Page 1


UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES ANDERSON DE MORAIS BATISTA RGM - 11191401163

PARQUE EDUCATIVO REESTRUTURAÇÃO DO PARQUE DA CIDADE

Ms. Orientador: Martha Lucia Cardoso Rosinha

Mogi das Cruzes/SP 2019


Agradeço a minha família e amigos pelo apoio nessa jornada acadêmica que sempre me incentivaram nessa busca pelo conhecimento. Agradeço a todos os professores, meus amigos de trabalho e minha namorada Maira Filassi, que me ajudaram muito nessa etapa muito importante na conclusão do curso.


RESUMO Este trabalho tem como objetivo manifestar-se a preocupação com a expansão das cidades que ao longo da história, vem diminuindo as áreas verdes dentro dos municípios e piorando a qualidade de vida da população que reside nos centros urbanos. Desde os primórdios da humanidade, tem-se buscado na natureza uma forma de conexão com a sua essência. As áreas verdes urbanas estão relacionadas com a qualidade de vida e exercem funções ecológicas, estéticas e psicológicas na vida dos habitantes das cidades. No decorrer da história, as sociedades atribuíram valores diversos às áreas verdes, dando a estes espaços diversos significados, entre eles cultural, religioso e espiritual. Parques urbanos são ilhas verdes, quer naturais, quer construídas, dentro da malha cinza urbana das cidades são como faixas de vida que meandram o ambiente da cidade. São o nosso respiro e lugar de escape e vida biológica escondidos no meio da agitação das cidades e suas ruas movimentadas. Sendo assim o projeto tem como objetivo reestruturar o Parque da Cidade oferecendo novos equipamentos, implantar áreas verdes, observar seu funcionamento e compreender a importância do parque para o município.

Palavra Chave - Parque, parques urbanos, biblioteca e centro educativo.


SUMĂ RIO 01 03 1.1 - Parques

03

2 - ESTUDOS DE CASO

06

2.1 - Wetland Park Turenscape - Beijing - China

06

2.2 - Instituto Inhotim - Centro educativo Burle Marx - Brumadinho

08 12 15

3.1 - Parque Villa Lobos

15 24

5 - PROGRAMA DE NECESSIDADES

28

6 - O PROJETO

35 59 59 60


menos propensa a desenvolver

INTRODUĂ‡ĂƒO

ansiedade e estresse; classes sociais menos favorecidas

Os parques urbanos, as

verdes e de lazer constituem

importantes elementos do planejamento urbano. que a

de parques urbanos e de

verdes podem

habitantes de determinado lugar. Eles

essenciais para

maximizar a drenagem urbana, melhorar a ilhas de calor e proporcionar

aliviar as

de

instrumentais

sujeitas a efeitos positivos ainda mais significativos

destaques de

influenciar positivamente em diversos aspectos da vida dos

forma,

Este trabalho tem como objetivo reestruturar o parque da cidade criando um

bairros de divisa com o parque, inserir um centro educativo onde as pessoas possam desfrutar de atividade educacional com

social. Dessa do

verde no centro urbano e interligar os

de proporcionar uma melhora na qualidade de vida da

da O parque se localiza no

O uso

das

sua

verdes urbanas e

recebem.

papel dos

relacionado com que estes

gerenciarem estas

zona central do

no parque Santana, atualmente

estruturas voltadas e

de Mogi das cruzes, na

esportiva, atividades culturais e ao

lazer. Para a aprimorar a

Nesse pensamento surgiu a ideia de fazer o projeto de de um parque existente no Cruzes, criando mais

de Mogi das

verdes para suprir a

adensada, inserindo um centro educativo, um

altamente de incentivo

Encontram-se parques urbanos e o aumento da

positivas entre a de atividades

resultando, por exemplo, em melhorias na

de

do parque, a ideia

construir

um centro educativo onde as pessoas possam ter acesso a diferentes atividades voltada a

cultura,

profissional, feira de artesanato, melhorar os aspectos ambientais e criar novos acessos interligando os bairros ao parque. O parque atualmente

pela

como

possui um

educativo e

mirando nessa ideia, surgiu o conceito de implantar uma biblioteca com acesso e um

internet, salas de aula, jogos recreativos, um para que todas as pessoas que frequentam o 01


Para a reestruturação do parque da cidade foram observados

Por conta desses problemas acredita que os parques naturais e

alguns problemas que precisaram ser minimizados na implantação

urbanos podem ser fonte de riqueza, para o país, contribuindo para

do projeto. Uma parte de parque está totalmente abandonado, as

a geração de oportunidades de lazer, emprego, renda e bem-estar

pessoas não circulam nessa parte do parque por falta de

para a população. A construção de parcerias para aportar novos

equipamentos, espaço degradados que serão apontados no projeto.

recursos e ferramentas para a gestão desses espaços pode ajudar a

Outro problema a ser enfrentado vai ser na construção de um novo acesso para a Rua Deodato interligando o bairro Mogi moderno ao parque. Para implantar esse acesso vai ser preciso ocupar um espaço onde possuí algumas residências.

tornar esse potencial uma realidade, garantindo a oferta de um serviço público de qualidade. Os parques urbanos podem trazer qualidade de vida para a população. Pois proporcionam contato com a natureza e suas

Atualmente esses moradores sofrem com problemas de

estruturas e qualidade ambiental, quando adequadas e atrativas,

enchentes, por conta da localização das casas que ficam na divisa

são determinantes para a realização de atividade física e o lazer.

com o córrego Ipiranga e nos dias dia de chuva, sofrem com

Estas atividades trazem diferentes benefícios psicológicos, sociais

alagamentos na região.

e físicos a saúde dos indivíduos, como, por exemplo, a redução do

Para tentar resolver esse problema, foi construído um piscinão

sedentarismo e amenizar o estresse do cotidiano urbano. Assim, o

para armazenar essa água das cheias do córrego e minimizar o

planejamento correto e a conservação de parques públicos se

impacto nessa área onde o córrego não tem sua várzea.

revelam como significativa estratégia para uma política efetiva do

Mas esse piscinão também é um problema para o parque, é

projeto urbano e da saúde pública

totalmente descuidado, sem manutenção e sem uso. Foi construído uma pista de skate mas por conta da sujeira, ninguém consegue acessar e usar a pista. Outro problema é o descaso com nascente existente no parque, sua água é despejada no piscinão que depois é drenado para o córrego. 02


Figura 2 - Parque Ibirapuera (1954)

1 - DEFINIĂ‡ĂƒO DO TEMA 1.1 - Parques Os parques constituem unidades de e/ou

terrestres

normalmente extensas, destinadas representativas de ecossistemas, podendo

de ser

dotadas de atributos naturais ou de grande interesse ou

cuja finalidade

natureza, conciliando a belezas naturais com a

educacional, recreativo

resguardar atributos excepcionais da integral da flora, da fauna e das para objetivos

educacionais e recreativo. Assim, os parques para fins de no

destinadas

pesquisa e turismo. Podem ser criados

Fonte - m.acervo.estadao.com.br/saopaulo/ibirapuera

A pesquisa

nacional, estadual ou municipal, em terras de seu

depende de

pela e

Figura 1 - Parque Urbano

do

da unidade e

sujeita

por este estabelecidas, bem como

previstas em regulamento. As unidades dessa categoria, quando criadas

pelo

Estado

ou

denominadas,

respectivamente, Parque Estadual e Parque Natural Municipal. dos instrumentos

da categoria no

federal e estadual paulista e das unidades de Estado de

do

Paulo, o Projeto considerou trabalhos de diversos

03


Baseada no histórico da proteção, a análise mostra que a

Os parques urbanos são áreas verdes que podem trazer

categoria Parque traduzia já em 1876 a preocupação com a

qualidade de vida para a população. Pois proporcionam contato

salvaguarda do patrimônio ambiental através de proposta de

com a natureza e suas estruturas e qualidade ambiental, quando

criação de dois parques nacionais, um na Ilha do Bananal, a maior

adequadas e atrativas, são determinantes para a realização de

ilha fluvial do mundo, na divisa de Tocantins (Goiás, à época da

atividade física e o lazer. Estas atividades trazem diferentes

proposta) com Mato Grosso, às margens do Rio Araguaia; e o

benefícios psicológicos, sociais e físicos a saúde dos indivíduos,

Parque Nacional do Guairá, no Paraná. No entanto, somente em

como, por exemplo, a redução do sedentarismo e amenizar o

1937, deu-se a criação do primeiro parque nacional brasileiro, o de

estresse do cotidiano urbano. Assim, o planejamento correto e a

Itatiaia.

conservação de parques públicos se revelam como significativa

Esta categoria de manejo é a mais conhecida mundialmente

estratégia para uma política efetiva do projeto urbano e da saúde

para a proteção da biodiversidade. A legislação para esta categoria

pública. O objetivo deste artigo, por meio de uma revisão não

é farta, o que possibilitaria uma melhor gestão e manutenção

sistemática, foi identificar os fatores sociais e ambientais dos

dessas unidades, se houvesse interesse político e econômico.

parques que os tornam mais atrativos para a atividade física.

Sistema Nacional de Unidades de Conservação - Lei 9.985 de 18 de julho de 2000. Áreas Especialmente Protegidas no Espaço de São Paulo: Levantamento e Definição de Parâmetros para administração e

Constatou-se que a beleza da paisagem e a proximidade de um parque, ao local de moradia dos usuários, são os principais fatores que incentivam uma utilização frequente para a atividade física e o lazer. Figura 3 - Parque Urbano

Manejo. Parque Urbano: em geral, os parques urbanos são aqueles espaços abertos de natureza pública e de uso livre para estabelecer relações humanas. Podem ser usados ​para recreação, lazer, esportes, entre outros.

Fonte - www.pixabay.com/pessoas/sessão/parque/verde/árvore

04


Seu maior benefício é provavelmente o bem que fazem para o meio ambiente e para aqueles que os usam.

determinantes

na

utilização

de

pode ser encontrado em subdivisões ou

privadas, aquelas que possuem cabines de segurança ou segurança

Os parques que apresentam condições ambientais adequadas são

Parque privado:

parques

para

o

desenvolvimento de atividades físicas e o lazer. Ou seja, podem contribuir na redução da prevalência de sedentarismo e auxiliar na

ao entrar. Eles não são de passagem livre porque a propriedade privada é o território da cidade onde este tipo de parque está localizado. Figura 5 - Parque privado

promoção da saúde e bem-estar, além de possibilitar o aumento do nível de atividade física dos ativos. Em contrapartida, a má qualidade do ambiente e a insatisfação dos usuários são determinantes ambientais negativos para o uso dos parques, de forma a vir descaracterizar estas funções associadas à qualidade de vida e saúde pública. Parques urbanos são aquelas áreas verdes localizadas dentro da cidade ou cidade. Eles servem como recreação para as pessoas e fornecem um playground para as crianças, também conhecido como "pulmões da cidade" Figura 4 - Parque e a sociedade

Fonte - www.elprado.com.ar/parquizacion.php

Parque aquático: sem dúvida o melhor para desfrutar no verão, já que seu objetivo é entreter seus visitantes com todas as vantagens que a água pode oferecer. Sua infraestrutura consiste em slides e jogos aquáticos para se divertir e amortecer o calor do verão. Figura 6 - Parque Aquático

Fonte - parquesalegres.org/biblioteca/blog/tipos-parques-urbanos/

Fonte - parquesalegres.org/biblioteca/blog/tipos-parques-urbanos/

05


REVISÃO HISTÓRICA DO TEMA

06


2 - ESTUDO DE CASO

Figura 8 - Vista do da cidade de Liupanshui

2.1 - Wetland Park Turenscape - Beijing - China Localizado em Beijing (China), fundado em 1997 pelo arquiteto KongjianYu, possui 170 funcionários, especializado em Arquitetura, Paisagismo, Urbanismo e Design Ambiental. Nascido como um conceito: “Natureza, Homem e Espíritos como um”. Terra (TU) - o centro do universo, a base de todas as vidas, recebe e acumula a energia do céu, que nutre aqueles que se movimentam sobre ela. Homem (REN) - reivindica como superior de todas as vidas, sendo favorecido, porém não se satisfaz. Homens da Terra/Nativos (TUREN) - agir em nome da natureza e como as mensagens recebidas de nossos antepassados nativos Figura 7 - Wetland Park Turenscape (2015)

Fonte - www.archdaly.com.br/minghu-wetland-park-turenscape

Observar o fenômeno nos céus e os padrões sobre a terra, acompanhar os processos naturais e sociais para que o homem, a natureza e os espíritos possam ser entendidos e concebidos como um. Esse é o conceito Turenscape. Seu fundador, proprietário, presidente e todo princípio do conceito Turenscape, KongjianYu, nascido em Zhejiang, formou-se na Universidade de Pequim em 1980. No ano de 1987, recebe o título de Mestre em Arquitetura e Paisagismo. Em 1995, recebe o título de Doutor em Design pela Harvard GraduateSchoolof Design. Um dos principais projetos que participou foi o Plano Diretor para o Parque Nacional de Red Stone.

Fonte - www.archdaly.com.br/minghu-wetland-park-turenscape

06


O projeto do parque possui 90 hectares, sendo a primeira fase

Figura 9 - Área de intervenção

de um projeto de infraestrutura ecológica prevista para toda a cidade. Para infraestrutura ecológica geral, focou na drenagem da bacia do Rio Shuicheng e a cidade. Inicialmente, córregos, áreas alagáveis e terras nas cotas mais baixas são integradas em um sistema de gestão de águas de chuva e purificação ecológica, formando uma série de lagos de retenção e áreas alagáveis para limpeza em diferentes capacidades. Abordagem que não apenas

Fonte - www.archdaly.com.br/minghu-wetland-park-turenscape

Figura 10 - Solução para redução do fluxo de água

minimiza as enchentes urbanas como aumenta a base para suportar o fluxo de água do rio depois de uma temporada de chuva. Em um segundo momento, uma das margens do rio foi restaurada para revitalizar a ecologia ribeirinha e maximizar sua capacidade de purificação. Em terceiro lugar, espaços públicos contínuos foram criados para abrigar caminhos de pedestres e rotas de bicicleta, aumentando acesso ao rio, integrando a recreação urbana e espaços ecológicos. Por último, combina o desenvolvimento

Fonte - www.archdaly.com.br/minghu-wetland-park-turenscape

Figura 11 - Zonas alagadas degradadas

imobiliário das margens com a recuperação do rio, aumentando significativamente o valor da terra e sua vitalidade urbana. A margem do rio foi removida criando 2 zonas ecológicas. Uma incentiva o crescimento da vegetação nativa dentro da zona alagável e a outra estabelece condições para vegetação emergente no leito do rio. Cascatas de para aeração foram criadas ao longo do rio.

Fonte - www.archdaly.com.br/minghu-wetland-park-turenscape

06


Com técnicas de paisagismo, sistema de limpeza de águas e

Figura 13 - Corte esquemático

terrenos, este espaço urbano baldio foi transformado em um grande parque público de alto desempenho e baixa manutenção. De maneira harmônica regula as águas da chuva, purifica águas contaminadas, restaura habitats nativos para biodiversidade e atrais moradores e turistas. Foi oficialmente denominado como Parque Nacional Alagável na China em 2013.

Fonte - www.archdaly.com.br/minghu-wetland-park-turenscape

Figura 14 - Parque depois da intervenção

Figura 12 - Antes e depois da intervenção

Fonte - www.archdaly.com.br/minghu-wetland-park-turenscape

· LiupanshuiMinghuWetland Park · Turenscape · Equipe do Projeto - Bo Luan, Bin Yan, Gang Huang, JunyanZheng, MeinaShan, XinFan, Shizheng Li, Lin Chen, ZhenBai, Yu Zhang, JianfeiAn, HongkaiYou, Yin Liu, YeqiCao, Zhang Deng, Ye Yang, Yue Li, YizhenRen, Xu Song, Dehua Liu, XIaofeng Zhang, JieBai, Jinfeng Zhang, Tuo Liu, JunyingCao · Diretor do Projeto - KongjianYu · Ano 2012 Fonte - www.archdaly.com.br/minghu-wetland-park-turenscape

· Beijing - China 07


2.2 - Centro educativo Burle Marx - Brumadinho

Figura 16 - Cobertura do Centro educativo Burle Marx

O Instituto Inhotim, com seu acervo de arte e botânica, busca, com a construção do Centro Educativo Burle Marx, sistematizar e potencializar o caráter formador e a vocação educacional de suas atividades. Além de atender a todas as atividades de educação desenvolvidas em torno do acervo e das exposições, o programa educacional deve funcionar também como um equipamento da comunidade do entorno, oferecendo programas de formação e qualificação profissional em áreas nas quais Inhotim atua. O Centro Educativo Burle Marx, que desde 2009 passou a compor o Instituto Inhotim localizado em Brumadinho, Minas Gerais, foi projetado pelos arquitetos Alexandre Brasil e Paula Zasnicoff e leva o nome de Roberto Burle Marx, que assinou parte dos 35 hectares de paisagismo. Figura 15 - Instituto Inhotim, Brumadinho, Minas Gerais

Fonte - www.arquitetosassociados.arq.br/centro-educativo-burle-marx/

O Instituto Inhotim começou a ser idealizado pelo empresário mineiro Bernardo de Mello Paz a partir de meados da década de 1980. A propriedade privada se transformou com o tempo, tornando-se um lugar singular, com um dos mais relevantes acervos de arte contemporânea do mundo e uma coleção botânica que reúne espécies raras e de todos os continentes. Os acervos são mobilizados para o desenvolvimento de atividades educativas e sociais para públicos de faixas etárias distintas. O Inhotim, uma Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), tem construído ainda diversas áreas de interlocução com a comunidade de seu entorno. Com atuação multidisciplinar, o Inhotim se consolida, a cada dia, como um agente propulsor do

Fonte - www.arquitetosassociados.arq.br/centro-educativo-burle-marx/

desenvolvimento humano sustentável..

08


O exíguo espaço disponível e a vontade de mimetizar o

Figura 17 - Vista do entorno

edifício na paisagem sugeriram a conformação de um extenso pavilhão horizontal, em apenas um pavimento, sobre o lago, levemente rebaixado em relação ao entorno. Sua cobertura atua como ponte unindo diferentes partes do museu além de conformar ampla praça elevada com espelho d'água ajardinado, destinada ao encontro e a contemplação, promovendo forte integração entre arquitetura e paisagismo. O acesso principal ao edifício se dá através de uma praça que se desdobra em um amplo anfiteatro

Fonte - www.arquitetosassociados.arq.br/centro-educativo-burle-marx/

Figura 18 - Centro educativo inserido na paisagem

conduzindo o público à área de acolhimento. Do acolhimento pode-se acessar diretamente biblioteca, ateliês e auditório. A cobertura é também uma opção de acesso ao museu através de sua praça elevada. Tanto no percurso sobre o espelho d'água quanto nos percursos entre os diferentes programas do edifício, a circulação é sempre feita através de varandas e espaços de convívio. A ideia é que a edificação desaparece na paisagem. Qualquer

Fonte - www.arquitetosassociados.arq.br/centro-educativo-burle-marx/

Figura 19 - Vista aérea do centro educacional Burle Marx

leitura do lugar leva à certeza de que nenhuma construção pode destoar do verde exuberante dali. E talvez por isso o projeto desse complexo de auditório, salas de aula e ateliês no Instituto Inhotim, museu de arte contemporânea em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, surja da fusão total da estrutura com o entorno. Fonte - www.arquitetosassociados.arq.br/centro-educativo-burle-marx/

10


O edifício do Centro Educativo foi implantado como um

Figura 21 - Corte transversal

elemento de organização e acesso aos grupos educativos diferenciados ao museu. Sua localização, no limite da área do museu, junto à alameda de acesso principal e próximo à recepção, potencializa esta relação. O Centro Educativo funciona como local

Fonte - www.arquitetosassociados.arq.br/centro-educativo-burle-marx/

Figura 22 - Corte longitudinal

de chegada e partida, e estabelece, através do edifício, o percurso de acesso ao museu. Um edifício ponte sobre o lago.

Fonte - www.arquitetosassociados.arq.br/centro-educativo-burle-marx/

Figura 20 - Planta do tipo

Figura 23 - Setorização

Fonte - www.arquitetosassociados.arq.br/centro-educativo-burle-marx/

· Área construída: 1.705 m² · Equipe técnica: Arquitetos Associados - Alexandre Brasil e Paula Zasnicoff. Arquitetos colaboradores: Edmar Ferreira Junior, Ivie Zappellini e Rosana Piló · Tipo de obra: centro educacional · Local: MG, Brasil · Início do projeto: 2007 Fonte - www.arquitetosassociados.arq.br/centro-educativo-burle-marx/

· Conclusão da obra: 2009 11


2.3 - IMS - Avenida Paulista - SĂŁo Paulo O Instituto Moreira Salles

Figura 25 -

uma

singular na

paisagem cultural brasileira. Tem importantes quatro

em

Fotografia, em mais larga escala,

Literatura

e Iconografia. O museu se localiza entre a Rua da

e a Rua Bela

Cintra. O lote, com 20x50 metros com um terreno plano e cercado por

de gabarito

a Rua da

18 andares. O museu se localiza entre

e a Rua Bela Cintra. O lote, com 20x 50

metros com um terreno plano e cercado por

O que interessava

de gabarito

dos complexos requisitos funcionais

que se apresentavam, era determinar os museu, assim como definir que tipo de

Fonte - www.archdaly.com.br/instituto-moreira-salles-andrade-morettin-arquitetos

internos do pretendia

Figura 24 -

totalmente nova e aberta entre o museu. Fonte - www.archdaly.com.br/instituto-moreira-salles-andrade-morettin-arquitetos

12


Essa estratégia não recria uma condição claustrofóbica e

Figura 26 - Térreo elevado

restrita imposta pelos limites do lote, mas sim valorizando a vista da cidade e os espaços internos do museu. Outra estratégia do partido foi liberar o nível da Av. Paulista para que ela funcione, em conjunto com o primeiro subsolo, um espaço de distribuição das circulações que alimentam o edifício. O hall no nível da Av. Paulista se converte em extensão da Fonte - www.archdaly.com.br/instituto-moreira-salles-andrade-morettin-arquitetos

calçada, conduzindo o visitante através das escadas rolantes e de Figura 27 - Vista do acesso ao museu

elevadores até o coração do edifício. Circulando pelo museu, sons e a agitação vindos da rua vão se atenuando, a intensidade e a natureza da luz se alteram, até que se chega ao térreo elevado, de frente para a cidade, que se abre numa perspectiva totalmente renovada. A partir do térreo elevado, a percepção que o visitante tem dos espaços de programa é clara e direta. O térreo em si foi

Fonte - www.archdaly.com.br/instituto-moreira-salles

transformado em praça de convívio e de distribuição, que conta ainda com o café/restaurante e a loja; acima desta praça, pairando

Figura 28 - Circulação vertical

sobre ela, estão os espaços expositivos, protegidos num volume fechado; abaixo, estão agrupados os programas da Midiateca, que funcionam como um grande espaço de encontro dedicado ao cinema, à música e à literatura. A administração está localizada no topo do edifício, para preservar sua autonomia. Fonte - www.archdaly.com.br/instituto-moreira-salles-andrade-morettin-arquitetos

13


O objetivo foi aproximar as várias formas de expressão e de

Figura 30 - Implantação do Museu

mídia, num espaço mais fluído e contínuo, visando o bom funcionamento de cada um dos espaços. Desta análise concluímos também que os espaços devem ser generosos, em especial nas áreas expositivas, dado o papel de protagonista que terão dentro do esquema do novo museu. Devem ser também flexíveis e ter o ambiente controlado, com as condições ideais para acomodar o acervo e as mais diferentes modalidades de exposição. Fonte - www.archdaly.com.br/instituto-moreira-salles-andrade-morettin-arquitetos

Figura 29 - Setorização do Museu

Figura 31 - Corte longitudinal

Fonte - www.archdaly.com.br/instituto-moreira-salles

· Local: São Paulo, SP · Data do início do projeto: 2011 · Área do terreno: 1.000 m2 · Área construída: 8.145 m2 · Arquitetura: Andrade Morettin Arquitetos

Fonte - www.archdaly.com.br/instituto-moreira-salles-andrade-morettin-arquitetos

14


Figura 32 -

3 - VISITA TÉCNICA 3.1 - Parque Villa Lobos

A

do parque Villa-Lobos

outros parques. Antes de 1989, a muito dos arredores da

um pouco diferente da de onde

hoje destoava

de Alto de

Fonte - Google earth/parque villa lobos

Figura 33 -

um

de lixo da CEAGESP, onde cerca de oitenta recolhiam alimentos e embalagens, e

em parte do terreno

era depositado material dragado do Rio Pinheiros e entulho da Fonte - www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/parquevillalobos/historico/

Em 1987, ano de

do

de nascimento

Em 1989, o parque Villa-Lobos

de Heitor Villa-Lobos, foram apresentados os primeiros estudos

pelo Departamento de

visando

removidas as

de um parque original, elaborado

previa "cidade da

viveiro para

na Tozzi, ilha musical,

e Energia

- DAEE. Foram

que viviam no local, retirados 500 mil

entulho com mais de 1 metro de de

a ser implantado

de

e movimentados 2

de entulho e terra para acerto das

O

15


Em janeiro de 2004, a administração do parque foi transferida

Figura 35 - Mapa do Parque

para a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SMA) e o parque foi entregue em 2006 com aproximadamente 24 mil árvores plantadas, após a remoção de entulho e troca de solo. Parque Villa-Lobos, é bem frequentado, é um dos mais completos da cidade em termos de infraestrutura para lazer. Tem uma área de 732.000 m² e o endereço é Avenida Professor Fonseca Rodrigues, no Alto de Pinheiros, zona oeste da capital paulista. Entre suas inúmeras atrações, há trilhas, ciclofaixa, campos de futebol oficiais, quadras de tênis, quadras de basquete, Orquidário Ruth Cardoso e Biblioteca Parque Villa-Lobos.

Figura 34 - Entrada principal do Parque

Fonte - Google imagens

O parque possuí diversas atividades durante toda a semana, durante a semana o público é menor, bem diferente no final de semana, de sábado, domingo e feriados, o parque fica lotado de pessoas. O parque possuí uma ciclofaixa que contorna toda o espaço do parque, conectando com todas as áreas de lazer e esportes. Você pode alugar bicicleta para fazer todo o percurso. Fonte - spcity.com.br/parque-villa-lobos/

16


As trilhas onde os visitantes fazem caminhas são arborizadas,

Figura 37 - Ciclofaixa

melhorando o clima para a prática de exercícios físicos. As quadras vivem lotadas com diferentes práticas esportivas, que começa logo cedo e vai até o final da tarde, no horário que fecha o parque. Você pode ver as crianças e adultos se divertindo e praticando atividade física nas quadras do parque ao longo do dia. Ao longo do passeio agradável pelas trilhas cheias de árvores, canto dos pássaros, dando a sensação de estar caminhando numa floresta, você encontra não muito distante uma da outra,

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

bebedouros para hidratar seu corpo, algumas delas oferece água

Figura 38 - Quadra de basquete

gelada.

Figura 36 - Trilhas arborizadas

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Figura 39 - Quadras esportivas

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

17


Com os totens de sinalização você pode caminhar pelo parque

Ao caminhar pelas trilhas, você sempre encontra uma boa

e chegar em todos atrativos oferecido, esses totens são distribuídos

sombra para descansar e desfrutar do visual que o parque

em todo o percurso ajudando na locomoção dos usuários do

proporciona, interação com a fauna e flora em meio ao caos

parque.

urbano. Uma passarela de madeira, elevada a uma altura de 3,5

A área de lazer inclui ainda aparelhos para ginástica,

metros e com 120 metros de extensão. Esse é o Circuito das

um anfiteatro aberto com 750 lugares, sanitários adaptados para

Árvores, do Parque Villa-Lobos. Por ali, o visitante tem a

deficientes físicos (precisam de uma maior atenção quanto a

oportunidade de circular entre espécies de árvores e pássaros

limpeza, especialmente nos finais de semana) e lanchonete. Há

identificados ao longo do caminho.

também playgrounds e bosque com espécies de Mata Atlântica. Figura 40 - Playground

Figura 41 - Crianças se refrescando

Fonte - Própria , tirada na visita ao local Figura 42 - Bebedouro

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

Figura 43 - Áreas de descanso

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Figura 44 - Circuito das árvores

Figura 45 - Deck elevado

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

18


Figura 49 - Lixeiras

Outro fator observado foram os sanitários e lixeiras. Os sanitários atende a norma com acessibilidade para deficientes físicos, mas precisa melhorar na limpeza. Aos finais de semana o banheiro fica bem sujo. O parque possuí lixeiras a cada 100 metros, então é difícil você ver lixo jogado no chão. Em alguns pontos você encontra lixeiras seletivas, ajudando na conservação do parque. O parque tem uma excelente estrutura para receber os visitantes, na área onde as crianças brincam possuí espaço reunir amigos para um piquenique, comemorar festas de aniversário tudo

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

junto em um único espaço. Figura 46 - Banheiro para deficientes

Figura 47 - Sanitários

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

Figura 50 - Pessoas comemorando aniversário

Figura 48 - Banco de areia para crianças

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019 Figura 50 - Coleta seletiva

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

19


Figura 52 - Espelho d'água no entorno da biblioteca

O destaque é a Biblioteca Parque Villa-Lobos que tem um bom acervo de livros, além de acesso à internet e rede WiFi por computadores, auditório para 200 lugares, acessibilidade e equipamentos de tecnologia assistiva, sala de jogos, etc. Há programação cultural para todas as idades: atividades permanentes, oficinas, cursos, eventos, exposições, saraus, contação de histórias e encontros com escritores. Biblioteca Parque Villa-Lobos é um lugar singular. Além de oferecer livros para empréstimo e ambientes para estudo, como

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

toda biblioteca, é também uma experiência diferente em leitura, lazer, aprendizado e diversão. A volumetria da biblioteca lembra os edifícios do modernista, tipologia em caixa basicamente construído em 3 elementos:

Figura 53 - Detalhe da estrutura

Figura 54 - Pilar e viga

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

Concreto aparente, aço e vidro. Figura 51 - Biblioteca Villa Lobos

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

20


Figura 56 - Recepção da biblioteca

Figura 57 - Salão principal

contação de histórias, mediação de leitura, cursos, oficinas,

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

apresentações teatrais e musicais, exposições, saraus e encontros

Figura 58 - Espaço de literatura infantil

Ocupando área de quatro mil metros quadrados dentro do Parque Villa-Lobos, zona oeste da capital paulistana, a biblioteca prepara, todos os meses, programação cultural diversificada, que reúne atividades de interesse para todos os públicos. Acontecem

com escritores. O acervo, constantemente atualizado, tem foco na literatura e um olhar também para questões ambientais. É formado por livros, revistas, jornais, livros eletrônicos, audiolivros, HQs, DVDs e CDs, além de livros em braile e falados, voltados para pessoas com deficiência. No centro da praça existe uma estrutura de madeira onde as crianças e jovens usam para leitura e entretenimento. Figura 55 - Acesso a biblioteca

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Figura 59 - Sala de jogos

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

21


Todo o público tem acesso aos computadores, é só fazer um

Figura 61 - Computadores

Figura 62 - Elevador

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

Fonte - Própria , tirada na visita ao local

cadastro na entrada e já pode navegar em algum computador que estiver livre. Sempre tem um acompanhamento de monitores para ajudar em caso de dúvidas ou problemas na hora de fazer a pesquisa. O acesso ao primeiro pavimento onde se encontram conteúdo

Figura 63 - Sala de treinamentos

para adultos é feito por escadas e elevadores. No segundo pavimento tem os acervos para idosos e PNE, sala de treinamentos, área administrativa e sala de exposições. Na biblioteca possui salas de aula para diferentes atividades que acontece ao longo da semana, as pessoas podem usar as salas para discutir assuntos de negócios ou de interesse pessoal.

Figura 60 - Mobiliário da biblioteca

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Figura 64 - Área administrativa

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

22


Outro diferencial está no atendimento. A BVL é uma

Figura 66 - Área de exposição

biblioteca de e para pessoas, portanto todos os funcionários estão aptos a oferecer atendimento humanizado, individualizado, centrado nas características do público e próximo à comunidade. O espaço conta ainda com salas de criatividade, sala de jogos eletrônicos, ludoteca, espaço para os visitantes lerem com tranquilidade; computadores com acesso à internet; deck, com vista para o parque. Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Figura 65 - Vista geral da biblioteca

Figura 67 - Sala de aula

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Figura 68 - Literatura para adultos no 2° pavimento

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

Fonte - Própria , tirada na visita ao local no dia 27/03/2019

23


4 - LOCALIZAĂ‡ĂƒO DO PROJETO

Mogi das Cruzes acolhe

Figura 69

de todos os cantos do mundo, com

destaque especial para a

japonesa, aproximadamente 20% da

japoneses e seus descendentes, que

O clima do

subtropical, o

em sua terceira

quente e chuvoso; o inverno,

ameno e sub seco. Ideal para o cultivo de flores. As principais vias que interligam o

de Mogi das Cruzes a outros

Fonte - cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/mogi-das-cruzes/panorama Figura 70 - Mapa de Mogi das Cruzes

Rodovia Henrique Eroles, Rodovia Mogi-Dutra, Rodovia Ayrton Senna, Rodovia Professor Alfredo Rolim de Moura e Rodovia Mogi-Bertioga. Em pouco tempo, essa via passou a transportar urna quantidade crescente de pessoas, riquezas e suprimentos, fazendo a vila crescer e se tornar uma cidade. Atualmente, Mogi das Cruzes conhecida por acolher

de todos

os cantos do mundo, com destaque especial para a de origem japonesa, que

O desenvolvimento do tempo estagnado, pois duas principais

a do

de Mogi das Cruzes ficou por muito de 1950 a principal rodovia de

das

Paulo e Rio de Janeiro, passavam por

Mogi. Quando a Rodovia Presidente Dutra foi

no

da

de

1950 o transito saiu de Mogi das Cruzes, deixando o desenvolvimento mais Fonte - viniciuscarvalhoblog.wordpress.com/mogi-das-cruzes/

24


Foi a partir da década de 1980, quando a Rodovia dos

Figura 71 - Mapa da região central de Mogi das Cruzes

Trabalhadores (agora, Rodovia Ayrton Senna) é aberta, começa a

9

ter uma proximidade maior de Mogi das Cruzes com uma via de

3

2

5 4

ligação, inclusive com os pólos industriais que estão concentrados

6

7 1

na interligação da Rodovia Ayrton Senna com a Rodovia Presidente Dutra. Desta maneira Mogi das Cruzes que até a década de 1970 era considerado um município dormitório de São Paulo, 8

na década de 1980 com uma melhor predominação da malha rodoviária

e

a

formação

do

pólo

industrial,

cria

um

desenvolvimento autônomo próprio. Mogi das Cruzes situa-se a uma altitude média de 780 metros.

Fonte - Google Earth - mogi das cruzes Estação Mogi das Cruzes Terminal Rodoviário

1

Seu ponto mais alto é o Pico do Urubu com 1 160 metros,

UBC

2

3

localizado na Serra do Itapety. O município é cortado por duas serras: a Serra do Mar e a Serra do Itapety e ainda pelo Rio Tietê. Em seu território se UMC

encontram duas represas que fazem parte do Sistema Produtor do

Mogi Shopping

4

Prefeitura de Mogi

5

6

Alto Tietê, os reservatórios de Taiaçupeba e do rio Jundiaí. A cidade possui uma problemática no contexto sócio ambiental. Ela tem uma área com dois núcleos urbanos, duas pontas de cidade, o Rio Tietê que corta o município passando pelo meio da cidade, uma mata densa ao redor da cidade, uma ferrovia,

Rio Tietê

Parque da Cidade

7

Parque Centenário

8

9

uma interligação e o centro cívico que era no centro de Mogi e mudou estrategicamente para dinamizar o desenvolvimento da cidade. 25


Figura 74

Ă REA DO PROJETO A

de

fica no distrito Cede do

de

Mogi das Cruzes, limite com os bairros Alto Ipiranga, Vila Mogi Moderno e Centro, onde atualmente se localiza o Parque da Figura 72

Fonte - Google Earth - parque da cidade

Distrito Sede

Distrito de Braz Cubas

Parque da Cidade

Figura 73 - Mapa do zoneamento de Mogi das Cruzes ZOP -1 - Zona de preferencial 1

ZOP -2 - Zona de preferencial 2

RESIDENCIAL COMERCIAL INSTITUICIONAL GABARITO

ZC - Zona Central

2 PAVIMENTOS 3 OU + PAVIMENTOS 26


RELATĂ“RIO FOTOGRĂ FICO Figure 75 - Mapa dos locais onde foram tiradas as fotografias

81

Figura 77

Figura 78

Figura 79 - Nascente

Figura 80 - Vista do parque

80

79

78

77 76

Fonte - Google Earth - parque da cidade

Figura 76 - Vista do parque

Figura 81

Ao fundo da imagem precisamente onde existe uma

local onde

a biblioteca, abandona. O local a antiga

piscina do Clube Campestre que hoje a prefeitura administra e faz parte do parque da cidade. A biblioteca vai poder ser acessada por dentro do parque 27


5 - PROGRAMA DE NECESSIDADES O objetivo é desenvolver uma intervenção urbana através da

Esse centro educativo vai ter uma biblioteca como foco

implantação de um projeto arquitetônico. Dessa forma, o projeto terá

principal do projeto, salas de aulas, acesso à internet, um auditório

dois níveis de abordagem. O primeiro envolve a criação de espaços

para palestras, cafeteria e um espaço voltado a exposições de

urbanos qualificados, vinculados à implantação da edificação

pequeno porte e áreas administrativas.

principal, e o segundo é o projeto arquitetônico, cujo uso pretende

Na proposta de reestruturação do parque, a ideia é construir

estimular a apropriação do espaço urbano e dos seus espaços internos.

uma marquise para a prática de feiras de artesanatos, sanitários,

O tema do projeto é uma biblioteca com capacidade para 20.000 a

bicicletário, novos acessos que vai interligar os bairros vizinhos no

30.000 livros.

projeto.

Conceito A ideia foi construir um centro educativo que se íntegra com a natureza e ao mesmo tempo fosse em um lugar por onde as pessoas frequentam diariamente, mas não só de passagem da volta do trabalho, mais sim em um espaço público onde as pessoas buscam o lazer e melhorar sua qualidade de vida. Uma das premissas do projeto é contribuir nas soluções sócios ambientais, buscando resolver questões das áreas verdes nos parques urbanos, inserir novos equipamentos, manutenção e dar mais atrativos para as pessoas que frequentam. Pensando nisso o local escolhido para a construção do centro educativo foi o parque da cidade, um lugar tranquilo e de fácil acesso,

A reestruturação do parque tem como objetivo transformar esse espaço em um grande pulmão no centro do município, já que em todo seu entorno nota-se a falta de arborização, a população que vive em cidades que não tenham uma grande presença de árvores estão mais propensas a terem alguns problemas de saúde, principalmente os relacionados a doenças respiratórias. Neste sentido, a arborização urbana traz inúmeros benefícios, tais como: ameniza as questões climáticas por meio da diminuição das amplitudes térmicas, melhora o ar a ser respirado, protege o solo contra erosão, protege das forças dos ventos, diminui a poluição sonora, absorve a poluição da atmosfera contribuindo ao refúgio da fauna, promovendo desta forma a ampliação da biodiversidade.

sem ruídos para a prática de leitura, aprendizado e entretenimentos.

28


Quadro de รกreas SETOR

AMBIENTE

SALA DE AULA BIBLIOTECA SALA DE CONTROLE AMBIENTAL (LUZ, TEMPERATURA E UMIDADE)

30

30

24

24

665

665

36 170

72 170

1200 30

1200 30 40

20 18 10 22 18 10

SETOR FINANCEIRO / CONTABILIDADE SETOR DE RECURSOS HUMANOS

ALMOXARIFADO

10

10

28

28

20 15 30

40 15 30

12

48 12

12 30 COPA DESCANSO COBERTURA

18 10 22 18 10

30

13

13

25

25

20 1400

40 1400 4000

(30% DO TOTAL)

1200

29


Partido arquitetĂ´nico O partido foi respeitar as formas

do projeto existente

A proposta

a de uma biblioteca aberta, usando a

do arquiteto Ruy Yotaque, que usa curvas e boa parte de seus projetos, e usar a topografia como aliada no partido Pensando na topografia e nos

do projeto.

existente a ideia foi criar um

circular valorizando a vista em qualquer lugar que estiver dentro do

valorizar a luz natural pensando na economia de

energia, usando vidro em quase toda sua zenital. De

e na cobertura com

a ideia como elementos estruturais

mesclar concreto, estrutura

e vidro, mas de um jeito que o

do tipo que permite que o

acervo, desde que tenha entrada e

As

entre na

possuam

e outras fontes de

que

como banheiros,

cozinhas ou equipamentos de controle de clima. Uma especial

deve ser dada a estrutura do acervo da

biblioteca, principalmente se este for apoiado em laje suspensa (sem se apoiar diretamente no solo).

CaracterĂ­sticas funcionais A biblioteca

Ter o cuidado de manter o acervo distante das

Uma estante de

com 2,0 m de altura, 95 cm de largura e

Todos os

e

devem ter

masc. e

de

e passe antes pelo controle de de acervo e consulta, tanto interna quanto

externa, somente podem ser acessadas mediante a passagem controlada e autorizada. As estantes da biblioteca para o acervo entre elas

Os

de 120 cm, no

da biblioteca altas, exceto a

de dupla face. A Prever uma

de

necessariamente paredes ou de

que deve ter

paredes altas.

30


Agenciamento

Fluxograma

31


Iluminação A

um aspecto fundamental numa biblioteca. De um

lado, pelo conforto que deve proporcionar aos servidores e aos e, de outro, pela utilizadas na

interna

Na

(UV). As

de

no acervo. Em geral, as fontes

ambiente arejado naturalmente.

a luz natural e as

Fontes sonoras

elevado de

ultravioleta

manter

o

ar

permanentemente ligado e controlado, a

fluorescentes. A luz natural, quando incide sobre o acervo, prejudicial porque apresenta um

impossibilidade

condicionado manter o

O ambiente da biblioteca deve ser o mais calmo

Alguns

procedimentos devem ser adotados para reduzi-los ao

(por

fluorescentes, embora mais frias que outros tipos

de

e de

adotar

persianas, cortinas leves, vidros especiais ou

filmes aderentes ao vidro do sol. A enquanto a

ao

piso e paredes que

tornando-o amarelado. O uso de

Em

prejudicam o papel,

importantes para controlar a de leitura deve ser a mais iluminada,

podem ser usados revestimentos no forro, boa

de som. Recomenda-se

de ambientes ou utilizar as

entre locais mais ruidosos e outros onde o manter o local de leitura afastado da das

de

de

e trabalho, e evitar que

estantes como barreiras importante (mais movimentada) e externos interfiram na

correspondente ao acervo pode ser mantida na com

Temperatura e Umidade O acervo de uma biblioteca excessivas de temperatura e a

bastante

a

de umidade acentuada. Essas

podem ocasionar o surgimento de fungos e

nos

diversos tipos de suportes. O ideal

que o ar condicionado funcione

24 horas para que

de temperatura, sendo mantida

haja

32


Estudo Preliminar

Croqui corte

Croqui planta

Croqui corte

Croqui implantação

Croqui implantação

33


Maquete perspectiva

Implantação Planta

Maquete

Elevação

34


6 - PROJETO EXECUTIVO TOPOGRAFIA DO TERRENO

775

O terreno fica em um fundo de vale que se encontra com o riacho ipiranga, córrego que costura 5

77

0

EGO IP CÓRR

75

o centro da cidade e deságua no Rio Tietê. Pelo fato de ser um fundo de vale, a região tem

IRANG A

grandes problemas com enchentes em épocas de 0

75

chuva, por conta da inclinação topográfica e seu córrego ser canalizado, a vazão não dá conta

775

causando grandes problemas de inundações. Atualmente construíram um piscinão para amenizar o problema em épocas de chuvas

ESC. 1:5000

constantes na região

35


R.MANINHA

1 - Centro educativo

MELO

RUA

IMPLANTAÇÃO

2 - Novo acesso ao parque pela Rua Prof. Leôncio 3 - Praça alagável

5

SS OR

766

DE

GUIMARÃES 749

OF E

MIRANDA

PR A

RU

AR

762

RUA

A

LOPES

SI

QU EI 771 R

3

ÁREA TOTAL DO TERRENO 68.000 m²

R. VOL. BENEDITO DIAS ANTONIO 759

DEODATO

SC

5 - Novo acesso ao parque pela Rua Dr. Deodato

4

2

O

4 - Passarela

761

MELLO

1

756 749

747

OD DE

754

ATO

ALMEIDA

DR.

IOR JÚN 759

RUA

JOÃO

AUGUSTO

DE

MORAES

752 ESC. 1:3000

36


PLANTA TÉRREO - ÁREA LIVRE PARA DIVERSAS ATIVIDADES ESC. 1:250 PILAR 40/100

S.MAS S. FEM

DEP

ELEV

37


SALAS DE AULA ESC. 1:250 RH

4m m

5.

1,5

3m

8m

SAN F

VEST

m

3,2 m

m

2,5

5,5

5m

m

m 2,7

4m

2,6m

2,7

4.7

5m 2,

SAN M

ELEV

3.5m

1m

DIREÇÃO

5m

2m

m 4,5

REC. DIREÇÃO

m

S

FIN

4m

1,5m

PROD .EVENTO

3m

m 2,5

5,5m

4m

3m

1,7m

PILAR 20/100

3m

GER.

2,1

4m

5.8m

5,2m

1,2m

REUNIÃO

COPA ALMOX

6,5m

4m

6m

m

VIRT

8m

9m

9,2m

12m

ÁREA LEITURA

BIBLIOTECA

m

4,5

S AULA

m

8m

4,5

9,6m

26m

EXPOS

S AULA BIBLIOTECA

8m

16m

38


PLANTA PAV. 2 - BIBLIOTECA ESC. 1:250 ACESSO

1,5m S

2m 2,6m

MAN EQUIP

5m 4m

5,5m

1,7m

PILAR 20/100

SAN M

ELEV

3.5m

CONTROLE ACESSO

2,7

5m

CONSULTA ACERVO

m

SAN F

4m

m 2,7

ACERVO

m

1,5

ACERVO

ACERVO

ACERVO

ACERVO

INTERNET

INTERNET

DECK LEITURA

ACERVO

39


PLANTA COBERTURA - ÁREA LIVRE / CAFÉ ESC. 1:250 PILAR 20/100

ACESSO

SAN M SAN M

ST

VE

DEP ACESSO

40


CORTE LONGITUDINAL ESC. 1:250

13,00

9,00

5,00

0,00

41


CORTE TRANSVERSAL ESC. 1:250

13,00

9,00

5,00

0,00

42


PLANTA PAV. 1 - LAYOUT SALAS DE AULA ESC. 1:250 SAN MASC

ADM SAN FEMI

VESTIÁRIO

COPA

PRAÇA

ÁREA DE EXPOSIÇÃO

S/AULA

S/AULA

43


PLANTA PAV. 2 - LAYOUT ESC. 1:250 ACESSO

SAN MASC LIMPEZA RECEPÇÃO

SAN FEMI

ACERVO ACERVO

COMPUTADORES

DECK

44


PLANTA COBERTURA - LAYOUT ESC. 1:250

SAN MASC

SAN FEMI

CAFÉ

45


ESTRUTURAL ESC. 1:250

P-16 20/100 P-15 20/100

PILAR 20/100

P-01 20/100

P-17 20/100 P-18 20/100

P-33 20/100

P-14 20/100

P-34 20/100

P-32 20/100

P-02 20/100 P-35 20/100

P-31 20/100 P-13 20/100

P-49 20/100

P-50 P-51 20/100 20/100

P-48 20/100

P-30 20/100

P-29 20/100 P-12 20/100

P-47 20/100

P-38 20/100

P-46 20/100

P-39 20/100

P-45 20/100 P-44 20/100

P-28 20/100

P-36 20/100 P-37 20/100

P-20 20/100 P-03 20/100 P-21 20/100

P-40 20/100 P-42 P-43 20/100 20/100

P-22 20/100

P-41 20/100

P-04 20/100 P-23 20/100

P-10 20/100

P-27 20/100

P-11 20/100

P-26 20/100

P-24 20/100

P-05 20/100

P-25 20/100

P-09 20/100

P-08 20/100

P-06 20/100 P-07 20/100

46


ESTRUTURAL O sistema estrutural é toda de concreto armado para suportar os vãos maiores do projeto, pilar, viga e laje. As vigas no térreo serão de transição e protendidas, para vencer um vão de 15m para deixar o espaço mais aberto. Todas as vigas serão protendidas para reforçar a estrutura e assim suportar as cargas e seus esforços. As

vigas

e

pilares

poderão

ser

pré-moldadas, pelo fato do edifício ser na forma circular.

47


ELEVAÇÕES

48


MAQUETE ELETRÔNICA

49


ORIENTAĂ‡ĂƒO SOLAR

Na face oeste, onde incide o sol da tarde podemos posicionar os ambientes de pequena e

Um grande fator a ser considerado quando se vai construir solar. O projeto

a

pois essa face faz com

que os ambientes esquentem bastante,

para a face leste

deve se adaptar dentro do

interessante posicionar os quartos e varandas, pois

ao sol, de acordo com a

recebe o sol da

para tirar vantagem em

a face que

mantendo assim, temperaturas

Devemos tomar cuidado com a face sul, pois ela recebe muita

Aqui no

sul, a face norte

de sol durante o dia e a face sul sol, a face leste recebe o sol da

a que recebe a maior

a

do sol e isso faz com os ambientes possam se

a que menos recebe

e a oeste o sol da tarde.

Tendo isso como base, o profissional capacitado maneira

pouca

da melhor

de cada ambiente dentro da

suas aberturas, elementos para

como brises e

de acordo com a sua dinheiro com

do terreno,

e

vizinhas

eficiente, fazendo o

poupar

uso de ar-condicionado e com todos os

50


TUBO DE QUEDA

HIDRÁULICA ESC. 1:100

TQ

2 1 DETALHE 1 TUBO DE QUEDA

TUBO DE QUEDA TQ

TQ

PLANTA CHAVE

DETALHE 2 51


ELÉTRICA ESC. 1:250

TQ

Legenda

Tomada Alta

Lampada Fluorecente

Tomada Média

Interruptor Paralelo

Tomada Baixo Quadro de Distribuição

Interruptor Simples

52


PAISAGISMO E MOBILIÁRIOS

53


PAISAGISMO E MOBILIÁRIOS

54


TECNOLOGIA E SUSTENTABILIDADE

Esse material alternativo é capaz de bloquear 70% do calor externo, proporcionando conforto térmico. Com essa capacidade que estes materiais têm, você pode economizar de 15 a 30 % com o

MATERIAL 1 - VIDROS DE PROTEÇÃO SOLAR

uso de ar condicionado e, assim, obter um custo-benefício nos

Os vidros de proteção solar é uma das opções que usarei no

gastos no consumo de energia. Quando aplicadas, trazem ao vidro a

projeto do trabalho de conclusão de curso, é um material alternativo

capacidade de refletividade parcial, regulando a entrada de luz no

que proporcionar bem-estar na edificação para os usuários,

ambiente.

economia energética e sustentabilidade no meu projeto. Para explicar como o vidro de proteção solar funciona, é preciso falar sobre o sol, responsável por irradiar calor e luz na Terra. Com isso será possível estabelecer as três maiores características do vidro de proteção solar: absorção, transmissão e reflexão. Os vidros de proteção solar recebe esse nome porque podem reduzir a incidência de raios ultravioletas prejudiciais entre 96% e 99%, reduzem ofuscamento em até 90%, reduzindo os danos nos

Fonte - www.pinterest.ca/materiais/vidro-proteção

objetos do interior do ambiente, cansaço dos olhos, ou seja, a aplicação desse material no meu projeto ajuda muito para a leitura e das atividades desenvolvidas no centro educativo. Além dos benefícios dos óxidos adicionados a eles, os vidros de

Fachadas, portas, janelas, coberturas, sacadas, divisórias, tampos de mesa, armários e eletrodomésticos.

Vantagens. Reduz em até 60% a entrada de calor, versatilidade de aplicação, podendo ser utilizado monolítico, curvo, serigrafado, temperado, laminado ou duplo.

proteção solar conseguem barrar os raios ultravioleta e o material também é considerado ecologicamente correto, uma vez que reduz

Sustentabilidade. Maximizam a entrada de luz do dia, eficiência energética, 100% recicláveis, versáteis em inúmeras aplicações e não necessita de água e detergente para sua limpeza.

o uso de ar-condicionado reduzindo os gatos com energia elétrica. 55


MATERIAIS E ACABAMENTOS ASSOALHO DE MADEIRA DE DEMOLIÇÃO -

Assoalhos que, produzidos a partir de madeira de demolição, extraído da demolição de edificações, possuem um aspecto rústico natural, apesar de receberem beneficiamento. Também são conhecidos como tábuas corridas, são réguas de madeira maciça com tamanhos, espessuras e larguras disponíveis em diversas medidas. As tábuas, de comprimentos variados, recebem a aplicação de verniz após a sua instalação, mantendo o aspecto natural da madeira de demolição.

GRANILITE - PISO ÁREAS RESTRITAS Comumente utilizado nas áreas internas e externas de escolas, aeroportos e clubes, o granilite é formado por uma massa de cimento misturada com pequenos pedaços granito, quartzo, entre outras pedras. Existem dois tipos de acabamento deste piso, o polido e o fulgê. O primeiro é impermeabilizado e mais brilhante, mas é preciso tomar cuidado, pois ele fica muito escorregadio quando molhado. Já o segundo acabamento é mais rústico, os pedaços de pedra ficam visíveis, porém ele é antiderrapante. Figura 83 - materiais

Medidas: 15 x 2 cm, comprimentos variam de 0,30 a 3 metros Figura 82 - materiais

Fonte - www.pinterest.ca/materiais/granilite/area-interna Fonte - www.pinterest.ca/materiais/assoalho-demolição

56


PORCELANATO - PISO BANHEIROS

MASSA CORRIDA - PAREDES INTERNAS A massa corrida exerce um papel fundamental para contribuir

Hoje em dia, o porcelanato é um dos materiais mais utilizados para revestir o piso do banheiro, e não é à toa, pois apresenta ótimo aspecto, boa durabilidade e fácil manutenção. Graças a sua popularidade, é possível encontrar peças dos mais variados tipos e com acabamentos que vão do mais simples ao mais arrojado, inclusive semelhantes a elementos naturais, como a madeira. Para áreas molhadas, como banheiro, é indicado o uso do porcelanato natural, que também pode ser chamado de “porcelanato técnico”, pois não recebe nenhum tratamento ou polimento, tendo

com a estética e decoração dos ambientes. Já reparou quando entramos em algum local, e algumas paredes, mesmo que pintadas com tinta de boa qualidade, não parecem muito legais? Buracos, por exemplo, são comuns. E olha que é super fácil de ajustar este desnível na parede, bastando para isso, aplicar massa corrida e assim, acabar com as imperfeições. Se trata de uma excelente e econômica alternativa para deixar as paredes com um exelente acabamento.

uma aparência mais rugosa do que os outros tipos de porcelanato. É

Figura 85 - materiais

muito utilizado em áreas de muito tráfego, como ambientes comerciais, e dentro da área do box, por ser mais resistente e menos escorregadio. Figura 84 - materiais

Fonte - www.pinterest.ca/materiais/porcelanato/banheiro

Fonte - www.pinterest.ca/materiais/massa corrida/parede/acoalho

57


CIMENTO QUEIMADO - PARES DO BANHEIRO

BRISE

Parede de Cimento Queimado Na parede a técnica também é

O Brise de Madeira, que do francês significa quebra-sol, é uma

uma boa aposta. Ao invés de usar textura ou papel de parede, optar

estrutura arquitetônica de madeira desenvolvida com o objetivo de

pelo cimento queimado na parede é um modo mais econômico de

cortar a incidência de raios solares no interior de uma edificação,

realçar a parede e torná-la um verdadeiro elemento surpresa.

dessa forma reduzindo o calor. Recentemente vem ganhando muito

Por se tratar de um material impermeável ele pode ser aplicado sobre qualquer superfície lisa e porosa. Você sabia que ele pode ser utilizado até mesmo na área da ducha? Existe a opção de um

espaço na arquitetura com o nome de ripado ou brise ripado. Os

vãos

existentes

entre

as

madeiras oferecem

certa

privacidade sem perder a ventilação.

acabamento antideslizante, perfeito para quem quer forrar, além das

Com o passar dos anos o brise ganhou formas mais decorativas

paredes, o piso. Quando aplicado em áreas úmidas ele recebe um

do que era o seu objetivo inicial. Com isso começou a ser usado

tratamento anti-mofo, sendo assim cortamos pela raiz esse

somente como um revestimento decorativo em paredes, pilares,

inconveniente.

tetos, etc. Atualmente é muito usado em fachadas comerciais como

Figura 86 - materiais

elemento decorativo e como suporte para letreiros e luminosos. Figura 87 - materiais

Fonte - www.pinterest.ca/materiais/cimento-queimado Fonte - www.pinterest.ca/materiais/brise/madeira/fachada

58


7 - LEGISLAÇÕES O Sistema de Bibliotecas pelo Governador

do Estado de

Franco Montoro,

outubro de 1984. Em junho de 2010 o Decreto reformulado pelo decreto

8 - CONSIDERAÇÕES FINAIS Paulo (SisEB) foi criado

do Decreto

As

22.766, de 09 de

22.766, de

do Sistema, foi

ambientais

ficado cada vez mais em evidencia na sociedade

devido as

entre a

de meio ambiente e o

bem-estar humano. Pensar nessa sincronia no mundo em que o desenvolvimento

55.914 e passou a ser Coordenado pela Unidade de

atrelado a vida cotidiana das pessoas

um grande investimento. Por

Bibliotecas e Leitura - UBL, atual UDBL, da Secretaria da Cultura do Estado de Se plantados, tornam-se O SisEB

uma estrutura

que objetiva,

as bibliotecas

de

municipais como centros de

oferecendo

verdes contra as ilhas de calor urbano,

permeabilidade para a drenagem. O sistema de parques nos

fundos de vale funciona

como um poderoso e eficiente sistema de

infraestrutura de drenagem, que Tem como Estado de

promover, estimular e apoiar as Bibliotecas

Paulo contribuindo para a

do acesso

do ao

pluviais excedentes sem grandes

transtornos ou grande obras de infra. Os parques urbanos

verdes que podem trazer qualidade de vida para a

Pois proporcionam contato com a natureza e suas estruturas e qualidade ambiental, quando adequadas e atrativas, Constitui o

de

do Uso

com o objetivo de estabelecer

diretrizes e procedimentos para o desenvolvimento do uso

de parques

atividade sociais e

determinantes para a

de

e o lazer. Estas atividades trazem diferentes a

dos

como, por exemplo, a

do

sedentarismo e amenizar o estresse do cotidiano urbano. Assim, o planejamento correto e a CONSIDERANDO o disposto no artigo 15, de

Lei de Parcelamento, Uso e

determina terem os de parcelamento, uso e definidos por Projeto de

das Zonas de do solo adequados

de parques

se revelam como significativa

16.402, de 22 de do Solo (LPUOS), que Especial - ZOE suas especificidades e

Acredito sim, em um lazer que possa fazer com que o

livre de suas

do trabalho e sociais, venha proporcionar um encontro com seu refletindo sobre sua

humana individual num primeiro momento e posterior

Urbana, aprovado por decreto, observados os

coeficientes de aproveitamento estabelecidos por

conforme Quadro 2A

59


7 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICA INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E Dados https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/mogi-das-cruzes/panorama. Acessado em: 18/04/2019 PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Plano Diretor PDF. Acessado em: 15/04/2019

Gerais

de

Mogi

das

Cruzes.

em:

em: http://www.mogidascruzes.sp.gov.br/public/site/doc/2016030219070656d739da1769c.pdf.

INHOTIM. Dados Gerais do Centro Educativo Burle Marx. PREFEITURA DE PAULO. Parques no Município de http://www.saopaulo.sp.gov.br/conhecasp/parques-e-reservas-naturais/parque-villa-lobos/ Acessado em: 05/04/2019 WORLD ARCHITECTS PROFILES OF SELECTED ARCHITECTS. http://www.world-architects.com/en/turenscape Acessado em: 22/03/2019

Dados

gerais

Paulo.

São

Turenscape

Wetland.

Park

em:

em:

ARCHDAILY. Dados Gerais do Park Turenscape na China. em: http://www.archdaily.com.br/br/778365/minghu-wetland-park-turenscape Acessado em: 20/03/2019 PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Uso e Ocupação do Solo em PDF. em: http://www.mogidascruzes.sp.gov.br/pagina/secretaria-de-planejamento-e-urbanismo/legislacao-de-ordenamento-do-uso-e-ocupacao-do-solo-louos .Acessado em: 06/04/2019 SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE DO ESTADO DE 28/04/2019

PAULO. Dados gerais.

ARQUITETOS ASSOCIADOS. Centro Educativo www.arquitetosassociados.arq.br/?projeto=centro-educativo-burle-marx---inhotim Acessado em: 10/04/2019

em: https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/ Acessado em:

Burle

Marx

Inhotim.

em:

REVISTA DIGITAL ARQUITETURA E URBANISMO. Dados gerais. http://au17.pini.com.br/arquitetura-urbanismo/187/obra-concluida-arquitetura-se-funde-a-paisagem-no-centro-153306-1.aspx .Acessado em: 17/04/2019

em:

DO MEIO AMBENTE. Informações sobre Parques e áreas http://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/areas-verdes-urbanas/parques-e-%C3%A1reas-verdes.html .Acessado em: 01/04/2019

em:

verdes.

60

Profile for morais.projetos

PARQUE EDUCATIVO - ANDERSON DE MORAIS BATISTA - TCC 2 - NOTURNO - 111914011063  

PARQUE EDUCATIVO NO MUNICÍPIO DE MOGI DAS CRUZES

PARQUE EDUCATIVO - ANDERSON DE MORAIS BATISTA - TCC 2 - NOTURNO - 111914011063  

PARQUE EDUCATIVO NO MUNICÍPIO DE MOGI DAS CRUZES

Advertisement