Issuu on Google+

01


02


Editorial Expediente

Revista Belleza Total Ano 1 | nº 5 setembro/outubro

Editor

Cláudio Roberto Gonçalves

Jornalista Responsável

Ana Maria de Jesus - DRTPR 5316

Comercial Kelly Lima

Projeto Gráfico e Diagramação Ricardo Mota Jurça

Capa

Naideron Jr.

Tiragem

20 mil exemplares

Nesta edição a revista Belleza Total traz inúmeras matérias de diferentes conteúdos para que você se mantenha sempre informado. Na matéria de capa tem uma entrevista com Vavá e Márcio, de Os Gêmeos do Pagode. A dupla fala sobre a carreira, do carinho que recebem dos fãs por onde passam e das confusões que as pessoas fazem devido a grande semelhança entre eles. A matéria sobre violência doméstica mostra que apesar das inúmeras conquistas, muitas mulheres ainda apanham de seus companheiros. A agressão contra a mulher no Brasil é considerada uma das maiores do mundo. Para mudar este quadro, é preciso consciência e determinação para que a denúncia aconteça sempre que houver a agressão, seja ela física ou psicológica. Para você que possui interesse em adotar, precisa ficar atento nas mudanças que ocorreram na lei de adoção. As alterações foram feitas com o objetivo de tornar o processo mais ágil. A idade mínima para o adotante foi reduzida de 21 para 18 anos. O povo brasileiro é muito solidário e faz tudo o que estiver ao seu alcance para que o próximo seja feliz. A prova disso é a matéria que fala sobre o aumento de transplantes de órgãos no país. No primeiro semestre de 2010, o número de doadores efetivos de órgãos cresceu 17%. Confira também na editoria “Fique por Dentro” a entrega da TV LCD 32” à vencedora da promoção Está é a Minha História.

Impressão Posigraf

Boa leitura e até a próxima edição

Distribuição Gratuita Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores, não refletindo necessariamente a opinião da revista. Envie sua sugestão ou crítica para o e-mail:

redacao@bellezatotal.com.br www.bellezatotal.com.br

Cláudio Roberto Gonçalves Editor da Revista Belleza Total Diretor de negócios/Franchising Rede farmatotal/Mastermais

twitter @revbellezatotal

Telefone para contato: 41 3383-6168

03


10 06

Casamento Longo e Feliz

Os Gêmeos do Pagode 11 - Solidariedade - voluntariado que salva vidas 12 - Bonsai 13 - Autoestima 18 - Mioma uterino 20 - Estria e gordura localizada 21 - Belleza 22 - Modelos Plus Size 23 - Aposentado 28 - Fique por dentro

14 Museus

30 - Punição sem educação 31 - Hábitos de inverno 32 - Objetos de desejo


24

Violência Doméstica no Brasil

36

Lei da Adoção 34 - Ataques cardíacos 35 - Transplante de órgãos 38 - Cirurgia bariátrica 39 - Feira de artesanato 42 - Cuidados com higiene 44 - Salto Alto 45 - Alvaro e Daniel 46 - Emprego 47 - Lei da palmada 48 - Para cada sintoma, um médico diferente 50 - Rejuvenecimento facil

40 Maceió


Os Gêmeos

do Pagode

Fotos: Naideron Jr. Os irmãos Vavá e Márcio sempre quiseram trabalhar juntos, mas por um motivo ou outro acabavam adiando o sonho. Eis que chegou o momento da parceria acontecer. Em entrevista à revista Belleza Total, os gêmeos falam dessa nova fase profissional e do carinho do público.

Vavá começou a carreira em 1997, como vocalista do grupo Karametade. No primeiro trabalho o grupo ganhou o disco de platina, com a venda de 270 mil cópias. Após quatro anos no grupo, o cantor optou por seguir a carreira solo e o seu primeiro trabalho foi “Tua cara”, e logo ficou como uma das

músicas mais pedidas nas rádios de todo o Brasil. Márcio trabalhou por 15 anos em uma agência bancária, em Santos, antes de iniciar a carreira como cantor no grupo de pagode Desejos, onde ficou por quatro anos. Márcio também foi vocalista do grupo Karametade, onde permaneceu de 2003 a 2007.


Profissionalmente a dupla existe há três anos, mas a harmonia e a descontração entre eles anunciam que a parceria tem vida longa. Segundo Vavá, a união não aconteceu antes devido a contratos com gravadoras diferentes o que dificultava o trabalho em conjunto, mas

08

o momento chegou e estão felizes. Amigos e familiares também torciam pela parceria. “A união aconteceria naturalmente, era só uma questão de tempo. Acredito que tudo aconteça na hora certa e o momento certo chegou”, conta Vavá. Este ano o Vavá foi eleito o pagodeiro mais bonito do Brasil em uma enquete realizada pelo portal R7, da Rede Record. A enquete durou cerca de 15 dias e ele concorreu com o Bruno, do grupo Jeito Moleque, o Belo, Alexandre Pires, Rodriguinho, do grupo Exaltasamba e Netinho de Paula. “Eu fiquei feliz de ter ganhado a enquete, pois mostra o carinho que o público tem por mim”, diz o pagodeiro. Márcio diz que ficou feliz pelo irmão e entrega: “Preciso confessar uma coisa: eu votei no Vavá” brinca, ao confirmar que participou da enquete. Os gêmeos são reconhecidos em todos os lugares que aparecem e possuem fã-clubes espalhados por todo o Brasil. Como todos os gêmeos univitelinos, Vavá e Márcio são muito parecidos e sempre são confundidos. “Às vezes até a minha mãe nos confunde. Imagine as outras pessoas?”, brinca Vavá. Segundo Márcio, muitas vezes as pessoas o cumprimentavam pensando que ele era o Vavá.


Nos anos 90, no início da carreira, Márcio tirou fotos para a revista G Magazine. O cantor diz que foi apenas um trabalho e que não se arrepende, mas não tem a intenção de fazer novamente. “Na época em que fiz as fotos estava precisando de dinheiro e a proposta era muito boa”, conta. Márcio explica que devido ao grande sucesso do irmão, já não conseguia mais sair à rua devido a semelhança com Vavá e o dinheiro foi usado para comprar um carro porque não era mais possível andar de ônibus. “Eu não tinha dinheiro para comprar um carro, porque o famoso era ele, mas eu não conseguia ir para lugar nenhum devido ao assédio. Financeiramente foi muito bom”, explica. As fotos da revista coincidiram com o lançamento do cd do grupo Desejos, no qual iniciou a sua carreira, e a publicidade foi bastante positiva. Durante os shows os fãs levavam a revista demonstrando carinho pelo cantor. “No começo eu ficava com vergonha, porque as pessoas levantavam a revista no meio do show. Confesso que ficava constrangido.”, revela. Após os shows, os fãs visitavam o camarim e pediam autógrafos não só nos cds, mas também nas revistas. Para a dupla, fazer show em Curitiba é sempre muito legal. O povo é acolhedor e sempre são recebidos com carinho pela população na cidade. “Curitiba é cidade modelo e o povo está sempre presente nos nossos shows e esse reconhecimento é muito importante para nós”, diz Vavá.

Vai dar namoro A participação no programa aconteceu após o convite do produtor do programa O Melhor do Brasil chamá-los para participarem do

quadro Vai dar Namoro, da Rede Record e, como não estavam namorando na época, resolveram participar. Ao final do programa a dupla saiu namorando, mas devido a agenda corrida os relacionamentos não tiveram êxitos.

09


Casamento longo e feliz

Fotos: Divulgação

10

Muitos relacionamentos chegam ao final após desgastes nas atividades cotidianas do casal. Na maioria das separações, para famosos ou anônimos, os motivos que costumam levar ao fim da promessa de felizes para sempre, geralmente está relacionado a monotonia. De acordo com Sheila Chamecki Rigler, da agência de relacionamentos Par Ideal, o que se quer de um companheiro no começo da vida é diferente do que se busca no fim da vida. Atitudes que não incomodam quando os filhos são pequenos, podem se tornar insuportáveis quando os filhos são adolescentes. Mas é preciso ficar ciente que nunca teremos um parceiro ou uma parceira que reúna todas as características em todas as fases da nossa vida. O fato dos casais não entenderem as diferenças e adaptações necessárias, gera um desgaste natural da relação que acaba com muitos casamentos que poderiam manter a felicidade do início do namoro. Segundo dados de uma pesquisa realizada pela agência com vários casais mostra que 70% das separações são geradas pelo fato do casal pensar de modo diferente, por incompatibilidade de gênios e por não respeitarem as di-

ferenças do outro, 20% por infidelidade e 10% por alcoolismo ou drogas. “O segredo para um casamento duradouro e feliz é ter como base o companheirismo, o respeito, a admiração e superar juntos os problemas do dia a dia”, ensina Sheila. Para a psicóloga Giovana Tessaro, discutir a relação é comum em vida a dois, mas é preciso ficar atento para que a conversa não acabe em discussão. Questões como: o que tem prejudicado a relação; como as coisas eram e como passaram a ser; como tem se sentido em relação ao parceiro devem ser analizadas. E não esqueça que em uma conversa os dois lados precisam falar. Saia da rotina O processo de conquista em um relacionamento nunca deve chegar ao fim. Quanto mais longo é o período da relação, maior a necessidade de reconquistar o companheiro evitando que o casamento fique monótono. Para que a relação não cai na rotina, surpresas agradáveis devem ser feitas. Para Sheila, programas sociais como sair para jantar, viajar um final de semana para a praia ou um hotel fazenda, ir

ao cinema e ao teatro, entre outras opções, devem fazer parte da vida do casal. Para Fernanda Pauliv, do Joanah Pink Centro Integrado da Mulher, outra dica legal para aquecer o relacionamento, é preparar brincadeiras eróticas usando dados, chibatas, entre outros. O cosmético é outra opção bem interessante, que aquecem ou esfriam a pele e são usados em massagens sensuais nas regiões íntimas. “Os produtos são ótimos para usar nas preliminares, pois alternam as sensações termicas em diferentes partes do corpo e causa uma reação prazerosa”, conta Fernanda. Os géis, lubrificantes e cosméticos eróticos podem ser encontrados no Joanah Pink.


Fotos: Apav

Voluntariado que salva vidas Na correria do dia a dia, muitas vezes não percebemos que há pessoas ao nosso redor que precisam da solidariedade de terceiros para ter uma qualidade de vida melhor. Com o passar do tempo, a população se conscientizou que o voluntariado é uma das formas mais eficazes de incluir os menos favorecidos na sociedade. Para a grande maioria, a única forma que conhecem de voluntariado é através da doação de dinheiro, que acontece após alguma instituição entrar em contato, geralmente por telefone. O voluntariado vai além da doação financeira, que é importante, pois ajuda a quitar as despesas da instituição, mas é preciso que a mão de obra voluntária cresça no Brasil. Maria Rita Teixeira é voluntária há 16 anos na Associação Paranaense Alegria de Viver (Apav), mas muito antes já ajudava as instituições de caridade através de doações em dinheiro. De acordo com a voluntária a grande maioria ajuda financeiramente, mas é preciso fazer mais. As instituições vivem de doações e é quase impossível pagar funcionários. “Eu e meu marido sempre ajudamos as instituições que entravam em contato conosco com roupas, alimentos e também financeiramente e é isso o que a maioria das pessoas fazem. Mas é preciso fazer mais do que isso, é preciso doar tempo. Um ou dois dias da semana já é o suficiente”, explica. A fundação onde Maria Rita é voluntária cuida de crianças entre 0 e 18 anos, portadores do vírus HIV que, por variados motivos, não estão incluídas no seio familiar.

A maioria das instituições oferecem cursos profissionalizantes, que são ministrados por voluntários, isso facilita aos beneficiários uma maior facilidade de colocações no mercado de trabalho. Foi-se o tempo em que se acreditava que as instituições de caridade não passavam de puro assistencialismo. A doação de mão de obra não compromete o dia a dia das pessoas, já que a doação pode ser de um dia ou algumas horas semanais. O que para muitos parece pouco tempo, é essencial para as instituições, pois os serviços oferecidos podem mudar o rumo de pessoas que, por circunstâncias adversas, necessitam de apoio. Sem dúvida, o voluntariado é a participação responsável e solidária dos cidadãos.

Maria Rita Teixeira em noite de premiação

11


Bonsai A planta milenar Podas de raízes e transplantes – O bonsai, ao contrário da maioria das plantas, deve ser transplantada periodicamente, já que é natural que as raízes, ao se desenvolverem, preencham o fundo e as laterais do vaso à procura de umidade e ar. Este é o momento de podar as raízes entre 30% e 50% e pode chegar a 70%, dependendo da espécie. Ao fazer a poda, o transplante deve ser feito, usando novo substrato e pode ou não utilizar o mesmo vaso. A periodicidade da poda varia de acordo com a espécie da planta. Plantas jovens requerem transplantes mais periódicos e a época ideal é o início da primavera.

O bonsai é uma pequena árvore cultivada em bandejas ou pedras ornamentais. Apesar de ter sido descoberta pelos chineses em 200 A.C., foram os japoneses que a difundiram mundialmente entre os séculos VI e IX. No Brasil a planta chegou junto com a imigração japonesa entre os séculos XIX e XX, no navio Kasato Maru, em 1908, pelo Porto de Santos. De acordo com Élio Nowacki, da Associação Paranaense de Bonsai (APB), o Brasil ainda engatinha na arte do Bonsai, mas nos últimos 15 anos houve um boom no país que a tornou conhecida em todos os segmentos sócio-culturais. A grande surpresa é o interesse dos jovens na arte. Estima-se que cerca de 80 países cultivem a planta, com destaque para o Japão, que é o maior cultivador da planta. Nowacki lembra que o bonsai é uma arte e conhecer as técnicas adequadas para cultivá-lo é essencial. A planta está em constante evolução, portanto é preciso criála, mantê-la, educá-la, vigiá-la, caso contrário ela perde a forma, a harmonia e a beleza. “Sempre que olhar a planta notará diferenças. Em um dia nasce um broto, em outro uma folha, um botão de flor, um fruto”. O especialista aconselha aos iniciantes que não adotem a postura autoditada, pois podem começar de uma maneira errada e, posteriormente, terá que percorrer todo o caminho de volta, portanto o curso para quem está começando é fundamental. Entre em contato com Associação Paranaense de Bonsai e informe-se sobre cursos ou acesse o site www.obonsai.com.br.

Técnicas para cultivar o Bonsai

12

Saúde da planta – Sol, água, nutrientes e ar são essenciais para o bom cultivo da planta.

Substrato – Um dos itens mais importantes no cultivo do bonsai é o substrato. Se por um lado precisa reter umidade, por outro precisa ter uma excelente drenagem, para que fique úmido e não encharcado. Poda aérea – Existe relação entre a extensão das raízes e a extensão de partes aérea. Portanto, ao podar as raízes é necessário podar a área externa Adubação – Nutrientes são alimentos para a planta. O adubo pode ser químico ou orgânico. O orgânico possui liberação lenta para a planta e normalmente exala mau cheiro. O químico tem liberação imediata, o que pode ser um risco se for aplicado demasiadamente, pois pode intoxicar a planta. O correto é diluir a metade da dose recomendada pelo fabricante, no caso do fertilizante químico. Pragas e doenças - Existe uma variedade muito grande de pragas e doenças que podem atacar o bonsai. As pragas e doenças mais comuns são: pulgão, cochonilha, ácaro, formiga, mosca branca, tripés, oídio, clorose, fumagina, podridão. Para o combate é utilizado produtos químicos e naturais. Para cada caso deve-se consultar um especialista, mas lembre-se, o fator preventivo é o processo mais eficaz.


Pesquisa revela que autoestima

do brasileiro é elevada

Foto: Divulgação O Projeto Brasilidade, realizado em março deste ano pelo instituto República – Opinião dos Brasileiros, analisou a autopercepção do brasileiro após 20 anos de democracia e estabilização econômica no país. De acordo com a pesquisa, 78% dos entrevistados revelam que têm orgulho de ser brasileiro. O “jeitinho brasileiro” que antes era visto com maus olhos, hoje a população já analisa de uma forma diferente, mais positiva, pois o brasileiro está tomando como um sinônimo de adaptação, criatividade, flexibilidade e uma maneira de resolver os problemas com mais alegria e o “complexo de vira-lata” já não reflete na autoestima do brasileiro do século XXI. O três perfis de brasileiros identificados na pesquisa foram: os que lutam pela sobrevivência (38%); os que aspiram pela estabilidade (26%); e os que buscam aprimoramento (36%), mostram a nova base de uma sociedade amadurecida e informada. Ao contrário do que foi defendido por estudiosos no passado, a pesquisa mostra que o Brasil possui uma identidade nacional consolidada, de opiniões coesas entre os diferentes perfis socioeconômicos, que revelam características típicas dos brasileiros.

De acordo com o sociólogo e cientista político Rodrigo Mendes Ribeiro, diretor-geral da República e coordenador da pesquisa, o estudo revela um novo Brasil, com importantes mudanças, que não cabe mais o complexo de vira-lata. O orgulho de ser brasileiro está cada vez maior. Os números mostram que o orgulho de ser brasileiro foi assinalado por 78% dos entrevistados: 57% responderam que “têm sempre orgulho de ser brasileiro”, enquanto 21,4% responderam que “na maior parte do tempo têm orgulho de ser brasileiro”. No comparativo de orgulho entre as Regiões, as populações do Nordeste e Sudeste têm mais orgulho e as do Sul e Norte menos. Quanto menor a escolaridade, maior o orgulho de ser brasileiro Para Ribeiro o principal diferencial da pesquisa é a forma abrangente com que aborda a questão do “ser brasileiro”. Até o momento não havia um estudo com visão abrangente para caracterizar a identidade nacional. A pesquisa revela que o brasileiro se vê como batalhador, com alta capacidade de superação, que mantém a alegria mesmo na adversidade e faz uso do “jeitinho” como um recurso de adaptação social.

13


Ilustrações: Ricardo Jurça

Cultura e conhecimento

14

O museu não é o primeiro lugar a ser lembrado pela maioria da população como opção de lazer. Visitar museus é estar presente em épocas que não se viveu e sentir as emoções contadas através das histórias registradas em objetos e documentos guardadas em um local mágico. A primeira exposição de objetos realizada que se tem notícia foi pelo Papa Pio XI. O acervo era composto de peças religiosas e, até os dias de hoje há relíquias da Igreja Católica expostas em Roma, no museu do Vaticano. O Ministério da Cultura, ciente da importância dos museus para a população, criou o projeto Mais Museus, que beneficia as cidades com mais de 50 mil habitantes e que ainda não possuem museus. Os municípios receberão verbas para a aquisição de equipamentos, mobi-

liários, elaboração de projetos museológicos ou museográficos e restauração ou benfeitorias em imóveis. Cristovam Buarque resume como poucos a importância dos museus: “O museu é o álbum de retrato de um povo. O álbum de retratos guarda as lembranças de uma família, de gerações. Os museus fazem o mesmo, só que em uma escala mais ampla, de um povo inteiro”, Cristovam Buarque. Conheça os museus que Curitiba oferece. Museu Oscar Niemeyer Arquitetado pelo internacionalmente conhecido Oscar Niemeyer, o Museu Oscar Niemayer(MON)foi inaugurado em 2002, está localizado no bairro Centro Cívico, Bosque do Papa e possui mais


O museu é o álbum de retrato de um povo. O álbum de retratos guarda as lembranças de uma família, de gerações. Os museus fazem o mesmo, só que em uma escala mais ampla, de um povo inteiro. Cristovam Buarque

Museu do Expedicionário O Museu do Expedicionário, criado em 1946, ilustra a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial e a participação dos soldados paranaenses. Com farto material histórico como mapas, livros e documentos de época, além de materiais bélicos e armamentos utilizados pela Força Expedicionária Brasileira, pela Força Aérea Brasileira e pela Marinha de Guerra do Brasil. O local é mantido pela Legião Paranaense do Expedicionário. End. Praça do Expedicionário – Alto da XV. Visitas: segunda à sexta das 10h às 12h e das 13h às 17h. Fone: (41)3362-8231.

para todos de 35 mil m2 de área construída. Devido ao anexo semelhante a um olho, logo ganhou o carinhoso apelido de Museu do Olho. O grande olho de concreto e vidro, ao mesmo tempo em que debruça seu olhar de dupla face para a cidade também observa a si mesmo. O acervo inicial surgiu com as obras do Museu de Arte do Paraná e com o acervo do extinto Banestado. Em sua coleção figuram importantes artistas paranaenses e nacionais de vários movimentos. Composto por aproximadamente duas mil peças, o acervo guarda obras dos paranaenses: Alfredo Andersen, Theodoro de Bona, Miguel Bakun, Guido Viaro e Helena Wong, e dos nacionais: Tarsila do Amaral, Cândido Portinari, Oscar Niemeyer entre outros. O MON é um dos lugares obrigatórios para visitar. End. Marechal Hermes e Manoel Eufrásio. Visitas: terça a domingo, das 10h às 18h. Fone: (41) 3350-4412 / 3350-4469.

Bosque Capão da Imbuia O local foi doado à Prefeitura de Curitiba pela família Reginato em 1955. Utilizado como área de lazer, também é uma importante referência científica sobre meio ambiente. Com uma área de 39 mil m2, o bosque abriga imbuias, canelas e pinheiros centenários. Junto ao bosque está o Museu de História Natural, onde são desenvolvidas pesquisas em zoologia. No local há animais empalhados como onça, ema e tamanduá. End. Benedito Conceição, 407 – Capão da Imbuia. Visitas: terça a domingo – das 9h às 17h30. Fone: (41) 3366-3133. Museu de Arte Sacra de Curitiba R: Largo Coronel Enéas (Largo da Ordem). Fone: (41) 3322-1525 e 3321-3265. Museu do Perfume O Museu do Perfume, em Curitiba, foi inaugurado em 2004, é o único do gênero no Brasil. O acervo conta a história da indústria do perfume e passa por diferentes mundos. Das antigas civilizações que, além do dia a dia, também utilizava em rituais, passando por aspectos religiosos e regionais, literatura e curiosidades, chegando à industrialização dos perfumes. End. Av. Sete de Setembro, 2275 – Shopping Estação. Visitas: de terça a domingo das 12h30 às 20h30. Fone:(41)2101-9101. Museu Metropolitano de Arte de Curitiba Inaugurado em 1988, o Museu Metropolitano de Arte de Curitiba, o MUMA, como é conhecido, possui um acervo permanente com obras de Pancetti, Guignard, Di Cavalcanti, Djanira, Portinari, Mário

15


Cravo e Burle Max. Integrado ao complexo do Centro Cultural do Portão, também inclui o Teatro Antônio Carlos Kraide, o Cine Guarani, uma biblioteca, a Escola de Circo, um clube de xadrez e obras de arte em vários pontos das instalações. End. Av. República Argentina, 3430 - Portão. Fone: (41) 3314-5065

Museu de Arte Contemporânea Criado através do Decreto 18.477 de 1970, o Museu de Arte Contemporânea foi inaugurado um ano depois na sede provisória na Rua 24 de maio. Em junho de 1974 mudou-se para a sede atual na Rua Desembargador Westphalen. Tombado em 1978 pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do Paraná, o museu possui um acervo com mais de 1.150 obras de artes, que são alternadamente mostrados em exposições temáticas. Um dos eventos mais tradicionais promovido pelo MAC/PR é o Salão Paranaense, o único ininterrupto e o mais antigo do Brasil. End. Des. Westphalen, 16 – Centro. Visitas: de terça a sexta das 14h às 18h. Fone (41) 3222-5172 / 3323-5337 / 3323-5328 Museu Alfredo Andersen End. Mateus Leme, 336 – Centro Fone: (41) 3323-5148 Museu da Farmácia O Museu da Farmácia foi criado em homenagem a Augusto Stellfeld, o primeiro farmacêutico de Curitiba. Stellfeld foi um importante contribuinte com trabalho social durante a Guerra do Paraguai. O acervo pertence a família do farmacêutico e tem como objetivo preservar a memória de como se construiu a história destes profissionais ao longo do tempo. O museu está localizado no Shopping Estação. End.Av. Sete de Setembro, 2775 – Rebouças. Visitas: de terça a domingo das 12h30 às 20h30. Fone: (41) 2101-9205 / 2101-9207.

16

Museu Universitário PUC/PR End: Imaculada Conceição, 1155 – Prado Velho. Fone: (41) 3271-1439

Casa Erbo Stenzel Doada pela família Stenzel à Prefeitura de Curitiba, a Casa Erbo Stenzel foi relocada do bairro São Francisco para o parque São Lourenço em 1997. A casa possui exposição permanente de trabalhos e desenhos do artista. Erbo Stenzel tem obras consagradas, entre elas, o Homem Nu e parte do mural da Praça 19 de Dezembro, no centro de Curitiba. O local abriga obras, réplicas de painéis e monumentos existentes nas praças de Curitiba. End. Mateus Leme, 4700. Visitas: terça a domingo das 9h às 12h e das 14h às 18h. Fone: (41) 3355-2675

Museu Paranaense Fundado em 1876, o Museu Paranaense foi o primeiro no Paraná e o terceiro do país e possui um acervo de mais de 300 peças e documentos. As peças, de origem indígena, são oriundas de várias partes do Brasil. End. Kellers, 289 – São Francisco. Visitas: terça à sexta das 9h30 às 17h30. Sábado e domingo: 11h às 15h. Fone: (41) 3304-3300 Museu de Arte ao Ar Livre End. Travessa Nestor de Castro – perto do setor histórico de Curitiba. Sociedade Garibaldi End. Praça Garibaldi (em frente ao relógio das flores). Fone: (41) 3323-3530 Casa João Turin A Casa João Turin foi criada pela Lei Estadual 1538 e mantém o ateliê do escultor, que preserva o seu acervo e cultua sua memória. Além da exposição permanente, o local promove exposições temporárias de artistas, escultores e projetos de interação museu/escola. A cada dois anos, acontece a Mostra de Escultura João Turin, destinado especialmente aos artistas que trabalham com arte tridimensional. O evento é oficial do Estado do Paraná, promovido pela Secretaria de Cultura e organizada pela Casa João Turin. End. Mateus Leme, 38 – São Francisco. Visitas: segunda a sexta, das 9h às 18h. Sábado e domingo, das 10h às 16h.


Casa da Memória End. São Francisco, 319 Centro. Fone: (41) 3321-3230

Museu Egípcio e Rosacruz O museu proporciona aos seus visitantes uma viagem ao antigo mundo egípcio. No local há réplicas que causam a mesma impressão que as peças originais expostas em diversos museus do mundo. Em seu acervo possui uma múmia de uma dama egípcia, que recebeu o nome de Tothmea. Há espaço destinado a mostras temporárias temáticas, sempre visando os aspectos educativo-culturais. End. Nicarágua, 2641 – Curitiba/PR. Visitas: segunda a sesta das 8h às 12h e das 13h às 17h30. Sábados das 14h30 às 17h. Fone: (41) 3351-3024 Museu da Justiça do Paraná Inaugurado em 10 de dezembro de 1974, o Museu da Justiça do Paraná tem como objetivo preservar e mostrar às gerações futuras a importância histórica e jurídica do Poder Judiciário do Estado do Paraná. O acervo do Museu é composto de documentos dos séculos XVIII e XIX e XX, inventários, testamentos, inquéritos policiais, mobília e objetos relacionados ao Poder Judiciário, livros e códigos judiciários dos séculos XIX e XX. End. Praça Nossa Senhora da Salete, s/n – Centro Cívico. Visitas: segunda a sexta das 8h às 17h. Fone: (41) 3254-8954 / 3252-0309 Museu Botânico Criado em 1965 com a doação do acervo pessoal do botânico Gerdt hatschbadch, o Museu Botânico possui um amplo espaço destinado à exposições, biblioteca e auditório. O museu possui um herbário de 310 mil plantas, com o maior número de gêneros e famílias de plantas no Brasil. End. Engenheiro Ostoja Roguski – Jardim Botânico. Visitas: segunda a sexta das 8h às 12h e das 13h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 8h às 18h. Fone: (41) 3264-7365 / 3362-1800 Museu da Imagem e do Som Conhecido como MIS, o Museu da Imagem e do Som resgata e preserva a memória audiovisual do Paraná. O acervo é composto de discos, fitas de áudio, filmes, vídeos, fotografias e publicações referentes à área de atuação. Nas salas de exposições, realizam-se mostras de artistas nacionais e internacionais de fotografias, multimídia e artes gráficas. O museu possui acervos de livros, revistas, recortes de jornais e revistas, catálogos, entre outros, com informações sobre música, cinema, vídeo, fotografia, rádio e televisão. End. Máximo João Koop, 274, bloco 04 – Santa Cândida. Visitas: segunda a sexta, das 12h30 às 17h30. Fone: (41) 3351-6682 / 3351-6683

Solar do Barão O Centro Cultural Solar do Barão, instalado no casarão onde morou o Barão do Serro Azul, abriga também o Museu da Fotografia, o Museu da Gravura, o Museu do Cartaz, o Centro de Pesquisa Guido Viaro, Sala Scabi, Sala Gilda Belczak, ateliês de xilogravuras, litogravura, serigrafia e dispõem de espaço para abrigar exposições. Ali também está instalada a primeira Gibiteca do Brasil. O local já foi sede do exército e residência da baronesa Maria José Correia e seus filhos. Concluído em 1983, atualmente o Solar está vinculado à Fundação Cultural de Curitiba. O Solar do Barão oferece cursos de artes e ensaios da Camerata Antiqua, da Orquestra de Harmônicas e do Coral de Curitiba. End. Pres. Carlos Cavalcanti, 533. Visitas: terça a sexta das 9h às 12h e das 13h às 18h. Sábado e domingo das 12h às 18h. Fone: (41) 3322-3367 / 3321-3367

Museu Ferroviário de Curitiba O Museu Ferroviário de Curitiba está na antiga estação ferroviária da cidade e o seu acervo preserva a memória ferroviária. Com peças históricas, suas instalações reproduzem o antigo funcionamento da estação. Parte da arquitetura, a mobília e as peças resgatam a memória ferroviária. O Museu conta a história das ferrovias no Estado, que teve seu início em 1885. Com mais de 600 peças, o acervo possui itens como o livro utilizado para a contabilidade da antiga Estação, relógios, telefones e telégrafos, além dos objetos que ficavam no interior dos trens, como: bagageiros, fechaduras e luminárias da época. Até a réplica de uma locomotiva a vapor tem no local. End. Av. Sete de Setembro, 2775. Visitas: terça a domingo das 12h30 às 20h30. Fone: (41) 2101-9202 Museu da Arte da Federal End. Praça Santos Andrade, 695. Fone: (41) 3310-2603 /3310-2832

17


Mioma uterino

18

O mioma uterino é a degeneração das células do útero que faz com que elas cresçam além do esperado formando um nódulo endurecido. Os miomas são tumores benignos. Em algumas situações, as mulheres com a doença podem apresentar dificuldades para engravidar. Para o médico Leandro Costa de Matos, coordenador do serviço de ginecologia e obstetrícia do Hospital Balbino, RJ, a mulher deve estar sempre atenta à sua saúde e não esquecer que o melhor tratamento é sempre a prevenção. Dr. Matos esclarece que, além da dificuldade para engravidar, fetos de mulheres com a doença podem sofrer abortos ou nascerem prematuramente. Mulheres em idade reprodutiva, vítimas de mioma uterino, podem contar com uma alternativa efetiva de tratamento menos invasivo, que não requer a retirada do útero, órgão símbolo de fertilidade, maternidade e feminilidade. Trata-se da embolização uterina, procedimento minimamente invasivo, que dura, aproximadamente, uma hora, sendo uma técnica não cirúrgica.

Segundo o médico Alexander Ramajo Corvello, coordenador do serviço de radiologia intervencionista do Hospital Santa Cruz, Curitiba, a doença não apresenta grupo de risco, mas atinge mulheres em idade fértil de 20 aos 45 anos. “O importante é ressaltar que quando bem indicada, a embolização uterina pode devolver a qualidade de vida aos pacientes com um procedimento minimamente invasivo, com baixos índices de complicação e rápido retorno da paciente às suas atividades profissionais e pessoais”, explica Corvello. O ginecologista Matos lembra que a embolização não é indicada para todo o tipo de mioma, pois é necessário verificar a localização e o tamanho do mioma. Em alguns casos, é necessário recorrer a cirurgia convencional e a recuperação é, em geral, cerca de 40 dias. A recuperação do paciente para a embolização é de sete a oito dias. Outra forma dos miomas serem retirados é por vídeo laparoscopia e por vídeo histeroscopia. Embolização significa “fechar os vasos” e é uma técnica muito conceituada, além de possuir o maior grau de evidência científica concedido pela Sociedade Americana de Ginecologia e Obstetrícia e Sociedade de Radiologia Intervencionista Americana e Europeia, realizada desde 1996 para tratar o mioma uterino, e desde os anos 1980 em casos de sangramentos extremos em partos ou acidentes. De acordo com Dr. Corvello, é um método efetivo que controla os sintomas em até 92%. Outro ponto positivo após este tratamento é que a mulher pode ter de 10% a 30% de chances de engravidar, um dado expressivo, já que no caso da retirada do útero isso não é mais possível, podendo desencadear em muitas pacientes à depressão e à perda de autoestima.

Sintomas A paciente que possui mioma no útero sofre de sintomas desconfortáveis, como intenso sangramento no período menstrual, fortes cólicas, urgência urinária, dores pélvicas, dor durante relação sexual, prisão de ventre e anemia.


19


Estrias e Gorduras localizadas As inimigas do sexo feminino

Fotos: Divulgação

A revista Belleza Total traz dicas de especialistas para que você fique antenada nos procedimentos estéticos que podem ser seu aliado no combate a essas inimigas que cada vez mais fazem parte do corpo feminino. A correria do dia a dia da mulher moderna aliada a má alimentação que passa a fazer parte do cardápio, fez com que a estética do corpo feminino emitisse sinal de alerta. Vários são os problemas estéticos que assombram o universo feminino e os mais temidos são: gordura localizada e as estrias.

Estrias

O aparecimento de estrias ocorre após o rompimento das fibras elásticas que sustentam a camada intermediária da pele, formada por colágeno e elastina. Os locais mais comuns onde aparecem são: mama, quadris, culotes, coxas e nádegas. De acordo com a fisioterapeuta Elaine Quintella, o tratamento para estrias apresenta resultados bastante satisfatórios, mas lembra que ainda não existem tratamentos com resultado 100%.

20

A fisioterapeuta informa que o melhor período para o tratamento são os meses em que a exposição ao sol é menor, pois a base do tratamento é hidratação, peeling de diamante, complexo vitamínico próprio para estrias e o uso de cremes específicos diariamente. Nem todas as pessoas podem fazer o tratamento, pois é contra indicado para gestantes, diabéticos e pessoas com doenças de pele. “O resultado varia de pessoa para pessoa e, dependendo do resultado, é realizada uma nova aplicação”, esclarece a profissional. De acordo com a especialista, as opções de cremes específicos para tratamento de estrias são variados. Elaine aconselha que a preferência seja por aqueles que possuem substâncias que ajudam na reorganização do colágeno e elastina da pele. Outra dica importante é evitar o efeito sanfona, onde se ganha e se perde peso com freqüência, pois a manutenção do peso favorece o tratamento e evita que novas estrias apareçam.

Gordura localizada Este é outro problema estético que tira o sono das mulheres. Mesmo fazendo dietas e exercícios físicos, algumas mulheres não conseguem eliminar aquela gordurinha que insiste ficar onde não é bem vinda. E para as pessoas que por variados motivos não querem fazer lipoaspiração, a dermato-fisioterapeuta Paula Abraão mostra alternativas que também são eficazes. De acordo com a dermato-fisioterapeuta Paula Abraão, o primeiro passo é ser avaliado por um profissional competente, para que seja escolhido o melhor tratamento de acordo com o volume da gordura. As pessoas que estão muito acima do peso devem, em primeiro lugar, fazer uma dieta para redução do peso e somente depois começar o tratamento. A especialista alerta que a disciplina do paciente é fundamental para que o resultado seja satisfatório. “Não adianta se submeter ao tratamento se a ingestão calórica continuar a mesma e a frequência do paciente nas sessões indicadas pelo profissional não for seguida”, alerta. Assim como o tratamento para estrias, o de gordura localizada também apresenta algumas restrições, pacientes com problemas de pele ou histórico de câncer nos locais da aplicação não podem se submeter ao tratamento. O tratamento dura dois meses. Após esse período é realizado manutenções de seis meses a um ano.

Antes

Depois


Belleza Fotos: divulgação

Shiseido Lança Maquiagem Verão 2010

Fun Tropical do B oticário

A Shiseido lança nova linha de maquiagem primavera/verão 2010/2011 no Brasil. São duas novas texturas do batom Perfect Rouge: Glowing Matte e Tender Sheer. O batom proporciona uma hidratação intensa, duradoura e com suave luminosidade permitindo que a cor brilhe de maneira luxuosa, além de fornecer um acabamento chique e que permanece por horas. R$ 102.

Setembro promete ser refrescante com a chegada da Coleção Fun Tropical. A linha traz produtos com cores vivas e inspirados em frutas e drinks tropicais. A coleção é composta por 12 itens de perfumaria, maquiagem, cremes e acessórios. Os destaques são: a fragrância Framboesa e os Cremes Hidratantes Mix de Frutas e Frescor de Coco. Também compõem a coleção o Óleo Hidratante Bifásico Cassis e Vanilla, Sabonete Líquido Bifásico Espuma de Amora, Loção Hidratante Gelado Tropical, Kit de Maquiagem Frutas Tropicais, Sabonetes Perfumados Abacaxi e Coco, e Estojo Miniatura Pêra & Champagne. A edição é limitada.

O lhos delineados com CARBON BLACK

N atura S ève

A Natura Sève desenvolveu mais uma fórmula para a linha de óleos corporais de banho: o Natura Sève Amêndoas Marcantes. Com fragrância intensa de amêndoas, o óleo proporciona maciez e hidratação por 24 horas, transformando o banho em um momento prazeroso. R$ 54,70 / R$ 43,70 (refil).

A AKAKIA Cosméticos apresenta o Lápis Delineador formulado com o pigmento Carbon Black, que permite olhos bem marcados, com um traço de intensa cobertura, através de uma aplicação precisa e macia. Além deste poderoso pigmento, o delineador ainda possui alguns aditivos, como o Ozokerita, que proporciona um produto firme e ao mesmo tempo macio, ou seja, não se quebra com facilidade e ao mesmo tempo não machuca a pele na aplicação. R$ 18.

21


Agência investe em modelos Plus Size

Fotos: Fernando Cesar

22

No dia 19 de agosto a agência de modelos Casa Blanca realizou o primeiro concurso de modelos plus size de Curitiba. Quinze meninas participaram com o objetivo de fazer parte do casting da agência que está procurando profissionais capacitados para suprir esta fatia do mercado que está muito carente. Para participar do concurso era preciso suprir alguns requisitos impostos pela agência como: manequim superior a 42, ter beleza e desenvoltura e pode-se afirmar que todas supriam os requisitos. Concursos como estes que procuram modelos fora dos padrões que estamos acostumados a ver, são comuns no eixo Rio - São Paulo, mas é inédito na capital paranaense. Para a Noemia, administradora da agência, a beleza está presente em todas as mulheres e isso independe do número do seu manequim. A vencedora Rafaella Vion Batista, 16 anos, ficou sabendo do concurso através de matéria divulgada na revista Belleza Total sobre modelos Plus Size. “Meus tios viram a matéria na revista e me falaram sobre o concurso. Eu achei interessante, então minha mãe me levou até a agência. Estou muito feliz, mas confesso que a ficha ainda não caiu”, conta Rafaella. Como vencedora do concurso, a modelo ganhou o curso completo da agência Casa Blanca, além de contrato com a agência


Aposentado “antenado” é exemplo de cidadania

O militar aposentado Valério Weber, 65 anos, mostra para a sociedade um exemplo de cidadania. Ele é um dos cidadãos paranaense com maior número de ligações para o 156, telefone disponibilizado para atender a população pela Prefeitura de Curitiba, com mais de 1000 solicitações. Entre reclamações, sugestões e elogios, sempre visando o bem estar geral da comunidade. Tudo começou em 1983, quando o militar encaminhou uma carta ao então Ministro da Desburocratização quando realizava um estudo para o mestrado em que o tema era “Serviço público – servir o público”. Segundo ele, não esperava obter resposta, achava que o ministro sequer teria acesso a sua carta. Mas foi diferente, ao ver a resposta enviada por telégrafo e assinada pelo ministro, ele sentiu-se incentivado. A partir dessa data Weber começou a anotar tudo que via de errado e que poderia mudar. Quando saía na rua levava consigo um gravador e uma caderneta onde relacionava todas as irregularidades que encontrava pela frente. As placas entortadas, semáforos estragados, buracos nas ruas e até situações em que se encontravam os catadores de papel das ruas, lhe chamava à atenção. Tudo era anotado e passado para os órgãos responsáveis. Para ele, a profissão de responsável pela qualidade e manutenção das aeronaves da aeronáutica contribuiu para o desenvolvimento de um “olho clínico”. Antes de existir os serviços que auxiliam o cidadão, como o Procon e o próprio 156, o militar recorria à imprensa. Na década passada, além de vários fax , em seu

arquivo pessoal , o militar possui também cartas, fitas K-7, VHS e e-mails relacionados aos contatos. Para o aposentado, a internet representou uma grande facilidade em seu exercício diário. Para ele, é importante dar sugestões aos fornecedores e todo cidadão deveria usufruir deste espaço de comunicação que as empresas disponibilizam para os seus consumidores. Com a chegada da Internet, o ex-servidor público mantém um relacionamento mais direto com os órgãos governamentais. “Eu mando e-mails com sugestões, críticas e elogios para o governador, com essa finalidade já tenho mais de 480 contatos registrados”. Weber acrescenta que talvez pelo fato de ser um ex-militar seja mais difícil o feedback do governo, referindo-se à ditadura ocorrida no Brasil. ”Em 2001, por exemplo, cerca de 30% das reivindicações feitas por mim era respondido, sete anos depois esse percentual não chegou a 12%”, relata. As sugestões que já chegaram a 8 por dia, hoje chegam no máximo a 12 por mês. Entretanto, ele diz que não se pode parar. “Não me considero uma pessoa ofensiva, mas quero criar multiplicadores da vigilância, pessoas que exerçam sua cidadania. Também não brigo à toa, antes de procurar a justiça, tento resolver todos os problemas com diálogo, isto é mais construtivo”, exclama Weber. O ex-militar finaliza dizendo que está muito preocupado com o individualismo de hoje. De acordo com o militar, as pessoas só se interessam por algo que os afete diretamente, caso contrário preferem deixar as coisas como estão.

23


Violência doméstica no Brasil

24

A violência contra a mulher no Brasil é considerada uma das mais altas do mundo. Os números são apresentados pelo Instituto Sangari através do estudo Mapa da Violência no Brasil. O estudo teve como base o período de 1997 a 2007 e foi baseado em dados do Sistema Único de Saúde. Neste período ocorreram 41.532 homicídios femininos no Brasil, ou seja, dez mulheres foram assassinadas por dia no país. Diante das grandes vitórias conquistadas pelas mulheres duran-

te anos de luta, como: conquista do espaço no mercado de trabalho, o voto feminino, o aborto – liberado em alguns países -, ainda existem mulheres que no dia a dia sofrem agressões de seus companheiros que acreditam serem donos de suas parceiras. Muitas pessoas acreditam que o problema da violência doméstica é realidade apenas nas classes menos favorecidas, o que não é verdade. O que acontece é que nas classes baixas o número de denúncias é

maior do que nas classes mais favorecidas. As agressões atingem mulheres de todas as classes sociais e a grande maioria das agressões é feita por companheiros ou por conhecidos da vítima. “Nas classes A e B as denúncias de agressões ainda são pequenas, seja por dependerem financeiramente de seus parceiros ou para evitar uma exposição pública”, conta a advogada Márcia Caldas. Para a advogada, uma das formas eficientes para reduzir esse número estarrecedor é a denúncia.


As mulheres que se encontram em qualquer situação de agressão devem fazer a denúncia junto aos órgãos competentes. “A mulher não pode se calar diante da violência, seja ela física ou verbal. Denunciar é sempre o melhor caminho”, orienta. O aumento de denúncias contra a violência feminina está em uma crescente, mas ainda existem mulheres que por variados motivos não denunciam seus parceiros. Segundo a advogada, os motivos mais comuns são: dependência financeira, medo da reação do marido ou por acreditarem que podem, com o tempo, mudar o parceiro. “A mulher é romântica e acredita que o seu amor é grande o suficiente a ponto de mudar o comportamento do parceiro, mas o tempo passa e as mudanças não acontecem”, esclarece. Perfil De acordo com Márcia, as mulheres devem ficar atentas para algumas atitudes masculinas que podem indicar a agressividade no parceiro, como: não deixar a mulher trabalhar fora ou sair sozinha, irritabilidade gratuita, grosserias e xingamentos constantes, agressividade toda vez que consome bebida alcoólica e ciúme excessivo podem ser alguns indícios. “No começo do relacionamento, a mulher fica envaidecida com o ciúme do parceiro, mas com o tempo a vaidade é substituída pelo medo”, relata a advogada.

Lei Maria da Penha Aprovada em 07 de agosto de 2006, a Lei 11.340/06 trouxe grandes avanços no combate à violência feminina no Brasil. O nome da lei é uma homenagem à Maria da Penha Maia Fernandes que durante 20 anos lutou pela punição de seu agressor que, em uma das agressões, a deixou paraplégica após ser atingida por um tiro. A lei, sem dúvidas, trouxe grandes avanços mas ainda há um longo caminho a ser percorrido para que possamos comemorar definitivamente. Atualmente o tempo para que ações de proteções sejam tomadas são mais rápidas como, por exemplo, impor medidas de que o agressor deixe a residência e mantenha distância da vítima com a pena de que, se isso não ocorrer, o agressor é preso. Para a advogada Márcia Caldas, é preciso aparelhar os juizados de violência doméstica para que o apoio às mulheres agredidas seja mais eficaz. “Com uma estrutura eficaz, o resultado será, sem dúvida, um melhor atendimento à mulher e a família. Sem falar que os juizados ainda são insuficientes”, esclarece.

25


fique por 1ª Bienal do Livro no PR Entre os dias 1 e 10 de outubro, Curitiba recebe a 1ª Bienal do Livro do Paraná. O evento é considerado um dos maiores do país e será realizado no Estação Convention Center. A curadoria será do jornalista e escritor Rogério Pereira. Na programação está incluída: Café Literário, Atividades Infantis e Sessões de Autógrafos. O evento contará com 60 expositores, cerca de 40 autores e mais de 80 sessões na Programação Cultural. www.bienaldolivroparana.com.br

Cidadania Corporativa O Boticário foi certificado como a melhor empresa na categoria “Cidadania Corporativa”, durante a quarta edição das “100 Melhores Empresas em IDHO 2010”, promovida pela Gestão & RH Editora. Além disso, a marca figurou no ranking “Entre as 10 Mais”.

Dança das cadeiras

O castelo das sete portas

28

Marcos Meier, psicólogo e mestre em educação, lançou o livro O castelo das sete portas. A história é de um menino que por meio de um livro é levado a um castelo virtual em outra dimensão onde vive sete grandes aventuras. Monstros, medo, arco e flecha, vergonha, morte e uma série de outros temas são vividos pelo menino. Editora Kapok. R$ 25

Paulo Cruz deixa o cargo de diretor regional do SESC-PR, onde trabalhou desde 1978 para assumir a direção de Relações Corporativas da FAE. Cruz é graduado e pós-graduado pela FAE e MBA pela ESADE/Barcelona, na FAE Business School. Lecionou por onze anos nos cursos de graduação e especialização e ainda coordenou por quatro anos o estágio supervisionado da instituição. Agora, o executivo será responsável pelo relacionamento com o mercado.


dentro Inscrições abertas para o Top Marketing 2010

H otel D eville Rayon tem nova chef de cozinha Nathália Quirino assumiu a cozinha dos restaurantes do Deville Rayon, em Curitiba. Como metas, pretende manter a qualidade já reconhecida pelo público nos restaurantes Galla e Garbo e promover eventos diferenciados. Ela já está inserindo algumas novidades no cardápio. Entre elas está o “Nhoque da Sorte”, evento realizado todo dia 29 no almoço com quatro opções de molho: sugo, funghi, pesto de rúcula e a novidade, ragu de rabada.

A ADVB-PR acaba de abrir as inscrições para o Top de Marketing 2010, considerado o principal reconhecimento aos trabalhos de Marketing e Vendas desenvolvidos no estado. A tradicional premiação tem como objetivo reconhecer “cases” criativos, que alcançaram resultados positivos nos últimos 12 meses. Até o dia 8 de outubro as inscrições podem ser feitas por entidades do setor público ou privado - estabelecidas em qualquer parte do território nacional, com atuação ou presença no Paraná. Os concorrentes devem inscrever os projetos nas categorias: Mercado Financeiro; Mercado Imobiliário; Comunicação; Veículos e Mercado Automobilístico; Educação e Ensino; Hotelaria, Turismo e Cultura; Indústria; Varejo; Saúde; Serviços; Tecnologia e Telecomunicações. O regulamento completo já está disponível no site www.advbpr.com.br.

A revista Belleza Total, entregou a TV LCD de 32” para Anna Christina Brusqui. Vencedora da promoção Esta é a Minha História.

29


Punição sem educação Em outras épocas, quando educar era construir cidadania, a falha, o erro e as atitudes erradas, especialmente numa criança, eram corrigidas com a punição da palmada. O tempo passou, a população aumentou e os costumes mudaram. E como mudaram! Porém, cada pai e cada mãe sabem muito bem educar seus filhos. O estado não precisa interferir, exceto em situações onde as crianças correm riscos. Mas isso são outros quinhentos, como diziam nossos queridos antepassados. O foco atualmente é debater outra situação, muito comum nas cidades hoje em dia, sobretudo nas grandes cidades, como é, por exemplo, o caso de Curitiba e região metropolitana. É preciso discutir e encontrar melhores soluções para uma situação muitas vezes injusta: a indústria das multas de trânsito. O que se percebe nos dias atuais é uma voraz in-

30

tenção premeditada de punir, punir e punir. Porém punir com a força da arrecadação. Há centenas de radares na capital paranaense com o propósito evidente de arrecadar. Isso mesmo: arrecadar. Nada de educativo. Os “entendidos” em sistema viário só enxergam os ponteiros das cifras. Não são capazes de aceitar que há situações de risco, onde muitas vezes se acelera para fugir de perigos e assaltos. Não propagam campanhas educativas em locais vulneráveis. Não divulgam ações que possam envolver as comunidades em mutirões de aprendizado. Só querem as faturas pagas e o dinheiro em caixa. Os “especialistas” do trânsito, muitas vezes com canetas pesadas, mas nenhuma experiência técnica, só elaboram as planilhas das previsões de arrecadação. Nada de prevenção. Esquecem ou fingem que não sabem que a cidade cresceu, o número de veículos muito mais ainda e que a geometria das ruas e avenidas são as mesmas. É um fluxo exagerado em locais estáticos. Não há milagres. Faltam consciência e paciência de nossos gestores. Acham que punir com multas vai melhorar a educação no trânsito. Ora, ledo engano. O próprio nome já diz: educação significa educar com ação. Enquanto tivermos as intenções obscuras das vultosas quantias nos cofres, originadas pelas incontáveis multas, sobretudo em épocas de eleições, não teremos sucesso em melhorias. Se ainda persistir essa demanda maldita de recolher, vamos reagir e também formar um mutirão do esclarecimento. Vamos recolher também. Recolher informações tais como: para onde vai todo esse dinheiro originado das multas? É bem possível que uma auditoria séria nas arrecadações e circunstancias que as mesmas são elaboradas possam responder a essa e tantas outras perguntas e dúvidas. A população deve se unir sim, cobrar dos representantes o destino dessa sangrenta e contundente mania de punir pelo bolso. Educação e bom-senso são fundamentais e nós gostamos. Honestidade com o dinheiro público, mais ainda. Wilmar Marçal é professor universitário e ex-reitor da UEL./PR wilmar_pr2010@hotmail.com


Hábitos de inverno podem aumentar a queda de cabelos

Especialista alerta para os cuidados e dá dicas para manter a saúde Muitas mulheres consideram o cabelo como parte essencial para a harmonia do rosto, influenciando na imagem que a pessoa transmite. Por este motivo, as mulheres procuram profissionais capacitados para que o corte de cabelos coloque em evidência o rosto. Mas é preciso ficar atenta porque não são apenas as tesouras e as escovas que ajudam a deixar as madeixas mais bonitas, mas é preciso ficar atento à saúde dos fios. Assim como a pele, o cabelo precisa de cuidados que vão além do shampoo e, principalmente no inverno, a atenção precisa ser redobrada. Um dos principais problemas nesta época do ano está relacionado à queda de cabelo, embora ela seja absolutamente normal se estiver entre 100 a 150 fios por dia, mas se você acha que esta perdendo mais do que isso, o problema pode estar no uso da chapinha e do secador: “O calor pode traumatizar o folículo, região da raiz do cabelo, causando também a queda e o rompimento dos fios”, explica o dermatologista Aguinaldo Bonalumi. Quando não for possível deixá-los de lado, a dica do médico é usar o secador na tempera-

tura menos quente possível, mantê-lo mais afastado dos cabelos e evitar permanecer com o secador parado em um único local do couro cabeludo. Outro agravante para a queda de cabelo são os tratamentos químicos que homens e mulheres utilizam. As tinturas, água oxigenada, descolorantes, alisantes, permanentes, entre outros, prejudicam a saúde do cabelo se não forem usados corretamente ou feitos com frequência e simultaneamente. A lavagem dos cabelos deve ser feita também com cuidado. Para cabelos oleosos, o ideal é lavar todos os dias e quem tem o couro cabeludo seco, pode fazer o procedimento a cada dois ou três dias. “Lavar o cabelo todos os dias não traz prejuízo para a saúde deles, mas é preciso entender o tipo certo para não errar na medida”, explica o dermatologista. Na hora de lavar é preciso estar atento à temperatura da água, pois ela pode prejudicar o seu cabelo e a sua pele. “Banhos muito quentes podem causar a dermatite seborréica, a caspa, que é uma doença e deve ser

tratada”, explica Bonalumi. O médico destaca que além do desconforto estético que a caspa causa, principalmente quando localizada no couro cabeludo e face, ela pode se tornar um agravante para a queda dos cabelos. A doença ocorre em, pelo menos, 5% da população e, apesar de não ter cura, tem tratamentos eficazes. A orientação do dermatologista é para utilização de shampoo adequado, evitar excesso de cremes, lavar o couro cabeludo com frequência e evitar usar secador muito quente. “Porém, como há outras doenças que podem descamar o couro cabeludo, antes que se inicie qualquer tratamento, é importante consultar um médico dermatologista para que seja feito o diagnóstico correto”, aconselha o especialista. Ter uma alimentação balanceada traz benefícios para os cabelos assim como para todo o corpo. O dermatologista destaca que, para um desenvolvimento saudável, os cabelos precisam de ferro, zinco, entre outras vitaminas, presentes em frutas, carnes, cereais, legumes e verduras.

31


Objetos de desejo

Bolsa de Vinil Discos de vinil e um pouco de criatividade transformam uma simples bolsa em um acessório cheio de atitude. O aspecto retrô envolve muito charme e sofisticação, além de atitude de quem usa. A marca Bolsa de Vinil usa e abusa deste conceito. As bolsas estão à venda no Mercado Livre e no site www.bolsavinil.com.br. R$50 com disco preto ou colorido, e à R$60, com retalhos. Mais frete.

Chaise 6700 Lançamento da empresa Líder Interiores, a Chaise 6700 merece um lugar especial em sua casa, pois é para relaxar. A base de madeira e o acento suspenso por inox provoca a sensação de flutuar. O móvel tem 85 centímetros de altura, 1m27 de largura e 53 centímetros de profundidade. R$ 1.640,00

Carteira de mão ELEGÂNCIA NA MESA E NA DECORAÇÃO

32

As peças de cerâmicas são pintadas à mão. A delicadeza dos contornos ganham formas e características próprias. Além de belíssimos na hora de servir, podem ser usados como itens de decoração. R$ 119,90 www.laris.com.br

Na Rosa Choc, localizada no primeiro piso do Shopping Estação, as carteiras de mão feita em palha lavada agradam todos os estilos de mulheres. As cores e fivelas nos modelos da Rosa Choc dão um toque moderno no acessório. As carteiras, que foram uma febre há algumas décadas, estão em alta e com preço acessível: de R$ 39,90.


Menos é Mais O inverno pede roupas pesadas e poucas partes do corpo ficam à mostra. Para criar um look chique, a sugestão é usar brincos e anéis da Big Ben, que combinam com os cachecóis e golas altas, típicos da estação mais fria do ano. As opções são: brincos em ouro branco e cristal fumê e o anel em ouro amarelo, que deixarão o visual elegante na medida certa.

Goóc A nova coleção de sandálias femininas da Goóc, La Vie, será sucesso garantido neste verão. Conforto, estilo e responsabilidade ecológica são alguns dos destaques dos modelos. Entre as opções de cores estão: branco, lilás, pérola, azul e o rosa. Os solados são feitos de pneus reciclados. As sandálias são ideais para as diversas ocasiões urbanas e nos passeios alto mar da temporada. Preços diversos

Abajur em Couro Para criar um ambiente aconchegante, nada melhor que uma iluminação indireta. O abajur Lellê, além de ser uma peça de decoração é muito útil para os amantes da leitura noturna. R$ 359,00.

Mestre Cuca A loja Biagallo Gourmet, no Largo do Shopping Curitiba, oferece utensílios, inclusive profissionais, que povoam o sonho de qualquer mestre cuca. Entre eles a panela de pressão Solar, da Tramontina, totalmente em aço inox e com fundo triplo. Possui indicador e seletor de pressão, válvula e escape de segurança, e sai por R$ 375,00.

33


Ataques cardíacos aumentam no inverno

Somado a maus hábitos, frio agrava problemas coronários

34

Gripes, resfriados, pneumonias e ataques cardíacos. De acordo com um estudo divulgado esse ano pela Universidade de Tecnologia de Queensland, na Austrália, as doenças cardíacas, assim como as respiratórias, também aumentam no inverno. Segundo o cardiologista José Antonio Pantarolli, as baixas temperaturas da estação são responsáveis por agravar os riscos que os maus hábitos, como alimentação rica em gorduras, sedentarismo e tabagismo oferecem. Do ponto de vista cardiológico, segundo o médico, as doenças mais comuns na estação são as coronarianas, ou seja, as que envolvem a circulação do coração. Devido ao esforço de manter os órgãos vitais aquecidos, o corpo diminui a circulação periférica e os vasos sanguíneos das extremidades ficam mais estreitos. Isso aumenta a pressão e, consequentemente, os riscos de problemas graves, como infarto do miocárdio e angina, que é a dor cardíaca. De acordo com o cardiologista, alguns cuidados podem ser tomados para evitar a doença cardíaca, independente da estação. Quando se trata de alimentação, tudo o que é proibido é mais gostoso, mas é preciso ficar atento no consumo de comida com muita gordura animal. “Esse tipo de gordura funciona como uma rolha,

que entope veias e artérias gerando diversos problemas. A dica é usar gordura vegetal, que é menos prejudicial à saúde”, ensina o especialista. Outro cuidado importante é estar atento para o consumo de café preto, cigarro, álcool, refrigerante e as drogas, chamado pelo Dr. Pantarolli como excitantes do coração. Eles devem ser evitados, pois aumentam a frequência das batidas facilitando um ataque cardíaco. Grupos de risco O médico reforça a necessidade de atenção especial para os grupos de risco, como sedentários, idosos e obesos. Um dos sintomas do infarto é a dor intensa. Nesse caso, a dica do cardiologista é que tempo é vida. O atendimento médico deve ser acionado imediatamente para evitar maiores danos e risco de morte. No caso dos diabéticos, a preocupação é ainda maior, pois normalmente esse grupo não sente as dores do infarto e a descoberta tardia da doença, pode ser irreversível. Para estas pessoas, o médico recomenda que atentem a palpitações, suor e mal estar indefinido. Segundo o médico, esses são os sintomas gerais que podem indicar o infarto.


Transplante de órgãos cresce no Brasil

Dados do Ministério da Saúde mostram que o número de transplantes no Brasil cresceu 16,4% no primeiro semestre de 2010 em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a junho deste ano, foram realizados 2.367 transplantes de órgãos de doador falecido. Nos primeiros seis meses de 2009, foram 2.033 cirurgias nesta modalidade contra 1.688 procedimentos realizados no primeiro semestre de 2008 pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os dados mostram um crescimento sustentado na quantidade de transplantes feitos no SUS, responsável por 90% de todos os procedimentos realizados no país de forma totalmente gratuita à população. Além dos transplantes, o número de doadores efetivos de órgãos também teve alta, no primeiro semestre de 2010 cresceu 17%. Em números absolutos são 963 doadores efetivos. No mesmo intervalo de 2009 foram 818 doadores. A taxa é recorde para o semestre e a expectativa é que seja consolidada para todo ano de 2010. O secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Alberto Beltrame, credita os bons resultados do contínuo aprimoramento do Sistema Nacional de Transplantes (SNT) aos crescentes investimentos no SNT e à qualificação do processo de captação de órgãos “Todos os anos, o Ministério da Saúde tem feito campanhas com desdobramentos positivos nos estados e municípios. Portanto, temos um conjunto de fatores que está fazendo com que haja um crescimento sustentável da quantidade de transplantes no país. Nossa intenção é aumentar cada vez mais”, esclarece o secretário. Os estados que apresentaram maior índice de doadores foram São Paulo, Santa Catarina, Distrito Federal, Espírito Santo e Ceará. Com exceção do coração, todos os órgãos registraram aumento de transplantes. Entre as cirurgias, rim e fígado tiveram o desempenho mais positivo. De janeiro a junho de 2010, foram realizados 1.486 transplantes de rim. No mesmo período do ano passado, foram 1.295, contra 994 no ano de 2008.

ções e transplantes no país, ano a ano, é a ampliação do investimento no setor. Entre 2003 e 2009, os recursos aplicados pelo Ministério da Saúde no SNT mais que triplicaram, passando de R$ 327,8 milhões (2003) para R$ 990,5 milhões (2009). Também contribuem para o contínuo processo de aprimoramento do sistema a melhor remuneração dos procedimentos e exames inseridos na tabela do SUS e a conscientização, sobre a importância da doação para a realização dos transplantes, não só da população como também dos profissionais de saúde envolvidos em todo o processo.

Investimento

O fator que sustenta esse crescimento de doa-

35


Lei de adoção muda para que Filhos do Coração aumente

36

De acordo com o Cadastro Nacional de Adoção (CNA), há no Brasil 4.364 crianças e adolescentes a espera de adoção, na outra ponta são 26.138 pretendentes aptos para adotar. Diante desse quadro, surge a clássica pergunta: se o número de adotantes é mais do que suficiente para dar um lar aos adotados porque ainda há crianças nas instituições públicas brasileiras? Os motivos são os mais variados possíveis, que vai da demora no processo de adoção a restrições impostas pelos adotantes – que não são poucas. Em 2009 a Lei de adoção no Brasil teve mudanças importantes e parte dos problemas foram resolvidos. Segundo a advogada Cássia Bernardelli, OAB/PR, os benefícios com as alterações na lei são muitos e estão focados nas necessidades dos adotados. Uma das alterações fala sobre a família ampla, que prevê que haja um empenho maior para que o menor permaneça na família de origem, onde parentes próximos tenham preferência na adoção como, por exemplo, avós, tios e primos. Não é mais permitido que a criança ou adolescente permaneça por mais de dois anos em abrigos públicos, o que torna o adotar menos burocrático para as famílias interessadas. Com a nova lei a idade mínima para adoção diminuiu de 21 para 18 anos, independente do estado civil, e é necessário que a diferença de idade entre o adotante e o adotado seja superior a 16 anos. Caso

a adoção seja conjunta, é indispensável que os adotantes sejam casados civilmente ou mantenham união estável, comprovando a estabilidade familiar. “Os divorciados, os judicialmente separados e os ex-companheiros também podem adotar conjuntamente, mas devem estar acordados quanto à guarda e ao regime de visitas e provarem a existência de vínculos de afinidade e afetiva”, explica a advogada. Outro ponto de destaque da nova lei é que o adotado com idade superior a 12 anos precisa consentir com a sua adoção. Irmãos em instituições públicas devem ser adotados por uma mesma família. As alterações na Lei foram feitas para que a adoção se torne mais ágil, mas o fato dos adotantes colocarem restrições no perfil dos adotados tem dificultado esse processo. Em muitos casos, a demora deve-se ao perfil exigido pelos adotados, pois a maioria exige que seja do sexo feminino, de cor branca e que estejam na faixa etária entre 0 e 2 anos. Atitudes como estas exclui grande parte das crianças e adolescentes que se encontram nas instituições brasileiras, já que a grande maioria é parda, maiores de dois anos e muitos com irmãos. Antes da adoção definitiva há um processo de adaptação para a convivência entre adotado e adotante. Segundo a advogada, a lei não obriga que tenha um tempo determinado para o processo de adaptação,


mas sim que a inscrição de postulantes à adoção seja precedida de um período de preparação psicossocial e jurídica, orientado pela equipe técnica da Justiça da Infância da Juventude, preferencialmente com apoio dos técnicos responsáveis pela execução da política municipal de garantia do direito à convivência familiar. Para aqueles que pretendem adotar, o primeiro passo é fazer parte do cadastro que pode ser estadual ou nacional. Há pessoas que se inscrevem nos dois cadastros para que o processo seja ainda mais rápido. A advogada Cássia Bernardeli explica que no Brasil a legislação não permite a adoção conjunta por união homoafetiva. Não obstante, o Poder Judiciário já se decidiu em contrário, no caso de união estável. “No dispositivo reforça a opção do legislador brasileiro de não aceitar a adoção por pessoas do mesmo sexo figurando como pai e como mãe. A Cons-

tituição reconhece como união estável somente aquela constituída por homem e mulher”, esclarece. Adoção internacional Para os casais estrangeiros adotarem no Brasil é preciso que primeiro seja formulado um pedido de habilitação à adoção perante a Autoridade Central em matéria de adoção internacional no país de acolhida onde está situada sua residência. Se a Autoridade Central do país de acolhida considerar que os solicitantes estão habilitados e aptos a adotar, emitirá um relatório que contenha informações sobre a identidade, a capacidade jurídica e adequação dos solicitantes, sua situação pessoal, familiar e médica, seu meio social, os motivos que os animam e sua aptidão para assumir uma adoção internacional.

A Autoridade Central do país de acolhida enviará o relatório à Autoridade Central Estadual, com cópia para a Autoridade Central Federal brasileira. O relatório será instruído com toda a documentação necessária, incluindo estudo psicossocial elaborado por equipe interprofissional habilitada e cópia autenticada da legislação pertinente, acompanhada da respectiva prova de vigência. Os documentos devem ser autenticados pela autoridade consular, observados os tratados e convenções. A adoção internacional pressupõe a intervenção das Autoridades Centrais Estaduais e Federal em matéria de adoção internacional. A adoção por estrangeiros segue uma linha preferencial: em primeiro estão as pessoas que residem no Brasil, depois brasileiros que residem fora do país e esgotadas essas opções vem os adotantes com cidadania estrangeira.

37


Quando optar pela cirurgia bariátrica

38

A obesidade é um fator de risco que preocupa mais de 15% da população brasileira. Somente na região Sul são mais de 7% de mulheres e 3% dos homens com obesidade mórbida. Além dos riscos à saúde como problemas cardiovasculares, diabetes, entre outros, a auto-estima abalada pode levar a outros problemas de saúde. Várias medidas podem ser adotadas para curar a obesidade. No entanto, o que a maioria dos especialistas defende é a mudança de hábitos que começa por uma reeducação alimentar. Mas para isso, é preciso muita força de vontade e acompanhamento de profissionais da saúde. Outra solução para a perda de peso, que está sendo muito utilizada no Brasil, são as cirurgias bariátricas, medida que traz resultados a curto prazo, mas que pode causar diversos danos à saúde, se não realizadas de forma correta. A realização da cirurgia bariátrica é recomendada para pacientes que possuam IMC igual ou superior a 40. Já para os pacientes que tenham IMC igual ou superior a 35 também podem realizar a cirurgia caso haja pelo menos dois fatores de risco ou comorbidades associados, como diabetes mellitus tipo II, hipertensão arterial, doença cardiopulmonar grave, apneia do sono, artropatia (severa), hérnia de disco, dislipidemia severa de difícil controle, esteatose, entre outros. Para a realização do ato cirúrgico, o paciente precisa do acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, como de um cirurgião habilitado, um nutrólogo ou nutricionista, um psiquiatra ou psicólogo, um endocrinologista, entre outros. “O ato cirúrgico é resultado de um acompanhamento de pelo menos dois anos com o endocrinologista, especialista em peso que tentará outras formas para a cura. Entretanto, muitas pessoas encaram a cirurgia como uma questão estética, e não é”, explica o endocrinologista Dilermando Hopfer Brito. “Optar em fazer a cirurgia

bariátrica é optar também por uma mudança no estilo de vida, pois este paciente terá que ter acompanhamento médico e tomar medicamentos pelo resto da vida”, completa. Quando a cirurgia é realizada Antes de passar pelo ato cirúrgico, o paciente inserido no perfil que pode realizar a cirurgia precisa ser preparado para as mudanças do organismo e de novos hábitos de vida. “Indicamos a cirurgia para pacientes portadores de obesidade de grandes proporções, de duração superior a dois anos, e resistente aos tratamentos que chamamos de conservadores, como os dietoterapêuticos, psicoterapêuticos, medicamentosos, por exercícios físicos, entre outros”, explica o clínico-geral Heitor Lagos. Os procedimentos são realizados porque o paciente que se submete à cirurgia bariátrica precisa ter a compreensão do significado da cirurgia a longo prazo e seguir as devidas recomendações Os tipos de cirurgia bariátrica são vários. Entretanto, de acordo com o cirurgião Daniellson Dimbarre, a mais praticada no meio é a gástrica em y de roux, na qual é criada uma pequena bolsa a partir do estômago original. Essa bolsa permanece ligada em uma extremidade ao final da parte inferior do esôfago, e na outra extremidade a uma nova conexão criada para uma parte do intestino delgado. Ou seja, a cirurgia cria um atalho desviando os alimentos de parte do estômago e do intestino. “As vantagens desta cirurgia são a perda e a manutenção de peso sem a sensação constante de fome que os regimes determinam. Os excelentes resultados são o alto índice de cura e também a melhora de doenças associadas como diabetes, hipertensão, dislipidemias, apneia do sono, problemas articulares e muitos outros”, explica Dimbarre.


Feira de artesanato no Largo da Ordem

Sim, ela é gigante. Pode-se dizer que é a feira do muito: muita gente, muito artesanato, muita variedade, muito sabor, muita cor. Nas manhãs de cada domingo, as velhas pedras do Largo da Ordem viram o cenário da Feira de Arte e Artesanato, que acontecem no mesmo lugar desde 1973. Tudo começou com os hippies, que adotaram o Largo da Ordem como ponto de venda de artesanato. Mal sabiam eles que acabariam criando uma das paixões dos curitibanos. Chamada carinhosamente de “Feirinha”, já foi Feira Hippie e Mercado das Pulgas. É muito freqüentada, a ponto de ser programa obrigatório para muitos moradores, trabalho para outros tantos, além de ter se transformado em famoso ponto turístico da cidade. Pesquisa do Paraná Turismo, responsável pela atividade turística no Estado, coloca a feira entre os dez atrativos mais visitados da capital. Já tentaram até mesmo mudá-la de local, mas a verdade é que esta feira é parte da alma da cidade, seu “rebuliço cultural”. Fixada ali desde 1972, desde então só cresce. Para se ter uma idéia, os limites originais eram o Largo da Ordem e a Praça Garibaldi, mas ela já se expandiu por todo o entorno e hoje exige disposição de quem quiser percorrê-la por inteiro. Parte do seu formato atual veio da freqüência assídua e da busca constante por conforto e profissionalismo. Tanto que em 2007 a Prefeitura de Curitiba lançou a campanha “Domingo te vejo na Feirinha”,

distribuindo kits padronizados para os expositores com camiseta/avental, adesivos, cartão postal, sacolas plásticas e papel reciclado para as embalagens. Ainda nessa linha de mudança visual, as barracas ganharam lonas e toldos brancos, com camada de proteção contra os raios solares.Cerca de mil e trezentos expositores autorizados estão lá todos os domingos, grande parte vivendo exclusivamente desta atividade econômica. Nesse sentido é uma feira rígida, pois quem faltar um domingo que seja perde a vaga. A procura é tão grande que a lista de espera dos novos expositores é de anos. Se no início sua atividade principal era o escambo ou a venda de objetos de segunda mão, atualmente se oferece somente artesanato de qualidade, produtos importados e de origem duvidosa não entram. Para tanto, existe um órgão que fiscaliza a qualidade dos produtos vendidos. Assim a feira não perde o seu objetivo. Em muitas barracas, se sobressai o modo de fazer, ou seja, o artesão realiza ou finaliza sua obra ali mesmo. Este mercado ao ar livre de vida cultural e social dinâmica foi sendo remodelado pelas novas gerações e hoje é difícil encontrar pessoas praticando escambo. Mas ainda é possível melhorar coleções de selos, moedas e, até mesmo, realizar trocas. A feirinha domingueira também movimenta os espaços culturais do entorno, bem como o comércio. E, além de produtos artísticos que

podem ser adquiridos ou admirados, sempre há manifestações musicais e literárias, com apresentações nas Ruínas de São Francisco e ao longo da feira. O que você encontra por lá Pinturas, esculturas, bordados, produtos em madeira, tricô e crochê, velas, antiguidades, souvenir, bijuterias, bolsas, chapéus, brinquedos, chinelos, flores, bonsais, mandalas, tapetes, vestuário, livros e discos usados, moedas e selos antigos e muito mais. Enfim, as ruas acabam superlotadas. Como toda feira que se preza, há diversas barracas de comidas para todos os gostos: tradicionais pastéis de feira, empanadas, bolachinhas, espetinhos, doces cristalizados, pratos tipicamente brasileiros como tapioca, pamonha e acarajé. Mas o destaque mesmo são os sabores das etnias que formaram a cidade, como por exemplo, os poloneses e seu pierogui. Não deixe de observar os tipos curiosos que aparecem por lá, como o senhorzinho da sanfona, um cantor lírico sentado no meio fio, a estátua viva, a moça do tererê, os irmãos cegos que cantam moda de viola, o rapaz da massinha, e até mesmo os gritos de um gato fictício sendo espancado num saco. Local: Largo da Ordem Bairro: São Francisco Horário: todo domingo – 9h às 14h

39


Maceió: Praias, sossego e sol

40

por Marina Cotovicz A primeira coisa que pensamos, quando temos que enfrentar um frio de quatro ou cinco graus, com sensação térmica de zero é: quero ir para o Nordeste. Pois bem, uma ótima opção é Maceió – destino bom e “barato” (se comparado com as outras capitais nordestinas). Diferente das cidades turísticas que fervem nessa época do ano, Maceió ainda tem um costume de

interior. Prova disso é que boa parte do comércio fecha para o almoço e a vida noturna não é muito agitada como em outras capitais. O povo amanhece cedo (o sol nasce às 4h30!), e muitos restaurantes funcionam até 23h no máximo. Ah, e é bom levar dinheiro, pois também há diversos lugares, principalmente nas praias, que não aceitam cartão de crédito.

Bom, vamos às dicas:


Praia do Francês É uma praia muito famosa que fica no litoral Sul. Seus paredões de pedra no meio do mar é algo bem diferente. O que cansa um pouco é a quantidade de ambulantes oferecendo coisas, mas como diz o povo daqui: "não se estressione". Experimente tomar o suco de abacaxi na fruta, ou a batida na fruta - depois você pode comer o miolo do abacaxi, que vem separado. Uma delícia! São Miguel dos Milagres É uma praia quase selvagem, deserta e “privativa” (1h30 de carro, saindo de Maceió, litoral Norte). Lá tem um restaurante a 100 metros da praia - nem construção à beira mar é permitido, justamente para preservá-la. Pra quem gosta de sossego, o local é este.

Praia do Gunga É considerada a praia mais bela do litoral alagoano e a oitava praia mais bonita do Brasil. Fica no litoral Sul, 30 minutos de Maceió. Faz jus à fama. É um local onde há lagoa, rio e oceano: tudo em uma única região. De um lado: praia, água salgada e ondas. De outro: lagoa, água doce e calma. Apesar de não ter uma excelente infra-estrutura, há quiosques de sorvete, tapioca, artesanato e restaurantes. Se tiver tempo, vale a pena visitar mais de uma vez.

Hotel na Beira Mar Fique em um hotel entre Ponta Verde/Pajuçara até Jatiúca. É onde está a “muvuca”, a famosa feirinha da Pajuçara (com muito artesanato para levar de lembrança) e os principais restaurantes estão nessa região. Em Cruz das Almas, por exemplo, é o final da orla: ou você vai pegar táxi toda vez que desejar passear, ou vai fazer bolha no pé de tanto andar.

Xicletão de Camarão Não se assuste, é assim mesmo com x que escreve. O Xicletão de Camarão faz aquele "estica" do fruto do mar aos 4 queijos. Uma delícia. Experimente o prato na Pizza Carlito´s, na Beira Mar de Maceió. O restaurante busca e leva o turista no hotel, gratuitamente. Teatro Para dar boas risadas indico a peça "Em algum lugar do cangaço", no Sesi, em cartaz há 7 anos. Hilária, tem uma hora e meia de duração. Mas se você é daqueles que não gosta quando os comediantes começam a interagir com a platéia, não vá.

41


Cuidados com higiene íntima devem ser redobrados no inverno Devido às baixas temperaturas, o inverno é a época do ano em que é preciso redobrar os cuidados com a saúde. No caso das mulheres, a atenção deve se estender à higiene íntima, uma vez que o frio aumenta a proliferação de germes nocivos às defesas genitais. Segundo o ginecologista e obstetra André de Paula Branco, é no inverno que os fatores imunológicos apresentam queda e, por este motivo estão mais suscetíveis aos agentes bacterianos, fúngicos e até virais. Segundo o especialista, as mulheres devem cuidar para não apresentarem quadros gripais e infecções típicas do inverno, já que estas situações exi-

42

gem o uso de antibióticos nocivos à flora vaginal. Para evitar doenças e infecções genitais é preciso que as mulheres se mantenham em dia com a higiene íntima. Por isso, cresce no mercado a popularidade de sabonetes íntimos, que auxiliam nesta higienização, além de atender as necessidades da mulher moderna, sem comprometer seu ritmo de trabalho. É importante que as mulheres saibam utilizar esses produtos com segurança, verificando, primeiramente, se eles são dermatológica ou ginecologicamente testados e não adquiri-los sem tais especificações. “As mulheres que possuem alergia a produtos de higiene, perfumes ou conservantes devem ficar atentas porque há nesses sabonetes algumas substâncias alérgicas como o clorexidine, propilenoglicol e formaldeído”, afirma Branco. Ele alerta que, se a mulher perceber qualquer reação inflamatória marcada por irritação da pele e mucosa, o uso do produto deve ser suspenso. Outra opção útil e eficaz na higienização íntima são os lenços umedecidos. Além de práticos, podem ser usados fora de casa, em banheiros públicos. No entanto, é preciso ter cuidado, pois o uso excessivo dos lenços degrada a camada de muco da pele, facilitando o crescimento de bactérias no local. Sobre o tempo de higienização, o especialista afirma que não deve ser superior a dois ou três minutos, para evitar o ressecamento. “Tão importante quanto lavar é o ato de secar. Depois da higiene correta, as mulheres devem manter seus genitais bem secos”, finaliza.


Consulte seu mĂŠdico.

43


Salto alto provoca varizes

44

Pesquisa feita na Divisão de Cirurgia Vascular e Endovascular, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto ,da USP, comprovou cientificamente o que, na prática, muitas mulheres já sabiam. Salto alto, principalmente utilizado por longos períodos, pode dar origem a varizes e outras doenças venosas como vasinhos, flebites e até tromboses. O sangue chega às pernas pelas artérias e volta pelas veias, como se fossem duas ruas de mão única, uma vai, outra vem. Esse fenômeno, chamado de retorno venoso, é fundamental na circulação. A origem da maioria das doenças venosas é a sobrecarga ou a desorganização deste circuito. O uso do salto alto, segundo dados da pesquisa do médico Wagner Tedeschi Filho, impede que o tornozelo trabalhe em seu ângulo ideal. Isso limita a articulação e leva a um encurtamento do curso de trabalho da panturrilha. “A panturrilha não contraindo de forma ideal acaba por bombear mal o sangue e há uma queda na fração de ejeção de sangue, ou seja, sobra mais sangue na perna, o chamado volume residual venoso. Esse resíduo pode provocar hipertensão venosa nos membros inferiores, dando origem a varizes e outras doenças venosas”, afirma Tedeschi Filho. A pesquisa foi dividida em duas partes. A primeira avaliou a influência da altura e do formato dos saltos em 30 mulheres, com idade entre 20 e 35 anos. Cada uma das voluntárias foi avaliada, por meio do exame chamado pletismografia a ar, em quatro situações: a voluntária calçada com salto de 3,5 centímetros (cm), salto agulha de 7,0 cm e salto plataforma, tipo Anabela, de 7,0 cm, e descalça. As mulheres foram submetidas aos testes uma única vez com cada tipo de calçado diferente. Os resultados mostraram que o maior volume residual ficou com os saltos de 7,0 cm, tanto agulha quanto plataforma. Enquanto o volume residual venoso considerado normal é de 35%, nesses saltos chegaram a 59% em média, na plataforma, e 56%, no agulha. Já o salto comum, 3,5 cm, deixou 49% de resíduo, enquanto descalço foi de aproximadamente 35%. “Não foi apenas uma maior retenção venosa que o salto alto provocou, também ficou prejudicada a capacidade de contração

da panturrilha. Além disso, o salto plataforma apresentou uma tendência a ser ainda mais problemático que o salto agulha”, alerta o pesquisador. Segundo ele, o estudo mostrou que quanto maior o tempo de uso do salto, maior a exposição a esse fator prejudicial. Numa segunda parte da pesquisa foi aplicado um questionário, respondido por 50 mulheres que usam salto alto, também com idade entre 20 e 35 anos. Todas as voluntárias não eram obesas e não tinham diagnóstico de doença venosa. Os resultados desses questionários mostraram que as voluntárias queixam-se de dor mais frequentemente após períodos maiores de uso de salto.


Fotos: Levi Pereira Alvaro e Daniel têm em comum uma paixão muito grande pela música sertaneja e sempre investiram na formação musical. O primeiro trabalho independente foi o CD e DVD “Alvaro & Daniel”, com a canção “Estrela”, trilha sonora da novela Paraíso, da Rede Globo, trabalho que rendeu projeção nacional para dupla. A música também faz parte da coletânea “Paixão Sertaneja”, a mais vendida

da Som Livre, que é composta por quatro CDs. Recentemente a dupla se apresentou no Mosteiro Bar, local que é considerado um dos points mais agitados de São José dos Pinhais, e foi sucesso absoluto junto ao público que demonstrou carinho e compareceu para prestigiá-los. Sucesso como Estrela, Aqui é o lugar, Mais um agito e Cowboy solteiro, entre outros foram cantadas pelo público.

45


Emprego cresce no Paraná tado que supera com folga todo o ano passado com 69.084 postos de trabalho. De acordo com o secretário de Estado do Trabalho, Emprego e Promoção Social, Tércio Albuquerque, o bom desempenho paranaense comprova a eficácia das medidas adotadas no incentivo a geração de empregos. Setores Entre as atividades da economia paranaense, o setor de serviços foi o que alcançou melhor desempenho: 3.713 contratações no mês e 37.167 nos primeiros sete meses do ano. Em De acordo com o Ministério do Trabalho o saldo líquido de empregos criados com carteira assinada no Brasil em junho foi de 212.952, o segundo melhor resultado para o mês. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a geração de vagas de emprego superou as demissões em 1.473.320 postos formais de trabalho no primeiro semestre de 2010. Segundo o Ministério, foi o melhor semestre da história do Caged. No Paraná foram gerados 12.723 novos empregos com carteira assinada. O resultado é quase o dobro do mesmo período do ano passado e superior ao mês de julho deste ano. É também o melhor entre os estados da região Sul e um dos três destaques do país, junto com São Paulo e Minas Gerais estados com população maior que a do Paraná. Com os novos números, chegou a 113.711 o total de empregos formais gerados este ano no Estado – resul-

46

seguida, aparece a indústria da transformação, com 3.667 empregos gerados no mês e 38.230 no acumulado do ano. O setor da construção civil gerou 2.716 empregos em julho e 122.002 de janeiro a julho. Os dados mostram que as cidades do interior foram responsáveis pela maioria dos empregos no Estado. Do saldo de 12.723 empregos em julho 5.293 foram gerados na Região Metropolitana de Curitiba. Com o resultado de julho, sobe para 2.315.054 o número de trabalhadores do Paraná com registro formal.


Lei da Palmada O Brasil pode aprovar a lei que proíbe que adultos punam fisicamente crianças com o argumento de que estão educando. A ação é defendida pelo ministro dos Direitos Humanos, Paulo Vannuchi. De acordo com o ministro é um absurdo que a lei brasileira proíba o castigo físico de adultos, mas não o de crianças. O projeto de lei proíbe qualquer tipo de castigo físico em crianças e adolescentes. A proposta prevê mudanças no Código Civil para retirar o dispositivo que não pune pais, responsáveis e educadores pelas palmadas, mesmo as consideradas pedagógicas. De acordo com o artigo 395 do Código Civil, o responsável só perde o pátrio poder se houver espancamento da criança ou adolescente. Segundo a deputada federal Maria do Rosário, se a lei for aprovada, os pais que forem flagrados dando palmadas em seus filhos poderão ser penalizados com base no Estatuto da Criança e do Adolescente. De acordo com o estatuto, os responsáveis poderão ser encaminhados a programa oficial de promoção da família, receber tratamento psico-

lógico e frequentar cursos em programa de orientação. “A proposta tem objetivo de abolir todo tipo de castigo físico”, afirma a deputada. Atualmente, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) trata dos "maus-tratos", mas não há especificações dos tipos de castigos. Por isso, o governo federal enviou ao Congresso Nacional um projeto de lei que, se aprovado, irá proibir palmadas, beliscões e formas de agressões físicas hoje consideradas leves por muitos pais e até mesmo por alguns educadores. Ao falar durante a 1ª Semana de Educação em Direitos Humanos, evento realizado pela Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, Vannuchi citou o caso da menina Isabella Nardoni, morta em março de 2008, para explicar que a agressão contra crianças e adolescentes, mesmo quando cometida pelos pais, é um grave problema social e não um assunto familiar. "Esta é uma lei para que as pessoas entendam que o espancamento da criança não é assunto familiar, mas sim algo que diz respeito a todos", disse Vannuchi.

47


Para cada sintoma, um médico diferente

48

Diante do grande número de especialidades médicas, fica difícil decidir pelo médico certo. Seguir a direção correta facilita muito a vida de pacientes e profissionais que, não raramente, se veem obrigados a reencaminhar os doentes a outros consultórios. Duas áreas que geram muitas dúvidas são as de coloproctologia e urologia: você sabe quando deve recorrer a cada uma delas? Segundo a coloproctologista Sônia Time, as diferenças entre essas áreas confunde até alguns médicos que encaminham seus pacientes ao consultório equivocado. De acordo com a especialista, as patologias relacionadas ao intestino grosso, reto e ânus, são de responsabilidade do coloproctologista. Por outro lado, a urologia trata doenças do sistema urinário – composto por rins, ureter, bexiga e uretra – e do sistema reprodutor masculino, formado pelos testículos, vesículas seminais, canal deferente, próstata e pênis. O principal motivo de confusões entre as especialidades, segundo Sônia, deve-se ao exame de toque retal, indicado para diagnosticar doenças da próstata. “O exame é feito através da parede retal, porque este é o meio mais próximo de se alcançar a próstata”, explica a especialista. “No entanto, embora seja realizado pelo reto, o exame deve ser feito por um urologista, pois esta é a sua especialidade”, completa. A coloproctologista afirma que é comum receber, em seu consultório, pacientes com sintomas de sangramento anal, que pensam

se tratar de um problema na próstata. “É evidente que um paciente com problemas de sangramento ou dores, no ânus e reto, devem recorrer ao coloproctologista, contudo, próstata e ânus são tratados por especialistas diferentes”, enfatiza. De acordo com a Sociedade Brasileira de Coloproctologia, as doenças mais comuns, nesta área, são: abscesso perianal, câncer anal, câncer colorretal, cisto pilonidal, condilomas e HPV, constipação intestinal, doença de Crohn, doença diverticular, fissura anal, fístula perianal e abscesso, hemorróidas, incontinência fecal, pólipo intestinal, prolapso retal e retocolite ulcerativa. Na área de urologia, as enfermidades mais conhecidas são: infecções urinárias, insuficiência renal, cistite interstical, disfunção erétil, infertilidade, tumores no rim, bexiga e testículos, ejaculação precoce, andropausa, doenças sexualmente transmissíveis, câncer de próstata, hiperplasia prostática e infecções prostáticas, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia. É importante lembrar que, devido à proximidade anatômica dos órgãos tratados, urologistas e coloproctologistas podem trabalhar em conjunto, em algumas situações. “Entretanto, o paciente deve procurar o especialista de acordo com os seus sintomas”, finaliza Sônia.


Nasceu Personal Baby. Está na hora de trocar as fraldas.

A fralda descartável que nasceu com tudo para atender consumidores tão exigentes.

A família está completa. A maneira carinhosa de manter a pele do bebê macia e protegida a cada troca de fralda.

Chega nas versões regular, mega e jumbo e nos tamanhos

49


Rejuvenescimento facial O mercado voltado à estética está sempre em busca de novidades para atender um público cada vez mais preocupado em combater os sinais de envelhecimento. De acordo com uma pesquisa da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica e Estética houve um crescimento de 700% na busca por tratamentos nos últimos anos. As pessoas que mais procuram esse tipo de tratamento estão na faixa etária de 35 a 50 anos. Entre os procedimentos estéticos utilizados no rejuvenescimento facial está o preenchimento cutâneo, uma técnica empregada em rugas, sulcos, flacidez, nos lábios, ao redor dos olhos, dorso das mãos, glúteos e abdômen. De acordo com o dermatologista Maurício Sato, o uso da técnica pode ser associado a outros procedimentos na mesma sessão: laser, toxina botulínica (botox) ou peelings. Para o dermatologista, o tratamento combinado gera melhores resultados. “O peelings ou lasers melhoram a cor e a textura da pele, já a toxina botulínica melhora a aparência das rugas de expressão e os sulcos mais profundos. Isso é o que chamamos de rejuvenescimento em três dimensões”, ressalva Sato. As pessoas que pretendem submeter-se a esse tratamento estético devem ficar atentas às recomendações. “O preenchimento cutâneo deve ser evitado em pacientes que apresentam doenças de coagulação, imunológicas ou alérgicas. Não há contraindicações para o preenchimento por motivo de doença ou cicatrizes. Entretanto, o procedimento só é indicado para quem tem mais de 30 anos”, salienta. Vantagens e desvantagens

50

O tratamento traz muitas vantagens. Entre elas: a elasticidade da pele nos locais onde estão localizados sulcos mais profundos, melhora nos contornos da face e do corpo e corrige assimetrias causadas por cicatrizes. “O procedimento apesar de ser ambulatorial, possui baixas taxas de complicações,

é pouco desconfortável e determina resultados bastante naturais, se bem realizado”, esclarece Sato. O dermatologista também aponta desvantagens, como a durabilidade estimada entre nove a 12 meses para produtos como ácido hialuronico, por ser um produto temporário é necessário reaplicá-lo uma vez por ano. Recentemente chegou ao mercado brasileiro um produto mais duradouro – a hidroxiapatita de cálcio - que tem durabilidade estimada de 18 meses. Em relação à recuperação do paciente, o médico explica que no dia do procedimento a pele fica inchada, avermelhada e podem surgir alguns hematomas. “É necessário repouso leve, aplicação de gelo local e em alguns casos o uso de antialérgicos. O paciente pode retomar as atividades habituais após 48 horas, em média”.


51



Revista Belleza Total - Edição 05