Issuu on Google+

l

l

20 O GLOBO BARRA

Domingo 9.12.2012

Elida, mas pode chamar de Lady Green

l

Domingo 9.12.2012 FOTOS DE PEDRO KIRILOS

DJ, atriz e militante verde, paraense quer passar os próximos dois anos radicada na Barra MORENA MADUREIRA morena.madureira.personale@oglobo.com.br

Perdoe a frase pronta, mas a vida da paraense Elida Braz, de 32 anos, daria um filme. Com pitadas de romance, drama, ação e até de road movie, este hipotético longa-metragem teria sequências importantes na Barra, onde a DJ e atriz veio morar este ano e onde pretende ficar por um período que estima em dois anos. — Fugi de casa aos 14 anos para viver uma grande epopeia de amor e arte — conta Elida, que nasceu em Monte Alegre, no interior

do Pará, e mudou-se ainda criança com a família para Belém. Lá, no camarim de um show de Gabriel, o Pensador, conheceu o homem que mudaria o rumo de sua vida, o advogado André Lobato, conhecido como Kaveira, 18 anos mais velho. — Fui criada para ser a princesinha da família. Ninguém aceitou quando resolvi ficar com o André — relata a DJ, acrescentando que teve até que fugir da polícia para ficar com o amado. Depois de ter a relação “engolida”, o casal começou a frequentar a cena teatral, e Elida descobriu o talento pa-

ra a atuação. Pensando em ter seu próprio palco, os dois abriram um misto de boate e teatro, a Mystical, que, por ter performances ousadas, atraía olhares curiosos e até furiosos em Belém. Elida pôs o pé na estrada no início dos anos 2000, quando a Mystical foi destruída por um incêndio e o casal deixou a cidade. A alternativa foi montar uma banda de rock, Xuxu e as Kaveiras Barrocas, e rodar o Brasil a bordo de um ônibus. Pararam aqui no Rock in Rio, e dormiam no próprio ônibus, estacionando-o na orla da Barra, por ser um lugar mais silencioso.

ELIDA BRAZ

“Fugi de casa aos 14 anos para viver uma epopeia”

Pouco mais de dez anos depois, marcados pelo início da carreira como DJ de tecnobrega e da militância nas causas ambientais, Elida se rebatizou como Lady Green e voltou à cidade, durante a Rio+20, no ônibus Curupira Express. — Escolhemos ficar na Barra pela nossa história com o bairro, e por querermos estar perto da natureza — diz ela. Badalada no circuito fashion carioca, a DJ Lady Green tocará no ônibus terça, numa festa itinerante que sairá do Barra Royal Plaza e passará por vários bairros. O ingresso? Duas garrafas PET. l

l

BARRA O GLOBO 21

Exótica. Lady Green posa dentro e fora de seu ônibus, no qual se apresentará na terça, ao preço de duas garrafas PET


O Globo / 9 dez 2012