Issuu on Google+

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 (CPA-10)

AULA 1 – SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

FORTUNA, Eduardo. Mercado Financeiro, Produtos e Serviços. 18a. Ed. Qualitymark. Rio de Janeiro:2011. PINHEIRO, Juliano Lima. Mercado de Capitais – Fundamentos e Téncnicas. 5ª. Ed. Editora Atlas. São Paulo: 2009.


A moeda TIPOS DE MOEDAS DINHEIRO MOEDAS METÁLICAS DEPÓSITOS BANCÁRIOS A VISTA CARACTERÍSTICAS DA MOEDA RARIDADE DURABILIDADE TRANSFERIBILIDADE HOMOGENEIDADE DIVISIBILIDADE FACILIDADE DE MANUSEIO FUNÇÕES DA MOEDA INTERMEDIÁRIA DE TROCAS RESERVA DE VALOR MEDIDAS DE VALOR


Moeda   

A moeda assume o caráter de moeda pública e com curso forçado, ou seja, aceitação imposta, quando o governo se encarrega da operação, emissão e controle da moeda. A moeda tem curso legal, com os credores, vendedores sendo obrigados a aceitá-la em pagamento de seus créditos e mercadorias. Também assume poder liberatório, quando o devedor, ao entregá-la ao credor, liberta-se de sua dívida. A moeda adquire a característica de conversibilidade quando ela passa a ser aceita por outra sociedade em troca da sua moeda. Para que alguma mercadoria possa ser considerada como moeda ela deve possuir cumulativamente as seguintes características: raridade, durabilidade, transferibilidade, homogeneidade, divisibilidade, facilidade de manuseio.


Moeda 

A moeda é um grande facilitador de trocas de bens e serviços, sendo um meio de pagamento legalmente utilizado para realizar transações e quitar obrigações de natureza contratual.

Todo e qualquer instrumento que é geralmente aceito pelo público para realização de transações comerciais e pagamentos de dívidas é, por convenção, denominado como moeda. Desse conceito, o autor concluí que a moeda é apenas uma mercadoria aceita mais facilmente que outras nas trocas.


Fases da evolução da moeda Era da Troca de Mercadorias

Era da Mercadoria Moeda

Era da Moeda Metálica

Era da Moeda-Papel Era da Moeda Escritural Fonte: Pinheiro, Juliano Lima. Mercado de Capitais: Fundamentos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 2005


O Processo Poupança-Investimento POUPANÇA Parcela de renda não consumida

Em função dos seguintes fatores: Capacidade de poupar Desejo de poupar Oportunidade de poupar

INVESTIMENTO Aplicação em algo lucrativo, aumentando o estoque de riqueza Fonte: Pinheiro, Juliano Lima. Mercado de Capitais: Fundamentos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 2005


Fluxo Circular da Renda Fluxo Físico Bens e Serviços

Fluxo Monetário Gastos

FAMÍLIAS

EMPRESAS Fluxo Monetário Rendas (Salários, Juros, Lucros e Aluguéis)

Fluxo Físico Fatores de Produção


Fluxo Circular da Renda Renda

Mercado de Fatores de Produção

Poupança Privada

Remuneração dos Fatores

MERCADO MERCADO FINANCEIRO FINANCEIRO

Invest.

Déficit do Governo FAMÍLIAS

Impostos

GOVERNO

Despesas do Governo Consumo

EMPRESAS

Investimento

Mercado de Bens e Serviços

Receita Empresas


Como RENDA

cresce o PIB

PIB POTENCIAL

PIB EFETIVO TEMPO

Y = C + I + G + (X – M)

Onde: Y = PIB C = Consumo I = Investimento G = Gastos do Governo X = Exportações M = Importações


A busca do equilíbrio

Pleno Emprego Distribuição de Riqueza Estabilidade de Preços Crescimento Econômico


A busca do equilíbrio 

Na tentativa de equilibrar o PIB potencial e o PIB efetivo se utiliza várias políticas econômicas dentre elas    

A política monetária A política fiscal A política cambial e A política de rendas


POLÍTICAS ECONÔMICAS

POLÍTICA MONETÁRIA

POLÍTICA FISCAL

POLÍTICA CAMBIAL

POLÍTICA DE RENDAS

Controle de Oferta de Moeda

Controle Orçamento Pública

Balanço de Pagamentos e taxa de câmbio

Remuneração Dos Fatores de Produção


Política Monetária ENFATIZA SUA ATUAÇÃO SOBRE OS MEIOS DE PAGAMENTO, TÍTULOS PÚBLICOS E TAXAS DE JUROS, MODIFICANDO O CUSTO E O NÍVEL DE OFERTA DE CRÉDITO. ESTA POLÍTICA É EXECUTADA PELO BACEN, QUE POSSUI PODERES E COMPETÊNCIA PRÔPRIOS PARA CONTROLAR A QUANTIDADE DE MOEDA NA ECONOMIA. Recolhimentos compulsórios

Instrumentos de controle monetário

Operações Mercado Aberto Redesconto Bancário Empréstimos de liquidez


Política Monetária POLÍTICA MONETÁRIA EXPANSIONISTA É AQUELA QUE ELEVA A LIQUIDEZ DA ECONOMIA, INJETANDO MAIOR VOLUME DE RECURSOS NOS MERCADOS E ELEVANDO, EM CONSEQÜÊNCIA, OS MEIOS DE PAGAMENTO.

ATRAVÉS DE UMA POLÍTICA MONETÁRIA RESTRITIVA, AS AUTORIDADES MONETÁRIAS PROMOVEM REDUÇÕES DOS MEIOS DE PAGAMENTO DA ECONOMIA, RETRAINDO A DEMANDA AGREGADA (CONSUMO E INVESTIMENTO) E A ATIVIDADE ECONÔMICA.


Recolhimentos Compulsórios 

 

Percentual incidente sobre os depósitos captados pelos bancos comerciais, que deve ser colocado a disposição do Banco Central. Instrumento de controle monetário que atua sobre os meios de pagamento através do multiplicador bancário. Pode incidir sobre depósitos a vista e sobre os diferentes tipos de depósitos a prazo. A alteração das taxas de recolhimento compulsório determina a expansão ou a retração da atividade econômica.


Operações de Mercado Aberto 

 

Estas operações funcionam como instrumento ágil de política monetária para melhorar o fluxo monetário da economia e influenciar os níveis das taxas de juros a curto prazo. Fundamentam-se na compra e venda de títulos da dívida pública no mercado, processadas pelo Bacen na qualidade de agente monetário do governo. Para aumentar os meios de pagamento o governo resgata títulos públicos, injetando dinheiro. Para reduzir os meios de pagamento e aumentar a taxa de juros, o governo emite e coloca novos títulos da dívida em circulação.


Redesconto Bancário e Empréstimo de Liquidez O BANCO CENTRAL COSTUMA REALIZAR EMPRÉSTIMOS DE ASSISTÊNCIA DE LIQUIDEZ ÀS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS VISANDO EQUILIBRAR SUAS NECESSIDADES DE CAIXA NO CASO DE AUMENTO ACENTUADO DA DEMANDA DE RECURSOS DOS DEPOSITANTES.

A TAXA DE JUROS COBRADA PELO BC NESSAS OPERAÇÕES CHAMA-SE TAXA DE REDESCONTO. ESTA TAXA AGE SOBRE O NÍVEL DE LIQUIDEZ MONETÁRIA DA ECONOMIA E SOBRE AS TAXAS DE JUROS PRATICADAS PELOS BANCOS.


Política Fiscal    

Centraliza suas preocupações nos gastos do setor público e nos impostos cobrados da sociedade. Procura o equilíbrio entre a arrecadação tributária e as despesas governamentais. Objetiva atingir determinadas metas sociais e macroeconômicas. Através da modificação da carga tributária, influencia a renda disponível e o consumo agregado. assim, um aumento de impostos gera uma redução do consumo. Haverá também uma redução dos investimentos das empresas.


Política de Rendas É A QUE O GOVERNO EXERCE, ESTABELECENDO CONTROLES DIRETOS SOBRE A REMUNERAÇÃO DOS FATORES DIRETOS DE PRODUÇÃO ENVOLVIDOS NA ECONOMIA, TAIS COMO SALÁRIOS, DEPRECIAÇÕES, LUCROS, DIVIDENDOS E PREÇOS DOS PRODUTOS INTERMEDIÁRIOS E FINAIS.


Política Cambial 

Regime Cambiais 

Câmbio Fixo: o Banco Central fixa antecipadamente a taxa de câmbio, com a qual o mercado deve operar.

Câmbio Flexível ou Flutuante: a taxa de câmbio é determinada pelo mercado, pela oferta e pela demanda de moeda estrangeira.


Mercado de Câmbio 

O mercado de câmbio fornece a estrutura física e institucional onde a moeda de um país é trocada pela moeda de outro país, a taxa de câmbio entre moedas é determinada e as transações de câmbio são fisicamente completadas. Uma transação de câmbio é um contrato entre um comprador e um vendedor, no qual uma quantia de uma moeda deve ser entregue a uma taxa específica em troca de outra moeda.

Fonte: Eiteman (2002). Administração Financeira Internacional.


Funções do Mercado de Câmbio 

Funções do mercado de câmbio   

Transferência de poder de compra Provisão de crédito Minimizando o risco do câmbio

Participantes do Mercado     

Dealers bancários e não bancários de câmbio Pessoas e empresas conduzindo transações comerciais e investimentos Especuladores e arbitradores Bancos centrais e tesouros nacionais Corretores de câmbio


Estrutura e Funcionamento do Sistema Financeiro Nacional Exemplo de Transformações Realizadas pelos Intermediários Agentes Econômicos Superavitários

Intermediários Financeiros

Empresas Famílias Governo

Magnitudes Prazos Riscos

Agentes Econômicos Deficitários Empresas Famílias Governo

Fonte: Pinheiro, Juliano Lima. Mercado de Capitais: Fundamentos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 2005


Exemplo de Transformações Realizadas pelos Intermediários

Fontes / Captação Depósitos à vista Tributos Depósitos a prazo Recursos de câmbio Repasses Recursos Próprios CDI

Destinação / Aplicação Compulsório Empréstimos direcionados Empréstimos livres Repasses CDI

INTERMEDIÁRIO FINANCEIRO Fonte: Pinheiro, Juliano Lima. Mercado de Capitais: Fundamentos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 2005


Segmentação do Mercado Financeiro

MERCADO DE CRÉDITO

MERCADO MONETÁRIO

MERCADO FINANCEIRO MERCADO DE CAPITAIS

MERCADO CAMBIAL

JUROS: MOEDA DE TROCA DESSES MERCADOS


SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL 

O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos dos ofertadores finais para os tomadores finais, e cria condições para que os títulos e valores mobiliários tenham liquidez no mercado. Os tomadores finais de recursos são aqueles que se encontram em posição de déficit financeiro, isto é, aqueles que pretendem gastar mais do que sua renda, necessitando das poupanças de outros para complementar sua renda. De outro lado, estão dispostos a pagar pelo capital que necessitam. Já os ofertadores finais de recursos são aqueles que se encontram em posição contrária de superávit financeiro, isto é, aqueles que pretendem gastar (em consumo e/ou investimento) menos do que sua renda.


Estrutura Normativa do Sistema Financeiro Nacional CONGRESSO (Constituição e Leis)

CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL (Resoluções)

Comissão de Valores Mobiliários CVM (Instruções e Deliberações)

Entidades Auto-Reguladoras (Normas emitidas pelas Bolsas ou Entidades de Balcão Organizado)

Banco Central do Brasil - Bacen (Circulares e Cartas Circulares)


Estrutura do SFN Regulação e Fiscalização

Intermediação

Conselho Monetário Nacional (CMN)

Inst. Financeiras: Bancos e Cx Econômicas

Banco Central do Brasil (Bacen)

Auxiliares Financeiros: Bolsas de Valores Bolsas de Mercadorias Sociedades Corretoras

Comissão de Valores Mobiliários (CVM) Superintendência de Seguros Privados (Susep) Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc)

Sistema de Previdência e Seguros Sistema de Liquidação e Custódia Administração de Recursos de Terceiros Clubes de Investimento Fundos Mútuos Administradoras de Consórcios


Conselho Monetário Nacional - CMN 

Principais atribuições:   

Estabelecer as diretrizes gerais das políticas monetária, cambial e creditícia. Regular as condições de constituição, funcionamento e fiscalização das instituições financeiras. Disciplinar os instrumentos de política monetária e cambial.

Principais funções:       

Adaptar o volume dos meios de pagamento às reais necessidades da economia nacional e seu processo de desenvolvimento; Regular o valor interno da moeda, prevenindo ou corrigindo os surtos inflacionários ou deflacionários de origem interna ou externa; Regular o valor externo da moeda e o equilíbrio do balanço de pagamentos do país; Orientar a aplicação dos recursos das instituições financeiras públicas ou privadas, de forma a garantir condições favoráveis ao desenvolvimento equilibrado da economia nacional; Propiciar o aperfeiçoamento das instituições e dos instrumentos financeiros, de forma a tornar mais eficiente o sistema de pagamento e mobilização de recursos; Zelar pela liquidez e pela solvência das instituições financeiras; e Coordenar as políticas monetária, creditícia, orçamentária, fiscal e da dívida pública interna e externa.


Banco Central do Brasil – Atribuições e Características 

Banco dos Bancos  

Gestor do Sistema Financeiro Nacional  

 

Controle dos meios de pagamento Orçamento monetário Instrumentos de política monetária

Banco Emissor  

Normas e autorizações Fiscalizações e intervenções

Executor da Política Monetária 

Depósitos compulsórios Redesconto de liquidez

Emissão do meio circulante Saneamento do meio circulante

Banqueiro do Governo    

Financiamento ao Tesouro Nacional Administração da dívida pública Gestor e fiel depositário das reservas internacionais do país Representante em instituições financeiras internacionais


Comissão de Valores Mobiliários - CVM 

Competência da CVM:  

    

Assegurar o funcionamento eficiente e regular dos mercados de bolsa e de balcão. Proteger os titulares de valores mobiliários contra emissões irregulares e atos ilegais de administradores e acionistas controladores de companhias ou de administradores de carteira de valores mobiliários. Evitar ou coibir modalidades de fraudes ou manipulação destinadas a criar condições artificiais de demanda, oferta ou preço de valores mobiliários negociados no mercado. Assegurar o acesso do público a informações sobre valores mobiliários negociados e às companhias que os tenham emitido. Assegurar a observância de práticas comerciais eqüitativas no mercado de valores mobiliários. Estimular a formação de poupança e sua aplicação em valores mobiliários. Promover a expansão e o funcionamento eficiente e regular do mercado de ações e estimular as aplicações permanentes em ações do capital social das companhias abertas.


Sistema Financeiro em Termos Funcionais       

Crédito de Curto Prazo: Bancos Comerciais e Bancos Múltiplos, Caixas Econômicas, Cooperativas de Crédito, Factoring Crédito e Médio e Longo Prazo: Bancos de Investimento e Desenvolvimento, Leasing Crédito ao Consumidor: Financeiras, Caixa Econômica Federal, Leasing Crédito Habitacional: Caixas Econômicas, Companhias de Crédito Imobiliário, Bancos Múltiplos Intermediação de Títulos e Valores Mobiliários: Sociedades Corretoras e Distribuidoras, Agentes Autônomos de Investimento Seguro e Capitalização: Seguradoras, Fundação de Seguridade Social, Companhias de Capitalização Arrendamento Mercantil: Companhias de Leasing


BANCÁRIAS, NÃO BANCÁRIAS E AUXILIARES 

As bancárias são aquelas que tem autorização para captar depósitos à vista.

Não-bancárias não podem captar recursos no mercado através de depósitos à vista.

Auxiliares como sendo àquelas integrantes do sistema de distribuição de títulos e valores mobiliários e que não podem emitir títulos.


Mercado Primário 

O Mercado Primário tem a finalidade de dinamizar o fluxo de poupança em direção aos investimentos produtivos, viabilizando o crescimento empresarial. Nele as empresas obtêm recursos para seu crescimento através da subscrição de novas ações.

Em princípio, qualquer ativo financeiro tem sua primeira negociação no mercado primário. Quando uma letra de câmbio, um certificado de depósito, uma ação ou qualquer outro ativo financeiro é vendido pela primeira vez, isto é, quando é posto em circulação no mercado, diz-se que tais operações ocorreram no mercado primário.


Mercado Secundário 

O Mercado Secundário tem a finalidade de dar liquidez às ações emitidas no mercado primário. A transferência desses títulos pode ser feita no Mercado de Balcão ou no Mercado de Bolsa.

É nesse mercado que os títulos já existentes se transferem de um proprietário para outro. O valor transacionado nesse mercado não é canalizado para a empresa, ou seja, sob o ponto de vista econômico, não significa aumento ou diminuição de recursos para financiar novos empreendimentos.

Assim, tanto o Mercado Primário quanto o Secundário são importantes, uma vez que a existência de um é condição para o funcionamento do outro.


Mercado de Renda Fixa 

Títulos de renda fixa

Títulos Públicos e Privados

Operações definitivas e compromissadas

Principais índices de referência (Selic e CDI)

Negociação, liquidação e custódia - CETIP/SELIC

Marcação a mercado da carteira de ativos


Títulos de renda fixa 

As aplicações financeiras de renda fixa, são caracterizadas por possuir um esquema fixo de remuneração, ou seja, no momento em que o investidor realiza sua aplicação ele sabe qual a sua expectativa de remuneração e qual o prazo de resgate de seu investimento.


Títulos Públicos 

O Tesouro Nacional emite títulos públicos com o intuito de minimizar os custos de longo prazo, mantendo níveis de risco aceitáveis, assim ela representa a dívida mobiliária da União. Os Bônus e as Letras Prefixadas do TN ou Bacen são títulos de curto prazo que não possuem indexação ou juros, sendo sua rentabilidade determinada por um desconto sobre o valor de face. As Letras Financeiras são títulos emitidos geralmente por prazos mais longos e indexados por um índice destinado a atualizar o seu valor, podendo ou não pagar juros. As Notas do Tesouro e do Bacen têm prazos mais longos, de 1 a 30 anos. Seu valor nominal é corrigido por um índice específico, pagando juros sobre o valor nominal atualizado.


Títulos Públicos 

LTN - Letras do Tesouro Nacional: títulos com rentabilidade definida (taxa fixa) no momento da compra.Você sabe antes quantos reais vai ganhar. Forma de pagamento: no vencimento; LFT - Letras Financeiras do Tesouro: títulos com rentabilidade diária vinculada à taxa de juros básica da economia (taxa média das operações diárias com títulos públicos registrados no sistema SELIC, ou, simplesmente, taxa Selic) Forma de pagamento: no vencimento; NTN-C – Notas do Tesouro Nacional – série C: títulos com rentabilidade vinculada à variação do IGP-M, acrescida de juros definidos no momento da compra. Ideal para formar poupança de médio e longo prazo, garantindo seu poder de compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no vencimento (principal);


Títulos Públicos 

NTN-B – Nota do Tesouro Nacional – série B: título com rentabilidade vinculada à variação do IPCA, acrescida de juros definidos no momento da compra. Ideal para formar poupança de médio e longo prazo, garantindo seu poder de compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no vencimento (principal); NTN-B Principal – Nota do Tesouro Nacional – série B: título com rentabilidade vinculada à variação do IPCA, acrescida de juros definidos no momento da compra. Não há pagamento de cupom de juros semestral e é ideal para formar poupança de médio e longo prazo, garantindo seu poder de compra. Forma de Pagamento: no vencimento (principal); NTN-F – Nota do Tesouro Nacional – série F: título com rentabilidade prefixada, definida no momento da compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no vencimento (principal).


Fluxo dos títulos: NTN-F e NTN-B


Fluxo dos tĂ­tulos: LTN, LFT e NTN-B Principal


Taxa Selic 

A taxa SELIC é um índice pelo qual as taxas de juros cobradas pelo mercado se balizam no Brasil. É a taxa básica utilizada como referência pela política monetária. A taxa overnight do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (SELIC), expressa na forma anual, é a taxa média ponderada pelo volume das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais e realizadas no SELIC, na forma de operações compromissadas. É divulgada pelo Comitê de Política Monetária(Copom).


Taxa Selic 

Conforme o Banco Central do Brasil o conceito de taxa Selic é a taxa apurada no Selic, obtida mediante o cálculo da taxa média ponderada e ajustada das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais e cursadas no referido sistema ou em câmaras de compensação e liquidação de ativos, na forma de operações compromissadas. Operações compromissadas são operações de venda de títulos com compromisso de recompra assumido pelo vendedor, concomitante com compromisso de revenda assumido pelo comprador, para liquidação no dia útil seguinte. Estão aptas a realizar operações compromissadas, por um dia útil, fundamentalmente as instituições financeiras habilitadas, tais como bancos, caixas econômicas, sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários e sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários.


Taxa CDI/Cetip 

Os Certificados de Depósitos Interbancários (CDIs) são títulos emitidos pelos bancos como forma de captação ou aplicação de recursos excedentes. Criado em meados da década de 1980, os CDIs são aplicações com prazos de 1 dia útil, com objetivo de melhorar a liquidez de uma determinada instituição financeira. Essas transações são fechadas por meio eletrônico e registradas nos computadores das instituições envolvidas e nos terminais do Cetip.

A maioria das operações são negociadas por um dia. A taxa média diária do CDI de um dia é utilizada como referencial para o custo do dinheiro (juros). Por esse motivo, essa taxa também é utilizada como referencial para avaliar a rentabilidade das aplicações em fundos de investimento. A Taxa CDI mais amplamente adotada no mercado é a DI-Over.

Ela é calculada como a média das operações transacionadas num único dia, desconsiderando as operações dentro de um mesmo grupo financeiro.

As características de um CDI são semelhantes àquelas de um CDB, porém os CDIs somente são negociados no mercado interbancário, transferindo recursos de uma instituição financeira para outra.


Títulos Privados 

Letras Imobiliárias: as letras imobiliárias são títulos emitidos pelas sociedades de crédito imobiliário ou pelos bancos múltiplos que possuam carteira de crédito imobiliárias, com características similares as cadernetas de poupanças esses títulos complementam o sistema de captação de recursos para o financiamento do crédito habitacional.

Letra de Crédito Imobiliário - LCI: são títulos de créditos, nominativos, que têm como lastro financiamentos imobiliários, garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária. Rentabilidade diária é baseada na variação do CDI (ex. 90% do CDI) e sem a incidência de Imposto de Renda para pessoa física, para pessoa jurídica a tributação é igual as aplicações de renda fixa. Prazo máximo de 3 anos. Conta com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para valores até R$ 250.000,00, por CPF;

Letras de Crédito Agrícola – LCA: são títulos de crédito, emitidos por instituições financeiras públicas ou privadas (bancos), que tem como objetivo ampliar os recursos disponíveis ao financiamento agropecuário. Esses títulos são vinculados a direitos creditórios de negócios realizados entre produtores rurais. É uma opção de investimento similar ao CDB; com a vantagem de não sofrer incidência de IR e IOF para pessoa física e isenção de IOF para pessoa jurídica (no restante a tributação é igual as aplicações de renda fixa). Aplicação mínima é de R$ 50 mil e não contam com cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).


Títulos Privados 

Depósitos a Prazo Fixo: estes papéis são os mais tradicionais títulos do mercado bancário, representando a base da captação de recursos remunerados pelos bancos, seja em operações interbancárias ou em operações diretas ao investidor.

Letras de Câmbio: são títulos de renda fixa pré-fixada emitida por um mutuário de uma Sociedade de Crédito, Financiamento e Investimento - Financeira, aceita pela financeira, que se torna sua garantidora, e é vendida a um investidor rendendo juros com prazo de vencimento pré-determinado. Sua emissão está sempre vinculada aos contratos de financiamentos que dão origem.

Debêntures: são valores mobiliários emitido pelas sociedades anônimas, representativo de uma fração de um empréstimo. Cada debênture oferece ao debenturista idênticos direitos de crédito contra a sociedade emissora, direitos esses estabelecidos na Escritura de Emissão.


Títulos Privados 

 

Caderneta de Poupança: é o mecanismo básico de captação de recursos para o Sistema Financeiro da Habitação, caracterizando-se por depósitos remunerados de livre movimentação. Os depósitos têm seu rendimento fixado diariamente pelo Banco Central, sendo creditado na conta do poupador a cada período de trinta dias, convencionado como “data de aniversário” da caderneta. Atualmente, a caderneta de poupança é remunerada da seguinte forma: Depósitos efetuados até 3 de maio de 2012: a regra de remuneração é: Taxa Referencial (TR) + 0,5% ao mês. Depósitos a partir de 4 de maio de 2012: quando a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, o cálculo será a TR + 0,5%; quando a taxa Selic estiver igual ou abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento será a TR + 70% da Selic. Está totalmente isenta de pagamento de imposto de renda. A “data de aniversário” corresponde a data em que o poupador pode resgatar sem que ocorra a perda do rendimento. Conta com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito para valores de até R$ 250.000,00, por CPF.


Marcação a mercado da carteira de ativos

A Marcação a Mercado (mark to market) é o procedimento de se ajustar o preço de um ativo existente na carteira à cotação do mercado, ajustando o seu valor à nova realidade, evitando assim a transferência de riqueza entre os diversos cotistas do fundo. Dessa maneira, o valor apurado de uma carteira reflete o quanto ela valeria caso todos os ativos fossem vendidos naquela data.


Aula 1 turma7