom bikes da Alemanha, tendo a assinatura de diversos projetos arrojados – como a conversão de uma Ducati Scrambler para uma café racer. Um desses trabalhos envolveu uma Yamaha XV950R transformada numa mota ao estilo drag que mereceu amplo destaque na Intermot do ano passado. Do modelo original, pouco resta. O depósito foi construído à mão a partir de aço e a secção traseira concebida a partir de uma única peça de alumínio foi completamente redesenhada de modo a corresponder ao estilo drag. O escape em titânio é da SC-Project e conta com um silenciador original do Mundial de Superbike, contribuindo não só para o som como também para o baixo peso. Os amortecedores traseiros são específicos para este

@ Koelnmesse GmbH / Dirk Behlau

modelo, com a assinatura da Touratech Suspension, ao passo que o garfo é

Um capacete foi especialmente desenhado para condizer com a moto.

da Wilbers. O motor não deixou de ser objeto de atenção, passando a debitar 70cv de potência (o modelo original da Yamaha XV950R fica-se pelos 60cv). A unidade V2 tem 942cc de cilindrada e está associada a uma caixa de seis velocidades. As rodas contam com jantes OZ-Racing Ultraleggera em magnésio pintadas a preto, nas medidas de 19 polegadas à frente e 16 polegadas atrás. Ao nível da decoração, destaque para o número 2 na parte lateral do assento e para a cor dourada do depósito – de resto, há um capacete condizente desenhado por Danny Schramm.

| MOTORCYCLE SPORTS | -91-


CAFÉ RACERS & CUSTOM BIKES

Suzuki SV650X com novidades para 2019 garfo telescópico e na traseira um amortecedor único. Os travões são Tokico de dois discos e duas pinças de quatro pistões à frente; e de disco único e pinça de um pistão atrás – em ambos os casos o ABS vem de série. O depósito de combustível tem capacidade para 14,5 litros. Os seus painéis laterais imitam a aparência de meia carenagem e ligam o estilo da carroçaria da parte dianteira até à secção traseira. Já o assento castanho tem um acabamento semelhante a couro. Na parte frontal, há um farol integrado e estilizado de forma a obter a aparência de uma café racer, bem como o guiador que em conjunto com o posicionamento do assento cria uma postura de condução desportiva e ideal para ter a qualquer velocidade. Para facilitar a tarefa do condutor, o Easy Start System intervém no arranque da mota. Ao nível da iluminação, além do estilo já mencionado do farol dianteiro, destaque para a luz traseira e de travão em LED, bem como para os indicadores de mudança de direção em cor âmbar. A Suzuki SV650X vem com uma decoração que conjuga o preto, o branco e ainda uma linha em vermelho na área do depósito e acima do farol dianteiro, com o assento em castanho escuro.

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS A Suzuki SV650X chega a 2019 com algumas alterações, tendo o aspeto de uma café racer. Segundo a marca, o modelo junta ‘a potência e a agilidade com a aparência clássica de café racer’, estando apta para o trânsito citadino e estradas rurais. A moto vem equipada com um motor quatro tempos de dois cilindros com 645cc, ao qual está associada uma embraiagem húmida multi-disco e uma caixa de seis velocidades. Graças ao Engine Control Module (ECM), há uma gestão do motor e configurações melhoradas que resultam numa melhor economia de combustível e numa resposta linear do acelerador. O sistema de escape é do tipo 2-em-1, com silenciador em aço inoxidável. O quadro é do tipo treliça em aço tubular, contribuindo para o baixo peso da Suzuki SV650X. Ao nível de suspensão, na dianteira há um -92- | MOTORCYCLE SPORTS |

Motor: Quatro tempos, 645cc Transmissão: Caixa de seis velocidades Suspensão dianteira: Garfo telescópico Suspensão traseira: Amortecedor único do tipo Link Travão dianteiro: Disco duplo, pinças duplas de quatro pistões, com ABS Travão traseiro: Disco único, pinça única de um pistão, com ABS Capacidade do depósito de combustível: 14,5 litros Altura do assento: 790 milímetros


Jimmy Dressel/Kaspeed Moto

Honda CB SevenFifty Limited Series, a café racer muito limitada da Kaspeed Moto

Jimmy Dressel/Kaspeed Moto

A partir de uma Honda CB750, a alemã Kaspeed Moto concebeu uma custom bike de que vai construir até dez unidades – a Honda CB SevenFifty Limited Series. A Kaspeed Moto já mereceu destaque numa das edições da revista Motorcycle Sports e volta a merecê-lo nesta. Agora, apresentamos-lhe a Honda CB SevenFifty Limited Series, uma café racer personalizada de aspeto moderno mas também com elementos clássicos e simples. Trata-se de um modelo de produção limitada a um máximo de dez unidades. As duas primeiras deverão ser entregues este mês aos clientes. Segundo o fabricante, precisamente por ser para produzir mais do que uma unidade, a secção traseira foi desenhada com recurso a software de desenho assistido por computador (CAD), tendo sido feito moldes laminados de plástico com fibras reforçadas de carbono-kevlar. Toda a mota foi

Jimmy Dressel/Kaspeed Moto

concebida por forma a ser mais reproduzível do que uma custom bike habitual que consiste apenas numa única unidade. Esta CB SevenFifty Limited Series que se apresenta nas imagens é o protótipo da Kaspeed Moto. A escolha da Honda CB750 como mota de base teve em conta o facto de não existir qualquer personalização totalmente profissional baseada naquele modelo. Começou-se por construir um protótipo e uma segunda carroçaria para efeitos de exibição. A estreia do protótipo foi em setembro do ano passado no Glemseck 101 September no stand oficial da Honda, com a mota a competir também no sprint Café Racer. Os amortecedores são da Öhlins, os escapes LeoVince, os indicadores vêm da Kellermann, os pneus são Metzeler, os filtros da DNA – todos parceiros para a construção do protótipo. Entrando em alguns pormenores acerca desta Honda CB SevenFifty Limited Series, há que referir que tem duas variantes – Heritage e Racer. A versão mais acessível é a Heritage, com um preço de 13.900 euros. Esta é uma mota completamente construída à mão, com assento único personalizado, quadro limpo, bateria de iões de lítio, farol dianteiro em LED, mini-indicadores e luz traseira Kellermann. Também surge com ignição digital RFID Motogadget m-Lock, sendo o velocímetro um Daytona Velona. O guarda-lamas dianteiro é fabricado em alumínio. A Honda CB SevenFifity Limited Series Racer não se fica por aqui. Com um custo a partir dos 15.900 euros, possui um garfo dianteiro invertido, travões modernos e potentes, e amortecedores traseiros Öhlins Road & Track. Em qualquer das versões, as bases são motas de 1996 a 2001 e 2018, com cerca de 75cv de potência. Incluído no conjunto estão, entre outros, mota doadora, serviço de motor e pintura, uma nova cor única da escolha do cliente. Legal em grande parte dos países, entre o pedido no site da oficina e a construção o tempo de espera ronda três a cinco meses. E apesar de a Kaspeed Moto ser alemã, faz envios para todo o mundo.

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS Mota genuinamente construída à mão Depósito de combustível adaptado e alongado Assento personalizado em couro genuíno Quadro limpo, triângulo do quadro aberto Pintura personalizada segundo as especificações do proprietário Jantes pintadas em cor de bronze Motor pintado a preto mate e prateado Eixo de direção Cognito Moto Garfo dianteiro USD Amortecedores traseiros Öhlins Ignição digital RFID Motogadget | MOTORCYCLE SPORTS | -93-


Alban Jaunay

CAFÉ RACERS & CUSTOM BIKES

Zumax, o primeiro projeto de personalização da Banb Motorcycles aspeto de competição, agressivo e puro, o que envolveu naturalmente

Zumax, baseada numa Suzuki GSX 750 Inazuma. É uma oficina baseada

grandes mudanças face à base.

em Marselha, França. O seu responsável nasceu em Le Mans e desde

Desde logo, o depósito de combustível vem de uma Suzuki GS 1000 e foi

cedo foi fã do MotoGP e das 24 Horas – o que lhe serviu de inspiração

adaptado ao quadro da GSX 750 Inazuma, sendo depois limpo e reves-

para criar este modelo personalizado único.

tido com resina por dentro. Já a parte exterior foi lixada e revestida, por

No modelo base, datado de 1999, o responsável da Banb Motorcycles

forma a ficar à vista o aço. A adaptação do depósito foi chave em todo o

viu uma mota ideal para ‘criar uma interpretação das Superbike dos Es-

projeto, com a troca para um componente oriundo de uma GS 1000 a ter

tados Unidos dos anos 1980’. Assim, procurou conferir à máquina um

o intuito de tornar a Zumax mais elegante.

Alban Jaunay

A Banb Motorcycles estreou-se nos seus projetos de custom bikes com a

O refrigerador de óleo da Setrab está na dianteira da mota, tal como algumas das Superbike às quais o autor do projeto foi buscar a sua inspiração. O farol dianteiro tem a particularidade de não estar numa posição central – devido à presença do refrigerador do óleo – mas sim na parte direita vendo a mota de frente. Consiste em duas pequenas luzes lenticulares. Ao nível do painel de instrumentos há um tacómetro simples da Koso, que substituiu o conjunto original. Parte dos cabos foram alojados sob o depósito de combustível. Já o guiador largo e baixo é da LSL. O sub-quadro da mota foi cortado, com a traseira a receber carenagens laterais de uma Kawasaki Z750 de 1982. O assento original foi alterado para passar a ser apenas para o condutor. Já as luzes traseiras de pequenas dimensões estão integradas na carenagem traseira. Já o silenciador do escape é da Yoshimura R&D.

-94- | MOTORCYCLE SPORTS |


O ‘touro pombo’ da Heiwa Motorcycles Já na terceira edição explorámos um modelo personalizado da Heiwa Motorcycles e agora apresentamos-lhe outro. Desta feita, trata-se da Bull Pigeon, baseada numa Harley-Davidson FX de 1978, com o projeto a cargo de Kengo Kimura – com quem o Motorcycle Sports falou em busca de mais informações sobre o modelo custom. Manteve-se o motor original de 1.200cc, sendo o carburador da S&S. Os pistões são novos, enquanto o air cleaner e os tubos de escape foram trabalhados em específico para a Bull Pigeon. A caixa de velocidades manual é igualmente da mota que serviu de base para a personalização. Ao nível do quadro, Kengo Kimura pegou no original de 1978 e colocou um novo braço oscilante, alisando também vários sítios além de trabalhar ao nível do assento que passa a ser apenas para o condutor. A pintura em azul turquesa ficou a cargo da Six Shooter. O sistema de óleo, depósito de combustível e depósito de óleo também foram trabalhados para esta

um tacómetro analógico muito simples.

mota.

O garfo dianteiro é uma unidade Showa, sendo o amortecedor traseiro

O guiador é em aço inoxidável e os punhos do tipo AMAL, ao passo que

da MDI. A roda dianteira em alumínio tem as medidas de 19 polegadas e

o farol dianteiro é da Lucas Lens. Já a luz traseira é original da Heia MC.

recebe pneus Allstate Tires. Também na parte posterior há uma roda em

De referir que o condutor encontra punhos simples, apenas com os con-

alumínio, mas com 18 polegadas e pneus das mesmas medidas Allstate

trolos necessários, enquanto o painel de instrumentos é constituído por

Tires.

| MOTORCYCLE SPORTS | -95-


CAFÉ RACERS & CUSTOM BIKES

The Outrun, um ‘regresso ao futuro’ da portuguesa Ton-up Garage De Portugal e da Ton-up Garage chega a The Outrun, um projeto Yard Built com base numa Yamaha XSR700. Segundo um comunicado da Yamaha, a mota tem o design ‘inspirado em sons sintéticos e sonhos de néon’, deixando evidente a versatilidade da gama Sport Heritage do Andrea Pugiotto

construtor de Iwata. A inspiração da Ton-up Garage baseou-se no conceito da mentalidade da década de 1980, em que se pensava como seria o futuro, um pouco à imagem do filme ‘Tron’ que chegou aos cinemas precisamente nos anos 80.

o uso em via pública.

A carenagem foi fabricada à mão consistindo em polígonos de alumínio

Refira-se que a Outrun da Ton-up Garage foi apresentada na Wheels and

soldados com um acabamento em escovado e uma camada de verniz

Waves do ano passado como uma das seis XSR700 do projeto Yard Built

transparentes. Também à mão foram concebidos o escape em aço inoxi-

sob o tema ‘Regresso ao futuro’. Foi distinguida na categoria respetiva da

dável e as jantes ‘calçadas’ com pneus de competição homologados para

competição Punk’s Peak.

Eastern Spirit transformou uma Honda CX500 de 1978 nesta café racer Chega da Polónia e da Eastern Spirit Garage esta Honda CX500, uma café racer. O modelo de base data de 1978 e sofreu múltiplas alterações Mateusz Stankiewicz

para se chegar à personalização que promete ‘deixar água na boca’ aos nossos leitores. A suspensão foi endurecida com novas molas e óleos, escreve o site bikeexif.com. Sylwester, um dos responsáveis da Eastern Spirit, explicou: ‘Com o centro de gravidade melhorado é manobrada de melhor forma e descreve as curvas muito mais rapidamente’. Na dianteira há grampos triplos novos e um painel de instrumentos

A embraiagem e os travões são novos, tal como os cabos, e o motor foi

simples com dois mostradores compactos entre os grampos triplos. O

totalmente renovado mas mantendo-se uma unidade com cilindros em V.

depósito foi trabalhado e tem uma forma distinta face à que tinha ori-

As ponteiras de escape foram estilizadas para esta Honda CX500 assina-

ginalmente, enquanto o quadro traseiro é totalmente novo. O assento é

da pela Eastern Spirit. Quanto às cores, a decoração junta o preto domi-

apenas para condutor, mas pode ser facilmente adaptado para levar um

nante com o branco na faixa longa que percorre o topo da carenagem do

passageiro.

depósito de combustível até à extremidade traseira e também no quadro.

-96- | MOTORCYCLE SPORTS |


‘Jones’, a café racer da Seattle Used Bikes baseada na Honda CB450K7 trocados, sendo praticamente todas as juntas de origem genuína da Honda – a exceção é a cobertura do gerador. A ignição é eletrónica da

Seattle Used Bikes

Pamco. As molas do garfo dianteiro foram substituídas pelos de uma Honda CB750 de 1972, havendo também novas pastilhas de travão dianteiro. A estrutura que alberga o farol dianteiro é mais nova do que no modelo original mas também da Honda, sendo de destacar também os novos sinais indicadores de mudança de direção e a luz traseira réplica de um A Seattle Used Bikes, dos Estados Unidos, restaurou por completo uma

Lucas. O escape segue o estilo TT – o que também levou a incluir ped-

Honda CB450K7 em 2015, que recebeu do seu criador o nome ‘Jones’.

aleiras CL450. O braço oscilante recebeu buchas em bronze.

Com o espírito de café racer no seu design, conta com várias novidades

Ao nível do painel de instrumentos, salta à vista a simplicidade de um

face ao modelo que serviu de base, das quais lhe passamos a dar conta

conta-quilómetros e de um conta-rotações circulares analógicos, com

de seguida.

três indicadores de luzes no meio. Ao nível da decoração, predominam

O motor foi reconstruído e passou a ter 484cc de cilindrada. Todos os

tons de preto, com o logótipo Ace Café London abaixo do emblema da

componentes que o fabricante decidiu que era necessário trocar, foram

Honda no depósito.

A premiada Yamaha Café Racer PP2 de Phil Price O objetivo foi obter uma mota mais desportiva do que um projeto anterior baseado numa Virago, pelo que o depósito de combustível e o assento foram reposicionados com o intuito de ficarem com um aspeto mais agressivo. Segundo Phil Price, foi especialmente complicado garantir um aspeto que parecesse correto de todos os ângulos. A parte dianteira completa surge de uma Honda CBR600 FV, sendo o subquadro uma unidade personalizada propositadamente fabricada para a Café Racer PP2 – tal como o estofo do banco e os escapes, por exemPhil Price tem como um dos seus trabalhos a Café Racer PP2, uma mota

plo. O amortecedor traseiro é da Hagon Rear, enquanto os comutadores

personalizada a partir de uma Yamaha XV750 Virago Midnight Special de

provêm de uma Honda CBR 600 F3. Os cubos de roda foram concebi-

1981. Mas esta não é só mais uma mota personalizada – foi premiada,

dos para este trabalho de forma a encaixarem-se numa roda traseira da

em 2017, no Ultimate Ace Build, que se realiza no evento britânico Mo-

XV 750 de 1982 modificada para ser colocada na dianteira.

torcycle Live anualmente.

O condutor tem à disposição um ecrã multi-funções Koso. Quanto à

De acordo com o site do certame, a escolha do modelo para ser a base

iluminação, o farol é uma unidade Lucas cromada, com os indicadores

do projeto foi devido ao aspeto do seu motor de dois cilindros em V e

de mudança de direção dianteiros da Koso a serem em LED tal como a

da sua integração com o quadro. Foi o próprio Phil Price que construiu

luz de travão/traseira da Radianz. A bateria de lítio está colocada sob o

os componentes personalizados na mota, fazendo uso da experiência

assento. Em termos de cores, salta à vista o amarelo que cobre a maior

que tem como técnico de oficina. Só não fez na sua oficina a pintura e

parte do depósito e a extremidade traseira. É também conjugado com o

a maquinação.

preto e com linhas em branco. | MOTORCYCLE SPORTS | -97-


CAFÉ RACERS & CUSTOM BIKES

Custom Works Zon trabalhou com a BMW numa custom bike galardoada A Custom Works Zon de Yuchi Yoshizawa e Yoshikazu Ueda é uma premiada oficina que se dedica à personalização de motas no Japão. Um dos seus mais recentes trabalhos tem por base o protótipo de um novo motor Boxer da BMW Motorrad. O resultado, esse, passamos a apresentá-lo em traços gerais, podendo também vê-lo na imagem. A silhueta baixa da mota tem por inspiração os modelos recordistas de velocidade de Ernst Henne nas décadas 1920 e 1930. As rodas em alumínio têm dimensões consideráveis – 21 polegadas à frente e 26 pole-

do quadro pintados em preto. De referir a posição do escape, com o tubo

gadas à frente, mas estão ‘calçadas’ com pneus relativamente estreitos.

a não chegar à parte traseira da mota.

O garfo também é em alumínio, enquanto o braço oscilante consiste em

De referir que esta BMW concebida em colaboração entre a Custom

alumínio estando ligado ao quadro tubular através de uma suspensão

Works Zon e a BMW Motorrad é premiada, tendo sido galardoada no

escondida. O próprio quadro foi construído pela Zon e alberga o motor

Hot Rod Custom Show de 2018 com o prémio Best of Show Motorcycle.

de grande volume. O depósito de combustível e a unidade de assento em

Yuichi Yoshizawa, da Custom Works Zon, afirmou: ‘Foi uma grande honra

metal foram construídas à mão a partir de uma folha daquele material.

e um desafio poder construir uma mota em torno do protótipo do tão es-

A cor acinzentada do metal domina esta mota, que tem vários elementos

petacular novo motor box, para um dos construtores com mais tradição’.

Rápido 48 by XTR, uma autêntica clássica da XTR Pepo Surge de Espanha, mais concretamente da XTR Pepo, de Pepo Rosell uma café racer personalizada de aspeto que consideraríamos vincadamente clássico marcando a diferença pelo tratamento ao nível de personalização e decoração que lhe foi dado. Em causa está a Rápido 48 by XTR. Sergio Cardeña

O projeto iniciou-se a partir de uma Ducati 48 TS de 1963, à qual foi modificado o quadro, sendo o depósito de combustível do fabricante. O assento para uma só pessoa vem de uma Derbi RAN, mas sofreu algumas modificações face ao original, enquanto os estofos ficaram a cargo da própria XTR. A roda dianteira é de uma Bultaco Mercurio e a travagem é assegurada

suspensões, bem como as partes laterais do depósito de combustível. O

por um travão de tambor igualmente da Bultaco. Já os punhos são da Go-

restante do depósito é preto (com contorno em dourado a rodear o azul)

nelli e o guiador é de uma Ducati 48. Quanto ao escape, de competição,

e a extremidade traseira é também em preto. Destaque para as grandes

provém de uma Yamaha RD 80.

placas com o número 55 na parte lateral abaixo do assento e na dianteira

A pintura esteve a cargo da Artenruta, que pintou de azul todo o quadro e

que não tem farol.

-98- | MOTORCYCLE SPORTS |


PEUGEOT A PARTIR DE:

A MELHOR FORMA DE FUGIR AO QUOTIDIANO, EM GRANDE ESTILO!

* € 0 0 , 2.299

MOTION & EMOTION A Peugeot Django transmite-lhe imediatamente a vontade de realizar uma viagem pelo litoral ou de organizar um delicioso piquenique na floresta. Tenha a liberdade para escapar ao quotidiano. Inspirando-se nas linhas requintadas do clássico modelo S57C, a Peugeot Motocycles conseguiu criar a vintage moderna. * Preço de venda ao público recomendado para o modelo Django 50 4T. Inclui IVA e acrescem despesas de legalização e transporte. Versão 125 cc a partir de 2.999,00€. As imagens/cores apresentadas nesta página podem não corresponder à realidade.

peugeotscooters.pt | MOTORCYCLE SPORTS | -99-


BMW Motorrad

-100- | MOTORCYCLE SPORTS |

Profile for MotorcycleSports

Três Rondas, Três vencedores  

Três Rondas, Três vencedores