Issuu on Google+

REVISTA MORMAII #9 NESTA EDIÇÃO:

/// DESTINO AZUL /// CARLOS BURLE /// EL NIÑO MORMAII.COM.BR


6

REVISTA MORMAII #9 SETEMBRO • 2010 FOTO CAPA: JAMES THISTED

/// FRAME

10

/// NEWS

12

/// LAWRENCE WABBA

16

/// MORMAII SPORTS

18

/// 1/365

22

//// COLUNA DO DR.

24

/// MORMAII MUSIC

26

/// MORMAII SHOP

28

/// SECRET SPOT

34

/// PAPUA NOVA GUINÉ

36

/// BURLE

50

/// EL NIÑO

62

/// MORMAII MODA

72

/// IMAGENS

78

/// ROOTS

84

/// MORMAII ARTS

88

/// EARLY DAYS

90


8

PRESIDENTE

REVISÃO

Marco Aurélio Raymundo

João Paulo Fedele de Azeredo Jonathan Parpinelli

EDITOR

CONTATO

Felipe Fernandes

mormaii@noize.com.br

DIRETOR DE MARKETING

COLABORADORES

Gerson Vignoli Perrenoud

James Thisted Jovani Prochnov

DIREÇÃO DE CRIAÇÃO Carlos Carpinelli

DIREÇÃO DE ARTE

Ricardo Ribas Cristian Dimitrius Lawrence Wahba Karol Meyer Digiacomo Dias Kauli Seadi Guilly Brandão

Rafa Rocha

Marcelo Palma Kento Kojima

DESIGN

Pablo Rocha Fabiano Tissot

Douglas Gomes

Realização NOIZE Entretenimento Supervisão MXM Marketing


FRAME ///10

Fotos: James Thisted Te x t o : F a b i a n o T i s s o t

1

2

4

3

5


DIOGO GUERREIRO /// Diogo Guerreiro é o capitão do veleiro Itusca nessa louca viagem de volta ao mundo chamada Destino Azul. Em Papua Nova Guiné, Diogo mostrou exímio conhecimento sobre a cartografia das ondas locais. Nesta seqüência ele dropou a bombordo e sem hesitar puxou o leme da sua prancha com precisão pra aumentar ainda mais suas milhas náuticas percorridas por dentro dos tubos. 6

7


News

12

/// MORMAII IWC 2010 #MORMAII #STANDUPPADDLE #IBIRAQUERA #KITEWAVE #WINDSURF #IWC

2010 os atletas da equipe masculina deram um presente pra Mormaii, com vitórias em todas as categorias. A primeira foi de Kauli Seadi, no windsurf. Mostrando versatilidade e conhecimento das ondas locais, ele venceu também no SUP, sagrando-se campeão brasileiro. Valendo vagas pra quarta etapa do Stand Up World Tour, a triagem foi vencida por Alexandre Takeo, o Magrinho. O santista Leco Salazar levou o público de Ibiraquera ao delírio nas disputas finais do SUWT, liderando a bateria decisiva de ponta a ponta. No encerramento da competição, Guilly Brandão sagrou-se mais uma vez campeão da etapa do Brasileiro de Kitesurf Wave.

Fotos: Jovani Prochnov / IWC

Durante o Mormaii IWC


www.mormaii.com.br

13

/// DESTINO AZUL #MORMAII #DESTINOAZUL #PAPUANOVAGUINE Foto: James Thisted

Essa incrível aventura de volta ao mundo a bordo de um veleiro continua cruzando os sete mares. Atualmente na Indonésia, onde permanecem até outubro, Diogo Guerreiro e Flavio Jardim atravessarão o Indico até Madagascar e África do Sul. Retornarão ao Brasil após quase três anos de viagem com muitas histórias pra contar e saudades da terrinha. Veja mais em www.destinoazul.com.br

/// VITÓRIAS E RECORDES #MORMAII #DIGIACOMODIAS #KAROLMEYER #SANDBOARD #MERGULHOLIVRE Foto: Ricardo Ribas

Foto: Arquivo Pessoal

O sandboarder Digiácomo Dias aprovei-

Em plena Grécia, mergulhando com uma

tou sua viagem ao Chile para iniciar um

pedra de 12 quilos, Karol Meyer deslizou

projeto: descobrir e medir as sete maio-

para a imensidão, atingindo o novo recor-

res dunas do mundo. Depois de vencer o

de mundial feminino na modalidade Skan-

campeonato internacional do Atacama, o

dalopetra. A marca foi de  61,5 metros

atleta foi em busca da Medanoso, con-

em 1’48”. Este ano Karol também bateu

siderada a maior duna do Chile e uma

o recorde mundial da categoria No Limits

das maiores do planeta. Da base da duna

Tandem em Boaire, no Caribe, mergulhan-

até o topo, Digi e seus amigos chilenos

do 121 metros em apnéia. Ela ainda figura

levaram um pouco mais de duas horas. A

com outros dois recordes no Guinees

medida registrada foi de 510m de altura

Book, ambos alcançados em 2009 mas

e o tempo de descida foi de 2’15’’.

atingidos após a conclusão da edição.


News

14

/// MORMAII MOLOKAI PAI’LOLO RACE #MORMAII #SUP #STANDUPPADDLE #MOLOKAI

A Mormaii Molokai Pai’lolo Express Race percorreu 27 milhas de Honolua Bay, em Maui, até a chegada no porto de Kaunakakai, na ilha de Molokai. A prova aconteceu em um domingo, dia 11/07, e teve a presença de atletas renomados, como o waterman havaiano Dave Kalama, terceiro colocado. Quem conquistou o primeiro lugar na categoria Masculina foi Connor Baxter, de apenas 16 anos. Já na Feminina, a ganhadora foi Andrea Moller, brasileira que reside no Havaí e recebe patrocínio da Mormaii.

/// MORMAII DAY O Mormaii Day, realizado durante a semana que antecedeu o GP Brasil do Mundial de Motocross, reuniu pilotos e equipes numa fazenda em Mato Grosso. A cultura pantaneira ganhou destaque com a apresentação de shows folclóricos e comidas típicas. Uma partida de futebol e passeios a cavalo fecharam o dia com chave de ouro.


15

www.mormaii.com.br

/// MORMAII PRO JÚNIOR 2010 #MORMAII #PROJUNIOR #GAROPABA

/// NALU PELO MUNDO Foto: James Thisted

Sucesso absoluto na TV a cabo, o programa Nalu Pelo Mundo é exibido todas terças-feiras às 21:30 no Multishow e conta a história de Everaldo Pato, Fabiana Nigol e sua filhinha

O Mormaii Pro Jr. 2010 foi um

lino e Diana Cristina no feminino.

Isabelle Nalu. Enquanto

verdadeiro show de surf, e por ser

Os atletas da equipe Mormaii,

Pato surfa as maiores

válido como seletiva pro mundial

Gabriela Leite e Vicente Romero

ondas do planeta e

da categoria, teve a participação

também se saíram muito bem,

Fabiana registra as ima-

dos maiores nomes da nova

conquistando a segunda e terceira

gens, Bellinha aproveita

geração sul-americana. O evento,

colocações, respectivamente. O

pra se divertir e ajudar a

que é considerado um celeiro de

Mormaii Pro Junior 2010 teve pa-

mamãe no seu trabalho.

talentos e o futuro do esporte,

trocínio da Mormaii e da Prefeitu-

Estrela-mirim, Isabel-

aconteceu na paradisíaca Praia

ra Municipal de Garopaba, além

le Nalu ainda esteve

da Ferrugem, em Garopaba (SC),

do apoio da Secretaria de Turismo

presente na entrega

teve transmissão ao vivo pela

e Esporte, ASG (Associação de

do Prêmio Multishow

internet e contou com altas ondas

Surf de Garopaba), FECASURF

2010, cheia de carisma

à disposição da garotada. Jessé

(Federação Catarinense de Surf) e

e personalidade, apesar

Mendes levou a melhor no mascu-

ASP South América.

de encabulada!


16

Estreito de Lembeh / O Luxo do Lixo / Fotos: Cristian Dimitrius

ESTREITO DE LEMBEH: O LUXO NO LIXO #LAWRENCEWABBA #MERGULHO #MORMAII

// Olá amigo leitor da Revista Mormaii. Provavel-

Eu explico: Em viagem do Brasil a Lembeh demora-

mente ao ler o título deste artigo você chegou à

se mais de 60 horas. Uma odisséia que começa no

conclusão que meu cérebro narcosou depois de

aeroporto de Guarulhos, passa por Dubai, Kuala

tantos anos de mergulho.

Lumpur na Malásia e Bali, onde pega-se dois

E foi exatamente esta a sensação que eu tive ao ini-

voos domésticos na Indonésia por locais que nem

ciar minha primeira descida no remotíssimo Estreito

lembro o nome e um carro até Bitung, uma poluída

de Lembeh, na Indonésia. Apenas um louco faria o

cidadezinha na Ilha de Sulawesi. Pois bem, depois

esforço que eu fiz para mergulhar ali.

desta maratona, cheguei ao mundialmente famoso


17

www.mormaii.com.br

“Embaixo da sujeira [...] esconde-se a maior biodiversidade marinha do mundo...” Estreito de Lembeh, “seco” para entrar na

seres humanos nos esforcemos para ferrar

água.

com tudo, ele insiste em se recuperar e

Se você está imaginando águas cristali-

nos mostrar como a vida é maravilhosa e

nas, areia clara, recife de corais intocados,

misteriosa.

enfim, todo estereótipo de paraíso sub-

Embaixo da sujeira jogada pela popu-

marino que faria a fama de tal destino e

lação miserável e sem acesso a educação,

justificaria tamanho esforço para chegar

sobrevivendo no fundo lodoso e de pouca

ali, você está extremamente enganado!

visibilidade, esconde-se a maior biodiver-

Minha primeira visão ao afundar na água

sidade marinha do mundo. Um festival alu-

esverdeada, desviando de todo tipo de

cinante de formas e cores, como mostram

lixo que boiava na superfície foi um fundo

as imagens desta matéria. São criaturas

lodoso de areia escura. Os pouco mais

tão exóticas que me faltam adjetivos para

de 7 metros de visibilidade me permitiam

descrevê-las.

ver alguns cabeços de coral cercados por

As únicas palavras que me vêm à cabeça

uma montanha de lixo, que incluía latas,

ao ver estes animais tão incríveis são as do

plásticos, sapatos, fraldas, roupas... Afinal

mestre Jacques Cousteau ao pedirem que

de contas o que eu estava fazendo ali? Por

ele descrevesse o que via no fundo do

que mergulhar neste lugar?

mar: Il faut allez voir! (É preciso ir ver).

Pois bem, nosso planeta é mesmo um

Mesmo que para tal tenhamos de cruzar

local surpreendente e, por mais que nós

meio mundo e afundar num mar de lixo.


18

Mormaii Sports / Fotos: Michele Cruz


19

www.mormaii.com.br

MORMAII NO GP BRASIL DO MUNDIAL DE MOTOCROSS #MORMAII #MORMAIIMX #GPBRASILMOTOCROSS #2BRACING

/// A Mormaii tem muito que comemorar ao

fantástico para mim e para a equipe”. Pipo

fim do GP Brasil de Motocross realizado dias

Castro também superou as dificuldades e fes-

21 e 22 de agosto, em Campo Grande (MS).

tejou sua colocação: “Mesmo com uma moto

O evento foi um sucesso e contou com a pre-

emprestada, o fim de semana foi perfeito e

sença de grandes nomes do esporte mundial,

conquistei um ótimo resultado. Correr em uma

sendo transmitido ao vivo pela internet e pela

pista de alto nível e com pilotos muito bons

ESPN. Entre os brasileiros, Cristopher “Pipo”

foi um ótimo treino pro Nações”. A Mormaii

Castro e Antônio Jorge Balbi Júnior foram

ainda aproveitou a passagem do Mundial de

os destaques na classificação geral da MX2 e

Motocross pelo Brasil para lançar sua linha de

MX1, respectivamente. Ambos contam com o

equipamentos, com destaque para os capace-

patrocínio da Mormaii e fazem parte da seleção

tes 2011 e o protótipo da camisa que comple-

brasileira que disputará o Motocross das Na-

mentará o mix de produtos”, anunciou Theseu

ções em setembro, nos Estados Unidos. Balbi

Rodrigues, diretor da Mormaii no segmento

Júnior da 2B Duracell Racing, enfrentou duas

motociclismo que ainda afirmou: “Sabemos

fortes baterias mesmo retornando de lesão e

que nossos pilotos têm muito potencial, e que

declarou: “O resultado foi além do que eu es-

os equipamentos Mormaii colaboram para seu

perava. Voltei a andar bem e fiz o melhor resul-

bom desempenho. Pipo e Balbi surpreenderam

tado entre os brasileiros. Foi um fim de semana

e estamos muito felizes com o resultado”.

Confira mais detalhes sobre o GP Brasil no Mundial de Motocross e o universo do esporte em http://www.mormaii.com.br/imprensamx/


1 / 3 6 5 / Te x t o : F a b i a n o T i s s o t

Foto: Jovani Prochnov / IWC

Foto: James Thisted

22

1/365 Kauli Seadi /// Um dia na vida de Kauli Seadi pode ser passado no Brasil ou em qualquer um dos principais picos de windsurf do planeta. Casualmente este é um caso onde ambos os fatores estão presentes. Competindo na décima sexta edição do Mormaii Ibiraquera Wave Contest, o tricampeão mundial de windsurf, que participa do evento desde os treze anos de idade, está literalmente em casa. Pela imagem da sua garagem podemos perceber que sua vida não gira em torno do vento apenas. Pranchas de stand up e tow in, mountain bikes, foilboards, uma motocross, jet-ski e diversos outros equi-

pamentos de aventura preenchem a moradia situada ao pé do morro e cercada por paz e tranqüilidade. Na praia Kauli encontra os amigos de treino e competições. Concentrado e prestes a entrar na água pra sua primeira bateria do dia, recém chegado de casa, vai em busca das ondas no seu quintal.

Para Kauli este foi mais um dia normal de sua vida, dividida entre as competições ao redor do mundo e os treinos e opções de lazer da vizinhança. Melhor ainda quando uma coisa completa a outra e ele pode curtir e competir num dos picos mais clássicos de windsurf do mundo, que para ele chama-se lar.


Coluna do Doutor / Por Dr. Morongo

24

COLUNA DO

DOUTOR

SAIBA MAIS

/// CLIQUE E ESCUTE

PARA LER OUVINDO: “INDIFERENTE” POR DR. MORONGO /// CLIQUE AQUI

/// Mais uma coluna, mais um de-

Bem, pelo menos nós

safio de colocar em palavras, sen-

pensamos, temos

timentos, visões e quem sabe o

consciência, podemos

intangível. Tenho viajado muito em

optar qual o melhor

pensamentos, mas também fisica-

caminho e somos o

mente e o que se vê da janela de

que queremos ser.

um avião quando está decolando ou

Talvez elas também

aterrisando em um grande centro

tenham estas “qua-

urbano é como se olhássemos em

lidades superiores”,

um binóculo pelo lado errado. O

mas simplesmente

que era para ser grande se torna

decidiram que o me-

minúsculo. Carrões e homens com

lhor seria continuarem

egos enormes se transformam em

mais um tempo como

pontinhos aos milhares, como formi-

estão, levando vida de

guinhas num enorme formigueiro.

formiguinhas, porque

Daquele ponto de vista, pouco nos

a de “bixo homem”,

diferenciamos dos laboriosos inse-

para alguns, pode ser

tos. Mas seremos mesmo tão dife-

de lascar!

rentes? Temos na agricultura a nossa base alimentar, mas elas também têm suas “vaquinhas” e suas plantações de fungos. Rainhas e algumas nações ditas de primeiro mundo! Temos exércitos de guerreiros; elas também atacam, invadem e matam igualzinho aos seres “superiores”.


26

M o r m a i i M ú s i c a / Te x t o : B r u n o F e l i n / A r t e : C r i s t i a n o Te i x e i r a

/// GET READY! A VOLTA DO SUBLIME #MORMAII #SUBLIME #IMUSICA

A volta do Sublime com outro vocalista não

protestos de fãs mais conservadores, a nova

agradou os fãs mais xiitas, mas trouxe à cena

formação também enfrentou problemas judiciais

uma das bandas mais inovadoras e adoradas da

com a família de Bradley, dona dos direitos de

década de 1990. Após alguns anos sem con-

uso do nome. A solução foi trocar para Sublime

versarem muito, o baterista Bud Gaugh encon-

with Rome e, finalmente, entrar em turnê pelo

trou o baixista Eric Wilson com uma novidade:

mundo - incluindo o Brasil. A chance de ver a

“conheci um moleque que canta e toca demais,

inconfundível mistura de rock, reggae, ska e

você precisa ouvi-lo”. O anúncio chamou a

punk dos caras, e ouvir músicas que, devido a

atenção de Bud, pois foi a mesma coisa que ele

trágica morte de Nowell, nunca puderam ser to-

tinha ouvido 21 anos atrás, quando conheceu o

cadas ao vivo, será no festival Starts With You. O

vocalista da formação original, Bradley Nowell

evento acontece nos dias 9, 10 e 11 de outubro

(morto em 1996 por overdose de heroína). O

na Fazenda Maeda, no município de Itu, a cerca

novo garoto é Rome Ramirez, nascido em 1988,

de 70 km de São Paulo. Estão confirmados ou-

mesmo ano em que eles começaram a tocar

tros nomes de peso como Linkin Park, Incubus,

em Long Beach, no sul da Califórnia. Além dos

Cavalera Conspiracy e Kings Of Leon.


Mormaii Shop

28

NOVIDADES QUE VÃO FAZER SUA CABEÇA #MORMAII #MORMAIISHOP #WETSUITS #SURF #SUP #TRIATHLON

1. 13.

2.

5.


www.mormaii.com.br

29

1. GORRO DE NEOPRENE // 2. LONG JOHN MASCULINO ORBIXXX // 3. SHORT JOHN MASCULINO CAVADO // 4. CAMISA MASCULINA NEOPRENE // 5. LONG JONH MASCULINO VULCANUS // 6. WETBAG // 7. LOÇÃO BRONZEADORA FPS 8 // 8. LOÇÃO PÓS-SOL // 9. NEOLEASH // 10. CAPA DE REMO PRA STAND UP // 11. PARAFINA // 12. CAPA DE PRANCHA BOARD SKIN // 13. LONG JONH MASCULINO TRIFLEX

7.

9. 12. 8.

4.

11.

3.

10.

6.


Mormaii Shop

30

MORMAII ORBIXXX: INOVAÇÃO E TECNOLOGIA Foto: James Thisted

#MORMAII #ORBIXXX #WETSUITS

MORMAII ORBIXXX Wetsuits

/// O Mormaii Orbixxx foi

às vezes tínhamos que sair

construído com a mais alta

por não agüentar o frio, mas

teconologia e inovação para

hoje em dia não há mais esse

manter seu corpo aquecido e

problema!”. Já o bicampeão

flexível. Possui design anatô-

mundial de kitesurf, Guilly

mico, sistema super strech X3

Brandão, declarou: “O que

em toda roupa, costura bli-

eu mais gostei foi a liberdade

dstich, dupla vedação, zipper

de não ter zíper nas costas,

no peito com puxador de

proporciona muita amplitude

nylon entre outras novidades.

no movimento, ainda mais

Heitor Alves (foto) é um dos

porque ele é super flexível.

atletas da marca que já testa-

A galera comenta que eu

ram e aprovaram a novidade,

fico no Sul treinando na água

mas nao foi o único.

gelada e não entendem como

Para o tricampeão mundial

consigo agüentar. Mas o frio

de windsurf, Kauli Seadi: “A

é só até a hora que você põe

roupa está clássica, não entra

o Orbixxx, aí o dia vira um

nada de água, o Orbixxx é

verãozinho particular!

muito vedado. O mar aqui em Ibiraquera é gelado e NOTA DO ATLETA /// EKOLU KALAMA

SAIBA MAIS

/// COMPRE

O Havaiano Ekolu Kalama, acostumado com as águas tropicais da sua ilha natal em Molokai, agradeceu o Orbixxx que ganhou da Mormaii durante o IWC 2010: “Ele é muito quente e flexível. Na hora que cheguei em casa e tirei o long não acreditei, minhas cuecas estavam secas. Mostrei pra minha namorada e ficamos rindo!”


Mormaii Shop

32

NOVOS KITES MORMAII 2011: DESIGN, DESEMPENHO E SEGURANÇA #MORMAII #KITESURF #KITEWAVE #FREESTYLE

/// O novo Kite Mormaii 2011

confiável e confortável. Outra

é o que existe de mais inova-

característica dos Kites Mor-

dor no mercado em matéria

maii 2011 é a redecolagem

de design aerodinâmico e irá

na água que está muito mais

surpreender todos os prati-

fácil e rápida. Além disso, a

cantes do esporte. Ele é um

Mormaii se superou no desen-

Delta-Hybrid, um projeto

volvimento da arte e criou um

especial que contém todas

ar arrojado e clean ao mesmo

as qualidades possíveis num

tempo.

kite, seja para um iniciante ou

O equipamento tem enchido

para o velejador experiente

os olhos das pessoas na praia

que gosta de surfar as ondas

que ficam com vontade de

ou extrapolar nas manobras

experimentá-lo só de ver ele

de freestyle. Seus inovadores

voando.

sistemas de segurança permitem uma prática ainda mais

KITE SURF MORMAII 2011

NOTA DO ATLETA /// GUILLY BRANDÃO

Delta-Hybrid

Foto: Jovani Prochnov / IWC

“Este kite é super rápido e muito leve, você quase não sente a pressão dele, parece uma “barra hidráulica” (risos), super macio e que gira muito bem na onda! E pra galera que está começando tem todos os recursos de segurança. É o equipamento ideal tanto para o iniciante como pra quem procura alta performance nas ondas ou no freestyle.”


///34

SECRET SPOT Foto: James Thisted Te x t o : F a b i a n o T i s s o t


/// Surfar um secret spot proporciona uma sensação especial, pois além de ondas perfeitas, eles incluem uma boa dose de aventura e desbravamento, talvez dois dos ingredientes que mais faltem ao surf moderno. Por isso, picos assim são mantidos em segredo, afinal de contas, uma imagem vale mais que mil palavras.


Fotos: James Thisted Te x t o : F a b i a n o T i s s o t

Diogo Guerreiro e Flávio

meteorologia, mecânica e

Jardim já percorreram

motonáutica. Como não

caminhos heróicos em

bastasse, os caras ainda são

suas vidas e a impressão

pra lá de descolados no

que deixam é que quanto

surf, windsurf, kite e stand

mais aventuras completam,

up paddle. Você confere

mais vontade tem de ir

agora um relato incrível de

em frente e desafiar novos

Diogo Guerreiro a respeito

limites. Em uma das etapas

de Papua Nova Guiné, um

mais audaciosas do Projeto

lugar exótico e isolado do

Destino Azul, dando a volta

planeta que passa a im-

ao mundo em um velei-

pressão de ter parado no

ro, passaram por lugares

tempo. Uma ilha paradisí-

incríveis como Galápagos,

aca cercada por pequenos

Marquesas, Fiji e Taiti.

mistérios da existência,

Mas eles não são apenas

onde a maior parte dos

velejadores, mestres em

habitantes é composta por

navegação astronômica,

crianças.


38

Destino Azul / Papua Nova Guiné / Fotos: James Thisted

O Itusca já havia nos levado

torna-se muito longa. Seis-

a tantos lugares... Mas desta

centas pessoas moram ali,

vez fomos além, uma jornada

uma verdadeira explosão

através do tempo. Ungalik,

demográfica. Uma ilha domi-

uma ilha na Papua Nova Gui-

nada por crianças.

né não pode estar no século

Como há muitos rios neste

XXI. Não há luz, telefone,

país, nos locais mais próxi-

rádio, nem geladeira. Existe

mos à costa, a água é turva,

uma hospitalidade e curiosi-

levemente esverdeada, uma

dade que não caracterizam

lembrança gostosa do Brasil.

o tempo de desconfiança

Coqueiros, palmeiras, águias,

atual. E durante a noite, após

tucanos e crocodilos. Os pás-

grandes morcegos percorre-

saros são muito amistosos e

rem o céu, as estrelas bri-

parecem mesmo adestrados.

lham intensas, como deviam

Um dia, no futuro, vamos

brilhar antigamente.

lembrar daqui e tudo vai

A ilha situa-se no extremo

parecer um sonho.

norte da Papua Nova Guiné,

Ainda afastados da ilha, a ca-

quase na linha do equador.

noa, tradicionalmente cons-

O clima, especialmente nesta

truída de um tronco só, mo-

época do ano, era pra ser

via-se lentamente em nossa

úmido, mas o mundo está

direção, riscando levemente

estranho e as nuvens tem

o quintal líquido da casa de

sido tímidas e discretas.

nosso futuro amigo. Suas

Ungalik pode ser cruzada

mãos negras sinalizavam o

de ponta a ponta em uma

canal para nos aproximarmos

caminhada de 10 minutos.

e soltarmos ancora. O sorriso

Isso, é claro, se você fosse

mostrou que éramos bem

completamente alheio a esse

vindos. Outras canoas, desta

universo surpreendente,

vez com crianças e mulheres

pois na prática, as atrações

pescando, se aproximaram

são tantas que esta jornada

com curiosidade.


39

www.mormaii.com.br

“AS ONDAS QUEBRAM AO REDOR DE TODA ILHA E TAMBÉM EM OUTRAS BAÍAS DA REGIÃO. AS CRIANÇAS SURFAM COM QUALQUER COISA QUE BÓIE”

/// Flávio Jardim


40

Destino Azul / Papua Nova GuinĂŠ / Fotos: James Thisted


41

www.mormaii.com.br

“ENQUANTO ANDÁVAMOS, NOSSAS MÃOS ERAM DISPUTADAS PELAS CRIANÇAS QUE CAMINHAVAM CONOSCO” Acenamos brandamente e retribuímos o olhar. Felizmente o inglês é amplamente falado na Papua. Lawrence, nosso voluntário anfitrião, explicou que antes de qualquer coisa, deveríamos visitar o chefe local. Assim começou oficialmente nossa viagem no tempo. Colocamos os pés no anel de areia clara que circunda a ilha. Dezenas de crianças e alguns poucos adultos nos rodearam. A curiosidade transbordava. A deles ainda mais que a nossa. Enquanto caminhávamos pela novidade, nossas mãos eram disputadas pelas crianças. Aos poucos fomos percebendo detalhes surpreendentes sobre um povo que viveu 800 anos isolado nas altas montanhas da Papua central. Uma ilha de negros, completamente diferentes dos polinésios que observamos por tantos meses.


44

Destino Azul / Papua Nova GuinĂŠ / Fotos: James Thisted


45

www.mormaii.com.br

“A JORNADA DESTA VEZ FOI ATRAVÉS DO TEMPO, UNGALIK É UMA ILHA NA PAPUA NOVA GUINÉ QUE NÃO PODE ESTAR NO SÉCULO XXI” Falam 800 dialetos e, de

deiras, muito caprichadas.

longe, foi o maior choque

O fogo crepitava dentro de

cultural que tivemos em

algumas delas.

nossa jornada de volta ao

O chefe era um cara mais

mundo. O povo tem um as-

velho, forte e de olhar

pecto selvagem, especial-

sério. Presenteei-o com

mente os adultos com as

uma camiseta. Recebemos

bocas vermelhas de tanto

o “bem vindos” oficial e

mascar uma semente de

continuamos nossa peregri-

palmeira com qualidades

nação no tempo e espaço.

alucinógenas. A maioria das

Aos poucos, nos dias que

crianças e muitas mulheres

passamos ancorados ali,

têm os cabelos vermelhos,

fomos aprendendo mais e

alguns levemente amare-

mais, embora temamos que

los. São todos fortes e não

algumas lacunas não serão

há obesos. Peitos de fora

preenchidas. Aprendemos

e crianças peladas. Uma

que eles enxergam o mar

criança de uns dois anos de

como seu supermercado

idade arrastava um facão

e têm plena consciência

maior que a perna. Outra

de preservá-lo. Um tipo

menina, mais velha, mostra-

de palmeira local já salvou

va a língua e gargalhava. A

a vida de gerações desta

briga por nossas mãos con-

ilha. Com ela, eles fazem

tinuava. As casas eram de

um pirão bem consistente e

palha, bambu e outras ma-

saboroso, a principal


/// Diogo Guerreiro


48

Destino Azul / Papua Nova Guiné / Fotos: James Thisted

fonte de energia e alimentação local. O prato se

mos próximos, disse que o nome de sua filha será

pronuncia Seigo, embora ninguém soubesse me

Mailyn - o mesmo de minha esposa. As ondas que-

mostrar como se escreve. Dela fazem também o

bram ao redor de toda ilha e em outras baías na

telhado das casas e o revestimento das paredes.

região. As crianças surfam com qualquer coisa que

Mas como podem morar tantas pessoas num

bóie. Algumas, com pequenos tacos de madeira,

espaço tão pequeno e sem resquícios de sujeira?

nem bóiam tanto, mas passam o dia mergulhadas

E como conter o ímpeto de migrar para locais

na espuma.

desenvolvidos? Talvez eles vivam mesmo parados

Apontando para uma baía em frente, nos disseram

no tempo. O vínculo de amizade que criamos foi

que as ondas eram muito fortes. Quando entrou

intenso. Trocamos roupas e camisetas por frutas.

um swell grande fomos pra lá. Assustador é a pala-

Alugamos uma prancha de surf por dois cocos, um

vra mais adequada. É muito raso e a onda se dobra

mamão e seis maracujás. Uma família da qual fica-

consumindo a si mesma, quase como um buraco


49

www.mormaii.com.br

“UM DIA, NO FUTURO, VAMOS LEMBRAR DAQUI E TUDO VAI PARECER UM SONHO ESTRANHO” negro. Quebramos pranchas, ralamos as costas,

e corrompendo nossa teoria da viagem no tempo.

rasgamos os pés, perdemos unha, costuramos a

A resposta está ainda além da nossa compreensão.

cabeça. O drop é quase impossível e o tubo inevitável. Pra cada dez vacas, um tubo inesquecível.

Diogo Guerreiro e Flávio Jardim partiram de Pa-

Na ponta leste da ilha, uma outra esquerda incrível

pua, atravessaram o portal cósmico em direção à

percorre centenas de metros beirando a banca-

Indonésia e já viveram novas experiencias por lá.

da. Um surf relax e muito divertido. Olhando do

O site deles, www.destinoazul.com.br, possui fotos,

line-up, crianças peladas brincam com suas tábuas

vídeos e, é claro, o Diário de Bordo. O livro

na beira, imitando nossos movimentos, mas numa

Tempestades e Calmarias, escrito por Diogo

situação mais intensa, pois seus pés pisam descal-

Guerreiro, lhe permitirá conhecer um pouco mais

ços e com força o coral cortante. O mais estranho

sobre essa epopéia moderna e as reflexões de um

ao final foi perceber que o sol continuava girando

homem ao mar buscando desbravar a si mesmo.


/// Fotos: MidiaBacana / / / Te x t o : F a b i a n o T i s s o t


52

Carlos Burle / Inter view / Fotos: MidiaBacana

Carlos Burle é uma lenda viva do surf. Em 1998, em Todos os Santos, no México, ele sagrou-se o primeiro campeão mundial de ondas grandes da história. E neste ano (2010), repetiu o feito de forma ainda mais impressionante. Frente a uma nova geração com sede de ondas, Burle venceu o Big Wave World Tour, circuito mundial inédito com etapas espalhadas pelos picos mais desafiadores do planeta.

No tow in ele também

aproveitar aquela oportu-

coleciona títulos impor-

nidade e desde lá trabalhei

tantes. Foi campeão

todos os quesitos pelo nos-

brasileiro no Mormaii Tow

so esporte dentro e fora

in Laje da Jagua em 2006

d’água. O resultado dessa

e terceiro colocado em

temporada foi um reflexo

Jaws, em 2002.

de dedicação e amor ao

Burle conta agora um

esporte.

pouco da sua história recheada de aventuras e

Conte um pouco sobre o

adrenalina.

alerta de Tsunami acionado no Havaí quando sua

/// Durante o El Niño de

esposa e seu bebe recém

98, você ganhou o primei-

nascido estavam por lá.

ro campeonato mundial

Foi mais um episódio

de ondas grandes numa

difícil na minha vida. Saí do

época em que o tow in

Hawaii na tarde anterior

nem existia. Agora, na

ao terremoto pra compe-

temporada 2009/2010,

tir no evento do México.

em uma situação climática

Quando acordei no outro

semelhante, você foi cam-

dia, não conseguia parar

peão do primeiro circuito

de pensar na minha família

mundial de ondas gran-

e na incerteza do que iria

des. Como você avalia

acontecer. Graças a Deus

esse ciclo na sua vida?

retornei e encontrei todos

Nesse momento mais ma-

bem!

duro e depois de ter vivido todos esses anos surfando

Esse ano você surfou um

as melhores e maiores on-

tubo gigante em Jaws,

das do planeta na remada

o que passa na cabeça

e de tow in, encaro esses

de uma pessoa quando

momentos como pontos

sobrevive a uma situação

marcantes. Em 98, me

dessas?

preparei muito para poder

Não é nada fácil entubar


/// Carlos apavorando em Te a h u p o o . feveireiro de 2009. /// Fotos: MidiaBacana


56

Carlos Burle / Inter view / Fotos: MidiaBacana


57

www.mormaii.com.br

em uma onda daquela proporção. Nós sempre víamos os tubos rolarem, mas quase nunca conseguimos passar por dentro. Foi intenso e difícil ao mesmo tempo. Uma energia inexplicável. Fale um pouco das dificuldades encontradas em Jaws. A onda de Jaws é muito difícil de surfar por ser grande e volumosa. O surfista está sempre em alta velocidade e tem que manter o controle enfrentando vários obstáculos ao mesmo tempo. Lá você sente que não foi feito para aquelas proporções. Sua participação no Eddie Aikau, em Waimea, foi histórica para o surf nacional. Conte um pouco do que você sentiu sendo o primeiro brasileiro a participar do evento. Eu queria muito realizar esse sonho. Foi mágico poder surfar a baía em um dia clássico com os melhores do mundo e alguns poucos dentro d’água. Fico feliz por merecer tudo isso. Obrigado Eddie! Fale-nos de outra onda a qual você esta se tornando cada vez mais familiar, Dangeouns na África do Sul. Você participou de uma sessão histórica por lá em 2009, em um dos maiores mares já surfados no Atlântico. Aquela onda é muito especial. Já tive sessões inesquecíveis lá. É uma onda que exige muito do preparo físico do atleta e, além disso, têm muitos


Carlos Burle / Inter view / Fotos: MidiaBacana

58

“Foi mágico poder surfar a baía (de Waimea) em um dia clássico com os melhores do mundo e alguns poucos dentro d’Água. Fico feliz por merecer tudo isso.” tubarões brancos na volta. Para

peitar todas as opiniões, é claro,

quem quer evoluir nas ondas

porém deveriam ter dias libera-

grandes, a África do Sul é parada

dos pro tow in devido o tamanho

obrigatória.

descomunal das ondas, a intensa movimentação de água e rarida-

Atualmente alguns picos ao

de com que acontecem.

redor do mundo estão fechados para o tow in por serem

Volta e meia você aparece na TV

considerados reservas ecoló-

aberta em plena tarde de do-

gicas. Você acha certo lugares

mingo. Como foi essa experiên-

que apresentam condições tão

cia de compartilhar suas aventu-

eventuais e esporádicas simples-

ras com milhões de brasileiros e

mente fecharem suas portas ao

qual o retorno pessoal que isso

esporte sem que as autoridades

lhe traz?

nem mesmo busquem um con-

Faz parte de um projeto de vida

senso mais plausível?

que tenho com meu sócio Márcio

Acho isso uma questão muito

Bacana. Sempre procuramos

delicada. Não acredito que o

trazer o surf para a mídia aberta.

impacto ambiental seja o diferen-

Acreditamos que assim o espor-

cial. Sabemos que existem fatores

te encontrará um caminho mais

bem mais impactantes nos ecos-

profissional. Queremos com isso

sistemas que são ignorados, mas

criar um ambiente mais saudável

os jet skis e os surfistas são pegos

e justo para as novas gerações. A

como exemplos. Devemos res-

indústria do surf é milionária e


59

www.mormaii.com.br


60

Carlos Burle / Inter view / Fotos: MidiaBacana


61

www.mormaii.com.br

esses números não se revertem para os salários dos surfistas. Um onda sua surfada em Mavericks, em 2001, foi considerada a maior da história, conte mais desse episódio. Para surfar uma onda desse tamanho é preciso muitos anos de experiência. Nesse dia, as maiores ondas passaram sem serem surfadas. Tive a sorte de estar na hora certa e no lugar certo. Mas claro que uma boa leitura da situação e coragem também ajudam. E o campeonato em Mavericks esse ano, como foi? O evento de Mavericks aconteceu com as maiores ondas já surfadas na remada durante um campeonato. Passei todas as baterias com a sensação de que as maiores não estavam sendo dropadas. Quando cheguei à final, sabia o que queria. Senti meus adversários cansados e me posicionei para pegar as grandes. Foram as maiores ondas da minha vida na remada. Sei que só consegui surfar elas porque estava no lugar certo e queria muito. Fiz minha parte e Deus a Dele. Tomei um dos piores caldos da minha vida e não foi fácil voltar pra encarar mais daquela situação. Acredito que fiz o possível para elevar o nível do esporte. Fico feliz de poder, aos 42 anos, ter saúde pra continuar pegando essas ondas. Gostaria de deixar um recado para a galera que acompanha a Revista Mormaii? Quero deixar um forte abraço para todos. Cuide do seu templo, o corpo, tenha uma mente tranqüila e o espírito em paz. Boas ondas!


Inúmeras teorias tomam conta dos

noticiários revelando alterações no clima da terra. Enquanto os mais velhos asseguram que realmente

coisas estranhas vêm acontecendo e a natureza passou a se comportar de maneira mais agressiva, a galera do surf, independente da faixa etária, tem feito do limão, uma limonada.

Fotos: James Thisted Te x t o : F a b i a n o T i s s o t


64

/ / / Fá b i o G o u v e i a

El Niño / SC / Fotos: James Thisted


65

www.mormaii.com.br

Em Santa Catarina muita gente teve a vida afetada pelas constantes ressacas de leste que invadiram a orla sem trégua, causando deslizamentos e varrendo casas inteiras para o mar. Com um clima tenso desses, pra não dizer que tudo está indo por água abaixo, trouxemos algumas imagens sobre o lado positivo dessa história. Depois de navegarem por milhas náuticas, produzidas por tempestades, ciclones e tornados, essas ondas cheias de energia podem ter um resultado deslumbrante ao se debaterem contra a costa brasileira e encontrarem pelo caminho os surfistas da equipe Mormaii.


/// Beto Mariano


Fotos: James Thisted

/ / / Fรก b i o G o u v e i a


Fotos: James Thisted


MAS, pra nossa alegria, o ser humano possui o dom de se superar e reverter dificuldades. Transformando cenรกrios adversos em momentos de harmonia, seja atravessando por dentro dos desafios ou decolando nas oportunidades. /// Marco Giorgi


///70

MORMAII MODA

Fotos: Michele Cruz Modelo: Francieli Produção: Natacha Bonaspetti (Make-up & hair)


///78

IMA GENS

Foto: James Thisted


80

Imagens / Fotos: James Thisted

/// Diogo Guerreiro


82

Imagens / Fotos: James Thisted


83

www.mormaii.com.br


///84

RO OTS

Foto: James Thisted Projeto Destino Azul

/// Diogo Guerreiro


88

Mormaii Arts / Artista: Pablo Etchepare

MORMAII ARTS PABLO ETCHEPARE Nesta edição, apresentamos o artista gaúcho Pablo Etchepare, e suas telas repletas de atitude e influência da cultura Surf e Skate do final dos anos 70.

Pablo é influenciado diretamente pelo surf ao criar sua arte, não apenas visualmente, em forma de desenhos, mas também através de uma relação pessoal com o esporte: “Se eu não pegasse onda, seria bem mais atucanado. Acho que não seria tão bom como artista e ser humano”, comenta.

SAIBA MAIS /// VEJA

Para ver mais trabalhos do Pablo, acesse: flickr.com/ pabloetchepare


89

www.mormaii.com.br


90

Early Days / Foto: Arquivo pessoal

MORMAII EARLY DAYS Havenga, Marco Polo e Kauli Seadi vivendo a história do surf na Ilha da Magia durante a década de 90.

/// Dois representantes

dedicadas ao surf venceu

brasileiros com destaque

etapas nos circuitos Bra-

no Circuito Mundial espor-

sileiro e Mundial WQS. Já

tivo da atualidade já tinham

Kauli Seadi é tricampeão do

patrocínio da Mormaii desde

Circuito Mundial PWA, além

os anos 90. É o que mostra

de dois vice-campeonatos.

essa foto batida na Barra

Ambos atletas seguem até

da Lagoa, em Florianópolis,

hoje com o patrocínio da

com o shaper Havenga (à es-

Mormaii e reverteram, atra-

querda), Marco Polo (centro)

vés do espírito de confiança

e Kauli Seadi (à direita). Mar-

dessa união, a legenda da

co Polo faz parte da equipe

foto em realidade.

Mormaii desde os 15 anos e em quase duas décadas



Revista Mormaii 09